5) No circuito abaixo, determine a potência gerada pela bateria de 5 V.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "5) No circuito abaixo, determine a potência gerada pela bateria de 5 V."

Transcrição

1 ) Determine Vab (i7 é desconhecido). V = 0V ab ) Obtenha os circuitos equivalentes de Thévenin e Norton do seguinte circuito. R.: 3) Determine a resistência equivalente R ab vista dos terminais ab do circuito abaixo. R=0, Ω 4) Determine a resistência equivalente R ab vista dos terminais ab do circuito abaixo. R= Ω 5) No circuito abaixo, determine a potência gerada pela bateria de 5 V.

2 P 5v=-5 W 6) Calcule a potência de saída de um motor cc de 50 V, caso o rendimento seja de 9% quando a corrente de entrada for de A. P saída=760 W 7) Determine o valor da fonte de tensão Vs a qual resulta em uma corrente de 7,5 ma no resistor de 3 Ω, como mostrado no circuito abaixo. Vs=0,705 V 8) Determine a corrente I no circuito abaixo: I=-5 A 9) Determine o valor de R que permite a máxima transferência de potência pelo terminais ab do circuito abaixo. R= Ω

3 0) Determine a corrente gerada pela fonte de 60 V no circuito abaixo: a) por corrente de ramos b) por corrente de malhas c) por tensão de nós. I= 6 A ) Calcule a resistência interna de uma bateria que tem uma tensão em aberto de V e fornece 00 A para uma resistência de 0,0 Ω. R=0,0 Ω ) Medidas feitas em uma fonte prática cc mostram uma tensão de 00 V para uma carga de 00 Ω e 05 V para uma resistência de 0 Ω. Obtenha o modelo do circuito para esta fonte. V=0 V, R=0 Ω 3) Obtenha a potência total fornecida por uma fonte de 60 V e potência absorvida por cada resistor. P fonte=360 W 4) Calcule a corrente no resistor de 3 Ω pela aplicação do princípio da superposição..: R=3 R i =,3 A 5) Dois resistores de Ω, nominais de 5 W e 50 W, são disponíveis para o uso no circuito abaixo. A) Ambos os resistores podem ser aplicados no circuito? B) Determine as potências absorvidas por cada elemento.

4 P R==49 Ω - logo o resistor com potência 5 W não pode ser utilizado. P 0V = 70 W, P 7A= W 6) Para o circuito abaixo determine: a) v e v b) a potência dissipada nos resistores de 3 kω e 0 kω c) a potência dissipada na fonte de corrente. a) v =5 V v =0 V b) 75 mw, 0 mw c) 00 mw 7) Determine Rab e i no circuito abaixo. R ab=40 Ω, i=,5 A 8) 3 lâmpadas estão ligadas conforme a figura abaixo. Calcule a) corrente total fornecida pela bateria, b) corrente em cada lâmpada e c)a resistência de cada lâmpada. a)i bat=5 A, b) i =, A i =i 3=,778 A c) R = 4,05 Ω R =,945 Ω R 3 =,97 Ω 9) Sabendo que a fonte de tensão é de 40V e que todas as resistências são de Ohm. Determine a corrente i:

5 i = 5 A 0) Calcule as tensões de nó do circuito abaixo. v = 3,33 V, v = 0 V ) Calcule as tensões de nó do circuito abaixo. v = V, v = 4 V ) Calcule as tensões de nó do circuito abaixo. v = 4,8 V, v =,4 V, v 3 =,4 V 3) Calcule as tensões de nó do circuito abaixo. v = 7,333 V, v = 5,333 V 4) Calcule as tensões de nó do circuito abaixo.

6 v = 6,667 V, v = 6,667 V, v 3 = 73,333 V, v 4 = 46,667 V 5) Calcule as correntes de malha do circuito abaixo. i = /3 A, i = 0 A 6) Calcule a corrente io por análise de correntes de malha no circuito abaixo. i o = 5 A 7) Calcule as correntes de malha do circuito abaixo. i = 3,474 A, i = 0,4737 A, i =,05 A 3 8) Determine a tensão Vab

7 V ab=40,5 V 9) Determine a tensão vo utilizando o teorema da superposição de efeitos. V o= V 30) Calcule io utilizando a) transformação de fontes e b) teorema da superposição de efeitos. i o=,78 A 3) Calcule o circuito equivalente da esquerda dos terminais ab do circuito abaixo utilizando o teorema de a) Thevenin e b) Norton, e finalmente c) calcule a corrente i. i=,5 A 3) Calcule o equivalente Thévenin dos terminais ab do circuito abaixo R =6 Ω, V = 0 V Th Th

8 33) Calcule o equivalente a) Thévenin e b) Norton para o circuito abaixo a partir dos terminais ab. R Th=4 Ω, V Th = 4 V, I N = A 34) Calcule o equivalente Norton para os terminais ab do circuito abaixo. R N= Ω, I N = 0 A 35) Determine I e R para que os dois circuitos sejam equivalentes: I= A, R=5 Ω 36) Determine o valor R para Vab=4 Volts: R= Ω 37) Simplifique a rede com relação aos terminais A e B:

9 38) Determine os valores de R e E sabendo-se que o equivalente Thevenin para os terminas AB é: R=3 Ω, E=0 V 39) Sabendo que o amperímetro indica 3 A, determine o valor da fonte I no circuito abaixo. I=0/3 A 40) No circuito abaixo foram feitos testes que estão descritos na tabela ao lado. Com base nestes resultados, determine a leitura do amperímetro quando R=9, I= e E=8. R E I V A 3-4 x 5 x x 9 8 x?

10 4) No circuito abaixo, quando E=0 I= R=6 temos i=. Quando E=40 I= R=7 então i=. Quando E=0 I=4 R= temos i=0,5. Calcule i quando R=0 E=0 e I=5. 4) No circuito abaixo, calcule o valor lido no amperímetro quando a chave S está na posição, sabendo que quando S está na posição o circuito da esquerda (dentro da caixa maior) transfere a máxima potência possível. Valor lido no Amp=9 A

5 Circuitos Equivalentes

5 Circuitos Equivalentes 5 Circuitos Equivalentes 5.1 Circuitos Equivalentes Nos capítulos anteriores já se apresentaram diversos exemplos de circuitos equivalentes, por exemplo, resistências em série e em paralelo ou a chamada

Leia mais

ANÁLISE DE CIRCUITOS RESISTIVO DC (03/12/2013)

ANÁLISE DE CIRCUITOS RESISTIVO DC (03/12/2013) Governo do Estado de Pernambuco Secretaria de Educação Secretaria Executiva de Educação Profissional Escola Técnica Estadual Professor Agamemnon Magalhães ETEPAM Aluno: Avaliação do Prof. (N5): ANÁLISE

Leia mais

Aula 05. Resistores em Série e em Paralelo Leis de Kirchhoff- Parte I

Aula 05. Resistores em Série e em Paralelo Leis de Kirchhoff- Parte I Aula 05 Resistores em Série e em Paralelo Leis de Kirchhoff- Parte I Circuito Elétrico Básico e suas componentes. \ Resistores em Série Em uma associação de resistores em série, a corrente elétrica ( contínua)

Leia mais

Algumas propriedades importantes de circuitos elétricos

Algumas propriedades importantes de circuitos elétricos ág.1 lgumas propriedades importantes de circuitos elétricos 1) Leis de Kirchhoff 1.1) 1ª Lei de Kirchhoff: soma algébrica das correntes em um nó é nula Definições: nó = ligação de dois ou mais componentes

Leia mais

Eletrotécnica. Relações Fasoriais para R, L e C; Conceitos de Impedância e Admitância; Associações de impedâncias e/ou admitâncias.

Eletrotécnica. Relações Fasoriais para R, L e C; Conceitos de Impedância e Admitância; Associações de impedâncias e/ou admitâncias. Eletrotécnica Relações Fasoriais para R, L e C; Conceitos de Impedância e Admitância; Associações de impedâncias e/ou admitâncias. Joinville, 28 de Fevereiro de 2013 Escopo dos Tópicos Abordados Relações

Leia mais

II OLIMPÍADA DE CIRCUITOS ELÉTRICOS - II OLIMCIRELE REGULAMENTO

II OLIMPÍADA DE CIRCUITOS ELÉTRICOS - II OLIMCIRELE REGULAMENTO REGULAMENTO A II OLIMPÍADA DE CIRCUITOS ELÉTRICOS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ ( II OLIMCIRELE IFCE ) é um dos eventos que compõe a programação das comemorações do aniversário

Leia mais

Um estudo dos principais Circuitos Elétricos utilizados na Engenharia Elétrica.

Um estudo dos principais Circuitos Elétricos utilizados na Engenharia Elétrica. Unidade Universitária Escola de Engenharia Curso Engenharia Eletrônica e Engenharia Elétrica Disciplina Eletricidade I Professor Paulo Guerra Junior Carga horária 4 Código da Disciplina 161.1303.9 Etapa

Leia mais

Eletrônica Analógica

Eletrônica Analógica CONCURSO PETROBRAS TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO JÚNIOR - ELETRÔNICA TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO JÚNIOR - INSTRUMENTAÇÃO TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO JÚNIOR - AUTOMAÇÃO Eletrônica Analógica Questões Resolvidas QUESTÕES

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Princípios de Instrumentação Biomédica. Módulo 4

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Princípios de Instrumentação Biomédica. Módulo 4 Universidade Federal do Rio de Janeiro Princípios de Instrumentação Biomédica Módulo 4 Faraday Lenz Henry Weber Maxwell Oersted Conteúdo 4 - Capacitores e Indutores...1 4.1 - Capacitores...1 4.2 - Capacitor

Leia mais

Lista de Exercícios Circuito I Capítulo 3. Material retirado das Listas de Exercícios COB781 (diversos livros)-roberto Macoto Ichinose

Lista de Exercícios Circuito I Capítulo 3. Material retirado das Listas de Exercícios COB781 (diversos livros)-roberto Macoto Ichinose Lista de Exercícios Circuito I Capítulo 3. Material retirado das Listas de Exercícios COB781 (diversos livros)roberto Macoto Ichinose 1) Calcule a corrente através do resistor de carga R L no circuito

Leia mais

EA-513 Circuitos Elétricos Turma A 1º Semestre/2014

EA-513 Circuitos Elétricos Turma A 1º Semestre/2014 EA513 Circuitos Elétricos Turma A 1º Semestre/2014 Prof.: Renato Baldini Filho sala 324 baldini@decom.fee.unicamp.br www.decom.fee.unicamp.br/~baldini/ea513.htm Horário: Terças (16:00 h às 17:40 h) Quintas

Leia mais

Parte 1 Introdução... 1

Parte 1 Introdução... 1 Sumário SUMÁRIO V Parte 1 Introdução... 1 Capítulo 1 Unidades de Medida... 3 Introdução...3 Grandezas Físicas...3 Múltiplos e Submúltiplos...4 Arredondamentos...6 Exercícios...7 Capítulo 2 Simbologia...

Leia mais

11. Dado o circuito abaixo, determine a capacitância equivalente do circuito, sabendo que:

11. Dado o circuito abaixo, determine a capacitância equivalente do circuito, sabendo que: TÉCNICO EM ELETRICIDADE 4 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 11 A 25 11. Dado o circuito abaixo, determine a capacitância equivalente do circuito, sabendo que: C1 = 300µF C2 = C3 = 300µF C4 = C5 = C6

Leia mais

Os elétrons possuem cargas elétricas negativas, os prótons possuem cargas elétricas positivas e os nêutrons não possuem cargas elétricas.

Os elétrons possuem cargas elétricas negativas, os prótons possuem cargas elétricas positivas e os nêutrons não possuem cargas elétricas. Sumário 1 - ESTRUTURA ATÔMICA 3 2 - ELETROSTÁTICA 5 3 - DIFERENÇA DE POTENCIAL (d.d.p)... 6 4 - CORRENTE ELÉTRICA 7 5 - RESISTÊNCIA ELÉTRICA E CONDUTÂNCIA... 8 6 - LEI DE OHM 9 7 - ENERGIA ELÉTRICA 9 8

Leia mais

As figuras a seguir mostram como conectar o instrumento corretamente ao circuito para fazer as medidas de tensão nos resistores.

As figuras a seguir mostram como conectar o instrumento corretamente ao circuito para fazer as medidas de tensão nos resistores. EXPERÊNCA CRCUTOS EM CORRENTE CONTNUA NTRODUÇÃO TEÓRCA. O MULTÍMETRO O multímetro é um instrumento com múltiplas funções utilizado frequentemente nas bancadas de trabalho em eletrônica. Permite medir tensões

Leia mais

Transformada de Laplace. Parte 3

Transformada de Laplace. Parte 3 Transformada de Laplace Parte 3 Elementos de circuito no domínio da frequência O resistor no domínio da frequência Pela lei de OHM : v= Ri A transformada da equação acima é V(s) = R I(s) O indutor no domínio

Leia mais

Lista de Exercícios ENTREGAR NO DIA DA PROVA (10/04). CASO NÃO TENHA ENTREGUE A LISTA CONFORME DATA ACIMA, A NOTA DE PROVA SERÁ DECRESCIDA.

Lista de Exercícios ENTREGAR NO DIA DA PROVA (10/04). CASO NÃO TENHA ENTREGUE A LISTA CONFORME DATA ACIMA, A NOTA DE PROVA SERÁ DECRESCIDA. Lista de Exercícios ENTREGAR NO DIA DA PROVA (10/04). CASO NÃO TENHA ENTREGUE A LISTA CONFORME DATA ACIMA, A NOTA DE PROVA SERÁ DECRESCIDA. 1. Vamos supor que uma lâmpada utiliza uma alimentação de 6V

Leia mais

Leis de Kirchhoff. 2. (Fuvest-gv) No circuito esquematizado a seguir, o amperímetro acusa uma corrente de 30 ma.

Leis de Kirchhoff. 2. (Fuvest-gv) No circuito esquematizado a seguir, o amperímetro acusa uma corrente de 30 ma. TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO (Ufpe) Constantes físicas necessárias para a solução dos problemas: aceleração da gravidade: 10 m/s constante de Planck: 6,6 x 10 J.s 1. Calcule o potencial elétrico no ponto

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE)

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE) INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE) Concurso Público - NÍVEL MÉDIO CARGO: Técnico da Carreira de Desenvolvimento Tecnológico Classe: Técnico 1 Padrão I (TM11) CADERNO DE PROVAS PROVA DISCURSIVA

Leia mais

Análise de Circuitos

Análise de Circuitos INSTITUTO SUPEIO TÉCNICO Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores Secção de Electrónica Análise de Circuitos Enunciados dos Problemas Setembro de 2006 Elaborado por: João Costa Freire

Leia mais

Introdução Teórica Aula 4: Potenciômetros e Lâmpadas. Potenciômetros. Lâmpadas. EEL7011 Eletricidade Básica Aula 4

Introdução Teórica Aula 4: Potenciômetros e Lâmpadas. Potenciômetros. Lâmpadas. EEL7011 Eletricidade Básica Aula 4 Introdução Teórica Aula 4: Potenciômetros e Lâmpadas Potenciômetros Um potenciômetro é um resistor cujo valor de resistência é variável. Assim, de forma indireta, é possível controlar a intensidade da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7011 ELETRICIDADE BÁSICA TURMA: 141A

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7011 ELETRICIDADE BÁSICA TURMA: 141A UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7011 ELETRICIDADE BÁSICA TURMA: 141A EQUIVALENTES DE THÉVENIN E NORTON E MÉTODOS DIRETO E INDIRETO DE MEDIR UMA RESISTÊNCIA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7040 Circuitos Elétricos I - Laboratório

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7040 Circuitos Elétricos I - Laboratório UNIERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7040 Circuitos Elétricos I - Laboratório AULA 03 MEDIDAS DE RESISTÊNCIA ELÉTRICA 1 INTRODUÇÃO Nas aulas anteriores teve-se como

Leia mais

2 Objetivos Execução e análise de circuitos amplificadores lineares nas suas configurações como inversor, não-inversor e buffer.

2 Objetivos Execução e análise de circuitos amplificadores lineares nas suas configurações como inversor, não-inversor e buffer. Universidade Federal de Juiz de Fora Laboratório de Eletrônica CEL 037 Página 1 de 5 1 Título Prática 9 Aplicações Lineares dos Amplificadores Operacionais 2 Objetivos Execução e análise de circuitos amplificadores

Leia mais

CIRCUITOS ELÉTRICOS I 0. (4.1)

CIRCUITOS ELÉTRICOS I 0. (4.1) ELETICIDADE CAPÍTULO CICUITOS ELÉTICOS Conforme visto no Capítulo, um circuito elétrico constitui um caminho condutor fechado pelo qual se permite conduzir uma corrente elétrica. Um circuito elétrico pode

Leia mais

Eletrônica Aula 07 CIN-UPPE

Eletrônica Aula 07 CIN-UPPE Eletrônica Aula 07 CIN-UPPE Amplificador básico Amplificador básico É um circuito eletrônico, baseado em um componente ativo, como o transistor ou a válvula, que tem como função amplificar um sinal de

Leia mais

Física Experimental II. Instrumentos de Medida

Física Experimental II. Instrumentos de Medida Física Experimental II Instrumentos de Medida Conceitos Básicos I 1. Corrente Elétrica: chamamos de corrente elétrica qualquer movimento de cargas de um ponto a outro. Quando o movimento de cargas se dá

Leia mais

Leis de Kirchoff. a) 2, 2/3, 5/3 e 4. b) 7/3, 2/3, 5/3 e 4. c) 4, 4/3, 2/3 e 2. d) 2, 4/3, 7/3 e 5/3. e) 2, 2/3, 4/3 e 4.

Leis de Kirchoff. a) 2, 2/3, 5/3 e 4. b) 7/3, 2/3, 5/3 e 4. c) 4, 4/3, 2/3 e 2. d) 2, 4/3, 7/3 e 5/3. e) 2, 2/3, 4/3 e 4. Leis de Kirchoff 1. (Ita 2013) Considere o circuito elétrico mostrado na figura formado por quatro resistores de mesma resistência, R 10, e dois geradores ideais cujas respectivas forças eletromotrizes

Leia mais

Circuitos Elétricos Circuitos Magneticamente Acoplados

Circuitos Elétricos Circuitos Magneticamente Acoplados Introdução Circuitos Elétricos Circuitos Magneticamente Acoplados Alessandro L. Koerich Engenharia de Computação Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) Os circuitos que estudamos até o momento

Leia mais

CIRCUITOS LINEARES COM AMP OP

CIRCUITOS LINEARES COM AMP OP IFBA CIRCUITOS LINEARES COM AMP OP CELET Coordenação do Curso Técnico em Eletrônica Professor: Edvaldo Moraes Ruas, EE Vitória da Conquista - 2009 NÃO-INVERSOR Amplificador CA Ganho de tensão de malha

Leia mais

Associação de Resistores

Associação de Resistores Associação de Resistores 1. (Pucrj 2013) No circuito mostrado na figura, a diferença de potencial entre os pontos B e A vale, em Volts: a) 3,0 b) 1,0 c) 2,0 d) 4,5 e) 0,75 2. (Uerj 2011) Observe a representação

Leia mais

CURSO DE APROFUNDAMENTO FÍSICA ENSINO MÉDIO

CURSO DE APROFUNDAMENTO FÍSICA ENSINO MÉDIO CURSO DE APROFUNDAMENTO FÍSICA ENSINO MÉDIO Prof. Cazuza 1. Arthur monta um circuito com duas lâmpadas idênticas e conectadas à mesma bateria, como mostrado nesta figura: Considere nula a resistência elétrica

Leia mais

Circuitos Elétricos e Eletrotécnica Engenharia Mecânica Lista de Exercícios - 01

Circuitos Elétricos e Eletrotécnica Engenharia Mecânica Lista de Exercícios - 01 Circuitos Elétricos e Eletrotécnica Engenharia Mecânica Lista de Exercícios - 01 Prof. Dr. Carlos Henrique Farias dos Santos Março de 2010 1 Carga e Corrente 1. Calcular o fluxo de corrente através de

Leia mais

ENSINO SECUNDÁRIO CURSO PROFISSIONAL

ENSINO SECUNDÁRIO CURSO PROFISSIONAL ESCOLA: Escola Secundária dr. Solano de Abreu DISCIPLINA: Eletricidade e Eletrónica Módulo 1 ANO: 10º ANO 2014/2015 As grandezas mais importantes do circuito elétrico. A lei de OHM. A lei de JOULE. Os

Leia mais

Circuitos Elétricos: Métodos de Resolução de Malhas Múltiplas

Circuitos Elétricos: Métodos de Resolução de Malhas Múltiplas Circuitos Elétricos: Métodos de esolução de Malhas Múltiplas (Por oberto ezende) (Agradecimentos ao professor Leandro Nogueira, que deu apoio com o método de Thévénin) )Introdução O objetivo deste artigo

Leia mais

Receptores elétricos

Receptores elétricos Receptores elétricos 1 Fig.20.1 20.1. A Fig. 20.1 mostra um receptor elétrico ligado a dois pontos A e B de um circuito entre os quais existe uma d.d.p. de 12 V. A corrente que o percorre é de 2,0 A. A

Leia mais

ELETRICIDADE: CIRCUITOS ELÉTRICOS Experimento 1 Parte II: Medidas de corrente elétrica, tensão e resistência em circuitos de corrente

ELETRICIDADE: CIRCUITOS ELÉTRICOS Experimento 1 Parte II: Medidas de corrente elétrica, tensão e resistência em circuitos de corrente OBJETIVOS 9 contínua NOME ESCOLA EQUIPE SÉRIE PERÍODO DATA Familiarizar-se com o multímetro, realizando medidas de corrente, tensão e resistência. INTRODUÇÃO Corrente elétrica FÍSICA ELETRICIDADE: CIRCUITOS

Leia mais

Conteúdo GERADORES ELÉTRICOS E QUÍMICOS E FORÇA ELETROMOTRIZ.

Conteúdo GERADORES ELÉTRICOS E QUÍMICOS E FORÇA ELETROMOTRIZ. Aula 10.1 Física Conteúdo GERADORES ELÉTRICOS E QUÍMICOS E FORÇA ELETROMOTRIZ. Habilidades Compreender os conceitos da Eletrodinâmica. Compreender elementos do circuito elétrico e seu funcionamento. Frente

Leia mais

Lista de Exercícios de Eletricidade Básica e Eletrônica CEV 2012

Lista de Exercícios de Eletricidade Básica e Eletrônica CEV 2012 Lista de Exercícios de Eletricidade Básica e Eletrônica CEV 2012 1) Calcule a tensão de R4 no circuito abaixo. a) 3 V b) 7 V c) 10 V d) 50 V 2) Em um circuito elétrico, composto de cinco lâmpadas, iguais,

Leia mais

Circuitos Elétricos III

Circuitos Elétricos III Circuitos Elétricos III Prof. Danilo Melges (danilomelges@cpdee.ufmg.br) Depto. de Engenharia Elétrica Universidade Federal de Minas Gerais A Transformada de Laplace em análise de circuitos parte 2 Equivalente

Leia mais

Introdução Teórica Aula 3: Leis de Kirchhoff

Introdução Teórica Aula 3: Leis de Kirchhoff Introdução Teórica Aula 3: Leis de Kirchhoff Gustav Kirchhoff Gustav Kirchhoff (1824-1887) foi um físico alemão que juntamente com o químico alemão Robert Wilhelm Bunsen, desenvolveu o espectroscópio moderno

Leia mais

EXPERIÊNCIA 3 POTÊNCIA ELÉTRICA E GERADORES DE TENSÃO

EXPERIÊNCIA 3 POTÊNCIA ELÉTRICA E GERADORES DE TENSÃO EXPEÊNCA 3 PTÊNCA ELÉTCA E GEADES DE TENSÃ 1 NTDUÇÃ TEÓCA A tensão elétrica V é definida como sendo a energia necessária para mover a carga elétrica Q, entre dois pontos de um meio condutor. E V Q E V.

Leia mais

O que você deve saber sobre

O que você deve saber sobre O que você deve saber sobre Além de resistores, os circuitos elétricos apresentam dispositivos para gerar energia potencial elétrica a partir de outros componentes (geradores), armazenar cargas, interromper

Leia mais

22/3/2010. Vs = E Ri. 0 => Vs = E GERADOR DE TENSÃO. Equação do gerador de tensão real:

22/3/2010. Vs = E Ri. 0 => Vs = E GERADOR DE TENSÃO. Equação do gerador de tensão real: GRADOR D TNSÃO O gerador de tensão ideal é aquele que mantém a tensão na saída sempre constante, independente da corrente que fornece ao circuito que está sendo alimentado. Porém, qualquer que seja o gerador,

Leia mais

Aula 06. ASSUNTOS: Circuitos elétricos de corrente contínua; potência elétrica; leis de OHM; efeito Joule.

Aula 06. ASSUNTOS: Circuitos elétricos de corrente contínua; potência elétrica; leis de OHM; efeito Joule. ASSNTOS: Circuitos elétricos de corrente contínua; potência elétrica; leis de OHM; efeito Joule. 1. (CEFET CE 007) Na figura a seguir, a bateria E, o voltímetro V e o amperímetro A são ideais. Todos os

Leia mais

Exercícios Eletrodinâmica

Exercícios Eletrodinâmica Exercícios Eletrodinâmica 01-Um gerador elétrico tem potência total 0,6 kw, quando percorrido por uma corrente de intensidade igual a 50 A. Qual a sua força eletromotriz. a) 30.000 V b) 100 V c) 120 V

Leia mais

Aula prática 03 Medição simultânea de tensão e corrente

Aula prática 03 Medição simultânea de tensão e corrente Curso de Engenharia Elétrica Disciplina de Circuitos Elétricos 3 Parte Prática Turma: ET35L E51/E52. Professor Clovis ula prática 03 Medição simultânea de tensão e corrente OBJETO: Nesta aula prática serão

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7040 Circuitos Elétricos I - Laboratório

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7040 Circuitos Elétricos I - Laboratório ula 02 UNIERSIDDE FEDERL DE SNT CTRIN DEPRTMENTO DE ENGENHRI ELÉTRIC EEL7040 Circuitos Elétricos I - Laboratório UL 02 OLTÍMETRO E MPERÍMETRO DE CORRENTE CONTÍNU 1 INTRODUÇÃO Na primeira aula de laboratório

Leia mais

LEI DE OHM E RESISTÊNCIA ELÉTRICA

LEI DE OHM E RESISTÊNCIA ELÉTRICA LEI DE OHM E RESISTÊNCIA ELÉTRICA OBJETIVOS Este experimento tem por objetivo estudar a dependência da diferença de potencial ( ) com a corrente ( ) de um dado circuito para componentes ôhmicos e não ôhmicos.

Leia mais

Circuitos Elétricos 1º parte. Introdução Geradores elétricos Chaves e fusíveis Aprofundando Equação do gerador Potência e rendimento

Circuitos Elétricos 1º parte. Introdução Geradores elétricos Chaves e fusíveis Aprofundando Equação do gerador Potência e rendimento Circuitos Elétricos 1º parte Introdução Geradores elétricos Chaves e fusíveis Aprofundando Equação do gerador Potência e rendimento Introdução Um circuito elétrico é constituido de interconexão de vários

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO MARCOS FACULDADE DE ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES LABORATÓRIO DE ELETRICIDADE I MÓDULO 2 POTENCIÔMETRO PARTE TEÓRICA

UNIVERSIDADE SÃO MARCOS FACULDADE DE ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES LABORATÓRIO DE ELETRICIDADE I MÓDULO 2 POTENCIÔMETRO PARTE TEÓRICA 1. OBJETIVOS UNIVERSIDADE SÃO MARCOS FACULDADE DE ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES LABORATÓRIO DE ELETRICIDADE I MÓDULO 2 POTENCIÔMETRO PARTE TEÓRICA Uma vez completado este módulo, deveremos estar capacitados

Leia mais

Geradores. a) Complete a tabela abaixo com os valores da corrente I. V(V) R( ) I(A) 1,14 7,55 0,15 1,10 4,40 1,05 2,62 0,40 0,96 1,60 0,85 0,94 0,90

Geradores. a) Complete a tabela abaixo com os valores da corrente I. V(V) R( ) I(A) 1,14 7,55 0,15 1,10 4,40 1,05 2,62 0,40 0,96 1,60 0,85 0,94 0,90 Geradores 1. (Espcex (Aman) 2013) A pilha de uma lanterna possui uma força eletromotriz de 1,5 V e resistência interna de 0,05 Ω. O valor da tensão elétrica nos polos dessa pilha quando ela fornece uma

Leia mais

Ligação em curto-circuito

Ligação em curto-circuito Ligação em curto-circuito 1 Fig. 14.1 14.1. Denomina-se reostato a qualquer resistor de resistência variável. Representamos o reostato pelos símbolos da Fig. 14.1. Submetendo a uma tensão constante igual

Leia mais

Medição de Tensões e Correntes Eléctricas Leis de Ohm e de Kirchoff (Rev. 03/2008) 1. Objectivo:

Medição de Tensões e Correntes Eléctricas Leis de Ohm e de Kirchoff (Rev. 03/2008) 1. Objectivo: LEO - MEBiom Medição de Tensões e Correntes Eléctricas Leis de Ohm e de Kirchoff (Rev. 03/2008) 1. Objectivo: Aprender a medir tensões e correntes eléctricas com um osciloscópio e um multímetro digital

Leia mais

EXPERIÊNCIA 1 MEDIDA DE CORRENTE E DIFERENÇA DE POTENCIAL

EXPERIÊNCIA 1 MEDIDA DE CORRENTE E DIFERENÇA DE POTENCIAL EXPERIÊNCIA 1 MEDIDA DE CORRENTE E DIFERENÇA DE POTENCIAL I - OBJETIVO: Mostrar os princípios básicos da instrumentação para medidas da corrente e diferença de potencial. II - PARTE TEÓRICA: INTRODUÇÃO:

Leia mais

Associação de Geradores

Associação de Geradores Associação de Geradores 1. (Epcar (Afa) 2012) Um estudante dispõe de 40 pilhas, sendo que cada uma delas possui fem igual a 1,5 V e resistência interna de 0,25. Elas serão associadas e, posteriormente,

Leia mais

1º Experimento 1ª Parte: Resistores e Código de Cores

1º Experimento 1ª Parte: Resistores e Código de Cores 1º Experimento 1ª Parte: Resistores e Código de Cores 1. Objetivos Ler o valor nominal de cada resistor por meio do código de cores; Determinar a máxima potência dissipada pelo resistor por meio de suas

Leia mais

Circuitos de Corrente Contínua

Circuitos de Corrente Contínua Circuitos de Corrente Contínua Conceitos básicos de eletricidade Fundamentos de Eletrostática Potencial, Diferença de Potencial, Corrente Tipos de Materiais Circuito Elétrico Resistores 1 Circuitos de

Leia mais

Assunto: Exercícios Leis de Kirchhoff Apenas com duas malhas.

Assunto: Exercícios Leis de Kirchhoff Apenas com duas malhas. Página 1 de 3 CURSO Eletroeletrônica - DATA / / COMPONENTE Eletricidade Básica ALUNO RA: DOCENTE Prof. Romeu Corradi Júnior [www.corradi.junior.nom.br] Assunto: Exercícios Leis de Kirchhoff Apenas com

Leia mais

RADIOELETRICIDADE. O candidato deverá acertar, no mínimo: Classe B 50% Classe A 70% TESTE DE AVALIAÇÃO

RADIOELETRICIDADE. O candidato deverá acertar, no mínimo: Classe B 50% Classe A 70% TESTE DE AVALIAÇÃO RADIOELETRICIDADE O candidato deverá acertar, no mínimo: Classe B 50% Classe A 70% TESTE DE AVALIAÇÃO Fonte: ANATEL DEZ/2008 RADIOELETRICIDADE TESTE DE AVALIAÇÃO 635 A maior intensidade do campo magnético

Leia mais

Prof.: Geraldo Barbosa Filho

Prof.: Geraldo Barbosa Filho AULA 07 GERADORES E RECEPTORES 5- CURVA CARACTERÍSTICA DO GERADOR 1- GERADOR ELÉTRICO Gerador é um elemento de circuito que transforma qualquer tipo de energia, exceto a elétrica, em energia elétrica.

Leia mais

Exemplo de utilização do Scilab na solução de circuitos elétricos em cc. 16V E3. Fig. 1 circuito resistivo CC

Exemplo de utilização do Scilab na solução de circuitos elétricos em cc. 16V E3. Fig. 1 circuito resistivo CC Neste material é apresentado um exemplo simples de utilização do Scilab na solução de circuitos elétricos em cc. Os comandos apresentados neste tutorial servem também para o Octave. Os nomes das varáveis

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL Física Experimental III - Medidas Elétricas Objetivo O objetivo desta prática é aprender a fazer medições de resistência, tensão

Leia mais

Receptores elétricos

Receptores elétricos Receptores elétricos Receptor elétrico é qualquer dispositivo que transforma energia elétrica em outra forma de energia que não seja exclusivamente térmica,se lembre que os resistores são os dispositivos

Leia mais

E X E R C Í C I O S. i(a) 7,5 10 elétrons

E X E R C Í C I O S. i(a) 7,5 10 elétrons E X E R C Í C I O S 1. O gráfico da figura abaixo representa a intensidade de corrente que percorre um condutor em função do tempo. Determine a carga elétrica que atravessa uma secção transversal do condutor

Leia mais

LISTA de ELETRODINÂMICA PROFESSOR ANDRÉ

LISTA de ELETRODINÂMICA PROFESSOR ANDRÉ LISTA de ELETRODINÂMICA PROFESSOR ANDRÉ 1. (Fuvest 014) Dois fios metálicos, F 1 e F, cilíndricos, do mesmo material de resistividade ρ, de seções transversais de áreas, respectivamente, A 1 e A = A 1,

Leia mais

Prof. Antonio Carlos Santos. Aula 7: Polarização de Transistores

Prof. Antonio Carlos Santos. Aula 7: Polarização de Transistores IF-UFRJ Elementos de Eletrônica Analógica Prof. Antonio Carlos Santos Mestrado Profissional em Ensino de Física Aula 7: Polarização de Transistores Este material foi baseado em livros e manuais existentes

Leia mais

a) 2,0. b) 2,4. c) 3,0. d) 4,8. e) 7,2.

a) 2,0. b) 2,4. c) 3,0. d) 4,8. e) 7,2. LISTA 08 GERADORES 1. (Uesb-BA) A força eletromotriz de um gerador é de 12V e a sua resistência interna é de 2,0. Quando esse gerador alimenta um dispositivo cuja resistência ôhmica é 4,0, a intensidade

Leia mais

CIRCUITOS ELÉTRICOS RESOLUÇÃO DE CIRCUITOS TRANSITÓRIOS NO DOMÍNIO DA FREQÜÊNCIA

CIRCUITOS ELÉTRICOS RESOLUÇÃO DE CIRCUITOS TRANSITÓRIOS NO DOMÍNIO DA FREQÜÊNCIA 1 CIRCUITOS ELÉTRICOS RESOLUÇÃO DE CIRCUITOS TRANSITÓRIOS NO DOMÍNIO DA FREQÜÊNCIA Simulação de chaves utilizando a função degrau a) Fonte de tensão que entra em operação em t = 0 Substituindo a chave

Leia mais

Potência e rendimento de geradores e receptores

Potência e rendimento de geradores e receptores Potência e rendimento de geradores e receptores 1 Fig.26.1 26.1. No circuito da Fig. 26.1, a potência transformada em calor é igual a: A) 15 watts. B) 36 watts. C) 51 watts. D) 108 watts. E) 121 watts.

Leia mais

TÉCNICO EM ELETRÔNICA MTAC-1. Métodos e Técnicas de Análise de Circuitos Prof. Renato P. Bolsoni

TÉCNICO EM ELETRÔNICA MTAC-1. Métodos e Técnicas de Análise de Circuitos Prof. Renato P. Bolsoni TÉCNICO EM ELETRÔNICA MTAC-1 Métodos e Técnicas de Análise de Circuitos Prof. Renato P. Bolsoni Ver 1-11/08/2009 MTAC 1 - Prof. Renato Bolsoni 1 ÍNDICE Conteúdo Pág. O básico da teoria atômica da matéria...

Leia mais

Aula 4 Análise Circuitos Elétricos Prof. Marcio Kimpara

Aula 4 Análise Circuitos Elétricos Prof. Marcio Kimpara ELETICIDADE Aula 4 Análise Circuitos Elétricos Prof. Marcio Kimpara Universidade Federal de Mato Grosso do Sul 2 Fonte elétrica As fontes elétricas mantém a diferença de potencial (ddp) necessária para

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ENERGIA E AUTOMAÇÃO ELÉTRICAS ESCOLA POLITÉCNICA DA USP PEA - LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ENERGIA E AUTOMAÇÃO ELÉTRICAS ESCOLA POLITÉCNICA DA USP PEA - LABORATÓRIO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ESCOL POLTÉCNC D UNESDDE DE SÃO PULO Departamento de Engenharia de Energia e utomação Elétricas DEPTMENTO DE ENGENH DE ENEG E UTOMÇÃO ELÉTCS ESCOL POLTÉCNC D USP PE - LOTÓO DE NSTLÇÕES ELÉTCS CCUTOS EM

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM ELETRÔNICA

CURSO TÉCNICO EM ELETRÔNICA CURSO TÉCNICO EM ELETRÔNICA Bases Tecnológicas DESENHO TÉCNICO I Utilização de instrumentos para a elaboração de desenhos; Construções geométricas; Normas gerais de desenho técnico; Projeções ortogonais;

Leia mais

AULA #4 Laboratório de Medidas Elétricas

AULA #4 Laboratório de Medidas Elétricas AULA #4 Laboratório de Medidas Elétricas 1. Experimento 1 Geradores Elétricos 1.1. Objetivos Determinar, experimentalmente, a resistência interna, a força eletromotriz e a corrente de curto-circuito de

Leia mais

Aula 5_2. Corrente Elétrica Circuitos CC Simples. Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 5

Aula 5_2. Corrente Elétrica Circuitos CC Simples. Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 5 Aula 5_2 Corrente Elétrica Circuitos CC Simples Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 5 Conteúdo Corrente elétrica e energia dissipada Fem real e receptor Potência elétrica Acoplamento

Leia mais

EXPERIMENTO 1: MEDIDAS ELÉTRICAS

EXPERIMENTO 1: MEDIDAS ELÉTRICAS EXPERIMENTO 1: MEDIDAS ELÉTRICAS 1.1 OBJETIVOS Familiarização com instrumentos de medidas e circuitos elétricos. Utilização do multímetro nas funções: voltímetro, amperímetro e ohmímetro. Avaliação dos

Leia mais

Técnico em Eletrotécnica

Técnico em Eletrotécnica Técnico em Eletrotécnica Caderno de Questões Prova Objetiva 2015 01 Em uma corrente elétrica, o deslocamento dos elétrons para produzir a corrente se deve ao seguinte fator: a) fluxo dos elétrons b) forças

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO ENGENHARIA ELÉTRICA

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO ENGENHARIA ELÉTRICA NOTAS DE AULA PROF. LUCIANO VITORIA BARBOZA SUMÁRIO Capítulo 1. Faltas Trifásicas Simétricas... 1 1.1. Introdução... 1 1.. Transitórios

Leia mais

Resposta em Freqüência Filtros Passivos 1. Resposta em freqüência XL = XC 1.1. Resistor quanto à freqüência:

Resposta em Freqüência Filtros Passivos 1. Resposta em freqüência XL = XC 1.1. Resistor quanto à freqüência: Ω Ω Ω π π Ω µ Ω Ω Ω Ω Ω φ φ φ π Ω Ω π Ω µ Ω Ω Ω Ω Ω φ φ Ω µ µ µ Ω Ω µ µ Ω α α α θ α θ ( ) () Ω Ω ( ) Ω Ω ( ) ( ) ( ) ( ) α α α () α! α α α α! ( )! ()! ( ) R Ve - C Vs - ( ) ( ) α ( ) ( ) ( ) (

Leia mais

Texto Teórico 04: Multímetro e Fonte de Alimentação CC.

Texto Teórico 04: Multímetro e Fonte de Alimentação CC. Texto Teórico 04: Multímetro e Fonte de Alimentação CC. I - MULTÍMETRO O multímetro, também denominado multiteste, é um equipamento versátil, capaz de desempenhar 3 funções básicas distintas, selecionadas

Leia mais

d) 16V. e) nenhum dos valores anteriores. Resposta: B

d) 16V. e) nenhum dos valores anteriores. Resposta: B 1. (ITA-1969) No circuito baixo quando o cursor é colocado no ponto C o galvanômetro (G) não acusa passagem de corrente. No trecho AC do resistor R a queda de potencial é de: a) 10V. b) 6V. c) 4V. d) 16V.

Leia mais

Departamento de Eletroeletrônica -COTUCA Circuitos Elétricos

Departamento de Eletroeletrônica -COTUCA Circuitos Elétricos Eletricidade Básica - www.corradi.junior.nom.br Departamento de Eletroeletrônica -COTUCA Circuitos Elétricos Sumário 1 NTRODUÇÃO 6 2 ARÁES ELÉTRCAS 6 2.1 Sistema nternacional de Unidades 6 2.2 Corrente

Leia mais

Aula 3 Circuito paralelo de corrente contínua. marcela@edu.estacio.br

Aula 3 Circuito paralelo de corrente contínua. marcela@edu.estacio.br Aula 3 Circuito paralelo de corrente contínua marcela@edu.estacio.br Elementos em paralelo Resistência total Circuitos em paralelo Lei de Kirchhoff para corrente Regra do divisor de corrente Circuito aberto

Leia mais

Eletrônica Básica. Eletrônica Básica. Educador Social: Alexandre Gomes. Rua Jorge Tasso Neto, 318 - Apipucos, Recife-PE Fone: (81) 3441 1428

Eletrônica Básica. Eletrônica Básica. Educador Social: Alexandre Gomes. Rua Jorge Tasso Neto, 318 - Apipucos, Recife-PE Fone: (81) 3441 1428 Eletrônica Básica Educador Social: Alexandre Gomes Multimetro Resistores Varistor Termistor Fusível Capacitores Diodos Transistores Fonte de Alimentação Eletrônica Básica: Guia Prático Multimetro É o aparelho

Leia mais

Laboratório de Física UVV

Laboratório de Física UVV Laboratório de Física U 1/5 Resistividade em Fios Metálicos Resistência lunos: Turma: Data: / /20 1: 2: 3: 4: 5: Objetivo Determinar a resistividade de fios metálicos por meio da medida da resistência

Leia mais

Lista de Exercícios de Física II Lei de Ohm - circuitos Prof: Tadeu Turma: 3 Ano do Ensino Médio Data: 16/07/2009

Lista de Exercícios de Física II Lei de Ohm - circuitos Prof: Tadeu Turma: 3 Ano do Ensino Médio Data: 16/07/2009 Lista de Exercícios de Física II Lei de Ohm - circuitos Prof: Tadeu Turma: 3 Ano do Ensino Médio Data: 16/07/2009 1ª Questão) Num circuito elétrico, dois resistores, cujas resistências são R 1 e R 2, com

Leia mais

. analogamente. Np Ns. a = Ns

. analogamente. Np Ns. a = Ns - Transformadores O transformador é um equipamento elétrico formado por bobinas isoladas eletricamente em torno de um núcleo comum. A bobina que recebe energia de uma fonte ca é chamada de primário. A

Leia mais

APOSTILA DE ELETRICIDADE BÁSICA

APOSTILA DE ELETRICIDADE BÁSICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS DE PRESIDENTE EPITÁCIO APOSTILA DE ELETRICIDADE BÁSICA Prof. Andryos da Silva Lemes Esta apostila é destinada

Leia mais

CONTEÚDOS: Req. 2-A figura a seguir ilustra uma onda mecânica que se propaga numa velocidade 3,0m/s. Qual o valor do comprimento de onda?

CONTEÚDOS: Req. 2-A figura a seguir ilustra uma onda mecânica que se propaga numa velocidade 3,0m/s. Qual o valor do comprimento de onda? Exercícios para recuperação final 2 ano Acesso CONTEÚDOS: Óptica (reflexão refração lentes) Estudo das ondas Fenômenos ondulatórios Eletrodinâmica Leis de Ohm Associação de resistores Geradores e Receptores

Leia mais

Aplicações com circuito integrado LM3914

Aplicações com circuito integrado LM3914 Aplicações com circuito integrado LM3914 O circuito integrado LM3914 é um indicador de linear de tensão, tem como principal aplicação à monitoração linear de sinais aplicados à sua entrada. Seu funcionamento

Leia mais

Usar o Multímetro O Multímetro:

Usar o Multímetro O Multímetro: Usar o Multímetro Usar um multímetro é algo muito importante para quem trabalha em informática, na área da electrotecnia e electrónica, é um aparelho que nos permite fazer medições de grandezas eléctricas.

Leia mais

Introdução a Circuitos de Corrente Contínua

Introdução a Circuitos de Corrente Contínua Nesta prática vamos nos familiarizar com os componentes e instrumentos que serão utilizados durante o curso. Também faremos a verificação experimental da Lei de Ohm e discutiremos alguns casos em que ela

Leia mais

ADC0804 (CONVERSOR A/D)

ADC0804 (CONVERSOR A/D) ADC0804 (CONVERSOR A/D) Getulio Teruo Tateoki O conversor Analógico Digital ADC0804é um Circuito Integrado da National Semicondutores, capaz de converter uma amostra analógica entre 0 e 5V, em um valor

Leia mais

FÍSICA 4 Professor: Igor Ken CAPÍTULO 6 GERADORES E RECEPTORES ELÉTRICOS

FÍSICA 4 Professor: Igor Ken CAPÍTULO 6 GERADORES E RECEPTORES ELÉTRICOS FÍSICA 4 Professor: Igor Ken CAPÍTULO 6 GERADORES E RECEPTORES ELÉTRICOS TEORIA 1. INTRODUÇÃO Neste capítulo, vamos estudar os geradores e receptores elétricos. Aqui começa o nosso estudo dos circuitos

Leia mais

Curso Técnico de Eletrônica Eletrônica Linear II NA1 Transistores Bipolares Aluno: Revisão de conteúdo Data: 20/03/2010

Curso Técnico de Eletrônica Eletrônica Linear II NA1 Transistores Bipolares Aluno: Revisão de conteúdo Data: 20/03/2010 Curso Técnico de Eletrônica Eletrônica Linear II NA1 Transistores Bipolares Aluno: Revisão de conteúdo Data: 20/03/2010 TRANSISTORES BIPOLARES O transistor de junção bipolar é um dispositivo semicondutor

Leia mais

Curso Profissional Técnico de Eletrónica, Automação e Comando

Curso Profissional Técnico de Eletrónica, Automação e Comando Curso Profissional Técnico de Eletrónica, Automação e Comando Disciplina de Eletricidade e Eletrónica Módulo 1 Corrente Contínua Trabalho Prático nº 2 Verificação da lei de Ohm Trabalho realizado por:

Leia mais

Aula 9.1 Conteúdo: Geradores elétricos, geradores químicos e força eletromotriz. Receptores, motores elétricos e força contra eletromotriz.

Aula 9.1 Conteúdo: Geradores elétricos, geradores químicos e força eletromotriz. Receptores, motores elétricos e força contra eletromotriz. Aula 9.1 Conteúdo: Geradores elétricos, geradores químicos e força eletromotriz. Receptores, motores elétricos e força contra eletromotriz. Habilidades: Compreender a função dos geradores e receptores

Leia mais

Galvanômetro - voltímetro, amperímetro e ohmímetro

Galvanômetro - voltímetro, amperímetro e ohmímetro Galvanômetro - voltímetro, amperímetro e ohmímetro O galvanômetro é um aparelho que indica, através de um ponteiro, quando uma corrente elétrica de baixa intensidade passa através dele, ou seja, é um micro

Leia mais

TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA. Inglês Técnico

TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA. Inglês Técnico Carga horária: 31,5 horas Inglês Técnico - Instrumentalizar o aluno com estratégias de leitura que possibilitem a compreensão de gêneros textuais da área; - Conhecer alguns aspectos gramaticais necessários

Leia mais