LEI Nº 1312/2014 De 26 de agosto de 2014.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEI Nº 1312/2014 De 26 de agosto de 2014."

Transcrição

1 LEI Nº 1312/2014 De 26 de agosto de Dispõe sobre o Licenciamento Ambiental Municipal de empreendimentos Minerários destinados a extração de areia, cascalho e argila (Minerais Classe II), Regulamenta o funcionamento das empresas do Limite do Município e da outras providências A Câmara Municipal de Piranguinho MG, no uso das atribuições legais, conferida pelas Constituições da República, Estado de Minas Gerais, Lei Orgânica do Município conforme Artigo 41 e seus incisos. O Povo do Município de Piranguinho, por seus representantes, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: Art. 1º- Fica o interessado na extração de minerais de classe II devidamente obrigado a cumprir os seguintes itens: I - Preenchimento de Ficha Cadastral de Firmas Mineradoras: (serve como requerimento); II - Apresentação de cópia do contrato existente entre o proprietário e o Minerador; III - Cada interessado deverá obter alvará municipal para fins de Mineração para cada porto e processo específico. IV Apresentação da situação regularizada junto ao DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral). Art. 2º - Concedido o alvará, será permitido somente 02 (dois) pontos de escoamento de areia por condutores desde que autorizados pelos órgãos responsáveis, caracterizado pelo 1

2 cano que conduz a areia até as caixas tipo silos ou barragens, os quais também servirão como depósito com as seguintes características: I - A distância entre os pontos não poderá ser inferior a 200 (duzentos) metros; II - Os condutores de areia deverão estar no mínimo a 50 (cinqüenta) metros das margens do rio; consequentemente, o depósito terá início após estes 50 (cinquenta) metros; III - Para o retorno d água ao leito do rio, esta deverá passar primeiramente por um fosso (que funcionará como uma caixa de sedimentação), sendo que o retorno final da água deverá ocorrer através de tubulação caindo fora das margens ou dos barrancos do rio; IV - Em hipótese nenhuma o depósito poderá ser instalado, onde haja mata nativa ou em regeneração; V - O depósito do material não poderá exceder em sua largura o limite documentado para a montagem do porto; VI - O depósito, manutenção e demais equipamentos deverão estar dentro da faixa permitida e documentada; pátio de areia e de manutenção; Art. 3º - Fica terminantemente proibida a montagem de portos de areia com distância inferior a (mil e quinhentos) metros de distância entre os mesmos, distância esta aferida pela calha do rio, válido para a instalação de novos empreendimentos, sendo que a distancia entre os portos de areia são bidirecionais (acima e abaixo dos portos existentes); iniciandose o marco no ponto de acesso do porto ao rio. Fica também estabelecido o limite mínimo de 200 metros, aferidos dentro da calha do rio para operação de dragas próximas à pontes, viadutos e passarelas dentro do Município. A aferição da distância dos portos não intervirá na titularidade do direito minerário. único - Esta lei aplica-se a todos os novos empreendimentos a partir da data de sua publicação, e nos casos de empresas já em funcionamento, em com licenças, declarações ou permissões emitidas antes desta data, fica válida a data da 2

3 publicação do licenciamento, guia de utilização ou portaria de lavra em nome do titular, ou em nome do locatário do direito minerário no D.O.U (Diário Oficial da União), juntamente com o protocolo do Projeto na SUPRAM ou IEF, cuja a data limite sendo a do protocolo, assim os interessados na extração de minerais classe II, serão obrigados a cumprir os seguintes itens: Regra de transição: I - Ainda que o interessado tenha a licença municipal com data anterior à publicação desta lei, ela só terá validade se a publicação do direito for anterior à data da publicação da lei, pois, do contrário, se estiver em regime de requerimento de pesquisa, e sem relatório final de pesquisa aprovado, não terá validade, submetendo-se aos efeitos desta lei; II - Os portos de areia já estabelecidos ou que já funcionaram, desde que estejam em dia com as documentações, prevalecerão nos locais; III - Os portos de areia já existentes e devidamente regulamentados não sofrerão sanções no que se refere à limitação de distância, porém, deverão sempre seguir e obedecer as normas vigentes, federais, estaduais e municipais já existentes; IV - Para o pleno exercício das fiscalizações, o Órgão Ambiental Municipal, através do CODEMA, poderá fazer uso da força policial para dar suporte às investigações; V - Compete ao Órgão Ambiental Municipal, através do CODEMA, a fiscalização das atividades potencialmente degradadoras do Meio Ambiente e Recursos Ambientais Hídricos, em cumprimento das normas, padrões e procedimentos contidos nesta Lei Municipal e nas demais normas reguladoras de proteção do Meio Ambiente e ecossistema; 3

4 VI - No exercício da ação fiscalizadora e do cumprimento desta Lei, fica assegurado aos Servidores Municipais membros do Órgão Ambiental do Município, CODEMA e técnicos indicados pelo Município devidamente constituídos e credenciados, a entrada, a qualquer dia ou hora, e a permanência pelo tempo que for necessário, nas dependências dos empreendimentos instalados ou em vias de instalação no Município, para fiscalização das ações, dos equipamentos e ainda, para verificar eventuais denúncias de degradação ambiental; VII - O CODEMA detém os direitos e deveres, porém caso não possua estrutura técnica entre seu corpo de trabalho, encaminhará os procedimentos e solicitará o auxilio dos órgãos ambientais. Nas denúncias recebidas o CODEMA poderá fornecer um protocolo e encaminhar a denúncia para órgãos ambientais de auxilio, como policia ambiental, IEF. VIII - Para a vistoria técnica, fica válida a vistoria feita pelo órgão emissor das autorizações, como a DAIA (documento autorizativo de intervenção ambiental) e AAF ( autorização ambiental de funcionamento), cabendo aos empreendedores, a entrega da cópia ao CODEMA, respeitando o regimento desta lei. IX - O CODEMA não possui corpo técnico para fiscalizar e aferir as distancias exigidas nesta lei, sendo de responsabilidade do empreendedor, a contratação de técnicos especializado para a confecção de um laudo, assinado por ele informando equipamentos usados e ART do próprio, e entregue ao CODEMA dentro das especificações exigidas nesta lei, ficando em livre acesso para eventuais vistorias e aferições em caso de pedidos feitos em forma de ofício para eventuais duvidas. Assim obtendo-se o alvará emitido pelo CODEMA. Art. 4º - O Município de Piranguinho / MG, por seu Órgão Ambiental (CODEMA), tendo tomado conhecimento de supostas ações irregulares, encaminhará NOTIFICAÇÃO 4

5 ADMINISTRATIVA ao empreendedor, para, no prazo de 05 (cinco) dias, prestar os esclarecimentos necessários. Art. 5º - Fica o Órgão Municipal Ambiental (CODEMA) responsável em receber e encaminhar denúncias aos órgãos responsáveis, fazendo-se cumprir penalizações e infrações de acordo com as sanções abaixo descritas: I Suspensão imediata das atividades, com apreensão de máquinas e equipamentos encontrados no local; II Cassação de alvará municipal e licença concedida; III Ocorrendo reincidência nas ações infratoras, poderão ser Declarados inidôneos, e não poderão operar com esta atividade dentro do Município por um período de 01 (um) a 5 (cinco) anos. III A - As penalidades previstas nesta Lei, não eximem os infratores das demais penalidades, previstas nas esferas estaduais e federais. III B - A aplicação das penalidades referidas neste artigo será executada pelo Órgão Municipal Ambiental CODEMA. III C - Aquele que provocar impacto ambiental, degradar ou poluir o Meio Ambiente e os Recursos Ambientais, fica obrigado à sua recuperação ou reabilitação, conforme exigência do Órgão Ambiental Municipal, independentemente da aplicação de outras sanções. Art. 6º - O CODEMA emitirá alvarás que serão concedidos e obrigatórios aos portos de areia mediante a apresentação prévia e obrigatória dos documentos citados abaixo: único O CODEMA emitirá formulário contendo o CHECK LIST aos interessados em empreendimentos minerários. I- O CODEMA continuará responsável pela emissão de ofícios e autorizações específicas para fins de obtenção da DAIA (Declaração Autorizativa de Intervenção 5

6 Ambiental) e da AAF (Autorização Ambiental de Funcionamento), após prévia vistoria e aferição da distancia e localização do novo empreendimento; II - Titulo Minerário: Processo Minerário em nome do requerente e ou cntrato e arrendamento de titulo minerário averbado junto ao DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral), estando em faz de licenciamento, portaria de lavra ou guia de utilização publicada no DOU (Diário Oficial da União). III - DAIA (Declaração Autorizativa de Intervenção Ambiental): emitida pelo órgão responsável e dentro do prazo de validade, juntamente com o documento do imóvel onde será aferida a localidade; IV - AAF (Autorização Ambiental de Funcionamento): emitida pelo órgão responsável e dentro do prazo de validade; Art. 7º - Todos os portos já em funcionamento e devidamente documentados, terão o prazo de 10 dias úteis para apresentar as documentações acima, obtendo o ALVARÁ emitido pelo CODEMA, sujeitando-se, após o prazo, aos procedimentos de fiscalização do CODEMA; Art. 8º - O Alvará do CODEMA será concedido por um período de 03 (três) anos, a contar da data de emissão da AAF (Autorização Ambiental de Funcionamento), com a concessão de Mineração de até (dois mil e quinhentos) metros cúbicos por mês. Art. 9º - Será emitido ofício para a Prefeitura Municipal e para o CODEMA, solicitando listagem das autorizações concedidas às empresa existentes até a data da leitura do referido Projeto, e suspensão da emissão de autorização e de licença às empresas Mineradoras até que seja publicada essa Lei. Art. 10º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação. Piranguinho, 26 de agosto de

7 Antonio Carlos Silva Paulo Jose Inácio Rodrigues Prefeito Municipal Secretário de Governo 7

Alterações ao Código de Mineração Promovidas pela MP Nº 790/2017

Alterações ao Código de Mineração Promovidas pela MP Nº 790/2017 ENCONTRO DE DIRIGENTES DO DNPM Alterações ao Código de Mineração Promovidas pela MP Nº 790/2017 José Antonio Alves dos Santos Brasília, 26 de julho de 2017 MOTIVAÇÃO DA ALTERAÇÃO O atual Código de Mineração,

Leia mais

PORTARIA ANP Nº 202, DE DOU REPUBLICADA DOU

PORTARIA ANP Nº 202, DE DOU REPUBLICADA DOU PORTARIA ANP Nº 202, DE 30.12.1999 - DOU 31.12.1999 - REPUBLICADA DOU 3.5.2004 Estabelece os requisitos a serem cumpridos para acesso a atividade de distribuição de combustíveis líquidos derivados de petróleo,

Leia mais

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida.

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida. SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos POLÍCIA Superintendência de Atendimento e Controle Processual TERMO DE COMPROMISSO E TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Daniela de Souza Superintendência

Leia mais

Ministério da Saúde AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

Ministério da Saúde AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Ministério da Saúde AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 99 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2008(*) Dispõe sobre controle de importações e exportações de substâncias

Leia mais

A Extração de areia e cascalho para utilização imediata na construção civil 3

A Extração de areia e cascalho para utilização imediata na construção civil 3 Pág. 1 de 5 PARECER ÚNICO Nº INDEXADO AO PROCESSO: PA COPAM: SITUAÇÃO: CONVOCAÇÃO AO LICENCIAMENTO AMBIENTAL Sugestão pelo Deferimento FASE DO LICENCIAMENTO: Licença de Operação Corretiva VALIDADE DA LICENÇA:

Leia mais

SEFAM/DIVISÃO DE FISCALIZAÇÂO/DNPM-MG. Nota Técnica Nº: 01/2013/SEFAM/Divisão de Fiscalização/DNPM-MG-CFVM

SEFAM/DIVISÃO DE FISCALIZAÇÂO/DNPM-MG. Nota Técnica Nº: 01/2013/SEFAM/Divisão de Fiscalização/DNPM-MG-CFVM SEFAM/DIVISÃO DE FISCALIZAÇÂO/DNPM-MG Nota Técnica Nº: 01/2013/SEFAM/Divisão de Fiscalização/DNPM-MG-CFVM REFERÊNCIAS: Processo DNPM Nº: 830.811/2012 PA N 00185/1991/007/2010 Interessado: Marcio José do

Leia mais

Prefeitura de Júlio de Castilhos

Prefeitura de Júlio de Castilhos DECRETO Nº 6.012 DE 15 DE JANEIRO DE 2016 Regulamenta a Lei 3.112 de 16 de outubro de 2013 que dispõe sobre o exercício das atividades de mototáxi e motofrete no município de Júlio de Castilhos e da outras

Leia mais

Disciplina os procedimentos referentes à remissão do Imposto sobre a Propriedade

Disciplina os procedimentos referentes à remissão do Imposto sobre a Propriedade RESOLUÇÃO SMF Nº 2677 DE 20 DE JULHO DE 2011 Disciplina os procedimentos referentes à remissão do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana IPTU instituída pelo art. 5º da Lei nº 5.128,

Leia mais

PORTARIA N.º 643/2016 DG

PORTARIA N.º 643/2016 DG PORTARIA N.º 643/2016 DG O Diretor-Geral do Departamento Estadual de Trânsito do Estado do Paraná no uso de suas atribuições legais e considerando a necessidade de disciplinar os procedimentos para a realização

Leia mais

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 2.036/2010

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 2.036/2010 LEI Nº 2.036/2010 Dispõe sobre a criação de incentivos ao desenvolvimento Econômico do Polo Industrial do Município de ALAGOINHAS, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ALAGOINHAS aprova e o

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU P.32818/99 LEI Nº 4553, DE 08 DE JUNHO DE 2000 Dispõe sobre Perfuração de Poços para Captação de Águas Subterrâneas no Município de Bauru e dá outras providências. NILSON COSTA, Prefeito Municipal de Bauru,

Leia mais

LEI Nº DE 06 DE DEZEMBRO DE 1979

LEI Nº DE 06 DE DEZEMBRO DE 1979 SMAJ Coordenadoria Setorial de Documentação Biblioteca Jurídica Advertência LEI Nº 4.959 DE 06 DE DEZEMBRO DE 1979 (Publicação DOM 07/12/1979) Regulamentada pelo Decreto nº 6.170, de 22/08/1980 Regulamentada

Leia mais

Gabinete de Auditoria e Qualidade APROVADO PELA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE SINTRA EM 8 DE FEVEREIRO DE 2008

Gabinete de Auditoria e Qualidade APROVADO PELA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE SINTRA EM 8 DE FEVEREIRO DE 2008 REGULAMENTO MUNICIPAL PARA O LICENCIAMENTO DAS ACTIVIDADES DE VENDA AMBULANTE DE LOTARIAS, DE VENDA DE BILHETES PARA ESPECTÁCULOS OU DIVERTIMENTOS PÚBLICOS EM AGÊNCIAS OU POSTOS DE VENDA E DE REALIZAÇÃO

Leia mais

COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO Decisão de Diretoria, nº 025/2014/C/I, de 29-01-2014 Dispõe sobre a disciplina para o licenciamento ambiental das atividades minerárias no território do Estado

Leia mais

Anexo I Análise Técnica (POI nº 27) Objetivo: Autorização para o exercício da atividade de Coleta de Óleo Lubrificante Usado ou Contaminado.

Anexo I Análise Técnica (POI nº 27) Objetivo: Autorização para o exercício da atividade de Coleta de Óleo Lubrificante Usado ou Contaminado. Anexo I Análise Técnica (POI nº 7) Legislação: Resolução ANP nº 0, de 9/06/009. Requerente: CNPJ: Processo nº: Objetivo: Autorização para o exercício da atividade de Coleta de Óleo Lubrificante Usado ou

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE VENDA DE BILHETES PARA ESPECTÁCULOS OU DIVERTIMENTOS PÚBLICOS EM AGÊNCIAS OU POSTOS DE VENDA

REGULAMENTO MUNICIPAL DE VENDA DE BILHETES PARA ESPECTÁCULOS OU DIVERTIMENTOS PÚBLICOS EM AGÊNCIAS OU POSTOS DE VENDA REGULAMENTO MUNICIPAL DE VENDA DE BILHETES PARA ESPECTÁCULOS OU DIVERTIMENTOS PÚBLICOS EM AGÊNCIAS OU POSTOS DE VENDA (Aprovado na 24ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal realizada em 16 de Dezembro

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO LUÍS

PREFEITURA DE SÃO LUÍS PORTARIA Nº 0790 de 09 de outubro de 2015. Estabelece normas relativas à obtenção de cadastramento dos condutores autônomos e empresas exploradoras do serviço de transporte escolar no âmbito do Município

Leia mais

Propostas para o Licenciamento Ambiental Por: Julio Cesar Nery Ferreira, Eng. de Minas - Sindiextra Paula Aguiar Advogada Ambiental - FIEMG

Propostas para o Licenciamento Ambiental Por: Julio Cesar Nery Ferreira, Eng. de Minas - Sindiextra Paula Aguiar Advogada Ambiental - FIEMG Propostas para o Licenciamento Ambiental Por: Julio Cesar Nery Ferreira, Eng. de Minas - Sindiextra Paula Aguiar Advogada Ambiental - FIEMG Seminário Mineração, Energia, Petróleo e Gás Belo Horizonte 10.04.2013

Leia mais

Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF

Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF DECRETO Nº 36.992, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2015 Estabelece a nova tabela de preços cobrados pelos serviços solicitados ao Instituto do Meio

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO LEI COMPLEMENTAR Nº 470,DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012. Altera dispositivos da Lei Complementar nº 097, de 29 de dezembro de 1999. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO, usando das atribuições que lhe é conferida

Leia mais

LEI Nº 2.278/2001 DECRETO Nº 6.213/2000. ANTONIO TERUO KATO, PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PARANAVAÍ, ESTADO DO PARANÁ, no uso de suas atribuições legais,

LEI Nº 2.278/2001 DECRETO Nº 6.213/2000. ANTONIO TERUO KATO, PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PARANAVAÍ, ESTADO DO PARANÁ, no uso de suas atribuições legais, LEI Nº 2.278/2001 DECRETO Nº 6.213/2000 CRIA E REGULAMENTA O PASSE LIVRE DO ESTUDANTE E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. ANTONIO TERUO KATO, PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PARANAVAÍ, ESTADO DO PARANÁ, no uso de suas

Leia mais

- Considerando a Lei Federal Nº 9.503/ Código de Trânsito Brasileiro;

- Considerando a Lei Federal Nº 9.503/ Código de Trânsito Brasileiro; PORTARIA N. 1587 DE 13 DE OUTUBRO DE 2016. Altera dispositivos na Portaria DETRAN Nº 1.981/2008. O DIRETOR GERAL DO DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO - DETRAN/BA, no uso das atribuições que lhe são conferidas

Leia mais

Considerando o disposto na Lei Estadual n /70, que aprovou o Estatuto dos Funcionários Públicos do Estado do Paraná;

Considerando o disposto na Lei Estadual n /70, que aprovou o Estatuto dos Funcionários Públicos do Estado do Paraná; RESOLUÇÃO Nº. /2015 UNESPAR Aprova o Regulamento do regime de Tempo Integral e Dedicação Exclusiva TIDE aos docentes da Universidade Estadual do Paraná. Considerando a necessidade de regulamentação do

Leia mais

Licenciamento Ambiental no Brasil

Licenciamento Ambiental no Brasil Licenciamento Ambiental no Brasil Prof. Dra. Érica L. Romão. Departamento de Ciências Básicas e Ambientais Escola de Engenharia de Lorena, Universidade de São Paulo, EEL-USP O que é o Licenciamento Ambiental?

Leia mais

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS AOS PROCESSOS LICENCIAMENTO AMBIENTAL JUNTO A AMMA EUSÉBIO EMPRESAS JÁ INSTALADAS ANÁLISE DOCUMENTAL

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS AOS PROCESSOS LICENCIAMENTO AMBIENTAL JUNTO A AMMA EUSÉBIO EMPRESAS JÁ INSTALADAS ANÁLISE DOCUMENTAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS AOS PROCESSOS LICENCIAMENTO AMBIENTAL JUNTO A AMMA EUSÉBIO EMPRESAS JÁ INSTALADAS FOI APRESEN TADO (A)? Nº ÍTEM 1 ANÁLISE DOCUMENTAL Preencher o Requerimento (formulário de solicitação),

Leia mais

Procedimentos para apresentação de documentação para licenciamento municipal ambiental.

Procedimentos para apresentação de documentação para licenciamento municipal ambiental. INDÚSTRIA MÉDIO PORTE Procedimentos para apresentação de documentação para licenciamento municipal ambiental. 1 - Procedimentos de licenciamento: 1. Os responsáveis pelas atividades a licenciar, instituído

Leia mais

Portaria DETRAN/ASJUR Nº 1164 DE 30/11/2015

Portaria DETRAN/ASJUR Nº 1164 DE 30/11/2015 Portaria DETRAN/ASJUR Nº 1164 DE 30/11/2015 Publicado no DOE em 3 dez 2015 Dispõe as diretrizes para as aulas de prática de direção veicular nos processos abertos no sistema Renach/DetranNet a partir de

Leia mais

Procedimentos para apresentação de documentação para licenciamento municipal ambiental.

Procedimentos para apresentação de documentação para licenciamento municipal ambiental. Beneficiamento de Produtos de Origem Animal (desossa, embalagem e refrigeração). Procedimentos para apresentação de documentação para licenciamento municipal ambiental. 1 - Procedimentos de licenciamento:

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL EM MINAS GERAIS

LICENCIAMENTO AMBIENTAL EM MINAS GERAIS LICENCIAMENTO AMBIENTAL EM MINAS GERAIS Gerência de Meio Ambiente Superintendência de Desenvolvimento Empresarial LICENCIAMENTO AMBIENTAL As atividades econômicas e outras das quais possam resultar intervenções

Leia mais

Prefeitura Municipal de Filadélfia publica:

Prefeitura Municipal de Filadélfia publica: ANO V - Edição Nº 61 BAHIA - 13 de Junho de 2017 - Terça-feira Prefeitura Municipal de Filadélfia publica: Lei n 315/2017 - Dispõe sobre a coleta e disposição de entulhos e massa da construção civil, resíduos

Leia mais

Anexo I Análise Técnica (POI nº 12) Objetivo: Autorização para o exercício da atividade de Produção de Óleo Lubrificante acabado.

Anexo I Análise Técnica (POI nº 12) Objetivo: Autorização para o exercício da atividade de Produção de Óleo Lubrificante acabado. Anexo I Análise Técnica (POI nº ) Legislação: Resolução ANP nº 8, de 9/06/009. Requerente: IQ Soluções & Química S/A CNPJ: 6.7.509/000-9 Processo nº: 4860.00966/008-78 Objetivo: Autorização para o exercício

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2015.

PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2015. PROJETO DE LEI Nº., DE DE DE 2015. Dispõe sobre a comercialização de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) no Estado de Goiás e dá outras providências. A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE GOIÁS, nos termos

Leia mais

I em bens públicos, de uso comum do povo e de uso especial;

I em bens públicos, de uso comum do povo e de uso especial; Decreto nº 2.314 de 11 de Dezembro de 2006. Regulamenta a lei nº 3.875, de 08 de julho de 2005. O PREFEITO MUNICIPAL PATROCÍNIO, Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais, nos termos do art. 71,

Leia mais

Gestor dos Recursos Minerais do Brasil Compete ao Departamento Nacional de Produção Mineral a execução do Código de Mineração e dos seus Diplomas

Gestor dos Recursos Minerais do Brasil Compete ao Departamento Nacional de Produção Mineral a execução do Código de Mineração e dos seus Diplomas Gestor dos Recursos Minerais do Brasil Compete ao Departamento Nacional de Produção Mineral a execução do Código de Mineração e dos seus Diplomas Legais Complementares Departamento Nacional de Produção

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 806, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2016.

LEI COMPLEMENTAR Nº 806, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2016. LEI COMPLEMENTAR Nº 806, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2016. Dispõe sobre a realização de inspeção predial em edificações no Município de Porto Alegre. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Faço saber que a Câmara

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014 Dispõe sobre os procedimentos de emissão e homologação da Certidão de Tempo de Contribuição CTC. O DIRETOR-PRESIDENTE DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS

Leia mais

0054/2012 Disciplina o tráfego de veículos de tração animal e dá outras providências.

0054/2012 Disciplina o tráfego de veículos de tração animal e dá outras providências. PROJETO DE INDICAÇÃO N 12012 0054/2012 Disciplina o tráfego de veículos de tração animal e dá outras providências. o Vereador abaixo assinado, no uso de suas atribuições legais e em conformidade com o

Leia mais

COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO DAS VELHAS

COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO DAS VELHAS PARECER TÉCNICO - AGB PEIXE VIVO - 001/2011 PROCESSO Nº 04733 / 2010 - Vale S.A Empreendimento: Execução de barramento em curso de água sem captação - Barragem Forquilha V, para contenção de rejeitos da

Leia mais

DECRETO Nº 452, DE 27 DE MAIO DE 2010.

DECRETO Nº 452, DE 27 DE MAIO DE 2010. DECRETO Nº 452, DE 27 DE MAIO DE 2010. DISPÕE SOBRE O USO DAS VAGAS DE ESTACIONAMENTO NAS VIAS E LOGRADOUROS DO MUNICÍPIO DE CANOAS DESTINADAS AOS IDOSOS E ÀS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA QUE TENHAM DIFICULDADE

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro PREFEITURA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO GABINETE DO PREFEITO

Estado do Rio de Janeiro PREFEITURA MUNICIPAL DE BELFORD ROXO GABINETE DO PREFEITO LEI COMPLEMENTAR Nº 094 DE 06 DE JANEIRO DE 2009. Dispõe sobre critérios e procedimentos destinados à atividade de Licenciamento Ambiental no Município de Belford Roxo e estabelece a Taxa de Licenciamento

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE

SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE Página 1 de 5 SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE A Secretaria Municipal da Agricultura, Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, através do Departamento de

Leia mais

Prefeitura Municipal de Júlio de Castilhos

Prefeitura Municipal de Júlio de Castilhos DECRETO Nº 5.197, DE 21 DE AGOSTO DE 2013. Dispõe sobre o uso das vagas de estacionamento nas vias e logradouros do Município de Júlio de Castilhos destinadas aos idosos e às pessoas com deficiência que

Leia mais

Reunião entre a ANP e representantes dos produtores de etanol

Reunião entre a ANP e representantes dos produtores de etanol Reunião entre a ANP e representantes dos produtores de etanol Apresentação da Resolução que regulamenta a produção de etanol no País 6 de outubro de 2014 SRP Ementa Estabelece a regulação e a obrigatoriedade

Leia mais

DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA, PREVENÇÃO E PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO - DSPCI

DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA, PREVENÇÃO E PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO - DSPCI ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA, PREVENÇÃO E PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO - DSPCI ALTERAÇÕES DA LEI COMPLEMENTAR

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE UTINGA C.N.P.J / Rua 15 de Novembro, 08 Centro, CEP Utinga - BA

PREFEITURA MUNICIPAL DE UTINGA C.N.P.J / Rua 15 de Novembro, 08 Centro, CEP Utinga - BA 2 LEI Nº 356, DE 28 DE OUTUBRO DE 2014. DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DOS ADICIONAIS DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE PARA OS SERVIDORES PÚBLICOS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE UTINGA O Prefeito Municipal de UTINGA-BAHIA,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 1, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 1, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA N 1, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2015 A PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA, nomeada por Decreto de 5 de maio de 2015, publicado

Leia mais

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida.

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida. SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos POLÍCIA Superintendência de Atendimento e Controle Processual Diretoria de Autos de Infração e Controle Processual TERMO DE COMPROMISSO E TERMO

Leia mais

PORTARIA Nº 400, DE 30 DE SETEMBRO DE 2008.

PORTARIA Nº 400, DE 30 DE SETEMBRO DE 2008. PORTARIA Nº 400, DE 30 DE SETEMBRO DE 2008. Atualiza os valores dos emolumentos, da Taxa Anual por Hectare (TAH), das multas, os critérios e valores a serem cobrados pelas vistorias realizadas pelo DNPM

Leia mais

ANO 123 Nº PÁG. - BELO HORIZONTE, QUINTA-FEIRA, 22 DE JANEIRO DE 2015 RESOLUÇÃO CONJUNTA SEMAD-IGAM Nº 2257 DE 31 DE DEZEMBRO DE 2014

ANO 123 Nº PÁG. - BELO HORIZONTE, QUINTA-FEIRA, 22 DE JANEIRO DE 2015 RESOLUÇÃO CONJUNTA SEMAD-IGAM Nº 2257 DE 31 DE DEZEMBRO DE 2014 ANO 123 Nº 15 28 PÁG. - BELO HORIZONTE, QUINTA-FEIRA, 22 DE JANEIRO DE 2015 RESOLUÇÃO CONJUNTA SEMAD-IGAM Nº 2257 DE 31 DE DEZEMBRO DE 2014 Estabelece os procedimentos para o cadastro de barragem, barramento

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CONTROLE E IMPACTO AMBIENTAL DCIA SETOR DE ANÁLISE AMBIENTAL (SAA) CHECK-LIST PARA REQUERIMENTO DE CERTIDÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO

DEPARTAMENTO DE CONTROLE E IMPACTO AMBIENTAL DCIA SETOR DE ANÁLISE AMBIENTAL (SAA) CHECK-LIST PARA REQUERIMENTO DE CERTIDÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO DEPARTAMENTO DE CONTROLE E IMPACTO AMBIENTAL DCIA SETOR DE ANÁLISE AMBIENTAL (SAA) CHECK-LIST PARA REQUERIMENTO DE CERTIDÃO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA (Preenchido por Analista na

Leia mais

Diário Oficial da União, nº 164, Seção I, p. 63,

Diário Oficial da União, nº 164, Seção I, p. 63, Diário Oficial da União, nº 164, Seção I, p. 63, 27.08.2009 Portaria Superintendente Regional do Trabalho e Emprego no Estado de São Paulo SURTE / SP nº 43 de 24.08.2009 Dispõe sobre as informações fornecidas

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº. 089/2016

LEI COMPLEMENTAR Nº. 089/2016 LEI COMPLEMENTAR Nº. 089/2016 DISPÕE SOBRE ALTERAÇÃO DE DISPOSITIVOS CONSTANTE DA LEI COMPLEMENTAR Nº. 071/2014 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUARAPARI, Estado do Espírito Santo, no

Leia mais

DELIBERAÇÃO CECA/CN nº 4.140, de 12 de março de 2002

DELIBERAÇÃO CECA/CN nº 4.140, de 12 de março de 2002 DELIBERAÇÃO CECA/CN nº 4.140, de 12 de março de 2002 Dispõe sobre o processo de licenciamento simplificado para empreendimentos de cultivo de cana de açúcar, que adotem o método de irrigação por aspersão.

Leia mais

P ORTARIA Nº. 10/2010

P ORTARIA Nº. 10/2010 P ORTARIA Nº. 10/2010 Dispõe sobre os procedimentos e requisitos para o licenciamento ambiental dos empreendimentos minerários de que tratam as Resoluções CONAMA 009/90 e 010/90. O SECRETÁRIO DE ESTADO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COLÉGIO PEDRO II

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COLÉGIO PEDRO II MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COLÉGIO PEDRO II PORTARIA N 582 DE 4 DE ABRIL DE 2011 Dispõe sobre a autorização para participação de servidores em eventos de natureza científica, acadêmica e/ ou de capacitação

Leia mais

DECRETO Nº , DE 24 DE FEVEREIRO DE 2014.

DECRETO Nº , DE 24 DE FEVEREIRO DE 2014. DECRETO Nº 18.574, DE 24 DE FEVEREIRO DE 2014. Regulamenta o art. 10 da Lei Complementar nº 284, de 27 de outubro de 1992, que dispõe sobre as regras gerais e específicas a serem obedecidas na manutenção

Leia mais

EDSON CARAM, DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE OPERAÇÃO DO SISTEMA VIÁRIO - DSV, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei e,

EDSON CARAM, DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE OPERAÇÃO DO SISTEMA VIÁRIO - DSV, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei e, PORTARIA N.º 66/17- DSV.GAB. EDSON CARAM, DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE OPERAÇÃO DO SISTEMA VIÁRIO - DSV, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei e, CONSIDERANDO a Lei nº 13.146, de 6 de julho

Leia mais

LEI 9.765, DE 17 DE DEZEMBRO DE 1998 Institui taxa de licenciamento, controle e fiscalização de materiais nucleares e radioativos e suas instalações.

LEI 9.765, DE 17 DE DEZEMBRO DE 1998 Institui taxa de licenciamento, controle e fiscalização de materiais nucleares e radioativos e suas instalações. LEI 9.765, DE 17 DE DEZEMBRO DE 1998 Institui taxa de licenciamento, controle e fiscalização de materiais nucleares e radioativos e suas instalações. O Presidente da República: Faço saber que o Congresso

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE VARGINHA

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE VARGINHA 1 DECRETO Nº 4.396/2007 APROVA A REGULAMENTAÇÃO DO ISS ELETRÔNICO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito do Município de Varginha, Estado de Minas Gerais, no uso das atribuições conferidas por Lei, D E C

Leia mais

LEI Nº DE 22 DE DEZEMBRO DE A Câmara Municipal de Tiradentes aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte lei: CAPÍTULO I

LEI Nº DE 22 DE DEZEMBRO DE A Câmara Municipal de Tiradentes aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte lei: CAPÍTULO I LEI Nº 2.493 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009. Institui a Lei Municipal relativa ao Empreendedor Individual e dá outras providências A Câmara Municipal de Tiradentes aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono

Leia mais

Instrução Normativa n º 1, de 23 de fevereiro de 2016.

Instrução Normativa n º 1, de 23 de fevereiro de 2016. Instrução Normativa n º 1, de 23 de fevereiro de 2016. Esta Instrução Normativa estabelece os procedimentos para o licenciamento e a regularização ambiental de Instalações Radiativas a serem realizados

Leia mais

LEI Nº 7.886, DE 20 DE NOVEMBRO DE Regulamenta o art. 43 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias e dá outras providências.

LEI Nº 7.886, DE 20 DE NOVEMBRO DE Regulamenta o art. 43 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias e dá outras providências. LEI Nº 7.886, DE 20 DE NOVEMBRO DE 1989. Regulamenta o art. 43 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o Congresso Nacional

Leia mais

REGISTRO DE OPERADORES DE RADIOGRAFIA INDUSTRIAL

REGISTRO DE OPERADORES DE RADIOGRAFIA INDUSTRIAL CNEN-NN 7.02 Março / 2013 REGISTRO DE OPERADORES DE RADIOGRAFIA INDUSTRIAL Resolução CNEN 144/13 Publicação DOU em 25.03.2013 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO COMISSÃO NACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR

Leia mais

Câmara Municipal. Município de Alenquer. Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Alenquer,

Câmara Municipal. Município de Alenquer. Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Alenquer, Departamento de Urbanismo Município de Alenquer Câmara Municipal REGISTO DE ENTRADA Nº Em / / Proc. N.º / / O Func. Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Alenquer, EMISSÃO DE ALVARÁ DE OBRAS DE

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE CONTROLE DE EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL RESOLUÇÃO NORMATIVA No 21, DE 20 DE MARÇO DE 2015.

CONSELHO NACIONAL DE CONTROLE DE EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL RESOLUÇÃO NORMATIVA No 21, DE 20 DE MARÇO DE 2015. CONSELHO NACIONAL DE CONTROLE DE EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL RESOLUÇÃO NORMATIVA No 21, DE 20 DE MARÇO DE 2015. Altera os critérios e procedimentos para requerimento, emissão, revisão, extensão, suspensão e

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO. REGULAMENTO DO ESTÁGIO PROBATÓRIO (Anexo ao Decreto nº 4.550, 14 de agosto de 2003)

PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO. REGULAMENTO DO ESTÁGIO PROBATÓRIO (Anexo ao Decreto nº 4.550, 14 de agosto de 2003) PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO REGULAMENTO DO ESTÁGIO PROBATÓRIO (Anexo ao Decreto nº 4.550, 14 de agosto de 2003) Art.1º - O presente regulamento disciplina os procedimentos a serem

Leia mais

Recintos de Diversões Aquáticas. Licença de Funcionamento

Recintos de Diversões Aquáticas. Licença de Funcionamento Recintos de Diversões Aquáticas Licença de Funcionamento 1. FINALIDADE A realização das atividades em recintos com diversões aquáticas (Parques Aquáticos) depende da posse de licença de funcionamento,

Leia mais

Folha: Revisão: 1/6. Aprovador: Normatizador

Folha: Revisão: 1/6. Aprovador: Normatizador Data para 1/6 1. FINALIDADE: Estabelecer os procedimentos para a fiscalização de segurança em obra (Tapume, tela de proteção, bandeja, barracão de obra, andaime, etc), com o objetivo de garantir as informações

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 001/2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 001/2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA N 001/2015 Regulamenta a solicitação de portaria para dirigir veículos oficiais do âmbito do Centro de Educação Superior do Oeste CEO/UDESC. A DIRETORA GERAL DO CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Resolução Nº. 011/2008

Resolução Nº. 011/2008 ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE PALHOÇA SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E ADOLESCENTE Resolução Nº. 011/2008 Dispõe sobre o registro

Leia mais

Folha: Revisão: 1/11. Processo: Normatizador

Folha: Revisão: 1/11. Processo: Normatizador 1/11 1. FINALIDADE Estabelecer os procedimentos necessários para os serviços de vistoria e interdição de elevadores, escadas e esteiras rolantes com o objetivo de garantir as informações mínimas necessárias

Leia mais

Atenção: - a palavra-chave de tem menos de 4 letras, por isso não foi destacada. LEI Nº 2767, DE 18 DE MAIO DE 2012.

Atenção: - a palavra-chave de tem menos de 4 letras, por isso não foi destacada. LEI Nº 2767, DE 18 DE MAIO DE 2012. Atenção: - a palavra-chave de tem menos de 4 letras, por isso não foi destacada. LEI Nº 2767, DE 18 DE MAIO DE 2012. INSTITUI O PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO, INSTRUMENTO DA POLITICA MUNICIPAL DE

Leia mais

Regularização das Plantas Produtoras de Etanol conforme a Resolução ANP nº 26/2012. SRP/ANP Luciana Tavares Uberlândia/MG

Regularização das Plantas Produtoras de Etanol conforme a Resolução ANP nº 26/2012. SRP/ANP Luciana Tavares Uberlândia/MG Regularização das Plantas Produtoras de Etanol conforme a Resolução ANP nº 26/2012 SRP/ANP Luciana Tavares Uberlândia/MG 2011 Contextualização Lei nº 12.490 altera a Lei do Petróleo, atribuindo à ANP a

Leia mais

[EBOOK] GUIA PARA FORMALIZAR SEU CONSULTÓRIO MÉDICO

[EBOOK] GUIA PARA FORMALIZAR SEU CONSULTÓRIO MÉDICO HiDoctor [EBOOK] GUIA PARA FORMALIZAR SEU CONSULTÓRIO MÉDICO Centralx Um consultório é uma empresa, e ao abrir o seu consultório existe toda uma parte burocrática para formalizar o estabelecimento e garantir

Leia mais

JOSÉ SERRA, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais,

JOSÉ SERRA, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, DECRETO Nº 55.149, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2009 Dá nova redação a dispositivos do Decreto nº 47.400, de 4 de dezembro de 2002, que regulamenta disposições da Lei nº 9.509, de 20 de março de 1997, referentes

Leia mais

Atos Normativos PORTARIA Nº , DE 03 DE AGOSTO DE LEI Nº. 1079, DE 29 DE AGOSTO DE LEI Nº. 1078, DE 29 DE AGOSTO DE 2012.

Atos Normativos PORTARIA Nº , DE 03 DE AGOSTO DE LEI Nº. 1079, DE 29 DE AGOSTO DE LEI Nº. 1078, DE 29 DE AGOSTO DE 2012. 2 PREFEITURA DE JACOBINA/BA Atos Normativos PORTARIA Nº. 365-2, DE 03 DE AGOSTO DE 2012. Nomeia membros da Comissão de Acompanhamento e Fiscalização do Levantamento Patrimonial pertencente ao Município

Leia mais

Práticas de controle e fiscalização da CFEM

Práticas de controle e fiscalização da CFEM Práticas de controle e fiscalização da CFEM Marcos Antonio Cordeiro / DNPM-PA Eng. de Minas Belém-PA março de 2013 CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988: Art. 20 - São bens da União: IX - os recursos minerais, inclusive

Leia mais

Detalhamento da avaliação da disponibilização de informações florestais pela Sema-MT

Detalhamento da avaliação da disponibilização de informações florestais pela Sema-MT Autorizações e Licenças Detalhamento da avaliação da disponibilização de informações florestais informação 1 Cadastro Ambiental Rural (CAR) e Licença Ambiental Única (LAU) Lei I. pedidos de licenciamento,

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul

Estado do Rio Grande do Sul LEI MUNICIPAL N 2013 Disciplina os procedimentos necessários para emissão de Licenças Ambientais e os valores referentes às Taxas de Licenciamento e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE, no

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL PARA REALIZAÇÃO DE LEILÕES

REGULAMENTO MUNICIPAL PARA REALIZAÇÃO DE LEILÕES REGULAMENTO MUNICIPAL PARA REALIZAÇÃO DE LEILÕES (Aprovado na 24ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal realizada em 16 de Dezembro de 2003, na 2ª Reunião da 5ª Sessão Ordinária de Assembleia Municipal,

Leia mais

Gestor dos Recursos Minerais do Brasil Compete ao Departamento Nacional de Produção Mineral a execução do Código de Mineração e dos seus Diplomas

Gestor dos Recursos Minerais do Brasil Compete ao Departamento Nacional de Produção Mineral a execução do Código de Mineração e dos seus Diplomas Gestor dos Recursos Minerais do Brasil Compete ao Departamento Nacional de Produção Mineral a execução do Código de Mineração e dos seus Diplomas Legais Complementares Art. 3 2º do Código de Mineração)

Leia mais

PORTARIA N 003/2014, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014.

PORTARIA N 003/2014, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014. PORTARIA N 003/2014, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014. Dispõe sobre a concessão de Suprimento de Fundos pela Fundação de Educação Tecnológica e Cultural da Paraíba FUNETEC-PB. O SUPERINTENDENTE da Fundação de

Leia mais

PORTARIA/DETRAN/GAB/PRES/Nº 126, de 1º de Março de 2016.

PORTARIA/DETRAN/GAB/PRES/Nº 126, de 1º de Março de 2016. PORTARIA/DETRAN/GAB/PRES/Nº 126, de 1º de Março de 2016. Dispõe sobre a autorização para utilização do simulador de direção veicular pelos Centros de Formação de Condutores e dá outras providências. O

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE MINERAÇÃO ANM

AGÊNCIA NACIONAL DE MINERAÇÃO ANM AGÊNCIA NACIONAL DE MINERAÇÃO ANM MP n. 791 de 25/07/2017 14 de Setembro 2017 Cronologia DNPM / ANM 1934 - Criação do Departamento Nacional da Produção Mineral (DNPM) (Decreto 23.9790); 1960 criação do

Leia mais

Regulamento de Exercício da Atividade de Arrumador de Automóveis

Regulamento de Exercício da Atividade de Arrumador de Automóveis Regulamento de Exercício da Atividade de Arrumador de Automóveis 30-12-2013 Junta de Freguesia de Espinho Preâmbulo Com a entrada em vigor do Decreto-Lei n.º 75/2013, de 12 de Setembro, foram transferidas

Leia mais

DECRETO Nº 160 DE 03 DE JANEIRO DE 2006.

DECRETO Nº 160 DE 03 DE JANEIRO DE 2006. DECRETO Nº 160 DE 03 DE JANEIRO DE 2006. Regulamenta a Lei Complementar nº 135, de 15/12/2005, que estabelece a regularização das construções iniciadas irregulares e institui a cobrança de Mais Valia.

Leia mais

D E C R E T O Nº DE 21 DE JANEIRO DE 2015.

D E C R E T O Nº DE 21 DE JANEIRO DE 2015. D E C R E T O Nº. 5364 DE 21 DE JANEIRO DE 2015. Regulamenta a aplicação da Lei nº 4.133, de 19 de dezembro de 2014 - Lei da mais valia e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICIPIO DE TRÊS RIOS no

Leia mais

ENTENDIMENTO Nº. 11/2001 CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL - CEEI

ENTENDIMENTO Nº. 11/2001 CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL - CEEI ENTENDIMENTO Nº. 11/2001 CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL - CEEI Dispõe sobre o registro de Acervo Técnico e emissão da Certidão de Acervo Técnico CAT no CREA-CE A CÂMARA ESPECIALIZADA DE

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 1.563/16.

LEI MUNICIPAL Nº 1.563/16. LEI MUNICIPAL Nº 1.563/16. Este ato esteve fixado no painel de publicação no período de 31/05/2016 a 30/06/2016. Graziele Natividade Mat. 610 Responsável. Autoriza a contratação temporária de excepcional

Leia mais

Deliberação Normativa COPAM n.º 58, de 28 de Novembro de (Publicação - Diário do Executivo - "Minas Gerais" - 04/12/2002)

Deliberação Normativa COPAM n.º 58, de 28 de Novembro de (Publicação - Diário do Executivo - Minas Gerais - 04/12/2002) Deliberação Normativa COPAM n.º 58, de 28 de Novembro de 2002 Estabelece normas para o licenciamento ambiental de loteamentos do solo urbano para fins exclusiva ou predominantemente residenciais, e dá

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado do Ambiente SEA

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado do Ambiente SEA RESOLUÇÃO CONJUNTA SEA/INEA Nº 638, de 08 de novembro de 2016 ESTABELECE PROCEDIMENTOS PARA A CELEBRAÇÃO DE TERMOS DE COMPROMISSO DE COMPENSAÇÃO AMBIENTAL TCCA PARA CUMPRIMENTO DA OBRIGAÇÃO REFERENTE À

Leia mais

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA Registo de entrada RE SERVADO AOS SERVIÇOS PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA (Art.º 63 do D.L. 555/99 de 16 de Dezembro, com a redacção conferida pelo D.L. 177/2001

Leia mais

PORTARIA N 126, DE 30 DE JULHO DE 1999

PORTARIA N 126, DE 30 DE JULHO DE 1999 PORTARIA N 126, DE 30 DE JULHO DE 1999 Estabelece a regulamentação para a atividade de produção ou importação de óleo lubrificante acabado a ser exercida por pessoa jurídica sediada no País, organizada

Leia mais

Art. 3º A Fundação Estadual de Meio Ambiente-Pantanal, expedirá as seguintes Licenças Ambientais:

Art. 3º A Fundação Estadual de Meio Ambiente-Pantanal, expedirá as seguintes Licenças Ambientais: Publicada no Diário Oficial nº 5.546, de 10 de julho de 2001. LEI Nº 2.257, DE 9 DE JULHO DE 2001. Dispõe sobre as diretrizes do licenciamento ambiental estadual, estabelece os prazos para a emissão de

Leia mais

COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO DAS VELHAS

COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO DAS VELHAS PARECER TÉCNICO - AGB PEIXE VIVO - 002/2011 PROCESSO Nº 04734 / 2010 - Vale S.A Empreendimento: Execução de barramento em curso de água sem captação - Barragem Forquilha IV, para contenção de rejeitos

Leia mais

Resolução nº. 002, de 06 de agosto de 2012.

Resolução nº. 002, de 06 de agosto de 2012. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI - UFSJ NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NEAD DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS E CONTÁBEIS DECAC COORDENAÇÃO DO CURSO ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Resolução nº. 002,

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO LEI COMPLEMENTAR N 363,DE 05 DE OUTUBRO DE 2009. Dispõe sobre o repasse de recursos públicos para atender necessidades de pessoas físicas, criando o auxilio moradia como benefício assistencial temporário,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 105/2007-CEPE/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 105/2007-CEPE/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 105/2007-CEPE/UNICENTRO Aprova o Regulamento do Comitê de Pós- Graduação Stricto Sensu, CPS. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO: Faço saber que o Conselho de Ensino,

Leia mais

Prefeitura do Município de Lages Secretaria Municipal da Fazenda Diretoria de Fiscalização

Prefeitura do Município de Lages Secretaria Municipal da Fazenda Diretoria de Fiscalização INSTRUÇÃO NORMATIVA 007/2014 DISPÕE SOBRE O MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS DA DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO DA SECRETARIA DA FAZENDA DO MUNICÍPIO DE LAGES Considerando a necessidade de promover agilidade

Leia mais

Regulamento de Incentivos à Conservação de Fachadas de Imóveis na Zona Histórica de Soure. Município de Soure

Regulamento de Incentivos à Conservação de Fachadas de Imóveis na Zona Histórica de Soure. Município de Soure Regulamento de Incentivos à Conservação de Fachadas de Imóveis na Zona Histórica de Soure Município de Soure 2015 Regulamento de Incentivos à Conservação de Fachadas de Imóveis na Zona Histórica H de Soure

Leia mais