O ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA NA ESCOLA BÁSICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA NA ESCOLA BÁSICA"

Transcrição

1 O ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA NA ESCOLA BÁSICA Lilian Nasser Projeto Fundão (UFRJ) e CETIQT/SENAI Resumo: A inclusão da Matemática Financeira na grade do Ensino Médio deve ser um meio para garantir o exercício pleno da cidadania, no que se refere a situações financeiras. É preciso que este tópico seja abordado de modo eficaz, capacitando os alunos a escolher a melhor maneira de efetuar seus pagamentos e a evitar armadilhas da mídia, que anunciam ofertas enganosas do tipo preço à vista igual a preço a prazo sem juros. Este trabalho chama a atenção para a necessidade de preparar alunos e professores para enfrentar essa tarefa. Palavras-chave: Matemática Financeira; Valor do dinheiro; Eixo das setas. A Matemática Financeira é um conteúdo fundamental no currículo da escola Básica. No mundo atual, com as ofertas divulgadas pela mídia e as diversas opções para pagamentos de impostos e taxas, devemos preparar nossos alunos para exercer plenamente a cidadania, sabendo escolher a melhor maneira de efetuar os pagamentos. O que é mais vantajoso: pagar à vista ou a prazo? A resposta a esta pergunta depende de diversas variáveis: a taxa de juros praticada para a venda a prazo, o número de prestações, se há desconto para pagamento à vista ou se é exigida uma entrada para o pagamento a prazo. Apesar de o tópico de Matemática Financeira fazer parte do currículo da Escola Básica, este assunto não tem sido abordado de forma eficaz. Basta observar como a maioria dos livros textos trata superficialmente o tema. No ensino Fundamental os alunos aprendem porcentagem e juros simples. No Ensino Médio são abordados os juros compostos, cuja fórmula recai numa exponencial. Os problemas em geral são desligados da realidade, não refletindo o que de fato acontece no cotidiano das compras, pagamentos e empréstimos. Também é importante observar que a Matemática Financeira permite relacionar diversos tópicos da Matemática. Juros simples podem ser associados às Progressões Aritméticas e à função afim, já que os valores a cada período, se colocados no plano cartesiano, estão alinhados. Já os juros compostos são calculados por meio de uma função 1

2 exponencial em que o expoente é o número de períodos considerados no financiamento. Portanto, seu ensino deve reportar ao estudo de Progressões Geométricas e função exponencial. Mas isso em geral não acontece, e se perde uma ótima oportunidade de mostrar aos alunos onde e como são aplicados alguns conteúdos estudados na escola. Alguns problemas de Matemática Financeira também precisam do conceito de logaritmo na sua resolução, quando o que se deseja descobrir é o tempo necessário da aplicação de um investimento para atingir um determinado montante. Em resumo, a Matemática Financeira é um tópico que relaciona diversos conteúdos do Ensino Fundamental e Médio, permitindo a sua integração e aplicação. A escola básica deve preparar o futuro cidadão a entender as possibilidades de investimento e pagamento, para que ele não se deixe levar por ofertas enganosas do tipo preço à vista igual a preço a prazo ou financiamento em 10 vezes sem juros. A Matemática Financeira considera que qualquer quantia muda de valor ao longo do tempo, pois uma quantia sempre pode ser aplicada e render juros. De modo geral, as aplicações são feitas em juros compostos, quando a cada período os juros incidem sobre o capital acumulado. Por isso, todo o cuidado deve ser tomado ao propor problemas muito comuns nos livros textos dos anos iniciais, como: Um aparelho de TV foi vendido em 4 prestações iguais de R$150,00. Qual o preço desse aparelho de TV? O preço do aparelho de TV não é absoluto, depende da época em que se deseja saber o preço. Na data da compra? Ou na data da última prestação, quando é finalmente quitada a dívida? Pode parecer que isso é irrelevante, mas há uma diferença, e se o aluno aprende que a resposta do problema á R$600,00, ele vai seguir acreditando que o valor do dinheiro não varia com o tempo, diferentemente do que acontece no mundo financeiro. Mas este não é o único tipo de erro cometido quando se trata de Matemática Financeira. Ao se aplicar aumentos ou descontos sucessivos, há uma tendência em somar os índices para encontrar o índice total, em vez de multiplicar. Lima et al. (2 000) alertam que As pessoas menos educadas matematicamente têm tendência a achar que juros de 10% ao mês dão, em dois meses, juros de 20%. Note que juros de 10% ao mês dão em dois meses juros de 21% (p. 45). 2

3 Ao conceder um aumento em duas etapas, isso deve ser considerado, como no exemplo a seguir. Numa reunião de condomínio, foi aprovado um acréscimo de 10%, em duas parcelas, sendo 5% de imediato, e o restante, 6 meses depois. Qual deve ser a taxa de aumento da 2ª parcela? A resposta não pode ser 5%, pois isso daria um acréscimo total de 10,25%. Será que então a resposta é 4,75%, descontando os 0,25% que excederam os 10%? Na realidade, a resposta correta é 4,7619%. E mais adiante vamos ver um método prático de resolver este tipo de problema. Outro ponto importante a se considerar no ensino de Matemática Financeira é o uso de calculadoras. Em diversas oportunidades, os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN s) recomendam o uso da calculadora, segundo os autores, de acordo com a maioria dos pesquisadores, salientando que: Dentre as várias razões para seu uso (da calculadora), ressalta-se a possibilidade de explorar problemas com números freqüentes nas situações cotidianas e que demandam cálculos mais complexos, como: os fatores utilizados na conversão de moedas, os índices com quatro casas decimais (utilizados na correção da poupança), dos descontos como 0,25% etc. (p. 67) É claro que as calculadoras financeiras, do tipo HP 12C, são ferramentas poderosas no mundo dos negócios. Mas na escola elas não ajudam, uma vez que o seu uso não deixa claro quais os procedimentos usados. É como uma caixa preta, em que basta inserir os dados, que a resposta vem pronta. Nosso objetivo é fazer com que os alunos entendam os raciocínios e procedimentos quando resolvem um problema. Por isso, recomendamos o uso das calculadoras científicas ou mesmo das mais simples, apenas para facilitar os cálculos e economizar tempo. As planilhas eletrônicas do EXCEL também trazem fórmulas que ajudam a resolver problemas financeiros. Este recurso pode ser usado, desde que o aluno examine e entenda as fórmulas utilizadas. Caso contrário, recaímos novamente no caso da caixa preta, em que o aluno não entende e o que está fazendo para resolver o problema. No ensino de Matemática Financeira devem ser abordados problemas que refletem a realidade do cotidiano. A seguir, citamos dois exemplos desse tipo de problemas. 3

4 Problema 1: No estado do Rio de Janeiro, há duas possibilidades para o pagamento do IPVA: em 3 parcelas mensais iguais ou à vista, com 10% de desconto. Qual a taxa de juros praticada no pagamento parcelado de um IPVA de R$900,00? Este problema foi baseado numa coluna publicada às segundas feiras no jornal O GLOBO, no Caderno de Economia (ZENTGRAF, 2009). Problema 2: A diretora da escola juntou dinheiro para comprar um computador. Comparando os preços de mercado, encontrou a seguinte oferta numa loja: A diretora pediu um desconto para o pagamento à vista, mas o vendedor respondeu que o preço a prazo sem juros era igual ao preço à vista e, portanto, não era possível dar desconto. Considerando que o dinheiro pode render 4% ao mês, qual seria o preço justo para o pagamento à vista? Este último exemplo foi usado numa pesquisa para avaliar como professores e licenciandos de Matemática resolvem problemas práticos de Matemática Financeira, e quais os tipos de erros cometidos. Os resultados mostraram que os professores e futuros professores não estão preparados para abordar em sala de aula os problemas reais e desafiadores de Matemática Financeira. Pode parecer surpreendente, mas é possível resolver esses problemas com poucos conhecimentos matemáticos anteriores. Vamos usar uma representação visual na resolução dos problemas, que chamamos de eixo das setas. As taxas de juros, de aumento ou de desconto devem ser sempre representadas na notação decimal. É claro que isso requer o domínio de frações e suas representações como número decimal e como porcentagem. Computador: R$ 1 800,00 à vista ou em 3 x iguais sem juros (entrada + 2) A abordagem proposta 4

5 Um grupo do Projeto Fundão (IM-UFRJ) está desenvolvendo uma pesquisa com o objetivo de fornecer ao professor do Ensino Médio um material adequado para o ensino de Matemática Financeira, que torne o aluno apto a resolver problemas do seu cotidiano, como os sugeridos anteriormente. Trata-se de uma abordagem prática e visual para o ensino de Matemática Financeira, que pode ser implementada a partir do Ensino Fundamental, com as seguintes características: Uso da porcentagem como fator, na notação decimal; Representação da situação no eixo das setas; Valorização do raciocínio, em vez do uso de fórmulas; Incentivo ao uso da calculadora; Relação do conteúdo de Matemática Financeira com funções e progressões; Importância à variação do valor do dinheiro no tempo; Uso da animação do Power-point para mostrar de forma dinâmica a variação do dinheiro no tempo. Essa abordagem fornece um método prático e visual para resolver problemas reais, que ocorrem no dia a dia de um cidadão, e permite que cada aluno crie sua estratégia de resolução. A porcentagem como fator Para calcular o preço de uma mercadoria que sofreu um aumento de 15%, por exemplo, representamos a taxa por i = 0,15 e basta multiplicar o preço original P por 1,15, já que: P + 15% de P = P + 0,15 P = (1 + 0,15) P = 1,15 P. No caso de um desconto de 20%, por exemplo, o novo preço é obtido por meio de uma única operação, de multiplicação pelo fator 1 i = 1 0,2 = 0,8. De modo geral, para calcular o valor após um aumento de uma taxa i (na notação decimal), basta multiplicar o valor original por (1 + i), e no caso de um desconto, multiplica-se por (1 i). 5

6 O uso da porcentagem como fator é também mais adequado ao uso da calculadora na resolução dos problemas, o que é recomendado, inclusive pelos Parâmetros Curriculares Nacionais. Conjugando o eixo das setas com o uso da taxa como fator e o uso da calculadora, é possível estabelecer um método de raciocínio que pode ser aplicado a qualquer problema. Para visualizar a representação no dispositivo que chamamos de eixo das setas, voltemos ao problema: Numa reunião de condomínio, foi aprovado um acréscimo de 10%, em duas parcelas, sendo 5% de imediato, e o restante, 6 meses depois. Qual deve ser a taxa de aumento da 2ª parcela? P 1,05 P 1,1P 0 1 x 1,05 2 x (1+i) x 1,1 P x 1,05 x (1+i) = 1,1 P 1,05 + 1,05 i = 1,1 1,05 i = 0,05 i 0,05 1,05 0, Portanto, a taxa de aumento da 2ª parcela é de 4,76%. O valor do dinheiro É importante chamar atenção que a variação do dinheiro ao longo do tempo exerce um papel fundamental na Matemática Financeira, já que todas as decisões que envolvem compras ou investimentos estão apoiadas no fato do valor que o dinheiro terá ou teve numa outra data, levando-se em conta a taxa de juros que incide sobre os valores aplicados (SÁ, 2005, p. 44). 6

7 Esse fato também é ressaltado por Lima et al (2000), quando destacam que no fundo, só há um problema em Matemática Financeira: deslocar quantias no tempo. (p. 45) Para determinar a melhor forma de fazer um pagamento, à vista ou a prazo, a que é mais vantajosa, temos que equiparar os valores numa mesma época. Estas decisões dependem de quanto a pessoa consegue fazer render o dinheiro, que é a taxa mínima de atratividade. Por exemplo, se a caderneta de poupança rende 2% ao mês, a quantia de R$100,00 hoje valerá R$102,00 daqui a um mês, R$104,04 daqui a 2 meses, R$ 106,12 daqui a 3 meses, e assim por diante. Assim, não se pode comparar quantias em datas diferentes, mas apenas aquelas que se referem à mesma época. Se o valor atual é representado por A e o valor futuro por F, depois de n períodos de aplicação a uma taxa i, temos: F = A (1 + i) n. Assim: Para obter valor futuro, basta multiplicar o valor atual por (1 + i) n Para obter o valor atual, basta dividir o valor futuro por (1 + i) n Exemplo: Um aparelho de DVD está anunciado em duas opções de pagamento: 3 prestações mensais de R$180,00 cada, ou em 6 prestações mensais de R$100,00, ambos com entrada. Qual é a opção mais vantajosa, se posso fazer render meu dinheiro a uma taxa de 5% ao mês? Representando as duas opções de pagamento no eixo das setas: Para resolver o problema, determinaremos o valor dos dois conjuntos de pagamentos na mesma época, por exemplo, na época 2. Na 1ª opção: V = 180 (1+0,05) (1 + 0,05) = 180 x 1, x 1, = R$ 567,

8 Na 2ª opção: V R$ 587, ,05101, ,051,051,05 23 Portanto, o pagamento em 3 prestações é mais vantajoso. Exemplo : Bia pegou um empréstimo de R$ 300,00 a juros mensais de 5%. Dois meses depois, Bia pagou R$ 150,00 e, um mês após esse pagamento liquidou seu débito. Qual o valor desse último pagamento? Este problema, originalmente proposto em Lima et al. (2000), foi adaptado e aplicado por Rosa C. N. de Novaes (2009) em suas turmas do Ensino Médio. Usando o eixo das setas, foram apresentadas diversas soluções distintas. Este é um dos pontos altos desta abordagem: permite uma diversidade de soluções, dependendo da criatividade dos alunos. Aplicar juros de 5% ao mês significa multiplicar a quantia por 1,05 em cada período de um mês. Esta situação pode ser representada no eixo das setas como, na solução a seguir, apresentada por um aluno. 300,00. (1,05) 2 330,75. (1,05) 150,00 180,75 189,78 0 x (1,05) (((((1,10) 11,1,1,,,,,, Esta proposta de abordagem,1,1111i,1 para o ensino de Matemática Financeira tem sido 0(1,10) experimentada pelos professores do grupo de pesquisa em suas turmas com ótimos resultados. Outros problemas que propomos são: como calcular o desconto do Imposto de Renda na fonte, a complementação de aposentadoria, o pagamento antecipado de um ano de aluguel, como pedir desconto para desconto à vista

9 A formação de professores Esta proposta de abordagem tem sido apresentada em oficinas e mini-cursos a professores e licenciandos de várias instituições públicas e particulares do Estado do Rio de Janeiro. Nessas ocasiões, constatamos que os professores e futuros professores não estão preparados para abordar em suas turmas a Matemática Financeira de modo eficaz, capacitando os alunos a resolver os desafios com que se deparam no campo financeiro (Nasser, 2009). Mas a culpa não é dos professores, pois a quase totalidade dos cursos de licenciatura em Matemática não contém esse tema em sua grade curricular. Por isso, é importante que o ensino de Matemática Financeira seja tema de debates em reuniões e encontros de professores. É preciso alertar os cidadãos para alguns erros comuns no trato com situações financeiras, como: - acréscimos ou descontos acumulados devem ser multiplicados e não somados; - pagamentos da mesma quantia em datas distintas não têm o mesmo valor; - quantias que se referem a datas distintas não podem ser somadas; - só é possível comparar formas diferentes de pagamento se as quantias forem calculadas com referência à mesma data. - os juros nas compras a prazo devem ser calculados sobre o valor financiado e não sobre o preço total. O ensino de Matemática Financeira deve esclarecer essas dúvidas, ajudando os alunos a evitar as armadilhas anunciadas na mídia. E isso pode e deve ser feito de modo dinâmico e visual, usando a notação decimal e o eixo das setas. A animação ajuda os alunos a compreender a variação do dinheiro no tempo e facilita o desenvolvimento de estratégias próprias na resolução de problemas. Referências BRASIL, Ministério da Educação Parâmetros Curriculares Nacionais

10 LIMA, E. L., CARVALHO, P. C. P., WAGNER, E., MORGADO, A. C. A Matemática do Ensino Médio, vol. 2, Coleção do Professor de Matemática, Rio de Janeiro: SBM, NASSER, Lílian: À vista ou a prazo sem juros: qual dessas modalidades de pagamento é mais vantajosa? Educação Matemática em Revista-RS, SBEM-RS, nº 10 - v.2, 92-99, NOVAES, Rosa C. N.: Uma abordagem visual para o ensino de Matemática Financeira no Ensino Médio. Dissertação de mestrado apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Ensino de Matemática, UFRJ, SÁ, Ilydio P. e SÁ, V. G. P. Duas vezes 100 é igual a 200? Revista do Professor de Matemática, nº 70, Rio de Janeiro: SBM, 2009, p SÁ, I. P. Matemática Comercial e Financeira (na educação básica). Rio de Janeiro, Ed. Sotese, ZENTGRAF, R. Dinheiro em Caixa. Coluna publicada às segundas feiras no jornal O Globo,

MATEMÁTICA FINANCEIRA NA ESCOLA BÁSICA: ENSINANDO A ENFRENTAR OS DESAFIOS DO COTIDIANO

MATEMÁTICA FINANCEIRA NA ESCOLA BÁSICA: ENSINANDO A ENFRENTAR OS DESAFIOS DO COTIDIANO MATEMÁTICA FINANCEIRA NA ESCOLA BÁSICA: ENSINANDO A ENFRENTAR OS DESAFIOS DO COTIDIANO Lilian Nasser UFRJ /CETIQT/SENAI Geneci Alves de Sousa SME-RIO/ UNIABEU/ CETIQT/SENAI José Alexandre R. Pereira SME-RIO/

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO A Matemática Financeira como elemento de contextualização crítica no Ensino Fundamental - Prof. Ilydio Sá 1 SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO 1º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Matemática. Aula: 04/10. Prof. Pedro Souza. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.

Matemática. Aula: 04/10. Prof. Pedro Souza. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM. Matemática Aula: 04/10 Prof. Pedro Souza UMA PARCERIA Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR Visite a loja virtual www.conquistadeconcurso.com.br MATERIAL DIDÁTICO EXCLUSIVO PARA

Leia mais

Matemática Financeira II

Matemática Financeira II Módulo 3 Matemática Financeira II Para início de conversa... Notícias como essas são encontradas em jornais com bastante frequência atualmente. Essas situações de aumentos e outras como financiamentos

Leia mais

MA12 - Unidade 10 Matemática Financeira Semana 09/05 a 15/05

MA12 - Unidade 10 Matemática Financeira Semana 09/05 a 15/05 MA12 - Unidade 10 Matemática Financeira Semana 09/05 a 15/05 Uma das importantes aplicações de progressões geométricas é a Matemática Financeira. A operação básica da matemática nanceira é a operação de

Leia mais

Matemática Financeira II

Matemática Financeira II Módulo 3 Unidade 28 Matemática Financeira II Para início de conversa... Notícias como essas são encontradas em jornais com bastante frequência atualmente. Essas situações de aumentos e outras como financiamentos

Leia mais

Juros Simples. www.siteadministravel.com.br

Juros Simples. www.siteadministravel.com.br Juros Simples Juros simples é o acréscimo percentual que normalmente é cobrado quando uma dívida não foi pago na data do vencimento. Financiamento de casa própria A casa própria é o sonho de muitas famílias,

Leia mais

TRABALHANDO A MATEMÁTICA FINANCEIRA ATRAVÉS DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: A PERSPECTIVA DA VISUALIZAÇÃO A PARTIR DO EIXO DAS SETAS

TRABALHANDO A MATEMÁTICA FINANCEIRA ATRAVÉS DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: A PERSPECTIVA DA VISUALIZAÇÃO A PARTIR DO EIXO DAS SETAS TRABALHANDO A MATEMÁTICA FINANCEIRA ATRAVÉS DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: A PERSPECTIVA DA VISUALIZAÇÃO A PARTIR DO EIXO DAS SETAS Tamara Versteg Vitali UFRGS tamaravitali@yahoo.com.br Leandra Anversa Fioreze

Leia mais

A RELEVÂNCIA DA MATEMÁTICA FINANCEIRA NO ENSINO MÉDIO

A RELEVÂNCIA DA MATEMÁTICA FINANCEIRA NO ENSINO MÉDIO A RELEVÂNCIA DA MATEMÁTICA FINANCEIRA NO ENSINO MÉDIO Renato Kleber Azevedo Licenciando em Matemática Universidade Católica de Brasília Orientador: Prof. Dr. Ailton Paulo de Oliveira Junior Resumo: A finalidade

Leia mais

Existe uma diferença entre o montante (S) e a aplicação (P) que é denominada de remuneração, rendimento ou juros ganhos.

Existe uma diferença entre o montante (S) e a aplicação (P) que é denominada de remuneração, rendimento ou juros ganhos. Módulo 3 JUROS SIMPLES 1. Conceitos Iniciais 1.1. Juros Juro é a remuneração ou aluguel por um capital aplicado ou emprestado, o valor é obtido pela diferença entre dois pagamentos, um em cada tempo, de

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA Roberto César Faria e Silva MATEMÁTICA FINANCEIRA Aluno: SUMÁRIO 1. CONCEITOS 2 2. JUROS SIMPLES 3 Taxa Efetiva e Proporcional 10 Desconto Simples 12 Desconto Comercial, Bancário ou Por Fora 13 Desconto

Leia mais

Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium. Séries Uniformes de Pagamento

Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium. Séries Uniformes de Pagamento Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Disciplina: Matemática Financeira I Prof.: Marcos José Ardenghi Séries Uniformes de Pagamento As séries uniformes de pagamentos, anuidades ou rendas são

Leia mais

Análise e Resolução da prova de Auditor Fiscal da Fazenda Estadual do Piauí Disciplina: Matemática Financeira Professor: Custódio Nascimento

Análise e Resolução da prova de Auditor Fiscal da Fazenda Estadual do Piauí Disciplina: Matemática Financeira Professor: Custódio Nascimento Análise e Resolução da prova de Auditor Fiscal da Fazenda Estadual do Piauí Disciplina: Professor: Custódio Nascimento 1- Análise da prova Neste artigo, faremos a análise das questões de cobradas na prova

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA - FGV

MATEMÁTICA FINANCEIRA - FGV MATEMÁTICA FINANCEIRA - FGV 01. (FGV) O preço de venda de um artigo foi diminuído em 20%. Em que porcentagem devemos aumentar o preço diminuído para que com o aumento o novo preço coincida com o original?

Leia mais

Matemática Financeira II

Matemática Financeira II Módulo 3 Unidade 8 Matemática Financeira II Para início de conversa... Passagens de ônibus ficam mais caras este mês Vitor Ferri (vferri@redegazeta.com.br)_ Redação Multimídia A Agência Nacional de Saúde

Leia mais

EDUCAÇÃO FINANCEIRA: CONCEITOS E CONTEXTOS PARA O ENSINO MÉDIO

EDUCAÇÃO FINANCEIRA: CONCEITOS E CONTEXTOS PARA O ENSINO MÉDIO EDUCAÇÃO FINANCEIRA: CONCEITOS E CONTEXTOS PARA O ENSINO MÉDIO Ivail Muniz Junior Colégio Pedro II, Colégio Zaccaria e FAETEC. ivailmuniz@gmail.com Resumo: Este artigo pretende discutir uma mudança na

Leia mais

TEORIA E PRÁTICA: CONTEXTUALIZANDO A MATEMÁTICA ATRAVÉS DA PLANILHA ELETRÔNICA DE CÁLCULOS DO LIBREOFFICE

TEORIA E PRÁTICA: CONTEXTUALIZANDO A MATEMÁTICA ATRAVÉS DA PLANILHA ELETRÔNICA DE CÁLCULOS DO LIBREOFFICE TEORIA E PRÁTICA: CONTEXTUALIZANDO A MATEMÁTICA ATRAVÉS DA PLANILHA ELETRÔNICA DE CÁLCULOS DO LIBREOFFICE Autor: Prof. Robson Moreira Lucas Machado Instituição: Universidade Estadual do Oeste do Paraná-

Leia mais

Título : B2 Matemática Financeira. Conteúdo :

Título : B2 Matemática Financeira. Conteúdo : Título : B2 Matemática Financeira Conteúdo : A maioria das questões financeiras é construída por algumas fórmulas padrão e estratégias de negócio. Por exemplo, os investimentos tendem a crescer quando

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA AULA 02. Prof. Mário Leitão

MATEMÁTICA FINANCEIRA AULA 02. Prof. Mário Leitão MATEMÁTICA FINANCEIRA AULA 02 Prof. Mário Leitão Conceitos. A matemática financeira é um ramo da matemática que estuda as variações do dinheiro ao longo de tempo. Dinheiro e tempo... Se seu amigo lhe pedisse

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL/MG. Projeto Institucional de Formação Continuada

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL/MG. Projeto Institucional de Formação Continuada 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL/MG Projeto Institucional de Formação Continuada Aprendizagem de Matemática Mediada por suas Aplicações 6 o Encontro: Matemática Financeira Professor José Carlos

Leia mais

Calcular o montante de um capital de $1.000,00, aplicado à taxa de 4 % ao mês, durante 5 meses.

Calcular o montante de um capital de $1.000,00, aplicado à taxa de 4 % ao mês, durante 5 meses. JUROS COMPOSTOS Capitalização composta é aquela em que a taxa de juros incide sobre o capital inicial, acrescido dos juros acumulados até o período de montante anterior. Neste regime de capitalização a

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA UMA PROPOSTA DE ENSINO

MATEMÁTICA FINANCEIRA UMA PROPOSTA DE ENSINO ISSN 2316-7785 MATEMÁTICA FINANCEIRA UMA PROPOSTA DE ENSINO Simone Regina dos Reis UFSM simone_reis@msn.com Carmen Vieira Mathias UFSM carmenmathias@gmail.com Resumo Pesquisas em educação matemática crítica

Leia mais

Matemática Financeira

Matemática Financeira Capítulo 7 Noções de Matemática Financeira 1 O valor do dinheiro no tempo A operação básica da matemática financeira é a operação de empréstimo. Alguém que dispõe de um capital C (chamado de principal),

Leia mais

SEQÜÊNCIA DE DEPÓSITOS

SEQÜÊNCIA DE DEPÓSITOS TÓPICOS DE MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA O ENSINO MÉDIO - PROF. MARCELO CÓSER 1 SEQÜÊNCIA DE DEPÓSITOS Vimos que a variação de um capital ao longo do tempo pode ser ilustrada em uma planilha eletrônica. No

Leia mais

Lista de Exercícios 1

Lista de Exercícios 1 Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Elétrica Disciplina de Engenharia Econômica TE142 2º Semestre de 2011 Professor James Alexandre Baraniuk Lista de Exercícios 1 1. Um jovem de 20 anos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA MATEMÁTICA FINANCEIRA MAT 191 PROFESSORES: ENALDO VERGASTA, GLÓRIA MÁRCIA, JODÁLIA ARLEGO

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA MATEMÁTICA FINANCEIRA MAT 191 PROFESSORES: ENALDO VERGASTA, GLÓRIA MÁRCIA, JODÁLIA ARLEGO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA MATEMÁTICA FINANCEIRA MAT 191 PROFESSORES: ENALDO VERGASTA, GLÓRIA MÁRCIA, JODÁLIA ARLEGO LISTA 2 1) Um título, com valor de face igual a $1.000,00,

Leia mais

Para acharmos as taxas equivalentes utilizamos a fórmula abaixo: Te = ( n Ö 1+i) 1

Para acharmos as taxas equivalentes utilizamos a fórmula abaixo: Te = ( n Ö 1+i) 1 Para acharmos as taxas equivalentes utilizamos a fórmula abaixo: Te = ( n Ö 1+i) 1 Onde: Te = Taxa equivalente de determinado período n = número do período i = percentual de juros do período em que você

Leia mais

3º Ano do Ensino Médio. Aula nº 02. Assunto: JUROS E PORCENTAGENS

3º Ano do Ensino Médio. Aula nº 02. Assunto: JUROS E PORCENTAGENS Nome: Ano: 3º Ano do E.M. Escola: Data: / / 3º Ano do Ensino Médio Aula nº 02 Assunto: JUROS E PORCENTAGENS 1) Porcentagem Definição: É uma fração que indica a participação de uma quantidade sobre um todo.

Leia mais

Trabalhando Matemática: percepções contemporâneas

Trabalhando Matemática: percepções contemporâneas DOMÍNIO E IMAGEM DE UMA FUNÇÃO: UMA ABORDAGEM POR MEIO DO JOGO BINGO DAS FUNÇÕES Educação Matemática nos Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio (EMAIEFEM) GT 10 ADELSON CARLOS MADRUGA Universidade

Leia mais

Microsoft Excel. Funções Financeiras PARTE 7 SUMÁRIO

Microsoft Excel. Funções Financeiras PARTE 7 SUMÁRIO Microsoft Excel Funções Financeiras PARTE 7 SUMÁRIO 1-) Funções financeiras no Excel... 2 1.1-) Função = VF( )... 2 1.2-) Função =VP( )... 3 1.3-) Função = PGTO ( )... 3 1.4-) Valor Presente Utilizando

Leia mais

Matemática III. IFRS Campus Rio Grande

Matemática III. IFRS Campus Rio Grande 1.31. Introdução à Matemática Financeira Uma das aplicações das sequências é a Matemática Financeira. odemos associar os dois sistemas monetários com nossas As e Gs! O sistema de juros simples é associado

Leia mais

Oficina Porcentagem e Juros

Oficina Porcentagem e Juros Oficina Porcentagem e Juros Esta oficina está dividida em duas partes. A primeira consiste em uma breve revisão, de caráter mais teórico, sobre o conceito de porcentagem e juros. Na segunda parte, os alunos

Leia mais

Oficina Porcentagem e Juros

Oficina Porcentagem e Juros Oficina Porcentagem e Juros Esta oficina está dividida em duas partes. A primeira consiste em uma revisão do conceito de porcentagem. Na segunda parte, os alunos deverão aplicar os conceitos vistos na

Leia mais

Aula 04 Matemática Financeira. Equivalência de Capitais a Juros Compostos

Aula 04 Matemática Financeira. Equivalência de Capitais a Juros Compostos Aula 04 Matemática Financeira Equivalência de Capitais a Juros Compostos Introdução O conceito de equivalência permite transformar formas de pagamentos (ou recebimentos) em outras equivalentes e, consequentemente,

Leia mais

GABARITO DOS EXERCÍCIOS EXERCÍCIOS PROPOSTOS (Fator de Acumulação de Capital Pagamento Simples)

GABARITO DOS EXERCÍCIOS EXERCÍCIOS PROPOSTOS (Fator de Acumulação de Capital Pagamento Simples) Bertolo MATEMÁTICA FINANCEIRA Gab_fin2 1 GABARITO DOS EXERCÍCIOS EXERCÍCIOS PROPOSTOS (Fator de Acumulação de Capital Pagamento Simples) 1. Uma pessoa toma R$ 30.000,00 emprestados, a juros de 3% ao mês,

Leia mais

Cálculo de Juros Simples e Composto no Excel - Parte 1

Cálculo de Juros Simples e Composto no Excel - Parte 1 Cálculo de Juros Simples e Composto no Excel - Parte 1 Grau de Dificuldade: 5 Olá turma... Nos próximos artigos, estarei exemplificando diversas maneiras para trabalhar com Juros Simples e Composto no

Leia mais

REGIME DE CAPTALIZAÇÃO COMPOSTA

REGIME DE CAPTALIZAÇÃO COMPOSTA REGIME DE CAPTALIZAÇÃO COMPOSTA No regime de Capitalização Composta, os juros prodzidos ao final de um dado período n se agregam ao capital, passando ambos a integrar a nova base de cálculo para o período

Leia mais

O que é e como funciona uma operação de swap

O que é e como funciona uma operação de swap O que é e como funciona uma operação de swap! O que é Swap! O que é Hedge! Mecanismo básico de funcionamento de uma operação de Swap Autores: Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br)! Administrador de Empresas

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA E ANÁLISE DE INVESTIMENTO AULA 02: CAPITALIZAÇÃO, DESCONTO E FLUXO DE CAIXA TÓPICO 03: FLUXO DE CAIXA (UNIFORME E IRREGULAR) FLUXO DE CAIXA Denomina-se fluxo de caixa, a sequência

Leia mais

Matemática Financeira - Vinícius Werneck, professor do QConcursos.com

Matemática Financeira - Vinícius Werneck, professor do QConcursos.com Matemática Financeira - Vinícius Werneck, professor do QConcursos.com 1- Q236904 - Prova: CESGRANRIO - 2012 - Caixa - Técnico Bancário Disciplina: Matemática Financeira Assuntos: Amortização; Sistema Francês

Leia mais

Olá pessoal! Sem mais delongas, vamos às questões.

Olá pessoal! Sem mais delongas, vamos às questões. Olá pessoal! Resolverei neste ponto a prova para AFRE/SC 2010 realizada pela FEPESE no último final de semana. Nosso curso teve um resultado muito positivo visto que das 15 questões, vimos 14 praticamente

Leia mais

Guia do Professor. Matemática Financeira. Série Matemática ao Pé do Ouvido

Guia do Professor. Matemática Financeira. Série Matemática ao Pé do Ouvido Guia do Professor Matemática Financeira Série Matemática ao Pé do Ouvido Coordenação Geral Elizabete dos Santos Autores Bárbara Nivalda Palharini Alvim Souza Karina Alessandra Pessôa da Silva Lourdes Maria

Leia mais

Amilton Dalledone Filho Glower Lopes Kujew

Amilton Dalledone Filho Glower Lopes Kujew 1 Matemática Financeira Amilton Dalledone Filho Glower Lopes Kujew O mundo globalizado nos mostra cada vez mais a necessidade de informações e, para tanto, é necessário o conhecimento básico que possibilita

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE MOCOCA. Av. Dr. Américo Pereira Lima, S/Nº Jardim Lavínia Mococa/SP CEP 13736-260 (19) 3656-5559

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE MOCOCA. Av. Dr. Américo Pereira Lima, S/Nº Jardim Lavínia Mococa/SP CEP 13736-260 (19) 3656-5559 FACULDADE DE TECNOLOGIA DE MOCOCA Curso: Informática Informática Gestão de Negócios. Disciplina: Administração Financeira e Orçamentária. Professor(a): Darlan Marcelo Delgado. Lista de Exercícios:. Conteúdo

Leia mais

Prof. Dr. João Muccillo Netto

Prof. Dr. João Muccillo Netto Prof. Dr. João Muccillo Netto INTRODUÇÃO 1. Juros Segundo a Teoria Econômica, o homem combina Terra Trabalho Capital Aluguel Salário Juro para produzir os bens de que necessita. Juro é a remuneração do

Leia mais

UNIDADE Sistemas de amortização de empréstimo e financiamento

UNIDADE Sistemas de amortização de empréstimo e financiamento UNIDADE 4 Sistemas de amortização de empréstimo e financiamento 109 Curso de Graduação em Administração a Distância Objetivo Nesta Unidade, você será levado a: diferenciar os dois tipos de sistema de amortização;

Leia mais

Introdução à Matemática Financeira. Valor do dinheiro no tempo. Moeda. Gastar X investir

Introdução à Matemática Financeira. Valor do dinheiro no tempo. Moeda. Gastar X investir Introdução à Matemática Financeira Valor do dinheiro no tempo Moeda Antes de detalharmos a Matemática Financeira, vejamos algumas definições sobre o que são moeda e capital. Moeda é o meio que facilita

Leia mais

Análise e Resolução da prova de Analista do Tesouro Estadual SEFAZ/PI Disciplinas: Matemática Financeira e Raciocínio Lógico Professor: Custódio

Análise e Resolução da prova de Analista do Tesouro Estadual SEFAZ/PI Disciplinas: Matemática Financeira e Raciocínio Lógico Professor: Custódio Análise e Resolução da prova de Analista do Tesouro Estadual SEFAZ/PI Disciplinas: Matemática Financeira e Raciocínio Lógico Professor: Custódio Nascimento Análise e Resolução da prova de ATE SEFAZ/PI

Leia mais

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS Resultados dos estudos sobre a redução de taxas de juros praticadas por bancos públicos e privados. Orientações aos consumidores. Face aos diversos anúncios de redução de juros veiculados na mídia a partir

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA Roberto César Faria e Silva MATEMÁTICA FINANCEIRA Aluno: SUMÁRIO 1. CONCEITOS 2 2. JUROS SIMPLES 3 Taxa Efetiva e Proporcional 10 Desconto Simples 12 Desconto Comercial, Bancário ou Por Fora 13 Desconto

Leia mais

JUROS COMPOSTOS. Desta forma o cálculo dos juros compostos não será efetuado da mesma forma que foi feita para os juros simples.

JUROS COMPOSTOS. Desta forma o cálculo dos juros compostos não será efetuado da mesma forma que foi feita para os juros simples. UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE - FAC-CG CURSO: Graduação Tecnológica em Gestão Comercial Disciplina: Matemática Comercial e Financeira Prof: Rosemberg Trindade JUROS

Leia mais

UMA APLICAÇÃO DA MATEMÁTICA FINANCEIRA À TEORIA DO CAOS PARA OS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

UMA APLICAÇÃO DA MATEMÁTICA FINANCEIRA À TEORIA DO CAOS PARA OS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL UMA APLICAÇÃO DA MATEMÁTICA FINANCEIRA À TEORIA DO CAOS PARA OS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Eliana Einsfeld Krindges Escola Barão do Rio Branco elianaeinsfeld@hotmail.com Janaína Poffo Escola Barão

Leia mais

Essas expressões envolvem uma razão especial denominada porcentagem ou percentagem.

Essas expressões envolvem uma razão especial denominada porcentagem ou percentagem. Faculdades Integradas do Tapajós Professor: Adm. Esp. Wladimir Melo Curso: Administração 2º ADN 1, Gestão Empresarial 2º GEN 1, Processos Gerenciais 2º TPN Disciplina: Matemática Financeira 1. Porcentagem

Leia mais

CAPÍTULO 2 MATEMÁTICA FINANCEIRA

CAPÍTULO 2 MATEMÁTICA FINANCEIRA CAPÍTULO 2 MATEMÁTICA FINANCEIRA A Matemática Financeira se preocupa com o valor do dinheiro no tempo. E pode-se iniciar o estudo sobre o tema com a seguinte frase: NÃO SE SOMA OU SUBTRAI QUANTIAS EM DINHEIRO

Leia mais

Neste método o cálculo é efetuado de maneira exponencial, ou seja, juros são computados sobre os juros anteriormente calculados.

Neste método o cálculo é efetuado de maneira exponencial, ou seja, juros são computados sobre os juros anteriormente calculados. Microsoft Excel Aula 4 Objetivos Trabalhar no Excel com cálculos de juros simples e compostos Trabalhar com as funções financeiras VF e PGTO do Excel Trabalhar com a ferramenta Atingir Meta Apresentar

Leia mais

A transformação e o custo do dinheiro ao longo do tempo *

A transformação e o custo do dinheiro ao longo do tempo * A transformação e o custo do dinheiro ao longo do tempo * Estamos acostumados à idéia de que o valor do dinheiro muda ao longo do tempo, pois em algum momento convivemos com algum tipo de inflação e/ou

Leia mais

PROGRESSÕES GEOMÉTRICAS E O ESTUDO DA MATEMÁTICA FINANCEIRA

PROGRESSÕES GEOMÉTRICAS E O ESTUDO DA MATEMÁTICA FINANCEIRA 205, NÚMERO, VOLUME 3 ISSN 239-023X PROGRESSÕES GEOMÉTRICAS E O ESTUDO DA MATEMÁTICA FINANCEIRA Márcio Lúcio Rodrigues E. E. Professor Pascoal Grecco e Colégio Lantagi COC Vitor

Leia mais

Gran Cursos. Matemática Financeira Walter Sousa. Rendas Certas financiamentos e capitalizações. 1) Fluxo de Caixa. 1.1) Fluxo de Caixa Padrão

Gran Cursos. Matemática Financeira Walter Sousa. Rendas Certas financiamentos e capitalizações. 1) Fluxo de Caixa. 1.1) Fluxo de Caixa Padrão Matemática Financeira Walter Sousa Gran Cursos Rendas Certas financiamentos e capitalizações 1) Fluxo de Caixa Representa uma série de pagamentos ou recebimentos que ocorrem em determinado período de tempo.

Leia mais

100 % valor correspondente a 100% outro % valor correspondente a outro %

100 % valor correspondente a 100% outro % valor correspondente a outro % PORCENTAGEM Porcentagem é a razão entre uma quantidade qualquer e 100. O símbolo % (por cento) indica a taxa percentual. 5 13 = 5%; = 13% 100 100 Observamos que a taxa pode ser escrita de forma percentual,

Leia mais

USO DO PROGRAMA DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA (IRPF) COMO FERRAMENTA DA INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO

USO DO PROGRAMA DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA (IRPF) COMO FERRAMENTA DA INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO USO DO PROGRAMA DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA (IRPF) COMO FERRAMENTA DA INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO Oscar de Almeida Machado - (oscarmachado@ig.com.br) Alex Duarte Manoel - (duarte.mat@ig.com.br) Wagner

Leia mais

O Excel é um programa de computador desenvolvido para gerenciar dados na forma de planilhas.

O Excel é um programa de computador desenvolvido para gerenciar dados na forma de planilhas. O que é o Excel? O Excel é um programa de computador desenvolvido para gerenciar dados na forma de planilhas. Ele possibilita ao usuário desenvolver planilhas que efetuem cálculos, dos mais simples aos

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA O ENSINO BÁSICO

MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA O ENSINO BÁSICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Curso de Especialização em Matemática para Professores do Ensino Básico MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA O ENSINO BÁSICO Gleison Silva Vilefort Costa Belo Horizonte 2015

Leia mais

Exercícios base para a prova 2 bimestre e final

Exercícios base para a prova 2 bimestre e final Exercícios base para a prova 2 bimestre e final Razão e proporção 1) Calcule a razão entre os números: a) 3 e 21 b) 0,333... e 2,1 2) Determine a razão entre a terça parte de 0,12 e o dobro de 0,1. 3)

Leia mais

COMO CRIAR UM PLANO DE AMORTIZAÇÃO

COMO CRIAR UM PLANO DE AMORTIZAÇÃO COMO CRIAR UM PLANO DE AMORTIZAÇÃO! Sistemas de amortização de empréstimos! Sistema Price! SAC! Fórmulas do Excel! Planilha fornecida Autores: Francisco Cavalcante(cavalcante@netpoint.com.br) Administrador

Leia mais

1. (TTN ESAF) Um capital de R$ 14.400,00, aplicado a 22% ao ano, rendeu R$ 880,00 de juros. Durante quanto tempo esteve empregado?

1. (TTN ESAF) Um capital de R$ 14.400,00, aplicado a 22% ao ano, rendeu R$ 880,00 de juros. Durante quanto tempo esteve empregado? 1. (TTN ESAF) Um capital de R$ 14.400,00, aplicado a 22% ao ano, rendeu R$ 880,00 de juros. Durante quanto tempo esteve empregado? a) 3 meses e 3 dias b) 3 meses e 8 dias c) 2 meses e 23 dias d) 3 meses

Leia mais

Engenharia Econômica Aula 6. Prof. Pablo

Engenharia Econômica Aula 6. Prof. Pablo Engenharia Econômica Aula 6 Prof. Pablo Propósito da aula Conhecer, interpretar e desenvolver um fluxo de caixa. Valor do dinheiro no tempo. Fluxo de Caixa Fluxo de caixa Segundo o Sebrae, fluxo de caixa

Leia mais

Equações do primeiro grau

Equações do primeiro grau Módulo 1 Unidade 3 Equações do primeiro grau Para início de conversa... Você tem um telefone celular ou conhece alguém que tenha? Você sabia que o telefone celular é um dos meios de comunicação que mais

Leia mais

www.concurseiro10.com.br

www.concurseiro10.com.br 1) Um capital de R$ 18.000,00, aplicados a 6% ao ano, durante 8 anos, qual o juros produzido? a) 7.640,00 b) 6.460,00 c) 8.640,00 d) 9.000,00 2) Um investidor aplicou R$10.000,00, à taxa de 13% ao mês

Leia mais

JUROS SIMPLES - CONCEITO O QUE SÃO JUROS?

JUROS SIMPLES - CONCEITO O QUE SÃO JUROS? Juros Simples JUROS SIMPLES - CONCEITO O QUE SÃO JUROS? Os juros são a remuneração pelo empréstimo do dinheiro. Representam a remuneração do capital empregado em alguma atividade produtiva. Pode ser caracterizado

Leia mais

Resumo Aula-tema 03: O valor do dinheiro no tempo

Resumo Aula-tema 03: O valor do dinheiro no tempo Resumo Aula-tema 03: O valor do dinheiro no tempo Por que o valor do dinheiro muda com o passar do tempo? Toda análise financeira leva em consideração um de seus principais paradigmas: o dinheiro perde

Leia mais

U U +E U U E Sendo E e U dois algarismos não nulos e distintos, a soma E + U é igual a

U U +E U U E Sendo E e U dois algarismos não nulos e distintos, a soma E + U é igual a Resoluções comentadas das questões de Raciocínio Lógico-Matemático da prova para escriturário do Banco do Brasil Realizada pela Cesgranrio em 15/03/2015 11. Observe a adição: U U +E U U E Sendo E e U dois

Leia mais

Matemática Financeira

Matemática Financeira Matemática Financeira Sumário 2 JUROS SIMPLES (Capitalização Simples) 5 JUROS COMPOSTOS (Capitalização Composta) 7 TAXAS SIMPLES 8 TAXAS COMPOSTAS 10 TAXAS SIMPLES EXATO 11 PRAZO, TAXA E CAPITAL MÉDIO

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA - ADMINISTRAÇÃO

MATEMÁTICA FINANCEIRA - ADMINISTRAÇÃO MATEMÁTICA FINANCEIRA - ADMINISTRAÇÃO DESCONTO 1) Determinar o desconto por fora sofrido por uma letra de R$ 5.000,00 à taxa de 5% aa, descontada 5 anos antes de seu vencimento. Resp: R$ 1.250,00 2) Uma

Leia mais

MINICURSO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA NO DIA A DIA

MINICURSO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA NO DIA A DIA PORCENTAGEM MINICURSO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA NO DIA A DIA Quando é dito que 40% das pessoas entrevistadas votaram no candidato A, esta sendo afirmado que, em média, de cada pessoas, 40 votaram no candidato

Leia mais

Use bem o seu dinheiro

Use bem o seu dinheiro 1016323-6 - abr/2012 Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? No site www.itau.com.br/usoconsciente, você encontra vídeos, testes e informações para uma gestão financeira eficiente. Acesse

Leia mais

Manual de. Educação Financeira. Dicas para planejar e poupar seu dinheiro. Cecreb MANUAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA

Manual de. Educação Financeira. Dicas para planejar e poupar seu dinheiro. Cecreb MANUAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA Manual de Educação Financeira MANUAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA Dicas para planejar e poupar seu dinheiro 1 A filosofia da Manual de Educação Financeira 2 Um dos princípios básicos das Cooperativas de Crédito

Leia mais

Os conteúdos estão apresentados de forma didática e por meio de exemplos. Sugerese, como complemento, a utilização de outras bibliografias.

Os conteúdos estão apresentados de forma didática e por meio de exemplos. Sugerese, como complemento, a utilização de outras bibliografias. MATEMÁTICA COMERCIAL APRESENTAÇÃO Caro aluno, A partir de agora, iremos começar os estudos de matemática comercial. O objetivo deste curso é propiciar uma introdução dinâmica sobre o assunto, de maneira

Leia mais

Módulo de Juros e Porcentagem. Juros Simples e Compostos. Sétimo Ano

Módulo de Juros e Porcentagem. Juros Simples e Compostos. Sétimo Ano Módulo de Juros e Porcentagem Juros Simples e Compostos Sétimo Ano Juros Simples e Compostos 1 Eercícios Introdutórios Eercício 1. Um investidor quer aplicar a quantia de R$ 800, 00 por 3 meses, a uma

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA COM O USO DA CALCULADORA HP 12.C CADERNO DE EXERCÍCIOS

MATEMÁTICA FINANCEIRA COM O USO DA CALCULADORA HP 12.C CADERNO DE EXERCÍCIOS MATEMÁTICA FINANCEIRA COM O USO DA CALCULADORA HP 12.C CADERNO DE EXERCÍCIOS Parte integrante do curso Conhecendo a Calculadora HP 12C Prof. Geraldo Peretti. Página 1 Cálculos aritméticos simples. A) (3

Leia mais

COMO UTILIZAR COEFICIENTES DE FINANCIAMENTO NO PARCELAMENTO DAS VENDAS

COMO UTILIZAR COEFICIENTES DE FINANCIAMENTO NO PARCELAMENTO DAS VENDAS UP-TO-DATE. ANO I. NÚMERO 6 COMO UTILIZAR COEFICIENTES DE FINANCIAMENTO NO PARCELAMENTO DAS VENDAS Adriano Blatt (adriano@blatt.com.br) Engenheiro formado pela Escola Politécnica da Universidade de São

Leia mais

PORCENTAGEM. A percentagem ou porcentagem vem do latim per centum, significando "por cento", "a cada centena".

PORCENTAGEM. A percentagem ou porcentagem vem do latim per centum, significando por cento, a cada centena. PORCENTAGEM A percentagem ou porcentagem vem do latim per centum, significando "por cento", "a cada centena". O cálculo de porcentagens, seja para fins de desconto, seja para fins de acréscimo será iniciado

Leia mais

Amigos, amigos, negócios à parte!

Amigos, amigos, negócios à parte! Reforço escolar M ate mática Amigos, amigos, negócios à parte! Dinâmica 4 2º Série 2º Bimestre Aluno DISCIPLINA Ano CAMPO CONCEITO Matemática Ensino Médio 2ª Numérico Aritmético Matemática Financeira Primeira

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA

MATEMÁTICA FINANCEIRA Professor Manuel MATEMÁTICA FINANCEIRA 01. (UNEB-2008) O proprietário de um imóvel contratou uma imobiliária para vendê-lo, pagando-lhe 5% do valor obtido na transação. Se a imobiliária recebeu R$ 5.600,00,

Leia mais

EXERCÍCIOS PROF. SÉRGIO ALTENFELDER

EXERCÍCIOS PROF. SÉRGIO ALTENFELDER 1- Uma dívida no valor de R$ 60.020,54 deve ser paga em sete prestações postecipadas de R$ 10.000,00, a uma determinada taxa de juros. Considerando esta mesma taxa de juros, calcule o saldo devedor imediatamente

Leia mais

UNIDADE 1. SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS

UNIDADE 1. SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS UNIDADE. SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS Empréstimo - Recurso financeiro que não necessita ser justificado quanto a sua finalidade; por exemplo: cheque especial e CDC(Crédito Direto

Leia mais

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 3: Gerenciamento de dívidas

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 3: Gerenciamento de dívidas Educação Financeira Crédito Consignado Módulo 3: Gerenciamento de dívidas Objetivo Auxiliar no gerenciamento de dívidas e de como quitá-las, conscientizando as pessoas da importância em diminui-las e de

Leia mais

C U R S O T É C N I C O E M S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O. matemática. Juros Compostos. Elizabete Alves de Freitas

C U R S O T É C N I C O E M S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O. matemática. Juros Compostos. Elizabete Alves de Freitas C U R S O T É C N I C O E M S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O 10 matemática Juros Compostos Elizabete Alves de Freitas Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria de Educação

Leia mais

Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática

Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática 1. Se 35 m de um tecido custam R$ 140, quanto se pagará 12 m? 2. Se 20 tratores levaram 6 dias para realizar um

Leia mais

Primeiro, vamos explicar o fundo teórico do assunto, depois praticamos nossos conhecimentos seguindo as instruções dum pequeno tutorial.

Primeiro, vamos explicar o fundo teórico do assunto, depois praticamos nossos conhecimentos seguindo as instruções dum pequeno tutorial. 45 Capítulo 4 Juros, Taxas e tudo isso Neste livro não quero enfatizar as aplicações do Excel aos negócios, mas uma breve introdução ao uso das funções financeiras é indispensável, assim como, num capítulo

Leia mais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO FLUXO DE CAIXA

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO FLUXO DE CAIXA INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO FLUXO DE CAIXA O estudo da matemática financeira é desenvolvido, basicamente, através do seguinte raciocínio: ao longo do tempo existem entradas de dinheiro (receitas) e saídas

Leia mais

Capital = 100 Juros simples Juros compostos Nº de anos Montante simples Montante composto

Capital = 100 Juros simples Juros compostos Nº de anos Montante simples Montante composto Juros compostos Cada período, os juros são incorporados ao principal e passam, por sua vez, a render juros. Também conhecido como juros sobre juros. Vamos ilustrar a diferença entre os crescimentos de

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Informática para Administração Introdução ao Excel

Professor: Macêdo Firmino Informática para Administração Introdução ao Excel Professor: Macêdo Firmino Informática para Administração Introdução ao Excel Excel é um programa de planilhas do sistema Microsoft Office. Você pode usar o Excel para criar e formatar pastas de trabalho

Leia mais

O sonho dourado. Série Matemática na Escola

O sonho dourado. Série Matemática na Escola O sonho dourado Série Matemática na Escola Objetivos 1. Identificar de modo claro os conceitos de fluxo monetário, tempo e equivalência financeira; 2. Reconhecer e analisar critérios para resolução de

Leia mais

ECONOMIA. Profa. Juliane Ganem Email: juliane.matematica@gmail.com. Site: julianematematica.webnode.com

ECONOMIA. Profa. Juliane Ganem Email: juliane.matematica@gmail.com. Site: julianematematica.webnode.com ECONOMIA Profa. Juliane Ganem Email: juliane.matematica@gmail.com Site: julianematematica.webnode.com 1. Introdução: O valor do dinheiro no tempo 1.1 O valor do dinheiro no tempo A matemática financeira

Leia mais

Fundamentos da Matemática Financeira

Fundamentos da Matemática Financeira 1. (Banco do Brasil 1998) Uma geladeira é vendida a vista por R$ 1.000,00 ou em duas parcelas, sendo a primeira como uma entrada de R$ 200,00 e a segunda, dois meses após, no valor de R$ 880,00. Qual a

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA E ANÁLISE DE INVESTIMENTO AULA 02: CAPITALIZAÇÃO, DESCONTO E FLUXO DE CAIXA TÓPICO 01: CAPITALIZAÇÃO SIMPLES E COMPOSTA CAPITALIZAÇÃO SIMPLES CONCEITO Na capitalização simples, os

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Ete c Prof Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico de Nível Médio de Técnico em

Leia mais

CAIXA ECONOMICA FEDERAL

CAIXA ECONOMICA FEDERAL JUROS SIMPLES Juros Simples comercial é uma modalidade de juro calculado em relação ao capital inicial, neste modelo de capitalização, os juros de todos os períodos serão sempre iguais, pois eles serão

Leia mais

Financiamento de automóveis: Investimento ou gasto dispendioso? *

Financiamento de automóveis: Investimento ou gasto dispendioso? * Financiamento de automóveis: Investimento ou gasto dispendioso? * Com a queda da taxa básica de juros, a economia brasileira observa uma aceleração do crédito como nunca antes vista. Os juros em baixa

Leia mais

Introdução. Este arquivo compõe a coletânea Mega Cursos - www.megacursos.com.br -

Introdução. Este arquivo compõe a coletânea Mega Cursos - www.megacursos.com.br - Curso de Matemática financeira Introdução Este arquivo compõe a coletânea Mega Cursos - www.megacursos.com.br - AULA 1: Definições O que são juros? Por que variam tanto? Risco. Inflação - ilusão de remuneração.

Leia mais