Caracterização do território

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Caracterização do território"

Transcrição

1 Perfil do Município de Cáceres, MT 01/08/ Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 24478,87 km² IDHM ,708 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) hab. Densidade demográfica 3,59 hab/km² Ano de instalação 1859 Microrregião Alto Pantanal Mesorregião Centro-Sul Mato- Grossense Pag.1 de14

2 IDHM Renda Longevidade Educação IDHM ,420 0,586 0,708 Componentes O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) de Cáceres é 0,708, em O município está situado na faixa de Desenvolvimento Humano Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799). Entre 2000 e 2010, a dimensão que mais cresceu em termos absolutos foi Educação (com crescimento de 0,218), seguida por Longevidade e por Renda. Entre 1991 e 2000, a dimensão que mais cresceu em termos absolutos foi Educação (com crescimento de 0,215), seguida por Longevidade e por Renda. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal e seus componentes - Cáceres - MT IDHM e componentes IDHM Educação 0,200 0,415 0,633 % de 18 anos ou mais com ensino fundamental completo 21,34 35,96 52,52 % de 5 a 6 anos frequentando a escola 22,08 63,56 85,57 % de 11 a 13 anos frequentando os anos finais do ensino fundamental 35,59 58,62 85,67 % de 15 a 17 anos com ensino fundamental completo 13,39 34,33 60,99 % de 18 a 20 anos com ensino médio completo 6,72 21,50 45,61 IDHM Longevidade 0,654 0,751 0,813 Esperança de vida ao nascer (em anos) 64,25 70,03 73,76 IDHM Renda 0,566 0,645 0,691 Renda per capita (em R$) 271,34 442,80 590,43 Evolução Entre 2000 e 2010 O IDHM passou de 0,586 em 2000 para 0,708 em uma taxa de crescimento de 20,82%. O hiato de desenvolvimento humano, ou seja, a distância entre o IDHM do município e o limite máximo do índice, que é 1, foi reduzido em 29,47% entre 2000 e Entre 1991 e 2000 O IDHM passou de 0,420 em 1991 para 0,586 em uma taxa de crescimento de 39,52%. O hiato de desenvolvimento humano, ou seja, a distância entre o IDHM do município e o limite máximo do índice, que é 1, foi reduzido em 28,62% entre 1991 e Entre 1991 e 2010 Cáceres teve um incremento no seu IDHM de 68,57% nas últimas duas décadas, acima da média de crescimento nacional (47,46%) e acima da média de crescimento estadual (61,47%). O hiato de desenvolvimento humano, ou seja, a distância entre o IDHM do município e o limite máximo do índice, que é 1, foi reduzido em 49,66% entre 1991 e Pag.2 de14

3 Evolução do IDHM - Cáceres - MT Cáceres Maior (IDHM) Menor (IDHM) Média do Brasil Média do Estado: Mato Grosso Taxa de Crescimento Hiato de Desenvolvimento Entre 1991 e ,52% + 28,62% Entre 2000 e ,82% + 29,47% Entre 1991 e ,57% + 49,66% Ranking Cáceres ocupa a 1665ª posição, em 2010, em relação aos municípios do Brasil, sendo que 1664 (29,90%) municípios estão em situação melhor e (70,10%) municípios estão em situação igual ou pior. Em relação aos 141 outros municípios de Mato Grosso, Cáceres ocupa a 35ª posição, sendo que 34 (24,11%) municípios estão em situação melhor e 107 (75,89%) municípios estão em situação pior ou igual. Pag.3 de14

4 Demografia e Saúde Entre 2000 e 2010, a população de Cáceres teve uma taxa média de crescimento anual de 0,79%. Na década anterior, de 1991 a 2000, a taxa média de crescimento anual foi de 1,90%. No Estado, estas taxas foram de 1,02% entre 2000 e 2010 e 1,02% entre 1991 e No país, foram de 1,01% entre 2000 e 2010 e 1,02% entre 1991 e Nas últimas duas décadas, a taxa de urbanização cresceu 11,76%. Total, por Gênero, Rural/Urbana e Taxa de Urbanização - Cáceres - MT (1991) % do Total (1991) (2000) % do Total (2000) (2010) % do Total (2010) total , , ,00 Homens , , ,14 Mulheres , , ,86 Urbana , , ,07 Rural , , ,93 Taxa de Urbanização - 77,90-80,36-87,07 Estrutura Etária Entre 2000 e 2010, a razão de dependência de Cáceres passou de 57,69% para 49,66% e o índice de envelhecimento evoluiu de 4,34% para 6,39%. Entre 1991 e 2000, a razão de dependência foi de 74,50% para 57,69%, enquanto o índice de envelhecimento evoluiu de 3,26% para 4,34%. O que é razão de O que é índice de dependência? envelhecimento? população de menos população de 65 anos de 14 anos e de 65 anos ou mais em relação à (população dependente) população de menos ou mais em relação à de 15 anos população de 15 a 64 anos (população potencialmente ativa) Estrutura Etária da - Cáceres - MT Estrutura Etária (1991) % do Total (1991) (2000) % do Total (2000) (2010) % do Total (2010) Menos de 15 anos , , ,83 15 a 64 anos , , ,78 65 anos ou mais , , ,39 Razão de dependência 74,50 0,11 57,69 0,07 49,66 0,06 Índice de envelhecimento - 3,26-4,34-6,39 Pag.4 de14

5 1991 Pirâmide etária - Cáceres - MT Distribuição por Sexo, segundo os grupos de idade 80 e + 75 a a a a a a a a a a a a a a 14 5 a 9 0 a Homens Mulheres 2000 Pirâmide etária - Cáceres - MT Distribuição por Sexo, segundo os grupos de idade 80 e + 75 a a a a a a a a a a a a a a 14 5 a 9 0 a Homens Mulheres 2010 Pirâmide etária - Cáceres - MT Distribuição por Sexo, segundo os grupos de idade 80 e + 75 a a a a a a a a a a a a a a 14 5 a 9 0 a Homens Mulheres Pag.5 de14

6 Longevidade, mortalidade e fecundidade A mortalidade infantil (mortalidade de crianças com menos de um ano) em Cáceres reduziu 31%, passando de 25,3 por mil nascidos vivos em 2000 para 17,4 por mil nascidos vivos em Segundo os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio das Nações Unidas, a mortalidade infantil para o Brasil deve estar abaixo de 17,9 óbitos por mil em Em 2010, as taxas de mortalidade infantil do estado e do país eram 16,8 e 16,7 por mil nascidos vivos, respectivamente. Longevidade, Mortalidade e Fecundidade - Cáceres - MT Esperança de vida ao nascer (em anos) 64,3 70,0 73,8 Mortalidade até 1 ano de idade (por mil nascidos vivos) 32,2 25,3 17,4 Mortalidade até 5 anos de idade (por mil nascidos vivos) 35,8 28,1 21,3 Taxa de fecundidade total (filhos por mulher) 3,1 2,6 2,2 A esperança de vida ao nascer é o indicador utilizado para compor a dimensão Longevidade do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). Em Cáceres, a esperança de vida ao nascer aumentou 9,5 anos nas últimas duas décadas, passando de 64,3 anos em 1991 para 70,0 anos em 2000, e para 73,8 anos em Em 2010, a esperança de vida ao nascer média para o estado é de 74,3 anos e, para o país, de 73,9 anos. Pag.6 de14

7 Educação Crianças e Jovens A proporção de crianças e jovens frequentando ou tendo completado determinados ciclos indica a situação da educação entre a população em idade escolar do município e compõe o IDHM Educação. No período de 2000 a 2010, a proporção de crianças de 5 a 6 anos na escola cresceu 34,63% e no de período 1991 e 2000, 187,86%. A proporção de crianças de 11 a 13 anos frequentando os anos finais do ensino fundamental cresceu 46,14% entre 2000 e 2010 e 64,71% entre 1991 e A proporção de jovens entre 15 e 17 anos com ensino fundamental completo cresceu 77,66% no período de 2000 a 2010 e 156,39% no período de 1991 a E a proporção de jovens entre 18 e 20 anos com ensino médio completo cresceu 112,14% entre 2000 e 2010 e 219,94% entre 1991 e Fluxo Escolar por Faixa Etária - Cáceres - MT % de 5 a 6 anos frequentando a escola % de 11 a 13 anos frequentando os anos finais do ensino fundamental % de 15 a 17 anos com ensino fundamental completo % de 18 a 20 anos com ensino médio completo Pag.7 de14

8 Fluxo Escolar por Faixa Etária - Cáceres - MT Cáceres Estado: MT Brasil % de 5 a 6 anos na escola % de 11 a 13 anos nos anos finais do fundamental ou com fundamental completo % de 15 a 17 anos com fundamental completo % de 18 a 20 anos com médio completo Em 2010, 58,34% dos alunos entre 6 e 14 anos de Cáceres estavam cursando o ensino fundamental regular na série correta para a idade. Em 2000 eram 54,34% e, em 1991, 30,93%. Entre os jovens de 15 a 17 anos, 29,68% estavam cursando o ensino médio regular sem atraso. Em 2000 eram 16,10% e, em 1991, 6,28%. Entre os alunos de 18 a 24 anos, 16,25% estavam cursando o ensino superior em 2010, 6,02% em 2000 e 2,96% em Nota-se que, em 2010, 2,20% das crianças de 6 a 14 anos não frequentavam a escola, percentual que, entre os jovens de 15 a 17 anos atingia 16,38%. Pag.8 de14

9 Frequência escolar de 6 a 14 anos - Cáceres - MT % 16.1% 58.3% Não frequenta (2,20%) Fundamental sem atraso (58,34%) Fundamental com um ano de atraso (19,06%) Fundamental com dois anos de atraso (16,12%) No ensino médio (0,90%) Outros (3,37%) Frequência escolar de 15 a 17 anos - Cáceres - MT % 14.53% 8.30% 16.38% 29.68% Não frequenta (16,38%) No ensino médio sem atraso (29,68%) No ensino médio com um ano de atraso (8,30%) No ensino médio com dois anos de atraso (2,40%) Frequentando o fundamental (25,86%) Frequentando o curso superior (2,85%) Outros (14,53%) Frequência escolar de 18 a 24 anos - Cáceres - MT % 7.29% 65.43% Não frequenta (65,43%) Frequentando o curso superior (16,25%) Frequentando o fundamental (4,72%) Frequentando o ensino médio (6,31%) Outros (7,29%) Pag.9 de14

10 Adulta A escolaridade da população adulta é importante indicador de acesso a conhecimento e também compõe o IDHM Educação. Em 2010, 52,52% da população de 18 anos ou mais de idade tinha completado o ensino fundamental e 37,28% o ensino médio. Em Mato Grosso, 53,20% e 35,59% respectivamente. Esse indicador carrega uma grande inércia, em função do peso das gerações mais antigas e de menos escolaridade. A taxa de analfabetismo da população de 18 anos ou mais diminuiu 14,46% nas últimas duas décadas. Com fundamental completo Médio completo Superior completo Analfabetos Outros 51.3% 7.3% 6% 30.7% 49.6% 12.6% 19.7% 13.2% 39.8% 13.2% 12.5% 9.7% 24.8% Anos Esperados de Estudo Os anos esperados de estudo indicam o número de anos que a criança que inicia a vida escolar no ano de referência tende a completar. Em 2010, Cáceres tinha 9,09 anos esperados de estudo, em 2000 tinha 9,29 anos e em ,81 anos. Enquanto que Mato Grosso, tinha 9,29 anos esperados de estudo em 2010, 9,02 anos em 2000 e 8,16 anos em Pag.10 de14

11 Renda A renda per capita média de Cáceres cresceu 117,60% nas últimas duas décadas, passando de R$271,34 em 1991 para R$442,80 em 2000 e R$590,43 em A taxa média anual de crescimento foi de 63,19% no primeiro período e 33,34% no segundo. A extrema pobreza (medida pela proporção de pessoas com renda domiciliar per capita inferior a R$ 70,00, em reais de agosto de 2010) passou de 18,42% em 1991 para 11,33% em 2000 e para 4,69% em A desigualdade diminuiu: o Índice de Gini passou de 0,55 em 1991 para 0,61 em 2000 e para 0,53 em O que é Índice de Gini? É um instrumento usado para medir o grau de concentração de renda. Ele aponta a diferença entre os rendimentos dos mais pobres e dos mais ricos. Numericamente, varia de 0 a 1, sendo que 0 representa a situação de total igualdade, ou seja, todos têm a mesma renda, e o valor 1 significa completa desigualdade de renda, ou seja, se uma só pessoa detém toda a renda do lugar. Renda, Pobreza e Desigualdade - Cáceres - MT Renda per capita (em R$) 271,34 442,80 590,43 % de extremamente pobres 18,42 11,33 4,69 % de pobres 48,06 30,73 14,28 Índice de Gini 0,55 0,61 0,53 Porcentagem da Renda Apropriada por Estratos da - Cáceres - MT % mais pobres 3,42 2,59 3,55 40% mais pobres 10,32 8,68 11,18 60% mais pobres 21,30 18,35 23,24 80% mais pobres 39,91 34,48 42,61 20% mais ricos 60,09 65,52 57,39 Pag.11 de14

12 Trabalho Taxa de Atividade e de Desocupação 18 anos ou mais % Desocupados Ocupados 65% 2010 Entre 2000 e 2010, a taxa de atividade da população de 18 anos ou mais (ou seja, o percentual dessa população que era economicamente ativa) passou de 67,71% em 2000 para 65,00% em Ao mesmo tempo, sua taxa de desocupação (ou seja, o percentual da população economicamente ativa que estava desocupada) passou de 12,36% em 2000 para 8,46% em Ocupação da população de 18 anos ou mais - Cáceres - MT Taxa de atividade 67,71 65,00 Taxa de desocupação 12,36 8,46 Grau de formalização dos ocupados - 18 anos ou mais 42,23 54,43 Nível educacional dos ocupados % dos ocupados com fundamental completo 40,41 60,61 % dos ocupados com médio completo 24,38 44,92 Rendimento médio % dos ocupados com rendimento de até 1 s.m. 52,99 18,59 % dos ocupados com rendimento de até 2 s.m. 79,58 72,51 Em 2010, das pessoas ocupadas na faixa etária de 18 anos ou mais, 14,08% trabalhavam no setor agropecuário, 0,28% na indústria extrativa, 7,22% na indústria de transformação, 7,22% no setor de construção, 0,64% nos setores de utilidade pública, 16,28% no comércio e 45,30% no setor de serviços. Pag.12 de14

13 Habitação Indicadores de Habitação - Cáceres - MT % da população em domicílios com água encanada 46,95 64,95 95,51 % da população em domicílios com energia elétrica 74,76 87,84 99,04 % da população em domicílios com coleta de lixo. *Somente para população urbana. 51,36 82,70 92,35 Pag.13 de14

14 Vulnerabilidade social Vulnerabilidade Social - Cáceres - MT Crianças e Jovens Mortalidade infantil 32,20 25,30 17,40 % de crianças de 4 a 5 anos fora da escola - 63,37 29,75 % de crianças de 6 a 14 anos fora da escola 22,89 7,95 2,20 % de pessoas de 15 a 24 anos que não estudam nem trabalham e são vulneráveis à pobreza - 14,43 12,63 % de mulheres de 10 a 14 anos que tiveram filhos 1,48 0,65 0,72 % de mulheres de 15 a 17 anos que tiveram filhos 10,82 10,92 7,00 Taxa de atividade - 10 a 14 anos (%) - 10,70 7,88 Família % de mães chefes de família sem fundamental completo e com filhos menores de 15 anos 15,62 18,30 14,92 % de pessoas em domicílios vulneráveis à pobreza e dependentes de idosos 1,74 3,37 2,46 % de crianças extremamente pobres 25,42 16,30 7,15 Trabalho e Renda % de vulneráveis à pobreza 71,49 58,23 37,01 % de pessoas de 18 anos ou mais sem fundamental completo e em ocupação informal - 53,11 37,94 Condição de Moradia % de pessoas em domicílios com abastecimento de água e esgotamento sanitário inadequados 1,21 18,20 7,91 Realização: Pag.14 de14

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de São José do Rio Claro, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 5074,56 km² IDHM 2010 0,682 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 17124 hab.

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Vera, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 2962,4 km² IDHM 2010 0,680 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 10235 hab. Densidade demográfica

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Porto Alegre do Norte, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 3994,51 km² IDHM 2010 0,673 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 10748 hab.

Leia mais

TERESINA ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO

TERESINA ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO TERESINA ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO Teresina (PI), Setembro 2014 1 ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO (IDH-m) As informações deste estudo são extraídas do site do Programa das Nações Unidas - PNUD,

Leia mais

RESULTADOS DO ÍNDICE DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO PARANÁ - 2010 *

RESULTADOS DO ÍNDICE DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO PARANÁ - 2010 * RESULTADOS DO ÍNDICE DE VULNERABILIDADE SOCIAL DO PARANÁ - 2010 * Os resultados aqui apresentados foram extraídos do Atlas da Vulnerabilidade Social nos Municípios Brasileiros, elaborado pelo Instituto

Leia mais

Sobre a Evolução Recente da Pobreza e da Desigualdade

Sobre a Evolução Recente da Pobreza e da Desigualdade Sobre a Evolução Recente da Pobreza e da Desigualdade Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada BRASIL Ricardo Paes de Barros Brasília, setembro de 2009 Taxa anual de crescimento da renda domiciliar

Leia mais

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht

mhtml:file://e:\economia\ibge Síntese de Indicadores Sociais 2010.mht Page 1 of 7 Comunicação Social 17 de setembro de 2010 Síntese de Indicadores Sociais 2010 SIS 2010: Mulheres mais escolarizadas são mães mais tarde e têm menos filhos Embora abaixo do nível de reposição

Leia mais

Analfabetismo no Brasil

Analfabetismo no Brasil Analfabetismo no Brasil Ricardo Paes de Barros (IPEA) Mirela de Carvalho (IETS) Samuel Franco (IETS) Parte 1: Magnitude e evolução do analfabetismo no Brasil Magnitude Segundo estimativas obtidas com base

Leia mais

Tema: Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) Professor: Jonathan Kreutzfeld

Tema: Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) Professor: Jonathan Kreutzfeld Tema: Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) Professor: Jonathan Kreutzfeld O que é IDH? O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é uma medida comparativa de renda, escolaridade e longevidade para os diversos

Leia mais

Censo Demográfico 2010. Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento

Censo Demográfico 2010. Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento Censo Demográfico 2010 Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento Rio de Janeiro, 19 de dezembro de 2012 As presentes publicações dão continuidade à divulgação dos resultados do Censo Demográfico 2010

Leia mais

Desenvolvimento e Subdesenvolvimento: O que é preciso saber para começar entender?

Desenvolvimento e Subdesenvolvimento: O que é preciso saber para começar entender? Desenvolvimento e Subdesenvolvimento: O que é preciso saber para começar entender? PIB - Produto Interno Bruto. Ele representa o montante de todas as riquezas do país, quanto maior o PIB, mais alto o nível

Leia mais

Panorama Municipal. Município: Aliança / PE. Aspectos sociodemográficos. Demografia

Panorama Municipal. Município: Aliança / PE. Aspectos sociodemográficos. Demografia Município: Aliança / PE Aspectos sociodemográficos Demografia A população do município ampliou, entre os Censos Demográficos de 2000 e 2010, à taxa de 0,06% ao ano, passando de 37.188 para 37.415 habitantes.

Leia mais

Caracterização dos Territórios de Identidade Território 15 - Bacia do Jacuípe

Caracterização dos Territórios de Identidade Território 15 - Bacia do Jacuípe Caracterização dos Territórios de Identidade Território 15 - Bacia do Jacuípe Municípios Dados Gerais Quantidade de Área Total (km 2 População Total Densidade ) municípios Demográfica 14 10.605,76 237.237

Leia mais

Governo de Mato Grosso Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral Superintendência de Planejamento Coordenadoria de Avaliação

Governo de Mato Grosso Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral Superintendência de Planejamento Coordenadoria de Avaliação Governo de Mato Grosso Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral Superintendência de Planejamento Coordenadoria de Avaliação ET CAV/SP/SEPLAN nº 06/2013 Acesso ao ensino superior em Mato

Leia mais

Uma análise das condições de vida da população brasileira

Uma análise das condições de vida da população brasileira Diretoria de Pesquisas Coordenação de População e Indicadores Sociais Gerência de Indicadores Sociais SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS 2013 Uma análise das condições de vida da população brasileira 29 de

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: uma Análise de Indicadores de Educação e Rendimento no Brasil

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: uma Análise de Indicadores de Educação e Rendimento no Brasil Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: uma Análise de Indicadores de Educação e Rendimento no Brasil Adriana Stankiewicz Juliana Ortigara INTRODUÇÃO A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios

Leia mais

ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO ANÁLISES COMPLEMENTARES 1991 2000

ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO ANÁLISES COMPLEMENTARES 1991 2000 CENTRO UNIVERSITÁRIO DO PLANALTO DE ARAXÁ NÚCLEO DE PESQUISAS ECONÔMICAS E SOCIAIS INFORMATIVO ANO I Nº III MAIO 2007 ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO ANÁLISES COMPLEMENTARES 1991 2000 Profº Dr. Vitor

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE BRASÍLIA DE MINAS

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE BRASÍLIA DE MINAS PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE BRASÍLIA DE MINAS II DIAGNÓSTICO DO MUNICÍPIO DE BRASÍLIA DE MINAS SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 8 2.1 - Aspectos gerais... 8 2.2 - Aspectos demográficos... 9 2.3

Leia mais

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos POPULAÇÃO BRASILEIRA Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos Desde a colonização do Brasil o povoamento se concentrou no litoral do país. No início do século XXI, a população brasileira ainda

Leia mais

I N F O R M E S E T O R I A L

I N F O R M E S E T O R I A L ÁREA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL I N F O R M E S E T O R I A L Gerência Setorial REALIDADE SOCIAL BRASILEIRA Principais Indicadores nº 1 janeiro de 2002 No final do ano de 2001 foram divulgados os estudos

Leia mais

APÊNDICE METODOLÓGICO

APÊNDICE METODOLÓGICO APÊNDICE METODOLÓGICO SÍNTESE DOS INDICADORES SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO INSTITUTO JONES DOS SANTOS NEVES APesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) foi implantada progressivamente no Brasil a

Leia mais

SAÚDE PÚBLICA NA REGIÃO NORTE: DISCREPÂNCIAS, DISPARIDADES E ASSIMETRIAS DA SAÚDE COMO DIREITO SOCIAL

SAÚDE PÚBLICA NA REGIÃO NORTE: DISCREPÂNCIAS, DISPARIDADES E ASSIMETRIAS DA SAÚDE COMO DIREITO SOCIAL SAÚDE PÚBLICA NA REGIÃO NORTE: DISCREPÂNCIAS, DISPARIDADES E ASSIMETRIAS DA SAÚDE COMO DIREITO SOCIAL Prof. Dr. David Lopes Neto - UFAM Prof a Dr a Eliana Ofélia Llapa-Rodriguez - UFS Prof. Dr. António

Leia mais

Evolução demográfica 1950-2010

Evolução demográfica 1950-2010 Evolução demográfica 195-1 37 A estrutura etária da população brasileira em 1 reflete as mudanças ocorridas nos parâmetros demográficos a partir da segunda metade do século XX. Houve declínio rápido dos

Leia mais

Dimensão social. Educação

Dimensão social. Educação Dimensão social Educação 218 Indicadores de desenvolvimento sustentável - Brasil 2004 36 Taxa de escolarização Representa a proporção da população infanto-juvenil que freqüenta a escola. Descrição As variáveis

Leia mais

INDICADORES DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL: SIGNIFICADO E IMPORTÂNCIA PARA A GESTÃO PÚBLICA

INDICADORES DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL: SIGNIFICADO E IMPORTÂNCIA PARA A GESTÃO PÚBLICA INDICADORES DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL: SIGNIFICADO E IMPORTÂNCIA PARA A GESTÃO PÚBLICA Silvio A. F. Cario Prof. dos Cursos de Graduação e Pós-Graduação em Economia e Administração da Universidade

Leia mais

Taxa de analfabetismo

Taxa de analfabetismo B Taxa de analfabetismo B.1................................ 92 Níveis de escolaridade B.2................................ 94 Produto Interno Bruto (PIB) per capita B.3....................... 96 Razão de

Leia mais

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Palestina do Pará

SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Palestina do Pará SIIS - Sistema de Informações de Indicadores Sociais do Estado do Pará Abrangência: Palestina do Pará DEMOGRAFIA População Total 7.475 População por Gênero Masculino 3.879 Participação % 51,89 Feminino

Leia mais

A POSIÇÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (SP) EM RELAÇÃO AO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO (IDH) E AO ÍNDICE DE GINI

A POSIÇÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (SP) EM RELAÇÃO AO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO (IDH) E AO ÍNDICE DE GINI A POSIÇÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (SP) EM RELAÇÃO AO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO (IDH) E AO ÍNDICE DE GINI Roland Anton Zottele 1, Friedhilde M. K. Manulescu 2 1, 2 Faculdade de Ciências

Leia mais

Políticas Sociais no Brasil

Políticas Sociais no Brasil Políticas Sociais no Brasil José Aparecido Carlos Ribeiro Técnico da Diretoria de Estudos e Políticas Sociais do IPEA São Paulo, outubro/2010 Algumas características: Políticas sociais são formas mais

Leia mais

Subsídios para elaboração do PPA Municipal

Subsídios para elaboração do PPA Municipal Município: São Luís / MA Apresentação Este Boletim de Informações Municipais tem o objetivo de apresentar um conjunto básico de indicadores acerca de características demográficas, econômicas, sociais e

Leia mais

Educação e desenvolvimento. Professor: Jorge Abrahão de Castro Período: Julho de 2013.

Educação e desenvolvimento. Professor: Jorge Abrahão de Castro Período: Julho de 2013. Educação e desenvolvimento Professor: Jorge Abrahão de Castro Período: Julho de 2013. Circuito de influencia Fatores do desenvolvimento Ampliação da participação política e social Consumo (Novo padrão

Leia mais

Indústria, desenvolvimento local e renda: o caso da produção de cachaça em Salinas/MG

Indústria, desenvolvimento local e renda: o caso da produção de cachaça em Salinas/MG Indústria, desenvolvimento local e renda: o caso da produção de cachaça em Salinas/MG Patrine Soares Santos Ciências Econômicas Centro de Economia, Administração patrinedetaio@hotmail.com Nelly Maria Sansígolo

Leia mais

Entenda o que é IDH Secretaria de Saúde Pública do Pará

Entenda o que é IDH Secretaria de Saúde Pública do Pará Entenda o que é IDH Secretaria de Saúde Pública do Pará O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), divulgado pela ONU, parte do pressuposto de que para aferir o avanço de uma população não se deve considerar

Leia mais

A influência dos setores econômicos no Desenvolvimento Humano dos municípios Brasileiros

A influência dos setores econômicos no Desenvolvimento Humano dos municípios Brasileiros A influência dos setores econômicos no Desenvolvimento Humano dos municípios Brasileiros Leandro Sauer (leandrosauer@uol.com.br) Matemático e Doutor em Engenharia Elétrica, chefe e professor do Departamento

Leia mais

As especificidades da desigualdade étnicoracial no cenário das desigualdades no Brasil

As especificidades da desigualdade étnicoracial no cenário das desigualdades no Brasil MÓDULO 4 - Relações Étnico-Raciais unidade 2 TEXTO 4 As especificidades da desigualdade étnicoracial no cenário das desigualdades no Brasil Você já pensou em como as desigualdades raciais muitas vezes

Leia mais

Desenvolvimento. Rendimento. Saúde. Trabalho Digno. Erradicação da Pobreza. Educação. Rendimento. Erradicação da Pobreza. Rendimento.

Desenvolvimento. Rendimento. Saúde. Trabalho Digno. Erradicação da Pobreza. Educação. Rendimento. Erradicação da Pobreza. Rendimento. Indicadores de brasileiro Igualdade Igualdade NOTA A elaboração do Documento Indicadores de Brasileiro foi coordenada pela Assessoria Econômica do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão com a participação

Leia mais

A Metrópole e a Questão Social

A Metrópole e a Questão Social A Metrópole e a Questão Social Território Desigualdades A Metrópole e a Questão Social Território Desigualdades Bem-Estar Social Renda Urbana Oportunidades A Metrópole e a Questão Social Território Desigualdades

Leia mais

A Contribuição da Educação para o Desenvolvimento Social

A Contribuição da Educação para o Desenvolvimento Social A Contribuição da Educação para o Desenvolvimento Social Setembro 2010 Wanda Engel Superintendente Executiva Desenvolvimento Humano Sujeito Sujeito Objeto Desenvolvimento Social Desenvolvimento Econômico

Leia mais

Legado em Transformação O Brasil e o trabalho infantil no início do século 21 O Brasil e o trabalho infantil no início do século 21 Legado em Transformação O Brasil e o trabalho infantil no início do

Leia mais

ANEXO X - Indicadores para monitoramento e avaliação da evolução das metas do PME

ANEXO X - Indicadores para monitoramento e avaliação da evolução das metas do PME ANEXO X - Indicadores para monitoramento e avaliação da evolução das metas do PME Observação: no presente documento, são listados os indicadores básicos que poderão ser utilizados para monitoramento e

Leia mais

ipea A EFETIVIDADE DO SALÁRIO MÍNIMO COMO UM INSTRUMENTO PARA REDUZIR A POBREZA NO BRASIL 1 INTRODUÇÃO 2 METODOLOGIA 2.1 Natureza das simulações

ipea A EFETIVIDADE DO SALÁRIO MÍNIMO COMO UM INSTRUMENTO PARA REDUZIR A POBREZA NO BRASIL 1 INTRODUÇÃO 2 METODOLOGIA 2.1 Natureza das simulações A EFETIVIDADE DO SALÁRIO MÍNIMO COMO UM INSTRUMENTO PARA REDUZIR A POBREZA NO BRASIL Ricardo Paes de Barros Mirela de Carvalho Samuel Franco 1 INTRODUÇÃO O objetivo desta nota é apresentar uma avaliação

Leia mais

Censo Demográfico 2010 Retratos do Brasil e do Piauí

Censo Demográfico 2010 Retratos do Brasil e do Piauí Censo Demográfico 2010 Retratos do Brasil e do Piauí Eduardo Pereira Nunes Presidente do IBGE Teresina, 12 de Agosto de 2011 Brasil Todos os domicílios residenciais particulares foram recenseados A coleta

Leia mais

Estudo Estratégico n o 5. Desenvolvimento socioeconômico na metrópole e no interior do Rio de Janeiro Adriana Fontes Valéria Pero Camila Ferraz

Estudo Estratégico n o 5. Desenvolvimento socioeconômico na metrópole e no interior do Rio de Janeiro Adriana Fontes Valéria Pero Camila Ferraz Estudo Estratégico n o 5 Desenvolvimento socioeconômico na metrópole e no interior do Rio de Janeiro Adriana Fontes Valéria Pero Camila Ferraz PANORAMA GERAL ERJ é o estado mais urbano e metropolitano

Leia mais

Cadastro Único e Programa Bolsa Família

Cadastro Único e Programa Bolsa Família Cadastro Único e Programa Bolsa Família Letícia Bartholo Secretária Adjunta Abril de 2014 A Secretaria A Secretaria Nacional de Renda de Cidadania (Senarc) é responsável pela gestão, em nível nacional,

Leia mais

11.1. INFORMAÇÕES GERAIS

11.1. INFORMAÇÕES GERAIS ASPECTOS 11 SOCIOECONÔMICOS 11.1. INFORMAÇÕES GERAIS O suprimento de energia elétrica tem-se tornado fator indispensável ao bem-estar social e ao crescimento econômico do Brasil. Contudo, é ainda muito

Leia mais

A 9 de Julho de 2011, o Mundo assistia ao nascimento do mais novo país do Mundo: o SUDÃO DO SUL.

A 9 de Julho de 2011, o Mundo assistia ao nascimento do mais novo país do Mundo: o SUDÃO DO SUL. SUDÃO DO SUL :: O MAIS NOVO PAÍS DO MUNDO A 9 de Julho de 2011, o Mundo assistia ao nascimento do mais novo país do Mundo: o SUDÃO DO SUL. Apesar dos inúmeros problemas que o Sul do Sudão enfrentou nos

Leia mais

PREFÁCIO 9 RENDA DAS FAMÍLIAS CRESCE EM TODO O PAÍS E REDUZ DESIGUALDADES 13

PREFÁCIO 9 RENDA DAS FAMÍLIAS CRESCE EM TODO O PAÍS E REDUZ DESIGUALDADES 13 2001-2012 NOTA A elaboração do documento Indicadores de Desenvolvimento Brasileiro 2001-2012 foi coordenada pela Assessoria Econômica do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão com a participação

Leia mais

Censo Demográfico 2010. Características Gerais da População, Religião e Pessoas com Deficiência

Censo Demográfico 2010. Características Gerais da População, Religião e Pessoas com Deficiência Censo Demográfico 2010 Características Gerais da População, Religião e Pessoas com Deficiência Rio de Janeiro, 29 de junho de 2012 A presente publicação dá continuidade à divulgação dos resultados do Censo

Leia mais

Aeconomia brasileira tem passado por constantes

Aeconomia brasileira tem passado por constantes Populaçăo de 10 anos ou mais de idade: taxas e desocupaçăo Aeconomia brasileira tem passado por constantes transformaçőes. Portanto, conhecer e acompanhar os movimentos que orientam estas mudanças é de

Leia mais

PNAD 2009 - Primeiras análises: Situação da educação brasileira - avanços e problemas

PNAD 2009 - Primeiras análises: Situação da educação brasileira - avanços e problemas Nº 66 PNAD 2009 - Primeiras análises: Situação da educação brasileira - avanços e problemas 18 de novembro de 2010 Governo Federal Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República Ministro

Leia mais

Plano Nacional de Educação. Programa Bolsa Família e MDS

Plano Nacional de Educação. Programa Bolsa Família e MDS Plano Nacional de Educação COORDENAÇÃO GERAL DE INTEGRAÇÃO E ANÁLISE DE INFORMAÇÕES Departamento de Condicionalidades x Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Ministério do Desenvolvimento Social e

Leia mais

O CONCEITO DE TRABALHO DECENTE E SUA AGENDA. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil

O CONCEITO DE TRABALHO DECENTE E SUA AGENDA. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil O CONCEITO DE TRABALHO DECENTE E SUA AGENDA Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Brasília 3 novembro de 2014 O Conceito de Trabalho Decente O CONCEITO DE TRABALHO DECENTE Formalizado pela

Leia mais

Boletim PNAD Resultados da PNAD 2011 Educação Junho de 2013

Boletim PNAD Resultados da PNAD 2011 Educação Junho de 2013 Boletim PNAD Resultados da PNAD 2011 Educação Junho de 2013 RESULTADOS DA PNAD 2011 EDUCAÇÃO Apresentação 2 Governo do Estado da Bahia Jaques Wagner Secretaria do Planejamento (Seplan) José Sergio Gabrielli

Leia mais

INDICADORES SOCIAIS (AULA 1)

INDICADORES SOCIAIS (AULA 1) 1 INDICADORES SOCIAIS (AULA 1) Ernesto Friedrich de Lima Amaral Universidade Federal de Minas Gerais Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia ESTRUTURA DO CURSO 2 1. Conceitos básicos relacionados a indicadores

Leia mais

Indicadores Anefac dos países do G-20

Indicadores Anefac dos países do G-20 Indicadores Anefac dos países do G-20 O Indicador Anefac dos países do G-20 é um conjunto de resultantes de indicadores da ONU publicados pelos países: África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina,

Leia mais

Ficha Técnica dos indicadores de saúde disponibilizados por meio do aplicativo Statplanet. Mortalidade

Ficha Técnica dos indicadores de saúde disponibilizados por meio do aplicativo Statplanet. Mortalidade Secretaria Municipal da Saúde Coordenação de Epidemiologia e Informação - CEInfo Ficha Técnica dos indicadores de saúde disponibilizados por meio do aplicativo Statplanet Mortalidade Taxa ou Coeficiente

Leia mais

Meta 2 EDUCAÇÃO E POPULAÇÃO

Meta 2 EDUCAÇÃO E POPULAÇÃO Meta 2 EDUCAÇÃO E POPULAÇÃO Ação 2.2 Módulo Produtividade Educacional com Base nas Pesquisas Domiciliares e no Censo Demográfico 1.6 Sumário Executivo ANÁLISE DOS INDICADORES EDUCACIONAIS CALCULADOS DURANTE

Leia mais

Novo Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil

Novo Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil Entenda o cálculo do IDH Municipal (IDH-M) e saiba quais os indicadores usados O Índice de Desenvolvimento Humano foi criado originalmente para medir o nível de desenvolvimento humano dos países a partir

Leia mais

RENDA, POBREZA E DESIGUALDADE NOTA CONJUNTURAL JANEIRO DE 2014 Nº28

RENDA, POBREZA E DESIGUALDADE NOTA CONJUNTURAL JANEIRO DE 2014 Nº28 RENDA, POBREZA E DESIGUALDADE NOTA CONJUNTURAL JANEIRO DE 2014 Nº28 no Estado do Rio de Janeiro NOTA CONJUNTURAL JANEIRO DE 2014 Nº28 PANORAMA GERAL Na última década, o Brasil passou por profundas mudanças

Leia mais

3Apesar dos direitos adquiridos pelas

3Apesar dos direitos adquiridos pelas objetivo. promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres mulheres ao longo do século 20, ainda há considerável desigualdade entre os gêneros no mundo. Em geral, as mulheres sofrem com a

Leia mais

3º RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES

3º RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES 3º RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES 4.6.2 PROJETO DE ATENDIMENTO SOCIAL E PSICOLÓGICO DA POPULAÇÃO ATINGIDA Anexo 4.6.2-1 - Proposta de uso do Índice de Desenvolvimento

Leia mais

Desenvolvimento Humano nas UDHs da RM de Porto Alegre. 27 de março 2015

Desenvolvimento Humano nas UDHs da RM de Porto Alegre. 27 de março 2015 27 de março 2015 IDH-M na RM de Porto Alegre Fonte: Atlas do Desenvolvimento Humano das Regiões Metropolitanas IDH-M Longevidade na RM de Porto Alegre Fonte: Elaborado a partir da base do Atlas do Desenvolvimento

Leia mais

Mapa do Mercado de Trabalho no Brasil

Mapa do Mercado de Trabalho no Brasil Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestăo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Diretoria de Pesquisas Departamento de Emprego e Rendimento Estudos e Pesquisas Informaçăo Demográfica

Leia mais

projeto fortalecendo as políticas de gênero nos municípios maranhenses: estadualização do plano nacional de políticas para as

projeto fortalecendo as políticas de gênero nos municípios maranhenses: estadualização do plano nacional de políticas para as PLANO MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES 2013-2015 1 A construção deste plano teve o assessoramento técnico realizado pela Secretaria de Estado da Mulher, através do projeto fortalecendo as políticas

Leia mais

Relatório Estadual de Acompanhamento - 2008. Relatório Estadual de Acompanhamento 2008 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

Relatório Estadual de Acompanhamento - 2008. Relatório Estadual de Acompanhamento 2008 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Relatório Estadual de Acompanhamento 2008 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 1- Erradicar a extrema pobreza e a fome Meta 1: Reduzir pela metade, entre 1990 e 2015, a proporção da população com renda

Leia mais

São Paulo. Tabela 1: Indicadores selecionados: mediana, 1º e 3º quartis nos municípios do estado de São Paulo (1991, 2000 e 2010)

São Paulo. Tabela 1: Indicadores selecionados: mediana, 1º e 3º quartis nos municípios do estado de São Paulo (1991, 2000 e 2010) São Paulo Em 21, no estado de São Paulo (SP), moravam 41,3 milhões de pessoas, onde uma parcela considerável (7,8%, 3,2 milhões) tinha 65 ou mais anos de idade. O estado era composto de 645 municípios,

Leia mais

IV Seminário Nacional do Programa Nacional de Crédito Fundiário Crédito Fundiário no Combate a Pobreza Rural Sustentabilidade e Qualidade de Vida

IV Seminário Nacional do Programa Nacional de Crédito Fundiário Crédito Fundiário no Combate a Pobreza Rural Sustentabilidade e Qualidade de Vida IV Seminário Nacional do Programa Nacional de Crédito Fundiário Crédito Fundiário no Combate a Pobreza Rural Sustentabilidade e Qualidade de Vida 30 DE NOVEMBRO DE 2011 CONTEXTO Durante os últimos anos,

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011 Rio de Janeiro, 21/09/2012 1 Abrangência nacional Temas investigados: Características Características gerais dos moradores Educação Migração Trabalho

Leia mais

Abastecimento de água - Investigou-se a existência de água canalizada nos domicílios particulares permanentes e a sua proveniência.

Abastecimento de água - Investigou-se a existência de água canalizada nos domicílios particulares permanentes e a sua proveniência. Conceitos Abastecimento de água - Investigou-se a existência de água canalizada nos domicílios particulares permanentes e a sua proveniência. Quanto a existência de água canalizada, os domicílios foram

Leia mais

PASSO DE TORRES. billy PASSO DE TORRES

PASSO DE TORRES. billy PASSO DE TORRES billy PASSO DE TORRES SANTA CATARINA EM NÚMEROS PASSO DE TORRES SEBRAE 2010 2010 SEBRAE/SC Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina. Todos os direitos reservados e protegidos por

Leia mais

BALNEÁRIO CAMBORIÚ BALNEÁRIO CAMBORIÚ

BALNEÁRIO CAMBORIÚ BALNEÁRIO CAMBORIÚ BALNEÁRIO CAMBORIÚ SANTA CATARINA EM NÚMEROS BALNEÁRIO CAMBORIÚ SEBRAE 2010 2010 SEBRAE/SC Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina. Todos os direitos reservados e protegidos por

Leia mais

ÍNDICE PAULISTA DE VULNERABILIDADE SOCIAL

ÍNDICE PAULISTA DE VULNERABILIDADE SOCIAL ÍNDICE PAULISTA DE VULNERABILIDADE SOCIAL O Estado de São Paulo, especialmente nos grandes centros urbanos, apresenta enormes desigualdades sociais, com áreas de alto padrão de qualidade de vida e outras

Leia mais

CÁLCULO E ANÁLISE DO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PARA MUNICÍPIOS (IDSM) APRESENTAÇÃO

CÁLCULO E ANÁLISE DO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PARA MUNICÍPIOS (IDSM) APRESENTAÇÃO CÁLCULO E ANÁLISE DO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PARA MUNICÍPIOS (IDSM) APRESENTAÇÃO Um dos temas emergentes e presentes nas diversas áreas do conhecimento têm sido as questões relacionadas à

Leia mais

O Enfrentamento do Trabalho Infantil pelas Políticas Públicas: A POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

O Enfrentamento do Trabalho Infantil pelas Políticas Públicas: A POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL O Enfrentamento do Trabalho Infantil pelas Políticas Públicas: A POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Juliana Petroceli - Assessora Técnica Departamento de Proteção Social Especial Secretaria Nacional de Assistência

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO 2015 Professor João Medeiros de Sá Filho Conferência Municipal de Educação CEMUR 27/04-14h Lei 13.005, de 25 de junho de 2014 que aprova o Plano nacional de Educação O PNE -

Leia mais

SANTA CATARINA EM NÚMEROS

SANTA CATARINA EM NÚMEROS ITÁ SANTA CATARINA EM NÚMEROS Itá SEBRAE 2010 2010 SEBRAE/SC Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina. Todos os direitos reservados e protegidos por lei de 19/02/1998. Nenhuma parte

Leia mais

Relatório Técnico da Palestra: Diagnóstico da Situação Educacional no Espírito Santo

Relatório Técnico da Palestra: Diagnóstico da Situação Educacional no Espírito Santo GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DE ECONOMIA E PLANEJAMENTO SEP INSTITUTO JONES DOS SANTOS NEVES IJSN NOTA TÉCNICA 31 Relatório Técnico da Palestra: Diagnóstico da Situação Educacional

Leia mais

Panorama dos Territórios UPP FORMIGA

Panorama dos Territórios UPP FORMIGA Panorama dos Territórios UPP FORMIGA 0 Sumário 1. LOCALIZAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO GERAL... 2 2. DADOS CENSITÁRIOS 2010: DEMOGRAFIA E ÁREA OCUPADA... 3 3. DADOS CENSITÁRIOS 2010: SOCIOECONÔMICOS... 5 3.1.

Leia mais

Brasília, a cidade mais conectada

Brasília, a cidade mais conectada Fundação Getulio Vargas Tópico: CPS 17/05/2012 Correio Braziliense Online - DF Editoria: Cidades Pg: 04:00:00 Brasília, a cidade mais conectada Diego Amorim (Diego Amorim) A capital é recordista de inclusão

Leia mais

Sumário 1. LOCALIZAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO GERAL... 2 2. DADOS CENSITÁRIOS 2010: DEMOGRAFIA E ÁREA OCUPADA... 4

Sumário 1. LOCALIZAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO GERAL... 2 2. DADOS CENSITÁRIOS 2010: DEMOGRAFIA E ÁREA OCUPADA... 4 UPP CAJU 09/2014 0 Sumário 1. LOCALIZAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO GERAL... 2 2. DADOS CENSITÁRIOS 2010: DEMOGRAFIA E ÁREA OCUPADA... 4 3. DADOS CENSITÁRIOS 2010: SOCIOECONÔMICOS... 7 3.1. SERVIÇOS URBANOS E CONDIÇÃO

Leia mais

Brasil. Valores de IDH e mudanças de classificação no Relatório de Desenvolvimento Humano 2011

Brasil. Valores de IDH e mudanças de classificação no Relatório de Desenvolvimento Humano 2011 Relatório de Desenvolvimento Humano 2011 Sustentabilidade e igualdade: Um futuro melhor para todos Nota explicativa sobre os índices compostos do IDH 2011 Brasil Valores de IDH e mudanças de classificação

Leia mais

Legado em Transformação Perfil do trabalho infantil no Brasil, por regiões e ramos de atividade Perfil do trabalho infantil no Brasil, por regiões e ramos de atividade Legado em Transformação Perfil

Leia mais

Bônus demográfico, crescimento econômico e redução da pobreza no Brasil

Bônus demográfico, crescimento econômico e redução da pobreza no Brasil Bônus demográfico, crescimento econômico e redução da pobreza no Brasil José Eustáquio Diniz Alves i As eleições de 2 nem começaram de fato, mas já existe uma grande quantidade de textos circulando na

Leia mais

Os conflitos armados no âmbito global e a violência no Brasil

Os conflitos armados no âmbito global e a violência no Brasil Este material é parte do material de divulgação do relatório Situação Mundial da Infância 2005, lançado pelo UNICEF no dia 9 de dezembro de 2004. Aqui você vai encontrar dados sobre a situação da infância

Leia mais

INDICADORES DE DESENVOLVIMENTO SÓCIOECONÔMICO: UM OLHAR A PARTIR DA REALIDADE LOCAL

INDICADORES DE DESENVOLVIMENTO SÓCIOECONÔMICO: UM OLHAR A PARTIR DA REALIDADE LOCAL INDICADORES DE DESENVOLVIMENTO SÓCIOECONÔMICO: UM OLHAR A PARTIR DA REALIDADE LOCAL Jordana de Souza Morais 1 Amélia Carla Sobrinho Bifano 2 Flávia Leão Almeida Silva 3 Luis Gustavo Ferreira Cabral 4 Maria

Leia mais

5 AS DESIGUALDADES SOCIAIS E REGIONAIS DO BRASIL NO SÉCULO XX

5 AS DESIGUALDADES SOCIAIS E REGIONAIS DO BRASIL NO SÉCULO XX 167 5 AS DESIGUALDADES SOCIAIS E REGIONAIS DO BRASIL NO SÉCULO XX Neste capítulo, são apresentados dados sobre as desigualdades sociais e regionais existentes no Brasil no Século XX que resultaram do processo

Leia mais

INDICADORES SOCIAIS (AULA 4)

INDICADORES SOCIAIS (AULA 4) 1 INDICADORES SOCIAIS (AULA 4) Ernesto Friedrich de Lima Amaral Universidade Federal de Minas Gerais Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia ESTRUTURA DO CURSO 2 1. Conceitos básicos relacionados a indicadores

Leia mais

PLANO TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO POTENGI

PLANO TERRITORIAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DO POTENGI APRESENTAÇÃO O Plano Territorial de Desenvolvimento Rural Sustentável do Potengi PTDRS configura no esforço conjunto de todos os municípios do Território Potengi, juntamente com o Governo Federal e Governo

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DOS PROGRAMAS DE TRANSFERÊNCIA MONETÁRIA NA QUEDA DA DESIGUALDADE DE RENDA NO BRASIL

A CONTRIBUIÇÃO DOS PROGRAMAS DE TRANSFERÊNCIA MONETÁRIA NA QUEDA DA DESIGUALDADE DE RENDA NO BRASIL A CONTRIBUIÇÃO DOS PROGRAMAS DE TRANSFERÊNCIA MONETÁRIA NA QUEDA DA DESIGUALDADE DE RENDA NO BRASIL: uma análise a partir do rendimento domiciliar per capita no período 2001-2006 Juliana Carolina Frigo

Leia mais

VIDA LONGA - Idosas conversam em Tóquio: com alto índice de desenvolvimento humano, o Japão têm a maior expectativa de vida, com 83,5 anos

VIDA LONGA - Idosas conversam em Tóquio: com alto índice de desenvolvimento humano, o Japão têm a maior expectativa de vida, com 83,5 anos 1 de 7 31/01/2014 23:22 Aumentar a fonte Diminuir a fonte Demografia e IDH Márcia Nogueira Tonello VIDA LONGA - Idosas conversam em Tóquio: com alto índice de desenvolvimento humano, o Japão têm a maior

Leia mais

O envelhecimento nas diferentes regiões do Brasil: uma discussão a partir do censo demográfico 2010

O envelhecimento nas diferentes regiões do Brasil: uma discussão a partir do censo demográfico 2010 O envelhecimento nas diferentes regiões do Brasil: uma discussão a partir do censo demográfico 2010 Simone Caldas Tavares Mafra - Professora do Departamento de Economia Doméstica (UFV) sctmafra@ufv.br

Leia mais

PERFIL BÁSICO MUNICIPAL 2012 MERUOCA

PERFIL BÁSICO MUNICIPAL 2012 MERUOCA PERFIL BÁSICO MUNICIPAL 2012 GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Cid Ferreira Gomes Governador Domingos Gomes de Aguiar Filho Vice Governador SECRETARIO DO PLANEJAMENTO E GESTÃO (SEPLAG) Eduardo Diogo Secretário

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Julho 2009

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Julho 2009 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Julho 2009 Desafios do Programa Habitacional Minha Casa Minha Vida Profa. Dra. Sílvia Maria Schor O déficit habitacional brasileiro é

Leia mais

Índice de Gini e IDH. Prof. Antonio Carlos Assumpção

Índice de Gini e IDH. Prof. Antonio Carlos Assumpção Índice de Gini e IDH Prof. Antonio Carlos Assumpção Redução da pobreza e Desigualdade de Renda Redução da pobreza e Desigualdade de Renda A partir da estabilização da economia, em 1994, houve no Brasil

Leia mais

Uma Análise dos Determinantes da Focalização do Programa Bolsa Família

Uma Análise dos Determinantes da Focalização do Programa Bolsa Família Uma Análise dos Determinantes da Focalização do Programa Bolsa Família BRASÍLIA-DF Março, 2013 Introdução Motivação Revisão de Literatura Metodologia Resultados Considerações Finais 2 Introdução Transferência

Leia mais

Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens

Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens Um país de idosos Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens A expectativa de vida do brasileiro aumentou mais de 20 anos em

Leia mais