Cristina Nogueira- Silva 1,2, Elisa Pereira 3, Sónia Barata 4, Conceição Alho 4, Filipa Osório 4,5, Carlos Calhaz- Jorge 4,5

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cristina Nogueira- Silva 1,2, Elisa Pereira 3, Sónia Barata 4, Conceição Alho 4, Filipa Osório 4,5, Carlos Calhaz- Jorge 4,5"

Transcrição

1 Cristina Nogueira- Silva 1,2, Elisa Pereira 3, Sónia Barata 4, Conceição Alho 4, Filipa Osório 4,5, Carlos Calhaz- Jorge 4,5 1 Serviço de Ginecologia e Obstetrícia, Hospital de Braga; 2 Escola de Ciências da Saúde, Universidade do Minho; 3 Serviço de Ginecologia e Obstetrícia, Hospital do Espírito Santo - Évora; 4 Departamento de Obstetrícia, Ginecologia e Medicina da Reprodução do Hospital de Santa Maria, Centro Hospitalar Lisboa Norte; 5 Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa 1 de junho de 2013

2 Introdução ü A histerectomia é a cirurgia ginecológica major mais frequentemente realizada nos países desenvolvidos: Histerectomia vaginal Histerectomia abdominal Histerectomia laparoscópica Osler M e col., Hum Reprod, 2011 Canadian InsFtute for Health InformaFon, 2010 Chopin N e col., Hum Reprod, 2009 ü A histerectomia laparoscópica é segura e associa- se a baixa taxa de complicações. Donnez O e col., BJOG, 2009 Karaman Y e col., J Minim Invasive Gynecol, 2007

3 Introdução ü A obesidade é atualmente um importante problema de saúde pública. Portugal: 51% população com excesso de peso ou obesidade 16% das mulheres são obesas Morgan- OrFz F e col., Int J Gynaecol Obstet, 2013 Osler M e col., Hum Reprod, 2011 Chopin N e col., Hum Reprod, 2009 Inquérito Nacional de Saúde 2005/2006, INE, 2009 ü A obesidade foi inicialmente considerada uma contra- indicação relafva para cirurgia laparoscópica. Cirugia bariátrica Apendicectomia Colecistectomia Colectomia esquerda Chopin N e col., Hum Reprod, 2009 Corneille MG e col., Am J Surg, 2007 O Hanlan KA e col., Gynec Oncol, 2006 Leroy J e col., Ann Surg, 2005 Lamvu G e col., Am J Obstet Gynecol, 2004

4 Introdução ü A obesidade é atualmente um importante problema de saúde pública. Portugal: 51% população com excesso de peso ou obesidade 16% das mulheres são obesas Morgan- OrFz F e col., Int J Gynaecol Obstet, 2013 Osler M e col., Hum Reprod, 2011 Chopin N e col., Hum Reprod, 2009 Inquérito Nacional de Saúde 2005/2006, INE, 2009 ü A obesidade foi inicialmente considerada uma contra- indicação relafva para cirurgia laparoscópica. Histerectomia?

5 Introdução ü Histerectomia totalmente laparoscópica (HTL) e índice de massa corporal (IMC): resultados controversos Aumento da morbilidade cirúrgica nas pacientes obesas Morgan- OrFz F e col., Int J Gynaecol Obstet, 2013 Siedhoff MT e col., J Minim Invasive Gynecol, 2012 Holub Z e col., Eur J Gynecol Reprod Biol, 2001 Obesidade não se associa a aumento da taxa de complicações Kondo W e col., J Laparoendosc Adv Surg Tech A, 2012 Park JY e col., Obstet Gynecol, 2012 Chopin N e col., Hum Reprod, 2009 O Hanlan KA e col., Gynec Oncol, 2006 Ostrzenski A, J Reprod Med, 1999

6 ObjeFvo Avaliar o efeito do índice de massa corporal na taxa de complicações das histerectomias totalmente laparoscópicas realizadas no nosso departamento, entre abril de 2009 e março de 2013.

7 Métodos ü Estudo observacional, descrifvo e analífco, com análise retrospefva ü Fonte de informação: processos clínicos das doentes submefdas a HTL entre 1 de abril de 2009 e 31 de março de 2013 ü IMC: Normal (18,5 24,9 kg/m 2 ) Excesso de peso (25 29,9 kg/m 2 ) Obesidade ( 30 kg/m 2 ) Critérios da Organização Mundial de Saúde, Genebra, 1997

8 Métodos ü CaraterísFcas das pacientes: Idade Menarca Menopausa Paridade Antecedentes médicos Antecedentes cirúrgicos abdomino- pélvicos ü CaraterísFcas da cirurgia:

9 Métodos ü CaraterísFcas das pacientes: ü CaraterísFcas da cirurgia: Indicação cirúrgica Fonte de energia Trocar epigástrico Morcelação Peso da peça cirúrgica Tempo operatório Duração do internamento após a cirurgia Variação da hemoglobina e hematócrito

10 Métodos ü Complicações (intra e pós- operatórias; 1, 6 e 12 meses): Complicações Major Complicações Minor Lesão ureteral ou vesical Perfuração intestinal Hemorragia com necessidade de transfusão sanguínea Hematoma da cúpula com necessidade de drenagem cirúrgica ou transfusão sanguínea Complicações anestésicas major Conversão para laparotomia Deiscência da cúpula vaginal Embolia pulmonar Hemorragia sem necessidade de transfusão sanguínea Hematoma (com drenagem espontânea) Lesão iatrogénica da serosa intestinal Infeção (urinária, da cicatriz, pélvica ou outra) ou febre (temperatura > 38ºC nos primeiros 7 dias) Trombose venosa profunda Problemas anestésicos minor Incontinência urinária

11 Métodos ü Análise estausfca SPSS Sta+s+cs, versão 20.0 (IBM, USA) Análise descrifva e inferencial Variáveis quanftafvas: Kolmogorov- Smirnov para análise da normalidade; ANOVA unidirecional/ Kruskal Wallis; teste de Dunn para comparações múlfplas emparelhadas Variáveis qualitafvas: Teste de qui- quadrado Significado estassfco: p< 0,05

12 Resultados HTL n= 262 HTL excluídas n= 36 (13,7%) HTL estudadas n= 226 (86,3%) Normal n= 105 (46,5%) Excesso de Peso n= 80 (35,4%) Obesidade n= 41 (18,1%)

13 Resultados Normal Excesso de peso Obesidade p Peso (Kg) 58,97 ± 5,23 (45 71) 70,20 ± 6,16 * (55 87) 85,15 ± 9,06 * (72 120) < 0,001 Altura (cm) 161,09 ± 6,28 159,96 ± 6,28 158,00 ± 5,32 ns ( ) ( ) ( ) IMC (Kg/m 2 ) 22,51 ± 1,50 (19,0 24,75) 27,28 ± 1,39 * (24,97 29,86) 34,02 ± 3,12* (30,09 43,03) < 0,0001 média ± desvio- padrão; mín máx p < 0.05: * vs. Normal; vs. Excesso de peso; ns: estafsfcamente não significafvo

14 Resultados: CaraterísFcas das Pacientes Normal Excesso de peso Obesidade p Idade (anos) 47,38 ± 8,05 48,90 ± 8,59 50,76 ± 8,66 * < 0,05 Menarca (anos) 12,57 ± 1,76 12,96 ± 4,38 12,37 ± 1,84 ns Idade reprodufva < 0,05 Pré- menopausa, n (%) 90 (85,71%) 60 (75%) 26 (63,41%) Pós- menopausa, n (%) 15 (14,29%) 20 (25%) 15 (36,59%) (anos) 50,27 ± 3,01 51,10 ± 4,23 51,33 ± 2,77 ns Paridade ns Nulíparas, n (%) 21 (20%) 11 (13,75%) 4 (9,76%) MulUparas, n (%) 84 (80%) 69 (86,25%) 37 (90,24%) 1,79 ± 0,75 1,94 ± 0,75 2,16 ± 1,04 ns média ± desvio- padrão; n (%) p < 0.05: * vs. Normal; ns: estafsfcamente não significafvo

15 Resultados: Antecedentes Médicos e Cirúrgicos Normal Excesso de peso Obesidade p Antecedentes Médicos, n (%) Saudável 49 (46,7%) 24 (30%) 6 (14,6%) Com patologia 56 (53,3%) 56 (70%) 35 (85,4%) Cardiovascular 26 (24,8%) 39 (48,8%) 23 (56,1%) < 0,001 Respiratória 5 (4,8%) 1 (1,25%) 3 (7,3%) Endócrina 8 (7,6%) 6 (7,5%) 4 (9,8%) Síndrome depressivo 10 (9,5%) 10 (12,5%) 9 (22%) Outros 21 (20%) 19 (23,75%) 18 (43,9%) Antecedentes Cirúrgicos, n (%) Cirurgia abdominal 25 (23,8%) 20 (25%) 10 (24,4%) ns Cirurgia ginecológica 49 (46,7%) 32 (40%) 17 (41,5%) ns ns: estafsfcamente não significafvo

16 Resultados ü MoFvo da Cirurgia: Normal n (%) Excesso de peso n (%) Obesidade n (%) Útero miomatoso 64 (61,0%) 46 (57,5%) 20 (48,8%) Endometriose 11 (10,5%) 7 (8,8%) 5 (12,2%) Outra patologia benigna 26 (24,8%) 24 (30,0%) 16 (39,0%) p ns Patologia maligna 4 (3,8%) 3 (3,8%) 0 (0,0%) ns: estafsfcamente não significafvo

17 Resultados ü CaraterísFcas da Cirurgia: Normal Excesso de peso Obesidade p Trocar epigástrico 16 (15,24%) 15 (18,75%) 6 (14,63%) ns Morcelação 32 (31,37%) 31 (39,74%) 11 (28,95%) ns Peso da peça operatória (g) 234,64 ± 158,15 (38-722) 262,48 ± 182,41 (34-870) 235,49 ± 154,80 (55-550) ns Energia ns Bipolar, n (%) 95 (96,0%) 70 (90,9%) 38 (92,7%) Outras, n (%) 4 (4,0%) 7 (9,1%) 3 (7,3%) n (%); média ± desvio- padrão; mín máx ns: estafsfcamente não significafvo

18 Resultados ü CaraterísFcas da Cirurgia: Normal Excesso de peso Obesidade p Tempo operatório (min) Variação da hemoglobina (g/dl) Variação do hematócrito (%) Duração do internamento pós- operatório (dias) Alta no 1º dia pós- operatório 73,24 ± 25,91 (35-145) 81,0 ± 25,67 ( ) 91,25 ± 37,70 * (40-180) < 0,05 1,53 ± 0,82 1,61 ± 0,97 1,16 ± 0,54 ns (0,1 3,6) (0,1 4,7) (0,0 2,4) 4,99 ± 2,63 5,15 ± 2,74 4,01 ± 1,83 ns (0,6 11,1) (0,2 13,7) (0,4 6,9) 1,48 ± 0,94 1,53 ± 0,97 1,49 ± 0,78 ns (1-8) (1-8) (1-4) 70 (66,7%) 48 (60%) 27 (65,9%) ns média ± desvio- padrão; mín máx; n (%); p < 0.05: * vs. Normal; ns: estafsfcamente não significafvo

19 Resultados ü Complicações intra ou pós- operatórias: Normal Excesso de peso Obesidade p Complicações major 2 (1,90%) 2 (2,50%) 0 (0%) Complicações minor 9 (8,57%) 6 (7,50%) 6 (14,63%) Morbilidade global 11 (10,48%) 8 (10%) 6 (14,63%) ns (p=0,719) n (%); ns: estafsfcamente não significafvo

20 Resultados ü Complicações major intra ou pós- operatórias: Normal Excesso de peso Obesidade Complicações major Complicações anestésicas major Conversão para laparotomia Deiscência da cúpula vaginal Lesão ureteral ou vesical Perfuração intesfnal Hemorragia ou hematoma da cúpula com necessidade de transfusão ou drenagem Embolia pulmonar

21 Resultados ü Complicações minor intra ou pós- operatórias: Normal Excesso de peso Obesidade Hemorragia sem necessidade de transfusão sanguínea Lesão iatrogénica da serosa intesfnal Infeciosas Trato urinário inferior Cúpula vaginal Cicatriz umbilical (com ystula) Febre InconFnência urinária Trombose venosa profunda Problemas anestésicos minor

22 Discussão: Limitações Estudo retrospefvo Fonte de informação: processos clínicos

23 Conclusões A duração do internamento após a cirurgia e a diferença entre a hemoglobina e hematócrito pré e pós- operatório são similares, independentemente do IMC. A obesidade prolonga o tempo operatório médio de realização de HTL. A obesidade não aumenta a taxa de complicações das HTL.

24 Conclusões A realização de histerectomia totalmente laparoscópica é segura independentemente do índice de massa corporal.

25 Cristina Nogueira- Silva 1,2, Elisa Pereira 3, Sónia Barata 4, Conceição Alho 4, Filipa Osório 4,5, Carlos Calhaz- Jorge 4,5 1 Serviço de Ginecologia e Obstetrícia, Hospital de Braga; 2 Escola de Ciências da Saúde, Universidade do Minho; 3 Serviço de Ginecologia e Obstetrícia, Hospital do Espírito Santo - Évora; 4 Departamento de Obstetrícia, Ginecologia e Medicina da Reprodução do Hospital de Santa Maria, Centro Hospitalar Lisboa Norte; 5 Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa 1 de junho de 2013

Total laparoscopic hysterectomy: impact of body mass index on outcomes Impacto do índice de massa corporal na histerectomia totalmente laparoscópica

Total laparoscopic hysterectomy: impact of body mass index on outcomes Impacto do índice de massa corporal na histerectomia totalmente laparoscópica Original study/estudo original Total laparoscopic hysterectomy: impact of body mass index on outcomes Impacto do índice de massa corporal na histerectomia totalmente laparoscópica Filipa Osório*, Cristina

Leia mais

Cirurgias Minimamente Invasivas - o Momento Atual e o Futuro

Cirurgias Minimamente Invasivas - o Momento Atual e o Futuro Cirurgias Minimamente Invasivas - o Momento Atual e o Futuro Francisco J. Candido dos Reis Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da FMRP-USP O Início Em 1805, Phillip Bozzini desenvolve o cistoscópio.

Leia mais

AS FACES DA GINECOLOGIA 185ª REUNIÃO DA SOCIEDADE PORTUGUESA DE GINECOLOGIA

AS FACES DA GINECOLOGIA 185ª REUNIÃO DA SOCIEDADE PORTUGUESA DE GINECOLOGIA SIMPÓSIO 2016 AS FACES DA GINECOLOGIA 185ª REUNIÃO DA SOCIEDADE PORTUGUESA DE GINECOLOGIA 3 E 4 JUNHO HOSPITAL DE BRAGA IMAGEM: AD MÉDIC PROGRAMA Científico 2 JUNHO - 5ª Feira CURSO PRÉ-SIMPÓSIO: ECOGRAFIA

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS HISTERECTOMIAS VAGINAIS REALIZADAS NO HOSPITAL DE CÍNICAS DE TERESÓPOLIS.

AVALIAÇÃO DAS HISTERECTOMIAS VAGINAIS REALIZADAS NO HOSPITAL DE CÍNICAS DE TERESÓPOLIS. AVALIAÇÃO DAS HISTERECTOMIAS VAGINAIS REALIZADAS NO HOSPITAL DE CÍNICAS DE TERESÓPOLIS. VASCONCELLOS, Marcus Jose do Amaral. Docente do Curso de Graduação em Medicina. FAGUNDES, Maitê Salles Perna. Discente

Leia mais

Síndroma de apneia do sono

Síndroma de apneia do sono Síndroma de apneia do sono - mais uma peça no puzzle do cluster de fatores de risco cardiovascular Cátia Costa, Joana Rodrigues, Nuno Cabanelas, Filipa Valente, Margarida Leal, Isabel Monteiro Serviço

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O(A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização ao(à)

Leia mais

Endometriose: Diagnóstico e Tratamento

Endometriose: Diagnóstico e Tratamento Endometriose: Diagnóstico e Tratamento Alysson Zanatta Diretor de Comunicação, Associação de Ginecologia e Obstetrícia do Distrito Federal Doutor em Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade de São

Leia mais

Despacho nº 5739/2015, de 29 de maio Lista de indicadores para monitorização da qualidade

Despacho nº 5739/2015, de 29 de maio Lista de indicadores para monitorização da qualidade Despacho nº 5739/2015, de 29 de maio Lista de indicadores para monitorização da qualidade Cláudia Medeiros Borges ACSS Departamento de Gestão e Financiamento de Prestações de Saúde-DPS 9 de julho 2015

Leia mais

PRÉ-REQUISITO R4 ENDOSCOPIA GINECOLÓGICA (403) ORGANIZADOR

PRÉ-REQUISITO R4 ENDOSCOPIA GINECOLÓGICA (403) ORGANIZADOR RESIDÊNCIA MÉDICA (UERJ-FCM) 0 PRÉ-REQUISITO (R) / 0 PROVA ESCRITA PRÉ-REQUISITO R ENDOSCOPIA GINECOLÓGICA (0) 0 RESIDÊNCIA MÉDICA (UERJ-FCM) 0 PRÉ-REQUISITO (R) / 0 PROVA ESCRITA OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA

Leia mais

24ª Jornada de Obstetrícia e Ginecologia da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo 10 a 12 de junho de 2010

24ª Jornada de Obstetrícia e Ginecologia da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo 10 a 12 de junho de 2010 24ª Jornada de e Ginecologia da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo 10 a 12 de junho de 2010 Centro de Convenções Rebouças São Paulo Centro de Estudos Ayres Netto Condutas em Ginecologia e (10/3/2010)

Leia mais

CIRURGIAS DO SISTEMA GENITAL FEMININO. João Moreira da Costa Neto

CIRURGIAS DO SISTEMA GENITAL FEMININO. João Moreira da Costa Neto CIRURGIAS DO SISTEMA GENITAL FEMININO João Moreira da Costa Neto CIRURGIAS DO OVÁRIO E ÚTERO Ovariosalpingohisterectomia Cesariana Ovariosalpingohisterectomia Indicações Inibição do ciclo estral Distúrbios

Leia mais

Especialidades Cirúrgicas: Cirurgia minimamente invasiva

Especialidades Cirúrgicas: Cirurgia minimamente invasiva Reflexão I As características da cirurgia minimamente invasiva O aparecimento da cirurgia minimamente invasiva resultou da necessidade de desenvolver instrumentos menos invasivos aliados a abordagens cirúrgicas

Leia mais

Codificação Clínica e Desempenho Hospitalar

Codificação Clínica e Desempenho Hospitalar Codificação Clínica e Desempenho Hospitalar Chefe de Serviço de Medicina Interna Directora da Área de Medicina do CHLC Mestre de Gestão em Saúde pela FML Auditora da Codificação do CHLC Formadora em Codificação

Leia mais

Data Versão/Revisões Descrição Autor 06/06/ Proposta inicial F.A.A.C; M.C.V, S.R.P.T

Data Versão/Revisões Descrição Autor 06/06/ Proposta inicial F.A.A.C; M.C.V, S.R.P.T UTIPrCL06 1 de 6 Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta inicial F.A.A.C; M.C.V, S.R.P.T 1 Objetivo Fornecer um sistema seguro de administração de heparina por

Leia mais

VIII Curso de Pós-Graduação em Nutrição Entérica e Parentérica

VIII Curso de Pós-Graduação em Nutrição Entérica e Parentérica VIII Curso de Pós-Graduação em Nutrição Entérica e Parentérica Complicações da Cirurgia Bariátrica Porto, 31 de Março de 2009 A. Sérgio Complicações da cirurgia bariátrica Potenciais Candidatos Todos os

Leia mais

INCIDÊNCIA DE NÁUSEAS E VÓMITOS NO PÓS-OPERATÓRIO EM PEDIATRIA

INCIDÊNCIA DE NÁUSEAS E VÓMITOS NO PÓS-OPERATÓRIO EM PEDIATRIA V Encontro de Anestesia Pediátrica 16 de Junho de 2012 INCIDÊNCIA DE NÁUSEAS E VÓMITOS NO PÓS-OPERATÓRIO EM PEDIATRIA Celina Oliveira 2, Artur Vieira 2, Luísa Guedes 1, Susana Vargas 1, Fernanda Barros

Leia mais

CH Setúbal, EPE - Hospital de S. Bernardo

CH Setúbal, EPE - Hospital de S. Bernardo Histórico do rating CH Setúbal, EPE - Hospital de S. Bernardo Dimensão Excelência Clínica Área de Ortopedia Artroplastias da Anca e Joelho e Fraturas proximais do fémur Alteração de apresentação da área

Leia mais

ORGANIZADOR. Página 1 de 6

ORGANIZADOR. Página 1 de 6 RESIDÊNCIA MÉDICA UERJ 07 Página de 6 RESIDÊNCIA MÉDICA UERJ 07 ENDOSCOPIA GINECOLÓGICA ) Mulher de 6 anos, com prole constituída, optou por método contraceptivo cirúrgico. Após avaliar o caso, o médico

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO INFORMADO

TERMO DE CONSENTIMENTO INFORMADO TERMO DE CONSENTIMENTO INFORMADO PREZADO PACIENTE: O Termo de Consentimento Informado é um documento no qual sua AUTONOMIA (vontade) em CONSENTIR (autorizar) é manifestada. A intervenção cirúrgica indicada

Leia mais

FORMULÁRIO TERMO DE CONSENTIMENTO OBSTETRÍCIA: PARTO NORMAL OU CESÁREA

FORMULÁRIO TERMO DE CONSENTIMENTO OBSTETRÍCIA: PARTO NORMAL OU CESÁREA FORMULÁRIO Código: FOR DC / SM nº 247 Data Emissão: 27/03/2017 Versão: 001 TERMO DE CONSENTIMENTO OBSTETRÍCIA: PARTO NORMAL OU CESÁREA 1. PACIENTE No. IDENTIDADE ÓRGÃO EXPEDIDOR DATA NASCIMENTO No. PRONTUÁRIO

Leia mais

I SIMPÓSIO DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM OBESIDADE, CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA

I SIMPÓSIO DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM OBESIDADE, CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA I SIMPÓSIO DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM OBESIDADE, CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA Avaliação, diagnóstico e acompanhamento do paciente no pré e pós operatório REALIZAÇÃO APOIO JUSTIFICATIVA É crescente

Leia mais

TERMO DE ESCLARECIMENTO E CONSENTIMENTO INFORMADO PARA PARTO

TERMO DE ESCLARECIMENTO E CONSENTIMENTO INFORMADO PARA PARTO 1/5 O objetivo deste Termo de Esclarecimento e Consentimento é esclarecer os procedimentos médicos que ocorrerão por ocasião do seu parto, ressaltando-se que você deverá tirar todas as suas dúvidas com

Leia mais

HISTERECTOMIAS: ESTUDO RETROSPECTIVO DE 554 CASOS

HISTERECTOMIAS: ESTUDO RETROSPECTIVO DE 554 CASOS HYSTERECTOMIES: A RETROSPECTIVE STUDY OF 554 CASES Eddie Fernando Cândido Murta, ACBC-MG 1 Juliana Delfino dos Reis 2 Juliana Misson Abrão 2 Juliana Muniz Miziara 2 RESUMO: Objetivo: A histerectomia é

Leia mais

CONSENTIMENTO INFORMADO PARA PIELOLITOTOMIA VIDEOLAPAROSCÓPICA (CALCULOSE RENAL).

CONSENTIMENTO INFORMADO PARA PIELOLITOTOMIA VIDEOLAPAROSCÓPICA (CALCULOSE RENAL). CONSENTIMENTO INFORMADO PARA PIELOLITOTOMIA VIDEOLAPAROSCÓPICA (CALCULOSE RENAL). Eu, abaixo assinado, autorizo o Dr....e/ou os seus assistentes a realizar uma PIELOLITOTOMIA VIDEOLAPAROSCÓPICA (remoção

Leia mais

Hospital Distrital da Figueira da Foz, EPE

Hospital Distrital da Figueira da Foz, EPE Histórico do rating Hospital Distrital da Figueira da Foz, EPE Dimensão Excelência Clínica Set 2010 Jan Jul Ago Abr 2015 22/02/2016 01/08/2016 Área de Ortopedia Artroplastias da Anca e Joelho e Fraturas

Leia mais

Trauma Urogenital Proteus 2016

Trauma Urogenital Proteus 2016 Trauma Urogenital Proteus 2016 Fernando Ferreira Gomes Filho Medico do Departamento de Urologia - Faculdade de Medicina de Botucatu Unesp Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia Trauma Renal

Leia mais

O que é a obesidade? Nas doenças associadas destacam-se a diabetes tipo II e as doenças cardiovasculares.

O que é a obesidade? Nas doenças associadas destacam-se a diabetes tipo II e as doenças cardiovasculares. obesidade O que é a obesidade? A obesidade é considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) a epidemia do século XXI! O excesso de peso e a obesidade são diferentes graus de uma doença em que se verifica

Leia mais

ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO EDITAL Nº. 17 DE 24 DE AGOSTO DE 2017

ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO EDITAL Nº. 17 DE 24 DE AGOSTO DE 2017 ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO EDITAL Nº. 17 DE 24 DE AGOSTO DE 2017 ÁREA DE CONHECIMENTO: CIRURGIA GERAL 4. Cuidados Pré, trans e pós operatório. 5. Resposta endócrina e metabólica ao trauma. 6. Infecção

Leia mais

TROCANDO IDÉIAS XX. MICROCARCINOMA: Quando indicar histerectomia?

TROCANDO IDÉIAS XX. MICROCARCINOMA: Quando indicar histerectomia? TROCANDO IDÉIAS XX MICROCARCINOMA: Quando indicar histerectomia? Gutemberg Almeida ISSVD UFRJ ABPTGIC Carcinoma Microinvasor IA1 - Invasão do estroma < 3 mm em profundidade e < 7 mm em extensão IA2 - Invasão

Leia mais

17/06/15. Administração de misoprostol previamente a procedimentos histeroscópicos. Histeroscopia. Preparação cervical. Preparação cervical

17/06/15. Administração de misoprostol previamente a procedimentos histeroscópicos. Histeroscopia. Preparação cervical. Preparação cervical Administração de misoprostol previamente a procedimentos histeroscópicos Histeroscopia A taxa de complicações decorrentes de procedimentos histeroscópicos é baixa (1-1,5%) Maioria relacionada com a introdução

Leia mais

IMPLICAÇÕES DA CLASSE DE ÍNDICE DE MASSA CORPORAL E OBESIDADE ABDOMINAL NO RISCO E GRAVIDADE DA HIPERTENSÃO ARTERIAL EM PORTUGAL

IMPLICAÇÕES DA CLASSE DE ÍNDICE DE MASSA CORPORAL E OBESIDADE ABDOMINAL NO RISCO E GRAVIDADE DA HIPERTENSÃO ARTERIAL EM PORTUGAL CONGRESSO PORTUGUÊS DE CARDIOLOGIA IMPLICAÇÕES DA CLASSE DE ÍNDICE DE MASSA CORPORAL E OBESIDADE ABDOMINAL NO RISCO E GRAVIDADE DA HIPERTENSÃO ARTERIAL EM PORTUGAL Susana Martins, Nuno Cortez-Dias, Adriana

Leia mais

Relevância Clínica da Síndrome Metabólica nos Indivíduos Não Obesos

Relevância Clínica da Síndrome Metabólica nos Indivíduos Não Obesos CONGRESSO PORTUGUÊS DE CARDIOLOGIA Relevância Clínica da Síndrome Metabólica nos Indivíduos Não Obesos Susana Martins, Nuno Cortez-Dias, Adriana Belo*, Manuela Fiuza Serviço de Cardiologia - Hospital de

Leia mais

Gilmara Noronha Guimarães 1 Rafaela Campos Emídio 2 Rogério Raulino Bernardino Introdução

Gilmara Noronha Guimarães 1 Rafaela Campos Emídio 2 Rogério Raulino Bernardino Introdução Comparação entre a média de permanência padronizada pelo Ministério da Saúde e a calculada em tempo real de um Hospital de Ensino da cidade de Manaus - AM. 1. Introdução Gilmara Noronha Guimarães 1 Rafaela

Leia mais

Histerectomia Totalmente Laparoscópica: Análise Retrospetiva de 262 Casos

Histerectomia Totalmente Laparoscópica: Análise Retrospetiva de 262 Casos Histerectomia Totalmente Laparoscópica: Análise Retrospetiva de 262 Casos Total Laparoscopic Hysterectomy: Retrospective Analysis of 262 Cases Cristina NOGUEIRA-SILVA 1,2, Samuel SANTOS-RIBEIRO 3,4, Sónia

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O (A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização

Leia mais

TERMO DE ESCLARECIMENTO E CONSENTIMENTO INFORMADO PARA PARTO

TERMO DE ESCLARECIMENTO E CONSENTIMENTO INFORMADO PARA PARTO 1/7 O objetivo deste Termo de Esclarecimento e Consentimento é esclarecer os procedimentos médicos que ocorrerão por ocasião do seu parto, ressaltando-se que você deverá tirar todas as suas dúvidas com

Leia mais

Braquiterapia Ginecológica

Braquiterapia Ginecológica Braquiterapia Ginecológica Indicações e recomendações clínicas American Brachytherapy Society (ABS) European Society for Radiotherapy & Oncology (GEC-ESTRO) Rejane Carolina Franco Hospital Erasto Gaertner-

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O (A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O (A) paciente, ou seu responsável _, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização

Leia mais

Ex-Presidente da Sociedade Goiana de Ginecologia e Obstetrícia. Mestre em Doenças Infecciosas e Parasitárias pelo IPTESP UFG

Ex-Presidente da Sociedade Goiana de Ginecologia e Obstetrícia. Mestre em Doenças Infecciosas e Parasitárias pelo IPTESP UFG Ex-Presidente da Sociedade Goiana de Ginecologia e Obstetrícia Mestre em Doenças Infecciosas e Parasitárias pelo IPTESP UFG Professor da Faculdade de Medicina da UFG. Sociedade Goiana de Ginecologia e

Leia mais

CAPÍTULO 18. MIOMAS SUBMUCOSOS: ESTADIAMEnTOS PARA TRATAMEnTO HISTEROSCÓPICO. 1. INTRODUçãO

CAPÍTULO 18. MIOMAS SUBMUCOSOS: ESTADIAMEnTOS PARA TRATAMEnTO HISTEROSCÓPICO. 1. INTRODUçãO CAPÍTULO 18 MIOMAS SUBMUCOSOS: ESTADIAMEnTOS PARA TRATAMEnTO HISTEROSCÓPICO 1. INTRODUçãO Leiomiomas uterinos são os tumores mais frequentes do trato genital feminino, clinicamente aparentes em 25% das

Leia mais

Paciente: Representante Legal. Endereço:

Paciente: Representante Legal. Endereço: O objetivo deste Termo de Consentimento Livre e Esclarecido é comunicar e esclarecer os procedimentos médicos que ocorrerão por ocasião do seu parto, devendo discutir todas as suas dúvidas com seu médico

Leia mais

Avaliação de Tecnologias em Saúde. Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências

Avaliação de Tecnologias em Saúde. Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências Avaliação de Tecnologias em Saúde Assunto: Habib 4X e Habib 4X Laparoscópico Dispositivos para ressecção bipolar Canoas, Julho de 2012. Câmara Técnica de

Leia mais

Tumores Neuroendócrino do Pâncreas - Tratamento cirúrgico dos insulinomas pancreáticos

Tumores Neuroendócrino do Pâncreas - Tratamento cirúrgico dos insulinomas pancreáticos Tumores Neuroendócrino do Pâncreas - Tratamento cirúrgico dos insulinomas pancreáticos Dr. José Jukemura Assistente Doutor da Disciplina de Cirurgia do Aparelho Digestivo FMUSP Classificação WHO 2004 TEBD-PB

Leia mais

AVALIAÇÃO DO TEMPO CIRÚRGICO E DE RECUPERAÇÃO PÓS- OPERATÓRIA NAS PACIENTES SUBMETIDAS À HISTERECTOMIA

AVALIAÇÃO DO TEMPO CIRÚRGICO E DE RECUPERAÇÃO PÓS- OPERATÓRIA NAS PACIENTES SUBMETIDAS À HISTERECTOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA: CIÊNCIAS MÉDICAS SERVIÇO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA AVALIAÇÃO DO TEMPO CIRÚRGICO E DE RECUPERAÇÃO

Leia mais

VÍDEO-LAPAROSCOPIA EM CIRURGIA GERAL

VÍDEO-LAPAROSCOPIA EM CIRURGIA GERAL VÍDEO-LAPAROSCOPIA EM CIRURGIA GERAL A vídeolaparoscopia é uma técnica cirúrgica que apresentou um grande avanço nos últimos anos, possibilitando uma série de intervenções, antes jamais imaginadas, por

Leia mais

MESA REDONDA: INDICADORES

MESA REDONDA: INDICADORES MESA REDONDA: INDICADORES INDICADORES CLÍNICOS Conceição Barata Médica Codificadora Clínica Objectivos A importância do registo no Processo Clínico. Para que serve a Codificação Clínica. Que Indicadores

Leia mais

Anestesia. em cirurgia cardíaca pediátrica. por Bruno Araújo Silva

Anestesia. em cirurgia cardíaca pediátrica. por Bruno Araújo Silva I N C O R C R I A N Ç A Anestesia em cirurgia cardíaca pediátrica A anestesia é um dos elementos fundamentais no cuidado dos pacientes que serão submetidos a cirurgia cardíaca para tratamento de cardiopatias

Leia mais

ÍNDICE Pág. 1 INTRODUÇÃO PARTICIPANTES INSTRUMENTOS PROCEDIMENTOS ANÁLISE DESCRITIVA ANÁLISE INFERENCIAL 60

ÍNDICE Pág. 1 INTRODUÇÃO PARTICIPANTES INSTRUMENTOS PROCEDIMENTOS ANÁLISE DESCRITIVA ANÁLISE INFERENCIAL 60 ÍNDICE Pág. 1 INTRODUÇÃO. 15 2 MATERIAIS E MÉTODOS 33 2.1 PARTICIPANTES 35 2.2 INSTRUMENTOS 36 2.3 PROCEDIMENTOS 41 3 APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS 45 3.1 - ANÁLISE DESCRITIVA 45 3.1.1. Caracterização sócio-demográfica

Leia mais

APÊNDICE NOMENCLATURA SUS PARA PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS SELECIONADOS

APÊNDICE NOMENCLATURA SUS PARA PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS SELECIONADOS APÊNDICE NOMENCLATURA SUS PARA PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS SELECIONADOS NOMENCLATURA PARA NOTIFICAÇÃO Apendicectomia CRITÉRIO PARA NOTIFICAÇÃO remoção do apêndice (não acidental por outro procedimento), realizada

Leia mais

FICHA DE AVALIAÇÃO EM PROCTOLOGIA ANAMNESE

FICHA DE AVALIAÇÃO EM PROCTOLOGIA ANAMNESE IDENTIFICAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CURSO DE FISIOTERAPIA CLINICA ESCOLA DE FISIOTERAPIA AMBULATÓRIO DE FISIOTERAPIA DO ASSOALHO PÉLVICO FICHA DE AVALIAÇÃO EM PROCTOLOGIA ANAMNESE PRONTUÁRIO:...

Leia mais

, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização ao(à) médico(a)

, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização ao(à) médico(a) TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O (A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O (A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização

Leia mais

, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização ao(à) médico (a)

, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização ao(à) médico (a) TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O (A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização

Leia mais

Capítulo 15 Perinatologia PATOLOGIA PERINATAL

Capítulo 15 Perinatologia PATOLOGIA PERINATAL Capítulo 15 Perinatologia PATOLOGIA PERINATAL Tanto as patologias como as anomalias que têm origem no período perinatal estão classificadas no capítulo 15 da CID-9-MC e categorias 760 779. LOCALIZAÇÃO

Leia mais

Marcos Sekine Enoch Meira João Pimenta

Marcos Sekine Enoch Meira João Pimenta FIBRILAÇÃO ATRIAL NO PÓS-OPERATÓRIO IMEDIATO DE CIRURGIA CARDÍACA COM CIRCULAÇÃO EXTRA-CORPÓREA. Avaliação de fatores pré-operatórios predisponentes e evolução médio prazo. Marcos Sekine Enoch Meira João

Leia mais

PROJECTO DE INVESTIGAÇÃO DESTINADO À ELABORAÇÃO DE UMA DISSERTAÇÃO ORIGINAL NO ÂMBITO DO CURSO DE MESTRADO EM EPIDEMIOLOGIA (1ª EDIÇÃO)

PROJECTO DE INVESTIGAÇÃO DESTINADO À ELABORAÇÃO DE UMA DISSERTAÇÃO ORIGINAL NO ÂMBITO DO CURSO DE MESTRADO EM EPIDEMIOLOGIA (1ª EDIÇÃO) PROJECTO DE INVESTIGAÇÃO DESTINADO À ELABORAÇÃO DE UMA DISSERTAÇÃO ORIGINAL NO ÂMBITO DO CURSO DE MESTRADO EM EPIDEMIOLOGIA (1ª EDIÇÃO) Prevalência e Factores de Sucesso do Aleitamento Materno no Hospital

Leia mais

Histerectomia Vaginal versus Histerectomia Abdominal em Mulheres sem Prolapso Genital, em Maternidade-Escola do Recife: Ensaio Clínico Randomizado

Histerectomia Vaginal versus Histerectomia Abdominal em Mulheres sem Prolapso Genital, em Maternidade-Escola do Recife: Ensaio Clínico Randomizado RBGO 25 (3): 169-176, 2003 Trabalhos Originais Histerectomia Vaginal versus Histerectomia Abdominal em Mulheres sem Prolapso Genital, em Maternidade-Escola do Recife: Ensaio Clínico Randomizado Vaginal

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA MONITORES MEDICINA /2017.1

PROCESSO SELETIVO PARA MONITORES MEDICINA /2017.1 FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DA PARAÍBA DIREÇÃO ACADÊMICA COORDENAÇÃO DO CURSO DE MEDICINA COORDENAÇÃO DE LABORATÓRIOS PROCESSO SELETIVO PARA MONITORES MEDICINA 2016.2/2017.1 PERÍODO DE INSCRIÇÃO: 02/08/2016

Leia mais

Quando operar um doente com colecistite aguda calculosa?

Quando operar um doente com colecistite aguda calculosa? Quando operar um doente com colecistite aguda calculosa? José Gustavo Parreira Médico Assistente. Serviço de Emergência. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo Professor Assistente. Departamento

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O (A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização

Leia mais

COLECISTITE AGUDA TCBC-SP

COLECISTITE AGUDA TCBC-SP Colégio Brasileiro de Cirurgiões Capítulo de São Paulo COLECISTITE AGUDA Tercio De Campos TCBC-SP São Paulo, 28 de julho de 2007 Importância 10-20% população c/ litíase vesicular 15% sintomáticos 500.000-700.000

Leia mais

VMNI no pós operatório e em procedimentos

VMNI no pós operatório e em procedimentos VMNI no pós operatório e em procedimentos Ricardo Goulart Rodrigues rgourod@uol.com.br Cenário Atual Cada ano são realizadas aprox. 234 milhões de cirurgias com anestesia geral ou raqui. Complicações pulmonares

Leia mais

Caso clínico. S.A.G, 35 anos

Caso clínico. S.A.G, 35 anos Caso clínico S.A.G, 35 anos Negra, casada, prendas domésticas. Natural de Poços de Caldas - MG, Procedente de Botucatu - SP. G4 P3 A0 C0 DUM: 23/07/2014 1º US: 27/10/2014 (14s 1d DUM correta) IG: 32s 5d

Leia mais

SCORE DE RISCO TROMBÓTICO NA GRAVIDEZ E PUERPÉRIO

SCORE DE RISCO TROMBÓTICO NA GRAVIDEZ E PUERPÉRIO SCORE DE RISCO TROMBÓTICO NA GRAVIDEZ E PUERPÉRIO Jorge Lima 1, Augusta Borges 2 RESUMO Sendo o tromboembolismo venoso (TEV) na gravidez a maior causa passível de prevenção de morbimortalidade materna,

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O(A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização ao

Leia mais

Rodrigo de Morais Hanriot Radioterapeuta Sênior Hospital Israelita Albert Einstein e Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Rodrigo de Morais Hanriot Radioterapeuta Sênior Hospital Israelita Albert Einstein e Hospital Alemão Oswaldo Cruz Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Câncer Ginecológico Rodrigo de Morais Hanriot Radioterapeuta Sênior Hospital Israelita Albert Einstein e Hospital Alemão Oswaldo Cruz Índice Neoplasia endometrial

Leia mais

CONGRESSO BRASILEIRO DE FISIOTERAPIA DERMATO FUNCIONAL 08 a 10 DE NOVEMBRO 2012 RECIFE PE MODALIDADE PÔSTER

CONGRESSO BRASILEIRO DE FISIOTERAPIA DERMATO FUNCIONAL 08 a 10 DE NOVEMBRO 2012 RECIFE PE MODALIDADE PÔSTER CARACTERIZAÇÃO E PREVALÊNCIA DA TENSÃO PRÉ- MENSTRUAL EM MULHERES JOVENS Danielle de Oliveira Ribeiro; Barbara Evelyn Barros Guimarães; Aline Fernanda Perez Machado; Rogério Eduardo Tacani; Pascale Mutti

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O (A) paciente, ou seu responsável,declara,para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização ao

Leia mais

Preditores de lesão renal aguda em doentes submetidos a implantação de prótese aórtica por via percutânea

Preditores de lesão renal aguda em doentes submetidos a implantação de prótese aórtica por via percutânea Preditores de lesão renal aguda em doentes submetidos a implantação de prótese aórtica por via percutânea Sérgio Madeira, João Brito, Maria Salomé Carvalho, Mariana Castro, António Tralhão, Francisco Costa,

Leia mais

APENDICITE AGUDA O QUE É APÊNCIDE CECAL? O QUE É APENDICITE E PORQUE OCORRE

APENDICITE AGUDA O QUE É APÊNCIDE CECAL? O QUE É APENDICITE E PORQUE OCORRE APENDICITE AGUDA O QUE É APÊNCIDE CECAL? O apêndice vermiforme ou apêndice cecal é uma pequena extensão tubular, com alguns centímetros de extensão, terminada em fundo cego, localizado no ceco, primeira

Leia mais

CAPITULO III METODOLOGIA

CAPITULO III METODOLOGIA CAPITULO III METODOLOGIA A metodologia seguida neste trabalho é referente a um estudo descritivo e quantitativo. Isto porque a natureza do trabalho desenvolve-se na correlação e comparação entre as diferentes

Leia mais

Manual de Cirurgia Segura

Manual de Cirurgia Segura Manual de Cirurgia Segura Índice Apresentação... pág. 4 Termos de Consentimento Informado... pág. 4 Lateralidade... pág. 5 Profilaxia Antibiótica... pág. 6 Time Out ou Pausa Cirúrgica... pág. 7 NR 32...

Leia mais

Resolução CNRM Nº 11, de 10 de agosto de 2005

Resolução CNRM Nº 11, de 10 de agosto de 2005 Resolução CNRM Nº 11, de 10 de agosto de 2005 Dispõe sobre conteúdos do Programa de Residência Médica de Cirurgia Geral e Cirurgia Geral Programa Avançado. O Presidente da Comissão Nacional de Residência

Leia mais

VI CURSO PÓS-GRADUADO Aperfeiçoamento em Sutura Laparoscópica. CHLN - HOSPITAL DE SANTA MARIA 4 e 5 de Mar. 2016 UNIDADE DE CIRURGIA EXPERIMENTAL

VI CURSO PÓS-GRADUADO Aperfeiçoamento em Sutura Laparoscópica. CHLN - HOSPITAL DE SANTA MARIA 4 e 5 de Mar. 2016 UNIDADE DE CIRURGIA EXPERIMENTAL VI CURSO PÓS-GRADUADO Aperfeiçoamento em Sutura Laparoscópica CHLN - HOSPITAL DE SANTA MARIA 4 e 5 de Mar. 2016 UNIDADE DE CIRURGIA EXPERIMENTAL VI CURSO PÓS-GRADUADO Aperfeiçoamento em Sutura Laparoscópica

Leia mais

Que importância para os indicadores de resultado? A campanha da OMS Cirurgia Segura, salva vidas

Que importância para os indicadores de resultado? A campanha da OMS Cirurgia Segura, salva vidas Que importância para os indicadores de resultado? A campanha da OMS Cirurgia Segura, salva vidas Manuel Valente / Enfermeiro Especialista / Nov. 2013 Inquérito A taxa de mortalidade infantil, em Portugal,

Leia mais

Tipos de Estudos Clínicos: Classificação da Epidemiologia. Profa. Dra. Maria Meimei Brevidelli

Tipos de Estudos Clínicos: Classificação da Epidemiologia. Profa. Dra. Maria Meimei Brevidelli Tipos de Estudos Clínicos: Classificação da Epidemiologia Profa. Dra. Maria Meimei Brevidelli Roteiro da Apresentação 1. Estrutura da Pesquisa Científica 2. Classificação dos estudos epidemiológicos 3.

Leia mais

INFECÇÃO EM CIRURGIA. Prof. Gustavo Santos

INFECÇÃO EM CIRURGIA. Prof. Gustavo Santos INFECÇÃO EM CIRURGIA Prof. Gustavo Santos "i sing and play the guitar and i'm a walking, talking bacterial infection" - Kurt Cobain INTRODUÇÃO Incidência sempre temível Imaginologia fundamental para o

Leia mais

Avaliação nutricional do paciente

Avaliação nutricional do paciente Avaliação nutricional do paciente Muito gordo ou muito magro? O que fazer com esta informação? Avaliação nutricional do paciente 1) Anamnese (inquérito alimentar) 2) Exame físico 3) Exames laboratoriais

Leia mais

Serviço de Cardiologia, Hospital do Espírito Santo de Évora. Serviço de Cardiologia, Hospital Distrital de Santarém

Serviço de Cardiologia, Hospital do Espírito Santo de Évora. Serviço de Cardiologia, Hospital Distrital de Santarém PREDITORES DE DOENÇA ARTERIAL CORONÁRIA SIGNIFICATIVA DO TRONCO COMUM E/OU DE 3 VASOS EM DOENTES COM ENFARTE AGUDO DO MIOCÁRDIO SEM ELEVAÇÃO DO SEGMENTO ST E SCORE GRACEDE BAIXO RISCO João Filipe Carvalho

Leia mais

Campanha PBCI. Hospital de Braga. Isabel Veloso

Campanha PBCI. Hospital de Braga. Isabel Veloso Campanha PBCI Hospital de Braga Isabel Veloso 5 Maio, 2016 Campanha de Higiene das Mãos 2008 a 2010 Hospital São Marcos - Braga Campanha de Higiene das mãos Campanha de Higiene das Mãos Campanha de Higiene

Leia mais

Avaliação de Desempenho Médico. Erica Mota de Sousa Batista Médica Infectologista Gerente Qualidade Nacional do Americas Serviços Médicos

Avaliação de Desempenho Médico. Erica Mota de Sousa Batista Médica Infectologista Gerente Qualidade Nacional do Americas Serviços Médicos Avaliação de Desempenho Médico Erica Mota de Sousa Batista Médica Infectologista Gerente Qualidade Nacional do Americas Serviços Médicos 1 Hospital Business Map 2 Estrutura Hospitalar e Ambulatorial 3

Leia mais

CIRURGIA BARIÁTRICA Critérios de Indicação. Prof. Ms. Everton Cazzo Assistente Grupo de Cirurgia Bariátrica e Metabólica HC/UNICAMP

CIRURGIA BARIÁTRICA Critérios de Indicação. Prof. Ms. Everton Cazzo Assistente Grupo de Cirurgia Bariátrica e Metabólica HC/UNICAMP CIRURGIA BARIÁTRICA Critérios de Indicação Prof. Ms. Everton Cazzo Assistente Grupo de Cirurgia Bariátrica e Metabólica HC/UNICAMP Obesidade Acúmulo excessivo de gordura causado pelo desequilíbrio entre

Leia mais

Colégio de Ginecologia/Obstetrícia

Colégio de Ginecologia/Obstetrícia Colégio de Critérios de Idoneidade Formativa Com a implementação das alterações havidas no Regime do Internato de Obstetrícia/Ginecologia consubstanciadas no novo Programa de Internato da Portaria n 129/2005,

Leia mais

OFICIAIS DE SÁUDE DA PM DE MINAS GERAIS.

OFICIAIS DE SÁUDE DA PM DE MINAS GERAIS. OFICIAIS DE SÁUDE DA PM DE MINAS GERAIS 1 Como passar no Concurso para Oficiais de Sáude da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG)? Plano de Estudo / Manual da Aprovação Querida (o) Aluna (o), Hoje conversaremos

Leia mais

Tratamento por Hipotermia na PCR: Experiência no Pré- Hospitalar e Urgência

Tratamento por Hipotermia na PCR: Experiência no Pré- Hospitalar e Urgência Tratamento por Hipotermia na PCR: Experiência no Pré- Hospitalar e Urgência Hospital São José Centro Hospitalar de Lisboa Central Tiago Amaral MSc, RN, PHRN, CNS enf.tiagoamaral@gmail.com Serviço Urgência

Leia mais

Complicações em videolaparoscopia. marcoams - inomed

Complicações em videolaparoscopia. marcoams - inomed Complicações em videolaparoscopia 02 a 04 setembro 2010 Espaço OAB Montes Claros MG Prof. Dr. Marco Aurélio Martins de Souza HISTÓRICO Primeira laparoscopia 1901 Alemão Georg Kelling cão - cistoscópio.

Leia mais

MEDICINA PÓS OPERATÓRIA UNIDADE DE DOR AGUDA

MEDICINA PÓS OPERATÓRIA UNIDADE DE DOR AGUDA MEDICINA PÓS OPERATÓRIA UNIDADE DE DOR AGUDA Sessão Clínica Hospitalar Hospital Fernando Fonseca Departamento de Anestesiologia, Reanimação e Terapêutica da Dor Director : Dr. Lucindo Ormonde Coordenadora

Leia mais

Recém-nascido de termo com baixo peso

Recém-nascido de termo com baixo peso Reunião de Obstetrícia e Neonatologia Abril 2014 Recém-nascido de termo com baixo peso Departamento da Mulher, da Criança e do Jovem Unidade Local de Saúde de Matosinhos - ULSM Andreia A. Martins 1, Ângela

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL NA PRÁTICA CLÍNICA

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL NA PRÁTICA CLÍNICA AVALIAÇÃO NUTRICIONAL NA PRÁTICA CLÍNICA NUTRIÇÃO CLÍNICA 2010/2011 2º SEMESTRE OBJECTIVOS Verificar desvios nutricionais egrau Identificar doentes com necessidade de intervenção nutricional Avaliar a

Leia mais

CÂNCER DE COLO DE ÚTERO OPERADO RADIOTERAPIA COMPLEMENTAR: INDICAÇÕES E RESULTADOS

CÂNCER DE COLO DE ÚTERO OPERADO RADIOTERAPIA COMPLEMENTAR: INDICAÇÕES E RESULTADOS CÂNCER DE COLO DE ÚTERO OPERADO RADIOTERAPIA COMPLEMENTAR: INDICAÇÕES E RESULTADOS Hospital Erasto Gaertner Serviço de Radioterapia Sílvia Pecoits Câncer de Colo Uterino 500.000 casos novos no mundo com

Leia mais

UNIMED GRANDE FLORIANÓPOLIS

UNIMED GRANDE FLORIANÓPOLIS Form-DVAD-17 Revisão: 01 Emissão: 08/03/2017 PROTOCOLO DE SOLICITAÇÃO PARA TRATAMENTO CIRÚRGICO DE OBESIDADE MÓRBIDA Prezado cliente da Unimed! Você está recebendo o protocolo de solicitação para realizar

Leia mais

"Nova" abdominoplastia ensaiada no S. João é referência no mundo

Nova abdominoplastia ensaiada no S. João é referência no mundo "Nova" abdominoplastia ensaiada no S. João é referência no mundo lecnica inovadora e distinguida com prémio internacional reduz riscos de complicações no pós-operatório numa cirurgia cada vez mais em voga

Leia mais

2 Procedimentos Médicos Gerenciados Hospital Cárdio Pulmonar

2 Procedimentos Médicos Gerenciados Hospital Cárdio Pulmonar 2 Procedimentos Médicos Gerenciados Hospital Cárdio Pulmonar Procedimentos Médicos Gerenciados Hospital Cárdio Pulmonar 3 4 Procedimentos Médicos Gerenciados Hospital Cárdio Pulmonar Procedimentos Médicos

Leia mais

RADIOTERAPIA ADJUVANTE NO CÂNCER DO ENDOMÉTRIO

RADIOTERAPIA ADJUVANTE NO CÂNCER DO ENDOMÉTRIO XI Congresso Brasileiro de Radioterapia RADIOTERAPIA ADJUVANTE NO CÂNCER DO ENDOMÉTRIO FELIPE QUINTINO KUHNEN Hospital de Caridade Florianópolis, SC CEPON Florianópolis, SC Hospital São José Criciúma,

Leia mais

Módulo 1 ABORDAGEM E OPÇÕES TERAPÊUTICAS NO DOENTE COM LITÍASE RENAL AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA CÓLICA RENAL 3 OBSERVAÇÃO 4 OPÇÕES TERAPÊUTICAS

Módulo 1 ABORDAGEM E OPÇÕES TERAPÊUTICAS NO DOENTE COM LITÍASE RENAL AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA CÓLICA RENAL 3 OBSERVAÇÃO 4 OPÇÕES TERAPÊUTICAS ABORDAGEM E OPÇÕES TERAPÊUTICAS NO DOENTE COM LITÍASE RENAL Módulo 1 Palestrante: Dr. Luis Miguel Abranches Monteiro Urologia Moderador: Prof. Carlos Martins Medicina Geral e Familiar 01 Abril 2017 URO/2017/0010/PTp,

Leia mais

PROVAS DE FUNÇÃO RESPIRATÓRIA ESPIROMETRIA

PROVAS DE FUNÇÃO RESPIRATÓRIA ESPIROMETRIA PROVAS DE FUNÇÃO RESPIRATÓRIA ESPIROMETRIA CASUÍSTICA DO SERVIÇO DE MFR 2005-2010 CENTRO HOSPITALAR E UNIVERSITÁRIO DE COIMBRA Sara Bastos, Filipa Januário, Carla Amaral Introdução Volumes e os débitos

Leia mais