ENSAIO COMPARATIVO DE CULTIVARES DE SOJA EM ÁREA DE SEQUEIRO, GUAÍRA-SP. SAFRA 2015/16

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ENSAIO COMPARATIVO DE CULTIVARES DE SOJA EM ÁREA DE SEQUEIRO, GUAÍRA-SP. SAFRA 2015/16"

Transcrição

1 ENSAIO COMPARATIVO DE CULTIVARES DE SOJA EM ÁREA DE SEQUEIRO, GUAÍRA-SP. SAFRA 2015/16 COMPARATIVE STUDY AMONG DIFFERENT SOYBEAN CULTIVARS AT CONVENTIONAL TIME IN GUAÍRA, SP. 2015/16 CROP Ivana Marino Bárbaro-Torneli (1) Renato Massaro Sobrinho (2) Paloma Helena da Silva Libório (3) Fernando Bergantini Miguel (4) Laerte Souza Bárbaro Junior (5) Sandra Helena Unêda-Trevisoli (6) Resumo A avaliação de desempenho é de extrema importância na recomendação de cultivares para determinada região, pois os materiais genéticos mais adaptados apresentam melhor desenvolvimento e, consequentemente, maior nível de produtividade. O presente trabalho objetivou avaliar o comportamento de 44 cultivares de soja em área de sequeiro (sem irrigação) quanto às características agronômicas das plantas: acamamento, estande e produtividade de grãos, na safra 2015/16, em Guaíra-SP. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados, com três repetições, e as médias comparadas pelo Scott Knott (5%). De modo geral, 27 cultivares estão adaptadas às condições edafoclimáticas da região por apresentaram médias de produtividade superiores a média geral do ensaio que foi de 2560,15 kg.ha -1, estande satisfatório, bem como, resistência ao acamamento. Palavras-chave: Ensaio regional. Genótipos. Glycine max. Produtividade de grãos. Abstract The performance evaluation is an important procedure for recommendation of a cultivar to an specific region, because the better adapted will present superior development and bigger level of productivity. The work aimed evaluates the behavior of 44 soybean cultivars, related to agronomical characteristics of plants stand, lodging and productivity of grains, when sowed in conventional time. The experimental design was randomized blocks with tree replicates, and the averages compared with Scott Knott Test (5%). Overall, it is viable soybean production at Guaira, SP, because practically 27 cultivars evaluated are adapted to the soil and climate conditions of that area, had mean higher productivity overall average of the test that was 2560,15 kg ha -1, satisfactory plants stand; as well as lodging resistance. Keywords: Regional study. Genotypes. Glycine max. Productivity of grains. (1),(4) Pesquisadores Científicos da APTA/SAA- Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, Polo Regional de Desenvolvimento Tecnológico da Alta Mogiana, Colina, SP (2) Engenheiro Agrônomo do Sindicato Rural de Guaíra, SP; (3) Graduanda do curso de Agronomia do Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos, SP, UNIFEB; (5) Doutor em Agronomia (Produção Vegetal) pela Unesp/FCAV; (6) Profa. Dra. do Departamento de Produção Vegetal da Unesp/FCAV, câmpus de Jaboticabal, SP

2 1. Introdução Estudos de competição de cultivares são de extrema importância para a recomendação para determinada região, pois materiais mais adaptados oferecem maiores níveis de produtividade e o sucesso em relação a produtividade é condicionado pelo genótipo do material e pela sua interação com as variações ambientais (YUYAMA, 1991). Assim, nas regiões de cultivo da soja, deve-se proceder a condução de ensaios comparativos analisando o maior número de cultivares possíveis, pois permitirá uma seleção mais precisa daqueles materiais que apresentam adaptação às condições edafoclimáticas, mostrando potencial para utilização. Diante deste contexto, objetivou-se avaliar em ensaio comparativo de cultivares de soja em área de sequeiro, na região de Guaíra SP, as características agronômicas acamamento, estande e produtividade de grãos. 2. Material e Métodos O experimento foi instalado em época convencional em 04/11/2015, na Fazenda Matinha, proprietário Francisco Muraishi, em área de sequeiro (não irrigada) com as coordenadas geográficas: 20 19' 03'' latitude, 48 18' 48'' e altitude de 490m, localizada na Rodovia SP 425, Km 63, no município de Guaíra-SP. A colheita foi realizada em 22/02/2016. Foram avaliadas 44 cultivares de soja com as tecnologias IPRO e RR de diferentes obtentores (empresas), no delineamento experimental de blocos casualizados, com três repetições. A parcela experimental foi constituída por 8 linhas de 5 metros de comprimento, com espaçamento entre linhas de 0,5m, sendo a parcela útil com área de 7,5m 2, representada pelas 3 linhas centrais. A adubação de semeadura constou da dose de 270 kg.ha -1 da fórmula e em cobertura foi realizada a aplicação de 100 kg.ha -1 de KCl. Todas as técnicas de cultivo da soja, como época de semeadura, população de plantas, controle de plantas daninhas, insetos e doenças seguiram as recomendações técnicas para a cultura da soja da Embrapa (2014). Foram avaliadas as características agronômicas: produtividade em kg.ha -1 (PG): todas as plantas da área útil foram colhidas cuidadosamente, separadas e identificadas para posterior trilhagem. Pesaram- se os grãos da parcela útil (7,5 m 2 ) e calculou-se a produtividade em kg.ha -1, sendo esta corrigida para teor de umidade de 13%; estande final (EF): média do número de plantas por metro linear obtido pelo valor médio 3 linhas de 5 metros de

3 comprimento, expresso em plantas/m linear; acamamento (Ac): avaliado através de uma escala visual de notas de acordo com as características: 1 - todas as plantas eretas na unidade experimental; 2 - plantas ligeiramente inclinada ou algumas plantas acamadas; 3 plantas moderadamente inclinadas ou 25 a 50% de plantas acamadas; 4 - plantas consideravelmente inclinadas ou 50 a 80% de plantas acamadas; 5 - todas as plantas prostradas; porcentagem sobre a média do ensaio: % estimada de produtividade de grãos de cada cultivar em relação à média geral do ensaio, considerando 100%, a média geral do ensaio. Realizaram-se os testes de pressuposições estatísticos para testar a normalidade dos erros e homogeneidade das variâncias e em seguida a análise de variância e comparação de médias pelo teste de Scott Knott a 5% sem a necessidade de transformação dos dados. Para a porcentagem sobre a média do ensaio não foram realizadas as análises de variância, uma vez que foi estimada apenas para melhor visualização das cultivares em relação à média geral do ensaio em termos de produtividade por meio de representação gráfica. 3. Resultados e Discussão A média geral do ensaio comparativo foi de 2560,15 kg.ha -1 para produtividade de grãos; 13,72 plantas/metro linear para estande; e 1,25 para índice de acamamento (Tabela 1). Em relação a PG, ocorreu a formação de cinco agrupamentos pelo teste de Scott Knott, sendo o primeiro grupo formado por 16 cultivares com média de produtividade de 2994,82 kg ha -1 ; o segundo constituído por 13 cultivares com 2681,4 kg ha -1, o terceiro com 11 cultivares com média de 2165, 84 kg ha -1, o quarto agrupamento representado por duas cultivares com média de 1710,02 kg ha -1 e o quinto com as cultivares CD 202 IPRO e IGRA 645 RR com média de 1313,69 kg ha -1. Para o EF, também se observou cinco grupos com valores médios de 15,86; 15,02; 12,08; 9,37 e 5,60 plantas/m para respectivamente 16, 14, 10, 3 e 1 cultivar (es). Quanto ao Ac, as cultivares formaram apenas dois agrupamentos com notas atribuídas na parcela útil de no máximo 2,0, indicando resistência ao caráter em questão (Tabela 1).

4 TABELA 1 - Ensaio comparativo de 44 cultivares de soja em área de sequeiro, Guaíra-SP. Safra 2015/16. Cultivares Produtividade % em relação a Estande Final Acamamento notas kg.ha -1 média do ensaio plantas/m FPS SOLAR IPRO 2007,79 c 78,4 14,00 b 1,00 b TMG ,83 b 103,7 14,27 b 2,00 a AS 3680 IPRO 2000,98 c 78,2 11,82 c 1,00 b AS 3730 IPRO 2681,82 b 104,8 11,76 c 1,00 b AS 3610 IPRO 2473,71 b 96,6 9,62 d 1,00 b NS 6700 IPRO 2886,79 a 112,8 15,13a 1,00 b GMS ,58 c 81,1 9,13 d 2,00 a TEC ,13 b 103,9 12,51 c 1,00 b CZ 36B31 IPRO 3021,92 a 118,0 12,85 c 1,00 b 97Y07 RR 1711,53 d 66,9 5,60 e 1,00 b XB 55H ,72 c 90,1 13,40b 1,00 b 97R21RR 2188,84 c 85,5 11,89 c 1,00 b G 3316 IPRO 2749,69 b 107,4 15,40 a 1,00 b KWS 6813 RR 2812,62 b 110,0 17,09 a 1,00 b NS 7490 RR 2272,03 c 88,7 13,29 b 1,00 b M 5947 IPRO 2906,63 a 113,5 16,40 a 1,00 b NS 7709 IPRO 2287,51 c 89,4 14,44 b 2,00 a FPS SOLAR IPRO 1708,52 d 66,7 13,64b 1,00 b SYN 1366 IPRO 3218,21 a 125,7 14,56 b 1,00 b SYN IPRO 2858,10 a 104,5 13,34b 1,00 b JUPITER RR 1939,36 c 75,8 12,84 c 2,00 a VALENTE 2675,69 b 104,5 14,80 b 2,00 a FUNDACEP 2174,71 c 84,9 12,47 c 1,00 b TEC 6702 IPRO 3020,26 a 118,0 15,29 a 2,00 a NS 5909 RR A 2945,42 a 115,0 16,13 a 1,00 b NS 5909 RR B 3162,62 a 123,5 15,42 a 1,00 b NS 5909 RR C 3026,20 a 118,2 15,49 a 1,00 b GMS 429 RR 2386,56 c 93,2 9,36d 2,00 a ST 620 IPRO 2887,13 a 112,8 14,20 b 1,00 b IGRA 645 RR 1292,97 e 50,5 11,00c 2,00 a TEC 5936 IPRO 2183,20 c 85,3 12,13 c 2,00 a IGRA 526 RR 2937,58 a 114,7 11,55 c 1,00 b M 7110 IPRO 3075,07 a 120,1 13,47 b 1,00 b 17RR 2505,74 b 97,9 13,40 b 1,00 b 41 RR 2910,31 a 113,7 14,02 b 1,00 b CD 202 IPRO 1334,40 e 52,12 15,80 a 2,00 a BRS 39RR 2698,22 b 105,4 17,64 a 1,00 b M5947 IPRO ,80 a 117,1 15,55 a 1,00 b CD 2591 IPRO 2787,25 b 108,9 15,64 a 1,00 b CD 2728 IPRO 2725,04 b 106,4 15,56 a 1,00 b CD 2720 IPRO 2876,13 a 112,3 16,58 a 1,00 b NS 6700 IPRO ,37 b 103,7 15,18 a 1,00 b PRODUZZA RR 2775,63 b 108,4 14,40b 2,00 a NS 5909 RR TEST 3195,96 a 124,8 15,42 a 1,00 b Média Geral 2560,15 100% 13,72 1,25 CV (%) 7,74-7,64 6,03 Médias seguidas pelas mesmas letras minúsculas na coluna não diferem estatisticamente pelo teste de Scott Knott a 5 % de probabilidade. CV = coeficiente de variação experimental. Na Figura 1 constam as cultivares quanto a porcentagem de produtividade em relação à média geral do ensaio. Nota-se, que das 44 cultivares testadas, 27 cultivares foram superiores à média geral do ensaio e podem ser consideradas adaptadas as condições climáticas da região de Guaíra, SP.

5 FIGURA 1 - Porcentagem das cultivares sobre a média geral do ensaio comparativo de soja em área de sequeiro, na Fazenda Matinha. Guaíra, SP. Safra 2015/16. De modo geral, várias cultivares testadas tiveram desempenho produtivo acima das médias nacional do Brasil, da região Sudeste e Estado de São Paulo, verificada no período convencional safra 2014/15 (CONAB, 2016). 4. Conclusões Das cultivares avaliadas no ensaio comparativo, 61,36% estão adaptadas às condições edafoclimáticas da região de Guaíra, SP, por apresentaram médias de produtividade superiores à média geral do ensaio, estande satisfatório, bem como, resistência ao acamamento. Referências CONAB - Acomp. safra bras. grãos, v. 5- Safra 2015/16 - Quinto levantamento, Brasília, p , fevereiro Monitoramento agrícola Cultivos de verão (safra 2015/16). EMBRAPA. Tecnologias de produção de soja Região Central do Brasil 2014a. Londrina: Embrapa Soja, p. 21cm. (Sistemas de Produção / Embrapa Soja, ISSN ; n.16). YUYAMA, K. Avaliação de algumas características agronômicas e morfofisiológicas de cinco cultivares de soja (Glycine max (L.) Merrill), cultivados em solo de várzea e de terra firme da Amazônia Central. Tese (Doutorado em Agronomia - Produção Vegetal) - Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal, f.

Ensaio de Cultivares em Rede de Soja Safra 2014/2015

Ensaio de Cultivares em Rede de Soja Safra 2014/2015 Ensaio de Cultivares em Rede de Soja Safra 2014/2015 REALIZAÇÃO: Apoio www.fundacaoprosementes.com.br A Fundação Pró-Sementes 1999 Constituída por 39 Produtores de sementes do estado do Rio Grande do Sul

Leia mais

PRODUÇÃO DE MAMONEIRA CV BRS 149 NORDESTINA ADUBADA COM NITROGÊNIO, FOSFÓRO E POTÁSSIO

PRODUÇÃO DE MAMONEIRA CV BRS 149 NORDESTINA ADUBADA COM NITROGÊNIO, FOSFÓRO E POTÁSSIO Página 755 PRODUÇÃO DE MAMONEIRA CV BRS 149 NORDESTINA ADUBADA COM NITROGÊNIO, FOSFÓRO E POTÁSSIO Evandro Franklin de Mesquita 1,2, Lúcia Helena Garofálo Chaves 3, Hugo Orlando carvallo Guerra3, Diva Lima

Leia mais

COMPORTAMENTO DE HÍBRIDOS EXPERIMENTAIS DE MILHO EM CONDIÇÕES DE ESTRESSES DE SECA

COMPORTAMENTO DE HÍBRIDOS EXPERIMENTAIS DE MILHO EM CONDIÇÕES DE ESTRESSES DE SECA COMPORTAMENTO DE HÍBRIDOS EXPERIMENTAIS DE MILHO EM CONDIÇÕES DE ESTRESSES DE SECA Marco Antônio Ferreira Varanda 1 ; Aurélio Vaz de Melo 2 ; Rubens Ribeiro da Silva³ 1 Aluno do Curso de Agronomia; Campus

Leia mais

Cultivo de melancia irrigada submetida a diferentes doses de NPK no sul do Tocantins.

Cultivo de melancia irrigada submetida a diferentes doses de NPK no sul do Tocantins. Cultivo de melancia irrigada submetida a diferentes doses de NPK no sul do Tocantins. Luciano Marcelo Fallé Saboya 1 ; Rita de Cassia Cunha Saboya 2 ; Valdeci Pinheiro Júnior 3 ; Jacinto Pereira da Silva

Leia mais

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE FEIJÃO-CAUPI EM CONDIÇÕES IRRIGADAS PARA O MERCADO DO FEIJÃO-VERDE EM TERESINA-PI

AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE FEIJÃO-CAUPI EM CONDIÇÕES IRRIGADAS PARA O MERCADO DO FEIJÃO-VERDE EM TERESINA-PI Área: Genética e Melhoramento AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE FEIJÃO-CAUPI EM CONDIÇÕES IRRIGADAS PARA O MERCADO DO FEIJÃO-VERDE EM TERESINA-PI Jaqueline Luz Moura Sousa 1 ; Maurisrael de Moura Rocha 2 ; Raylson

Leia mais

Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Milho Safra 2010/2011

Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Milho Safra 2010/2011 3 Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Milho Safra 200/20 André Luis F. Lourenção 3.. Introdução Analisando o oitavo levantamento da Conab (20), observase que a área semeada com milho

Leia mais

AVALIAÇÃO DE PROGÊNIES DE MILHO NA PRESENÇA E AUSÊNCIA DE ADUBO

AVALIAÇÃO DE PROGÊNIES DE MILHO NA PRESENÇA E AUSÊNCIA DE ADUBO REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA ISSN 1677-0293 PERIODICIDADE SEMESTRAL ANO III EDIÇÃO NÚMERO 5 JUNHO DE 2004 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

PRODUTIVIDADE DA MAMONA HÍBRIDA SAVANA EM DIVERSAS POPULACÕES DE PLANTIO NO SUDOESTE DA BAHIA* fundacaoba.algodao@aiba.org.br; 4 Embrapa Algodão

PRODUTIVIDADE DA MAMONA HÍBRIDA SAVANA EM DIVERSAS POPULACÕES DE PLANTIO NO SUDOESTE DA BAHIA* fundacaoba.algodao@aiba.org.br; 4 Embrapa Algodão PRODUTIVIDADE DA MAMONA HÍBRIDA SAVANA EM DIVERSAS POPULACÕES DE PLANTIO NO SUDOESTE DA BAHIA* Gilvan Barbosa Ferreira 1, Ozório Lima de Vasconcelos 2, Murilo Barros Pedrosa 3, Arnaldo Rocha Alencar 4,

Leia mais

O PROBLEMA DO BAIXO NÚMERO DE REPETIÇÕES EM EXPERIMENTOS DE COMPETIÇÃO DE CULTIVARES

O PROBLEMA DO BAIXO NÚMERO DE REPETIÇÕES EM EXPERIMENTOS DE COMPETIÇÃO DE CULTIVARES O PROBLEMA DO BAIXO NÚMERO DE REPETIÇÕES EM EXPERIMENTOS DE COMPETIÇÃO DE CULTIVARES Cristiano Nunes Nesi 1, Antônio Lourenço Guidoni 2 Cleber Bringhenti 1 INTRODUÇÃO Uma questão importante a ser definida

Leia mais

Resultados da Avaliação de Cultivares de Milho IAC/APTA/CATI/Empresas Safra de Verão 2013/14. Aildson Pereira Duarte Programa Milho IAC/APTA

Resultados da Avaliação de Cultivares de Milho IAC/APTA/CATI/Empresas Safra de Verão 2013/14. Aildson Pereira Duarte Programa Milho IAC/APTA REUNIÃO TÉCNICA SOBRE A CULTURA DO MILHO CAMPINAS - Junho 2014 Resultados da Avaliação de Cultivares de Milho IAC/APTA/CATI/Empresas Safra de Verão 2013/14 Aildson Pereira Duarte Programa Milho IAC/APTA

Leia mais

RELATÓRIO FINAL. AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA

RELATÓRIO FINAL. AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA RELATÓRIO FINAL AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA Empresa solicitante: FOLLY FERTIL Técnicos responsáveis: Fabio Kempim Pittelkow¹ Rodrigo

Leia mais

Efeito de diferentes espaçamentos e densidades de semeadura no perfilhamento e produtividade de trigo

Efeito de diferentes espaçamentos e densidades de semeadura no perfilhamento e produtividade de trigo Efeito de diferentes espaçamentos e densidades de semeadura no perfilhamento e produtividade de trigo Gerson Sander 1, Antonio Carlos Torres da Costa 2, Jose Barbosa Junior Duarte 3 1 Eng. Agrôn., Mestrando

Leia mais

EFEITO DO ARRANJO DE PLANTAS NO RENDIMENTO E QUALIDADE DA FIBRA DE NOVAS CULTIVARES DE ALGODOEIRO HERBÁCEO NO AGRESTE DE ALAGOAS

EFEITO DO ARRANJO DE PLANTAS NO RENDIMENTO E QUALIDADE DA FIBRA DE NOVAS CULTIVARES DE ALGODOEIRO HERBÁCEO NO AGRESTE DE ALAGOAS EFEITO DO ARRANJO DE PLANTAS NO RENDIMENTO E QUALIDADE DA FIBRA DE NOVAS CULTIVARES DE ALGODOEIRO HERBÁCEO NO AGRESTE DE ALAGOAS Dacio Rocha Brito 1, Napoleão Esberard de Macêdo Beltrão 2, Jadson de Lira

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 455

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 455 Página 455 AVALIAÇÃO DA FITOMASSA SECA DA MAMONEIRA BRS 149 NORDESTINA SOB FERTILIZAÇÃO MINERAL Lúcia Helena Garófalo Chaves 1 ; Evandro Franklin de Mesquita 2,3 ; Hugo Orlando Carvallo Guerra 1 ; Diva

Leia mais

DENSIDADE DE SEMEADURA DE CULTIVARES DE MAMONA EM PELOTAS, RS 1

DENSIDADE DE SEMEADURA DE CULTIVARES DE MAMONA EM PELOTAS, RS 1 DENSIDADE DE SEMEADURA DE CULTIVARES DE MAMONA EM PELOTAS, RS 1 Sérgio Delmar dos Anjos e Silva 1, Rogério Ferreira Aires 2, João Guilherme Casagrande Junior 3, Claudia Fernanda Lemons e Silva 4 1 Embrapa

Leia mais

ENSAIOS DE ALGODOEIROS DE FIBRAS COLORIDAS NO VALE DO IUIU 1 INTRODUÇÃO

ENSAIOS DE ALGODOEIROS DE FIBRAS COLORIDAS NO VALE DO IUIU 1 INTRODUÇÃO Página 1376 ENSAIOS DE ALGODOEIROS DE FIBRAS COLORIDAS NO VALE DO IUIU 1 Murilo Barros Pedrosa 1 ; Osório Lima Vasconcelos 3 ; Camilo de Lelis Morello 2 ; Eleusio Curvelo Freire 4 ; Flávio Rodrigo Gandolfi

Leia mais

INFLUÊNCIA DO ESPAÇAMENTO ENTRE FILEIRAS NA CULTURA DO FEIJÃO CAUPI SOB CONDIÇÕES IRRIGADAS NO CARIRI CEARENSE

INFLUÊNCIA DO ESPAÇAMENTO ENTRE FILEIRAS NA CULTURA DO FEIJÃO CAUPI SOB CONDIÇÕES IRRIGADAS NO CARIRI CEARENSE Área: Fitotecnia INFLUÊNCIA DO ESPAÇAMENTO ENTRE FILEIRAS NA CULTURA DO FEIJÃO CAUPI SOB CONDIÇÕES IRRIGADAS NO CARIRI CEARENSE Josefa Maria Francieli da Silva 1 ; Paulo José de Moraes Máximo 1 ; Wesley

Leia mais

3 Simpósio Internacional de Agricultura de Precisão

3 Simpósio Internacional de Agricultura de Precisão MAS DE LUCRATIVIDADE DA SOJA EM SISTEMA DE CULTIVO AGRICULTURA DE PRECISÃO E CULTIVO CONVENCIONAL Juliano Brusco 1, Eduardo Godoy de Souza 2, Francelino Augusto Rodrigues Junior 3, Jerry Adriani Johann

Leia mais

ANÁLISE BIPLOT GENÓTIPOS X CARACTERÍSTICAS EM FASES INICIAIS DE MELHORAMENTO DO ALGODOEIRO

ANÁLISE BIPLOT GENÓTIPOS X CARACTERÍSTICAS EM FASES INICIAIS DE MELHORAMENTO DO ALGODOEIRO Página 1506 ANÁLISE BIPLOT GENÓTIPOS X CARACTERÍSTICAS EM FASES INICIAIS DE MELHORAMENTO DO ALGODOEIRO João Luís da Silva Filho (Embrapa Algodão joaoluis@cnpa.embrapa.br), Murilo Barros Pedrosa (Fundação

Leia mais

BALANÇO HÍDRICO PARA A CULTURA DA MELANCIA EM CAMPOS SALES, CEARÁ

BALANÇO HÍDRICO PARA A CULTURA DA MELANCIA EM CAMPOS SALES, CEARÁ BALANÇO HÍDRICO PARA A CULTURA DA MELANCIA EM CAMPOS SALES, CEARÁ R. N. F. MONTEIRO 1 ; A. S. de ANDRADE JUNIOR 2 ; K. N. LEITE 3 ; A. O. da SILVA 4 ; M. J. F. DANTAS 5. RESUMO: No Estado do Ceará, a fruticultura

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1527

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1527 Página 1527 ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE DE CUL TIVARES DE GIRASSOL NO NORDESTE BRASILEIRO NA SAFRA 2009 Ivênio Rubens de Oliveira¹; Hélio Wilson Lemos de Carvalho¹; Cláudio Guilherme Portela de Carvalho

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 486

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 486 Página 486 COMPONENTES DE PRODUÇÃO DA BRS NORDESTINA CULTIVADA EM DIFERENTES FONTES DE ADUBAÇÃO 1 Josely Dantas Fernandes 1, Lucia Helena Garófalo Chaves 2, José Pires Dantas 3, José Rodrigues Pacífico

Leia mais

Apresentado no XVI Congresso Brasileiro de Agrometeorologia 22 a 25 de setembro de 2009 Belo Horizonte - MG

Apresentado no XVI Congresso Brasileiro de Agrometeorologia 22 a 25 de setembro de 2009 Belo Horizonte - MG EFEITO DAS PLANTAS DE COBERTURA CONSORCIADAS COM A CULTURA DO MILHO, SEMEADAS NA LINHA SOBRE A OCORRÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS 1 1 Projeto financiado pelo MP6 da EMBRAPA Artur Gustavo Müller 2, Fernando

Leia mais

FORMULÁRIO PARA CADASTRO DE PROJETO DE PESQUISA E EXTENSÃO

FORMULÁRIO PARA CADASTRO DE PROJETO DE PESQUISA E EXTENSÃO Protocolo nº005 /2012 FORMULÁRIO PARA CADASTRO DE PROJETO DE PESQUISA E EXTENSÃO 1. Instruções 1 Deverá ser entregue 1 (uma) cópia impressa e 1 (uma) cópia via e-mail (na extensão.doc), encaminhados para

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA AGRICULTURA DE PRECISÃO NO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE - CÂMPUS RIO DO SUL

UTILIZAÇÃO DA AGRICULTURA DE PRECISÃO NO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE - CÂMPUS RIO DO SUL UTILIZAÇÃO DA AGRICULTURA DE PRECISÃO NO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE - CÂMPUS RIO DO SUL Guilherme ANDRZEJEWSKI 1, Marlon GOEDE 2, Fabrício C. MASIERO 3, Ricardo K. VEIGA 4, Dionata HOTZ 5. 1: Bolsista

Leia mais

Comportamento de cultivares de repolho em sistema orgânico de produção

Comportamento de cultivares de repolho em sistema orgânico de produção Comportamento de cultivares de repolho em sistema orgânico de produção Maria Urbana Corrêa Nunes 1 ; Luzia Nilda Tabosa Andrade 1 ; Miguel Michereff Filho 1 ; Adriane Oliveira Cunha 2 ; Samuel Silva da

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 731

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 731 Página 731 POTENCIAL AGRÍCOLA DA UTILIZAÇÃO DE COMPOSTO ORGÂNICO DE LIXO URBANO NA CULTURA DO GIRASSOL1 João Paulo Gonsiorkiewicz Rigon 1 ;Moacir Tuzzin de Moraes 1 ; Fernando Arnuti 1 ; Maurício Roberto

Leia mais

EFEITO ALELOPÁTICO DE CANOLA (Brassica napus) NO DESENVOLVIMENTO. PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max) E PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max)

EFEITO ALELOPÁTICO DE CANOLA (Brassica napus) NO DESENVOLVIMENTO. PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max) E PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max) EFEITO ALELOPÁTICO DE CANOLA (Brassica napus) NO DESENVOLVIMENTO E PRODUÇÃO FINAL DE SOJA (Glycine max) Autor(es): Apresentador: Rodrigo Ciotti Orientador: Revisor 1: Revisor 2: Instituição: MOTTA, Marcelo;

Leia mais

13759 - Influência do Ciclo Lunar no Desenvolvimento e Rendimento de Coentro Coriandrum sativum L. Porto Alegre, RS, 2013.

13759 - Influência do Ciclo Lunar no Desenvolvimento e Rendimento de Coentro Coriandrum sativum L. Porto Alegre, RS, 2013. 13759 - Influência do Ciclo Lunar no Desenvolvimento e Rendimento de Coentro Coriandrum sativum L. Porto Alegre, RS, 2013. Influence of the lunar cycle of the moon in the development and yield of coriander

Leia mais

RENDIMENTO DE CULTIVARES DE FEIJÃO-CAUPI NAS CONDIÇÕES EDAFOCLIMÁTICAS DA REGIÃO DO MARAJÓ, PARÁ

RENDIMENTO DE CULTIVARES DE FEIJÃO-CAUPI NAS CONDIÇÕES EDAFOCLIMÁTICAS DA REGIÃO DO MARAJÓ, PARÁ Área: Genética e Melhoramento RENDIMENTO DE CULTIVARES DE FEIJÃO-CAUPI NAS CONDIÇÕES EDAFOCLIMÁTICAS DA REGIÃO DO MARAJÓ, PARÁ Sonia Maria Botelho 1 ; João Elias Lopes Rodrigues 2 ; Raimundo Nonato Teixeira

Leia mais

Estudo da dose de resposta de cobertura (N.K) na cultura do milho safrinha-mt Consultoria Pesquisa Agricultura de Precisão

Estudo da dose de resposta de cobertura (N.K) na cultura do milho safrinha-mt Consultoria Pesquisa Agricultura de Precisão Estudo da dose de resposta de cobertura (N.K) na cultura do milho safrinha-mt Consultor: Paulo Sérgio de Assunção Daniel Bennemann Frasson OBJETIVO O objetivo do presente trabalho foi realizar um estudo

Leia mais

ALTERAÇÕES QUÍMICAS DO SOLO E RENDIMENTO DE MILHO VERDE APÓS APLICAÇÃO DE COMPOSTAGEM DE CARCAÇA DE AVES

ALTERAÇÕES QUÍMICAS DO SOLO E RENDIMENTO DE MILHO VERDE APÓS APLICAÇÃO DE COMPOSTAGEM DE CARCAÇA DE AVES ALTERAÇÕES QUÍMICAS DO SOLO E RENDIMENTO DE MILHO VERDE APÓS APLICAÇÃO DE COMPOSTAGEM DE CARCAÇA DE AVES Pohlmann, R.A.C.* 1 ; Paulino, H.B. 2 ; Portugal, A.F. 3 ; Fernandes, M.S. 4 1 Mestranda da UFG

Leia mais

TRATAMENTO DAS SEMENTES COM INSETICIDAS, VISANDO AO CONTROLE DE PRAGAS EM CULTURAS DE ARROZ-DE-SEQUEIRO ( 1 )

TRATAMENTO DAS SEMENTES COM INSETICIDAS, VISANDO AO CONTROLE DE PRAGAS EM CULTURAS DE ARROZ-DE-SEQUEIRO ( 1 ) TRATAMENTO DAS SEMENTES COM INSETICIDAS, VISANDO AO CONTROLE DE PRAGAS EM CULTURAS DE ARROZ-DE-SEQUEIRO ( 1 ) DERLY MACHADO DE SOUZA, engenheiro-agrônomo, Seção de Arroz e Cereais de Inverno, Instituto

Leia mais

AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE ALGODÃO HERBÁCEO EM ESPAÇAMENTO ESTREITO COM CLORETO DE MEPIQUAT RESUMO

AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE ALGODÃO HERBÁCEO EM ESPAÇAMENTO ESTREITO COM CLORETO DE MEPIQUAT RESUMO AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE ALGODÃO HERBÁCEO EM ESPAÇAMENTO ESTREITO COM CLORETO DE MEPIQUAT Antonio César Bolonhezi (1), Edivaldo André Gomes (2) (1)UNESP-Ilha Solteira(SP) E-mail: bolonha@agr.feis.unesp.br.

Leia mais

Produção de Híbridos Comercias de Pimentão (Capsicum annuum) em Cultivo Protegido no Estado de Roraima.

Produção de Híbridos Comercias de Pimentão (Capsicum annuum) em Cultivo Protegido no Estado de Roraima. Produção de Híbridos Comercias de Pimentão (Capsicum annuum) em Cultivo Protegido no Estado de Roraima. Kátia de Lima Nechet (1) ; Bernardo de Almeida Halfeld-Vieira (1) ; Paulo Roberto Valle da Silva

Leia mais

Revista Educação Agrícola Superior Associação Brasileira de Educação Agrícola Superior - ABEAS - v.24, n.2, p.107-111, 2009.

Revista Educação Agrícola Superior Associação Brasileira de Educação Agrícola Superior - ABEAS - v.24, n.2, p.107-111, 2009. Revista Educação Agrícola Superior Associação Brasileira de Educação Agrícola Superior - ABEAS - v.24, n.2, p.107-111, 2009. DESENVOLVIMENTO DE PINHÃO-MANSO EM FUNÇÃO DE DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO

Leia mais

Embrapa Agropecuária Oeste. Documentos, 32 Embrapa Algodão. Documentos, 82

Embrapa Agropecuária Oeste. Documentos, 32 Embrapa Algodão. Documentos, 82 Embrapa Agropecuária Oeste. Documentos, 32 Embrapa Algodão. Documentos, 82 Exemplares desta publicação podem ser solicitados à: Embrapa Agropecuária Oeste Área de Comunicação Empresarial - ACE BR 163,

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE APOIO RURAL E COOPERATIVISMO SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇÃO DE CULTIVARES ANEXO VIII

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE APOIO RURAL E COOPERATIVISMO SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇÃO DE CULTIVARES ANEXO VIII MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE APOIO RURAL E COOPERATIVISMO SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇÃO DE CULTIVARES ANEXO VIII REQUISITOS MÍNIMOS PARA DETERMINAÇÃO DO VALOR DE CULTIVO

Leia mais

RADIAÇÃO SOLAR GLOBAL, SALDO DE RADIAÇÃO E FLUXO DE CALOR NO SOLO EM CULTIVO CONSORCIADO CAFÉ/COQUEIRO-ANÃO VERDE 1

RADIAÇÃO SOLAR GLOBAL, SALDO DE RADIAÇÃO E FLUXO DE CALOR NO SOLO EM CULTIVO CONSORCIADO CAFÉ/COQUEIRO-ANÃO VERDE 1 RADIAÇÃO SOLAR GLOBAL, SALDO DE RADIAÇÃO E FLUXO DE CALOR NO SOLO EM CULTIVO CONSORCIADO CAFÉ/COQUEIRO-ANÃO VERDE 1 PEZZOPANE, J.R.M. 2 ; GALLO, P.B. 3 ; PEDRO JÚNIOR, M.J. 4 1 Trabalho parcialmente financiado

Leia mais

Flutuação populacional de percevejo castanho da raiz [ Scaptocoris castanea (Perty, 1830)] em diversas espécies de plantas hospedeiras Resumo:

Flutuação populacional de percevejo castanho da raiz [ Scaptocoris castanea (Perty, 1830)] em diversas espécies de plantas hospedeiras Resumo: Flutuação populacional de percevejo castanho da raiz [Scaptocoris castanea (Perty, 1830)] em diversas espécies de plantas hospedeiras Resumo: Os objetivos do presente estudo foram: avaliar a flutuação

Leia mais

PERÍODO CRÍTICO DE COMPETIÇÃO DE FEIJÃO-CAUPI COM PLANTAS DANINHAS NA REGIÃO DE DOURADOS-MS

PERÍODO CRÍTICO DE COMPETIÇÃO DE FEIJÃO-CAUPI COM PLANTAS DANINHAS NA REGIÃO DE DOURADOS-MS Área: Fitotecnia PERÍODO CRÍTICO DE COMPETIÇÃO DE FEIJÃO-CAUPI COM PLANTAS DANINHAS NA REGIÃO DE DOURADOS-MS Germani Concenço 1 ; Gessi Ceccon 1 ; Igor Vinicius Talhari Correia 2 ; Sabrina Alves dos Santos

Leia mais

FERTILIDADE E MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM DIFERENTES SISTEMAS DE MANEJO DO SOLO

FERTILIDADE E MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM DIFERENTES SISTEMAS DE MANEJO DO SOLO FERTILIDADE E MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM DIFERENTES SISTEMAS DE MANEJO DO SOLO Henrique Pereira dos Santos 1, Renato Serena Fontaneli 1, Anderson Santi 1, Ana Maria Vargas 2 e Amauri Colet Verdi 2 1 Pesquisador,

Leia mais

Palavras-chave: componentes principais, melhoramento do algodoeiro, análise gráfica.

Palavras-chave: componentes principais, melhoramento do algodoeiro, análise gráfica. Página 496 SELEÇÃO DE LINHAGENS COM CARACTERÍSTICAS ESPECIAIS, FIBRA LONGA, VIA ANÁLISE BIPLOT GENÓTIPOS X CARACTEÍSTICAS João Luís da Silva Filho (Embrapa Algodão joaoluis@cnpa.embrapa.br), Murilo Barros

Leia mais

Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil

Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Lopes, Afonso; Pereira Lanças, Kléber; Pereira da Silva, Rouverson; Angeli Furlani, Carlos Eduardo; Kazushi

Leia mais

Avaliação de clones de batata tolerantes ao calor.

Avaliação de clones de batata tolerantes ao calor. Avaliação de clones de batata tolerantes ao calor. Alexsandro L.Teixeira 1 ; César A. Brasil P. Pinto 1; César A. T. Benavente 1 1 Universidade Federal de Lavras Departamento de Biologia (C.P. 3037, CEP

Leia mais

ADHESION LEVEL TO THE STRATEGIC PLAN OF CONTROL OF BOLL WEEVIL (Anthonomus grandis) IN DIFFERENT FARMS FROM THE REGION OF IPAMERI, GOIÁS

ADHESION LEVEL TO THE STRATEGIC PLAN OF CONTROL OF BOLL WEEVIL (Anthonomus grandis) IN DIFFERENT FARMS FROM THE REGION OF IPAMERI, GOIÁS NÍVEL DE ADESÃO AO PLANO ESTRATÉGICO DE CONTROLE DO BICUDO-DO-ALGODOEIRO (Anthonomus grandis) EM DIFERENTES PROPRIEDADES NA REGIÃO DE IPAMERI, GOIÁS (*) Márcio Antônio de Oliveira e Silva (Fundação GO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE GURUPI PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE GURUPI PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE GURUPI PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL EDMAR VINÍCIUS DE CARVALHO ENGENHEIRO AGRÔNOMO Avaliação do potencial produtivo de grãos e

Leia mais

Milho + investimento mínimo, máximo retorno. Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria

Milho + investimento mínimo, máximo retorno. Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria Milho + brachiaria: investimento mínimo, máximo retorno Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria Pesquisadores do Instituto Agronômico (IAC), de Campinas, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 923

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 923 Página 923 DOSES E FONTES DE NITROGÊNIO EM COBERTURA E CARACTERÍSTICAS PRODUTIVAS DO ALGODOEIRO EM SEMEADURA DIRETA Carlos Eduardo Rosa 1 ; Enes Furlani Júnior 2 ; Samuel Ferrari 3 ; Ana Paula Portugal

Leia mais

MANEJO DE PRAGAS DO AMENDOINZEIRO COM PRODUTOS ALTENATIVOS E CONVENCIONAIS

MANEJO DE PRAGAS DO AMENDOINZEIRO COM PRODUTOS ALTENATIVOS E CONVENCIONAIS Página 1014 MANEJO DE PRAGAS DO AMENDOINZEIRO COM PRODUTOS ALTENATIVOS E CONVENCIONAIS Raul Porfirio de Almeida 1 ; Aderdilânia Iane Barbosa de Azevedo 2 ; 1Embrapa Algodão, C.P. 174, 58.428-095, Campina

Leia mais

PARTIÇÃO DE MATÉRIA SECA DA SOJA (GLYCINE MAX (L.) MERRILL) EM RESPOSTA AO ESTRESSE DE LUZ E ÁGUA. Francisca Zenaide de Lima 1 e Luiz Cláudio Costa 2

PARTIÇÃO DE MATÉRIA SECA DA SOJA (GLYCINE MAX (L.) MERRILL) EM RESPOSTA AO ESTRESSE DE LUZ E ÁGUA. Francisca Zenaide de Lima 1 e Luiz Cláudio Costa 2 PARTIÇÃO DE MATÉRIA SECA DA SOJA (GLYCINE MAX (L.) MERRILL) EM RESPOSTA AO ESTRESSE DE LUZ E ÁGUA Francisca Zenaide de Lima 1 e Luiz Cláudio Costa 2 RESUMO: O objetivo deste trabalho foi o de avaliar os

Leia mais

Caracterização física de um Nitossolo Vermelho do Extremo Oeste Catarinense sob diferentes sistemas de uso 1

Caracterização física de um Nitossolo Vermelho do Extremo Oeste Catarinense sob diferentes sistemas de uso 1 CLAUDIA KLEIN, MARCIO LUIS VIEIRA, VILSON ANTONIO KLEIN Caracterização física de um Nitossolo Vermelho do Extremo Oeste Catarinense sob diferentes sistemas de uso 1 Claudia Klein 2, Marcio Luis Vieira

Leia mais

PRODUÇÃO E PRODUTIVIDADE DE BAGAÇO DA CANA-DE-AÇÚCAR AO LONGO DA SAFRA, VISANDO A COGERAÇÃO DE ENERGIA

PRODUÇÃO E PRODUTIVIDADE DE BAGAÇO DA CANA-DE-AÇÚCAR AO LONGO DA SAFRA, VISANDO A COGERAÇÃO DE ENERGIA PRODUÇÃO E PRODUTIVIDADE DE BAGAÇO DA CANA-DE-AÇÚCAR AO LONGO DA SAFRA, VISANDO A COGERAÇÃO DE ENERGIA Hélio Francisco da Silva Neto 1 ; Marcos Omir Marques 2 : Fernando Abackerli de Pauli 3 ; Luiz Carlos

Leia mais

NDVI de estádios de desenvolvimento da soja BRS 284 em condições de campo

NDVI de estádios de desenvolvimento da soja BRS 284 em condições de campo NDVI de estádios de desenvolvimento da soja BRS 284 em condições de campo Crusiol, L. G. T. 1 ; Neiverth, W. 2 ; Rio, A. 3 ; Sibaldelli, R. N. R. 4 ; Ferreira, L. C. 5 ; Carvalho, J. F. C. 6 ; Nepomuceno,

Leia mais

Relatório de pesquisa agrícola

Relatório de pesquisa agrícola Relatório de pesquisa agrícola Título: Competição de fungicidas no manejo de doenças da soja. Objetivo: Avaliar o desempenho dos fungicidas comerciais no manejo de doenças na cultura da soja na safra 2013/14.

Leia mais

Avaliação da eficiência agronômica de Azospirillum brasilense na cultura do trigo

Avaliação da eficiência agronômica de Azospirillum brasilense na cultura do trigo Avaliação da eficiência agronômica de Azospirillum brasilense na cultura do trigo Marcelo Cruz Mendes 1, Jerônimo Gadens do Rosário 2 Jean Carlos Zocche 3, Anna Laura Balzan Walter 3 e Kathia Szeuczuk

Leia mais

FEIJOEIRO NO NORTE DE MINAS GERAIS 1

FEIJOEIRO NO NORTE DE MINAS GERAIS 1 DENSIDADES POPULACIONAIS Densidades populacionais PARA para CULTIVARES cultivares alternativas... ALTERNATIVAS DE 1495 FEIJOEIRO NO NORTE DE MINAS GERAIS 1 Populational densities for alternative cultivars

Leia mais

MONITORAMENTO AGROCLIMÁTICO DA SAFRA DE VERÃO NO ANO AGRÍCOLA 2008/2009 NO PARANÁ

MONITORAMENTO AGROCLIMÁTICO DA SAFRA DE VERÃO NO ANO AGRÍCOLA 2008/2009 NO PARANÁ MONITORAMENTO AGROCLIMÁTICO DA SAFRA DE VERÃO NO ANO AGRÍCOLA 2008/2009 NO PARANÁ JONAS GALDINO 1, WILIAN DA S. RICCE 2, DANILO A. B. SILVA 1, PAULO H. CARAMORI 3, ROGÉRIO T. DE FARIA 4 1 Analista de Sistemas,

Leia mais

FEIJÃO-CAUPI EM MATO GROSSO DO SUL

FEIJÃO-CAUPI EM MATO GROSSO DO SUL Área: Sócio-economia FEIJÃO-CAUPI EM MATO GROSSO DO SUL Gessí Ceccon 1 ; Neriane de Souza Padilha 2 ; Eduardo de Moura Zanon 3 ; Leonardo Fernandes Leite 4 1 Eng. Agr. Dr., Embrapa Agropecuária Oeste,

Leia mais

AVALIAÇÃO ECONÔMICA DO CONTROLE PREVENTIVO DAS PRAGAS INICIAIS DO FUMO RESUMO

AVALIAÇÃO ECONÔMICA DO CONTROLE PREVENTIVO DAS PRAGAS INICIAIS DO FUMO RESUMO AVALIAÇÃO ECONÔMICA DO CONTROLE PREVENTIVO DAS PRAGAS INICIAIS DO FUMO Dionisio Link 1 Rodolpho Saenger Leal 2 RESUMO A avaliação econômica do controle preventivo das pragas iniciais da cultura do fumo

Leia mais

SEMENTES Cenário Atual e Desafios para o Futuro. Eng. Agr. Ivan Paghi Diretor Técnico Abrange

SEMENTES Cenário Atual e Desafios para o Futuro. Eng. Agr. Ivan Paghi Diretor Técnico Abrange SEMENTES Cenário Atual e Desafios para o Futuro Eng. Agr. Ivan Paghi Diretor Técnico Abrange Eng. Agr. Ivan Paghi Diretor Técnico AGREGANDO VALOR À SOJA E MILHO CIA S ASSOCIADAS Produtores Rurais - NGMO

Leia mais

SISTEMA AUTOMÁTICO DE PULVERIZAÇÃO UTILIZANDO TÉCNICAS DE PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS. PERNOMIAN, Viviane Araujo. DUARTE, Fernando Vieira

SISTEMA AUTOMÁTICO DE PULVERIZAÇÃO UTILIZANDO TÉCNICAS DE PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS. PERNOMIAN, Viviane Araujo. DUARTE, Fernando Vieira REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA ISSN 1677-0293 PERIODICIDADE SEMESTRAL ANO III EDIÇÃO NÚMERO 5 JUNHO DE 2004 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA PRODUÇÃO DE MAMONA EM UMA AMOSTRA DE PRODUTORES FAMILIARES DO NORDESTE

LEVANTAMENTO DOS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA PRODUÇÃO DE MAMONA EM UMA AMOSTRA DE PRODUTORES FAMILIARES DO NORDESTE LEVANTAMENTO DOS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA PRODUÇÃO DE MAMONA EM UMA AMOSTRA DE PRODUTORES FAMILIARES DO NORDESTE Vicente de Paula Queiroga 1, Robério Ferreira dos Santos 2 1Embrapa Algodão, queiroga@cnpa.embrapa.br,

Leia mais

Efeito da adubação mineral, adubação orgânica e associação dos mesmos na cultura do milho

Efeito da adubação mineral, adubação orgânica e associação dos mesmos na cultura do milho 173 Efeito da adubação mineral, adubação orgânica e associação dos mesmos na cultura do milho Marlon Luciel Frey 1, Carolina Amaral Tavares da Silva 1 e Flavia Carvalho Silva Fernandes 1 1 Faculdade Assis

Leia mais

IMPACTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBAIS SOBRE A INCIDÊNCIA DA FERRUGEM DO MILHO (Puccinia polysora) NO BRASIL UTILIZANDO GEOPROCESSAMENTO.

IMPACTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBAIS SOBRE A INCIDÊNCIA DA FERRUGEM DO MILHO (Puccinia polysora) NO BRASIL UTILIZANDO GEOPROCESSAMENTO. IMPACTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS GLOBAIS SOBRE A INCIDÊNCIA DA FERRUGEM DO MILHO (Puccinia polysora) NO BRASIL UTILIZANDO GEOPROCESSAMENTO. MIRIANE DE M. FÁVARO 1 ; EMÍLIA HAMADA 2 ; RAQUEL GHINI 3 ; ELIZABETH

Leia mais

QUALIDADE DA ÁGUA PARA USO EM IRRIGAÇÃO NA MICROBACIA DO CÓRREGO DO CINTURÃO VERDE, MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA

QUALIDADE DA ÁGUA PARA USO EM IRRIGAÇÃO NA MICROBACIA DO CÓRREGO DO CINTURÃO VERDE, MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA QUALIDADE DA ÁGUA PARA USO EM IRRIGAÇÃO NA MICROBACIA DO CÓRREGO DO CINTURÃO VERDE, MUNICÍPIO DE ILHA SOLTEIRA R.S. Moura 1 ; F.B.T. Hernandez 2 M.A. Leite 3 ; R.A.M. Franco 4 ; D.G. Feitosa 5 ; L.F. Machado

Leia mais

VIABILIDADE ECONÔMICA DE AQUISIÇÃO DE MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS PARA UMA PROPRIEDADE DE 1000HA COM PRODUÇÃO DE SOJA E GIRASSOL RESUMO

VIABILIDADE ECONÔMICA DE AQUISIÇÃO DE MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS PARA UMA PROPRIEDADE DE 1000HA COM PRODUÇÃO DE SOJA E GIRASSOL RESUMO VIABILIDADE ECONÔMICA DE AQUISIÇÃO DE MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS PARA UMA PROPRIEDADE DE 1000HA COM PRODUÇÃO DE SOJA E GIRASSOL Josué G. Delmond 1 ; Gracielly Ribeiro de Alcântara 1 ; Suely M. Cavalcante

Leia mais

Conceitos e Princípios Básicos da Experimentação

Conceitos e Princípios Básicos da Experimentação UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS NÚCLEO DE ESTUDOS EM GENÉTICA E MELHORAMENTO EXPERIMENTAÇÃO EM GENÉTICA E MELHORAMENTO Conceitos e Princípios Básicos da Experimentação Mestranda:

Leia mais

Brasil nova potência agrícola e ambiental?

Brasil nova potência agrícola e ambiental? Brasil nova potência agrícola e ambiental? Paulo Rabello de Castro Outubro 2010 Desafio produtivo do BRASIL2020 : produção de 200 milhões t grãos Como controlar a Degradação Ambiental? 2 Essa projeção

Leia mais

CONSELHO PERMANENTE DE AGROMETEOROLOGIA APLICADA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

CONSELHO PERMANENTE DE AGROMETEOROLOGIA APLICADA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO PERMANENTE DE AGROMETEOROLOGIA APLICADA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Prognósticos e recomendações para o período Maio/junho/julho de 2014 Boletim de Informações nº

Leia mais

RESISTÊNCIA PARCIAL DE GENÓTIPOS DE SOJA QUANTO A FERRUGEM ASIÁTICA SOB INOCULAÇÃO ARTIFICIAL

RESISTÊNCIA PARCIAL DE GENÓTIPOS DE SOJA QUANTO A FERRUGEM ASIÁTICA SOB INOCULAÇÃO ARTIFICIAL RESISTÊNCIA PARCIAL DE GENÓTIPOS DE SOJA QUANTO A FERRUGEM ASIÁTICA SOB INOCULAÇÃO ARTIFICIAL Analy Castilho Polizel 1 ; Fernando Cézar Juliatti 2 ; Fernanda Cristina Juliatti 3 1. Profª. Drª. Universidade

Leia mais

DÉBORA SAMARA CRUZ ROCHA FARIAS 1, JOSÉ DANTAS NETO 2

DÉBORA SAMARA CRUZ ROCHA FARIAS 1, JOSÉ DANTAS NETO 2 IRRIGAÇÃO COM DIFERENTES LÂMINAS DE ÁGUA SUPERFICIAL POLUÍDA E DIFERENTES DOSES DE ADUBAÇÃO FOSFATADA NA INFLUÊNCIA DO NÚMERO DE INFLORESCÊNCIA DO PINHÃO MANSO DÉBORA SAMARA CRUZ ROCHA FARIAS 1, JOSÉ DANTAS

Leia mais

Armazenamento de Grãos de Café (coffea arabica L.) em dois tipos de Embalagens e dois tipos de Processamento RESUMO

Armazenamento de Grãos de Café (coffea arabica L.) em dois tipos de Embalagens e dois tipos de Processamento RESUMO Armazenamento de Grãos de Café (coffea arabica L.) em dois tipos de Embalagens e dois tipos de Processamento 87 Felipe Carlos Spneski Sperotto 1, Fernando João Bispo Brandão 1, Magnun Antonio Penariol

Leia mais

INFLUÊNCIA DE PLANTAS DE COBERTURA DO SOLO NA OCORRÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS E NA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE TRIGO

INFLUÊNCIA DE PLANTAS DE COBERTURA DO SOLO NA OCORRÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS E NA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE TRIGO INFLUÊNCIA DE PLANTAS DE COBERTURA DO SOLO NA OCORRÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS E NA PRODUTIVIDADE DE GRÃOS DE TRIGO AMARAL, Kevin Bossoni do 1 ; CAMPOS, Ben-Hur Costa de 2 ; BIANCHI, Mario Antonio 3 Palavras-Chave:

Leia mais

Custo de Produção do Milho Safrinha 2012

Custo de Produção do Milho Safrinha 2012 09 Custo de Produção do Milho Safrinha 2012 1 Carlos DirceuPitol Luiz2 Broch1 Dirceu Luiz Broch Roney Simões Pedroso2 9.1. Introdução Os sistemas de produção da atividade agropecuária cada vez requerem

Leia mais

ALTERAÇÃO NOS TEORES E ESTOQUES DE CARBONO ORGÂNICO EM UM LATOSSOLO APÓS 23 ANOS SOB DIFERENTES PREPAROS DE SOLO E CULTURAS DE INVERNO 1

ALTERAÇÃO NOS TEORES E ESTOQUES DE CARBONO ORGÂNICO EM UM LATOSSOLO APÓS 23 ANOS SOB DIFERENTES PREPAROS DE SOLO E CULTURAS DE INVERNO 1 ALTERAÇÃO NOS TEORES E ESTOQUES DE CARBONO ORGÂNICO EM UM LATOSSOLO APÓS 23 ANOS SOB DIFERENTES PREPAROS DE SOLO E CULTURAS DE INVERNO 1 BELLINASO, Roque Junior Sartori 2 ; SANTOS, Danilo Rheinheimer dos

Leia mais

Variação Estacional de Preços de Cebola nos CEASAs de Minas Gerais

Variação Estacional de Preços de Cebola nos CEASAs de Minas Gerais Variação Estacional de Preços de Cebola nos CEASAs de Minas Gerais Pablo Forlan Vargas 1 ; Leila Trevizan Braz 2 ; Juliano Tadeu Vilela de Resende 3 ; André May 2 ; Elaine Maria dos Santos 3. 1 UNESP FCAV

Leia mais

ANÁLISE DA TEMPERATURA E UMIDADE DO AR EM ÁREA DE MANGUEZAL NA REGIÃO BRAGANTINA-PA

ANÁLISE DA TEMPERATURA E UMIDADE DO AR EM ÁREA DE MANGUEZAL NA REGIÃO BRAGANTINA-PA ANÁLISE DA TEMPERATURA E UMIDADE DO AR EM ÁREA DE MANGUEZAL NA REGIÃO BRAGANTINA-PA Vanda Maria Sales de Andrade Antônio Carlos Lôla da Costa Universidade Federal do Pará Rua Augusto Corrêa nº 01, Bairro

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO BAS 800 01 H NO MANEJO DAS PLANTAS DANINHAS PARA O PLANTIO DIRETO DE MILHO (Zea mays L.)

UTILIZAÇÃO DO BAS 800 01 H NO MANEJO DAS PLANTAS DANINHAS PARA O PLANTIO DIRETO DE MILHO (Zea mays L.) UTILIZAÇÃO DO BAS 800 01 H NO MANEJO DAS PLANTAS DANINHAS PARA O PLANTIO DIRETO DE MILHO (Zea mays L.) MARINHO, J. F. (UNICAMP, Campinas/SP - fabris.j@gmail.com, FOLONI, L. L. (UNICAMP, Campinas/SP - lfoloni@gmail.com,

Leia mais

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL D E R A L PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS 20/03/06 O levantamento de campo realizado pelo DERAL, no

Leia mais

MÉTODO DE AVALIAÇÃO DE ACURÁCIA DE PILOTO AUTOMÁTICO RTK

MÉTODO DE AVALIAÇÃO DE ACURÁCIA DE PILOTO AUTOMÁTICO RTK MÉTODO DE AVALIAÇÃO DE ACURÁCIA DE PILOTO AUTOMÁTICO RTK Raphael F. Silva¹, José V. Salvi²; 1Discente, FATEC Shunji Nishimura, Pompeia. 2Eng. Agrônomo, Professor Docente, FATEC Shunji Nishimura, Pompeia

Leia mais

EFEITO DE MÉTODOS DE PREPARO DE SOLO NO INVERNO E DE ROTAÇÃO DE CUL- TURAS NO RENDIMENTO DE GRÃOS DE SOJA

EFEITO DE MÉTODOS DE PREPARO DE SOLO NO INVERNO E DE ROTAÇÃO DE CUL- TURAS NO RENDIMENTO DE GRÃOS DE SOJA EFEITO DE MÉTODOS DE PREPARO DE SOLO NO INVERNO E DE ROTAÇÃO DE CUL- TURAS NO RENDIMENTO DE GRÃOS DE SOJA HENRIQUE PEREIRA DOS SANTOS', JULIO CESAR BARRENECHE LHAMBY 2, MARCOS ROBERTO DE LIMA' RESUMO -

Leia mais

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA - MESTRADO. Esse modelo deverá ser seguido para o projeto de pesquisa do mestrado

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA - MESTRADO. Esse modelo deverá ser seguido para o projeto de pesquisa do mestrado MODELO DE PROJETO DE PESQUISA - MESTRADO Esse modelo deverá ser seguido para o projeto de pesquisa do mestrado UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO -PR PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA

Leia mais

Monitoramento de plantios de eucalipto utilizando técnicas de sensoriamento remoto aplicadas em imagens obtidas por VANT

Monitoramento de plantios de eucalipto utilizando técnicas de sensoriamento remoto aplicadas em imagens obtidas por VANT Monitoramento de plantios de eucalipto utilizando técnicas de sensoriamento remoto aplicadas em imagens obtidas por VANT Guilherme Rodrigues de Pontes 1 Thiago Ubiratan de Freitas 2 1 International Paper

Leia mais

VARIABILIDADE E INTENSIDADE DAS CHUVAS EM BELÉM-PA

VARIABILIDADE E INTENSIDADE DAS CHUVAS EM BELÉM-PA VARIABILIDADE E INTENSIDADE DAS CHUVAS EM BELÉM-PA ALAILSON V. SANTIAGO 1, VICTOR C. RIBEIRO 2, JOSÉ F. COSTA 3, NILZA A. PACHECO 4 1 Meteorologista, Dr., Pesquisador, Embrapa Amazônia Oriental (CPATU),

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Trigo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Trigo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. ISSN 1516-5582 Setembro, 2012 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Trigo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos 107 Indicações Técnicas para

Leia mais

PRODUTIVIDADE DO TRIGO CULTIVADO SOB EFEITO RESIDUAL DE ADUBAÇÃO DA CULTURA DA SOJA

PRODUTIVIDADE DO TRIGO CULTIVADO SOB EFEITO RESIDUAL DE ADUBAÇÃO DA CULTURA DA SOJA PRODUTIVIDADE DO TRIGO CULTIVADO SOB EFEITO RESIDUAL DE ADUBAÇÃO DA CULTURA DA SOJA Daniel Schwantes 1,5, Affonso Celso Gonçalves Jr 2,5, Herbert Nacke 3,5, Gilmar Divino Gomes 4,5, Ricardo Zenatti 3,5,.

Leia mais

AVALIAÇÕES DE NUMERO DE FOLHAS, BROTAÇÕES E ESTACAS VIVAS SUBMETIDAS A ARMAZENAMENTO POR DIFERENTES PERIODOS E TIPOS DE ESTACAS DE PINHÃO MANSO.

AVALIAÇÕES DE NUMERO DE FOLHAS, BROTAÇÕES E ESTACAS VIVAS SUBMETIDAS A ARMAZENAMENTO POR DIFERENTES PERIODOS E TIPOS DE ESTACAS DE PINHÃO MANSO. AVALIAÇÕES DE NUMERO DE FOLHAS, BROTAÇÕES E ESTACAS VIVAS SUBMETIDAS A ARMAZENAMENTO POR DIFERENTES PERIODOS E TIPOS DE ESTACAS DE PINHÃO MANSO. Mirella dos Santos Pereira (1), Renata Capistrano Moreira

Leia mais

AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE RUÍDO EMITIDO POR UM DESINTEGRADOR/PICADOR/MOEDOR (DPM-1) NO PROCESSAMENTO DO MILHO

AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE RUÍDO EMITIDO POR UM DESINTEGRADOR/PICADOR/MOEDOR (DPM-1) NO PROCESSAMENTO DO MILHO AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE RUÍDO EMITIDO POR UM DESINTEGRADOR/PICADOR/MOEDOR (DPM-1) NO PROCESSAMENTO DO MILHO Luiz Henrique de Souza 1, Gutemberg Pereira Dias 2, Luiz César Souza 3, Ingrid Gomes Dias 4 RESUMO

Leia mais

COMPORTAMENTO DE CULTIVARES DE MORANGUEIRO NA REGIÃO DE PELOTAS-RS

COMPORTAMENTO DE CULTIVARES DE MORANGUEIRO NA REGIÃO DE PELOTAS-RS RISTOW Monitoramento NC; ANTUNES da população LEC; KROLOW de Diaphania AC; CARPENEDO hyalinata S. L. 2008. (Lepidoptera: Comportamento Pyralidae) de cultivares em cultivo de de morangueiro chuchu (Sechium

Leia mais

VIABILIDADE ECONÔMICA DE CULTIVO DA SUCESSÃO-SOJA MILHO, EM ÁREAS PRÓPRIAS E ARRENDADAS. Pedro da Silva Neto (4)

VIABILIDADE ECONÔMICA DE CULTIVO DA SUCESSÃO-SOJA MILHO, EM ÁREAS PRÓPRIAS E ARRENDADAS. Pedro da Silva Neto (4) VIABILIDADE ECONÔMICA DE CULTIVO DA SUCESSÃO-SOJA MILHO, EM ÁREAS PRÓPRIAS E ARRENDADAS Tiago Rodrigues de Sousa (1),Andrécia Cósmen Silva (2), Rute Quélvia Faria (3),Sebastião Introdução Pedro da Silva

Leia mais

Passo a passo na escolha da cultivar de milho

Passo a passo na escolha da cultivar de milho Passo a passo na escolha da cultivar de milho Beatriz Marti Emygdio Pesquisadora Embrapa Clima Temperado (beatriz.emygdio@cpact.embrapa.br) Diante da ampla gama de cultivares de milho, disponíveis no mercado

Leia mais

Secretaria Municipal de Agricultura, Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente.

Secretaria Municipal de Agricultura, Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente. APRESENTAÇÃO O presente diagnóstico Sócio-Econômico da Lavoura de Arroz e sua cadeia produtiva têm por finalidade apresentar sua relevante importância no município de Arroio Grande e Zona Sul, sendo a

Leia mais

Panorama da produção de arroz no Rio Grande do Sul

Panorama da produção de arroz no Rio Grande do Sul Panorama da produção de arroz no Rio Grande do Sul Luís Davi Vicensi Siqueira PPG Economia do Desenvolvimento PUCRS luis.davi@ibest.com.br Carlos Eduardo Lobo e Silva PPG Economia do Desenvolvimento PUCRS

Leia mais

EFEITO DE DIFERENTES DOSAGENS DE LODO DE ESGOTO E FERTILIZAÇÃO QUÍMICA SOBRE A DISPONIBILIDADE DE FÓSFORO NO SOLO

EFEITO DE DIFERENTES DOSAGENS DE LODO DE ESGOTO E FERTILIZAÇÃO QUÍMICA SOBRE A DISPONIBILIDADE DE FÓSFORO NO SOLO EFEITO DE DIFERENTES DOSAGENS DE LODO DE ESGOTO E FERTILIZAÇÃO QUÍMICA SOBRE A DISPONIBILIDADE DE FÓSFORO NO SOLO FERREIRA, C.F.; ANDREOLI, C.V.; PEGORINI, E.S., CARNEIRO, C.; SOUZA, M.L.P. Efeito de diferentes

Leia mais

Adm., M.Sc., Embrapa Agropecuária Oeste, Caixa Postal 661, 79804-970 Dourados, MS. E-mail: richetti@cpao.embrapa.br 2

Adm., M.Sc., Embrapa Agropecuária Oeste, Caixa Postal 661, 79804-970 Dourados, MS. E-mail: richetti@cpao.embrapa.br 2 157 ISSN 1679-0472 Fevereiro, 2010 Dourados, MS Foto: Nilton Pires de Araújo Estimativa do Custo de Produção do Milho Safrinha 2010, em Cultivo Solteiro e Consorciado com Brachiaria ruziziensis, na Região

Leia mais

USO DE IMAGENS COMPUTADORIZADAS PARA AVALIAÇÃO DO VIGOR DE SEMENTES DE CAFÉ USING COMPUTERIZED IMAGES TO EVALUATE COFFEE SEED VIGOR

USO DE IMAGENS COMPUTADORIZADAS PARA AVALIAÇÃO DO VIGOR DE SEMENTES DE CAFÉ USING COMPUTERIZED IMAGES TO EVALUATE COFFEE SEED VIGOR 1 USO DE IMAGENS COMPUTADORIZADAS PARA AVALIAÇÃO DO VIGOR DE SEMENTES DE CAFÉ Felipe de Lima Vilela 1 ; Sttela Dellyzete Veiga Franco da Rosa 2 ; Miller B. McDonald 3 ; Mark A. Bennett 3 Graduandos em

Leia mais

Viabilidade Econômica da Cultura do Trigo, em Mato Grosso do Sul, na Safra 2012

Viabilidade Econômica da Cultura do Trigo, em Mato Grosso do Sul, na Safra 2012 174 ISSN 1679-0472 Abril, 2012 Dourados, MS Fotos - lavoura: Nilton P. de Araújo; percevejo: Foto: Narciso Claudio da Lazzarotto S. Câmara Viabilidade Econômica da Cultura do Trigo, em Mato Grosso do Sul,

Leia mais