GUIA VARIEDADES DE SOJA 2015/16 MACRO 1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GUIA VARIEDADES DE SOJA 2015/16 MACRO 1"

Transcrição

1 GUIA VARIEDADES DE SOJA 2015/16 MACRO 1

2 CREDENZ é a Bayer inteira voltada para o seu negócio. Credenz é a marca de sementes da Bayer que já nasceu trazendo toda a credibilidade que a marca Bayer tem, e carrega como principais características a Inovação e a Produtividade. Formada a partir de um amplo banco de germoplasma, fruto da aquisição de diversas empresas de sementes na América do Sul, Credenz garante uma plataforma genética de alta qualidade e adaptação nas diversas regiões do nosso País. Tudo isso é suportado por uma equipe de Desenvolvimento Agronômico capacitada, e especialistas em breeding localizados em estações espalhadas pelo Brasil. Credenz é a Bayer inteira voltada para o seu negócio!

3 VARIEDADE com tecnologia LibertyLink Fique de olho na sua produtividade com a plataforma de manejo de plantas daninhas LibertyLink. A Bayer está atenta aos grandes desafios da agricultura, entre eles as plantas daninhas de difícil controle. Optar por uma plataforma de manejo de plantas daninhas efetiva e inovadora é essencial para que o produtor possa aproveitar todo o potencial que as variedades Credenz oferecem. LibertyLink, associado ao herbicida Liberty, permite o controle de um grande espectro de plantas daninhas, folhas largas e estreitas, incluindo aquelas resistentes a outros herbicidas. Ao optar pelas variedades Credenz com a tecnologia LibertyLink, o produtor estará seguro de liberar todo o potencial produtivo de sua soja, diminuindo a matocompetição dentro de sua lavoura. LibertyLink é melhor pois: controla melhor as plantas daninhas; traz ao produtor mais uma opção para a sustentabilidade do seu Manejo Integrado de Plantas Daninhas; libera todo o potencial produtivo das sementes Credenz.

4 A nova plataforma de manejo de plantas daninhas para o oeste do RS. LANÇAMENTO CZ 16B39 LL DESTAQUES: Tecnologia LibertyLink Alto teto produtivo Capacidade de ramificação CARACTERÍSTICAS AGRONÔMICAS: GRUPO DE MATURAÇÃO 6.3 BIOTECNOLOGIA LibertyLink TIPO DE CRESCIMENTO Indeterminado TIPO DE FOLHA Triangular COR DA FLOR Roxa COR DA PUBESCÊNCIA Cinza COR DO HILO Preta Imperfeita ALTURA MÉDIA DE PLANTA 117 cm RECOMENDAÇÃO: REC ESTADO 102 Oeste RS POPULAÇÃO (mil plantas/ha) POPULAÇÃO POR ÉPOCA DE PLANTIO (plantas/m 2 ) SET OUT NOV DEZ a a Observação: Plantas por metro linear = plantas m² x espaçamento entre linhas (em metros). 1 Abaixo de 500 m de altitude 2 Acima de 500 m de altitude Tolerado Recomendado Fertilidade do solo: Alta REAÇÃO A DOENÇAS: CANCRO DA HASTE PODRIDÃO RADICULAR DE FITÓFTORA NEMATOIDE DE CISTO NEMATOIDE DE GALHAS PÚSTULA BACTERIANA MANCHA OLHO-DE-RÃ S: Suscetível MR: Moderadamente Resistente R: Resistente R R S S R MR RS TECNOLOGIA: 6 GUIA DE VARIEDADES CREDENZ 7

5 VARIEDADE com tecnologia Intacta PROTEÇÃO CONTRA LAGARTAS A soja Intacta RR2 PRO apresenta excelente proteção contra as principais lagartas da cultura da soja: lagarta da soja (Anticarsia gemmatalis) lagarta falsa medideira (Chrysodeixis includens e Rachiplusia nu) lagarta das maçãs (Heliothis virescens) broca das axilas ou broca dos ponteiros (Crocidosema aporema) Também apresenta supressão às lagartas do tipo Elasmo (Elasmopalpus lignosellus) e Helicoverpa (H. zea e H. armigera). TOLERÂNCIA AO GLIFOSATO A tecnologia Roundup Ready 2 confere à soja Intacta RR2 PRO a tolerância ao glifosato. Isso garante flexibilidade no período de controle de plantas daninhas, com maior janela para aplicação do herbicida na cultura da soja.

6 LANÇAMENTO A nova variedade Credenz com altíssimo teto produtivo e proteção contra as principais lagartas. CZ 26B42 IPRO CARACTERÍSTICAS AGRONÔMICAS: GRUPO DE MATURAÇÃO 6.4 DESTAQUES: Amplitude de plantio Proteção contra as principais lagartas da cultura da Soja Potencial produtivo superior aos padrões de mercado BIOTECNOLOGIA Intacta RR2 PRO * TIPO DE CRESCIMENTO TIPO DE FOLHA COR DA FLOR COR DA PUBESCÊNCIA COR DO HILO ALTURA MÉDIA DE PLANTA Indeterminado Oval pontiaguda Roxa Cinza Preta Imperfeita 120 cm *Intacta RR2 PRO é uma marca registrada da Monsanto RECOMENDAÇÃO: REC ESTADO POPULAÇÃO (mil plantas/ha) POPULAÇÃO POR ÉPOCA DE PLANTIO (plantas/m 2 ) SET OUT NOV DEZ JAN RS 200 a Observação: Plantas por metro linear = plantas m² x espaçamento entre linhas (em metros). Tolerado Recomendado Fertilidade do solo: Alta REAÇÃO A DOENÇAS: CANCRO DA HASTE PODRIDÃO RADICULAR DE FITÓFTORA NEMATOIDE DE CISTO R MR SI NEMATOIDE DE GALHAS PÚSTULA BACTERIANA SI MR MANCHA OLHO-DE-RÃ SI MR: Moderadamente Resistente R: Resistente SI: Sem Informação RS 101 TECNOLOGIA: 10 GUIA DE VARIEDADES CREDENZ 11

7 Regiões edafoclimáticas que compõem a MACRO GUIA DE VARIEDADES CREDENZ 13

8 14 GUIA DE VARIEDADES CREDENZ 15

9 / Rua Domingos Jorge, 1100 Socorro, São Paulo - SP - Brasil

Mesorregião MT-RO Mato Grosso - Rondônia. Catálogo Soja

Mesorregião MT-RO Mato Grosso - Rondônia. Catálogo Soja Mesorregião MT-RO Mato Grosso - Rondônia Catálogo Soja 2013 Cultivares de Soja Marca Pionee r Mesorregião MT-RO Diversidade genética e qualidade A DuPont Pioneer, com mais de 85 anos de melhoramento, é

Leia mais

Algodão segunda safra no Mato Grosso do Sul. André Luis da Silva

Algodão segunda safra no Mato Grosso do Sul. André Luis da Silva Algodão segunda safra no Mato Grosso do Sul André Luis da Silva Introdução Situação da cultura do algodoeiro no estado do MS. Situação da cultura do algodoeiro no Grupo Schlatter. Principais desafios.

Leia mais

REGIÕES NORTE E NORDESTE DO BRASIL

REGIÕES NORTE E NORDESTE DO BRASIL Escritório de Negócios de Imperatriz Rodovia BR 010, Km 1359 Distrito Industrial Lagoa Verde - Cx Postal 444 CEP: 65903-390 Imperatriz, MA Telefone: (99) 3526 1093 Fax: (99) 3526 1094 www.embrapa.br/snt

Leia mais

MANEJO DE PLANTAS DANINHAS EM SPD. Dionisio Luiz Pisa Gazziero Embrapa Soja

MANEJO DE PLANTAS DANINHAS EM SPD. Dionisio Luiz Pisa Gazziero Embrapa Soja MANEJO DE PLANTAS DANINHAS EM SPD Dionisio Luiz Pisa Gazziero Embrapa Soja ( e de informações) É TER VISÃO DE SISTEMA, MANEJO DA ÁREA/DA PROPRIEDADE - VISÃO EMPRESARIAL É UMA DE TRABALHO É gerenciar -

Leia mais

Passo a passo na escolha da cultivar de milho

Passo a passo na escolha da cultivar de milho Passo a passo na escolha da cultivar de milho Beatriz Marti Emygdio Pesquisadora Embrapa Clima Temperado (beatriz.emygdio@cpact.embrapa.br) Diante da ampla gama de cultivares de milho, disponíveis no mercado

Leia mais

Sistemas de Produção com Milho Tolerante a Glifosato RAMIRO OVEJERO

Sistemas de Produção com Milho Tolerante a Glifosato RAMIRO OVEJERO Sistemas de Produção com Milho Tolerante a Glifosato RAMIRO OVEJERO PERÍODO CRÍTICO DE PREVENÇÃO DA INTERFERÊNCIA NA CULTURA DO MILHO P.T.P.I. Manejo préplantio Mato-competição Pós-colheita S VE V1 V2

Leia mais

Culturas. A Cultura do Feijão. Nome Cultura do Feijão Produto Informação Tecnológica Data Maio -2000 Preço - Linha Culturas Resenha

Culturas. A Cultura do Feijão. Nome Cultura do Feijão Produto Informação Tecnológica Data Maio -2000 Preço - Linha Culturas Resenha 1 de 7 10/16/aaaa 11:19 Culturas A Cultura do Nome Cultura do Produto Informação Tecnológica Data Maio -2000 Preço - Linha Culturas Resenha Informações resumidas sobre a cultura do feijão José Salvador

Leia mais

Sorgo de alta biomassa. E( )pert. em sorgo

Sorgo de alta biomassa. E( )pert. em sorgo Sorgo de alta biomassa E( )pert em sorgo E( )periência de uma empresa sólida e focada. Com sede em Campinas/SP, a linha de produtos é comercializada sob a marca Blade, que tem autoridade quando o assunto

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE ROYALTIES RR1

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE ROYALTIES RR1 PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE ROYALTIES RR1 1) De que se trata a ação das entidades de Mato Grosso contra a Monsanto? A Famato - Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso - em parceria

Leia mais

Milho + investimento mínimo, máximo retorno. Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria

Milho + investimento mínimo, máximo retorno. Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria Milho + brachiaria: investimento mínimo, máximo retorno Aildson Pereira Duarte e Isabella Clerici de Maria Pesquisadores do Instituto Agronômico (IAC), de Campinas, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Leia mais

Setor Sucroenergético: GIS Corporativo e Inovações no Grupo Noble CASE NOBLE GROUP. Herbert Del Petri Gerente Técnico Agrícola

Setor Sucroenergético: GIS Corporativo e Inovações no Grupo Noble CASE NOBLE GROUP. Herbert Del Petri Gerente Técnico Agrícola Gerente Técnico Agrícola Introdução O Noble Bioenergia ao longo da sua história no Brasil vem desenvolvendo o uso das informações espacializadas no dia-a-dia das operações e planejamento agrícola através

Leia mais

9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO

9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO 9.5 PRINCIPAIS PRAGAS E DOENÇAS DO FEIJOEIRO 9.5.1 Controle de Pragas PRINCIPAIS PRAGAS -Lagarta elasmo -Vaquinhas - Mosca branca -Ácaro branco -Carunchos LAGARTA ELASMO Feijão da seca aumento da população

Leia mais

Biotecnologias no algodoeiro: eficiência, custos, problemas e perspectivas

Biotecnologias no algodoeiro: eficiência, custos, problemas e perspectivas Biotecnologias no algodoeiro: eficiência, custos, problemas e perspectivas Gestão operacional de lavouras transgênicas nas fazendas: Eficiência e Custos Aurelio Pavinato CEO SLC Agrícola S.A. Agenda 1

Leia mais

PRINCIPAIS DOENÇAS E PRAGAS EM PLANTIOS DE EUCALIPTO NO BRASIL

PRINCIPAIS DOENÇAS E PRAGAS EM PLANTIOS DE EUCALIPTO NO BRASIL PRINCIPAIS DOENÇAS E PRAGAS EM PLANTIOS DE EUCALIPTO NO BRASIL Prof. Dr. Edson Luiz Furtado - FCA/UNESP - Campus de Botucatu Prof. Dr. Carlos F. Wilcken - FCA/UNESP - Campus de Botucatu Coordenadores do

Leia mais

SELEÇÃO DO MATERIAL DE PLANTIO:

SELEÇÃO DO MATERIAL DE PLANTIO: SELEÇÃO DO MATERIAL DE PLANTIO: - Na seleção do material devem-se observar: 1 - Aspectos agronômicos; 2 - Qualidade da maniva de mandioca; 3 - Sanidade da maniva de mandioca; 3 - Armazenamento de manivas.

Leia mais

ANEXO I MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO RURAL SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇAO DE CULTIVARES

ANEXO I MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO RURAL SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇAO DE CULTIVARES ANEXO I MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO RURAL SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇAO DE CULTIVARES Requisitos Mínimos para Determinação do Valor de Cultivo e Uso de Algodão(Gossypium

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE APOIO RURAL E COOPERATIVISMO SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇÃO DE CULTIVARES ANEXO VIII

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE APOIO RURAL E COOPERATIVISMO SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇÃO DE CULTIVARES ANEXO VIII MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE APOIO RURAL E COOPERATIVISMO SERVIÇO NACIONAL DE PROTEÇÃO DE CULTIVARES ANEXO VIII REQUISITOS MÍNIMOS PARA DETERMINAÇÃO DO VALOR DE CULTIVO

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL ANO III / Nº 70 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 01 A 13 DE JANEIRO DE 2014 Este Relatório apresenta algumas informações negativas para a situação fitossanitária do algodão

Leia mais

DENSIDADE DE SEMEADURA DE CULTIVARES DE MAMONA EM PELOTAS, RS 1

DENSIDADE DE SEMEADURA DE CULTIVARES DE MAMONA EM PELOTAS, RS 1 DENSIDADE DE SEMEADURA DE CULTIVARES DE MAMONA EM PELOTAS, RS 1 Sérgio Delmar dos Anjos e Silva 1, Rogério Ferreira Aires 2, João Guilherme Casagrande Junior 3, Claudia Fernanda Lemons e Silva 4 1 Embrapa

Leia mais

Gerenciando o Monitoramento Pós-Liberação o Comercial no Brasil

Gerenciando o Monitoramento Pós-Liberação o Comercial no Brasil logo_ilsi_al... Gerenciando o Monitoramento Pós-Liberação o Comercial no Brasil O Ponto de Vista da Indústria Avaliação do Risco Ambiental de Culturas Geneticamente Modificadas Geraldo U. Berger, Ph.D.

Leia mais

Mas que negócio é esse de resistência de insetos?

Mas que negócio é esse de resistência de insetos? O milho Bt é obtido por meio da transformação genética de plantas de milho com genes da bactéria Bacillus thuringiensis, os quais promovem a expressão de proteínas com ação inseticida. Um trabalho que

Leia mais

O produtor pergunta, a Embrapa responde

O produtor pergunta, a Embrapa responde Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Milho e Sorgo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento O produtor pergunta, a Embrapa responde José Carlos Cruz Paulo César Magalhães Israel

Leia mais

Data: 05/10/2012 Assunto:

Data: 05/10/2012 Assunto: Veículo: Refrescante Data: 05/10/2012 Assunto: Manejo Integrado de Pragas promove cafeicultura sustentável http://refrescante.com.br/manejo-integrado-de-pragas-promove-cafeicultura-sustentavel.html Os

Leia mais

Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Milho Safra 2010/2011

Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Milho Safra 2010/2011 3 Resultados de Experimentação e Campos Demonstrativos de Milho Safra 200/20 André Luis F. Lourenção 3.. Introdução Analisando o oitavo levantamento da Conab (20), observase que a área semeada com milho

Leia mais

SEMENTES Cenário Atual e Desafios para o Futuro. Eng. Agr. Ivan Paghi Diretor Técnico Abrange

SEMENTES Cenário Atual e Desafios para o Futuro. Eng. Agr. Ivan Paghi Diretor Técnico Abrange SEMENTES Cenário Atual e Desafios para o Futuro Eng. Agr. Ivan Paghi Diretor Técnico Abrange Eng. Agr. Ivan Paghi Diretor Técnico AGREGANDO VALOR À SOJA E MILHO CIA S ASSOCIADAS Produtores Rurais - NGMO

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE DIREITO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO E DEFESA ECONÔMICA COORDENAÇÃO-GERAL DE CONTROLE DE MERCADO

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE DIREITO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO E DEFESA ECONÔMICA COORDENAÇÃO-GERAL DE CONTROLE DE MERCADO COORDENAÇÃO-GERAL DE CONTROLE DE MERCADO Data de entrada: 18 de agosto 2000 Autos nº: 08012.003997/2003-83 Natureza: Nota Técnica em Ato de Concentração Econômica Requerentes: MONSANTO DO BRASIL LTDA.;

Leia mais

BASF Cana Crescer a cada desafio

BASF Cana Crescer a cada desafio BASF Cana Crescer a cada desafio Pag. 1 Pag. 2 Soluções integradas por todo o ciclo da cana-de-açúcar. Pag. 3 Cada dia nos desafia a crescer. Pag. 4 Buscar oportunidades para produzir mais, melhor e com

Leia mais

Definido o contexto: monitoramento pós-liberação comercial de plantas geneticamente modificadas. Paulo Augusto Vianna Barroso

Definido o contexto: monitoramento pós-liberação comercial de plantas geneticamente modificadas. Paulo Augusto Vianna Barroso Definido o contexto: monitoramento pós-liberação comercial de plantas geneticamente modificadas Paulo Augusto Vianna Barroso Experimentação com OGM Regulada pela Lei de Biossegurança (11.105/2005) Experimentação

Leia mais

Seminário sobre proteção da agrobiodiversidade e direitos dos agricultores

Seminário sobre proteção da agrobiodiversidade e direitos dos agricultores Seminário sobre proteção da agrobiodiversidade e direitos dos agricultores CARTA POLÍTICA Nos dias 25 e 26 de agosto de 2009, representantes de 80 organizações de agricultores, movimentos sociais, ONGs

Leia mais

AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE ALGODÃO HERBÁCEO EM ESPAÇAMENTO ESTREITO COM CLORETO DE MEPIQUAT RESUMO

AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE ALGODÃO HERBÁCEO EM ESPAÇAMENTO ESTREITO COM CLORETO DE MEPIQUAT RESUMO AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE ALGODÃO HERBÁCEO EM ESPAÇAMENTO ESTREITO COM CLORETO DE MEPIQUAT Antonio César Bolonhezi (1), Edivaldo André Gomes (2) (1)UNESP-Ilha Solteira(SP) E-mail: bolonha@agr.feis.unesp.br.

Leia mais

SISTEMA DE MANEJO DO SOLO COM PALHADA. Sistema Plantio Direto (SPD) com qualidade

SISTEMA DE MANEJO DO SOLO COM PALHADA. Sistema Plantio Direto (SPD) com qualidade SISTEMA DE MANEJO DO SOLO COM PALHADA Sistema Plantio Direto (SPD) com qualidade Valmor dos Santos INOVAÇÃO AGRÍCOLA E INSTITUTO PAS 77-9971-2234 (Vivo / WhatsApp) TEMAS QUE SERÃO ABORDADOS - Objetivos;

Leia mais

É por isso que o convidamos a conhecer nas próximas páginas nossos lançamentos e produtos que há anos fazem parte do nosso catálogo. Seja bem-vindo!

É por isso que o convidamos a conhecer nas próximas páginas nossos lançamentos e produtos que há anos fazem parte do nosso catálogo. Seja bem-vindo! Não é do dia para a noite que uma empresa se torna referência no seu setor, e com a Agrocinco não foi diferente. Após 15 anos de atuação no mercado brasileiro de sementes de hortaliças de alto rendimento,

Leia mais

Objetivos desta tarde 04/03/2013. Helicoverpa no Sistema: dinâmica e controle difícil

Objetivos desta tarde 04/03/2013. Helicoverpa no Sistema: dinâmica e controle difícil Helicoverpa no Sistema: dinâmica e controle difícil MANEJO REGIONAL: proposta coletiva e de ampla adesão Paulo E. Degrande, UFGD Foto: R. Inoue Foto: Luciano Biancini Objetivos desta tarde Manejar a Helicoverpa

Leia mais

Evolução dos casos de resistência ao glifosato no Paraná

Evolução dos casos de resistência ao glifosato no Paraná Evolução dos casos de resistência ao glifosato no Paraná Capim-marmelada e leiteiro são exemplos de grandes problemas que aconteceram nas lavouras de soja no início dos anos 80. Nesta mesma década, foram

Leia mais

Ações de manejo da. Helicoverpa armigera. Realização:

Ações de manejo da. Helicoverpa armigera. Realização: Ações de manejo da Helicoverpa armigera Realização: Quem é a praga? A Helicoverpa armigera é uma praga exótica, polífaga, que se alimenta de várias culturas agrícolas e plantas daninhas. Na fase de larva

Leia mais

CONTROLE DE DOENÇAS E PRAGAS DAS PIMENTAS

CONTROLE DE DOENÇAS E PRAGAS DAS PIMENTAS CONTROLE DE DOENÇAS E PRAGAS DAS PIMENTAS ÍNDICE Carlos Alberto Lopes Embrapa Hortaliças INTRODUÇÃO... 1 DOENÇAS... 2 1. Tombamento...2 2. Murcha-de-fitóftora (Requeima, Podridão-de-fitóftora, Pé-preto)...2

Leia mais

TRABALHO SOBRE DOENÇAS DE PLANTAS OLEAGINOSAS

TRABALHO SOBRE DOENÇAS DE PLANTAS OLEAGINOSAS TRABALHO SOBRE DOENÇAS DE PLANTAS OLEAGINOSAS Daniel Vieira Silva Roteiro: Breve introdução. Controles básicos recomendados para todas as culturas. Medidas profiláticas. (rotação de culturas, destruição

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia

Universidade Federal de Uberlândia Universidade Federal de Uberlândia Relatório Visita técnica Embrapa Gado de Corte-MS Grupo de estudos e pesquisa em forragicultra UFU GEPFOR Guilherme Amorim Soares da Silva Zootecnia Uberlândia 2014 I

Leia mais

No Brasil o Mogno Africano tem se mostrado bem adaptado dentro dos seguintes parâmetros:

No Brasil o Mogno Africano tem se mostrado bem adaptado dentro dos seguintes parâmetros: Origem: Mogno Africano é o nome comum dado a várias espécies do gênero Khaya, no Brasil são plantadas 03: Khaya ivorensis- A. Chev 1909. Ocorrência natural na África Ocidental, Costa do Marfim, Gana, Togo,

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 24 A 31 DE MARÇO DE 2014

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 24 A 31 DE MARÇO DE 2014 ANO III / Nº 80 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 24 A 31 DE MARÇO DE 2014 ALERTA PARA O CONTROLE DO BICUDO DO ALGODOEIRO A presença do bicudo foi relatada e identificada

Leia mais

Agricultura de Precisão em Máquinas Agrícolas

Agricultura de Precisão em Máquinas Agrícolas Agricultura de Precisão em Máquinas Agrícolas Eduardo R. Martini -Setembro 2011 Tendências Globais Crescimento Populacional População (bilhões) Crescimento da Renda Calorias de proteína animal (kcal) Crescimento

Leia mais

Efeito dos custos dos insumos na rentabilidade dos projetos florestais

Efeito dos custos dos insumos na rentabilidade dos projetos florestais Ativos do Campo - Nº 04/2013 Efeito dos custos dos insumos na rentabilidade dos projetos florestais Mesmo sendo as plantações florestais intensivas em utilização de mão de obra, sobretudo em regiões montanhosas,

Leia mais

Cap. 2: A evolução dos instrumentos astronômicos. Equipe de Ciências 8º Ano do Ensino Fundamental

Cap. 2: A evolução dos instrumentos astronômicos. Equipe de Ciências 8º Ano do Ensino Fundamental Cap. 2: A evolução dos instrumentos astronômicos Equipe de Ciências 8º Ano do Ensino Fundamental Instrumentos astronômicos antigos Relógio de Sol Instrumentos astronômicos antigos Relógio hidráulico Instrumentos

Leia mais

DOENÇAS DO CUPUAÇUZEIRO (Theobroma grandiflorum Willd. Spend.) Schum.

DOENÇAS DO CUPUAÇUZEIRO (Theobroma grandiflorum Willd. Spend.) Schum. DOENÇAS DO CUPUAÇUZEIRO (Theobroma grandiflorum Willd. Spend.) Schum. Maria Geralda de Souza; Olívia Cordeiro de Almeida; Aparecida das Graças Claret de Souza Embrapa Amazônia Ocidental, Rodovia AM-010,

Leia mais

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado AGROSSÍNTESE Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado Edilson de Oliveira Santos 1 1 Mestre em Economia, Gestor Governamental da SEAGRI; e-mail: edilsonsantos@seagri.ba.gov.br

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS PROMOVE DE BRASILIA CURSO DE AGRONOMIA

FACULDADES INTEGRADAS PROMOVE DE BRASILIA CURSO DE AGRONOMIA FACULDADES INTEGRADAS PROMOVE DE BRASILIA CURSO DE AGRONOMIA ELABORAÇÃO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS PARA UTILIZAÇÃO NO MANEJO INTEGRADOS DE PRAGAS DA SOJA BRASILIA 2013 1 FACULDADES INTEGRADAS PROMOVE

Leia mais

Design Popular do Jalapão. Manejo comunitário sustentável

Design Popular do Jalapão. Manejo comunitário sustentável Design Popular do Jalapão Manejo comunitário sustentável pôr-do-sol no Jalapão dunas da Serra do Espírito Santo - Parque Estadual do Jalapão Rio Formiga artesanato de capim dourado chegou ao Jalapão em

Leia mais

MUDAS SEM DOENÇAS: PREVENÇÃO E PROTEÇÃO. Evelyn Araujo Conqualy Consultoria Florianópolis - SC Out/2015

MUDAS SEM DOENÇAS: PREVENÇÃO E PROTEÇÃO. Evelyn Araujo Conqualy Consultoria Florianópolis - SC Out/2015 MUDAS SEM DOENÇAS: PREVENÇÃO E PROTEÇÃO Evelyn Araujo Conqualy Consultoria Florianópolis - SC Out/2015 Muda : papel fundamental na obtenção de uma planta bem formada e SADIA Qualidade sanitária das mudas:

Leia mais

Como formar seu Gramado

Como formar seu Gramado Como formar seu Gramado Nada menos que mil pés de grama convivem em cada metro quadrado de um gramado. E, ao contrário de uma horta ou canteiro, onde o solo pode ser revolvido, corrigido e enriquecido

Leia mais

1º Seminário sobre Cultivo Mínimo do Solo em Florestas

1º Seminário sobre Cultivo Mínimo do Solo em Florestas RESUMO 1º Seminário sobre Cultivo Mínimo do Solo em Florestas IMPLANTAÇÃO DE FLORESTAS NO SISTEMA DE CULTIMO MÍNIMO Silas Zen * Jorge Takeshi Yonezawa * João Ernesto Feldeberg * O cultivo mínimo em áreas

Leia mais

RENOVAÇÃO DE PASTAGENS COM PLANTIO DIRETO

RENOVAÇÃO DE PASTAGENS COM PLANTIO DIRETO RENOVAÇÃO DE PASTAGENS COM PLANTIO DIRETO EXPERIÊNCIAS DA MONSANTO DO BRASIL MARCIO SCALÉA ABRIL 2007 Manejo Genética Alimentação Sanidade GENÉTICA M A N E J O ALIMENTAÇÃO S A N I D A D E FASE PRODUTIVA

Leia mais

tecnologia Tendência Máquinas & Inovações Agrícolas MAIO/JUNHO 2013

tecnologia Tendência Máquinas & Inovações Agrícolas MAIO/JUNHO 2013 tecnologia Tendência 48 Máquinas & Inovações Agrícolas MAIO/JUNHO 2013 NA ESTEIRA DA CONECTIVIDADE Empresas ligadas ao agronegócio desenvolvem aplicativos para incrementar a produção, realizar tratos fitossanitários

Leia mais

II SEMANA INTEGRADA DE CURSOS CFO/CFOC

II SEMANA INTEGRADA DE CURSOS CFO/CFOC II SEMANA INTEGRADA DE CURSOS CFO/CFOC 29/06/15 A 03/07/15 CENTRO DE DIFUSÃO DE TECNOLOGIA IAPAR LONDRINA-PR CFO/CFOC CURSO PARA HABILITAÇÃO DE RESPONSÁVEIS TÉCNICOS PARA EMISSÃO DE CFO/CFO FDA Juliano

Leia mais

ENTOMOFAUNA ASSOCIADA Á SOJA RESISTENTE AO HERBICIDA GLIFOSATO (RR ) EM CONVIVÊNCIA COM PLANTAS DANINHAS NO PERIODO REPRODUTIVO DA CULTURA 1

ENTOMOFAUNA ASSOCIADA Á SOJA RESISTENTE AO HERBICIDA GLIFOSATO (RR ) EM CONVIVÊNCIA COM PLANTAS DANINHAS NO PERIODO REPRODUTIVO DA CULTURA 1 ENTOMOFAUNA ASSOCIADA Á SOJA RESISTENTE AO HERBICIDA GLIFOSATO (RR ) EM CONVIVÊNCIA COM PLANTAS DANINHAS NO PERIODO REPRODUTIVO DA CULTURA 1 CECHIN, Joanei 2 ; PICCININI, Fernando 2, BABINOT, Andrisa 2,

Leia mais

QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL EM POMAR FRUTÍCOLA NO MUNICÍPIO DE URUPEMA, SC

QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL EM POMAR FRUTÍCOLA NO MUNICÍPIO DE URUPEMA, SC QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL EM POMAR FRUTÍCOLA NO MUNICÍPIO DE URUPEMA, SC Área Temática: Tecnologia e Produção Roberto Akitoshi Komatsu (Coordenador da ação de extensão) Roberto Akitoshi Komatsu 1, Pedro

Leia mais

Controle Alternativo da Broca do Café

Controle Alternativo da Broca do Café Engº Agrº - Pablo Luis Sanchez Rodrigues Controle Alternativo da Broca do Café Trabalho realizado na região de Ivaiporã, na implantação de unidade experimental de observação que visa o monitoramento e

Leia mais

Efeito de diferentes espaçamentos e densidades de semeadura no perfilhamento e produtividade de trigo

Efeito de diferentes espaçamentos e densidades de semeadura no perfilhamento e produtividade de trigo Efeito de diferentes espaçamentos e densidades de semeadura no perfilhamento e produtividade de trigo Gerson Sander 1, Antonio Carlos Torres da Costa 2, Jose Barbosa Junior Duarte 3 1 Eng. Agrôn., Mestrando

Leia mais

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/olericultura/pepino.htm

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/olericultura/pepino.htm Página 1 de 5 Olericultura A Cultura do Pepino Nome Cultura do Pepino Produto Informação Tecnológica Data Abril - 1999 Preço - Linha Olericultura Informações gerais sobre a Resenha Cultura do Pepino Luiz

Leia mais

Silvio André Biasuz - 2 -

Silvio André Biasuz - 2 - Silvio André Biasuz Formação Engenheiro Agrônomo UPF - 1997 Pós Graduação Gestão Empresarial FGV - 2000 MBA Gestão de Pessoas e Negócios ESPM - 2006 MBA Gestão de Negócios Corporativos FIA USP - 2008 Vivência

Leia mais

08/04/2013 PRAGAS DO FEIJOEIRO. Broca do caule (Elasmopalpus legnosellus) Lagarta rosca (Agrotis ipsilon)

08/04/2013 PRAGAS DO FEIJOEIRO. Broca do caule (Elasmopalpus legnosellus) Lagarta rosca (Agrotis ipsilon) Pragas que atacam as plântulas PRAGAS DO FEIJOEIRO Pragas que atacam as folhas Lagarta enroladeira (Omiodes indicata) Pragas que atacam as vargens Lagarta elasmo (ataca também a soja, algodão, milho, arroz,

Leia mais

PRODUÇÃO INTEGRADA DE CAFÉ. Caderno de informações gerais

PRODUÇÃO INTEGRADA DE CAFÉ. Caderno de informações gerais PRODUÇÃO INTEGRADA DE CAFÉ Caderno de informações gerais Propriedade Nome do Proprietário: Nome da Propriedade: Cidade: Telefone: ( ) Organização PIC a que pertence: Número de registro na PIC: Ano Agrícola:

Leia mais

MANEJO DE PRAGAS DO MILHO EM PLANTIO DIRETO. Rodolfo Bianco

MANEJO DE PRAGAS DO MILHO EM PLANTIO DIRETO. Rodolfo Bianco MANEJO DE PRAGAS DO MILHO EM PLANTIO DIRETO Rodolfo Bianco IAPAR, CP 481, CEP 86001-970, Londrina, PR, Brasil. Fone: (43) 3376-2307. E-mail: rbianco@iapar.br Introdução No sistema de cultivo convencional,

Leia mais

Perspectivas de uso de cultivares transgênicas na produção de milho no Brasil.

Perspectivas de uso de cultivares transgênicas na produção de milho no Brasil. Perspectivas de uso de cultivares transgênicas na produção de milho no Brasil. João Carlos Garcia Embrapa Centro Nacional de Pesquisa de Milho e Sorgo Cx. Postal 151 35.700-001 - Sete Lagoas, MG garcia@cnpms.embrapa.br

Leia mais

Poda: uma técnica a ser explorada

Poda: uma técnica a ser explorada Google: Banco de imagens Google: Banco de imagens Eng. Agr. MSc. Décio Joaquim Campo Consultoria Imagens do Banco Google A poda nas plantas cítricas adultas NÃO é uma prática usual no Brasil. Comum nos

Leia mais

Ensaio de Cultivares em Rede de Soja Safra 2014/2015

Ensaio de Cultivares em Rede de Soja Safra 2014/2015 Ensaio de Cultivares em Rede de Soja Safra 2014/2015 REALIZAÇÃO: Apoio www.fundacaoprosementes.com.br A Fundação Pró-Sementes 1999 Constituída por 39 Produtores de sementes do estado do Rio Grande do Sul

Leia mais

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 1. Um agricultor relata que não está tendo controle satisfatório na aplicação de um herbicida. Afirma estar aplicando conforme recomendação do fabricante do produto (x litros p.c./ha

Leia mais

RESISTÊNCIA DE GENÓTIPOS S1 DE MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz) À MANCHA-PARDA, QUEIMA DAS FOLHAS E MANCHA-BRANCA

RESISTÊNCIA DE GENÓTIPOS S1 DE MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz) À MANCHA-PARDA, QUEIMA DAS FOLHAS E MANCHA-BRANCA RESISTÊNCIA DE GENÓTIPOS S1 DE MANDIOCA (Manihot esculenta Crantz) À MANCHA-PARDA, QUEIMA DAS FOLHAS E MANCHA-BRANCA Saulo Alves Santos de Oliveira 1, Juan Paulo Xavier de Freitas 2, Fabiana Ferraz Aud

Leia mais

Transgênicos: uma questão estratégica

Transgênicos: uma questão estratégica Página 1 de 7 Patrocínio Fundação Rosa Luxemburg fale conosco Busca no site Sexta-feira, 26 de agosto de 2005 Em sintonia com: Busca avançada Hipóteses sobre a revolução iniciada Imperador-bomba Transgênicos:

Leia mais

CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR

CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR CONTROLE BIOLÓGICO NA TEORIA E NA PRÁTICA: A REALIDADE DOS PEQUENOS AGRICULTORES DA REGIÃO DE CASCAVEL-PR 1 DELAI, Lucas da Silva; 1 ALVES Victor Michelon; 1 GREJIANIN, Gustavo; 1 PIRANHA, Michelle Marques

Leia mais

Uma árvore de muitas utilidades

Uma árvore de muitas utilidades Série Como fazer CAATINGA SOLUÇÕES PARA O SEMI-ÁRIDO Uma árvore de muitas utilidades Março de 2006 CAATINGA Centro de Assessoria e Apoio aos Trabalhadores e Instituições Não Governamentais Alternativas

Leia mais

Sandra Maria Santos Campanini Lebna Landgraf do Nascimento José Graças Maia de Andrade

Sandra Maria Santos Campanini Lebna Landgraf do Nascimento José Graças Maia de Andrade Transferência de tecnologias comunicação e marketing para negócios Sandra Maria Santos Campanini Lebna Landgraf do Nascimento José Graças Maia de Andrade Número do Plano de Ação: 04.02.616.02.10 Introdução

Leia mais

Cultivar Grandes Culturas Ano XII Nº 129 Fevereiro 2010 ISSN - 1516-358X. Nossas Capas. Destaques. Índice. Expediente

Cultivar Grandes Culturas Ano XII Nº 129 Fevereiro 2010 ISSN - 1516-358X. Nossas Capas. Destaques. Índice. Expediente Cultivar Grandes Culturas Ano XII Nº 129 Fevereiro 2010 ISSN 1516358X Destaques Nossas Capas Escuras e abundantes...18 Surto de lagartas pretas, favorecido pelo clima chuvoso e por altas temperaturas,

Leia mais

EVOLUÇÃO DA CULTURA DE ERVA-MATE NO BRASIL DURANTE O PERÍODO DE 1995 A 2005

EVOLUÇÃO DA CULTURA DE ERVA-MATE NO BRASIL DURANTE O PERÍODO DE 1995 A 2005 EVOLUÇÃO DA CULTURA DE ERVA-MATE NO BRASIL DURANTE O PERÍODO DE 1995 A 2005 GORENSTEIN, Mauricio Romero Docente do curso de Engenharia Agronômica da FAEF / Garça-SP mrgorens@esalq.usp.br BARBOSA, Rogério

Leia mais

Epagri. Manejo de pragas da maçã: safra 2014. www.epagri.sc.gov.br

Epagri. Manejo de pragas da maçã: safra 2014. www.epagri.sc.gov.br Manejo de pragas da maçã: safra 2014 Epagri www.epagri.sc.gov.br Cristiano João Arioli Epagri Estação Experimental de São Joaquim cristianoarioli@epagri.sc.gov.br Manejo de pragas da maçã: safra 2014

Leia mais

Apresentação. Leonardo Humberto Silva e Castro Ernane Miranda Lemes Rafael Tadeu de Assis

Apresentação. Leonardo Humberto Silva e Castro Ernane Miranda Lemes Rafael Tadeu de Assis Apresentação O agronegócio brasileiro tem passado por profundas modificações, as quais aumentaram a competitividade de seus produtos e subprodutos na economia interna e externa. Neste contexto, a soja

Leia mais

Importância dos critérios de amostragem de folhas

Importância dos critérios de amostragem de folhas Importância dos critérios de amostragem de folhas Marcos Antonio Camacho da Silva UEMS/Aquidauana NÍVEL CRÍTICO FAIXA DE SUFICIÊNCIA DRIS PASS CND Porque fazer amostragem? Estabelecer relações entre o

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA AGRICULTURA DE PRECISÃO NO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE - CÂMPUS RIO DO SUL

UTILIZAÇÃO DA AGRICULTURA DE PRECISÃO NO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE - CÂMPUS RIO DO SUL UTILIZAÇÃO DA AGRICULTURA DE PRECISÃO NO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE - CÂMPUS RIO DO SUL Guilherme ANDRZEJEWSKI 1, Marlon GOEDE 2, Fabrício C. MASIERO 3, Ricardo K. VEIGA 4, Dionata HOTZ 5. 1: Bolsista

Leia mais

REGISTRO FOTOGRÁFICO MUNGUBA PRAÇA DA CONSTITUIÇÃO

REGISTRO FOTOGRÁFICO MUNGUBA PRAÇA DA CONSTITUIÇÃO REGISTRO FOTOGRÁFICO MUNGUBA PRAÇA DA CONSTITUIÇÃO FIGURA 1. Indivíduo arbóreo da espécie Munguba com o estado fitossanitário comprometido. FIGURA 2. Vista da parte aérea demonstrando a ausência de folhas.

Leia mais

FOLDER PRODUÇÃO INTEGRADA DE ARROZ IRRIGADO. Produção Integrada de Arroz Irrigado

FOLDER PRODUÇÃO INTEGRADA DE ARROZ IRRIGADO. Produção Integrada de Arroz Irrigado FOLDER PRODUÇÃO INTEGRADA DE ARROZ IRRIGADO Produção Integrada de Arroz Irrigado O que é a Produção Integrada de Arroz Irrigado? A Produção Integrada é definida como um sistema de produção agrícola de

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS. Giselda Durigan Floresta Estadual de Assis - Instituto Florestal

RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS. Giselda Durigan Floresta Estadual de Assis - Instituto Florestal RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS Giselda Durigan Floresta Estadual de Assis - Instituto Florestal POR QUE ESTAMOS AQUI HOJE? Não queremos mais... EROSÃO ASSOREAMENTO AGRICULTURA EM APP POR QUE ESTAMOS AQUI?

Leia mais

Estudo da dose de resposta de cobertura (N.K) na cultura do milho safrinha-mt Consultoria Pesquisa Agricultura de Precisão

Estudo da dose de resposta de cobertura (N.K) na cultura do milho safrinha-mt Consultoria Pesquisa Agricultura de Precisão Estudo da dose de resposta de cobertura (N.K) na cultura do milho safrinha-mt Consultor: Paulo Sérgio de Assunção Daniel Bennemann Frasson OBJETIVO O objetivo do presente trabalho foi realizar um estudo

Leia mais

PLANEJAMENTO E MANEJO DE LAVOURAS TRANSGÊNICAS NOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO

PLANEJAMENTO E MANEJO DE LAVOURAS TRANSGÊNICAS NOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO PLANEJAMENTO E MANEJO DE LAVOURAS TRANSGÊNICAS NOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO Segundo o Dicionário Aurélio, planejamento é o ato ou efeito de planejar (Fazer o plano ou planta de traçar); Trabalho de preparação

Leia mais

Da expectativa de direitos da Monsanto no Brasil sobre os pedidos de patentes da tecnologia Intacta RR2 PRO: Onde está de fato a Inovação?

Da expectativa de direitos da Monsanto no Brasil sobre os pedidos de patentes da tecnologia Intacta RR2 PRO: Onde está de fato a Inovação? DA EXPECTATIVA DE DIREITOS DA MONSANTO NO BRASIL SOBRE OS PEDIDOS DE PATENTES DA TECNOLOGIA INTACTA RR2 PRO: ONDE ESTÁ DE FATO A INOVAÇÃO? Da expectativa de direitos da Monsanto no Brasil sobre os pedidos

Leia mais

Pragas e doenças do cafeeiro FIQUE DE OLHO

Pragas e doenças do cafeeiro FIQUE DE OLHO Pragas e doenças do cafeeiro FIQUE DE OLHO 2 Pragas e doenças do cafeeiro: fique de olho! Pragas e doenças competem com as culturas econômicas, causando quedas na produção. A garantia de produção e produtividade

Leia mais

RECOMENDAÇÕES DE FUNGICIDAS PARA TRATAMENTO DE SEMENTES E CONTROLE DE OÍDIO E DE DOENÇAS DE FINAL DE CICLO DA SOJA, SAFRA 1998/99

RECOMENDAÇÕES DE FUNGICIDAS PARA TRATAMENTO DE SEMENTES E CONTROLE DE OÍDIO E DE DOENÇAS DE FINAL DE CICLO DA SOJA, SAFRA 1998/99 ISSN 004-564 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Agropecuária Oeste Ministério da Agricultura e do Abastecimento BR 6, km 5,6 - Trecho Dourados-Caarapó Caixa Postal 66 79804-970 Dourados

Leia mais

MOGNO BRASILEIRO. "Mogno resssurge no cerrado mineiro

MOGNO BRASILEIRO. Mogno resssurge no cerrado mineiro MOGNO BRASILEIRO A valiosa madeira mogno está sendo cultivada no norte de MG. Cresce rápido, e agricultores já a veem como futura fonte de lucro. Vejam: "Mogno resssurge no cerrado mineiro A valiosa madeira

Leia mais

Embrapa Agropecuária Oeste. Documentos, 32 Embrapa Algodão. Documentos, 82

Embrapa Agropecuária Oeste. Documentos, 32 Embrapa Algodão. Documentos, 82 Embrapa Agropecuária Oeste. Documentos, 32 Embrapa Algodão. Documentos, 82 Exemplares desta publicação podem ser solicitados à: Embrapa Agropecuária Oeste Área de Comunicação Empresarial - ACE BR 163,

Leia mais

Fruticultura. A Cultura do Abacate. Nome Cultura do Abacate Produto Informação Tecnológica Data Abril -2001 Preço - Linha Fruticultura Resenha

Fruticultura. A Cultura do Abacate. Nome Cultura do Abacate Produto Informação Tecnológica Data Abril -2001 Preço - Linha Fruticultura Resenha 1 de 9 10/16/aaaa 11:29 Fruticultura A Cultura do Abacate Nome Cultura do Abacate Produto Informação Tecnológica Data Abril -2001 Preço - Linha Fruticultura Resenha Informações resumidas sobre a Cultura

Leia mais

HORTICULTURA EM MODO BIOLÓGICO

HORTICULTURA EM MODO BIOLÓGICO HORTICULTURA EM MODO BIOLÓGICO A COMPOSTAGEM O composto é uma substância semelhante ao solo, resultante da decomposição de matérias orgânicas. A compostagem é uma maneira natural de reciclar as plantas,

Leia mais

Helicoverpa armigera. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@embrapa.br

Helicoverpa armigera. Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@embrapa.br Helicoverpa armigera Ivan Cruz, entomologista ivan.cruz@embrapa.br Controle Biológico com ênfase a Trichogramma Postura no coleto Posturas nas folhas Trichogramma Manejo Integrado de Pragas com ênfase

Leia mais

ENSAIOS DE ALGODOEIROS DE FIBRAS COLORIDAS NO VALE DO IUIU 1 INTRODUÇÃO

ENSAIOS DE ALGODOEIROS DE FIBRAS COLORIDAS NO VALE DO IUIU 1 INTRODUÇÃO Página 1376 ENSAIOS DE ALGODOEIROS DE FIBRAS COLORIDAS NO VALE DO IUIU 1 Murilo Barros Pedrosa 1 ; Osório Lima Vasconcelos 3 ; Camilo de Lelis Morello 2 ; Eleusio Curvelo Freire 4 ; Flávio Rodrigo Gandolfi

Leia mais

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA TEL +55 34 3229 1313 FAX +55 34 3229 4949 celeres@celeres.com.br celeres.com.br IB14.01 9 de abril de 2014 INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA Conteúdo Análise Geral... 2 Tabelas... 6 Figuras Figura 1. Adoção da

Leia mais

Mesa de Controvérsias sobre Transgênicos Brasília, 10 de julho de 2013

Mesa de Controvérsias sobre Transgênicos Brasília, 10 de julho de 2013 Mesa de Controvérsias sobre Transgênicos Brasília, 10 de julho de 2013 Painel Os Processos Decisórios e de Regulamentação e o Controle Social na Construção da Política de Biossegurança Leonardo Melgarejo

Leia mais

Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho

Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho Engº Agrº Robson F. de Paula Coordenador Técnico Regional Robson.depaula@pioneer.com Silagem de qualidade começa no campo! E no momento

Leia mais

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA TEL +55 34 3229 1313 FAX +55 34 3229 4949 celeres@celeres.com.br celeres.com.br IB14.03 16 de dezembro de 2014 INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA Conteúdo Análise Geral... 2 Tabelas... 5 Figuras Figura 1. Adoção

Leia mais

PRODUTIVIDADE DA MAMONA HÍBRIDA SAVANA EM DIVERSAS POPULACÕES DE PLANTIO NO SUDOESTE DA BAHIA* fundacaoba.algodao@aiba.org.br; 4 Embrapa Algodão

PRODUTIVIDADE DA MAMONA HÍBRIDA SAVANA EM DIVERSAS POPULACÕES DE PLANTIO NO SUDOESTE DA BAHIA* fundacaoba.algodao@aiba.org.br; 4 Embrapa Algodão PRODUTIVIDADE DA MAMONA HÍBRIDA SAVANA EM DIVERSAS POPULACÕES DE PLANTIO NO SUDOESTE DA BAHIA* Gilvan Barbosa Ferreira 1, Ozório Lima de Vasconcelos 2, Murilo Barros Pedrosa 3, Arnaldo Rocha Alencar 4,

Leia mais

Inovação em roças no toco. Como fazer a roça aumentar a renda da família?

Inovação em roças no toco. Como fazer a roça aumentar a renda da família? Inovação em roças no toco Ou Como fazer a roça aumentar a renda da família? Produção da roça no toco Arroz, Milho Mandioca, Feijão, Fava Abóbora, Maxixe, Melão, Melancia, Pepino, Macaxeira, Batata, Quiabo,

Leia mais