Estrutura familiar e dinâmica social

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estrutura familiar e dinâmica social"

Transcrição

1 Estrutura familiar e dinâmica social

2 Introdução Neste trabalho pretendendo tratar minuciosamente sobre o conceito e relevância social do parentesco; a família enquanto grupo específico e diferenciado de outras estruturas sociais; a família ao longo da história; mudanças na realidade familiar e a violência no seio das famílias.

3 Estrutura familiar e dinâmica social Quando falamos de família referimo-nos a conjuntos de pessoas que estão ligadas por laços de parentesco, resultantes de casamento ou de consanguinidade. A relação de parentesco são relações entre os indivíduos estabelecidas pela consanguinidade (mães, pais, filhos, avós, etc), pela aliança (casamento) e em alguns casos pela adoção. Essas relações estabelecem o nosso universo de parentes.

4 Tipos de família Famílias monoparentais: referem-se à relação com os filhos por parte das mães ou pais solteiros, viúvos ou divorciados. Em 2005, estas famílias representavam 20% do total de todas as famílias. Na origem das famílias monoparentais estão os novos processos ideológicos e tecnológicos, a libertação sexual, o maior entendimento das necessidades e direitos das crianças, uma vivência mais individualista, na emancipação da mulher e na sua entrada no mundo laboral, bem como no aumento da igualdade de géneros.

5 Tipos de família Famílias recompostas: a realidade do divórcio em Portugal é recente: foi autorizado em 1975 e tem vindo a aumentar no nosso país. Portanto, nada mais natural que uma pessoa divorciada contraia novo matrimónio e tendo, geralmente, filhos da anterior relação, constitua com eles uma nova família. A este novo tipo de família chamamos família recomposta;

6 Tipos de família União de facto: trata-se de uma realidade bastante semelhante ao casamento. No entanto, a União de facto não implica a existência de qualquer contrato escrito, podendo ser realizada por pessoas do mesmo sexo e embora se estabeleça como comunhão plena de vida, no plano pessoal o mesmo não se aplica no plano patrimonial. O casamento, por seu lado, excetuando o regime de separação de bens, trata-se de um contrato de comunhão de vida pessoal e patrimonial.

7 Tipos de família Famílias Unipessoais: A par do divórcio, da viuvez e do facto de se ser solteiro existem as famílias unipessoais, numa variação que entre 1991 e 2001 rondava 45% das famílias portuguesas. Estamos a falar de pessoas que vivem sozinhas, resultado das causas já referidas, acentuando-se uma tendência de género feminino na população jovem, pois nas camadas mais idosas femininas a vivência com os filhos em situação de divórcio ou viuvez ainda é bastante frequente.

8 Funções na família Hoje em dia vivemos a família, de modo geral, como uma das instituições socioculturais que tem por objetivo a manutenção de determinadas regras ou leis que permitam, a uma comunidade mais ampla, conviver em harmonia. Existe também a intenção de proteger as crianças, dando-lhes ambiente saudável e educação pertinente para que possam tornar-se adultos responsáveis nos âmbitos individual e comunitário.

9 Funções sociais As funções sociais são: a socialização; a reprodução; a manutenção; a necessidade de afeição e segurança tanto para os pais como para os filhos

10 Parentesco Parentesco é a relação que une duas ou mais pessoas por vínculos de sangue (descendência/ascendência) ou sociais que vêm sobretudo pelo casamento, onde a partir daí se vão criando laços e constituindo ou unido famílias e assim tornando-as mais fortes. O parentesco era o principal fator da conservação da unidade social na cultura primitiva.

11 Tipo de Parentesco Consanguinidade: Mãe, Pai, Filho; Irmãos e Avós; Tios, sobrinhos e bisavós; Primos e Trisavós.

12 Tipo de Parentesco Afinidade: Sogra e sogro; Genro e nora; Cunhado e cunhada; Padrasto e madrasta; Enteado e enteada; Marido e esposa; Não são parentes.

13 Conclusão A família vem-se transformando através dos tempos, acompanhando as mudanças religiosas, económicas e socioculturais do contexto em que se encontram inseridas. Esta é um espaço sociocultural que deve ser continuamente renovado e reconstruído.

14 Trabalho realizado por: Ana Sofia Gonçalves nº19873 No âmbito da disciplina de Área de Integração.

Estrutura FAMILIAR E DINÂMICA SOCIAL Sandra Almeida Área de Integração

Estrutura FAMILIAR E DINÂMICA SOCIAL Sandra Almeida Área de Integração Estrutura FAMILIAR E DINÂMICA SOCIAL Sandra Almeida 21115 Área de Integração 1 CONCEITO DE FAMÍLIA 2 3 RELAÇÕES DE PARENTESCO ESTRUTURAS FAMILIARES/MODELOS DE FAMÍLIA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA 4 5 FUNÇÕES

Leia mais

ESTRUTURA FAMILIAR E DINÂMICA SOCIAL

ESTRUTURA FAMILIAR E DINÂMICA SOCIAL O QUE É A FAMÍLIA? Família surgiu em Roma para identificar um novo grupo social que surgiu entre tribos latinas, ao serem introduzidas à agricultura e também escravidão legalizada. A família caracteriza

Leia mais

Dia Internacional da Família 15 de maio

Dia Internacional da Família 15 de maio Dia Internacional da Família 15 de maio 14 de maio de 14 (versão corrigida às 16.3H) Na 1ª página, 5º parágrafo, 3ª linha, onde se lia 15-65 anos deve ler-se 15-64 anos Famílias em Portugal As famílias

Leia mais

Objetivos Evolução e diversidade nas famílias monoparentais

Objetivos Evolução e diversidade nas famílias monoparentais 1 Objetivos Evolução e diversidade nas famílias monoparentais Quais as mudanças e as continuidades ocorridas nestas famílias entre 1991-2011? Qual o impacto das mudanças na conjugalidade e na parentalidade,

Leia mais

EDITORIAL. v. 6, n.1, p. 1-24, jan./jun Revision, v. 1, p , 1998.

EDITORIAL. v. 6, n.1, p. 1-24, jan./jun Revision, v. 1, p , 1998. EDITORIAL Família é um termo muito utilizado, mas difícil de captar em toda a sua complexidade. Nos estudos de família há limitações, tanto no aspecto teórico quanto na perspectiva empírica, em relação

Leia mais

05 de maio: Dia da Mãe

05 de maio: Dia da Mãe 03 de maio 2013 05 de maio: Dia da Mãe O retrato da Mãe que vive com os filhos A idade das Mães ao nascimento do primeiro filho tem vindo a aumentar. Em 2001 era-se Mãe pela primeira vez aos 26,8 anos.

Leia mais

Você já ouviu falar sobre a IGUALDADE DE GÊNERO? Saiba do que se trata e entenda o problema para as crianças, jovens e adultos se essa igualdade não

Você já ouviu falar sobre a IGUALDADE DE GÊNERO? Saiba do que se trata e entenda o problema para as crianças, jovens e adultos se essa igualdade não Você já ouviu falar sobre a IGUALDADE DE GÊNERO? Saiba do que se trata e entenda o problema para as crianças, jovens e adultos se essa igualdade não for ensinada na escola! O QUE É A IGUALDADE DE GÊNERO?

Leia mais

SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL A ADOLESCENTES EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA. Plano Individual de Atendimento - P.I.A.-

SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL A ADOLESCENTES EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA. Plano Individual de Atendimento - P.I.A.- SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL A ADOLESCENTES EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA Plano Individual de Atendimento - P.I.A.- Objetiva potencializar a construção de um novo projeto de vida, a ser planejado

Leia mais

ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO

ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO O requerimento deve ser preenchido manualmente. Para este efeito utilize o

Leia mais

GUIA PRÁTICO CONDIÇÃO DE RECURSOS NOTA: EM VIGOR A PARTIR DE 01 DE AGOSTO DE 2010 INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. Manual de

GUIA PRÁTICO CONDIÇÃO DE RECURSOS NOTA: EM VIGOR A PARTIR DE 01 DE AGOSTO DE 2010 INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. Manual de Manual de GUIA PRÁTICO CONDIÇÃO DE RECURSOS NOTA: EM VIGOR A PARTIR DE 01 DE AGOSTO DE 2010 INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/9 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático

Leia mais

GUIA PRÁTICO FUNDO ESPECIAL DE SEGURANÇA SOCIAL DO PESSOAL DA INDÚSTRIA DE LANIFÍCIOS

GUIA PRÁTICO FUNDO ESPECIAL DE SEGURANÇA SOCIAL DO PESSOAL DA INDÚSTRIA DE LANIFÍCIOS GUIA PRÁTICO FUNDO ESPECIAL DE SEGURANÇA SOCIAL DO PESSOAL DA INDÚSTRIA DE LANIFÍCIOS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/11 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Fundo

Leia mais

Demografia e População

Demografia e População População Residente Total Anos de 2001 e 2011 População Residente Total Portugal 10 356 117 10 562 178 Continente 9 869 343 10 047 621 Norte 3 687 293 3 689 682 Entre Douro e Vouga 276 812 274 859 Santa

Leia mais

O Perfil do Pai que vive com os filhos

O Perfil do Pai que vive com os filhos 19 de março: Dia do Pai 18 de março 2013 O Perfil do Pai que vive com os filhos Em Portugal, 1 631 376 Pais vivem com filhos/as. A idade média dos Pais é de 47,1 anos. Na sua maioria são casados e vivem,

Leia mais

GUIA PRÁTICO CONDIÇÃO DE RECURSOS NOTA: EM VIGOR A PARTIR DE 01 DE AGOSTO DE 2010 INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. Manual de

GUIA PRÁTICO CONDIÇÃO DE RECURSOS NOTA: EM VIGOR A PARTIR DE 01 DE AGOSTO DE 2010 INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. Manual de Manual de GUIA PRÁTICO CONDIÇÃO DE RECURSOS NOTA: EM VIGOR A PARTIR DE 01 DE AGOSTO DE 2010 INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/8 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático

Leia mais

O Direito de Adoptar?

O Direito de Adoptar? Direito da Igualdade Social 2010 2011 O Direito de Adoptar? A adopção por casais homossexuais Andreia Engenheiro Nº 2068 1. Família Tem influência de factores: - Religiosos; - Económicos; - Socio-culturais.

Leia mais

INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO. Requerimento PRESTAÇÕES FAMILIARES Abono de Família Pré-Natal e Abono de Família para Crianças e Jovens

INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO. Requerimento PRESTAÇÕES FAMILIARES Abono de Família Pré-Natal e Abono de Família para Crianças e Jovens INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO Requerimento PRESTAÇÕES FAMILIARES Abono de Família Pré-Natal e Abono de Família para Crianças e Jovens Nota: Os requerentes de abono de família para crianças

Leia mais

Evolução das Estruturas Domésticas em Portugal: de 1960 a 2011

Evolução das Estruturas Domésticas em Portugal: de 1960 a 2011 1 Evolução das Estruturas Domésticas em Portugal: de 1960 a 2011 Karin Wall, Vanessa Cunha, Vasco Ramos OFAP/ICS-ULisboa 2 Em análise: 4 grandes questões 1) Tipos de família em Portugal hoje e como mudaram

Leia mais

VÍNCULOS / MOTIVOS DECLARAÇÕES E DOCUMENTOS COMPROBATÓRIOS DE DEPENDÊNCIA ESPOSO(A)

VÍNCULOS / MOTIVOS DECLARAÇÕES E DOCUMENTOS COMPROBATÓRIOS DE DEPENDÊNCIA ESPOSO(A) CONCESSÃO ANEXO B TABELA DE VÍNCULOS, MOTIVOS, DECLARAÇÕES E DOCUMENTOS COMPROBATÓRIOS VÍNCULOS / MOTIVOS DECLARAÇÕES E DOCUMENTOS COMPROBATÓRIOS DE DEPENDÊNCIA ESPOSO(A) DD, DBA, Certidão de Casamento.

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR MORTE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR MORTE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR MORTE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio por Morte (7011 v4.15) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR Centro Nacional

Leia mais

Câmara Municipal de Mealhada

Câmara Municipal de Mealhada Câmara Municipal de Mealhada Normas de funcionamento dos serviços da Componente de Apoio à Família nos Estabelecimentos de Educação Pré-Escolar do Município da Mealhada NORMAS DE FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS

Leia mais

Anexo Questionário Rural

Anexo Questionário Rural 3º RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES 4.2.3 PROJETO DE RECOMPOSIÇÃO DAS ATIVIDADES COMERCIAIS RURAIS Anexo 4.2.3-1 Questionário Rural UHE BELO MONTE 4.2.3 Projeto

Leia mais

Perguntas frequentes - Candidatos

Perguntas frequentes - Candidatos Perguntas frequentes - Candidatos 1 - Ao ser aprovado no processo de credenciamento tenho garantias que prestarei serviços ao Sebrae? O credenciamento não obriga o Sebrae a efetuar qualquer contratação

Leia mais

Direito de Família. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Direito de Família. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Direito de Família Direito de Família Direito de Família Regula as relações patrimoniais e morais decorrentes do casamento, das demais entidades familiares e da relação de parentesco. Entidade Familiar

Leia mais

Papa Francisco e Sínodo dos Bispos

Papa Francisco e Sínodo dos Bispos Papa Francisco e Sínodo dos Bispos Pastoral Juvenil Diocese de Jales QUESTIONÁRIO DIOCESANO PASTORAL JUVENIL: Os Jovens, a fé e o discernimento vocacional A Finalidade deste questionário é auxiliar a Coordenação

Leia mais

Comunidade Brasileira é a maior comunidade estrangeira em Portugal

Comunidade Brasileira é a maior comunidade estrangeira em Portugal Dia da Comunidade Luso-Brasileira (22 de Abril) Censos 11 19 de abril de 13 Comunidade Brasileira é a maior comunidade estrangeira em Portugal De acordo com os Censos 11, na última década a comunidade

Leia mais

Estatísticas Demográficas 2014

Estatísticas Demográficas 2014 Estatísticas Demográficas 214 3 de outubro de 215 Saldos natural e migratório negativos atenuam-se face ao ano anterior Em 214 verificou-se uma diminuição da população residente, mantendo a tendência observada

Leia mais

DECLARAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS

DECLARAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS PARTICIPANTE DADOS PESSOAIS Matr. SPP: DADOS BANCÁRIOS (para crédito de reembolso) Banco: Agência: Conta Corrente: 1º DEPENDENTE PRIORITÁRIO E/OU BENEFICIÁRIO ESPECIAL F.ASC.01.03 R00 Página 1 de 5 2º

Leia mais

PORCELANAS RAMPONI CANECAS, PRATOS E RELÓGIOS PERSONALIZADOS

PORCELANAS RAMPONI CANECAS, PRATOS E RELÓGIOS PERSONALIZADOS PORCELANAS RAMPONI CANECAS, PRATOS E RELÓGIOS PERSONALIZADOS Modelo Canecas Frases Neutras e Personagens F1 F4 F7 F2 F3 F5 F6 F8 F9 Frases Neutras e Personagens Pai FRASES: Mãe.F1 Você é especial para

Leia mais

Natureza jurídica da família:

Natureza jurídica da família: Família Conceito de família família é um grupo de pessoas ligadas entre si por relações pessoais e patrimoniais resultantes do casamento, da união estável e do parentesco ( 4º do art. 226, CF). Comentários

Leia mais

Layout do arquivo de transferência de comunicações

Layout do arquivo de transferência de comunicações Layout do arquivo de transferência de comunicações Este documento contém a definição do layout do arquivo de transferência entre os cartórios. Somente serão enviadas as comunicações referentes aos cartórios

Leia mais

Evolução e Padrões de Casamentos Binacionais em Portugal ( ) BIMAR. Sofia Gaspar (coord.) Ana Cristina Ferreira Madalena Ramos

Evolução e Padrões de Casamentos Binacionais em Portugal ( ) BIMAR. Sofia Gaspar (coord.) Ana Cristina Ferreira Madalena Ramos Evolução e Padrões de Casamentos Binacionais em Portugal (1988-2011) BIMAR Sofia Gaspar (coord.) Ana Cristina Ferreira Madalena Ramos Evolução e Padrões de Casamentos Binacionais em Portugal (1988-2011)

Leia mais

Mulheres e Homens em Portugal, Retrato Estatístico da Década de 90

Mulheres e Homens em Portugal, Retrato Estatístico da Década de 90 Informação à Comunicação Social 16 de Maio de 2000 Mulheres e Homens em Portugal, Retrato Estatístico da Década de 90 Encontra-se disponível um documento de trabalho com cerca de 50 páginas sobre este

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA. O presente Código tem por finalidade orientar a empresa como um todo sobre questões éticas e de conduta.

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA. O presente Código tem por finalidade orientar a empresa como um todo sobre questões éticas e de conduta. CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA O presente Código tem por finalidade orientar a empresa como um todo sobre questões éticas e de conduta. 1. Introdução O presente Código de Ética e Conduta tem por objetivo oferecer

Leia mais

Instruções para o preenchimento:

Instruções para o preenchimento: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO PARA AVALIAÇÃO DA RENDA PER CAPITA PROCESSO SELETIVO 2/2014 UFSM - Campus Cachoeira do Sul - SiSU ANEXO I Instruções

Leia mais

PROVA ANUAL DE RENDIMENTOS/AGREGADO FAMILIAR

PROVA ANUAL DE RENDIMENTOS/AGREGADO FAMILIAR PROVA ANUAL DE RENDIMENTOS/AGREGADO FAMILIAR Antes do preenchimento do presente requerimento aconselha-se a leitura atenta das informações em anexo. As falsas declarações são punidas com coimas, nos termos

Leia mais

Do singular ao plural: construindo laços afetivos familiares.

Do singular ao plural: construindo laços afetivos familiares. Prof. MSc. Renato Duro Dias Coordenador do Curso de Direito da Universidade Federal do Rio Grande FURG Mestre em Memória Social e Patrimônio Cultural Especialista em Direito de Família e das Sucessões

Leia mais

OCORRÊNCIAS. Ao completar 20 anos de serviço, tem acréscimo de 1/6 à remuneração Requerimento protocolado no 1º dia Não há limite.

OCORRÊNCIAS. Ao completar 20 anos de serviço, tem acréscimo de 1/6 à remuneração Requerimento protocolado no 1º dia Não há limite. OCORRÊNCIAS Adicional por tempo de serviço A cada 5 anos de serviço, tem um acréscimo de 5% ao salário. - - - Sexta Parte Convocação para júri Doação de Sangue Ao completar 20 anos de serviço, tem acréscimo

Leia mais

Aula 07 - Uma família interessante!

Aula 07 - Uma família interessante! Aula 07 - Uma família interessante! Objetivos Identificar as relações de parentesco, nomeando os membros de uma família; descrever pessoas, física e psicologicamente, utilizando adjetivos; descrever pessoas

Leia mais

ORAÇÃO UNIVERSAL. Os modelos I VII são retirados do Ritual do Matrimónio da Conferência Episcopal Portuguesa. MODELO I

ORAÇÃO UNIVERSAL. Os modelos I VII são retirados do Ritual do Matrimónio da Conferência Episcopal Portuguesa. MODELO I ORAÇÃO UNIVERSAL Os modelos I VII são retirados do Ritual do Matrimónio da Conferência Episcopal Portuguesa. MODELO I Celebrando o especial dom da graça e da caridade, com que Deus Se dignou consagrar

Leia mais

IGUALDADE NÃO É (SÓ) QUESTÃO DE MULHERES

IGUALDADE NÃO É (SÓ) QUESTÃO DE MULHERES IGUALDADE NÃO É (SÓ) QUESTÃO DE MULHERES TERESA MANECA LIMA SÍLVIA ROQUE DIFERENÇAS ENTRE HOMENS E MULHERES APENAS UMA QUESTÃO DE SEXO? SEXO GÉNERO SEXO: conjunto de características biológicas e reprodutivas

Leia mais

Conceituando. Exemplos mais evidentes: o Estado, a Igreja, a escola, a família, o trabalho remunerado

Conceituando. Exemplos mais evidentes: o Estado, a Igreja, a escola, a família, o trabalho remunerado Conceituando Instituição é toda forma ou estrutura social estabelecida, constituída, sedimentada na sociedade e com caráter normativo ou seja, ela define regras (normas) e exerce formas de controle social.

Leia mais

REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS

REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO O requerimento deve ser preenchido manualmente.

Leia mais

Professora: Vera Linda Lemos Disciplina: Direito das Sucessões 7º Período

Professora: Vera Linda Lemos Disciplina: Direito das Sucessões 7º Período Professora: Vera Linda Lemos Disciplina: Direito das Sucessões 7º Período Toda a sucessão legítima observará uma ordem de vocação hereditária que, no Código Civil, está prevista no artigo 1.829. Art. 1.829.

Leia mais

Dia Internacional da Família 15 de maio

Dia Internacional da Família 15 de maio Dia Internacional da Família 15 de maio 14 de maio de 2013 Como são as famílias em Portugal e que riscos económicos enfrentam Em Portugal as famílias são hoje mais e têm menor dimensão média, em consequência

Leia mais

EVOLUÇÃO DA TN EM PORTUGAL DESDE MEADOS DO SÉCULO XX

EVOLUÇÃO DA TN EM PORTUGAL DESDE MEADOS DO SÉCULO XX EVOLUÇÃO DA TN EM PORTUGAL DESDE MEADOS DO SÉCULO XX A tendência do número de nascimentos em Portugal neste período é de um decréscimo. O período de 1975 a 1977 contraria esta evolução devido a fatores

Leia mais

DECLARAÇÃO DE PARENTESCO (modelo item D)

DECLARAÇÃO DE PARENTESCO (modelo item D) DECLARAÇÃO DE PARENTESCO (modelo item D), CPF, DECLARO, para todos os efeitos legais, que por ser expressão fiel da verdade, firmo a presente Declaração, assumindo as consequências civis, penais e administrativas

Leia mais

ANEXO I DECLARAÇÃO DE PAGAMENTO DE ALUGUEL - Este documento deve ser preenchido pelo dono do imóvel -

ANEXO I DECLARAÇÃO DE PAGAMENTO DE ALUGUEL - Este documento deve ser preenchido pelo dono do imóvel - ANEXO I DECLARAÇÃO DE PAGAMENTO DE ALUGUEL - Este documento deve ser preenchido pelo dono do imóvel - Nome: Estado Civil: Profissão:, inscrito (a) no CPF sob o nº, portador(a) do RG nº, residente e domiciliado(a)

Leia mais

Organização das aldeias e formas de casamento entre os Wajãpi: algumas informações básicas 1

Organização das aldeias e formas de casamento entre os Wajãpi: algumas informações básicas 1 Organização das aldeias e formas de casamento entre os Wajãpi: algumas informações básicas 1 Dominique Tilkin Gallois As aldeias wajãpi são ocupadas por um número variável de famílias (de duas a dez),

Leia mais

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 UNICEF FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 UNICEF FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA COPATROCINADOR UNAIDS 2015 UNICEF FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA COPATROCINADORES UNAIDS 2015 UNICEF O QUE É UNICEF? O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) acredita que promover os

Leia mais

Conceito: é a relação afetiva ou amorosa entre homem e mulher, não adulterina ou incestuosa, com estabilidade e durabilidade, vivendo ou não sob o

Conceito: é a relação afetiva ou amorosa entre homem e mulher, não adulterina ou incestuosa, com estabilidade e durabilidade, vivendo ou não sob o União Estável Conceito: é a relação afetiva ou amorosa entre homem e mulher, não adulterina ou incestuosa, com estabilidade e durabilidade, vivendo ou não sob o mesmo teto, com o objetivo de constituir

Leia mais

Curso de. Direito. Núcleo de Prática Jurídica. Direito de Família. www.faesa.br

Curso de. Direito. Núcleo de Prática Jurídica. Direito de Família. www.faesa.br Curso de Direito Núcleo de Prática Jurídica Direito de Família www.faesa.br mportante: Contatos de Cartórios em Vitória Cartório Sarlo: Av. Nossa Senhora da Penha, 549, Ed. Wilma, Santa Lúcia, Vitória-ES.

Leia mais

Redes sociais, afectos e pessoas idosas

Redes sociais, afectos e pessoas idosas Redes sociais, afectos e pessoas idosas António M. Fonseca afonseca@porto.ucp.pt CONVERSAS DE FIM DE TARDE VISEU, 29 JUNHO 2012 Uma vida mais longa A esperança média de vida tem aumentado de forma dramática:

Leia mais

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 UNFPA FUNDO DE POPULAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 UNFPA FUNDO DE POPULAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS COPATROCINADOR UNAIDS 2015 UNFPA FUNDO DE POPULAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS COPATROCINADORES UNAIDS 2015 UNFPA O QUE É O UNFPA? O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) se esforça para oferecer um mundo

Leia mais

16ª CONFERÊNCIA MUNDIAL DA SOCIEDADE INTERNACIONAL DE DIREITO DE FAMÍLIA - ISFL DIREITO DE FAMÍLIA E REALIDADES FAMILIARES APRESENTAÇÃO

16ª CONFERÊNCIA MUNDIAL DA SOCIEDADE INTERNACIONAL DE DIREITO DE FAMÍLIA - ISFL DIREITO DE FAMÍLIA E REALIDADES FAMILIARES APRESENTAÇÃO 16ª CONFERÊNCIA MUNDIAL DA SOCIEDADE INTERNACIONAL DE DIREITO DE FAMÍLIA - ISFL DIREITO DE FAMÍLIA E REALIDADES FAMILIARES APRESENTAÇÃO A 16ª Conferência Mundial da Sociedade Internacional de Direito de

Leia mais

PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL MEDIA COMPLEXIDADE

PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL MEDIA COMPLEXIDADE OBJETIVO: Prestar atendimento especializado às famílias e indivíduos cujos direitos tenham sido ameaçados ou violados e/ou que já tenha ocorrido rompimento familiar ou comunitário. PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL

Leia mais

CARTILHA INFORMATIVA SOBRE:

CARTILHA INFORMATIVA SOBRE: CARTILHA INFORMATIVA SOBRE: As consequências patrimoniais dos principais regimes de bens quando da morte de um dos cônjuges. Material produzido por Felipe Pereira Maciel, advogado inscrito na OAB/RJ sob

Leia mais

NOSSO DESTINO: A RESSURREIÇÃO DO CORPO.

NOSSO DESTINO: A RESSURREIÇÃO DO CORPO. NOSSO DESTINO: A RESSURREIÇÃO DO CORPO. O CÉU É UMA EXPERIÊNCIA CORPÓREA Mt 22, 23-32 I COR 2, 9-10 É como está escrito: Coisas que os olhos não viram, nem os ouvidos ouviram, nem o coração humano imaginou

Leia mais

Ana Amélia Camarano (IPEA) Solange Kanso (IPEA)

Ana Amélia Camarano (IPEA) Solange Kanso (IPEA) Ana Amélia Camarano (IPEA) Solange Kanso (IPEA) Brasília, 7 de março de 2007 OBJETIVOS QUESTÕES !"#$"$#%&#!!'"()* Visão geral das tendências de crescimento da população brasileira e dos componentes deste

Leia mais

InfoReggae - Edição 10 Denúncias de abuso sexial contra crianças e adolescentes no estado do Rio de Janeiro 13 de setembro de 2013

InfoReggae - Edição 10 Denúncias de abuso sexial contra crianças e adolescentes no estado do Rio de Janeiro 13 de setembro de 2013 O Grupo Cultural AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura e da arte, desperta potencialidades artísticas que elevam a autoestima de jovens das camadas populares.

Leia mais

M U N I C Í P I O D E M E A L H A D A C Â M A R A M U N I C I P A L

M U N I C Í P I O D E M E A L H A D A C Â M A R A M U N I C I P A L NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DA REDE PÚBLICA DO CONCELHO DE MEALHADA A Lei-Quadro (Lei n.º 5/97 de 10 de Fevereiro)

Leia mais

Subsídio de educação especial Atualizado em:

Subsídio de educação especial Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL Subsídio de educação especial Atualizado em: 07-09-2016 Esta informação destina-se a que cidadãos Crianças e jovens com deficiência com idade inferior a 24 anos. O que é e quais as condições

Leia mais

III INQUÉRITO NACIONAL AO CONSUMO DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS NA POPULAÇÃO GERAL, PORTUGAL 2012

III INQUÉRITO NACIONAL AO CONSUMO DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS NA POPULAÇÃO GERAL, PORTUGAL 2012 III INQUÉRITO NACIONAL AO CONSUMO DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS NA POPULAÇÃO GERAL, PORTUGAL 2012 Consumo de substâncias psicoativas na população laboral Casimiro Balsa Clara Vital Cláudia Urbano CESNOVA

Leia mais

Filha, agora que vais casar tens de tratar bem do teu marido, ter a comida sempre pronta, dar banho e não recusar ter relações sexuais sempre que ele

Filha, agora que vais casar tens de tratar bem do teu marido, ter a comida sempre pronta, dar banho e não recusar ter relações sexuais sempre que ele Filha, agora que vais casar tens de tratar bem do teu marido, ter a comida sempre pronta, dar banho e não recusar ter relações sexuais sempre que ele quiser. É isso Rosa, se ele arranjar uma mulher fora,

Leia mais

Caderno Eletrônico de Exercícios Direito de Família

Caderno Eletrônico de Exercícios Direito de Família 1) Com quantos anos uma pessoa atinge a maioridade civil? a) 15 anos b) 18 anos c) 65 anos d) 21 anos 2) Os impedimentos de casamento estão relacionados no art.1521 do C.C. Sua infração causa a nulidade

Leia mais

Guião da Lição 25 SOMOS A IGREJA QUE ELE FUNDOU

Guião da Lição 25 SOMOS A IGREJA QUE ELE FUNDOU Guião da Lição 25 SOMOS A IGREJA QUE ELE FUNDOU A família e os nossos amigos mais próximos, que são como uma família, são muito importantes para nós. Tratam-se todos, de uma comunidade de pessoas ligadas

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o regime de Faltas (FAQ S)

Perguntas frequentes sobre o regime de Faltas (FAQ S) Pág. 1 Perguntas frequentes sobre o regime de Faltas (FAQ S) 1. Quais são as faltas justificadas e injustificadas? Consideram-se faltas as ausências do trabalhador no local de trabalho e durante o período

Leia mais

Pesquisa nas Favelas com Unidades de Polícia Pacificadora da Cidade do Rio de Janeiro

Pesquisa nas Favelas com Unidades de Polícia Pacificadora da Cidade do Rio de Janeiro Pesquisa nas Favelas com Unidades de Polícia Pacificadora da Cidade do Rio de Janeiro Anexo Estatístico - Ladeira dos Tabajaras Universo Universo das áreas de Ladeira dos Tabajaras - 2010 Demografia Perfil

Leia mais

Novos formatos familiares em habitações de interesse social: o caso do conjunto habitacional Jardim Sucupira em Uberlândia

Novos formatos familiares em habitações de interesse social: o caso do conjunto habitacional Jardim Sucupira em Uberlândia Novos formatos familiares em habitações de interesse social: o caso do conjunto habitacional Jardim Sucupira em Uberlândia New family profiles in social housing: the case of the housing Jardim Sucupira

Leia mais

INFORMATIVO DE SELEÇÃO V1333853

INFORMATIVO DE SELEÇÃO V1333853 INFORMATIVO DE SELEÇÃO V1333853 O Informativo de Seleção é um documento com todos os critérios e procedimentos estabelecidos pelo SENAC RJ para o processo seletivo. Os interessados em se inscrever na vaga

Leia mais

GUIA PRÁTICO PENSÃO DE ORFANDADE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PENSÃO DE ORFANDADE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PENSÃO DE ORFANDADE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pensão de Orfandade (7006 V4.18) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR Centro Nacional

Leia mais

AS INSTITUIÇÕES SOCIAIS

AS INSTITUIÇÕES SOCIAIS SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO:2ª Série

Leia mais

Identificação. ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência

Identificação. ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Identificação ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista 4-8-2012 Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016 O CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO do município de Areal, no âmbito de ação e conforme preceitua sua Lei de Criação

Leia mais

PORQUE É IMPORTANTE O DEPARTAMENTO DOS MINISTÉRIOS DA FAMÍLIA?

PORQUE É IMPORTANTE O DEPARTAMENTO DOS MINISTÉRIOS DA FAMÍLIA? PORQUE É IMPORTANTE O DEPARTAMENTO DOS MINISTÉRIOS DA FAMÍLIA? 1. Porque as famílias modernas passam pelos seguintes problemas: 1.1 Atitudes liberais antes do casamento 1.2 Conflitos 1.3 Pressões financeiras

Leia mais

Número médio de crianças por mulher aumentou ligeiramente

Número médio de crianças por mulher aumentou ligeiramente Estatísticas Demográficas 2010 16 de dezembro de 2011 Número médio de crianças por mulher aumentou ligeiramente De acordo com os factos demográficos registados, em 2010 o número de nados vivos aumentou

Leia mais

OS MEDIA E AS ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS 2012

OS MEDIA E AS ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS 2012 OS MEDIA E AS ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS 2012 Número de emigrantes em 2012 foi superior ao total de nascimentos Público.pt - 30/10/2013 Num só ano, mais de 120 mil portugueses deixaram o país. São ordens

Leia mais

Número de nados-vivos aumentou mas saldo natural manteve-se negativo

Número de nados-vivos aumentou mas saldo natural manteve-se negativo Estatísticas Vitais 215 28 de abril de 216 Número de nados-vivos aumentou mas saldo natural manteve-se negativo Em 215, nasceram com vida (nados-vivos) 85 5 crianças, de mães residentes em Portugal. Este

Leia mais

SEXO E TEMPERAMENTO MARGARET MEAD

SEXO E TEMPERAMENTO MARGARET MEAD SEXO E TEMPERAMENTO MARGARET MEAD Sexo e temperamento, de uma das mais conhecidas antropólogas de todos os tempos, a americana Margaret Mead (1901-1978), sem dúvida é um dos mais bem documentados, dos

Leia mais

RELAÇÕES DE AMIZADE EM UMA POPULAÇÃO IDOSA

RELAÇÕES DE AMIZADE EM UMA POPULAÇÃO IDOSA 173 RELAÇÕES DE AMIZADE EM UMA POPULAÇÃO IDOSA Silvia Virginia Coutinho Areosa Cíntia Kroth Araújo Claudia Maria Corrêa Cardoso Etiane Pereira Moreira Universidade de Santa Cruz do Sul Resumo Este trabalho

Leia mais

Igualdade de Género, e Não-discriminação.

Igualdade de Género, e Não-discriminação. 2016 Igualdade de Género, e Não-discriminação. INSTITUTO PORTUGUÊS DO SANGUE E DA TRANSPLANTAÇÃO, I.P. Igualdade de Género, e Não-discriminação. O IPST, I.P., está sujeito às normas legais previstas no

Leia mais

Mater Ecclesiae. Liturgia 2 Aula 12 Matrimônio fatores de nulidade

Mater Ecclesiae. Liturgia 2 Aula 12 Matrimônio fatores de nulidade Mater Ecclesiae Liturgia 2 Aula 12 Matrimônio fatores de nulidade Introdução Nulidade matrimonial Impedimentos (ou impedimentos dirimentes) são proibições legais em circunstâncias objetivas de caráter

Leia mais

ADVERTÊNCIA AO REQUERENTE

ADVERTÊNCIA AO REQUERENTE ANEXO 4 FORMULÁRIO IV Pedido de um Certificado Sucessório Europeu (Artigo 65. o do Regulamento (UE) n. o 650/2012 do Parlamento Europeu e do Conselho, relativo à competência, à lei aplicável, ao reconhecimento

Leia mais

Visão Geral do Livro IV do Novo Código Civil Maria Luiza Póvoa Cruz

Visão Geral do Livro IV do Novo Código Civil Maria Luiza Póvoa Cruz Visão Geral do Livro IV do Novo Código Civil Maria Luiza Póvoa Cruz Há muito que o nosso vigente modelo codificado (Lei nº 3.071, de 01 de janeiro de 1916), não atendia às demandas sociais e, via de conseqüência,

Leia mais

GUIÃO DA ENTREVISTA. A Perfil sociodemográfico do cuidador informal

GUIÃO DA ENTREVISTA. A Perfil sociodemográfico do cuidador informal Data da entrevista: Numero: / / GUIÃO DA ENTREVISTA A Perfil sociodemográfico do cuidador informal 1) Género 2) Idade 3) Estado Civil Feminino Masculino 4) Composição do Agregado Familiar Anos Casado /União

Leia mais

AS CRIANÇAS EM PORTUGAL - ALGUNS DADOS ESTATÍSTICOS

AS CRIANÇAS EM PORTUGAL - ALGUNS DADOS ESTATÍSTICOS Dia Mundial da Criança 1 de Junho 30 de Maio de 2005 AS CRIANÇAS EM PORTUGAL - ALGUNS DADOS ESTATÍSTICOS O conteúdo do presente Destaque está alterado na página 2, relativamente ao divulgado em 30-05-2005.

Leia mais

ssim como muitas crianças, passei minha infância imersa nas histórias e fantasias dos contos de fadas. De acordo com Karin Volobuef:

ssim como muitas crianças, passei minha infância imersa nas histórias e fantasias dos contos de fadas. De acordo com Karin Volobuef: 120 Reflexão O mapa da minha família Ana Gabriela Sturzenegger Michelin Ruth G. da Costa Lopes A ssim como muitas crianças, passei minha infância imersa nas histórias e fantasias dos contos de fadas. De

Leia mais

GUIA PRÁTICO PENSÃO DE ORFANDADE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PENSÃO DE ORFANDADE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PENSÃO DE ORFANDADE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pensão de Orfandade (7006 V4.16) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR Centro Nacional

Leia mais

FAMÍLIA MONOPARENTAL. Nayrana Guasque OLIVEIRA 1

FAMÍLIA MONOPARENTAL. Nayrana Guasque OLIVEIRA 1 FAMÍLIA MONOPARENTAL. Nayrana Guasque OLIVEIRA 1 RESUMO: A questão da família é e sempre foi muito importante. Diante da nova realidade a respeito de família este trabalho visa conceituar e exemplificar

Leia mais

Dados Pessoais do Servidor Ativo (preenchimento obrigatório) 1. Cadastro Matrícula1: 2. Cadastro Matrícula2:

Dados Pessoais do Servidor Ativo (preenchimento obrigatório) 1. Cadastro Matrícula1: 2. Cadastro Matrícula2: RECADASTRAMENTO DOS SERVIDORES DO MUNICIPIO DE URUGUAIANARS A realização deste Recadastramento não autoriza a alteração do regime de emprego (CLT) ou do regime de previdência social (RGPS). Documentos

Leia mais

Estratégia da ONUSIDA para : Acelerar o financiamento para pôr fim à SIDA

Estratégia da ONUSIDA para : Acelerar o financiamento para pôr fim à SIDA Estratégia da ONUSIDA para 2016-2020: Acelerar o financiamento para pôr fim à SIDA www.itcilo.org INTRODUÇÃO Estratégia global orientar e apoiar a resposta à SIDA, a nível global e assente em princípios

Leia mais

NÚCLEO FORTALEZA Questionário Sóciocultural Curso Jogos Digitais AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

NÚCLEO FORTALEZA Questionário Sóciocultural Curso Jogos Digitais AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NÚCLEO FORTALEZA Questionário Sóciocultural Curso Jogos Digitais AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FORTALEZA, 21 DE JULHO DE 2011 Sexo MASCULINO; 91,8% FEMININO; 8,2% MASCULINO FEMININO DE 36 A 50 ANOS; DE 25 A

Leia mais

Família e Políticas Públicas: Limites e Possibilidades de Atuação do Assistente Social

Família e Políticas Públicas: Limites e Possibilidades de Atuação do Assistente Social Família e Políticas Públicas: Limites e Possibilidades de Atuação do Assistente Social Ms. Camila Felice Jorge Assistente Social da PMSP, professora do Centro Brasileiro Ítalo Brasileiro, com grande vivência

Leia mais

DAS RELAÇÕES DE PARENTESCO Carlos Roberto Gonçalves

DAS RELAÇÕES DE PARENTESCO Carlos Roberto Gonçalves DAS RELAÇÕES DE PARENTESCO Carlos Roberto Gonçalves As pessoas unem-se em um família em razão de vínculo conjugal, união estável, de parentesco por consangüinidade, outra origem, e da afinidade. Em sentido

Leia mais

TXA²WùNÞ³KijTXI³SU² NOSSO POVO UM CENSO DA POPULAÇÃO NAMBIKUARA DO CAMPO. Compilado por Barbara Kroeker. 1ª Edição PREFÁCIO

TXA²WùNÞ³KijTXI³SU² NOSSO POVO UM CENSO DA POPULAÇÃO NAMBIKUARA DO CAMPO. Compilado por Barbara Kroeker. 1ª Edição PREFÁCIO TXA²WùNÞ³KijTXI³SU² NOSSO POVO UM CENSO DA POPULAÇÃO NAMBIKUARA DO CAMPO Compilado por Barbara Kroeker 1ª Edição PREFÁCIO Este livro tem vários propósitos. Ele se originou na necessidade que o povo Nambikuara

Leia mais

Dinâmicas da Conjugalidade. Vanessa Cunha e Susana Atalaia OFAP/ ICS-ULisboa

Dinâmicas da Conjugalidade. Vanessa Cunha e Susana Atalaia OFAP/ ICS-ULisboa 1 Dinâmicas da Conjugalidade Vanessa Cunha e Susana Atalaia OFAP/ ICS-ULisboa Que mudanças na vida em casal? Quem são os protagonistas das mudanças? Evolução de 2001 para 2011 Casais com e sem filhos Casais

Leia mais

ALMADA FICHA TÉCNICA. Título Território e População Retrato de Almada segundo os Censos 2011

ALMADA FICHA TÉCNICA. Título Território e População Retrato de Almada segundo os Censos 2011 DMPATO DPU Divisão de Estudos e Planeamento A ALMADA FICHA TÉCNICA Título Território e População Retrato de Almada segundo os Censos 2011 Serviço Divisão de Estudos e Planeamento Departamento de Planeamento

Leia mais

Família e o mundo jurídico: repercussão do Código Civil de 2002 nas relações familiares.

Família e o mundo jurídico: repercussão do Código Civil de 2002 nas relações familiares. BuscaLegis.ccj.ufsc.br Família e o mundo jurídico: repercussão do Código Civil de 2002 nas relações familiares. Rebeca Ferreira Brasil Bacharela em Direito pela Universidade de Fortaleza -Unifor Os direitos

Leia mais

Sumário 1.1. A FAMÍLIA ATRAVÉS DOS TEMPOS: DA GESTÃO MASCULINA AUTÔ- NOMA À INGERÊNCIA ESTATAL... 21

Sumário 1.1. A FAMÍLIA ATRAVÉS DOS TEMPOS: DA GESTÃO MASCULINA AUTÔ- NOMA À INGERÊNCIA ESTATAL... 21 Sumário 1. INTRODUÇÃO AO DIREITO DE FAMÍLIA... 21 1.1. A FAMÍLIA ATRAVÉS DOS TEMPOS: DA GESTÃO MASCULINA AUTÔ- NOMA À INGERÊNCIA ESTATAL... 21 1.2. O AVANÇO DA INTERVENÇÃO ESTATAL E SUA INEFICIÊNCIA...

Leia mais

COMUM DOS SANTOS E DAS SANTAS

COMUM DOS SANTOS E DAS SANTAS 279 I rmãs e irmãos: Ao celebrar a solenidade de São N. (de Santa N.), nosso irmão (nossa irmã) na fé e no Baptismo, oremos a Deus Pai todo-poderoso, dizendo (ou: cantando): R. Deus, fonte de toda a santidade,

Leia mais