CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM UNISALESIANO DE LINS PROFESSORA: LILIANE VALBOM ENFERMAGEM º SEMESTRE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM UNISALESIANO DE LINS PROFESSORA: LILIANE VALBOM ENFERMAGEM º SEMESTRE"

Transcrição

1 CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICO SALESIANO AUXILIUM UNISALESIANO DE LINS PROFESSORA: LILIANE VALBOM ENFERMAGEM º SEMESTRE O QUE É RELIGIÃO DEUS CONHECIMENTO RELIGIOSO, ENFIM... PARA QUE SERVE.

2 POR QUE EXISTEM TANTAS RELIGIOES NO MUNDO? As religiões tem aumentado porque as pessoas não seguem integralmente o que a Bíblia orienta. Muitos querem que a palavra de Deus entre em conformidade com suas vidas e não que suas vidas sejam mudadas pelas Escrituras. O QUE É CULTURA TEOLOGICA Teologia (do grego θεóς, transl. theos = "divindade" + λóγος, logos = "palavra", por extensão, "estudo, análise, consideração,

3 questionamento sobre alguma coisa ou algo"), no sentido literal, é o estudo sobre a divindade. Segundo Hegel, teologia é o estudo das manifestações sociais de grupos em relação às divindades. Como toda área do conhecimento, possui então objetos de estudo definidos. Como não é possível estudar Deus diretamente, como sugere o termo literalmente observado, a definição de Hegel que, somente se pode estudar aquilo que se pode observar se torna pertinente e atual, conforme as representações sociais nas mais variadas culturas. Na tradição cristã (de matriz agostiniana), a teologia é organizada segundo os dados da revelação e da experiência humana. Esses dados são organizados no que se conhece como teologia sistemática ou teologia dogmática. Tudo aquilo que vimos, tudo aquilo que tocamos, tudo aquilo que sentimos com nossos cinco sentidos naturais são na verdade partes de dentro de nós, afinal, são percepções internas de um mundo externo. (Essa alias, é a chave para compreender que a realidade é moldável pela nossa cabeça e vontade e portanto, esse mundo também se transforma para que atinjamos tudo aquilo que verdadeiramente nos cabe dentro desse grande Sistema - o princípio da oração, da magia e de toda a expressão espiritual-religiosa) O mundo externo é Deus, o Divino que está do lado de fora de nós e é interpretado e compreendido através das mais diversas tradições culturais, pois tem vida própria, ou melhor, vidas próprias e sem ciência. A consciência disso é o que possibilita a experiência mística e a troca entre conhecimentos entre as nossas percepções e a Verdade exterior. Segundo Wladimir Flávio Luiz Braga, Doutor em Ciências Jurídicas e

4 Sociais nosso conhecimento é bastante limitado. A tarefa de conhecer pode ser resumida na relação entre o sujeito cognoscente (que busca o conhecimento) e o objeto conhecido (que se dá a conhecer). O conhecimento é, assim, produto da conjunção - atividade do sujeito com a manifestação de um objeto que de alguma forma se lhe mostra atraente/interessante. O conhecimento humano se divide em quatro níveis ou formas, permitindo quatro espécies de consideração sobre uma mesma realidade: CONHECIMENTO ASSISTEMÁTICO: empírico (vulgar) CONHECIMENTO SISTEMÁTICO: científico teológico filosófico TEOLOGICO CONHECIMENTO Representa aquelas verdades a que os homens chegaram não com o auxílio puro e simples da inteligência, mas mediante a aceitação dos dados da revelação divina, da fé. A partir daí, o conteúdo da revelação, comprovado pelos sinais que a acompanham, reveste-se de autenticidade, segundo os variados critérios das religiões existentes.

5 Não se trata de opor razão e fé. O problema consiste em saber se a racionalidade inerente à fé que certamente não é uma experiência cega constitui ou não um "saber" irredutível aos outros, mas nem por isso em oposição a eles. Teologia e ciência: o objeto de estudo da teologia Toda ciência possui objeto de estudo: o pesquisador se coloca acima do objeto de investigação. - especulativa - a ciência de Deus é a causa das coisas, como antes foi demonstrado1. Ora, a ciência especulativa não é a causa das coisas sabidas. Logo, a ciência de Deus não é especulativa. - natural - são ciências que descrevem, ordenam e comparam os fenômenos naturais, isto é, os objetos da Natureza e os processos que nela têm lugar - social - é um ramo da ciência, distinto das humanidades, que estuda os aspectos sociais do mundo humano, ou seja, a vida social de indivíduos Na teologia cristã, ocorre o inverso: o/a teólogo/a não pode colocar-se acima do objeto, e sim, sob o objeto do seu conhecimento. Em outras palavras, na teologia cristã, o ser humano só pode conhecer Deus na medida em que este ativamente se faz conhecido por meio da revelação. "E, mesmo depois de Deus ter-se revelado objetivamente, não é a razão humana que descobre Deus, mas é Deus que se descerra

6 aos olhos da fé". Para a concepção cristã clássica, a teologia é o estudo de Deus e sua relação com o ser humano através da sua Palavra revelada por meio de Jesus Cristo. Sobre o objeto de estudo da teologia, o teólogo Clodovis Boff faz a seguinte observação: "O objeto material da teologia é, em primeiro lugar, Deus e depois tudo o mais. Além de investigar as "verdades" acerca de Deus, a teologia também procura estudar outros assuntos. É comum se pensar que a teologia ocupa-se apenas com elementos ligados ao "mundo espiritual". De fato a teologia trabalha a partir da realidade do mundo da fé, mas ela não ignora as necessidades do mundo visível. 1 - A teologia é o produto de uma reflexão permanente a partir de uma situação concreta estabelecendo um ponto entre a informação bíblica e a realidade social. A teologia analisa e propõe alternativas de mudanças com o objetivo de resolver as situações de injustiça que ocorrem no meio social. É dessa forma que a teologia serve tanto a esfera eclesial quanto à esfera social. Nas palavras do teólogo argentino Alberto Roldan: "Somente uma teologia que dialoga com a cultura é capaz de tornar-se relevante para o mundo e para a sociedade". A teologia reconhece que existem outras maneiras e meios para falar acerca da realidade de Deus de modo adequado. "Deus é Espírito" (Jo 4:24). Ele É, e não há como experimentá-lo ou prová-lo através das ferramentas que a ciência moderna empírica propõe. Deus se mistura na história humana! 1 - Aqui não se pretendem provar ou negar a sua existência, apenas constatar que, para muitas pessoas, há um

7 personagem, uma força, uma energia, um mistério que parece fazer caminho na história humana. A teologia está aberta às demais ciências, e as utilizam para elaborar seu discurso. Para realizar a sua tarefa, a teologia lança mão de vários recursos do saber humano. A teologia não vive em conflito com a ciência como foi propagado no correr da história. A teologia utiliza o conhecimento científico, pois ela também precisa da ciência para organizar os seus discursos. A teologia, mesmo estando no seu grau de excelência por tratar do absoluto que é Deus, sempre desce à terra dos "mortais" para se servir dos outros saberes. A relação de aprendizado da teologia para com a filosofia, por exemplo, demonstra claramente o quanto a teologia é aberta a outros saberes. Essa relação da teologia com a filosofia existe há cerca de dezoito séculos, desde quando os primeiros cristãos viram na filosofia uma ferramenta importante para elaborar o pensamento do que hoje se conhece como teologia cristã. O mesmo ocorreu mais tarde com a sociologia e as demais ciências humanas, como a Antropologia, a História ou mesmo a Psicologia. Como define muito bem o teólogo Clodovis Boff: "A relação da teologia com as ciências não é do tipo ditatorial, mas democrático. Ou seja, a teologia serve-se dos recursos das ciências, respeitando sempre sua autonomia específica, mas também reservando-se o direito, que lhe dá a transcendência da fé sobre toda forma de razão, de criticar as pretensões pseudofilosóficas ou pseudoteológicas da chamada?razão moderna" (BOFF, 1998, p. 67).

8 Portanto, a teologia é uma ciência. Sendo ciência, seu "objeto" primeiro é Deus e depois o ser humano e sua relação com o sagrado. O relacionamento da teologia com outros saberes é profícuo. Contudo, mesmo assim, a teologia procura manter-se independente. Talvez o diferencial da teologia para com as demais ciências é que a ciência teológica procura ir além da experiência e da razão. FENOMENOLOGIA DA RELIGIAO O termo fenômeno vem do grego fainomenon, que significa literalmente aquilo que aparece, que se mostra. Logo, fenomenologia é, literalmente, o estudo do que aparece. A fenomenologia - FENÔMENO: Aquilo que se mostra, que aparece a nós. Aparece a nós primeiramente pelos sentidos. LOGIA: Capacidade de Refletir, um discurso esclarecedor. É uma tentativa de compreender a essência da experiência humana, seja ela psicológica, social, cultural ou religiosa, a partir da análise das suas manifestações, que chamamos de fenômenos. É uma tentativa de compreensão não do ponto de vista do observador, mas do ponto de vista da própria pessoa que teve a experiência. A religiosidade de um povo se manifesta não apenas em rituais complexos e mitos dos tempos primordiais, mas também na experiência cotidiana em todas as áreas da vida. É uma tentativa de compreensão não do ponto de vista do observador, mas do ponto de vista da própria pessoa que teve a experiência.

9 A forma de entrar ou sair de uma casa, um simples gesto no momento da caça ou pesca, a dieta alimentar, a direção do olhar ao se aproximar de determinado objeto, o pronunciar discreto de determinadas palavras ao entrar na água e coisas semelhantes podem expressar muito da religiosidade local. Chamamos essas manifestações de fenômenos e a fenomenologia da religião se ocupa em estudá-los na tentativa de compreender as ideias que estão por trás dos mesmos e o que significam para aqueles que os praticam. Como missionários, antes de apresentar o evangelho para determinado povo, a primeira providência a ser tomada é buscar uma compreensão satisfatória do mesmo. 4 - Compreender um povo equivale compreender a sua cultura e essa envolve complexos sistemas que regulamentam o comportamento do grupo social. Dentro do bojo cultural, encontramos o sistema de parentesco, o sistema político, a cultura material, cognitiva e muitas outras áreas nas quais podemos concentrar análise. No processo de análise, lançamos mão de ciências específicas que nos fornecem métodos de pesquisa adequados. A ciência que mais tem contribuído no trabalho missionário para compreensão dos povos alvos de evangelização é a antropologia cultural, que se ocupa de todas as áreas acima mencionadas. Entretanto, dois sistemas culturais são sobremodo amplos e complexos, sendo necessário abordá-los de forma mais específica. Trata-se da língua e da religião. De acordo com o etnólogo alemão

10 Lothar Käser, a religião é um fenômeno universal, presente em todas as culturas. O ateísmo é uma manifestação mais de cunho individual ou no máximo uma opção sociopolítica. Do ponto de vista cultural, todo grupo social apresenta manifestações religiosas. Na prática, porém, todos esses sistemas culturais são inseparáveis, totalmente interligados, emaranhados, mas os distinguimos para fins de análise. A bem da verdade, essa divisão da cultura em sistemas é uma elaboração nossa, na ótica do observador. Prova disso é que quase nenhuma língua sem escrita possui uma palavra para o conceito religião, no mesmo sentido que usamos. Isso se dá porque a religião permeia todas as áreas da cultura e, portanto, uma análise segura da mesma só pode acontecer numa abordagem multidisciplinar. De qualquer forma, para análise da cultura como um todo, utilizamos a antropologia cultural ou, mais especificamente, a etnologia. Para análise da língua, a linguística antropológica, e para análise da religião, devemos lançar mão da fenomenologia da religião. Ou seja, a fenomenologia é para o estudo da religião, o que a linguistica é para o estudo da língua. Ou seja, é o estudo das causas religiosas através da observação das suas manifestações. Entretanto, a questão da causalidade é um pouco controversa. Assim, preferimos trabalhar com o conceito de ideias. Por trás das manifestações religiosas existem ideias que determinam o real significado da experiência para aquele que a experimenta.

11 A EXPERIÊNCIA RELIGIOSA A experiência é a forma básica de aquisição de conhecimento. Nada chega ao nosso intelecto sem causar uma experiência pessoal, quer seja empírica ou existencial. A experiência existencial pode ser física, social, moral, metafísica ou religiosa. Assim sendo, a religiosidade está intimamente relacionada com a experiência, no caso, com o sagrado. Se referindo a um contexto cristão, Piazza afirma, como já havia dito Mensching, que a essência da experiência religiosa é o encontro do homem com Deus. Generalizando esse raciocínio, podemos então dizer que a experiência religiosa consiste no encontro do homem com o sagrado. Tácito Leite Filho chama esse mesmo fato de relações do homem com a divindade, as quais, para ele, constituem a base de todas as religiões. Vale lembrar, que o cristão pode contar com a Bíblia para conhecer a Deus, mas a maioria dos religiosos só pode contar com a própria experiência para conhecer o divino. Apesar de não se tratar de uma obra especificamente fenomenológica, o livro O Sagrado, de Rudolf Otto, analisa a experiência religiosa afirmando que a mesma tem por agente o sagrado, que se manifesta como um mistério tremendo e fascinante. Mistério porque é algo maravilhoso, que transcende a compreensão do homem, totalmente outro; tremendo porque é uma potência estranha, que se impõe de forma absoluta; e fascinante porque desperta curiosidade, causa fascínio. Ou seja, a experiência religiosa se dá quando o homem entra em contato com o sagrado e isso lhe causa um sentimento de estado de criatura, enchendo o seu ser de perguntas, terror e admiração.

12 A experiência religiosa é ao mesmo tempo individual e comunitária. Individual porque o homem religioso a experimenta na sua particularidade. Comunitária porque esse mesmo homem não a contem e por isso, comunica com outros sobre a mesma. Nesse processo, a experiência religiosa se manifesta através de linguagens próprias, que se apresentam em forma de fenômenos. São esses fenômenos que constituem o objeto da fenomenologia da religião.

MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Por que pensar em Mística e Construção?

MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Por que pensar em Mística e Construção? MÍSTICA E CONSTRUÇÃO Espiritualidade e profecia são duas palavras inseparáveis. Só os que se deixam possuir pelo espírito de Deus são capazes de plantar sementes do amanhã e renovar a face da terra. Todo

Leia mais

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS Infância/Adolescencia MISSÃO MISSÃO. Palavra muito usada entre nós É encargo, incumbência Missão é todo apostolado da Igreja. Tudo o que a Igreja faz e qualquer campo.

Leia mais

Ficha 1 História: O QUE É UM CONCÍLIO?

Ficha 1 História: O QUE É UM CONCÍLIO? Ficha 1 História: O QUE É UM CONCÍLIO? A palavra Concílio significa assembleia reunida por convocação e, na Igreja, um concílio sempre teve como objetivo discutir, definir e deliberar sobre questões de

Leia mais

TRADUÇÃO Hope Gordon Silva Regina Aranha

TRADUÇÃO Hope Gordon Silva Regina Aranha TRADUÇÃO Hope Gordon Silva Regina Aranha 7 João Desfrutando João ao máximo Pode-se resumir o fato mais relevante de toda a história em quatro palavras: Jesus Cristo é Deus! A maior declaração da Bíblia

Leia mais

ESCOLA CATEQUÉTICA EIXOS TEMÁTICOS

ESCOLA CATEQUÉTICA EIXOS TEMÁTICOS ESCOLA CATEQUÉTICA EIXOS TEMÁTICOS Quando falamos de eixos temáticos temos que levar em consideração mais do que a divisão dos conteúdos teóricos a serem oferecidos aos catequistas, mas a vocação catequética

Leia mais

Encontro Nacional da CVX: Para onde nos leva o Senhor? LIDERANÇA E VISIBILIDADE

Encontro Nacional da CVX: Para onde nos leva o Senhor? LIDERANÇA E VISIBILIDADE Encontro Nacional da CVX: Para onde nos leva o Senhor? São Paulo, 24 a 26 de abril de 2009 Centro Pastoral Santa Fé Grupo 1 Cynthia Pires (BH) LIDERANÇA E VISIBILIDADE RESULTADOS DOS TRABALHOS EM GRUPOS

Leia mais

Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar perguntas durante a exibição; montar grupos de reflexão após a exibição, e assim por diante.

Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar perguntas durante a exibição; montar grupos de reflexão após a exibição, e assim por diante. O Catequista, coordenador, responsável pela reunião ou encontro, quando usar esse material, tem toda liberdade de organizar sua exposição e uso do mesmo. Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar

Leia mais

CURSO I FUNDAMENTOS CONCEITOS E PRÁTICAS DA EP

CURSO I FUNDAMENTOS CONCEITOS E PRÁTICAS DA EP ASSOCIAÇÃO DE ESCOLAS CRISTÃS DE EDUCAÇÃO POR PRINCÍPIOS JULIANA POMPEO HELPA CURSO I FUNDAMENTOS CONCEITOS E PRÁTICAS DA EP 02 de Maio de 2015 Curitiba, Paraná ASSOCIAÇÃO DE ESCOLAS CRISTÃS DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Judith Sonja Garbers, Psicóloga Jörg Garbers, Mestre de Teologia

Judith Sonja Garbers, Psicóloga Jörg Garbers, Mestre de Teologia Judith Sonja Garbers, Psicóloga Jörg Garbers, Mestre de Teologia C.G.Jung: Espiritualidade Conforme Jung o ser humano desenvolve primeiro uma identidade pessoal, descobre quem é, o que gosta, qual é seu

Leia mais

nossa liberdade. Uma certa resistência da teologia em reconhecer esta realidade levou a muitos, sobretudo aqueles mais influenciados pela cultura

nossa liberdade. Uma certa resistência da teologia em reconhecer esta realidade levou a muitos, sobretudo aqueles mais influenciados pela cultura Conclusão Jesus Cristo é a nossa salvação. Esta é uma verdade fundamental do cristianismo. No primeiro capítulo vimos que o ser humano possui um desejo intrínseco de autorrealização, mas por outro lado,

Leia mais

Paróquia, torna-te o que tu és!

Paróquia, torna-te o que tu és! Paróquia, torna-te o que tu és! Dom Milton Kenan Júnior Bispo Aux. de S. Paulo. Vigário Episcopal para Reg. Brasilândia Numa leitura rápida da Carta Pastoral de Dom Odilo, nosso Cardeal Arcebispo, à Arquidiocese

Leia mais

PARA ONDE CAMINHA A IGREJA BRASILEIRA?

PARA ONDE CAMINHA A IGREJA BRASILEIRA? PARA ONDE CAMINHA A IGREJA BRASILEIRA? Franklin Ferreira CONCEITUAÇÕES Fundamentalismo evangélico: literalismo bíblico, dispensacionalismo, cismático, rejeição do diálogo acadêmico. Liberalismo teológico:

Leia mais

Gr.Bíblico. Evangelho de. Nossa Senhora Conceição. São Mateus Ano litúrgico A

Gr.Bíblico. Evangelho de. Nossa Senhora Conceição. São Mateus Ano litúrgico A Evangelho de São Mateus Ano litúrgico A O Segundo Envangelho O TEMPO DE JESUS E O TEMPO DA IGREJA Este Evangelho, transmitido em grego pela Igreja, deve ter sido escrito originariamente em aramaico, a

Leia mais

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida.

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida. LITURGIA DA PALAVRA A Palavra de Deus proclamada e celebrada - na Missa - nas Celebrações dos Sacramentos (Batismo, Crisma, Matrimônio...) A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa

Leia mais

18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado

18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado LIÇÃO 1 - EXISTE UM SÓ DEUS 18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado A Bíblia diz que existe um único Deus. Tiago 2:19, Ef. 4 1- O Deus que Criou Todas as coisas, e que conduz a sua criação e

Leia mais

Eu acredito que a Bíblia é a melhor dádiva que Deus deu à humanidade. Todas as coisas boas do Salvador do mundo nos são ditas através deste Livro.

Eu acredito que a Bíblia é a melhor dádiva que Deus deu à humanidade. Todas as coisas boas do Salvador do mundo nos são ditas através deste Livro. A importância do estudo bíblico para a vida cristã 2 Pedro 1.12-2121 Pr. Fernando Fernandes Eu acredito que a Bíblia é a melhor dádiva que Deus deu à humanidade. Todas as coisas boas do Salvador do mundo

Leia mais

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS 5. CURSO DE TEOLOGIA Área de atuação O egresso do Curso de Teologia

Leia mais

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio 1 IGREJA METODISTA PASTORAL IMED PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E PLANO DE AÇÃO BIÊNIO 2012-2013 Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA

Leia mais

EDUCAÇÃO CRISTÃ: ASPECTOS HISTÓRICOS E CONCEITUAIS

EDUCAÇÃO CRISTÃ: ASPECTOS HISTÓRICOS E CONCEITUAIS Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 EDUCAÇÃO CRISTÃ: ASPECTOS HISTÓRICOS E CONCEITUAIS BASSIO JUNIOR, Édio 1 ; BIONDO, Viviane Mancin. 2 ; BUBNA, Marcio Ronaldo.

Leia mais

CURSO DE TEOLOGIA DE LEIGOS RELIGIÃO, RELIGIOSIDADE E FÉ

CURSO DE TEOLOGIA DE LEIGOS RELIGIÃO, RELIGIOSIDADE E FÉ CURSO DE TEOLOGIA DE LEIGOS RELIGIÃO, RELIGIOSIDADE E FÉ Moema Muricy A nossa proposta é distinguir a diferença conceitual entre religião, religiosidade e fé em meio ao processo cultural de pluralismo

Leia mais

Crianças admiram esculturas simbólicas no jardim do templo budista Zu Lai, em Cotia (SP). Diálogo Revista de Ensino Religioso no 51 Agosto/2008

Crianças admiram esculturas simbólicas no jardim do templo budista Zu Lai, em Cotia (SP). Diálogo Revista de Ensino Religioso no 51 Agosto/2008 símbolos universais da religião antropológico-filosófico Crianças admiram esculturas simbólicas no jardim do templo budista Zu Lai, em Cotia (SP). Diálogo Revista no 51 Agosto/2008 Carniato 8 Símbolos

Leia mais

O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA

O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA Nestes últimos anos tem-se falado em Catequese Renovada e muitos pontos positivos contribuíram para que ela assim fosse chamada. Percebemos que algumas propostas

Leia mais

O ser humano que, hoje, se abre para a fé, que escuta e responde à Palavra divina, descobre sua natureza filial e relacional, descobre a si mesmo

O ser humano que, hoje, se abre para a fé, que escuta e responde à Palavra divina, descobre sua natureza filial e relacional, descobre a si mesmo 1 INTRODUÇÃO A fé cristã como possibilidade de uma verdadeira existência humana, segundo Joseph Ratzinger, é o tema desta dissertação que almeja perscrutar a realidade e o dinamismo da fé nos dias de hoje,

Leia mais

Estudos na Palavra de Deus. Jovens

Estudos na Palavra de Deus. Jovens Estudos na Palavra de Deus 1º Estudo do 2º Semestre 2012 Pois alguns não ensinam absolutamente nada das Sagradas Escrituras; alguns não ensinam às crianças nada além das Sagradas Escrituras; ambos os

Leia mais

QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO

QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO QUARESMA TEMPO DE REFLEXÃO E AÇÃO Disponível em: www.seminariomaiordebrasilia.com.br Acesso em 13/03/2014 A palavra Quaresma surge no século IV e tem um significado profundo e simbólico para os cristãos

Leia mais

Se Jesus ressuscitou, onde estão as testemunhas?

Se Jesus ressuscitou, onde estão as testemunhas? Se Jesus ressuscitou, onde estão as testemunhas? 1 Coríntios 15.1-11 1. Irmãos, quero lembrar-lhes o evangelho que lhes preguei, o qual vocês receberam e no qual estão firmes. 2. Por meio deste evangelho

Leia mais

ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC

ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC ESCOLA DE PASTORAL CATEQUÉTICA ESPAC 1. ESPAC O QUE É? A ESPAC é uma Instituição da Arquidiocese de Fortaleza, criada em 1970, que oferece uma formação sistemática aos Agentes de Pastoral Catequética e

Leia mais

Roteiro 8. FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas

Roteiro 8. FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas Roteiro 8 FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas 1 Objetivos Realizar estudo sobre Jesus, com base nos critérios históricos. Analisar

Leia mais

revista FIDELIDADE - A vida cristã dinâmica Preparando a aula Plano de aula

revista FIDELIDADE - A vida cristã dinâmica Preparando a aula Plano de aula Base bíblica: João 3.1-23 Texto áureo: Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus (João 3.5). Preparando a aula Ore

Leia mais

O Sr. ELIMAR MÁXIMO DAMASCENO (Prona- SP) pronuncia o seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, manifestamos o especial

O Sr. ELIMAR MÁXIMO DAMASCENO (Prona- SP) pronuncia o seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, manifestamos o especial O Sr. ELIMAR MÁXIMO DAMASCENO (Prona- SP) pronuncia o seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, manifestamos o especial sentimento de ocupar a tribuna para tecermos comentários

Leia mais

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João (Jo 20, 1-9)

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João (Jo 20, 1-9) DOMINGO DE PÁSCOA (ANO A) 20 de Abril de 2014 Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João (Jo 20, 1-9) 1 No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao túmulo logo de manhã, ainda escuro,

Leia mais

4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval. Introdução

4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval. Introdução 1 4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval Introdução O último período da Filosofia Grega é o Helenístico (Sec. III a.c.-vi d.c.). É um período

Leia mais

NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS

NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS Pe. Nilton César Boni, cmf NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS EDITORA AVE-MARIA Apresentação Aos membros da família cristã podem aplicar-se de modo particular as palavras com que Cristo promete a sua

Leia mais

#61. 10.14 O batismo do Espírito Santo

#61. 10.14 O batismo do Espírito Santo 10.14 O batismo do Espírito Santo #61 Estudamos o novo nascimento e vimos como o Espírito Santo realiza essa obra juntamente com a Palavra de Deus. Tínhamos que entender o novo nascimento e como alguém

Leia mais

Catecumenato Uma Experiência de Fé

Catecumenato Uma Experiência de Fé Catecumenato Uma Experiência de Fé APRESENTAÇÃO PARA A 45ª ASSEMBLÉIA DA CNBB (Regional Nordeste 2) www.catecumenato.com O que é Catecumenato? Catecumenato foi um método catequético da igreja dos primeiros

Leia mais

Plano Estratégico da União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia para o Quinquénio 2013-2017

Plano Estratégico da União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia para o Quinquénio 2013-2017 Plano Estratégico da União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia para o Quinquénio 2013-2017 O presente documento tem como objetivo apresentar, os valores, as linhas orientadoras, a estratégia e o plano

Leia mais

ESPIRITUALIDADE E EDUCAÇÃO

ESPIRITUALIDADE E EDUCAÇÃO Instituto de Educação infantil e juvenil Outono, 2013. Londrina, de. Nome: Ano: Tempo Início: término: total: Edição IX MMXIII texto Grupo A ESPIRITUALIDADE E EDUCAÇÃO Há alguns meses estamos trabalhando

Leia mais

DIMENSÕES DA FORMAÇÃO INTEGRAL

DIMENSÕES DA FORMAÇÃO INTEGRAL INTRODUÇÃO DO CURSO DIMENSÕES DA FORMAÇÃO INTEGRAL (Doc. 85 CNBB nº 95-107) JORGE BORAN CSSP (Dr. em Liderança Comunitária Universidade de Fordhan EUA) Desde a década de 1980 vem nascendo a necessidade

Leia mais

Curso: Teologia Prof. Nicanor Lopes

Curso: Teologia Prof. Nicanor Lopes Curso: Teologia Prof. Nicanor Lopes Fundamentos, conceitos e paradigmas da missão OBJETIVOS DA AULA Compreender as teses fundantes da missiologia; Analisar a presença religiosa no mundo no terceiro milênio;

Leia mais

CONHECIMENTO 1 CONCEITO

CONHECIMENTO 1 CONCEITO CONHECIMENTO 1 CONCEITO No sentido correto da palavra, conhecer é elucidar a realidade. Etimologicamente a palavra elucidar vem do latim lucere, cujo significado é trazer luz. Assim, conhecer significa

Leia mais

Plano de Formação da CVX-P

Plano de Formação da CVX-P da CVX-P Apresentado à VIII Assembleia Nacional CVX-P Fátima, Outubro 2004 Introdução... 2 Etapa 0: Acolhimento... 3 Etapa 1: Iniciação... 5 Etapa 2: Identificação... 6 Etapa 3: Missão... 7 1 Introdução

Leia mais

NOVOS TEMPOS, NOVAS ABORDAGENS NO SERVIÇO

NOVOS TEMPOS, NOVAS ABORDAGENS NO SERVIÇO NOVOS TEMPOS, NOVAS ABORDAGENS NO SERVIÇO Constituição da Igreja Presbiteriana do Brasil: Art.8º - O governo e a administração de uma Igreja local competem ao Conselho, que se compõe de pastor ou pastores

Leia mais

LECTIO DIVINA 26 de julho de 2015 Domingo XVII do Tempo Comum Ano B. O mais bonito que o pão tem é poder ser partido e repartido. D.

LECTIO DIVINA 26 de julho de 2015 Domingo XVII do Tempo Comum Ano B. O mais bonito que o pão tem é poder ser partido e repartido. D. Perguntas para a reflexão pessoal Perante as necessidades com que me deparo, predisponho-me a dar da minha pobreza, a pôr generosamente à disposição o que sou e o que tenho? Acredito no potencial dos outros,

Leia mais

Aula 5.2 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz Orientais Hinduísmo - Índia Budismo - Índia Taoísmo - China Xintoísmo - Japão ENSINO RELIGIOSO

Aula 5.2 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz Orientais Hinduísmo - Índia Budismo - Índia Taoísmo - China Xintoísmo - Japão ENSINO RELIGIOSO A Aula 5.2 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz Orientais Hinduísmo - Índia Budismo - Índia Taoísmo - China Xintoísmo - Japão 2 A Habilidades: Identificas as diferenças e semelhanças entre as religiões

Leia mais

Módulo II Quem é o Catequista?

Módulo II Quem é o Catequista? Módulo II Quem é o Catequista? Diocese de Aveiro Objectivos Descobrir a imagem de catequista que existe na nossa comunidade. Aprofundar a vocação e o ministério do catequista a partir da Bíblia. Com base

Leia mais

INTRODUÇÃO A ANTROPOLOGIA RELIGIOSA

INTRODUÇÃO A ANTROPOLOGIA RELIGIOSA INTRODUÇÃO A ANTROPOLOGIA RELIGIOSA A Antropologia é o estudo do homem e seu mundo. Como ciência da humanidade, ela se preocupa em conhecer cientificamente o ser humano em sua totalidade. (MARCONI, Marina

Leia mais

EPÍSTOLA DE SÃO TIAGO Bruno Glaab

EPÍSTOLA DE SÃO TIAGO Bruno Glaab EPÍSTOLA DE SÃO TIAGO Bruno Glaab I - INTRODUÇÃO 1 - QUEM Quem é Tiago? No NT temos diversas referências a Tg: - Filho de Zebedeu (Mc 1,19; 3,17). - Filho de Alfeu (Mc 3,18). - Irmão de Jesus (Mc 6,3;

Leia mais

DECLARAÇÃO DE FÉ 27/06/15 PLANO DE SALVAÇÃO

DECLARAÇÃO DE FÉ 27/06/15 PLANO DE SALVAÇÃO DECLARAÇÃO DE FÉ Pr Josemeire Ribeiro CRM PR 2015 O que é credo? É o que eu creio. PLANO DE SALVAÇÃO QUEDA REDENÇÃO RESTAURAÇÃO Declaração de Fé da IEQ foi compilada por sua fundadora Aimeé Semple McPherson,

Leia mais

06 Meus Primeiros Passos por Dino Arí Fernandes

06 Meus Primeiros Passos por Dino Arí Fernandes 06 Meus Primeiros Passos por Dino Arí Fernandes O Espírito Santo e a Igreja Igreja Metodista 06- Meus Primeiros Passos Rev. Dino Arí Fernandes O Espírito Santo e a IGREJA Para melhor entender o tema, sugerimos

Leia mais

Capelania Hospitalar / Pastoral da Saúde

Capelania Hospitalar / Pastoral da Saúde CEPMTA / ISCAL Londrina 06/11/2012 Capelania Hospitalar / Pastoral da Saúde Assessor: Pe. Audinei Carreira da Silva PERFIL DO AGENTE DE PASTORAL DA SAÚDE Antes de tudo deve ser uma pessoa de profunda experiência

Leia mais

(Tutorial do site) 1

(Tutorial do site) 1 (Tutorial do site) 1 Por que um novo site? Ao pensar em criar um novo site, nos concentramos nas faltas que sentíamos e em como poderíamos melhorar o que já estava funcionando. Quatro palavras foram essenciais

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

Processo de Iniciação na RCC. Renovação Carismática Católica do Brasil RCC BRASIL

Processo de Iniciação na RCC. Renovação Carismática Católica do Brasil RCC BRASIL MINISTÉRIO DE FORMAÇÃO Processo de Iniciação na RCC Renovação Carismática Católica do Brasil RCC BRASIL Conceito Por Iniciação Cristã se entende o processo pelo qual alguém é incorporado ao mistério de

Leia mais

Terceira Aula Robert Rautmann A SANTÍSSIMA TRINDADE

Terceira Aula Robert Rautmann A SANTÍSSIMA TRINDADE Terceira Aula Robert Rautmann A SANTÍSSIMA TRINDADE Ícone da Santíssima Trindade Autor: Andrej Rublëv (aprox. 1441) A FÉ CATÓLICA É TRINITÁRIA O Mistério da Fé Trinitária é central na fé e na vida cristã;

Leia mais

Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013

Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013 Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013 1. Finalidade do Ano da Fé; 2. O que é a Fé; 3. A transmissão da Fé enquanto professada, celebrada, vivida e rezada; 4. O conteúdo

Leia mais

2.3. A MISSÃO NOS SINÓTICOS

2.3. A MISSÃO NOS SINÓTICOS 2.3. A MISSÃO NOS SINÓTICOS Sergio Bensur 1. RESUMO E OBJETIVO Resumo Os Evangelhos Sinóticos não apresentam uma visão unitária da missão. Embora tendo um pano de fundo comum cada um deles tem seu próprio

Leia mais

Cuidado com a Bíblia na boca do diabo

Cuidado com a Bíblia na boca do diabo ! Cuidado com a Bíblia na boca do diabo Por: Elvis Brassaroto Aleixo " #$% Postado em 19 de agosto de 2011 http://www.saberefe.com/blog/cuidado-com-a-biblia-na-boca-do-diabo 789:;

Leia mais

V Seminário de Metodologia de Ensino de Educação Física da FEUSP- 2014. Relato de Experiência INSERINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL NO CONTEXTO COPA DO MUNDO.

V Seminário de Metodologia de Ensino de Educação Física da FEUSP- 2014. Relato de Experiência INSERINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL NO CONTEXTO COPA DO MUNDO. V Seminário de Metodologia de Ensino de Educação Física da FEUSP- 2014 Relato de Experiência INSERINDO A EDUCAÇÃO INFANTIL NO CONTEXTO COPA DO MUNDO. RESUMO Adriana Vieira de Lima Colégio Marista Arquidiocesano

Leia mais

A Ama De Mefibosete. Como ama que cuida dos próprios filhos... 1.Ed

A Ama De Mefibosete. Como ama que cuida dos próprios filhos... 1.Ed 1 2 3 A Ama De Mefibosete Como ama que cuida dos próprios filhos... 2014 1.Ed À Igreja Batista Vale Verde lugar de cuidado e expressão do amor de Deus. 4 5 Índice Apresentação 06 Prefácio 07 Introdução

Leia mais

Therezinha Oliveira. Oratória a Serviço do Espiritismo Coleção:Estudos e Cursos 6ª edição

Therezinha Oliveira. Oratória a Serviço do Espiritismo Coleção:Estudos e Cursos 6ª edição Therezinha Oliveira Oratória a Serviço do Espiritismo Coleção:Estudos e Cursos 6ª edição Campinas SP 2013 Sumário 1. Apresentação... 11 2. O Expositor Espírita... 15 3. A Preparação do Discurso... 21 4.

Leia mais

pentecostais em Londrina, uma indagação logo surge: como realizar esta investigação? Qual a sua relevância para a história das religiões?

pentecostais em Londrina, uma indagação logo surge: como realizar esta investigação? Qual a sua relevância para a história das religiões? Claudia Neves da Silva. Ações sociais e Igrejas Pentecostais: um novo olhar diante de antigos problemas. (Docente - Universidade Estadual de Londrina / PR) A cada ano, as igrejas pentecostais ganham maior

Leia mais

LEITURA BÍBLICA A BÍBLIA LER

LEITURA BÍBLICA A BÍBLIA LER LEITURA BÍBLICA A BÍBLIA LER INTRODUÇÃO: Qualquer que seja meu objetivo, ler é a atividade básica do aprendizado. Alguém já disse: Quem sabe ler, pode aprender qualquer coisa. Se quisermos estudar a Bíblia,

Leia mais

Índice Introdução... 13 Abreviaturas... 17 1. Natureza da liturgia cristã... 21 1.1. O termo liturgia... 21 1.1.1. No helenismo... 22 1.1.2. No Antigo Testamento... 22 1.1.3. No Novo Testamento... 23 1.1.4.

Leia mais

Deus criou o universo do nada! E o ponto de partida é:

Deus criou o universo do nada! E o ponto de partida é: Aula 1 18/02/2015 Deus criou o universo do nada! E o ponto de partida é: No principio, criou Deus os céus e a terra (Gn 1.1) O verbo hebraico bãrã, criou, denota o conceito de iniciar alguma coisa nova.

Leia mais

O RITUAL DE INICIAÇÃO CRISTÃ DE ADULTOS: UM INSTRUMENTO PARA A TRANSMISSÃO DA FÉ

O RITUAL DE INICIAÇÃO CRISTÃ DE ADULTOS: UM INSTRUMENTO PARA A TRANSMISSÃO DA FÉ O RITUAL DE INICIAÇÃO CRISTÃ DE ADULTOS: UM INSTRUMENTO PARA A TRANSMISSÃO DA FÉ Pe. Thiago Henrique Monteiro Muito adultos convertem-se a Cristo e à Igreja Católica. Por exemplo, neste ano, nas dioceses

Leia mais

NORMATIVAS PASTORAIS PARA A CELEBRAÇÃO DO BATISMO

NORMATIVAS PASTORAIS PARA A CELEBRAÇÃO DO BATISMO DIOCESE DE BRAGANÇA MIRANDA NORMATIVAS PASTORAIS PARA A CELEBRAÇÃO DO BATISMO Para os Párocos e respetivas comunidades Cristãs, especialmente para os Pais e para os Padrinhos 2012 1 A ESCLARECIMENTO PRÉVIO

Leia mais

A AÇÃO EDUCATIVA NA ÓTICA DAS SETE LEIS DO APRENDIZADO RESUMO

A AÇÃO EDUCATIVA NA ÓTICA DAS SETE LEIS DO APRENDIZADO RESUMO 1 A AÇÃO EDUCATIVA NA ÓTICA DAS SETE LEIS DO APRENDIZADO Julimar Fernandes da Silva 1. RESUMO A Educação nos dias atuais é um desafio constante, tanto para a sociedade como para Igreja cristã. Nesse sentido,

Leia mais

Sumário. Prefácio... 7 Nota do autor... 9. Parte 1: A natureza da depressão 1. A experiência da depressão... 13 2. Causas da depressão...

Sumário. Prefácio... 7 Nota do autor... 9. Parte 1: A natureza da depressão 1. A experiência da depressão... 13 2. Causas da depressão... Sumário Prefácio... 7 Nota do autor... 9 Parte 1: A natureza da depressão 1. A experiência da depressão... 13 2. Causas da depressão... 27 Parte 2: Passado doloroso 3. Entenda o passado... 45 4. Lide com

Leia mais

Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso. Conselho Mundial das Igrejas. Aliança Evangélica Mundial

Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso. Conselho Mundial das Igrejas. Aliança Evangélica Mundial Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso Conselho Mundial das Igrejas Aliança Evangélica Mundial A missão pertence à essência da igreja. Proclamar a palavra de Deus e testemunhá-la ao mundo é

Leia mais

#62. O batismo do Espírito Santo (continuação)

#62. O batismo do Espírito Santo (continuação) O batismo do Espírito Santo (continuação) #62 Estamos falando sobre alguns dons do Espírito Santo; falamos de suas obras, dos seus atributos, como opera o novo nascimento e, por último, estamos falando

Leia mais

PROJETO FRANÇA PROJETO DE REVITALIZAÇÃO E PLANTAÇÃO DE IGREJA NO SUL DA FRANÇA

PROJETO FRANÇA PROJETO DE REVITALIZAÇÃO E PLANTAÇÃO DE IGREJA NO SUL DA FRANÇA .1 PROJETO DE REVITALIZAÇÃO E PLANTAÇÃO DE IGREJA NO SUL DA AMBIENTAÇÃO Cumprir a grande missão de Deus dada à sua Igreja e a cada um de seus servos é uma atitude de obediência, amor a Ele na pessoa de

Leia mais

(Contemporânea) 23 Teologia Moral I (Fundamentos) 04 60 - - 04 60 24 Teologia da Espiritualidade 04 60 - - 04 60

(Contemporânea) 23 Teologia Moral I (Fundamentos) 04 60 - - 04 60 24 Teologia da Espiritualidade 04 60 - - 04 60 CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE TEOLOGIA Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1 Fase Cód. Disciplina I II III IV Pré Req. Carga Horária

Leia mais

Fé, Verdade, Tolerância. O Cristianismo e as Grandes Religiões do Mundo

Fé, Verdade, Tolerância. O Cristianismo e as Grandes Religiões do Mundo Fé, Verdade, Tolerância O Cristianismo e as Grandes Religiões do Mundo Joseph Ratzinger Bento XVI Fé, Verdade, Tolerância O Cristianismo e as Grandes Religiões do Mundo SÃO PAULO 2007 Joseph Ratzinger

Leia mais

O LUGAR DA PALAVRA DE DEUS NA FORMAÇÃO

O LUGAR DA PALAVRA DE DEUS NA FORMAÇÃO O LUGAR DA PALAVRA DE DEUS NA FORMAÇÃO Francisco Catão A preparação da próxima sessão do Sínodo sobre A Palavra de Deus na Igreja nos convida a uma revisão de nossa própria vida e do papel que desempenhamos

Leia mais

S. Tomás de Aquino QUESTÕES SOBRE A EXISTÊNCIA E A INTERLIGAÇÃO DAS VIRTUDES INFUSAS

S. Tomás de Aquino QUESTÕES SOBRE A EXISTÊNCIA E A INTERLIGAÇÃO DAS VIRTUDES INFUSAS QUESTÕES SOBRE A EXISTÊNCIA E A INTERLIGAÇÃO DAS VIRTUDES INFUSAS: Index. S. Tomás de Aquino QUESTÕES SOBRE A EXISTÊNCIA E A INTERLIGAÇÃO DAS VIRTUDES INFUSAS Índice Geral 1. Se existem virtudes teologais.

Leia mais

Linhas de Ação 1ª. LINHA DE AÇÃO: FORMAÇÃO INTEGRAL DO(A) DISCÍPULO(A)

Linhas de Ação 1ª. LINHA DE AÇÃO: FORMAÇÃO INTEGRAL DO(A) DISCÍPULO(A) A Igreja no Brasil está empenhada, sobretudo em, 2013 através da Campanha da Fraternidade e da Jornada Mundial da Juventude, em alavancar a Evangelização da Juventude. De partida queremos dizer que por

Leia mais

COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA REUNIÃO DE PAIS E CATEQUISTAS 09 DE FEVEREIRO DE 2010

COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA REUNIÃO DE PAIS E CATEQUISTAS 09 DE FEVEREIRO DE 2010 COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA REUNIÃO DE PAIS E CATEQUISTAS 09 DE FEVEREIRO DE 2010 ORAÇÃO DE ABERTURA CANTO (REPOUSAR EM TI) Música de Tânia Pelegrino baseada na obra Confissões, de

Leia mais

MESTRADO EM TEOLOGIA

MESTRADO EM TEOLOGIA MESTRADO EM TEOLOGIA Edital 2016 Este edital se destina especificamente a candidatos ao Mestrado em Teologia, com início em março de 2016. 1. Objetivo O Programa de Mestrado em Teologia visa o desenvolvimento

Leia mais

STOTT, John R. W. Batismo e plenitude do Espírito Santo. São Paulo: Vida Nova, 1966.

STOTT, John R. W. Batismo e plenitude do Espírito Santo. São Paulo: Vida Nova, 1966. Azusa Revista de Estudos Pentecostais 1 STOTT, John R. W. Batismo e plenitude do Espírito Santo. São Paulo: Vida Nova, 1966. Josias Novak 1 1 A promessa do Espírito Em sua exposição Stott afirma que a

Leia mais

Quão perfeito é perfeito? Pode o cristão ser perfeito? Edward Heppenstall

Quão perfeito é perfeito? Pode o cristão ser perfeito? Edward Heppenstall Quão perfeito é perfeito? Pode o cristão ser perfeito? Edward Heppenstall Estar em uma posição/condição correta para com Deus é a coisa mais importante da vida. Acima de tudo que fazemos, de tudo que temos,

Leia mais

sincretismo A visão segundo a qual não existe na história nenhuma revelação única; ela diz que existem várias e diferentes maneiras de se alcançar a realidade divina, que todas as formulações de verdade

Leia mais

A iniciação cristã como pedagogia de vida comunitária

A iniciação cristã como pedagogia de vida comunitária A iniciação cristã como pedagogia de vida comunitária A evangelização nos dá a alegria do encontro com a Boa Nova da Ressurreição de Cristo. A maioria das pessoas procura angustiada a razão de sua vida

Leia mais

Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

Conferência Nacional dos Bispos do Brasil A EUCARISTIA E A DIMENSÃO SOCIAL *Ir. Delci Maria Franzen A eucaristia está plenamente vinculada à dimensão social da vida humana. Sendo a celebração do mistério Pascal da vida, morte e ressurreição de

Leia mais

Viagem à Casa 9: Uma Jornada Humana i

Viagem à Casa 9: Uma Jornada Humana i Viagem à Casa 9: Uma Jornada Humana i Clélia Romano copyright 2012 Abu Mashar ii diz sobre a Casa 9: a nona, aquela de viagens e peregrinações, leis e contemplação divina, filosofia e artes, escritos e

Leia mais

14a edição CAMPINAS SP 2012

14a edição CAMPINAS SP 2012 14 a edição CAMPINAS SP 2012 SUMÁRIO Esclarecimentos preliminares... IX PRIMEIRA UNIDADE 1. Radiações ou vibrações...15 2. Deus...21 3. A criação...27 4. Os Espíritos...35 5. Classificação dos Espíritos

Leia mais

CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014

CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014 CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014 NO CAMINHO DO DISCIPULADO MISSIONÁRIO, A EXPERIÊNCIA DO ENCONCONTRO: TU ÉS O MESSIAS, O FILHO DO DEUS VIVO INTRODUÇÃO Queridos/as Catequistas! Com nossos cumprimentos

Leia mais

O que é Catequese? Paróquia Santo Cristo dos Milagres Fonseca Niterói RJ Pastoral da Comunicação

O que é Catequese? Paróquia Santo Cristo dos Milagres Fonseca Niterói RJ Pastoral da Comunicação Paróquia Santo Cristo dos Milagres Fonseca Niterói RJ Pastoral da Comunicação contato@paroquiasantocristodosmilagres.org O que é Catequese? Segundo a exortação apostólica Catechesi Tradendae do Papa João

Leia mais

Dionisio Borobio. Compreender, Celebrar e Viver a Reconciliação e o Perdão

Dionisio Borobio. Compreender, Celebrar e Viver a Reconciliação e o Perdão Dionisio Borobio Compreender, Celebrar e Viver a Reconciliação e o Perdão Título original: Para Comprender, Celebrar y Vivir la Reconciliación y el Perdón Dionisio Borobio Dionisio Borobio PPC, Editorial

Leia mais

Prédica sobre texto do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, segundo o evangelista Marcos 12.28-34. Falar mais do amor de Deus

Prédica sobre texto do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, segundo o evangelista Marcos 12.28-34. Falar mais do amor de Deus Prédica sobre texto do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, segundo o evangelista Marcos 12.28-34. Falar mais do amor de Deus Prezada comunidade! O tema de nosso culto é Falar mais do amor de Deus.

Leia mais

Sugestões Pastorais para a implementação da Iniciação à Vida Cristã

Sugestões Pastorais para a implementação da Iniciação à Vida Cristã Apresentação Ide, pois, fazer discípulos entre todas as nações, e batizai-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-lhes a observar tudo o que vos tenho ordenado (Mt 28,19-20) Jesus enviou

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE OS CONCEITOS: HÁBITO (ARISTÓTELES) E ENSINO (TOMÁS DE AQUINO).

UM ESTUDO SOBRE OS CONCEITOS: HÁBITO (ARISTÓTELES) E ENSINO (TOMÁS DE AQUINO). UM ESTUDO SOBRE OS CONCEITOS: HÁBITO (ARISTÓTELES) E ENSINO (TOMÁS DE AQUINO). BOVETO, Laís (PIC/UEM) OLIVEIRA, Terezinha (PPE/UEM) Introdução Refletir sobre a atual dimensão do papel da Educação na sociedade

Leia mais

O Arrebatamento da Igreja

O Arrebatamento da Igreja Texto Base: 1Ts 4.13-18 O Arrebatamento da Igreja "Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que dormem, para não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança. Pois,

Leia mais

Tema 01 - Dimensão Psico - afetiva (processo da personalização. Quem sou Eu? )

Tema 01 - Dimensão Psico - afetiva (processo da personalização. Quem sou Eu? ) Tema 01 - Dimensão Psico - afetiva (processo da personalização. Quem sou Eu? ) Titulo 04 - Técnicas de Elaboração e Acompanhamento de Projeto Pessoal de Vida Dom Eduardo Pinheiro da Silva, sdb (Mestre

Leia mais

PLANO DE DEUS E VONTADE DO PAI

PLANO DE DEUS E VONTADE DO PAI 22º ENCONTRO DE CASAIS COM CRISTO PARÓQUIA SÃO PELEGRINO PLANO DE DEUS E VONTADE DO PAI Pai como aquele que manda e tem poder Em Roma, o pai possuía um poder ilimitado e vitalício sobre todos os seus familiares

Leia mais

TEOLOGIA EMENTAS DO CURSO 1º P METODOLOGIA CIENTÍFICA LÍNGUA PORTUGUESA BIBLIOLOGIA HISTÓRIA DE ISRAEL

TEOLOGIA EMENTAS DO CURSO 1º P METODOLOGIA CIENTÍFICA LÍNGUA PORTUGUESA BIBLIOLOGIA HISTÓRIA DE ISRAEL TEOLOGIA EMENTAS DO CURSO 1º P METODOLOGIA CIENTÍFICA Estudo de fundamentos, princípios, métodos e técnicas de pesquisa científica. Trabalhos acadêmicos: organização, normas, formas de redação e comunicação.

Leia mais

Web-aula 5. Judaísmo, Cristianismo, Islamismo. José Roberto Bonome

Web-aula 5. Judaísmo, Cristianismo, Islamismo. José Roberto Bonome Web-aula 5 Judaísmo, Cristianismo, Islamismo José Roberto Bonome Pra começo de conversa! Nas diversas sociedades, em tempos remotos, as pessoas tiveram experiências diferentes com o ambiente onde viviam

Leia mais

Apostila Fundamentos. Batismo nas Águas. batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo... Mt 28:19

Apostila Fundamentos. Batismo nas Águas. batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo... Mt 28:19 Apostila Fundamentos Batismo nas Águas batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo... Mt 28:19 B a t i s m o n a s Á g u a s P á g i n a 2 Batismo nas Águas Este é outro passo que está

Leia mais

A RELIGIÃO COMO PRODUTO DA CONSTRUÇÃO SOCIAL 1

A RELIGIÃO COMO PRODUTO DA CONSTRUÇÃO SOCIAL 1 Revista Inter-Legere A RELIGIÃO COMO PRODUTO DA CONSTRUÇÃO SOCIAL 1 The religion as a product of the social construction Elaine Cristina Alves da Costa Savalli 2 O objetivo destas reflexões traduz-se como

Leia mais