CURSO DE INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURSO DE INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA"

Transcrição

1 CURSO DE INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA INTRODUÇÃO TEÓRICA E OBSERVACIONAL 1

2 Introdução Este curso destina-se a todas as pessoas interessadas por observações astronômicas, sendo adequado a qualquer pessoa. Estudantes de qualquer área, professores do ensino básico e secundário ou simplesmente interessados em Astronomia que queiram uma experiência prática de observação astronômica poderão usufruir deste curso. Objetivos O objetivo do curso é familiarizar os conceitos e terminologia da Astronomia moderna. No final deste curso o formando terá uma visão geral sobre o Universo em que vivemos e a informação necessária para observar e compreender a esfera celeste. Terá também a informação necessária para auxiliá-lo na aquisição, utilização e manutenção dos equipamentos astronômicos de forma adequada, ao mesmo tempo em que ganha uma compreensão técnica e teórica sobre os instrumentos de óptica. Pretende-se com este curso fornecer conhecimentos introdutórios de técnicas de observação a olho nu, binóculos e/ou telescópios, assim como familiarizar os interessados com os conceitos essenciais e terminologia para a realização de observações eficientes. O objetivo final a atingir será que os participantes consigam planejar e executar as suas próprias observações. Para as aulas práticas será disponibilizado o equipamento astronômico necessário, incluindo telescópios, oculares, filtros e outros acessórios de modo a oferecer uma experiência de manuseio com estes equipamentos. 2

3 Estrutura do Curso O curso está dividido em três tipos de aulas, que no total somam 20 horas de formação, que serão distribuídas por três semanas: Teóricas 8 horas Técnicas 8 horas Práticas 5 horas Aulas: O curso terá ao todo cinco aulas práticas noturnas, onde se aprenderá a utilizar o telescópio, a conhecer o céu noturno, fazer orientação pelas estrelas principais e reconhecer os movimentos e ângulos de posição fundamentais. Não haverá alteração do horário e dias das aulas. Contudo, se por razão de força maior for combinada uma substituição, esta será também informada por aos participantes. Se as condições meteorológicas o exigirem, as aulas de observação astronômica serão adiadas. Valor do curso: R $ 85,00 Inscrições: são exclusivamente efetuadas no site: w w w. s o c i e d a d e a s t r o n o m i c a. c o m. b r Fone: /

4 Datas do curso: 23 de Agosto (Sábado) 24 de Agosto (Domingo) 30 de Agosto (Sábado) 31 de Agosto (Domingo) Totalizando 4 dias de aulas em 21h / aula Vagas: 30 Horário: As aulas iniciarão às 14h, exceto as aulas práticas que iniciarão mais tarde. Maiores informações serão repassadas na primeira aula. Endereço: Sede do I.P.P.P. - Rua Sérgio Magalhães, 54 Graças. Recife-PE. Certificado: Serão conferidos certificados de conclusão do curso, aos participantes que tiverem 75% de presença. Nele constarão os dados pessoais, o percentual de presença e o número de horas do curso (21h/aulas). 4

5 Programa do Curso Aula n 1 História da Astronomia e a visão dos mundos - Nesta aula serão apresentados os principais momentos que contribuíram para o conhecimento que temos hoje. Explicaremos sobre a contribuição dos Gregos, Árabes e dos Astrônomos Renascentistas (Kepler, Galileu, Newton), passando também pela invenção do telescópio, da descoberta dos planetas até os dias atuais. Aula nº 2 O que é uma Estrela - A Formação Estelar - Características Físicas de uma Estrela - Sequência Principal e a Fusão de Hidrogênio. - Diagrama de Hertzprung-Russell. - Gigantes Vermelhas e a Fusão do Hélio ao Carbono. - Estágios Finais da Vida de uma Estrela: - Estrelas Compactas de Pequena Massa. Anãs Brancas. - Supernovas. Sintetização dos Elementos Químicos Pesados. Aula nº 3 O que são as Galáxias Os primeiros conceitos de mundos As galáxias e a expansão do Universo O que é uma galáxia A morfologia das galáxias Aula nº 4 Introdução ao Sistema Solar O que é um planeta Nova Classificações dos planetas Dinâmica orbital Os planetas de tipo terrestre Interiores dos planetas gigantes As luas do Sistema Solar Os pequenos corpos e Planetas anões 5

6 Aula nº 5 Observação Astronômica Localize-se, como nos orientamos no céu? Estrelas e Constelações: da Antiguidade à IAU. Referências: Polos, Zênite, Nadir, Horizonte e Meridiano. Coordenadas Locais: Altura e Azimute. Coordenadas Equatoriais: Ascenção Reta α e Declinação δ. Usando a carta celeste Software de Simulação do Céu: Celestia e Stellarium Aula nº 6 Equipamentos de Observação, Parte I História e a Revolução do Telescópio Qualidade Óptica do Aparelho Tipos de Telescópio: Telescópios Refratores Telescópios Refletores Parâmetros Característicos de um b i n ó c u l o Parâmetros Característicos de um Telescópio Aula nº 7 Equipamentos de Observação, Parte II Características técnica dos telescópios Poder de ampliação Poder de Resolução Poder de Captação de Luz Montagem Equatorial e azimutal Sítios Profissionais de Observação e os Maiores telescópios do mundo Aula nº 8 Observação do céu O céu profundo: como observar Estrelas duplas, variáveis, Aglomerados estelares (abertos e globulares) Nebulosas e galáxias Catálogos de objetos difusos NGC, Messier Como observar o nosso Sistema Solar. Como utilizar um anuário astronômico. Como planejar uma observação astronômica. 6

7 Aulas Práticas As aulas práticas terão duração de 1h a cada dia do curso. Apenas no último dia terá uma duração de 3h, somando um total de 6h/aulas. O objetivo das aulas práticas será externar todo o conhecimento teórico e prático em noites de observação do céu. Nestas aulas práticas aplicaremos conceitos vistos nas aulas teóricas: - Utilização da carta celeste - Observação a olho nu: reconhecimento das principais estrelas, constelações e planetas - Observação com binóculos e telescópios: Aglomerados de estrelas Nebulosas Estrelas duplas Galáxias 7

XI CURSO DE INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA

XI CURSO DE INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA Plutão SAR - SOCIEDADE ASTRONÔMICA DO RECIFE XI CURSO DE INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA INTRODUÇÃO TEÓRICA E OBSERVACIONAL R 1 Introdução Este curso destina-se a todas as pessoas interessadas por observações

Leia mais

O CÉU. G. Iafrate (a), M. Ramella (a) and V. Bologna (b) (a)

O CÉU. G. Iafrate (a), M. Ramella (a) and V. Bologna (b) (a) (b) O CÉU G. Iafrate (a), M. Ramella (a) and V. Bologna (b) (a) INAF - Astronomical Observatory of Trieste Istituto Comprensivo S. Giovanni Sc. Sec. di primo grado M. Codermatz" Trieste Translation by

Leia mais

Daiane Nunes Jeferson Cabral Kauê Palma Renata Borgonhi SOFTWARES PARA ASTRONOMIA

Daiane Nunes Jeferson Cabral Kauê Palma Renata Borgonhi SOFTWARES PARA ASTRONOMIA Daiane Nunes Jeferson Cabral Kauê Palma Renata Borgonhi SOFTWARES PARA ASTRONOMIA Aplicativos Sobre Astronomia Anuários de astronomia, mapas celestes e planisférios sempre foram ferramentas úteis para

Leia mais

PORTUGAL. Regras da Competição de Grupos. 1. Podem participar na competição de grupos equipes compostas por três ou mais estudantes.

PORTUGAL. Regras da Competição de Grupos. 1. Podem participar na competição de grupos equipes compostas por três ou mais estudantes. Regras da Competição de Grupos 1. Podem participar na competição de grupos equipes compostas por três ou mais estudantes. 2. A equipe receberá um conjunto de 5 questões para resolver em 60 minutos. 3.

Leia mais

EFEMÉRIDES DO MÊS DE AGOSTO DE 2014

EFEMÉRIDES DO MÊS DE AGOSTO DE 2014 EFEMÉRIDES DO MÊS DE AGOSTO DE 2014 POSIÇÃO GEOGRÁFICA: LATITUDE: -8.1º LONGITUDE: -34.9º LATITUDE: 8º 0 48.1 Sul LONGITUDE: 34º 51 3.4 Oeste CALENDÁRIO DO CÉU COM OS HORÁRIOS DE VISIBILIDADE DOS OBJETOS

Leia mais

Instrumentos e Técnicas de Observação. Associação de Astrónomos Amadores da Madeira Marco Joaquim

Instrumentos e Técnicas de Observação. Associação de Astrónomos Amadores da Madeira Marco Joaquim Instrumentos e Técnicas de Observação Associação de Astrónomos Amadores da Madeira Marco Joaquim Quais os instrumentos a utilizar. Quais as suas principais características. Dados importantes para a sua

Leia mais

História... Esta Teoria permaneceu Oficial durante 13 Séculos!!

História... Esta Teoria permaneceu Oficial durante 13 Séculos!! Astronomia História... O modelo grego para explicar o movimento dos corpos celestes foi estabelecido no século IV a.c. Neste modelo a Terra estava no centro do universo e os outros planetas, Sol e Lua

Leia mais

Plataforma Equatorial

Plataforma Equatorial Projecto Com a Cabeça na Lua OASA - Observatório Astronómico de Santana Açores Plataforma Equatorial Princípios fundamentais Utilização das Coordenadas Astronómicas Em geometria, sabemos que um sistema

Leia mais

ASTRONOMIA AMADORA TELESCÓPIOS E ACESSÓRIOS

ASTRONOMIA AMADORA TELESCÓPIOS E ACESSÓRIOS ASTRONOMIA AMADORA TELESCÓPIOS E ACESSÓRIOS J.R. Kaschny Vitória da Conquista Março.2012 (Rev. Abril.2015) Luneta Equatorial Gautier: Observatório Central - UFRGS Telescópios Telescópios são instrumentos

Leia mais

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010 CAPÍTULO 3 ESTAÇÕES DO ANO E INSOLAÇÃO SOLAR. Movimento Anual do Sol e as Estações do Ano. Estação em diferentes latitudes. Insolação Solar. Recapitulando a aula anterior: Capítulo 2 Trigonometria Esférica

Leia mais

EFEMÉRIDES DO MÊS DE OUTUBRO DE 2014

EFEMÉRIDES DO MÊS DE OUTUBRO DE 2014 EFEMÉRIDES DO MÊS DE OUTUBRO DE 2014 POSIÇÃO GEOGRÁFICA: LATITUDE: -8.1º LONGITUDE: -34.9º LATITUDE: 8º 0 48.1 Sul LONGITUDE: 34º 51 3.4 Oeste CALENDÁRIO DO CÉU COM OS HORÁRIOS DE VISIBILIDADE DOS OBJETOS

Leia mais

Mecânica do Sistema Solar

Mecânica do Sistema Solar Mecânica do Sistema Solar IFSP Vicente Barros Mais informações em Click to edit Masterhttp://astro.if.ufrgs.br/index.htm subtitle style Curiosidades - Posição da ISS http://spotthestation.nasa.gov/ Nosso

Leia mais

Elementos de Astronomia

Elementos de Astronomia Elementos de Astronomia Astronomia Antiga, Esfera Celeste, Coordenadas e Movimento Diurno dos Astros Rogemar A. Riffel Sala 1316 e-mail: rogemar@ufsm.br http://www.ufsm.br/rogemar/ensino.html Por que estudar

Leia mais

Cap. 2 Mecânica do Sistema Solar I

Cap. 2 Mecânica do Sistema Solar I Cap. 2 Mecânica do Sistema Solar I Nosso Lugar no Universo 1 min luz = 1,798 x 10 7 km 1 ano-luz = 9.460.800.000.000.00 Km ~10 12 km 100.000 a.l. = 946073047258080000 km = 9.46 x 10 17 km Observando o

Leia mais

15 O sistema solar e seus planetas

15 O sistema solar e seus planetas A U A UL LA Atenção O sistema solar e seus planetas Leia com atenção as notícias abaixo, que apareceram em jornais de diferentes épocas. ANO DE 1781 CIENTISTAS DESCOBREM NOVO PLANETA De há quase 2.000

Leia mais

Cœlum Australe. Jornal Pessoal de Astronomia, Física e Matemática - Produzido por Irineu Gomes Varella

Cœlum Australe. Jornal Pessoal de Astronomia, Física e Matemática - Produzido por Irineu Gomes Varella Cœlum Australe Jornal Pessoal de Astronomia, Física e Matemática - Produzido por Irineu Gomes Varella Criado em 1995 Retomado em Junho de 2012 Ano IV Nº 031 - Abril de 2013 O SISTEMA ALPHA CENTAURI A,B,Bb

Leia mais

I Olimpíada Brasileira de Astronomia Brasil, 22 de agosto de 1998. Nível 1 GABARITO OFICIAL

I Olimpíada Brasileira de Astronomia Brasil, 22 de agosto de 1998. Nível 1 GABARITO OFICIAL I Olimpíada Brasileira de Astronomia Brasil, 22 de agosto de 1998. Nível 1 GABARITO OFICIAL Questão 1 a) (VALOR: 0,2 pts) Quais os planetas do Sistema Solar que têm sistema de anéis? R: Saturno, Júpiter,

Leia mais

MÓDULO 9. A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais:

MÓDULO 9. A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais: A COR DE UM CORPO MÓDULO 9 A luz branca, que é a luz emitida pelo Sol, pode ser decomposta em sete cores principais: luz branca vermelho alaranjado amarelo verde azul anil violeta A cor que um corpo iluminado

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL - CIÊNCIAS 9ºANO- UNIDADE 3 - CAPÍTULO 1

ENSINO FUNDAMENTAL - CIÊNCIAS 9ºANO- UNIDADE 3 - CAPÍTULO 1 ENSINO FUNDAMENTAL - CIÊNCIAS 9ºANO- UNIDADE 3 - CAPÍTULO 1 questão 01. O que é Astrofísica? questão 02. O que são constelações? questão 03. Como era o calendário Lunar? questão 04. Qual era diferença

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 6º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 6º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 6º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ Prova elaborada

Leia mais

Manual de instruções. Montagem Equatorial

Manual de instruções. Montagem Equatorial Manual de instruções Montagem Equatorial Índice Os tipos de montagens - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 2 O que é e quais são? - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Leia mais

06-01-2012. Sumário. O Sistema Solar. Principais características dos planetas do Sistema Solar 05/01/2012. 23 e 24

06-01-2012. Sumário. O Sistema Solar. Principais características dos planetas do Sistema Solar 05/01/2012. 23 e 24 Sumário Os planetas do Sistema Solar e as suas principais características. (BI dos Planetas do Sistema Solar). Atividade Prática de Sala de Aula Características dos planetas. Preenchimento de tabelas,

Leia mais

EFEMÉRIDES DO MÊS DE ABRIL DE 2014

EFEMÉRIDES DO MÊS DE ABRIL DE 2014 EFEMÉRIDES DO MÊS DE ABRIL DE 2014 POSIÇÃO GEOGRÁFICA: LATITUDE: -8.1º LONGITUDE: -34.9º LATITUDE: 8º 0 48.1 Sul LONGITUDE: 34º 51 3.4 Oeste CALENDÁRIO DO CÉU COM OS HORÁRIOS DE VISIBILIDADE DOS OBJETOS

Leia mais

Fig. 4.4 Gire 180 graus. Inserindo a ocular. Alinhamento do buscador

Fig. 4.4 Gire 180 graus. Inserindo a ocular. Alinhamento do buscador ZENIT 900x60 A) Tampa (remover antes do uso) 1) Cabo flexível de controle DEC B) Parasol 2) Cabo flexível de controle R.A C) Lente objetiva 3) Pino de ajuste de altitude D) Tubo principal 4) Rosca de trava

Leia mais

Autor: (C) Ángel Franco García. Ptolomeu e Copérnico. Os planetas do Sistema Solar. Os satélites. Atividades

Autor: (C) Ángel Franco García. Ptolomeu e Copérnico. Os planetas do Sistema Solar. Os satélites. Atividades Nesta página eu apenas traduzi podendo ter introduzido, retirado ou não alguns tópicos, inclusive nas simulações. A página original, que considero muito boa é: Autor: (C) Ángel Franco García O Sistema

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Astronomia. Estrelas. Prof. Tibério B. Vale

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Astronomia. Estrelas. Prof. Tibério B. Vale Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Astronomia Estrelas Prof. Tibério B. Vale Propriedades Estrelas são esferas autogravitantes de gás ionizado, cuja fonte de

Leia mais

UNIDADE 2 MOVIMENTOS NO SISTEMA SOLAR Texto 1 Notas de aula (M. F. Barroso)

UNIDADE 2 MOVIMENTOS NO SISTEMA SOLAR Texto 1 Notas de aula (M. F. Barroso) UNIDADE MOVIMENTOS NO SISTEMA SOLAR Texto 1 Notas de aula (M. F. Barroso) O Sistema Solar A observação do mundo ao nosso redor constitui uma das atividades mais antigas da humanidade. Os movimentos do

Leia mais

CONSTRUÇÃO E UTILIZAÇÃO DE LUNETAS NO ENSINO DE ASTRONOMIA

CONSTRUÇÃO E UTILIZAÇÃO DE LUNETAS NO ENSINO DE ASTRONOMIA Cultura Acadêmica Rosa Maria Fernandes Scalvi Gustavo Iachel Marcelo Gomes Bacha Anderson Alexandre Andriatto CONSTRUÇÃO E UTILIZAÇÃO DE LUNETAS NO ENSINO DE ASTRONOMIA CONSTRUÇÃO E UTILIZAÇÃO DE LUNETAS

Leia mais

SIMULADOR DO SISTEMA SOLAR HU F 200/ NT4091

SIMULADOR DO SISTEMA SOLAR HU F 200/ NT4091 SIMULADOR DO SISTEMA SOLAR HU F 200/ NT4091 INTRODUÇÃO O simulador do Sistema Solar trata-se de um modelo tridimensional do nosso Sol e dos nove planetas. Foi concebido para dar ao aluno uma melhor compreensão

Leia mais

Oficina de CNII/EF Material do Aluno. Tema: Sistema Solar. Prezado Aluno,

Oficina de CNII/EF Material do Aluno. Tema: Sistema Solar. Prezado Aluno, Tema: Sistema Solar Prezado Aluno, Nesta oficina, você desenvolverá atividades que abordam a constituição do Sistema Solar, os movimentos dos astros, os fenômenos celestes e sua relação com o planeta Terra.

Leia mais

Ciências da Natureza VOLUME 1 UNIDADE 1 E 2

Ciências da Natureza VOLUME 1 UNIDADE 1 E 2 EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS ENSINO FUNDAMENTAL Ciências da Natureza VOLUME 1 UNIDADE 1 E 2 CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS 2015 1 SUMÁRIO Unidade 1 Origem do Universo... 03 Unidade

Leia mais

Observações na antiguidade

Observações na antiguidade Júpiter Tunç Tezel (from The World at Night ) Observações na antiguidade Sendo um dos objectos mais brilhantes no céu à noite, Júpiter tem sido observado desde a antiguidade e esteve ligado às crenças

Leia mais

ATIVIDADE OBSERVACIONAL MEDINDO TAMANHOS LINEARES EM IMAGENS ASTRONÔMICAS. Dra. Cláudia Vilega Rodrigues e Dr. André Milone (INPE/MCT)

ATIVIDADE OBSERVACIONAL MEDINDO TAMANHOS LINEARES EM IMAGENS ASTRONÔMICAS. Dra. Cláudia Vilega Rodrigues e Dr. André Milone (INPE/MCT) ATIVIDADE OBSERVACIONAL MEDINDO TAMANHOS LINEARES EM IMAGENS ASTRONÔMICAS Dra. Cláudia Vilega Rodrigues e Dr. André Milone (INPE/MCT) Objetivos Acessar remotamente um telescópio óptico de pequeno porte

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FÍSICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE FÍSICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FÍSICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FÍSICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE FÍSICA Mestrando Patrese Coelho Vieira Porto Alegre, maio de 2012 O presente material é uma coletânea

Leia mais

Telescópios. Características Tipos Funcionamento. João F. C. Santos Jr. v1

Telescópios. Características Tipos Funcionamento. João F. C. Santos Jr. v1 Telescópios Características Tipos Funcionamento João F. C. Santos Jr. v1 História do telescópio Observatórios pré-telescópio: Astrolábio posição dos astros, determinação do tempo e latitude Quadrante altitude

Leia mais

Introdução à Astrofísica. Telescópios. Rogemar A. Riffel

Introdução à Astrofísica. Telescópios. Rogemar A. Riffel Introdução à Astrofísica Telescópios Rogemar A. Riffel Telescópios Função: coletar a luz dos objetos, tornando possível o estudo de fontes muito fracas. Parâmetros fundamentais: Abertura da superfície

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Skywatcher Virtuoso

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Skywatcher Virtuoso MANUAL DE INSTRUÇÕES Skywatcher Virtuoso Parabéns pela compra de um telescópio da série Skywatcher Virtuoso. Algumas características desse equipamento: Acompanhamento astronômico instantâneo Montagem de

Leia mais

5 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia

5 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia 5 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia Prova da eliminatória regional 14 de Abril de 2010 15:00 Duração máxima 120 minutos Nota: Ler atentamente todas as questões. Existe uma tabela com dados no final

Leia mais

Formação estelar e Estágios finais da evolução estelar

Formação estelar e Estágios finais da evolução estelar Elementos de Astronomia Formação estelar e Estágios finais da evolução estelar Rogemar A. Riffel Formação estelar - Estrelas se formam dentro de concentrações relativamente densas de gás e poeira interestelar

Leia mais

Helio C. Vital. Seção de Eclipses da REA/BRASIL (http://www.geocities.com/lunissolar2003/set06/anular_set06.htm)

Helio C. Vital. Seção de Eclipses da REA/BRASIL (http://www.geocities.com/lunissolar2003/set06/anular_set06.htm) ANEL DE FOGO SOBRE O OIAPOQUE Helio C. Vital Seção de Eclipses da REA/BRASIL (http://www.geocities.com/lunissolar2003/set06/anular_set06.htm) CIRCUNSTÂNCIAS GLOBAIS No início da manhã de 22 de setembro

Leia mais

NASCER E PÔR-DO-SOL E DA LUA. CREPÚSCULOS

NASCER E PÔR-DO-SOL E DA LUA. CREPÚSCULOS 24 NASCER E PÔR-DO-SOL E DA LUA. CREPÚSCULOS 24.1 IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DOS INSTANTES DO NASCER E DO PÔR-DO-SOL E DA LUA, E DA DURAÇÃO DOS CREPÚSCULOS Em Navegação Astronômica, é importante conhecer

Leia mais

Sistema Solar. Prof. Fabricio Ferrari Universidade Federal do Pampa. Projeto de Extensão Astronomia para Todos

Sistema Solar. Prof. Fabricio Ferrari Universidade Federal do Pampa. Projeto de Extensão Astronomia para Todos Sistema Solar Prof. Fabricio Ferrari Universidade Federal do Pampa Projeto de Extensão Astronomia para Todos Sistema Solar: Sol e todos os objetos ligados a ele pela gravidade *escaladedistânciasincorreta

Leia mais

Via Láctea, a Nossa Galáxia

Via Láctea, a Nossa Galáxia *UXSR GH $VWURQRPLD GD 8QLYHUVLGDGH GD 0DGHLUD Via Láctea, a Nossa Galáxia Laurindo Sobrinho Semana da Astronomia 24 de Julho de 2001 Via Láctea Se olharmos para o Céu numa noite de Verão limpa e escura

Leia mais

Evolução Estelar e A Via-Láctea

Evolução Estelar e A Via-Láctea Introdução à Astronomia Evolução Estelar e A Via-Láctea Rogério Riffel http://astro.if.ufrgs.br Formação estelar - Estrelas se formam dentro de concentrações relativamente densas de gás e poeira interestelar

Leia mais

Sistema Solar. Sistema de Ensino CNEC. 4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades de Ciências Nome:

Sistema Solar. Sistema de Ensino CNEC. 4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades de Ciências Nome: 4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades de Ciências Nome: Sistema Solar 1 o Mercúrio 5 o Júpiter 2 o Vênus 6 o Saturno 3 o Terra 7 o Urano 4 o Marte 8 o Netuno Com certeza você já deve ter ouvido

Leia mais

Ciclo: 3º Ano: 7º Disciplina: Físico-Química. Atividades / Estratégias. Nº aulas previstas. Avaliação

Ciclo: 3º Ano: 7º Disciplina: Físico-Química. Atividades / Estratégias. Nº aulas previstas. Avaliação código 171608 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DOMINGOS JARDO Direção Regional de Educação de Lisboa Ciclo: º Ano: 7º Disciplina: Físico-Química Conteúdos I - O Universo 1. O que existe no Universo 1.1 Estrutura

Leia mais

O UNIVERSO EM SUAS MÃOS

O UNIVERSO EM SUAS MÃOS 2010 2010 O UNIVERSO EM SUAS MÃOS Pesquisa e Texto Jacqueline Barbosa Ferreira Revisão Lucas Forni Miranda Natalia Oliveira da Silva Arte Givanilson L. Góes Projeto Academia de Ciência Escola Estadual

Leia mais

Figura 1 - O movimento da Lua em torno da Terra e as diferentes fases da Lua

Figura 1 - O movimento da Lua em torno da Terra e as diferentes fases da Lua Estudo do Meio Físico e Natural I Movimentos reais e aparentes dos astros J. L. G. Sobrinho Centro de Ciências Exactas e da Engenharia Universidade da Madeira A Lua e a Terra A Lua está a sempre visível

Leia mais

ECLIPSE PARCIAL DO SOL:

ECLIPSE PARCIAL DO SOL: EFEMÉRIDES DO MÊS DE NOVEMBRO DE 2013 (DIA, HORA E MINUTOS PARA OLINDA E GRANDE RECIFE NO HORÁRIO LOCAL -3 HORAS DO TEMPO UNIVERSAL SEM HORÁRIO DE VERÃO)* * Por Alexandre Evangelista da Silva, Professor

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CAMARATE PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CAMARATE PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO 1º Período Terra no Espaço O que existe no universo 1. Estrutura e formação do Universo. 1.1 Descrição sumária da descrição do Universo, identificando as principais estruturas: estrelas, sistemas planetários,

Leia mais

Atividade: Uma Viagem pelo Céu Autores: Laerte Sodré Jr., Raquel Y. Shida, Jane Gregorio-Hetem (IAG/USP)

Atividade: Uma Viagem pelo Céu Autores: Laerte Sodré Jr., Raquel Y. Shida, Jane Gregorio-Hetem (IAG/USP) Autores: Laerte Sodré Jr., Raquel Y. Shida, Jane Gregorio-Hetem (IAG/USP) Objetivo: Esta atividade, elaborada para o programa "Telescópios na Escola", é indicada para quem nunca observou antes com um telescópio

Leia mais

UNIDADE 2: ASTRONOMIA

UNIDADE 2: ASTRONOMIA UNIDADE 2: ASTRONOMIA ARISTÓTELES (384-322 a.c.) Afirmou que a Terra era redonda devido à sombra esférica deixada por ela durante o eclipse lunar. ERATÓSTENES (273-194 a.c.) Mediu a circunferência da Terra

Leia mais

Como surgiu o universo

Como surgiu o universo Como surgiu o universo Modelos para o universo Desde os tempos remotos o ser humano observa o céu, buscando nele pistas para compreender o mundo em que vive. Nessa busca incansável, percebeu fenômenos

Leia mais

XVIII EREA e I FOCAR: Ponta Grossa (PR) de 6 a 11/06/2011

XVIII EREA e I FOCAR: Ponta Grossa (PR) de 6 a 11/06/2011 XVIII EREA e I FOCAR: Ponta Grossa (PR) de 6 a 11/06/2011 PROGRAMAÇÃO Dia 6 de junho de 2011, Segunda-Feira. Credenciamento; Recebimento de 08:00-10:15 materiais. Palestra: Arte Astronomia: Galileo e 10:15-12:00

Leia mais

INTRODUÇÃO À ÓPTICA GEOMÉTRICA 411EE

INTRODUÇÃO À ÓPTICA GEOMÉTRICA 411EE 1 T E O R I A 1. SOMBRA Define se sombra como uma região do espaço desprovida de luz. Uma sombra é produzida quando um objeto opaco impede que raios de luz provenientes de uma fonte luminosa iluminem uma

Leia mais

REPRESE TAÇÃO SIMPLIFICADA DAS FASES DA LUA

REPRESE TAÇÃO SIMPLIFICADA DAS FASES DA LUA FASES DA LUA O ASPECTO DA LUA SE MODIFICA DIARIAMENTE. Mas isso se deve tão somente a posição relativa da Lua, Terra e Sol. A cada dia o Sol ilumina a Lua sob um ângulo diferente, à medida que ela se desloca

Leia mais

ANO LECTIVO 2011-12 OFICINAS PRÉ-ESCOLAR E 1º CICLO 2º CICLO 3º CICLO SECUNDÁRIO NOVAS OPORTUNIDADES

ANO LECTIVO 2011-12 OFICINAS PRÉ-ESCOLAR E 1º CICLO 2º CICLO 3º CICLO SECUNDÁRIO NOVAS OPORTUNIDADES ANO LECTIVO 2011-12 PRÉ-ESCOLAR E 1º CICLO 2º CICLO 3º CICLO SECUNDÁRIO NOVAS OPORTUNIDADES 1 PRÉ-ESCOLAR E 1º CICLO Imagem Animada Nesta oficina os alunos desvendam os mistérios inerentes à ilusão óptica

Leia mais

CURSO AVANÇADO EM ASTRONOMIA E ASTROFÍSICA OBSERVATÓRIO ASTRONÓMICO DE LISBOA VIDA E MORTE DAS ESTRELAS. Rui Jorge Agostinho MÓDULO CAOAL VME

CURSO AVANÇADO EM ASTRONOMIA E ASTROFÍSICA OBSERVATÓRIO ASTRONÓMICO DE LISBOA VIDA E MORTE DAS ESTRELAS. Rui Jorge Agostinho MÓDULO CAOAL VME CURSO AVANÇADO EM ASTRONOMIA E ASTROFÍSICA DO OBSERVATÓRIO ASTRONÓMICO DE LISBOA VIDA E MORTE DAS ESTRELAS MÓDULO CAOAL VME Rui Jorge Agostinho Outubro de 2013 Conteúdo Objectivos e Estrutura do Curso..............................

Leia mais

Planetas do Sistema Solar

Planetas do Sistema Solar Planetas do Sistema Solar Paulo Roberto - http://laboratoriodopaulo.blogspot.com A astronomia é uma experiência de humildade e formação de caráter. [Carl Sagan em O pálido ponto azul.] Planetas Internos

Leia mais

Aula 2 Órbitas e Gravidade. Alex C. Carciofi

Aula 2 Órbitas e Gravidade. Alex C. Carciofi Aula 2 Órbitas e Gravidade. Alex C. Carciofi Geocentrismo: um modelo amplamente aceito A Terra parece firme e estável. As estrelas parecem descrever circunferências no céu, em torno dos pólos celestes.

Leia mais

Olha pro céu! (uma brevissima introdução à astronomia para crianças de todas as idades) Helder da Rocha

Olha pro céu! (uma brevissima introdução à astronomia para crianças de todas as idades) Helder da Rocha Pedra de Sto. Antônio (Fagundes, PB) e constelações de Sagitário e Coroa Austral 20o. Encontro para a Nova Consciência Campina Grande, PB, 2011 Olha pro céu! (uma brevissima introdução à astronomia para

Leia mais

INTRODUÇÃO CUIDADO: LEIA ESTA SEÇÃO ANTES DE USAR SEU TELESCÓPIO

INTRODUÇÃO CUIDADO: LEIA ESTA SEÇÃO ANTES DE USAR SEU TELESCÓPIO INDICE Introdução 03 Cuidado 03 Montando seu telescópio 05 Colocando a montagem equatorial 05 Colocando o tubo ótico 06 Colocando os acessórios 06 Colocando a luneta buscadora 07 Usando seu telescópio

Leia mais

o céu na cabeça Entrevistamos o condômino que estuda o universo de dentro de casa

o céu na cabeça Entrevistamos o condômino que estuda o universo de dentro de casa # 46//2011 o céu na cabeça Entrevistamos o condômino que estuda o universo de dentro de casa alegria de pescador No Lago das Palmeiras, o ambiente ideal para a prática cidade das flores Perto da Baroneza,

Leia mais

O Ensino da Astronomia

O Ensino da Astronomia O Ensino da Astronomia Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) indicam o estudo da Astronomia no 3o e 4o ciclos do Ensino Fundamental, na área de Ciências Naturais, no eixo temático "Terra e Universo"

Leia mais

Identificação de Astros. Preparo do Céu para Observação dos Crepúsculos

Identificação de Astros. Preparo do Céu para Observação dos Crepúsculos Assim, entrando no Star Finder com o AHLg no instante planejado para a observação e o template de Latitude mais próximo da Latitude estimada na mesma ocasião, obteremos as alturas previstas e os Azimutes

Leia mais

O Sistema Solar, a Galáxia e o Universo. Prof Miriani G. Pastoriza Dep de Astronomia, IF

O Sistema Solar, a Galáxia e o Universo. Prof Miriani G. Pastoriza Dep de Astronomia, IF O Sistema Solar, a Galáxia e o Universo Prof Miriani G. Pastoriza Dep de Astronomia, IF O Sistema Solar Matéria do Sis. Solar (%) Sol 99.85 Planetas 0.135 Cometas:0.01 Satélites Meteoróides Meio Interplanetario

Leia mais

4ºano Turma Mista. Autora: Beatriz Rodrigues

4ºano Turma Mista. Autora: Beatriz Rodrigues 4ºano Turma Mista O ESPAÇO Autora: Beatriz Rodrigues O que é e como é o Espaço? Os seres humanos chamam Espaço a tudo o que está fora da superfície e atmosfera terrestre. A maioria dos peritos acredita

Leia mais

Poluição Luminosa. Projeto Apagar as luzes e acender as estrelas. Alexandre Faria

Poluição Luminosa. Projeto Apagar as luzes e acender as estrelas. Alexandre Faria Poluição Luminosa Projeto Apagar as luzes e acender as estrelas Alexandre Faria Projeto Apagar as luzes e acender as estrelas O projeto Apagar as luzes e acender as estrelas tem os seguintes objetivos:

Leia mais

Maleta do jovem astrônomo

Maleta do jovem astrônomo Rosa M. Ros International Astronomical Union, Universidad Politécnica de Cataluña (Barcelona, Espanha). Resumo Para promover a observação é necessário que os alunos tenham um conjunto de instrumentos simples.

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA PARCIAL DE GEOGRAFIA Aluno(a): Nº Ano: 6º Turma: Data: 26/03/2011 Nota: Professora: Élida Valor da Prova: 50 pontos Assinatura do responsável: Orientações

Leia mais

Introdução à Astrofísica. As Leis de Kepler. eclipse.txt. Rogemar A. Riffel

Introdução à Astrofísica. As Leis de Kepler. eclipse.txt. Rogemar A. Riffel Introdução à Astrofísica As Leis de Kepler Rogemar A. Riffel Teoria heliocêntrica A Teoria Heliocêntrica conseguiu dar explicações mais simples e naturais para os fenômenos observados Movimento retrógrado

Leia mais

His i t s ó t r ó ia i a e e Mé M t é o t d o o d s s da Astron o o n m o i m a i Clá l ssic i a R. Boczko 02 03 IAG-USP

His i t s ó t r ó ia i a e e Mé M t é o t d o o d s s da Astron o o n m o i m a i Clá l ssic i a R. Boczko 02 03 IAG-USP História e Métodos da Astronomia Clássica 15 02 03 R. Boczko IAG-USP Mundo na Antigüidade Estrelas (6000) Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno S l Astronomia x Astrologia Astronomia é a Ciênciaque

Leia mais

Poluição Luminosa Laurindo Sobrinho Astronomia no Verão 15 de setembro de 2014

Poluição Luminosa Laurindo Sobrinho Astronomia no Verão 15 de setembro de 2014 Poluição Luminosa Laurindo Sobrinho Astronomia no Verão 15 de setembro de 2014 1 Luminosidade e brilho aparente Luminosidade (L) - quantidade energia emitida pela estrela por unidade de tempo. Brilho aparente

Leia mais

Estudo de Texto 1º ano

Estudo de Texto 1º ano TEXTO 01 BUROCRATAS CEGOS Estudo de Texto 1º ano A decisão, na sexta-feira, da juíza Adriana Barreto de Carvalho Rizzotto, da 7a Vara Federal do Rio, determinando que a Light e a Cerj também paguem bônus

Leia mais

Curso de Astronomia Geral CCD. Texto Complementar 1. Aprenda a usar o Stellarium

Curso de Astronomia Geral CCD. Texto Complementar 1. Aprenda a usar o Stellarium Curso de Astronomia Geral CCD Texto Complementar 1 Aprenda a usar o Stellarium Gosta de usar o Stellarium para contar as estrelas no céu, mas se sente perdido com a quantidade de funções do programa? Ainda

Leia mais

07 e 08 06/10/2011 Sumário

07 e 08 06/10/2011 Sumário Sumário Correção do TPC. Conclusões da atividade experimental da lição anterior. Como se tornou possível o conhecimento do Universo? Modelos de organização do Universo: Teoria Geocêntrica e Teoria Heliocêntrica.

Leia mais

Na cauda do cometa. Série Matemática na Escola. Objetivos 1. Motivar o estudo das cônicas para a astronomia;

Na cauda do cometa. Série Matemática na Escola. Objetivos 1. Motivar o estudo das cônicas para a astronomia; Na cauda do cometa Série Matemática na Escola Objetivos 1. Motivar o estudo das cônicas para a astronomia; Na cauda do cometa Série Matemática na Escola Conteúdos Geometria analítica, cônicas, elipse,

Leia mais

5 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia

5 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia 5 as Olimpíadas Nacionais de Astronomia Prova da eliminatória regional 14 de Abril de 2009 15:00 Duração máxima 120 minutos Nota: Ler atentamente todas as questões. Existe uma tabela com dados no final

Leia mais

IV. Da luz visível à luz invisível

IV. Da luz visível à luz invisível IV. Da luz visível à luz invisível 1. o que é a luz A luz é o princípio de toda a ciência, porque é a luz que nos permite ver o mundo. Sem luz não existiria a relação íntima entre sujeito observador e

Leia mais

Astrofotografia do sistema solar

Astrofotografia do sistema solar Astrofotografia do sistema solar Jéssica de SOUZA ALVES 1 ; Mayler MARTINS 2 1 Estudante do curso Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio, Bolsista de Iniciação Científica Júnior (PIBICJr) FAPEMIG.

Leia mais

ENSINO MÉDIO 01 - PLANETA TERRA FORMA E MOVIMENTO

ENSINO MÉDIO 01 - PLANETA TERRA FORMA E MOVIMENTO ENSINO MÉDIO 01 - PLANETA TERRA FORMA E MOVIMENTO QUESTÃO 01 - Sobre as características gerais dos movimentos terrestres, julgue os itens: a) É incorreto dizer que o Sol nasce a leste e se põe a oeste,

Leia mais

MAIORES TELESCÓPIOS DO MUNDO

MAIORES TELESCÓPIOS DO MUNDO Informativo do GOA #6 - Departamento de Física - Centro de Ciências Exatas - UFES - Outono 2010 - www.cce.ufes.br/goa Fotos: divulgação MAIORES TELESCÓPIOS DO MUNDO Galileu 1,5cm de abertura (1609) Herschel

Leia mais

www.fisicanaveia.com.br

www.fisicanaveia.com.br www.fisicanaveia.com.br Instrumentos Ópticos Lupa Instrumentos Ópticos Instrumentos Ópticos Luneta Astronômica Luneta ou Telescópio Refrator Instrumentos Ópticos Telescópio Refletor Telescópio Refletor

Leia mais

MONTAGEM DE UM SISTEMA DE PROJEÇÃO DIGITAL PARA DOMO HEMISFÉRICO

MONTAGEM DE UM SISTEMA DE PROJEÇÃO DIGITAL PARA DOMO HEMISFÉRICO MONTAGEM DE UM SISTEMA DE PROJEÇÃO DIGITAL PARA DOMO HEMISFÉRICO FILHO, Valdinei Bueno L.; ASSUNÇÃO, Hildeu Ferreira da; LIMA, Thiago Oliveira; MARTINS, Alessandro. Campus Jataí, Universidade Federal de

Leia mais

As Camelopardálidas de 2014 21 de maio de 2014

As Camelopardálidas de 2014 21 de maio de 2014 As Camelopardálidas de 2014 21 de maio de 2014 Manuel Andrade Valinho Área de Astronomia e Astrofísica do Campus de Lugo UNIVERSIDADE DE SANTIAGO DE COMPOSTELA A origem O cometa 209P/LINEAR (ver Figura

Leia mais

ENSINANDO FÍSICA POR MEIO DE IMAGENS ASTRONÔMICAS André de Castro Milone (Divisão de Astrofísica, INPE) email: acmilone@das.inpe.

ENSINANDO FÍSICA POR MEIO DE IMAGENS ASTRONÔMICAS André de Castro Milone (Divisão de Astrofísica, INPE) email: acmilone@das.inpe. 1 ENSINANDO FÍSICA POR MEIO DE IMAGENS ASTRONÔMICAS André de Castro Milone (Divisão de Astrofísica, INPE) email: acmilone@das.inpe.br RESUMO O uso de recursos multimídia tem sido uma das alavancas motivadoras

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS ROTEIROS. Roteiro 1. Roteiro 2

DESCRIÇÃO DOS ROTEIROS. Roteiro 1. Roteiro 2 DESCRIÇÃO DOS ROTEIROS Roteiro 1 Indicação de faixa etária: para todos os públicos Sessão de Planetário: Pode ser escolhida qualquer uma das sessões disponíveis em nossa programação. Exposição: Será realizada

Leia mais

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010 CAPÍTULO 7 ÓRBITA DOS PLANETAS. LEIS DE KEPLER E DE NEWTON. Movimento dos Planetas. O Modelo Geocêntrico. O Modelo Heliocêntrico. Leis de Kepler. Isaac Newton e Suas Leis. Recapitulando as aulas anteriores:

Leia mais

Atividades Práticas (XVII OBA)

Atividades Práticas (XVII OBA) Atividades Práticas (XVII OBA) Entendendo a Prova da OBA PERGUNTAS PRÁTICAS E/OU OBSERVACIONAIS. Poderá haver uma ou duas perguntas baseadas em atividades práticas e/ou observacionais. Para responder

Leia mais

Unidade IX: Gravitação Universal

Unidade IX: Gravitação Universal Página 1 de 5 Unidade IX: Gravitação Universal 9.1 Introdução: Até o século XV, o homem concebia o Universo como um conjunto de esferas de cristal, com a Terra no centro. Essa concepção do Universo, denominada

Leia mais

ASTROFOTOGRAFIA FÁCIL BOTANDO A MÃO NA MASSA

ASTROFOTOGRAFIA FÁCIL BOTANDO A MÃO NA MASSA ASTROFOTOGRAFIA FÁCIL BOTANDO A MÃO NA MASSA José Carlos Diniz Conceito Através Através da Astrofotografia registramos não só a beleza do Cosmos,mas avançamos na compreensão de sua criação. Com Com as

Leia mais

ASTRONOMIA NO DIA-A-DIA Dr. André Milone

ASTRONOMIA NO DIA-A-DIA Dr. André Milone ASTRONOMIA NO DIA-A-DIA Dr. André Milone Divisão de Astrofísica (DAS) Curso de Introdução à Astronomia e Astrofísica 2009 ROTEIRO GERAL Fenômenos astronômicos no dia-a-dia Movimentos da Terra heliocentrismo

Leia mais

A TERRA E SEUS MOVIMENTOS. A ESFERA CELESTE

A TERRA E SEUS MOVIMENTOS. A ESFERA CELESTE 17 A TERRA E SEUS MOVIMENTOS. A ESFERA CELESTE 17.1 A TERRA 17.1.1 FORMA E DIMENSÕES. A ESFERA TERRESTRE Primeiramente, o homem imaginou a Terra como uma superfície plana, pois era assim que ele a via.

Leia mais

Unidade IX: Gravitação Universal

Unidade IX: Gravitação Universal Colégio Santa Catarina Unidade IX: Gravitação Universal 143 Unidade IX: Gravitação Universal 9.1 Introdução: Até o século XV, o homem concebia o Universo como um conjunto de esferas de cristal, com a Terra

Leia mais

Preparação de observações

Preparação de observações Francis Berthomieu, Ricardo Moreno, Beatriz García, Rosa M. Ros International Astronomical Union, Colegio Retamar (Madrid, Espanha), Universidad Tecnológica Nacional (Mendoza, Argentina), Universidad Politécnica

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DOBSONIANOS

MANUAL DE INSTRUÇÕES DOBSONIANOS MANUAL DE INSTRUÇÕES DOBSONIANOS ÍNDICE Montando seu telescópio 3 Peças 3 Montagem da base 4 Montagem do tubo óptico 5 Operando seu telescópio 6 Alinhando a buscadora 6 Focalizando 6 Usando uma lente barlow

Leia mais

Um Programa Brasileiro para Busca de Supernovas: Concepção e Primeiras Descobertas

Um Programa Brasileiro para Busca de Supernovas: Concepção e Primeiras Descobertas 1 Um Programa Brasileiro para Busca de Supernovas: Concepção e Primeiras Descobertas T.A. Napoleão, C. Jacques, C. Colesanti, E. Pimentel (CEAMIG-REA) email: tassonapoleao@ig.com.br Introdução A concepção

Leia mais

Aula 1. O Sistema Solar e o Planeta Terra. Disciplina: Geografia A Profª.: Tamara Régis

Aula 1. O Sistema Solar e o Planeta Terra. Disciplina: Geografia A Profª.: Tamara Régis Aula 1. O Sistema Solar e o Planeta Terra. Disciplina: Geografia A Profª.: Tamara Régis A origem do Universo A teoria do Big Bang foi anunciada em 1948 pelo cientista russo naturalizado estadunidense,

Leia mais

Nosso objetivo será mostrar como obter informações qualitativas sobre a refração da luz em um sistema óptico cilíndrico.

Nosso objetivo será mostrar como obter informações qualitativas sobre a refração da luz em um sistema óptico cilíndrico. Introdução Nosso objetivo será mostrar como obter informações qualitativas sobre a refração da luz em um sistema óptico cilíndrico. A confecção do experimento permitirá também a observação da dispersão

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 1ª SÉRIE

LISTA DE EXERCÍCIOS 1ª SÉRIE 1. (Uemg 2014) Em uma aula sobre Gravitação, o professor de Física resolveu escrever um poema e mostrá-lo a seus alunos: O Sol e a Lua num balé em torno da Terra. Ora a Lua está entre o Sol e a Terra.

Leia mais