TEMA: INTRODUÇÃO À POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA. Autor: Bruno Quadros e Quadros

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TEMA: INTRODUÇÃO À POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA. Autor: Bruno Quadros e Quadros"

Transcrição

1 POLÍTICA INTERNACIONAL TEMA: INTRODUÇÃO À POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA Autor: Bruno Quadros e Quadros BIBLIOGRAFIA: CERVO, Amado Luiz; BUENO, Clodoaldo. História da política exterior do Brasil. 3.ed. Brasília: UnB, CERVO, Amado Luiz. Inserção internacional: formação dos conceitos brasileiros. São Paulo: Saraiva, PINHEIRO, Letícia. Política externa brasileira ( ). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, TERMOS-CHAVE: - "Acumulado histórico da diplomacia brasileira" (Amado Luiz Cervo) - Estado liberal-conservador - "Diplomacia da agroexportação" (Clodoaldo Bueno) - Estado desenvolvimentista - Industrialização por substituição de importações (ISI) - Estado normal

2 - "Dança dos paradigmas" (Amado Luiz Cervo) - Consenso de Washington - Estado logístico - Americanismo - Universalismo - Diversificação de parcerias ACUMULADO HISTÓRICO DA DIPLOMACIA BRASILEIRA: INTRODUÇÃO: - Formulação de Amado Luiz Cervo DEFINIÇÃO: - Conjunto de padrões de conduta acumulados pela política externa brasileira desde o século XIX - Elementos de política de Estado, e não apenas de um governo - Prevalência da continuidade sobre a mudança

3 FUNÇÕES: - Dar previsibilidade à ação externa do Brasil - Moldar a conduta externa dos governos, resistindo a mudanças de regime político VISÃO DA BANCA - Acumulado histórico como traço de continuidade da política externa brasileira ELEMENTOS: (a) Autodeterminação, não intervenção e solução pacífica de controvérsias (b) Juridicismo (c) Multilateralismo normativo (d) Ação externa cooperativa e não confrontacionista (e) Parcerias estratégicas (f) Realismo e pragmatismo (g) Cordialidade oficial no trato com os vizinhos (h) Desenvolvimento como vetor (i) Independência de inserção internacional (a) Autodeterminação, não intervenção e solução pacífica de

4 controvérsias: - Respeito aos princípios do Direito Internacional na condução da política externa (b) Juridicismo: - Respeito aos tratados e a outros compromissos jurídicos assumidos internacionalmente (c) Multilateralismo normativo: - Estabelecimento, por meio da negociação multilateral, de regras transparentes, justas e respeitadas por todos - Brasil tem uma das presenças mais ativas nos foros multilaterais no período pós-segunda Guerra Mundial (d) Ação externa cooperativa e não confrontacionista: - Cooperação econômica para o desenvolvimento - Submissão da política de segurança aos ganhos econômicos (e) Parcerias estratégicas: - Definição de parceiro estratégico: o Estado, bloco ou coalizão capaz de aportar elementos substantivos à expansão do comércio exterior, dos

5 investimentos diretos, da organização empresarial, da ciência e da tecnologia (f) Realismo e pragmatismo: - Prevalência da esperteza diplomática sobre as forças profundas da economia e da sociedade - Identificação de oportunidades para maximizar os ganhos do Brasil no cenário internacional (g) Cordialidade oficial no trato com os vizinhos: - Conduta regional que não ostente a grandeza nacional e a superioridade econômica e que elimine gestos de prestígio por parte do Brasil, capazes de gerar desconfianças e/ou ressentimentos nos vizinhos sul-americanos - Mas que seja guiada pela realização dos interesses nacionais no plano regional (h) Desenvolvimento como vetor: - Busca de insumos externos (tecnologia, mercados e capitais) para o desenvolvimento nacional (i) Independência de inserção internacional: - Visão própria de mundo - Autonomia do processo decisório

6 - Formulação própria de política externa PARADIGMAS DE ESTADO EM POLÍTICA EXTERNA: INTRODUÇÃO: - Formulação de Amado Luiz Cervo QUATRO PARADIGMAS (a) Estado liberal-conservador ( ) (b) Estado desenvolvimentista ( ) (c) Estado normal ou neoliberal (1990s) (d) Estado logístico (2000s) ESTADO LIBERAL-CONSERVADOR ( ): (a) Características: - Percepção restrita do interesse nacional em favor das oligarquias agropecuárias - "Diplomacia da agroexportação" (Clodoaldo Bueno) - Coexistência de traços de subserviência e de soberania

7 (b) Face liberal na economia: - Tratados desiguais ( ) - Política aduaneira livre-cambista - Negligência em relação ao projeto industrializante (c) Face conservadora na política e na geopolítica: - Presença brasileira sobre o Prata - Postura firme nas negociações dos limites territoriais (d) Inserção econômica internacional: - Exportações primárias e importações industriais - Empréstimos bancários para equilibrar o orçamento ESTADO DESENVOLVIMENTISTA ( ) (a) Contexto: - Contexto de Grande Depressão, de complexificação da sociedade brasileira e de pressões para a modernização do país (b) Características:

8 - Abandono da "diplomacia da agroexportação" - Interesse nacional múltiplo - Desenvolvimento identificado com a industrialização para o mercado interno (industrialização por substituição de importações ou ISI) - Setor externo destinado a buscar insumos para o desenvolvimento: o Capitais, tecnologias, mercados etc. - Autonomia decisória para obter ganhos recíprocos nas relações internacionais - Subordinação da política de segurança aos fins econômicos - Diversificação de parcerias (c) Interesse nacional múltiplo: - Atendimento dos interesses de uma sociedade cada vez mais complexa (empresários, militares, classe média, intelectuais etc.) (d) Diversificação de parcerias: - Negociação simultânea com as grandes potências e com os países vizinhos ESTADO NORMAL OU NEOLIBERAL (1990s):

9 (a) Contexto internacional: - Fim da Guerra Fria e unipolaridade em favor dos Estados Unidos - Crise econômica na América Latina - Neoliberalismo e globalização (b) Características: - Abertura econômica neoliberal baseada no Consenso de Washington - Abandono de uma estratégia nacional de inserção internacional (c) Receituário do Consenso de Washington: - Desmonte do Estado empresário e privatizações - Disciplina fiscal, com metas de superávit primário - Benefícios ao capital estrangeiro - Reformas institucionais e jurídicas (d) Críticas de Cervo: - Aprofundamento de dependências estruturais e de vulnerabilidades externas

10 (e) "Dança dos paradigmas": - Década de 1990 como período de agonia do Estado desenvolvimentista, emergência do Estado normal e ensaio do Estado logístico ESTADO LOGÍSTICO (2000s): (a) Contexto internacional: - Rejeição eleitoral aos governos neoliberais - Ascensão da esquerda na América Latina (b) Características: - Retomada da autonomia decisória no cenário internacional - Modelo de inserção internacional pós-desenvolvimentista - Redução da vulnerabilidade externa - Política externa a serviço de diversos grupos sociais (c) Modelo de inserção internacional pós-desenvolvimentista: - Conclusão da fase desenvolvimentista - Interdependência econômica - Abordagem pragmática da globalização

11 (d) Redução da vulnerabilidade externa: - Transferência das responsabilidades do Estado empresário para a sociedade - Suporte logístico aos empreendimentos nacionais no Brasil e no exterior - Elevação da competitividade internacional da economia - Investimentos em inovação (e) Política externa a serviço de diversos grupos sociais: - Empresários busca por mercados - Trabalhadores busca por empregos TRADIÇÕES DA POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA INTRODUÇÃO: - Conceito válido para a análise da política externa brasileira até a década de Duas grandes tradições na política externa brasileira: o Americanismo o Universalismo/globalismo

12 - Elementos de definição: o Modelo político-ideológico o Identificação de oportunidades econômicas e geoestratégicas o Modelo de inserção internacional (alinhamento ou autonomia) - Americanismo e universalismo receberam diversos nomes ao longo da História AMERICANISMO: (a) Características: - Relações especiais com os EUA: o Brasil-EUA: eixo de relações assimétricas - EUA como o centro das energias diplomáticas do Brasil - EUA como o apoio para a inserção internacional do Brasil (b) Variantes: - Americanismo ideológico - Americanismo pragmático (c) Americanismo ideológico: - Resultado de convergências político-ideológicas

13 - Sem consideração sobre o interesse nacional brasileiro - Ausência do elemento pragmático para a obtenção de ganhos - Governo Dutra ( ): o Apoio à Doutrina de Contenção da Guerra Fria, mas sem contrapartidas econômicas para o Brasil (d) Americanismo pragmático: - Relações com os EUA têm caráter instrumental: o Objetivos: Satisfação dos interesses nacionais do Brasil Maximização dos ganhos do país - Barão do Rio Branco ( ): o Americanismo a fim de os EUA apoiarem as posições brasileiras na definição das fronteiras com os vizinhos UNIVERSALISMO: (a) Conceitos: - Diversificação de parcerias - Autonomia em política externa (b) Diversificação de parcerias:

14 - Busca de parcerias não tradicionais na Ásia, na África e no Oriente Médio - Manutenção das parcerias tradicionais (América do Sul, EUA e Europa Ocidental) - Objetivo de reduzir as vulnerabilidades externas ao multiplicar os contatos com diversos parceiros (c) Autonomia em política externa: - Sem alinhamentos ou relações subservientes com qualquer Estado ou bloco - Não significa rompimento ou confrontação com os Estados Unidos (d) Exemplos: - Política Externa Independente (Jânio e Jango) - Pragmatismo Responsável (Geisel) ROTEIRO DE LEITURAS: (a) Acumulado histórico da diplomacia brasileira:

15 CERVO, Amado Luiz. Inserção internacional: formação dos conceitos brasileiros. São Paulo: Saraiva, p (b) Paradigmas de Estado em política externa: CERVO, Amado Luiz. Inserção internacional: formação dos conceitos brasileiros. São Paulo: Saraiva, p CERVO, Amado Luiz; BUENO, Clodoaldo. História da política exterior do Brasil. 3.ed. Brasília: UnB, p ; (c) Tradições da política externa brasileira: PINHEIRO, Letícia. Política externa brasileira ( ). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, CURTA A PÁGINA DO FUTUROS DIPLOMATAS NO FACEBOOK E CONHEÇA NOSSOS OUTROS CADERNOS A SEGUIR...

16 1. Pacotão História da Política Externa Brasileira ( )

17 2. Pacotão História da América Latina

18 3. PI - PEB de Dutra a JK ( ) 4. HM - América Latina no século XIX

19 5. HM - II Guerra Mundial ( )

20 6. HM - I Guerra Mundial ( )

21 7. HM - Período entreguerras ( )

22 8. HM - Fascismos e política do apaziguamento

23 9. HB - A colonização da América Portuguesa ( ) 10. HM - América Latina no século XX México, Argentina, Peru e Guatemala

24 11. HM - América Latina no século XX - Cuba, Chile e Nicarágua 12. HM - O bloco socialista e o fim da Guerra Fria

25 13. PI - Relações Brasil-China ( )

O organizador. Thesaurus Editora 2009. Revisão: Fundação Alexandre Gusmão - FUNAG

O organizador. Thesaurus Editora 2009. Revisão: Fundação Alexandre Gusmão - FUNAG Thesaurus Editora 2009 O organizador Amado Luiz Cervo Professor emérito da Universidade de Brasília e Pesquisador Sênior do CNPq. Atua na área de relações internacionais e política exterior do Brasil,

Leia mais

EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Disciplina: D 3.1 Debate Contemporâneo da Gestão Pública (16h) (Aula 1: Estado,,governo e Administração Pública; mudanças de paradigmas e os desafios da gestão pública contemporânea)

Leia mais

Política externa alemã: continuidade, mudança e a sombra do passado

Política externa alemã: continuidade, mudança e a sombra do passado Política externa alemã: continuidade, mudança e a sombra do passado Análise Desenvolvimento Vinícius Tavares de Oliveira 01 de Julho de 2010 Política externa alemã: continuidade, mudança e a sombra do

Leia mais

INTEGRAÇÃO REGIONAL E DO COMÉRCIO EXTERIOR (Versão 24/10/2011)

INTEGRAÇÃO REGIONAL E DO COMÉRCIO EXTERIOR (Versão 24/10/2011) Seminário 09 A AMAZÔNIA E SUAS FRONTEIRAS NO CONTEXTO DA INTEGRAÇÃO REGIONAL E DO COMÉRCIO EXTERIOR (Versão 24/10/2011) Objetivo: Em consonância com a Política Externa do Governo Federal de Integração

Leia mais

NOBLESSE D ÉTAT: GÊNESE E ESTRUTRA DO CAMPO DIPLOMÁTICO BRASILEIRO

NOBLESSE D ÉTAT: GÊNESE E ESTRUTRA DO CAMPO DIPLOMÁTICO BRASILEIRO ANEXO I FORMULÁRIO DE PROJETO DE PESQUISA 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Título do projeto: NOBLESSE D ÉTAT: GÊNESE E ESTRUTRA DO CAMPO DIPLOMÁTICO BRASILEIRO Pesquisador responsável: Karla Gobo Contatos:

Leia mais

América: a formação dos estados

América: a formação dos estados América: a formação dos estados O Tratado do Rio de Janeiro foi o último acordo importante sobre os limites territoriais brasileiros que foi assinado em 1909, resolvendo a disputa pela posse do vale do

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CURITIBA UNICURITIBA FACULDADE DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

CENTRO UNIVERSITÁRIO CURITIBA UNICURITIBA FACULDADE DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS CENTRO UNIVERSITÁRIO CURITIBA UNICURITIBA FACULDADE DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DANNIELE VARELLA RIOS DEBORAH DONATO DE SOUZA FELIPE PENIDO PORTELA PÂMELLA ÀGATA TÚLIO ESCOLA INGLESA CURITIBA 2009 DANNIELE

Leia mais

O autor. Thesaurus Editora 2009. Revisão: Fundação Alexandre Gusmão - FUNAG

O autor. Thesaurus Editora 2009. Revisão: Fundação Alexandre Gusmão - FUNAG Thesaurus Editora 2009 O autor Amado Luiz Cervo Professor emérito da Universidade de Brasília e Pesquisador Sênior do CNPq. Atua na área de relações internacionais e política exterior do Brasil. Seus livros

Leia mais

brasil, américa latina e a união europeia diante de novas agendas globais

brasil, américa latina e a união europeia diante de novas agendas globais brasil, américa latina e a união europeia diante de novas agendas globais Miriam Gomes Saraiva O Brasil e a União Europeia são ambos fortemente comprometidos tanto com o multilateralismo global quanto

Leia mais

Mercado em Foco: Chile

Mercado em Foco: Chile Mercado em Foco: Chile EXPOMIN, 2014 Breve estudo com informações sobre as perspectivas de negócios da economia do Chile. Apresentamos também uma análise do comércio exterior de máquinas e equipamentos

Leia mais

A REPÚBLICA DEMOCRÁTICA POPULISTA (1945 1964):

A REPÚBLICA DEMOCRÁTICA POPULISTA (1945 1964): A REPÚBLICA DEMOCRÁTICA POPULISTA (1945 1964): 1. - PRINCIPAIS PARTIDOS: PSD (Partido Social Democrático): Principal partido. Criado por Getúlio Vargas. Base rural. Industriais, banqueiros e latifundiários

Leia mais

Programas de Formação Docente em Educação Musical na América Latina 1

Programas de Formação Docente em Educação Musical na América Latina 1 Programas de Formação Docente em Educação Musical na América Latina 1 Teresa Mateiro Universidade do Estado de Santa Catarina Silvia Málbran Universidad de La Plata Edith Cisneros-Cohernour Universidad

Leia mais

VERSÃO APROVADA Tradução de cortesia ANEXO 4

VERSÃO APROVADA Tradução de cortesia ANEXO 4 ANEXO 4 RELATÓRIO PRELIMINAR DO CEED AO CONSELHO DE DEFESA SUL- AMERICANO SOBRE OS TERMOS DE REFERÊNCIA PARA OS CONCEITOS DE SEGURANÇA E DEFESA NA REGIÃO SUL- AMERICANA O é uma instância de conhecimento

Leia mais

As Relações Brasil Oriente Médio (1964-1991): face à rivalidade argentina e sob a égide estadunidense.

As Relações Brasil Oriente Médio (1964-1991): face à rivalidade argentina e sob a égide estadunidense. 970 As Relações Brasil Oriente Médio (1964-1991): face à rivalidade argentina e sob a égide estadunidense. José Luiz Silva Preiss, Prof. Dr. Helder Gordim da Silveira (Orientador) PPG História - PUCRS

Leia mais

Panorama Econômico e Político da América Latina -Por que a região vai tão bem

Panorama Econômico e Político da América Latina -Por que a região vai tão bem Panorama Econômico e Político da América Latina -Por que a região vai tão bem economicamente? Thomas J Trebat Centro de Estudos Brasileiros Columbia University Junho de 2011 Uma visão mais favorável sobre

Leia mais

REPENSANDO AS RELAÇÕES BRASIL-ARGENTINA A PARTIR DA DIPLOMACIA CULTURAL (1930-1940)

REPENSANDO AS RELAÇÕES BRASIL-ARGENTINA A PARTIR DA DIPLOMACIA CULTURAL (1930-1940) REPENSANDO AS RELAÇÕES BRASIL-ARGENTINA A PARTIR DA DIPLOMACIA CULTURAL (1930-1940) Raquel Paz dos Santos - PPG-UFF Buscando um novo olhar sobre as relações entre os dois principais países sulamericanos,

Leia mais

CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS Próximo HISTÓRIA O BRASIL, O MUNDO E A PAZ NUCLEAR. Caderno 10» Capítulo 4. www.sejaetico.com.

CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS Próximo HISTÓRIA O BRASIL, O MUNDO E A PAZ NUCLEAR. Caderno 10» Capítulo 4. www.sejaetico.com. CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS HISTÓRIA O BRASIL, O MUNDO E A PAZ NUCLEAR Caderno 10» Capítulo 4 www.sejaetico.com.br CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS A experiência democrática no Brasil (1945-1964)

Leia mais

Temas Governo de Vargas 1930-1945), Populismo (1945-1964) Ditadura Militar (1964-1985) e República Nova (Redemocratização do Brasil) (1985-2010)

Temas Governo de Vargas 1930-1945), Populismo (1945-1964) Ditadura Militar (1964-1985) e República Nova (Redemocratização do Brasil) (1985-2010) Trabalho de História Recuperação _3ºAno Professor: Nara Núbia de Morais Data / /2014 Aluno: nº Ens. Médio Valor: 40 Nota: Temas Governo de Vargas 1930-1945), Populismo (1945-1964) Ditadura Militar (1964-1985)

Leia mais

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E Paternoster Square Londres ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS Francisco Cary 19 de Maio de 2011 O Mercado dos Países

Leia mais

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS 7.PROJETO PEDAGÓGICO 1º SEMESTRE DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ECONOMIA EMENTA: Conceitos Fundamentais; Principais Escolas do Pensamento; Sistema Econômico; Noções de Microeconomia; Noções de Macroeconomia;

Leia mais

Saúde e Relações Internacionais Construindo Pontes. NETHIS, Brasília, 2011 H. Jouval Jr

Saúde e Relações Internacionais Construindo Pontes. NETHIS, Brasília, 2011 H. Jouval Jr Saúde e Relações Internacionais Construindo Pontes NETHIS, Brasília, 2011 H. Jouval Jr Antecedentes I

Leia mais

O mercado de PPPs na visão do Setor Privado. Seminário Formação em Parcerias Público-Privadas 05 e 06 de Novembro de 2013 São Paulo/SP

O mercado de PPPs na visão do Setor Privado. Seminário Formação em Parcerias Público-Privadas 05 e 06 de Novembro de 2013 São Paulo/SP O mercado de PPPs na visão do Setor Privado Seminário Formação em Parcerias Público-Privadas 05 e 06 de Novembro de 2013 São Paulo/SP OS AGENTES PRIVADOS DO MERCADO DE PPPS Principais Players do Setor

Leia mais

ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015. Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014

ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015. Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014 ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015 Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014 SUMÁRIO 1. Economia Mundial e Impactos sobre o Brasil 2. A Economia Brasileira Atual 2.1. Desempenho Recente

Leia mais

Quero um empréstimo É uma ordem!

Quero um empréstimo É uma ordem! Quero um empréstimo É uma ordem! 2 de abril de 2014 Por Jesus Gonzalez-Garcia e Francesco Grigoli A participação estatal em bancos ainda é comum no mundo todo, apesar do grande número de privatizações

Leia mais

O BRASIL E O DESAFIO DO PACÍFICO. JOSÉ LUÍS FIORI. 1. Geografia e história

O BRASIL E O DESAFIO DO PACÍFICO. JOSÉ LUÍS FIORI. 1. Geografia e história O BRASIL E O DESAFIO DO PACÍFICO. JOSÉ LUÍS FIORI 1. Geografia e história Desde seu descobrimento, até o final do século XX, o Brasil foi um país estreitamente voltado e dependente do Oceano Atlântico.

Leia mais

IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO

IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO Instituições de Direito Profª Doutora Ideli Raimundo Di Tizio p 41 IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO O imposto de importação é de competência da União, é também conhecido como tarifa aduaneira. Sua função é predominantemente

Leia mais

PI Brasil e BRICS: A Construção de uma Agenda de Inserção Internacional do Sistema Brasileiro de PI

PI Brasil e BRICS: A Construção de uma Agenda de Inserção Internacional do Sistema Brasileiro de PI PI Brasil e BRICS: A Construção de uma Agenda de Inserção Internacional do Sistema Brasileiro de PI Jorge de P. C. Avila Presidente do INPI FIERGS Novembro de 2011 1. Contexto A institucionalidade da PI

Leia mais

Lista de Recuperação de Geografia 2013

Lista de Recuperação de Geografia 2013 1 Nome: nº 8ºano Manhã Prof: Francisco Castilho Lista de Recuperação de Geografia 2013 Conteúdo da recuperação: Nova Ordem Mundial e os blocos econômicos, América: clima, vegetação e população, Canadá:

Leia mais

CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL

CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL BASES COMUNS DO SISTEMA COLONIAL PACTO-COLONIAL Dominação Política Monopólio Comercial Sistema de Produção Escravista ESTRUTURA SOCIAL DAS COLONIAS ESPANHOLAS Chapetones

Leia mais

Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa

Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa Antônio Gustavo Matos do Vale Diretor de Liquidações e Desestatização 4 de outubro de 2010 1 Evolução recente da economia brasileira O momento

Leia mais

Mauá Investimentos. Confidencial

Mauá Investimentos. Confidencial Agenda Economia Mundial América Latina Brasil Como vem performando a economia mundial? Mundo cresce, com inflação controlada Juros reais historicamente baixos, e maior integração comercial Liquidez Internacional:

Leia mais

Período Populista (1945/64)

Período Populista (1945/64) Período Populista (1945/64) INTRODUÇÃO Período de Democracia, sem censura e eleições direta (o( o povo vota) para presidente. O mundo encontrava-se no Período de Guerra Fria : Capitalistas (EUA) X Socialistas

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: HISTÓRIA SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:. Compreender

Leia mais

Breve visão histórica sobre o planejamento no Brasil

Breve visão histórica sobre o planejamento no Brasil Breve visão histórica sobre o planejamento no Brasil A. Planos de desenvolvimento e de infra-estrutura (1949-1979) 1. Plano Salte (Governo Dutra, 1946-1950, desenhado em 1948, implementado a partir do

Leia mais

O papel do Estado 20/3/2012

O papel do Estado 20/3/2012 O papel do Estado Na passagem do século XIX para o século XX Função Principal do Direito e Segurança garantia da liberdade da propriedade Século XIX nenhuma interferência na ordem natural da economia O

Leia mais

Distance to frontier

Distance to frontier Boletim Informativo do Doing Business 2013: América Latina e Caribe Das 50 economias que desde 2005 mais tiveram melhorias regulamentares para facilitar a prática de fazer negócios para empresas locais,

Leia mais

OMC: estrutura institucional

OMC: estrutura institucional OMC: estrutura institucional Especial Perfil Wesley Robert Pereira 06 de outubro de 2005 OMC: estrutura institucional Especial Perfil Wesley Robert Pereira 06 de outubro de 2005 Enquanto o GATT foi apenas

Leia mais

A INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO GOVERNO LULA: o BNDES como instrumento de política externa

A INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO GOVERNO LULA: o BNDES como instrumento de política externa A INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO GOVERNO LULA: o BNDES como instrumento de política externa TAÍS RISTOFF * A ascensão do pensamento neoliberal dissolveu o amplo consenso desenvolvimentista

Leia mais

Sistema de Garantias: A Implementação de Garantias Mobiliárias

Sistema de Garantias: A Implementação de Garantias Mobiliárias Sistema de Garantias: A Implementação de Garantias Mobiliárias Nos países em desenvolvimento, um sistema que permitisse a um fazendeiro empenhar suas vacas para garantir o empréstimo para a aquisição de

Leia mais

O Itamaraty no início da Guerra Fria

O Itamaraty no início da Guerra Fria O Itamaraty no início da Guerra Fria Sydenham Lourenço Neto * Na final da Segunda Guerra Mundial o Brasil era o mais importante aliado dos Estados Unidos na América Latina, mas também era um aliado problemático,

Leia mais

Observações sobre o Reequilíbrio Fiscal no Brasil

Observações sobre o Reequilíbrio Fiscal no Brasil Observações sobre o Reequilíbrio Fiscal no Brasil Nelson Barbosa Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão 1º de junho de 2015 Cenário Macroeconômico e Reequilíbrio Fiscal O governo está elevando

Leia mais

SEM FRONTEIRAS NA AMÉRICA LATINA

SEM FRONTEIRAS NA AMÉRICA LATINA SEM FRONTEIRAS NA AMÉRICA LATINA Case vencedor do VII Prêmio ANATEC na categoria B2B Serviços BANCA ASSINATURA CUSTOMIZADA PORTFÓLIO A maior provedora de conteúdo de economia, negócios e finanças da América

Leia mais

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia e Comércio / Integração Regional Jéssica Naime 09 de setembro de 2005 Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia

Leia mais

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar)

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Somos parte de uma sociedade, que (re)produz, consome e vive em uma determinada porção do planeta, que já passou por muitas transformações, trata-se de seu lugar, relacionando-se

Leia mais

IGC Mozambique. A Dinâmica Recente da Economia Internacional e os Desafios para Moçambique

IGC Mozambique. A Dinâmica Recente da Economia Internacional e os Desafios para Moçambique IGC Mozambique A Dinâmica Recente da Economia Internacional e os Desafios para Moçambique 09 de Março de 2012 1 Introdução Uma visão retrospectiva mostra uma década que já aponta a grande clivagem da economia

Leia mais

Ação Empresarial. Crescimento Econômico Sustentado

Ação Empresarial. Crescimento Econômico Sustentado Crescimento Econômico Sustentado Abril de 2007 Crescimento Econômico Sustentado Crescer com qualidade, segurança e de modo sustentável, de forma a assegurar a geração de emprego, de renda e distribuição

Leia mais

Primeiro Semestre de 2008 Aulas: às segundas-feiras, das 16 às 20 horas EMENTA, PROGRAMA E BIBLIOGRAFIA. Ementa

Primeiro Semestre de 2008 Aulas: às segundas-feiras, das 16 às 20 horas EMENTA, PROGRAMA E BIBLIOGRAFIA. Ementa UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA UnB DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais Cursos de Mestrado e Doutorado em Relações Internacionais Disciplinas: Historiografia

Leia mais

CARTA-CIRCULAR 2.826 --------------------

CARTA-CIRCULAR 2.826 -------------------- CARTA-CIRCULAR 2.826 -------------------- Divulga relacao de operacoes e situacoes que podem configurar indicio de ocorrencia dos crimes previstos na Lei n. 9.613, de 03.03.98, e estabelece procedimentos

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A PROVA DE RECUPERAÇÃO - SIMULADO OBS: GABARITO NO FINAL DOS EXERCÍCIOS. QUALQUER DÚVIDA DEIXAR MENSAGEM NO FACEBOOK

EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A PROVA DE RECUPERAÇÃO - SIMULADO OBS: GABARITO NO FINAL DOS EXERCÍCIOS. QUALQUER DÚVIDA DEIXAR MENSAGEM NO FACEBOOK EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A PROVA DE RECUPERAÇÃO - SIMULADO OBS: GABARITO NO FINAL DOS EXERCÍCIOS. QUALQUER DÚVIDA DEIXAR MENSAGEM NO FACEBOOK 1. A vegetação varia de local para local baseada, sobretudo,

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores NÚCLEO AVANÇADO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores De acordo com a Resolução n o 1 de 08/06/2007 da CES do CNE do MEC Coordenação

Leia mais

Empresas e Mercado na CHINA atual FGV IBRACH TSINGHUA

Empresas e Mercado na CHINA atual FGV IBRACH TSINGHUA Empresas e Mercado na CHINA atual P r o g r a m a c o n j u n t o FGV IBRACH TSINGHUA Apresentação O Programa Empresas e Mercado na China Atual é uma iniciativa pioneira na América Latina promovida pelo

Leia mais

Durante. Utilize os conteúdos multimídia para ilustrar a matéria de outras formas.

Durante. Utilize os conteúdos multimídia para ilustrar a matéria de outras formas. Olá, Professor! Assim como você, a Geekie também tem a missão de ajudar os alunos a atingir todo seu potencial e a realizar seus sonhos. Para isso, oferecemos recomendações personalizadas de estudo, para

Leia mais

cabaleiro.dcs@gmail.com GESTÃO PÚBLICA Professor Daniel Cabaleiro Saldanha, M. Sc.

cabaleiro.dcs@gmail.com GESTÃO PÚBLICA Professor Daniel Cabaleiro Saldanha, M. Sc. cabaleiro.dcs@gmail.com GESTÃO PÚBLICA Professor Daniel Cabaleiro Saldanha, M. Sc. Plano de Curso ( 4h/aula) Conceitos Preliminares Evolução da Administração Pública Administração Patrimonialista Administração

Leia mais

HISTÓRIA Professores: Pedro Alexandre, Guga, André, Osvaldo

HISTÓRIA Professores: Pedro Alexandre, Guga, André, Osvaldo HISTÓRIA Professores: Pedro Alexandre, Guga, André, Osvaldo Comentário Geral Como sempre foi ressaltado em sala de aula, temas como Grécia, Idade Média, Revolução Francesa, Direitos Civis, refugiados,

Leia mais

O legado de Ruy Mauro Marini para as Ciências Sociais

O legado de Ruy Mauro Marini para as Ciências Sociais O legado de Ruy Mauro Marini para as Ciências Sociais Carlos Eduardo Martins Ruy Mauro Marini foi um dos principais cientistas sociais latino-americanos. Sua obra é marcada por uma profunda criatividade

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA SUBSTITUTIVA DE GEOGRAFIA

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA SUBSTITUTIVA DE GEOGRAFIA COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 1ª PROVA SUBSTITUTIVA DE GEOGRAFIA Aluno(a): Nº Ano: 9º Turma: Data: / /2012 Nota: Professor(a): Edvaldo Valor da Prova: 65 pontos Orientações gerais: 1)

Leia mais

Internacional Samuel Pinheiro Guimarães: A União Europeia e o fim do Mercosul

Internacional Samuel Pinheiro Guimarães: A União Europeia e o fim do Mercosul Internacional Samuel Pinheiro Guimarães: A União Europeia e o fim do Mercosul Samuel Pinheiro Guimarães postado em: 26/04/2014 Integração regional e acordos de livre comércio 1. A conveniência da participação

Leia mais

3 º D i á l o g o s d a M E I. P r o p r i e d a d e I n t e l e c t u a l Acordos Internacionais de Cooperação para Exame de Patentes

3 º D i á l o g o s d a M E I. P r o p r i e d a d e I n t e l e c t u a l Acordos Internacionais de Cooperação para Exame de Patentes 3 º D i á l o g o s d a M E I P r o p r i e d a d e I n t e l e c t u a l Acordos Internacionais de Cooperação para Exame de Patentes CICLO VIRTUOSO DA I N O VA Ç Ã O Investimento em pesquisa e desenvolvimento

Leia mais

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO - FIESP

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO - FIESP FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO - FIESP CONSELHO SUPERIOR DE COMÉRCIO EXTERIOR DA FIESP - COSCEX PALESTRA AS DIFICULDADES DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO NA ARGENTINA, VENEZUELA, EUA E

Leia mais

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME 15.06.2010 Institucional \ Breve Introdução A NEWVISION é uma empresa Portuguesa de base tecnológica, que tem como objectivo

Leia mais

Palavras- Chave: Governos Pós-neoliberais; Consenso de Brasília; Onda Rosa.

Palavras- Chave: Governos Pós-neoliberais; Consenso de Brasília; Onda Rosa. A Construção da hegemonia do Consenso de Brasília nos governos pós-neoliberais na América do Sul: a primeira década do século XXI Gabriel Sandino de Castro 1 Resumo O presente trabalho tem como objetivo

Leia mais

Educação e Mão de Obra para o Crescimento

Educação e Mão de Obra para o Crescimento Fórum Estadão Brasil Competitivo: Educação e Mão de Obra para o Crescimento Maria Alice Setubal Presidente dos Conselhos do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária Cenpece

Leia mais

Brasil e América do Sul

Brasil e América do Sul Brasil e América do Sul Brasil Linha do equador Tropico de Capricórnio O Brasil é o quinto país mais extenso e populoso do mundo. É a sétima maior economia mundial. É um país capitalista à apresenta propriedade

Leia mais

31º ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR - ENAEX EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA: MITOS E VERDADES

31º ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR - ENAEX EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA: MITOS E VERDADES 31º ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR - ENAEX PALESTRA EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA: MITOS E VERDADES JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO Rio de Janeiro, 27 de Setembro de 2012 2 DEFINIÇÃO DE SERVIÇOS

Leia mais

QUEM SOMOS VISÃO MISSÃO HISTÓRICO BRIEF INSTITUCIONAL 2013

QUEM SOMOS VISÃO MISSÃO HISTÓRICO BRIEF INSTITUCIONAL 2013 BRIEF INSTITUCIONAL 2013 QUEM SOMOS TETO é uma organização presente na América Latina e no Caribe, que busca superar a situação de pobreza em que vivem milhões de pessoas nos assentamentos precários, através

Leia mais

Master em Regulação do Comércio Global. Master in International Trade Regulation (MITRE)

Master em Regulação do Comércio Global. Master in International Trade Regulation (MITRE) Proposta de curso de pós-graduação Escola de Economia de São Paulo da FGV Master em Regulação do Comércio Global Master in International Trade Regulation (MITRE) OU Coordenadores: Vera Thorstensen (EESP)

Leia mais

Desenvolvimento e Meio Ambiente: As Estratégias de Mudanças da Agenda 21

Desenvolvimento e Meio Ambiente: As Estratégias de Mudanças da Agenda 21 Desenvolvimento e Meio Ambiente: As Estratégias de Mudanças da Agenda 21 Resenha Desenvolvimento Raíssa Daher 02 de Junho de 2010 Desenvolvimento e Meio Ambiente: As Estratégias de Mudanças da Agenda 21

Leia mais

Mestrados ENSINO PÚBLICO. 1. ISCTE Instituto Universitário de Lisboa

Mestrados ENSINO PÚBLICO. 1. ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Mestrados ENSINO PÚBLICO 1. ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Mestrado em Ciência Política O mestrado em Ciência Política tem a duração de dois anos, correspondentes à obtenção 120 créditos ECTS,

Leia mais

UMA RESPOSTA ESTRATÉGICA AOS

UMA RESPOSTA ESTRATÉGICA AOS UMA RESPOSTA ESTRATÉGICA AOS DESAFIOS DO CAPITALISMO GLOBAL E DA DEMOCRACIA Luiz Carlos Bresser-Pereira A Reforma Gerencial ou Reforma à Gestão Pública de 95 atingiu basicamente os objetivos a que se propunha

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 63 Discurso por ocasião da cerimónia

Leia mais

XLVIII Cúpula de Chefes de Estado do MERCOSUL e Estados Associados 17 de Julho de 2015

XLVIII Cúpula de Chefes de Estado do MERCOSUL e Estados Associados 17 de Julho de 2015 XLVIII Cúpula de Chefes de Estado do MERCOSUL e Estados Associados 17 de Julho de 2015 1 INTRODUÇÃO A 48ª Cúpula de Chefes de Estado do MERCOSUL e Estados Associados será realizada em Brasília, no dia

Leia mais

MEC PÓS DAMÁSIO AUTORIZADA. Programa da pós-graduação online em Relações Internacionais. pelo Portaria n. 324/2013

MEC PÓS DAMÁSIO AUTORIZADA. Programa da pós-graduação online em Relações Internacionais. pelo Portaria n. 324/2013 Departamento de Pós-Graduação em Relações Internacionais da Faculdade Damásio PÓS DAMÁSIO AUTORIZADA MEC pelo Portaria n. 324/2013 Programa da pós-graduação online em Relações Internacionais. Pós-graduação

Leia mais

Solidariedade - É uma empatia fundamental com as causas das famílias mais excluídas, que nos move a # querer estar e trabalhar junto com elas.

Solidariedade - É uma empatia fundamental com as causas das famílias mais excluídas, que nos move a # querer estar e trabalhar junto com elas. BRIEF INSTITUCIONAL 2015 QUEM SOMOS TETO é uma organização presente na América Latina e no Caribe, que busca superar a situação de pobreza em que vivem milhões de pessoas nos assentamentos precários, através

Leia mais

índice AUTONOMIA, NÃO-INDIFERENÇA E PRAGMATISMO: VETORES CONCEITUAIS DA POLÍTICA EXTERNA DO GOVERNO LULA Maria

índice AUTONOMIA, NÃO-INDIFERENÇA E PRAGMATISMO: VETORES CONCEITUAIS DA POLÍTICA EXTERNA DO GOVERNO LULA Maria índice Apresentação Pedro da Motta Veiga... 7 Política Comerciale Política Externa do Brasil AUTONOMIA, NÃO-INDIFERENÇA E PRAGMATISMO: VETORES CONCEITUAIS DA POLÍTICA EXTERNA DO GOVERNO LULA Maria Regina

Leia mais

IMF Survey. África deve crescer mais em meio a mudanças nas tendências mundiais

IMF Survey. África deve crescer mais em meio a mudanças nas tendências mundiais IMF Survey PERSPECTIVAS ECONÓMICAS REGIONAIS África deve crescer mais em meio a mudanças nas tendências mundiais Por Jesus Gonzalez-Garcia e Juan Treviño Departamento da África, FMI 24 de Abril de 2014

Leia mais

ABES VII Simpósio Internacional de Qualidade Ambiental

ABES VII Simpósio Internacional de Qualidade Ambiental ABES VII Simpósio Internacional de Qualidade Ambiental Painel: Qualidade Ambiental e a Capacitação de Recursos Humanos O Papel da Universidade na Inovação e na Capacitação de Recursos Humanos Jorge Audy

Leia mais

A INSERÇÃO INTERNACIONAL DO BRASIL E SEUS REFLEXOS PARA A DEFESA. Juliano da Silva Cortinhas Instituto Pandiá Calógeras MD

A INSERÇÃO INTERNACIONAL DO BRASIL E SEUS REFLEXOS PARA A DEFESA. Juliano da Silva Cortinhas Instituto Pandiá Calógeras MD A INSERÇÃO INTERNACIONAL DO BRASIL E SEUS REFLEXOS PARA A DEFESA Juliano da Silva Cortinhas Instituto Pandiá Calógeras MD Palestra UFMS 05/06/2013 CONTEXTO SISTÊMICO Maior complexidade da agenda internacional

Leia mais

Reforma Tributária Contribuições de um Contador, Objetivando Melhoria de Prestação de Contas

Reforma Tributária Contribuições de um Contador, Objetivando Melhoria de Prestação de Contas Reforma Tributária Contribuições de um Contador, Objetivando Melhoria de Prestação de Contas Autor: Charles B. Holland, Contador, Conselheiro do CRC-SP, Sócio Diretor da Holland Consulting, Coordenador

Leia mais

MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores

MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores Coordenação Acadêmica: Prof. Edmarson Bacelar Mota, M. A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios

Leia mais

A crise financeira mundial e os países da CPLP

A crise financeira mundial e os países da CPLP A crise financeira mundial e os países da CPLP Como podem trabalhar em conjunto contra os efeitos da crise Direcção Nacional Política Económica, Timor-Leste 1 Estrutura da Apresentação Os efeitos da crise

Leia mais

HABILIDADES PARA RECUPERAÇÃO

HABILIDADES PARA RECUPERAÇÃO Componente Curricular: Geografia Professor (a): Oberdan Araújo Ano: 6º Anos A e B. HABILIDADES 1º Bimestre Conceituar e caracterizar: espaço cultural (urbano e rural) e espaço natural. Identificar e caracterizar

Leia mais

Discurso proferido pelo Sr. Dr. Carlos de Burgo por ocasião da tomada de posse como Governador do Banco de Cabo Verde

Discurso proferido pelo Sr. Dr. Carlos de Burgo por ocasião da tomada de posse como Governador do Banco de Cabo Verde Page 1 of 5 Discurso proferido pelo Sr. Dr. Carlos de Burgo por ocasião da tomada de posse como Governador do Banco de Cabo Verde Senhor Ministro das Finanças e Planeamento, Senhores Representantes do

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo EDITAL DE SELEÇÃO DE PROFESSORES Nº1/2015 DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS A Diretora da Faculdade de Ciências Sociais da, no uso das atribuições, Faz saber que estão abertas as inscrições para

Leia mais

AMÉRICA: PROJETOS DE INTEGRAÇÃO GEOGRAFIA 8ºANO PRFª BRUNA ANDRADE

AMÉRICA: PROJETOS DE INTEGRAÇÃO GEOGRAFIA 8ºANO PRFª BRUNA ANDRADE AMÉRICA: PROJETOS DE INTEGRAÇÃO GEOGRAFIA 8ºANO PRFª BRUNA ANDRADE A FORMAÇÃO DOS ESTADOS LATINO- AMERICANOS OS PAÍSES DA AMÉRICA LATINA FORMARAM-SE A PARTIR DA INDEPENDÊNCIA DA ESPANHA E PORTUGAL. AMÉRICA

Leia mais

Cooperação Internacional no Âmbito das Nações Unidas: solidariedade versus interesses nacionais

Cooperação Internacional no Âmbito das Nações Unidas: solidariedade versus interesses nacionais Ciclo de Debates sobre Bioética, Diplomacia e Saúde Pública Cooperação Internacional no Âmbito das Nações Unidas: solidariedade versus interesses nacionais RELATÓRIO Samira Santana de Almeida 1 1. Apresentação

Leia mais

Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Geografia. Não abra o caderno antes de receber autorização.

Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Geografia. Não abra o caderno antes de receber autorização. EXAME DISCURSIVO 2ª fase 30/11/2014 GEOGRAFIA Caderno de prova Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Geografia. Não abra o caderno antes de receber autorização.

Leia mais

GEOGRAFIA. Questão 1. Analise a imagem.

GEOGRAFIA. Questão 1. Analise a imagem. Questão 1 GEOGRAFIA Analise a imagem. Fonte: casatolerancia.blogspot.com A imagem acima retrata um período importante da história do século XX, período esse que definiu um modelo de regionalização mundial

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR. Causas da dívida Empréstimos internacionais para projetar e manter grandes obras. Aquisição de tecnologia e maquinário moderno.

COMÉRCIO EXTERIOR. Causas da dívida Empréstimos internacionais para projetar e manter grandes obras. Aquisição de tecnologia e maquinário moderno. 1. ASPECTOS GERAIS Comércio é um conceito que possui como significado prático, trocas, venda e compra de determinado produto. No início do desenvolvimento econômico, o comércio era efetuado através da

Leia mais

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões.

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões. Crise na Ucrânia: dificuldades e potencialidades para o setor de carne suína e milho em Santa Catarina Glaucia Padrão, Dr.ª Analista de Economia, Epagri/Cepa Reney Dorow, Msc. Analista de Mercado, Epagri/Cepa

Leia mais

A opção brasileira por relações internacionais no âmbito Sul-Sul 1.

A opção brasileira por relações internacionais no âmbito Sul-Sul 1. Universidade do Vale do Itajaí Curso de Relações Internacionais LARI Laboratório de Análise de Relações Internacionais Região de Monitoramento: Hemisfério Sul e Brasil LARI Fact Sheet Abril de 2011 A opção

Leia mais

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Nome Desarrollo de Sistemas de Gobierno y Gestión en Empresas de Propiedad Familiar en el Perú Objetivo Contribuir

Leia mais

História B Aula 21. Os Agitados Anos da

História B Aula 21. Os Agitados Anos da História B Aula 21 Os Agitados Anos da Década de 1930 Salazarismo Português Monarquia portuguesa foi derrubada em 1910 por grupos liberais e republicanos. 1ª Guerra - participação modesta ao lado da ING

Leia mais

Organizações internacionais Regionais

Organizações internacionais Regionais Organizações internacionais Regionais Percurso 4 Geografia 9ºANO Profª Bruna Andrade e Elaine Camargo Os países fazem uniões a partir de interesses comuns. Esses interesses devem trazer benefícios aos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 93 Exposição na abertura do encontro

Leia mais

O MUNDO MENOS SOMBRIO

O MUNDO MENOS SOMBRIO O MUNDO MENOS SOMBRIO Luiz Carlos Bresser-Pereira Jornal de Resenhas n.1, março 2009: 6-7. Resenha de José Luís Fiori, Carlos Medeiros e Franklin Serrano (2008) O Mito do Colapso do Poder Americano, Rio

Leia mais

VII. Organismos Financeiros Internacionais. Fundo Monetário Internacional

VII. Organismos Financeiros Internacionais. Fundo Monetário Internacional VII Organismos Financeiros Internacionais Fundo Monetário Internacional O FMI foi criado por ocasião da Conferência de Bretton Woods, em 22 de julho de 1944. Entrou em vigor em 27 de dezembro de 1945,

Leia mais

Mestrados ENSINO PÚBLICO. 1-ISCTE Instituto Universitário de Lisboa

Mestrados ENSINO PÚBLICO. 1-ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Mestrados ENSINO PÚBLICO 1-ISCTE Instituto Universitário de Lisboa *Mestrado em Ciência Política O mestrado em Ciência Política tem a duração de dois anos, correspondentes à obtenção 120 créditos ECTS,

Leia mais

A IFC na América Latina e no Caribe CRIANDO OPORTUNIDADES

A IFC na América Latina e no Caribe CRIANDO OPORTUNIDADES A IFC na América Latina e no Caribe CRIANDO OPORTUNIDADES IFC: Sua Parceira no Investimento Sustentável A IFC, membro do Grupo Banco Mundial, é a principal instituição global de desenvolvimento dedicada

Leia mais

Assim é a Telefónica. Distribuição do EBITDA por países em 2001

Assim é a Telefónica. Distribuição do EBITDA por países em 2001 Assim é a Telefónica A aquisição da Lycos, aliada ao fato de a nova empresa Terra Lycos operar em 43 países, permitiu, por um lado, uma maior penetração nos Estados Unidos e no Canadá. Por outro lado,

Leia mais