INCAPACIDADE OU MENTIRA: NÃO IMPORTA, ISSO CUSTA DINHEIRO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INCAPACIDADE OU MENTIRA: NÃO IMPORTA, ISSO CUSTA DINHEIRO"

Transcrição

1 INCAPACIDADE OU MENTIRA: NÃO IMPORTA, ISSO CUSTA DINHEIRO Cosmo Palasio de Moraes Jr. Durante toda nossa vida profissional tínhamos apenas uma certeza: chegaria um tempo onde a prevenção de acidentes deixaria de ser uma área tratada como algo quase que folclórico e haveria a necessidade de encararmos de frente a realidade que há por detrás deste assunto. Na verdade acreditávamos na quebra de um paradigma. E parece que este tempo chegou. Não ainda com a força e intensidade necessária para fazer frente a quantidade de mortes e doentes que o trabalho inseguro e insalubre cria, mas já dando sinais através das ações regressivas da previdência que em pouco tempo as ações superficiais que muitas organizações adotam verdade seja dita muito bem embrulhadas em fortes campanhas publicitárias pouco ou nada servirão. A ausência da prevenção real e bem fundamentada e como valor de fato assumido pela organização vai começar a custar caro demais para que este caminho ate hoje tão cômodo seja mantido. Isso nos leva a vislumbrar um cenário dos mais interessantes que infelizmente muitos empresários ainda não conseguem enxergar e que pior ainda só tomarão consciência quando a primeira conta for apresentada. As questões de segurança e saúde no trabalho sempre ocuparam um espaço muito cômodo dentro da sociedade brasileira como um todo. A grande base para isso foi sempre a grande falta de oportunidades de emprego em numero compatível com a mão de obra existente, disso surgiu então a cultura do é preciso fazer para se manter

2 Não podemos deixar de mencionar que também ao longo de todo tempo em nosso pais o acesso a cidadania ou pelo menos ao conjunto de coisas mínimas que permitam viver com dignidade sempre estiveram associadas ao emprego. Estar empregado no Brasil e quase que sinônimo de ter acesso a saúde de forma mais digna, de ter credito e outros direitos mais. E para manter isso ate pela impossibilidade de escolha muitos se sujeitaram e se sujeitam a qualquer tipo de trabalho em quaisquer condições. E impossível precisar o quanto isso custou em todos os aspectos. Sem levar em conta esta premissa de tão fácil constatação seguiu-se então pelo caminho da busca de como acomodar melhor as coisas. Não era interessante e nem é que o progresso seja ameaçado pela evidenciação do custo humano que muitos vezes ele implica. De certa forma o morrer e adoecer no trabalho ficou embutido na necessidade de buscarmos o desenvolvimento e atingirmos metas sem levarmos em conta que desenvolvimento e este que precisa custar tão caro para a sociedade. Desde muito o trabalhador seguro foi visto e taxado como alguém não compromissado com o negocio gerando um imenso engano pois não há ninguém mais comprometido dentro de uma organização do que aquele que planeja e realiza sua atividade visando o mínimo de perdas. Na mesma linha e levando em conta ambientes com lideranças formadas ou forjadas apenas a partir do conceito da produção a qualquer custo prevenção de acidentes virou um penduricalho da administração, algo sobre o qual se falava e se fala muito mas que na prática se resume a formalidades na grande maioria das vezes. Em muitas organizações alias, o dinheiro gasto para produzir a sensação de interesse pela prevenção com certeza seria capaz de gerar prevenção real. Ao mesmo tempo incapaz de encarar o assunto frontalmente de assim cumprir seu papel na defesa do cidadão o estado contribuiu fortemente para a manutenção do trabalho inseguro quando apontou na direção dos adicionais para trabalhos inseguros e perigosos legitimando o trabalho inseguro e tornando-o pago.

3 Adotamos então a teoria da culpa que de forma grosseira e passando por cima de tudo que se sabe sobre a natureza humana durante décadas atribuiu ao acidentado culpa por seu infortúnio. Desta forma e sem maiores questionamentos sobre o que leva uma pessoa a dedicar 1/3 de sua vida a arte de tentar se lesionar no trabalho encobriu-se boa parte de muitas das coisas que descrevemos anteriormente e o trabalhador base e razoa final para o progresso acabou sendo muitas vezes culpado pelos possíveis problemas que gerou como inibidor deste mesmo progresso. De tudo isso estamos agora diante de um grande problema. Anos e anos de falta de estudo e analise mais realista das causas dos acidentes e doenças no trabalho não nos permitem ao menos saber com certeza quais são as reais causas destes eventos. E se não sabemos as causas, como poderemos saber como controla-las? Como faremos agora que parece será preciso de fato prevenir acidentes? Por toda parte do pais grandes organizações ainda não se deram conta do momento seguinte da história da prevenção. Seguem em nome por exemplo - do corporativismo interno tratando o assunto sem maior seriedade. Ocultam dados reais sobre as verdadeiras causas e causadores de acidentes e certamente não poderão seguir neste rumo sob pena de arcarem com os custos que eles geram. Seguem ainda chamando de distração do trabalhador o resultado de sua exaustão após jornadas prolongadas fruto de mal planejamento de suas lideranças. Continuam usando a terceirização de forma imprópria não visando a melhoria da administração estratégica do negocio visando dirigir o foco para sua atividade fim, mas como forma de reduzir custos sem qualquer critério social e o fazendo através da exposição de vidas em trabalhos perigosos sem preparo prévio verdadeiro e adequado. Começa a chegar o momento onde a preocupação com a vida humana não superficial e de fachada passa a ser parte do negócio e a tal da responsabilidade social deve começar de dentro para fora, da realidade para o papel, do direito comum para a necessidade do negocio.

4 E dai e diante e bem provável que as organizações comecem a procurar no mercado não apenas profissionais especializados para cumprir minimamente a lei. Bem provável que passemos da era da prevenção eficiente e neste ponto eficiente para gerar papeis e sistemas complicados que expliquem e justifiquem a legalidade das doenças e mortes para a prevenção eficaz esta sim capaz de garantir que o cidadão seja trabalhador e continue sendo cidadão e por isso preservado. Pode ser que isso até venha a nos levar a rever a quantidade de escolas que hoje formam especialistas em papel e também chamar a responsabilidade civil e criminal aqueles que cobram caro para usar seus títulos ou qualificações mas que jamais respondem na mesma proporção quando pela omissão causam danos a amplos a sociedade Daqui em diante tudo indica que será preciso fazer prevenção de verdade e aqueles que hoje fazem da prevenção um conjunto de programas, siglas e praticas que embora muito bem elaboradas mostram-se incapazes de resolver os problemas terão que se mexer já não haverá mais garantias pois haverá de verdade dinheiro em jogo e a sobrevivência de muitas organizações estará ameaçada. Chegou o tempo em que não faz mais diferença se a prevenção de brincadeira e por incapacidade técnica ou moral, Será preciso saber o que ocorre para prevenir de verdade e até mesmo dar os anéis para não perder os dedos. E mesmo não sendo a mais nobre das questões que levará a esta mudança de paradigma a vida agradece.

5 INSS/AM ganha terceira ação contra empresa negligente Além de ressarcir os cofres previdenciários, a ação regressiva influencia na ampliação da prevenção contra acidentes De Manaus (AM) - Todos os anos a Previdência Social gasta bilhões com pagamento de benefícios decorrentes de acidentes de trabalho. Em 2002, o INSS gastou R$ 2,752 bilhões com benefícios de acidentes de trabalho no Brasil. Em 2003 foram R$ 3,408 bilhões e, em 2004, R$ 4 bilhões. Como forma de pressionar os empregadores a ampliarem suas ações de prevenção de acidentes de trabalho, a Procuradoria Federal Especializada no Amazonas (PFE-INSS) tem ajuizado ações regressivas contra empresas negligentes, visando o ressarcimento de todas as despesas efetuadas e a efetuar pelo INSS com o pagamento de benefícios (aposentadoria por invalidez, auxíliodoença, auxílio-acidente ou pensão por morte) ou decorrentes da prestação de serviços de reabilitação profissional. No último dia 16 de agosto, a PFE-INSS do Amazonas conseguiu mais uma condenação em ação regressiva. Trata-se do processo nº , que tramitou na 2ª Vara Federal da Seção Judiciária, em Manaus. A empresa Engenharia de Manutenção Ltda. foi condenada a ressarcir todos os valores pagos a título de auxílio-doença a segurado que se acidentou em serviço de manutenção de aparelhos de ar condicionado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), no ano de O segurado Orlando Lopes Souza era empregado da ré, exercendo a função de técnico de manutenção, quando, no dia 23 de janeiro de 2002, durante atividade de inspeção de aparelhos condicionadores de ar, na área externa do prédio do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas, caiu de uma marquise de sete metros e meio de altura, sofrendo fratura exposta no joelho. A lesão ocasionada levou o segurado à incapacidade total e temporária para o trabalho. Segundo entendimento do juiz Ricardo Augusto de Sales, o acidente aconteceu em decorrência da desídia da empresa com a segurança dos operários, o que importa o dever de ressarcir aos cofres públicos, nos termos do artigo 120 da Lei nº /91. A empresa EMAC foi condenada a ressarcir os valores já pagos pelo INSS a título de auxílio doença, devidamente corrigidos e com incidência de juros de mora (cerca de R$ ,00), mais à custa dos honorários advocatícios. Ações Regressivas - A primeira ação regressiva ajuizada pela PFE-INSS do Amazonas com sentença favorável ao INSS foi a que condenou, em janeiro de 2004, a empresa Tecnologia em Construções Ltda. a ressarcir à Previdência Social todos os valores pagos a título de pensão por morte concedida em conseqüência do falecimento do segurado Raimundo Lima Braga, ocorrido em acidente de trabalho provocado pelas condições inseguras de trabalho. O segurado vítima do infortúnio perdeu o equilíbrio e caiu de um andaime enquanto trabalhava no canteiro de obras da empresa, no levantamento de alvenaria de um prédio de três andares. Considerando o valor atual do benefício e a expectativa de vida da beneficiária, segundo a tábua de mortalidade divulgada pelo IBGE, a restituição importa, estimativamente, em valores nominais atuais e sem os acréscimos decorrentes de juros e despesas processuais, a aproximadamente R$ ,00. Em maio deste ano, a Construtora Colméia S/A foi condenada a ressarcir R$ 180 mil à Previdência Social referente aos valores já pagos pelo INSS a título de pensão por morte concedida aos dependentes do segurado Pedro de Souza Santos, falecido em função de acidente de trabalho ocasionado pela negligência da empresa em cumprir as normas de segurança do trabalho.

6 O segurado, pedreiro de 42 anos, faleceu no dia 3 de janeiro de 2002 em função de uma queda do quinto pavimento de uma construção. A obra não contava com mecanismos de proteção contra quedas (proteção vertical e plataformas laterais horizontais) e o trabalhador não dispunha de equipamentos de proteção individual (cinto de segurança). A falta dos equipamentos de proteção contra quedas e de proteção individual do empregado e, ainda, a falta de treinamento e inexistência de ordem de serviço que estabelecesse a rotina de trabalho foram, segundo entendimento do juiz Antônio Francisco do Nascimento, as causas do infortúnio, resultando na sentença condenatória. No Amazonas, no período de 2002 a 2005 foram ajuizadas 18 ações regressivas, das quais apenas três foram julgadas com sentença favorável ao INSS. Atualmente, há 35 casos pendentes de conclusão probatória, dos quais aproximadamente a metade conta com chances de ajuizamento de ação regressiva. A meta da PFE/INSS para o ano de 2006 é a análise de outras 63 mortes que resultaram em pagamento do benefício pensão por morte nos anos de 2001 a 2004, com ajuizamento das ações que foram consideradas cabíveis (Maria do Carmo Pereira de Castro) Fonte: Ministério da Previdência Social Data da notícia 28/9/ :40:00 Além de ressarcir os cofres previdenciários, a ação regressiva influencia na ampliação da prevenção contra acidentes. De Manaus (AM) - Todos os anos a Previdência Social gasta bilhões com pagamento de benefícios decorrentes de acidentes de trabalho. Em 2002, o INSS gastou R$ 2,752 bilhões com benefícios de acidentes de trabalho no Brasil. Em 2003 foram R$ 3,408 bilhões e, em 2004, R$ 4 bilhões. Como forma de pressionar os empregadores a ampliarem suas ações de prevenção de acidentes de trabalho, a Procuradoria Federal Especializada no Amazonas (PFE-INSS) tem ajuizado ações regressivas contra empresas negligentes, visando o ressarcimento de todas as despesas efetuadas e a efetuar pelo INSS com o pagamento de benefícios (aposentadoria por invalidez, auxíliodoença, auxílio-acidente ou pensão por morte) ou decorrentes da prestação de serviços de reabilitação profissional. No último dia 16 de agosto, a PFE-INSS do Amazonas conseguiu mais uma condenação em ação regressiva. Trata-se do processo nº , que tramitou na 2ª Vara Federal da Seção Judiciária, em Manaus. A empresa Engenharia de Manutenção Ltda. foi condenada a ressarcir todos os valores pagos a título de auxílio-doença a segurado que se acidentou em serviço de manutenção de aparelhos de ar condicionado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), no ano de O segurado Orlando Lopes Souza era empregado da ré, exercendo a função de técnico de manutenção, quando, no dia 23 de janeiro de 2002, durante atividade de inspeção de aparelhos condicionadores de ar, na área externa do prédio do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas, caiu de uma marquise de sete metros e meio de altura, sofrendo fratura exposta no joelho. A lesão ocasionada levou o segurado à incapacidade total e temporária para o trabalho. Segundo entendimento do juiz Ricardo Augusto de Sales, o acidente aconteceu em decorrência da desídia da empresa com a segurança dos operários, o que importa o dever de ressarcir aos cofres públicos, nos termos do artigo 120 da Lei nº /91. A empresa EMAC foi condenada a ressarcir os valores já pagos pelo INSS a título de auxílio doença, devidamente corrigidos e com incidência de juros de mora (cerca de R$ ,00), mais à custa dos honorários advocatícios.

7 Ações Regressivas - A primeira ação regressiva ajuizada pela PFE-INSS do Amazonas com sentença favorável ao INSS foi a que condenou, em janeiro de 2004, a empresa Tecnologia em Construções Ltda. a ressarcir à Previdência Social todos os valores pagos a título de pensão por morte concedida em conseqüência do falecimento do segurado Raimundo Lima Braga, ocorrido em acidente de trabalho provocado pelas condições inseguras de trabalho. O segurado vítima do infortúnio perdeu o equilíbrio e caiu de um andaime enquanto trabalhava no canteiro de obras da empresa, no levantamento de alvenaria de um prédio de três andares. Considerando o valor atual do benefício e a expectativa de vida da beneficiária, segundo a tábua de mortalidade divulgada pelo IBGE, a restituição importa, estimativamente, em valores nominais atuais e sem os acréscimos decorrentes de juros e despesas processuais, a aproximadamente R$ ,00. Em maio deste ano, a Construtora Colméia S/A foi condenada a ressarcir R$ 180 mil à Previdência Social referente aos valores já pagos pelo INSS a título de pensão por morte concedida aos dependentes do segurado Pedro de Souza Santos, falecido em função de acidente de trabalho ocasionado pela negligência da empresa em cumprir as normas de segurança do trabalho. O segurado, pedreiro de 42 anos, faleceu no dia 3 de janeiro de 2002 em função de uma queda do quinto pavimento de uma construção. A obra não contava com mecanismos de proteção contra quedas (proteção vertical e plataformas laterais horizontais) e o trabalhador não dispunha de equipamentos de proteção individual (cinto de segurança). A falta dos equipamentos de proteção contra quedas e de proteção individual do empregado e, ainda, a falta de treinamento e inexistência de ordem de serviço que estabelecesse a rotina de trabalho foram, segundo entendimento do juiz Antônio Francisco do Nascimento, as causas do infortúnio, resultando na sentença condenatória. No Amazonas, no período de 2002 a 2005 foram ajuizadas 18 ações regressivas, das quais apenas três foram julgadas com sentença favorável ao INSS. Atualmente, há 35 casos pendentes de conclusão probatória, dos quais aproximadamente a metade conta com chances de ajuizamento de ação regressiva. A meta da PFE/INSS para o ano de 2006 é a análise de outras 63 mortes que resultaram em pagamento do benefício pensão por morte nos anos de 2001 a 2004, com ajuizamento das ações que foram consideradas cabíveis Maria do Carmo Pereira de Castro) Ministério da Previdência Social Data da notícia 28/9/ :40:00

AS AÇÕES REGRESSIVAS E A IMPORTÂNCIA DAS

AS AÇÕES REGRESSIVAS E A IMPORTÂNCIA DAS DEPARTAMENTO SINDICAL - DESIN AS AÇÕES REGRESSIVAS E A IMPORTÂNCIA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS BRASIL 4º em ACIDENTES FATAIS 15º EM NUMEROS DE ACIDENTES GERAIS 83 ACIDENTES A CADA HORA 3,5 MORTES DIA DADOS

Leia mais

Artigo 120, da Lei n. 8.213/91

Artigo 120, da Lei n. 8.213/91 Artigo 120, da Lei n. 8.213/91 Art. 120. Nos casos de negligência quanto às normas padrão de segurança a e higiene do trabalho indicados para a proteção individual e coletiva, a Previdência Social proporá

Leia mais

Acidente de Trabalho Aspectos gerais e prevenção

Acidente de Trabalho Aspectos gerais e prevenção Acidente de Trabalho Aspectos gerais e prevenção Cássio Ariel Moro Estatísticas No Brasil: 2003: 340.000 acidentes de trabalho; 2009: 653.000 acidentes; 2010: 723.000 acidentes, com 2.496 mortes. No Espírito

Leia mais

Acidente no Trabalho. Telmo Francisco C. Cirne Jr. Advogado Especialista em Direito Civil e Direito do Trabalho. 24/04/2013

Acidente no Trabalho. Telmo Francisco C. Cirne Jr. Advogado Especialista em Direito Civil e Direito do Trabalho. 24/04/2013 Acidente no Trabalho Telmo Francisco C. Cirne Jr. Advogado Especialista em Direito Civil e Direito do Trabalho. 24/04/2013 Atual panorama da Justiça do Trabalho (empresa x empregador): a) Defere indenização

Leia mais

AÇÕES REGRESSIVAS INSS

AÇÕES REGRESSIVAS INSS AÇÕES REGRESSIVAS INSS Salim Jorge Curiati São Paulo, 28 de outubro de 2008 Com fundamento no quanto disposto nos artigos 120 e 121 da 8.213/91 (Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social

Leia mais

Denilson Cazuza dos Santos

Denilson Cazuza dos Santos LEGISLAÇÃO E NORMAS. SEGURANÇA E MEDICINA NO TRABALHO Denilson Cazuza dos Santos denilsoncazuza@terra.com.br NORMAS APLICAVEIS CF - Constituição Federal 88 Código Civil, art. 186 e 927 Código Penal ART.

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) JUIZ(A) DO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DE (cidade/uf)

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) JUIZ(A) DO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DE (cidade/uf) Modelos Âmbito Jurídico - Contratos 00024 - Inicial de concessão de aposentadoria por invalidez B-32 EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) JUIZ(A) DO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DE (cidade/uf) Reqte.: (nome do requerente)

Leia mais

Informação de fato novo Pedido de prioridade no julgamento do feito

Informação de fato novo Pedido de prioridade no julgamento do feito EXMO. SR(A). JUIZ(A) FEDERAL DO TRABALHO DA 12ª VARA DO TRABALHO EM MANAUS-AM. Informação de fato novo Pedido de prioridade no julgamento do feito Processo nº 0001270-41.2013.5.11.0012 Autor: MINISTÉRIO

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL SEM REVISÃO n 816.560-5/8-00, da Comarca de. ARAÇATUBA, em que é apelante CARLOS JOSÉ DE OLIVEIRA sendo

APELAÇÃO CÍVEL SEM REVISÃO n 816.560-5/8-00, da Comarca de. ARAÇATUBA, em que é apelante CARLOS JOSÉ DE OLIVEIRA sendo TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO ACÓRDÃO/DEC^AOMONOCRATICA REGISTRADO(A) SOB N Vistos, relatados e discutidos estes autos de APELAÇÃO CÍVEL SEM REVISÃO n 816.560-5/8-00, da

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO SÃO PAULO APELAÇÃO COM REVISÃO N 0 574.032-0/9 - ITAPIRA Apelante: Icicla Indústria e Comércio de Papéis Ltda. Apelado: Geraldo Muroni Sobrinho DECLARAÇÃO DE VOTO RESPONSABILIDADE CIVIL. ACIDENTE DO TRABALHO. Reparação

Leia mais

R E L A T Ó R I O A EXMA. SRA. DESEMBARGADORA FEDERAL NILCÉA MARIA BARBOSA MAGGI (RELATORA CONVOCADA): É o relatório.

R E L A T Ó R I O A EXMA. SRA. DESEMBARGADORA FEDERAL NILCÉA MARIA BARBOSA MAGGI (RELATORA CONVOCADA): É o relatório. APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO 6263 - PE (20088300010216-6) PROC ORIGINÁRIO : 9ª VARA FEDERAL DE PERNAMBUCO R E L A T Ó R I O A EXMA SRA DESEMBARGADORA FEDERAL NILCÉA MARIA (RELATORA CONVOCADA): Trata-se

Leia mais

Institucional Serviços Especialidades Laboratórios Conveniados Treinamentos Clientes Localização

Institucional Serviços Especialidades Laboratórios Conveniados Treinamentos Clientes Localização 1º FORUM LISTER DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO GESTÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Antônio Sampaio Diretor Técnico INTRODUÇÃO Institucional Serviços Especialidades Laboratórios Conveniados Treinamentos

Leia mais

2ª TURMA RECURSAL JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ

2ª TURMA RECURSAL JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ 2ª TURMA RECURSAL JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ Processo nº 2010.70.60.000409-7 Relatora: Juíza Federal Andréia Castro Dias Recorrente: EDENIZE PEREIRA DA SILVA Recorrido: INSTITUTO

Leia mais

Revista de Direito das Faculdades Integradas de Jaú ISSN 2318-566X

Revista de Direito das Faculdades Integradas de Jaú ISSN 2318-566X Revista de Direito das Faculdades Integradas de Jaú ISSN 2318-566X CONCEITO LEGAL E PREVENCIONISTA DO ACIDENTE DO TRABALHO FABIO EMPKE VIANNA RESUMO Analisando as relações trabalhistas verifica-se que

Leia mais

RESPONSABILIDADE POR SALÁRIOS DE EMPREGADO CONSIDERADO INAPTO PELA EMPRESA APÓS ALTA PREVIDENCIÁRIA É DO EMPREGADOR

RESPONSABILIDADE POR SALÁRIOS DE EMPREGADO CONSIDERADO INAPTO PELA EMPRESA APÓS ALTA PREVIDENCIÁRIA É DO EMPREGADOR RESPONSABILIDADE POR SALÁRIOS DE EMPREGADO CONSIDERADO INAPTO PELA EMPRESA APÓS ALTA PREVIDENCIÁRIA É DO EMPREGADOR TRT/SP - Alta médica do INSS. Recusa do trabalhador pela empresa. Impossibilidade Data

Leia mais

A D V O G A D O S A S S O C I A D O S

A D V O G A D O S A S S O C I A D O S A D V O G A D O S A S S O C I A D O S O QUE DEVO SABER SOBRE ACIDENTES DE TRABALHO Acidentes de Trabalho são aqueles que ocorrem durante o período no qual o trabalhador está exercendo a atividade que lhe

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO Registro: 2013.0000209289 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0017770-14.2003.8.26.0224, da Comarca de Guarulhos, em que é apelante/apelado HSBC SEGUROS ( BRASIL ) S/A, são

Leia mais

APELAÇÃO DESPROVIDA. Nº 70044406015 COMARCA DE NOVA PETRÓPOLIS A C Ó R D Ã O

APELAÇÃO DESPROVIDA. Nº 70044406015 COMARCA DE NOVA PETRÓPOLIS A C Ó R D Ã O APELAÇÃO CÍVEL. ACIDENTE DE TRABALHO. SÓCIO COTISTA. CONTRIBUINTE INDIVIDUAL. AUXÍLIO-ACIDENTE. AUSÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. Sendo o autor contribuinte individual, por ser sócio cotista de empresa de responsabilidade

Leia mais

AÇÕES REGRESSIVAS. Procuradoria Federal Especializada junto ao INSS em Jundiaí/SP

AÇÕES REGRESSIVAS. Procuradoria Federal Especializada junto ao INSS em Jundiaí/SP AÇÕES REGRESSIVAS Procuradoria Federal Especializada junto ao INSS em Jundiaí/SP Necessidade Social De acordo com o anuário estatístico do ano de 2007, houve 503.890 acidentes do trabalho no Brasil e surgiu

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16/INSS/PRES, DE 27 DE MARÇO DE 2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16/INSS/PRES, DE 27 DE MARÇO DE 2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16/INSS/PRES, DE 27 DE MARÇO DE 2007 Dispõe sobre procedimentos e rotinas referentes ao Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário NTEP, e dá outras providências. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL:

Leia mais

INTRODUÇÃO AO TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

INTRODUÇÃO AO TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO INTRODUÇÃO AO TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA (Lei 8.213 de 1991 Art. 19) 1º A empresa é responsável pela adoção e uso das medidas coletivas e individuais de proteção e segurança

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DE SHOPPING CENTER EM CASO DE SUICÍDIO

RESPONSABILIDADE CIVIL DE SHOPPING CENTER EM CASO DE SUICÍDIO RESPONSABILIDADE CIVIL DE SHOPPING CENTER EM CASO DE SUICÍDIO ROBERVAL CASEMIRO BELINATI Desembargador do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Membro da 2ª Turma Criminal Professor

Leia mais

2º ENCONTRO DE CIPAs URBANITÁRIAS RESPONSABILIDADES EM ACIDENTES DE TRABALHO. Santos (SP), 24/04/12

2º ENCONTRO DE CIPAs URBANITÁRIAS RESPONSABILIDADES EM ACIDENTES DE TRABALHO. Santos (SP), 24/04/12 2º ENCONTRO DE CIPAs URBANITÁRIAS RESPONSABILIDADES EM ACIDENTES DE TRABALHO Santos (SP), 24/04/12 LEGISLAÇÃO Artigo 7. Da Constituição Federal: São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de

Leia mais

SEMINÁRIO NACIONAL DE SERVIÇO SOCIAL NA PREVIDÊNCIA SOCIAL O SERVIÇO SOCIAL E A SAÚDE DO TRABALHADOR: ATUAÇÃO NO BENEFÍCIO POR INCAPICIDADE

SEMINÁRIO NACIONAL DE SERVIÇO SOCIAL NA PREVIDÊNCIA SOCIAL O SERVIÇO SOCIAL E A SAÚDE DO TRABALHADOR: ATUAÇÃO NO BENEFÍCIO POR INCAPICIDADE SEMINÁRIO NACIONAL DE SERVIÇO SOCIAL NA PREVIDÊNCIA SOCIAL O SERVIÇO SOCIAL E A SAÚDE DO TRABALHADOR: ATUAÇÃO NO BENEFÍCIO POR INCAPICIDADE Ângela Maria Fenner Assistente Social do INSS Conselheira do

Leia mais

DIÁLOGOS SOCIAIS. Junho de 2015

DIÁLOGOS SOCIAIS. Junho de 2015 DIÁLOGOS SOCIAIS Resumo das regras das Leis nºs 13.135/2015 (MP nº 664/2014) e 13.134/2015 (MP nº 665/2014) relativas ao Ministério da Previdência Social Junho de 2015 Diálogos Sociais I. Benefícios Relacionados

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA 1.1 Aposentadoria por invalidez Destina-se aos professores cuja incapacidade ao trabalho é confirmada pelo setor de perícias médicas do INSS. Uma vez concedida

Leia mais

ACIDENTES DO TRABALHO. Caracterização administrativa e repercussões previdenciárias e trabalhistas. Cláudia Salles Vilela Vianna claudia@vvf.adv.

ACIDENTES DO TRABALHO. Caracterização administrativa e repercussões previdenciárias e trabalhistas. Cláudia Salles Vilela Vianna claudia@vvf.adv. ACIDENTES DO TRABALHO Caracterização administrativa e repercussões previdenciárias e trabalhistas Cláudia Salles Vilela Vianna claudia@vvf.adv.br Acidente do Trabalho Lei 8.213/91, art. 19: Ocorre pelo

Leia mais

TURMA RECURSAL. 1 Juizados Especiais Federais Seção Judiciária do Paraná. I Relatório

TURMA RECURSAL. 1 Juizados Especiais Federais Seção Judiciária do Paraná. I Relatório 1 Autos n.º 2003.70.09.003006-3 Recorrente: Luiz Carlos Bucholdz Recorrido: Instituto Nacional do Seguro Social INSS Origem: Juizado Especial Federal de Ponta Grossa - SJPR Relator: Juiz Federal Marcos

Leia mais

RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES

RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES RECENTES DÚVIDAS DO REGIME PRÓPRIO FORMULADAS PELOS SERVIDORES DE AMERICANA - PROFESSORES 1) Já completei 25 anos como professora em sala de aula, tenho hoje 45 anos de idade, com esta idade vou aposentar

Leia mais

Disciplina: Saúde e Trabalho

Disciplina: Saúde e Trabalho Disciplina: Saúde e Trabalho AULA: ACIDENTES DE TRABALHO Isabel Braga Rio de Janeiro Setembro / 2010 Definição: Acidente de trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, ou ainda

Leia mais

TERCEIRA TURMA RECURSAL JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ

TERCEIRA TURMA RECURSAL JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ Processo nº 200970590073909 Relatora: Juíza Federal Ana Carine Busato Daros Recorrente: Pedro Raimundo Miranda Recorrido: Instituto Nacional do Seguro Social INSS VOTO Dispensado o relatório, nos termos

Leia mais

AÇÕES COLETIVAS PREVIDENCIÁRIAS SINPRO/RS. a) Repetição de Indébito incidência de contribuição previdenciária em verba indenizatória

AÇÕES COLETIVAS PREVIDENCIÁRIAS SINPRO/RS. a) Repetição de Indébito incidência de contribuição previdenciária em verba indenizatória AÇÕES COLETIVAS PREVIDENCIÁRIAS SINPRO/RS a) Repetição de Indébito incidência de contribuição previdenciária em verba indenizatória A contribuição previdenciária só incide sobre o salário (espécie) e não

Leia mais

Série Concursos Públicos Direito Previdenciário Wagner Balera Cristiane Miziara Mussi 11ª para 12ª edição

Série Concursos Públicos Direito Previdenciário Wagner Balera Cristiane Miziara Mussi 11ª para 12ª edição p. 32 Substituir pelo texto abaixo: 45. 2009 (15/06) Ratificada pelo Brasil, a Convenção 102, de 1952, da OIT, aprovada pelo Decreto Legislativo 269, de 19.09.2008, do Congresso Nacional. 1 46. 2011 Lei

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 1ª TURMA RECURSAL JUÍZO C

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 1ª TURMA RECURSAL JUÍZO C JUIZADO ESPECIAL (PROCESSO ELETRÔNICO) Nº200870530002293/PR RELATORA : Juíza Márcia Vogel Vidal de Oliveira RECORRENTE : NILVA SGARBOZA SANCHES RECORRIDO : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL 200870530002293

Leia mais

Resumo das regras nas medidas provisórias nº 664 e nº 665

Resumo das regras nas medidas provisórias nº 664 e nº 665 Resumo das regras nas medidas provisórias nº 664 e nº 665 Cenário Aumentou o emprego e a formalização: 15,5 milhões no setor privado de 2003 a 2013 Base de segurados da previdência aumentou em 30 milhões

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. INTRODUÇÃO O direito previdenciário é o ramo do Direito que disciplina a estrutura das organizações, o custeio, os benefícios e os beneficiários do sistema previdenciário. A

Leia mais

PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS. Benefícios e Serviços

PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS. Benefícios e Serviços Seguridade Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 20 PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS Benefícios e Serviços As prestações compreendidas pelo Regime Geral de Previdência Social são expressas em benefícios

Leia mais

II SEMINÁRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO NA SME

II SEMINÁRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO NA SME Prefeitura Municipal de Curitiba Instituto Municipal de Administração Pública - IMAP Plano de Desenvolvimento de Competências II SEMINÁRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO NA SME Curitiba 2009 Beto Richa Prefeito

Leia mais

ANÁLISE DE ACIDENTES DE TRABALHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL DE CRICIÚMA/SC NO PERÍODO DE 2012 E 2013 ESTUDO DE CASO

ANÁLISE DE ACIDENTES DE TRABALHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL DE CRICIÚMA/SC NO PERÍODO DE 2012 E 2013 ESTUDO DE CASO ANÁLISE DE ACIDENTES DE TRABALHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL DE CRICIÚMA/SC NO PERÍODO DE 2012 E 2013 ESTUDO DE CASO RESUMO Cindi Niero Mazon (1), Clóvis Norberto Savi (2); UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL E PENAL NA ÁREA DA SEGURANÇA DO TRABALHO

RESPONSABILIDADE CIVIL E PENAL NA ÁREA DA SEGURANÇA DO TRABALHO RESPONSABILIDADE CIVIL E PENAL NA ÁREA DA SEGURANÇA DO TRABALHO RESPONSABILIDADE CIVIL E CRIMINAL DECORRENTE DE ACIDENTES DE TRABALHO Constituição Federal/88 Art.1º,III A dignidade da pessoa humana. art.5º,ii

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 4.381-A, DE 2012 (Do Sr. Amauri Teixeira)

PROJETO DE LEI N.º 4.381-A, DE 2012 (Do Sr. Amauri Teixeira) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 4.381-A, DE 2012 (Do Sr. Amauri Teixeira) Acrescenta art. 17-A à Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006, que cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar

Leia mais

Apartir de 2005, a Justiça do Trabalho passou a julgar as ações indenizatórias

Apartir de 2005, a Justiça do Trabalho passou a julgar as ações indenizatórias PALESTRA DO MINISTRO CARLOS ALBERTO REIS DE PAULA ABERTURA DO II SEMINÁRIO NACIONAL DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO 18.09.2013 Carlos Alberto Reis de Paula * Apartir de 2005, a Justiça do Trabalho

Leia mais

SAT, NTEP E FAP. Decreto Nº 6.042: NTEP & FAP - Como se Preparar e Atuar Frente à Nova Legislação

SAT, NTEP E FAP. Decreto Nº 6.042: NTEP & FAP - Como se Preparar e Atuar Frente à Nova Legislação SAT, NTEP E FAP Decreto Nº 6.042: NTEP & FAP - Como se Preparar e Atuar Frente à Nova Legislação SAT, NTEP E FAP Airton Kwitko: Médico. Consultor de Empresas. Colunista da Revista CIPA (Coluna "O Ruído

Leia mais

Média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, multiplicado pelo fator previdenciário.

Média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, multiplicado pelo fator previdenciário. 1) Cálculo de Benefícios - Continuação 1.1) Aposentadoria por tempo de contribuição Média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição, multiplicado pelo fator previdenciário. Fator Previdenciário

Leia mais

SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO. Repercussão Trabalhista, Previdenciária, Cível e Penal

SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO. Repercussão Trabalhista, Previdenciária, Cível e Penal SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Repercussão Trabalhista, Previdenciária, Cível e Penal ÓBITOS NO MUNDO METODOLOGIA OIT BRASIL - 2009 92,7 milhões 2.496 ÓBITOS 2,693 BRASIL - 2008 92,4 milhões 2.817 ÓBITOS

Leia mais

Medidas Provisórias nº 664 e nº 665

Medidas Provisórias nº 664 e nº 665 Medidas Provisórias nº 664 e nº 665 Perguntas e respostas Ministério da Previdência Social Auxílio-Doença Benefício pago ao segurado em caso de incapacitação temporária para o trabalho por doença ou acidente

Leia mais

A D V O G A D O S A S S O C I A D O S

A D V O G A D O S A S S O C I A D O S A D V O G A D O S A S S O C I A D O S QUEM É SEGURADO PELO INSS? É toda pessoa que contribui para a Previdência Social, mantida pelo INSS. Podem também ser beneficiários do Regime Geral da Previdência

Leia mais

1. Acidentes de trânsito: estatísticas

1. Acidentes de trânsito: estatísticas 1. Acidentes de trânsito: estatísticas Aula Interdisciplinar Indicação: 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental Mais de 50.000 mortos por ano e de 500.000 feridos. Este é o resultado da violência do trânsito

Leia mais

Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças Relacionados ao Trabalho

Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças Relacionados ao Trabalho Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças Relacionados ao Trabalho 28/04/2015 EDUARDO FERREIRA ARANTES Gerente Executivo de Qualidade de Vida A GESTÃO INTEGRADA DE SEGURANÇA, SAÚDE E QUALIDADE

Leia mais

Curso de Extensão em Direito Previdenciário

Curso de Extensão em Direito Previdenciário Curso de Extensão em Direito Previdenciário Benefícios Previdenciários em Espécie Benefícios a serem estudados no dia: 1) Benefícios decorrentes de sinistros: a) Auxílio-doença b) Auxílio-acidente c) Aposentadoria

Leia mais

SENTENÇA. Processo Digital nº: 1059894-56.2015.8.26.0100 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Rescisão do contrato e devolução do dinheiro

SENTENÇA. Processo Digital nº: 1059894-56.2015.8.26.0100 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Rescisão do contrato e devolução do dinheiro fls. 332 SENTENÇA Processo Digital nº: 1059894-56.2015.8.26.0100 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Rescisão do contrato e devolução do dinheiro Requerente: Marcelo Monea e outro Requerido: Vila

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Prevenção das Lesões por Esforços Repetitivos L E R

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Prevenção das Lesões por Esforços Repetitivos L E R SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Prevenção das Lesões por Esforços Repetitivos L E R O QUE SÃO AS LESÕES POR ESFORÇOS REPETITIVOS LER são doenças do trabalho provocadas pelo uso inadequado e excessivo do

Leia mais

DIREITO DAS OBRIGAÇÕES NO NOVO CÓDIGO CIVIL ASPECTOS DA RESPONSABILIDADE CIVIL POR ACIDENTES DO TRABALHO

DIREITO DAS OBRIGAÇÕES NO NOVO CÓDIGO CIVIL ASPECTOS DA RESPONSABILIDADE CIVIL POR ACIDENTES DO TRABALHO DIREITO DAS OBRIGAÇÕES NO NOVO CÓDIGO CIVIL ASPECTOS DA RESPONSABILIDADE CIVIL POR ACIDENTES DO TRABALHO FLÁVIO LANDI (*) A Lei n. 10.406, publicada aos 11.1.2002, com vacatio legis de um ano, instituiu

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL E CRIMINAL POR ACIDENTE DOTRABALHO

RESPONSABILIDADE CIVIL E CRIMINAL POR ACIDENTE DOTRABALHO RESPONSABILIDADE CIVIL E CRIMINAL POR ACIDENTE DOTRABALHO ALGUMAS LEIS QUE VAMOS CONHECER Lei 8213 / 91 LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA CLT CÓDIGO CIVIL (ALTERADO EM JANEIRO / 2003) CÓDIGO PENAL NOVO CÓDIGO

Leia mais

Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho. M. J. Sealy

Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho. M. J. Sealy Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho O Conceito de Acidente de Trabalho (de acordo com a Lei 8.213/91 Art. 19) Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço

Leia mais

PROCESSO: 0046800-32.2006.5.01.0064 RO

PROCESSO: 0046800-32.2006.5.01.0064 RO Acórdão 10a Turma RECURSO ORDINÁRIO. DOENÇA PROFISSIONAL. AUSÊNCIA DO NEXO DE CAUSALIDADE. PROVA PERICIAL. Para se reconhecer a doença profissional, o que é possível mesmo após a ruptura do contrato, ainda

Leia mais

CADASTRO DE CLIENTES

CADASTRO DE CLIENTES 1/5 Aposentadoria Rural CADASTRO DE CLIENTES Aposentadoria por Invalidez Pensão Rural LOAS Salário Maternidade PERGUNTAS: Tempo de Trabalho na Zona Rural, Laudo Médico, INCRA, ITR, Sindicato, Notas Fiscais,

Leia mais

ASSUNTOS PREVIDENCIÁRIOS ASSUNTOS TRABALHISTAS ANO XXI - 2010-3ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 47/2010

ASSUNTOS PREVIDENCIÁRIOS ASSUNTOS TRABALHISTAS ANO XXI - 2010-3ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 47/2010 ANO XXI - 2010-3ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 47/2010 ASSUNTOS PREVIDENCIÁRIOS CAT - CADASTRO DA COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO - CONSIDERAÇÕES Introdução - Conceito - Cuidados

Leia mais

O fator acidentário previdenciário (FAP) e o nexo técnico epidemiológico (NTE)

O fator acidentário previdenciário (FAP) e o nexo técnico epidemiológico (NTE) Página 1 de 5 O fator acidentário previdenciário (FAP) e o nexo técnico epidemiológico (NTE) Texto extraído do Jus Navigandi http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=10065 Leonardo Bianchini Morais

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS Nº 31, DE 10 DE SETEMBRO DE 2008

INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS Nº 31, DE 10 DE SETEMBRO DE 2008 INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS Nº 31, DE 10 DE SETEMBRO DE 2008 Dispõe sobre procedimentos e rotinas referentes ao Nexo Técnico Previdenciário, e dá outras providências. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei nº 8.212, de

Leia mais

ACIDENTES DO TRABALHO SMS

ACIDENTES DO TRABALHO SMS ACIDENTES DO TRABALHO SMS Acidente do trabalho CONCEITO LEGAL: De acordo com o Art. 19 da Lei 8.213/91: Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão

Leia mais

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 2 1 - CONCEITOS PERIGOS, RISCOS E MEDIDAS DE CONTROLE 2 CONCEITO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 2 1 - CONCEITOS PERIGOS, RISCOS E MEDIDAS DE CONTROLE 2 CONCEITO DE SEGURANÇA DO TRABALHO MÓDULO 2 1 - CONCEITOS PERIGOS, RISCOS E MEDIDAS DE CONTROLE 2 CONCEITO DE SEGURANÇA DO TRABALHO 3 ACIDENTE DO TRABALHO 4 SITUAÇÕES ANORMAIS NO INTERIOR DA UO 1 - Conceito de Perigo, Risco É a fonte ou

Leia mais

PROCESSO: 0001344-03.2010.5.01.0005 - RTOrd

PROCESSO: 0001344-03.2010.5.01.0005 - RTOrd PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO Gab Des Rosana Salim Villela Travesedo Av. Presidente Antonio Carlos, 251 6o. andar Castelo Rio de Janeiro 20020-010

Leia mais

NO BRASIL No Brasil, os acidentes de trabalho causam cerca de 3.000 mortes por ano. No ano de 2009 foram 733.365 trabalhadores acidentados no trabalho e em 2010 tivemos 701.496 (menos 31.869) Destaco que

Leia mais

Palestra: Atualizações trabalhista e previdenciária 2015

Palestra: Atualizações trabalhista e previdenciária 2015 Palestra: Atualizações trabalhista e previdenciária 2015 Professor: Johnatan Abreu março de 2015 INTRODUÇÃO Principais mudanças para 2015 1 MP 664 Alterações Previdenciária; 2 MP 665 Alterações Trabalhista;

Leia mais

1 A SEGURIDADE SOCIAL NO BRASIL

1 A SEGURIDADE SOCIAL NO BRASIL Sumário Coleção Sinopses para Concursos... 13 Nota do autor 4ª edição... 15 Nota do autor 3ª edição... 17 Nota do autor 2ª edição... 19 Nota do autor 1ª edição... 21 Guia de leitura da Coleção... 23 Capítulo

Leia mais

Seguros FIPI e EPL Rafael Domingues

Seguros FIPI e EPL Rafael Domingues Seguros FIPI e EPL Rafael Domingues Seguro FIPI Rafael Domingues FIPI CONTEXTO A Instituições financeiras estão cada vez mais expostas a reclamações decorrentes da prestação de serviços profissionais;

Leia mais

PORTARIA CONJUNTA PGF/INSS Nº 06, DE 18 DE JANEIRO DE 2013 (DOU DE 01/02/2013 Seção I Pág.24)

PORTARIA CONJUNTA PGF/INSS Nº 06, DE 18 DE JANEIRO DE 2013 (DOU DE 01/02/2013 Seção I Pág.24) PORTARIA CONJUNTA PGF/INSS Nº 06, DE 18 DE JANEIRO DE 2013 (DOU DE 01/02/2013 Seção I Pág.24) Dispõe sobre as ações regressivas previdenciárias. O PROCURADOR-GERAL FEDERAL, no uso da competência de que

Leia mais

Caderno sobre Saúde, Meio Ambiente e Segurança do Trabalho

Caderno sobre Saúde, Meio Ambiente e Segurança do Trabalho Caderno sobre Saúde, Meio Ambiente e Segurança do Trabalho Apresentação Houve um tempo em que o dinheiro e o trabalho humano viviam em luta. Sem acordo, esses importantes polos do desenvolvimento não negociavam

Leia mais

Responsabilidades do Empregador

Responsabilidades do Empregador Responsabilidades do Empregador RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA trabalhador poderá exigir que a obrigação seja satisfeita integralmente por um dos coobrigados (p.ex.: grupo de empresas, empreiteiros) RESPONSABILIDADE

Leia mais

O Fator Acidentário Previdenciário (FAP) e o Nexo Técnico Epidemiológico (NTE) - Leonardo Bianchini Morais

O Fator Acidentário Previdenciário (FAP) e o Nexo Técnico Epidemiológico (NTE) - Leonardo Bianchini Morais O Fator Acidentário Previdenciário (FAP) e o Nexo Técnico Epidemiológico (NTE) - Leonardo Bianchini Morais MORAIS, Leonardo Bianchini. O Fator Acidentário Previdenciário (FAP) e o Nexo Técnico Epidemiológico

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Trabalhadores Lesionados Luiz Salvador* Uma verdadeira tragédia nacional está atingindo milhares de trabalhadores que sofrem lesões no trabalho. Eles tem sido descartados e substituídos

Leia mais

2 Evolução Legislativa da Previdência Social no Brasil, 4 Quadro esquemático, 8 Questões, 12

2 Evolução Legislativa da Previdência Social no Brasil, 4 Quadro esquemático, 8 Questões, 12 Nota, xi 1 Origens da Seguridade Social, 1 1.1 Poor Law, 1 1.2 Seguros privados, 2 1.3 Seguros sociais, 2 Quadro esquemático, 3 2 Evolução Legislativa da Previdência Social no Brasil, 4 Quadro esquemático,

Leia mais

PARTICIPE! A participação é da responsabilidade de todos os médicos DOENÇAS PROFISSIONAIS. Seja ativo no combate às

PARTICIPE! A participação é da responsabilidade de todos os médicos DOENÇAS PROFISSIONAIS. Seja ativo no combate às PARTICIPE! Seja ativo no combate às DOENÇAS PROFISSIONAIS A participação é da responsabilidade de todos os médicos DOENÇA PROFISSIONAL Toda a doença contraída pelo trabalhador na sequência de uma exposição

Leia mais

A CONTRA-REFORMA DA PREVIDÊNCIA. Denise Lobato Gentil Instituto de Economia/Universidade Federal do Rio de Janeiro

A CONTRA-REFORMA DA PREVIDÊNCIA. Denise Lobato Gentil Instituto de Economia/Universidade Federal do Rio de Janeiro A CONTRA-REFORMA DA PREVIDÊNCIA Denise Lobato Gentil Instituto de Economia/Universidade Federal do Rio de Janeiro Resultado do ajuste fiscal: Dados acumulados de janeiro a agosto/2015 revelam deterioração

Leia mais

AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR ACIDENTE DE TRABALHO CONTRA EMPREGADOR

AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR ACIDENTE DE TRABALHO CONTRA EMPREGADOR AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR ACIDENTE DE TRABALHO CONTRA EMPREGADOR (Acidente do trabalho, obrigação de indenizar, objeto da indenização devida a empregado, objeto da indenização devida a familiar de empregado

Leia mais

2ª TURMA RECURSAL JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ

2ª TURMA RECURSAL JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ 2ª TURMA RECURSAL JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ Processo nº 2009.70.50.017348-0 Relatora: Juíza Federal Andréia Castro Dias Recorrente: ANDREA MARCHAND BONILAURI Recorrido: INSTITUTO

Leia mais

CUSTO DOS ACIDENTES CUSTO DOS ACIDENTES E A ECONOMIA QUE O SESMT PROPORCIONA ÀS S EMPRESAS

CUSTO DOS ACIDENTES CUSTO DOS ACIDENTES E A ECONOMIA QUE O SESMT PROPORCIONA ÀS S EMPRESAS CUSTO DOS ACIDENTES CUSTO DOS ACIDENTES E A ECONOMIA QUE O SESMT PROPORCIONA ÀS S EMPRESAS O SESMT se auto financia e dá lucro às empresas. Não é difícil provar como, mas não se está conseguindo fazê-lo.

Leia mais

INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA

INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA INSTITUIÇÕES DE DIREITO PUBLICO E PRIVADO MÓDULO 18 COMPETÊNCIA Índice 1. Competência...3 1.1. Critérios Objetivos... 3 1.1.1. Critérios Subjetivos... 4 1.1.2. Competência Territorial... 4 2. Dos Processos...4

Leia mais

SUMÁRIO INTRODUÇÃO...

SUMÁRIO INTRODUÇÃO... SUMÁRIO INTRODUÇÃO......... CAPÍTULO 1.... 1.1 Petições iniciais - concessão de benefícios.... 1.1.1 Aposentadoria especial...,.... 1.1.2 Aposentadoria por tempo de contribuição.... 1.1. 3 Aposentadoria

Leia mais

Ações Judiciais Perícia Médica Previdenciária. O INSS é o maior litigante da Justiça Brasileira

Ações Judiciais Perícia Médica Previdenciária. O INSS é o maior litigante da Justiça Brasileira Ações Judiciais O INSS é o maior litigante da Justiça Brasileira INSS - RGPS Segundo Maior Orçamento da LDO Peso na Previdência Em 1995, de cada 22 benefícios pagos pelo RGPS, apenas UM era por incapacidade.

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: SUPREV 2- CÓDIGO: 00984 3- RAZÃO SOCIAL: SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA SUPLEMENTAÇAO PREVIDENCIARIA

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: SUPREV 2- CÓDIGO: 00984 3- RAZÃO SOCIAL: SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA SUPLEMENTAÇAO PREVIDENCIARIA FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 8 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 19.810.009-92 - PLANO DE BENEFÍCIOS N.º 001 - BROOKLYN 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA

Leia mais

PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO CONCURSO PARA PROCURADOR DO MUNICÍPIO SEGUNDA FASE PROVA DISSERTATIVA

PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO CONCURSO PARA PROCURADOR DO MUNICÍPIO SEGUNDA FASE PROVA DISSERTATIVA PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO CONCURSO PARA PROCURADOR DO MUNICÍPIO SEGUNDA FASE PROVA DISSERTATIVA Direito Tributário e Financeiro, Direito Civil e Processual Civil, Direito do Trabalho e Processual

Leia mais

Impactos dos Acidentes do Trabalho e Afastamentos Previdenciários

Impactos dos Acidentes do Trabalho e Afastamentos Previdenciários Impactos dos Acidentes do Trabalho e Afastamentos Previdenciários Gustavo Nicolai Gerente de Saúde e Medicina Ocupacional 1. Sistema de Gestão Integrada de QMSR Ciência 2. Política de QMSR 3. Estrutura

Leia mais

DECISÃO MONOCRÁTICA CONTRATO DE SEGURO DE VIDA E INVALIDEZ PERMANENTE EM GRUPO. PRESCRIÇÃO. INOCORRÊNCIA. SEGURADO COM LESÃO NEUROLÓGICA QUE

DECISÃO MONOCRÁTICA CONTRATO DE SEGURO DE VIDA E INVALIDEZ PERMANENTE EM GRUPO. PRESCRIÇÃO. INOCORRÊNCIA. SEGURADO COM LESÃO NEUROLÓGICA QUE DÉCIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO N.º 0402603-95.2008.8.19.0001 APELANTE: SULAMÉRICA SEGUROS DE VIDA E PREVIDENCIA APELADO: FRANCISCO DE SOUZA COELHO JUNIOR RELATOR: DES. LINDOLPHO MORAIS MARINHO DECISÃO

Leia mais

1. Introdução. Capitalização FENASEG no ano de 2005. 2 Tábuas de mortalidade construídas com base na população norte americana.

1. Introdução. Capitalização FENASEG no ano de 2005. 2 Tábuas de mortalidade construídas com base na população norte americana. 1. Introdução O mercado segurador vem ganhando importância no cenário econômico brasileiro, representando hoje, aproximadamente 3,5% do PIB 1, sendo que 1,6% refere-se ao segmento de pessoas, ou seja,

Leia mais

Fator Acidentário de Prevenção - FAP

Fator Acidentário de Prevenção - FAP Fator Acidentário de Prevenção - FAP Lei nº 10.666 De 8 de maio de 2003. quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010 Constituição Federal Direitos e Garantias Fundamentais (Título II) Direitos Sociais (Capítulo

Leia mais

GOUVÊA FRANCO ADVOGADOS

GOUVÊA FRANCO ADVOGADOS O DIREITO DE REGRESSO DO INSS: ACIDENTES DE TRABALHO E A LEI Nº 8.213/91 Introdução: Recentemente, por todo o Brasil, constata-se na Justiça Federal o crescente aumento de ações regressivas propostas pelo

Leia mais

PROPOSTAS DE ENUNCIADOS SOBRE PERÍCIAS JUDICIAIS EM ACIDENTE DO TRABALHO E DOENÇAS OCUPACIONAIS

PROPOSTAS DE ENUNCIADOS SOBRE PERÍCIAS JUDICIAIS EM ACIDENTE DO TRABALHO E DOENÇAS OCUPACIONAIS PROPOSTAS DE ENUNCIADOS SOBRE PERÍCIAS JUDICIAIS EM ACIDENTE DO TRABALHO E DOENÇAS OCUPACIONAIS 1. PRINCÍPIO DA PARTICIPAÇÃO DO MAGISTRADO. ATUAÇÃO COLABORATIVA. Tendo em vista os termos do artigo 225

Leia mais

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator RECURSO INOMINADO Nº 2006.3281-7/0, DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA COMARCA DE FAZENDA RIO GRANDE RECORRENTE...: EDITORA ABRIL S/A RECORRIDO...: RAFAELA GHELLERE DAL FORNO RELATOR...: J. S. FAGUNDES CUNHA

Leia mais

Breves Considerações sobre o Superendividamento

Breves Considerações sobre o Superendividamento 116 Breves Considerações sobre o Superendividamento Luiz Eduardo de Castro Neves 1 O empréstimo de valores é realizado com a cobrança de juros, de forma a permitir uma remuneração pelo valor emprestado.

Leia mais

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de MEDIDA PROVISÓRIA Nº 664 DE 30.12.2014 (DOU 30.12.2014 ED. EXTRA; REP. DOU DE 02.01.2015) Altera as Leis nº 8.213, de 24 de julho de 1991, nº 10.876, de 2 junho de 2004,nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990,

Leia mais

Vanessa Dall Inha Rachadel

Vanessa Dall Inha Rachadel Vanessa Dall Inha Rachadel PROJETO: Gestão do Planejamento Previdenciário 46.000 Participantes 75 mil Beneficiários protegidos 15 bilhões Capital segurado R$ 1,4 bilhões em Patrimônio Administrado 50 Funcionários

Leia mais

Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes.

Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes. CARTILHA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO O REGIME GERAL DA PREVIDENCIA SOCIAL É REGIDO PELAS LEIS 8.212 E 8.213/91 E TEM POR FINALIDADE ASSEGURAR À SEUS FILIADOS RECEBER BENEFÍCIOS QUE SUBSTITUAM SUA RENDA.

Leia mais

CONSEQÜÊNCIAS DO NÃO ATENDIMENTO AS NORMAS DOS PROGRAMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA

CONSEQÜÊNCIAS DO NÃO ATENDIMENTO AS NORMAS DOS PROGRAMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA ! "#$ " %'&)(*&)+,.- /10.2*&4365879&4/1:.+58;.2*=?5.@A2*3B;.- C)D 5.,.5FE)5.G.+ &4- (IHJ&?,.+ /?=)5.KA:.+5MLN&OHJ5F&4E)2*EOHJ&)(IHJ/)G.- D - ;./);.& CONSEQÜÊNCIAS DO NÃO ATENDIMENTO AS NORMAS DOS PROGRAMAS

Leia mais

Relatório de Atividades

Relatório de Atividades Relatório de Atividades 2009 SUMÁRIO 6º ENPRESC -------------------------------------------------------------- 03 Troféu Destaque Social 2009-------------------------------------------06 Fotos do Evento----------------------------------------------------------

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [10.530.382/0001-19] FUNDO DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE PERNAMBUCO-ALEPEPREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2008.0048-56] ALEPEPREV ENCERRAMENTO

Leia mais

Email enviado em 09/09/2015 pedindo a presidente Dilma Rousseff pedindo mudanças no REDOM

Email enviado em 09/09/2015 pedindo a presidente Dilma Rousseff pedindo mudanças no REDOM Email enviado em 09/09/2015 pedindo a presidente Dilma Rousseff pedindo mudanças no De: Mario Avelino [mailto:marioavelino@domesticalegal.org.br] Enviada em: quarta-feira, 9 de setembro de 2015 23:50 Para:

Leia mais

b. Acidente em viagem a serviço da empresa; d. Doenças profissionais (provocadas pelo tipo de trabalho);

b. Acidente em viagem a serviço da empresa; d. Doenças profissionais (provocadas pelo tipo de trabalho); ASPECTOS LEGAIS SOBRE A SEGURANÇA D O TRABALHO E SUA IMPLICAÇÃO PARA A EMPRESA NA SUA GESTÃO JURÍDICA. SEGURANÇA DO TRABALHO São os conjuntos de medidas que são adotadas visando minimizar os acidentes

Leia mais