CALORIMETRIA - EXERCÍCIOS E TESTES DE VESTIBULARES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CALORIMETRIA - EXERCÍCIOS E TESTES DE VESTIBULARES"

Transcrição

1 CALORIMETRIA - EXERCÍCIOS E TESTES DE VESTIBULARES 1. (UFV-96) Ao derramarmos éter sobre a pele, sentimos uma sensação de resfriamento em conseqüência de: a. o éter penetrar nos poros, congelando imediatamente os vasos sangüíneos. b. o éter, por ser líquido, encontrar-se a uma temperatura inferior à da pele. c. o éter limpar a pele, permitindo maior troca de calor com o ambiente d. a pele fornecer ao éter a energia responsável por sua mudança de fase. e. o éter contrair os pêlos, proporcionando a sensação de resfriamento. 2. (UFV-95) Três corpos de massas diferentes, um de madeira, um de porcelana e outro de alumínio, são colocados em um forno mantido em temperatura constante. Após ter atingido o equilíbrio térmico, a relação entre as temperaturas T M da madeira, T P da porcelana e T A do alumínio será: a. T M = T P = T A b. T M < T P < T A c. T M = T P < T A d. T M > T P = T A e. T M > T P > T A 3. (UFMG-97) Um cozinheiro quer comprar uma panela que esquente rápida e uniformemente. Ele deve procurar uma panela feita de um material que tenha a. b. alto calor específico e alta condutividade térmica. c. d. alto calor específico e baixa condutividade térmica. e. f. baixo calor específico e alta condutividade térmica. g. h. baixo calor específico e baixa condutividade térmica. 4. (FELA-96) O gráfico representa a variação da temperatura de um corpo sólido, em função do tempo, ao ser aquecido por uma fonte que libera energia a uma potência constante de 150 cal/min. Sendo a massa do corpo igual a 100g, o seu calor específico será de: a. 0,75 cal/g ºC b. 0,80 cal/g ºC c. 1,50 cal/g ºC d. 3,75 cal /g ºC 5. (Direito.C.L./96) A função de uma roupa de inverno é: a. dificultar a perda de calor do corpo.

2 b. fornecer calor ao corpo. c. impedir o ganho de frio pelo corpo. d. retirar calor do corpo. e. retirar frio do corpo. 6. (UFMG-95) A mesma quantidade de calor é fornecida a dois corpos, M e N, sendo que a massa de M é maior do que a massa de N. Como resultado, esses corpos apresentam a mesma variação de temperatura. Com relação às capacidades térmicas, C M e C N, e aos calores específicos c M e c N, pode-se concluir que: a. C M<C N; c M =c N b. C M=C N; c M<c N c. C M=C N; c M>c N d. C M>C N; c M<c N e. C M>C N; c M =c N 7. (UFMG-96) Um ventilador ligado provoca a sensação de frescor nas pessoas. A afirmativa que melhor descreve a explicação desse fenômeno é: a. o ventilador altera o calor específico do ar. b. o ventilador aumenta a pressão do ar sobre a pele das pessoas. c. o ventilador diminui a temperatura do ar. d. o ventilador retira o ar quente de perto das pessoas. 8. (UFMG-96) Caminhando descalço dentro de casa, ao passar da sala, que tem o chão coberto por tábuas de madeira, para a cozinha cujo piso é de granito, tem-se a sensação de que o piso da cozinha está mais frio que o da sala. Essa sensação é devido ao fato de a. a capacidade térmica do piso de granito ser menor que a das tábuas de madeira. b. a condutividade térmica do piso de granito ser maior que a das tábuas de madeira. c. a temperatura do piso da cozinha ser menor que a do chão da sala. d. o calor específico do granito ser menor que o das tábuas de madeira. 9. (UFLA-95) Num calorímetro de capacidade térmica 10cal/ºC, tem-se uma substância de massa 200g, calor específico 0,2 cal/gºc à 60ºC. Adiciona-se nesse calorímetro uma massa de 100g e de calor específico o,1 cal/gºc à temperatura de 30ºC. A temperatura de equilíbrio será: a. 55ºC b. 45ºC c. 25ºC d. 30ºC e. 70ºC 10. (UNIPAC-96) Dois corpos, A e B, de massas iguais e temperaturas t A e tb, são postos em contato até que o equilíbrio térmico seja atingido. Sabendo-se que não há mudança de fase e que o calor específico do corpo A é três vezes maior que o do corpo B, pode-se afirmar sobre a temperatura final t: a. t = 3 (t A+ t B) /4 b. t = (3t A+ t B) /4 c. t = 3 (t A+ t B) /4 d. t = (t A+ 3t B) /3 e. t = (t A+ t B) /2

3 11. (UNIPAC-96) Se dois corpos estiverem em equilíbrio térmico com um terceiro, pode-se e concluir que: a. Não existe um fluxo de calor entre os corpos. b. A temperatura do terceiro corpo aumenta. c. Os dois corpos cedem calor ao terceiro. d. Os Três corpos estão em repouso. e. Os Três corpos estão a 0ºC. 12. (Direito.C.L./97) Um bloco de gelo de 80 gramas foi colocado dentro de um calorímetro, bem isolado, contendo 50 gramas de água. Depois de várias horas, verificou-se uma situação final na qual havia, ainda, 80 gramas de gelo no interior do calorímetro. Pode-se concluir, desta experiência, que: a. a condutividade térmica do gelo é igual à da água. b. as quantidades de calor contidas na água e no gelo, na situação final, tornaram-se iguais. c. a temperatura final do gelo e da água era de 0ºC d. o calor específico do gelo é igual ao o calor específico da água. e. o calor latente de fusão do gelo é maior do que a energia contida na água. 13. (UNIPAC-97) Usando um agasalho de lã, as pessoas sentem-se aquecidas. Isso acontece porque: a. a lã fornece calor ao corpo. b. a lã reduz a transferência de calor do corpo para o meio exterior. c. a lã é boa condutora de calor. d. a lã impede a transpiração 14. Considere um calorímetro no qual existe uma certa massa de líquido. Para aquecer o conjunto líquido-calorímetro de 30 0 C para 60 0 C são necessários Q 1 J. Por outro lado, Q 2 J elevam de 40 0 C para 80 0 C o calorímetro juntamente com o triplo da massa do líquido. a) Determine a capacidade térmica do calorímetro nas seguintes situações : Q 1 = 2000 J, Q 2 = 4000 J Q 1 = 2000 J, Q 2 = 7992 J b) Com base nestes dados, em qual das duas situações a influência do material do calorímetro pode ser desconsiderada? Justifique sua conclusão. 15. (PUC RS 98) Uma garrafa térmica é feita de vidro com face interna espelhada para a. reduzir as perdas de calor por radiação. b. reduzir as perdas de calor por convecção. c. reduzir as perdas de calor por condução. d. elevar o ponto de ebulição da água. e. impedir a formação de vapor de água. 16. (PUC RS 98) A passagem da fase sólida para líquida de 200 g de uma substância determinada, em função do calor Q absorvido, é representada no gráfico abaixo.

4 Os calores específicos dessa substância, nas fases sólida e líquida são, respectivamente, em cal/gºc, de a. 1,0 e 0,5 b. 0,80 e 0,20 c. 0,50 e 0,12 d. 0,50 e 0,05 e. 0,40 e 0, (PUC RS 99) Se, ao fornecermos calor a um sistema, sob pressão constante, observarmos que a temperatura permanece inalterada, podemos afirmar que o sistema a. é totalmente sólido. b. é totalmente líquido. c. está necessariamente em processo de fusão. d. está necessariamente evaporando. e. está sofrendo uma mudança de fase. 18. (PUC MG 99). Quando seguramos uma casquinha com uma generosa bola de sorvete, sentimos nossa mão esfriar quando ela está abaixo da bola, mas não temos essa sensação se posicionarmos a mão alguns centímetros acima da bola. Isso indica que a transferência de calor está se dando preferencialmente por: a. condução. b. convecção. c. radiação. d. condução e radiação. e. convecção e radiação. 19. (PUC MG 98) " é a energia que flui entre um sistema e sua vizinhança como conseqüência da diferença de temperatura que existe entre eles." A lacuna será corretamente preenchida por: a. trabalho b. entropia c. energia interna d. calor e. energia livre 20. (PUC RS 2000) Um sistema consiste de um cubo de 10 g de gelo, inicialmente à temperatura de 0ºC. Esse sistema passa a receber calor proveniente de uma fonte térmica e, ao fim de algum tempo, está transformado em uma massa de 10 g de água a 20ºC. Qual foi a quantidade de energia transferida ao sistema durante a transformação? dados: calor de fusão do gelo = 334,4 J/g; calor específico da água = 4,18 J / (gºc)

5 a. 418 J b. 836 J c. 4,18 kj d. 6,77 kj e. 8,36 Kj GABARITO a) 50 e 0,4 d a c a a b d b a b a e b b) Na 2ª, pois ela é muito pequena comparada à 1ª a b e a d c VOLTAR

Aula 2: Calorimetria

Aula 2: Calorimetria Aula 2: Calorimetria Imagine uma xícara de café quente e uma lata de refrigerante gelada em cima de uma mesa. Analisando termicamente, todos nós sabemos que com o passar do tempo a xícara irá esfriar e

Leia mais

CALORIMETRIA, MUDANÇA DE FASE E TROCA DE CALOR Lista de Exercícios com Gabarito e Soluções Comentadas

CALORIMETRIA, MUDANÇA DE FASE E TROCA DE CALOR Lista de Exercícios com Gabarito e Soluções Comentadas COLÉGIO PEDRO II PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA DOCENTE RESIDENTE DOCENTE: Marcia Cristina de Souza Meneguite Lopes MATRÍCULA: P4112515 INSCRIÇÃO: PRD.FIS.0006/15

Leia mais

3. Calorimetria. 3.1. Conceito de calor

3. Calorimetria. 3.1. Conceito de calor 3. Calorimetria 3.1. Conceito de calor As partículas que constituem um corpo estão em constante movimento. A energia associada ao estado de movimento das partículas faz parte da denominada energia intera

Leia mais

Física 2ª série Ensino Médio v. 2

Física 2ª série Ensino Médio v. 2 ísica 2ª série Ensino Médio v. 2 Exercícios 01) Caloria é a quantidade de calor necessária para que um grama de água possa aumentar sua temperatura de 1,5 o C para 15,5 o C. 02) É o calor necessário para

Leia mais

Unidade XII: Termologia

Unidade XII: Termologia Colégio Santa Catarina Unidade XII Termologia 163 Unidade XII: Termologia 12.1 - Introdução: A termologia (termo = calor, logia = estudo) é o ramo da física que estuda o calor e seus efeitos sobre a matéria.

Leia mais

Sólidos, líquidos e gases

Sólidos, líquidos e gases Mudanças de fase Sólidos, líquidos e gases Estado sólido Neste estado, os átomos da substâncias se encontram muito próximos uns dos outros e ligados por forças eletromagnéticas relativamente grandes. Eles

Leia mais

Atividade Complementar Plano de Estudo

Atividade Complementar Plano de Estudo 1. (Uerj 2014) Um sistema é constituído por uma pequena esfera metálica e pela água contida em um reservatório. Na tabela, estão apresentados dados das partes do sistema, antes de a esfera ser inteiramente

Leia mais

Exercícios Complementares de Termologia - Wladimir

Exercícios Complementares de Termologia - Wladimir Questões de exercícios Complementares de Termologia Questão 01 (Fgv 2005) Em relação à termometria, é certo dizer que a) - 273K representa a menor temperatura possível de ser atingida por qualquer substância.

Leia mais

Livro 01 Resolvidos de Calorimetria

Livro 01 Resolvidos de Calorimetria 1. Um sistema é constituído por uma pequena esfera metálica e pela água contida em um reservatório. Na tabela, estão apresentados dados das partes do sistema, antes de a esfera ser inteiramente submersa

Leia mais

Física. Setor B. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 9 (pág. 102) AD TM TC. Aula 10 (pág. 102) AD TM TC. Aula 11 (pág.

Física. Setor B. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 9 (pág. 102) AD TM TC. Aula 10 (pág. 102) AD TM TC. Aula 11 (pág. Física Setor B Prof.: Índice-controle de Estudo Aula 9 (pág. 102) AD TM TC Aula 10 (pág. 102) AD TM TC Aula 11 (pág. 104) AD TM TC Aula 12 (pág. 106) AD TM TC Aula 13 (pág. 107) AD TM TC Aula 14 (pág.

Leia mais

Água no feijão, que chegou mais um!

Água no feijão, que chegou mais um! Água no feijão, que chegou mais um! A UU L AL A Sábado! Cristiana passou a manhã toda na cozinha, preparando uma feijoada! Roberto tinha convidado sua vizinha, Maristela, para o almoço. Logo cedo, Cristiana

Leia mais

Lista 04. F.02 Espelhos Planos e Esféricos

Lista 04. F.02 Espelhos Planos e Esféricos F.02 Espelhos Planos e Esféricos 2º Série do Ensino Médio Turma: Turno: Vespertino Lista 03 Lista 04 Questão 01) Obedecendo às condições de Gauss, um espelho esférico fornece, de um objeto retilíneo de

Leia mais

Janine Coutinho Canuto

Janine Coutinho Canuto Janine Coutinho Canuto Termologia é a parte da física que estuda o calor. Muitas vezes o calor é confundido com a temperatura, vamos ver alguns conceitos que irão facilitar o entendimento do calor. É a

Leia mais

= = = F. cal AULA 05 TERMOMETRIA E CALORIMETRIA CALOR É ENERGIA TÉRMICA EM TRÂNSITO DE UM CORPO PARA OUTRO, DEVIDO A UMA DIFERENÇA DE TEMPERATURA.

= = = F. cal AULA 05 TERMOMETRIA E CALORIMETRIA CALOR É ENERGIA TÉRMICA EM TRÂNSITO DE UM CORPO PARA OUTRO, DEVIDO A UMA DIFERENÇA DE TEMPERATURA. AULA 05 TERMOMETRIA E ALORIMETRIA 1- TEMPERATURA Todos os corpos são constituídos de partículas, a olho nu nos parece que essas partículas estão em repouso, porém as mesmas têm movimento. Quanto mais agitadas

Leia mais

Física Professor Alfredo

Física Professor Alfredo Física Professor Alfredo 08 Aluno (a): 26/03/2013 01. Após um carpinteiro enterrar um enorme prego de ferro em uma viga de peroba, verifica-se que a temperatura do mesmo elevou-se em 10 ºC. calor específico

Leia mais

Solidificação: é o processo em que uma substância passa do estado líquido para o estado sólido.

Solidificação: é o processo em que uma substância passa do estado líquido para o estado sólido. EXERCÍCIOS PREPARATÓRIOS 1. (G1) Explique o significado das palavras a seguir. Observe o modelo. Solidificação: é o processo em que uma substância passa do estado líquido para o estado sólido. Vaporização:

Leia mais

Ernesto entra numa fria!

Ernesto entra numa fria! A UU L AL A Ernesto entra numa fria! Segunda-feira, 6 horas da tarde, Cristiana e Roberto ainda não haviam chegado do trabalho. Mas Ernesto, filho do casal, já tinha voltado da escola. Chamou a gangue

Leia mais

C.(30 20) + 200.1.(30 20) + 125.0,2.(30 130) = + 2000 2500 =

C.(30 20) + 200.1.(30 20) + 125.0,2.(30 130) = + 2000 2500 = PROVA DE FÍSIA 2º ANO - AUMULATIVA - 1º TRIMESTRE TIPO A 1) Assinale verdadeiro (V) ou falso (F) para as seguintes afirmativas. (F) Os iglus, embora feitos de gelo, possibilitam aos esquimós neles residirem,

Leia mais

Trabalho Prático MEDIDA DA CONDUTIVIDADE TÉRMICA DE DIFERENTES MATERIAIS

Trabalho Prático MEDIDA DA CONDUTIVIDADE TÉRMICA DE DIFERENTES MATERIAIS Trabalho Prático MEDIDA DA CONDUTIVIDADE TÉRMICA DE DIFERENTES MATERIAIS Objectivo - Determinação da condutividade térmica de 5 diferentes materiais de construção. 1. Introdução O calor pode ser transferido

Leia mais

2363 - Pesquisa de corpo estranho. (a) kcal/. kg ºC (b) joule/molg.ºk (c) Torr. 1/molg.ºK (d) At.m 3 /molg.ºk (e) At.l/molg.ºK

2363 - Pesquisa de corpo estranho. (a) kcal/. kg ºC (b) joule/molg.ºk (c) Torr. 1/molg.ºK (d) At.m 3 /molg.ºk (e) At.l/molg.ºK 10 2361 - Em um recipiente de capacidade igual a 10 litros reuniram 5 litros de hidrogênio é pressão de 20 atmosferas e 10 litros de oxigênio à pressão de 10 atmosferas. A pressão final é: (a) 10 atmosferas

Leia mais

Atividade de Reforço2

Atividade de Reforço2 Professor(a): Eliane Korn Disciplina: Física Aluno(a): Ano: 1º Nº: Bimestre: 2º Atividade de Reforço2 INSTRUÇÕES GERAIS PARA A ATIVIDADE I. Leia atentamente o resumo da teoria. II. Imprima a folha com

Leia mais

Curso de Férias 2011 Professor Vasco Vasconcelos Fenômenos Térmicos

Curso de Férias 2011 Professor Vasco Vasconcelos Fenômenos Térmicos Curso de Férias 2011 Professor Vasco Vasconcelos Fenômenos Térmicos 1. (CPS 2010) Os manuais de aparelhos celulares recomendam que estes permaneçam distantes do corpo por pelo menos 2,5 cm, pois a Organização

Leia mais

UFRPE: Física Geral II Márcio Cabral de Moura 1

UFRPE: Física Geral II Márcio Cabral de Moura 1 URPE: ísica Geral II Márcio Cabral de Moura 1 1. Calor 2 aulas, 4 horas: Capítulos 19 e 2 do undamentos de ísica 2, de D. Halliday, R. Resnick e J. Walker, 4ª edição. 1.1 Calor, temperatura e princípio

Leia mais

LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12

LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12 LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12 Questão 01) Quando uma pessoa se aproxima de um espelho plano ao longo da direção perpendicular a este e com uma velocidade de módulo 1 m/s, é correto afirmar que

Leia mais

ESTADOS FÍSICOS FUNDAMENTAIS

ESTADOS FÍSICOS FUNDAMENTAIS ESTADOS FÍSICOS FUNDAMENTAIS A matéria é constituída de corpúsculos (átomos, íons ou moléculas) agregados uns aos outros. Esta agregação nos leva a distinguir na matéria três estados físicos fundamentais:

Leia mais

CALORIMETRIA - TEORIA

CALORIMETRIA - TEORIA CALORIMETRIA - TEORIA A calorimetria é a parte da Física que estuda a quantificação e as trocas de energia entre os corpos, quando esta troca ocorre sob a forma de calor. Temos, então, a primeira pergunta:

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA EM FÍSICA TÉRMICA

FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA EM FÍSICA TÉRMICA http://www.labfis.net FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA EM FÍSICA TÉRMICA Texto completo de Física Térmica encontra-se disponível no endereço: http://www.if.ufrgs.br/public/tapf/v20n5_marques_araujo.pdf

Leia mais

FÍSICA. Terceiro ano integrado. INF3 e QUI3-2009

FÍSICA. Terceiro ano integrado. INF3 e QUI3-2009 FÍSICA Terceiro ano integrado INF3 e QUI3-2009 Instruções: Leia atentamente cada questão para resolvê-la com segurança. A marcação do gabarito deverá ser feita com caneta de tinta azul ou preta Há somente

Leia mais

3 (Vunesp-SP) Um bloco de 600 g de prata, inicialmente a 20 C, é C = b) c = m. c = 4 Uma garrafa térmica contém água a 60 C. O conjunto garrafa

3 (Vunesp-SP) Um bloco de 600 g de prata, inicialmente a 20 C, é C = b) c = m. c = 4 Uma garrafa térmica contém água a 60 C. O conjunto garrafa Tópico 3 Calor sensível e calor latente 27 Tópico 3 1 (Fazu-MG) Tia Anastácia é famosa por sua habilidade na cozinha. Um de seus pratos mais famosos é o risoto de camarão feito em panela de pedra. Inácia,

Leia mais

TERMOLOGIA FÍSICA ------------------------------------------------------- CURSO PRÉ VESTIBULAR POPULAR - CPV

TERMOLOGIA FÍSICA ------------------------------------------------------- CURSO PRÉ VESTIBULAR POPULAR - CPV ------------------------------------------------------- CURSO PRÉ VESTIBULAR POPULAR - CPV FÍSICA 1 TEMPERATURA E DILATAÇÃO. 1.1 TEMPERATURA Temperatura é uma grandeza física que mede o estado de agitação

Leia mais

CAPACIDADE TÉRMICA E CALOR ESPECÍFICO 612EE T E O R I A 1 O QUE É TEMPERATURA?

CAPACIDADE TÉRMICA E CALOR ESPECÍFICO 612EE T E O R I A 1 O QUE É TEMPERATURA? 1 T E O R I A 1 O QUE É TEMPERATURA? A temperatura é a grandeza física que mede o estado de agitação das partículas de um corpo. Ela caracteriza, portanto, o estado térmico de um corpo.. Podemos medi la

Leia mais

Embora seja um conceito básico

Embora seja um conceito básico O ALUNO EM FOCO Eduardo Fleury Mortimer Luiz Otávio F. Amaral 30 A seção O aluno em foco traz resultados de pesquisas sobre idéias informais dos estudantes, sugerindo formas de levar essas idéias em consideração

Leia mais

FÍSICA Questões de 1 a 20

FÍSICA Questões de 1 a 20 2ªSérieLISTA DE EXERCÍCIOS DE FÍSICA FÍSICA Questões de 1 a 20 1) (UFRN) Os carros modernos usam diferentes tipos de espelhos retrovisores, de modo que o motorista possa melhor observar os veículos que

Leia mais

MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO, PRESSÃO DE VAPOR... *

MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO, PRESSÃO DE VAPOR... * MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO, PRESSÃO DE VAPOR... * MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO Antes de verificarmos como ocorrem as mudanças de estado físico de uma substância, vamos caracterizar cada um dos estados aqui estudados.

Leia mais

Questões Comentadas do Curso de Férias 2014 Ciências da Natureza Física Professor Vasco Vasconcelos Calor e Fenômenos Térmicos

Questões Comentadas do Curso de Férias 2014 Ciências da Natureza Física Professor Vasco Vasconcelos Calor e Fenômenos Térmicos Questões Comentadas do Curso de Férias 2014 Ciências da Natureza Física Professor Vasco Vasconcelos Calor e Fenômenos Térmicos 1. O livro Fahrenheit 451, do escritor Ray Bradbury, e considerado uma obra

Leia mais

E irr = P irr T. F = m p a, F = ee, = 2 10 19 14 10 19 2 10 27 C N. C kg = 14 1027 m/s 2.

E irr = P irr T. F = m p a, F = ee, = 2 10 19 14 10 19 2 10 27 C N. C kg = 14 1027 m/s 2. FÍSICA 1 É conhecido e experimentalmente comprovado que cargas elétricas aceleradas emitem radiação eletromagnética. Este efeito é utilizado na geração de ondas de rádio, telefonia celular, nas transmissões

Leia mais

Quantidade de Calor Latente Mudança de Estado Físico

Quantidade de Calor Latente Mudança de Estado Físico Quantidade de Calor Latente Mudança de Estado Físico 1. (Uerj 2014) A energia consumida por uma pessoa adulta em um dia é igual a 2 400 kcal. Determine a massa de gelo a 0 C que pode ser totalmente liquefeita

Leia mais

MATÉRIA E SUAS PROPRIEDADES

MATÉRIA E SUAS PROPRIEDADES 01- Conceitue matéria. Exemplifique. MATÉRIA E SUAS PROPRIEDADES 02- Do que é constituída a matéria? 03- Qual a finalidade do estudo da Química? 04- Como a matéria, provavelmente, foi originada? 05- O

Leia mais

FÍSICA PEIES II. Professor Giovani Soares. Todas as questões de PEIES II desde sua primeira edição em 1996 até 2010. Com gabarito no final.

FÍSICA PEIES II. Professor Giovani Soares. Todas as questões de PEIES II desde sua primeira edição em 1996 até 2010. Com gabarito no final. Professor Giovani Soares Todas as questões de PEIES II desde sua primeira edição em 1996 até 2010. Com gabarito no final. 1- (PEIES 96) O empuxo exercido por um fluido sobre um corpo totalmente mergulhado

Leia mais

Determinação da condutividade térmica do Cobre

Determinação da condutividade térmica do Cobre Determinação da condutividade térmica do Cobre TEORIA Quando a distribuição de temperatura de um corpo não é uniforme (ou seja, diferentes pontos estão a temperaturas diferentes), dá-se expontaneamente

Leia mais

O Sol é a nossa principal fonte de calor. A água é fundamental para a regulação térmica do planeta e do nosso corpo

O Sol é a nossa principal fonte de calor. A água é fundamental para a regulação térmica do planeta e do nosso corpo TEMPERATURA, CALOR E EQUILIBRIO TÉRMICO Autores: Arjuna C. Panzera Dácio G. Moura O Sol é a nossa principal fonte de calor. A água é fundamental para a regulação térmica do planeta e do nosso corpo Tópico

Leia mais

FÍSICA APLICADA 1 FÍSICA TÉRMICA

FÍSICA APLICADA 1 FÍSICA TÉRMICA FÍSICA APLICADA 1 FÍSICA TÉRMICA I. Temperatura 1. Temperatura e Princípio Zero da Termodinâmica Apesar de nos ser familiar o termo temperatura, como um conceito físico relacionado com o nível de agitação

Leia mais

Estados Físicos da matéria

Estados Físicos da matéria Estados Físicos da matéria Toda matéria, dependendo da temperatura, pode se apresentar em três estados: sólido, líquido e gasoso. O diagrama a seguir mostra as mudanças de estado, com os nomes particulares

Leia mais

Termologia UEPB. Dilatação Térmica Parte I

Termologia UEPB. Dilatação Térmica Parte I Termologia UEPB Dilatação Térmica Parte I 1 Você é convidado a projetar uma ponte metálica, cujo comprimento será de 2,0km. Considerando os efeitos de contração e expansão térmica para temperaturas no

Leia mais

www.cursinhoemcasa.com Prof. Helena contato@cursinhoemcasa.com Fonte arquivo particular.

www.cursinhoemcasa.com Prof. Helena contato@cursinhoemcasa.com Fonte arquivo particular. Irradiação térmica È o processo de troca de calor que ocorre através da radiação eletromagnética, que não necessitam de um meio material para isso. Ondas eletromagnéticas é uma mistura de campo elétrico

Leia mais

No gráfico, encontra-se a substância no estado líquido nos pontos a) I, II e IV b) III, IV e V c) II, III e IV d) I, III e V

No gráfico, encontra-se a substância no estado líquido nos pontos a) I, II e IV b) III, IV e V c) II, III e IV d) I, III e V 1. (Ueg 2015) A mudança do estado ísico de determinada substância pode ser avaliada em unção da variação da temperatura em relação ao tempo, conorme o gráico a seguir. Considere que a 0C o composto encontra-se

Leia mais

ENTALPIA DE COMBUSTÃO DE CASTANHA DO PARÁ: PROPOSTA DE EXPERIMENTO DE TERMOQUÍMICA 1

ENTALPIA DE COMBUSTÃO DE CASTANHA DO PARÁ: PROPOSTA DE EXPERIMENTO DE TERMOQUÍMICA 1 ENTALPIA DE COMBUSTÃO DE CASTANHA DO PARÁ: PROPOSTA DE EXPERIMENTO DE TERMOQUÍMICA 1 ALINE MARQUES DA SILVA 2 ; ANA CARLA PENTEADO FELTRIN 3 ; ANÁLIA MARIA LOPES 4 ; CANDICE KEMMERICH 5 ; GILMAR BENINI

Leia mais

Introdução. Um novo jeito de se aprender química Helan Carlos e Lenine Mafra- Farmácia- 2014.2

Introdução. Um novo jeito de se aprender química Helan Carlos e Lenine Mafra- Farmácia- 2014.2 Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB Departamento de Química e Exatas - DQE DQE 295 - Química Inorgânica (1) Farmácia Autor(a): Helan Carlos Silva Oliveira Relatório entregue 29/06/2012 Introdução

Leia mais

PROVA DE FÍSICA - 3 o TRIMESTRE 2011

PROVA DE FÍSICA - 3 o TRIMESTRE 2011 PROVA DE FÍSICA - 3 o TRIMESTRE 2011 PROF. VIRGÍLIO NOME Nº 8º ANO Olá, caro(a) aluno(a). Segue abaixo uma série de exercícios que têm, como base, o que foi trabalhado em sala de aula durante todo o ano.

Leia mais

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO FÍSICA 2 - TERMOLOGIA

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO FÍSICA 2 - TERMOLOGIA www.pascal.com.br EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO FÍSICA 2 - TERMOLOGIA Prof. Edson Osni Ramos (Cebola) 1. (ACAFE - 93) Assinale entre as opções abaixo, aquela que completa corretamente e em seqüência a afirmativa:

Leia mais

ESTERILIZAÇAO PELO CALOR

ESTERILIZAÇAO PELO CALOR Faculdade de Farmácia da UFMG ESTERILIZAÇÃO NA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA ESTERILIZAÇAO PELO CALOR CALOR SECO Accácia Júlia Guimarães Pereira Messano ABRIL 2010 Mecanismo de destruição de microrganismos pelo

Leia mais

A capacidade calorífica é uma medida da dificuldade que um corpo oferece a uma mudança da sua temperatura e é dada pelo

A capacidade calorífica é uma medida da dificuldade que um corpo oferece a uma mudança da sua temperatura e é dada pelo Capacidade calorífica e calor específico Q/J Quando um corpo recebe energia calorífica a sua temperatura aumenta (e de forma linear): A energia calorífica ( Q) que é necessário fornecer a um corpo para

Leia mais

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA Prof Cazuza 1 (Uff 2012) O ciclo de Stirling é um ciclo termodinâmico reversível utilizado em algumas máquinas térmicas Considere o ciclo de Stirling para 1 mol de um gás ideal monoatônico ilustrado no

Leia mais

Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos

Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos Química Materiais, suas propriedades e usos Estados Físicos Estado vem do latim status (posição,situação, condição,modo de estar). O estado físico

Leia mais

Fundamentos da física - Ramalho, Nicolau e Toledo Edição Histórica - vestibular ITA. SUA BUSCA Assunto: Termologia

Fundamentos da física - Ramalho, Nicolau e Toledo Edição Histórica - vestibular ITA. SUA BUSCA Assunto: Termologia Fundamentos da física - Ramalho, Nicolau e Toledo Edição Histórica - vestibular ITA SUA BUSCA Assunto: Termologia RESULTADO 1. (ITA-1969) Um anel de cobre a 25 C tem um diâmetro interno de 5,00 centímetros.

Leia mais

LISTA DE RECUPERAÇÃO PARALELA 2 a UNIDADE FÍSICA Professores: Moysés e Abud

LISTA DE RECUPERAÇÃO PARALELA 2 a UNIDADE FÍSICA Professores: Moysés e Abud LISTA DE RECUPERAÇÃO PARALELA a UNIDADE FÍSICA Professores: Moysés e Abud 01. Para transformar 0 g de água sólida a -10 o C em valor de água a 100 o C sob pressão normal devemos fornecer: Dados: Calor

Leia mais

PORTAL DE ESTUDOS EM QUÍMICA PROFESSOR PAULO CESAR (www.profpc.com.br) MATÉRIA E SUAS TRANSFORMAÇÕES

PORTAL DE ESTUDOS EM QUÍMICA PROFESSOR PAULO CESAR (www.profpc.com.br) MATÉRIA E SUAS TRANSFORMAÇÕES MATÉRIA E SUAS TRANSFORMAÇÕES 01- A água é uma substância que existe em grande quantidade no nosso planeta. Ela se apresenta na natureza em três estados físicos. Quais são os estados físicos em que a água

Leia mais

SOLAR OVEN. Eco-Cook in Mouraria. Introdução à Engenharia Mecânica Mestrado Integrado em Engenharia Mecânica

SOLAR OVEN. Eco-Cook in Mouraria. Introdução à Engenharia Mecânica Mestrado Integrado em Engenharia Mecânica SOLAR OVEN Eco-Cook in Mouraria Introdução à Engenharia Mecânica Mestrado Integrado em Engenharia Mecânica Aluno: Diogo Lucas nº 78044 Aluno: João Ornelas nº 79681 Lisboa, 25 de Novembro de 2013 Introdução

Leia mais

Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas

Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas 01. (Uepg) Quanto às características das substâncias puras e das misturas, assinale o que for correto. 01) Misturas sólidas homogêneas não podem

Leia mais

CURSO DE FÍSICA MARCÃO ASSUNTOS: ESCALAS TERMOMÉTRICAS DILATAÇÃO TÉRMICA DOS SÓLIDOS E LÍQUIDOS CALORIMETRIA ESTUDO DOS GASES

CURSO DE FÍSICA MARCÃO ASSUNTOS: ESCALAS TERMOMÉTRICAS DILATAÇÃO TÉRMICA DOS SÓLIDOS E LÍQUIDOS CALORIMETRIA ESTUDO DOS GASES CURSO DE FÍSICA MARCÃO ASSUNTOS: ESCALAS TERMOMÉTRICAS DILATAÇÃO TÉRMICA DOS SÓLIDOS E LÍQUIDOS CALORIMETRIA ESTUDO DOS GASES PARTE 1 1. (UESC) Dois ou mais corpos, ao atingirem o equilíbrio térmico entre

Leia mais

O que acontece com a aceleração na altura máxima?

O que acontece com a aceleração na altura máxima? 1º Ano E.M O texto e gráfico abaixo deve ser usado para responder às questões 1 e 2. (Fesp SP) Uma partícula move-se numa trajetória retilínea com a velocidade mostrada no gráfico a seguir. 1- O deslocamento

Leia mais

Interbits SuperPro Web

Interbits SuperPro Web 1. (Uel 2013) O cooler, encontrado em computadores e em aparelhos eletroeletrônicos, é responsável pelo resfriamento do microprocessador e de outros componentes. Ele contém um ventilador que faz circular

Leia mais

ECOTELHADO. Segundo pesquisador da Lawrence Berkley National Laboratory (CA, EUA), cerca de 25% da superfície de uma cidade consiste de telhados.

ECOTELHADO. Segundo pesquisador da Lawrence Berkley National Laboratory (CA, EUA), cerca de 25% da superfície de uma cidade consiste de telhados. ECOTELHADO Segundo pesquisador da Lawrence Berkley National Laboratory (CA, EUA), cerca de 25% da superfície de uma cidade consiste de telhados. TRANSMISSÃO DE CALOR por condução térmica através de materiais

Leia mais

FÍSICA. Sempre que for necessário, utilize g= 10m/s 2

FÍSICA. Sempre que for necessário, utilize g= 10m/s 2 FÍSICA Sempre que for necessário, utilize g= 10m/s 2 28 d Leia com atenção a tira da Turma da Mônica mostrada abaixo e analise as afirmativas que se seguem, considerando os princípios da Mecânica Clássica.

Leia mais

TRANSFERÊNCIA DE CALOR (TCL)

TRANSFERÊNCIA DE CALOR (TCL) CAMPUS SÃO JOSÉ ÁREA TÉCNICA DE REFRIGERAÇÃO E CONDICIONAMENTO DE AR TRANSFERÊNCIA DE CALOR (TCL) Volume I Prof. Carlos Boabaid Neto, M. Eng. 2010 1 ÍNDICE Página CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO À TRANSFERÊNCIA

Leia mais

AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO ILUMINAÇÃO COZINHA/ LAVANDARIA DIVERSOS

AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO ILUMINAÇÃO COZINHA/ LAVANDARIA DIVERSOS P O U P A R AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO ILUMINAÇÃO COZINHA/ LAVANDARIA DIVERSOS AQUECIMENTO, VENTILAÇÃO E AR CONDICIONADO Caso tenha ar condicionado nos quartos ou áreas comuns do empreendimento,

Leia mais

UNIGRANRIO www.exerciciosdevestibulares.com.br. 2) (UNIGRANRIO) O sistema abaixo encontra-se em equilíbrio sobre ação de três forças

UNIGRANRIO www.exerciciosdevestibulares.com.br. 2) (UNIGRANRIO) O sistema abaixo encontra-se em equilíbrio sobre ação de três forças 1) (UNIGRANRIO) Um veículo de massa 1200kg se desloca sobre uma superfície plana e horizontal. Em um determinado instante passa a ser acelerado uniformemente, sofrendo uma variação de velocidade representada

Leia mais

RESOLUÇÕES DA PROVA DE FÍSICA UFC 2006. PROFESSOR Célio Normando

RESOLUÇÕES DA PROVA DE FÍSICA UFC 2006. PROFESSOR Célio Normando RESOLUÇÕES DA PROVA DE FÍSICA UFC 006 Ari Duque de Caxias Ari Washington Soares Ari Aldeota Da 5ª Série ao Pré-Vestibular Sede Hildete de Sá Cavalcante (da Educação Infantil ao Pré-Vestibular) Rua Monsenhor

Leia mais

AULA 1: MATÉRIAS E SUAS PROPRIEDADES

AULA 1: MATÉRIAS E SUAS PROPRIEDADES AULA 1: MATÉRIAS E SUAS PROPRIEDADES Prof.Me Elayne Química-Aula 1 MATÉRIA Tudo que ocupa lugar no espaço e tem massa é matéria. Energia tudo aquilo que pode modificar a estrutura da matéria, provocar

Leia mais

Propriedades Coligativas

Propriedades Coligativas Propriedades Coligativas São as propriedades das soluções que dependem do número de partículas dispersas e independem da natureza das partículas do soluto. Pressão Máxima de Vapor (PMV) PMV é a pressão

Leia mais

Combustíveis e Energia

Combustíveis e Energia Módulo 3 Unidade 11 Combustíveis e Energia Para início de conversa... Desde o surgimento da humanidade, o ser humano deparou-se com a necessidade de alterar a natureza de forma a que ela atendesse suas

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA / 3 DE ALFENA

ESCOLA SECUNDÁRIA / 3 DE ALFENA ESCOLA SECUNDÁRIA / 3 DE ALFENA Nome do aluno: Data: / / UMA CCASSA QUEENTTIINHA?? Caro membro da minha família: Em Ciências Físico-Químicas estamos a aprender como os diferentes materiais conduzem o calor

Leia mais

Transmissão de calor

Transmissão de calor UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE Faculdade de Engenharia ransmissão de calor 3º ano Prof. Doutor Engº Jorge Nhambiu Aula 5 * 3.Condução em regime permanente em uma parede plana Condução em regime permanente

Leia mais

ATIVIDADE II COLÉGIO TIA IVONE - CTI. PROFESSOR: NEW CRISTIAN SÉRIE: 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Aluno(a): 1. Conceitue:

ATIVIDADE II COLÉGIO TIA IVONE - CTI. PROFESSOR: NEW CRISTIAN SÉRIE: 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Aluno(a): 1. Conceitue: COLÉGIO TIA IVONE - CTI DISCIPLINA: QUÍMICA Data: / /2012 PROFESSOR: NEW CRISTIAN SÉRIE: 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Aluno(a): ATIVIDADE II 1. Conceitue: a) Matéria b) Energia 2. Qual a relação entre matéria

Leia mais

Sobrecarga Térmica. Revisão do Anexo 3 Consulta Pública MTE

Sobrecarga Térmica. Revisão do Anexo 3 Consulta Pública MTE Revisão do Anexo 3 Consulta Pública MTE Rudolf M. Nielsen Eng. Industrial e de Seg. Trabalho Mestre Eng. Produção Ergonomia AIHA ACGIH - ABHO Fev 2014 2 3 4 5 6 7 8 9 Quadros 1 e 2: colocar o C nos níveis

Leia mais

Física Professor Alfredo

Física Professor Alfredo Física Professor Alfredo 07 Aluno (a): 11/03/2013 01 - (UEL PR) As moléculas que compõem o ar estão em constante movimento, independentemente do volume no qual estejam contidas. Ludwig Boltzmann (1844-1906)

Leia mais

Questão 1. Questão 2. Resposta

Questão 1. Questão 2. Resposta Questão Um forno solar simples foi construído com uma caixa de isopor, forrada internamente com papel alumínio e fechada com uma tampa de vidro de 40 cm 50 cm. Dentro desse forno, foi colocada uma pequena

Leia mais

Materiais têm personalidade?

Materiais têm personalidade? Materiais têm personalidade? Introdução O pior é que têm! Como? Pense um pouco. Por que o plástico é plástico? Por que o alumínio é mais leve que o ferro? Por que a borracha depois de esticada volta a

Leia mais

FORMAS DE TRANSFERÊNCIA DE CALOR ENTRE HOMEM E MEIO AMBIENTE

FORMAS DE TRANSFERÊNCIA DE CALOR ENTRE HOMEM E MEIO AMBIENTE AMBIENTE TÉRMICO O ambiente térmico pode ser definido como o conjunto das variáveis térmicas do posto de trabalho que influenciam o organismo do trabalhador, sendo assim um fator importante que intervém,

Leia mais

CAPITULO 1 INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS TÉRMICAS 1.1 CIÊNCIAS TÉRMICAS

CAPITULO 1 INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS TÉRMICAS 1.1 CIÊNCIAS TÉRMICAS CAPITULO 1 INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS TÉRMICAS 1.1 CIÊNCIAS TÉRMICAS Este curso se restringirá às discussões dos princípios básicos das ciências térmicas, que são normalmente constituídas pela termodinâmica,

Leia mais

Balanço de Massa e Energia Aula 4

Balanço de Massa e Energia Aula 4 Gases e Vapores Na maioria das pressões e temperaturas, uma substância pura no equilíbrio existe inteiramente como um sólido, um líquido ou um gás. Contudo, em certas temperaturas e pressões, duas ou mesmo

Leia mais

Leonnardo Cruvinel Furquim TERMOQUÍMICA

Leonnardo Cruvinel Furquim TERMOQUÍMICA Leonnardo Cruvinel Furquim TERMOQUÍMICA Termoquímica Energia e Trabalho Energia é a habilidade ou capacidade de produzir trabalho. Mecânica; Elétrica; Calor; Nuclear; Química. Trabalho Trabalho mecânico

Leia mais

04/05/2012 TROCADORES DE CALOR

04/05/2012 TROCADORES DE CALOR TROCADORES DE CALOR Trocador ou permutador de calor é um equipamento utilizado para aquecer, resfriar, vaporizar ou condensar fluídos de acordo com as necessidades do processo, utilizando-se uma parede

Leia mais

A respeito dos fenômenos térmicos, analise as afirmações a seguir.

A respeito dos fenômenos térmicos, analise as afirmações a seguir. Questão 01 - (IFPE/2015) Num caldeirão de ferro com 10kg de massa, inicialmente a 10ºC, são colocados 20kg de água também a 10ºC. O calor específico do ferro é 460 J/kgºC e o da água 4.200 J/kgoC. Uma

Leia mais

REVISAO 3 ANO MARIA MONTESSORI FISICA

REVISAO 3 ANO MARIA MONTESSORI FISICA REVISAO 3 ANO MARIA MONTESSORI FISICA João e Antônio utilizam os ônibus da linha mencionada na questão anterior para ir trabalhar, no período considerado no gráfico, nas seguintes condições: trabalham

Leia mais

Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias - Física

Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias - Física Natal, 04 de abril de 2011 Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias - Física É muito comum observarmos nas fachadas de edifícios em construção andaimes constituídos por uma tábua horizontal

Leia mais

Material de Apoio - Física Segundo Ano

Material de Apoio - Física Segundo Ano Material de Apoio - Física Segundo Ano Trabalho Aula 01 "Quando aplicamos uma força sobre um corpo, provocando um deslocamento, estamos gastando energia, estamos realizando um trabalho." F ---------- d

Leia mais

Quantidade de calor, calorimetria e mudanças de fase

Quantidade de calor, calorimetria e mudanças de fase Quantidade de calor, calorimetria e mudanças de fase Eduardo Campos dos Santos Centro Universitário Una 19 de fevereiro de 2014 Unidades de calor joule (J): unidade recomendada pelo SI. 1J = 1Kg m2 s 2.

Leia mais

p A = p B = = ρgh = h = Por outro lado, dado que a massa total de fluido despejada foi m, temos M 1 m = ρ(v 1 + V 2 ) = ρ 4 H + πd2 4 h = H = 4

p A = p B = = ρgh = h = Por outro lado, dado que a massa total de fluido despejada foi m, temos M 1 m = ρ(v 1 + V 2 ) = ρ 4 H + πd2 4 h = H = 4 Q1 (,5) Um pistão é constituído por um disco ao qual se ajusta um tubo oco cilíndrico de diâmetro d. O pistão está adaptado a um recipiente cilíndrico de diâmetro D. massa do pistão com o tubo é M e ele

Leia mais

O raio crítico. Problema motivador 01: Problema motivador 02: Problema motivador 03: Portfolio de:

O raio crítico. Problema motivador 01: Problema motivador 02: Problema motivador 03: Portfolio de: Problema motivador 01: qual a função da camada de material polimérico colocada sobre fios elétricos de cobre ou de alumínio? Problema motivador 02: qual a espessura da camada de tijolos de uma parede de

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS

PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS 3 PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS QUÍMICA 01 - O dispositivo de segurança que conhecemos como air-bag utiliza como principal reagente para fornecer o gás N 2 (massa molar igual a 28 g mol -1

Leia mais

Introdução. Observando o ambiente

Introdução. Observando o ambiente Introdução A curiosidade natural do homem, o leva a explorar o ambiente que o cerca, observando, analisando, realizando experiências, procurando saber o porquê das coisas. Nesta atividade, exploradora

Leia mais

FÍSICA BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO DIREITOS RESERVADOS: Propagação de calor CONCEITO DE CALOR E OS MODOS DE PROPAGAÇÃO CONDUÇÃO TÉRMICA

FÍSICA BERNOULLI SISTEMA DE ENSINO DIREITOS RESERVADOS: Propagação de calor CONCEITO DE CALOR E OS MODOS DE PROPAGAÇÃO CONDUÇÃO TÉRMICA FÍSICA FRENTE B MÓDULO 03 Propagação de calor Todo corpo possui uma energia interna. Além disso, um corpo pode apresentar energias externas, tais como a energia cinética ou a energia potencial gravitacional.

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO PARANÁ SEED UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - UNIOESTE PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL - PDE

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO PARANÁ SEED UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - UNIOESTE PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL - PDE SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO PARANÁ SEED UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - UNIOESTE PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL - PDE UNIDADE DIDÁTICA FÍSICA TÉRMICA: UMA ABORDAGEM A PARTIR

Leia mais

1º e 2º Anos Ensino Médio REVISÃO DE FÍSICA

1º e 2º Anos Ensino Médio REVISÃO DE FÍSICA 1º e 2º Anos Ensino Médio REVISÃO DE FÍSICA O enunciado abaixo se refere às questões 1 e 2. (FAAP-SP) Numa competição nos jogos de Winnipeg, no Canadá, um atleta arremessa um disco com velocidade de 72

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMADOS (Energia Solar - EEK508)

CONTEÚDOS PROGRAMADOS (Energia Solar - EEK508) (Energia Solar - EEK508) (Equipamentos de Processos - EEK524) (Fontes Alternativas de Energia - EEK525) (INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE - EEK 509) 1 Introdução Introdução ao controle de processos 2 2 - Controladores

Leia mais

TEORIA INFRAVERMELHO

TEORIA INFRAVERMELHO TEORIA INFRAVERMELHO Irradiação ou radiação térmica é a propagação de ondas eletromagnética emitida por um corpo em equilíbrio térmico causada pela temperatura do mesmo. A irradiação térmica é uma forma

Leia mais

Se um sistema troca energia com a vizinhança por trabalho e por calor, então a variação da sua energia interna é dada por:

Se um sistema troca energia com a vizinhança por trabalho e por calor, então a variação da sua energia interna é dada por: Primeira Lei da Termodinâmica A energia interna U de um sistema é a soma das energias cinéticas e das energias potenciais de todas as partículas que formam esse sistema e, como tal, é uma propriedade do

Leia mais

PS-2 VESTIBULAR UFSM FÍSICA 2. Professor Giovani Soares. Organizador. Todas as questões de Física dos Vestibulares da UFSM - 1991-2011

PS-2 VESTIBULAR UFSM FÍSICA 2. Professor Giovani Soares. Organizador. Todas as questões de Física dos Vestibulares da UFSM - 1991-2011 PS-2 FÍSICA 2 Todas as questões de Física dos Vestibulares da UFSM - 1991-2011 Organizador Professor Giovani Soares 1- (UFSM-91) Pressão é sinônimo de : a) força b) força vezes superfície c) força por

Leia mais

Fundamentos de Engenharia Solar. Racine T. A. Prado

Fundamentos de Engenharia Solar. Racine T. A. Prado Fundamentos de Engenharia Solar Racine T. A. Prado Coletores Solares Um coletor solar é um tipo específico de trocador de calor que transforma energia solar radiante em calor. Duffie; Beckman Equação básica

Leia mais