PERFIL DO TRABALHADOR ACIDENTADO, COM ÊNFASE NA CONSTRUÇÃO CIVIL: JOÃO PESSOA 1980 E 1991

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PERFIL DO TRABALHADOR ACIDENTADO, COM ÊNFASE NA CONSTRUÇÃO CIVIL: JOÃO PESSOA 1980 E 1991"

Transcrição

1 PERFIL DO TRABALHADOR ACIDENTADO, COM ÊNFASE NA CONSTRUÇÃO CIVIL: JOÃO PESSOA 1980 E 1991 Ronaldo Carvalho Barbosa Universidade Federal da Paraíba - Departamento de Estatística, João Pessoa-Pb, Fone: ( 083 ) Fax: ( 083 ) Neir Antunes Paes Departamento de Estatística - UFPb, João Pessoa-Pb di.ufpb.br Celso Luiz Perreira Rodrigues Departamento de Engenharia de Produção - UFPb, João Pessoa-Pb Abstract This work aims basically at carrying out a descriptive profile of the accidented worker in the city of João Pessoa, with emphasis on those pertaining to the civil construction industry, during the years of 1980 and This study was achieved throught demographic, epidemiologic and social and economic variables as well as a set of variables related to the conditions of both the work and the worker. Such variables were gathered from the Instituto Nacional de Seguridade Social - INSS archives. The majority of the work accidents happened to the accidented person with the following profile: male, married with age between 20 and 24 years old. Among the professions, the hodmen was the most frequent. The contact with some type of element was the main cause of the accident and, the medical report had an indication between 6 to 10 probable treatment days. Keywords: Demography, Accidents, Profile. 1. Introdução No Brasil, assim como em João Pessoa, historicamente, a saúde do trabalhador tem tido pouca atenção, tanto pelas instituições governamentais quanto pelas empresas privadas e pelas instituições de pesquisa, as quais, pouco têm se preocupado com as condições e agravo, relacionados com a prevenção e cuidados com o trabalhador. Investigando as preocupações dos órgãos públicos e instituições envolvidas com as políticas de saúde ocupacional em João Pessoa - INSS, Ministério da Saúde e outros, observa-se uma ausência quase total de estudos realizados sobre a saúde do trabalhador, mais especificamente sobre acidente de trabalho. Há uma urgente necessidade de se discutir essa temática no sentido de entender e esclarecer as condições de segurança do trabalhador que possam subsidiar as políticas de trabalho e de gerenciamento do mesmo no município. Sendo assim, este estudo tem como objetivo, traçar de maneira descritiva, o perfil dos trabalhadores acidentados, em especial os trabalhadores do setor da construção civil, através dos acidentes do trabalho

2 ocorridos no município de João Pessoa, durante os anos de 1980 e Pretende-se com isso, contribuir para uma melhor compreensão desta problemática, com também de dar subsídios para que os agentes do gerenciamento da construção civil possam oferecer uma melhor condição de trabalho e uma melhor qualidade de vida para os trabalhadores. O município de João Pessoa, onde se localiza um dos pontos extremos do país, a Ponta do Seixas, possui uma densidade demográfica de hab/km 2, que apresentou uma taxa de crescimento populacional média de 3,82% ao ano, na década de 80 contendo uma população total de habitantes em 1991, dos quais 78% estavam em idade de trabalhar, mas apenas 36% fazia parte da População Economicamente Ativa - PEA, ficando o setor da construção civil com 7% dessa mão-de-obra. Este setor foi um dos que mais cresceu em 1991 devido a uma expansão imobiliária motivada por uma classe social emergente que demandava habitação na faixa litorânea do município. 2. Material e Métodos Foram notificados acidentes do trabalho em 1980 e 551 em Desses acidentes foram estudados em detalhes todos os casos ocorridos no setor da construção civil (435 em 1980, e 124 em 1991). Esses dados foram obtidos através de consulta aos arquivos do INSS em João Pessoa, realizada nos meses de outubro de 1995 a março de 1996, com o uso de um formulário para registro de algumas informações constantes das fichas da Comunicação de Acidentes do Trabalho - CAT. O formulário foi dividido em quatro blocos de variáveis. No primeiro bloco foram registrados os dados sobre a empresa e sua localização e setor de atuação, buscando identificar quais os acidentes do trabalho que ocorreram em João Pessoa e no ramo da construção civil. No segundo, reuniu-se características do acidentado tais como: idade, sexo, estado civil, profissão e salário. O terceiro, referiu-se ao acidente, envolvendo as variáveis: mês, turno, após quantas horas de trabalho ocorreu o acidente e sua descrição. O último bloco disse respeito ao laudo médico, contendo as variáveis: óbito, duração provável do tratamento e o tempo exato de afastamento. De posse dessas informações juntamente com a descrição quantitativa das variáveis mensuradas pôde-se traçar o perfil dos trabalhadores acidentados e o da população da construção civil. 3. Resultados De 1980 para 1991 houve uma queda de 58,9% no número geral de acidentes ocorridos no município. No setor da construção civil a redução foi de 71,5%. Tal redução pode ter várias hipóteses explicativas que, inclusive, não seriam excludentes: a subnotificação, a melhoria das condições de trabalho através da legislação, melhores condições de trabalho oferecidas pelos órgãos empregadores, melhor qualificação e conscientização do trabalhador exigindo uma maior segurança no trabalho, entre outras. A partir do universo dos acidentes de trabalho registrados e aqui analisados foi possível apontar, na Tabela 1 e Tabela 2, alguns atributos gerais mais característicos da população de trabalhadores pessoenses e da população da construção civil que sofreu acidentes em 1980 e Os percentuais aqui apresentados representam os mais elevados que foram encontrados dentro de cada variável.

3 Tabela 1 - Resumo das Características mais Acentuadas e Distribuição Percentual das Variáveis dos Trabalhadores Acidentados do Município de João Pessoa: VARIÁVEIS FAIXA % Idade Sexo Estado Civil Profissão Renda Tempo (mês ) Turno Hora de Ocorrência Causa do acidente Dias Prováveis de Tratamento Dias Exato de Tratamento 20 a 24 anos Homem Casado Servente < 1 sm 1 < 2 sm Julho Janeiro Manhã Tarde 3 < 4 horas 4 < 5 horas Contacto com elemento Acima de 30 dias Fonte: INSS, Setor de Acidentes do Trabalho - João Pessoa/PB. 21,0 24,0 93,0 92,0 59,0 61,0 23,0 18,0 43, ,0 12, ,0 44, ,0 16, ,0 35,0 27,0 81,0 67,5 52, ,0 Essas características do trabalhador apareceram tanto em 1980 quanto em 1991, guardando, é claro, as suas devidas proporções. Em 1980 a renda salarial dos trabalhadores foi de até 1 salário mínimo, enquanto que em 1991 foi de 1 a 2 salários mínimos. Os meses onde os acidentes ocorreram mais frequentemente foram julho e janeiro respectivamente para 1980 e Quanto ao turno atingido, em 1980, foi na parte da manhã enquanto que em 1991, foi à tarde. Em 1980 os trabalhadores sofreram acidentes entre 3 a 4 horas após o início do trabalho e em 1991 entre 4 a 5 horas. Para os dias exatos de afastamento os trabalhadores passaram, em 1980, entre 11 a 15 dias ausentes do trabalho e, em 1991, acima de 60 dias o que é preocupante pois isso acontece com 23% dos acidentados. Tabela 2 - Resumo das Características mais Acentuadas e Distribuição Percentual das Variáveis dos Trabalhadores Acidentados na Construção Civil do Município de João Pessoa: VARIÁVEIS FAIXA % Idade Sexo Estado Civil Profissão Renda Tempo (mês ) Turno Hora de Ocorrência Causa do acidente Dias Prováveis de Tratamento Dias Exato de Tratamento 20 a 24 anos Homem Casado Servente < 1 sm 1 < 2 sm Julho Janeiro Manhã 3 < 4 horas 3 < 5 horas Contacto com elemento Acima de 30 dias Fonte: INSS, Setor de Acidentes do Trabalho - João Pessoa/PB. 24,6 22,6 99, ,1 60,5 56,3 57,3 60, ,4 15, ,5 52,0 48,4 14, ,2 37,2 25,0 86,4 71,0 51, ,0

4 De acordo com a análise das variáveis, a Tabela 2 mostra que a maioria dos trabalhadores acidentados da construção civil são: do sexo masculino, casado, com idade de 20 a 24 anos, servente, com renda variando de 1 a 2 salários mínimos, que se acidentou no turno da manhã ou no da tarde e cujos acidentes foram causados por contacto com elementos, ocorridos entre as 3ª e 5ª primeiras horas. Há três variáveis que chamam mais atenção em ambas as tabelas. São elas: a renda, os dias prováveis de tratamento e os dias exatos de tratamento. Podemos observar que a renda dos trabalhadores geral e os da construção civil indicam uma melhora em 1991, devido talvez nesta década uma maior luta dos movimentos de classe em termos de reividicações salariais. Já os dias prováveis de tratamento, em 1980 a maioria ( 81% ) e em 1991 ( 67,5% ) dos trabalhadores pessoenses ficaram até 15 dias afastados. No setor da construção civil, os percentuais para a mesma faixa, são maiores, em 1980 ( 86,4% ) e 1991 ( 71% ), isso devido talvez as próprias condições de risco extremamente adversas existentes neste setor, como também, por ser a faixa onde os encargos sociais ficam a cargo dos empregadores. A situação quanto aos dias exatos de tratamento, além dos diferentes percentuais, mostra também uma mudança nas faixas: em 1980, a maioria (52% dos trabalhadores) passou até 15 dias de afastamento; em 1991, a categoria com maior frequência (28%) reuniu os acidentes que demandaram acima de 30 dias de afastamento. No setor da construção civil a maioria, 51% dos trabalhadores passavam até 15 dias de afastamento e em 1991, 29% deles passaram acima de 30 dias afastados, o que poderia sugerir que a política e cuidados na prevenção dos acidentes atuaram no sentido de uma maior atenção à saúde do trabalhador. 4. Conclusão Conforme os perfis dos trabalhadores acidentados apresentados, podemos concluir que praticamente as mesmas características predominantes nos anos de 1980 se repetiram insistentemente em 1991 sem que houvesse reduções importantes nas magnitudes relativas encontradas em ambos os períodos. A manutenção de perfis semelhantes denuncia uma política estável na redução dos acidentes quando se analisa a questão do ponto de vista relativo. Forçoso é reconhecer que a magnitude absoluta dos números revela uma assustadora redução nos acidentes, passando de um total de 1342 acidentes em 1980 para apenas 551 em 1991 principalmente se levarmos em conta que o contigente populacional da PEA aumentou na década, em 66%. É preciso avançar no estudo da qualidade dos dados, buscar formas metodológicas de mensurar o grau de subnotificação dos acidentes. A constatação observada nos dados oficiais de que houve uma violenta redução no número de acidentes pode camuflar uma outra realidade que exige maiores investigações. Este é um dos grandes problemas que entravam o conhecimento da realidade desta problemática e pouco tem-se avançado neste sentido no Brasil, confirmando-se também em João Pessoa. Diante dos resultados obtidos neste trabalho faz-se, a título de encaminhamento, algumas sugestões como: ### Os acidentes do trabalho ocorridos poderão servir de referência para que os empregadores, os empregados, o governo e as representações de classe tomem medidas mais objetivas no cumprimento das normas e leis prevencionistas de acidentes. ### O grupo etário de 20 a 24 anos é o que representou o maior foco dos acidentes em 1980 confirmando que jovens nessa faixa, ainda inexperientes, continuassem sendo as maiores vitimas 10 anos depois em uma clara denúncia de que atenção especial nas políticas de redução dos acidentes deveriam, prioritariamente, ser destinadas a esse grupo etário, o qual, por sua vez, é um dos grupos com maior proporção da população masculina

5 trabalhadora na construção civil. A preocupação com os jovens também deveria ser estendida, prioritariamente, aos casados e aos trabalhadores serventes da construção civil e nas primeiras horas de trabalho. ### para se ter uma melhor compreensão sobre a saúde do trabalhador acidentado da construção civil seria necessário um estudo mais detalhado como, por exemplo, comparando com outros setores de atividade, envolvendo os tipos e local de acidentes, aumentando a série de anos de estudo. 5. Bibliografia BRASIL - IBGE - Censo Demográfico: Dados gerais, Rio de Janeiro, 1980 e 1991 CENEPI, Maria Guadalupe Medina, Paulo Sérgio Siebra Beraldo, Eni Aires Borba, Luiza de Paiva Silva. Informes Epidemiológico do SUS, jan/fev DE CICCO, Francisco M. G. A. F.. Brasil, 1980: Estatísticas de acidentes de trabalho. São Paulo: FUNDACENTRO, p. FERREIRA, Renata Rivera e MENDES, René. Alguns aspectos epidemiológicos dos acidentes de trabalho fatais ocorridos em Campinas, S.P. (Brasil), Revista Saúde Pública, São Paulo, v. 15, p , KOIFMAN, S. et al. Mortalidade e acidentes de trabalho na indústria elétrica. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 17, p , M. A. MEDRADO Faria, O. M. A. Guimarães, E. A. Castilho, W. Bezerra, L. E. Rocha, A. F. Alvarenga. Saúde e Trabalho: Acidentes de Trabalho em Cubatão. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, S.P, 11 (42):, abr./jun.1983 PARAÍBA - IBGE - Censo Demográfico: Dados gerais, Rio de Janeiro, 1980 e 1991 Mão de obra,, 1980 WÜNSCH, Filho, Victor. Variações e tendências na morbimortalidade dos trabalhadores,1995.

MORTALIDADE POR ACIDENTE DE TRÂNSITO ENTRE JOVENS EM MARINGÁ-PR NOS ÚLTIMOS 10 ANOS

MORTALIDADE POR ACIDENTE DE TRÂNSITO ENTRE JOVENS EM MARINGÁ-PR NOS ÚLTIMOS 10 ANOS MORTALIDADE POR ACIDENTE DE TRÂNSITO ENTRE JOVENS EM MARINGÁ-PR NOS ÚLTIMOS 10 ANOS Alex Gomes da Silva 1 ; Larissa Laila Cassarotti 2,Jaqueline Benatto Cardoso 3,Josylene Rodrigues de Souza Pinheiro 4,

Leia mais

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DE ACIDENTES DE TRABALHO 2014 PRINCIPAIS RESULTADOS

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DE ACIDENTES DE TRABALHO 2014 PRINCIPAIS RESULTADOS ANUÁRIO ESTATÍSTICO DE ACIDENTES DE TRABALHO 2014 PRINCIPAIS RESULTADOS Brasília, abril de 2016 SPPS Secretaria de Políticas de Previdência Social 1 ESTATÍSTICAS DE ACIDENTES DO TRABALHO 2 ACIDENTE DO

Leia mais

61,6 milhões cobertos (59,6%)

61,6 milhões cobertos (59,6%) Previdência Social Brasil - 2013 População Residente: 201,4 milhões (2016 205,9) Urbana: 170,7 milhões Rural: 30,7 milhões População Economicamente Ativa - PEA: 103,4 milhões População Desocupada: 6,7

Leia mais

Briefing. Boletim Epidemiológico 2011

Briefing. Boletim Epidemiológico 2011 Briefing Boletim Epidemiológico 2011 1. HIV Estimativa de infectados pelo HIV (2006): 630.000 Prevalência da infecção (15 a 49 anos): 0,61 % Fem. 0,41% Masc. 0,82% 2. Números gerais da aids * Casos acumulados

Leia mais

ANÁLISE DOS ACIDENTES DE TRABALHO NO BRASIL

ANÁLISE DOS ACIDENTES DE TRABALHO NO BRASIL ANÁLISE DOS ACIDENTES DE TRABALHO NO BRASIL Luana Elís de Ramos e PAULA 1 ; Raphael Nogueira REZENDE 1 ; João Evangelista de Paula NETO 2 RESUMO Os objetivos deste trabalho foram avaliar a ocorrência de

Leia mais

Estrutura Populacional

Estrutura Populacional Estrutura Populacional A estrutura populacional consiste na divisão dos habitantes, de acordo com aspectos estruturais, possibilitando sua análise por meio: da idade (jovens, adultos e idosos); do sexo

Leia mais

Panorama Mercado de Trabalho

Panorama Mercado de Trabalho Centro de Políticas Públicas do Insper Setembro de 2014 Apresentação Com o objetivo de ampliar o debate sobre a economia brasileira e o mercado de trabalho e difundir informações para subsidiar o mesmo,

Leia mais

JUVENTUDE POR QUE MONITORAR INDICADORES DE JUVENTUDE? Juventude é um segmento da população brasileira de 15 a 29 anos caracterizado por representar um momento da vida com muitas inquietações e descobertas.

Leia mais

A VIOLÊNCIA SEXUAL COMO ACIDENTE DE TRAJETO. ANÁLISE A PARTIR DE CASOS ATENDIDOS E NOTIFICADOS NO HOSPITAL DE CLÍNICAS DA UFPR EM 2016

A VIOLÊNCIA SEXUAL COMO ACIDENTE DE TRAJETO. ANÁLISE A PARTIR DE CASOS ATENDIDOS E NOTIFICADOS NO HOSPITAL DE CLÍNICAS DA UFPR EM 2016 A VIOLÊNCIA SEXUAL COMO ACIDENTE DE TRAJETO. ANÁLISE A PARTIR DE CASOS ATENDIDOS E NOTIFICADOS NO HOSPITAL DE CLÍNICAS DA UFPR EM 2016 HELEN F. M. ZANCANARO BRUNO L. DA SILVA MARCELO B. DA SILVA RODRIGO

Leia mais

A Evolução da Aposentadoria por Invalidez

A Evolução da Aposentadoria por Invalidez 12 temas de economia aplicada A Evolução da Aposentadoria por Invalidez Rogério Nagamine Costanzi (*) O Brasil é um país marcado por ter um elevado nível de despesa previdenciária para o seu perfil demográfico:

Leia mais

Relatório sobre a realidade juvenil no município de Campinas. 18 outubro 2013

Relatório sobre a realidade juvenil no município de Campinas. 18 outubro 2013 Relatório sobre a realidade juvenil no município de Campinas 18 outubro 2013 22/11/2013 1 A juventude em Campinas Fatos relevantes 170 mil jovens (15% da população) 20% são chefes de família (de 18 a 24

Leia mais

CURITIBA - PR habitantes habitantes ,84 hab/km². 76,30 anos. População : Estimativa populacional - 2.

CURITIBA - PR habitantes habitantes ,84 hab/km². 76,30 anos. População : Estimativa populacional - 2. CURITIBA - PR População - 2.010: 1.751.907 habitantes Estimativa populacional - 2.016: 1.893.997 habitantes Crescimento anual da população - 2000-2010: 0,99% Densidade demográfica - 2.010: 4.024,84 hab/km²

Leia mais

Panorama do Mercado de Trabalho Brasileiro

Panorama do Mercado de Trabalho Brasileiro Brasileiro Centro de Políticas Públicas do Insper Março de 2014 Panorama Educacional Apresentação Com o objetivo de ampliar o debate sobre a economia brasileira e o mercado de trabalho e difundir informações

Leia mais

O Brasil possui uma população de , com uma densidade demográfica de 22,42 hab/km²;

O Brasil possui uma população de , com uma densidade demográfica de 22,42 hab/km²; A POPULAÇÃO BRASILEIRA Características Gerais O Brasil possui uma população de 191.715.083, com uma densidade demográfica de 22,42 hab/km²; A população brasileira ocupa o território de modo bastante irregular.

Leia mais

Indicadores Demográficos. Atividades Integradas III

Indicadores Demográficos. Atividades Integradas III Indicadores Demográficos Atividades Integradas III Dados demográficos Dados demográficos básicos são uma parte essencial de qualquer investigação epidemiológica: - fazem a contagem da linha de base da

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE EMPREGO

PESQUISA MENSAL DE EMPREGO PESQUISA MENSAL DE EMPREGO ESTIMATIVAS PARA O MÊS DE J ANE I R O DE 2004 REGIÕES METROPOLITANAS DE: RECIFE, SALVADOR, BELO HORIZONTE, RIO DE JANEIRO, SÃO PAULO e PORTO ALEGRE I) INTRODUÇÃO Para o primeiro

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Esperança, PB 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 166,54 km² IDHM 2010 0,623 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 31095 hab. Densidade

Leia mais

Panorama do Mercado de Trabalho. Centro de Políticas Públicas do Insper

Panorama do Mercado de Trabalho. Centro de Políticas Públicas do Insper Panorama do Mercado de Trabalho Centro de Políticas Públicas do Insper Março de 2017 Apresentação Com o objetivo de ampliar o debate sobre a economia brasileira e o mercado de trabalho e difundir informações

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Patos, PB 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 515,74 km² IDHM 2010 0,701 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 100674 hab. Densidade demográfica

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Guarabira, PB 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 166,77 km² IDHM 2010 0,673 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 55326 hab. Densidade

Leia mais

Estabelecimentos e Empregos nas Micro e Pequenas Empresas 1

Estabelecimentos e Empregos nas Micro e Pequenas Empresas 1 Estabelecimentos e Empregos nas Micro e Pequenas Empresas 1 Neste texto é analisada exclusivamente a base de dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), com destaque para algumas características

Leia mais

NOTIFICAÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO NAS UNIDADES DE SAÚDE PÚBLICA EM GUARANTÃ DO NORTE MT, 2012

NOTIFICAÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO NAS UNIDADES DE SAÚDE PÚBLICA EM GUARANTÃ DO NORTE MT, 2012 NOTIFICAÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO NAS UNIDADES DE SAÚDE PÚBLICA EM GUARANTÃ DO NORTE MT, 2012 NOTIFICATION OF ACCIDENTS AT WORK IN UNITS OF PUBLIC HEALTH IN GUARANTÃ DO NORTE MT, 2012 ¹Jeferson Cavalett,

Leia mais

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE ACIDENTES OFÍDICOS EM MACHADO/MG NO TRIÊNIO E SUA RELAÇÃO COM A ESCOLARIDADE DOS ENVOLVIDOS.

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE ACIDENTES OFÍDICOS EM MACHADO/MG NO TRIÊNIO E SUA RELAÇÃO COM A ESCOLARIDADE DOS ENVOLVIDOS. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CÂMPUS MACHADO DAVID JÚNIOR GOMES DE ALMEIDA PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE ACIDENTES OFÍDICOS EM MACHADO/MG NO TRIÊNIO 2007 2010 E

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Pirpirituba, PB 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 79,64 km² IDHM 2010 0,595 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 10326 hab. Densidade

Leia mais

MORBIMORTALIDADE DA POPULAÇÃO IDOSA DE JOÃO PESSOA- PB

MORBIMORTALIDADE DA POPULAÇÃO IDOSA DE JOÃO PESSOA- PB MORBIMORTALIDADE DA POPULAÇÃO IDOSA DE JOÃO PESSOA- PB Silmery da Silva Brito- UFPB- silmery_ce@hotmail.com Regiane Fixina de Lucena UEPB regi.rfl@bol.com.br Joyce Lane Braz Virgolino- UFPB- joyce.lane@hotmail.com

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Taperoá, PB 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 664,9 km² IDHM 2010 0,578 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 14936 hab. Densidade demográfica

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Mãe D'Água, PB 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 243,65 km² IDHM 2010 0,542 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 4019 hab. Densidade

Leia mais

A inserção do negro no mercado de trabalho no Distrito Federal

A inserção do negro no mercado de trabalho no Distrito Federal PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NO DISTRITO FEDERAL A inserção do negro no mercado de trabalho no Novembro de 2011 A discussão sobre trabalho decente, capitaneada pela Organização Internacional do Trabalho

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Casserengue, PB 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 202,67 km² IDHM 2010 0,514 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 7058 hab. Densidade

Leia mais

6.3. INFECÇÃO PELO VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA Introdução

6.3. INFECÇÃO PELO VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA Introdução 6.3. INFECÇÃO PELO VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA 6.3.1. Introdução O diagnóstico da situação relativo à infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH) na região Norte (RN) foi elaborado com base

Leia mais

Sondagem Industrial do RN: Indústrias Extrativas e de Transformação Ano 20, Número 8, agosto de 2017

Sondagem Industrial do RN: Indústrias Extrativas e de Transformação Ano 20, Número 8, agosto de 2017 Atividade industrial potiguar fica estável em agosto RESUMO E COMENTÁRIOS A Sondagem das indústrias Extrativas e de do Rio Grande do Norte, elaborada pela FIERN, revela que no mês de agosto, a produção

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Olho D'Água do Casado, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 324,54 km² IDHM 2010 0,525 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo

Leia mais

A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB)

A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB) MÁRCIA ABATH AIRES DE BARROS ROBERTA ABATH TARGINO PROGRAMA DE INTERIORIZAÇÃO EM TRABALHO DE SAÚDE PITS/MS/CNPq NÚCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA NESC/UFPB Introdução Trauma é uma doença ignorada como

Leia mais

DINÂMICA POPULACIONAL E INDICADORES DEMOGRÁFICOS. Aula 4

DINÂMICA POPULACIONAL E INDICADORES DEMOGRÁFICOS. Aula 4 DINÂMICA POPULACIONAL E INDICADORES DEMOGRÁFICOS Aula 4 NOS DÁ A IDÉIA DA COMPOSIÇÃO DA POPULAÇAO... Década de 30 A ESPERANÇA DE VIDA AO NASCER passou de aproximadamente 41 anos Década de 50 Viviam média

Leia mais

Análises de Acidentes do Trabalho Fatais MTE SEGUR/RS

Análises de Acidentes do Trabalho Fatais MTE SEGUR/RS Análises de Acidentes do Trabalho Fatais Palestra proferida na SRTE em dezembro de 2008 por Môsiris Roberto Giovanini Pereira Membro da Comissão Organizadora do livro Análises de Acidentes do Trabalho

Leia mais

II SEMINÁRIO DOS ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO II SEP

II SEMINÁRIO DOS ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO II SEP Segurança no trabalho na construção civil: análise da influência do uso inadequado de EPI'S na ocorrência de acidentes de trabalho Jucélia Carolina da Silva 1 ; Carlos Fernando Lemos 2 ; Letícia Paixão

Leia mais

25/11/2016 IBGE sala de imprensa notícias PNAD 2015: rendimentos têm queda e desigualdade mantém trajetória de redução

25/11/2016 IBGE sala de imprensa notícias PNAD 2015: rendimentos têm queda e desigualdade mantém trajetória de redução PNAD 2015: rendimentos têm queda e desigualdade mantém trajetória de redução fotos saiba mais De 2014 para 2015, houve, pela primeira vez em 11 anos, queda nos rendimentos reais (corrigidos pela inflação).

Leia mais

ESTUDO DA DESCARACTERIZAÇÃO DO NEXO TÉCNICO EPIDEMIOLÓGICO PELA PERÍCIA MÉDICA PREVIDENCIÁRIA

ESTUDO DA DESCARACTERIZAÇÃO DO NEXO TÉCNICO EPIDEMIOLÓGICO PELA PERÍCIA MÉDICA PREVIDENCIÁRIA ESTUDO DA DESCARACTERIZAÇÃO DO NEXO TÉCNICO EPIDEMIOLÓGICO PELA PERÍCIA MÉDICA PREVIDENCIÁRIA JOÃO SILVESTRE DA SILVA-JUNIOR, FLÁVIA SOUZA E SILVA DE ALMEIDA, MÁRCIO PRINCE SANTIAGO, LUIZ CARLOS MORRONE

Leia mais

1 Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal//SUPLAV

1 Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal//SUPLAV O perfil das mulheres de 10 anos e mais de idade no Distrito Federal e na Periferia Metropolitana de Brasília - PMB segundo a ótica raça/cor 2010 Lucilene Dias Cordeiro 1 1 Secretaria de Estado de Educação

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Curitiba, PR 08/07/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 437,42 km² IDHM 2010 0,823 Faixa do IDHM Muito Alto (IDHM entre 0,8 e 1) (Censo 2010) 1751907

Leia mais

ANÁLISE DOS DADOS DE MORTALIDADE DE 2001

ANÁLISE DOS DADOS DE MORTALIDADE DE 2001 ANÁLISE DOS DADOS DE MORTALIDADE DE 2001 Coordenação Geral de Informações e Análise Epidemiológica Departamento de Análise da Situação de Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde - Ministério da Saúde Janeiro

Leia mais

A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA

A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA MARÇO - 2012 DINAMISMO DO MERCADO DE TRABALHO ELEVA A FORMALIZAÇÃO DAS RELAÇÕES DE TRABALHO DE HOMENS E MULHERES, MAS A

Leia mais

O programa de saúde da família: evolução de sua implantação no Brasil. Instituto de Saúde Coletiva - Universidade Federal da Bahia

O programa de saúde da família: evolução de sua implantação no Brasil. Instituto de Saúde Coletiva - Universidade Federal da Bahia Título do Estudo: O programa de saúde da família: evolução de sua implantação no Brasil Instituição executora: Instituto de Saúde Coletiva - Universidade Federal da Bahia Instituição financiadora: Ministério

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE O PROJETO DE INFORMAÇÃO, PERFIL DE USO, CONSUMO E AGRAVOS À SAÚDE RELACIONADOS A AGROTÓXICOS NO ESTADO DE SÃO PAULO

RELATÓRIO SOBRE O PROJETO DE INFORMAÇÃO, PERFIL DE USO, CONSUMO E AGRAVOS À SAÚDE RELACIONADOS A AGROTÓXICOS NO ESTADO DE SÃO PAULO RELATÓRIO SOBRE O PROJETO DE INFORMAÇÃO, PERFIL DE USO, CONSUMO E AGRAVOS À SAÚDE RELACIONADOS A AGROTÓXICOS NO ESTADO DE SÃO PAULO Jefferson Benedito Pires de Freitas jeffersonpfreitas@uol.com.br Professor

Leia mais

INVESTIGAÇÃO E ANÁLISE DE ACIDENTES E INCIDENTES NORMA DE SEGURANÇA OBRIGATÓRIA PARA TODAS AS EMPRESAS INSTALADAS NO POLO

INVESTIGAÇÃO E ANÁLISE DE ACIDENTES E INCIDENTES NORMA DE SEGURANÇA OBRIGATÓRIA PARA TODAS AS EMPRESAS INSTALADAS NO POLO 1. OBJETIVO Orientar, disciplinar e estabelecer critérios para comunicação e registro de investigação e análise de Acidentes e Incidentes do Trabalho entre as empresas associadas do COFIC. Servir como

Leia mais

Atualização das Projeções e Estimativas Populacionais para o Rio Grande do Sul e seus Municípios

Atualização das Projeções e Estimativas Populacionais para o Rio Grande do Sul e seus Municípios Atualização das Projeções e Estimativas Populacionais para o Rio Grande do Sul e seus Municípios Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística Palavras-Chave: Projeções de população,

Leia mais

PARA ENTENDER OS INDICADORES

PARA ENTENDER OS INDICADORES SEGURANÇA PARA ENTENDER OS INDICADORES Como organizamos isso tudo? Para chegar a esta publicação, com todos esses dados sobre a cidade do Recife, o ODR estruturou todo o trabalho a partir de dois eixos

Leia mais

Taxa de desemprego em relativa estabilidade

Taxa de desemprego em relativa estabilidade PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO DO ABC 1 PED ABC JUNHO 2 DE 2016 DIVULGAÇÃO N o 62 Taxa de desemprego em relativa estabilidade Aumenta o nível de ocupação nos Serviços e se reduz na Indústria

Leia mais

Sondagem Industrial do RN: Indústrias Extrativas e de Transformação

Sondagem Industrial do RN: Indústrias Extrativas e de Transformação Atividade industrial potiguar volta a crescer em maio RESUMO E COMENTÁRIOS A Sondagem das indústrias Extrativas e de do Rio Grande do Norte, elaborada pela FIERN, mostra que, em maio, o nível de produção

Leia mais

SETEMBRO AMARELO. Ministério da Saúde lança Agenda Estratégica de Prevenção do Suicídio

SETEMBRO AMARELO. Ministério da Saúde lança Agenda Estratégica de Prevenção do Suicídio SETEMBRO AMARELO Ministério da Saúde lança Agenda Estratégica de Prevenção do Suicídio A meta é reduzir em 10% a mortalidade por suicídio até 2020 Brasil é signatário do Plano de Ação em Saúde Mental,

Leia mais

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA LEPTOSPIROSE NO ESTADO DE SÃO PAULO NO PERÍODO DE 2007 A 2011

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA LEPTOSPIROSE NO ESTADO DE SÃO PAULO NO PERÍODO DE 2007 A 2011 PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA LEPTOSPIROSE NO ESTADO DE SÃO PAULO NO PERÍODO DE 2007 A 2011 Márcia Regina Buzzar Divisão de Zoonoses CVE SES-SP mbuzzar@saude.sp.gov.br INTRODUÇÃO A Leptospirose é doença infecciosa

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Chapada dos Guimarães, MT 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 5657,43 km² IDHM 2010 0,688 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 17821 hab.

Leia mais

EPIDEMIOLOGIA. Profª Ms. Karla Prado de Souza Cruvinel

EPIDEMIOLOGIA. Profª Ms. Karla Prado de Souza Cruvinel EPIDEMIOLOGIA Profª Ms. Karla Prado de Souza Cruvinel O QUE É EPIDEMIOLOGIA? Compreende: Estudo dos determinantes de saúdedoença: contribuindo para o avanço no conhecimento etiológico-clínico Análise das

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Batalha, AL 13/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 322,26 km² IDHM 2010 0,594 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 17076

Leia mais

Desigualdade, pobreza e violência em Porto Alegre

Desigualdade, pobreza e violência em Porto Alegre Desigualdade, pobreza e violência em Porto Alegre Letícia Maria Schabbach Depto. Sociologia/Curso de Políticas Públicas UFRGS leticiams65@gmail.com 1 Homicídio Barômetro bastante confiável da criminalidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Roteiro, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 129,89 km² IDHM 2010 0,505 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 6656

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Barra de São Miguel, AL 13/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 75 km² IDHM 2010 0,615 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010)

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Penedo, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 690,81 km² IDHM 2010 0,630 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 60378

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Santa Luzia do Norte, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 28,6 km² IDHM 2010 0,597 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Piranhas, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 408,47 km² IDHM 2010 0,589 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 23045

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de São Brás, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 140,32 km² IDHM 2010 0,572 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 6718

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Cajueiro, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 124,88 km² IDHM 2010 0,562 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 20409

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Branquinha, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 192,17 km² IDHM 2010 0,513 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010)

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Murici, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 425,32 km² IDHM 2010 0,527 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 26710

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Belo Monte, AL 13/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 336,38 km² IDHM 2010 0,517 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010)

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Porto Real do Colégio, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 240,46 km² IDHM 2010 0,551 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Ouro Branco, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 206,01 km² IDHM 2010 0,547 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010)

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Traipu, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 702,41 km² IDHM 2010 0,532 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 25702

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Satuba, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 43,78 km² IDHM 2010 0,660 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 14603

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Arapiraca, AL 13/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 352,81 km² IDHM 2010 0,649 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 214006

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Rio Largo, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 310,86 km² IDHM 2010 0,643 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 68481

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Viçosa, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 356,67 km² IDHM 2010 0,586 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 25407

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Palmeira dos Índios, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 462,76 km² IDHM 2010 0,638 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Major Isidoro, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 455,14 km² IDHM 2010 0,566 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010)

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Maravilha, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 281,36 km² IDHM 2010 0,569 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 10284

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Marechal Deodoro, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 333,64 km² IDHM 2010 0,642 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Boca da Mata, AL 13/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 187,11 km² IDHM 2010 0,604 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010)

Leia mais

Relatório Informativo: Análise do Mercado de Trabalho Formal da Região Metropolitana de Campinas RAIS 2008

Relatório Informativo: Análise do Mercado de Trabalho Formal da Região Metropolitana de Campinas RAIS 2008 OBSERVATÓRIO DO TRABALHO DE CAMPINAS Relatório Informativo: Análise do Mercado de Trabalho Formal da Região Metropolitana de Campinas RAIS 2008 Termo de Contrato Nº. 65/2009 2009 EXPEDIENTE DA SECRETARIA

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de União dos Palmares, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 429,08 km² IDHM 2010 0,593 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Belém, AL 13/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 48,36 km² IDHM 2010 0,593 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 4551 hab.

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Coqueiro Seco, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 38,94 km² IDHM 2010 0,586 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010)

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de São Luís do Quitunde, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 406,14 km² IDHM 2010 0,536 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Pão de Açúcar, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 662,95 km² IDHM 2010 0,593 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010)

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Craíbas, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 276,26 km² IDHM 2010 0,525 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 22641

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Piaçabuçu, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 242,29 km² IDHM 2010 0,572 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010) 17203

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Quebrangulo, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 300,93 km² IDHM 2010 0,559 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010)

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Coité do Nóia, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 88,52 km² IDHM 2010 0,533 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo 2010)

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Poço das Trincheiras, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 303,4 km² IDHM 2010 0,526 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Olho D'Água das Flores, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 183,96 km² IDHM 2010 0,565 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo

Leia mais

ESTUDO TÉCNICO N.º 12/2014

ESTUDO TÉCNICO N.º 12/2014 ESTUDO TÉCNICO N.º 12/2014 Principais resultados da PNAD 2013 potencialmente relacionados às ações e programas do MDS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA DE AVALIAÇÃO E GESTÃO

Leia mais

Estatística Descritiva e teste qui-quadrado aplicados a acidentes de trânsitos ocorridos em rodovias federais na Paraíba em 2012

Estatística Descritiva e teste qui-quadrado aplicados a acidentes de trânsitos ocorridos em rodovias federais na Paraíba em 2012 Estatística Descritiva e teste qui-quadrado aplicados a acidentes de trânsitos ocorridos em rodovias federais na Paraíba em 2012 João Fernandes de Araújo Neto 1 Edwirde Luiz Silva 2 Resumo Neste trabalho

Leia mais

A inserção da população negra no mercado de trabalho da Região Metropolitana de Belo Horizonte

A inserção da população negra no mercado de trabalho da Região Metropolitana de Belo Horizonte PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE A inserção da população negra no mercado de trabalho da Novembro de 2011 A discussão sobre trabalho decente, capitaneada pela

Leia mais

Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão

Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão A Estrutura Etária DOS JOVENS AOS IDOSOS PIRAMIDES ETARIAS Estrutura etária é a divisão de uma população por grupos de idade e sexo - IDOSOS 60 ANOS OU MAIS

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Guarujá, SP 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 143,71 km² IDHM 2010 0,751 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 290752 hab. Densidade

Leia mais

DEFINIÇÕES DE RURAL E URBANO

DEFINIÇÕES DE RURAL E URBANO UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE ENGENHARIA DE ILHA SOLTEIRA DISCIPLINA: SOCIOLOGIA E ÉTICA Curso de Zootecnia DEFINIÇÕES DE RURAL E URBANO MAIO 2017 Definição sociológica de rural: é um espaço

Leia mais

Estudo de Caso Parte II Discussões e Resultados

Estudo de Caso Parte II Discussões e Resultados 6 CAPÍTULO Estudo de Caso Parte II Discussões e Resultados A partir do que foi comentado no Capítulo 5, com base na metodologia adotada, foi possível analisar os dados e dispô-los em gráficos e tabelas

Leia mais

Melhoria no mercado de trabalho não garantiu igualdade de condições às mulheres

Melhoria no mercado de trabalho não garantiu igualdade de condições às mulheres A INSERÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE MARÇO 2013 Melhoria no mercado de trabalho não garantiu igualdade de condições às mulheres De maneira geral, as mulheres

Leia mais

Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança

Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Aula 01 - Definições básicas e legislações Eletromecânica Módulo 1 Professor: Sergio Luis Brockveld Junior Objetivo: Compreender e contextualizar conceitos,

Leia mais

Boletim Estatístico. Ano 07 - Janeiro a Outubro de 2017 DPVAT: O SEGURO DO TRÂNSITO

Boletim Estatístico. Ano 07 - Janeiro a Outubro de 2017 DPVAT: O SEGURO DO TRÂNSITO Boletim Estatístico Ano 07 - Janeiro a Outubro de 2017 DPVAT: O SEGURO DO TRÂNSITO Indenizações Pagas Natureza da Indenização % % x Morte 34.105 10% 26.917 7% 27% Invalidez Permanente 242.606 75% 282.545

Leia mais

PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NO DISTRITO FEDERAL JANEIRO DE 2007

PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NO DISTRITO FEDERAL JANEIRO DE 2007 PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NO DISTRITO FEDERAL JANEIRO DE 2007 Taxa de desemprego registra variação negativa, devido a saída de pessoas do mercado de trabalho. As informações captadas pela Pesquisa

Leia mais