O ESTUDO DE FUNÇÕES NA AVALIAÇÃO DE APRENDIZAGEM EM PROCESSO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O ESTUDO DE FUNÇÕES NA AVALIAÇÃO DE APRENDIZAGEM EM PROCESSO"

Transcrição

1 O ESTUDO DE FUNÇÕES NA AVALIAÇÃO DE APRENDIZAGEM EM PROCESSO RELATO SOBRE UM GRUPO DE ESTUDOS Mestranda : Vera Mônica Ribeiro Orientadora: Nielce Lobo da Costa Copyright RIBEIRO, Vera M.; LOBO da COSTA, Nielce M., UNIAN, São Paulo. Junho, 2015

2 OBJETIVO Apresentar o inicio do percurso a ser trilhado por um Grupo de Estudos composto por professores da Educação Básica da rede pública da Cidade de São Paulo. Tal grupo é objeto de pesquisa de uma dissertação de mestrado em andamento que se desenvolve em um processo de Formação Continuada.

3 O presente estudo insere-se na linha de pesquisa Formação de Professores que Ensinam Matemática do Programa de Pós- Graduação em Educação Matemática da Universidade Anhanguera de São Paulo. A pesquisa desenvolve-se no âmbito de um Projeto dessa Universidade intitulado Grupo de Estudos sobre Avaliação do Programa Observatório da Educação, aqui intitulado Projeto OBEDUC Práticas.

4 METODOLOGIA A metodologia aplicada e Design Based Research Foco no pensamento matemático dos sujeitos e nas modificaçoes desses pensamentos durante o processo. Os registros são escritos, gravados, fotografados e filmados.

5 PERCURSO TRILHADO Apresentação da Avaliação de Aprendizagem em Processo (AAP) Separação de Questões de Funções presentes na AAP por série. Resolução e Análise das questões. Síntese da Tarefa Classificação de acordo com o Currículo do Estado de São Paulo Classificação de acordo com o Caderno do Professor Classificação de acordo com a Matriz do Saresp Classificação de acordo com os Descritores do Saeb

6 APRESENTAÇÃO DA AAP A Avaliação da Aprendizagem em Processo é uma ação de caráter diagnóstico e que se localiza no bojo das ações voltadas para os processos de recuperação continuada e paralela, tem como objetivo apoiar e subsidiar os professores de Língua Portuguesa e de Matemática que atuam no Ensino Fundamental e Ensino Médio da Rede Estadual de São Paulo.

7 Avaliação de Aprendizagem em Processo (AAP) de Matemática As provas são elaboradas com a finalidade de avaliar habilidades cognitivas, noções e procedimentos matemáticos que, em geral, são desenvolvidos ao longo dos anos anteriores e retomados, em especial, na referida série. A prova é constituída por situações- problemas distribuídas em questões de múltipla escolha e questões abertas. A Matriz de Referência da AAP baseia-se no Currículo de São Paulo, no Caderno do Professor e nas Matrizes do Saresp e Saeb.

8 DIFERENCIAL DA AAP Após sua aplicação os professores poderão: Realizar inferências com relação aos acertos e buscar a compreensão dos possíveis erros. Perguntar aos alunos sobre as suas escolhas, confirmar inferências e compreensões. Verificar maior incidência de erros relacionada aos temas/conteúdos/objetos de ensino testados em cada questão. Aplicar as ações necessárias para que seu aluno tenha a possibilidade de avançar sem acumular dificuldades.

9 DOCUMENTOS - AVALIAÇÃO 1ª EDIÇÃO - 2º SEMESTRE º ANO EF e 1ª SÉRIE EM 2ª EDIÇÃO - 1º SEMESTRE º, 7º ANO EF 1ª e 2ª SÉRIE DO EM 3ª EDIÇÃO - 2º SEMESTRE º, 7º, 8º ANO EF e 1ª, 2ª e 3ª SÉRIE DO EM 4ª EDIÇÃO - 1º SEMESTRE º, 7º, 8º, 9º ANO EF e 1ª, 2ª e 3ª SÉRIE DO EM 5º EDIÇÃO - 2º SEMESTRE º, 7º, 8º e 9º ANO EF e 1ª, 2ª e 3ª SÉRIE DO EM 6ª EDIÇÃO 1º SEMESTRE º, 7º, 8º e 9º ANO EF e 1ª, 2ª e 3ª SÉRIE DO EM 7ª EDIÇÃO 2º SEMESTRE º, 7º, 8º e 9º ANO EF e 1ª, 2ª e 3ª SÉRIE DO EM 8ª EDIÇÃO 1º SEMESTRE º, 7º, 8º E 9º ANO EF e 1ª, 2ª e 3ª SÉRIE DO EM

10 QUESTÕES X FUNÇÕES

11 QUESTÃO PARA ANÁLISE

12 FORMAS DE RESOLUÇÃO

13 ANÁLISE DA QUESTÃO Síntese da tarefa (o que o aluno deve saber para realizar a tarefa): o aluno deve atribuir valores para a variável independente e calcular o valor correspondente da variável dependente, encontrar os pontos no plano cartesiano, ligá-los para determinar a reta.

14 ANÁLISE DA QUESTÃO Classificação de acordo com o Currículo do Estado de São Paulo Série: 8ª série/9º ano Conteúdo: Construção de tabelas e gráficos para representar funções de 1º e 2º graus Habilidade: Saber construir gráficos e funções de 1º e 2º graus por meio de tabelas e da comparação com os gráficos das funções y=x e y=x² Classificação de acordo com o Caderno do Professor Volume: 1 Situação de Aprendizagem: 8 - Representação gráfica de grandezas proporcionais e algumas não proporcionais

15 ANÁLISE DA QUESTÃO Classificação de acordo com a Matriz do Saresp Competência: Grupo III Competências para compreender (Matriz de referência 8ª série/9º ano) Habilidade: H20 - Resolver problemas envolvendo relações de proporcionalidade direta entre duas grandezas por meio de funções do 1º grau Classificação de acordo com os Descritores do Saeb Tema: III Números e Operações/Álgebra e Funções Descritor: D23 Reconhecer o gráfico de uma função polinomial de 1º grau por meio de seus coeficientes.

16 REFERENCIA BIBLIOGRAFICA Currículo do Estado de Sao Paulo: Matemática e suas tecnologias/secretaria da Educação coordenação geral, Maria Ines Fini; coordenação de area, Nilson Jose Machado. 1 ed. Atual-Sao Paulo: SE, p. Matrizes de referencia para a avaliação do Saresp: documento basico/secretaria da Educação coordenação geral, maria Ines Fini.- Sao Paulo: SEE, Brasil.Ministerio da Educação. PDE: Plano de Desenvolvimento da Educação : SAEB: ensino medio:matrizes de referencia: topicos e descritores.brasilia:mec, SEB,Inep, p.:il. Caderno do Professor Avaliação de Aprendizagem em Processo

17

É possível utilizar os resultados da avaliação em larga escala para melhorar o desempenho dos alunos? Maria Inês Fini Out./2010

É possível utilizar os resultados da avaliação em larga escala para melhorar o desempenho dos alunos? Maria Inês Fini Out./2010 É possível utilizar os resultados da avaliação em larga escala para melhorar o desempenho dos alunos? Maria Inês Fini Out./2010 Em que contexto de gestão estão inseridos os usos de seus resultados? Nível

Leia mais

Programa Ler e Escrever. Apresentação

Programa Ler e Escrever. Apresentação Programa Ler e Escrever Apresentação Mais do que um programa de formação, o Ler e Escrever é um conjunto de linhas de ação articuladas que inclui formação, acompanhamento, elaboração e distribuição de

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O ACOMPANHAMENTO DA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA

ORIENTAÇÕES PARA O ACOMPANHAMENTO DA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA DOCUMENTO ORIENTADOR CGEB Nº 11 DE 2014 COORDENADORIA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA ORIENTAÇÕES PARA O ACOMPANHAMENTO DA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA SÃO PAULO JUNHO DE 2014 Governador Geraldo Alckmin Vice-Governador

Leia mais

OFICINA DE ELABORAÇÃO DE ITENS DE MATEMÁTICA PARA VALIAÇÕES EXTERNAS

OFICINA DE ELABORAÇÃO DE ITENS DE MATEMÁTICA PARA VALIAÇÕES EXTERNAS UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ UVA CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA OFICINA DE ELABORAÇÃO DE ITENS DE MATEMÁTICA PARA VALIAÇÕES EXTERNAS Prof. (professorwendelmelo@gmail.com) SOBRAL CE 2011 Página

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR E DIMENSIONAMENTO DA CARGA HORÁRIA POR PERÍODO LETIVO (A CARGA HORÁRIA APRESENTADA NAS TABELAS REFEREM-SE À HORA AULA DE 50 MINUTOS)

MATRIZ CURRICULAR E DIMENSIONAMENTO DA CARGA HORÁRIA POR PERÍODO LETIVO (A CARGA HORÁRIA APRESENTADA NAS TABELAS REFEREM-SE À HORA AULA DE 50 MINUTOS) MATRIZ CURRICULAR E DIMENSIONAMENTO DA POR PERÍODO LETIVO (A APRESENTADA NAS TABELAS REFEREM-SE À HORA AULA DE 50 MINUTOS) PRIMEIRO SEMESTRE / 1 O ANO Leitura e Interpretação de Textos 2-40 Matemática

Leia mais

HORÁRIO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1 PERÍODO 2015/1º SEMESTRE

HORÁRIO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1 PERÍODO 2015/1º SEMESTRE HORÁRIO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1 PERÍODO 2015/1º SEMESTRE 13:00 13:45 Cálculo Diferencial e Integral I s de (Raphael ) de 13:45 14:30 Cálculo Diferencial e Integral I s de de 14:30 15:15 Cálculo

Leia mais

Projeto Interdisciplinar CURSO DE GESTÃO EMPRESARIAL (AAP)

Projeto Interdisciplinar CURSO DE GESTÃO EMPRESARIAL (AAP) Projeto Interdisciplinar CURSO DE GESTÃO EMPRESARIAL (AAP) São Carlos, Agosto de 2014 AAP ATIVIDADES AUTÔNOMAS DE PROJETOS; Atividades previstas no Regulamento de Graduação das FATECs, no Inciso VII do

Leia mais

RELATÓRIOS PEDAGÓGICOS DO SARESP: DESEMPENHO DOS ALUNOS DE 9º ANO EM MATEMÁTICA

RELATÓRIOS PEDAGÓGICOS DO SARESP: DESEMPENHO DOS ALUNOS DE 9º ANO EM MATEMÁTICA RELATÓRIOS PEDAGÓGICOS DO SARESP: DESEMPENHO DOS ALUNOS DE 9º ANO EM MATEMÁTICA Giselle Barreto Santos¹, Amanda Cristina Teagno Lopes Marques², Graziela Marchi Tiago³ ¹ Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

ISSN 2317-2118. Revista Pedagógica Matemática 5º e 6º anos do Ensino Fundamental. Sistema de Avaliação Educacional de Rondônia

ISSN 2317-2118. Revista Pedagógica Matemática 5º e 6º anos do Ensino Fundamental. Sistema de Avaliação Educacional de Rondônia ISSN 2317-2118 Revista Pedagógica Matemática 5º e 6º anos do Ensino Fundamental Sistema de Avaliação Educacional de Rondônia 1943 1981 RONDÔNIA ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO CONFÚCIO

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO EDUCACIONAL EM LARGA ESCALA

ANÁLISE COMPARATIVA DOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO EDUCACIONAL EM LARGA ESCALA ANÁLISE COMPARATIVA DOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO EDUCACIONAL EM LARGA ESCALA Mauro Luiz Rabelo 1 1 Departamento de Matemática, Universidade de Brasília, Brasil, e-mail: rabelo@unb.br Índice Introdução 1

Leia mais

Matriz de Referência de Matemática da 8ª série do Ensino Fundamental. Comentários sobre os Temas e seus Descritores Exemplos de Itens

Matriz de Referência de Matemática da 8ª série do Ensino Fundamental. Comentários sobre os Temas e seus Descritores Exemplos de Itens Matriz de Referência de Matemática da 8ª série do Ensino Fundamental TEMA I ESPAÇO E FORMA Comentários sobre os Temas e seus Descritores Exemplos de Itens Os conceitos geométricos constituem parte importante

Leia mais

Proposta de Plano de Estudos de Matemática para Séries Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio

Proposta de Plano de Estudos de Matemática para Séries Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio Proposta de Plano de Estudos de Matemática para Séries Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio Daniela Cristina Schossler 1 Claus Haetinger 2 Resumo Esta proposta de dissertação está vinculada ao Mestrado

Leia mais

SEMANA DO SARESP/SAEB

SEMANA DO SARESP/SAEB SEMANA DO SARESP/SAEB Coordenadoria de Informação, Monitoramento e Avaliação Educacional CIMA Departamento de Avaliação Educacional DAVED GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO em parceria com Coordenadoria de

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO DE SANTO ANDRÉ SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO DE SANTO ANDRÉ SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: CST em Gestão em Recursos Humanos MISSÃO DO CURSO A missão do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos da ESTÁCIO EUROPAN consiste em formar

Leia mais

PROVA BRASIL: DESCRITORES DE MATEMÁTICA 8ª SÉRIE/9º ANO

PROVA BRASIL: DESCRITORES DE MATEMÁTICA 8ª SÉRIE/9º ANO PROVA BRASIL: DESCRITORES DE MATEMÁTICA 8ª SÉRIE/9º ANO CÉSAR CLEMENTE Professor Especialista em Matemática Aplicada, Diretor de Escola e Mestrando em Educação Temas e seus descritores: 8 ª série ou 9º

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento normatiza as atividades relacionadas ao Estágio Curricular do Curso de Administração

Leia mais

Metas e objetivos do Programa Linha do Tempo Por que avaliar? Medidas Educacionais Tipos de Avaliação O que éavaliado? Fatores Associados ao

Metas e objetivos do Programa Linha do Tempo Por que avaliar? Medidas Educacionais Tipos de Avaliação O que éavaliado? Fatores Associados ao A Avaliação do PAEBES Metas e objetivos do Programa Linha do Tempo Por que avaliar? Medidas Educacionais Tipos de Avaliação O que éavaliado? Fatores Associados ao Desempenho Programa de Avaliação da Educação

Leia mais

Representação e Interpretação de Escalas em Gráficos por Alunos do 5º Ano

Representação e Interpretação de Escalas em Gráficos por Alunos do 5º Ano Representação e Interpretação de Escalas em Gráficos por Alunos do 5º Ano GD12 Ensino de Probabilidade e Estatística Betânia Evangelista 1 Resumo O presente artigo discute as contribuições de uma intervenção

Leia mais

O FINANCIAMENTO DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUES

O FINANCIAMENTO DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUES MARIA LUISA MACHADO CERDEIRA SUB Hamburg A/529934 O FINANCIAMENTO DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUES A PARTILHA DE CUSTOS Tese orientada por: PROFESSOR DOUTOR BRUCE JOHNSTONE PROFESSOR DOUTOR ANTONIO SAMPAIO

Leia mais

Um Diagnóstico das Habilidades de Visualização no Ensino Médio

Um Diagnóstico das Habilidades de Visualização no Ensino Médio Um Diagnóstico das Habilidades de Visualização no Ensino Médio Mariko Kawamoto 1 GD3 Educação Matemática no Ensino Médio Resumo: Com esta pesquisa, tem-se como objetivo verificar se alunos da 2ª série

Leia mais

Pilar 2 Aprimorar as ações e a gestão pedagógica da Rede com foco no resultado dos alunos

Pilar 2 Aprimorar as ações e a gestão pedagógica da Rede com foco no resultado dos alunos Pilar 2 Aprimorar as ações e a gestão pedagógica da Rede com foco no resultado dos alunos Agosto de 2013 Secretaria de Estado da Educação Universidade Presbiteriana Mackenzie São Paulo - SP 1 Os 5 pilares

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Manutenção Industrial 4.1-Histórico:

Curso Superior de Tecnologia em Manutenção Industrial 4.1-Histórico: Curso Superior de Tecnologia em Manutenção Industrial 4.1-Histórico: O Curso Superior de Tecnologia em Manutenção Industrial da Faculdade Sul Fluminense FASF, tendo como Entidade Mantenedora o Instituto

Leia mais

RELATÓRIO PEDAGÓGICO 2009 SARESP LÍNGUA PORTUGUESA SÃO PAULO 2010

RELATÓRIO PEDAGÓGICO 2009 SARESP LÍNGUA PORTUGUESA SÃO PAULO 2010 RELATÓRIO PEDAGÓGICO 9 SARESP 0 4 4 3 3 2 LÍNGUA PORTUGUESA SÃO PAULO 2010 Prezados professores e gestores, A divulgação dos resultados do SARESP 9 por meio de relatórios pedagógicos, encontros presenciais

Leia mais

ANÁLISE GRÁFICA DOS RESULTADOS EXPERIMENTAIS

ANÁLISE GRÁFICA DOS RESULTADOS EXPERIMENTAIS ANÁLISE GRÁFICA DOS RESULTADOS EXPERIMENTAIS Após a realização de um experimento, deseja-se estabelecer a função matemática que relaciona as variáveis do fenómeno físico estudado. Nos nossos experimentos

Leia mais

Resoluções Prova Anglo

Resoluções Prova Anglo Resoluções Prova Anglo F- TIPO D-6 Matemática (P-2) Ensino Fundamental 6º ano DESCRITORES, RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS A Prova Anglo é um dos instrumentos para avali ar o desempenho dos alunos do 6 o ano

Leia mais

O ALUNO CEGO NO CONTEXTO DA INCLUSÃO ESCOLAR: OS DESAFIOS NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA RESUMO

O ALUNO CEGO NO CONTEXTO DA INCLUSÃO ESCOLAR: OS DESAFIOS NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA RESUMO O ALUNO CEGO NO CONTEXTO DA INCLUSÃO ESCOLAR: OS DESAFIOS NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA RESUMO Edinéia Terezinha de Jesus Miranda PPGEC - UNESP/Bauru Neia.terezinha@gmail.com Nesse

Leia mais

Palavras-chave: Projeto de ensino; reprovação em Matemática; monitoria.

Palavras-chave: Projeto de ensino; reprovação em Matemática; monitoria. REPROVAÇÃO EM MATEMÁTICA NO ENSINO SUPERIOR: UMA TENTATIVA DE REDUZIR OS ALTOS ÍNDICES Profa. Dra. Camila Pinto da Costa Universidade Federal de Pelotas camila.ufpel@gmail.com Profa. Dra. Rejane Pergher

Leia mais

INCORPORAÇÃO PAPEL DE TRABALHO DA INCORPORAÇÃO. Subsidiária S.A S.A. Ativos 1.000 370 1370

INCORPORAÇÃO PAPEL DE TRABALHO DA INCORPORAÇÃO. Subsidiária S.A S.A. Ativos 1.000 370 1370 1 INTRODUÇÃO INCORPORAÇÃO A incorporação é um processo no qual uma ou mais sociedades são absorvidas por outra, que lhes sucede em todos os direitos e obrigações. As incorporações de entidades sob controle

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PROBLEMAS DE BEM-ESTAR SOCIAL: DESIGUALDADE E EXCLUSÃO SOCIAL Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PROBLEMAS DE BEM-ESTAR SOCIAL: DESIGUALDADE E EXCLUSÃO SOCIAL Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular PROBLEMAS DE BEMESTAR SOCIAL: DESIGUALDADE E EXCLUSÃO SOCIAL Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Serviço Social (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Serviço Social 3. Ciclo

Leia mais

Palavras Chave: Política de Avaliação Proposta Curricular Reforma

Palavras Chave: Política de Avaliação Proposta Curricular Reforma Avaliação Educacional na Reforma Curricular Paulista Fernandes, Antônia Nivalda Resumo A comunicação propõe-se a contribuir para a compreensão do conceito de avaliação no currículo paulista a partir da

Leia mais

RELATÓRIO PEDAGÓGICO 2009 SARESP HISTÓRIA E GEOGRAFIA SÃO PAULO 2010

RELATÓRIO PEDAGÓGICO 2009 SARESP HISTÓRIA E GEOGRAFIA SÃO PAULO 2010 RELATÓRIO PEDAGÓGICO 9 SARESP 0 4 4 3 HISTÓRIA E GEOGRAFIA 1 SÃO PAULO 2010 Prezados professores e gestores, A divulgação dos resultados do SARESP 9 por meio de relatórios pedagógicos, encontros presenciais

Leia mais

Equipe de Elaboração

Equipe de Elaboração 1 Governador de Pernambuco Paulo Henrique Saraiva Câmara Secretário de Educação Frederico da Costa Amancio Secretário Executivo de Planejamento e Coordenação Severino José de Andrade Júnior Secretária

Leia mais

Do cadastramento da Instituição de Ensino:

Do cadastramento da Instituição de Ensino: DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA CADASTRAMENTO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO E CURSOS DE NÍVEL MÉDIO E SUPERIOR,. NO ÂMBITO DAS PROFISSÕES INSERIDAS NO SISTEMA ONFEA/CREA, PARA CONCESSÃO DE TÍTULOS, ATRIBUIÇÕES

Leia mais

Sobre o Observatório da Educação

Sobre o Observatório da Educação Sobre a FEAC A Fundação FEAC é uma entidade beneficente de assistência social, da área de Assistência Social, com sede no município de Campinas/SP, e que tem como missão a promoção humana, a assistência

Leia mais

DESENVOLVENDO HABILIDADES CIÊNCIAS DA NATUREZA I - EM

DESENVOLVENDO HABILIDADES CIÊNCIAS DA NATUREZA I - EM Olá Caro Aluno, Você já reparou que, no dia a dia quantificamos, comparamos e analisamos quase tudo o que está a nossa volta? Vamos ampliar nossos conhecimentos sobre algumas dessas situações. O objetivo

Leia mais

Comentários e Recomendações Pedagógicas

Comentários e Recomendações Pedagógicas 25 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM PROCESSO Comentários e Recomendações Pedagógicas Subsídios para o Professor de Matemática 9 o ano do Ensino Fundamental

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO À ANÁLISE MATEMÁTICA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO À ANÁLISE MATEMÁTICA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO À ANÁLISE MATEMÁTICA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Engenharia Informática 3. Ciclo de Estudos

Leia mais

SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO PROJETO APRENDER MAIS

SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO PROJETO APRENDER MAIS SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO PROJETO APRENDER MAIS Junho - 2009 1 SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO PROJETO APRENDER MAIS 1. Justificativa A Secretaria de Educação,

Leia mais

METODOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO FINAL DE CURSO DE ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE

METODOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO FINAL DE CURSO DE ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE METODOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO FINAL DE CURSO DE ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE Adriana M. Tonini atonini@unibh.br Centro Universitário de Belo

Leia mais

Matriz de Referência de Matemática da 3ª série do Ensino Médio Comentários sobre os Temas e seus Descritores Exemplos de Itens

Matriz de Referência de Matemática da 3ª série do Ensino Médio Comentários sobre os Temas e seus Descritores Exemplos de Itens Matriz de Referência de Matemática da 3ª série do Ensino Médio Comentários sobre os Temas e seus Descritores Eemplos de Itens TEMA III NÚMEROS E OPERAÇÕES/ÁLGEBRA E FUNÇÕES Nesse tema abordam-se essencialmente

Leia mais

A LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE GRÁFICOS E TABELAS NO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

A LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE GRÁFICOS E TABELAS NO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO A LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE GRÁFICOS E TABELAS NO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Adriana Pagan Ana Paula Leite Sandra Magina PUC-SP, Brasil dripagan@yahoo.com.br; apfleite_edumat@hotmail.com;sandra@pucsp.br

Leia mais

A educaäåo fçsica como meio facilitador do desenvolvimento psicomotor do indivçduo com autismo

A educaäåo fçsica como meio facilitador do desenvolvimento psicomotor do indivçduo com autismo 1 A educaäåo fçsica como meio facilitador do desenvolvimento psicomotor do indivçduo com autismo Joyce Ribeiro Caetano 1 Orientadora: Daniela Dias ** Resumo Trata-se de uma revisåo de literatura que tem

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE NIVELAMENTO. Curso: Bacharelado em Administração de Empresas

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE NIVELAMENTO. Curso: Bacharelado em Administração de Empresas PROGRAMA INSTITUCIONAL DE NIVELAMENTO Curso: Bacharelado em Administração de Empresas São Paulo 2014 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Objetivos... 3 3. Política de Nivelamento... 3 4. Diretrizes do Nivelamento...

Leia mais

Guia de Elaboração de itens

Guia de Elaboração de itens Guia de Elaboração de itens Matemática GUIA DE ELABORAÇÃO DE ITENS Matemática 2009 Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora Coordenação Geral Lina Kátia

Leia mais

Curso de Especialização em SECRETARIADO ESCOLAR

Curso de Especialização em SECRETARIADO ESCOLAR Curso de Especialização em SECRETARIADO ESCOLAR ÁREA DO CONHECIMENTO: Educação. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em SECRETARIADO ESCOLAR. PERFIL PROFISSIONAL: O curso é

Leia mais

CÓD. 483 - CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 03 I- NÚCLEO DOS CONTEÚDOS BÁSICOS

CÓD. 483 - CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 03 I- NÚCLEO DOS CONTEÚDOS BÁSICOS Aprovado no CONGRAD de: 24.09.2013 Retificado no CONGRAD de: 13.05.2014 Vigência: retroativa aos ingressantes de 2014/1 CÓD. 483 - CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 03 CÓD.

Leia mais

UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Mestrado Profissional em Educação Matemática

UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Mestrado Profissional em Educação Matemática UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Mestrado Profissional em Educação Matemática JONAS DA CONCEIÇÃO RICARDO UMA PROPOSTA PARA O ENSINO DE FUNÇÕES QUADRÁTICAS

Leia mais

Missão. Objetivo Geral

Missão. Objetivo Geral CURSO: Curso Superior de Tecnologia em Logística Missão Formar profissionais de visão crítica e com conhecimentos e habilidades relativas às atividades logísticas, dotados de base para a atualização profissional

Leia mais

Aprendizagem da Matemática: um estudo sobre Representações Sociais no curso de Administração

Aprendizagem da Matemática: um estudo sobre Representações Sociais no curso de Administração Aprendizagem da Matemática: um estudo sobre Representações Sociais no curso de Administração Eixo temático 2: Formação de professores e cultura digital SALERNO, Daniela Prado 1 VIEIRA, Vania Maria de Oliveira

Leia mais

HORÁRIOS DO CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS - 2014/2

HORÁRIOS DO CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS - 2014/2 Última atualização: 24/04/2014 HORÁRIOS DO CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS - 2014/2 1º SEMESTRE + 50 VAGAS (padrão para todas as disciplinas) Turma PNA Currículo 3 2º SEMESTRE + 50 VAGAS (padrão para

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO Qualificação 57/01 1. Número e Título do Projeto: Aprimoramento

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ÁLGEBRA LINEAR Ano Lectivo 2010/2011

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ÁLGEBRA LINEAR Ano Lectivo 2010/2011 Programa da Unidade Curricular ÁLGEBRA LINEAR Ano Lectivo 2010/2011 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Engenharia Electrotécnica e de Computadores 3. Ciclo de Estudos

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008.

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. Título: Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Turno: Noturno

Leia mais

e-tec Brasil EDITAL N 012/2013

e-tec Brasil EDITAL N 012/2013 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAcA0, CIENCIA E TECNOLOGIA e-tec Brasil EDITAL N 012/2013 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA A SELE fao DE TUTORES VIRTUAIS, NA CONDICAO DE BOLSISTAS, PARA 0 CURSO TECNICO EM

Leia mais

Desempenho de escolas na prova Brasil: um estudo a partir da escala de proficiência de língua portuguesa

Desempenho de escolas na prova Brasil: um estudo a partir da escala de proficiência de língua portuguesa Desempenho de escolas na prova Brasil: um estudo a partir da escala de proficiência de língua portuguesa Resumo Considerando a centralidade das avaliações de largo espectro no atual contexto das políticas

Leia mais

CAMPO CONCEITUAL E REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS DO CONCEITO DE FUNÇÃO: ANÁLISE DE LIVROS DIDÁTICOS DE MATEMÁTICA DO ENSINO FUNDAMENTAL

CAMPO CONCEITUAL E REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS DO CONCEITO DE FUNÇÃO: ANÁLISE DE LIVROS DIDÁTICOS DE MATEMÁTICA DO ENSINO FUNDAMENTAL ISSN 2316-7785 CAMPO CONCEITUAL E REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS DO CONCEITO DE FUNÇÃO: ANÁLISE DE LIVROS DIDÁTICOS DE MATEMÁTICA DO ENSINO FUNDAMENTAL Jéssica Goulart da Silva Universidade Federal do Pampa

Leia mais

Compromisso Todos pela Educação. Garantir o direito de aprender, para todos e para cada um.

Compromisso Todos pela Educação. Garantir o direito de aprender, para todos e para cada um. Compromisso Todos pela Educação Garantir o direito de aprender, para todos e para cada um. Ministério da Educação SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA Maria do Pilar Lacerda A. Silva DEPARTAMENTO DE PROJETOS

Leia mais

Tipologia, número de itens e cotação. Tipologia dos itens Número de Itens cotação 2 6 Resposta curta 1 8 3 20 Resposta restrita 2 12 3 20 Cálculo 3 12

Tipologia, número de itens e cotação. Tipologia dos itens Número de Itens cotação 2 6 Resposta curta 1 8 3 20 Resposta restrita 2 12 3 20 Cálculo 3 12 E s c o l a S e c u n d á r i a d e A l c á c e r d o S a l Ano letivo 2011/2012 Física e Química A Bloco II Teste Sumativo 5A Critérios de classificação ( 31/05/2012) Tipologia, número de itens e cotação

Leia mais

PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO: CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA

PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO: CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO: CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA Maria do Carmo de Sousa Universidade Federal de São Carlos Departamento de Metodologia de Ensino mdcsousa@ufscar.br

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 2ª Série Processos Gerenciais CST em Gestão Financeira A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto

Leia mais

Assistente Administrativo Remuneração: Benefícios: Descrição: Requisitos: Ref.: Aux. Administrativo ( PNE) Remuneração: Benefícios: Descrição:

Assistente Administrativo Remuneração: Benefícios: Descrição: Requisitos: Ref.: Aux. Administrativo ( PNE) Remuneração: Benefícios: Descrição: Assistente Administrativo Benefícios: Benefícios oferecidos: - Plano de Saúde Unimed; -Vale Alimentação; - Ginástica Laboral; - Seguro de vida; - Auxílio estudo; - Programas de capacitação, entre outros.

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES Critéris de Avaliaçã Direçã Reginal de Educaçã d Nrte Agrupament de Esclas AMADEO DE SOUZA-CARDOSO Telões - Amarante EDUCAÇÃO MUSICAL 2ºCICLO An Letiv 2014/2015 Dmíni Cgnitiv

Leia mais

UMA ABORDAGEM QUANTITATIVA DE VARIÁVEIS RELACIONADAS A CURSOS DE MATEMÁTICA NO ESTADO DE SÃO PAULO

UMA ABORDAGEM QUANTITATIVA DE VARIÁVEIS RELACIONADAS A CURSOS DE MATEMÁTICA NO ESTADO DE SÃO PAULO UMA ABORDAGEM QUANTITATIVA DE VARIÁVEIS RELACIONADAS A CURSOS DE MATEMÁTICA NO ESTADO DE SÃO PAULO Marcelo Dias Pereira 1 Universidade Municipal de São Caetano do Sul e Faculdades Integradas de Ribeirão

Leia mais

PROGRAMA EXCELÊNCIA EM GESTÃO EDUCACIONAL DISCUSSÃO DE CASOS PRÁTICOS DE AVALIAÇÃO

PROGRAMA EXCELÊNCIA EM GESTÃO EDUCACIONAL DISCUSSÃO DE CASOS PRÁTICOS DE AVALIAÇÃO PROGRAMA EXCELÊNCIA EM GESTÃO EDUCACIONAL DISCUSSÃO DE CASOS PRÁTICOS DE AVALIAÇÃO PROGRAMA Inicia6va da Fundação Itaú Social e Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, com coordenação técnica do

Leia mais

3ª ETAPA - TURMAS Y DIAS 24/09/12 25/09/12 26/09/12 27/09/12 28/09/12 01/10/12 02/10/12 03/10/12 04/10/12 05/10/12

3ª ETAPA - TURMAS Y DIAS 24/09/12 25/09/12 26/09/12 27/09/12 28/09/12 01/10/12 02/10/12 03/10/12 04/10/12 05/10/12 1ª ETAPA - TURMA E CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I PAIE 3 CIÊNCIAS DO AMBIENTE PAIE 3 ÉTICA E CIDADANIA I PAIE 3 FÍSICA GERAL I PAIE 3 GEOMETR ANALITICA E VETORES PAIE 3 COMPUTAÇÃO, ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO

Leia mais

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2007 PROVA DE RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO. 1 a. fase

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2007 PROVA DE RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO. 1 a. fase FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 007 PROVA DE RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO 1 a. fase Maria Raquel Miotto Morelatti Monica Fürkotter Novembro 006 1 Sumário 1.. Introdução 0 A natureza

Leia mais

4º Prêmio Inovação em Educação SINEPE- RS

4º Prêmio Inovação em Educação SINEPE- RS 4º Prêmio Inovação em Educação SINEPE- RS O PROCESSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O USO DOS TABLETS NA SALA DE AULA: da alfabetização digital a criação de conhecimento Escola de Educação Básica Feevale

Leia mais

INFORME DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

INFORME DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS INFORME DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE A Direção Geral da Faculdade Independente do Nordeste, com vistas à chamada para seleção de alunos para o Programa Ciência

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURSO DE PEDAGOGIA - NOTURNO 1º. SEMESTRE 2015

MATRIZ CURRICULAR CURSO DE PEDAGOGIA - NOTURNO 1º. SEMESTRE 2015 MATRIZ CURRICULAR CURSO DE PEDAGOGIA - NOTURNO 1º. SEMESTRE 2015 Noturno 1º ano 1º. semestre (ingresso em fevereiro 2015) Currículo implementado a partir de 2014 Horário/dia da semana Oficina de Artes

Leia mais

O DESEMPENHO DOS ESTUDANTES DE 4ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL FRENTE A PROBLEMAS DE ESTRUTURA MULTIPLICATIVA

O DESEMPENHO DOS ESTUDANTES DE 4ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL FRENTE A PROBLEMAS DE ESTRUTURA MULTIPLICATIVA O DESEMPENHO DOS ESTUDANTES DE 4ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL FRENTE A PROBLEMAS DE ESTRUTURA MULTIPLICATIVA Vera Lucia Merlini Pontifícia Universidade Católica de São Paulo vera.merlini@gmail.com Sandra

Leia mais

Lógica Matemática e Computacional 5 FUNÇÃO

Lógica Matemática e Computacional 5 FUNÇÃO 5 FUNÇÃO 5.1 Introdução O conceito de função fundamenta o tratamento científico de problemas porque descreve e formaliza a relação estabelecida entre as grandezas que o integram. O rigor da linguagem e

Leia mais

(s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000065 - LETRAS Nivel: Superior

(s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000065 - LETRAS Nivel: Superior (s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000065 - LETRAS Nivel: Superior Area Profissional: 0004 - BIBLIOTECA Area de Atuacao: 0042 - ACERVO/BIBLIOTECA Analisar e processar

Leia mais

Mário M. Freire Departamento de Informática Universidade da Beira Interior 2008/2009

Mário M. Freire Departamento de Informática Universidade da Beira Interior 2008/2009 Competências a Adquirir Durante o Terceiro Ciclo de Estudos em Informática/Engenharia Informática Versus Competências a Adquirir Nesta Unidade Curricular Mário M. Freire Departamento de Informática Universidade

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 1ª ETAPA DO ACORDO DE RESULTADOS SISTEMA DE EDUCAÇÃO

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 1ª ETAPA DO ACORDO DE RESULTADOS SISTEMA DE EDUCAÇÃO RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 1ª ETAPA DO ACORDO DE RESULTADOS SISTEMA DE EDUCAÇÃO PERÍODO AVALIATÓRIO: 2011 Belo Horizonte, 18 de Junho de 2012. RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 1ª ETAPA DO ACORDO DE RESULTADOS DO SISTEMA

Leia mais

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino fundamental Resumo O projeto de iniciação científica está vinculado à pesquisa Uso do jornal em sala de aula e compreensão

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: Letras MISSÃO DO CURSO O curso de Licenciatura em Letras do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo tem o compromisso de promover no estudante um

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

AS PRÁTICAS DE MATEMÁTICA DO PROGRAMA LER E ESCREVER NO COTIDIANO DAS AULAS DOS ANOS INICIAIS: AS CLASSES DE 1º/ 2º E 3º ANOS

AS PRÁTICAS DE MATEMÁTICA DO PROGRAMA LER E ESCREVER NO COTIDIANO DAS AULAS DOS ANOS INICIAIS: AS CLASSES DE 1º/ 2º E 3º ANOS AS PRÁTICAS DE MATEMÁTICA DO PROGRAMA LER E ESCREVER NO COTIDIANO DAS AULAS DOS ANOS INICIAIS: AS CLASSES DE 1º/ 2º E 3º ANOS Gabriele Machado Faculdade de Educação Centro de Ciências Humanas e Sociais

Leia mais

AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO

AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL *Drisner, Thales thalesjacmt@hotmail.com *Ferreira, Leandra Diniz Lediniz10@hotmail.com 1 *Oliveira, Elizabete Gaspar elisabetegasparo@hotmail.com 2 RESUMO Este artigo, intitulado

Leia mais

LITERATURA E COMPLEXIDADE: UMA PROPOSTA PARA A PRESENÇA DA LITERATURA NAS ESCOLAS DE MANAUS

LITERATURA E COMPLEXIDADE: UMA PROPOSTA PARA A PRESENÇA DA LITERATURA NAS ESCOLAS DE MANAUS LITERATURA E COMPLEXIDADE: UMA PROPOSTA PARA A PRESENÇA DA LITERATURA NAS ESCOLAS DE MANAUS Izabely Barbosa Farias (UFAM) Orientadora: Cássia Maria Bezerra do Nascimento (UFAM) RESUMO: Este trabalho tem

Leia mais

REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADOR INTERMARKETING DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADOR INTERMARKETING DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADOR INTERMARKETING DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING Dispõe sobre o Projeto Integrador Intermarketing do Curso Superior de Tecnologia em Marketing da Faculdade

Leia mais

Circular Informativa: 101/2015 Data: 09/10/2015 Assunto: Cronograma, horário, 2ª chamada e conteúdo programático AV1 3ª etapa 9º ano C

Circular Informativa: 101/2015 Data: 09/10/2015 Assunto: Cronograma, horário, 2ª chamada e conteúdo programático AV1 3ª etapa 9º ano C Circular Informativa: 101/2015 Data: 09/10/2015 Assunto: Cronograma, horário, 2ª chamada e conteúdo programático AV1 3ª etapa 9º ano C Senhores pais e/ou responsáveis, Segue o funcionamento da primeira

Leia mais

CALENDÁRIO ESCOLAR CURSOS DE GRADUAÇÃO CAMPUS VIÇOSA ANO LETIVO 2015 PRIMEIRO SEMESTRE LETIVO 2015 JANEIRO 2015

CALENDÁRIO ESCOLAR CURSOS DE GRADUAÇÃO CAMPUS VIÇOSA ANO LETIVO 2015 PRIMEIRO SEMESTRE LETIVO 2015 JANEIRO 2015 CALENDÁRIO ESCOLAR CURSOS DE GRADUAÇÃO CAMPUS VIÇOSA ANO LETIVO 2015 PRIMEIRO SEMESTRE LETIVO 2015 JANEIRO 2015 01 Feriado Confraternização Universal. 07 Matrícula nas disciplinas do Período de Verão,

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO PENAL (AVANÇADO) Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO PENAL (AVANÇADO) Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular DIREITO PENAL (AVANÇADO) Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Direito (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Direito 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular DIREITO PENAL

Leia mais

PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA: O QUE DIZEM OS ALUNOS? Fernanda Fetzer 1, Mary Ângela Teixeira Brandalise 2

PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA: O QUE DIZEM OS ALUNOS? Fernanda Fetzer 1, Mary Ângela Teixeira Brandalise 2 PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA: O QUE DIZEM OS ALUNOS? Fernanda Fetzer 1, Mary Ângela Teixeira Brandalise 2 Resumo O processo ensino-aprendizagem de Matemática na 5ª série/6º ano do Ensino

Leia mais

EXPLORANDO ESTRATÉGIAS DIFERENCIADAS NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS MATEMÁTICOS

EXPLORANDO ESTRATÉGIAS DIFERENCIADAS NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS MATEMÁTICOS EXPLORANDO ESTRATÉGIAS DIFERENCIADAS NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS MATEMÁTICOS Virginia Furlanetto virf@universo.univates.br Maria Madalena Dullius madalena@univates.br CONTEXTUALIZAÇÃO Atualmente, em educação,

Leia mais

REPENSANDO O ENSINO EM MATEMATCIA: CONTRIBUIÇÕES NO ENSINO - APRENDIZAGEM VIA RESOLUÇAO DE PROBLEMAS

REPENSANDO O ENSINO EM MATEMATCIA: CONTRIBUIÇÕES NO ENSINO - APRENDIZAGEM VIA RESOLUÇAO DE PROBLEMAS REPENSANDO O ENSINO EM MATEMATCIA: CONTRIBUIÇÕES NO ENSINO - APRENDIZAGEM VIA RESOLUÇAO DE PROBLEMAS RESUMO Poliana de Brito Morais 1 Silvanio de Andrade 2 Este artigo tem como objetivo discutir nossa

Leia mais

Regulamento das Atividades Complementares. Faculdade de Jussara

Regulamento das Atividades Complementares. Faculdade de Jussara ATIVIDADES COMPLEMENTARES O curso de Administração da Faculdade de Jussara, considerando a importância da existência de outras atividades acadêmicas na formação do profissional, reservará 5% (cinco por

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE FUNÇÕES DE PRIMEIRO GRAU NUMA PROPOSTA DE MODELAGEM MATEMÁTICA

CONSTRUÇÃO DE FUNÇÕES DE PRIMEIRO GRAU NUMA PROPOSTA DE MODELAGEM MATEMÁTICA CONSTRUÇÃO DE FUNÇÕES DE PRIMEIRO GRAU NUMA PROPOSTA DE MODELAGEM MATEMÁTICA GT 04 Modelagem Matemática Rosane Fátima Postal UNIVATES - fatimapostal@hotmail.com Claus Haetinger UNIVATES - chaet@univates.com

Leia mais

Tópico 11. Aula Teórica/Prática: O Método dos Mínimos Quadrados e Linearização de Funções

Tópico 11. Aula Teórica/Prática: O Método dos Mínimos Quadrados e Linearização de Funções Tópico 11. Aula Teórica/Prática: O Método dos Mínimos Quadrados e Linearização de Funções 1. INTRODUÇÃO Ao se obter uma sucessão de pontos experimentais que representados em um gráfico apresentam comportamento

Leia mais

Matriz de Distribuição de OCC entre as Unidades Acadêmicas da UFMG 2010

Matriz de Distribuição de OCC entre as Unidades Acadêmicas da UFMG 2010 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Pró-Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Matriz de Distribuição de OCC entre as Unidades Acadêmicas da UFMG 2010 Belo Horizonte Setembro de 2010 1 Introdução

Leia mais

Resenha de livro. Por Camila Munerato 1 Camila Rodrigues dos Santos 2 Eunice Pereira Cardoso 3

Resenha de livro. Por Camila Munerato 1 Camila Rodrigues dos Santos 2 Eunice Pereira Cardoso 3 Resenha de livro Por Camila Munerato 1 Camila Rodrigues dos Santos 2 Eunice Pereira Cardoso 3 A presente resenha do livro de Moretto, (2007) em sua 2 edição tem o intuito de mostrar que a avaliação é um

Leia mais

SARESP 2010. Manual de Orientação

SARESP 2010. Manual de Orientação SARESP 2010 Manual de Orientação Sumário 3 Apresentação 5 Características do SARESP 2010 7 Instrumentos de Avaliação 11 Instrumentos de Orientação 13 Instrumentos de Controle 17 Estrutura e Atribuição

Leia mais

O CONHECIMENTO E O INTERESSE PELA PESQUISA CIENTÍFICA POR PARTE DOS GRADUANDOS EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO SERIDÓ CERES

O CONHECIMENTO E O INTERESSE PELA PESQUISA CIENTÍFICA POR PARTE DOS GRADUANDOS EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO SERIDÓ CERES UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO SERIDÓ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E APLICADAS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS O CONHECIMENTO E O INTERESSE PELA PESQUISA CIENTÍFICA

Leia mais

André da Silva Nogueira Profiling de aplicações Web : Estudo comparativo entre aplicações Java Web e aplicações RoR

André da Silva Nogueira Profiling de aplicações Web : Estudo comparativo entre aplicações Java Web e aplicações RoR ˲ ª» ¼ ¼» ¼± Ó ² ± Û ½± ¼» Û²¹»² André da Silva Nogueira Profiling de aplicações Web : Estudo comparativo entre aplicações Java Web e aplicações RoR Outubro de 2014 ˲ ª» ¼ ¼» ¼± Ó ² ± Û ½± ¼» Û²¹»²

Leia mais

Sumário. Guia do Aluno

Sumário. Guia do Aluno Sumário Guia do Aluno 1. Roteiro de estudo...3 2. Acessando seu ambiente acadêmico...5 3. Ferramentas...6 3.1 Avisos...6 3.2 Calendário...7 3.3 Tarefas...8 3.4 Informações pessoais...9 3.5 Minhas notas

Leia mais

APRESENTAÇÃO... 03. 1 Conceitos... 05. 1.1. Avaliação... 05. 1.2. Competência... 05. 1.3. Habilidades... 06. 1.4. Competência leitora...

APRESENTAÇÃO... 03. 1 Conceitos... 05. 1.1. Avaliação... 05. 1.2. Competência... 05. 1.3. Habilidades... 06. 1.4. Competência leitora... S U M Á R I O APRESENTAÇÃO... 03 1 Conceitos... 05 1.1. Avaliação... 05 1.2. Competência... 05 1.3. Habilidades... 06 1.4. Competência leitora... 06 1.5. Competência matemática...07 1.6. Competência científica...07

Leia mais

EDITAL CED/RTR N.º 003/2008, 05 de março de 2008. PROCESSO SELETIVO ESPECIAL Retificação do Edital n 002/2008 de 25 de fevereiro de 2008

EDITAL CED/RTR N.º 003/2008, 05 de março de 2008. PROCESSO SELETIVO ESPECIAL Retificação do Edital n 002/2008 de 25 de fevereiro de 2008 EDITAL CED/RTR N.º 003/2008, 05 de março de 2008. OCESSO SELETIVO ESPECIAL Retificação do Edital n 002/2008 de 25 de fevereiro de 2008 A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições,

Leia mais

Matriz de Referência de Matemática da 3ª série do Ensino Médio Comentários sobre os Temas e seus Descritores Exemplos de Itens

Matriz de Referência de Matemática da 3ª série do Ensino Médio Comentários sobre os Temas e seus Descritores Exemplos de Itens Matriz de Referência de Matemática da 3ª série do Ensino Médio Comentários sobre os Temas e seus Descritores Exemplos de Itens TEMA I ESPAÇO E FORMA Os conceitos geométricos constituem parte importante

Leia mais