Gestão de Resíduos Uma Abordagem Sistêmica GM do Brasil. Nelson Branco Global Environmental Compliance & Sustainability

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gestão de Resíduos Uma Abordagem Sistêmica GM do Brasil. Nelson Branco Global Environmental Compliance & Sustainability"

Transcrição

1 Gestão de Resíduos Uma Abordagem Sistêmica GM do Brasil Nelson Branco Global Environmental Compliance & Sustainability

2 General Motors do Brasil 88 anos no Brasil empregados Um dos cinco centros globais de desenvolvimento de produtos Segundo maior mercado da marca Chevrolet no mundo Terceira maior operação da GM, depois da China e EUA, com veículos veículos vendidos em 2012 Investimentos de mais de R$ 5 bilhões (De 2008 até 2012) GM do Brasil eleita Empresa do Ano pelo setor Automotivo no Prêmio Autodata 2012

3 Complexo de São Caetano do Sul - SP General Motors do Brasil Centro Tecnológico São Caetano do Sul - SP São José dos Campos - SP Complexo de Gravataí - RS

4 Sorocaba - SP Mogi das Cruzes - SP Campo de Provas de Cruz Alta Indaiatuba - SP Campo de Provas de Cruz Alta Indaiatuba - SP

5 Joinville - SC Fábrica GM com o maior número de iniciativas sustentáveis. Ela já nasceu pensando nas pessoas, na natureza e na economia da região Campo de Provas da Cruz Alta Indaiatuba - S.P Algumas iniciativas: Geração de energia pela luz do Sol (fotovoltaica) Aquecimento de água pela luz do Sol Tratamento inédito de efluentes e esgotos por meio de jardins filtrantes Reaproveitamento da água industrial por meio de osmose reversa Reciclagem dos resíduos industriais

6 Sistema de Gestão Ambiental GM do Brasil

7 Histórico do Processo de Gestão Ambiental Historicamente o controle ambiental nas organizações evoluiu no reflexo da degradação das qualidade ambiental Podemos indicar 3 estágios: até década de 70 o paradigma imperante era dispersar os poluentes produzidos entre as décadas de 70 e 80 entra os sistemas de tratamento (end of pipe). Com o aumento populacional e consumo perdulário a degradação se agrava (Cubatão na década de 80). Leva as organizações a investirem em processos de tratamento e disposição para suas emissões década de 90 em diante parte-se para uma abordagem proativa, vem a prevenção da poluição, otimização do uso das matérias-primas. Melhor entendimento do que é desperdício entra a sustentabilidade

8 Estágios Paradigmas Consequências Passivo Posturas quanto a Gestão Ambiental Não cumpre a regulamentação ambiental aplicável Considera que questões ambientais reduzem o lucro do empreendimento Não realiza investimentos para controlar seus aspectos ambientais Tornas-se alvo permanente da fiscalização Está sujeita a multas e penalidades legais Apresenta conflitos com as partes interessadas Grande potencial de perda de mercado Elevado potencial de aquisição de passivos ambientais Risco de acidentes com graves conseqüências econômicas e financeiras Reativo Busca cumprir a lei quando exigido pela fiscalização ambiental Tenta postergar ao máximo os investimentos em controle ambiental Está sujeita a multas e penalidades legais Baixo potencial de exposição legal Menor potencial de aquisição de passivos ambientais Risco de acidentes com graves conseqüências econômicas e financeiras Proativo Sabe que é melhor e mais barato fazer certo das primeira vez Gerencia riscos identifica inadimplências legais e as corrige Possui um SGA integrado às funções corporativas Relacionamento de parceria com o órgão ambiental Pouca chance de multas e penalidades legais Melhores resultados operacionais (conservação de matéria prima e energia) Maior aceitação de seus produtos Maior satisfação dos empregados

9 Partes Interessadas Órgão de controle Ambiental Leis e normas Mercado Preferência por produtos ecologicamente corretos Empresa Sociedade Associações comunitárias, ONGs, mídia, ambientalistas, etc. Proprietário/acionistas Lucro Gestão Ambiental Uma Necessidade

10 Enfoque Sistemico Meio Ambiente Gestão Estratégica Gestão Ambiental Operações

11 Elementos Sistemicos na GM Princípios Ambientais Regiões e Escritórios Regionais Global Environmental Issues Team (Time Global de Assuntos Ambientais) Environmental Performance Criteria (Critérios de Performance Ambientais) Facilities Environmental Engineers (Engenheiros Ambientais de Suporte) Plant Environmental Engineers (Engenheiros Ambientais de Planta) Environmental Metrics (Métricas Ambientais) Environmental Audit Program (Programa de Auditoria Ambiental) Sustainability Report (Relatório de Sustentabilidade)

12 Príncipios Ambientais na GM A General Motors, como empresa responsável, preocupa-se com a proteção da saúde humana, dos recursos naturais e do meio ambiente. Essa preocupação vai além dos limites mínimos estabelecidos pela lei a fim de envolver eficientes práticas ambientais em suas decisões de negócio 1. Compromete-se com ações que visem restaurar e preservar o meio ambiente. 2. Compromete-se com a redução do desperdício e de poluentes, conservando recursos e reciclando materiais em todos os estágios do ciclo de vida do produto. 3. Continuar a participar ativamente na educação da população em tudo aquilo que se refere à conservação do meio ambiente. 4. Continuar a perseguir com vigor o desenvolvimento e implementação de tecnologias que minimizem a emissão de poluentes. 5. Continuar a trabalhar com todas as entidades governamentais para o desenvolvimento de leis e regulamentos ambientalistas tecnicamente confiáveis e financeiramente viáveis. 6. Continuar a avaliar o impacto de suas fábricas e produtos no meio ambiente e nas comunidades, nas quais vivem e trabalham os seus empregados, com o objetivo de contínuo aperfeiçoamento. Março, 1991

13 Sistema de Gestão Ambiental (SGA) na GM do Brasil Auditoria Interna do SGA Verificação legal (planilha de aspectos, procedimentos etc.) e inspeção nas áreas de trabalho Auditoria Externa da ISO Auditado anualmente por uma Certificadora Externa Anualmente, são realizadas auditorias internas e externas para boa performance do SGA, assegurando o cumprimento da nossa Política Ambiental

14 Estrutura Organizacional Executive Vice President Manufacturing Vice President (South America) ESHS Executive Director (Global) South America Region Centre of Service Site Environmental Engineers

15 Gestão de Resíduos

16 Disposição de Resíduos no Brasil Apenas 12% dos 97% de resíduos sólidos gerados no Brasil são reciclados Recicladoras Lixões, Aterros Sanitários e Industriais

17 Gestão de Resíduos GM do Brasil 98,8% dos Resíduos são Reciclados: Índice Zero Aterro Borra de tinta Solvente contaminado Óleos Restos de alimentos Metais Plásticos Papéis Madeiras Baterias Redução no Período: 78% Pneus Kg / Veículo Veículos Produzidos

18 O que é Programa Zero Aterro Landfill Free Reuso, reciclagem ou coprocessamento de 100% dos resíduos do processo de manufatura

19 Conceito Zero Aterro Landfill Free

20 Pilares do Programa Zero Aterro Landfill Free Desenvolvimento de Fornecedores Cultura Infra Estrutura

21 2020 Sustainability Commitments Landfill Free Em 2010, a GM Corporation definiu 9 objetivos e metas de Sustentabilidade Até 2020, todas as fábricas de manufatura GM do Brasil estarão com o Programa Landfill Free implementado As Fábricas de Gravataí, Mogi e Joinville já mantêm o programa ativo

22 Fábrica de Mogi das Cruzes

23 Promoção de uma Cultura Sustentável Forte programa de sensibilização e conscientização ambiental com treinamentos, teatros, comunicações, concursos, exposições ao ar livre de recicladores e eventos de educação ambiental para funcionários, terceiros e comunidade

24 Promoção de uma Cultura Sustentável Teatros educativos para conscientização ambiental para todos os funcionários da manufatura e administrativo nos meses de Abril e Junho de 2013

25 Mapeamento dos Coletores da Fábrica Mapeados 41 pontos de coleta de resíduos da fábrica, nas áreas internas e externas Definido o fluxo de coleta dos resíduos ponto à ponto, contribuindo para a melhor logística de coleta Externo Interno

26 Distribuição Adequada dos Coletores de Resíduos Áreas Internas Áreas Externas

27 Desenvolvimento de Fornecedores na Região Identificação de empresas para reúso, reciclagem e coprocessamento dos resíduos Visitas técnicas aos fornecedores e recicladores Aprovação das empresas conforme os critérios da GM do Brasil

28 Índice Zero Aterro

29 Fábrica de Gravataí

30 Promoção de uma Cultura Sustentável Realização de eventos para empregados e terceiros e atividades práticas diárias no Lonão Ambiental durante 6 meses com ações de sensibilização e conscientização. Treinamento na Reserva Ambiental Maquete ilustrativa aterro industrial Treinamentos ambientais para empregados da manufatura Vídeos e palestras interativas próximo ao refeitório Lonão Ambiental

31 Mapeamento dos Coletores da Fábrica Monitoramento mensal em mais de cestos de coleta seletiva na fábrica Mapa de monitoramento por área (Ex: Administração) Mapa de monitoramento da fábrica 100% 95% 90% 6% 5% 5% 3% 2% 8% 0% 0,00% 0,00% 0% 3% 2% 0% 0% 3% 6% 6,15% 2% 12% 0% 0% 5% 3% 85% 80% 89% 92% 91% 100,00% 97% 98% 94% 93,85% 97% 86% 95% 97% 75% abr/12mai/12jun/12 jul/12 ago/12set/12out/12nov/12dez/12jan/13 fev/13mar/13

32 Distribuição Adequada dos Coletores de Resíduos Cestos de coleta seletiva em todas as áreas da fábrica (internas e externas) Padronização Cestos de coleta seletiva nas áreas externas Cestos de coleta seletiva nas áreas internas Eco pontos: Central temporária de disposição de resíduos recicláveis

33 Desenvolvimento de Fornecedores 1 Reciclagem (Externo) 2 - Compostagem (Interno) Metais Vidros Isopor Borrachas Plásticos Copos Plásticos Metais Papelão Papel Papel Toalha 3 Coprocessamento (Externo) Borras de Tinta e Fosfato Lodo de ETE Embalagens Contaminadas Filtros, Panos e EPI s

34 Programa Zero Aterro é um Conjunto de Ações Implementadas Treinamentos Mapeamento das Áreas Coleta de Resíduos Reutilização Compostagem Reciclagem e Coprocessamento

35 Kg/veículo Índice Zero Aterro Redução de 100% de resíduos não reciclável em menos de 10 anos

36 Prêmio de Comprometimento Ambiental da Câmara dos Vereadores de Gravataí

37 GM Gravataí é a 1ª fábrica Zero Aterro no Brasil!

38 Reconhecimento da Comunidade na Implementação do Programa Zero Aterro

39 Reconhecimento de Excelência na Preservação do Meio Ambiente e Educação Ambiental da Comunidade

40 Relatório de Sustentabilidade GMB GM Sustainability Report 2013

41 Obrigado! Para contato:

Práticas ambientais desenvolvidas pela empresa Artecola Indústrias Químicas Fabiano de Quadros Vianna

Práticas ambientais desenvolvidas pela empresa Artecola Indústrias Químicas Fabiano de Quadros Vianna Práticas ambientais desenvolvidas pela empresa Artecola Indústrias Químicas Fabiano de Quadros Vianna Engenheiro Ambiental e de Segurança do Trabalho Coordenador de SMS nas Empresas Artecola Nossos negócios

Leia mais

Desafios para a gestão integrada em saúde e meio ambiente

Desafios para a gestão integrada em saúde e meio ambiente Desafios para a gestão integrada em saúde e meio ambiente Ambiente diferenciado do meio empresarial Campus Santo Amaro - Centro Universitário rio SENAC 120 mil m2 de terreno 21 cursos de graduação e 7

Leia mais

nº 09/2017 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: GESTÃO DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS

nº 09/2017 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: GESTÃO DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS nº 09/2017 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: GESTÃO DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS POLÍTICA INTEGRADA DE SEGURANÇA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE POLÍTICA INTEGRADA Disponíveis nos murais e no site da empresa

Leia mais

Certificação ISO

Certificação ISO Sistema de Gestão Ambiental SGA Certificação ISO 14.000 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento das Boas Práticas, das Normas e da Legislação

Leia mais

Neve Naturali Kimberly-Clark

Neve Naturali Kimberly-Clark Neve Naturali Kimberly-Clark Apresentação Pessoal Vanessa Monteiro Eng. Ambiental Universidade da Região de Joinville Univille. Kimberly-Clark Correia Pinto Responsável: Gestão ambiental fabril Agenda

Leia mais

Caminhando para um Porto Verde

Caminhando para um Porto Verde Caminhando para um Porto Verde Práticas sustentáveis no setor portuário Maria Klien 9 de novembro de 2012 1 Sobre o Grupo 2 Histórico - Multiterminais 1986-1997 Início das operações terrestres Companhia

Leia mais

CRISTIANO FELIX GERENTE DE MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO - FCA LATAM

CRISTIANO FELIX GERENTE DE MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO - FCA LATAM CRISTIANO FELIX GERENTE DE MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO - FCA LATAM Grupo FCA MARCAS AUTOMOTIVAS MARCAS DE LUXO COMPONENTES FCA LATAM 2 Grupo FCA no Mundo 165 Plantas 150 Mercados 228.690

Leia mais

Introdução. A questão do meio ambiente nas organizações 23/06/2017 HISTÓRICO. Apresentação da relação das organizações com a questão ambiental;

Introdução. A questão do meio ambiente nas organizações 23/06/2017 HISTÓRICO. Apresentação da relação das organizações com a questão ambiental; Introdução A questão do meio ambiente nas organizações. Apresentação da relação das organizações com a questão ambiental; Apresentação de algumas ferramentas para implantação da gestão ambiental pela empresa.

Leia mais

Tarefas / Atividades. I - C I - C Não direcionado por contrato relacionado à atividade / função - atuação desdobrada

Tarefas / Atividades. I - C I - C Não direcionado por contrato relacionado à atividade / função - atuação desdobrada Nota: Item 6 não é aplicável pois é derivada da atividade da ANASOL, empresa que não pertence mais ao Grupo Bureau Veritas. Tarefas / Atividades Âmbito Envolvidos Atividades de escritórios (BV ou Externos)

Leia mais

Escola SENAI Alfried Krupp CFP 568

Escola SENAI Alfried Krupp CFP 568 Escola SENAI Alfried Krupp CFP 568 Projeto Coleta Seletiva Sumário 1. Objetivo: Descrição completa do objeto a ser executado --------------------------------- 3 2. Meta desejada: Descrição das Metas desejadas

Leia mais

Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos Sistemas de Gestão da Qualidade. Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional

Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos Sistemas de Gestão da Qualidade. Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - QUALIDADE, MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL Empresa: Cristal Raidalva Rocha OBJETIVO Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos

Leia mais

RAD1504-Gestão da Qualidade. Modelos Normatizados: ISO 9000; ISO Profa. Dra. Márcia Mazzeo Grande Prof. Dr.

RAD1504-Gestão da Qualidade. Modelos Normatizados: ISO 9000; ISO Profa. Dra. Márcia Mazzeo Grande Prof. Dr. RAD1504-Gestão da Qualidade Modelos Normatizados: ISO 9000; ISO 14000 Profa. Dra. Márcia Mazzeo Grande Prof. Dr. Erasmo José Gomes Econômica Modelo de negócio sustentável Social Ambiental Triple Bottom

Leia mais

Hsa GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Resíduos Sólidos. PROFa. WANDA R. GÜNTHER Departamento Saúde Ambiental FSP/USP

Hsa GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Resíduos Sólidos. PROFa. WANDA R. GÜNTHER Departamento Saúde Ambiental FSP/USP Hsa 109 - GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Resíduos Sólidos PROFa. WANDA R. GÜNTHER Departamento Saúde Ambiental FSP/USP E-mail: wgunther@usp.br Resíduos Sólidos Interrelação: Ambiente Saúde HOMEM MEIO AMBIENTE

Leia mais

O desafio das compras sustentáveis. Fábio Cyrillo Diretor Comercial 15 de Maio de 2008

O desafio das compras sustentáveis. Fábio Cyrillo Diretor Comercial 15 de Maio de 2008 O desafio das compras sustentáveis Fábio Cyrillo Diretor Comercial 15 de Maio de 2008 Wal-Mart no Mundo Canadá Reino Unido México Estados Unidos Porto Rico Índia China Japão El Salvador Guatemala Costa

Leia mais

aantes de 1970 qualquer controle ambiental. aapós 1970 PRODUÇÃO MAIS LIMPA, P2: CONCEITOS GERAIS PRODUÇÃO LIMPA PRODUÇÃO + LIMPA

aantes de 1970 qualquer controle ambiental. aapós 1970 PRODUÇÃO MAIS LIMPA, P2: CONCEITOS GERAIS PRODUÇÃO LIMPA PRODUÇÃO + LIMPA PRODUÇÃO MAIS LIMPA, P2: CONCEITOS GERAIS ROSANE APARECIDA GOMES BATISTTELE ADILSON RENOFIO 4ª aula Parte Inicial PRODUÇÃO LIMPA PRODUÇÃO + LIMPA P2 PREVENÇÃO A POLUIÇÃO Conceitos Ref.: Tânia Mara Tavares

Leia mais

Utilização de Critérios de Excelência como Referência no Desenvolvimento da Gestão de Águas do Paraíba

Utilização de Critérios de Excelência como Referência no Desenvolvimento da Gestão de Águas do Paraíba Utilização de Critérios de Excelência como Referência no Desenvolvimento da Gestão de Águas do Paraíba Viviane Lanunce Paes Supervisora da Gestão Integrada - CAP Carlos Eduardo Tavares de Castro Superintendente

Leia mais

Estágio da implementação das Políticas Nacional e Estadual de Resíduos Sólidos em Minas Gerais

Estágio da implementação das Políticas Nacional e Estadual de Resíduos Sólidos em Minas Gerais Estágio da implementação das Políticas Nacional e Estadual de Resíduos Sólidos em Minas Gerais Zuleika S. Chiacchio Torquetti Presidente Fundação Estadual do Meio Ambiente Junho de 2013 FEAM -EIXOS DE

Leia mais

EM-8N/Engenharia Ambiental. Gestão Ambiental SGA & ISO D.Sc. Enoque Pereira da Silva. Paracatu - MG

EM-8N/Engenharia Ambiental. Gestão Ambiental SGA & ISO D.Sc. Enoque Pereira da Silva. Paracatu - MG EM-8N/Engenharia Ambiental Gestão Ambiental D.Sc. Enoque Pereira da Silva Paracatu - MG S G A SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL SGA - CONCEITOS E DEFINIÇÕES (O que é um SGA?) - OBJETIVOS E CONSEQUÊNCIAS (Por

Leia mais

Plano de Gerenciamento de Resíduos. Jeniffer Guedes

Plano de Gerenciamento de Resíduos. Jeniffer Guedes Jeniffer Guedes PLURAL Indústria Gráfica Ltda Parque gráfico da PLURAL com 33.500m 2. Fundada em 1996. Atualmente a PLURAL emprega 841 profissionais. Composição Acionária 51% 49% 90 anos de história Jornal

Leia mais

MÓDULO 2. Prof. Dr. Valdir Schalch

MÓDULO 2. Prof. Dr. Valdir Schalch RESÍDUOS SÓLIDOSS MÓDULO 2 Prof. Dr. Valdir Schalch RESÍDUOS SÓLIDOS S - DEFINIÇÃO... aqueles nos estados sólidos e semi-sólidos, que resultam de atividades da comunidade de origem: industrial, doméstica,

Leia mais

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE REDUÇÃO DO VOLUME E DESTINAÇÃO DA COLETA SELETIVA DOS MATERIAIS DESCARTADOS

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE REDUÇÃO DO VOLUME E DESTINAÇÃO DA COLETA SELETIVA DOS MATERIAIS DESCARTADOS ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE REDUÇÃO DO VOLUME E DESTINAÇÃO DA COLETA SELETIVA DOS MATERIAIS DESCARTADOS PROGRAMA Nº 07/2014 SENAI-SP. Projeto desenvolvido pelo CFP 5.12 Escola SENAI

Leia mais

FABIO D AMICO DIRETOR INDUSTRIAL FIAT AUTOMÓVEIS

FABIO D AMICO DIRETOR INDUSTRIAL FIAT AUTOMÓVEIS FABIO D AMICO DIRETOR INDUSTRIAL FIAT AUTOMÓVEIS A INDÚSTRIA DO SÉCULO XXI O MUNDO MUDOU O CLIENTE MUDOU AS EXIGÊNCIAS MUDARAM O VOLUME DE PESSOAS E CARROS NAS RUAS AS PREOCUPAÇÕES DE UMA EMPRESA A COMPLEXIDADE

Leia mais

Brasil terá que investir R$15,59 bi em tratamento de resíduos

Brasil terá que investir R$15,59 bi em tratamento de resíduos Brasil terá que investir R$15,59 bi em tratamento de resíduos Comunicação Ietec A sustentabilidade ambiental é um desafio mundial e, por isso, a produção, coleta e destinação dos resíduos tornaram-se tema

Leia mais

Cuiabá-MT. Referência Nacional em Sustentabilidade para pequenos negócios

Cuiabá-MT. Referência Nacional em Sustentabilidade para pequenos negócios Luanna Duarte Cuiabá-MT Referência Nacional em Sustentabilidade para pequenos negócios DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Ambiental Social Econômico A Sustentabilidade sustentabilidade é uma não forma precisa

Leia mais

Gestão Socioambiental na Administração Pública de Minas Gerais Programa AmbientAÇÃO

Gestão Socioambiental na Administração Pública de Minas Gerais Programa AmbientAÇÃO Gestão Socioambiental na Administração Pública de Minas Gerais Programa AmbientAÇÃO Mirian Cristina Dias Baggio 2016 Programa AmbientAÇÃO O QUE É O AMBIENTAÇÃO? É um programa de comunicação e educação

Leia mais

Meio Ambiente na Indústria Vidreira

Meio Ambiente na Indústria Vidreira Meio Ambiente na Indústria Vidreira 1 Sustentabilidade e Estratégia - O estado do mundo A Terra é a única casa que nós temos e ela é... Redonda... Azul... Finita! 2 Atualmente, se todas as pessoas do planeta

Leia mais

Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. Fernando Altino Rodrigues

Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. Fernando Altino Rodrigues Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Fernando Altino Rodrigues Ética Ecológica e Ética Social Desenvolvimento Sustentável...permitir que os preços digam a verdade ecológica Weizsaecker INTERNALIZAÇÃO

Leia mais

SÉRIE ISO SÉRIE ISO SÉRIE ISO GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL

SÉRIE ISO SÉRIE ISO SÉRIE ISO GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL 1993 - CRIAÇÃO DO COMITÊ TÉCNICO 207 (TC 207) DA ISO. NORMAS DA : ISO 14001 - SISTEMAS DE - ESPECIFICAÇÃO COM ORIENTAÇÃO PARA USO. ISO 14004 - SISTEMAS DE - DIRETRIZES GERAIS SOBRE PRINCÍPIOS, SISTEMAS

Leia mais

2 Minimização de Resíduos

2 Minimização de Resíduos 2 Minimização de Resíduos 1. Como abordar o problema dos resíduos, emissões e efluentes na indústria 2. Prevenção da Poluição 3. Redução na fonte, pensando a mudança do produto 4. Reciclagem interna e

Leia mais

Ciências do Ambiente

Ciências do Ambiente Universidade Federal do Paraná Engenharia Civil Ciências do Ambiente Aula 12 Sistemas de Gestão Ambiental Profº Heloise Knapik 1 Necessidade de sair de uma atitude reativa Faz-se algo apenas quando algo

Leia mais

Sumário. 1. Política de Sustentabilidade Declaração Implementação da política Sistema de Gestão Ambiental (SGA)...

Sumário. 1. Política de Sustentabilidade Declaração Implementação da política Sistema de Gestão Ambiental (SGA)... Sumário 1. Política de Sustentabilidade...05 1.1. Declaração...05 1.2. Implementação da política...05 2. Sistema de Gestão Ambiental (SGA)...06 3. Estrutura do SGA...06 3.1. Agenda Ambiental Operacional...08

Leia mais

2º ENCONTRO CAIXA/FORNECEDORES

2º ENCONTRO CAIXA/FORNECEDORES 2º ENCONTRO CAIXA/FORNECEDORES PIB Sustentabilidade na Prática Empresarial Jean Rodrigues Benevides GN de Meio Ambiente SN de Assistência Técnica e Desenvolvimento Sustentável Situação Atual Estratégia

Leia mais

NOSSA POLÍTICA AMBIENTAL

NOSSA POLÍTICA AMBIENTAL A PUMA TAMBORES, com o objetivo de divulgar a sua política ambiental e conscientizar seus fornecedores e prestadores de serviços quanto aos aspectos ambientais, elaborou este Manual de Requisitos Ambientais

Leia mais

A experiência do Estado de São Paulo e a visão da Câmara dos Deputados. Deputado Federal Arnaldo Jardim

A experiência do Estado de São Paulo e a visão da Câmara dos Deputados. Deputado Federal Arnaldo Jardim ABES Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental 2º Seminário Regional Sudeste sobre Resíduos Sólidos Desafios das Políticas para uma Gestão Integrada de Resíduos Sólidos A experiência do

Leia mais

Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil.

Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil. Resolução CONAMA 307 de 5 de julho de 2002. Dispõe sobre gestão dos resíduos da construção civil. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. O CONSELHO

Leia mais

Desafios da Gestão Municipal de Resíduos Sólidos

Desafios da Gestão Municipal de Resíduos Sólidos Desafios da Gestão Municipal de Resíduos Sólidos Cláudia Lins Consultora Ambiental Foi instituída pela Lei 12.305/10 e regulamentada pelo Decreto 7.404/10 A PNRS fixou obrigações para União, Estados e

Leia mais

Sacolas Bioplásticas e a Coleta Seletiva da cidade de São Paulo

Sacolas Bioplásticas e a Coleta Seletiva da cidade de São Paulo Sacolas Bioplásticas e a Coleta Seletiva da cidade de São Paulo A Lei nº 15.374 de 2011 proíbe a disponibilização de sacolas plásticas descartáveis nos estabelecimentos comerciais do município de São Paulo.

Leia mais

Em 2010, o Brasil produziu 60,8 milhões de toneladas de lixo sólido. Destes, quase 31 milhões vieram de resíduos de novas construções e de demolições.

Em 2010, o Brasil produziu 60,8 milhões de toneladas de lixo sólido. Destes, quase 31 milhões vieram de resíduos de novas construções e de demolições. Em 2010, o Brasil produziu 60,8 milhões de toneladas de lixo sólido. Destes, quase 31 milhões vieram de resíduos de novas construções e de demolições. (Fonte: Panorama de Resíduos Sólidos no Brasil, 2011/Abrelpe-

Leia mais

3.2. COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS É a sistemática de segregar os resíduos de acordo com suas classes de risco nas áreas geradoras.

3.2. COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS É a sistemática de segregar os resíduos de acordo com suas classes de risco nas áreas geradoras. 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática para o processo de gerenciamento de resíduos nas áreas da ABCZ, visando a melhoria contínua na performance ambiental, a melhoria na eficiência do gerenciamento de

Leia mais

DPS1035 Gestão Ambiental e Sustentabilidade. CGEP - Morgana Pizzolato, Dr a.

DPS1035 Gestão Ambiental e Sustentabilidade. CGEP - Morgana Pizzolato, Dr a. DPS1035 Gestão Ambiental e Sustentabilidade CGEP - Morgana Pizzolato, Dr a. P + L O resíduo é inerente ao processo? NÃO, ele é um indicativo da ineficiência A identificação e análise do resíduo dão início

Leia mais

PRÉ-FABRICAÇÃO E A SUSTENTABILIDADE

PRÉ-FABRICAÇÃO E A SUSTENTABILIDADE Pré-Fabricação:O Contexto Habitacional e Sustentabilidade PRÉ-FABRICAÇÃO E A SUSTENTABILIDADE Roberto José Falcão Bauer 27 de agosto de 2009 CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL UTILIZA ECOMATERIAIS E SOLUÇÕES INTELIGENTES,

Leia mais

Gestão De D Resídu d os

Gestão De D Resídu d os Gestão De Resíduos COLETA SELETIVA Projeto Gestão de Resíduos EcoMalzoni Como funcionava a coleta de resíduos antes do Projeto de Gestão de Resíduos? - 85% dos sacos retirados eram pretos, com

Leia mais

Avaliação de Ciclo de Vida

Avaliação de Ciclo de Vida Avaliação de Ciclo de Vida Comitê de Meio Ambiente e Sustentabiliade SWISSCAM 3 de abril 2009 André Camargo Futuro para o meio ambiente Images: Araquém Alcântara Organização do Grupo ECOGEO Áreas de Atuação

Leia mais

Finanças e Negócios Sustentáveis BRITCHAM 17/08/06

Finanças e Negócios Sustentáveis BRITCHAM 17/08/06 Finanças as e Negócios Sustentáveis BRITCHAM 17/08/06 Desde 1979, mais de 20% da calota polar ártica derreteu, devido ao aquecimento global. O que isso tem haver com os Bancos? Fronteira congelada do mar

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Zilda Maria Faria Veloso

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Zilda Maria Faria Veloso MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA Zilda Maria Faria Veloso Diretora de Ambiente Urbano Secretaria de Recursos Hídricos e Meio Urbano POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS PNRS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS

Leia mais

Visão Geral sobre a Tecnologia Aterro Industrial. Essencis Regional Sul François André Martinot

Visão Geral sobre a Tecnologia Aterro Industrial. Essencis Regional Sul François André Martinot Visão Geral sobre a Tecnologia Aterro Industrial Essencis Regional Sul François André Martinot 1 Algumas Tecnologias da Essencis Soluções Ambientais Aterros Industriais Incineração Tratamento de Efluentes

Leia mais

Plano Municipal de Gestão de Resíduos do Município de Lisboa

Plano Municipal de Gestão de Resíduos do Município de Lisboa Plano Municipal de Gestão de Resíduos do Município de Lisboa [2015-2020] 4ª Comissão Ambiente e Qualidade de Vida Primeiro Plano Municipal de Resíduos na cidade de Lisboa O Caminho [Lisboa Limpa] Melhorar

Leia mais

Manual de Conduta Ambiental. Elaborado pelo Comitê Ambiental da Tramontina, para alinhar a conduta da Gestão Ambiental das unidades da empresa.

Manual de Conduta Ambiental. Elaborado pelo Comitê Ambiental da Tramontina, para alinhar a conduta da Gestão Ambiental das unidades da empresa. Manual de Conduta Ambiental Elaborado pelo Comitê Ambiental da Tramontina, para alinhar a conduta da Gestão Ambiental das unidades da empresa. A responsabilidade socioambiental é um dos valores que marcam

Leia mais

Profª Mônica Suely G. de Araujo

Profª Mônica Suely G. de Araujo Profª Mônica Suely G. de Araujo Desempenho Características Confiabilidade Reputação 2 1 Durabilidade Utilidade Resposta Estética 3 Projeto Conformidade Capabi lidade Atendi mento ao Cliente Cultura da

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos Breves Considerações Núcleo de Meio Ambiente CIESP Regional Jaú/SP

Política Nacional de Resíduos Sólidos Breves Considerações Núcleo de Meio Ambiente CIESP Regional Jaú/SP Política Nacional de Resíduos Sólidos Breves Considerações Pedro Paulo Grizzo Serignolli Advogado Especializado em Direito Ambiental Coordenador Adjunto do Núcleo de Meio Ambiente pedropaulo@serignolli.com.br

Leia mais

Gestão Ambiental Meio Ambiente como Negócio. Wagner Soares Costa Gerência de Meio Ambiente. abril 2009

Gestão Ambiental Meio Ambiente como Negócio. Wagner Soares Costa Gerência de Meio Ambiente. abril 2009 Gestão Ambiental Meio Ambiente como Negócio Wagner Soares Costa Gerência de Meio Ambiente abril 2009 Resíduos Resíduos Resíduos DESPERDÍCIOS EVOLUÇÃO DAS AÇÕES DE PROTEÇÃO AMBIENTAL Séc. XXI Quebra de

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental

Sistema de Gestão Ambiental PHA2218 Introdução à Engenharia Ambiental Universidade de São Paulo Escola Politécnica Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental Sistema de Gestão Ambiental Aula 10 Prof. Dr. Joaquin Bonnecarrere

Leia mais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais Como as instituições financeiras devem tratar a gestão de riscos socioambientais? O crescente processo de

Leia mais

GERAÇÃO DE RESÍDUOS. Planejamento e Gestão de Resíduos

GERAÇÃO DE RESÍDUOS. Planejamento e Gestão de Resíduos GERAÇÃO DE RESÍDUOS Planejamento e Gestão de Resíduos FONTES GERADORAS ORIGEM DE ACORDO COM A CLASSIFICAÇÃO Domiciliar Comercial Institucional Serviços Públicos (limpeza pública) Serviços de saúde Indústria

Leia mais

COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL?

COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL? RESÍDUOS SÓLIDOS COMO SÃO CLASSIFICADOS OS RESÍDUOS EM GERAL? RESÍDUO CLASSE I: São aqueles que apresentam periculosidade ou uma das seguintes características, inflamabilidade, corrosividade, reatividade,

Leia mais

APRESENTAÇÃO ITAMBÉ. Engº: Mauricio Petenusso 18 de Novembro de 2009

APRESENTAÇÃO ITAMBÉ. Engº: Mauricio Petenusso 18 de Novembro de 2009 APRESENTAÇÃO ITAMBÉ Engº: Mauricio Petenusso 18 de Novembro de 2009 HISTÓRICO - Itambé - COOPERATIVA CENTRAL DOS PRODUTORES RURAIS DE MINAS GERAIS LTDA LATICÍNIOS ATIVIDADES /NEGÓCIOS RAÇÕES ARMAZÉNS HISTÓRICO

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental

Sistema de Gestão Ambiental PHA2218 Introdução à Engenharia Ambiental Universidade de São Paulo Escola Politécnica Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental Sistema de Gestão Ambiental Aula 10 Prof. Dr. Arisvaldo Méllo Prof.

Leia mais

RESPONSABILIDADE COMPARTILHADA E LOGÍSTICA REVERSA: IMPLEMENTAÇÃO NO CONTEXTO BRASILEIRO

RESPONSABILIDADE COMPARTILHADA E LOGÍSTICA REVERSA: IMPLEMENTAÇÃO NO CONTEXTO BRASILEIRO Patrícia Iglecias SETEMBRO, 2013 RESPONSABILIDADE COMPARTILHADA E LOGÍSTICA REVERSA: IMPLEMENTAÇÃO NO CONTEXTO BRASILEIRO GESTÃO DE RESÍDUOS NA PNRS Não geração Redução Reutilização Reciclagem Tratamento

Leia mais

COMPLEXO AMBIENTAL FIAT Gestão de Resíduos DIRETORIA INDUSTRIAL AMÉRICA LATINA ENGENHARIA AMBIENTAL E UTILIDADES

COMPLEXO AMBIENTAL FIAT Gestão de Resíduos DIRETORIA INDUSTRIAL AMÉRICA LATINA ENGENHARIA AMBIENTAL E UTILIDADES COMPLEXO AMBIENTAL FIAT Gestão de Resíduos DIRETORIA INDUSTRIAL AMÉRICA LATINA ENGENHARIA AMBIENTAL E UTILIDADES RESÍDUOS MATÉRIA-PRIMA TRABALHO HUMANO PROCESSO RESÍDUOS PRODUTO FINAL ENERGIA SÓLIDOS LÍQUIDOS

Leia mais

Definição. Sistema de Gestão Ambiental (SGA):

Definição. Sistema de Gestão Ambiental (SGA): Definição Sistema de Gestão Ambiental (SGA): A parte de um sistema da gestão de uma organização utilizada para desenvolver e implementar sua política ambiental e gerenciar seus aspectos ambientais. Item

Leia mais

PNRS e a Logística Reversa. Free Powerpoint Templates Page 1

PNRS e a Logística Reversa. Free Powerpoint Templates Page 1 PNRS e a Logística Reversa Page 1 História Roma de Júlio Cesar e Augusto Page 2 História Geena Fogo eterno Page 3 História Cambridge 1338 São Paulo 1722 Rio de Janeiro 1850 Page 4 Novidades da PNRS Bloco

Leia mais

Resíduos Sólidos Urbanos

Resíduos Sólidos Urbanos CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO Seminário Preparatório à XII Conferência das Cidades - Região Norte - Resíduos Sólidos Urbanos Profa. M.Sc. Maria de Valdivia Costa Norat Gomes FAESA/ITEC/UFPA

Leia mais

CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CTF - IBAMA

CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CTF - IBAMA CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CTF - IBAMA Vitória, 11 de Novembro de 2014 SUSTENTABILIDADE A nova ordem ambiental para o Setor Automotivo As concessionárias devem ser: Cenário Atual Pesquisa in loco" com mais

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 2 1. Introdução A Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores Públicos dos Municípios da Região Metropolitana da Grande Vitória COOPMETRO é uma entidade

Leia mais

PRODUÇÃO MAIS LIMPA & o Setor de Celulose e Papel

PRODUÇÃO MAIS LIMPA & o Setor de Celulose e Papel PRODUÇÃO MAIS LIMPA & o Setor de Celulose e Papel Celso Foelkel www.celso-foelkel.com.br Centro Nacional de Tecnologias Limpas SENAI Centro Nacional de Tecnologias Limpas SENAI-RS RS www.rs.senai.br/cntl

Leia mais

0 7 / F a b r i c i o D o r a d o S o l e r f a b r i c i o s o l e f e l s b e r g. c o m. b r

0 7 / F a b r i c i o D o r a d o S o l e r f a b r i c i o s o l e f e l s b e r g. c o m. b r 0 7 / 2 0 1 7 F a b r i c i o D o r a d o S o l e r f a b r i c i o s o l e r @ f e l s b e r g. c o m. b r Responsabilidade Compartilhada pelo Ciclo de Vida dos Produtos Responsabilidade compartilhada

Leia mais

Levantar informações sobre a cadeia de reciclagem de embalagens em Santa Catarina.

Levantar informações sobre a cadeia de reciclagem de embalagens em Santa Catarina. OBJETIVO PRINCIPAL Levantar informações sobre a cadeia de reciclagem de embalagens em Santa Catarina. OBJETIVOS SECUNDÁRIOS I. Conhecer os atores da cadeia de reciclagem de embalagens (vidro, papel/papelão,

Leia mais

Diretrizes Ambientais do Grupo Fiat

Diretrizes Ambientais do Grupo Fiat Diretrizes Ambientais do Grupo Fiat Preliminares Enquanto Grupo, estamos conscientes do impacto que as nossas atividades e os nossos produtos têm sobre a sociedade e sobre o meio ambiente, bem como nosso

Leia mais

PROGRAMA DE EXCELÊNCIA NO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS NA VOLKSWAGEN DO BRASIL

PROGRAMA DE EXCELÊNCIA NO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS NA VOLKSWAGEN DO BRASIL Prêmio AEA 2016 - Projetos de Meio Ambiente PROGRAMA DE EXCELÊNCIA NO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS NA VOLKSWAGEN DO BRASIL Celso Luis Placeres, Juliane Andrade Rocha, Marcio Rogerio Azevedo Lima

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N. 307, DE 05 DE JULHO DE 2002 Alterações: Resolução CONAMA n. 348, de 16.08.04 Resolução CONAMA n. 431, de 24.05.11 Resolução CONAMA n. 448, de 18.01.12 Resolução

Leia mais

DECRETO Data: 25/09/2009. Regulamenta a Lei nº , de 12 de janeiro de 2009, e dá outras providências.

DECRETO Data: 25/09/2009. Regulamenta a Lei nº , de 12 de janeiro de 2009, e dá outras providências. DECRETO 45181 2009 Data: 25/09/2009 Regulamenta a Lei nº 18.031, de 12 de janeiro de 2009, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE MINAS GERAIS, no uso de atribuição que lhe confere o inciso

Leia mais

PLATAFORMA ITUIUTABA LIXO ZERO

PLATAFORMA ITUIUTABA LIXO ZERO PLATAFORMA ITUIUTABA LIXO ZERO Humberto Minéu IFTM/Câmpus Ituiutaba Doutorando em Geografia/UFU hmineu@gmail.com Ituiutaba, 08 de maio de 2014. EMMAV CAIC 2 Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS)

Leia mais

Associação das Pioneiras Sociais. Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação

Associação das Pioneiras Sociais. Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação Associação das Pioneiras Sociais Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação REDE SARAH DE HOSPITAIS UNIDADE BELO HORIZONTE 13 ANOS DE PRGSS REDE SARAH DE HOSPITAIS DE REABILITAÇÃO SARAH BELO HORIZONTE Dados

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08)

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08) SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08) Oficina 07 Política de Meio Ambiente, Segurança e Saúde no Trabalho Objetivos, Metas e Programas 4.2 Política de SSTMA A Alta Administração

Leia mais

Departamento de Energia e Tecnologias Limpas DENE

Departamento de Energia e Tecnologias Limpas DENE Departamento de Energia e Tecnologias Limpas DENE A Finep A Finep é uma empresa pública vinculada ao MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação) criada em 24 de julho de 1967. Seu objetivo é atuar

Leia mais

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 CADERNO DE PROGRAMA AMBIENTAL EDUCACIONAL ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 PROGRAMA DE REDUÇÃO DO VOLUME E DESTINAÇÃO CORRETA DE RESÍDUOS PERIGOSOS GERADOS Programa Nº 04/2016 Sumário

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos Sólidos CENIBRA

Gerenciamento de Resíduos Sólidos CENIBRA Gerenciamento de Resíduos Sólidos CENIBRA Alexandre Brandão Landim Dpt. Gestão Ambiental, Qualidade e Segurança Celulose Nipo-Brasileira S/A - CENIBRA UNIVERSIDADE FEDERAL VIÇOSA, Viçosa- MG. 02 de Setembro

Leia mais

PROGRAMA GESTÃO AMBIENTAL MOVELEIRA

PROGRAMA GESTÃO AMBIENTAL MOVELEIRA PROGRAMA GESTÃO AMBIENTAL MOVELEIRA IRINEU ANTONIO BORRASCA VICE PRESIDENTE CETEC ONG JULIO CESAR RODRIGUES CONSULTOR UNIDADE SEBRAE ARAPONGAS/PR CLEVERSON FORATO DIRETOR I9GESTÃO Realização: Execução:

Leia mais

ZERO ATERRO GM SÃO CAETANO DO SUL

ZERO ATERRO GM SÃO CAETANO DO SUL Prêmio AEA 2017 Projetos de Meio Ambiente ZERO ATERRO GM SÃO CAETANO DO SUL Andreieli Ribeiro Pinto, Leonardo Sanches, Mônica Lucusi, Tatiana Gil General Motors do Brasil São Caetano do Sul - Chevrolet

Leia mais

Sistemas de Gestão Ambiental. Gestão de Resíduos. Vídeo. Contextualização. Soluções. Instrumentalização. Aula 5. Prof. Esp.

Sistemas de Gestão Ambiental. Gestão de Resíduos. Vídeo. Contextualização. Soluções. Instrumentalização. Aula 5. Prof. Esp. Sistemas de Gestão Ambiental Aula 5 Gestão de Resíduos Prof. Esp. Felipe Luiz Vídeo Contextualização Lixão no Oceano Pacífico. Disponível em:

Leia mais

Programa Maxion Wheels de Sustentabilidade

Programa Maxion Wheels de Sustentabilidade Programa Maxion Wheels de Sustentabilidade 2013 Presença Global da Maxion Wheels USA Northville, MI (HQ Office) Akron, OH Sedalia, MO Mexico Chihuahua San Luis Potosi Spain Manresa Germany Königswinter

Leia mais

CADERNO DE PROGRAMA AMBIENTAL EDUCACIONAL. Escola SENAI Celso Charuri Unidade Sumaré CFP 512. Programa de Coleta de Óleo Comestível Usado

CADERNO DE PROGRAMA AMBIENTAL EDUCACIONAL. Escola SENAI Celso Charuri Unidade Sumaré CFP 512. Programa de Coleta de Óleo Comestível Usado CADERNO DE PROGRAMA AMBIENTAL EDUCACIONAL Escola SENAI Celso Charuri Unidade Sumaré CFP 512 Programa de Coleta de Óleo Comestível Usado Programa Nº 01/2017 Sumário 1. Objetivo -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável no Varejo

Desenvolvimento Sustentável no Varejo Desenvolvimento Sustentável no Varejo Daniela de Fiori Outubro de 2006 Desenvolvimento Sustentável As três dimensões Objetivos Econômicos Crescimento Valor para acionistas Eficiência Inovação Objetivos

Leia mais

Regulamento campanha de coleta de resíduos escolares promovida pela Biblioteca Especializada em Gestão Ambiental, Silvia Barbosa de Mello - MPGA

Regulamento campanha de coleta de resíduos escolares promovida pela Biblioteca Especializada em Gestão Ambiental, Silvia Barbosa de Mello - MPGA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO CAMPUS RECIFE BIBLIOTECA ESPECIALIZADA MESTRADO Regulamento campanha de coleta de resíduos

Leia mais

Avaliação do perfil do resíduo gerado numa fábrica de tintas

Avaliação do perfil do resíduo gerado numa fábrica de tintas Avaliação do perfil do resíduo gerado numa fábrica de tintas Marçal Paim da Rocha (UFSM) marcalrocha@yahoo.com.br Juliano Konrad da Roza julianoroza@bol.com.br Djalma Dias da Silveira (UFSM) djalma@smail.com.br

Leia mais

Consultorias. Ensaios Laboratoriais. Cursos in Company. Apoio Tecnológico

Consultorias. Ensaios Laboratoriais. Cursos in Company. Apoio Tecnológico Consultorias Ensaios Laboratoriais Apoio Tecnológico Cursos in Company ÁREA DE GESTÃO E ALIMENTOS E BEBIDAS Consultoria em Planejamento e Controle dos Processos Produtivos; Consultoria para Atendimento

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos Responsabilidades Fabricantes, Importadores e Comerciantes (Lei /2010 e Decreto 7.

Política Nacional de Resíduos Sólidos Responsabilidades Fabricantes, Importadores e Comerciantes (Lei /2010 e Decreto 7. Política Nacional de Resíduos Sólidos Responsabilidades Fabricantes, Importadores e Comerciantes (Lei 12.305/2010 e Decreto 7.404/2010) 3 Esferas de Responsabilidade: Plano de Gerenciamento Fabricação

Leia mais

Realidades, Desafios e Oportunidades: POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Alexandre Vilella Coord. Regional de Meio Ambiente FIESP

Realidades, Desafios e Oportunidades: POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Alexandre Vilella Coord. Regional de Meio Ambiente FIESP Realidades, Desafios e Oportunidades: POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Alexandre Vilella Coord. Regional de Meio Ambiente FIESP POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS O reconhecimento do resíduo sólido

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos

Política Nacional de Resíduos Sólidos Política Nacional de Resíduos Sólidos O GPA NASCEU EM 1948. É A MAIOR EMPRESA VAREJISTA DO BRASIL E PERTENCE AO GRUPO CASINO, UM DOS LÍDERES MUNDIAIS NO VAREJO DE ALIMENTOS. Com 2.113 pontos de venda,

Leia mais

RECEPÇÃO DE CALOUROS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE

RECEPÇÃO DE CALOUROS COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE RECEPÇÃO DE CALOUROS 2017-1 COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS UFES Campus ALEGRE RECEPÇÃO DE CALOUROS 2017-1 Dr. Anderson Lopes Peçanha Professor da Universidade Federal do Espírito Santo Departamento

Leia mais

ENERGIAS RENOVÁVEIS E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

ENERGIAS RENOVÁVEIS E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EIXO 4 ENERGIAS RENOVÁVEIS E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA VERSÃO PRELIMINAR Contexto O mundo vive atualmente o desafio de seguir com seu processo de desenvolvimento socioeconômico com recursos cada vez mais escassos.

Leia mais

Índice

Índice Índice Diretrizes...02 Sorocaba Refrescos...03 Abrangência...04 Grupo de Dirigentes...04 Um Negócio Sustentável...05 Nosso Clima...05 Pequenas Iniciativas, Grandes Resultados...05 Meio Ambiente...06, 07

Leia mais

Sumário 1. INTRODUÇÃO...3

Sumário 1. INTRODUÇÃO...3 SUSTENTABILIDADE - SIGGA Sumário 1. INTRODUÇÃO...3 2. O GRUPO ATITUDE SERVIÇOS...3 3. OBJETIVO...4 4. O QUE É SUSTENTABILIDADE...4 5. ATITUDE SOCIAL...4 5.1. NÃO AO TRABALHO INFANTIL E AO TRABALHO ESCRAVO...4

Leia mais

A RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DE CUBATÃO. 25 anos

A RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DE CUBATÃO. 25 anos A RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DE CUBATÃO 25 anos Cronologia Ambiental 1922 Instalação da primeira indústria em Cubatão (Santista de Papel) 1975 1976 18 Indústrias já estão instaladas em Cubatão Lei de Controle

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL. Edilimp Uma história de sucesso!

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL. Edilimp Uma história de sucesso! APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Edilimp Uma história de sucesso! Empresa brasileira, localizada em Arcoverde, desde 1996, a EDILIMP atua no mercado oferecendo soluções inovadoras em produtos de limpeza. Com

Leia mais

Apresentação das Ações da Câmara Nacional de Recicladores de Material Plástico 27/07/2015

Apresentação das Ações da Câmara Nacional de Recicladores de Material Plástico 27/07/2015 Apresentação das Ações da Câmara Nacional de Recicladores de Material Plástico 27/07/2015 1 Índice 1. Institucional Abiplast 2. Indústria de Reciclagem de Material Plástico 3. SENAPLAS 4. Oxibiodegradável

Leia mais

Compras Sustentáveis

Compras Sustentáveis OBJETIVO ESTRATÉGICO DO SGAC Alcançar o Nível de Maturidade de uma Empresa de Classe Mundial Evento com Fornecedores dos Correios AÇÃO ESTRATÉGICA Implantar o modelo de gestão ambiental da empresa de acordo

Leia mais

Troca Ecológica Premiada.

Troca Ecológica Premiada. Campanha de Educação Ambiental NÃO JOGUE LIXO RECICLÁVEL FORA AGORA ELE VALE PRÊMIOS Troca Ecológica Premiada. O projeto Troca Ecológica, que tem por finalidade a participação da comunidade no processo

Leia mais

Valorização dos Resíduos Plásticos

Valorização dos Resíduos Plásticos Valorização dos Resíduos Plásticos CENÁRIO CENÁRIO Consumimos 50% a mais do que o planeta é capaz de produzir, absorver e regenerar 16% da população mundial consome 78% dos recursos 2/3 da população não

Leia mais