PROVA COMENTADA PELOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROVA COMENTADA PELOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO"

Transcrição

1 COMENTÁRIO DA PROVA A parte objetiva da prova consideravelmente mais simples e mais fácil que o habitual. Algumas questões tinham uma resolução imediata (como as questões 2, 7 e 10) e outras exigiam pouco conhecimento (como as questões 3, 14 e 17). Quanto à abrangência, ela foi bastante heterogênea, dando grande prioridade para a Físico-, em detrimento à Orgânica. Alguns assuntos foram cobrados mais de uma vez (gases, eletroquímica) e alguns temas clássicos não foram abordados, principalmente cálculo estequiométrico, além da ausência de funções orgânicas, reações inorgânicas e de radioatividade. As questões discursivas, além de variadas, estavam com um nível mais típico do ITA, exigindo boa capacidade dos candidatos. Lamenta-se que continuam sendo cobrados detalhes de menor importância, como a decomposição da nitroglicerina e itens correlatos. De maneira geral, foi uma prova bem seletiva, premiando o aluno mais preparado. Professores de do Curso Positivo.

2 I. Verdadeira. O aumento da agitação das partículas significa um aumento da energia cinética. II. Verdadeira. Se a temperatura permanece constante, o calor recebido transforma-se em energia potencial, refletida no aumento da distância entre as partículas. III. Verdadeira. Como a massa permanece a mesma, pela observação do gráfico nota-se que o calor latente de fusão é menor que o calor latente de vaporização. IV. Falsa. Nestes trechos há calor sensível (Q = m. c. T) e a inclinação da curva representa T t. Como Q = m.c T = constante, a massa permanece constante e a inclinação no estado sólido é maior t t que a do estado líquido, então, necessariamente o c do sólido é menor que o c do líquido. Resposta: e

3 1806 John Dalton: Propôs o primeiro modelo atômico científico: os átomos seriam esferas maciças, homogêneas e indivisíveis Joseph Thomson: Concluiu que existem partículas menores que o átomo, dotadas de carga elétrica negativa. Mediu a relação carga/massa desta partícula. Propôs um modelo para o átomo: esfera gelatinosa com carga positiva, onde os elétrons, negativos e muito menores, estariam incrustados ( pudim de passas ) Joseph Thomson: Descobriu o próton, aprimorando trabalhos anteriores de Godstein (1886) e Wien (1898), referentes aos raios canais Ernest Rutherford: Concebeu o modelo atômico planetário: núcleo positivo e eletrosfera negativa Niels Bohr: Aprimorou o modelo de Rutherford, com a introdução da teoria quântica. Também descreveu matematicamente as órbitas de um elétron em níveis de energia. Resposta: a OHCl é um composto molecular e, para sua solução conduzir corrente elétrica, ela deve possuir íons. Como ela é não condutora, significa que o HCl não sofreu ionização, ou seja, o solvente não é polar. Resposta: b

4 A alternativa A está correta pois o ponto R, representa um ponto de baixa condutância antes do ponto de equivalência da titulação; ponto S. Assim no ponto R há ainda excesso de H +,Cl e íons Na + provenientes do NaOH. Não notamos a presença de íons OH pois esses são consumidos na titulação. A alternativa B está correta pois o ponto S representa o ponto de equivalência da titulação, assim todo H + proveniente do HCl e todo íon OH - proveniente do NaOH reagiram para total neutralização. As alternativas C e D são corretas, pois apesar das quantidades dos íons H +,Cl,Na +,OH serem as mesmas, os íons H + e OH tem mobilidade superior a dos outros. A alternativa E é incorreta, pois se a solução é eletricamente neutra. Não pode existir predominância de carga em nenhum dos pontos do gráfico. Resposta: e

5 Pela equação de Nernst, temos que: E o = E (0,0593/n).log Q Onde Q é o quociente reacional do processo. Este é calculado por: Q = p[h 2(g) ].[Fe +2 (aq) ]/[H+ (aq) ]2 Esta fórmula é obtida da reação global da pilha: 2H + (aq) + Fe (s) Fe+2 (aq) +H 2(g) E o = + 0,440 V Resolvendo as equações acima; temos: E o = E (0,0593/n).log p[h 2(g) ].[Fe +2 (aq) ]/[H+ (aq) ]2 0,440V = 0,292V (0,0593/2).log [1].[1]/[H + (aq) ]2 0,440V 0,292V = (0,0593/2).log [1]/[H + (aq) ]2 0,148V = (0,02965).{log[1] log[h + (aq) ]2 } 0,148V = (0,02965). 2log[H + (aq) ] 4,99 = 2log[H + (aq) ] log[h + (aq)]= 2,495 = 2,5 ph = 2,5 Resposta: d

6 Cr 6+ Cr 3+ = 3e x 2 = 6e x 1 = 6e C 3+ C 4+ = +1 x 2 = +2e x 3 = + 6e 1(Cr 2 O 7 ) 2 + 3(C 2 O 4 ) 2 2Cr CO 2 Pelo fato do enunciado avisar que a reação ocorre em meio ácido (H + ) temos que a reação nesse meio é: 1(Cr 2 O 7 ) 2 + 3(C 2 O 4 ) H + 2Cr CO 2 + 7H 2 O P.S. não se esqueça que o balanço de cargas deve ser igual Resposta: c O CCl 4 é um composto orgânico apolar, portanto solúvel em substâncias também apolares: I. Sal: composto iônico. II. Molécula linear: substância com momento dipolar resultante igual a zero (análogo ao CO 2 ). III. Ácido: composto polar. IV. Composto orgânico com longa cadeia: apolar. V. Composto polar. VI. Hidrocarboneto: apolar. Resposta: b

7 A equação resultante pode ser representada por: 2A 4+ +C + B2+ 2A 3+ +C 3+. Como a etapa lenta é a primeira, ela determina a equação da velocidade: v = k. [A 4+ ]. [B 2+ ] (reação de 2ª ordem). Alternativa: d A alternativa A está errada pois o I 2 é apolar e pouco solúvel em água. Logo não altera o ph dela. A alternativa B está errada pois apesar de ser solúvel em água a sacarose é um soluto molecular e não sofre dissociação iônica, não alterando assim o ph da água. A alternativa C está correta pois a reação entre o CO 2 e a água forma ácido carbônico; alterando assim o ph. CO 2 + H 2 O H 2 CO 3 A alternativa D pode ser resposta pois o AgNO 3 é um sal de hidrólise ácida. Assim esta alternativa poderia ser resposta da questão. A alternativa E está errada pois o NaCl é um sal que não sofre hidrólise; logo não altera o ph da solução. Resposta: c

8 A constante de equilíbrio somente é mudada pela alteração da temperatura, não sofrendo mudança pela adição de substâncias. Resposta: e

9 Usando a equação de Clapeyron (PV = nrt); temos V = nrt/p Como T = 25 o c = 298 K; P = 1atm e R = 0,082 atm.l.mol 1 K 1 ; temos: V = n. 0,082 atm.l.mol 1 K K/1 atm V = n. 24,436 L.mol 1 Usando a lei de Henry (S = kp) onde S é a solubilidade, k é a constante de Henry e P é a pressão parcial do gás; temos que: S = 1,3 x 10 3 mol O 2 por litro de H 2 O Assim como pelo enunciado há 1 litro de água, temos solubilizado 1,3 x 10 3 mol de O 2 Logo, o volume do O 2 solubilizado é: V = 1,3 x 10 3 mol x 24,436L.mol 1 V = 31,7668 x 10 3 L V = 3,2 x 10 2 L Resposta: e

10 Chamando o número de Avogadro de A e o número de moléculas de N, pode-se escrever que: P.V = N A. R. T N = A.P. V 23 6, ,25 = = 7, R. T 0, Densidade: ρ = P.M R. T Resposta: d 2.28 = = 1,3 g kg = 1,3 0, L m 3

11 Sabemos que a energia cinética é calculada por (ε C = m. v 2 /2) e que 1 mol de moléculas de H 2 pesam 2,02 x 10 3 kg. Como a velocidade média das moléculas nessa temperatura é 1,85 x 10 3 m/s; temos que: 2 ε C = m. v 2 ε C = 2,02 x 10 3 kg. (1,85 x m/s) 2 /2 ε C = 2,02 x 10 3 kg. (1,85 x m/s) 2 /2 ε C = 3,457 x ,02 x moléculas 3,457 x J 1 molécula x x = 0,574 x J x = 5,74 x J Resposta: d Reação de ordem zero: v = k. [X] 0 = k = constante = X t Resposta: c

12 Considerando a equação de dissociação do fosfato de estrôncio; temos: Sr 3 (PO 4 ) 2 3Sr +2 (aq) + 2 PO 3 4 (aq) Da equação acima temos que a expressão para o K PS é: K PS = [Sr +2 (aq) ]3 3 [PO 4 (aq) ]2 Sabemos que [Sr +2 (aq) ] é igual a 7,5 x 10 7 mol e essa concentração é igual a 3 vezes a solubilidade do sal. Assim 3S = 7,5 x 10 7 mol; logo S = 2,5 x 10 7 mol. Como a [PO 4 3(aq)] é igual a 2S; temos que 2S = 2(2,5 x 10 7 )mol = 5 x 10 7 mol de PO 4 3(aq). Substituindo esses valores na expressão do K PS ; temos K PS = [7,5 x 10 7 ] 3 [5,0 x 10 7 ] 2 Aplicando log membro a membro; temos logk PS = log[7,5 x 10 7 ] 3 [5,0 x 10 7 ] 2 logk PS = log[7,5 x 10 7 ] 3 + log[5,0 x 10 7 ] 2 logk PS = 3log[7,5 x 10 7 ] + 2log[5,0 x 10 7 ] logk PS = 3( 6,125) + 2( 6,301) logk PS = 18,375 12,602 logk PS = 30,977 logk PS = 30,977 pk PS = 31 Resposta: d

13 No enunciado nos foi fornecido os calores de combustão. No entanto nos interessa os calores de formação. Assim sendo podemos considerar que os calores de formação são numericamente iguais aos módulos dos calores de combustão. Logo pela equação padrão da entalpia; temos que: H = H produtos H reagentes H = (CH 4 ) (H 2 + C grafita ) H = (+890,5) [(2x + 285,9) + (+393,5)] H = (+890,5) [(+571,8) + (+393,5)] H = (+890,5) 965,3 H = 74,8 Resposta: b Se o metal do filamento tivesse uma elevada pressão de vapor, ele tenderia a mudar de estado a baixa temperatura, o que impediria o seu uso em uma lâmpada incandescente. Resposta: b

14 Baseado nas afirmações do enunciado sabemos que: O eletrodo de níquel é ativo. Logo, durante o processo ele sofre oxidação. Assim sendo ele deve ter sido conectado ao polo positivo da fonte. A reação de oxidação do processo é representada por: Ni 0 2e + Ni +2 (aq) O eletrodo de cobre deve ser conectado ao polo negativo da fonte; sendo assim um eletrodo inerte. Sabemos disso pois a reação de redução acontece sobre o eletrodo de cobre. A redução do niquel é representada por: Ni +2 (aq) + 2e Ni0 Com essas observações notamos que os itens I, II e III são incorretos. Os boratos são soluveis em água. Assim o item IV é incorreto. Resposta: e

15 Ambas as reações são exotérmicas ( H < 0) e ambas apresentam uma diminuição do volume ( V < 0): I. Transformação gasosa que passa de 1,5 volumes para 1 volume ( n = 1 1,5= 0,5). II. Transformação de estado gasoso para estado líquido. Como a temperatura e a pressão permanecem constantes: H = U + P. V = U + R. T. n H = U 0,5. R. T Como H < 0, então H > U Resposta: b

16 Alternativa a está incorreta pois haveria a formação dos isômeros orto-nitrotolueno e para-nitrotolueno Alternativa b está correta Alternativa c está correta Alternativa d está correta Alternativa e está correta Resposta: a

17 CH 3 COOH (aq) + NaOH (aq) CH 3 COONa (aq) + H 2 O (l) Quantidade de matéria consumida de CH 3 COOH = 0,1000 x 0,025 0,0025 mol Quantidade de matéria produzida de CH 3 COONa = 0,0025 mol Volume consumido de solução de NaOH = 25,0 ml Volume da solução no ponto de equivalência = 50,0 ml Concentração de CH 3 COONa = 0, ,05 mol L 1 005, Equação de hidrólise de íons acetato: CH 3 COO (aq) + H 2 O (l) CH 3 COOH (aq) + OH (aq) Constante de hidrólise de íons acetato (Kn): 14 Kw 1,0 x 10 Kh = Kh = Ka(CH3COOH) 5 1,8 x 10 Concentração de íons OH : [CH3COOH][OH ] Kh = [CH COO ] 3 5,56 x = [OH ] 2 0,0025 Kh = 5,56 x [OH ] 2 = 1,39 x [OH ] = 1,179 x 10 5 mol L 2 Concentração de íons H 3 O + : Kw = [H 3 O + ][OH ] 1,0 x = [H 3 O + ][OH ] [H 3 O ,0 x 10 ] = 5 1,179 x 10 [H 3 O + ] = 8,48 x 10 9 mol L 1 Cálculo do ph: Aproximando a [H 3 O + ] para 8,0 x 10 9 mol. L 1, temos: ph = log [H 3 O + ] ph = log 8 x 10 9 ph = (3 log 2 + log 10 9 ) ph = (3 x 0,3 9) ph = 8,1

18 1ª Etapa: Tratamento do óxido de cobre (II) sólido com solução aquosa de ácido sulfúrico para obtenção de sulfato de cobre (II) na forma penta-hidratada. CuO (s) + H 2 O (l) Cu(OH) 2(aq) + H 2 SO 4(aq) CuSO 4(aq) + 4 5H 2 O (l) CuO (s) + H 2 SO 4(aq) + 4H 2 O (l) Cu(OH) 2(aq) CuSO 4(aq) + 2H 2 O (l) CuSO 4. 5H 2 O (aq) CuSO 4. 5H 2 O (aq) 2ª Etapa: Vaporização da água para a cristalização de sulfato de cobre (II) penta-hidratado. CuSO H 2 O (aq) CuSO 4 + 5H 2 O (s) 3ª Etapa: Aquecimento do sulfato de cobre (II) penta-hidratado na temperatura de 220 o C para a eliminação da água de hidratação. CuSO H 2 O (s) CuSO 4(s) + 5H 2 O (s) 4 C 3 H 5 (ONO 2 ) 3 6N CO H 2 O + O 2 As ligações do NO 2 são altamente estáveis pois sofrem ressonância entretanto o átomo de nitrogênio é um ácido de Lewis. No rompimento das ligações da nitroglicerina há formação de gases como N 2,CO 2 eo 2 aumentando assim a entropia do sistema favorecendo a decomposição. Vale ressaltar também que a formação do N 2 liberada é alta quantidade de energia devido a formação da ligação tripla.

19 a) CaCO 3(s) + 2 H 3 CCOOH (aq) (H 3 CCOO )2Ca +2 (aq) + CO 2(g) + H 2 O (l) b) O volume do ovo que foi imerso em água pura deve aumentar. Isso ocorre pois o meio possui externo é hipotônico em relação ao meio interno. Assim sendo, a água deve atravessar a casca do ovo aumentando-o de tamanho. Já o volume do ovo que foi imerso na solução aquosa saturada de sacarose deve diminuir. Isso ocorre pois o meio externo é hipertônico em relação ao meio interno. Assim sendo a água deve sair do ovo em direção ao meio externo, diminuindo a osmolaridade.

20 a) 1ª etapa: A + B C 2ª etapa: C D + E Reação Global: A + B C + D b) A segunda etapaéalentapoispossuiamaiorenergia de ativação do processo. A lei da velocidade é v = k [C] c) De acordo com o mecanismo proposto no item A pode-se chegar as seguintes equações: K 1 = [C] [A].[B] [C] = K 1 [A].[B] (1) V = K 2 [C] (2) Substituindo (1) em (2), tem-se: V = K 2 (K 1. [A]. [B]) V = K n [A]. [B], sendo K n = K 1. K 2 Realizando experimentos e conhecendo-se as concentrações de A e B, pode-se determinar a velocidade inicial de cada experimento. Posteriormente, calcula-se o valor da constante da velocidade.

21 PROVA COMENTADA PELOS

22 Inicialmente a solução encontra-se em um béquer nas condições padrão. 1ª Etapa: Retirada dos íons prata (Ag + ) da solução. Mergulha-se uma placa polida e pura de cobre na solução. Os íons prata são os únicos capazes de oxidar o cobre metálico por apresentarem potencial de redução maior do que os íons cobre II (Cu 2+ ). Nessa etapa, o processo que ocorre é: 2Ag + (aq) + Cu (s) 2Ag (s) + Cu 2+ (aq) Portanto, na solução ocorre a retirada de íons prata e aumento da concentração de íons cobre II. 2ª Etapa: Retirada dos íons cobre II (Cu 2+ ) da solução. Mergulha-se uma placa polida e pura de chumbo na solução. Os íons cobre II são os únicos capazes de oxidar o chumbo metálico por apresentarem potencial de redução maior do que os íons chumbo II (Pb 2+ ). Nessa etapa, o processo que ocorre é: Cu 2+ (aq) + Pb (s) Cu (s) + Pb 2+ (aq) Portanto, na solução ocorre a retirada de íons cobre II e aumento da concentração de íons chumbo II. 3ª Etapa: Retirada dos íons chumbo II (Pb 2+ ) da solução. Mergulha-se uma placa polida e pura de ferro na solução. Os íons chumbo II são os únicos capazes de oxidar o ferro metálico por apresentarem potencial de redução maior do que os íons ferro II (Fe 2+ ). Nessa etapa, o processo que ocorre é: Pb 2+ (aq) + Fe (s) Pb (s) + Fe 2+ (aq) Portanto, na solução ocorre a retirada de íons chumbo II e aumento da concentração de íons ferro II. Ao final da terceira etapa, a solução apresentará apenas íons ferro II, portanto, os íons foram separados. Caso seja necessário retirar da solução estes íons, basta mergulhar uma placa polida de zinco metálico.

23 Acreditamos que a fórmula correta na primeira equação, seja: C 6 H 5 OCH 3

24 a) Na reação em questão: o oxigênio sofre redução, passando de estado de oxidação zero no gás oxigênio para o estado de oxidação 2 na água. Neste processo, cada átomo de oxigênio recebe dois elétrons: O 2(g) + 4e 2 H 2 O (l) Como o primeiro membro dessa semirreação apresenta cargas negativas e o segundo membro é eletricamente neutro e a reação ocorre em meio ácido, adicionam-se ao primeiro membro 4 H + para que haja equilíbrio de cargas: O 2(g) + 4H + (aq) + 4e 2H 2 O (l) o cobre sofre oxidação, passando de estado de oxidação 1+ no óxido de cobre I (Cu 2 O) para o estado de oxidação 2+ no íon cobre II (Cu 2+ ). Nesse processo, cada átomo de cobre perde 1 elétron: Cu 2 O (s) 2Cu 2+ (aq) + 2e Para balancear o número de cargas positivas adicionam-se 2H + no primeiro membro: Cu 2 O (s) + 2H + (aq) 2Cu2+ (aq) + 2e Para balancear o número de oxigênio e hidrogênio adiciona-se 1H 2 O no segundo membro: Cu 2 O (s) + 2H + (aq) 2Cu2+ (aq) + H 2 O (l) + 2e Multiplicando-se a semirreação de oxidação do cobre por 2 e somando-se à semirreação de redução do oxigênio, temos: 2Cu 2 O (s) + 8H + (aq) + O 2(g) 4Cu2+ (aq) + 4H 2 O (l) b) Cálculo da força eletromotriz padrão: 2Cu 2 O (s) + 4H + (aq) 4Cu2+ (aq) + 2H 2 O (l) + 4e O 2(g) + 4H + (aq) + 4e 2H 2 O (l) E 0 = 0,20 V E o = 1,23 V Somando-se as duas reações e suas respectivas forças eletromotrizes, temos: 2Cu 2 O (s) + 8H + (aq) + O 2(g) 4Cu2+ (aq) + 4H 2 O (l) E 0 = 1,03 V

25 Cálculo do quociente reacional: OCu 2 O (l) apresentará tendência termodinâmica de sofrer oxidação espontânea no meio descrito quando a variação de energia livre de Gibbs for menor do que zero. Como: G = n. F. E A variação de energia livre de Gibbs será menor do que zero quando a variação da força eletromotriz do processo for maior do que zero. A partir da equação de Nerst, temos: E = E 0 0,0593 log Q n Para satisfazer a condição do exercício: E 0 0,0593 log Q > 0 n Como n = 4, pois quatro mol de elétrons estão envolvidos em cada mol de reação, temos: 1,03 0, 0593 log Q > 0 4 0, log Q < 1,03 log Q < 69,48 Q < 10 69,48 Cálculo da pressão de oxigênio: O quociente reacional do processo é igual a [Cu (aq) ] Q = + 8 P(O ).[H ] 2(g) (aq) (aq) 10 69,48 [Cu ] > + P(O ).[H ] 2(g) (aq) (aq) 10 69,48 [Cu ] > + P(O ).[H ] 2(g) 6 4 (aq) [ 10 ] P(O 2(g) ) >, 10.( 10 ) P(O 2(g) ) > 3,31 x

26 a) Semirreação anódica 2Cu(s) + H 2 O(l) Cu 2 O(s) + 2H + (aq) + 2é Semirreação catódica 1 2 O 2 (g) + 2e + H + H 2 O(l) b) Reação global: 2Cu (s) O 2(g) Cu 2 O c) d = m v V = m α 5 1, V = = 2, cm 3 6,0 Espessura (e) = V A 2 mol e 1 mol Cu 2 O C 143,10 g C m m = 1, g 2, e = cm 350cm e = 6, µm = 6, cm = 6, m

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa QUESTÃO 01 Num laboratório químico, havia três frascos que continham, respectivamente, um alcano, um álcool e um alqueno. Foram realizados experimentos que envolviam

Leia mais

Resolução: 0,86ºC. x = 0,5 mol etanol/kg acetona. 0,5 mol 1000 g de acetona. 200 g de acetona. y = 0,1 mol de etanol. 1 mol de etanol (C 2 H 6 O) 46 g

Resolução: 0,86ºC. x = 0,5 mol etanol/kg acetona. 0,5 mol 1000 g de acetona. 200 g de acetona. y = 0,1 mol de etanol. 1 mol de etanol (C 2 H 6 O) 46 g (ACAFE) Foi dissolvida uma determinada massa de etanol puro em 200 g de acetona acarretando em um aumento de 0,86 C na temperatura de ebulição da acetona. Dados: H: 1 g/mol, C: 12 g/mol, O: 16 g/mol. Constante

Leia mais

A resposta correta deve ser a letra B.

A resposta correta deve ser a letra B. ITA - 1999 1- (ITA-99) Assinale a opção CORRETA em relação à comparação das temperaturas de ebulição dos seguintes pares de substâncias: a) Éter dimetílico > etanol; Propanona > ácido etanóico; Naftaleno

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS

PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS 3 PROCESSO SELETIVO 2006 QUESTÕES OBJETIVAS QUÍMICA 01 - O dispositivo de segurança que conhecemos como air-bag utiliza como principal reagente para fornecer o gás N 2 (massa molar igual a 28 g mol -1

Leia mais

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza 1) a-) Calcular a solubilidade do BaSO 4 em uma solução 0,01 M de Na 2 SO 4 Dissolução do Na 2 SO 4 : Dado: BaSO

Leia mais

QUÍMICA COMENTÁRIO DA PROVA DE QUÍMICA

QUÍMICA COMENTÁRIO DA PROVA DE QUÍMICA COMENTÁRIO DA PROVA DE QUÍMICA Prova boa, com questões claras e nível superior ao do ano passado. Nota-se, no entanto, a falta de uma revisão criteriosa, feita por algum professor da área, que não tenha

Leia mais

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2011-2 GABARITO DA PROVA DISCURSIVA DE QUÍMICA

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2011-2 GABARITO DA PROVA DISCURSIVA DE QUÍMICA UFJF CNCURS VESTIBULAR 2011-2 GABARIT DA PRVA DISCURSIVA DE QUÍMICA Questão 1 Sabe-se que compostos constituídos por elementos do mesmo grupo na tabela periódica possuem algumas propriedades químicas semelhantes.

Leia mais

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 Nome: Gabarito Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Constantes: R 8,314 J mol -1 K -1 0,0821

Leia mais

a) Qual a configuração eletrônica do cátion do alumínio isoeletrônico ao gás nobre neônio?

a) Qual a configuração eletrônica do cátion do alumínio isoeletrônico ao gás nobre neônio? Questão 1: O Brasil é o campeão mundial da reciclagem de alumínio, colaborando com a preservação do meio ambiente. Por outro lado, a obtenção industrial do alumínio sempre foi um processo caro, consumindo

Leia mais

ELETRODO OU SEMIPILHA:

ELETRODO OU SEMIPILHA: ELETROQUÍMICA A eletroquímica estuda a corrente elétrica fornecida por reações espontâneas de oxirredução (pilhas) e as reações não espontâneas que ocorrem quando submetidas a uma corrente elétrica (eletrólise).

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE QUÍMICA DA UFRGS 2011

RESOLUÇÃO DA PROVA DE QUÍMICA DA UFRGS 2011 RESOLUÇÃO DA PROVA DE QUÍMICA DA UFRGS 2011 Questão 26 Como a questão pede a separação do sólido solúvel do líquido, o único processo recomendado é a destilação simples. Lembrando que filtração e decantação

Leia mais

Propriedades Físicas das Soluções

Propriedades Físicas das Soluções Propriedades Físicas das Soluções Solução (def): é uma mistura homogénea de duas ou mais substâncias. Solvente: componente da solução do mesmo estado físico, por exemplo água numa solução aquosa Soluto:

Leia mais

EQUILÍBRIO QUÍMICO 1

EQUILÍBRIO QUÍMICO 1 EQUILÍBRIO QUÍMICO 1 1- Introdução Uma reação química é composta de duas partes separadas por uma flecha, a qual indica o sentido da reação. As espécies químicas denominadas como reagentes ficam à esquerda

Leia mais

Professora Sonia ITA 2010

Professora Sonia ITA 2010 CONSTANTES Constante de Avogadro = 6,02 x 10 23 mol 1 Constante de Faraday (F) = 9,65 x 10 4 Cmol 1 = 9,65 x 10 4 Asmol 1 = 9,65 x 10 4 J V 1 mol 1 Volume molar de gás ideal = 22,4 L (CNTP) Carga elementar

Leia mais

10/02/2014. O Processo de Dissolução. Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico é preservado.

10/02/2014. O Processo de Dissolução. Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico é preservado. Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Bacharelado em Ciência e Tecnologia Diamantina - MG Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico

Leia mais

UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 Os metais alcalinos, ao reagirem com água, produzem soluções dos respectivos hidróxidos e gás hidrogênio. Esta tabela apresenta

Leia mais

QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica:

QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica: QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica: 1. Considere que, durante esse experimento, a diminuição de massa se

Leia mais

Introdução. Muitas reações ocorrem completamente e de forma irreversível como por exemplo a reação da queima de um papel ou palito de fósforo.

Introdução. Muitas reações ocorrem completamente e de forma irreversível como por exemplo a reação da queima de um papel ou palito de fósforo. Introdução Muitas reações ocorrem completamente e de forma irreversível como por exemplo a reação da queima de um papel ou palito de fósforo. Existem também sistemas, em que as reações direta e inversa

Leia mais

Eletroquímica e Termodinâmica

Eletroquímica e Termodinâmica Eletroquímica e Termodinâmica Podemos relacionar a variação de energia livre de Gibbs de uma reação e a diferença de potencial da pilha através da seguinte equação: G(reação) = - nfe O potencial da célula

Leia mais

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 11 Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 4 ), para que a água esteja em conformidade com

Leia mais

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas QUÍMICA è Revisão: Química inorgânica Hidróxidos fortes família 1A e 2A (exceto Ca e Mg) Ácidos fortes nº de oxigênios nº de hidrogênios > 2, principalmente nítrico (HNO 3 ), clorídrico (HCl) e sulfúrico

Leia mais

VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011

VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011 VI OLIMPÍADA BAIANA DE QUÍMICA 2011 RESPONDA AS QUESTÕES DE 1 a 30, MARCANDO UMA DAS ALTERNATIVAS DE ACORDO COM O QUE SE PEDE QUESTÃO 1 Peso 2 A dissolução do cloreto de amônio, NH 4 Cl(s), em água ocorre

Leia mais

COMENTÁRIO DA PROVA DE QUÍMICA EQUIPE DE QUÍMICA DO CURSO POSITIVO

COMENTÁRIO DA PROVA DE QUÍMICA EQUIPE DE QUÍMICA DO CURSO POSITIVO COMENTÁRIO DA PROVA DE QUÍMICA Sem sombra de dúvida, a prova deste ano está muito melhor que a dos anos anteriores. Maior abrangência com temas mais relevantes e grau de dificuldade de médio para difícil,

Leia mais

X -2(3) X -2 x (4) X - 6 = -1 X 8 = -1 X = 5 X = 7

X -2(3) X -2 x (4) X - 6 = -1 X 8 = -1 X = 5 X = 7 2001 1. - Uma camada escura é formada sobre objetos de prata exposta a uma atmosfera poluída contendo compostos de enxofre. Esta camada pode ser removida quimicamente envolvendo os objetos em questão com

Leia mais

Gabarito Química - Grupo A. 1 a QUESTÃO: (1,0 ponto) Avaliador Revisor

Gabarito Química - Grupo A. 1 a QUESTÃO: (1,0 ponto) Avaliador Revisor VESTIB LAR Gabarito Química - Grupo A 1 a QUESTÃO: (1,0 ponto) Avaliador Revisor Muitos álcoois, como o butanol (C 4 H 10 O), têm importância comercial como solventes e matériasprimas na produção industrial

Leia mais

química 2 Questão 37 Questão 38 Questão 39 alternativa C na alternativa B. Sabendo-se que a amônia (NH 3)

química 2 Questão 37 Questão 38 Questão 39 alternativa C na alternativa B. Sabendo-se que a amônia (NH 3) química 2 Questão 37 Questão 38 abendo-se que a amônia (N 3) é constituída por moléculas polares e apresenta boa solubilidade em água. o diclorometano (2 2) não possui isômeros. ua molécula apresenta polaridade,

Leia mais

QUÍMICA QUESTÃO 41 QUESTÃO 42

QUÍMICA QUESTÃO 41 QUESTÃO 42 Processo Seletivo/UNIFAL- janeiro 2008-1ª Prova Comum TIPO 1 QUÍMICA QUESTÃO 41 Diferentes modelos foram propostos ao longo da história para explicar o mundo invisível da matéria. A respeito desses modelos

Leia mais

B) (até três pontos) Para os pares de espécies apresentados em i, ii e iii, tem-se, respectivamente, Al +, F - e Li.

B) (até três pontos) Para os pares de espécies apresentados em i, ii e iii, tem-se, respectivamente, Al +, F - e Li. Química 1. O raio atômico (ou iônico) é uma propriedade periódica que exerce grande influência na reatividade dos átomos (ou dos íons). A) Explique, em termos de carga nuclear efetiva, a variação apresentada

Leia mais

Introdução. Princípios da corrosão: reações de oxiredução potencial de eletrodo - sistema redox em equilíbrio - Diagrama de Pourbaix

Introdução. Princípios da corrosão: reações de oxiredução potencial de eletrodo - sistema redox em equilíbrio - Diagrama de Pourbaix Introdução Princípios da corrosão: reações de oxiredução potencial de eletrodo - sistema redox em equilíbrio - Diagrama de Pourbaix Introdução Conceitos de oxidação e redução 1 - Ganho ou perda de oxigênio

Leia mais

Resoluções das Atividades

Resoluções das Atividades Resoluções das Atividades Sumário Módulo 1 Teoria atômica básica e leis ponderais Evolução dos modelos atômicos Modelo atômico atual 1 Módulo 2 Números quânticos; Distribuição eletrônica Paramagnetismo,

Leia mais

LIGAÇÕES QUÍMICAS TEORIA CORPUSCULAR

LIGAÇÕES QUÍMICAS TEORIA CORPUSCULAR LIGAÇÕES QUÍMICAS 5 TEORIA CORPUSCULAR 1 INTRODUÇÃO O fato de os gases nobres existirem na natureza como átomos isolados, levou os cientistas KOSSEL e LEWIS a elaborar um modelo para as ligações químicas.

Leia mais

química FUVEST ETAPA Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2 c) Determine o volume adicionado da solução

química FUVEST ETAPA Resposta QUESTÃO 1 QUESTÃO 2 c) Determine o volume adicionado da solução Química QUESTÃO 1 Um recipiente contém 100 ml de uma solução aquosa de H SO 4 de concentração 0,1 mol/l. Duas placas de platina são inseridas na solução e conectadas a um LED (diodo emissor de luz) e a

Leia mais

CONTEÚDOS DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO

CONTEÚDOS DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO DE QUÍMICA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO GOVERNADOR DE PERNAMBUCO Paulo Henrique Saraiva Câmara SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES Frederico

Leia mais

EXAME QUALIFICAÇÃO UERJ 2015. MATERIAL RETIRADO DO SITE: http://www.revista.vestibular.uerj.br/

EXAME QUALIFICAÇÃO UERJ 2015. MATERIAL RETIRADO DO SITE: http://www.revista.vestibular.uerj.br/ EXAME QUALIFICAÇÃO UERJ 2015 MATERIAL RETIRADO DO SITE: http://www.revista.vestibular.uerj.br/ 01. Observe na tabela a distribuição percentual dos principais elementos químicos cujos átomos, combinados,

Leia mais

Química - Grupo J - Gabarito

Química - Grupo J - Gabarito - Gabarito 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor Informe a que volume deve ser diluído com água um litro de solução de um ácido fraco HA 0.10 M, de constante de ionização extremamente pequena (K

Leia mais

Projeto Embuá Unidade de Aprendizagem: ENERGIA

Projeto Embuá Unidade de Aprendizagem: ENERGIA Projeto Embuá Unidade de Aprendizagem: ENERGIA Energia para realizar reações químicas: eletrólise do iodeto de potássio aquoso Existem reações químicas não espontâneas, mas que são realizadas com rapidez

Leia mais

As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo.

As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo. QUÍMICA As questões de 31 a 34 referem-se ao texto abaixo. Em diversos países, o aproveitamento do lixo doméstico é quase 100%. Do lixo levado para as usinas de compostagem, após a reciclagem, obtém-se

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014 PROVAS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA CANDIDATOS MAIORES DE 23 ANOS EXAME DE QUÍMICA CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

ANO LETIVO 2013/2014 PROVAS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA CANDIDATOS MAIORES DE 23 ANOS EXAME DE QUÍMICA CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ANO LETIVO 2013/2014 PROVAS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA CANDIDATOS MAIORES DE 23 ANOS EXAME DE QUÍMICA CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 1. MATERIAIS: DIVERSIDADE E CONSTITUIÇÃO 1.1 Materiais 1.1.1 Materiais

Leia mais

ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO

ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS QUESTÕES É OBRIGATÓRIO IX Olimpíada Capixaba de Química 2011 Prova do Grupo II 2 a série do ensino médio Fase 02 Aluno: Idade: Instituição de Ensino: Coordenador da Instituição de Ensino: ATENÇÃO: O DESENVOLVIMENTO TEÓRICO DAS

Leia mais

DURAÇÃO DA PROVA: 03 HORAS

DURAÇÃO DA PROVA: 03 HORAS INSTRUÇÕES: PRCESS SELETIV 2013/2 - CPS PRVA DISCURSIVA DE QUÍMICA CURS DE GRADUAÇÃ EM MEDICINA 1. Só abra a prova quando autorizado. 2. Veja se este caderno contém 5 (cinco) questões discursivas. Caso

Leia mais

QUÍMICA. Questão 31. Questão 32

QUÍMICA. Questão 31. Questão 32 QUÍMICA Questão 3 Em 9,9 g de um sal de cálcio encontra-se 0,5 mol desse elemento. Qual a massa molar do ânion trivalente que forma esse sal? Dado: Ca 40 g/mol. (A) 39 g/mol. (B) 278 g/mol. (C) 63,3 g/mol.

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO.

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E M I N A S G E R A I S QUÍMICA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este Caderno de Prova contém cinco

Leia mais

Estequiometria. Prof a. Dr a. Flaviana Tavares Vieira

Estequiometria. Prof a. Dr a. Flaviana Tavares Vieira Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Bacharelado em Ciência e Tecnologia Diamantina - MG Estequiometria Prof a. Dr a. Flaviana Tavares Vieira -A palavra estequiometria deriva das palavras

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015 Informações de Tabela Periódica CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015 Folha de Dados Elemento H C N O F Al Cl Zn Sn I Massa atômica (u) 1,00 12,0 14,0

Leia mais

ELETROQUÍMICA (Parte II)

ELETROQUÍMICA (Parte II) ELETROQUÍMICA (Parte II) I ELETRÓLISE A eletrólise é um processo de oxirredução não espontâneo, em que a passagem da corrente elétrica em uma solução eletrolítica (solução com íons), produz reações químicas.

Leia mais

COLÉGIO SANTA TERESINHA R. Madre Beatriz 135 centro Tel. (33) 3341-1244 www.colegiosantateresinha.com.br

COLÉGIO SANTA TERESINHA R. Madre Beatriz 135 centro Tel. (33) 3341-1244 www.colegiosantateresinha.com.br PLANEJAMENTO DE AÇÕES DA 2 ª ETAPA 2015 PERÍODO DA ETAPA: 01/09/2015 á 04/12/2015 TURMA: 9º Ano EF II DISCIPLINA: CIÊNCIAS / QUÍMICA 1- S QUE SERÃO TRABALHADOS DURANTE A ETAPA : Interações elétricas e

Leia mais

A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático).

A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). 61 b A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). Essa solução ácida ataca o mármore, desprendendo gás carbônico, segundo a reação descrita

Leia mais

Química Fascículo 07 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida

Química Fascículo 07 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Química Fascículo 07 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Índice Propriedades Coligativas...1 Exercícios...3 Gabarito...5 Propriedades coligativas Propriedades

Leia mais

Resolução Comentada - Química

Resolução Comentada - Química Resolução Comentada - Química UFTM 2013 1 Fase Vestibular UFTM 2013 1 Resolução Prova de Química Tipo 1 Questão 76 A soja é considerada um dos alimentos mais completos em termos de propriedades nutricionais,

Leia mais

Práticas de Físico Química QB75B. Experimento 7

Práticas de Físico Química QB75B. Experimento 7 1 PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA EDERAL DO PARANÁ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA EDERAL DO PARANÁ - UTPR DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE QUÍMICA E BIOLOGIA BACHARELADO EM QUÍMICA Práticas de ísico

Leia mais

Thomson denominou este segundo modelo atômico de Pudim de Passas.

Thomson denominou este segundo modelo atômico de Pudim de Passas. EVOLUÇÃO DOS MODELOS ATÔMICOS Durante algum tempo a curiosidade do que era constituída a matéria parecia ser impossível de ser desvendada. Até que em 450 a.c. o filósofo grego Leucipo de Mileto afirmava

Leia mais

MASSA ATÔMICA. 1u corresponde a 1,66.10-24 g, que equivale aproximadamente à massa de um próton ou de um nêutron.

MASSA ATÔMICA. 1u corresponde a 1,66.10-24 g, que equivale aproximadamente à massa de um próton ou de um nêutron. Cálculos Químicos MASSA ATÔMICA Na convenção da IUPAC (União Internacional de Química Pura e Aplicada) realizada em 1961, adotou-se como unidade padrão para massa atômica o equivalente a 1/12 da massa

Leia mais

UFMG - 2005 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2005 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2005 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 Carbono é um elemento cujos átomos podem se organizar sob a forma de diferentes alótropos. Alótropos H de combustão a 25

Leia mais

TC Revisão 2 Ano Termoquímica e Cinética Prof. Alexandre Lima

TC Revisão 2 Ano Termoquímica e Cinética Prof. Alexandre Lima TC Revisão 2 Ano Termoquímica e Cinética Prof. Alexandre Lima 1. Em diversos países, o aproveitamento do lixo doméstico é quase 100%. Do lixo levado para as usinas de compostagem, após a reciclagem, obtém-se

Leia mais

Lista de exercícios de Química Correção da Revisão para a 2ª Avaliação de Química: Pilhas

Lista de exercícios de Química Correção da Revisão para a 2ª Avaliação de Química: Pilhas Nome: Bimestre: 3º Ano / série: 2ª série Ensino: Médio Componente Curricular: Química Professor: Ricardo Honda Data: / / 2011 1. Considere o esquema a seguir e responda: Lista de exercícios de Química

Leia mais

Lista I de exercícios de estequiometria e balanceamento de equações Química Geral e Experimental I Prof. Hamilton Viana

Lista I de exercícios de estequiometria e balanceamento de equações Química Geral e Experimental I Prof. Hamilton Viana 1. O iso-octano é um combustível automotivo. A combustão desse material ocorre na fase gasosa. Dados a massa molar do iso-octano igual a 114g/mol, o volume molar de gás nas "condições ambiente" igual a

Leia mais

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final)

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final) Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final) 01. (Uftm) Em soluções aquosas de acetato de sódio, o íon acetato sofre hidrólise: 3 l 3 CH COO (aq) + H O( ) CH COOH (aq) + OH

Leia mais

Professora Sonia. b) 3Ag 2O (s) + 2Al (s) 6Ag (s) + A l 2O 3(s)

Professora Sonia. b) 3Ag 2O (s) + 2Al (s) 6Ag (s) + A l 2O 3(s) ITA 2001 DADOS CONSTANTES Constante de Avogadro = 6,02 x 10 23 mol 1 Constante de Faraday (F) = 9,65 x 10 4 Cmol 1 Volume molar de gás ideal = 22,4L (CNTP) Carga Elementar = 1,602 x 10 19 C Constante dos

Leia mais

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 20/05/06

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 20/05/06 - ROVA DE QUÍMICA GERAL - 0/05/06 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 0,0 Constantes: R 8,34 J mol - K - 0,08 atm L mol - K - atm L 0,35

Leia mais

Resolução da Prova de Química Vestibular Verão UERGS/2003 Prof. Emiliano Chemello

Resolução da Prova de Química Vestibular Verão UERGS/2003 Prof. Emiliano Chemello Fácil Resolução da Prova de Química Vestibular Verão UERGS/2003 Prof. Emiliano Chemello Médio www.quimica.net/emiliano emiliano@quimica.net Difícil Níveis de dificuldade das Questões 01. Em um frasco,

Leia mais

ELETRÓLISE - TEORIA. Eletrólitos são condutores iônicos de corrente elétrica. Para que ocorra essa condução, é necessário:

ELETRÓLISE - TEORIA. Eletrólitos são condutores iônicos de corrente elétrica. Para que ocorra essa condução, é necessário: ELETRÓLISE - TEORIA Introdução Dentro do estudo de eletroquímica temos a eletrólise, que consiste num processo não-espontâneo, baseado na decomposição de uma espécie química (eletrólito) por uma corrente

Leia mais

Reações Químicas Reações Químicas DG O QUE É UMA REAÇÃO QUÍMICA? É processo de mudanças químicas, onde ocorre a conversão de uma substância, ou mais, em outras substâncias. A + B REAGENTES C +

Leia mais

Ácidos e bases. Aula 8 Ácidos e Bases / ph. Par ácido-base conjugado. Ácidos e bases

Ácidos e bases. Aula 8 Ácidos e Bases / ph. Par ácido-base conjugado. Ácidos e bases Aula 8 Ácidos e Bases / ph Prof. Ricardo Aparicio - IQ/Unicamp - 1s/2009 QG107 (Biologia) - 1s/2009 Definição de Brønsted-Lowry (1923) definição mais abrangente que a de Arrhenius ácidos e bases = ácidos

Leia mais

Energia é conservada!

Energia é conservada! Calor transferido E = q + w Variação de energia Trabalho realizado pelo sistema Energia é conservada! ENDOtérmico: o calor é transferido da VIZINHANÇA para o SISTEMA. T(sistema) aumenta enquanto T (vizinhança)

Leia mais

ATIVIDADES EM QUÍMICA Recuperação paralela de conteúdos

ATIVIDADES EM QUÍMICA Recuperação paralela de conteúdos Nova Friburgo, de de 2014. Aluno (a): Gabarito Professor(a): ATIVIDADES EM QUÍMICA Recuperação paralela de conteúdos Nº: Turma:100 Assuntos: Estrutura atômica; Tabela Periódica; Propriedades periódicas;

Leia mais

EXAME GERAL EM QUÍMICA EDITAL N 118/2009. Seleção para o 1º Semestre de 2010 07 de Dezembro de 2009 CANDIDATO: Assinatura: INSTRUÇÕES

EXAME GERAL EM QUÍMICA EDITAL N 118/2009. Seleção para o 1º Semestre de 2010 07 de Dezembro de 2009 CANDIDATO: Assinatura: INSTRUÇÕES UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA R. José Moreira Sobrinho, s/n, CEP: 45506-191 Jequié-BA Tel / FAX: 73 3528-9630 e-mail: mestrado.quimica@uesb.br Reservado

Leia mais

CQ049 : FQ IV - Eletroquímica. CQ049 FQ Eletroquímica. prof. Dr. Marcio Vidotti LEAP Laboratório de Eletroquímica e Polímeros mvidotti@ufpr.

CQ049 : FQ IV - Eletroquímica. CQ049 FQ Eletroquímica. prof. Dr. Marcio Vidotti LEAP Laboratório de Eletroquímica e Polímeros mvidotti@ufpr. CQ049 FQ Eletroquímica prof. Dr. Marcio Vidotti LEAP Laboratório de Eletroquímica e Polímeros mvidotti@ufpr.br 1 a estrutura I-S (água) ion central moléculas de água orientadas interações ion - dipolo

Leia mais

Sobre as substâncias representadas pelas estruturas I e II, é INCORRETO afirmar:

Sobre as substâncias representadas pelas estruturas I e II, é INCORRETO afirmar: 8 GABARITO 1 1 O DIA 2 o PROCESSO SELETIVO/2005 QUÍMICA QUESTÕES DE 16 A 30 16. Devido à sua importância como catalisadores, haletos de boro (especialmente B 3 ) são produzidos na escala de toneladas por

Leia mais

UFSC. Química (Amarela) 31) Resposta: 43. Comentário

UFSC. Química (Amarela) 31) Resposta: 43. Comentário UFSC Química (Amarela) 1) Resposta: 4 01. Correta. Ao perder elétrons, o núcleo exerce maior atração sobre os elétrons restantes, diminuindo o raio. Li 1s2 2s 1 Li+ 1s 2 Raio atômico: átomo neutro > íon

Leia mais

QUÍMICA Prova de 2 a Etapa

QUÍMICA Prova de 2 a Etapa QUÍMICA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este Caderno de Prova contém sete questões, constituídas de itens e subitens, e é composto de dezesseis

Leia mais

Considerando-se as propriedades da matéria e a partir da analise das curvas de aquecimento I e II, é correto afirmar:

Considerando-se as propriedades da matéria e a partir da analise das curvas de aquecimento I e II, é correto afirmar: 2 EXERCÍCIOS Fala Gás Nobre, está na hora de reagir! Essa é uma lista complementar, os exercícios aqui contidos irão ajudá-lo a treinar um pouco mais e aprofundar nos temas. Ao contrário a lista L1, essa

Leia mais

COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA

COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA 97. A solubilidade do oxalato de cálcio a 20 C é de 33,0 g por 100 g de água. Qual a massa, em gramas, de CaC 2 O 4 depositada no fundo do recipiente quando 100 g de CaC 2 O 4

Leia mais

Material Extra: Modelos atômicos e atomística Química professor Cicero # Modelos Atômicos e atomística - Palavras chaves

Material Extra: Modelos atômicos e atomística Química professor Cicero # Modelos Atômicos e atomística - Palavras chaves Material Extra: Modelos atômicos e atomística Química professor Cicero # Modelos Atômicos e atomística - Palavras chaves Evolução da ideia do átomo 1) Partícula maciça, indivisível e indestrutível; 2)

Leia mais

Equilíbrio Químico. Hiram Araujo. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons.

Equilíbrio Químico. Hiram Araujo. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. Hiram Araujo Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/br/legalcode Introdução

Leia mais

P3 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 16/06/12

P3 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 16/06/12 P3 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 6/06/ Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Dados gerais: G = H - TS G= - n F E G = G o + RT ln Q ΔE ΔE [A] [A] 0 Questão Valor Grau Revisão kt a,5 a,5 3 a,5

Leia mais

ÁCIDOS E BASES. + (aq) + OH - (aq)

ÁCIDOS E BASES. + (aq) + OH - (aq) ÁCIDOS E BASES O conhecimento sobre termodinâmica, particularmente sobre as constantes de equilíbrio é de grande importância na discussão quantitativa das forças de ácidos e bases o que permite desenvolver

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ PRISE/PROSEL- 1ª ETAPA DISCIPLINA QUIMICA EIXO TEMÁTICO: MATÉRIA, TRASFORMAÇÕES QUÍMICAS E AMBIENTE

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ PRISE/PROSEL- 1ª ETAPA DISCIPLINA QUIMICA EIXO TEMÁTICO: MATÉRIA, TRASFORMAÇÕES QUÍMICAS E AMBIENTE PRISE/PROSEL- 1ª ETAPA EIXO TEMÁTICO: MATÉRIA, TRASFORMAÇÕES QUÍMICAS E AMBIENTE COMPETÊNCIA HABILIDADE CONTEÚDO - Compreender as transformações químicas em linguagem discursivas. - Compreender os códigos

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO QUÍMICA APLICADA - MESTRADO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO QUÍMICA APLICADA - MESTRADO strado em Química Aplicada Seleção 2007 1/6 1 a etapa do Processo de Seleção 2007 - Parte 1 Questão 01: (A) Arranje, em ordem crescente de comprimento de onda, os seguintes tipos de fótons de radiação

Leia mais

Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP. CURSO: Agronomia. DISCIPLINA: Química Geral

Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP. CURSO: Agronomia. DISCIPLINA: Química Geral Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP CURSO: Agronomia DISCIPLINA: Química Geral ASSUNTO: Soluções e Unidades de Concentração 1 1. TIPOS MAIS COMUNS DE SOLUÇÃO Solução

Leia mais

Química Analítica Avançada: Volumetria de Neutralização. Prof a Lilian Silva 2011

Química Analítica Avançada: Volumetria de Neutralização. Prof a Lilian Silva 2011 Química Analítica Avançada: Volumetria de Neutralização Prof a Lilian Silva 2011 INTRODUÇÃO À VOLUMETRIA TITULAÇÃO Processo no qual uma solução padrão ou solução de referência é adicionada a uma solução

Leia mais

~ 1 ~ PARTE 1 TESTES DE ESCOLHA SIMPLES. Olimpíada de Química do Rio Grande do Sul 2011

~ 1 ~ PARTE 1 TESTES DE ESCOLHA SIMPLES. Olimpíada de Química do Rio Grande do Sul 2011 CATEGORIA EM-2 Nº INSCRIÇÃO: Olimpíada de Química do Rio Grande do Sul 2011 Questão 3: O chamado soro caseiro é uma tecnologia social que consiste na preparação e administração de uma mistura de água,

Leia mais

Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos

Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos SOLUÇÕES Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos uma MISTURA Quando na mistura tiver apenas

Leia mais

QUESTÕES DE QUÍMICA DA UNICAMP PROVA DE 2014.

QUESTÕES DE QUÍMICA DA UNICAMP PROVA DE 2014. QUESTÕES DE QUÍMICA DA UNICAMP PROVA DE 2014. 1- Prazeres, benefícios, malefícios, lucros cercam o mundo dos refrigerantes. Recentemente, um grande fabricante nacional anunciou que havia reduzido em 13

Leia mais

A) Escreva a equação que representa a semi-reação de redução e seu respectivo potencial padrão.

A) Escreva a equação que representa a semi-reação de redução e seu respectivo potencial padrão. QUÍMICA QUESTÃ 01 Aparelhos eletrônicos sem fio, tais como máquinas fotográficas digitais e telefones celulares, utilizam, como fonte de energia, baterias recarregáveis. Um tipo comum de bateria recarregável

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA - QUÍMICA - Grupo A

PADRÃO DE RESPOSTA - QUÍMICA - Grupo A PADRÃO DE RESPOSTA - QUÍMICA - Grupo A 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor Num recipiente de 3,0 L de capacidade, as seguintes pressões parciais foram medidas: N 2 = 0,500 atm; H 2 = 0,400 atm;

Leia mais

Qualidade Ambiental Química

Qualidade Ambiental Química Qualidade Ambiental Química Programa Revisão dos Conceitos Básicos de Química e Estatística Poluição o Ar e a Química da Troposfera Reações Químicas ligadas à Emissão de Poluentes da Atmosfera Bibliografia

Leia mais

Química Geral I. Experimento 3 Tendências Periódicas

Química Geral I. Experimento 3 Tendências Periódicas Universidade Estadual do Norte Fluminense Centro de Ciência e Tecnologia Laboratório de Ciências Químicas Química Geral I Experimento 3 Tendências Periódicas 1 - OBJETIVOS Relacionar a reatividade química

Leia mais

478 a.c. Leucipo e seu discípulo Demócrito

478 a.c. Leucipo e seu discípulo Demócrito MODELOS ATÔMICOS 478 a.c. Leucipo e seu discípulo Demócrito - A matéria após sofrer várias subdivisões, chegaria a uma partícula indivisível a que chamaram de átomo. - ÁTOMO a = sem tomos = divisão - Esta

Leia mais

PROVA ESPECIALMENTE ADEQUADA DESTINADA A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS PROVA DE QUÍMICA

PROVA ESPECIALMENTE ADEQUADA DESTINADA A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS PROVA DE QUÍMICA PROVA ESPECIALMENTE ADEQUADA DESTINADA A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS PROVA DE QUÍMICA TEMAS 1. Estrutura da matéria 1.1 Elementos, átomos e iões 1.2

Leia mais

Questão 61. Questão 63. Questão 62. alternativa B. alternativa B. alternativa D

Questão 61. Questão 63. Questão 62. alternativa B. alternativa B. alternativa D Questão 61 A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). Essa solução ácida ataca o mármore, desprendendo gás carbônico, segundo a reação

Leia mais

E L E T R O Q U Í M I C A

E L E T R O Q U Í M I C A UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE E L E T R O Q U Í M I C A Professora: Dra. Sonia B. Faldini 2003 1 Introdução A Eletroquímica tem aplicação em muitas áreas da química, da biologia e da física. Desenvolvimentos

Leia mais

ABRA APENAS QUANDO FOR AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções: 1- Verifique se o seu caderno de provas possui 18 questões.

ABRA APENAS QUANDO FOR AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções: 1- Verifique se o seu caderno de provas possui 18 questões. Processo Seletivo 211 Modalidade B 3º Ano ABRA APENAS QUANDO FOR AUTORIZADO Leia atentamente as instruções: 1 Verifique se o seu caderno de provas possui 18 questões. 2 Verifique se recebeu o caderno de

Leia mais

TITULAÇÃO DE ÁCIDO-BASE

TITULAÇÃO DE ÁCIDO-BASE Universidade Federal de Juiz de Fora Instituto de Ciências Exatas Departamento de Química Introdução a Analise Química - II sem/2012 Profa Ma Auxiliadora - 1 Disciplina QUIO94 - Introdução à Análise Química

Leia mais

-2014- CONTEÚDO SEPARADO POR TRIMESTRE E POR AVALIAÇÃO CIÊNCIAS 9º ANO 1º TRIMESTRE

-2014- CONTEÚDO SEPARADO POR TRIMESTRE E POR AVALIAÇÃO CIÊNCIAS 9º ANO 1º TRIMESTRE -2014- CONTEÚDO SEPARADO POR TRIMESTRE E POR AVALIAÇÃO CIÊNCIAS 9º ANO 1º TRIMESTRE DISCURSIVA OBJETIVA QUÍMICA FÍSICA QUÍMICA FÍSICA Matéria e energia Propriedades da matéria Mudanças de estado físico

Leia mais

Conteúdo: Substancias e misturas

Conteúdo: Substancias e misturas LISTA 1º. ANO - Substâncias Conteúdo: Substancias e misturas 1- Com relação ao número de fases, os sistemas podem ser classificados como homogêneos ou heterogêneos. As alternativas correlacionam adequadamente

Leia mais

A) a existência do oceano líquido é uma hipótese possível, pois um sal solúvel só forma uma mistura homogênea com a água, quando ela está líquida.

A) a existência do oceano líquido é uma hipótese possível, pois um sal solúvel só forma uma mistura homogênea com a água, quando ela está líquida. TEXTO PARA A QUESTÃO 1. Sonda espacial detecta sal de cozinha em lua de Saturno A análise da composição química do anel mais externo de Saturno revelou a presença de 98% de água, 1% de cloreto de sódio,

Leia mais

UNESP- 2013- Vestibular de Inverno

UNESP- 2013- Vestibular de Inverno UNESP- 2013- Vestibular de Inverno 1-Compostos de crômio têm aplicação em muitos processos industriais, como, por exemplo, o tratamento de couro em curtumes e a fabricação de tintas e pigmentos. Os resíduos

Leia mais

http://www.quimica.net/emiliano 1

http://www.quimica.net/emiliano 1 Resolução da Prova de Química Vestibular Verão UPF 2004 Professor Emiliano hemello www.quimica.net/emiliano emiliano@quimica.net Questões Resolução: B Resoluções Em 1875, rookes colocou gases muito rarefeitos

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q42 Ligação metálica

Química. Resolução das atividades complementares. Q42 Ligação metálica Resolução das atividades complementares 3 Química Q42 Ligação metálica p. 59 1 (Cefet-PR) Analise as afirmações a seguir: I. O metal X é leve, sofre pouca corrosão e é bastante utilizado na construção

Leia mais

Vestibular UFRGS 2015. Resolução da Prova de Química

Vestibular UFRGS 2015. Resolução da Prova de Química Vestibular UFRGS 2015 Resolução da Prova de Química 26. Alternativa (C) Assunto: Propriedades físicas das substâncias densidade Os materiais apresentam diferentes densidades e mesma massa envolvida logo,

Leia mais