DIFERENCIAIS INTRA-URBANOS DE FECUNDIDADE NA CIDADE DE SÃO PAULO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIFERENCIAIS INTRA-URBANOS DE FECUNDIDADE NA CIDADE DE SÃO PAULO"

Transcrição

1 DIFERENCIIS INTR-URBNOS DE FECUNDIDDE N CIDDE DE SÃO PULO Cláudia Maria Martins 1 Márcia Furquim de lmeida 2 1 INTRODUÇÃO Considerando-se a tendência aparentemente irreversível de urbanização da população brasileira, e que a maioria desta ainda reside em grandes cidades, onde o fator de segregação social se expressa visivelmente no espaço urbano, muitos autores têm se debruçado sobre a questão das desigualdades intra-urbanas e seus diferenciais, tanto na área da demografia e das ciências sociais, quanto na saúde e no planejamento. Os diferenciais intra-urbanos na Cidade de São Paulo foram trabalhados sob diferentes aspectos: crescimento populacional e área construída (Corradi, Marinho, 1994), densidade populacional (Rolnik et al., 1990), exclusão social (Sposati, 1996), condições de vida e situação de saúde (kerman, 1997), mortalidade infantil (Baldijão, 1979; Ferreira, Saad, 1988), indicadores sociais e ambientais (SEMPL, 1997) e verticalização (Souza, 1994). Recentemente tem-se pesquisado a questão dos diferenciais de fecundidade entre diversas regiões, principalmente do Estado de São Paulo (Campanário, Yasaki, 1994). Porém, até o presente momento não se observou na literatura consultada estudos de diferenciais intra-urbanos de fecundidade. Cidade de São Paulo representa um exemplo de megacidade de terceiro mundo que combinou crescimento desordenado com ausência de infra-estrutura para absorver o aumento da população. O resultado deste longo processo seria a presença de espaços heterogêneos, inclusive do ponto de vista quantitativo e qualitativo da disponibilidade e da utilização de equipamentos sociais e de saúde. 1 Mestranda. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. 2 Professora Doutora da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP 75

2 Veicula-se que uma das primeiras implicações do declínio das taxas de fecundidade seria a redução do crescimento populacional, juntamente com a diminuição da razão de dependência juvenil (Costa, 1994). ssim, reduziria-se, a longo prazo, a pressão por equipamentos sociais. No caso paulistano, assim como de outras cidades do terceiro mundo, estes efeitos representariam uma real descompressão de demanda populacional caso a oferta de serviços não fosse ainda insuficiente. Conhecer a dinâmica populacional é um passo fundamental para o planejamento das intervenções sociais e ambientais. Portanto, há que se conhecer não somente o aspecto quantitativo global desta demanda, mas também sua desagregação regional, etária e por segmentos sociais. Neste sentido, espera-se que este trabalho possa dar um passo para a constante reconstrução deste conhecimento. O objetivo da pesquisa foi analisar o comportamento da taxa de fecundidade total e das taxas específicas de fecundidade por idade da população residente em áreas com diferentes condições de vida no Município de São Paulo 3. 2 METODOLOGI O recorte etário convencionalmente utilizado para caracterizar o período reprodutivo é de 15 a 49 anos. dotou-se, neste estudo, os grupos etários de 10 a 54 anos, devido ao interesse em captar as gestações precoces (10-14 anos) e tardias (50-54 anos) ocorridas dentre as mulheres residentes no Município de São Paulo. s gestações ocorridas nestas faixas etárias, ainda que pouco expressivas, têm sido observadas no Estado de São Paulo (Camargo, Ortiz, 1995). O estudo compreendeu os nascimentos vivos ocorridos durante o ano de 1997 e a população feminina de 10 a 54 anos residente no Município de São Paulo. Para tanto, foi utilizado o banco de dados que tem por base as Declarações de Nascidos Vivos (Fundação SE- DE) e os dados da Contagem da População 1996 realizada pela Fun- 3 O projeto (de dissertação de mestrado), do qual esta pesquisa faz parte, contempla também a desagregação das taxas específicas de fecundidade por idade e distritos, além da inclusão da variável instrução da mulher na análise por áreas. 76 XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP

3 dação IBGE. população feminina foi estimada para 1º/07/97 a partir das taxas de crescimento geométrico obtidas para cada distrito e faixa etária, tendo como base o intervalo intercensitário Considerou-se os nascimentos ocorridos em 1996 e registrados em 1997, esperando-se que estes possam representar aqueles ocorridos em 1997, que estão sendo registrados com atraso em Foram excluídos da análise os nascidos vivos cujos distritos de residência ou idade da mãe eram desconhecidos. Eles representaram 3,18% e 0,72% do total de nascimentos, respectivamente. Os 96 distritos do Município de São Paulo foram agregados segundo os valores assumidos pelo Indicador de Desenvolvimento Humano DH, concebido pela ONU, de forma a se obter áreas relativamente homogêneas quanto a este critério, por meio de quintis. Sposati, cols. (1996) obteve os valores do IDH para os distritos do Município de São Paulo a partir de cinco indicadores: escolaridade dos chefes de família, educação infantil, longevidade, mortalidade e situação de violência 4. Foram utilizados como fonte de informações o Censo de 1991, os dados do PROIM (1994) e os dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (1993). 3 S ÁRES DE ESTUDO Sposati, cols. (1996) ordenaram os distritos segundo os valores obtidos pelo IDH, numa escala de 1,00 a 1,00. O valor zero representaria o padrão mínimo adequado deste indicador. O primeiro quintil foi denominado Área 1, o segundo Área 2 e assim sucessivamente. O quinto quintil possui um distrito a mais, dada a impossibilidade da divisão exata por cinco grupos. É interessante observar que a mediana da distribuição é 0,12 (média 0,10), portanto em pelo menos metade dos distritos suas populações vivem abaixo do padrão mínimo adequado de desenvolvimento humano. Os valores de IDH tornam-se positivos a partir do 54º distrito. situação se agrava quando se considera o contingente 4 Sposati, cols. (1996) ressaltam como limitação de seu trabalho o fato de não terem conseguido obter uma oferta de dados sobre utilização do potencial humano para a elaboração do IDH. XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP 77

4 populacional vivendo nestas áreas: ele representa 66% da população residindo em distritos com valores de IDH negativos. Na Tabela 1 pode-se ver a distribuição da população segundo os quintis. Tabela 1 POPULÇÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO DE SÃO PULO 1996 Áreas População % % cumulada Intervalo IDH ,22 1,00 a 0, ,56 51,78 0,55 a 0, ,55 68,33 0,25 a 0, ,66 82,99 0,08 a 0, ,01 100,00 0,31 a 1,00 Total * 100,00 1,00 a 1,00 Fonte: Fundação IBGE. Contagem da população Nota: Existe uma diferença de 370 entre os dados da Contagem 1996 publicados e a tabulação baseada no Banco de dados, no Distrito de Campo Grande. Dos 96 distritos apenas nove possuem IDH maior que 0,5 (Tabela 2). Estes distritos se concentram nas Zonas Central (Bela Vista e Consolação), Sul (Vila Mariana e Saúde) e Sudoeste (Pinheiros, Jardim Paulista, lto de Pinheiros e Moema). Os quatro últimos representam a maior área contígua de bairros de classe média alta da cidade e são os que detém os maiores valores de IDH (0,66; 0,73; 0,86 e 1,00 respectivamente) (Mapa 1 e nexo). Com exceção do Brás, a maioria dos distritos que ocupam as duas áreas de menor valor de IDH concentra-se nas periferias da Zona Leste e Sul, onde se encontram populações de baixa renda vivendo em áreas de baixo padrão habitacional ou em favelas. O distrito do Brás faz parte de um grupo de distritos localizados na área central degradada, onde atualmente se concentra grande número de cortiços e pensões (Rolnik at al. 1990). Tabela 3 mostra que há uma tendência de redução da taxa de crescimento populacional anual à medida que se passa da Área 1 a Área 5. No primeiro e no segundo quintil as médias de crescimento são positivas (2,73% e 1,26%) tornando-se negativas a partir do terceiro quintil ( 0,66%, 1,46% e 1,70%). 78 XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP

5 Tabela 2 INDICDOR DE DESENVOLVIMENTO HUMNO IDH MUNICÍPIO DE SÃO PULO 1996 Área 1 Área 2 Área 3 Área 4 Área 5 Distritos IDH Distritos IDH Distritos IDH Distritos IDH Distritos IDH Vila ndrade 1,00 Vila Jacuí 0,55 Ponte Rasa 0,25 V. Sônia 0,08 Tatuapé 0,31 Parelheiros 0,96 São Miguel 0,54 ricanduva 0,20 Campo Grande 0,09 Mandaqui 0,33 Grajaú 0,95 Iguatemi 0,51 Limão 0,20 V. Guilherme 0,09 Santana 0,35 Itaim Paulista 0,95 São Mateus 0,49 Morumbi 0,19 V. Prudente 0,10 Penha 0,39 Jd. Ângela 0,89 Pedreira 0,48 V. Medeiros 0,19 Cangaíba 0,11 Sta. Cecíclia 0,39 Lajeado 0,87 Marsilac 0,46 Freg. do Ó 0,17 Bom Retiro 0,14 Barra Funda 0,40 Guaianazes 0,85 Itaquera 0,45 Socorro 0,17 Sé 0,14 Lapa 0,41 Brasilândia 0,76 Ermelino Mat. 0,44 Tremembé 0,17 Belém 0,15 Campo Belo 0,44 V. Curuçá 0,76 São Rafael 0,42 V. Maria 0,15 Carrão 0,16 Cursino 0,46 C. Redondo 0,73 Jd. Helena 0,40 Rap. Tavares 0,13 Liberdade 0,16 Sto. maro 0,47 Cd. Tiradentes 0,71 Jaraguá 0,39 V. Matilde 0,10 República 0,17 Tucuruvi 0,49 Jd. São Luís 0,70 Jabaquara 0,37 Cid. Líder 0,09 Água Rasa 0,18 V. Mariana 0,52 Cid. demar 0,67 Pirituba 0,36 Casa Verde 0,05 Itaim Bibi 0,20 Perdizes 0,57 Cachoeirinha 0,66 Rio Pequeno 0,33 J. Bonifácio 0,03 Sacomã 0,25 Consolação 0,58 Cidade Dutra 0,61 rtur lvim 0,32 nhanguera 0,01 Butantã 0,28 Saúde 0,60 Perus 0,60 Brás 0,30 Pari 0,01 Cambuci 0,28 Bela Vista 0,65 Campo Limpo 0,58 São Domingos 0,26 V. Formosa 0,01 Moóca 0,30 Pinheiros 0,66 Pq. do Carmo 0,57 Jaçanã 0,25 Jaguará 0,05 V. Leopoldina 0,30 Jd. Paulista 0,73 Sapopemba 0,55 Jaguaré 0,25 Ipiranga 0,06 São Lucas 0,31. Pinheiros 0,86 Moema 1,00 Fonte: Sposati (Coord.). O mapa da exclusão/inclusão social da Cidade de São Paulo, XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP 79

6 Mapa 1 INDICDOR DE DESENVOLVIMENTO HUMNO IDH MUNICÍPIO DE SÃO PULO 1996 Fonte: Sposati (coord.) O Mapa da Exclusão Social da Cidade de São Paulo, MP 1 INDICDOR DE DESENVOLVIMENTO HUMNO - IDH. MUNICÍPIO DE SÃO PULO Quintis em ordem crescente de IDH Área 1 Área 2 Área 3 Área 4 Área 5 Limite de Município Limite de Distrito escala desconhecida Fonte: Sposati (coord.) O Mapa da Exclusão/Inclusão Social da Cidade de São Paulo, JD XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP

7 Tabela 3 DISTRITOS DS ÁRES DO MUNICÍPIO DE SÃO PULO E CRESCIMENTO NUL Área 1 Área 2 Área 3 Área 4 Área 5 Distritos C % Distritos C % Distritos C % Distritos C % Distritos C % Vila ndrade 5,01 Vila Jacuí 1,77 Ponte Rasa 0,85 V. Sônia 0,92 Tatuapé 1,10 Parelheiros 8,37 São Miguel 0,14 ricanduva 1,09 Campo Grande 0,59 Mandaqui 0,41 Grajaú 7,20 Iguatemi 8,62 Limão 1,49 V. Guilherme 2,82 Santana 0,85 Itaim Paulista 2,09 São Mateus 1,23 Morumbi 0,76 V. Prudente 2,60 Penha 0,94 Jd. Ângela 4,50 Pedreira 5,00 V. Medeiros 1,43 Cangaíba 1,94 Sta. Cecíclia 2,49 Lajeado 2,88 Marsilac 4,43 Freg. do Ó 1,42 Bom Retiro 5,20 Barra Funda 2,18 Guaianazes 1,84 Itaquera 1,04 Socorro 2,38 Sé 4,88 Lapa 2,22 Brasilândia 3,20 Ermelino Mat. 1,96 Tremembé 2,80 Belém 3,09 Campo Belo 3,16 V. Curuçá 2,27 São Rafael 2,51 V. Maria 1,62 Carrão 1,91 Cursino 1,20 C. Redondo 0,71 Jd. Helena 3,11 Rap. Tavares 1,04 Liberdade 3,39 Sto. maro 3,63 Cd.Tiradentes 11,25 Jaraguá 4,26 V. Matilde 1,86 República 3,04 Tucuruvi 1,87 Jd. São Luís 1,82 Jabaquara 0,18 Cid. Líder 0,20 Água Rasa 1,87 V. Mariana 1,36 Cid. demar 0,25 Pirituba 0,10 Casa Verde 1,63 Itaim Bibi 3,86 Perdizes 0,97 Cachoeirinha 2,32 Rio Pequeno 0,67 J. Bonifácio 0,04 Sacomã 0,54 Consolação 2,57 Cidade Dutra 0,88 rtur lvim 1,42 nhanguera 18,46 Butantã 1,63 Saúde 1,46 Perus 4,54 Brás 4,56 Pari 6,34 Cambuci 2,89 Bela Vista 2,04 Campo Limpo 0,33 São Domingos 0,72 V. Formosa 1,39 Moóca 2,42 Pinheiros 2,47 Pq. do Carmo 0,52 Jaçanã 0,65 Jaguará 2,94 V. Leopoldina 0,26 Jd. Paulista 2,90 Sapopemba 0,21 Jaguaré 4,10 Ipiranga 1,56 São Lucas 1,01. Pinheiros 2,56 Moema 0,85 C Área 2,73 1,26 0,66 1,46 1,70 (%) Fonte: IBGE. Censo de 1991 e Contagem da população XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP 81

8 Observa-se que os valores distritais da taxa de crescimento geométrico anual apresentam considerável variabilidade interna aos quintis. Na Área 1, com exceção de Sapopemba ( 0,21%), todos os valores são positivos. Tendência inversa é observada na Área 5, cujos distritos em sua totalidade mostram decréscimo populacional considerável. s áreas intermediárias, no entanto, apresentam valores diversificados de crescimento populacional, de forma que nestas estão presentes tanto o maior valor (nhanguera 18,46%) quanto os menores valores (Pari 6,34%, Bom Retiro 5,2%, Sé 4,8%, Brás 4,56%, Jaguaré 4,10%). presença destes valores extremos acaba por deslocar a taxa de crescimento destas áreas. É importante ressaltar que os Distritos Brás, Pari e Bom Retiro são áreas que há décadas vêm substituindo a antiga ocupação industrial por atividades de comércio e serviços. No Distrito da Sé, o uso terciário é predominante e crescente (Corradi, Marinho, 1994). 4 FECUNDIDDE SEGUNDO ÁRES DE ESTUDO Tabela 4 mostra um declínio no nível da fecundidade de todos os grupos etários à medida em que se passa do primeiro para o quinto quintil de IDH. Área 1 apresentou uma TFT de 2,57 passando para 1,67 na Área 5, o que representou uma redução de 35%. TFT do Município de São Paulo (2,31) aproxima-se mais da TFT do primeiro quintil do que da do último, devido ao fato da maior parcela da população do município estar vivendo nas áreas de menor IDH. Vale ressaltar que uma taxa de 1,67 é característica de países desenvolvidos de baixa fecundidade. Considerando-se que essas taxas representam valores médios, vislumbra-se a vigência de padrões diversos de fecundidade coexistindo. variação relativa mais acentuada entre o primeiro e o quinto quintil ( 63,6%) corresponde às taxas específicas de fecundidade de mulheres de 45 a 49 anos. Esta variação pode estar revelando os padrões diferenciados de fecundidade mencionados anteriormente. Populações de alta fecundidade concentram maior número de mulheres com elevado número de gestações, caracterizando-se por prolongarem sua vida reprodutiva até idades mais avançadas. Este padrão é freqüentemente encontrado nas populações mais pobres e de baixa escolaridade, como aquela encontrada no primeiro quintil. inda que 82 XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP

9 a TFT deste quintil (2,57) não possa ser considerada como uma taxa elevada, a variação de 63,6% nesta faixa etária pode significar que há um maior número de mulheres grandes multíparas vivendo nestas áreas, na medida em que a TFT representa o valor médio. Tabela 5 mostra que há diferença na participação relativa destas taxas específicas nas taxas de fecundidade total destas áreas (0,23% na Área 1 e 0,13% na Área 5). Porém deve-se considerar que a participação relativa deste grupo etário na fecundidade total é pequena. Tabela 4 DISTRIBUIÇÕES DS TXS ESPECÍFICS DE FECUNDIDDE POR IDDE E TOTL SEGUNDO ÁRES DO MUNICÍPIO DE SÃO PULO E VRIÇÕES BSOLUT E RELTIV MUNICÍPIO DE SÃO PULO 1997 Faixas etárias Taxas de fecundidade por idade Área 1 Área 2 Área 3 Área 4 Área 5 Município de Variação bsoluta São Paulo Var. (%) Área 1/ ,44 2,37 2,08 1,89 1,16 2,22 1,28 52, ,54 75,30 67,82 54,79 38,71 72,50 48,83 55, ,46 132,79 121,86 108,25 73,11 126,94 75,35 50, ,56 123,45 121,58 113,05 92,64 123,95 42,92 31, ,87 82,38 84,23 85,47 81,93 87,13 6,94 7, ,97 39,94 38,22 39,72 39,27 40,77 1,70 4, ,68 9,81 9,91 9,42 8,46 10,30 3,22 27, ,18 0,66 0,71 0,57 0,43 0,79 0,75 63, ,09 0,00 0,00 0,13 0,04 0,08 0,05 55,60 TFT ,58 2,33 2,23 2,07 1,68 2,32 0,90 34,90 TFT ,57 2,32 2,22 2,06 1,67 2,31 0,90 35,00 Idade média 26,30 26,50 26,70 27,20 28,00 26,70 Fonte: Fundação SEDE. Declaração de nascidos vivos Fundação IBGE. Contagem da população Sposati (Coord.). O mapa da exclusão/inclusão social da Cidade de São Paulo, XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP 83

10 Grupos de idade Tabela 5 PRTICIPÇÃO RELTIV N TFT (%) SEGUNDO GRUPOS DE IDDE E ÁRES DO MUNICÍPIO DE SÃO PULO 1997 Participação relativa na TFT (%) Área 1 Área 2 Área 3 Área 4 Área 5 Município de São Paulo ,47 0,51 0,47 0,46 0,35 0, ,94 16,13 15,19 13,26 11,53 15, ,73 28,45 27,30 26,19 21,78 27, ,23 26,45 27,24 27,35 27,59 26, ,20 17,65 18,87 20,68 24,40 18, ,93 8,56 8,56 9,61 11,70 8, ,26 2,10 2,22 2,28 2,52 2, ,23 0,14 0,16 0,14 0,13 0, ,02 0,00 0,00 0,03 0,01 0,02 Fontes: Fundação SEDE. Declaração de nascidos vivos, Fundação IBGE. Contagem da população Sposati (Coord.). O mapa da exclusão/inclusão social da Cidade de São Paulo, Comportamento semelhante pode ser observado no outro extremo da idade reprodutiva (10 a 14 e 15 a 19 anos) encontrando-se, entre as Áreas 1 e 5, um gradiente de redução da participação relativa destas taxas específicas de fecundidade na TFT. Verifica-se que entre os quintis de menor e maior valor de IDH houve uma variação de 52,5% e 55,8% entre as taxas específicas destes grupos de idade. maior participação relativa das gestações na adolescência sobre a fecundidade nas áreas de menor IDH é consistente com os resultados obtidos por outros autores que mostraram que estas gestações são mais freqüentes em populações de baixa renda e menor nível de educação formal (Cruz, 1997; erts at. al., 1997). faixa etária detentora da maior taxa de fecundidade paulistana é a de anos (Gráfico 1), resultado semelhante àquele encontrado por Campanário, Yasaki (1994) nas regiões de governo do Estado de São Paulo. Porém, quando se analisa sua distribuição por quintis de IDH, verifica-se que há um deslocamento para a direita da cúspide da fecundidade à medida que crescem os valores do Indicador de Desenvolvimento Humano, de modo que na Área 1 e 2 a cúspide é precoce, na 3 é dilatada, passando a tardia nas Áreas 4 e 5 (Gráfico 2). Devido à concentração da população nas Áreas 1 e 2, a cúspide do município torna-se precoce. 84 XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP

11 Gráfico 1 CÚSPIDE D FECUNDIDDE MUNICÍPIO DE SÃO PULO 140,0 120,0 100,0 80,0 60,0 40,0 20,0 0,0 10 a a a a a a a a a 54 Gráfico 2 CÚSPIDE D FECUNDIDDE ÁRES 160,0 140,0 120,0 100,0 80,0 60,0 40,0 20,0 0,0 10 a a a a a a a a a 54 Área 1 Área 3 Área 5 XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP 85

12 Campanário, Yasaki (1994) indicam que a cúspide tardia é característica da maioria dos países de baixa fecundidade ocidentais. O quinto quintil, apesar de apresentar cúspide tardia e baixa taxa de fecundidade total, apresenta uma taxa de fecundidade específica de 15 a 19 anos elevada, quando comparada às mesmas taxas destes países. 5 FECUNDIDDE SEGUNDO DISTRITOS Quando desagregada por distritos, a TFT apresentou diferenciais ainda maiores (Tabela 6). s maiores taxas correspondem aos Distritos de Cachoeirinha (3,55), Marsilac (3,23), Perus (3,06) e Guaianazes (3,05). Destes, somente Marsilac pertence à Área 2, os restantes pertencem ao primeiro quintil de IDH. Trata-se de distritos periféricos (Mapa 2), cuja população integra o grupo dos menos favorecidos da cidade. Todos apresentam grande concentração de população favelada (SEMPL, 1997). Por outro lado, as menores taxas de fecundidade correspondem a três distritos da Área 5 que pertencem ao seleto grupo de distritos cujos valores de IDH são maiores de 0,5: Perdizes (1,21); Jardim Paulista (1,28); lto de Pinheiros (1,27). Estes distritos pertencem à Área Sudoeste da cidade, onde prevalece o uso terciário e uso residencial de alto padrão do solo urbano (Mapa 2). nhanguera é o único distrito cuja TFT é inferior a 1,5 e não está na Área 5. Chama a atenção o fato de que este distrito apresenta também a maior taxa de crescimento populacional (18,46% ao ano). Destoam dos padrões de fecundidade observados nas Áreas 4 e 5 os Distritos Bom Retiro, Sé, Belém e Barra Funda, que apresentam fecundidade bem acima da taxa de seus quintis (2,74, 2,91, 2,53 e 2,41 respectivamente) e significativo crescimento negativo populacional. Estes distritos, como mencionado anteriormente, pertencem ao grupo de distritos centrais (Mapa 2) com antiga vocação industrial e residencial (com exceção de Sé) que vem sendo substituída por atividades de comércio e serviços nas últimas décadas. Por outro lado, tem-se observado um aumento dos cortiços e pensões nessa região que têm se constituído em opção de moradia da população pauperizada (Rolnik, 1990; Corradi, Marinho, 1994), o que contribui para a elevação da TFT. Hipótese semelhante pode ser levantanda para o Distrito de Pari (TFT 2,80 e taxa de crescimento 6,34%), situado na Área 3, e Brás (TFT 2,96 e taxa de crescimento 4,56), situado na Área XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP

13 Tabela 6 TXS DE FECUNDIDDE TOTL MUNICÍPIO DE SÃO PULO 1997 Área 1 Área 2 Área 3 Área 4 Área 5 Distritos TFT Distritos TFT Distritos TFT Distritos TFT Distritos TFT Vila ndrade 2,50 Vila Jacuí 2,41 Ponte Rasa 2,02 V. Sônia 2,16 Tatuapé 1,92 Parelheiros 2,62 São Miguel 2,32 ricanduva 1,89 Campo Grande 1,95 Mandaqui 1,79 Grajaú 2,58 Iguatemi 2,27 Limão 2,14 V. Guilherme 2,53 Santana 1,74 Itaim Paulista 2,80 São Mateus 2,30 Morumbi 2,71 V. Prudente 2,04 Penha 1,99 Jd. Ângela 2,86 Pedreira 1,93 V. Medeiros 2,02 Cangaíba 2,20 Sta. Cecíclia 1,53 Lajeado 2,59 Marsilac 3,23 Freg. do Ó 2,28 Bom Retiro 2,74 Barra Funda 2,41 Guaianazes 3,05 Itaquera 2,30 Socorro 2,30 Sé 2,91 Lapa 2,15 Brasilândia 2,18 Ermelino Mat. 2,47 Tremembé 2,02 Belém 2,53 Campo Belo 1,63 V. Curuçá 2,34 São Rafael 2,07 V. Maria 2,21 Carrão 1,98 Cursino 1,94 C. Redondo 2,87 Jd. Helena 2,49 Rap. Tavares 2,46 Liberdade 2,01 Sto. maro 2,10 Cd. Tiradentes 2,15 Jaraguá 2,29 V. Matilde 1,96 República 2,13 Tucuruvi 2,01 Jd. São Luís 2,09 Jabaquara 2,30 Cid. Líder 2,60 Água Rasa 1,96 V. Mariana 1,38 Cid. demar 2,47 Pirituba 2,28 Casa Verde 2,06 Itaim Bibi 1,51 Perdizes 1,21 Cachoeirinha 3,55 Rio Pequeno 2,82 J. Bonifácio 2,57 Sacomã 2,10 Consolação 1,38 Cidade Dutra 2,48 rtur lvim 2,31 nhanguera 1,46 Butantã 2,07 Saúde 1,83 Perus 3,06 Brás 2,96 Pari 2,80 Cambuci 2,15 Bela Vista 1,68 Campo Limpo 2,62 São Domingos 1,96 V. Formosa 2,42 Moóca 1,89 Pinheiros 1,37 Pq. do Carmo 2,85 Jaçanã 2,38 Jaguará 2,11 V. Leopoldina 2,25 Jd. Paulista 1,28 Sapopemba 2,11 Jaguaré 2,36 Ipiranga 1,97 São Lucas 1,78. Pinheiros 1,27 Moema 1,48 Área 1 2,57 Área 2 2,32 Área 3 2,22 Área 4 2,06 Área 5 1,67 Fontes: Fundação SEDE. Declaração de nascidos vivos, Fundação IBGE. Contagem da população Sposati (Coord.). O mapa da exclusão/inclusão social da Cidade de São Paulo, XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP 87

14 Mapa 2 TXS DE FECUNDIDDE TOTL MUNICÍPIO DE SÃO PULO 1997 Fontes: Fundação IBGE. Contagem da População Fundação SEDE. Declaração de Nascidos Vivos, MP 2 TXS DE FECUNDIDDE TOTL - MUNICÍPIO DE SÃO PULO menos de 1,5 1,5 a 1,99 2,0 a 2,49 2,5 a 2,99 3,0 e mais Limite de Município Limite de Distrito escala desconhecida Fonte: Fundação IBGE. Contagem da População 1996 Fundação SEDE. Declaração de Nascidos Vivos, JD XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP

15 Destaca-se ainda o Distrito de Morumbi (Área 3), que apresentou crescimento populacional negativo e TFT de 2,71. Este resultado pode estar associado ao fato desse distrito apresentar uma ocupação bastante heterogênea do solo urbano do ponto de vista sócio-econômico, visto que comporta tanto uma grande concentração de população de alta renda, como também estão presentes núcleos de favelas. 6 CONSIDERÇÕES FINIS pesar da tendência de convergência dos níveis de fecundidade se encontrar em pleno curso, pode-se verificar diferenciais intra-urbanos na fecundidade da mulher paulistana. inda que as diferenças entre as taxas de fecundidade dos quintis de menores e maiores valores de IDH não tenham sido muito elevadas (35%), a coexistência de padrões distintos se faz presente em vários momentos, seja através da análise dos tipos de cúspide, seja através da desagregação das taxas segundo distrito. Neste último caso, a variação entre as maiores e menores taxas ultrapassa 100%. análise em conjunto das taxas de fecundidade com as taxas de crescimento populacional segundo distrito colocou em evidência dinâmicas demográficas diferenciadas, cuja compreensão total não pode prescindir de conhecimentos acerca da própria história econômica, demográfica e geográfica da cidade. XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP 89

16 7 NEXO Quadro 1 CÓDIGO DOS DISTRITOS DO MUNICÍPIO DE SÃO PULO Cód. Distritos Cód. Distritos Cód. Distritos Cód. Distritos Cód. Distritos 1 Água Rasa 20 Carrão 39 Jaçanã 58 Pedreira 77 Saúde 2. Pinheiros 21 Casa Verde 40 Jaguará 59 Penha 78 Sé 3 nhanguera 22 Cd. demar 41 Jaguaré 60 Perdizes 79 Socorro 4 ricanduva 23 Cd. Dutra 42 Jaraguá 61 Perus 80 Tatuapé 5 rtur lvim 24 Cd. Líder 43 Jd. Ângela 62 Pinheiros 81 Tremembé 6 Barra Funda 25 Cd. Tiradentes 44 Jd. Helena 63 Pirituba 82 Tucuruvi 7 Bela Vista 26 Consolação 45 Jd. Paulista 64 Ponte Rasa 83 V. ndrade 8 Belém 27 Cursino 46 Jd. São Luis 65 Rap. Tavares 84 V. Curuça 9 Bom Retiro 28 E. Matarazzo 47 J. Bonifácio 66 República 85 V. Formosa 10 Brás 29 Freguesia do Ó 48 Lapa 67 Rio Pequeno 86 V. Guilherme 11 Brasilândia 30 Grajaú 49 Liberdade 68 Sacomã 87 V. Jacuí 12 Butantã 31 Guaianazes 50 Limão 69 Sta. Cecília 88 V. Leopoldina 13 Cachoeirinha 32 Moema 51 Mandaqui 70 Santana 89 V. Maria 14 Cambuci 33 Iguatemi 52 Marsilac 71 Sto. maro 90 V. Mariana 15 Campo Belo 34 Ipiranga 53 Moóca 72 São Lucas 91 V. Matilde 16 Campo Grande 35 Itaim Bibi 54 Morumbi 73 São Mateus 92 V. Medeiros 17 Campo Limpo 36 Itaim Paulista 55 Parelheiros 74 São Miguel 93 V. Prudente 18 Cangíba 37 Itaquera 56 Pari 75 São Rafael 94 V. Sonia 19 C. Redondo 38 Jabaquara 57 Pq. do Carmo 76 Sapopemba 95 São Domingos 96 Lajeado Fonte: Fundação IBGE. 90 XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP

17 8 BIBLIOGRFI ERTS, D., LVES, G., CUNH, J., HILGERT, C., RODRIGUES, I. Mães adolescentes: uma questão emergente. Resumos V Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva e V Congresso Paulista de Saúde Pública. Águas de Lindóia: BRSCO, p , KERMN, M. Metodologia de construção de indicadores compostos: um exercício de negociação intersetorial. In: BRT, R. B. (Org.). Condições de vida e situação de saúde. Rio de Janeiro: BRSCO, p BLDIJÃO, M. F.. Infant mortality, malnutrition, and infectious diseases in São Paulo, Brazil. Ithaca, (Dissertação de Mestrado Cornell University New York). CMRGO,. B. M., ORTIZ, L. P. declaração de nascido-vivo: instrumento de acompanhamento da saúde materno-infantil. Informe Demográfico, v. 29, p , CMPNÁRIO, P., YSKI, L. M. fecundidade em São Paulo e suas regiões de governo: níveis e tendências. Informe Demográfico, v. 25, p , CORRDI, L. C.., MRINHO, M. R. Crescimento populacional e evolução da área construída em São Paulo. In: ENCONTRO N- CIONL DE ESTUDOS POPULCIONIS, 9, 1994, Caxambu. nais... Belo Horizonte: BEP, p CRUZ,. M. Gravidez na adolescência: estudo de algumas característica do recém-nascido de baixo peso de mães adolescentes atendidas na Maternidade Escola Vila Nova Cachoeirinha. São Paulo: Faculdade de Saúde/USP, (Dissertação de mestrado). FERREIR, C. E. C., SD, P. P. Mortalidade infantil. In: O jovem na Grande São Paulo. São Paulo: Fundação SEDE, p ROLNIK, R., KOWRICK, L., SOMEKH, N. São Paulo: crise e mudança. São Paulo: SEMPL/Brasiliense, SECRETRI MUNICIPL DE PLNEJMENTO-SEMPL. Dossiê São Paulo. São Paulo: Prefeitura do Município de São Paulo, XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP 91

18 SOUZ, M.. identidade da metrópole. São Paulo: Hucitec/EDUSP, SPOSTI,. (Cols.). O mapa da exclusão/inclusão social da Cidade de São Paulo. São Paulo: Núcleo de Estudos de Seguridade e ssistência Social PUC/SP, EDUC, VÉRS, M. P. B. nov(a) (C)idade do gelo: notas perplexas sobre os novos nômades urbanos. São Paulo em Perspectiva, v. 9, n. 2, p , XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da BEP

PRINCIPAIS RESULTADOS DO CENSO DA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA DA CIDADE

PRINCIPAIS RESULTADOS DO CENSO DA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA DA CIDADE 1 PRINCIPAIS RESULTADOS DO CENSO DA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA DA CIDADE DE SÃO PAULO, 2009 Silvia Maria Schor Maria Antonieta da Costa Vieira Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Outubro 2015

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Outubro 2015 Estoque de Outorga Onerosa Residencial Outubro 2015 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na cidade

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Setembro 2015 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Dezembro 2014

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Dezembro 2014 Estoque de Outorga Onerosa Residencial Dezembro 2014 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na cidade

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Julho 2014

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Julho 2014 Estoque de Outorga Onerosa Residencial Julho 2014 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na cidade

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Março 2014

Estoque de Outorga Onerosa Residencial Março 2014 Estoque de Outorga Onerosa Residencial Março 2014 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na cidade

Leia mais

DECRETO N , DE 18 DE FEVEREIRO DE 2008 Cria os Conselhos Tutelares de José Bonifácio e Jardim São Luiz e reorganiza os demais Conselhos

DECRETO N , DE 18 DE FEVEREIRO DE 2008 Cria os Conselhos Tutelares de José Bonifácio e Jardim São Luiz e reorganiza os demais Conselhos DECRETO N 49.228, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2008 Cria os Conselhos Tutelares de José Bonifácio e Jardim São Luiz e reorganiza os demais Conselhos Tutelares no Município de São Paulo; altera o Anexo Único integrante

Leia mais

MAPA DA DESIGUALDADE 2016 CLIQUE AQUI PARA COMEÇAR

MAPA DA DESIGUALDADE 2016 CLIQUE AQUI PARA COMEÇAR MAPA DA DESIGUALDADE 2016 CLIQUE AQUI PARA COMEÇAR TEMA PARA NAVEGAR PELOS INDICADORES, CLIQUE NO TEMA INDICADOR ASSISTÊNCIA SOCIAL CULTURA 2 EDUCAÇÃO ESPORTE HABITAÇÃO INCLUSÃO DIGITAL MEIO AMBIENTE SAÚDE

Leia mais

vereador José Police Neto

vereador José Police Neto vereador José Police Neto O que é o Conselho Participativo Municipal? O Conselho Participativo Municipal tem caráter eminentemente público e é um organismo autônomo da sociedade civil, reconhecido pelo

Leia mais

IMPORTÂNCIA E DESAFIOS DO VAREJO PARA A BAIXA RENDA. Juracy Parente GVcev 17 de junho de 2004

IMPORTÂNCIA E DESAFIOS DO VAREJO PARA A BAIXA RENDA. Juracy Parente GVcev 17 de junho de 2004 IMPORTÂNCIA E DESAFIOS DO VAREJO PARA A BAIXA RENDA Juracy Parente GVcev 17 de junho de 2004 MERCADO DE BAIXA RENDA UM SEGMENTO DE CRESCENTE IMPORTÂNCIA E INTERESSE No Mundo: - Rápido crescimento econômico

Leia mais

ANÁLISE DOS LOCAIS DE RESIDÊNCIA E TRABALHO DA POPULAÇÃO OCUPADA CONSTRUÇÃO DE NOVO INDICADOR PARA OS ESTUDOS DE MOBILIDADE URBANA

ANÁLISE DOS LOCAIS DE RESIDÊNCIA E TRABALHO DA POPULAÇÃO OCUPADA CONSTRUÇÃO DE NOVO INDICADOR PARA OS ESTUDOS DE MOBILIDADE URBANA ANÁLISE DOS LOCAIS DE RESIDÊNCIA E TRABALHO DA POPULAÇÃO OCUPADA CONSTRUÇÃO DE NOVO INDICADOR PARA OS ESTUDOS DE MOBILIDADE URBANA Emilia Mayumi Hiroi 20ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA CATEGORIA:

Leia mais

2017 clique aqui para começar

2017 clique aqui para começar mapa da desigualdade 2017 clique aqui para começar contexto brasil contexto brasil Entre os países para os quais existem dados disponíveis, o Brasil é o que mais concentra renda no 1% mais rico, sustentando

Leia mais

Coleta Seletiva na Cidade de São Paulo com Inclusão de Catadores

Coleta Seletiva na Cidade de São Paulo com Inclusão de Catadores Coleta Seletiva na Cidade de São Paulo com Inclusão de Catadores Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos PGIRS Implementando a Política Nacional de Resíduos Sólidos na Cidade de São Paulo Processo

Leia mais

conversa de gente grande como o mapa foi feito visão da cidade mapa da desigualdade caminhos para redução das desigualdades créditos são paulo 2017

conversa de gente grande como o mapa foi feito visão da cidade mapa da desigualdade caminhos para redução das desigualdades créditos são paulo 2017 são paulo 2017 Conversa de gente grande U ma cidade acolhedora para crianças é uma cidade melhor para todas as pessoas. É um lugar em que as gestantes fazem pré-natal regularmente e os bebês nascem no

Leia mais

1º lugar entre as emissoras qualificadas. por dia. Média de ouvintes por minuto, no. target Ambos os sexos AB 25+ anos.

1º lugar entre as emissoras qualificadas. por dia. Média de ouvintes por minuto, no. target Ambos os sexos AB 25+ anos. Dezembro/2016 Média de 81.071 ouvintes por minuto, no 1º lugar entre as emissoras qualificadas. target Ambos os sexos AB 25+ anos. Atinge em média 153.894 ouvintes por minuto, de segunda a sexta-feira

Leia mais

Aluguéis Residenciais valores por m² de área privativa ou construída.

Aluguéis Residenciais valores por m² de área privativa ou construída. Aluguéis Residenciais valores por m² de área privativa ou construída. Dados por região da Cidade de São Paulo, por número de dormitórios e estado de conservação. ALUGUÉIS EM FAIXAS DE VALORES EM R$ POR

Leia mais

Aluguéis Residenciais valores por m² de área privativa ou construída.

Aluguéis Residenciais valores por m² de área privativa ou construída. Aluguéis Residenciais valores por m² de área privativa ou construída. Dados por região da Cidade de São Paulo, por número de dormitórios e estado de conservação. 1 DORMITÓRIO 2 DORMITÓRIOS 3 DORMITÓRIOS

Leia mais

Situação da transmissão da dengue no Município de São Paulo em /06/2015

Situação da transmissão da dengue no Município de São Paulo em /06/2015 Situação da transmissão da dengue no Município de São Paulo em 2015 12/06/2015 Casos de dengue notificados, confirmados autóctones e confirmados importados por semana epidemiológica (SE) de início de sintomas

Leia mais

ESTIMATIVA DA POPULAÇÃO EXCLUSIVAMENTE USUÁRIA SUS NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO (*)

ESTIMATIVA DA POPULAÇÃO EXCLUSIVAMENTE USUÁRIA SUS NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO (*) Ano 1, Boletim 1 Fevereiro de 2010 ESTIMATIVA DA POPULAÇÃO EXCLUSIVAMENTE USUÁRIA SUS NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO (*) Apresentação Com intuito de garantir o Direito à Saúde dos cidadãos, o SUS realiza ações

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2013

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2013 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2013 De acordo com a Pesquisa Mensal de Valores de Locação Residencial na Cidade de São Paulo, os aluguéis de casas e de

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO OUTUBRO DE 2013

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO OUTUBRO DE 2013 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO OUTUBRO DE 2013 Os novos contratos realizados de locação residencial na cidade de São Paulo tiveram aumento médio de 0,5% em outubro

Leia mais

MAPA DA DESIGUALDADE 2016

MAPA DA DESIGUALDADE 2016 MAPA DA DESIGUALDADE 2016 CULTURA ACERVO DE LIVROS INFANTO- JUVENIS Número de livros disponíveis em acervos de bibliotecas municipais na faixa etária de 7 a 14 anos Fórmula: número total de livros infanto-juvenis

Leia mais

A fecundidade no município de São Paulo e em suas subprefeituras: algumas características do padrão reprodutivo*

A fecundidade no município de São Paulo e em suas subprefeituras: algumas características do padrão reprodutivo* A fecundidade no município de São Paulo e em suas subprefeituras: algumas características do padrão reprodutivo* Lúcia Mayumi YAZAKI Palavras-chave: fecundidade; nível de reposição; pré-natal; cesárea

Leia mais

20ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA PRÊMIO TECNOLOGIA E DESENVOLVIMENTO METROFERROVIÁRIOS CATEGORIA 1

20ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA PRÊMIO TECNOLOGIA E DESENVOLVIMENTO METROFERROVIÁRIOS CATEGORIA 1 20ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA PRÊMIO TECNOLOGIA E DESENVOLVIMENTO METROFERROVIÁRIOS CATEGORIA 1 POR QUE SE ESTÁ USANDO MAIS O AUTOMÓVEL NAS ÁREAS PERIFÉRICAS? ESPACIALIZAÇÃO DAS DINÂMICAS ASSOCIADAS

Leia mais

PESQUISA. Abril/2015

PESQUISA. Abril/2015 PESQUISA Abril/2015 ALPHA FM EM NÚMEROS 1º Lugar entre as emissoras qualificadas: Atinge em média 135.118 ouvintes por minuto, de segunda a sexta-feira, das 06h às 19h. Em 30 dias atinge 1.575.204 ouvintes

Leia mais

PESQUISA. Janeiro/2015

PESQUISA. Janeiro/2015 PESQUISA Janeiro/2015 ALPHA FM EM NÚMEROS 1º Lugar entre as emissoras qualificadas e 4º lugar no ranking geral: Atinge em média 154.219 ouvintes por minuto, de segunda a domingo, das 06h às 19h. Média

Leia mais

1º lugar entre as emissoras qualificadas. 3º Lugar no ranking geral entre todas as. por dia. Média de ouvintes por minuto, no

1º lugar entre as emissoras qualificadas. 3º Lugar no ranking geral entre todas as. por dia. Média de ouvintes por minuto, no Maio/2016 Média de 88.091 ouvintes por minuto, no 1º lugar entre as emissoras qualificadas. target Ambos os sexos AB 25+ anos. Atinge em média 166.137 ouvintes por minuto, de segunda a sexta-feira das

Leia mais

Líder no público AB 25+ anos. 1º lugar entre as emissoras qualificadas. 4º Lugar no ranking geral entre todas as. por dia.

Líder no público AB 25+ anos. 1º lugar entre as emissoras qualificadas. 4º Lugar no ranking geral entre todas as. por dia. Julho/2016 1º lugar entre as emissoras qualificadas. Líder no público AB 25+ anos com média de 82.320 ouvintes por minuto. Atinge em média 167.220 ouvintes por minuto, de segunda a sexta-feira das 6h às

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2013.

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2013. PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2013. Os imóveis destinados para aluguel na capital paulista tiveram um pequeno aumento (+0,2%) em setembro de 2013, relativamente

Leia mais

PESQUISA. Junho/2015

PESQUISA. Junho/2015 PESQUISA Junho/2015 ALPHA FM EM NÚMEROS 1º Lugar entre as emissoras qualificadas: Atinge em média 134.025 ouvintes por minuto, de segunda a sexta-feira, das 06h às 19h. Em 30 dias atinge 1.741.082 ouvintes

Leia mais

Situação da transmissão da dengue no Município de São Paulo em ª Coletiva de imprensa 07/05/2015

Situação da transmissão da dengue no Município de São Paulo em ª Coletiva de imprensa 07/05/2015 Situação da transmissão da dengue no Município de São Paulo em 2015 8ª Coletiva de imprensa 07/05/2015 Situação da transmissão no Brasil - 2015 Região Casos Coef. Incid. % Sudeste 414.716 487,2 66,2% -

Leia mais

PESQUISA. Novembro/2015

PESQUISA. Novembro/2015 PESQUISA Novembro/2015 ALPHA FM EM NÚMEROS 1º Lugar entre as emissoras qualificadas: Atinge em média 149.398 ouvintes por minuto, de segunda a sexta-feira, das 06h às 19h. 4º Lugar no ranking geral entre

Leia mais

PESQUISA. Julho/2015

PESQUISA. Julho/2015 PESQUISA Julho/2015 ALPHA FM EM NÚMEROS 1º Lugar entre as emissoras qualificadas: Atinge em média 148.509 ouvintes por minuto, de segunda a sexta-feira, das 06h às 19h. Em 30 dias atinge 1.750.321 ouvintes

Leia mais

1º lugar entre as emissoras qualificadas. 4º Lugar no ranking geral entre todas as. por dia. Média de ouvintes por minuto, no

1º lugar entre as emissoras qualificadas. 4º Lugar no ranking geral entre todas as. por dia. Média de ouvintes por minuto, no Janeiro/2016 1º lugar entre as emissoras qualificadas. Média de 78.717 ouvintes por minuto, no target Ambos os sexos AB 25+ anos. Atinge em média 165.130 ouvintes por minuto, de segunda a sexta-feira das

Leia mais

1º lugar entre as emissoras qualificadas. 3º Lugar no ranking geral entre todas as. por dia. Média de ouvintes por minuto, no

1º lugar entre as emissoras qualificadas. 3º Lugar no ranking geral entre todas as. por dia. Média de ouvintes por minuto, no Março/2016 1º lugar entre as emissoras qualificadas. Média de 91.103 ouvintes por minuto, no target Ambos os sexos AB 25+ anos. Atinge em média 178.554 ouvintes por minuto, de segunda a sexta-feira das

Leia mais

PESQUISA. Setembro/2015

PESQUISA. Setembro/2015 PESQUISA Setembro/2015 ALPHA FM EM NÚMEROS 1º Lugar entre as emissoras qualificadas: Atinge em média 145.379 ouvintes por minuto, de segunda a sexta-feira, das 06h às 19h. 4º Lugar no ranking geral entre

Leia mais

PESQUISA. Outubro/2015

PESQUISA. Outubro/2015 PESQUISA Outubro/2015 ALPHA FM EM NÚMEROS 1º Lugar entre as emissoras qualificadas: Atinge em média 143.807 ouvintes por minuto, de segunda a sexta-feira, das 06h às 19h. 4º Lugar no ranking geral entre

Leia mais

1º lugar entre as emissoras qualificadas. 3º Lugar no ranking geral entre todas as. por dia. Média de ouvintes por minuto, no

1º lugar entre as emissoras qualificadas. 3º Lugar no ranking geral entre todas as. por dia. Média de ouvintes por minuto, no Abril/2016 1º lugar entre as emissoras qualificadas. Média de 89.571 ouvintes por minuto, no target Ambos os sexos AB 25+ anos. Atinge em média 166.922 ouvintes por minuto, de segunda a sexta-feira das

Leia mais

A operacionalização de conceitos- parte 1 Métodos e Técnicas de Pesquisa I 2015 Márcia Lima

A operacionalização de conceitos- parte 1 Métodos e Técnicas de Pesquisa I 2015 Márcia Lima A operacionalização de conceitos- parte 1 Métodos e Técnicas de Pesquisa I 2015 Márcia Lima Roteiro da Aula Conceitos e a construção social do dado O controle da qualidade da medida: precisão, validade

Leia mais

CRC SP Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional. PREVENÇÃO E MITIGAÇÃO DE RISCOS PROFISSIONAIS SÃO PAULO - CAPITAL

CRC SP Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional. PREVENÇÃO E MITIGAÇÃO DE RISCOS PROFISSIONAIS SÃO PAULO - CAPITAL PREVENÇÃO E MITIGAÇÃO DE RISCOS PROFISSIONAIS SÃO PAULO - CAPITAL PALESTRANTES MARCIA RUIZ ALCAZAR VICE PRESIDENTE DE FISCALIZAÇÃO CONTADORA EMPRESARIA CONTABIL JOSÉ APARECIDO MAION CONSELHEIRO CONTADOR

Leia mais

Aula 5:Amostragem e tipos de. amostra. Métodos e Técnicas de Pesquisa I Márcia Lima Murillo Maschner

Aula 5:Amostragem e tipos de. amostra. Métodos e Técnicas de Pesquisa I Márcia Lima Murillo Maschner Aula 5:Amostragem e tipos de amostra Métodos e Técnicas de Pesquisa I 2015 Márcia Lima Murillo Maschner Roteiro: A lógica da amostragem por survey. Conceitos elementares Tipos alternativos de amostras

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2014

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2014 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2014 O mercado de imóveis para locação residencial na cidade de São Paulo registrou variação média de 0,6% em maio, relativamente

Leia mais

CENSO DA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE (2011) Principais Resultados RUA NA MUNICIPALIDADE DE SÃO PAULO

CENSO DA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE (2011) Principais Resultados RUA NA MUNICIPALIDADE DE SÃO PAULO Prefeitura do Município de São Paulo - PMSP Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social - SMADS Núcleo de Pesquisas em Ciências Sociais - FESPSP CENSO DA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA NA

Leia mais

UNIVERSIDADE CAMILO CASTELO BRANCO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL

UNIVERSIDADE CAMILO CASTELO BRANCO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL UNIVERSIDADE CAMILO CASTELO BRANCO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL ÉRICA OGURO IVAN DE JESÚS RICARDO LIMA DA SILVA SILVIA REGINA BATISTA MORAES SOLANGE MORENO RAMIREZ DA SILVA DISSERTAÇÃO SOBRE ESTUDO DA EXCLUSÃO

Leia mais

Polos Comerciais de Rua: para Expansão

Polos Comerciais de Rua: para Expansão Polos Comerciais de Rua: Uma Opção Estratégica para Expansão Visão Panorâmica em São Paulo Tadeu Masano LOCALIZAÇÃO: RUA x PLANEJADA Localizações de Rua Conveniência (Ex.: Padaria) Deslocamento (Ex.: Posto

Leia mais

AV. PAULISTA, 688 SÃO PAULO / SP CEP: 01310-909 TEL. (11) 3549-5500

AV. PAULISTA, 688 SÃO PAULO / SP CEP: 01310-909 TEL. (11) 3549-5500 ZONA SECCIONAL FISCAL Nº DISTRITO DISTRITOS Oeste Oeste Seccional Lapa Rua: Pio XI, 999 Alto da Lapa CEP: 05060-000 Tel.(11) 3834-0530 lapa@crosp.org.br Seccional Lapa Rua: Pio XI, 999 Alto da Lapa CEP:

Leia mais

CEInfo. Boletim CEInfo Informativo Censo Demográfico 2010. Resultados parciais do Censo Demográfico 2010 para o Município de São Paulo

CEInfo. Boletim CEInfo Informativo Censo Demográfico 2010. Resultados parciais do Censo Demográfico 2010 para o Município de São Paulo Boletim CEInfo Informativo Censo Demográfico 2010 nº 02, Julho 2012 Resultados parciais do Censo Demográfico 2010 para o Município de São Paulo Apresentação Dando continuidade a divulgação dos dados do

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JULHO DE ,0 6,7 Locação 5,6 6,0 5,0 4,9

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JULHO DE ,0 6,7 Locação 5,6 6,0 5,0 4,9 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JULHO DE 2015 No mês de julho, os aluguéis de casas e apartamentos apresentaram redução média de 1% em comparação a junho de 2015.

Leia mais

Projeto: Representação Política e Distribuição de Votos na Região Metropolitana de São Paulo

Projeto: Representação Política e Distribuição de Votos na Região Metropolitana de São Paulo Relatório de Pesquisa Projeto: Representação Política e Distribuição de Votos na Região Metropolitana de São Paulo Centro de Estudos da Metrópole (CEM) Cebrap CEPID/ Fapesp Equipe: Coordenadores: Argelina

Leia mais

PESQUISA DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO VARIAÇÃO (%) DO VALOR MÉDIO COMPARADO COM O IGP- M NOS ÚTLIMOS 12 MESES 3,8

PESQUISA DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO VARIAÇÃO (%) DO VALOR MÉDIO COMPARADO COM O IGP- M NOS ÚTLIMOS 12 MESES 3,8 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO FEVEREIRO DE 2015 As pessoas que procuraram moradias para alugar em fevereiro de 2015 encontraram valores menores do que em janeiro,

Leia mais

Você também pode realizar o seu cadastro utilizando seu perfil do facebook, basta estar conectado e selecionar "Login with facebook".

Você também pode realizar o seu cadastro utilizando seu perfil do facebook, basta estar conectado e selecionar Login with facebook. Manual de Inscrição Para facilitar a vida de todos os proponentes criamos aqui um descritivo detalhado. Aqui serão apresentados todos os campos que precisarão ser preenchidos para submeter um projeto.

Leia mais

Uso de Serviços Públicos de Saúde

Uso de Serviços Públicos de Saúde Uso de Serviços Públicos de Saúde Metodologia Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas pessoais. OBJETIVO GERAL Levantar junto à população da área em estudo

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO ABRIL DE 2014

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO ABRIL DE 2014 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO ABRIL DE 2014 A partir de agora, a Pesquisa Mensal de Valores de Locação Residencial passa a divulgar dados de um bairro específico

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2014.

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2014. PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2014. Os aluguéis de casas e apartamentos na capital paulista ficaram praticamente estabilizados em setembro de 2014, relativamente

Leia mais

Quadro da desigualdade em São Paulo

Quadro da desigualdade em São Paulo Quadro da desigualdade em São Paulo CULTURA Acervo de livros infanto-juvenis das bibliotecas municipais per capita Número de livros infanto-juvenis disponíveis em acervos de bibliotecas e pontos de leitura

Leia mais

Perspectivas demográficas dos distritos do Município de São Paulo: o rápido e diferenciado processo de envelhecimento

Perspectivas demográficas dos distritos do Município de São Paulo: o rápido e diferenciado processo de envelhecimento Perspectivas demográficas dos distritos do Município de São Paulo: o rápido e diferenciado processo de envelhecimento As projeções populacionais até 2030 para os distritos da capital, realizadas pela Fundação

Leia mais

Imovelweb index. Cidade São Paulo. Relatório mensal. Maio 2016

Imovelweb index. Cidade São Paulo. Relatório mensal. Maio 2016 Imovelweb index Cidade São Paulo Relatório mensal Objetivos, características, metodologia OBJETIVO: oferecer estatísticas abrangentes e confiáveis que acompanhem a evolução dos preços de venda e aluguel

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MARÇO DE 2015

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MARÇO DE 2015 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MARÇO DE 2015 As casas e apartamentos tiveram seus aluguéis mais altos em março, relativamente aos valores de fevereiro. Subiram em

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Sobre a evolução da taxa mortalidade infantil no Município de São Paulo

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Sobre a evolução da taxa mortalidade infantil no Município de São Paulo UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ARTES, CIÊNCIAS E HUMANIDADES Sobre a evolução da taxa mortalidade infantil no Município de São Paulo Marcos Oliveira Rodrigues Orientadora: Profa.Dra.Flávia Mori Sarti

Leia mais

INSERÇÃO DAS MACROÁREAS LEI Nº E PL Nº 671/07 LEI Nº /2002 PL Nº 671/07 TÍTULO III DO PLANO URBANÍSTICO-AMBIENTAL

INSERÇÃO DAS MACROÁREAS LEI Nº E PL Nº 671/07 LEI Nº /2002 PL Nº 671/07 TÍTULO III DO PLANO URBANÍSTICO-AMBIENTAL TÍTULO III DO PLANO URBANÍSTICO-AMBIENTAL INSERÇÃO DAS MACROÁREAS LEI Nº 13.430 E PL Nº 671/07 LEI Nº 13.430/2002 PL Nº 671/07 TÍTULO III DO PLANO URBANÍSTICO-AMBIENTAL CAPÍTULO II DO USO E OCUPAÇÃO DO

Leia mais

A Black Friday é uma das principais datas da atualidade para o comércio brasileiro movimentou cerca de R$871 milhões de reais na sua última edição*

A Black Friday é uma das principais datas da atualidade para o comércio brasileiro movimentou cerca de R$871 milhões de reais na sua última edição* A Black Friday é uma das principais datas da atualidade para o comércio brasileiro movimentou cerca de R$871 milhões de reais na sua última edição* Dentre os resultados temos: 48% de aumento nas vendas

Leia mais

DIRETÓRIO MUNICIPAL DE SÃO PAULO

DIRETÓRIO MUNICIPAL DE SÃO PAULO Todos os aspectos organizativos do PED 2017 estarão sob responsabilidade de uma Comissão de Organização composta em cada instância. As inscrições de chapas, teses e candidatos (as) a presidente para a

Leia mais

Seminário GVcev Tendências e Expectativas para o Varejo de Os 7 Ingredientes de Sucesso - para 2011? Juracy Parente 23 de fev de 2011

Seminário GVcev Tendências e Expectativas para o Varejo de Os 7 Ingredientes de Sucesso - para 2011? Juracy Parente 23 de fev de 2011 Seminário GVcev Tendências e Expectativas para o Varejo de 2011 Os 7 Ingredientes de Sucesso - para 2011? Juracy Parente 23 de fev de 2011 ALGUNS EXEMPLOS DE SUCESSO VANTAGEM COMPETITIVA - SUPERMERCADOS

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO AGOSTO DE 2014

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO AGOSTO DE 2014 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO AGOSTO DE 2014 As pessoas que procuraram imóveis para alugar em agosto encontraram valores menores do que os vigentes em julho de 2014.

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MARÇO DE 2016

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MARÇO DE 2016 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MARÇO DE 2016 No mês de março, os valores médios de locações residenciais observados caíram 0,9%, em relação ao mês anterior. No acumulado

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO FEVEREIRO DE 2016

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO FEVEREIRO DE 2016 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO FEVEREIRO DE 2016 No mês de fevereiro, os valores médios das locações residenciais aumentaram 0,1% em relação ao mês anterior. No acumulado

Leia mais

PESQUISA CRECI ABRIL/2003

PESQUISA CRECI ABRIL/2003 PESQUISA CRECI ABRIL/2003 Pesquisa Creci Imóveis usados e Aluguel residencial Abril de 2003 Valor do aluguel baixa e volume de contratos cai 9,48% em SP Pesquisa feita pelo Conselho Regional de Corretores

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO DEZEMBRO DE 2015

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO DEZEMBRO DE 2015 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO DEZEMBRO DE 2015 No mês de dezembro, os valores médios de locações residenciais caíram 0,2%, em relação ao mês anterior. No acumulado

Leia mais

Imovelweb Index SÃO PAULO RELATÓRIO MENSAL SETEMBRO 2016

Imovelweb Index SÃO PAULO RELATÓRIO MENSAL SETEMBRO 2016 Imovelweb Index SÃO PAULO RELATÓRIO MENSAL SETEMBRO 2016 Objetivos, características, metodologia OBJETIVO: oferecer estatísticas abrangentes e confiáveis que acompanhem a evolução dos preços de venda e

Leia mais

Imovelweb Index SÃO PAULO RELATÓRIO MENSAL AGOSTO 2016

Imovelweb Index SÃO PAULO RELATÓRIO MENSAL AGOSTO 2016 Imovelweb Index SÃO PAULO RELATÓRIO MENSAL Objetivos, características, metodologia OBJETIVO: oferecer estatísticas abrangentes e confiáveis que acompanhem a evolução dos preços de venda e aluguel de imóveis

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 272/2015 (DISCIPLINA DO PARCELAMENTO, USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO)

PROJETO DE LEI Nº 272/2015 (DISCIPLINA DO PARCELAMENTO, USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO) PROJETO DE LEI Nº 272/2015 (DISCIPLINA DO PARCELAMENTO, USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO) CALENDÁRIO DE AUDIÊNCIAS PÚBLICAS - AUDIÊNCIA PÚBLICA GERAL PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE LEI

Leia mais

Imovelweb Index SÃO PAULO RELATÓRIO MENSAL JUNHO 2016

Imovelweb Index SÃO PAULO RELATÓRIO MENSAL JUNHO 2016 Imovelweb Index SÃO PAULO RELATÓRIO MENSAL JUNHO 2016 Objetivos, características, metodologia OBJETIVO: oferecer estatísticas abrangentes e confiáveis que acompanhem a evolução dos preços de venda e aluguel

Leia mais

Imovelweb Index SÃO PAULO RELATÓRIO MENSAL NOVEMBRO 2016

Imovelweb Index SÃO PAULO RELATÓRIO MENSAL NOVEMBRO 2016 Imovelweb Index SÃO PAULO RELATÓRIO MENSAL NOVEMBRO 2016 Objetivos, características, metodologia OBJETIVO: oferecer estatísticas abrangentes e confiáveis que acompanhem a evolução dos preços de venda e

Leia mais

LOCALIZAÇÃO E EXPANSÃO NO VAREJO: Estratégias, Modelos e Operacionalização

LOCALIZAÇÃO E EXPANSÃO NO VAREJO: Estratégias, Modelos e Operacionalização LOCALIZAÇÃO E EXPANSÃO NO VAREJO: Estratégias, Modelos e Operacionalização ESTRATÉGIAS E MODELOS DE EXPANSÃO Juracy Parente GV-cev FGV-EAESP 16 de set de 2004 ESTRATÉGIAS E MODELOS DE EXPANSÃO (LOCALIZAÇÃO)

Leia mais

PESQUISA CRECI MAIO/2003

PESQUISA CRECI MAIO/2003 PESQUISA CRECI MAIO/2003 Pesquisa Creci Aluguel residencial e imóveis usados Maio de 2003 - Capital Número de imóveis alugados (+12,84%) e vendas de usados (+5,34%) aumentam pela primeira vez este ano

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2015

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2015 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2015 As pessoas que procuraram moradias para alugar em setembro encontraram valores menores do que os observados no mês

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO 1º DE MAIO GERAL AGENDA ENTREGA DE CUPONS Dia 26 de março de 2012 (segunda-feira)

DISTRIBUIÇÃO 1º DE MAIO GERAL AGENDA ENTREGA DE CUPONS Dia 26 de março de 2012 (segunda-feira) AGENDA ENTREGA DE CUPONS Dia 26 de março de 2012 (segunda-feira) Praça Silvio Romero Largo do Campo Limpo da Penha Supermercado Bergamini Estação Barra Funda Cruzes Praça do Relógio de Poá Dia 27 de março

Leia mais

Imovelweb Index SÃO PAULO RELATÓRIO MENSAL OUTUBRO 2016

Imovelweb Index SÃO PAULO RELATÓRIO MENSAL OUTUBRO 2016 Imovelweb Index SÃO PAULO RELATÓRIO MENSAL OUTUBRO 2016 Objetivos, características, metodologia OBJETIVO: oferecer estatísticas abrangentes e confiáveis que acompanhem a evolução dos preços de venda e

Leia mais

PESQUISA CRECI OUTUBRO/2003

PESQUISA CRECI OUTUBRO/2003 PESQUISA CRECI OUTUBRO/2003 Pesquisa Creci Outubro de 2003 Imóveis usados/locação residencial Vendas caem 18% em ubro, mês que marca recorde na compra de imóvel feita à vista em SP As vendas de imóveis

Leia mais

Perfil das pessoas mortas na cidade de São Paulo em circunstâncias violentas (2011)

Perfil das pessoas mortas na cidade de São Paulo em circunstâncias violentas (2011) Perfil das pessoas mortas na cidade de São Paulo em circunstâncias violentas (0) Sobre o estudo Objetivo: sistematizar conhecimento sobre vitimização por causas violentas na cidade de São Paulo identificando

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Outubro 2013 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO 2017 SETEMBRO DE 2017 Evolução do Valor Médio de Locação Mês: -0,80% Ano: 0,54% 12 meses: 1,34% No mês setembro, os valores

Leia mais

2017 1º Trimestre. Dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo. Estatísticas criminais do estado de São Paulo

2017 1º Trimestre. Dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo. Estatísticas criminais do estado de São Paulo 017 1º Trimestre Dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo Estatísticas criminais do estado de São Paulo SUMÁRIO Letalidade Violenta > APRESENTAÇÃO... > PRODUÇÃO DAS

Leia mais

PESQUISA CRECI MARÇO/2003

PESQUISA CRECI MARÇO/2003 PESQUISA CRECI MARÇO/2003 PESQUISA CRECI Imóveis usados e Aluguéis residenciais Março de 2003 Vendas de imóveis usados caem 8,9%; Creci defende 100% de financiamento As vendas de imóveis usados na cidade

Leia mais

2017 1º Semestre. Dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo. Estatísticas criminais do estado de São Paulo

2017 1º Semestre. Dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo. Estatísticas criminais do estado de São Paulo Dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo Estatísticas criminais do estado de São Paulo SUMÁRIO Letalidade Violenta > APRESENTAÇÃO...3 > PRODUÇÃO DAS ESTATÍSTICAS CRIMINAIS...4

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO ABRIL 2017 ABRIL DE 2017 Evolução do Valor Médio de Locação Mês: -0,70% Ano: 0,30% 12 meses: 0,50% No mês abril, os valores médios

Leia mais

PESQUISA CRECI DEZEMBRO/2007

PESQUISA CRECI DEZEMBRO/2007 PESQUISA CRECI DEZEMBRO/2007 Venda de imóveis usados caiu 3,98% na Capital em 2007 As vendas de imóveis usados na cidade de São Paulo terminaram 2007 em queda de 3,98%, com o índice de vendas da Capital

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO OUTUBRO DE 2016

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO OUTUBRO DE 2016 Outubro 2016 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO OUTUBRO DE 2016 Evolução do Valor Médio de Locação Mês: 0,8% Ano: - 0,5% 12 meses: - 0,8% No mês de outubro, os valores

Leia mais

MOBILIDADE POPULACIONAL DIÁRIA NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

MOBILIDADE POPULACIONAL DIÁRIA NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO MOBILIDADE POPULACIONAL DIÁRIA NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Cláudia Antico 1 O texto tem por objetivo explorar os principais deslocamentos diários intra-municipais, realizados com destino ao local de trabalho,

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2016

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2016 Setembro 2016 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2016 Evolução do Valor Médio de Locação Mês: - 0,4% Ano: - 1,3% 12 meses: - 1,1% No mês de setembro, os valores

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO OUTUBRO 2017 Evolução do Valor Médio de Locação Mês: 0,15% Ano: 0,69% 12 meses: 0,69% OUTUBRO DE 2017 A Pesquisa de Valores de Locação

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JUNHO DE 2016

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JUNHO DE 2016 Junho 2016 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JUNHO DE 2016 Evolução do Valor Médio de Locação Mês: 0,30% Ano: 0,30% 12 meses: -1,89% No mês de junho, os valores médios

Leia mais

mapa da desigualdade 2017

mapa da desigualdade 2017 mapa da desigualdade 2017 No início de 2017, os seis maiores bilionários do País juntos possuíam riqueza equivalente à da metade mais pobre da população Fonte: Relatório anual da Oxfam Brasil - 2017: A

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO AGOSTO DE 2016

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO AGOSTO DE 2016 Agosto 2016 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO AGOSTO DE 2016 Evolução do Valor Médio de Locação Mês: 0,1% Ano: -0,9% 12 meses: -1,2% No mês de agosto, os valores médios

Leia mais

Preço médio de imóveis residenciais em São Paulo Janeiro 2016

Preço médio de imóveis residenciais em São Paulo Janeiro 2016 Preço médio de imóveis residenciais em São Paulo Janeiro 06 Ipiranga Museum, Museum built in the margin of Ipiranga river in São Paulo Brazil, Inaugurated in 890 Crédito foto: Danilo P, 6 de setembro de

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2016

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2016 NOVEMBRO 2016 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2016 Evolução do Valor Médio de Locação Mês: 0,2% Ano: - 0,3% 12 meses: - 0,5% No mês de novembro, os valores

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2017

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2017 JANEIRO 2017 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2017 Evolução do Valor Médio de Locação Mês: 0,9% Ano: 0,9% 12 meses: 0,7% No mês janeiro, os valores médios

Leia mais

ZARA S EXPRESS TABELA DE PONTOS - SERVIÇOS AVULSOS MOTO FRETE FONE: 11 2606-9330 / NEXTEL: 11 94759-1121 /94707-8867 RÁDIO: 35*22*75829 / 35*1*28443

ZARA S EXPRESS TABELA DE PONTOS - SERVIÇOS AVULSOS MOTO FRETE FONE: 11 2606-9330 / NEXTEL: 11 94759-1121 /94707-8867 RÁDIO: 35*22*75829 / 35*1*28443 ZARA S EXPRESS TABELA DE PONTOS - SERVIÇOS AVULSOS MOTO FRETE FONE: 11 2606-9330 / NEXTEL: 11 94759-1121 /94707-8867 RÁDIO: 35*22*75829 / 35*1*28443 LOCALIDADES/REGIÃO SERVIÇO MÍNIMO LOCALIDADE CENTRO

Leia mais

ibope nov/14 - jan/15

ibope nov/14 - jan/15 ibope nov/14 - jan/15 líder* nas zonas nobres de são paulo ZONA SUL 1 + Zona oeste JOVEM PAN FM 30.712 ALPHA FM 25.236 NOVA BRASIL 23.978 NATIVA FM 21.730 CBN 21.598 BAND FM 19.939 Zona Sul 1: Bela Vista,

Leia mais

Talento Jovem Programa de Bolsas de Estudos

Talento Jovem Programa de Bolsas de Estudos Programa de Bolsa de Estudos Rotary e Faculdades Integradas Rio Branco em prol da Educação 1 4610 RCSP 1001 4610 RCSP-Alto da Lapa 1002 4610 RCSP-Alto de Pinheiros 1003 4610 RCSP-Armando de Arruda Pereira

Leia mais