Por que o cobre não precisa de proteção?

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Por que o cobre não precisa de proteção?"

Transcrição

1 Por que o cobre não precisa de proteção? AUUL AL A Sobre o atão A recicagem do cobre Os usos do cobre metáico Decapagem do cobre metáico Especificação de um produto Souções diuídas e concentradas O que você vai aprender Fusão Matéria é formada de partícuas As partícuas que formam a matéria são muito pequenas Substância simpes e composta O que é uma iga Seria bom já saber Estudando como se faz a recicagem do aço e do aumínio, nós percebemos que os métodos são muito parecidos. É só aquecer bastante, até o meta fundir. A temperatura de aquecimento depende do ponto de fusão do meta. Os metais podem ser recicados por simpes aquecimento, pois são substâncias muito resistentes ao caor. Os metais, mesmo aquecidos a temperaturas atíssimas, não se transformam em outras substâncias. Só mudam de estado físico. As propriedades dos metais podem ser modificadas, misturando-se pequenas quantidades de outros metais. A iga, que é o resutado dessa mistura, tem comportamento competamente diferente dos metais, que foram misturados. Aço é uma iga de ferro e carbono; o atão é uma iga de cobre e zinco; o bronze é uma iga de cobre e estanho etc. Os metais amareados e os avermehados são vendidos para a mesma fábrica. Apesar de ees terem aparência bem diferente, os dois têm cobre na sua composição e, embora sejam encontrados em pequenas quantidades nos depósitos de ferro-veho, numa fábrica de cobre e atão a maior parte do meta é fabricado por recicagem. A principa matéria-prima encontrada numa fábrica de recicagem de cobre é o fio eétrico e o cabo de teefone. O cobre é um meta muito bom para fabricar fio eétrico porque conduz muito bem a eetricidade. Aém disso é um meta fáci de ser transformado em fios. Isto he interessa

2 A U L A Exercício 1. Você conhece aguma outra propriedade do cobre que tem apicação prática? Muitos fios que vão ser recicados parecem fios novos. Mas são fios que apresentam agum defeito ou que estão fora das especificações exigidas peo ciente e, por isso, não podem ser usados. O que é estar fora da especificação? Especificação é a descrição detahada e precisa das características de um materia. Quaquer materia comerciaizado deve estar acompanhado dessa descrição. Ea deve ser feita, de preferência, com números, ou seja, com medidas. Por exempo, o cobre para fins eétricos, normamente usado em fios, pode conter, no máximo, 400 gramas de oxigênio para cada quios de cobre. Mas, isso não quer dizer que tem gás oxigênio dissovido no cobre metáico. Na reaidade são 400 gramas de oxigênio igados ao cobre formando o óxido de cobre. Quaquer matéria é formada de partícuas muito pequenas. Essas partícuas são tão pequenas que não conseguimos vê-as, mesmo usando microscópio muito poderoso. Para ver as partícuas é preciso usar um microscópio com tecnoogia especia, que só existe em aguns aboratórios muito avançados. Nos 400 gramas de oxigênio tem um número fixo de partícuas de oxigênio. Cada uma das partícuas de oxigênio se iga a duas partícuas de cobre. Portanto, o número de partícuas de cobre que se igam ao oxigênio é fixo também. Um outro exempo de especificação é o ponto de fusão do meta. No caso do cobre, com essa impureza de óxido, o ponto de fusão é mais baixo que o do meta puro. O ponto de fusão do cobre impuro é o C enquanto o do cobre puro, sem nenhuma impureza, é o C. Exercício 2 Qua é o ponto de fusão do cobre com a introdução de impureza de óxido de cobre? O abaixamento do ponto de fusão não é muito grande, mas a presença de impurezas infui em outras propriedades como, por exempo, a faciidade de dobrar. É muito mais fáci dobrar cobre puro do que cobre com impurezas. A fusão do cobre é feita de forma bem parecida com a do ferro. O meta é fundido, são feitos os fios, os tubos e as chapas. Esses materiais são coocados em um íquido para tirar a camada de óxido que se forma sobre o meta. É o processo da decapagem. É uma espécie de avagem do meta. Os produtos de cobre que estão cobertos com uma camada de óxido são merguhados em ácido sufúrico. Nesse ponto podem surgir muitas dúvidas: Por que se tira a camada de óxido? No caso do aumínio era vantajoso ter essa camada de óxido para proteger o meta. Por que no cobre, não é?

3 O aumínio metáico, sem a camada de óxido, é atacado pea água. Por isso é bom que o meta esteja coberto com uma camada de óxido resistente à água. O cobre metáico não é atacado pea água. Por isso não há necessidade dessa camada de óxido. A U L A Como o ácido tira a camada de óxido de cobre? Quando a camada de óxido de cobre entra em contato com o ácido sufúrico, ea é atacada peo ácido, resutando em água e em uma substância chamada sufato de cobre. ÓXIDO DE COBRE + ÁCIDO SULFÚRICO ÁGUA + SULFATO DE COBRE Sufato de cobre não é óxido nem ácido e nem hidróxido. É de um outro grupo de substâncias que nós chamamos de sa. Geramente a paavra sa é usada para indicar uma substância que se chama coreto de sódio. Este é o nome da substância que usamos na cozinha para temperar a comida. O coreto de sódio é retirado da água do mar. A água do mar é sagada por causa do coreto de sódio que está dissovido nea. Em Química usamos a paavra sa para todas as substâncias que se formam quando um ácido reage com um hidróxido ou com um óxido de um meta. Muitas pessoas têm a idéia de que ácidos são substâncias muito perigosas. Na reaidade ácidos são perigosos quando estão muito concentrados. Quaquer ácido pode ser concentrado ou diuído. Ácido concentrado é aquee que tem pouca água. Por exempo: ácido sufúrico concentrado só tem 2% de água; 98% é ácido puro. Souções concentradas de ácido são muito perigosas. As souções que têm muita água são chamadas de souções diuídas; têm pouco souto misturado no sovente. Os ácidos diuídos não são tão perigosos. Por exempo: o vinagre, que usamos todos os dias, é um ácido diuído. O ácido que tem no vinagre chama-se ácido acético. Outro ácido com o qua todos nós temos contato é o que existe no imão, chamado ácido cítrico. Exercício 3 Pense nos dois exempos de ácido que foram citados, ácido acético e ácido cítrico, e identifique uma propriedade comum às duas substâncias.

4 A U L A vinagre imão diferentes tipos de ácidos que consumimos como aimentos Existem muitos tipos de ácidos: ácidos que nós comemos, que são remédios, que matam só de cheirar, que queimam, ácidos que corroem etc. Todos ees são azedos. O cobre é um meta muito usado como materia de construção. Exercício 4 Por que usamos o cobre para encanamentos de água quente? O cobre é muito usado também em encanamentos de refrigeração. Por exempo, nas serpentinas de chope. O chope passa dentro do tubo de cobre que está merguhado num banho de geo. Exercício 5 Por que o cobre é usado em serpentinas de chope? É porque o cobre conduz bem o caor ou é porque o cobre não deixa passar o caor? Todos os metais têm agumas propriedades que são muito parecidas. Por exempo, todos deixam passar corrente eétrica, todos deixam passar o caor, quaquer meta é fáci de ser transformado em fios, são todos fáceis de serem transformados em chapas, não se transformam em outras substâncias com o aquecimento. Se todos os metais têm as mesmas propriedades, por que se usa um meta para cada apicação? Apesar de as propriedades dos metais serem parecidas, ees não são iguais. Assim, um meta deixa passar mais o caor que o outro, ou deixa passar mais a corrente eétrica que o outro etc. Para faciitar o estudo do comportamento e das propriedades das substâncias, nós juntamos as substâncias em grupos.

5 Existem mihões de maneiras de agrupar as substâncias. Por exempo, podemos agrupar substâncias em: - substâncias cooridas e substâncias brancas; - substâncias que se dissovem na água e substâncias que não se dissovem na água; - substâncias duras e substâncias moes etc. A cassificação de substâncias em cooridas e brancas é muito difíci, porque existem muitas substâncias que têm cores tão páidas que fica difíci de saber se são brancas ou cooridas. Acontece a mesma coisa com substâncias que se dissovem na água e substâncias que não se dissovem na água. É difíci de ocaizar uma substância nessa cassificação. Na Química, agrupamos as substâncias de várias maneiras, mas todas eas são fáceis de usar. Por exempo, substâncias simpes e compostas. É possíve saber exatamente se uma substância é simpes ou composta. As substâncias simpes podem ser cassificadas em metais e não-metais. As substâncias compostas podem ser ácidos, hidróxidos, óxidos e sais. Cassificando as substâncias, é possíve ter uma idéia do comportamento deas, sem necessidade de fazer testes. É preciso embrar que as propriedades são parecidas, mas não iguais. Cada substância tem um conjunto de propriedades muito bem definidas. A U L A Você precisa saber Cobre é um meta que conduz muito bem a eetricidade. Também é muito dúcti, isto é, pode ser facimente transformado em fios. Latão é uma iga de cobre e zinco. Bronze é uma iga de cobre e estanho. Especificação é a descrição detahada e precisa das características de um materia. As substâncias compostas são cassificadas em quatro grupos: - ácidos - hidróxidos - óxidos - sais Ácidos são substâncias de sabor azedo. Hidróxidos são substâncias que se formam quando metais são atacados por água. Óxidos são substâncias que se formam quando metais ou não-metais se igam ao oxigênio. Sais são substâncias que se formam quando um ácido ataca um hidróxido ou um óxido de meta.

6 AVamos U L A pensar mais Quando o cobre é trabahado a quente, ee se recobre com uma camada preta de óxido de cobre. Esse óxido é diferente daquee mencionado na seção Isto he interessa. Lá faou-se de um óxido que se forma com o oxigênio, que existe como impureza no cobre. Nesse óxido, uma partícua de oxigênio igase a duas partícuas de cobre. Ee fica dentro da peça de cobre. No óxido preto que se forma na superfície do cobre uma partícua de oxigênio iga-se a apenas uma partícua de cobre. O cobre é, portanto, mais um eemento que forma dois óxidos. Você já viu que um outro meta, o ferro, também forma dois óxidos. O mesmo acontece com o carbono, um não-meta. A camada de óxido que se forma na superfície do cobre é prejudicia no tratamento que a peça de cobre vai receber. Por exempo, um tubo de cobre é iniciamente fabricado com um diâmetro grande e uma espessura de parede também grande. Depois ee passa por uma máquina em que são reduzidos o diâmetro e a espessura. Isso é possíve devido às propriedades do cobre: ee é maeáve e dúcti. O óxido de cobre, que não é maeáve nem dúcti, compromete esse processo de redução das dimensões da peça. Por isso ee precisa ser tirado. O óxido de cobre é tirado num processo chamado decapagem. Nesse processo a peça de cobre é merguhada numa soução diuída de ácido sufúrico. Em seguida passa por dois banhos de água para tirar o ácido sufúrico e o sufato de cobre que se formou quando o ácido atacou o óxido. A decapagem com ácido sufúrico é possíve porque o ácido ataca o óxido, mas não ataca o cobre. O cobre é um dos metais que não são atacados por ácido sufúrico. Outro meta, que também não é atacado, é o ouro. Metais como ferro, zinco e aumínio são facimente atacados peo ácido sufúrico. Por isso não dá para tirar a camada de óxido desses metais com ácido sufúrico. Esse é o caso, por exempo, da ferrugem. Isso não significa que o cobre não seja atacado por nenhum ácido. O ácido nítrico o ataca. Transforma o cobre num sa chamado nitrato de cobre. No comércio as especificações de um produto são muito importantes. Ninguém compra nada fora das especificações. Quando compramos pregos, especificamos o tamanho. Se compramos fio eétrico, damos um número, que especifica a grossura do fio. Quando uma indústria compra materia de um fornecedor também especifica esse materia. Hoje em dia, a capacidade de uma empresa de fornecer um produto exatamente dentro das especificações do ciente é fundamenta para ea não fair. Fornecer produtos de acordo com as especificações do ciente significa quaidade. Dentro de uma empresa todos, desde o chefe até o faxineiro, podem e devem contribuir para produzir com quaidade. Para isso é preciso reaizar o trabaho com competência e responsabiidade.

7 O que é atão Como se recica o cobre Para que serve o cobre metáico Agora A U Leu A sei O que é decapagem do cobre O que é especificação de um produto O que são souções diuídas O que são souções concentradas O que é sa O que é ácido Como as substâncias são cassificadas Exercício 6 Cassifique como verdadeira (V) ou fasa (F) cada uma das afirmações a seguir: a) ( ) Latão e cobre são igas. b) ( ) Na recicagem, o meta precisa primeiro ser aquecido até fundir. c) ( ) As partícuas de oxigênio são iguais às de cobre. d) ( ) É importante ter uma camada de óxido na superfície do cobre metáico. e) ( ) Soução concentrada tem mais sovente do que uma soução diuída. Vamos exercitar Exercício 7 Qua é a principa matéria-prima encontrada numa fábrica de recicagem de cobre? Por quê? Exercício 8 Cite três usos do cobre metáico. Exercício 9 O quadro a seguir dá composições típicas para atão e bronze: LIGA atão bronze COMPOSIÇÃO 70% de cobre, 30% de zinco 90% de cobre, 10% de estanho a) Qua das duas igas tem mais cobre? Expique. b) No que diferem o atão e o bronze?

8 A U L A Exercício 10 Compete o quadro abaixo com as paavras: substância simpes, substância composta ou mistura. Coreto de sódio... Aumínio... Siício... Cobre... Ácido acético... Hidróxido de zinco... Latão... Sufato de cobre... Fósforo... Bronze... Óxido de cobre... Ácido sufúrico... Exercício 11 O que é especificação de um produto? Exercício 12 Dê um modo de especificar o cobre recicado. Exercício 13 O que é decapagem do cobre? Exercício 14 Por que tiramos a camada de óxido da superfície do cobre e não a do aumínio? Exercício 15 Qua é o nome do ácido usado para retirar a camada de óxido da superfície do cobre? Exercício 16 Uma soução de sa em água foi preparada dissovendo-se uma coher de sa em um copo de água e, outra, dissovendo-se duas coheres de sa em um copo de água. a) Qua das duas souções é mais concentrada? Por que? b) Como você faria para diuir quaquer uma das duas souções?

Por que o alumínio compete com o aço?

Por que o alumínio compete com o aço? Por que o aumínio compete com o aço? AUUL AL A Sobre carbono Extração do aumínio da bauxita Recicagem do aumínio As propriedades do aumínio Por que o aumínio não enferruja O que você vai aprender O que

Leia mais

O que acontece quando uma substância se transforma?

O que acontece quando uma substância se transforma? O que acontece quando uma substância se transforma? A UU L AL A O que acontece numa reação química O que são reagentes e produtos O que significa reagir pásticos fibras sintéticas (cordas, tecidos etc.)

Leia mais

Como se obtém aço a partir da sucata?

Como se obtém aço a partir da sucata? Como se obtém aço a partir da sucata? AUUL AL A minério na terra escavação minério misturado concentração minério concentrado Que existem muitos tipos de aço Aço inoxidáve Tamanho e massa das partícuas

Leia mais

Terra: o mundo de nitrogênio

Terra: o mundo de nitrogênio Terra: o mundo de nitrogênio O que você vai aprender O mundo de nitrogênio A forma mais estáve do nitrogênio na Terra Substâncias orgânicas e inorgânicas. Experiências que comprovam a presença de carbono

Leia mais

Qual é a diferença entre oxigênio e nitrogênio?

Qual é a diferença entre oxigênio e nitrogênio? A UA UL LA Qua é a diferença entre oxigênio e nitrogênio? O que você vai aprender Propriedades da matéria Propriedades do nitrogênio e do oxigênio Pouentes do ar Faciidade do oxigênio para se igar a metais

Leia mais

20 Para onde vão as sucatas de ferro?

20 Para onde vão as sucatas de ferro? A UA UL LA Para onde vão as sucatas de ferro? O que você vai aprender Ferro gusa e ferro fundido O aço O minério de ferro A extração do ferro do minério A importância de recicar metais Fusão Seria bom

Leia mais

Do que se compõe o ar?

Do que se compõe o ar? Não é um aimento, mas não podemos viver sem ee. É invisíve, apesar de ser a mais comum de todas as substâncias. stá sempre conosco, mas só o percebemos quando ee se move, quando tem cheiro ou quando está

Leia mais

O que é água pura? Temperatura de ebulição Método de purificação de um líquido Conservação da matéria Substância pura

O que é água pura? Temperatura de ebulição Método de purificação de um líquido Conservação da matéria Substância pura A UUL AL A O que é água pura? Destiação Condensação Vaporização Ebuição Temperatura de ebuição Método de purificação de um íquido Conservação da matéria Substância pura O que você vai aprender Evaporação

Leia mais

Precipitar, o que é isso?

Precipitar, o que é isso? Acesse: http://fuvestibuar.com.br/ A UU L AL A Precipitar, o que é isso? Formação de precipitados Concentrar e diuir souções O que você vai aprender O que significa soúve e insoúve O que são hidróxidos

Leia mais

Como detergente tira gordura?

Como detergente tira gordura? A UU L AL A Como detergente tira gordura? O que é detergente Como o detergente age O que é espuma Como detergentes e sabões funcionam Qua é a diferença entre sabão e detergente O que você vai aprender

Leia mais

14 Como prevenir incêndios?

14 Como prevenir incêndios? A UA UL LA Como prevenir incêndios? O que você vai aprender Como o fogo é aimentado O que é combustíve Os combustíveis mais importantes Triânguo do fogo Fontes de caor Seria bom já saber Composição do

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA EXPERIMENTAL

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA EXPERIMENTAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA EXPERIMENTAL ESTRUTURA DA MATÉRIA O termo matéria refere-se a todos os

Leia mais

As combinações. combinatória que envolviam o princípio multiplicativo e as permutações.

As combinações. combinatória que envolviam o princípio multiplicativo e as permutações. Acesse: http://fuvestibuar.com.br/ AUUL AL A As combinações Até agora você estudou probemas de anáise combinatória que envoviam o princípio mutipicativo e as permutações. Introdução Se observar os probemas

Leia mais

Pb 2e Pb E 0,13 v. Ag 2e Ag E +0,80 v. Zn 2e Zn E 0,76 v. Al 3e Al E 1,06 v. Mg 2e Mg E 2,4 v. Cu 2e Cu E +0,34 v

Pb 2e Pb E 0,13 v. Ag 2e Ag E +0,80 v. Zn 2e Zn E 0,76 v. Al 3e Al E 1,06 v. Mg 2e Mg E 2,4 v. Cu 2e Cu E +0,34 v QUÍMICA 1ª QUESTÃO Umas das reações possíveis para obtenção do anidrido sulfúrico é a oxidação do anidrido sulfuroso por um agente oxidante forte em meio aquoso ácido, como segue a reação. Anidrido sulfuroso

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 3º BIMESTRE 9º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ

CIÊNCIAS PROVA 3º BIMESTRE 9º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 3º BIMESTRE 9º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ 2010 01. A tabela

Leia mais

Abreviaturas:(s) = sólido; ( l) = líquido; (g) = gás;(aq) = aquoso; (conc) = concentrado; [A] = concentração de A em mol/l.

Abreviaturas:(s) = sólido; ( l) = líquido; (g) = gás;(aq) = aquoso; (conc) = concentrado; [A] = concentração de A em mol/l. Química Abreviaturas:(s) = sóido; ( ) = íquido; (g) = gás;(aq) = aquoso; (conc) = concentrado; [A] = concentração de A em mo/l. 7. Sabendo-se que - a amônia (NH ) é constituída por moécuas poares e apresenta

Leia mais

Um dos conceitos mais utilizados em Matemática

Um dos conceitos mais utilizados em Matemática A UA UL LA A noção de função Introdução Um dos conceitos mais utiizados em Matemática é o de função. Ee se apica não somente a esta área, mas também à Física, à Química e à Bioogia, entre outras. Aém disso,

Leia mais

PRODUTOS SIDERÚRGICOS MCC1001 AULA 11

PRODUTOS SIDERÚRGICOS MCC1001 AULA 11 PRODUTOS SIDERÚRGICOS MCC1001 AULA 11 Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dr. a Carmeane Effting 1 o semestre 2014 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil 1. PRODUTOS

Leia mais

(baseado em 17 avaliações)

(baseado em 17 avaliações) Experimento cadastrado por Leandro Fantini em 30/11/2008 Classificação Total de exibições: 18733 (até 24/06/2014) (baseado em 17 avaliações) Palavras-chave: química, moeda, cobe, zinco em pó, latão, NaOH,

Leia mais

Introdução. Uma mistura éconstituída por duas ou mais substâncias puras, sejam simples ou compostas MISTURA

Introdução. Uma mistura éconstituída por duas ou mais substâncias puras, sejam simples ou compostas MISTURA SOLUÇÕES Introdução MISTURA MISTURA HETEROGÊNEA Uma mistura éconstituída por duas ou mais substâncias puras, sejam simples ou compostas A mistura seráheterogênea quando apresentar duas ou mais fases perceptíveis.

Leia mais

A linguagem matemática

A linguagem matemática A UUL AL A A inguagem matemática Observe o texto abaixo. Ee foi extraído de um ivro de geometria chinês. Veja se, mesmo sem saber chinês, você consegue entender o tema do texto, ou seja, sobre o que o

Leia mais

Adelaide Maria Vieira Viveiros - Doutora em Química; Professora de Química Inorgânica da Universidade Federal da Bahia.

Adelaide Maria Vieira Viveiros - Doutora em Química; Professora de Química Inorgânica da Universidade Federal da Bahia. Apresentação Se você comprou este Voume 2 de Química do Teecurso 2000, deve ter passado peo Voume 1 sem perder o entusiasmo. Isso é muito bom! Acreditamos que, depois de tudo o que aprendeu na primeira

Leia mais

P R O V A D E Q UÍMICA I. O quadro abaixo relaciona algumas substâncias químicas e aplicações muito comuns no nosso cotidiano.

P R O V A D E Q UÍMICA I. O quadro abaixo relaciona algumas substâncias químicas e aplicações muito comuns no nosso cotidiano. 1 P R O V A D E Q UÍMIA I QUESTÃO 46 O quadro abaixo relaciona algumas substâncias químicas e aplicações muito comuns no nosso cotidiano. SUBSTÂNIAS idróxido de amônio Ácido fosfórico Sulfato de alumínio

Leia mais

1.º Teste de Física e Química A 10.º A Out minutos /

1.º Teste de Física e Química A 10.º A Out minutos / .º Teste de Física e Química A 0.º A Out. 202 90 minutos / Nome: n.º Classificação Professor E.E. As seis questões deste grupo são todas de escolha múltipla. Para cada uma delas são indicadas cinco hipóteses

Leia mais

Sistemas Estruturais. Prof. Rodrigo mero

Sistemas Estruturais. Prof. Rodrigo mero Sistemas Estruturais Prof. Rodrigo mero Aula 4 O Material aço Índice Características de Aço da Construção Civil Propriedades Modificadas Ligas Metálicas Ligas Ferrosas Ligas Não-Ferrosas Teor de Carbono

Leia mais

9º Ano/Turma: Data / / ) Observe os sistemas onde as esferas representam átomos. Sobre esses sistemas, a afirmação incorreta é:

9º Ano/Turma: Data / / ) Observe os sistemas onde as esferas representam átomos. Sobre esses sistemas, a afirmação incorreta é: Estudante: Educadora: Daiana Araújo 9º Ano/Turma: Data / /2015 C.Curricular: Ciências/ Química 1) Observe os sistemas onde as esferas representam átomos. Sobre esses sistemas, a afirmação incorreta é:

Leia mais

Ficha Informativa n.º 2 Tipos de Reações Químicas

Ficha Informativa n.º 2 Tipos de Reações Químicas FÍSICO-QUÍMICA 8º ANO DE ESCOLARIDADE Ficha Informativa n.º 2 Tipos de Reações Químicas Nome: Data: / /20 INTRODUÇÃO TEÓRICA Reações Químicas Nas reações químicas, uma ou várias substâncias iniciais (reagentes)

Leia mais

Estequiometria. Priscila Milani

Estequiometria. Priscila Milani Estequiometria Priscila Milani Cálculo de massa para amostras impuras: Reagentes impuros, principalmente em reações industriais, ou porque eles são mais baratos ou porque eles já são encontrados na Natureza

Leia mais

LISTA 02 - TEORIA ATÔMICA MOLECULAR

LISTA 02 - TEORIA ATÔMICA MOLECULAR LISTA 02 - TEORIA ATÔMICA MOLECULAR 1º ano QUÍMICA PROF. PEDRO 2º Bimestre Questão 01) A massa de uma molécula de ácido acético, CH 3 COOH, é: a) 1,0. 10-21 g b) 1,0. 10-22 g c) 1,0. 10-23 g d) 1,0. 10-24

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS Mod:18.08 EDITAL. Revisão: 01 mai/10 CENTRAL DE LICITAÇÕES E CONTRATOS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE. DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS Mod:18.08 EDITAL. Revisão: 01 mai/10 CENTRAL DE LICITAÇÕES E CONTRATOS CENTRAL DE LICITAÇÕES E CONTRATOS ANEXO II (Páginas 31 a 41) Página 31 de 50 ANEXO II MODELO DE PROPOSTA Empresa: CNPJ: Endereço: Cidade/UF: CEP: Fone/Fax E-mail: Item Código Material Material Unid. Consumo

Leia mais

Módulo inicial Materiais: Diversidade e Constituição. Química 10.º ano Ano lectivo 2007/2008

Módulo inicial Materiais: Diversidade e Constituição. Química 10.º ano Ano lectivo 2007/2008 Química 10.º ano Ano lectivo 2007/2008 Escola Secundária José Saramago Marta Paulino e Ângela Patrício O que é um Material? É algo que tem massa e ocupa espaço. Classificação Materiais: Componentes Origem

Leia mais

GRSS. MIG Brazing BRITE EURAM III. MIG Brazing

GRSS. MIG Brazing BRITE EURAM III. MIG Brazing MIG BRAZING O processo MIG BRAZING é um processo de SOLDABRASAGEM porque ocorre a fusão parcial do metal de base e a capilaridade é mínima. Soldagem Fusão do MA e MB; Soldabrasagem Fusão do MA e parcial

Leia mais

EXPERIÊNCIA 4 REAÇÕES E EQUAÇÕES QUÍMICAS

EXPERIÊNCIA 4 REAÇÕES E EQUAÇÕES QUÍMICAS CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - CCT Departamento de Ciências Básicas e Sociais - DCBS Disciplina Química Experimental QEX Prof. Sivaldo Leite Correia EXPERIÊNCIA 4 REAÇÕES E EQUAÇÕES QUÍMICAS 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 2º EM Química B Natália Av. Dissertativa 08/06/16 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2. Esta

Leia mais

painel sandwich poliuretano cobertura

painel sandwich poliuretano cobertura paine sandwich poiuretano cobertura IRCOB 3- O paine IRCOB está indicado para coberturas incinadas com uma pendente mínima de 6%. Produzido em dois tipos de acabamentos na face interior nervurado e ponta

Leia mais

Plano da Intervenção

Plano da Intervenção Ácidos e Bases Mayra Carvalho Plano da Intervenção CONTEXTUALIZAÇÃO Na química inorgânica foram descobertos milhares de compostos que se combinam entre si por suas propriedades. Essa junção foi denominada

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS DA NATUREZA

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS DA NATUREZA SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS DA NATUREZA Título do Podcast Área Segmento Duração Moedas, do que são feitas? Ciências da Natureza Química Ensino Médio 5min 44seg Habilidades: H3: Identificar

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA II

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA II INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA II ESTRUTURA DA MATÉRIA O termo matéria refere-se a todos os materiais

Leia mais

O b) SO 2. CaSO 3 + CO 2

O b) SO 2. CaSO 3 + CO 2 31 c QUÍMICA petróleo pode conter alto teor de enxofre, que deve ser removido nas refinarias de petróleo. Mesmo assim, na queima de combustíveis fósseis, forma-se dióxido de enxofre. Esse óxido liberado

Leia mais

QUÍMICA. Processo Seletivo/UNIFAL - julho ª Prova Comum TIPO 1 QUESTÃO 41 QUESTÃO 42

QUÍMICA. Processo Seletivo/UNIFAL - julho ª Prova Comum TIPO 1 QUESTÃO 41 QUESTÃO 42 QUÍMICA QUESTÃO 41 A substância, representada pela fórmula estrutural abaixo, é bastante utilizada como analgésico (aspirina). Com base nessas informações, marque a alternativa correta. A) Uma massa de

Leia mais

Mistura: material formado por duas ou mais substâncias, sendo cada uma destas denominada componente.

Mistura: material formado por duas ou mais substâncias, sendo cada uma destas denominada componente. SOLUÇÕES Mistura: material formado por duas ou mais substâncias, sendo cada uma destas denominada componente. Fase: numa mistura, é cada uma das porções que apresenta aspecto homogéneo ou uniforme. CLASSIFICAÇÃO

Leia mais

Processos de Soldagem. Valter V de Oliveira

Processos de Soldagem. Valter V de Oliveira Processos de Soldagem Valter V de Oliveira Introdução Processos de junção são empregados para unir dois ou mais componentes, de forma que estes passem a apresentar um movimento de corpo rígido. O termo

Leia mais

Estudo das reações. Pércio Augusto Mardini Farias. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons.

Estudo das reações. Pércio Augusto Mardini Farias. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. Pércio Augusto Mardini Farias Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/br/legalcode

Leia mais

t RESOLUÇÃO COMECE DO BÁSICO

t RESOLUÇÃO COMECE DO BÁSICO t RESOLUÇÃO COMECE DO BÁSICO - o processo I sugere a evaporação (transformação física) dos componentes do medicamento. - a decomposição das substâncias (transformação química) que constituem o princípio

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS REAÇÕES QUÍMICAS

CLASSIFICAÇÃO DAS REAÇÕES QUÍMICAS CLASSIFICAÇÃO DAS REAÇÕES QUÍMICAS Devido à quantidade e variedade de reações químicas, é necessário fazer sua classificação sobre diferentes aspectos. As reações químicas podem ser classificadas segundo

Leia mais

substância. químico (Q). c) Atração de uma agulha por um ímã. ( ) 2. Escrever uma equação química para a reação

substância. químico (Q). c) Atração de uma agulha por um ímã. ( ) 2. Escrever uma equação química para a reação MOGI MIRIM Trabalho de Recuperação Final de Química Profº: Wardê Nome: 1ª Série EM Valor: 1º Trimestre 2011 Pré-vestibular Ensino Médio Ensino Fundamental Educação Infantil Nº: 1 1. Dado o sistema esquematizado

Leia mais

Produção de um metal

Produção de um metal Produção de um metal Estudo da produção de um filme de cobre através de eletrodeposição Trabalho realizado por: Filipe Paulino Francisco Alçada João Silva Rui Resende Tiago Gonçalves Tiago Pinto Projecto

Leia mais

ALTO FORNO E ACIARIA. Curso: Engenharia Mecânica Disciplina: Tecnologia Metalúrgica Período: Prof. Ms. Thayza Pacheco dos Santos Barros

ALTO FORNO E ACIARIA. Curso: Engenharia Mecânica Disciplina: Tecnologia Metalúrgica Período: Prof. Ms. Thayza Pacheco dos Santos Barros ALTO FORNO E ACIARIA Curso: Engenharia Mecânica Disciplina: Tecnologia Metalúrgica Período: 2017.1 Prof. Ms. Thayza Pacheco dos Santos Barros 1 Alto forno Serve para produzir o ferro gusa, que é uma forma

Leia mais

O triângulo é uma figura geométrica muito. Você já sabe que o triângulo é uma figura geométrica de:

O triângulo é uma figura geométrica muito. Você já sabe que o triângulo é uma figura geométrica de: U UL L cesse: http://fuvestibuar.com.br/ Triânguos Para pensar O triânguo é uma figura geométrica muito utiizada em construções. Você já deve ter notado que existem vários tipos de triânguo. Observe na

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS 8º Teste sumativo de FQA 20. maio Versão 1 11º Ano Turma A Professor: Maria do Anjo Albuquerque

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS 8º Teste sumativo de FQA 20. maio Versão 1 11º Ano Turma A Professor: Maria do Anjo Albuquerque ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS 8º Teste sumativo de FQA 20. maio. 2015 Versão 1 11º Ano Turma A Professor: Maria do Anjo Albuquerque Duração da prova: 90 minutos. Este teste é constituído por 9 páginas

Leia mais

Você acompanhou a caminhada do personagem. O cliente olha bem para Guedim e pensa consigo: do candidato no uso do microcomputador.

Você acompanhou a caminhada do personagem. O cliente olha bem para Guedim e pensa consigo: do candidato no uso do microcomputador. A U A UL LA M Ó D U L O 28 E agora? Cenatexto Você acompanhou a caminhada do personagem Guedim, o engraxate. Ee fez um curso de microinformática, mas continua engraxando os sapatos dos usuários do aeroporto

Leia mais

PRINCIPIAS REATIVOS PARA MACRO - REVELAÇÃO

PRINCIPIAS REATIVOS PARA MACRO - REVELAÇÃO PRINCIPIAS REATIVOS PARA MACRO - REVELAÇ AÇOS AO CARBONO E AÇOS DE BAIXA E DE ALTA LIGA REATIVO COMPOSIÇ IDENTIFICAÇ TEMPO DE ATAQUE Nítrico Persulfato de Amônia Stead Fry Clorídrico 25 ml de Nítrico 10

Leia mais

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 29 ESTEQUIOMETRIA: EXCESSO E LIMITANTE

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 29 ESTEQUIOMETRIA: EXCESSO E LIMITANTE QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 29 ESTEQUIOMETRIA: EXCESSO E LIMITANTE Como pode cair no enem (UFF) O cloreto de alumínio é um reagente muito utilizado em processos industriais que pode ser obtido por meio da

Leia mais

BIMESTRAL QUÍMICA - 1ºBIMESTRE

BIMESTRAL QUÍMICA - 1ºBIMESTRE BIMESTRAL QUÍMICA - 1ºBIMESTRE Série: 3ªEM Gabarito Questão 01) O vapor obtido pela ebulição das seguintes soluções: I. água e sal II. água e açúcar III. água e álcool é constituído de água pura apenas:

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA 2 o TRIMESTRE DE 2015

PROVA DE QUÍMICA 2 o TRIMESTRE DE 2015 PROVA DE QUÍMICA 2 o TRIMESTRE DE 2015 PROF. MARCOS F. NOME N o 2 a SÉRIE A compreensão do enunciado faz parte da questão. Não faça perguntas ao examinador. A prova deve ser feita com caneta azul ou preta.

Leia mais

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 37 Comparando os calores específicos da água e da areia

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 37 Comparando os calores específicos da água e da areia AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 37 Comparando os calores específicos da água e da areia 9º NO DO ENSINO FUNDAMENTAL - 1º ANO DO ENSINO MÉDIO INTRODUÇÃO Uma das propriedades mais importantes

Leia mais

QUÍMICA CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS

QUÍMICA CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS QUÍMICA CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS CÁLCULOS ESTEQUIOMÉTRICOS Os cálculos estequiométricos correspondem aos cálculos de massa, de quantidade de matéria e em alguns casos, de volumes das substâncias envolvidas

Leia mais

PROBLEMAS PROPOSTOS PARA AS AULAS PRÁTICAS Retirados do livro: Princípios de Ciência e Engenharia dos Materiais, W.F. Smith, McGraw Hill.

PROBLEMAS PROPOSTOS PARA AS AULAS PRÁTICAS Retirados do livro: Princípios de Ciência e Engenharia dos Materiais, W.F. Smith, McGraw Hill. PROBLEMAS PROPOSTOS PARA AS AULAS PRÁTICAS Retirados do livro: Princípios de Ciência e Engenharia dos Materiais, W.F. Smith, McGraw Hill. 7ª Aula Considere uma liga com 70% pond. Ni e 30% pond. Cu (ver

Leia mais

Química Geral Experimental - Aula 6

Química Geral Experimental - Aula 6 Química Geral Experimental - Aula 6 Título da Prática: Determinação da massa molar do Magnésio. Objetivos: Determinação de sua massa molar do Magnésio a partir da reação com ácido. Acompanhar a cinética

Leia mais

Professora Sikandra Silveira

Professora Sikandra Silveira De que materiais são feitos os objetos da imagem? De onde são retirados? MINERAIS E MINÉRIOS Professora Sikandra Silveira MINERAIS E MINÉRIOS Hematita (minério de ferro): Ferro + Oxigênio Galena (minério

Leia mais

Arame de aço de baixo teor de carbono, zincado, para gabiões

Arame de aço de baixo teor de carbono, zincado, para gabiões REPRODUÇÃO LIVRE NBR 8964 JUL 1985 Arame de aço de baixo teor de carbono, zincado, para gabiões Origem: Projeto 01:022.05-004/1985 CB-01 - Comitê Brasileiro de Mineração e Metalurgia CE-01:022.05 - Comissão

Leia mais

Química Analítica I Tratamento dos dados analíticos Soluções analíticas

Química Analítica I Tratamento dos dados analíticos Soluções analíticas Química Analítica I Tratamento dos dados analíticos Soluções analíticas Profª Simone Noremberg Kunz 2 Mol Medidas em química analítica É a quantidade de uma espécie química que contém 6,02x10 23 partículas

Leia mais

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 25 ESTEQUIOMETRIA: TIPOS DE FÓRMULA

QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 25 ESTEQUIOMETRIA: TIPOS DE FÓRMULA QUÍMICA - 1 o ANO MÓDULO 25 ESTEQUIOMETRIA: TIPOS DE FÓRMULA Fixação 1) (PUC) A água oxigenada é uma solução de peróxido de hidrogênio (H 2 O 2 ) fortemente antis éptica por liberar O 2. Os percentuais,

Leia mais

Distinção entre transformaçoes físicas e químicas (Pp. 68 a7 1)

Distinção entre transformaçoes físicas e químicas (Pp. 68 a7 1) Distinção entre transformaçoes físicas e químicas (Pp. 68 a7 1) Transformação física Transformação química Ensaios químicos que permitem detetar a presença de algumas substâncias Atenção às Páginas do

Leia mais

MOLDAGEM DE CASCA SHELL MOLDING. Prof. César Augusto Agurto Lescano, PhD.

MOLDAGEM DE CASCA SHELL MOLDING. Prof. César Augusto Agurto Lescano, PhD. MOLDAGEM DE CASCA SHELL MOLDING Prof. César Augusto Agurto Lescano, PhD. VANTAGENS E DESVANTAGENS DA MOLDAGEM EM AREIA Vantagens 1. A moldagem por areia verde é o mais barato dentre todos os métodos de

Leia mais

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 REAÇÕES E FUNÇÕES QUÍMICAS

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 REAÇÕES E FUNÇÕES QUÍMICAS Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! Use canetas coloridas ou escreva palavras destacadas, para facilitar na hora de estudar. E capriche! Não se esqueça

Leia mais

Ficha de avaliação diagnóstica aos conhecimentos do 1º período. Jcr

Ficha de avaliação diagnóstica aos conhecimentos do 1º período. Jcr Ficha de avaliação diagnóstica aos conhecimentos do 1º período Jcr 2011-12 QUESTÃO 1 Faz a associação correcta entre as duas colunas: 1. A. são aquelas que ocorrem sem que se formem novas substâncias 2.

Leia mais

Assinale o elemento que pode formar um cátion isoeletrônico com o Neônio (Ne) e se ligar ao oxigênio na proporção de 1:1.

Assinale o elemento que pode formar um cátion isoeletrônico com o Neônio (Ne) e se ligar ao oxigênio na proporção de 1:1. 1 PRVA DE QUÍMICA II QUESTÃ 46 Assinale o elemento que pode formar um cátion isoeletrônico com o Neônio (Ne) e se ligar ao oxigênio na proporção de 1:1. a) F b) Na c) Mg d) Al UESTÃ 47 Para se descascarem

Leia mais

Tubos de cobre, pancake e drysealed

Tubos de cobre, pancake e drysealed Tubos de cobre, pancake e drysealed Empresa classificada entre as maiores indústrias privadas brasileiras, é líder no setor de transformação de metais nãoferrosos cobre e suas ligas em produtos semielaborados

Leia mais

Disciplina: Química Professor: Rubens Barreto. III Unidade

Disciplina: Química Professor: Rubens Barreto. III Unidade Disciplina: Química Professor: Rubens Barreto III Unidade Ligações Químicas Ligações iônicas Tipos de Ligações Ligações covalentes Ligações metálicas Os gases nobres e a regra do octeto Todas as substâncias

Leia mais

As reações de oxidação e redução, também chamadas de reações redox, são fenômenos muito frequentes no nosso cotidiano. Como exemplo, temos: - Um

As reações de oxidação e redução, também chamadas de reações redox, são fenômenos muito frequentes no nosso cotidiano. Como exemplo, temos: - Um Números de Oxidação As reações de oxidação e redução, também chamadas de reações redox, são fenômenos muito frequentes no nosso cotidiano. Como exemplo, temos: - Um material sofrendo combustão (queima);

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA SEGUNDA ETAPA DO VESTIBULAR 99 DA UFMG

PROVA DE QUÍMICA SEGUNDA ETAPA DO VESTIBULAR 99 DA UFMG PROVA DE QUÍMICA SEGUNDA ETAPA DO VESTIBULAR 99 DA UFMG QUESTÃO 01 A queima do enxofre produz um dos seus óxidos, SO 2 (g) ou SO 3 (g). A identificação de qual dos dois é, realmente, produzido pode ser

Leia mais

Material 4: Estequiometria EQUAÇÕES QUÍMICAS REAGENTES PRODUTOS. Sódio + Água hidróxido de sódio + Hidrogênio

Material 4: Estequiometria EQUAÇÕES QUÍMICAS REAGENTES PRODUTOS. Sódio + Água hidróxido de sódio + Hidrogênio EQUAÇÕES QUÍMICAS REAÇÃO QUÍMICA: É o processo de uma mudança química (Átkins). Este processo é representado por meio de uma EQUAÇÃO QUÌMICA. As EQUAÇÕES QUÍMICAS são representadas por: REAGENTES PRODUTOS

Leia mais

Qui. Allan Rodrigues Xandão (Gabriel Pereira)

Qui. Allan Rodrigues Xandão (Gabriel Pereira) Semana 15 Allan Rodrigues Xandão (Gabriel Pereira) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados. 23

Leia mais

SAIS E ÓXIDOS FUNÇÕES INORGÂNICAS

SAIS E ÓXIDOS FUNÇÕES INORGÂNICAS SAIS E ÓXIDOS FUNÇÕES INORGÂNICAS SAIS Os sais são comuns em nosso cotidiano: SAIS São compostos iônicos que possuem, pelo menos um cátion diferente do H + e um ânion diferente do OH -. Exemplos: NaCl

Leia mais

AULA 1 FRENTE 1. Por causa do lançamento, na atmosfera, de grande quantidade de gás carbônico, causador do efeito estufa.

AULA 1 FRENTE 1. Por causa do lançamento, na atmosfera, de grande quantidade de gás carbônico, causador do efeito estufa. Exercícios propostos AULA 1 FRENTE 1 1 Assinale na coluna da esquerda para causa e na coluna da direita para consequência do efeito estufa: I I Queimadas nas florestas II II Degelo das calotas polares

Leia mais

CO2, CO, H2O, NO, SO2

CO2, CO, H2O, NO, SO2 Q U Í M I C A 01- A figura a seguir representa, esquematicamente, estruturas de diferentes substâncias, participando de quatro reações de síntese não balanceadas, nas condições ideais para que elas ocorram.

Leia mais

Triângulos. O triângulo é uma figura geométrica muito. Para pensar. Nossa aula

Triângulos. O triângulo é uma figura geométrica muito. Para pensar. Nossa aula U UL L 41 Triânguos Para pensar O triânguo é uma figura geométrica muito utiizada em construções. Você já deve ter notado que existem vários tipos de triânguo. Observe na armação do tehado os tipos diferentes

Leia mais

La Salle Águas Claras 9º ano. Propriedades da Matéria

La Salle Águas Claras 9º ano. Propriedades da Matéria La Salle Águas Claras 9º ano Propriedades da Matéria Matéria Matéria é tudo que tem massa e ocupa lugar no espaço. Não existe vida nem manutenção da vida sem matéria. Uma porção delimitada de matéria recebe

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS REAÇÕES OXIRREDUÇÃO, ELETROQUÍMICA E CORROSÃO.

LISTA DE EXERCÍCIOS REAÇÕES OXIRREDUÇÃO, ELETROQUÍMICA E CORROSÃO. FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIA FTC COLEGIADO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: QUÍMICA GERAL DOCENTE: SHAIALA AQUINO. LISTA DE EXERCÍCIOS REAÇÕES OXIRREDUÇÃO, ELETROQUÍMICA E CORROSÃO. Q01. Cobre e ferro

Leia mais

PROTECÇÃO DOS METAIS

PROTECÇÃO DOS METAIS PROTECÇÃO DOS METAIS FORMAÇÃO DE LIGAS Neste caso associase o metal a proteger a outro, originando uma liga altamente resistente à corrosão. Exemplo: aço inox PROTECÇÃO CATÓDICA A protecção catódica é

Leia mais

12 GAB. 1 1 o DIA PASES 1 a ETAPA TRIÊNIO QUÍMICA QUESTÕES DE 21 A 30

12 GAB. 1 1 o DIA PASES 1 a ETAPA TRIÊNIO QUÍMICA QUESTÕES DE 21 A 30 12 GAB. 1 1 o DIA PASES 1 a ETAPA TRIÊNIO 2005-2007 QUÍMICA QUESTÕES DE 21 A 30 21. A hemoglobina das células vermelhas do sangue contém o complexo de ferro com uma porfirina. Sabendo que um indivíduo

Leia mais

Ano letivo 2014/2015 8º ano Ficha formativa de Ciências Físico-Químicas 8º ano Átomos, moléculas, iões e substâncias iónicas

Ano letivo 2014/2015 8º ano Ficha formativa de Ciências Físico-Químicas 8º ano Átomos, moléculas, iões e substâncias iónicas Ano letivo 2014/2015 8º ano Ficha formativa de Ciências Físico-Químicas 8º ano Átomos, moléculas, iões e substâncias iónicas Átomos e moléculas 1. Completa as frases: O átomo é uma partícula eletricamente,

Leia mais

E (V) Ag + e Ag 0,80 Zn + 2e Zn 0,76

E (V) Ag + e Ag 0,80 Zn + 2e Zn 0,76 PROVA DE QUÍMICA - 2 o TRIMESTRE 2013 PROF. MARCOS NOME N o 2 a SÉRIE A compreensão do enunciado faz parte da questão. Não faça perguntas ao examinador. A prova deve ser feita com caneta azul ou preta.

Leia mais

PDF created with pdffactory trial version ProfªAna Carmela ProfªDulce Lins Profº Eduardo Alécio

PDF created with pdffactory trial version  ProfªAna Carmela ProfªDulce Lins Profº Eduardo Alécio COMPOSIÇÃO E CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAIS ProfªAna Carmela ProfªDulce Lins Profº Eduardo Alécio VIDRO VIDRO Vidro Alcalino (Corning 0080): Lâminas descartáveis de microscópio e frasco reagente de baixo

Leia mais

EXERCÍCIOS DE CIÊNCIAS PARA O 9 ano

EXERCÍCIOS DE CIÊNCIAS PARA O 9 ano EXERCÍCIOS DE CIÊNCIAS PARA O 9 ano 1- Um sistema formado por três cubos de gelo, solução aquosa de sal de cozinha e areia apresenta quantas fases e quantos componentes? 3 componentes (água, areia e sal)

Leia mais

ATIVIDADES RECUPERAÇÃO PARALELA

ATIVIDADES RECUPERAÇÃO PARALELA ATIVIDADES RECUPERAÇÃO PARALELA Nome: Nº Ano: 6º Data: / /2012 Bimestre: 2 Professor: Vanildo Disciplina: Química Orientações para estudo: O que estudar (Conteúdo) Transformações e energia. Fenômenos físicos

Leia mais

Exemplar Não Controlado

Exemplar Não Controlado 12 01 05 Aparas de matérias plásticas. Data: 07/12/2012 Pág. n.º 2/7 15 RESÍDUOS DE EMBALAGENS; ABSORVENTES, PANOS DE LIMPEZA, MATERIAIS FILTRANTES E VESTUÁRIO DE PROTEP ROTEÇÃO NÃO ANTERIORMENTE ESPECIFICADOS

Leia mais

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA EXERCÍCIOS EXTRAS 2º TRIMESTRE 2016

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: QUÍMICA EXERCÍCIOS EXTRAS 2º TRIMESTRE 2016 INSTITUTO GEREMARIO DANTAS Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Fone: (21) 21087900 Rio de Janeiro RJ www.igd.com.br Aluno(a): 1º Ano: C11 Nº Professor: Lúcia Nascimento COMPONENTE CURRICULAR:

Leia mais

P R O V A D E Q U Í M I C A I I

P R O V A D E Q U Í M I C A I I 20 P R V A D E Q U Í M I C A I I QUESTÃ 46 Na fabricação de pães, a glicose contida na massa se transforma em álcool etílico e gás carbônico com a ajuda da enzima zimase, de acordo com a seguinte reação,

Leia mais

Existem mais de uma centena de átomos conhecidos e a combinação entre esses, formam as milhões e milhões de substâncias.

Existem mais de uma centena de átomos conhecidos e a combinação entre esses, formam as milhões e milhões de substâncias. Símbolos e fórmulas químicas Figura 1 Representação de moléculas de água Fonte: Fundação Bradesco CONTEÚDOS Representação de elementos químicos símbolos Representação de substâncias químicas fórmulas Substâncias

Leia mais

reações químicas Oxidação-redução

reações químicas Oxidação-redução reações químicas Oxidação-redução 8º ano JCR 11 Evolução dos conceitos Reacções de oxidação redução como troca de oxigénio Durante muito tempo, os químicos consideraram reacções de oxidação, qualquer reacção

Leia mais

QUÍMICA. 16. Os elementos químicos A, B e C apresentam para seu átomo, no estado fundamental, a seguinte configuração eletrônica:

QUÍMICA. 16. Os elementos químicos A, B e C apresentam para seu átomo, no estado fundamental, a seguinte configuração eletrônica: QUÍMICA 16. Os elementos químicos A, B e C apresentam para seu átomo, no estado fundamental, a seguinte configuração eletrônica: A 1s 2 2s 2 2p 6 3s 2 3p 5 B 1s 2 2s 2 2p 6 3s 2 3p 6 4s 2 3d 5 C 1s 2 2s

Leia mais

Texto para as questões 31 e 32.

Texto para as questões 31 e 32. QUÍMICA Texto para as questões 31 e 32. Um sinal de que o bico do queimador do fogão está entupido é o aparecimento de chama amarela, quando o fogo é aceso. Nessa situação, ocorre a formação de carbono

Leia mais

(a) Calcule a percentagem de urânio na carnotita. (b) Que massa de urânio pode ser obtida a partir de 1350 g de carnotita.

(a) Calcule a percentagem de urânio na carnotita. (b) Que massa de urânio pode ser obtida a partir de 1350 g de carnotita. Cálculos com fórmulas e equações químicas 3. 3.1 A análise de uma pequena amostra de Pb 3 (PO 4 ) 2 apresentou a quantidade de 0,100 g de chumbo. Responda os itens abaixo usando estes dados e as massas

Leia mais

SOS QUÍMICA - O SITE DO PROFESSOR SAUL SANTANA.

SOS QUÍMICA - O SITE DO PROFESSOR SAUL SANTANA. SOS QUÍMICA - O SITE DO PROFESSOR SAUL SANTANA. QUESTÕES LISTA DE EXERCÍCIOS Cinética Química. 1) A tabela abaixo mostra a variação da massa de peróxido de hidrogênio que ocorre na reação de decomposição

Leia mais

Oxy-Cut Processos de Fabrico. Trabalho de pesquisa efetuado por Rodrigo Chora

Oxy-Cut Processos de Fabrico. Trabalho de pesquisa efetuado por Rodrigo Chora Oxy-Cut Processos de Fabrico Trabalho de pesquisa efetuado por Rodrigo Chora Uma breve introdução O oxicorte é uma técnica muito utilizada para o corte de objetos metálicos. Este método consiste no corte

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos/ atividades Habilidades Avaliação/ Atividade 1º Trimestre: (12 semanas)

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos/ atividades Habilidades Avaliação/ Atividade 1º Trimestre: (12 semanas) Disciplina: Química Trimestre: 1º Professor(a): Rodrigo Valério e Georgia Monique. Série: 1º Turmas: 101,102,103,104. Conteúdos/ atividades Habilidades Avaliação/ Atividade 1º Trimestre: (12 semanas) 1-

Leia mais

BC-1302 QUÍMICA DOS ELEMENTOS

BC-1302 QUÍMICA DOS ELEMENTOS PRÁTICA 5: Oxigênio e Enxofre Objetivos Preparar o gás oxigênio, por método laboratorial e estudar algumas de suas propriedades. Estudar o enxofre nas suas variações alotrópicas e algumas de suas reações.

Leia mais

FÍSICO-QUÍMICA Prof. Jackson Alves

FÍSICO-QUÍMICA Prof. Jackson Alves FÍSICO-QUÍMICA Prof. Jackson Alves TERMOQUÍMICA Parte II Entalpia e H Processos exotérmicos e endotérmicos Equações Alotropia Entalpia (H) e Variação de entalpia ( H) Entalpia: É a energia total em um

Leia mais