Possíveis Efeitos. Possíveis Causas Ausência de treinamento adequado ou falha no comando elétrico de controle. falha elétrica falha mecânica falha do

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Possíveis Efeitos. Possíveis Causas Ausência de treinamento adequado ou falha no comando elétrico de controle. falha elétrica falha mecânica falha do"

Transcrição

1 ANEXO I Estudo de Perigos e Operabilidade - HAZOP Nó n : Sistema Hidráulico da Torre Outra condição operacional Outra condição operacional Acionamento Acionamento Acionamento incorreto do operador do Iron Derrickman acionamento da iron roughneck Ausência de treinamento adequado ou falha no comando elétrico de controle falha elétrica falha mecânica falha do operador Danificação do tubo e de outros equipamentos Parada de Quebra das paredes de vidro da cabine. detecção Cat Risco Recomendações Treinamento adequado para o operador inspeção nos cabos de aço Aderência Descarrilamento do iron roughneck falha do operador falha elétrica Parada de Quebra das paredes de vidro da cabine. inspeção Outra condição operacional Queda Queda das tubulações do Iron Derrickman Falha do operador Falha mecânica Danificação do tubo e de outros equipamentos inspeção

2 Nó n : Top drive Outra condição operacional Vazão Rotação Resistência Acionamento vazão dos fluidos Diminuição da rotação da parte móvel do top drive Falha do trilho Acionamento incorreto do operador Acúmulo de resíduos presente no fluido Entupimento da passagem do fluido lubrificação Excesso de peso Ausência de treinamento adequado ou falha no comando elétrico de controle Acúmulo de cascalho no poço; Invasão de outros fluidos no poço. Diminuição da eficiência no de perfuração Parada do Processo; Lesões nos Operadores; Queda da coluna de perfuração até o fundo do poço. Parada no ; Deficiência no sistema de rotação da coluna; detecção Cat Risco II I Desprezível Recomendações Checar periodicamente a eficiência do tratamento de fluidos inspeção nos cabos de aço inspeção nos comandos elétricos da sonda treinamento para

3 Danificação do top drive. os operadores Inverso Rotação motor elétrico Falha elétrica Superaquecimen to Parada do inspeção

4 Nó n : Tubo de Bengala/Mangueira detecção Cat Risco Recomendações Vazão Diminuição da vazão dos fluidos no tubo bengala Resíduos obstruindo a passagem Vazamento Aumento do cascalho dentro do poço Invasão de outras substâncias no poço inspeção Resistência Rompimento da mangueira Desgaste devido a flexibilidade do material Vazamento de fluidos inspeção

5 Nó n : Peneiras Concentração Vazão Presença de gases tóxicos Vazão de fluidos maior do que o suportado pela peneira Medidores descalibrados Medidores mal posicionados Kick Pressão elevada da bomba Incêndio Explosão Morte Transbordamento de fluidos detecção Cat Risco Recomendações Olfativo V Crítico calibração dos medidores de acordo com a periodicidade determinada Observar e controlar a vazão dos fluidos direcionados para a peneira Vazão vazão pela tela da peneira Número mesh maior do que deveria Aumento de resíduos na tela Transbordamento de fluidos Inverso Velocidade Velocidade insuficiente de detecção dos gases Medidor descalibrado Incêndio Contaminação calibração dos medidores de acordo com a periodicidade determinada

6 Nó: Torre detecção Cat Risco Recomendações Resistência Corrosão da torre Desgaste por exposição a intemperies e pelo tempo de operabilidade (Corrosão) Desabamento da torre Parada no Manutenção e inspeção para checar o estado de conservação da torre

7 Nó: Mesa Rotativa/Kelly detecção Cat Risco Recomendações Velocidade Desregulagem na velocidade Falha mecânica monitoramento Parada no Colapso da coluna de perfuração monitoramento e inspeção da regulagem da velocidade Velocidade Desregulagem na velocidade Falha mecânica monitoramento Diminuição da velocidade de perfuração II monitoramento e inspeção da regulagem da velocidade Resistência Desgaste no Kelly Equipamento com muito tempo de uso Deficiência no sistema de rotação II e inspenção do equipamento ou troca se necessário

8 Nó: Broca detecção Cat Risco Recomendações Peso Peso sobre broca insuficiente precisão no indicador de peso sobre Broca Falha operacional ineficiência da perfuração a coluna não terá peso suficiente para perfurar II inspeção e monitoramento do peso sobre broca. Peso Peso sobre broca excessivo precisão no indicador de peso sobre Broca Falha operacional Rompimento da broca inspeção e monitoramento do peso sobre broca. Resistência Rompimento dos cones da Broca Solo resistente Paralisação do Usar Broca adequada para o tipo de perfuração Fazer um estudo do solo antes da etapa de perfuração

9 Nó: Tanque de lama detecção Cat Risco Recomendações Reverso Resistência Fissuras Rachaduras e reparos Desgaste Vazamentos Contaminação dos trabalhadores e do meio ambiente ou olfativa Manutenção e inspeção para checar o estado de conservação dos tanques e realizar os reparos sempre que necessário Nível Transbordamento Vazão elevada controlador de nível Vazamentos contaminação dos trabalhadores e do meio ambiente Manutenção e inspeção Controle na medição de nível Treinamento dos operadores em relação a checagem do tanque

10 Nó: Sistema ESCP (Equipamento de Segurança e Controle de Poço) detecção Cat Risco Recomendações Pressão Pressão Insuficiente do acumulador do BOP Falha mecânica monitoramento Falha do operador Parada no controle do Kick e Blowout sensor de calha sensor no nível monitoramento e inspeção do sistema Vedação Falha na vedação do controle do kick Falha mecânica desgaste do material ou mal dimensionamento Parada no controle do Kick e Blowout V critico monitoramento e inspeção do sistema Inverso Instalação Falha na instalação do ensaio de BOP Falha operacional controle do Kick e Blowout V critico Treinamento adequado do operador Pressão Rompimento na linha de kill Falha mecânica desgaste do material ou mal dimensionamento Parada no controle do Kick e Blowout V critico monitoramento e inspeção nas linhas

11 Pressão Rompimento na linha de choke Falha mecânica desgaste do material ou mal dimensionamento Parada no controle do Kick e Blowout V critico monitoramento e inspeção nas linhas Nenhum Chama Desligamento ou mal funcionamento do flayer Falha elétrica e falha operacional Criação de atmosfera explosiva visual realizar testes periódicos no equipamento de queima Reverso Acionamento Acionamento acidental da gaveta cega Falha do operador e falta de treinamento aos trabalhadores Perca do tubo e da gaveta colocar barreiras de proteção nas alavancas

12 Nó n : Estaleiro Detecção Cat Risco Recomendações Velocidade Queda das tubulações do estaleiro. Mal posicionamento do estaleiro; Tubulações não arrumadas corretamente; um sistema de travamento. Paralisação do Processo; Lesões. I Desprezível Posicionar o estaleiro em frente a sonda; Arrumar as tubulações de forma correta; Dispor de um sistema de travamento para evitar que as tubulações caiam do estaleiro.

13 Nó n : Gerador de Energia Outra condição operacional Menos Resistência Abastecimento s geradores. abastecimento dos motores. combustível. Aquecimento Superaquecimento Falha mecânica Paralisação do Paralisação do Paralisação do Detecção Cat Risco Recomendações serio II II nas maquinas. nas maquinas. inspeção e

14 Nó: Revestimento Detecção Cat Risco Recomendações Resistência Desmoronamento do sistema de revestimento. Mal fixação da coluna colapso do revestimento falhas de cimentação Paralisação do ; kick Lesões; Morte. V Critica Fazer a cimentação entre a coluna da parede do poço e verificar se a mesma esta toda preenchida. Fazer o revestimento com tubos de aço com o diâmetro especifico.

15 Nó: Bomba Detecção Cat Risco Recomendações Pressão funcionamento simultâneo da bomba Paralisação do II Manutenção e inspeção da bomba periodicamente.

ANEXO II. Análise Preliminar de Perigos APP

ANEXO II. Análise Preliminar de Perigos APP ANEXO II Análise Preliminar de Perigos APP Sistema: Torre Subsistema: Top Drive Data: 05/05/5 Perigo Causas Mo de Corrosão da torre Desgaste por exposição tempo de operabilidade (corrosão) -Desabamento

Leia mais

Seção Reservatório e Linhas de Combustível APLICAÇÃO NO VEÍCULO: Ranger. Índice FERRAMENTAS ESPECIAIS DESCRIÇÃO E OPERAÇÃO

Seção Reservatório e Linhas de Combustível APLICAÇÃO NO VEÍCULO: Ranger. Índice FERRAMENTAS ESPECIAIS DESCRIÇÃO E OPERAÇÃO 1 de 19 15/07/2011 14:20 Seção 310-01 Reservatório e Linhas Seção 310-01 Reservatório e Linhas de Combustível APLICAÇÃO NO VEÍCULO: Ranger Índice Assunto Página FERRAMENTAS ESPECIAIS 310-01-02 DESCRIÇÃO

Leia mais

SUMÁRIO. Prefácio Autores do Livro Capítulo 1 - Aspectos Hidráulicos e Elétricos Básicos

SUMÁRIO. Prefácio Autores do Livro Capítulo 1 - Aspectos Hidráulicos e Elétricos Básicos SUMÁRIO Prefácio Autores do Livro Capítulo 1 - Aspectos Hidráulicos e Elétricos Básicos 1.1 - Introdução 1.2 - Mecânica dos Fluidos e Hidráulica 1.3 - Viscosidade e Outras Propriedades 1.3.1 - Viscosidade

Leia mais

Observando a imagem acima, cite dentro de cada grupo abaixo os equipamentos que fazem parte do mesmo.

Observando a imagem acima, cite dentro de cada grupo abaixo os equipamentos que fazem parte do mesmo. Nome: Data: 22/04/2013 Disciplina: Perfuração e Completação Professor: Delmárcio Gomes Curso: Técnico Petróleo e Gás Turma: Noite 3 Módulo: II ( X )01 ( )02 ( )03 ( )04 AVALIAÇÃO: Valor: 10 pontos Nota:

Leia mais

Sumário. Projeto do Stuffing Box Caixa do Stuffing Box Simples... 35

Sumário. Projeto do Stuffing Box Caixa do Stuffing Box Simples... 35 Sumário Bombas Alternativas... 1 1.1 Breve Histórico...1 1.2 Definições...3 1.3 Classificação...5 1.3.1 Horizontal Versus Vertical...6 1.3.2 Simples Efeito Versus Duplo Efeito...6 1.3.3 Simplex Versus

Leia mais

Siga as instruções referentes à segurança e ao meio ambiente contidas nos manuais de instruções e de oficina da máquina.

Siga as instruções referentes à segurança e ao meio ambiente contidas nos manuais de instruções e de oficina da máquina. Relatório de inspeção Motoniveladoras VOLVO CONSTRUCTION EQUIPMENT CARE INSPECTION Tipo de máquina N. de série Tempo de operação Equipamento, Número Data de entrega Página 1 (10) Proprietário Distribuidor

Leia mais

Chuveiro e lava-olhos de emergência: Equipamentos imprescindíveis para o manuseio de produtos químicos

Chuveiro e lava-olhos de emergência: Equipamentos imprescindíveis para o manuseio de produtos químicos Chuveiro e lava-olhos de emergência: Equipamentos imprescindíveis para o manuseio de produtos químicos Esses equipamentos são destinados a eliminar ou minimizar os danos causados por acidentes nos olhos

Leia mais

reciclagem a frio KMA 220

reciclagem a frio KMA 220 Technische Especificação Daten Técnica Kaltfräse Usina misturadora W 200 móvel de reciclagem a frio KMA 220 Especificação Técnica Usina misturadora móvel de reciclagem a frio KMA 220 Capacidade da usina

Leia mais

Introdução. Apresentação. Características da hidráulica. Evolução dos sistemas hidráulicos. Sistema hidráulico. Circuito hidráulico básico

Introdução. Apresentação. Características da hidráulica. Evolução dos sistemas hidráulicos. Sistema hidráulico. Circuito hidráulico básico Apresentação Características da hidráulica Evolução dos sistemas hidráulicos Sistema hidráulico Circuito hidráulico básico Unidade hidráulica Apresentação Com a constante evolução tecnológica há no mercado

Leia mais

Patologias em Sistemas Prediais Hidráulico-Sanitários

Patologias em Sistemas Prediais Hidráulico-Sanitários Introdução Patologias em Sistemas Prediais Hidráulico-Sanitários Existem diversas causas de patologias endógenas em sistemas prediais hidráulico-sanitários, ou seja, originadas por fatores inerentes à

Leia mais

Maquinas, equipamentos e ferramentas diversas na construção civil. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Maquinas, equipamentos e ferramentas diversas na construção civil. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho na construção civil Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho A operação de máquinas e equipamentos que exponham o operador ou terceiros a riscos só pode ser feita por trabalhador

Leia mais

Aula 8 Injeção Eletrônica Direta

Aula 8 Injeção Eletrônica Direta Introdução Aula 8 Injeção Eletrônica Direta Até o lançamento do sistema de injeção eletrônica MED, a mistura de ar e combustível era gerada no tubo de aspiração. A busca por novas possibilidades para melhorar

Leia mais

MANUAL DE SISTEMAS DE BOMBEAMENTO

MANUAL DE SISTEMAS DE BOMBEAMENTO manual do usuário PROCEL SANEAR MANUAL DE SISTEMAS DE BOMBEAMENTO EFICIÊNCIA ENERGÉTICA AMT rotação máxima CURVA DA BOMBA ponto de operação curva de rendimento máximo CURVA DO SISTEMA VAZÃO HEBER PIMENTEL

Leia mais

Laboratório de Sistemas Hidráulicos. Aula prática S25

Laboratório de Sistemas Hidráulicos. Aula prática S25 Laboratório de Sistemas Hidráulicos Aula prática S25 Relação entre áreas Vazão X Velocidade 1ª Verificação Aeração e Cavitação Cavitação Entende-se por cavitação a formação temporária de espaços vazios

Leia mais

EXERCÍCIOS Curso Básico de Turbinas a Vapor Parte 3. Aluno: 1) Em relação ao sistema de controle das turbinas, marque verdadeiro V, ou Falso F:

EXERCÍCIOS Curso Básico de Turbinas a Vapor Parte 3. Aluno: 1) Em relação ao sistema de controle das turbinas, marque verdadeiro V, ou Falso F: EXERCÍCIOS Curso Básico de Turbinas a Vapor Parte 3 Aluno: Instrutor: Gustavo Franchetto 1) Em relação ao sistema de controle das turbinas, marque verdadeiro V, ou Falso F: (V) O sistema de controle atua

Leia mais

A marca preferida dos panificadores.

A marca preferida dos panificadores. Fornos Turbo FTT-0D EXCLUSIVIDADE TEDESCO Opções: - Totalmente a gás - Totalmente elétrico - Câmara inferior gás e câmara superior elétrica neste modelo o consumo do forno elétrico passa a ser de aprox.

Leia mais

Especificação Técnica do Alimentador de Fluxantes para Máquinas de Lingotamento Contínuo de Placas

Especificação Técnica do Alimentador de Fluxantes para Máquinas de Lingotamento Contínuo de Placas Especificação Técnica do Alimentador de Fluxantes para Máquinas de Lingotamento Contínuo de Placas 1.0. Especificação Técnica: 1.1. Descrição Funcional O alimentador de fluxantes, que é montado em um carro

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR Carpintaria Versão_CPN. TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões)

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR Carpintaria Versão_CPN. TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões) PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR 18 18.7. Carpintaria Versão_CPN TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões) 18.7.1. As operações em máquinas e equipamentos necessários à realização da atividade de

Leia mais

1. Introdução. 2. Sensores de vazão baseados na pressão

1. Introdução. 2. Sensores de vazão baseados na pressão Sensores de Vazão 1. Introdução 2. Sensores de vazão baseados na pressão 2.1 Placa de orifício 2.2 Bocal de fluxo 2.3 Tubo de venturi 2.4 Tubo de pitot Sendo: Pt: pressão total ou de estagnação; Ps: pressão

Leia mais

Baixa Pressão 5m.c.a Modelos: 15/20/25 Tubos

Baixa Pressão 5m.c.a Modelos: 15/20/25 Tubos Baixa Pressão 5m.c.a Modelos: 15/20/25 Tubos Página2 SUMÁRIO INFORMAÇÕES SOBRE O PRODUTO Coletor a Vácuo... 3 Indicações de segurança Cuidados especiais Principais vantagens do sistema solar a vácuo Especificações

Leia mais

SEMINÁRIO GESTÃO DO USO DA ENERGIA ELÉTRICA NO SANEAMENTO

SEMINÁRIO GESTÃO DO USO DA ENERGIA ELÉTRICA NO SANEAMENTO AESBE ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS ESTADUAIS DE SANEAMENTO SEMINÁRIO GESTÃO DO USO DA ENERGIA ELÉTRICA NO SANEAMENTO Tipologias de projeto Rio de Janeiro Março / 2013 Airton S. Gomes - Consultor

Leia mais

5 Problemas Operacionais e suas causas

5 Problemas Operacionais e suas causas 5 Problemas Operacionais e suas causas Com o aumento do número de poços cada vez mais complexos, a ocorrência de problemas operacionais tem aumentado e se tornou foco de diversos estudos. Os problemas

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS BRITADOR CÔNICO ZL EQUIPAMENTOS.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS BRITADOR CÔNICO ZL EQUIPAMENTOS. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS BRITADOR CÔNICO ZL EQUIPAMENTOS. FIGURA.1 BRITADOR CÔNICO ZL.1350 1. DESCRIÇÃO Os britadores de cone projetados e fabricados pela ZL Equipamentos são equipamentos robustos que proporcionam

Leia mais

Sumário 1. Introdução Manual Técnico Armazenagem Limpeza Lubrificação Manutenção Preventiva...

Sumário 1. Introdução Manual Técnico Armazenagem Limpeza Lubrificação Manutenção Preventiva... Sumário 1. Introdução... 3 2. Manual Técnico... 3 3. Armazenagem... 3 4. Limpeza... 3 5. Lubrificação... 4 6. Manutenção Preventiva... 4 7. Fontes de Alimentação... 4 8. Conclusão... 4 2 1. Introdução

Leia mais

PHD 0313 Instalações e Equipamentos Hidráulicos

PHD 0313 Instalações e Equipamentos Hidráulicos UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA HIDRÁULICA E AMBIENTAL PHD 0313 Instalações e Equipamentos Hidráulicos Aula 9: Instalações de Esgotamento Sanitário Prof.: MIGUEL

Leia mais

Fundamentos de Automação. Hidráulica

Fundamentos de Automação. Hidráulica Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Hidráulica

Leia mais

VÁLVULA DE FLUXO ANULAR

VÁLVULA DE FLUXO ANULAR 1. INTRODUÇÃO 1.1. Funções e Forma de Operação A principal característica da válvula de fluxo anular (needle valve) é a capacidade de modular a vazão de forma linear mesmo na presença de elevados diferenciais

Leia mais

SISTEMAS DE PROTEÇÃO E CONTROLE HIDRÁULICO

SISTEMAS DE PROTEÇÃO E CONTROLE HIDRÁULICO SISTEMAS DE PROTEÇÃO E CONTROLE HIDRÁULICO PROTEGER RECURSOS: ESTA IDEIA NUNCA ESTEVE TÃO EM ALTA Sistemas de Proteção e Controle Hidráulico A Hidro-Ambiental oferece soluções completas em sistemas de

Leia mais

NR 18. Segurança na Construção Civil

NR 18. Segurança na Construção Civil NR 18 Segurança na Construção Civil Tópicos da NR 18 Objetivo e Campo de Aplicação Comunicação Prévia Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção - PCMAT Áreas de Vivência

Leia mais

GLADIADOR Melhor relação peso/potência da categoria

GLADIADOR Melhor relação peso/potência da categoria GLADIADOR 2300 Melhor relação peso/potência da categoria Catálogo virtual Português Ago/2016 GLADIADOR 2300 O pulverizador autopropelido Gladiador 2300 apresenta grande autonomia de trabalho, possibilitando

Leia mais

Ensaio de Bombas Centrífugas

Ensaio de Bombas Centrífugas Ensaio de Bombas Centrífugas 1. NORMAS DE ENSAIO Os ensaios de desempenho e de cavitação para bombas hidráulicas de fluxo (centrífugas, axiais e mistas), de classe C (bombas de utilização corrente) são

Leia mais

MOTO BOMBA MB MANUAL INFORMATIVO E TERMO DE GARANTIA

MOTO BOMBA MB MANUAL INFORMATIVO E TERMO DE GARANTIA MOTO BOMBA MB 20.000 MANUAL INFORMATIVO E TERMO DE GARANTIA 3AH BOMBAS MAGNÉTICAS As bombas por tração magnética podem ser fabricadas com os materiais PP e PVDF. O polipropileno e o PVDF possuem alta resistência

Leia mais

Atuadores pneumáticos

Atuadores pneumáticos elcabral@usp.br 1 PMR2560 Robótica Atuadores pneumáticos Eduardo L. L. Cabral elcabral@usp.br elcabral@usp.br 2 Objetivos Atuadores pneumáticos : Conceito; Sistemas pneumáticos ; Tipos principais; Dimensionamento.

Leia mais

/sonarengenharia

/sonarengenharia A Sonar Engenharia, empresa atuante nos setores de ELÉTRICA e GÁS, possui em seu quadro profissionais graduados em Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Eletrotécnica e Engenharia de Segurança no Trabalho.

Leia mais

CAPACITAÇÃO SONDADOR

CAPACITAÇÃO SONDADOR TRT- PETRÓLEO Excelência na capacitação e geração de emprego na área de Petróleo. CAPACITAÇÃO SONDADOR Nossa Empresa: Objetivo: Público: Atribuições: - ROSA & MARTINS LTDA de nome fantasia TRT-PETRÓLEO,

Leia mais

PNEUMÁTICA PNEUMÁTICA COMPARAÇÃO DESVANTAGENS VANTAGENS: Preparação; Compressibilidade; Potência; Escape de ar; Custo;

PNEUMÁTICA PNEUMÁTICA COMPARAÇÃO DESVANTAGENS VANTAGENS: Preparação; Compressibilidade; Potência; Escape de ar; Custo; PNEUMÁTICA PNEUMÁTICA É um sistema que torna possível a utilização do ar para geração de energia mecânica. SENAI CETEMP Mecânica Boa força Ótimas velocidades Ótima precisão Hidráulica Ótima força Baixas

Leia mais

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Instalações e Dispositivos Elétricos Dispositivos de Partida, Acionamento e Parada Dispositivos de Parada de Emergência Clarice I. Lorenzi Eng.

Leia mais

Indíce. Injetora Ciclo Rápido. Injetora Servo Motor. Linhas de Produtos. Injetora 2 Placas

Indíce. Injetora Ciclo Rápido. Injetora Servo Motor. Linhas de Produtos. Injetora 2 Placas Taiwan Indíce 01 05 Injetora Ciclo Rápido Injetora Servo Motor 09 10 Linhas de Produtos Injetora 2 Placas Alta tecnologia com baixo consumo de energia aliada ao alto desempenho com excelente custo benefício.

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO EM PROCESSOS INDUSTRIAIS

INSTRUMENTAÇÃO EM PROCESSOS INDUSTRIAIS INSTRUMENTAÇÃO EM PROCESSOS INDUSTRIAIS Válvulas de controle (funções, componentes, tipos e aplicações) Patrícia Lins de Paula 25/03/2012 154 VÁLVULAS São dispositivos destinados a estabelecer, controlar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ESGOTO ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS DE ESGOTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ESGOTO ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS DE ESGOTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ESGOTO ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS DE ESGOTO Prof. Hugo Alexandre Soares Guedes E-mail: hugo.guedes@ufpel.edu.br

Leia mais

ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS DE ESGOTO

ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS DE ESGOTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ESGOTO ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS DE ESGOTO Prof. Hugo Alexandre Soares Guedes E-mail: hugo.guedes@ufpel.edu.br

Leia mais

Hidráulica Geral (ESA024A)

Hidráulica Geral (ESA024A) Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental Hidráulica Geral (ESA04A) º semestre 01 Terças de 10 às 1 h Quntas de 08 às 10h Golpe de Aríete Conceito -Denomina-se golpe de aríete ou transiente hidráulico

Leia mais

Aula 3 ARREFECIMENTO

Aula 3 ARREFECIMENTO Aula 3 ARREFECIMENTO ARREFECIMENTO Em motores de combustão interna, durante a fase de combustão, a temperatura chega a aproximadamente 1400*C, onde em condições ótimas trasformam cerca de 25% do calor

Leia mais

Figura 1. Combustão externa: calor é produzido fora do motor em caldeiras.

Figura 1. Combustão externa: calor é produzido fora do motor em caldeiras. UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO IT Departamento de Engenharia ÁREA DE MÁQUINAS E ENERGIA NA AGRICULTURA IT 154- MOTORES E TRATORES INTRODUÇÃO CONSTITUIÇÃO DOS MOTORES Carlos Alberto Alves

Leia mais

Válvulas L-O-X para o Isolamento da Energia Pneumática ROSS South America Ltda

Válvulas L-O-X para o Isolamento da Energia Pneumática ROSS South America Ltda Válvulas L-O-X para o Isolamento da Energia Pneumática Válvulas L-O-X para o Isolamento da Energia Pneumática Válvulas para o fechamento e exaustão do ar comprimido para intervenções de manutenção, inspeção,

Leia mais

Pneumática e Hidráulica

Pneumática e Hidráulica Pneumática e Hidráulica Nível III Exercícios adicionais Exercícios de Aplicação e Avaliação 1- Os Compressores pneumáticos: Transformam energia eléctrica em pneumática. Transformam energia mecânica em

Leia mais

Brasileira de Perfuratrizes - atua no mercado brasileiro de bens capital

Brasileira de Perfuratrizes - atua no mercado brasileiro de bens capital A COBRASPER - Indústria Brasileira de Perfuratrizes - atua no mercado brasileiro de bens capital desde a década de 80, no s e g m e n t o d e m á q u i n a s perfuratrizes (sondas) para poços de água,

Leia mais

Sumário. 1 Introdução, princípios de compressão e labirintos internos Critérios de seleção para compressores de processo...

Sumário. 1 Introdução, princípios de compressão e labirintos internos Critérios de seleção para compressores de processo... Sumário 1 Introdução, princípios de compressão e labirintos internos... 1 Densidade e taxas de compressão...1 Conceito simplificado sobre calor e massa...3 O conceito de head e outros parâmetros...3 Compressores

Leia mais

TEQ Sistemas de Instrumentação e Controle de Processos Lista de Exercícios nº 3 RESPOSTAS

TEQ Sistemas de Instrumentação e Controle de Processos Lista de Exercícios nº 3 RESPOSTAS Questões TEQ00141- Sistemas de Instrumentação e Controle de Processos Lista de Exercícios nº 3 RESPOSTAS 1- Especifique a ação segura de falha (se é falha-abre ou falha-fecha) apropriada para as válvulas

Leia mais

Sistema de Proteção Ambiental Contra Derramamento de Óleo de Equipamentos em SE s. Rio de Janeiro, Junho de 2014

Sistema de Proteção Ambiental Contra Derramamento de Óleo de Equipamentos em SE s. Rio de Janeiro, Junho de 2014 Sistema de Proteção Ambiental Contra Derramamento de Óleo de Equipamentos em SE s Rio de Janeiro, Junho de 2014 NBR-13231 A revisão atual inclui mudanças de formatação segundo os novos padrões da ABNT

Leia mais

Cursos especiais com metodologia e aplicações que visam otimizar a manutenção e operação dos equipamentos. Treinamentos em conformidade com as normas

Cursos especiais com metodologia e aplicações que visam otimizar a manutenção e operação dos equipamentos. Treinamentos em conformidade com as normas Desenvolvimento Técnico Sotreq e Cat Treinamentos 2016 Cursos especiais com metodologia e aplicações que visam otimizar a manutenção e operação dos equipamentos. Treinamentos em conformidade com as normas

Leia mais

QUEIMADOR DE IMERSÃO SÉRIE I

QUEIMADOR DE IMERSÃO SÉRIE I QUEIMADOR DE IMERSÃO SÉRIE I INFORMAÇÕES TÉCNICAS E MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SUMÁRIO Descrição 1 - Notas importantes 1 2 - Sobre o produto 2 3 Tabela de capacidades 3 4 Especificações técnicas 4

Leia mais

Bombas pressurizadoras Bosch. Seu banho sempre com a pressão de água ideal.

Bombas pressurizadoras Bosch. Seu banho sempre com a pressão de água ideal. Bombas pressurizadoras Bosch. Seu banho sempre com a pressão de água ideal. www.bosch.com.br/termotecnologia 2 Bombas pressurizadoras com fluxostato Seu banho sempre com a pressão de água ideal PB-88 PB-135

Leia mais

Procedimento para Manutenção Preventiva em Trituradores de Resíduos

Procedimento para Manutenção Preventiva em Trituradores de Resíduos Pág.: 1 de 5 Setores de aplicação: Assistência Técnica CISA ou Credenciada Aplicação: Manutenção Preventiva Documentos requeridos ou relacionados: PG 15 e Módulo 915/B (TR) Responsáveis pela aplicação:

Leia mais

CONCORRÊNCIA ESCOLA SESC DE ENSINO MÉDIO Nº 17/0008 CC ANEXO II MEMORIAL DESCRITIVO DAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS SERVIÇOS

CONCORRÊNCIA ESCOLA SESC DE ENSINO MÉDIO Nº 17/0008 CC ANEXO II MEMORIAL DESCRITIVO DAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS SERVIÇOS CONCORRÊNCIA ESCOLA SESC DE ENSINO MÉDIO Nº 17/0008 CC ANEXO II MEMORIAL DESCRITIVO DAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS SERVIÇOS Contratação de empresa de engenharia mecânica e elétrica, para realização de

Leia mais

SISTEMA HIDRÁULICO EM TRATORES AGRÍCOLAS

SISTEMA HIDRÁULICO EM TRATORES AGRÍCOLAS LEB 332 MECÂNICA E MÁQUINAS MOTORAS SISTEMA HIDRÁULICO EM TRATORES AGRÍCOLAS Prof. Dr. Casimiro Dias Gadanha Jr. LEB/ESALQ/USP Maio-2015 OBJETIVOS Conhecer as aplicações da transmissão hidráulica de potência

Leia mais

Vazão. - Saneamento I

Vazão. - Saneamento I 1 Adutoras 2 Vazão 3 Definição Conduzem a água para as unidades que precedem a rede de distribuição Tubulações utilizadas para transportar a água 4 Classificação Quanto ao produto transportado: - Adutora

Leia mais

PEÇAS CUMMINS ORIGINAIS EXISTE UMA DIFERENÇA. A melhor garantia de uma viagem tranquila. Nem todas as peças são criadas igualmente.

PEÇAS CUMMINS ORIGINAIS EXISTE UMA DIFERENÇA. A melhor garantia de uma viagem tranquila. Nem todas as peças são criadas igualmente. Nem todas as peças são criadas igualmente. Melhores peças. Maior disponibilidade. A melhor garantia de uma viagem tranquila. Geralmente, o que você não pode ver faz toda a diferença. Os componentes do

Leia mais

3º Risk Engineering Workshop - 23 de Agosto de 2016 Ronoel Souza Zurich Brasil Seguros Risk Engineering

3º Risk Engineering Workshop - 23 de Agosto de 2016 Ronoel Souza Zurich Brasil Seguros Risk Engineering 3º Risk Engineering Workshop - 23 de Agosto de 2016 Ronoel Souza Zurich Brasil Seguros Risk Engineering Pergunta Interativa Quem gerencia a manutenção dos sistemas de combate a incêndio na sua empresa?

Leia mais

MANUAL DE FUNCIONAMENTO DOS FILTROS LIMPA TANQUE SULFILTROS

MANUAL DE FUNCIONAMENTO DOS FILTROS LIMPA TANQUE SULFILTROS MANUAL DE FUNCIONAMENTO DOS FILTROS LIMPA TANQUE SULFILTROS 1. INTRODUÇÃO Este manual contém todas informações necessárias para a correta instalação, operação e manutenção dos Filtros Prensa SULFILTROS.

Leia mais

Furadeira de base magnética modelo CTYP-100

Furadeira de base magnética modelo CTYP-100 0 Furadeira de base magnética modelo CTYP-100 Instrução de operação: Para sua própria segurança, antes de utilizar o equipamento verifique a voltagem correta e cheque se todos os acessórios e peças estão

Leia mais

Boletim da Engenharia

Boletim da Engenharia Boletim da Engenharia 11 de Manutenção Preventiva para Compressores Parafuso 11/02 Para continuar obtendo uma alta performance oferecida pelos compressores parafuso Bitzer instalados nas centrais de refrigeração,

Leia mais

(atualizada em 11/2006) NBR 5667-1:06 Hidrantes urbanos de incêndio de ferro fundido dúctil - Parte 1 - Hidrantes de Coluna NBR 5667-2:06 Hidrantes urbanos de incêndio de ferro dúctil - Parte 2 - Hidrantes

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 01 V E L K I F A C I L I T A O S E U T R A B A L H O ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS VKF-621 Chave de Fluxo Tipo Palheta Fixa DESCRIÇÃO O Chave de Fluxo Tipo Palheta Fixa foi projetado para atender às aplicações

Leia mais

CAPÍTULO 1. O PETRÓLEO

CAPÍTULO 1. O PETRÓLEO SUMÁRIO Prefácio VII Introdução IX CAPÍTULO 1. O PETRÓLEO 1 1.1 Histórico 1 1.1.1 No mundo 1 1.1.2 No Brasil 3 1.2 Constituintes do petróleo 4 1.2.1 Hidrocarbonetos 6 1.2.2 Não-hidrocarbonetos 9 1.3 Composição

Leia mais

TVP. Manual de Instruções. MEDIDOR DE VAZÃO Tipo Deslocamento Positivo TECNOFLUID

TVP. Manual de Instruções. MEDIDOR DE VAZÃO Tipo Deslocamento Positivo TECNOFLUID Português TVP MEDIDOR DE VAZÃO Tipo Deslocamento Positivo Manual de Instruções Leia este manual atentamente antes de iniciar a operação do seu aparelho. Guarde-o para futuras consultas. Anote o modelo

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO. Hidrômetros de diâmetro nominal 15 a 40 mm V2.0

MANUAL DE INSTALAÇÃO. Hidrômetros de diâmetro nominal 15 a 40 mm V2.0 MANUAL DE INSTALAÇÃO Hidrômetros de diâmetro nominal 15 a 40 mm V2.0 INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO O medidor deve ser instalado em local facilmente acessível, para permitir operações como leitura, manutenção,

Leia mais

Curso Fundamentos de Lubrificação

Curso Fundamentos de Lubrificação Curso Fundamentos de Lubrificação Módulo III Graxas Lubrificantes Índice Definição Principais Funções Componentes de uma Graxa Processos de Fabricação de Graxas Principais Propriedades Recomendações Gerais

Leia mais

Qualidade em Instalações de Aquecimento Solar. Boas práticas.

Qualidade em Instalações de Aquecimento Solar. Boas práticas. Qualidade em Instalações de Aquecimento Solar Boas práticas O sistema de aquecimento solar e seus componentes O que é sistema de aquecimento solar (SAS) A ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas)

Leia mais

3 Modelo de Torque e Arraste

3 Modelo de Torque e Arraste 3 Modelo de Torque e Arraste Os modelos de torque e arraste são utilizados para dar suporte ao planejamento de poços e ajudar na previsão e prevenção de problemas operacionais durante a perfuração. Estes

Leia mais

Catálogo de Filtros RCI

Catálogo de Filtros RCI Catálogo de Filtros RCI A TECNOLOGIA RCI DE PURIFICAÇÃO DE COMBUSTÍVEL O QUE É A TECNOLOGIA RCI DE PURIFICAÇÃO DE COMBUSTÍVEL? A tecnologia RCI de purificação de combustíveis é uma unidade de filtragem

Leia mais

Disciplina: Instrumentação e Controle de Sistemas Mecânicos. Teoria de Controle Parte 1

Disciplina: Instrumentação e Controle de Sistemas Mecânicos. Teoria de Controle Parte 1 Disciplina: Instrumentação e Controle de Sistemas Mecânicos Teoria de Controle Parte 1 Objetivos do Controle Independente do estágio tecnológico ou da complexidade de um processo de fabricação, são sempre

Leia mais

LINHA CONDOR. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

LINHA CONDOR. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650 17580000 Pompeia SP Tel. (14) 3405 2100 Fax. (14) 3452 1916 Email: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS. www.jacto.com.br

Leia mais

2 Perfuração de poços de petróleo

2 Perfuração de poços de petróleo 20 2 Perfuração de poços de petróleo A perfuração de poços de petróleo requer basicamente uma sonda de perfuração, tubos de perfuração, o BHA (Bottom hole assembly) e a broca. A broca se localiza no ponto

Leia mais

PRESSOSTATO HPW. - Comercial Ltda

PRESSOSTATO HPW. - Comercial Ltda PRESSOSTATO HPW PRESOSTATO HPW O PRESSOSTATO HPW é um equipamento que trabalha com um pressostato interligado a um fluxostato. Mantém a rede sempre pressurizada, ligando a bomba quando abrimos qualquer

Leia mais

SEGURANÇA DO TRABALHO

SEGURANÇA DO TRABALHO I- ABRANGÊNCIAS Este Procedimento é destinado ao uso dos empregados ligados ou não a área de manutenção da xxxxxxx. Manutenção Preventiva e/ou Corretiva; Limpeza Técnica em máquinas e equipamentos; Lubrificação

Leia mais

GUIA DE CUIDADOS PARA O SEU BARCO

GUIA DE CUIDADOS PARA O SEU BARCO GUIA DE CUIDADOS PARA O SEU BARCO INTRODUÇÃO Não importa o barco que você possui: se ele é grande ou pequeno, para pesca ou passeio. Todos eles precisam de cuidados especiais, uma vez que estão sujeitos

Leia mais

ETAPAS DO PROCESSO DE MOLDAGEM POR INJEÇÃO E PINCIPAIS COMPONENTES DE UMA INETORA

ETAPAS DO PROCESSO DE MOLDAGEM POR INJEÇÃO E PINCIPAIS COMPONENTES DE UMA INETORA ETAPAS DO PROCESSO DE MOLDAGEM POR INJEÇÃO E PINCIPAIS COMPONENTES DE UMA INETORA A UNIDADE INJETORA PRINCIPAIS FUNÇÕES: MOVIMENTAR-SE EM SUA BASE PERMITINDO SEUS MOVIMENTOS DE AVANÇO E RECUO GERAÇÃO DE

Leia mais

14.0 INTRODUÇÃO 14. INSPEÇÃO, MANUTENÇÃO E RECARGA EM EXTINTORES DE INCÊNDIO (NBR 12962): UNIDADE: 14

14.0 INTRODUÇÃO 14. INSPEÇÃO, MANUTENÇÃO E RECARGA EM EXTINTORES DE INCÊNDIO (NBR 12962): UNIDADE: 14 UNIDADE: 14 INSPEÇÃO, MANUTENÇÃO E RECARGA EM EXTINTORES DE INCÊNDIO (NBR 12962) 14. INSPEÇÃO, MANUTENÇÃO E RECARGA EM EXTINTORES DE INCÊNDIO (NBR 12962): 14.0 INTRODUÇÃO O principal objetivo desta unidade

Leia mais

SISTEMA FLEXÍVEL DE TREINAMENTO EM LINHAS DE PRODUÇÃO AUTOMATIZADAS (8 ESTAÇÕES)

SISTEMA FLEXÍVEL DE TREINAMENTO EM LINHAS DE PRODUÇÃO AUTOMATIZADAS (8 ESTAÇÕES) SISTEMA FLEXÍVEL DE TREINAMENTO EM LINHAS DE PRODUÇÃO AUTOMATIZADAS (8 ESTAÇÕES) MODELO: EE0034 DESCRIÇÃO: Este dispositivo é constituído por múltiplas estações de trabalho que podem ser utilizadas de

Leia mais

GUIA DE BOAS PRÁTICAS. para SAAC de até 15M³

GUIA DE BOAS PRÁTICAS. para SAAC de até 15M³ GUIA DE BOAS PRÁTICAS para SAAC de até 15M³ É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte. Não é permitida a comercialização. Esta publicação foi realizada pelo Sindicato

Leia mais

Procedimentos Básicos sobre manuseio e cuidados com a Tochas MIG/MAG

Procedimentos Básicos sobre manuseio e cuidados com a Tochas MIG/MAG Procedimentos Básicos sobre manuseio e cuidados com a Tochas MIG/MAG Nov/2005 A tocha de solda é uma ferramenta para a condução de corrente elétrica, arame eletrodo, circuito de água para resfriamento¹

Leia mais

Reservatório e Linhas de Combustível

Reservatório e Linhas de Combustível Reservatório e Linhas de Combustível 310-01-1 tseção 310-01 Reservatório e Linhas de Combustível APLICAÇÃO NO VEÍCULO: TROLLER ÍNDICE ASSUNTO PÁGINA FERRAMENTAS ESPECIAIS... 310-01-02 DESCRIÇÃO E OPERAÇÃO...

Leia mais

Tubos Condutivos KPS. Zero eletricidade estática. Total segurança.

Tubos Condutivos KPS. Zero eletricidade estática. Total segurança. Tubos Condutivos KPS Zero eletricidade estática. Total segurança. Prevenção contra incêndios Incêndios ocasionados pelo uso de tubos Incêndio no carregamento de combustíveis Após uma operação de carregamento

Leia mais

A CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO

A CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo A CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO PMI 3101 - Introdução à Engenharia para a Indústria Mineral Prof. Eduardo

Leia mais

Conhecendo a NR-12 e Suas Obrigatoriedades

Conhecendo a NR-12 e Suas Obrigatoriedades Conhecendo a NR-12 e Suas Obrigatoriedades CLT Consolidação das Leis do Trabalho É de obrigação legal para os empregadores a Lei nº 6.514, de 22 de dezembro de 1977 relativa a segurança e medicina do trabalho

Leia mais

Higiene e Segurança Industrial. Prof Ivan F. Bottger

Higiene e Segurança Industrial. Prof Ivan F. Bottger Higiene e Segurança Industrial Prof Ivan F. Bottger A análise preliminar de riscos (APR) baseia-se na técnica definida e usada pelos militares nos programas de segurança de seus sistemas. Muitas empresas

Leia mais

TERMOREGULADOR. Esta linha de equipamentos necessitam de uma fonte fria para modular a temperatura. 2

TERMOREGULADOR. Esta linha de equipamentos necessitam de uma fonte fria para modular a temperatura. 2 TERMOREGULADOR Sua variação de controle poder chegar até 0,5ºC, esta precisão se da pelo controle de PID gerido pelo controlador GEFRAN instalado estrategicamente em seu painel frontal e fácil acesso ao

Leia mais

Tecnologia aplicada na Manutenção. Dispositivo para Flushing Oil

Tecnologia aplicada na Manutenção. Dispositivo para Flushing Oil Tecnologia aplicada na Manutenção Dispositivo para Flushing Oil UT Braskem UNIB BA 01/10/2014 1 Dispositivo para Flushing Oil 2 Apresentação pessoal Cristovam Viana da Silva Técnico de Mecânico CREA-BA

Leia mais

MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA II

MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA II Departamento de Engenharia de Biossistemas ESALQ/USP MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA II LEB0332 Mecânica e Máquinas Motoras Prof. Leandro M. Gimenez 2017 Componentes do motor Cabeçote Junta Cilindro Bloco

Leia mais

Controle e monitoramento automático e em tempo real de refinarias, oleodutos e gasodutos.

Controle e monitoramento automático e em tempo real de refinarias, oleodutos e gasodutos. Controle e monitoramento automático e em tempo real de refinarias, oleodutos e gasodutos. Um vazamento não detectado em uma tubulação de petróleo de vinte polegadas, de apenas 1% de seu valor nominal de

Leia mais

12ª Aula Bombas Hidráulicas

12ª Aula Bombas Hidráulicas 12ª Aula Bombas Hidráulicas As bombas são utilizadas nos circuitos hidráulicos, para converter energia mecânica em energia hidráulica. A ação mecânica cria um vácuo parcial na entrada da bomba, o que permite

Leia mais

Manual Técnico Climatizadores - LFT

Manual Técnico Climatizadores - LFT - 1 - Manual Técnico Climatizadores - LFT - 2 - Luftmáxi Climatização de Ambientes Instruções de Segurança 1 Riscos de choques mecânicos: - Nunca tente parar o disco nebulizador ou a hélice do ventilador,

Leia mais

Manual do Locatário ELEVADOR DE OBRA

Manual do Locatário ELEVADOR DE OBRA Manual do Locatário ELEVADOR DE OBRA Instruções para Instalação e Operação e Manutenção CARIMBO DO ASSOCIADO 1 ELEVADOR DE OBRA À CABO Antes de colocar o equipamento em funcionamento, leia atentamente

Leia mais

FKB INDÚSTRIA DE EQUIPAMENTOS LTDA.

FKB INDÚSTRIA DE EQUIPAMENTOS LTDA. Descrição Geral As Válvulas Guilhotina FKB modelo VGU-03 tem como função o bloqueio e/ou controle na vazão de fluídos. Aplicação comum em Fluidos com Concentração de polpa >5%, Carepas, Licor e Rejeitos.

Leia mais

MANUTENÇÃO PREVENTIVA AUTOMOTIVA. Checklist de peças

MANUTENÇÃO PREVENTIVA AUTOMOTIVA. Checklist de peças MANUTENÇÃO PREVENTIVA AUTOMOTIVA Checklist de peças A manutenção preventiva é uma das partes mais importantes para a conservação de um veículo pois até mesmo os que não estejam rodando regularmente, passam

Leia mais

PROVA DE CONCEITO DE UM SISTEMA PARA VIABILIZAR A PERFURAÇÃO SEM RISER

PROVA DE CONCEITO DE UM SISTEMA PARA VIABILIZAR A PERFURAÇÃO SEM RISER PROVA DE CONCEITO DE UM SISTEMA PARA VIABILIZAR A PERFURAÇÃO SEM RISER Roni A. Gandelman, Augusto B. Hougaz, Guilherme S. Vanni, Leonardo M. Ramalho e Emmanuel F. Nogueira Av. Horácio Macedo, 950 Cidade

Leia mais

Caldeiras e Vasos de Pressão

Caldeiras e Vasos de Pressão Norma Regulamentadora 13 Caldeiras e Vasos de Pressão Engº Segurança do Trabalho Thiago Freitas Caldeiras a Vapor Disposições Gerais 13.1.1 Caldeiras a vapor são equipamentos destinados a produzir e acumular

Leia mais

ARBUS 1500 DIAMOND. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompéia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

ARBUS 1500 DIAMOND. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompéia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650-17580-000 - Pompéia - SP - Tel. (14) 3405 2100 - Fax. (14) 3452 1916 - E-mail: vendas@jacto.com.br www.jacto.com.br A Jacto se reserva o direito de promover modi cações em seus

Leia mais

Recolha de Lixo KO

Recolha de Lixo KO Recolha de Lixo KO45011 Principais benefícios: Simplicidade e confiabilidade na operação e manutenção; Contentores abertos, removíveis e grande capacidade volumétrica; Possibilidade de recolha de todos

Leia mais