Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação. Seminário Interno de Preparação para o Colóquio do SC B5 2009

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação. Seminário Interno de Preparação para o Colóquio do SC B5 2009"

Transcrição

1 Cigré/Brasil CE B5 Proteção e Automação Seminário Interno de Preparação para o Colóquio do SC B Rio de Janeiro, de setembro de 2009

2 Dados do Artigo Número: PS1 107 Título: Client Conformance Testing Experience in the IEC Autoria: Jang, Hyuk Soo* Jang, Byung Tae Lee, Namho Yang, Hyo-Sik Myong Ji University, Kepri and Sejong University País: Korea

3 Objetivo Apresentar a arquitetura utilizada para os testes de conformidade e interoperabilidade dos dispositivos clientes (IHM e gateway), realizados pelo KEPRI (Korea Electric Power Research Institute) e duas Universidades, assim como difundir a experiência adquirida durante a execução destes testes.

4 Destaques O sistema sob teste é um IHM ou um gateway, que recebe dados dos IEDs servidores e executa comandos O analisador de mensagens NPA (Network Packet Analyzer) intercepta as mensagens na LAN e verifica se estão conformes com os procedimentos do UCA IUG (modelagem, configuração e comunicação) e com os documentos submetidos pelos fabricantes dos IEDs

5 Destaques Os testes foram desenvolvidos com base nos procedimentos definidos pelo UCA IUG (UCA International Users Group) 1.0. O IEC deverá publicar estes procedimentos na Ed. 2 parte 10. É utilizado um simulador de IED (VS Virtual Server), capaz de se comportar como um servidor dotado de um arquivo SCD específico (fornecido pelo usuário ou integrador) São considerados testes positivos e negativos O VS é um software, que pode ser copiado ou alterado quando necessário. Deve suportar os serviços ACSI (Abstract Communication Service Interface) definidos no IEC Diferentes cópias do VS podem ser instaladas em um único ou em múltiplos PCs. Cada VS tem um IP Os VSNs geram mensagens não conformes com o IEC61850 O NPA somente repassa as mensagens MMS ou GOOSE

6 Destaques Gerenciador de Teste Possui os módulos: ambiente de teste, gerador de casos de teste, gerador de dados de teste, gerador de veredito e relator de teste. O módulo de software para ambiente de teste conecta todos os componentes através de uma ou mais switches Ethernet e estabelece endereços IP para os VSs, o cliente sob teste e o gerenciador de teste. É, então, validada parte do software sob teste, repetindo-se a operação várias vezes.

7 Dúvidas Os IEDs de proteção são um conjunto de software e hardware extremamente complexo e variado. Como poderá ser obtida uma simulação realista deste sistema? Como os SAS IEC61850 que já se encontram em serviço com sucesso tiveram os seus equipamentos clientes testados? É quase certo que um sistema de teste como o proposto neste artigo não tenha sido utilizado. Os autores propõem uma maior automatização dos testes dos equipamentos clientes. Entretanto, dada a complexidade e a grande variação das arquiteturas e topologias, como poderão ser definidos os casos de teste mais desfavoráveis e como pode ser obtida a cobertura de testes mais ampla possível sem a participação de um especialista?

8 Conclusões A norma IEC61850 não estabelece procedimentos de teste específicos para os equipamentos clientes. Os autores informam que o teste destes equipamentos é mais difícil e requer mais tempo do que o teste dos IEDs servidores O sistema de teste proposto requer, em muitos casos, a intervenção humana

9 Respostas às questões do REP Número da questão: 1.9 Questão: System testability - Which principles and / or system features have been implemented or proposed to make feasible or facilitate the testing after corrective or evolutive maintenance in a DSAS? Resposta: The authors of paper 107 are proposing a test architecture for conformance and interoperability systematic tests of IEC client devices (HMI and gateway). The test architecture consists of several virtual servers simulating the SAS IEDs, including virtual servers for positive and negative tests.

10 Respostas às questões do REP Número da questão: 1.10 Questão: Test procedures Do utilities or vendors use validated and structured procedures for testing of DSAS in the framework of maintenance? Are they based on generic acceptance tests and how these procedures have been established and validated? Resposta: Due to the DSAS complexity, the use of validated and structured test procedures of DSAS in the framework of maintenance is of great importance. The IEC61850 standard still does not include these procedures. One reference to perform these tests is the UCA International Users Group: Conformance Test Procedure for Client System with IEC interface, Revision 1.05, April 2009.

11 Respostas às questões do REP Número da questão: 1.11 Questão: Test of distributed functions - In some cases, functions distributed over several devices of DSAS cannot be completely tested after commissioning since this would require to deenergize the complete substation. Which solutions of testing distributed functions in operating substations are used? Resposta: The authors do not mention how to test distributed functions. However, testing of distributed functions may be done in a test platform, preferably using IEDs, switches and client of the same manufacturer and model of the real system.

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação. Seminário Interno de Preparação para a Bienal 2008

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação. Seminário Interno de Preparação para a Bienal 2008 Cigré/Brasil CE B5 Proteção e Automação Seminário Interno de Preparação para a Bienal 2008 Rio de Janeiro, 26-27 de junho de 2008 Dados do Artigo Número: B5-109 Título: Functional and Interoperability

Leia mais

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação. Seminário Interno de Preparação para a Bienal de 2008

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação. Seminário Interno de Preparação para a Bienal de 2008 Cigré/Brasil CE B5 Proteção e Automação Seminário Interno de Preparação para a Bienal de 2008 Rio de Janeiro, 26-27 de junho de 2008 B5-201 Dados do Artigo Exploiting the IEC61850 Potential for New Testing

Leia mais

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação Cigré/Brasil CE B5 Proteção e Automação Seminário Interno de Preparação para o Colóquio do SC B5 2009 Paper 109 Intelligent Electronic Device Remote Test Architecture Solution Using a Test Unit Rio de

Leia mais

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação Cigré/Brasil CE B5 Proteção e Automação Seminário Interno de Preparação para o Colóquio do SC B5 2009 Paper 110 Security Information Architecture for Automation and Control Network Rio de Janeiro, 15-16

Leia mais

IX Seminário Técnico de Proteção e Controle. 1 a 5 de Junho de 2008. Belo Horizonte Minas Gerais Brasil

IX Seminário Técnico de Proteção e Controle. 1 a 5 de Junho de 2008. Belo Horizonte Minas Gerais Brasil IX Seminário Técnico de Proteção e Controle 1 a 5 de Junho de 2008 Belo Horizonte Minas Gerais Brasil Diretrizes para Ensaios de Interoperabilidade e Testes Funcionais em Relés Multifuncionais Baseados

Leia mais

1 a 5 de Junho de 2008. Belo Horizonte Minas Gerais Brasil

1 a 5 de Junho de 2008. Belo Horizonte Minas Gerais Brasil IX Seminário Técnico de Proteção e Controle 1 a 5 de Junho de 2008 Belo Horizonte Minas Gerais Brasil A Importância dos Testes Funcionais e de Interoperabilidade para a Integração de Sistemas de Proteção

Leia mais

AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES E USINAS ESTADO DA ARTE E TENDÊNCIAS UTILIZANDO A NORMA IEC 61850

AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES E USINAS ESTADO DA ARTE E TENDÊNCIAS UTILIZANDO A NORMA IEC 61850 AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES E USINAS ESTADO DA ARTE E TENDÊNCIAS UTILIZANDO A NORMA IEC 61850 Allan Cascaes Pereira*; David Cáceres Jorge Miguel O. Filho; R. Pellizzoni José Roberto G. Correia Brasil EUA

Leia mais

IX Seminário Técnico de Proteção e Controle. 1 o a 5 de Junho de 2008. Belo Horizonte Minas Gerais Brasil

IX Seminário Técnico de Proteção e Controle. 1 o a 5 de Junho de 2008. Belo Horizonte Minas Gerais Brasil IX Seminário Técnico de Proteção e Controle 1 o a 5 de Junho de 2008 Belo Horizonte Minas Gerais Brasil Testes de Performance em IED s através de ensaios utilizando mensagens GOOSE (IEC61850) Paulo Sérgio

Leia mais

Teste de IEDs Baseados na IEC 61850

Teste de IEDs Baseados na IEC 61850 1 Teste de IEDs Baseados na IEC 61850 M. E. de C. Paulino, Member, IEEE Abstract - A integração de IEDs multifuncionais em subestações complexas requer desenvolvimento de um protocolo padrão que reúna

Leia mais

Benefícios da utilização da Norma IEC 61850 para coleta de oscilografias

Benefícios da utilização da Norma IEC 61850 para coleta de oscilografias XI SIMPÓSIO DE AUTOMAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS 16 a 19 de Agosto de 2015 CAMPINAS - PR Benefícios da utilização da Norma IEC 61850 para coleta de oscilografias Alexandre Fernandes Onça Siemens Vinicius

Leia mais

Simulador de IEDs utilizando arquivos ICD/SCD

Simulador de IEDs utilizando arquivos ICD/SCD 1 XI SIMPÓSIO DE AUTOMAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS 16 a 19 de Agosto de 2015 CAMPINAS - SP Simulador de IEDs utilizando arquivos ICD/SCD Juliana Adabo Atizani Siemens LTDA. Brasil Paulo Roberto Antunes de

Leia mais

Uma arquitetura baseada em agentes de software para a automação de processos de gerênciadefalhasemredesde telecomunicações

Uma arquitetura baseada em agentes de software para a automação de processos de gerênciadefalhasemredesde telecomunicações Adolfo Guilherme Silva Correia Uma arquitetura baseada em agentes de software para a automação de processos de gerênciadefalhasemredesde telecomunicações Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada

Leia mais

Redes Convergentes no Cenário da IEC-61850. Brasil

Redes Convergentes no Cenário da IEC-61850. Brasil Redes Convergentes no Cenário da IEC-61850 O. J. M. da MOTTA e C.A. CORDEIRO FURNAS M. G. CASTELLO BRANCO* e C. H. R. de OLIVEIRA CPqD Brasil RESUMO Neste trabalho, os autores propõem uma abordagem dos

Leia mais

SK, SÉRGIO KIMURA. ELEKTRO Eletricidade e Serviços SA BRASIL RESUMO

SK, SÉRGIO KIMURA. ELEKTRO Eletricidade e Serviços SA BRASIL RESUMO SK, SÉRGIO KIMURA ELEKTRO Eletricidade e Serviços SA BRASIL RESUMO O trabalho tem a finalidade de compartilhar a experiência da ELEKTRO com a utilização da norma IEC61850 implantada atualmente em 18(dezoito)

Leia mais

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versão 1.0 XXX.YY 22 a 25 Novembro de 2009 Recife - PE GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO, CONTROLE E AUTOMAÇÃO EM SISTEMAS

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil Paulo Sergio Pereira Junior Conprove Engenharia Ltda. Paulo Sergio Pereira Conprove

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Motivação Realidade Atual Ampla adoção das diversas tecnologias de redes de computadores Evolução das tecnologias de comunicação Redução dos

Leia mais

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GPC.YY 22 a 25 Novembro de 2009 Recife - PE GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO, CONTROLE E AUTOMAÇÃO EM SISTEMAS DE

Leia mais

IEC 61850 - Treinamento Prático de Integração de IEDs e Softwares Supervisórios 28 de fevereiro a 2 de março de 2007 ABB - Guarulhos

IEC 61850 - Treinamento Prático de Integração de IEDs e Softwares Supervisórios 28 de fevereiro a 2 de março de 2007 ABB - Guarulhos Boletim 1 IEC 61850 - Treinamento Prático de Integração de IEDs e Softwares Supervisórios 28 de fevereiro a 2 de março de 2007 ABB - Guarulhos O Evento Muitos treinamentos têm sido ministrados, recentemente,

Leia mais

Laboratório - Identificação e Solução de Problemas de Configuração de VLAN

Laboratório - Identificação e Solução de Problemas de Configuração de VLAN Laboratório - Identificação e Solução de Problemas de Configuração de VLAN Topologia Tabela de Endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-rede Gateway padrão S1 VLAN 1 192.168.1.2 255.255.255.0

Leia mais

Capítulo VII. Redes de comunicação em subestações de energia elétrica Norma IEC 61850. Automação de subestações. A norma IEC 61850

Capítulo VII. Redes de comunicação em subestações de energia elétrica Norma IEC 61850. Automação de subestações. A norma IEC 61850 56 Capítulo VII Redes de comunicação em subestações de energia elétrica Norma IEC 61850 Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL) A construção de subestações é uma atividade que

Leia mais

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação. Seminário Interno de Preparação para a Bienal de 2008

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação. Seminário Interno de Preparação para a Bienal de 2008 Cigré/Brasil CE B5 Proteção e Automação Seminário Interno de Preparação para a Bienal de 2008 Rio de Janeiro, 26-27 de junho de 2008 Dados do Artigo Número B5-106 Título Autoria Processo de comunicação

Leia mais

XI Seminário Técnico de Proteção e Controle 18 a 21 de novembro de 2012 Florianópolis Santa Catarina Brasil

XI Seminário Técnico de Proteção e Controle 18 a 21 de novembro de 2012 Florianópolis Santa Catarina Brasil Topologias de rede ethernet tipo anel para grandes sistemas elétricos baseados na norma IEC61850 Paulo Antunes Souza Jr Newton de Carvalho Fernandez Gilberto Morgado Siemens I&C SG EA Baumier Siemens I&C

Leia mais

Software Communication System (SCS) Componentes da Solução

Software Communication System (SCS) Componentes da Solução Software Communication System (SCS) Componentes da Solução Apresentando o SCS Um novo Começo com um novo Sistema de Comunicações O SCS é Aberto, Simples, Comunicações Unificadas Software baseado em soluções

Leia mais

O Conversor Serial Ethernet MUX-10

O Conversor Serial Ethernet MUX-10 O Conversor Serial Ethernet MUX-10 M. B. Pereira, E. Araujo, ENAUTEC e F. Santana, COELBA Resumo - O Conversor Serial Ethernet MUX-10 é um protótipo destinado a interconectar equipamentos baseados em porta

Leia mais

DS AGILE SISTEMA DIGITAL INTEGRADO PARA SUBESTAÇÃO DE ENERGIA

DS AGILE SISTEMA DIGITAL INTEGRADO PARA SUBESTAÇÃO DE ENERGIA DS AGILE SISTEMA DIGITAL INTEGRADO PARA SUBESTAÇÃO DE ENERGIA A nova era de Smart Grids inteligentes exige subestações que possuam sistemas de automação mais sofisticados, permitindo aos operadores de

Leia mais

Rede Industrial e Tecnologias de Controle Redes Industriais Semestre 02/2015

Rede Industrial e Tecnologias de Controle Redes Industriais Semestre 02/2015 Rede Industrial e Tecnologias de Controle Redes Industriais Semestre 02/2015 Engenharia de Controle e Automação Sistema de Controle Baseado e PC versus Controladores Industriais Formas de apresentação:

Leia mais

Aula 4: Montagem e Disponibilização Frameworks Genéricos

Aula 4: Montagem e Disponibilização Frameworks Genéricos Aula 4: Montagem e Disponibilização Frameworks Genéricos Diego Passos Universidade Federal Fluminense Técnicas de Projeto e Implementação de Sistemas II Diego Passos (UFF) Montagem e Disponibilização Frameworks

Leia mais

Adicionando Novas Dimensões para Testes Real-Time com NI VeriStand 2012

Adicionando Novas Dimensões para Testes Real-Time com NI VeriStand 2012 Adicionando Novas Dimensões para Testes Real-Time com NI VeriStand 2012 Alisson Kokot Engenheiro de Vendas de Campo, National Instruments Anderson Takemoto Engenheiro de Aplicações de Campo, National Instruments

Leia mais

Sistemas Informáticos Cisco Certified Networking Academy (v5.0)

Sistemas Informáticos Cisco Certified Networking Academy (v5.0) Sistemas Informáticos Cisco Certified Networking Academy (v5.0) Enquadramento Geral Objetivos do Percurso Dotar os formandos de conhecimentos iniciais de Routing e Switching Preparar para os exames de

Leia mais

Arquitetura de Software para um Servidor de Comunicação baseado no Padrão IEC 61850

Arquitetura de Software para um Servidor de Comunicação baseado no Padrão IEC 61850 Arquitetura de Software para um Servidor de Comunicação baseado no Padrão IEC 61850 Michelet del Carpio Chávez, Jorge Risco Becerra,Nelson Tanomaru Escola Politécnica da USP, Departamento de Computação

Leia mais

A EVOLUÇÃO DOS ESQUEMAS DE PROTEÇÃO COM A ADOÇÃO DA NORMA IEC 61850 E O ADVENTO DA INTEROPERABILIDADE

A EVOLUÇÃO DOS ESQUEMAS DE PROTEÇÃO COM A ADOÇÃO DA NORMA IEC 61850 E O ADVENTO DA INTEROPERABILIDADE XI SIMPÓSIO DE AUTOMAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS 16 a 19 de Agosto de 2015 CAMPINAS - PR A EVOLUÇÃO DOS ESQUEMAS DE PROTEÇÃO COM A ADOÇÃO DA NORMA IEC 61850 E O ADVENTO DA INTEROPERABILIDADE Paulo Sergio

Leia mais

Sistemas de Supervisão e IHM s Automação Semestre 01/2015

Sistemas de Supervisão e IHM s Automação Semestre 01/2015 Sistemas de Supervisão e IHM s Automação Semestre 01/2015 Engenharia de Controle e Automação Introdução Sistemas Supervisórios são sistemas digitais de monitoração e operação da planta que gerenciam as

Leia mais

Evolução de Protocolos de Comunicação

Evolução de Protocolos de Comunicação Evolução de Protocolos de Comunicação Sérgio Yoshio Fujii sergio.fujii@areva-td.com Ethan Boardman ethan.boardman@areva-td.com Agenda do Mini-Curso Evolução de protocolos de comunicação: Protocolos proprietários

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA ARQUITETURA DE UM AMBIENTE COLABORATIVO DE BUSINESS INTELLIGENCE BASEADO EM UM REPOSITÓRIO DE ONTOLOGIAS E SERVIÇOS DE DADOS VALÉRIO AYMORÉ MARTINS DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM ENGENHARIA ELÉTRICA DEPARTAMENTO

Leia mais

Nota de Aplicação Comunicação com o SmartStruxure Automation Server e Vijeo Citect utilizando protocolo BACnet/IP Versão: 1.0 Suporte Técnico Brasil

Nota de Aplicação Comunicação com o SmartStruxure Automation Server e Vijeo Citect utilizando protocolo BACnet/IP Versão: 1.0 Suporte Técnico Brasil Nota de Aplicação Comunicação com o SmartStruxure Automation Server e Vijeo Citect utilizando protocolo BACnet/IP Versão: 1.0 Suporte Técnico Brasil Especificações técnicas Hardware: SXWAUTSVR10001 (SmartStruxure

Leia mais

Optimização de processos e ferramentas de Controlo e Gestão em Sistemas de Protecção, Comando e Controlo

Optimização de processos e ferramentas de Controlo e Gestão em Sistemas de Protecção, Comando e Controlo Mestrado Integrado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores Optimização de processos e ferramentas de Controlo e Gestão em Sistemas de Protecção, Comando e Controlo PDI Preparação para Dissertação

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS

ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS RESUMO Este artigo apresenta a especificação de um sistema gerenciador de workflow, o ExPSEE, de acordo com a abordagem de desenvolvimento baseado

Leia mais

Foundation Fieldbus HSE

Foundation Fieldbus HSE Foundation Fieldbus HSE Diego Silva Eduardo Coelho Plínio Altoé Professor Luiz Affonso Introdução HSE: High Speed Ethernet Conjunto de especificações criado pela Fieldbus Foundation Especificações Foundation

Leia mais

AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES Soluções Schneider. DENYS LELLYS Gerente Regional N/NE

AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES Soluções Schneider. DENYS LELLYS Gerente Regional N/NE AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES Soluções Schneider DENYS LELLYS Gerente Regional N/NE Unidade Automação & Proteção GRUPO SCHNEIDER: Presente em 100 Países Presença no Brasil: 03 fábricas e 1.300 funcionários

Leia mais

Interoperability through Web Services: Evaluating OGC Standards in Client Development for Spatial Data Infrastructures

Interoperability through Web Services: Evaluating OGC Standards in Client Development for Spatial Data Infrastructures GeoInfo - 2006 Interoperability through Web Services: Evaluating OGC Standards in Client Development for Spatial Data Infrastructures Leonardo Lacerda Alves Clodoveu A. Davis Jr. Information Systems Lab

Leia mais

Análise de uma rede Smart Grid usando a norma IEC 61850 e dados de medições

Análise de uma rede Smart Grid usando a norma IEC 61850 e dados de medições Análise de uma rede Smart Grid usando a norma IEC 61850 e dados de medições Fernando Petenel e Cristiano Panazio Resumo Este artigo apresenta uma análise de uma rede Smart Grid baseada na norma IEC 61850

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Agenda Motivação Objetivos Histórico Família de protocolos TCP/IP Modelo de Interconexão Arquitetura em camadas Arquitetura TCP/IP Encapsulamento

Leia mais

Aula Prática Wi-fi Professor Sérgio Teixeira

Aula Prática Wi-fi Professor Sérgio Teixeira Aula Prática Wi-fi Professor Sérgio Teixeira INTRODUÇÃO Os Access Points ou ponto de acesso wi-fi são os equipamentos empregados na função de interconexão das redes sem fio e com fio (infraestrutura).

Leia mais

Aula Prática Roteador

Aula Prática Roteador Aula Prática Roteador INTRODUÇÃO Os roteadores são os equipamentos empregados na função de interconexão das redes como, por exemplo, redes IP. Diferentes redes IPs enviam suas informações/tráfego por meio

Leia mais

MONITORAMENTO REMOTO DO CONSUMO DE ÁGUA UTILIZANDO SOFTWARE DE INTERFACE HOMEM-MÁQUINA - HIDROAER

MONITORAMENTO REMOTO DO CONSUMO DE ÁGUA UTILIZANDO SOFTWARE DE INTERFACE HOMEM-MÁQUINA - HIDROAER MONITORAMENTO REMOTO DO CONSUMO DE ÁGUA UTILIZANDO SOFTWARE DE INTERFACE HOMEM-MÁQUINA - HIDROAER Alex Lage de Morais 1 ; Wilson Cabral de Sousa Jr. 2 ;Elaine Nolasco Ribeiro 3 RESUMO - Uma parte do projeto

Leia mais

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Í n d i c e Considerações Iniciais...2 Rede TCP/IP...3 Produtos para conectividade...5 Diagnosticando problemas na Rede...8 Firewall...10 Proxy...12

Leia mais

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 3

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 3 REFLEXÃO 3 Módulos 0771, 0773, 0774 e 0775 1/5 18-02-2013 Esta reflexão tem como objectivo partilhar e dar a conhecer o que aprendi nos módulos 0771 - Conexões de rede, 0773 - Rede local - instalação,

Leia mais

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO O Linux se refere aos itens de hardware como dispositivos (devices), e os referencia como arquivos. Os arquivos de

Leia mais

Curso de especialização em Teleinformática Disciplina Sistemas Distribuídos Prof. Tacla

Curso de especialização em Teleinformática Disciplina Sistemas Distribuídos Prof. Tacla - 1 - - 2 - COMUNICAÇÃO INTER PROCESSOS DISTRIBUÍDOS. - 3 - - 4 - Os sockets UDP e TCP são a interface provida pelos respectivos protocolos. Pode-se dizer que estamos no middleware de sistemas distribuídos

Leia mais

IEC 61850 HardFiber Process Bus BRICK

IEC 61850 HardFiber Process Bus BRICK Digital Energy IEC 61850 HardFiber Process Bus BRICK Licinio Ribeiro de Miranda GE Digital Energy Engenheiro de Aplicações América Latina GE Digital Energy GE Energy The The GE GE Smart Smart Grid Grid

Leia mais

Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia

Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia 1 Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia Autor: Kobi Gol Gerente de Desenvolvimento de Negócios e Soluções da RAD Data Communications. 2 As redes das empresas de energia estão

Leia mais

Caracterização dos servidores de email

Caracterização dos servidores de email Caracterização dos servidores de email Neste documento é feita a modulação de um servidor de email, com isto pretende-se descrever as principais funcionalidades e características que um servidor de email

Leia mais

Configuração de VLANS em ambientes CISCO

Configuração de VLANS em ambientes CISCO Configuração de VLANS em ambientes CISCO Vanderlei Lemke Kruger, André Moraes 1 Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas (FATEC - Senac) Rua Gonçalves Chaves, 602 Centro Curso Superior de Tecnologia em Redes

Leia mais

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br Revisão Karine Peralta Agenda Revisão Evolução Conceitos Básicos Modelos de Comunicação Cliente/Servidor Peer-to-peer Arquitetura em Camadas Modelo OSI Modelo TCP/IP Equipamentos Evolução... 50 60 1969-70

Leia mais

Sistemas de Automação de Subestações em IEC 61850

Sistemas de Automação de Subestações em IEC 61850 Process Automation Sistemas de Automação de Subestações em IEC 61850 20 de novembro de 2012 Slide 1 IEC61850 Sistemas de Automação em Subestações em IEC 61850 O que é uma subestação? Conceitos Fundamentais

Leia mais

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação. Seminário Interno de Preparação para o Colóquio de Madri 2007

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação. Seminário Interno de Preparação para o Colóquio de Madri 2007 Cigré/Brasil CE B5 Proteção e Automação Seminário Interno de Preparação para o Colóquio de Madri 2007 Rio de Janeiro, outubro/07 Dados do Artigo Número: 209 Título: Japanese Philosophy of function Integration

Leia mais

Como alcançar a Certificação LPI nível 2 com 16 anos de idade. Por: Vinicius Pardini

Como alcançar a Certificação LPI nível 2 com 16 anos de idade. Por: Vinicius Pardini Como alcançar a Certificação LPI nível 2 com 16 anos de idade Por: Vinicius Pardini Objetivo Passar as informações necessárias para que o candidato entenda como a prova da LPI funciona. A certificação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE INFORMÁTICA. Sistemas Distribuídos

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE INFORMÁTICA. Sistemas Distribuídos UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE INFORMÁTICA Sistemas Distribuídos Mestrado em Ciência da Computação 1o. Semestre / 2006 Prof. Fábio M. Costa fmc@inf.ufg.br www.inf.ufg.br/~fmc/ds MSc2006 Aula

Leia mais

IntelliTool. Programa de Configuração. Manual de Instruções

IntelliTool. Programa de Configuração. Manual de Instruções IntelliTool Programa de Configuração Manual de Instruções ZIV GRID AUTOMATION, S.L. 2015 v00 ZIV APLICACIONES Y TECNOLOGIA, S.L. Licença de Uso de Software O SOFTWARE CONTIDO NESTE PACOTE OFERECE A LICENÇA

Leia mais

1 http://www.google.com

1 http://www.google.com 1 Introdução A computação em grade se caracteriza pelo uso de recursos computacionais distribuídos em várias redes. Os diversos nós contribuem com capacidade de processamento, armazenamento de dados ou

Leia mais

Instruções para Instalação dos Utilitários Intel

Instruções para Instalação dos Utilitários Intel Instruções para Instalação dos Utilitários Intel Estas instruções ensinam como instalar os Utilitários Intel a partir do CD nº 1 do Intel System Management Software (liberação somente para os dois CDs

Leia mais

Camadas de Serviço de Hardware e Software em Sistemas Distribuídos. Introdução. Um Serviço Provido por Múltiplos Servidores

Camadas de Serviço de Hardware e Software em Sistemas Distribuídos. Introdução. Um Serviço Provido por Múltiplos Servidores Camadas de Serviço de Hardware e Software em Sistemas Distribuídos Arquiteutra de Sistemas Distribuídos Introdução Applications, services Adaptação do conjunto de slides do livro Distributed Systems, Tanembaum,

Leia mais

Bem-vindo à geração Nextoo. altus evolução em automação

Bem-vindo à geração Nextoo. altus evolução em automação Bem-vindo à geração Nextoo evolução em automação Série Nexto A nova geração de controladores A Altus apresenta a nova geração de Controladores Programáveis. A Série Nexto foi desenvolvida com o conceito

Leia mais

Este manual contém instruções para instalação do servidor de Porta Paralela - LPT FX LPT PRT SERV (F7518e)

Este manual contém instruções para instalação do servidor de Porta Paralela - LPT FX LPT PRT SERV (F7518e) Este manual contém instruções para instalação do servidor de Porta Paralela - LPT FX LPT PRT SERV (F7518e) Manual do Usuário Ver. 1.00 Todos os nomes e marcas registradas pertencem a seus respectivos proprietários

Leia mais

Automatização de redes para experimentação: o caso da AmLight. Humberto Galiza.::. Senior Network Engineer Salvador, Brasil, 28 de Setembro 2015

Automatização de redes para experimentação: o caso da AmLight. Humberto Galiza.::. Senior Network Engineer Salvador, Brasil, 28 de Setembro 2015 Automatização de redes para experimentação: o caso da AmLight Humberto Galiza.::. Senior Network Engineer Salvador, Brasil, 28 de Setembro 2015 Quem somos? AMPATH Ponto de Troca de Tráfego (PTT ou IXP)

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Design de Rede Local Design Hierárquico Este design envolve a divisão da rede em camadas discretas. Cada camada fornece funções específicas que definem sua função dentro da rede

Leia mais

Avaliação do Controle de Acesso de Múltiplos Usuários a Múltiplos Arquivos em um Ambiente Hadoop

Avaliação do Controle de Acesso de Múltiplos Usuários a Múltiplos Arquivos em um Ambiente Hadoop Avaliação do Controle de Acesso de Múltiplos Usuários a Múltiplos Arquivos em um Ambiente Hadoop Eduardo Scuzziato 1, João E. Marynowski 1,2, Altair O. Santin 1 1 Escola Politécnica Ciência da Computação

Leia mais

Portefólio de Produto. Ambiente Integrado de Engenharia. Introdução

Portefólio de Produto. Ambiente Integrado de Engenharia. Introdução Portefólio de Produto Ambiente Integrado de Introdução O Automation Studio 3 é uma solução de software única e simples de utilizar que garante ao engenheiro de automação ou ao integrador de sistemas, um

Leia mais

HSE High Speed Ethernet (Novo padrão em backbones de redes de automação fieldbus )

HSE High Speed Ethernet (Novo padrão em backbones de redes de automação fieldbus ) HSE High Speed Ethernet (Novo padrão em backbones de redes de automação fieldbus ) Disciplina: Redes de Alta Velocidade Jean Willian de Moraes 782 Odemil Camargo 971 PAUTA DA APRESENTAÇÃO Evolução dos

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 1 www.marcelomachado.com

Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 1 www.marcelomachado.com Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 1 www.marcelomachado.com Conceito, características e classificação das Redes de Computadores; Topologias; Meios físicos de transmissão; Equipamentos de Rede; Segurança;

Leia mais

Capítulo 2. Laboratório 2.1. Introdução ao Packet Tracer, Roteadores, Switches e Inicialização

Capítulo 2. Laboratório 2.1. Introdução ao Packet Tracer, Roteadores, Switches e Inicialização Capítulo 2 Laboratório 2.1 Introdução ao Packet Tracer, Roteadores, Switches e Inicialização tel (41) 430457810 ou (41) 4063-7810 - info@dltec.com.br - www.dltec.com.br INDICE 1 Objetivo do Laboratório...

Leia mais

Política de Treinamento DME

Política de Treinamento DME Política de Treinamento DME Aperfeiçoamento Técnico com respeito ao Profissional. A DME é uma empresa voltada para o atendimento das necessidades em conclusão e consumo de Energia Elétrica, consagrou-se

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Produto: n-mf Xerox Versão do produto: 4.7 Autor: Bárbara Vieira Souza Versão do documento: 1 Versão do template: Data: 09/04/01 Documento destinado a: Parceiros NDDigital, técnicos

Leia mais

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento Capítulo 3 - Configurando um Roteador 1 Objetivos do Capítulo Dar nome a um roteador; Definir senhas; Examinar comandos show; Configurar uma interface

Leia mais

Dos Relés Eletromecânicos aos Relés Digitais Desenvolvimento das Técnicas e Evolução dos Procedimentos de Teste

Dos Relés Eletromecânicos aos Relés Digitais Desenvolvimento das Técnicas e Evolução dos Procedimentos de Teste Marcelo Paulino - mecpaulino@yahoo.com.br 10/06/2013 1 Dos Relés Eletromecânicos aos Relés Digitais Desenvolvimento das Técnicas e Evolução dos Procedimentos de Teste Marcelo Paulino Guilherme Penariol

Leia mais

da mão-de-obra de TI da América Latina está no Brasil (considerado o maior empregador do setor) seguido pelo México com 23%.

da mão-de-obra de TI da América Latina está no Brasil (considerado o maior empregador do setor) seguido pelo México com 23%. Informações de Tecnologia A tecnologia virou ferramenta indispensável para as pessoas trabalharem, se comunicarem e até se divertirem. Computação é a área que mais cresce no mundo inteiro! Esse constante

Leia mais

Nota de Aplicação. Exemplo de gerenciamento de usuários nas IHMs Magelis utilizando como acessório leitor biometrico XB5S5B2L2. Suporte Técnico Brasil

Nota de Aplicação. Exemplo de gerenciamento de usuários nas IHMs Magelis utilizando como acessório leitor biometrico XB5S5B2L2. Suporte Técnico Brasil Nota de Aplicação Exemplo de gerenciamento de usuários nas IHMs Magelis utilizando como acessório leitor biometrico XB5S5B2L2. Versão: 1.0 Suporte Técnico Brasil Especificações técnicas Hardware: Firmware:

Leia mais

UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO IEC61850 PARA AUTOMAÇÃO, PROTEÇÃO E CONTROLE DE SUBESTAÇÕES BRASIL

UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO IEC61850 PARA AUTOMAÇÃO, PROTEÇÃO E CONTROLE DE SUBESTAÇÕES BRASIL UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO IEC61850 PARA AUTOMAÇÃO, PROTEÇÃO E CONTROLE DE SUBESTAÇÕES LUIS FABIANO DOS SANTOS * ABB LTDA. MAURÍCIO PEREIRA ABB LTDA. BRASIL RESUMO Este artigo aborda a nova Norma IEC61850

Leia mais

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação AULA 01 INTRODUÇÃO Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação CONCEITO Dois ou mais computadores conectados entre si permitindo troca de informações, compartilhamento de

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES Tecnologias de Rede Topologias Tipos de Arquitetura Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 REDES LOCAIS LAN -

Leia mais

Configurando DNS Server. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com

Configurando DNS Server. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Configurando DNS Server. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Entendendo o DNS É o serviço responsável por: Traduzir nomes em endereços IP (e vice-versa), de um determinado

Leia mais

O modelo ISO/OSI (Tanenbaum,, 1.4.1)

O modelo ISO/OSI (Tanenbaum,, 1.4.1) Cenário das redes no final da década de 70 e início da década de 80: Grande aumento na quantidade e no tamanho das redes Redes criadas através de implementações diferentes de hardware e de software Incompatibilidade

Leia mais

MODELO DE ARQUITETURA BASE PARA IMPLEMENTAÇÃO DE APLICAÇÕES BASEADAS NA IEC-61850

MODELO DE ARQUITETURA BASE PARA IMPLEMENTAÇÃO DE APLICAÇÕES BASEADAS NA IEC-61850 UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ - UTFPR DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SOFTWARE MARCELO PECENIN MODELO DE ARQUITETURA BASE PARA IMPLEMENTAÇÃO DE APLICAÇÕES

Leia mais

1 de 6 25/08/2015 10:22

1 de 6 25/08/2015 10:22 1 de 6 25/08/2015 10:22 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria Executiva Subsecretaria de Planejamento e Orçamento Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano Termo de Adjudicação

Leia mais

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento. Capítulo 5 - Gerenciamento do Software Cisco IOS

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento. Capítulo 5 - Gerenciamento do Software Cisco IOS CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento Capítulo 5 - Gerenciamento do Software Cisco IOS 1 Objetivos do Capítulo Descrever a seqüência e a importância da inicialização do IOS nos roteadores

Leia mais

INSTRUMENTOS PARA TESTES ELÉTRICOS. Tutorial de Teste

INSTRUMENTOS PARA TESTES ELÉTRICOS. Tutorial de Teste Tutorial de Teste Tipo de Equipamento: Relé de Proteção Marca: Siemens Modelo: 7UT613 Função: Mapeamento de Mensagens GOOSE Ferramenta Utilizada: CE-6006 Objetivo: Utilizar o recebimento de mensagens GOOSE

Leia mais

PLANO DE ENSINO CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA: 50 PRÁTICA: 22

PLANO DE ENSINO CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA: 50 PRÁTICA: 22 DEPARTAMENTO: Sistemas de Informação PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: Redes de Computadores I PROFESSOR: SERGIO ROBERTO VILLARREAL SIGLA: RED I E-MAIL: sergio.villarreal@udesc.br CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA:

Leia mais

como instalar os drivers de USB

como instalar os drivers de USB como instalar os drivers de USB O referencial em comunicações móveis via satélite instalação dos drivers de USB É necessário instalar os drivers de USB no seu computador antes de instalar as ferramentas

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Ricardo Ribeiro dos Santos ricrs@ec.ucdb.br

Sistemas Distribuídos. Ricardo Ribeiro dos Santos ricrs@ec.ucdb.br Sistemas Distribuídos Ricardo Ribeiro dos Santos ricrs@ec.ucdb.br Curso de Engenharia de Computação UCDB Agosto/2003 Tópicos Conceitos de HW em SD Multiprocessadores e Multicomputadores Conceitos de SW

Leia mais

Concurso Público. Prova Prática - parte 2. Técnico Laboratório Informática. Técnico Administrativo em Educação 2014

Concurso Público. Prova Prática - parte 2. Técnico Laboratório Informática. Técnico Administrativo em Educação 2014 Concurso Público Técnico Administrativo em Educação 2014 Prova Prática - parte 2 Técnico Laboratório Informática NÃO escreva seu nome ou assine em nenhuma folha da prova PROVA PRÁTICA - TÉCNICO LABORATÓRIO

Leia mais

Gonçalves, Adriel {adriel@digitel.com.br} - Porto Alegre, RS Brazil. Guia de Configuração TACACS+ no NR2G-3200.

Gonçalves, Adriel {adriel@digitel.com.br} - Porto Alegre, RS Brazil. Guia de Configuração TACACS+ no NR2G-3200. ! " # "$$% % % Folha de Rosto... 01 Índice... 02 I. Introdução... 03 II. O que é TACACS+... 03 III. Topologia... 03 IV. Configuração do Servidor... 04 01. Adicionando Grupo... 04 02. Adicionando Usuário...

Leia mais

da mão-de-obra de TI da América Latina está no Brasil (considerado o maior empregador do setor) seguido pelo México com 23%.

da mão-de-obra de TI da América Latina está no Brasil (considerado o maior empregador do setor) seguido pelo México com 23%. Números de tecnologia 630 mil é o número de novos postos de trabalho em TI até 2009 9 em cada 10 PC s vendidos saem com Microsoft Windows 47% da mão-de-obra de TI da América Latina está no Brasil (considerado

Leia mais

Transdução Digital em Subestações de EHV com Controle de Qualidade de Energia Elétrica

Transdução Digital em Subestações de EHV com Controle de Qualidade de Energia Elétrica 1 Transdução Digital em Subestações de EHV com Controle de Qualidade de Energia Elétrica M. Nakashima, A. R. Figueiredo, S. Gambini, CTEEP, J.A. Jardini, L.C. Magrini e C. A. B. Pariente, USP. Resumo-

Leia mais

Laboratório Configuração do SNMP

Laboratório Configuração do SNMP Topologia Tabela de Endereçamento Objetivos Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway padrão R1 G0/1 192.168.1.1 255.255.255.0 N/A S0/0/0 192.168.2.1 255.255.255.252 N/A R2 S0/0/0 192.168.2.2

Leia mais

A R P O BPMN++ MODELER KLUG PROCESSO PARA DOWNLOAD E INSTALAÇÃO VERSÃO FREEWARE. Verificar requisitos para instalação. Testar instalação do software

A R P O BPMN++ MODELER KLUG PROCESSO PARA DOWNLOAD E INSTALAÇÃO VERSÃO FREEWARE. Verificar requisitos para instalação. Testar instalação do software A R P O KLUG BPMN++ MODELER PROCESSO PARA DOWNLOAD E INSTALAÇÃO VERSÃO FREEWARE Verificar requisitos para instalação Iniciar procedimento de instalação Executar procedimento de instalação Efetuar primeiro

Leia mais

Tópicos Especiais em Redes de Telecomunicações

Tópicos Especiais em Redes de Telecomunicações Tópicos Especiais em Redes de Telecomunicações Redes definidas por software e Computação em Nuvem Prof. Rodrigo de Souza Couto PARTE 1 REDES DEFINIDAS POR SOFTWARE (SDN) 2 Bibliografia Esta aula é baseada

Leia mais

NAS Network Attached Storage

NAS Network Attached Storage NAS Network Attached Storage Evolução Tecnológica 1993 Primeiro appliance de storage NAS; 1996 Primeiro protocolo de backup em rede NDMP; 1996 Primeiro storage multi-protocolo UNIX/Windows; 1997 Primeiro

Leia mais

Controle de Temperatura de Transformador

Controle de Temperatura de Transformador Controle de Temperatura de Transformador Eng. Vitor Donaduzzi Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS Email: vitordonaduzzi@gmail.com Resumo Este artigo tem o objetivo de apresentar um projeto

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA GPC

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA GPC SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GPC 01 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA

Leia mais