O PRINCIPIO DA BOA-FÉ E A FUNÇÃO SOCIAL DOS CONTRATOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O PRINCIPIO DA BOA-FÉ E A FUNÇÃO SOCIAL DOS CONTRATOS"

Transcrição

1 O PRINCIPIO DA BOA-FÉ E A FUNÇÃO SOCIAL DOS CONTRATOS Caroline Dias Raimundo 1 RESUMO: Este trabalho se propõe a levantar e analisar os conceitos que delineiam os princípios da boa-fé, a importância destes princípios na análise dos contratos, bem como sua função social. Palavras-chave: Direito. Contratos. Boa-fé. Função social. 1 INTRODUÇÃO A questão da boa-fé que será apresentada neste trabalho, esta ligada à interpretação dos contratos que, não se desvincula do exame da sua função social. De inicio, pode-se afirmar que este é um importante principio jurídico, que serve também como fundamento para a manutenção do ato viciado por alguma irregularidade. É um elemento externo ao ato, na medida em que se encontra no pensamento do agente, com a intenção na qual ele fez ou deixou de fazer alguma coisa. Se estampa pelo dever das partes de agir de forma correta, antes, durante e depois do contrato, isso porque mesmo depois de terminado, este pode sobrar-lhe alguns efeitos. Desde o advento do Código Civil de 2002, o principio da boa-fé se estabelece como uma verdadeira chave de todo um sistema jurídico, devendo ser analisado o elemento subjetivo em cada contrato, ao lado da conduta objetiva das partes; e na analise do principio da boa-fé dos contratantes, devem ser examinadas algumas condições que se tornam ponto de interpretação da vontade contratual: - em que o contrato foi firmado, - o nível sociocultural dos contratantes e - o momento histórico e econômico. 1 Discente do 2º ano do curso de Direito das Faculdades Integradas Antonio Eufrásio de Toledo de Presidente Prudente.

2 Assim, pode-se ressaltar que a boa-fé constitui uma norma que condiciona e limita toda experiência jurídica, desde a interpretação dos mandamentos legais e das clausulas contratuais. 2 DESENVOLVIMENTO Atualmente a boa-fé é encarada, sob os seus diversos ângulos, atuando simultaneamente, como postulado ético, inspirador da ordem jurídica e critério de aplicação das normas existentes. A doutrina e a jurisprudência admitem a existência de dois prismas da boa-fé: um subjetivo e outro objetivo. Para compreender melhor este principio tão abrangente, é necessário que se faça uma breve distinção do que seja a boa-fé objetiva e a boa-fé subjetiva, cabendo ressaltar que os dois significados não são antagônicos e sim complementares, devendo nortear todo o comportamento humano dentro do universo jurídico; alem de analisar a grande função social que exercem os contratos. 2.1 Boa-fé objetiva O grande valor dado à boa-fé constitui uma das mais relevantes diferenças entre o Código Civil de 1916 e o de 2002, que o substituiu. O novo Código Civil Brasileiro constitui um sistema aberto, predominando o exame do caso concreto na área contratual, e adota o principio da boa-fé objetiva, que se constitui como clausula geral, e estabelece um roteiro a ser seguido nos negócios jurídicos. Tem por significado o dever de agir de acordo com determinados padrões, socialmente recomendados, tratando-se de uma regra de conduta, pautada na honestidade, na lealdade e principalmente na consideração para com os interesses legítimos e expectativas razoáveis do outro contratante. Dispõe o artigo 113 do Código Civil que os negócios jurídicos devem ser interpretados conforme a boa-fé e os usos do lugar de sua celebração. Especificamente em relação aos contratos, preconiza o artigo 422 os contratantes

3 são obrigados a guardar, assim na conclusão do contrato, como em sua execução, os princípios de probidade e boa-fé. Estes artigos são claros ao apontarem que a boa-fé deve ser observada pelas partes nos negócios jurídicos, os quais devem ser interpretados também os usos do local de sua celebração, bem como a boa-fé. Aplicando-se a boa-fé desde as tratativas ate a fase posterior à efetiva execução do contrato, o direito posto explicita normas que devem recair sobre as partes envolvidas em um dado negocio jurídico e os seus deveres anexos. Ao mesmo tempo que norteia a conduta das partes, a boa-fé atua como norma comportamental. E ainda, o principio da boa-fé objetiva, segundo a melhor doutrina, aplica-se aos contratantes, antes, durante e após o contrato, ou seja, aplicável à conduta dos contratantes, antes da celebração e após a extinção do contrato. Desta forma, qualquer que seja as partes do contrato há que se tentar a boa-fé. Portanto, a questão da boa-fé objetiva atina mais a interpretação dos contratos, constatando que se trata de uma clausula geral, e como tal, remete para o interprete um padrão de conduta geralmente aceito, cabendo ao Juiz examinar em cada caso, se o descumprimento de um contrato decorre de má ou boa-fé. 2.2 Boa-fé subjetiva De pronto, pode-se dispor que a boa-fé subjetiva é conhecida como boa-fé crença, isto porque, diz respeito a substancias psicológicas internas do agente, denota estado de consciência, a intenção do sujeito da relação jurídica, seu estado psicológico ou intima convicção, está relacionada com a honestidade, lealdade e probidade com a qual a pessoa molda o seu comportamento. O manifestante da vontade crê que sua conduta é correta, tendo em vista o grau de conhecimento que possui de um negocio. Para ele há um estado de consciência ou aspecto psicológico que deve ser considerado. (Silvio de Salvo Venosa). Geralmente o estado subjetivo deriva da ignorância do sujeito, a respeito de determinada situação, ocorre, por exemplo, na hipótese do possuidor de boa-fé subjetiva que, desconhece o vinculo que macula sua posse. Assim, neste

4 caso do exemplo, o legislador cuida de ampará-lo não fazendo o mesmo em relação ao possuidor de má-fé. Apenas no que se refere a boa-fé subjetiva é que se pode falar que a boa-fé constitui atributo natural do ser humano, sendo a má-fé um desvio de personalidade. Ocorre uma falsa impressão de uma ou ambas das partes acerca do objeto, das partes ou das características em geral do negocio jurídico celebrado. Desta forma, a parte é enganada por si própria, em razão de ter convicção de que algo existe ou acontece, quando a verdade é que ela inexiste ou não ocorre. Pode-se, chegar a conclusão de que a boa-fé subjetiva consiste na justiça, ou na ilicitude de seus atos, ou na ignorância de sua antijuridicidade, assim aquele que se encontra em uma situação real, e imagina estar em uma situação jurídica, age de boa-fé subjetiva. Portanto, na aplicação dessa o Juiz devera se pronunciar acerca do estado de ciência ou de ignorância do sujeito. 2.3 Função social do contrato Os contratos são celebrados para alcançar algum objetivo ou por alguma necessidade, porem os contratos atuais tem adquirido uma concepção cada vez mais voltada aos interesses sociais em detrimento da importância individual que demonstravam. Adquirem como função a circulação de riquezas, a distribuição da renda, a criação de empregos, a educação a respeito do povo para a vida em sociedade. Um dos pontos altos do novo Código Civil esta em seu artigo 421, segundo o qual: a liberdade de contratar será exercida em razão e nos limites da função social do contrato. Nesse sentido o código aponta para a liberdade de contratar sob o freio da função social. Cada relação jurídica precisa, assim, ser examinada a fim de se obter a sua devida definição, classificação e natureza, levando em conta a coexistência dos contratos clássicos e das novas manifestações. A função social do contrato é promover o bem estar e a dignidade dos homens, primando pelo desenvolvimento social em harmonia com o interesse pessoal, de forma a constituir uma sociedade livre, justa e solidaria.

5 O que o imperativo da função social do contrato estabelece, é que este não pode ser transformado em um instrumento para atividades abusivas, causando danos à parte contraria e muito menos a terceiros. O contrato exerce sua função social inerente ao poder negocial, que é uma das fontes do direito, ao lado da legal, da jurisprudencial e da consuetudinária. É natural que se atribua ao contrato uma função social, a fim de que este seja concluído em beneficio dos contratantes. O valor social do contrato poderia implicar o esquecimento do papel da boa-fé na origem e na execução dos negócios jurídicos, porem, o legislador assume uma posição intermediaria, combinando o individual com o social de maneira complementar, segundo regras ou clausulas abertas propiciais a soluções concretas. 3 CONCLUSÃO Não se pode deixar de reverenciar estes tão grandiosos princípios supra citados, visto que são principais princípios existentes no sistema jurídico, servindo como base para outros demais. Em relação a boa-fé objetiva, esta por sua vez, faz parte do ordenamento jurídico e, portanto, serve como um instrumento para permitir maior aproximação do texto geral das leis com as necessidades impostas pelos casos concretos em que as leis são aplicadas. O principio da boa-fé juntamente com a função social do contrato, compõem a nova hermenêutica do direito contratual, portanto, devem ser interpretados em conjunto e dentro da nova ordem social, ou seja, a ótica individualista deve ser substituída pela promoção do bem-estar coletivo. Isto significa dizer que, estes princípios atuam como um postulado ético inspirados de toda uma ordem jurídica, e que sempre deveram ser aplicados ao caso concreto. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

6 Venosa, Sílvio de Salvo. Direito Civil. Décima primeira edição. Teoria Geral das Obrigações e Teoria Geral dos Contratos. Mussi, Cristiane Miziara. Artigo: O principio da boa-fé objetiva na sociedade contemporânea. Reale, Miguel. Artigo: Função social do contrato. Simão, Jose Fernando. Artigo: A boa-fé e o novo Código Civil- Parte I. Silva, Ligia Neves. Artigo: O principio da função social do contrato. Conteúdo e alcance. Analise Econômica.

BOA-FÉ: UM ELEMENTO FUNDAMENTAL NAS RELAÇÕES JURÍDICAS

BOA-FÉ: UM ELEMENTO FUNDAMENTAL NAS RELAÇÕES JURÍDICAS BOA-FÉ: UM ELEMENTO FUNDAMENTAL NAS RELAÇÕES JURÍDICAS Miguel Coca GIMENEZ 1 RESUMO: Um dos princípios mais importantes do Direito é o da boa-fé. A boa-fé possui como idéia geral que nas relações jurídicas

Leia mais

A FUNÇÃO SOCIAL DO CONTRATO

A FUNÇÃO SOCIAL DO CONTRATO A FUNÇÃO SOCIAL DO CONTRATO Natália Pereira SILVA RESUMO: O contrato é um instrumento jurídico de grande importância social na modernidade, desde a criação do Código Civil de 2002 por Miguel Reale, tal

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Breves Comentários sobre a Função Social dos Contratos Alessandro Meyer da Fonseca* O Código Civil, composto de uma parte geral e cinco partes especiais, estabelece as regras de

Leia mais

DOS CONTRATOS NO DIREITO CIVIL BRASILEIRO DE 2002: PRINCÍPIOS BASILARES

DOS CONTRATOS NO DIREITO CIVIL BRASILEIRO DE 2002: PRINCÍPIOS BASILARES 18 DOS CONTRATOS NO DIREITO CIVIL BRASILEIRO DE 2002: PRINCÍPIOS BASILARES RESUMO SILVEIRA, Susani Trovo¹ GRAUPPE, Stefanie Alessandra² LUCATELLI, Isabella³ O objetivo principal do trabalho é, de forma

Leia mais

Teoria Geral dos Contratos Empresariais

Teoria Geral dos Contratos Empresariais Teoria Geral dos Contratos Empresariais AULA 3. PRINCÍPIOS GERAIS DO DIREITO CONTRATUAL. INTERPRETAÇÃO DOS CONTRATOS EMPRESARIAIS. CONTRATOS TÍPICOS E ATÍPICOS, UNILATERAIS, BILATERAIS E PLURILATERAIS,

Leia mais

PRINCÍPIO DA BOA-FÉ: DA INTENÇÃO À CONDUTA EXIGÍVEL NO NOVO CÓDIGO CIVIL

PRINCÍPIO DA BOA-FÉ: DA INTENÇÃO À CONDUTA EXIGÍVEL NO NOVO CÓDIGO CIVIL PRINCÍPIO DA BOA-FÉ: DA INTENÇÃO À CONDUTA EXIGÍVEL NO NOVO CÓDIGO CIVIL Mônica A. R. L. Gonzaga O princípio da boa-fé inspira e norteia todo o direito privado, e, de forma particular, as obrigações. Princípio

Leia mais

O REFLEXO DO DIREITO DAS OBRIGAÇÕES NA SOCIEDADE.

O REFLEXO DO DIREITO DAS OBRIGAÇÕES NA SOCIEDADE. O REFLEXO DO DIREITO DAS OBRIGAÇÕES NA SOCIEDADE. ANA CLÁUDIA DA SILVA CARVALHO TOLEDO: 3 TERMO TURMA A Resumo: O presente artigo busca vislumbrar sobre quem são os sujeitos passivos e ativos nas obrigações

Leia mais

Ética e Disciplina dos Advogados

Ética e Disciplina dos Advogados Biela Jr Minimanual do Novo Código de Ética e Disciplina dos Advogados 2ª edição 2017 Biela Jr -Minimanual novo CED da OAB.indd 3 04/11/2016 15:27:34 2 Dos princípios fundamentais 2.1. Da indispensabilidade

Leia mais

A CAPACIDADE CONTRIBUTIVA SOB O ENFOQUE DO STF

A CAPACIDADE CONTRIBUTIVA SOB O ENFOQUE DO STF A CAPACIDADE CONTRIBUTIVA SOB O ENFOQUE DO STF Débora Belloni FERRARI 1 Ana Carolina Greco PAES 2 RESUMO: O presente artigo tem como objetivo a demonstração da importância do Princípio da Capacidade Contributiva

Leia mais

Direito Civil. Dos Contratos I. Prof. Marcio Pereira

Direito Civil. Dos Contratos I. Prof. Marcio Pereira Direito Civil Dos Contratos I Prof. Marcio Pereira Conceito É o acordo de duas ou mais vontades, na conformidade da ordem jurídica, destinado a estabelecer uma regulamentação de interesses entre as partes,

Leia mais

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO A BOA-FÉ OBJETIVA E OS SERVIÇOS NOTARIAIS E REGISTRAIS 02/05/2017. Fundamentos da atividade notarial e registral

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO A BOA-FÉ OBJETIVA E OS SERVIÇOS NOTARIAIS E REGISTRAIS 02/05/2017. Fundamentos da atividade notarial e registral A BOA-FÉ OBJETIVA E OS SERVIÇOS NOTARIAIS E REGISTRAIS Fundamentos da atividade notarial e registral Constituição Federal (art. 236) Lei 8.935/1994 Ministro Paulo de Tarso Vieira Sanseverino Porto Alegre,

Leia mais

PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DO CONSUMIDOR

PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DO CONSUMIDOR PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DO CONSUMIDOR Zuleika MACHADO Daniel Goro TAKEY RESUMO: O presente artigo tem como objetivo demostrar os princípios garantidos pela constituição de 1988, a qual veio estabelecer

Leia mais

Direito Civil. Disposições Gerais Negócio Jurídico. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Disposições Gerais Negócio Jurídico. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Disposições Gerais Negócio Jurídico Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Aula Civil XX LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O PRESIDENTE

Leia mais

Tassia Teixeira de Freitas CONTRATOS PARTE GERAL

Tassia Teixeira de Freitas CONTRATOS PARTE GERAL Tassia Teixeira de Freitas CONTRATOS PARTE GERAL TÓPICOS AULA 01 INTRODUÇÃO CONCEITO FUNÇÃO SOCIAL E BOA-FÉ CONDIÇÕES DE VALIDADE CONTRATO DE ADESÃO CONTRATO: É a mais importante e mais comum FONTE DE

Leia mais

Obrigações e contratos

Obrigações e contratos Obrigações e contratos Prof. Rafael Mafei Deveres e obrigações O O Direito subjetivo deveres de terceiros Obrigações: deveres de natureza patrimonial O Dois sujeitos: credor e devedor O Objeto: prestação

Leia mais

AS CARACTERÍSTICAS DAS CLÁUSULAS DE FORÇA MAIOR, DA CLÁUSULA HARDSHIP E SUAS DIFERENÇAS

AS CARACTERÍSTICAS DAS CLÁUSULAS DE FORÇA MAIOR, DA CLÁUSULA HARDSHIP E SUAS DIFERENÇAS AS CARACTERÍSTICAS DAS CLÁUSULAS DE FORÇA MAIOR, DA CLÁUSULA HARDSHIP E SUAS DIFERENÇAS No presente artigo serão abordadas as características e as diferenças entre a cláusula de força maior e a cláusula

Leia mais

CONTRATOS INTERNACIONAIS: NOVOS PARADIGMAS AO JURISTA BRASILEIRO

CONTRATOS INTERNACIONAIS: NOVOS PARADIGMAS AO JURISTA BRASILEIRO CONTRATOS INTERNACIONAIS: NOVOS PARADIGMAS AO JURISTA BRASILEIRO Neuci Pimenta de Medeiros * Walcemir de Azevedo de Medeiros ** há uma novidade no ordenamento jurídico brasileiro: a Convenção das Nações

Leia mais

Profª: Ana Maria Siqueira

Profª: Ana Maria Siqueira Profª: Ana Maria Siqueira Embora seja um termo bastante amplo, podemos conceituar ética como uma área do saber à qual corresponde o estudo dos juízos de valor referentes à conduta humana, seja tomando

Leia mais

Unidade I. Instituições de Direito Público e Privado. Profª. Joseane Cauduro

Unidade I. Instituições de Direito Público e Privado. Profª. Joseane Cauduro Unidade I Instituições de Direito Público e Privado Profª. Joseane Cauduro Estrutura da Disciplina Unidade I Conceitos Gerais de Direito O Direito e suas divisões, orientações e a Lei jurídica Unidade

Leia mais

Boa-fé nas relações de consumo

Boa-fé nas relações de consumo BuscaLegis.ccj.ufsc.br Boa-fé nas relações de consumo *Ida Regina Pereira Leite O princípio da boa fé se traduz no interesse social da segurança das relações jurídicas onde as partes devem agir com lealdade

Leia mais

Ética e a Profissão Forense.

Ética e a Profissão Forense. Ética e a Profissão Forense. 1. Conceito de Profissão: sob o enfoque moral, conceitua-se profissão como uma atividade pessoal, desenvolvida de maneira estável e honrada, ao serviço dos outros e a benefício

Leia mais

liberada por se tratar de um documento não aprovado pela PUC Goiás.

liberada por se tratar de um documento não aprovado pela PUC Goiás. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação - PROGRAD Plano de Ensino 2015/1 Atenção! Este Plano de Ensino é um Rascunho. Sua impressão não está liberada por se tratar de um documento

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO. MARATONA DO PONTO FCC Prof. Luiz Lima

DIREITO ADMINISTRATIVO. MARATONA DO PONTO FCC Prof. Luiz Lima DIREITO ADMINISTRATIVO MARATONA DO PONTO FCC Prof. Luiz Lima MARATONA DO PONTO CESPE Foco na Banca FCC Estudo das Leis e seus principais artigos / atualização jurisprudencial Aulas ao vivo (1h40 min de

Leia mais

Parte I Filosofia do Direito. Teoria Geral do Direito e da Política

Parte I Filosofia do Direito. Teoria Geral do Direito e da Política S u m á r i o Parte I Filosofia do Direito. Teoria Geral do Direito e da Política CAPÍTULO I Filosofia do Direito I: O Conceito de Justiça, O Conceito de Direito, Equidade, Direito e Moral...3 I. O conceito

Leia mais

Direito Civil. Da Formação dos Contratos. Professora Tatiana Marcello.

Direito Civil. Da Formação dos Contratos. Professora Tatiana Marcello. Direito Civil Da Formação dos Contratos Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Aula Civil XX LEI Nº 10.406, DE 10 DE JANEIRO DE 2002 Institui o Código Civil. O PRESIDENTE DA

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Responsabilidade Pós-Contratual Marco Aurélio Jacob Bretas * Rodney Alexandro Paraná Pazelo Juarez Bogoni 1 - INTRODUÇÃO "O contrato, como instrumento capaz de produzir efeitos jurídicos,

Leia mais

22/08/2014. Tema 7: Ética e Filosofia. O Conceito de Ética. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes

22/08/2014. Tema 7: Ética e Filosofia. O Conceito de Ética. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes Tema 7: Ética e Filosofia Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes O Conceito de Ética Ética: do grego ethikos. Significa comportamento. Investiga os sistemas morais. Busca fundamentar a moral. Quer explicitar

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Da cessão da posição contratual, campo de atuação, efeitos e atipicidade no direito pátrio. Rafael da Gama* Da cessão contratual O instituto da cessão da posição contratual consiste

Leia mais

PENSÃO AVOENGA: UMA OBRIGAÇÃO SOLIDÁRIA OU SUBSIDIÁRIA?

PENSÃO AVOENGA: UMA OBRIGAÇÃO SOLIDÁRIA OU SUBSIDIÁRIA? PENSÃO AVOENGA: UMA OBRIGAÇÃO SOLIDÁRIA OU SUBSIDIÁRIA? Marianne Trevisan Pedrotti MASSIMO 1 RESUMO: Este trabalho tem como objetivo abordar as obrigações subsidiárias e solidárias, apresentando seus conceitos

Leia mais

Aula 00 Ética na Administração do Estado e Atribuições p/ ARTESP (Analista de Suporte à Regulação)

Aula 00 Ética na Administração do Estado e Atribuições p/ ARTESP (Analista de Suporte à Regulação) Aula 00 Ética na Administração do Estado e Atribuições p/ ARTESP (Analista de Suporte à Regulação) Professor: Tiago Zanolla 00000000000 - DEMO LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA ARTESP Teoria e questões comentadas

Leia mais

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS TÍTULO: DOLO BILATERAL E SUAS CONSEQÊNCIAS JURÍDICAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: DIREITO INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS AUTOR(ES):

Leia mais

JURISPRUDÊNCIA DOS INTERESSES

JURISPRUDÊNCIA DOS INTERESSES JURISPRUDÊNCIA DOS INTERESSES Sequência da Jurisprudência Teleológica, de Jhering: Direito vinculado a um determinado fim desejado pela sociedade. Decisões judiciais: objetivam satisfazer as necessidades

Leia mais

HERMENÊUTICA CONSTITUCIONAL

HERMENÊUTICA CONSTITUCIONAL HERMENÊUTICA CONSTITUCIONAL Objetivo final do estudo da Herm. Jurídica Ponto de encontro entre o social e o jurídico Dinamismo da sociedade desafia o intérprete Novo padrão interpretativo: norma + contexto

Leia mais

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA DIRETORIA DE GRADUAÇÃO Área de Ciências Humanas, Sociais e Aplicadas DISCIPLINA: Dos Contratos CÓDIGO CRÉDITOS CARGA HORÁRIA H119749 04 80 PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM EMENTA

Leia mais

DIREITO CIVIL III - CONTRATOS CONTRATOS TEORIA GERAL DOS. Interpretação Contratual (Hermenêutica) 24/09/09 Prof a. Esp.

DIREITO CIVIL III - CONTRATOS CONTRATOS TEORIA GERAL DOS. Interpretação Contratual (Hermenêutica) 24/09/09 Prof a. Esp. DIREITO CIVIL III - CONTRATOS TEORIA GERAL DOS CONTRATOS Interpretação Contratual (Hermenêutica) 24/09/09 Prof a. Esp. Helisia Góes CONCEITOS RELEVANTES INTERPRETAR é estender ou explicar o sentido, as

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO I. A Função do Estado. Origem do Direito Administrativo. O Regime Jurídicoadministrativo. Princípios Constitucionais do Direito Administrativo... 02 II. Administração Pública...

Leia mais

Direito das Obrigações I DOCENTE CARGA HORÁRIA

Direito das Obrigações I DOCENTE CARGA HORÁRIA CURSO DISCIPLINA DIREITO Direito das Obrigações I DOCENTE PERÍODO CARGA HORÁRIA EMENTA OBJETIVOS 2 P 80 h Conceitos gerais; Classificação das obrigações; Efeitos das obrigações; Extinção das obrigações

Leia mais

Ao contrário das leis, os costumes são normas que não provêm da atividade legislativa das autoridades políticas, mas da consolidação dos usos

Ao contrário das leis, os costumes são normas que não provêm da atividade legislativa das autoridades políticas, mas da consolidação dos usos COSTUME JURÍDICO Ao contrário das leis, os costumes são normas que não provêm da atividade legislativa das autoridades políticas, mas da consolidação dos usos tradicionais de um povo ou comunidade. Em

Leia mais

Direito Empresarial e Trabalhista silviabertani.wordpress.com

Direito Empresarial e Trabalhista silviabertani.wordpress.com 1 Direito Empresarial e Trabalhista silviabertani.wordpress.com Uma leitura interessante... 2 Em meio à contemporaneidade das relações de comércio e das implementações comerciais que o mundo globalizado

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL CÓDIGO DE ÉTICA

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL CÓDIGO DE ÉTICA SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL CÓDIGO DE ÉTICA SUMÁRIO 1. Introdução...3 2. VISÃO, MISSÃO, VALORES E TEMAS ESTRATÉGICOS... 4 2.1 Missão... 4 2.2 Visão...

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Promover o desenvolvimento das competências e habilidades definidas no perfil do egresso, quais sejam:

PLANO DE ENSINO. Promover o desenvolvimento das competências e habilidades definidas no perfil do egresso, quais sejam: PLANO DE ENSINO CURSO: Direito PERÍODO: 6º Semestre DISCIPLINA: Contratos Civil e Empresarial CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 horas/aula CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 horas/aula I EMENTA Contratos em espécie.

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO. Ricardo Alexandre

DIREITO ADMINISTRATIVO. Ricardo Alexandre DIREITO ADMINISTRATIVO Ricardo Alexandre PREPARATÓRIO TCE-SP Para estudar os Princípios da Administração Pública é preciso recordar o Ordenamento Jurídico Brasileiro, que é composto por um conjunto de

Leia mais

O ACESSO À SAÚDE COMO DIREITO FUNDAMENTAL

O ACESSO À SAÚDE COMO DIREITO FUNDAMENTAL 1 O ACESSO À SAÚDE COMO DIREITO FUNDAMENTAL Graciela Damiani Corbalan INFANTE 1 RESUMO: O presente trabalho se propõe a analisar o acesso ao sistema de saúde como direito fundamental, protegido pela Constituição

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2014/02 Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. DISCIPLINA: DIREITO CIVIL III PROFESSORA: IVANA BONESI RODRIGUES LELLIS TURMA: 4º AM / BM

Leia mais

Tassia Teixeira de Freitas CONTRATOS PARTE GERAL

Tassia Teixeira de Freitas CONTRATOS PARTE GERAL Tassia Teixeira de Freitas CONTRATOS PARTE GERAL TÓPICOS AULA 02 CONTRATO ATÍPICO AUTOCONTRATO PRINCÍPIOS CONTRATUAIS INTERPRETAÇÃO DOS CONTRATOS CONTRATOS ATÍPICOS (425 CC/2002): AUTOCONTRATO (ou contrato

Leia mais

A VISÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO SOBRE AS CONSULTAS PRÉVIAS PARA CONTRATAÇÃO DE EMPREGADOS 19 DE ABRIL DE 2012

A VISÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO SOBRE AS CONSULTAS PRÉVIAS PARA CONTRATAÇÃO DE EMPREGADOS 19 DE ABRIL DE 2012 A VISÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO SOBRE AS CONSULTAS PRÉVIAS PARA CONTRATAÇÃO DE EMPREGADOS 19 DE ABRIL DE 2012 Formação do contrato de trabalho O vínculo de emprego é uma relação jurídica de natureza contratual.

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D - 14 PERÍODO: 4 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO CIVIL II NOME DO CURSO: DIREITO 2.

1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D - 14 PERÍODO: 4 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO CIVIL II NOME DO CURSO: DIREITO 2. 1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D - 14 PERÍODO: 4 CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO CIVIL II NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 Introdução

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA DA CÂMARA MUNICIPAL DE NORDESTE CAPÍTULO I

CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA DA CÂMARA MUNICIPAL DE NORDESTE CAPÍTULO I CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA DA CÂMARA MUNICIPAL DE NORDESTE O Código de Ética e Conduta profissional é um documento que define os modelos de comportamento a observar pelos profissionais do Município de

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Promover o desenvolvimento das competências e habilidades definidas no perfil do egresso, quais sejam:

PLANO DE ENSINO. Promover o desenvolvimento das competências e habilidades definidas no perfil do egresso, quais sejam: PLANO DE ENSINO CURSO: Direito SÉRIE: 3º Semestre DISCIPLINA: Ilicitude e Culpabilidade CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 horas/aula CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 horas/aula I EMENTA Tipo e tipicidade. Antijuricidade.

Leia mais

Aula 11 1) RELAÇÃO ENTRE A FUNÇÃO SOCIAL DOS CONTRATOS E OS DEMAIS PRINCÍPIOS

Aula 11 1) RELAÇÃO ENTRE A FUNÇÃO SOCIAL DOS CONTRATOS E OS DEMAIS PRINCÍPIOS Turma e Ano: CAM MASTER B 2015 Matéria / Aula: Direito Civil Obrigações e Contratos Aula 11 Professor: Rafael da Mota Mendonça Monitor: Mário Alexandre de Oliveira Ferreira Aula 11 1) RELAÇÃO ENTRE A FUNÇÃO

Leia mais

1ª Fase PROVA OBJETIVA DIREITO CIVIL

1ª Fase PROVA OBJETIVA DIREITO CIVIL 1ª Fase PROVA OBJETIVA DIREITO CIVIL P á g i n a 1 QUESTÃO 1 - A respeito da propriedade e da posse, assinale a alternativa correta: A. As concepções doutrinárias que entendem a função social como limite

Leia mais

Capítulo 1 Histórico e Objetos do Direito Civil... 1 Capítulo 2 Introdução ao Direito Civil... 15

Capítulo 1 Histórico e Objetos do Direito Civil... 1 Capítulo 2 Introdução ao Direito Civil... 15 Sumário Capítulo 1 Histórico e Objetos do Direito Civil... 1 1. Aspectos históricos... 1 2. A formação do Direito Civil... 6 3. Novos paradigmas do Código Civil brasileiro...11 3.1. Sistema aberto...12

Leia mais

VÍCIOS E DEFEITO DOS PRODUTOS E SERVIÇOS E ATUAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO

VÍCIOS E DEFEITO DOS PRODUTOS E SERVIÇOS E ATUAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO VÍCIOS E DEFEITO DOS PRODUTOS E SERVIÇOS E ATUAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO Dra. Adriana Borghi Fernandes Monteiro Promotora de Justiça Coordenadora da Área do Consumidor Vício do Produto ou do Serviço CDC

Leia mais

Instituto das Perdas e Danos

Instituto das Perdas e Danos Isabela Di Maio Barbosa 1 Instituto das Perdas e Danos 2008 Conceito e aspectos do instituto de perdas e danos Entende-se na expressão perdas e danos um instituto de direito civil assinalado como uma forma

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Direito Administrativo Princípios constitucionais da Administração Pública Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Administrativo PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

NOTA DE ABERTURA À SEGUNDA EDIÇÃO 17. INTRODUÇÃO 19 Maria Manuel Leitão Marques 21

NOTA DE ABERTURA À SEGUNDA EDIÇÃO 17. INTRODUÇÃO 19 Maria Manuel Leitão Marques 21 SIGLAS 15 NOTA DE ABERTURA À SEGUNDA EDIÇÃO 17 INTRODUÇÃO 19 Maria Manuel Leitão Marques 21 O mercado e a economia de mercado 21 O Direito, o mercado e a concorrência 22 Saber Direito para entender o mercado

Leia mais

PALAVRAS PRÉVIAS 8ª EDIÇÃO PREFÁCIO APRESENTAÇÃO

PALAVRAS PRÉVIAS 8ª EDIÇÃO PREFÁCIO APRESENTAÇÃO Sumário PALAVRAS PRÉVIAS 8ª EDIÇÃO... 15 PREFÁCIO... 19 APRESENTAÇÃO... 21 Capítulo Introdutório AS OBRIGAÇÕES EM LEITURA CIVIL - CONSTITUCIONAL... 23 Capítulo I INTRODUÇÃO AO DIREITO DAS OBRIGAÇÕES...

Leia mais

AULA 10: NOÇÕES GERAIS DE CONTRATOS

AULA 10: NOÇÕES GERAIS DE CONTRATOS AULA 10: Prof. Thiago Gomes VOCÊ JÁ CONTRATOU HOJE? 1 O QUE É O CONTRATO? Para suprir suas necessidades o homem interage com seus semelhantes das mais variadas formas, entre elas, o contrato. CONCEITO

Leia mais

Código de Conduta de Terceiros

Código de Conduta de Terceiros Código de Conduta de Terceiros ÍNDICE APRESENTAÇÃO...4 COMPROMISSO COM A INTEGRIDADE...5 CONFORMIDADE COM LEIS E NORMAS APLICÁVEIS...6 INTOLERÂNCIA ÀS PRÁTICAS DE CORRUPÇÃO E SUBORNO...6 RESPEITO AOS

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DO MUNICÍPIO DE SALVATERRA DE MAGOS

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DO MUNICÍPIO DE SALVATERRA DE MAGOS CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DO MUNICÍPIO DE SALVATERRA DE MAGOS 1 ÍNDICE Siglas... 3 1.Introdução... 4 2.Objeto... 4 3. Âmbito de aplicação... 4 4. Princípios gerais... 4 5. Princípios básicos.7 6. Disposições

Leia mais

O DIREITO DAS OBRIGAÇÕES E SUAS RAMIFICAÇÕES NO CODIGO CIVIL BRASILEIRO

O DIREITO DAS OBRIGAÇÕES E SUAS RAMIFICAÇÕES NO CODIGO CIVIL BRASILEIRO O DIREITO DAS OBRIGAÇÕES E SUAS RAMIFICAÇÕES NO CODIGO CIVIL BRASILEIRO Maria Emiliana FRETES RESUMO: Tem por característica a Teoria Geral das Obrigações regimentar relações jurídicas de ordem patrimonial,

Leia mais

- Identificar as características da norma, as fontes de Direito, sua vigência e hierarquia;

- Identificar as características da norma, as fontes de Direito, sua vigência e hierarquia; FUNDAMENTOS DO DIREITO [11111] GERAL Regime: Semestre: OBJETIVOS A unidade curricular de Fundamentos do Direito visa fornecer aos alunos uma introdução ao conceito, problemas e método do Direito, construindo

Leia mais

A OBRIGATORIEDADE DO EXAME CRIMINOLÓGICO NA PROGRESSÃO DE REGIME Carina Machado OCCHIENA 1 Luís Henrique de Moraes AFONSO 2

A OBRIGATORIEDADE DO EXAME CRIMINOLÓGICO NA PROGRESSÃO DE REGIME Carina Machado OCCHIENA 1 Luís Henrique de Moraes AFONSO 2 A OBRIGATORIEDADE DO EXAME CRIMINOLÓGICO NA PROGRESSÃO DE REGIME Carina Machado OCCHIENA 1 Luís Henrique de Moraes AFONSO 2 RESUMO: O presente trabalho teve por objetivo demonstrar a discussão acerca da

Leia mais

Universidade de Brasília UnB - Faculdade de Direito Disciplina: Teoria Geral do Direito Privado Professora: Ana Frazão ROTEIRO 2

Universidade de Brasília UnB - Faculdade de Direito Disciplina: Teoria Geral do Direito Privado Professora: Ana Frazão ROTEIRO 2 Universidade de Brasília UnB - Faculdade de Direito Disciplina: Teoria Geral do Direito Privado Professora: Ana Frazão ROTEIRO 2 A RELAÇÃO JURÍDICA NA VISÃO DA TEORIA GERAL DO DIREITO PRIVADO 1. O conceito

Leia mais

SEMINÁRIO DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS

SEMINÁRIO DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS SEMINÁRIO DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS CÂMARA DE INDÚSTRIA, COMÉRCIO E SERVIÇOS DE CAXIAS DO SUL Outubro de 2017 CONTRATOS INTERNACIONAIS O que são Contratos Internacionais No direito brasileiro, um contrato

Leia mais

Prof. Me. Edson Guedes. Unidade II INSTITUIÇÕES DE DIREITO

Prof. Me. Edson Guedes. Unidade II INSTITUIÇÕES DE DIREITO Prof. Me. Edson Guedes Unidade II INSTITUIÇÕES DE DIREITO 5. Direito Civil Unidade II 5.1 Da validade dos negócios jurídicos; 5.2 Responsabilidade civil e ato ilícito; 5. Direito Civil 5.1 Da validade

Leia mais

PROCESSO CIVIL IV EXECUÇÃO introdução

PROCESSO CIVIL IV EXECUÇÃO introdução PROCESSO CIVIL IV EXECUÇÃO introdução Prof. Dra. Liana Cirne Lins Faculdade de Direito do Recife Universidade Federal de Pernambuco Programa Teoria geral da execução o Conceito, natureza e finalidade da

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Direito Administrativo Delegado da Polícia Federal Período: 2004-2016 Sumário Direito Administrativo... 3 Princípios Administrativo... 3 Ato Administrativo... 3 Organização

Leia mais

OBRIGAÇÕES NO CÓDIGO CIVIL

OBRIGAÇÕES NO CÓDIGO CIVIL OBRIGAÇÕES NO CÓDIGO CIVIL Gabriel Engel DUCATTI¹ RESUMO: O presente artigo visa retratar os princípios que norteiam as relações contratuais no Código Civil Brasileiro, bem como a função social do contrato,

Leia mais

DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS

DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS CLASSIFICAÇÃO DOS NEGÓCIOS JURÍDICOS: (a) unilaterais bilaterais e plurilaterais; (b) gratuitos e onerosos neutros e bifrontes; (c) inter vivos e mortis causa ; (d) principais e

Leia mais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE DIREITO

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE DIREITO INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE DIREITO AULA 1 MORAL, ÉTICA E DIREITO OBJETIVO Distinguir Direito, de Ética e de Moral MECANISMOS DE CONTROLE SOCIAL - MORAL - ÉTICA - REGRAS DE TRATO SOCIAL - RELIGIÃO SÓ DESCREVEM

Leia mais

Sumário. Palavras Prévias 11ª edição Prefácio Apresentação As Obrigações em Leitura Civil-constitucional... 25

Sumário. Palavras Prévias 11ª edição Prefácio Apresentação As Obrigações em Leitura Civil-constitucional... 25 Sumário Palavras Prévias 11ª edição... 17 Prefácio... 21 Apresentação... 23 Capítulo Introdutório As Obrigações em Leitura Civil-constitucional... 25 Capítulo I Introdução ao Direito das Obrigações...

Leia mais

DIREITO CIVIL E PROCESUAL CIVIL 2014

DIREITO CIVIL E PROCESUAL CIVIL 2014 DIREITO CIVIL E PROCESUAL CIVIL 2014 59. O Código Civil pátrio estabelece as formas em que a propriedade da coisa móvel pode ser adquirida. Assinale a alternativa que NÃO prevê uma forma de aquisição da

Leia mais

Contratos Administrativos

Contratos Administrativos Contratos Administrativos Principais Características do Contrato Administrativo Cláusulas Exorbitantes Duração dos Contratos Extinção do Contrato Rescisão e Anulação RAD 2601 Direito Administrativo Professora

Leia mais

DIREITO DO CONSUMIDOR. Odon Bezerra Cavalcanti Sobrinho

DIREITO DO CONSUMIDOR. Odon Bezerra Cavalcanti Sobrinho DIREITO DO CONSUMIDOR Odon Bezerra Cavalcanti Sobrinho Contrato Proteção Contratual CONCEPÇÃO TRADICIONAL DE CONTRATO X NOVA REALIDADE DAS RELAÇÕES CONTRATUAIS Visão Histórica: Delineada especialmente

Leia mais

MATERIAL DE APOIO 06. Efeitos do contrato relativamente a terceiros. Estipulação em favor de terceiro (arts )

MATERIAL DE APOIO 06. Efeitos do contrato relativamente a terceiros. Estipulação em favor de terceiro (arts ) 1 MATERIAL DE APOIO 06 RELATIVIDADE E EFEITOS DOS CONTRATOS Principal efeito: criar obrigações, estabelecendo um vínculo jurídico entre as partes contratantes contrato = fonte de obrigações. Como REGRA

Leia mais

Direito das Obrigações

Direito das Obrigações Direito das Obrigações Kauísa Carneiro ZANFOLIN RESUMO: Trata-se de obrigações das quais acarretam consequências jurídicas, são tratadas pela parte especial do Código Civil. Corresponde a uma relação de

Leia mais

O Direito das Obrigações e os Contratos

O Direito das Obrigações e os Contratos O Direito das Obrigações e os Contratos RESUMO O presente artigo busca não só traçar, como reafirmar a importância do estudo e entendimento do Direito das Obrigações juntamente com o Direito dos Contratos.

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Procurador de Justiça no processo penal Edison Miguel da Silva Júnior* 1. Introdução No conhecido livro Eles, os juízes, visto por nós, os advogados, Calamandrei afirmar que na acusação

Leia mais

DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE JURÍDICA NA JUSTIÇA DO TRABALHO

DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE JURÍDICA NA JUSTIÇA DO TRABALHO DESCONSIDERAÇÃO DA PERSONALIDADE JURÍDICA NA JUSTIÇA DO TRABALHO Se negativa a providência supra, diante da responsabilidade dos sócios conforme artigos 592 e 596 do C.P.C c/c o inciso V do artigo 4º da

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO CIVIL

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO CIVIL P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO CIVIL 1. Sobre a chamada constitucionalização do Direito Civil, assinale a alternativa correta: A) A constitucionalização do Direito Civil preconiza,

Leia mais

Direito das Obrigações

Direito das Obrigações Direito das Obrigações Matheus Hotsuta NASCIMENTO 1 RESUMO: Estudo específico sobre Direito das Obrigações, modalidade Obrigações de Dar, previsto no Código Civil, no Artigo 233 a 246. Esclarecimento de

Leia mais

Princípios da Administração Pública

Princípios da Administração Pública Princípios da Administração Pública PRINCÍPIO DA LEGALIDADE Conceito: Ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei (art. 5º, II da CF). O Princípio da legalidade

Leia mais

O PRINCÍPIO DA CAPACIDADE CONTRIBUTIVA E OS IMPOSTOS DIRETOS E INDIRETOS

O PRINCÍPIO DA CAPACIDADE CONTRIBUTIVA E OS IMPOSTOS DIRETOS E INDIRETOS O PRINCÍPIO DA CAPACIDADE CONTRIBUTIVA E OS IMPOSTOS DIRETOS E INDIRETOS Giovana JERONIMO 1 Wesley TEIXEIRA 2 RESUMO: através de um breve apontamento teórico, o presente estudo buscou analisar o princípio

Leia mais

NOSSOS PRINCÍPIOS, NOSSOS VALORES, NOSSA ATITUDE.

NOSSOS PRINCÍPIOS, NOSSOS VALORES, NOSSA ATITUDE. CÓDIGO DE CONDUTA NOSSOS PRINCÍPIOS, NOSSOS VALORES, NOSSA ATITUDE. Mensagem do presidente. Quando criamos a Heads Propaganda, em 1989, partíamos de um princípio: fazer uma agência que oferecesse comunicação

Leia mais

O Princípio da boa-fé objetiva na defesa do consumidor

O Princípio da boa-fé objetiva na defesa do consumidor seara jurídica ISSN 1984-9311 V.2 N. 10 Jul - Dez 2013 O Princípio da boa-fé objetiva na defesa do consumidor Sebastião Marques Neto 1* No Brasil, a partir dos anos 30 do século XX, começa a se desenvolver,

Leia mais

A CONCEPÇÃO CONTEMPORÂNEA DE JURISDIÇÃO E A CRIATIVIDADE JUDICIAL

A CONCEPÇÃO CONTEMPORÂNEA DE JURISDIÇÃO E A CRIATIVIDADE JUDICIAL A CONCEPÇÃO CONTEMPORÂNEA DE JURISDIÇÃO E A CRIATIVIDADE JUDICIAL Thatiane Ferreira FEDATO 1 Luiza Dower de MELO 2 RESUMO: O presente trabalho visa analisar a jurisdição em sua concepção contemporânea,

Leia mais

Introdução...1. Parte I A Religião e o Mundo do Trabalho

Introdução...1. Parte I A Religião e o Mundo do Trabalho SUMÁRIO Introdução...1 Parte I A Religião e o Mundo do Trabalho Capítulo 1 Religião, Direitos Humanos e Espaço Público: Algumas Nótulas Preliminares...7 1. Religião e Direitos Humanos...7 2. O Regresso

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA DOS TRABALHADORES DA CMVM. Capítulo I Disposições gerais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA DOS TRABALHADORES DA CMVM. Capítulo I Disposições gerais CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA DOS TRABALHADORES DA CMVM Capítulo I Disposições gerais Artigo 1.º Objecto No exercício das suas funções, em particular nas relações com os restantes trabalhadores e com a CMVM,

Leia mais

EDIÇAONº1 OUTUBRODE2012

EDIÇAONº1 OUTUBRODE2012 Códigode Conduta EDIÇAONº1 OUTUBRODE2012 2 Manual de conduta lamil Códigode Conduta Manual de conduta lamil 3 APRESENTAÇÃO O presente manual deve servir como orientação aos colaboradores da Lamil quanto

Leia mais

liberada por se tratar de um documento não aprovado pela PUC Goiás.

liberada por se tratar de um documento não aprovado pela PUC Goiás. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação - PROGRAD Plano de Ensino 2015/1 Atenção! Este Plano de Ensino é um Rascunho. Sua impressão não está liberada por se tratar de um documento

Leia mais

Curso Direito Empresarial Administração

Curso Direito Empresarial Administração AULA 4 Sociedades. Empresárias ou simples. Personificadas e não personificadas. Sociedades empresárias, espécies. 4.1. As sociedades empresárias A pessoa jurídica Sociedade empresária é um agrupamento

Leia mais

Tribunais Direito Civil Contratos Nilmar de Aquino Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Tribunais Direito Civil Contratos Nilmar de Aquino Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Direito Civil Contratos Nilmar de Aquino 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1. Definição Contrato é o acordo de duas ou mais vontades que visa à aquisição,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PLANO DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO I. IDENTIFICAÇÃO Unidade Acadêmica: Unidade Acadêmica Especial de Letras, Ciências Humanas e Sociais Aplicadas da Regional Jataí Curso: Direito Disciplina: Direito do Consumidor Carga horária

Leia mais

NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO

NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO 63 QUESTÕES DE PROVAS IBFC POR ASSUNTOS 09 QUESTÕES DE PROVAS DE OUTRAS BANCAS 05 QUESTÕES ELABORADAS PELO EMMENTAL Edição Maio 2017 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. É vedada

Leia mais

Tribunais Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro Direito Civil Nilmar de Aquino

Tribunais Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro Direito Civil Nilmar de Aquino Tribunais Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro Direito Civil Nilmar de Aquino 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1. Introdução Lei que regulamenta

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS TEORIA GERAL DO DIREITO

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS TEORIA GERAL DO DIREITO PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS TEORIA GERAL DO DIREITO P á g i n a 1 Questão 1. Hans Kelsen em sua obra Teoria Pura do Direito : I. Define a Teoria Pura do Direito como uma teoria do Direito positivo

Leia mais

Conceito de Moral. O conceito de moral está intimamente relacionado com a noção de valor

Conceito de Moral. O conceito de moral está intimamente relacionado com a noção de valor Ética e Moral Conceito de Moral Normas Morais e normas jurídicas Conceito de Ética Macroética e Ética aplicada Vídeo: Direitos e responsabilidades Teoria Exercícios Conceito de Moral A palavra Moral deriva

Leia mais

PLANOS DE SAÚDE E A RECUSA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AO CONSUMIDOR INDIVIDUAL

PLANOS DE SAÚDE E A RECUSA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AO CONSUMIDOR INDIVIDUAL PLANOS DE SAÚDE E A RECUSA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS AO CONSUMIDOR INDIVIDUAL Paulo R. Roque A. Khouri Coordenador da Pós-Graduação em Contratos e Responsabilidade Civil do Instituto Brasiliense de Direito

Leia mais

PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO

PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO CONCEITO E FINALIDADE Os princípios do Direito do Trabalho são as ideias fundamentais e informadoras do ordenamento jurídico trabalhista. São o alicerce cientifico, as

Leia mais