Questionário - Proficiência Clínica

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Questionário - Proficiência Clínica"

Transcrição

1 Tema IMUNOLOGIA BÁSICA Elaborador Texto Introdutório João Renato Rebello Pinho, Médico Patologista Clínico, Doutor em Bioquímica, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e Hospital Israelita Albert Einstein. O termo imunidade é derivado do latim, da palavra immunitas, que significa a proteção contra processos legais, oferecida aos sem adores romanos durante o seu mandato. Historicamente, imunidade significa proteção contra doenças, mais especificamente doenças infecciosas. As células e moléculas responsáveis pela imunidade constituem o sistema imune, e sua resposta coletiva e coordenada contra a introdução de substâncias estranhas, é chamada de resposta imune. Ilya Ilyich Mechnikov ( ) é considerado o criador do conceito de imunologia com sua demonstração de que fagócitos cercavam um acúleo espetado na larva translúcida de uma estrela do mar, publicada em 1883, que foi a primeira evidência experimental de resposta contra organismos invasores. Este questionário abordará os princípios básicos da imunologia, os tipos de respostas imunológicas e suas propriedades gerais. Serão também abordados os fundamentos gerais que regem todos os tipos de respostas imunológicas. Questão 1 A resposta imune é definida por respostas precoces (imunidade inata) e tardias (imunidade adaptativa). Assinale a alternativa que melhor completa a figura abaixo: 1. A: células NK; B: complemento; C: linfócitos B; D: anticorpos; E: linfócitos T; F: células T efetoras; 2. A: células NK; B: complemento; C: linfócitos T; D: anticorpos; E: linfócitos B; F: células B efetoras; 3. A: linfócitos B; B: anticorpos; C: células NK; D: complemento; E: linfócitos T; F: células T efetoras; 4. A: linfócitos T; B: células T efetoras; C: linfócitos B; D: anticorpos; E: células NK; F: complemento. Página 1 de 5

2 Questão 2 Questão 3 Questão 4 Questão 5 Questão 6 Assinale a alternativa correta em relação aos tipos de respostas imunológicas: 1. Existe a imunidade humoral mediada por moléculas presentes no sangue e nas secreções das mucosas, que são produzidas pelos linfócitos B; 2. Existe a imunidade inata mediada pelos linfócitos T, que promovem a destruição de microrganismos localizados dentro de fagócitos ou a destruição de células infectadas para eliminar os reservatórios da infecção; 3. Existe a imunidade celular mediada por barreiras químicas e físicas, células fagocitárias, células NK e proteínas do sangue, como frações do sistema complemento e citocinas; 4. Existe a imunidade específica, pois o sistema imunológico não tem capacidade de distinguir entre diferentes microrganismos e moléculas. Assinale a alternativa correta sobre: a imunidade contra um microrganismo pode ser induzida pela resposta do hospedeiro ou pela transferência de anticorpos ou de linfócitos específicos para o microrganismo: 1. A imunidade humoral é muito importante para a resposta contra microrganismos intracelulares, pois estes podem ser facilmente inativados pelos anticorpos; 2. A imunidade ativa ocorre quando induzida pela exposição a um antígeno estranho, pois o indivíduo imunizado desempenha papel ativo na resposta ao antígeno; 3. Indivíduos e linfócitos que tiveram exposição a um antígeno em particular, são chamados de naïve, o que implica que tem experiência imunológica prévia contra este antígeno; 4. Indivíduos que não responderam a um antígeno microbiano e não estão protegidos contra exposições posteriores aquele microrganismo, são considerados imunes. Assinale a alternativa correta em relação à imunidade passiva: 1. Imunidade só existe quando manifestada ativamente, sendo assim, este termo é inadequado; 2. Uma pessoa que se torna imune pela transferência de plasma ou linfócitos de um indivíduo imunizado é um exemplo de imunidade ativa; 3. A utilização de gama globulina hiperimune para a prevenção de hepatite B em pacientes submetidos a transplante de fígado, é um exemplo; 4. A utilização de vacina para a prevenção de hepatite B em pacientes submetidos a transplante de fígado, é um exemplo. Assinale a alternativa correta em relação à resposta imunológica adquirida: 1. As respostas imunológicas são específicas para cada antígeno, sendo as partes reconhecidas denominadas como determinantes ou epítopos; 2. O número total de especificidades antigênicas dos linfócitos de um indivíduo, denominado repertório linfocitário, é muito pequeno; 3. Respostas a exposições posteriores ao mesmo antígeno são mais lentas e menos intensas do que a resposta primária ao antígeno; 4. Expansão clonal é o mecanismo pelo qual os linfócitos não sofrem considerável proliferação após a exposição ao antígeno. São outras características da resposta imunológica adquirida: 1. O sistema imunológico não responde de maneira distinta e especial aos diferentes microrganismos, maximizando a eficiência dos mecanismos de defesa; 2. As respostas imunológicas normais não diminuem com o passar do tempo, fazendo com que o sistema imunológico uma vez ativado contra um antígeno, assim permaneça (homeostasia); 3. O sistema imune é capaz de reconhecer antígenos estranhos e ao mesmo tempo, não desenvolve reação lesiva às substâncias antigênicas próprias (tolerância); 4. Doenças auto-imunes são causadas sempre pela injeção de anticorpos que reconhecem globulinas. Página 2 de 5

3 Questão 7 Na figura abaixo é possível visualizar as diferentes classes de linfócitos e suas funções na resposta imune. Assinale a alternativa que melhor completa a figura abaixo: 1. A: célula NK; B: linfócito T regulador; C: linfócito T citotóxico; D: linfócito T auxiliar; E: linfócito B; 2. A: célula NK; B: linfócito T regulador; C: linfócito B; D: linfócito T auxiliar; E: linfócito T citotóxico; 3. A: linfócito T auxiliar; B: linfócito B; C: linfócito T citotóxico; D: linfócito T regulador; E: célula NK; 4. A: linfócito B; B: linfócito T auxiliar; C: linfócito T citotóxico; D: linfócito T regulador; E: célula NK. Questão 8 A resposta inicial aos antígenos estranhos é a resposta imune inata ou natural. Deste processo participam: 1. Anticorpos secretados pelos linfócitos B e plasmócitos que se ligam aos microrganismos extracelulares, bloqueiam sua capacidade de infectar células e promovem sua destruição por fagócitos; 2. Células T auxiliares que aumentam as capacidades letais dos fagócitos; 3. Células T citotóxicas que destroem as células infectadas por microrganismos que são inacessíveis aos anticorpos; 4. Pele, epitélio das mucosas, substâncias antimicrobianas, complemento, macrófagos, neutrófilos e células NK. Página 3 de 5

4 Questão 9 Questão 10 Assinale a alternativa correta sobre a apresentação dos antígenos exógenos, que é um passo fundamental para o início do desenvolvimento da resposta adquirida: 1. Para este processo ser eficaz a quantidade do antígeno é em geral muito grande, bem como a quantidade prévia de linfócitos inativos específicos para este antígeno; 2. As células dendríticas são APCs (Células Apresentadoras de Antígeno) que exibem os peptídeos exógenos aos linfócitos T naïves, CD4 e CD8, e iniciam as respostas imunes adaptativas aos antígenos protéicos; 3. As células dendríticas localizadas no epitélio e nos tecidos conjuntivos capturam micróbios, digerem suas proteínas para peptídeos e expressam na sua superfície esses peptídeos sem qualquer interação com moléculas MHC; 4. Os antígenos microbianos intactos que entram nos linfonodos e baço não são reconhecidos em sua forma não processada por linfócitos B específicos. Como aparecem os linfócitos específicos para um grande número de antígenos protéicos? 1. Linfócitos específicos para um grande número de antígenos diferentes estão presentes antes da exposição ao antígeno. Quando um antígeno específico entra no organismo, ele seleciona células específicas e as ativa (conceito da hipótese da seleção clonal); 2. Os clones de linfócitos específicos para um antígeno não estão presentes antes da exposição ao antígeno, sendo criados por mecanismos evolutivos lamarckianos; 3. As células que formam cada clone diferem entre si exclusivamente nos seus receptores antigênicos e são de forma geral, expandidas pela reação com o antígeno circulante dissolvido no plasma; 4. A ativação dos linfócitos T naïves em linfócitos T específicos ocorre independente do reconhecimento dos complexos peptídeo MHC, apresentados pelas células dendríticas. Questão 11 Assinale a alternativa correta sobre a imunidade celular e ativação dos linfócitos T: Questão Uma das respostas iniciais é a secreção da interleucina 666, que é um fator de crescimento que atua sobre os linfócitos ativados e estimula sua proliferação (expansão clonal); 2. Uma parte destas células se diferencia em células efetoras que podem secretar diferentes conjuntos de citocinas; 3. Algumas células T CD4 auxiliares efetoras secretam anticorpos que são potentes ativadores dos macrófagos e induzem a produção de substâncias microbicidas nos mesmos; 4. Linfócitos T ativados não desempenham o papel de células efetoras. Ainda sobre imunidade celular e ativação dos linfócitos T, assinale a alternativa correta: 1. Algumas células efetoras T CD4 secretam citocinas que estimulam a produção de imunoglobulina E, que ativam os eosinófilos que não participam da eliminação de parasitas; 2. As células T CD4 auxiliares não possuem papel na estimulação da resposta das células B; 3. Os linfócitos T CD8 ativados proliferam e se diferenciam em CTLs, que destroem células que contém microrganismos em seu citoplasma; 4. Os linfócitos T CD8 secretam anticorpos específicos. Questão 13 Assinale a alternativa correta sobre a imunidade humoral e a ativação dos linfócitos B: 1. Antígenos polissacarídicos e lipídicos possuem múltiplos determinantes antigênicos e não conseguem se encaixar em muitas moléculas receptoras de antígenos de células B, não conseguindo ativá-las; 2. Em geral, a resposta das células B aos antígenos protéicos exige sinais ativadores das células T auxiliares CD4; 3. Uma parte da progênie dos clones expandidos de células T se diferencia em células plasmáticas secretoras de anticorpos; 4. Não há qualquer papel desempenhado pelos linfócitos T nesta resposta, em especial para antígenos protéicos. Página 4 de 5

5 Questão 14 Questão 15 Referências Bibliográficas: Como a resposta imune humoral pode combater os microrganismos? 1. Anticorpos ligam-se aos microrganismos mas não os impedem de infectar células (neutralização); 2. Anticorpos IgG revestem os microrganismos e os transformam em alvos para fagocitose, uma vez que os fagócitos expressam receptores para as caudas de IgG; 3. Anticorpos IgG e IgM ativam o sistema complemento pela via clássica, que inibe a fagocitose e destruição de microrganismos; 4. Anticorpos IgD e IgA são os principais na resposta contra todos os microrganismos. Assinale a alternativa correta sobre o que ocorre após uma resposta imune eficaz: 1. A resposta tende a ser mantida da mesma forma após o controle da infecção; 2. Ocorre uma fase de contração na qual os clones expandidos de linfócitos morrem e perde-se definitivamente a defesa contra esta infecção; 3. A ativação inicial dos linfócitos gera células de memória de longa duração, as quais podem sobreviver anos após a infecção; 4. Ocorre sempre uma reação auto-imune que leva à morte dos linfócitos B. ABKUL, K.; ABBAS, A.K.; LICHTMAN, A.H. Imunologia celular e molecular. 6ª ed., Rio de Janeiro, Elsevier, JANEWAY, C.A.; TRAVERS, P.; WALPORT, M.; SHLOMCHIK, M.J. Imunobiologia: o sistema imune na saúde e na doença. 6ª ed. Porto Alegre, ARTMED, ROITT, I.M.; BROSTOFF, J.; MALE, D.K. Imunologia. 6ª. ed., São Paulo, Manole, Página 5 de 5

Imunologia. Propriedades das Respostas imunes e órgãos linfóides. Bibliografia Básica. Introdução. Tipos de imunidade. Histórico 12/03/2012

Imunologia. Propriedades das Respostas imunes e órgãos linfóides. Bibliografia Básica. Introdução. Tipos de imunidade. Histórico 12/03/2012 Bibliografia Básica Imunologia Prof. Dr. Gilson C. Macedo www.ufjf.br/imunologia Introdução Propriedades das Respostas imunes e órgãos linfóides Prof: Dr. Gilson C. Macedo Derivado do latim immunitas Refere-se

Leia mais

Resposta imune inata e adaptativa. Profa. Alessandra Barone

Resposta imune inata e adaptativa. Profa. Alessandra Barone Resposta imune inata e adaptativa Profa. Alessandra Barone Resposta imune Resposta imunológica Reação a componentes de microrganismos, macromoléculas como proteínas, polissacarídeos e substâncias químicas

Leia mais

FUNDAMENTOS DE IMUNOLOGIA

FUNDAMENTOS DE IMUNOLOGIA FUNDAMENTOS DE IMUNOLOGIA Imunidade Adquirida Específica ou Adaptativa: Respostas a antígenos específicos Imunidade Adquirida Incluem linfócitos e seus produtos, como os anticorpos; Substâncias estranhas

Leia mais

Resposta imune adquirida do tipo celular

Resposta imune adquirida do tipo celular Universidade Federal do Pampa Campus Itaqui Curso de Nutrição Imunologia Resposta imune adquirida do tipo celular Profa. Dra. Silvana Boeira Imunidade adquirida Imunidade adaptativa = específica = adquirida

Leia mais

Imunologia. Introdução ao Sistema Imune. Lairton Souza Borja. Módulo Imunopatológico I (MED B21)

Imunologia. Introdução ao Sistema Imune. Lairton Souza Borja. Módulo Imunopatológico I (MED B21) Imunologia Introdução ao Sistema Imune Módulo Imunopatológico I (MED B21) Lairton Souza Borja Objetivos 1. O que é o sistema imune (SI) 2. Revisão dos componentes do SI 3. Resposta imune inata 4. Inflamação

Leia mais

Universidade Federal Fluminense Resposta do hospedeiro às infecções virais

Universidade Federal Fluminense Resposta do hospedeiro às infecções virais Universidade Federal Fluminense Resposta do hospedeiro às infecções virais Disciplina de Virologia Departamento de Microbiologia e Parasitologia (MIP) Mecanismos de resposta inespecífica Barreiras anatômicas

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM MICROBIOLOGIA APLICADA UNIOESTE PROF. RAFAEL ANDRADE MENOLLI

ESPECIALIZAÇÃO EM MICROBIOLOGIA APLICADA UNIOESTE PROF. RAFAEL ANDRADE MENOLLI ESPECIALIZAÇÃO EM MICROBIOLOGIA APLICADA UNIOESTE PROF. RAFAEL ANDRADE MENOLLI Imunologia Definição: estudo do sistema imune (SI) e dos mecanismos que os seres humanos e outros animais usam para defender

Leia mais

Bases celulares, histológicas e anatômicas da resposta imune. Pós-doutoranda Viviane Mariguela

Bases celulares, histológicas e anatômicas da resposta imune. Pós-doutoranda Viviane Mariguela Bases celulares, histológicas e anatômicas da resposta imune Pós-doutoranda Viviane Mariguela As células do SI inato e adaptativo estão presentes como: - células circulantes no sangue e na linfa; - aglomerados

Leia mais

Resposta imune inata (natural ou nativa)

Resposta imune inata (natural ou nativa) Universidade Federal do Pampa Campus Itaqui Curso de Nutrição Imunologia Resposta imune inata (natural ou nativa) Profa. Dra. Silvana Boeira Acreditou-se por muitos anos que a imunidade inata fosse inespecífica

Leia mais

Resposta Imunológica celular. Alessandra Barone

Resposta Imunológica celular. Alessandra Barone Resposta Imunológica celular Alessandra Barone Resposta mediada pelos linfócitos T: TCD4 e TCD8 Resposta contra microrganismos que estão localizados no interior de fagócitos e de células não fagocíticas

Leia mais

Imunologia. Diferenciar as células e os mecanismos efetores do Sistema imune adquirido do sistema imune inato. AULA 02: Sistema imune adquirido

Imunologia. Diferenciar as células e os mecanismos efetores do Sistema imune adquirido do sistema imune inato. AULA 02: Sistema imune adquirido Imunologia AULA 02: Sistema imune adquirido Professor Luiz Felipe Leomil Coelho Departamento de Ciências Biológicas E-mail: coelho@unifal-mg.edu.br OBJETIVO Diferenciar as células e os mecanismos efetores

Leia mais

Bases celulares, histológicas e anatômicas da resposta imune. Pós-doutoranda Viviane Mariguela

Bases celulares, histológicas e anatômicas da resposta imune. Pós-doutoranda Viviane Mariguela Bases celulares, histológicas e anatômicas da resposta imune Pós-doutoranda Viviane Mariguela As células do sistema imune (SI) inato e adaptativo estão presentes como: - células circulantes no sangue e

Leia mais

Prática 00. Total 02 Pré-requisitos 2 CBI257. N o. de Créditos 02. Período 3º. Aprovado pelo Colegiado de curso DATA: Presidente do Colegiado

Prática 00. Total 02 Pré-requisitos 2 CBI257. N o. de Créditos 02. Período 3º. Aprovado pelo Colegiado de curso DATA: Presidente do Colegiado 1 Disciplina IMUNOLOGIA PROGRAMA DE DISCIPLINA Departamento DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Carga Horária Semanal Pré-requisitos Teórica 02 Prática 00 Total 02 Pré-requisitos Unidade ICEB Código CBI126

Leia mais

Resposta imune adquirida

Resposta imune adquirida Resposta imune adquirida Resposta imune adquirida Também denominada: - Resposta imune tardia - Resposta imune adaptativa É caracterizada por ocorrer em períodos mais tardios após o contato com um agente

Leia mais

10/02/2011 VACINAS IMUNIZAÇÃO. Referências Bibliográficas:

10/02/2011 VACINAS IMUNIZAÇÃO. Referências Bibliográficas: INTRODUÇÃO À IMUNOLOGIA: PROPRIEDADES GERAIS Prof. MSc. Weverson Pires wlp_cell@yahoo.com.br pirescell@gmail.com Referências Bibliográficas: ANTUNES, L. Imunologia Geral. Rio de Janeiro: Atheneu, 1998.

Leia mais

PLANO DE ENSINO EMENTA

PLANO DE ENSINO EMENTA PLANO DE ENSINO DADOS DA DISCIPLINA Nome da Disciplina: Imunologia Curso: Farmácia Termo: 3º Carga Horária Semanal (h/a): 4 Carga Horária Semestral (h/a): 75 Teórica: 2 Prática: 2 Total: 4 Teórica: 30

Leia mais

Resposta inicial que, em muitos casos, impede a infecção do hospedeiro podendo eliminar os micróbios

Resposta inicial que, em muitos casos, impede a infecção do hospedeiro podendo eliminar os micróbios Resposta inicial que, em muitos casos, impede a infecção do hospedeiro podendo eliminar os micróbios Células da imunidade inata (macrófagos e neutrófilos) chegam rapidamente e em grande número no foco

Leia mais

Resposta Imunológica humoral. Alessandra Barone

Resposta Imunológica humoral. Alessandra Barone Resposta Imunológica humoral Alessandra Barone Estimulada por antígenos extracelulares Mediada por anticorpos produzidos por plasmócitos. Linfócito B Resposta T independente: Estimulada diretamente por

Leia mais

Imunidade adaptativa (adquirida / específica):

Imunidade adaptativa (adquirida / específica): Prof. Thais Almeida Imunidade inata (natural / nativa): defesa de primeira linha impede infecção do hospedeiro podendo eliminar o patógeno Imunidade adaptativa (adquirida / específica): após contato inicial

Leia mais

Disciplina: Imunologia Tema: Imunologia Iniciando o Conteúdo

Disciplina: Imunologia Tema: Imunologia Iniciando o Conteúdo Disciplina: Imunologia Tema: Imunologia Iniciando o Conteúdo Os microrganismos patogênicos são capazes de provocar doenças? A principal função do sistema imunológico é, prevenir ou limitar infecções causadas

Leia mais

TECIDOS LINFÓIDES PRIMÁRIOS ONTOGENIA DE LINFÓCITOS

TECIDOS LINFÓIDES PRIMÁRIOS ONTOGENIA DE LINFÓCITOS TECIDOS LINFÓIDES PRIMÁRIOS ONTOGENIA DE LINFÓCITOS Organização anatômica do sistema imune De onde vêm e para onde vão as células do sistema imune Como é a organização dos tecidos/órgãos linfóides Tecidos

Leia mais

Universidade Federal da Bahia Faculdade de Medicina Departamento de Anatomia Patológica e Medicina Legal Disciplina de Imunologia MED 194

Universidade Federal da Bahia Faculdade de Medicina Departamento de Anatomia Patológica e Medicina Legal Disciplina de Imunologia MED 194 Universidade Federal da Bahia Faculdade de Medicina Departamento de Anatomia Patológica e Medicina Legal Disciplina de Imunologia MED 194 Imunologia das Viroses Monitor: Daniel Valente 1.Introdução...

Leia mais

A Resposta Imune Adaptativa

A Resposta Imune Adaptativa A Resposta Imune Adaptativa Defesa Inata Infecção domina Acúmulo de antígeno Replicação do patógeno Mudanças no ambiente celular Ativação da Resposta Imune Adaptativa Envolve células T e B antígenoespecíficas

Leia mais

Resposta Imune Humoral Dr. Carlos R Prudencio

Resposta Imune Humoral Dr. Carlos R Prudencio Resposta Imune Humoral Dr. Carlos R Prudencio O Sistema Imune e os agentes infecciosos Técnicas sorológicas e de biologia molecular no diagnóstico de agentes infecciosos Órgãos do sistema linfóide Introdução:

Leia mais

Expansão clonal de Linfócitos T Helper

Expansão clonal de Linfócitos T Helper Expansão clonal de Linfócitos T Helper Ativação dos linfócitos T Entrada do antígeno no organismo Captura do antígeno pelas células dendríticas Migração da célula dendrítica para gânglio linfático ou baço

Leia mais

4ª Ficha de Trabalho para Avaliação Biologia (12º ano)

4ª Ficha de Trabalho para Avaliação Biologia (12º ano) 4ª Ficha de Trabalho para Avaliação Biologia (12º ano) Ano Lectivo: 2008/2009 Nome: Nº Turma: CT Curso: CH-CT Data: 06/03/2009 Docente: Catarina Reis NOTA: Todas as Respostas são obrigatoriamente dadas

Leia mais

Células do Sistema Imune

Células do Sistema Imune Células Células do Sistema Imune Linfócitos NK Células Dendríticas Macrófagos e Monócitos Neutrófilos Eosinófilos Mastócitos Basófilos 1 2 Linfócitos São as únicas células com receptores específicos para

Leia mais

Resposta Imune Humoral Dr. Carlos R Prudencio. Técnicas sorológicas e de biologia molecular no diagnóstico de agentes infecciosos

Resposta Imune Humoral Dr. Carlos R Prudencio. Técnicas sorológicas e de biologia molecular no diagnóstico de agentes infecciosos Resposta Imune Humoral Dr. Carlos R Prudencio Técnicas sorológicas e de biologia molecular no diagnóstico de agentes infecciosos O Sistema Imune e os agentes infecciosos Introdução Introdução: Sistema

Leia mais

Sistema Imunológico. 1) Introdução. É o sistema responsável pela defesa do organismo contra a ação de agente patogênicos (que causam doenças).

Sistema Imunológico. 1) Introdução. É o sistema responsável pela defesa do organismo contra a ação de agente patogênicos (que causam doenças). 1) Introdução É o sistema responsável pela defesa do organismo contra a ação de agente patogênicos (que causam doenças). 2) Componentes Células de defesa (Leucócitos ou glóbulos brancos) Órgãos linfáticos

Leia mais

Imunologia. Células do Sistema Imune. Professora Melissa Kayser

Imunologia. Células do Sistema Imune. Professora Melissa Kayser Imunologia Células do Sistema Imune Professora Melissa Kayser Composição do sangue Origem Origem Células sanguíneas Hematoxilina: Corante básico. Eosina: Corante ácido. Células do sistema imune Leucograma

Leia mais

O sistema imune é composto por células e substâncias solúveis.

O sistema imune é composto por células e substâncias solúveis. Definição: estudo do sistema imune (SI) e dos mecanismos que os seres humanos e outros animais usam para defender seus corpos da invasão de microorganimos Eficiente no combate a microorganismos invasores.

Leia mais

Reinaldo Menezes Martins Consultor Científico Bio-Manguinhos/Fiocruz

Reinaldo Menezes Martins Consultor Científico Bio-Manguinhos/Fiocruz Reinaldo Menezes Martins Consultor Científico Bio-Manguinhos/Fiocruz Perguntas Como é a resposta(s) imunológica básica aos diferentes tipos de vacinas (polissacarídicas, conjugadas, proteicas, virais vivas)?

Leia mais

Células e propriedades gerais do sistema imune

Células e propriedades gerais do sistema imune Células e propriedades gerais do sistema imune O que precisamos? Reconhecer Interagir Eliminar Lembrar PROGENITOR MIELOIDE COMUM Contagem Normal das Células no Sangue Diferenciaçãode MSDC em condiçoes

Leia mais

Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Programa de Pós-Graduação em Imunologia Básica e Aplicada

Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Programa de Pós-Graduação em Imunologia Básica e Aplicada Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Programa de Pós-Graduação em Imunologia Básica e Aplicada Autores: Juliana Navarro Ueda Yaochite e Micássio Fernandes de Andrade Imunidade

Leia mais

Imunidade Humoral. Células efectoras: Linfócitos B. (Imunoglobulinas)

Imunidade Humoral. Células efectoras: Linfócitos B. (Imunoglobulinas) Imunidade Humoral Células efectoras: Linfócitos B (Imunoglobulinas) Determinantes antigénicos Também conhecidos como epítopos, são porções do antigénio que reúnem aspectos físicos e químicos que favorecem

Leia mais

Imunologia Veterinária. Aula 1 A defesa do organismo

Imunologia Veterinária. Aula 1 A defesa do organismo Imunologia Veterinária Aula 1 A defesa do organismo Uma Breve História da Imunologia Veterinária Quando infecções como a varíola e a peste se espalharam pela sociedade antiga, embora muitos tenham morrido,

Leia mais

RESPOSTAS INATAS INFLAMAÇÃO BMI0256 AULA #2

RESPOSTAS INATAS INFLAMAÇÃO BMI0256 AULA #2 RESPOSTAS INATAS INFLAMAÇÃO BMI0256 AULA #2 TIPOS DE RESPOSTA INATA ADAPTATIVA Linfócitos B anecorpos epitélio células fagocíecas Linfócitos T Células T efetoras complemento células NK HORAS DIAS 0 6 12

Leia mais

Guerreiros sempre alerta!

Guerreiros sempre alerta! O sistema imunitário é um conjunto complexo de componentes e mecanismos fisiológicos, que tem como função proteger-nos de agentes agressores através da constante discriminação entre o próprio e o estranho.

Leia mais

Resposta imune a vírus. Regis Mariano de Andrade/Cleonice Alves de Melo Bento Médico Infectologista (FIOCRUZ)/Professora de Imunologia(UNIRIO)

Resposta imune a vírus. Regis Mariano de Andrade/Cleonice Alves de Melo Bento Médico Infectologista (FIOCRUZ)/Professora de Imunologia(UNIRIO) Resposta imune a vírus Regis Mariano de Andrade/Cleonice Alves de Melo Bento Médico Infectologista (FIOCRUZ)/Professora de Imunologia(UNIRIO) Conceitos básicos sobre vírus Tamanho: 30 300nm Estrutura:

Leia mais

BIOLOGIA Sistema imunológico e excretor

BIOLOGIA Sistema imunológico e excretor Sistema imunológico Módulo 31 Página 01 à 14 O Pulso - Titãs Composição: Arnaldo Antunes O pulso ainda pulsa O pulso ainda pulsa... Peste bubônica Câncer, pneumonia Raiva, rubéola Tuberculose e anemia

Leia mais

HISTÓRIA DA IMUNOLOGIA

HISTÓRIA DA IMUNOLOGIA 1 HISTÓRIA DA IMUNOLOGIA O termo imunidade provém do latim immunitas, que se refere a isenções a taxas que os senadores romanos auferiam; Os conceitos de contágio e a teoria dos germes surgem, em 1546,

Leia mais

Ontogenia do Linfócito T

Ontogenia do Linfócito T Ontogenia do Linfócito T Processamento e Apresentação de Antígenos para Reconhecimento por TCR Diferente da imunoglobulina, o receptor do linfócito T reconhece antígeno protéico somente quando associado

Leia mais

Ativação de linfócitos B mecanismos efetores da resposta Humoral Estrutura e função de imunoglobulinas

Ativação de linfócitos B mecanismos efetores da resposta Humoral Estrutura e função de imunoglobulinas Ativação de linfócitos B mecanismos efetores da resposta Humoral Estrutura e função de imunoglobulinas Estrutura de uma molécula de anticorpo Imunoglobulinas. São glicoproteínas heterodiméricas e bifuncionais

Leia mais

Imunidade adaptativa celular

Imunidade adaptativa celular Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Pós-graduação em Imunologia Básica e Aplicada Disciplina RIM 5757 Integração Imunologia Básica-Clínica Imunidade adaptativa celular Cássia

Leia mais

Moléculas Reconhecidas pelo Sistema Imune:- PAMPS e Antígenos (Ag)

Moléculas Reconhecidas pelo Sistema Imune:- PAMPS e Antígenos (Ag) Moléculas Reconhecidas pelo Sistema Imune:- PAMPS e Antígenos (Ag) PROPRIEDADES BÁSICAS DO SISTEMA IMUNE FUNÇÃO PRIMORDIAL DO SI: Manter o Equilíbrio da Composição Macromolecular Normal de Organismos Vertebrados,

Leia mais

Interação Antígeno Anticorpo. Profª Heide Baida

Interação Antígeno Anticorpo. Profª Heide Baida Interação Antígeno Anticorpo Profª Heide Baida Introdução T CD4+ memória MØ Resposta imune Ag Linfócito T CD4+ T CD4+ efetor * * * * * * * * * citocinas * * Linfócito B anticorpos B memória B Efetor (plasmócito)

Leia mais

N O DE HORAS-AULA SEMANAIS TEÓRICA (32) PRÁTICA (04)

N O DE HORAS-AULA SEMANAIS TEÓRICA (32) PRÁTICA (04) UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRODE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE MICROBIOLOGIA IMUNOLOGIA E PARASITOLOGIA PLANO DE ENSINO SEMESTRE 2016-2 2016 I. IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA: CÓDIGO

Leia mais

Universidade Federal da Bahia Faculdade de Medicina Departamento de Anatomia Patológica e Medicina Legal Disciplina de Imunologia MED 194

Universidade Federal da Bahia Faculdade de Medicina Departamento de Anatomia Patológica e Medicina Legal Disciplina de Imunologia MED 194 i.exe Universidade Federal da Bahia Faculdade de Medicina Departamento de Anatomia Patológica e Medicina Legal Disciplina de Imunologia MED 194 COOPERAÇÃO CELULAR Monitor: Osvaldo Sumário 1. Introdução

Leia mais

PLANO DE CURSO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Imunologia Básica

PLANO DE CURSO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Imunologia Básica PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Imunologia Básica Professor: Vanessa Simões Sandes email: vanessa@saludlaboratorio.com.br Código: Carga Horária: 40h

Leia mais

Plano de Ensino de Imunologia

Plano de Ensino de Imunologia 04/02/17 Plano de Ensino de Imunologia Curso: Biomedicina Carga horaria: 80h Prof. Patrícia Costa Fernandes 1º Sem 2017 EMENTA ì Visão geral do sistema imune. ì Geração da resposta imune inata e adquirida

Leia mais

Órgãos e Células do Sistema Imune

Órgãos e Células do Sistema Imune Curso: farmácia Componente curricular: Imunologia Órgãos e Células do Sistema Imune DEYSIANE OLIVEIRA BRANDÃO ORIGEM DO SISTEMA IMUNE Origina-se a partir de células jovens denominadas STEM CELLS ou hemocitoblastos.

Leia mais

MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA II

MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA II MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA II MICROBIOLOGIA: Mikros (= pequeno) + Bio (= vida) + logos (= ciência) A Microbiologia é definida, como a área da ciência que dedica - se ao estudo de microrganismos. Os

Leia mais

Antígenos e Imunoglobulinas

Antígenos e Imunoglobulinas Curso: farmácia Componente curricular: Imunologia Antígenos e Imunoglobulinas DEYSIANE OLIVEIRA BRANDÃO Antígenos (Ag) São estruturas solúveis ou particuladas reconhecidas pelo organismo como estranha

Leia mais

Processamento antigênico e Ativação de linfócitos T e Mecanismos efetores da resposta imunológica Celular. Professora Patrícia Albuquerque

Processamento antigênico e Ativação de linfócitos T e Mecanismos efetores da resposta imunológica Celular. Professora Patrícia Albuquerque Processamento antigênico e Ativação de linfócitos T e Mecanismos efetores da resposta imunológica Celular. Professora Patrícia Albuquerque Receptores de linfócitos BCR (anticorpo) TCR Linfócito B Linfócito

Leia mais

PLANO DE ENSINO. OBJETIVOS ESPECÍFICOS DA DISCIPLINA Possibilitar a compreensão das respostas imunológicas do organismo humano.

PLANO DE ENSINO. OBJETIVOS ESPECÍFICOS DA DISCIPLINA Possibilitar a compreensão das respostas imunológicas do organismo humano. PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Enfermagem Professora: Thaiz Malakoski thaizmalakoski@yahoo.com.br Período/ Fase: 2ª Semestre: 2º Ano:

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Unidade Universitária CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Curso: Farmácia Disciplina: Imunologia Básica Código da Disciplina 02014890 Professor(es) Yoshimi Imoto Yamamoto Etapa 4ª. Carga horária:

Leia mais

IMUNOLOGIA. Felipe Seixas

IMUNOLOGIA. Felipe Seixas IMUNOLOGIA Felipe Seixas De 1884 a 1960 Surgimento da teorias microbianas Única causa específica para cada doença Compreensão das formas de contágio Início de programas de combate às infecções; Tratamento

Leia mais

Moléculas Reconhecidas pelo Sistema Imune:- PAMPS e Antígenos (Ag)

Moléculas Reconhecidas pelo Sistema Imune:- PAMPS e Antígenos (Ag) Moléculas Reconhecidas pelo Sistema Imune:- PAMPS e Antígenos (Ag) PROPRIEDADES BÁSICAS DO SISTEMA IMUNE FUNÇÃO PRIMORDIAL DO SI: Manter o Equilíbrio da Composição Macromolecular Normal de Organismos Vertebrados,

Leia mais

COMPLEXO PRINCIPAL DE HISTOCOMPATIBILIDADE - MHC. Profa Valeska Portela Lima

COMPLEXO PRINCIPAL DE HISTOCOMPATIBILIDADE - MHC. Profa Valeska Portela Lima COMPLEXO PRINCIPAL DE HISTOCOMPATIBILIDADE - MHC Profa Valeska Portela Lima Introdução Todas as espécies possuem um conjunto de genes denominado MHC, cujos produtos são de importância para o reconhecimento

Leia mais

SISTEMA IMUNITÁRIO ou IMUNOLÓGICO. O sangue e as defesas corporais

SISTEMA IMUNITÁRIO ou IMUNOLÓGICO. O sangue e as defesas corporais SISTEMA IMUNITÁRIO ou IMUNOLÓGICO O sangue e as defesas corporais INTRODUÇÃO Promove o combate a microrganismos invasores e a limpeza do organismo (retirada de células mortas e de células alteradas) Altamente

Leia mais

Biologia 12 Sistema imunitário

Biologia 12 Sistema imunitário Biologia 12 Sistema imunitário Resposta imunitária conjunto de processos que permite ao organismo reconhecer substâncias estranhas ou anormais de forma a que sejam neutralizadas e eliminadas. O reconhecimento

Leia mais

Receptores de Antígeno no Sistema Imune Adaptativo

Receptores de Antígeno no Sistema Imune Adaptativo Receptores de Antígeno no Sistema Imune Adaptativo Captura e apresentação dos Ag microbianos ativação dos linfócitos: ocorre após ligação do Ag a receptores: Linfócito B: Ac ligados à membrana Linfócito

Leia mais

Imunologia. Introdução. Imunidade = resistência a infecções. Células, tecidos e moléculas que medeiam resistência = sistema imune

Imunologia. Introdução. Imunidade = resistência a infecções. Células, tecidos e moléculas que medeiam resistência = sistema imune Imunologia Definição: Estudo do sistema imune (SI) e dos mecanismos que os seres humanos e outros animais usam para defender seus corpos da invasão de microorganimos. Introdução Imunidade = resistência

Leia mais

- Tecidos e órgãos linfoides - Inflamação aguda

- Tecidos e órgãos linfoides - Inflamação aguda - Tecidos e órgãos linfoides - Inflamação aguda ÓRGÃOS LINFÓIDES ÓRGÃOS LINFÓIDES PRIMÁRIOS: - Medula óssea - Timo ÓRGÃOS LINFÓIDES SECUNDÁRIOS: - Linfonodos - Placas de Peyer - Tonsilas - Baço ÓRGÃO LINFÓIDE

Leia mais

Estudo do sistema imune do corpo e suas funções e alterações. uuhsc.utah.edu/healthinfo/adult/path/glossary.htm

Estudo do sistema imune do corpo e suas funções e alterações. uuhsc.utah.edu/healthinfo/adult/path/glossary.htm O estudo de todos os aspectos do sistema imune, incluindo sua estrutura e função, falhas e alterações do sistema imune, banco de sangue, imunização e transplantes de órgãos. www.als.net/als101/glossary.asp

Leia mais

Reinaldo Menezes Martins Consultor Científico Bio-Manguinhos/Fiocruz

Reinaldo Menezes Martins Consultor Científico Bio-Manguinhos/Fiocruz Reinaldo Menezes Martins Consultor Científico Bio-Manguinhos/Fiocruz Algumas referências Kuby Immunology, 6th ed, 2007 (inclusive imagens) Abbas, Immunology, 7th ed, 2012 Outras, referidas na apresentação

Leia mais

RESPOSTA IMUNE CONTRA MICRORGANISMOS

RESPOSTA IMUNE CONTRA MICRORGANISMOS RESPOSTA IMUNE CONTRA MICRORGANISMOS Prof. Patrícia Costa Microrganismos Ø Bactérias extracelulares Clostridium tetani Ø Bactérias intracelulares Micobactérias Ø Vírus HepaDte B, HIV Ø Parasitas Ø Protozoários

Leia mais

EXAMES LABORATORIAIS: IMUNOLOGIA

EXAMES LABORATORIAIS: IMUNOLOGIA EXAMES LABORATORIAIS: IMUNOLOGIA Aula 2 CONCEITOS GERAIS Imunidade: conjunto de processos fisiológicos que permite ao organismo reconhecer corpos estranhos e responder contra os mesmos. Sistema imune:

Leia mais

Vacinas e Vacinação 24/02/2014. Prof. Jean Berg. Defesas orgânicas. Imunoprofilaxia. Imunoprofilaxia. Resistência à infecção.

Vacinas e Vacinação 24/02/2014. Prof. Jean Berg. Defesas orgânicas. Imunoprofilaxia. Imunoprofilaxia. Resistência à infecção. Prof. Jean Berg Imunologia Resposta imune Mecanismo pelo qual o organismo é capaz de reconhecer e eliminar as substâncias heterólogas. Resposta imune Substâncias heterólogas Endógena células mortas Exógena

Leia mais

Vacinas e Vacinação. cüéya ]xtç UxÜz 18/5/2010. Defesas orgânicas. Imunoprofilaxia. Imunoprofilaxia. Resistência à infecção.

Vacinas e Vacinação. cüéya ]xtç UxÜz 18/5/2010. Defesas orgânicas. Imunoprofilaxia. Imunoprofilaxia. Resistência à infecção. cüéya ]xtç UxÜz Imunologia Resposta imune Mecanismo pelo qual o organismo é capaz de reconhecer e eliminar as substâncias heterólogas. Resposta imune Substâncias heterólogas Endógena células mortas Exógena

Leia mais

Senha para inscrição no Moodle Mecanismos de Agressão e Defesa turma E. #aluno-mad1e

Senha para inscrição no Moodle Mecanismos de Agressão e Defesa turma E. #aluno-mad1e Senha para inscrição no Moodle Mecanismos de Agressão e Defesa turma E #aluno-mad1e Células do Sistema Imunitário e órgãos linfóides Neutrófilo fagocitando Candida albicans Professora Patrícia Albuquerque

Leia mais

Mecanismos Básicos em Saúde e Doença. Imunologia. Prof. João Luiz

Mecanismos Básicos em Saúde e Doença. Imunologia. Prof. João Luiz Mecanismos Básicos em Saúde e Doença Imunologia Prof. João Luiz Email: lmwjoao@gmail.com História da Imunologia Aqueles que sentiam mais pena pelos doentes e pelos que morriam eram aqueles que haviam tido

Leia mais

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UNIRIO IMUNOPROFILAXIA. Dra. Cleoncie Alves de Melo Bento Profa. Adjunta Disciplina de Imunologia

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UNIRIO IMUNOPROFILAXIA. Dra. Cleoncie Alves de Melo Bento Profa. Adjunta Disciplina de Imunologia Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UNIRIO IMUNOPROFILAXIA Dra. Cleoncie Alves de Melo Bento Profa. Adjunta Disciplina de Imunologia Introdução IMUNIDADE ATIVA PASSIVA Introdução IMUNIDADE

Leia mais

Tópicos de Imunologia Celular e Molecular (Parte 2)

Tópicos de Imunologia Celular e Molecular (Parte 2) IMUNOLOGIA BÁSICA Tópicos de Imunologia Celular e Molecular (Parte 2) Prof. M. Sc. Paulo Galdino Os três outros tipos de hipersensibilidade ( II, III e IV) têm em comum uma reação exagerada do sistema

Leia mais

Células do Sistema Imune

Células do Sistema Imune Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação Professora Ana Paula Peconick Tutor Karlos Henrique Martins Kalks Lavras/MG 2011 1 P ágina Ficha catalográfica preparada pela Divisão de Processos Técnicos

Leia mais

IMUNOPROFILAXIA. Dra. Rosa Maria Tavares Haido Profa. Adjunta Disciplina de Imunologia

IMUNOPROFILAXIA. Dra. Rosa Maria Tavares Haido Profa. Adjunta Disciplina de Imunologia Dra. Rosa Maria Tavares Haido Profa. Adjunta Disciplina de Imunologia Introdução IMUNIDADE ATIVA PASSIVA Introdução IMUNIDADE ATIVA NATURAL Infecções clínicas ou sub-clínicas ARTIFICIAL Vacinas Definição

Leia mais

Imunoterapia - tumores. Material de apoio: Anderson (2009)

Imunoterapia - tumores. Material de apoio: Anderson (2009) Imunoterapia - tumores Material de apoio: Anderson (2009) Auto-antigénios / antigénios autólogos (self antigens) Antigénios / Antigénios heterólogos (non-self antigens) Tratamento com anticorpos (monoclonais)

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ENFERMAGEM PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: IMUNOLOGIA BÁSICA GRADE: RESOLUÇÃO CEPEC Nº 831 MATRIZ

Leia mais

Escola Secundária Dr. Manuel Gomes de Almeida

Escola Secundária Dr. Manuel Gomes de Almeida Escola Secundária Dr. Manuel Gomes de Almeida Ficha de trabalho de Biologia - 12º Ano Sistema Imunitário Nome: N º: Turma: Data: Professor: Encarregado(a) de Educação: 1. Para cada uma das seguintes questões,

Leia mais

MECANISMOS DE AGRESSÃO E DEFESA NAS PARASITOSES

MECANISMOS DE AGRESSÃO E DEFESA NAS PARASITOSES MECANISMOS DE AGRESSÃO E DEFESA NAS PARASITOSES 1) Resposta Imune Uma breve introdução 2) Resposta inflamatória: É definida como um complexo processo defensivo local, acionado por injúria determinada por

Leia mais

Unidade: RESPOSTA IMUNOLÓGICA ADQUIRIDA. Unidade I:

Unidade: RESPOSTA IMUNOLÓGICA ADQUIRIDA. Unidade I: Unidade: RESPOSTA IMUNOLÓGICA ADQUIRIDA Unidade I: 0 Unidade: RESPOSTA IMUNOLÓGICA ADQUIRIDA A resposta imune adquirida é caracterizada por ocorrer em períodos mais tardios após o contato com um agente

Leia mais

Mecanismos efetores da resposta imune celular

Mecanismos efetores da resposta imune celular Mecanismos efetores da resposta imune celular Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação Professora Ana Paula Peconick Tutor Karlos Henrique Martins Kalks Lavras/MG 2011 1 P ágina Ficha catalográfica

Leia mais

Unidade III MICROBIOLOGIA, IMUNOLOGIA E PARASITOLOGIA

Unidade III MICROBIOLOGIA, IMUNOLOGIA E PARASITOLOGIA Unidade III 5 O SISTEMA IMUNOLÓGICO E SEUS CONSTITUINTES 5.1 Conceitos gerais O organismo humano está exposto constantemente a diferentes agentes e ambientes, muitos deles, infecciosos. Embora o número

Leia mais

Estrutura e função dos anticorpos. Alessandra Barone

Estrutura e função dos anticorpos. Alessandra Barone Estrutura e função dos anticorpos Alessandra Barone Estrutura e função dos anticorpos Anticorpos Glicoproteínas produzidas e excretadas por plasmócitos derivadas dos linfócitos B após exposição a antígenos

Leia mais

Princípios imunológicos do transplante renal

Princípios imunológicos do transplante renal Princípios imunológicos do transplante renal Profª. Drª. Elen Almeida Romão Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Disciplina de pós-graduação RCM 5893-1 Área: Clinica Médica 2017 Parte 1 - Histórico.

Leia mais

O SISTEMA IMUNITÁRIO

O SISTEMA IMUNITÁRIO O SISTEMA IMUNITÁRIO Orgãos do Sistema Immunitário Nódulos linfáticos Timo Baço Medula Óssea ORIGEM DOS DIFERENTES COMPONENTES CELULARES Medula Óssea Linfócitos T Osso Células NK Células progenitoras linfoides

Leia mais

IMUNOLOGIA Aula 3: ANTICORPOS

IMUNOLOGIA Aula 3: ANTICORPOS IMUNOLOGIA Aula 3: ANTICORPOS Antígenos e anticorpos 1- Entender a estrutura e função do anticorpo; 2- Compreender as interações anticorpo-antígeno; 3- Diferenciar antígenos de imunógenos; 4- Conhecer

Leia mais

Carlos Sinogas Imunologia 2016/17

Carlos Sinogas Imunologia 2016/17 Teoria de Paul-Ehrlich (1900) Características da resposta imune Especificidade Discriminação entre diferente moléculas e resposta apenas às relevantes Adaptabilidade Capacidade de resposta a entidades

Leia mais

INTRODUÇÃO À IMUNOLOGIA

INTRODUÇÃO À IMUNOLOGIA INTRODUÇÃO À IMUNOLOGIA IMUNOLOGIA NO ENSINO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Prof. Helio José Montassier unesp Por que o Sistema Imune (SI) é importante? O SI é essencial à vida dos Vertebrados: A falta ou deficiência

Leia mais

AULA 3 Imunidade Inata. Neutrófilo fagocitando MTB

AULA 3 Imunidade Inata. Neutrófilo fagocitando MTB AULA 3 Imunidade Inata Neutrófilo fagocitando MTB Professora Patrícia Albuquerque Aula 3 5/9/2014 Imunidade inata e Imunidade adaptativa Fig. 1-1 Abbas, Lichtman, and Pillai. Cellular and Molecular Immunology,

Leia mais

Conceitos fundamentais

Conceitos fundamentais Conceitos fundamentais Imunógeno ou antígeno estruturas complexas capazes de induzir resposta imune específica e reagir com os produtos da resposta imune. Tudo o que pode desencadear resposta imune para

Leia mais

III Curso de Sinalização Celular no Câncer

III Curso de Sinalização Celular no Câncer III Curso de Sinalização Celular no Câncer AbordagensImunoterapêuticas Para Câncer Maria Aparecida Lima da Silva, PhD Lab. Sinalização e Plasticidade Celular-UFRGS Centro de Tecnologia e Terapia Celular

Leia mais

PROGRAD / COSEAC Padrão de Respostas Biologia

PROGRAD / COSEAC Padrão de Respostas Biologia 1 a QUESTÃO: Cada vez mais a técnica da reação em cadeia da polimerase (PCR - polimerase chain reaction) tem sido utilizada no diagnóstico de doenças parasitárias. Por essa técnica, regiões específicas

Leia mais

COMPLEMENTO. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Medicina Departamento de Anatomia Patológica e Medicina Legal Disciplina de Imunologia MED 194

COMPLEMENTO. Universidade Federal da Bahia Faculdade de Medicina Departamento de Anatomia Patológica e Medicina Legal Disciplina de Imunologia MED 194 Universidade Federal da Bahia Faculdade de Medicina Departamento de Anatomia Patológica e Medicina Legal Disciplina de Imunologia MED 194 COMPLEMENTO Monitor: Alessandro Almeida Sumário 1 Introdução...2

Leia mais

HIPERSENSIBILIDADE. Acadêmicos: Emanuelle de Moura Santos Érica Silva de Oliveira Mércio Rocha

HIPERSENSIBILIDADE. Acadêmicos: Emanuelle de Moura Santos Érica Silva de Oliveira Mércio Rocha HIPERSENSIBILIDADE Acadêmicos: Emanuelle de Moura Santos Érica Silva de Oliveira Mércio Rocha CONCEITO São desordens que tem origem em uma resposta imune que se torna exagerada ou inapropriada, e que ocasiona

Leia mais

Ontogênese de linfócitos T

Ontogênese de linfócitos T Ontogênese de linfócitos T Linfócitos T Linfócitos T Os linfócitos T formados durante o desenvolvimento intratímico são: Linfócitos T (TCR γδ) Linfócitos T (TCR αβ) CD4+ CD8+ T reguladores Linfócitos NKT

Leia mais

TECIDO HEMATOPOIÉTICO E SANGUÍNEO

TECIDO HEMATOPOIÉTICO E SANGUÍNEO TECIDO HEMATOPOIÉTICO E SANGUÍNEO CARACTERÍSTICAS Denomina-se hematopoiese o processo de formação dos elementos figurados do sangue; A hematopoiese antes do nascimento ocorre no saco vitelínico do embrião

Leia mais