Nas exigências de um determinado material deve prevalecer, respectivamente, o exigido:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nas exigências de um determinado material deve prevalecer, respectivamente, o exigido:"

Transcrição

1 MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E EQUIPAMENTOS 1/16 1. FINALIDADE Fixar os desenhos padrões relativos à fabricação e ao recebimento de equipamentos a serem utilizados nas redes aéreas de distribuição de energia elétrica da Celesc Distribuição S.A. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO Aplica-se aos órgãos usuários e aos fornecedores dos materiais. 3. ASPECTOS LEGAIS Não há. 4. CONCEITOS BÁSICOS Os termos técnicos utilizados nesta Especificação estão de acordo com as normas de terminologia da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. 5. DISPOSIÇÕES GERAIS 5.1. Exigências Nas exigências de um determinado material deve prevalecer, respectivamente, o exigido: a) na especificação; b) nas normas técnicas da ABNT;

2 CÓDIGO: E FL. 2/16 Para fins de aquisição dos materiais, deve ser consultada a especificação técnica correspondente, indicada no item 1 Características Gerais, das notas de cada desenho Padronização Os materiais padronizados nesta Especificação têm como base as Normas Brasileiras da ABNT Certificação Técnica dos Ensaios Para determinados materiais e equipamentos a Celesc exige que o fornecedor tenha o certificado técnico de ensaios, conforme I Certificação de Homologação de Produtos, para participar dos processos de compra. 6. DISPOSIÇÕES FINAIS Não há. 7. ANEXOS 7.1. Equipamentos E-07 Chave fusível religadora E-08 Chave Fusível - Faca E-10 Chave faca by-pass E-15 Elo fusível

3 CÓDIGO: E FL. 3/16 Item Tensão Máxima de Operação (kv) Nota: Dimensões do desenho em milímetros. Dimensões (mm) A B C D E ,

4 CÓDIGO: E FL. 4/16 Item Tensão Máxima de Operação (kv) Corrente Nominal (A) Capacidade de Interrupção (A) Simétrica Assimétrica Tensão Suportável Nominal (kv) Impulso Atmosférico Freqüência Ind. a Seco e Sob Chuva À terra e Entre À terra e Entre entre contatos entre contatos pólos abertos pólos abertos Código Celesc , Nota: Dimensões do desenho em milímetros.

5 CÓDIGO: E FL. 5/16 E-07 Chave Fusível Religadora 1. Características Gerais Conforme a Especificação E Chaves Fusíveis de Distribuição. O porta-fusível deve ser intercambiável com as bases de mesmas características nominais de todos os fabricantes e ter as características construtivas da chave fusível tipo C. A chave deve ser provida de 2 suportes L para sua instalação em cruzeta. 2. Material 2.1. Base O isolador tipo bucha deve ser de porcelana vitrificada, isento de imperfeições, com as extremidades vedadas, na cor cinza claro notação Munsell 5BG 7/1. Os conectores terminais, do tipo paralelo de parafuso, devem ser em liga de cobre estanhado, com espessura mínima de 8µm e média de 12µm. As molas que mantém a tensão mecânica entre a base e o porta-fusível devem ser de aço inoxidável ou material similar. As partes condutoras devem ser de cobre eletrolítico Porta-fusível O tubo do porta-fusível deve ser cinza, de fibra de vidro prensada, ou similar, e ter revestimento interno de fibra vulcanizada ou material similar, adequado às características especificadas. 3. Revestimento As peças ferrosas devem ser zincadas por imersão a quente, conforme a NBR 6323, porém, com camada de 100 µm (média) e mínima de 86µm. As bases e os porta-fusíveis com devem ter os contatos prateados com espessura mínima de 8µm.

6 CÓDIGO: E FL. 6/16 4. Resistência Mecânica O isolador deve suportar, quando apoiado nas extremidades, a aplicação de uma força F = 130/X, no seu ponto médio e sendo X a distância em metros entre o ponto médio e uma das extremidades. O gancho para fixação da ferramenta de abertura em carga deve suportar uma tração mecânica de 200 dan, aplicada na direção perpendicular ao eixo do isolador. A argola do porta-fusível deve suportar uma tração de 200 dan sem haver ruptura. O porta-fusível sofrer abertura com a aplicação de um esforço entre 8 dan e 20 dan. O porta-fusível deve ser rígido e retilíneo. 5. Identificação A base deve ser identificada de forma legível e indelével, com tipos de no mínimo 2mm de altura, através de placa de aço inoxidável ou alumínio anodizado ou latão niquelado, fixada de modo permanente, ou gravadas no próprio isolador, com as seguintes informações: a) nome ou marca do fabricante; b) tipo e/ou número de catálogo; c) data com mês e ano de fabricação; d) tensão nominal; e) corrente nominal; f) tensão suportável nominal de impulso atmosférico (base); g) capacidade de interrupção simétrica nominal (porta-fusível). O isolador deve ser identificado de forma legível e indelével com nome ou a marca do fabricante e o ano de fabricação. Não serão aceitas identificações no isolador, realizadas através de carimbo na sua base ou adesivo O porta-fusível deve ter as indicações acima, marcadas no tubo por serigrafia. As demais peças que compõe o porta-fusível devem possuir marcas indeléveis que identifiquem o fabricante. 6. Acondicionamento Em embalagem individual que permita o fácil manuseio. Paletização conforme Especificação E Padrão de Embalagens.

7 CÓDIGO: E FL. 7/16 E 08 Chave Fusível-Faca

8 CÓDIGO: E FL. 8/16 LISTA DE MATERIAL POS. DESCRIÇÃO MATERIAL 1 Chave fusível Chave seccionadora Lâmina int. superior Cobre eletrolítico 4 Lâmina int. inferior Cobre eletrolítico 5 Suporte chave 2 operações Aço zin. o fogo 6 Etiqueta de identificação Alumínio anodizado 7 Terminais Liga de cobre Tensão Máx. de Operação (kv) Corrente Nominal (A) Foca Base Fusível Tensão Suportável de Impulso Atmosférico (crista kv) À terra e entre polos Entre contatos abertos Tensão Suportável à frequencia industrial durante 1min. (kv) À terra e entre polos Entre contatos abertos Código Celesc 24, Nota: 1 O fabricante deve ser homologado para fornecimento de chaves fusíveis e seccionadoras unipolares na Celesc. O não cumprimento desta exigência impossibilitará o fornecimento da chave. 2 Dimensões do desenho em milímetros.

9 CÓDIGO: E FL. 9/16 E-08 Chave Fusível-Faca 1. Características Gerais No que se refere aos aspectos construtivos e características elétricas e mecânicas do dispositivo fusível, a chave deve obedecer aos requisitos da Especificação E Referente aos aspectos construtivos e características elétricas e mecânicas da parte seccionadora, a chave deve obedecer aos requisitos da Especificação E , porém o corpo isolante deve ser semelhante ao utilizado nas chaves fusíveis de distribuição, conforme a Especificação E O porta-fusível deve ser intercambiável com as bases de mesmas características nominais de todos os fabricantes e ter as características construtivas da chave fusível tipo C. A chave deve ser provida de 2 suportes L para sua instalação em cruzeta. Os ensaios de recebimento aplicáveis são os especificados na E e E Material 2.1. Base Isolante O isolador deve ser de porcelana vitrificada, isento de imperfeições, com as extremidades vedadas, na cor cinza claro notação Munsell 5BG 7/ Terminais Os conectores terminais, do tipo espada, próprios para conexão direta com conectores tipo cunha, devem ser em cobre ou liga de cobre, estanhados com camada mínima de 8µm e média mínima de 12µm. O terminal espada deve ser posicionado e ter seu comprimento dimensionado, de forma que seja possível realizar a conexão com um cabo 336,4CA, através de conector cunha Dispositivo Fusível Base As molas que mantém a tensão mecânica entre a base e o porta-fusível devem ser de aço inoxidável ou material similar. As partes condutoras devem ser de cobre eletrolítico Porta-fusível O tubo do porta-fusível deve ser cinza, de fibra de vidro prensada, ou similar, e ter revestimento interno de fibra vulcanizada ou material similar, adequado às características especificadas.

10 CÓDIGO: E FL. 10/ Dispositivo Faca/Seccionador Lâminas Cobre eletrolítico Contatos Cobre eletrolítico ou material de características equivalentes ou superiores. As molas de pressão dos contatos devem ser de liga de cobre ou aço inoxidável Parafusos, Porcas e Arruelas Bronze silício, estanhados com espessura mínima de 8 µm Dispositivo de Travamento, Operação e Limite de Abertura Bronze de resistência mecânica adequada à função Pinos e Eixos Aço inoxidável ou materiais não ferrosos Revestimento As peças ferrosas devem ser zincadas por imersão a quente, conforme a NBR 6323, porém, com camada de 100µm (média) e 86µm de mínima. As bases e os porta-fusíveis devem ter os contatos prateados com espessura mínima de 8µm. 3. Aplicação Esta chave deve ser aplicada em ramais que possibilitem manobra para atendimento em casos de contingência. 4. Resistência Mecânica O isolador deve suportar, quando apoiado nas extremidades, a aplicação de uma força F = 130/X, no seu ponto médio e sendo X a distância em metros entre o ponto médio e uma das extremidades. O gancho para fixação da ferramenta de abertura em carga deve suportar uma tração mecânica de 200 dan, aplicada na direção perpendicular ao eixo do isolador. A argola do porta-fusível e da lâmina condutora da chave seccionadora devem suportar uma tração de 200 dan sem haver ruptura. Os dispositivos devem sofrer abertura com a aplicação de um esforço entre 8 dan e 20 dan.

11 CÓDIGO: E FL. 11/16 5. Identificação A base deve ser identificada de forma legível e indelével, com tipos de no mínimo 2mm de altura, através de placa de aço inoxidável ou alumínio anodizado ou latão niquelado, fixada de modo permanente, ou gravadas no próprio isolador, com as seguintes informações: a) nome ou marca do fabricante; b) modelo; c) data com mês e ano de fabricação; d) tensão nominal; e) corrente nominal da base fusível e chave seccionadora; f) tensão suportável nominal de impulso atmosférico; g) capacidade de interrupção simétrica nominal (porta-fusível). O isolador deve ser identificado de forma legível e indelével com nome ou a marca do fabricante e o ano de fabricação. O porta-fusível deve ser identificado conforme E Acondicionamento Em embalagem individual que permita o fácil manuseio. Paletização conforme a Especificação E Padrão de Embalagens.

12 CÓDIGO: E FL. 12/16 Item Nota: Tensão Nominal (kv) Corrente Nominal (A) Dimensões Máximas (mm) A B C D E Tensão Suportável Nominal (kv) Impulso Frequência Ind. a Atmosférico Seco e Sob Chuva À terra e Entre À terra e Entre entre contatos entre contatos pólos abertos pólos abertos Código Celesc 1 24, A chave deve ser especificada para suportar uma corrente de curto circuito de 25 ka durante 1 segundo. 2 - Dimensões do desenho em milímetros.

13 CÓDIGO: E FL. 13/16 E-10 Chave Faca Tipo By-Pass 1. Características Gerais Conforme a Especificação E Chaves Seccionadoras de Facas Unipolares. A chave deve ser fornecida com suporte de inclinação de 30º, para montagem em cruzeta. 2. Material 2.1. Lâminas Cobre eletrolítico Contatos Cobre eletrolítico ou material com características equivalentes. As molas de pressão dos contatos devem ser de liga de cobre ou aço inoxidável Terminais Cobre ou liga de cobre, estanhados com camada mínima de 8µm e média de 12µm Isoladores Porcelana vitrificada Parafusos, Porcas e Arruelas Bronze silício, estanhados com espessura mínima de 8 micra Dispositivo de Travamento, Operação e Limite de Abertura Bronze de resistência mecânica adequada à função Pinos e Eixos Aço inoxidável ou materiais não ferrosos Inserto na Porcelana Deve ser em ferro fundido galvanizado ou outro material compatível química e eletricamente com os demais materiais fixados próximos a ele (ex. lâmina de condutora). Não serão aceitos insertos fabricados em liga de alumínio.

14 CÓDIGO: E FL. 14/16 3. Revestimento As partes ferrosas, exceção das molas de aço inoxidável, devem ser zincadas por imersão a quente, conforme a NBR 6323, porém, com camada de 100 µm (média) e mínima de 86µm. 4. Resistência Mecânica A chave deve suportar nas partes fixas aos isoladores, um esforço de tração e compressão de 540 dan, sem que ocorram deformações mecânicas ou trincas nos isoladores. 5. Identificação Deve ser gravado, de forma legível e indelével, com tipos de no mínimo 2mm de altura, através de placa de aço inoxidável, alumínio anodizado ou latão niquelado, rebitada na base da chave, no mínimo: a) nome ou marca do fabricante; b) tipo e número de série; c) data com mês e ano de fabricação; d) tensão nominal; e) corrente nominal; f) corrente de curta duração; g) nível de isolamento. 6. Acondicionamento Conforme Especificação E Padrão de Embalagens.

15 CÓDIGO: E FL. 15/16 Tabela 1 - Dimensões A d máximo (mm) (mm) 0,5 a 50 (1) 12,5 7,8 5,0 65 a ,0 10,0 8,0 140 a ,0 18,0 (2) 9,5 Corrente Nominal do Elo Fusível (A) Tabela 2 Elos Fusíveis Tipo H e K Corrente de Fusão (A) D máximo (mm) Item Tipo de Corrente Relação Elo 300 ou 600s (3) Código Nominal 10s 0,1s de CELESC Fusível (A) Mín. Máx Mín. Máx Mín. Máx Rapidez 1 0,5 1,5 1,8 4,5 5,4 44,0 53, ,5 3,3 6,8 8,6 53,0 80, H 2 3,5 4,3 9,2 12,0 89,0 130, ,7 5,9 11,3 14,5 89,0 130, ,4 9,2 15,3 18,5 89,0 130, ,0 14,4 13,5 20,5 72,0 86,4 6, ,5 23,4 22,5 34,0 128,0 154,0 6, ,0 37,2 37,0 55,0 215,0 258,0 6, ,0 60,0 60,0 90,0 350,0 420,0 7, K 40 80,0 96,0 98,0 146,0 565,0 680,0 7, ,0 153,0 159,0 237,0 918,0 1100,0 7, ,0 240,0 258,0 388,0 1520,0 1820,0 7, ,0 372,0 430,0 650,0 2470,0 2970,0 8, ,0 576,0 760,0 1150,0 3880,0 4656,0 8, ,0 18,0 18,0 27,0 97,0 116,4 6, ,0 30,0 29,5 44,0 166,0 199,4 6, ,0 47,0 48,0 71,0 273,0 328,0 7, K 30 63,0 76,0 77,5 115,0 447,0 546,0 7, ,0 121,0 126,0 188,0 719,0 862,0 7, ,0 192,0 205,0 307,0 1180,0 1420,0 7, Notas: 1 Somente os elos de 0,5 a 50 A possuem arruela com diâmetro externo de 19±0,3mm. 2 Acima de 100 A não é obrigatório o uso de tubinhos protetores s para elos fusíveis até 100 A e 600s para elos de 140 a 200 A.

16 CÓDIGO: E FL. 16/16 E-15 Elo Fusível 1. Características Gerais Conforme a Especificação E Elos Fusíveis de Distribuição. 2. Material 2.1. Elemento Fusível Liga de estanho ou material equivalente, cujas propriedades físicas e químicas não se alteram pela passagem de corrente inferior à mínima de fusão, pelo ambiente ou ao longo do tempo Tubo Protetor Fibra de vidro, revestido internamente em fibra córnea vulcanizada. 3. Revestimento Botão, cordoalha e contatos em geral devem ser de material apropriado e ter acabamento estanhado. 4. Resistência Mecânica O elo fusível deve resistir a um esforço de tração F de 10daN, no mínimo, quando ensaiado à temperatura ambiente, sem prejuízo das propriedades mecânicas e elétricas de qualquer de suas partes. 5. Identificação Deve ser estampado no botão de cada elo fusível, de forma legível e indelével, no mínimo: a) nome ou marca do fabricante; b) corrente nominal em Ampéres, seguida por uma das letras H ou K. 6. Acondicionamento Em caixas de papelão contendo uma quantidade suficiente que permita o fácil manuseio, e paletização conforme a Especificação E Padrão de Embalagens.

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0048 EQUIPAMENTOS 1/31 1. FINALIDADE

Leia mais

BASE DE CHAVE FUSÍVEL RELIGADORA

BASE DE CHAVE FUSÍVEL RELIGADORA FIGURA - BASE DE CHAVE FUSÍVEL RELIGADORA Ver Detalhe 1 AGOSTO/2018 VNTD VOLUME 2 Página 1 de 6 FIGURA 1 - BUCHA DE TEFLON FIGURA 2 - PARAFUSO FIGURA 3 - CORDOALHA E CONECTOR DE COMPRESSÃO DE COBRE ESTANHADO

Leia mais

BASE DE CHAVE FUSÍVEL RELIGADORA

BASE DE CHAVE FUSÍVEL RELIGADORA FIGURA - BASE DE CHAVE FUSÍVEL RELIGADORA Ver Detalhe 1 OUTUBRO / 2009 SED / DNOT VOLUME 2 Página 1 de 6 FIGURA 1 - BUCHA DE TEFLON FIGURA 2 - PARAFUSO FIGURA 3 - CORDOALHA E CONECTOR DE COMPRESSÃO DE

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0049 ISOLADORES 1/19 1. FINALIDADE

Leia mais

FIGURA 1 - CHAVE SECCIONADORA TRIPOLAR COM BASE PARA FUSÍVEL

FIGURA 1 - CHAVE SECCIONADORA TRIPOLAR COM BASE PARA FUSÍVEL FIGURA 1 - CHAVE SECCIONADORA TRIPOLAR COM BASE PARA FUSÍVEL OBS.: 1 - A base de sustentação deve prover esse espaçamento, caso necessário, para permitir a montagem da chave diretamente na parede. 2 -

Leia mais

SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0044 ILUMINAÇÃO PÚBLICA 1/20 1.

Leia mais

COPEL. Obs.: Medidas em milímetros. ISOLADOR AFASTADOR PARA CHAVE FUSÍVEL NTC FIGURA 1 - ISOLADOR AFASTADOR PARA CHAVE FUSÍVEL

COPEL. Obs.: Medidas em milímetros. ISOLADOR AFASTADOR PARA CHAVE FUSÍVEL NTC FIGURA 1 - ISOLADOR AFASTADOR PARA CHAVE FUSÍVEL FIGURA 1 - ISOLADOR AFASTADOR PARA CHAVE FUSÍVEL Obs.: Medidas em milímetros. ABRIL / 2007 SED/DNOT VOLUME 1 Página 1 de 5 FIGURA 2 - SISTEMA CHAVE FUSÍVEL COM ISOLADOR AFASTADOR TABELA 1 - CARACTERÍSTICAS

Leia mais

C HAVE SECCIONADORA T IPO MZSD

C HAVE SECCIONADORA T IPO MZSD C HAVE SECCIONADORA T IPO MZSD A Chave Seccionadora tipo MZSD, foi desenvolvida pela MAURIZIO para operar em redes de distribuição, com tensão de 13,8 a 36,2 kv, nas correntes de 200 a 630A. A Chave Seccionadora

Leia mais

CONECTOR TERMINAL DE COMPRESSÃO alumínio FIGURA 1 FIGURA 2

CONECTOR TERMINAL DE COMPRESSÃO alumínio FIGURA 1 FIGURA 2 FIGURA 1 FIGURA 2 FIGURA 3 OBS.: 1) Medidas em milímetros. 2) Deve ser dimensionado para atender a todas as características de aplicação mecânica e elétrica da Tabela 1. MAIO/2017 DPLD/VNTD VOLUME 1 Página

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 12 / 04 / 2013 1 de 1 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis do isolador pilar de porcelana para sua utilização nas Redes de Distribuição da

Leia mais

3 REFERÊNCIAS 4 DISPOSIÇÕES GERAIS

3 REFERÊNCIAS 4 DISPOSIÇÕES GERAIS Elaborador: Mário Sérgio de Medeiros Damascena ET - 05.117.01 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de pino de isolador para utilização

Leia mais

FIGURA 1 - ELO FUSÍVEL TIPO BOTÃO - ATÉ 50 A FIGURA 2 - ELO FUSÍVEL TIPO BOTÃO - DE 65 A ATÉ 200 A DETALHE ALTERNATIVO DO BOTÂO (FIGURA 1)

FIGURA 1 - ELO FUSÍVEL TIPO BOTÃO - ATÉ 50 A FIGURA 2 - ELO FUSÍVEL TIPO BOTÃO - DE 65 A ATÉ 200 A DETALHE ALTERNATIVO DO BOTÂO (FIGURA 1) FIGURA 1 - ELO FUSÍVEL TIPO BOTÃO - ATÉ 50 A FIGURA 2 - ELO FUSÍVEL TIPO BOTÃO - DE 65 A ATÉ 200 A DETALHE ALTERNATIVO DO BOTÂO (FIGURA 1) DEZEMBRO / 2009 SED / DNOT VOLUME 2 Página 1 de 5 T A B E L A

Leia mais

FIGURA 1 CONECTOR TERMINAL FIGURA 2 LUVA TERMOCONTRÁTIL FIGURA 3 DETALHE DE INSTALAÇÃO. Parafuso e Arruela. Conector. Luva

FIGURA 1 CONECTOR TERMINAL FIGURA 2 LUVA TERMOCONTRÁTIL FIGURA 3 DETALHE DE INSTALAÇÃO. Parafuso e Arruela. Conector. Luva FIGURA 1 E C D φ G F φ 10.0 + 0.2 A B CONECTOR TERMINAL FIGURA 2 I H LUVA TERMOCONTRÁTIL FIGURA 3 Rosca (Normal) DIN II 16 fios / in Sextavado Interno d1 h l1 l2 PARAFUSO D12 d2 m ARRUELA LISA DETALHE

Leia mais

CONECTOR TERMINAL DE COMPRESSÃO

CONECTOR TERMINAL DE COMPRESSÃO FIGURA 1A FIGURA 1B FIGURA 2 OBS.: 1) Medidas em milímetros. 2) Dimensões ver Tabela 1. JANEIRO/2018 SRD/DPLD/VNTD VOLUME 1 Página 1 de 5 APLICAÇÃO TABELA 1 NTC PADRÃO CÓDIGO COPEL CONDUTORES DE COBRE

Leia mais

CONECTOR TERMINAL DE COMPRESSÃO

CONECTOR TERMINAL DE COMPRESSÃO FIGURA 1A FIGURA 1B MAIO/2018 SRD/DPLD/VNTD VOLUME 1 Página 1 de 7 FIGURA 1C FIGURA 2A FIGURA 2B (vista do barril) FIGURA ILUSTRATIVA FIGURA ILUSTRATIVA Nota: figuras 1B, 2A e 2B referem-se exclusivamente

Leia mais

CONECTOR TERMINAL DE COMPRESSÃO

CONECTOR TERMINAL DE COMPRESSÃO FIGURA 1A FIGURA 1B 18/JANEIRO/2019 SPI/DPLD/VNTD VOLUME 1 Página 1 de 7 FIGURA 1C FIGURA 2A FIGURA 2B (vista do barril) FIGURA ILUSTRATIVA FIGURA ILUSTRATIVA Nota: as figuras 1B, 2A e 2B referem-se exclusivamente

Leia mais

SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0072 EMENDAS E TERMINAIS UNIPOLARES

Leia mais

Ferragem de rede aérea que se fixa numa superfície, em geral a face superior de uma cruzeta, na qual, por sua vez, é fixado um isolador de pino.

Ferragem de rede aérea que se fixa numa superfície, em geral a face superior de uma cruzeta, na qual, por sua vez, é fixado um isolador de pino. 26 / 07 / 2011 1 de 10 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis do pino de isolador para utilização nas Redes de Distribuição da CEMAR. 2 CAMPO

Leia mais

[1] NBR 5032:2004 lsoladores de porcelana ou vidro para linhas aéreas e subestações de alta tensão - Especificação;

[1] NBR 5032:2004 lsoladores de porcelana ou vidro para linhas aéreas e subestações de alta tensão - Especificação; 18 / 05 / 2012 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e características mínimas exigíveis do isolador do tipo disco, para utilização nas Redes de Distribuição da CEMAR. 2 CAMPO

Leia mais

NTC BRAÇO L 15 e 35 kv FIGURA BRAÇO L VISTA ISOMÉTRICA. JANEIRO 2015 SEE/DPRD/VPON VOLUME 3 Página 1 de 4

NTC BRAÇO L 15 e 35 kv FIGURA BRAÇO L VISTA ISOMÉTRICA. JANEIRO 2015 SEE/DPRD/VPON VOLUME 3 Página 1 de 4 FIGURA BRAÇO L VISTA ISOMÉTRICA JANEIRO 2015 SEE/DPRD/VPON VOLUME 3 Página 1 de 4 DETALHE DO REFORÇO DETALHE DO CONECTOR DETALHES DO ENSAIO VISTA LATERAL VISTA SUPERIOR JANEIRO 2015 SEE/DPRD/VPON VOLUME

Leia mais

Especificação Técnica Linhas de Transmissão Isolador Pilar 69kV - NBI 290kV

Especificação Técnica Linhas de Transmissão Isolador Pilar 69kV - NBI 290kV Sumário 1. Finalidade... 1 2. Âmbito de aplicação... 1 3. Normas complementares... 1 4. Identificação do material... 1 5. Fabricação... 1 6. Inspeção e ensaios... 3 7. Embalagem... 3 8. Condições gerais...

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0011 ISOLADORES DE PORCELANA 1/18

Leia mais

Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis do engate garfo-garfo para utilização nas Subestações da CEMAR.

Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis do engate garfo-garfo para utilização nas Subestações da CEMAR. 09 / 05 / 2011 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis do engate garfo-garfo para utilização nas Subestações da CEMAR. 2 CAMPO DE APLICAÇÃO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 22 / 10 / 2013 1 de 32 ET.31.0 1 FINALIDADE Esta especificação padroniza os requisitos mínimos exigíveis a serem satisfeitos por qualquer fornecimento de Chaves Fusíveis Base C Classes 15 kv e 36,2 kv

Leia mais

PARA-RAIOS DE DISTRIBUIÇÃO

PARA-RAIOS DE DISTRIBUIÇÃO 1. OBJETIVO: Esta fixa as condições mínimas exigíveis para o fornecimento de para-raios de distribuição com resistor não linear de óxido metálico sem centelhadores, destinados às Redes de Distribuição

Leia mais

PARA-RAIOS DE DISTRIBUIÇÃO

PARA-RAIOS DE DISTRIBUIÇÃO 1. OBJETIVO: Esta fixa as condições mínimas exigíveis para o fornecimento de para-raios de distribuição com resistor não linear de óxido metálico sem centelhadores, destinados às Redes de Distribuição

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CONECTOR GRAMPO DE LINHA VIVA GLV 100 E 400 AMPÉRES - CLASSE 15 kv

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CONECTOR GRAMPO DE LINHA VIVA GLV 100 E 400 AMPÉRES - CLASSE 15 kv EMD-.035 1/5 Conector Grampo de Linha Viva - GLV 400 Ampéres - Desenho orientativo - NOTA: Pequenas variações de forma, nas partes não cotadas, são admissíveis, desde que mantidas as características mecânicas

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0013 CHAVES SECCIONADORAS DE FACAS

Leia mais

PARA-RAIOS DE DISTRIBUIÇÃO

PARA-RAIOS DE DISTRIBUIÇÃO 1. OBJETIVO: Esta fixa as condições mínimas exigíveis para o fornecimento de para-raios de distribuição com resistor não linear de óxido metálico sem centelhadores, destinados às Redes de Distribuição

Leia mais

Dispositivo metálico que exerce função mecânica e/ou elétrica em uma linha aérea.

Dispositivo metálico que exerce função mecânica e/ou elétrica em uma linha aérea. 10 / 05 / 2011 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis do engate concha olhal 90º para utilização nas Subestações da CEMAR. 2 CAMPO DE

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CHAVE FUSÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CHAVE FUSÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CHAVE FUSÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO Código ETD-00.004 Data da emissão 27.09.1989 Data da última revisão 30.09.2010 Folha 1 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Normas Complementares 3 Definições

Leia mais

C HAVE FUSÍVEL T IPO MZ PARA DISTRIBUIÇÃO

C HAVE FUSÍVEL T IPO MZ PARA DISTRIBUIÇÃO C HAVE FUSÍVEL T IPO MZ PARA DISTRIBUIÇÃO Página 1 de 7 A Chave fusível tipo MZ foi desenvolvida para operar em redes de distribuição, nas tensões de 15, 27 e 38 kv. Especialmente projetada para proteger

Leia mais

Dispositivo metálico que exerce função mecânica e/ou elétrica em uma linha aérea.

Dispositivo metálico que exerce função mecânica e/ou elétrica em uma linha aérea. 11 / 05 / 2011 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de engate concha garfo para utilização nas subestações de energia da CEMAR. 2 CAMPO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 27 / 11 / 2014 1 de 37 1 FINALIDADE Esta especificação padroniza os requisitos mínimos exigíveis a serem satisfeitos por qualquer fornecimento de Chaves Fusíveis Base C Classes 15 kv e 36,2 kv à Companhia

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 26 / 07 / 2013 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de suporte L para fixação de Chave Fusível e para-raios em cruzeta para utilização

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0013 CHAVES SECCIONADORAS DE FACAS

Leia mais

CONECTOR DERIVAÇÃO PARA LINHA VIVA

CONECTOR DERIVAÇÃO PARA LINHA VIVA FIGURA 1 JUNHO/2017 DPLD/VNTD VOLUME 1 Página 1 de 5 DETALHE B (BICO) NOTAS: - O conector de derivação deve ter a parte superior do bico estendida, como mostra o modelo 1 do Detalhe B, visando facilitar

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO EMD-.034 1/5 Alça Estribo para Conector Grampo de Linha Viva-GLV 100 Ampéres - Desenho orientativo - CÓDIGO CEB 32020052 EMD-.034 2/5 Alça Estribo Conector Grampo de Linha Viva-GLV - 400 Ampéres - Desenho

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 26 / 07 / 2013 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de Suporte de Topo Para Isolador Pilar para utilização nas Redes de Distribuição

Leia mais

Pregão Eletrônico nº 15/00476

Pregão Eletrônico nº 15/00476 Pregão Eletrônico nº 15/00476 OBJETO: Aquisição de elos fusíveis e portas fusíveis. A Celesc Distribuição S.A., inscrita no CNPJ nº 08.336.783/0001-90, com sede na Av. Itamarati, 160, Bairro Itacorubi

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 30/01/2018 1 de 15 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para haste de aterramento e acessórios, para utilização nas Redes de Distribuição das

Leia mais

Chave Fusível Polimérica tipo MZ uso externo para distribuição

Chave Fusível Polimérica tipo MZ uso externo para distribuição Chave Fusível Polimérica tipo MZ uso externo para distribuição Página 1 de 6 A Chave fusível Polimérica tipo MZ foi desenvolvida para operar em redes de distribuição com tensões de 15, 27 e 38 kv. Especialmente

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0021 RELÉ FOTOELÉTRICO E BASE PARA

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 28/06/2005 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para manilhasapatilha utilizada nas Redes de Distribuição da Companhia Energética do

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CHAVE FUSÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO PARA AMBIENTES AGRESSIVOS

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CHAVE FUSÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO PARA AMBIENTES AGRESSIVOS ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CHAVE FUSÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO PARA AMBIENTES AGRESSIVOS Código ETD-00.005 Data da emissão 11.12.1985 Data da última revisão 30.09.2010 Folha 1 SUMÁRIO 1 Objetivo 2

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 18 / 02 / 2014 1 de 8 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padronizam as dimensões e as características mínimas exigíveis para a haste de aterramento e acessórios utilizados nas Redes de Distribuição,

Leia mais

PADRONIZAÇÃO PAD

PADRONIZAÇÃO PAD PADRONIZAÇÃO PAD-05.05.105 Bypass Temporário para Chave Fusível Grupo: Ferramentas e Equipamentos das Equipes das Regionais Subgrupo: Uso Coletivo Versão: 00 Vigência: 16-10-2017 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...

Leia mais

CONECTOR DERIVAÇÃO CUNHA BIMETÁLICO

CONECTOR DERIVAÇÃO CUNHA BIMETÁLICO FIGURA 1 - COMPONENTE C FIGURA 2 - COMPONENTE CUNHA MAIO/17 DPLD/VNTD VOLUME 1 Página 1 de 6 FIGURA 3 - COMPONENTE C FIGURA 4 - COMPONENTE CUNHA MAIO/17 DPLD/VNTD VOLUME 1 Página 2 de 6 TABELA 1 NTC 813210

Leia mais

Especificação Técnica no Versão no.01 data: 14/11/2018. Assunto: Chaves Fusíveis tipo C

Especificação Técnica no Versão no.01 data: 14/11/2018. Assunto: Chaves Fusíveis tipo C CONTEÚDO 1. OBJETIVOS DO DOCUMENTO E ÁREA DE APLICAÇÃO... 2 2. GESTÃO DA VERSÃO DO DOCUMENTO... 2 3. UNIDADES DA VERSÃO DO DOCUMENTO... 2 4. REFERÊNCIAS... 2 5. SIGLAS E PALAVRAS-CHAVE... 3 6. DESCRIÇÃO...

Leia mais

Chave Fusível tipo MZO Abertura em carga Com dispositivo corta arco

Chave Fusível tipo MZO Abertura em carga Com dispositivo corta arco Chave Fusível tipo MZO Abertura em carga Com dispositivo corta arco Página 1 de 7 O dispositivo de abertura em carga permite ao eletricista interromper a carga por meio de uma simples operação com uma

Leia mais

PARAFUSOS DE CABEÇA QUADRADA, DE ROSCA DUPLA E DE CABEÇA ABAULADA FIGURA 1 - PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA (M16) - NTC /19 T A B E L A 1

PARAFUSOS DE CABEÇA QUADRADA, DE ROSCA DUPLA E DE CABEÇA ABAULADA FIGURA 1 - PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA (M16) - NTC /19 T A B E L A 1 FIGURA 1 - PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA (M16) - 811800/19 T A B E L A 1 Código Dimensões (mm) Código Dimensões (mm) COPEL A B (mín.) COPEL A B (mín.) 1800 15010938 40 ± 1.5 35 1809 15011065 250 ± 3.0 170

Leia mais

ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA

ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. OBJETIVO 1 2. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 2 3. DEFINIÇÕES 4 4. CONDIÇÕES GERAIS 7 4.1 Geral 7 4.2 Condições de Serviço 7 4.3 Identificação 7 4.4 Embalagem 8 4.5 Garantia

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0013 CHAVES SECCIONADORAS DE FACAS

Leia mais

Chave Fusível. Tecnologia com melhor Custo / Benefício!

Chave Fusível. Tecnologia com melhor Custo / Benefício! Chave Tecnologia com melhor Custo / Benefício! Chave Base C Suporte L (1) 264 mm -Polimérica 300A 15kV Normas NBR 8124 (PB 995) IEC 060282-2 ANSI C37-41 Consulte-nos sobre outras normas e tipos. Cartucho

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CHAVE FACA UNIPOLAR

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CHAVE FACA UNIPOLAR SUMÁRIO ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CHAVE FACA UNIPOLAR Código ETD-00.006 Data da emissão 12.06.1986 Data da última revisão 26.12.2007 Folha 1 1 Objetivo 2 Normas Complementares 3 Definições 4

Leia mais

NTC Luminária fechada sem equipamento LM-1R. Corpo. Refletor. Fecho. Dobradiça. Refrator/Difusor. Porta-lâmpadas

NTC Luminária fechada sem equipamento LM-1R. Corpo. Refletor. Fecho. Dobradiça. Refrator/Difusor. Porta-lâmpadas Corpo Fecho Refletor Dobradiça Refrator/Difusor Porta-lâmpadas OBS.: 1. Medidas em milímetros. 2. Foto/medidas/desenho orientativos. 3. As luminárias serão aceitas mediante resultados dos ensaios fotométricos.

Leia mais

[1] NBR 5426: Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos;

[1] NBR 5426: Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos; 26 / 06 / 2012 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para o gancho olhal utilizado nas Redes de Distribuição Aéreas da CEMAR. 2 CAMPO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 26 / 04 / 2013 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para grampo de linha viva utilizado nas Redes de Distribuição Aéreas da Companhia

Leia mais

DISJUNTOR TRIPOLAR A VÁCUO 15 kv A - MOTORIZADO Instalação interna. FIGURA 1 - DISJUNTOR TRIPOLAR DE 15kV - INSTALAÇÃO INTERNA

DISJUNTOR TRIPOLAR A VÁCUO 15 kv A - MOTORIZADO Instalação interna. FIGURA 1 - DISJUNTOR TRIPOLAR DE 15kV - INSTALAÇÃO INTERNA FIGURA 1 - DISJUNTOR TRIPOLAR DE 15kV - INSTALAÇÃO INTERNA OBS.: 1. Dimensões indicadas em milímetros. 2. A configuração do disjuntor mostrada é de caráter orientativo. TABELA 1 - DIMENSÕES (mm) DISJUNTOR

Leia mais

COPEL CONECTOR DERIVAÇÃO DE CUNHA NTC /3152 FIGURA 1 - COMPONENTE C FIGURA 2 - COMPONENTE CUNHA TABELA 1A

COPEL CONECTOR DERIVAÇÃO DE CUNHA NTC /3152 FIGURA 1 - COMPONENTE C FIGURA 2 - COMPONENTE CUNHA TABELA 1A FIGURA 1 - COMPONENTE C FIGURA 2 - COMPONENTE CUNHA TABELA 1A DIMENSÕES MÍNIMAS (mm) RESISTÊNCIA Capacidade de NTC CÓDIGO CONECTOR COR DA MÍNIMA À condução de COPEL (TIPO) EMBALAGEM A ±0,5 B ±0,5 c ±0,1

Leia mais

CONJUNTO DE EMENDA REENTRÁVEL E TERMINAL DE ACESSO CERTA

CONJUNTO DE EMENDA REENTRÁVEL E TERMINAL DE ACESSO CERTA CONJUNTO DE EMENDA REENTRÁVEL E TERMINAL DE ACESSO CERTA CONJUNTO DE EMENDA REENTRÁVEL E TERMINAL DE ACESSO - CERTA : 1. APLICAÇÃO: O Conjunto CERTA é aplicado no abrigo de emenda de cabos aéreos com condutores

Leia mais

CONECTOR DERIVAÇÃO CUNHA

CONECTOR DERIVAÇÃO CUNHA FIGURA 1 - COMPONENTE C NTC 813090 FIGURA 2 - COMPONENTE CUNHA NTC 813090 MAIO/17 DPLD/VNTD VOLUME 1 Página 1 de 11 CONECTOR DERIVAÇÃO CUNHA TABELA 1 CONECTORES EM LIGA DE COBRE NTC 813090 NTC CÓDIGO COPEL

Leia mais

Interruptores portáteis de carga

Interruptores portáteis de carga 1. OBJETIVO Esta especificação tem por finalidade estabelecer as características mínimas exigíveis para interruptores portáteis de carga utilizados nos trabalhos em redes de distribuição. 2. NORMAS E/OU

Leia mais

[1] NBR 5426:1989 Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos;

[1] NBR 5426:1989 Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos; 17 / 05 / 2012 1 de 8 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para o parafuso de cabeça abaulada utilizado nas Redes de Distribuição da CEMAR.

Leia mais

CONECTOR DERIVAÇÃO CUNHA

CONECTOR DERIVAÇÃO CUNHA FIGURA 1 - COMPONENTE C NTC 813090 FIGURA 2 - COMPONENTE CUNHA NTC 813090 JULHO/17 DPLD/VNTD VOLUME 1 Página 1 de 11 CONECTOR DERIVAÇÃO CUNHA TABELA 1 CONECTORES EM LIGA DE COBRE NTC 813090 NTC 813090

Leia mais

C HAVE FUSÍVEL T IPO MZP PARA DISTRIBUIÇÃO

C HAVE FUSÍVEL T IPO MZP PARA DISTRIBUIÇÃO C HAVE FUSÍVEL T IPO MZP PARA DISTRIBUIÇÃO Página 1 de 7 A Chave fusível tipo MZP foi desenvolvida para operar em redes de distribuição, nas tensões de 15, 27 e 38 kv. Especialmente projetada para proteger

Leia mais

C HAVE FUSÍVEL ABERTURA EM C ARGA T IPO MZO PARA DISTRIBUIÇÃO

C HAVE FUSÍVEL ABERTURA EM C ARGA T IPO MZO PARA DISTRIBUIÇÃO C HAVE FUSÍVEL ABERTURA EM C ARGA T IPO MZO PARA DISTRIBUIÇÃO Página 1 de 7 A Chave fusível tipo MZO (Loadbreak) foi desenvolvida para operar em redes de distribuição, nas tensões de 15, 27 e 38 kv. Especialmente

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 03 / 04 / 2013 1 de 1 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para parafuso tipo J utilizado na fixação de células capacitivas na montagem de

Leia mais

SUMÁRIO 1 FINALIDADE CAMPO DE APLICAÇÃO RESPONSABILIDADES DEFINIÇÕES REFERÊNCIAS CONDIÇÕES GERAIS...

SUMÁRIO 1 FINALIDADE CAMPO DE APLICAÇÃO RESPONSABILIDADES DEFINIÇÕES REFERÊNCIAS CONDIÇÕES GERAIS... 30/07/2018 1 de 39 SUMÁRIO 1 FINALIDADE... 3 2 CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3 RESPONSABILIDADES... 3 4 DEFINIÇÕES... 4 5 REFERÊNCIAS... 5 6 CONDIÇÕES GERAIS... 6 6.1 Generalidades... 6 6.2 Embalagem e Transporte...

Leia mais

CHAVE FUSÍVEL ABERTURA EM CARGA MODELO DHC-C DHC-C

CHAVE FUSÍVEL ABERTURA EM CARGA MODELO DHC-C DHC-C CHAVE FUSÍVEL ABERTURA EM CARGA MODELO Fabrica de Peças Elétricas DELMAR Ltda. - 55 15 3322-5800 - 55 15 3251-5271 - www.delmar.com.br / delmar@delmar.com.br Reservamo-nos o direito de alterar nossos produtos

Leia mais

REMANEJAMENTO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA

REMANEJAMENTO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA REMANEJAMENTO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA Redes de Distribuição de Baixa e Média Tensão CANOAS- RS MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO PROJETO EXECUTIVO 1. OBJETIVO: Fornecer informações necessárias sobre os

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO ETD - 07 CRUZETA DE CONCRETO ARMADO PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO E PADRONIZAÇÃO EMISSÃO: julho/2003 REVISÃO: janeiro/2004 FOLHA : 1 / 7 OBS : 1 Dimensões

Leia mais

CLASSE 58 ISOLADOR POLIMÉRICO TIPO PINO.

CLASSE 58 ISOLADOR POLIMÉRICO TIPO PINO. 1. CÓDIGO ENERGISA CLASSE 58 ISOLADOR POLIMÉRICO TIPO PINO. Características Elétricas Isolador Dimensões Características Padronizadas Isolador 15 kv Isolador 35 kv Distância de Escoamento Mínima [mm] 280

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 20 / 10 / 2013 1 de 28 1 FINALIDADE Esta especificação padroniza os requisitos mínimos exigíveis a serem satisfeitos por qualquer fornecimento de Chaves Seccionadoras Unipolares (monopolares) a Companhia

Leia mais

Kit removível reator, ignitor e capacitor para luminárias integradas F I G U R A 1 KIT REMOVÍVEL REATOR, IGNITOR E CAPACITOR

Kit removível reator, ignitor e capacitor para luminárias integradas F I G U R A 1 KIT REMOVÍVEL REATOR, IGNITOR E CAPACITOR F I G U R A 1 KIT REMOVÍVEL REATOR, IGNITOR E CAPACITOR OBS.: 1. Medidas em milímetros 2. Desenho orientativo 3. Tolerância ± 0,5mm. F I G U R A 2 KIT 70/100/150 W (NTC 811310/311/312) JULHO/2011 SED/DNGO

Leia mais

4.1 Grampo de suspensão

4.1 Grampo de suspensão 29 / 07 / 2011 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para grampo de suspensão monoarticulado utilizado nas Linhas de Distribuição da

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO EMD-.057 1/6 EMD-.057 2/6 1) Medidas em milímetros. 2) As cotas indicadas e desenhos são orientativos e referenciais. Serão aceitas variações, desde que atendidas as características mecânicas e elétricas

Leia mais

Suporte de Suspensão de Cabo Óptico

Suporte de Suspensão de Cabo Óptico Suporte de Suspensão de Cabo Óptico 1 - APLICAÇÃO: 1.1 - Produto desenvolvido de forma a proporcionar aplicação e sustentação de até 2 cabos ópticos aéreos CFOA, em vãos máximos de 200,0 metros, para diâmetros

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0071 FUSÍVEIS TIPO NH DE BAIXA TENSÃO

Leia mais

Conector perfurante isolado com estribo para aterramento

Conector perfurante isolado com estribo para aterramento Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 1 de 5 ITEM PRINCIPAL AL / CU (mm2) CONDUTOR DERIVAÇÃO Estribo Diâmetro (mm) Torque Máximo (dan x m) Código de Estoque 01 16-70 20 6805467 6,35 02 95-150

Leia mais

NTC a 417. Reator integrado para lâmpada vapor de sódio

NTC a 417. Reator integrado para lâmpada vapor de sódio OBS.: 1. Medidas em milímetros. 2. O reator poderá ser fornecido com cabo ou conector. FIGURA 1 reator integrado JULHO/2011 SED/DNGO VOLUME 2 Página 1 T A B E L A 1 Tipo APLICAÇÃO Massa Porcentagem NTC

Leia mais

CÓDIGO: ETD DATA DE VIGÊNCIA: 13/01/2017 TÍTULO: Chave Fusível, Porta-fusível e Lâmina Desligadora VERSÃO:

CÓDIGO: ETD DATA DE VIGÊNCIA: 13/01/2017 TÍTULO: Chave Fusível, Porta-fusível e Lâmina Desligadora VERSÃO: TÍTULO: 1. Introdução Esta especificação tem como objetivo estabelecer as características técnicas básicas para o fornecimento de chave fusível, porta-fusível e lâmina desligadora destinados à RGE Sul

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Transmissão & Distribuição Secionadores

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Transmissão & Distribuição Secionadores Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Transmissão & Distribuição Secionadores SEGURANÇA PARA A MANUTENÇÃO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS O secionador é um elemento essencial no sistema de

Leia mais

NTC a 430. Reatores externos para lâmpadas a vapor de sódio

NTC a 430. Reatores externos para lâmpadas a vapor de sódio OBS.: 1. Medidas em milímetros. 2. O condutor para ligação à lâmpada (pulso) deve ser na cor branca. outubro de 2012 SED/DNGO/VNOT Volume 2 Página 1 de 10 DETALHE 1 - BASE PARA RELÉ FOTELÉTRICO INTERCAMBIÁVEL

Leia mais

C HAVE FUSÍVEL ABERTURA EM C ARGA T IPO MZOP PARA DISTRIBUIÇÃO

C HAVE FUSÍVEL ABERTURA EM C ARGA T IPO MZOP PARA DISTRIBUIÇÃO C HAVE FUSÍVEL ABERTURA EM C ARGA T IPO MZOP PARA DISTRIBUIÇÃO Página 1 de 7 A Chave fusível tipo MZOP (Loadbreak) foi desenvolvida para operar em redes de distribuição, nas tensões de 15, 27 e 38 kv.

Leia mais

TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS DE DISTRIBUIÇÃO COM ÓLEO VEGETAL AMBIENTE CONVENCIONAL

TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS DE DISTRIBUIÇÃO COM ÓLEO VEGETAL AMBIENTE CONVENCIONAL FIGURA 1 - TRANSFORMADOR TRIFÁSICO PARA INSTALAÇÃO EM POSTE 13200-220/127 V Legenda 1 Bucha de alta tensão - Ver Tabela 5 e Figura 2 7 Dispositivo de aterramento - Ver Figura 6 2 Bucha de baixa tensão

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 01/03/ de 9

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 01/03/ de 9 01/03/2018 1 de 9 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para Cantoneira para Braço C, utilizados nas Redes de Distribuição da CEMAR Companhia

Leia mais

Cabo não seccionado que é ligado ao BMI através de cabo derivação.

Cabo não seccionado que é ligado ao BMI através de cabo derivação. MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0061 BARRAMENTO MÚLTIPLO ISOLADO

Leia mais

IMPRESSÃO NÃO CONTROLADA

IMPRESSÃO NÃO CONTROLADA SUMÁRIO 1. ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 2 2. CONCEITOS BÁSICOS E DIRETRIZES... 2 3. CARACTERÍSTICAS...2 4. CÓDIGOS CPFL... 5 4.1 Geral... 5 4.2 Transformador Trifásico 15 kv... 6 4.3 Transformador Trifásico

Leia mais

PARAFUSOS DE CABEÇA QUADRADA, DE ROSCA DUPLA E DE CABEÇA ABAULADA FIGURA 1 - PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA (M16) - NTC /19 TA B E L A 1

PARAFUSOS DE CABEÇA QUADRADA, DE ROSCA DUPLA E DE CABEÇA ABAULADA FIGURA 1 - PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA (M16) - NTC /19 TA B E L A 1 FIGURA 1 - PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA (M16) - 811800/19 Código COPEL OBS.: 1. Medidas em milímetros. TA B E L A 1 Código A B (mín.) COPEL A B (mín.) 1800 15010938 40 1,5 35 1809 15011065 250 3,0 170 1801

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 01 / 04 / 2013 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padronizam as dimensões e as características mínimas exigíveis para a haste de aterramento e acessórios utilizados nas Redes de Distribuição,

Leia mais

TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS PARA CABINE

TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS PARA CABINE FIGURA 1 - TRANSFORMADOR TRIFÁSICO PARA INSTALAÇÃO EM CABINE 13200-220/127 VOLTS. LEGENDA: 1) Bucha de alta tensão (AT) - Ver Tabela 5 e Figura 2A 2) Bucha de baixa tensão (BT) - Ver Tabela 5 e Figura

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 24/09/2013 1 de 1 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para Estribo para Braço Tipo L, utilizados nas Redes de Distribuição da Companhia Energética

Leia mais

[1] NBR 5426:1989 Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos;

[1] NBR 5426:1989 Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos; 11 / 09 / 2012 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de elos de ligação para utilização nas Linhas de Transmissão da CEMAR. 2 CAMPO DE

Leia mais

1. FINALIDADE. Estabelecer os requisitos a serem atendidos para o fornecimento de medidor eletrônico de energia elétrica. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO

1. FINALIDADE. Estabelecer os requisitos a serem atendidos para o fornecimento de medidor eletrônico de energia elétrica. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE SERVIÇOS E CONSUMIDORES SUBSISTEMA MEDIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-321.0015 MEDIDOR ELETRÔNICO DE ENERGIA ELÉTRICA COM SAÍDA RS485 1/8 1. FINALIDADE Estabelecer os requisitos a

Leia mais

C HAVE FUSÍVEL RELIGADORA T IPO MZRP PARA DISTRIBUIÇÃO

C HAVE FUSÍVEL RELIGADORA T IPO MZRP PARA DISTRIBUIÇÃO C HAVE FUSÍVEL RELIGADORA T IPO MZRP PARA DISTRIBUIÇÃO Página 1 de 6 D ESCRIÇÃO É sabido que em torno de 90% dos defeitos que ocorrem em um sistema de distribuição aérea, são de origem transitória, ou

Leia mais

TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS PARA CABINE

TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS PARA CABINE FIGURA 1 - TRANSFORMADOR TRIFÁSICO PARA INSTALAÇÃO EM CABINE 13200-220/127 VOLTS. LEGENDA: 1) Bucha de alta tensão (AT)... - Ver Tabela 5 e Figura 2 2) Bucha de baixa tensão (BT)... - Ver Tabela 6 e Figura

Leia mais

Caixa concentradora de disjuntores

Caixa concentradora de disjuntores FIGURA 1 - CAIXA COM TAMPA 532 15 4 2,5 162 120 42 DETALHE 1 VISTA SUPERIOR DETALHE 2 49 ALINHAMENTO ENTRE A JANELA PARA DISJUNTOR E O TRILHO PARA DISJUNTOR TAMPA DA JANELA PARA DISJUNTOR JANELA VENEZIANA

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CHAVE FACA UNIPOLAR

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CHAVE FACA UNIPOLAR ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CHAVE FACA UNIPOLAR Código ETD-00.006 Data da emissão 12.06.1986 Data da última revisão 30.09.2010 Folha 1 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Normas Complementares 3 Definições 4

Leia mais