Bruno Tomaz Custódio dos REIS (Graduando UNESP/Assis)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Bruno Tomaz Custódio dos REIS (Graduando UNESP/Assis)"

Transcrição

1 II Colóquio da Pós-Graduação em Letras UNESP Campus de Assis ISSN: O MAYOMBE DE SEM MEDO: A BUSCA DE UMA IDENTIDADE POR TRÁS DO EXÍLIO Bruno Tomaz Custódio dos REIS (Graduando UNESP/Assis) RESUMO: O Mayombe diz respeito a um exílio comunitário e, ao mesmo tempo, singular, onde cada um vive o seu e também vive a do outro, tendo uma permuta de experiências moradas e uma aquisição de conduta e caráter para a formação de tais indivíduos. O livro Mayombe, em geral, gira em torno de Sem Medo, o comandante da Guerrilha, e é nele que se foca o real exílio geográfico e principalmente o sentimental. Sendo algo que pode derrubar a vida de uma pessoa, ele, Sem Medo, trabalha para contornar essa dificuldade. PALAVRAS-CHAVE: Literatura africana; Pepetela; Mayombe; guerrilha; exílio. Introdução O romance Mayombe, escrito pelo angolano Pepetela, expõe um momento importante da história política de Angola. A estória narrada é focada no personagem Sem Medo, um líder guerrilheiro que comanda o seu pequeno contingente em meio a dificuldades, como o racismo, o tribalismo, o oportunismo, as ideologias Os meus guerrilheiros não são um grupo de homens manejados para destruir o inimigo, mas um conjunto de seres, individuais, cada um com as suas razões subjetivas de lutar e que, aliás, se comportam como tal (PEPETELA, 2004, p. 232) que circulam neste meio. Ocorre uma representação da realidade mesclada com o ficcionário, já que movimentos guerrilheiros lutavam pela libertação nacional contra o colonialismo português na década de 60 e estendido até meados da década de 70, sendo conduzida efetivamente a independência em 75. Tudo começou com a partilha da África por interesses Europeus numa conferência de Berlim em Neste momento, tribos aliadas foram separadas e tribos inimigas unidas. Assim, somente após a Segunda Guerra Mundial as colônias foram conquistando a independência. A arte, e portanto a literatura, é uma transposição do real para o ilusório por meio de uma estilização formal, que propõe um tipo arbitrário de ordem para as coisas, os seres, os sentimentos. Nela se combinam um elemento de vinculação à realidade natural ou social, e 80

2 um elemento de manipulação técnica, indispensável à sua configuração, e implicando uma atitude de gratuidade. (CANDIDO, 2002, p. 47). Pepetela faz essa transposição, de algo realmente vivido para o literário, a fim de mostrar aos leitores como foi sua experiência durante a guerra de guerrilha e não para justificar, por meio dos documentos históricos, os acontecimentos. Assim, ele tem uma base fortificada para uma manipulação dos caminhos individuais que compõem a trajetória coletiva dos combatentes, controlando a história para que tenha um impacto desejado. O Mayombe diz respeito a um exílio comunitário e, ao mesmo tempo, singular, onde cada um vive o seu e, também, o outro, tendo uma permuta de experiências moradas e uma aquisição de conduta e caráter para a formação de tais indivíduos. Trataremos sobre o exílio, não especificamente do exílio político, mas sim do exílio como autoflagelação e especialmente do exílio de Sem Medo, mas sem esquecer dos outros personagens que compõem esta grandiosa narrativa. O exílio, pouco discutido pelas frentes teóricas, faz com que este assunto tenha diversas interpretações, mas vemos que o exílio de Sem Medo é uma situação de fuga do passado, algo sentimental deixado para trás. Mas esta fuga não é mais do que uma ilusão criada por ele, pois ele está preso ao exílio, suas memórias estão sempre próximas, prendendo-o a este ciclo rotativo. Grande parte da vida de um exilado é ocupada em compensar a perda desorientadora, criando um novo mundo para governar (SAID, 2003, p. 54). Assim, vemos que como comandante, Sem Medo faz do Mayombe de todos, o seu próprio, contudo tendo um toque de desraizamento com este local. Isso mostra que há uma busca incessante por uma identidade, sendo formada por passagens obscuras e objetivas, em que esta busca não terminou antes e nem depois do Mayombe. Teoria sentia que o Comandante também tinha um segredo. Como cada um dos outros. E era esse segredo que cada um que os fazia combater, frequentemente por razões longínquas das afirmadas. Por que Sem Medo abandonara o curso de Economia, em 1964, para entrar na guerrilha? (PEPETELA, 2004, p. 15). Um exílio sentimental mostra ser mais doloroso e mais sombrio para a pessoa que carrega esse fardo; para abstrair essa ideia do passado, ela usa as atividades atuais como algo que possa ocupar sua mente, afastando da sua memória recordações do passado que infrinja o seu presente e, principalmente, seu futuro, um futuro incerto que, dependendo da dor, pode direcionar o caminho a total desgraçada. 81

3 Contudo, mesmo mostrando essa determinação para distanciar esses sentimentos, vez ou outra eles voltam para mostrar algo. Para o exilado, os hábitos de vida, expressão ou atividade no novo ambiente ocorrem inevitavelmente contra o pano de fundo da memória dessas coisas em outro ambiente. Assim, ambos os ambientes são vívidos, reais, ocorrem juntos como no contraponto. Há um prazer específico nesse tipo de apreensão, em especial se o exilado está consciente de outras justaposições contrapontísticas que reduzem o julgamento ortodoxo e elevam a simpatia compreensiva. Temos também um sentimento particular de realização ao agir como se estivéssemos em casa em qualquer lugar (SAID, 2003, p ). O prazer em meio ao exílio é algo alcançado para tentar afagar as dores passadas, tirando da cabeça os problemas para se concentrar nas atividades. Para um cargo tão graduado de comandante, Sem Medo não poderia ter em mente tais problemas, desvirtuando-o da liderança da guerrilha naquela região, onde no mínimo seu julgamento sobre tais ações poderia ser frágil e incorreto, e os companheiros, observando esse mau manuseio do poder, poderiam reivindicar esse cargo tão cobiçado. Mas, concentrado no seu dever, ele demonstra boas condutas de liderança, mesmo vista, por alguns, com maus olhos e, assim, ganha a confiança de uma parte do bando. Claro que uma revista dos combatentes transpõe uma visão de atitude ortodoxa, mas Sem Medo também quer consertar o erro e ganhar a simpatia e o apoio do povo. Entretanto, vamos aproveitar para ver este caso dos cem escudos. Isto é grave, pois pode desmentir tudo o que dissemos. Quer dizer, afinal, somos mesmo bandidos, que roubamos o povo. O sacana que ficou com o dinheiro é contra-revolucionário, além de ser um ladrão barato, pois sabotou a boa impressão que podíamos ter causado aos trabalhadores. É melhor que ele diga já onde está o dinheiro... Quanto mais tarde, pior! (PEPETELA, 2004, p. 38) Mesmo visto por maus olhos, Sem Medo quis continuar com a revista para achar uma solução a este problema que poderia contaminar o bando todo. Um roubo pequeno poderia corromper e deflagrar ações que sujariam a imagem da MPLA, perdendo o fraco apoio das pessoas daquela região. Essa iniciativa de justiça não foi criada do nada, foram experiências vistas graças ao exílio, fazendo com que criasse bases amplas para um julgamento unânime. E para criar essa base, Sem Medo um homem viajado que presenciou algumas aventuras no decorrer do seu caminho soube observar em sua vida, refletir e experimentar. 82

4 Embora talvez pareça estranho falar dos prazeres do exílio, há certas coisas positivas para se dizer sobre algumas de suas condições. Ver o mundo inteiro como uma terra estrangeira possibilita a originalidade da visão. A maioria das pessoas tem consciência de uma cultura, um cenário, um país; os exilados têm consciência de pelo menos dois desses aspectos, e essa pluralidade de visão dá origem a uma consciência de dimensões simultâneas, uma consciência que para tomar emprestada uma palavra da música é contrapontística. (SAID, 2003, p. 59) Por esse motivo, percebemos que o exílio é algo que deve ser visto por diferentes perspectivas, pois, ainda que o exílio seja algo penoso e torturante, ele, indiretamente, pode auxiliar na formação do indivíduo. Entretanto, o indivíduo deve estar receptivo ao aprendizado, até mesmo em momentos difíceis e não se torturando mentalmente. Claro que nem todas as pessoas têm a lucidez de saber contornar, da melhor maneira possível, as situações de problema. Essas poucas pessoas, mesmo sofrendo, tentam tirar o melhor proveito, amenizando essa experiência tão difícil. Assim, fazem com que o psicológico não entre em conflito, a ponto de cegá-los dentro desta floresta tenebrosa que chamamos de consciente. Outra tormenta que surge do exílio psicológico é a perda por algo demasiadamente estimado no passado. Com isso duas vertentes surgem: o luto e a melancolia, sendo respectivamente, a dor pela morte de alguém e a seguinte, a convivência com a perda. Esses dois sentimentos são grandes fagulhas para a perda de foco e de boa mentalidade. Assim, o indivíduo mal estabilizado pode cair nesse imaginário poço, possivelmente, infinito: As realizações do exílio são permanentemente minadas pela perda de algo deixado para trás para sempre (SAID, 2003, p. 46). Essas realizações que Sem Medo faz principalmente durante a guerrilha é no intuito de esquecer o passado, e ter a atenção no presente para que o rumo do futuro seja bem fortificado: A espera era pior. Depois de o inimigo surgir, acabavam os problemas, os fantasmas ficavam para trás, e só a ação contava. Mas, na espera, as recordações tristes da meninice misturavam-se à saudade dos amigos mortos em combate e mesmo (ou sobretudo) ao rosto de Leli. Sem Medo notou que tinha passado mais de seis meses sem pensar em Leli. Desde o último combate. Ao irem atacar o Posto de Miconje, a imagem de Leli viera confundir-se com a chuva que formava torrentes de lama, resvalando pela costa que subiam para atingirem o inimigo. Tinham progredido na noite, debaixo de aguaceiro constante, para atingirem o ponto de ataque às seis da manhã. A lama e a chuva cegavam-nos, asfixiavam-nos, ofegantes pelo esforço de subirem de rastos uma montanha coberta de mata densa. Fora aí, na cegueira da floresta e da chuva, que Leli viera, se 83

5 impusera de novo. A angústia perseguiu-o até dar a ordem de fogo. O grito de fogo saíra-lhe como uma libertação, um urro de animal fugindo da armadilha. O grito ferido de Sem Medo afugentara a imagem de Leli (PEPETELA, 2004, p ). Vemos neste trecho a primeira amostra de algo realmente deixado para trás por Sem Medo no passado, Leli sua amada que morrera. No momento antecedente ao confronto, onde seus pensamentos não estavam completamente engajados na ação que estava preste a acontecer, o fantasma de Leli surge como algo que tem o intuito de desestabilizá-lo em sua ação, do mesmo modo em que ela surgiu metaforicamente em outro combate. Ele tenta demonstrar que sua ferida está totalmente cicatrizada, mas, podemos perceber que se trata de algo superficial, pois o narrador nos conta que ele afugenta o fantasma dela, mas sua imagem, não importe o que ele faça, sempre retorna, independente de haver um grande espaço de tempo entre o presente e suas lembranças. No entanto, observamos que fazia mais de seis meses que as lembranças dela não o rondavam, mas isso não quer dizer que ele desejava esquecêla. Pois se sua presença era indiretamente invocada para tentar tirar o foco, Sem Medo recebia isso como um sinal de que deveria ficar mais cauteloso para não cair em suas próprias ilusões, acarretando uma falha que mutilaria a si próprio e aos seus companheiros. No fim das contas, o exílio não é uma questão de escolha: nascemos nele, ou ele nos acontece. Mas desde que o exilado se recuse a ficar sentado à margem, afagando uma ferida, há coisas a aprender: ele deve cultivar uma subjetividade escrupulosa [...] (SAID, 2003, p. 57). Sem Medo associa inconscientemente que as aparições de Leli são lições para a sua formação, que quando surge um encanto hipnotizante, ele deve ser o mais racional possível para conseguir sair de forma ilesa. Ele fica mais forte e seu raciocínio mais claro, sabendo de uma forma mais efetiva a conclusão das suas tarefas. Entendemos que o exílio é uma bela arma para a construção de uma nova identidade do indivíduo no espaço em que pertence, já que a antiga se mantém em fragmentos como em um segundo plano, ativada, apenas, em momentos chaves. Assim, só depende do indivíduo superar e seguir em rumo à paz interior ou fracassar e viver amargurado. Vemos, então, as diversas vertentes que compõem o exílio em sua face mais obscura, que aqui acorrentado ao Sem Medo, é levada como uma companheira nas aventuras que este ocorrido lhe proporcionou. 84

6 Referências bibliográficas CANDIDO, Antonio. Literatura e Sociedade. 8 ed. São Paulo: T.A. Queiroz Ed., INFO ANGOLA: A Biblioteca Virtual de Angola. Desenvolvido pelo Governo da República de Angola Disponível em: Acesso em: 3 maio REIS, Eliana Lourenço de L. Pós-colonialismo, identidade e mestiçagem cultural: A literatura de Wole Soyinka. Rio de Janeiro: Relume-Dumará: Salvador, BA: Fundação Cultural do Estado da Bahia, PEPETELA. Mayombe. Luanda: Edições Maianga, SAID, Edward W. Reflexões sobre o exílio e outros ensaios. Tradução de Pedro Maia Soares. São Paulo: Companhia das Letras,

X SEL Seminário de Estudos Literários UNESP Campus de Assis ISSN:

X SEL Seminário de Estudos Literários UNESP Campus de Assis ISSN: X SEL Seminário de Estudos Literários UNESP Campus de Assis ISSN: 2179-4871 www.assis.unesp.br/sel sel@assis.unesp.br O MAYOMBE DE SEM MEDO: A BUSCA DE UMA IDENTIDADE NO EXÍLIO Bruno Tomaz Custódio dos

Leia mais

BION A CONTRIBUIÇÃO DA PSICANÁLISE A PSICOTERAPIA DE GRUPO

BION A CONTRIBUIÇÃO DA PSICANÁLISE A PSICOTERAPIA DE GRUPO BION A CONTRIBUIÇÃO DA PSICANÁLISE A PSICOTERAPIA DE GRUPO BIOGRAFIA Nasceu em 1897 na Índia, filho de ingleses Com 8 anos foi p\ Inglaterra Oficial na I e na II Guerra Mundial iniciou primeiras experiências

Leia mais

i dos pais O jovem adulto

i dos pais O jovem adulto i dos pais O jovem adulto O desenvolvimento humano é um processo de mudanças emocionais, comportamentais, cognitivas, físicas e psíquicas. Através do processo, cada ser humano desenvolve atitudes e comportamentos

Leia mais

a confusão do final do ano e as metas para o próximo

a confusão do final do ano e as metas para o próximo o que fazer se o ano que passou foi ruim? o que fazer nesse próximo ano? a confusão do final do ano e as metas para o próximo Enéas Guerriero www.equilibriocontinuo.com.br O que vamos falar hoje? 1) Estresse

Leia mais

Pai-Nosso/ Ave Maria

Pai-Nosso/ Ave Maria DEGRAUS DE UM COORDENADOR Paróquia Santo Antônio Praia Grande Diocese de Santos (SP) ENCONTRO COM COORDENADORES E VICES DE PASTORAIS E MOVIMENTOS / Abril de 2013 Pai-Nosso/ Ave Maria Toda manhã, procuro

Leia mais

como diz a frase: nois é grossa mas no fundo é um amor sempre é assim em cima da hora a pessoa muda numa hora ela fica com raiva, triste, feliz etc.

como diz a frase: nois é grossa mas no fundo é um amor sempre é assim em cima da hora a pessoa muda numa hora ela fica com raiva, triste, feliz etc. SEGUIR EM FRENTE seguir sempre em frente, nunca desistir dos seus sonhos todos nós temos seu nivel ou seja todos nós temos seu ponto fraco e siga nunca desistir e tentar até voce conseguir seu sonho se

Leia mais

Elaboração de Textos P R O F. : M I C H E L E N A S U T O M I YA M A B U C C I

Elaboração de Textos P R O F. : M I C H E L E N A S U T O M I YA M A B U C C I Elaboração de Textos P R O F. : M I C H E L E N A S U T O M I YA M A B U C C I Introdução Existem vários tipos de textos: Que contam uma história. Que descrevem uma situação. Que apresenta os diálogos

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação Português Compreensão de texto 3 o ano Unidade 6 5 Unidade 6 Compreensão de texto Nome: Data: Leia este texto. Os habitantes de uma região onde havia um castelo muito antigo tinham

Leia mais

AMOR PROVADO Ninho Bagunçado (Décimo primeiro ao décimo nono ano)

AMOR PROVADO Ninho Bagunçado (Décimo primeiro ao décimo nono ano) AMOR PROVADO Ninho Bagunçado (Décimo primeiro ao décimo nono ano) a) Manter uma identidade pessoal e uma identidade para o casamento > Dependência exagerada - A identidade do cônjuge é um reflexo do seu

Leia mais

O Mito da Caverna de Platão

O Mito da Caverna de Platão O Mito da Caverna de Platão Imagine uma caverna grande, úmida e escura. Nessa caverna vivem algumas milhares de pessoas. Essas pessoas desde que nasceram, vivem com correntes nos braços, pescoço e pés,

Leia mais

Português Professora Raquel 8ª série / 3º trimestre

Português Professora Raquel 8ª série / 3º trimestre Português Professora Raquel 8ª série / 3º trimestre 1. Assinale a concordância inadequada. Concordância do verbo Ser a) Aqui faz verões terríveis. b) Era três horas quando Pedro saiu. c) A maior parte

Leia mais

PSICOLOGIA. De que trata a Psicologia Social? Psicologia Social. O QUE Psicologia Social I. Psicologia Geral e Psicologia Social 11/09/2017

PSICOLOGIA. De que trata a Psicologia Social? Psicologia Social. O QUE Psicologia Social I. Psicologia Geral e Psicologia Social 11/09/2017 11/09/2017 PSICOLOGIA A história da Psicologia Social e seu objeto de estudo O QUE Psicologia Social I É? Profa. Rosana Carneiro Tavares ÁREAS DE ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO De que trata a Psicologia Social?

Leia mais

Direito empresarial e. trabalhista. Profa. Dra. Silvia bertani. Profa. Dra. Silvia Bertani 1

Direito empresarial e. trabalhista. Profa. Dra. Silvia bertani. Profa. Dra. Silvia Bertani 1 Direito empresarial e Profa. Dra. Silvia bertani trabalhista Profa. Dra. Silvia Bertani 1 Profa. Dra. Silvia Bertani 2 Direito empresarial e trabalhista O que vamos estudar? Empresa empresário estabelecimento

Leia mais

O papel do assessor diante do pluralismo eclesial juvenil atual

O papel do assessor diante do pluralismo eclesial juvenil atual Tema 05: Dimensão de Capacitação (Processo- metodológico. Como organizar a ação ). Tituto 02: O papel do assessor diante do pluralismo eclesial juvenil atual Antonio Ramos do Prado, sdb (Ms. Pastoral Juvenil

Leia mais

Prefácio: O Leão e a Joia, de Wole Soyinka

Prefácio: O Leão e a Joia, de Wole Soyinka Prefácio: O Leão e a Joia, de Wole Soyinka A 1ª Bienal Brasil do Livro e da Leitura, que aconteceu em Brasília, entre 14 e 23 de abril, foi marcada pelo lançamento da obra O Leão e a Joia, do poeta, escritor

Leia mais

IRACEMA, José de Alencar Iracema, José De Alencar

IRACEMA, José de Alencar Iracema, José De Alencar IRACEMA, José de Alencar Iracema, José De Alencar Obra narrada em terceira pessoa; É a história de Martim (branco, português) e Iracema (índia tabajara). Os protagonistas se conhecem quando ela o atinge

Leia mais

Direito Empresarial. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Direito Empresarial. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Direito Empresarial Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

Foco da três semana - explorar e praticar a experimentação

Foco da três semana - explorar e praticar a experimentação Foco da três semana - explorar e praticar a experimentação "Sempre podemos encontrar prazer dentro do momento atual, mesmo no meio de uma crise e de situações difíceis na vida. Respirando, permito que

Leia mais

Desenho Conceitual e StoryBoard- David de Oliveira Lemes Linguagem Audiovisual em games - Eliseu de Souza Lopes Filho O Guerreiro

Desenho Conceitual e StoryBoard- David de Oliveira Lemes Linguagem Audiovisual em games - Eliseu de Souza Lopes Filho O Guerreiro Gustavo Baião RA00186026 Tecnologia em jogos digitais Desenho Conceitual e StoryBoard- David de Oliveira Lemes Linguagem Audiovisual em games - Eliseu de Souza Lopes Filho O Guerreiro Fluxograma A1 Era

Leia mais

Conto das Águas. Um conto de sensações. Enio Roncarati

Conto das Águas. Um conto de sensações. Enio Roncarati Conto das Águas Um conto de sensações Enio Roncarati Dedicatória Dedico este pequeno conto aos autores anônimos que com esperança de lançar uma pequena Luz sobre aqueles que estão dispostos a trilhar

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS REDAÇÃO

LISTA DE EXERCÍCIOS REDAÇÃO LISTA DE EXERCÍCIOS REDAÇÃO P1-2º BIMESTRE 6º ANO FUNDAMENTAL II Aluno (a): Turno: Turma: Unidade Data: / /2016 HABILIDADES E COMPETÊNCIAS Revisar a estrutura dos tipos textuais narração e descrição. Conhecer

Leia mais

Todos os direitos reservados. E necessária à autorização previa antes de reproduzir ou publicar parte ou esta obra na íntegra.

Todos os direitos reservados. E necessária à autorização previa antes de reproduzir ou publicar parte ou esta obra na íntegra. Todos os direitos reservados E necessária à autorização previa antes de reproduzir ou publicar parte ou esta obra na íntegra. Enquanto os autores fizeram os melhores esforços para preparar este livro,

Leia mais

INCLUSÃO EM TRANSICIONALIDADE

INCLUSÃO EM TRANSICIONALIDADE INCLUSÃO EM TRANSICIONALIDADE Profa Dra IVONISE FERNANDES DA MOTTA * Profa Dra SANDRA CONFORTO TSCHIRNER ** RESUMO Um tema bastante abordado na contemporaneidade é a inclusão de pessoas com algum tipo

Leia mais

SARTRE: FENOMENOLOGIA E EXISTENCIALISMO LIBERDADE E RESPONSABILDIADE

SARTRE: FENOMENOLOGIA E EXISTENCIALISMO LIBERDADE E RESPONSABILDIADE SARTRE: FENOMENOLOGIA E EXISTENCIALISMO LIBERDADE E RESPONSABILDIADE Viver é isto: ficar se equilibrando o tempo todo entre escolhas e consequências Jean Paul Sartre Jean-Paul Sartre - Paris, 1905 1980.

Leia mais

nos referidos documentos com o mundo possível criado pelos escritores. A investigação centrou-se nos romances de três escritores angolanos (Pepetela,

nos referidos documentos com o mundo possível criado pelos escritores. A investigação centrou-se nos romances de três escritores angolanos (Pepetela, RESUMO Usando documentos oficiais, registos legislativos, memórias e outras fontes documentais escritas produzidos no período entre os anos 60 e início da década de 90 do século XX, o presente estudo procura

Leia mais

Aulas 21 à 24 TEXTO NARRATIVO

Aulas 21 à 24 TEXTO NARRATIVO Aulas 21 à 24 Prof. Sabrina Moraes TEXTO NARRATIVO Maioritariamente escrito em prosa, o texto narrativo é caracterizado por narrar uma história, ou seja, contar uma história através de uma sequência de

Leia mais

ESSÊNCIAS DE POESIAS. Cristina Goulart

ESSÊNCIAS DE POESIAS. Cristina Goulart ESSÊNCIAS DE POESIAS Cristina Goulart 1ª EDIÇÃO LONDRINA- PARANÁ 2013 1 TUDO SE MOVE EM TORNO DAS PALAVRAS. SUA VIDA, SEU MOMENTO E SUA CRIATIVIDADE. TUDO SE TRANSFORMA ATRAVÉS DE DEUS, SEU BEM MAIOR.

Leia mais

coleção Conversas #21 - ABRIL e t m o se? Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #21 - ABRIL e t m o se? Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. Sou bem que ele mais v coleção Conversas #21 - ABRIL 2015 - m o c está l e g i o h a que e l apenas por in e t. er e s se? Será Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

Leia mais

Educação, articulação e complexidade por Edgar Morin. Elza Antonia Spagnol Vanin*

Educação, articulação e complexidade por Edgar Morin. Elza Antonia Spagnol Vanin* Educação, articulação e complexidade por Edgar Morin Elza Antonia Spagnol Vanin* Cadernos do CEOM - Ano 17, n. 20 - Imagens e Linguagens O francês Edgar Morin é um dos maiores pensadores multidisciplinares

Leia mais

Vídeo: O Pequeno Príncipe

Vídeo: O Pequeno Príncipe Sinopse Uma garota acaba de se mudar com a mãe, uma controladora obsessiva que deseja definir antecipadamente todos os passos da filha para que ela seja aprovada em uma escola conceituada. Entretanto,

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Mini Curso Parte I As Forças que controlam a sua vida Página 2 de 6 Como te falei, essa é a primeira etapa do mini-curso Superando

Leia mais

REVISÃO PROFESSORA FÁTIMA DANTAS

REVISÃO PROFESSORA FÁTIMA DANTAS REVISÃO PROFESSORA FÁTIMA DANTAS RELATOS DE VIAGEM Características e finalidade VAMOS RECORDAR? O autor regista fatos e acontecimentos ocorridos ao longo de uma viagem, por meio de suas próprias perspectivas

Leia mais

Aos Poetas. Que vem trazer esperança a um povo tristonho, Fazendo os acreditar que ainda existem os sonhos.

Aos Poetas. Que vem trazer esperança a um povo tristonho, Fazendo os acreditar que ainda existem os sonhos. Aos Poetas Venho prestar homenagem a uma grande nação, Que são os nossos poetas que escrevem com dedicação, Os poemas mais lindos e que por todos são bemvindos, Que vem trazer esperança a um povo tristonho,

Leia mais

Quando amamos muito alguém raramente pensamos na hipótese de lhe acontecer alguma coisa.

Quando amamos muito alguém raramente pensamos na hipótese de lhe acontecer alguma coisa. Capítulo 3 Quando amamos muito alguém raramente pensamos na hipótese de lhe acontecer alguma coisa. As respostas voltam no teu exemplo. Achei que estava a viver uma vida normal. Eu escolhi o lugar. A vida

Leia mais

OS CICLOS DOS 7 ANOS

OS CICLOS DOS 7 ANOS OS CICLOS DOS 7 ANOS Os mistérios que envolvem a nossa vida, desde o nascimento, como as experiências, os fatos, os acontecimentos, bons e ruins, as pessoas que surgem ou desaparecem, de nossas vidas,

Leia mais

Devemos ser livres JULIA FERREIRA 7º A. Devemos ser livres Para andar na rua Sem medo ou desespero Sozinhos ou acompanhados

Devemos ser livres JULIA FERREIRA 7º A. Devemos ser livres Para andar na rua Sem medo ou desespero Sozinhos ou acompanhados Devemos ser livres JULIA FERREIRA 7º A Devemos ser livres Para andar na rua Sem medo ou desespero Sozinhos ou acompanhados Comprar algo caro Sem medo de ser assaltado Ter um carro bom, Mas não para ser

Leia mais

PROVA DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTO CÓD. 01. A vida em cliques

PROVA DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTO CÓD. 01. A vida em cliques 14 PROVA DE INTERPRETAÇÃO DE TEXTO CÓD. 01 A vida em cliques Era uma vidinha monótona sem perspectivas: medíocre emprego numa empresa, as conversas inconseqüentes com os amigos, o trânsito congestionado.

Leia mais

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO Curso:Licenciatura em Letras Língua Portuguesa Semestre Letivo / Turno: 6º Semestre Disciplina: Literaturas Étnicas em Língua Professores: José Wildzeiss Neto / Ana Lúcia

Leia mais

AUTOCONHECIMENTO e liderança. Mantenedor

AUTOCONHECIMENTO e liderança. Mantenedor AUTOCONHECIMENTO e liderança Mantenedor Olá, Empresário Júnior! Entramos na segunda semana do PDL Com o primeiro manual, bit.ly/pdl2017_1, foi possível entender o que significa ser um líder dentro do Movimento

Leia mais

ATIVIDADE AVALIATIVA DE RECUPERAÇÃO

ATIVIDADE AVALIATIVA DE RECUPERAÇÃO ATIVIDADE AVALIATIVA DE RECUPERAÇÃO Nome: Nº DA CHAMADA: Tempo estipulado pelo professor para a aplicação da Avaliação: h/a º TRIMESTRE/ 0 º ANO Componente Curricular: Redação Ano/ Série e Turma: Data:

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 73 Discurso na cerimónia de inauguração

Leia mais

Os livros de Pepetela

Os livros de Pepetela Os livros de Pepetela Diana Santos ILOS, círculo de leitura lusófona d.s.m.santos@ilos.uio.no 15 de setembro de 2016 Os livros de Pepetela para mim um dom de contar/recriar ambientes magnífico, que nos

Leia mais

1. Vive a perambular e a agir de forma estranha e instintiva. 2. Um ser privado de vontade própria. 3. Vivem em bando pois é mais fácil de atacar a

1. Vive a perambular e a agir de forma estranha e instintiva. 2. Um ser privado de vontade própria. 3. Vivem em bando pois é mais fácil de atacar a O que é um Zumbi? Morto Vivo 1. Vive a perambular e a agir de forma estranha e instintiva. 2. Um ser privado de vontade própria. 3. Vivem em bando pois é mais fácil de atacar a presa. 4. Se alimentam de

Leia mais

Vamos ver nesses próximos encontros, um pouco dos Livros Históricos, passando um por um. Vamos dar um mergulho em personagens interessantes, em fatos

Vamos ver nesses próximos encontros, um pouco dos Livros Históricos, passando um por um. Vamos dar um mergulho em personagens interessantes, em fatos Vamos ver nesses próximos encontros, um pouco dos Livros Históricos, passando um por um. Vamos dar um mergulho em personagens interessantes, em fatos espetaculares. Porém, o mais forte é a Mensagem Divina

Leia mais

Guião de Visionamento do vídeo: Sisyphus - the real struggle

Guião de Visionamento do vídeo: Sisyphus - the real struggle Documento 1 Guião de Visionamento do vídeo: Sisyphus - the real struggle Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=lrj-rsxvvua Duração: 3 minutos e 59 segundos Questões: 1. Partindo do Mito de Sísifo, esclarece

Leia mais

RELAÇÕES RACIAIS NA PERSPECITIVA CURRICULAR E EDUCACIONAL

RELAÇÕES RACIAIS NA PERSPECITIVA CURRICULAR E EDUCACIONAL RELAÇÕES RACIAIS NA PERSPECITIVA CURRICULAR E EDUCACIONAL "Que a água seja refrescante. Que o caminho seja suave. Que a casa seja hospitaleira. Que o Mensageiro conduza em paz nossa Palavra." Benção Yoruba

Leia mais

AQUI VIVE A ESPERANÇA!

AQUI VIVE A ESPERANÇA! AQUI VIVE A ESPERANÇA! ANTONIO CARLOS COSTA AQUI VIVE A ESPERANÇA! Re exões Abra-se para a vida, pois esta é a única forma de encontrar a felicidade. Mensagens de incentivo à vida Frases - Pensamentos

Leia mais

AGOSTINHO NETO: LÍDER DA LUTA DE LIBERTAÇÃO NACIONAL

AGOSTINHO NETO: LÍDER DA LUTA DE LIBERTAÇÃO NACIONAL AGOSTINHO NETO: LÍDER DA LUTA DE LIBERTAÇÃO NACIONAL No início da terceira década do séc. XIX, mais propriamente em 1822, Portugal perde a maior mais importante colónia na América, o Brasil, por força

Leia mais

MPLA. Discurso do Camarada João Lourenço na 2ª Reunião do Comité Internacional da OMA

MPLA. Discurso do Camarada João Lourenço na 2ª Reunião do Comité Internacional da OMA MPLA Discurso do Camarada João Lourenço na 2ª Reunião do Comité Internacional da OMA Camarada Luzia Inglês, Secretária Geral da OMA, Camaradas do Presidium, distintos membros do Comitê Nacional da OMA,

Leia mais

José Mauricio Rodrigues Lima (Graduando UNESP/Assis)

José Mauricio Rodrigues Lima (Graduando UNESP/Assis) II Colóquio da Pós-Graduação em Letras UNESP Campus de Assis ISSN: 2178-3683 www.assis.unesp.br/coloquioletras coloquiletras@yahoo.com.br REPRESENTAÇÕES DO TRABALHO NO ROMANCE A MAÇÃ NO ESCURO, DE CLARICE

Leia mais

DAVE Certo. Bem, temos dois erros opostos que podemos cair quando falamos de batalha espiritual. Um erro é ignorá-la. O outro é focar somente nela.

DAVE Certo. Bem, temos dois erros opostos que podemos cair quando falamos de batalha espiritual. Um erro é ignorá-la. O outro é focar somente nela. BATALHA ESPIRITUAL Mateus 6:13, Efésios 6:11, Romanos 8:37 Em nossos últimos encontros, estivemos falando sobre oração e sobre as duas áreas críticas o ser perdoado, e o perdoar outras pessoas. Agora,

Leia mais

II ENCONTRO "OUVINDO COISAS: EXPERIMENTAÇÕES SOB A ÓTICA DO IMAGINÁRIO"

II ENCONTRO OUVINDO COISAS: EXPERIMENTAÇÕES SOB A ÓTICA DO IMAGINÁRIO II ENCONTRO "OUVINDO COISAS: EXPERIMENTAÇÕES SOB A ÓTICA DO IMAGINÁRIO" Título da Exposição: A poética da morada e os cenários do imaginário habitado Trabalho fotográfico realizado com base no livro A

Leia mais

O QUE A GENTE QUER MURAL P(R)O(F)ÉTICO. Estudantes do 3º EJA MÉDIO

O QUE A GENTE QUER MURAL P(R)O(F)ÉTICO. Estudantes do 3º EJA MÉDIO O QUE A GENTE QUER MURAL P(R)O(F)ÉTICO Estudantes do 3º EJA MÉDIO 2 3 APRESENTAÇÃO Os poemas que se seguem foram escritos pelos estudantes do 3º EJA A do Ensino Médio da Escola Estadual Dionysio Costa

Leia mais

APRESENTA. Exercícios para uma adjetivação sugestiva

APRESENTA. Exercícios para uma adjetivação sugestiva APRESENTA Exercícios para uma adjetivação sugestiva 01 Quem sou Desde criança, as palavras me fascinam. De belas histórias ouvidas ao pé da cama, até as grandes aventuras de Monteiro Lobato devoradas no

Leia mais

RIO DE JANEIRO CAPITAL DA INSEGURANÇA. Mote: Há muito papo furado querendo nos enrolar

RIO DE JANEIRO CAPITAL DA INSEGURANÇA. Mote: Há muito papo furado querendo nos enrolar RIO DE JANEIRO CAPITAL DA INSEGURANÇA Mote: querendo nos enrolar Pra falar de INSEGURANÇA Resolvi fazer cordel Nem gastei muito papel Mas ganhei mais confiança Escrevendo essa lembrança Não deixem de consultar

Leia mais

carolferrera.com Workbook Aula 2

carolferrera.com Workbook Aula 2 Workbook Aula 2 1º Workshop 06 a 10 de março Descubra o Poder de Emagrecer que está em você! Meu nome é Carol Ferrera, sou Coach de Emagrecimento Definitivo, formada pela Sociedade Brasileira de Coach,

Leia mais

A VIOLÊNCIA POLÍTICA-SOCIAL: UMA ANÁLISE DA POESIA DE ODETE SEMEDO

A VIOLÊNCIA POLÍTICA-SOCIAL: UMA ANÁLISE DA POESIA DE ODETE SEMEDO IV Encontro Internacional de Literaturas, Histórias e Culturas Afro-brasileiras e Africanas Universidade Estadual do Piauí UESPI ISBN: 978-85-8320-162-5 A VIOLÊNCIA POLÍTICA-SOCIAL: UMA ANÁLISE DA POESIA

Leia mais

4 erros que te impedem de alcançar o sucesso,apesar da crise CRISE OU OPORTUNIDADE?

4 erros que te impedem de alcançar o sucesso,apesar da crise CRISE OU OPORTUNIDADE? 4 erros que te impedem de alcançar o sucesso,apesar da crise CRISE OU OPORTUNIDADE? INTRODUÇÃO Você já parou para pensar em quantas vezes seus planos foram deixados de lado? Você renova seus objetivos

Leia mais

FAÇA A SUA ESCOLHA JOSUÉ

FAÇA A SUA ESCOLHA JOSUÉ Filho está na hora de ir à igreja, vamos! Você já leu sua Bíblia hoje? Então, vamos logo. FAÇA A SUA ESCOLHA JOSUÉ 24.14-16 Talvez você também vá à igreja ou leia a Bíblia porque sua mãe (ou alguém outro)

Leia mais

CURSO DE SUPERVISORES

CURSO DE SUPERVISORES 2016 CURSO DE SUPERVISORES [Com Ferramentas de Coaching] AULA 7 Bruno Monteiro AAULA 7 APRENDENDO A DESAFIAR A EQUIPE A CRESCERR Os bons líderes precisam viver o que eu chamo de melhoria contínua. Ou seja,

Leia mais

Família Presente de Deus, Lugar de Amor

Família Presente de Deus, Lugar de Amor Família Presente de Deus, Lugar de Amor Amadas irmãs e amados irmãos, Paz e Bem! É com felicidade que trazemos mais este presente para a IMMF do Brasil: mais um encarte no caderno de formação! Um material

Leia mais

SARA CARDOSO. Escolho Ser Feliz. Um guia para uma autoestima mais forte e uma vida mais positiva. Pergaminho

SARA CARDOSO. Escolho Ser Feliz. Um guia para uma autoestima mais forte e uma vida mais positiva. Pergaminho Escolho Ser Feliz SARA CARDOSO Escolho Ser Feliz Um guia para uma autoestima mais forte e uma vida mais positiva Pergaminho Aceitação em vez de negação A aceitação é o oposto da negação, ou da resistência

Leia mais

O romance como documento social: o caso de Mayombe

O romance como documento social: o caso de Mayombe O romance como documento social: o caso de Mayombe Carlos Serrano* * Professor do Departamento de Antropologia e da área de ECLLP da USP; Vice- Diretor do Centro de Estudos Africanos da USP. Nota Introdutória

Leia mais

Os Livros dos Macabeus

Os Livros dos Macabeus Os Livros dos Macabeus O nome dos Livros surgiu do apelido de Macabeus (martelo) dado a Judas, filho mais famoso de Matatias. O texto foi escrito em Hebraico no início do 1º século a.c. Os livros descrevem

Leia mais

Transição: A mudança do velho para o novo - o que isso faz com você?

Transição: A mudança do velho para o novo - o que isso faz com você? Transição: A mudança do velho para o novo - o que isso faz com você? Hermanus J. Meijerink - Holambra Março-2011 Com processos de mudança, a gerência muitas vezes dá bastante atenção para iniciar e conduzir

Leia mais

Sou eu quem vivo esta é minha vida Prazer este

Sou eu quem vivo esta é minha vida Prazer este Vivo num sonho que não é realidade Faz parte do meu viver Crescer sonhando esquecendo os planos Sou eu quem vivo esta é minha vida Prazer este EU Hoje deixei pra lá me esqueci de tudo Vivo minha vida sobre

Leia mais

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL. Profa. Fátima Soares

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL. Profa. Fátima Soares PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL Profa. Fátima Soares Definições: A psicologia é a ciência que estuda o comportamento e os processos mentais do ser humano e todos os animais. Psicologia como ciência A psicologia

Leia mais

Você já ouviu a história de uma tal "garota legal"? Bem, se não, deixeme contar uma história:

Você já ouviu a história de uma tal garota legal? Bem, se não, deixeme contar uma história: Você já ouviu a história de uma tal "garota legal"? Bem, se não, deixeme contar uma história: Uma garota legal é alguém que se dedica de alma e coração em um relacionamento. Ela é alguém que poderia esperar

Leia mais

O conto: modalidade narrativa curta, no qual o espaço e o tempo são reduzidos e com poucas personagens.

O conto: modalidade narrativa curta, no qual o espaço e o tempo são reduzidos e com poucas personagens. O conto: modalidade narrativa curta, no qual o espaço e o tempo são reduzidos e com poucas personagens. Alguns elementos são essenciais: Sabemos que as histórias (ação) são contadas por alguém (narrador),

Leia mais

Entrevista com o Prof. Luiz Carlos Crozera, autor da Hipnose Condicionativa.

Entrevista com o Prof. Luiz Carlos Crozera, autor da Hipnose Condicionativa. Entrevista com o Prof. Luiz Carlos Crozera, autor da Hipnose Condicionativa. 1. Hipnose é causada pelo poder do hipnotizador Naturalmente o hipnotizador deve ter o devido conhecimento e a força mental

Leia mais

Narrativa e informação

Narrativa e informação Narrativa e informação emissor = formulador da sintaxe da mensagem receptor = intérprete da semântica A recepção qualifica a comunicação. É por isso que o receptor tem papel fundamental no processo de

Leia mais

SER, PARA SEMPRE, FELIZ!

SER, PARA SEMPRE, FELIZ! SER, PARA SEMPRE, FELIZ! Não importa o que acabou de acontecer, importa o que irá acontecer, pois se bom ou mal, ficou no passado, mesmo que sirva de exemplo, o sabor, ou seja, lá o que for, jamais será

Leia mais

Escrita. Por Ricardo Fonseca

Escrita. Por Ricardo Fonseca Escrita Por Ricardo Fonseca FUGA MEDOS GRATIDÃO MISSÃO Sonhos VIVER DOENÇA FAMÍLIA Amor DÚVIDAS PAIXÃO Escrever SAÚDE RECUPERAÇÃO TRISTEZA ABUNDÂNCIA PERDA Luto REALIZAÇÃO VITÓRIA FELICIDADE ABANDONO CRISE

Leia mais

A GÊNESE Capítulo III. O Bem e o Mal. Claudio Conti

A GÊNESE Capítulo III. O Bem e o Mal. Claudio Conti A GÊNESE Capítulo III O Bem e o Mal Claudio Conti Origem do Bem e do Mal 1- Sendo Deus o princípio de todas as coisas e sendo todo sabedoria, todo bondade, todo justiça, tudo o que dele procede há de participar

Leia mais

Oito coisas para abandonar em busca da felicidade

Oito coisas para abandonar em busca da felicidade Oito coisas para abandonar em busca da felicidade Por Emanuelle Araújo Mendes Para mim, o que nos aproxima mais da felicidade é conseguir prestar atenção nas coisas simples que acontecem no cotidiano.

Leia mais

José Augusto Neves

José Augusto Neves P-37 NEUROLIDERANÇA O caminho sem volta José Augusto Neves janeves@institutomvc.com.br 11-3171-1645 Completeafrase: Os seres humanos, na sua natureza,são... A maneira como percebemos a realidade,influencia

Leia mais

REDAÇÃO. Nota 10! Dicas rápidas para perder o medo de escrever. Aprenda a redigir com criatividade e qualidade

REDAÇÃO. Nota 10! Dicas rápidas para perder o medo de escrever. Aprenda a redigir com criatividade e qualidade REDAÇÃO Nota 10! Dicas rápidas para perder o medo de escrever. Aprenda a redigir com criatividade e qualidade A folha em branco é um campo aberto para suas ideias! Questões e mais questões objetivas, testes

Leia mais

MAPA MENTAL. Por Denise Mucci. tvartdesign.com.br. Todos os direitos autorais são reservados a Denise Mucci

MAPA MENTAL. Por Denise Mucci. tvartdesign.com.br. Todos os direitos autorais são reservados a Denise Mucci 2016 MAPA MENTAL Por Denise Mucci Todos os direitos autorais são reservados a Denise Mucci tvartdesign.com.br como organizar o seu mapa mental primeiro eu te conto o que é um mapa mental. VAMOS LÁ é um

Leia mais

Medo X X X. Atitude e Confiança!!

Medo X X X. Atitude e Confiança!! Medo X X X Atitude e Confiança!! MEDO O medo é uma sensação que proporciona um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa, geralmente por se sentir ameaçado, tanto fisicamente como

Leia mais

Neste grupo de pedidos, a coisa pela qual o Senhor Jesus nos ensina a orar, em primeiro lugar é pelo pão.

Neste grupo de pedidos, a coisa pela qual o Senhor Jesus nos ensina a orar, em primeiro lugar é pelo pão. Mensagem de 20.03.2011 Pr. Jacson Andrioli Pai Nosso parte IV Mateus 6.9-15 PEDIDOS: Depois de nos dirigirmos a Deus chamando-o de Pai, depois de admitirmos que Ele é Pai nosso (não apenas meu), depois

Leia mais

Educadora em Desenvolvimento Humano e Financeiro. valormaior.com.br

Educadora em Desenvolvimento Humano e Financeiro. valormaior.com.br Educadora em Desenvolvimento Humano e Financeiro valormaior.com.br EQUILÍBRIO FINANCEIRO Nosso equilíbrio financeiro é resultado da nossa forma de viver a vida. Imagem pixabay.com Refletir sobre suas necessidades

Leia mais

GRUPO VI 2 o BIMESTRE PROVA A

GRUPO VI 2 o BIMESTRE PROVA A Unidade Portugal Série: 6 o ano (5 a série) Período: TARDE Data: 22/6/2011 PROVA GRUPO GRUPO VI 2 o BIMESTRE PROVA A Nome: Turma: Valor da prova: 4,0 Nota: Leia o texto com atenção e faça o que se pede

Leia mais

PSICOLOGIA SOCIAL I. Psicologia Geral e Psicologia Social. De que trata a Psicologia Social? 21/08/2016

PSICOLOGIA SOCIAL I. Psicologia Geral e Psicologia Social. De que trata a Psicologia Social? 21/08/2016 PSICOLOGIA SOCIAL I A psicologia social e seu objeto de estudo: QUESTÕES PRELIMINARES Profa. Dra. Rosana Carneiro Tavares A HISTÓRIA DA PSICOLOGIA SOCIAL ÁREAS DE ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO De que trata a Psicologia

Leia mais

MENSAGEM DO GENERAL CHEFE DO ESTADO-MAIOR-GENERAL DAS FORÇAS ARMADAS (FORMATURA DE DESPEDIDA) (06 DE FEVEREIRO DE 2014)

MENSAGEM DO GENERAL CHEFE DO ESTADO-MAIOR-GENERAL DAS FORÇAS ARMADAS (FORMATURA DE DESPEDIDA) (06 DE FEVEREIRO DE 2014) SENHORES ALMIRANTES SENHORES GENERAIS SENHORES OFICIAIS, SARGENTOS, PRAÇAS E FUNCIONÁRIOS CIVIS MEUS CAMARADAS AO LONGO DE MAIS DE 47 ANOS, 3 DOS QUAIS COMO CEMGFA, SERVI A NOSSA PÁTRIA NAS NOSSAS FORÇAS

Leia mais

Esse Guia está estruturado e organizado para você utilizá-lo durante a

Esse Guia está estruturado e organizado para você utilizá-lo durante a GUIA da MINISSÉRIE: Como Enfrentar o Câncer Esse Guia está estruturado e organizado para você utilizá-lo durante a MINISSÉRIE: Como Enfrentar o Câncer Se você tiver dúvidas sobre a Minissérie: COMO Enfrentar

Leia mais

Filtro dos sonhos com salmos: inspire-se!

Filtro dos sonhos com salmos: inspire-se! Filtro dos sonhos com salmos: inspire-se! Receita exclusiva de filtro dos sonhos com salmos! A receita é simples: AFASTE OS PESADELOS E ATRAIA BONS PENSAMENTOS! Essa receita é exclusiva e usa a força de

Leia mais

É GUERRA! Prepare-se! Como operações especiais de suporte de TI podem fazer a diferença nos momentos de alta demanda para o negócio.

É GUERRA! Prepare-se! Como operações especiais de suporte de TI podem fazer a diferença nos momentos de alta demanda para o negócio. É GUERRA! Prepare-se! Como operações especiais de suporte de TI podem fazer a diferença nos momentos de alta demanda para o negócio. Claudia Marquesani Quem sou eu? Gerente de Infraestrutura e Suporte

Leia mais

UM GOVERNO SEM REI NEM ROQUE. É extraordinário como o actual Governo se mantém - contra a vontade da esmagadora maioria dos portugueses - com

UM GOVERNO SEM REI NEM ROQUE. É extraordinário como o actual Governo se mantém - contra a vontade da esmagadora maioria dos portugueses - com UM GOVERNO SEM REI NEM ROQUE É extraordinário como o actual Governo se mantém - contra a vontade da esmagadora maioria dos portugueses - com mentiras sucessivas e sem ter qualquer visão para o futuro,

Leia mais

Ética profissional e Técnicas de Guiamento

Ética profissional e Técnicas de Guiamento MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Ética profissional e Técnicas de Guiamento Maria Helena Alemany

Leia mais

Solidão... esse sentimento que pode te jogar no caos da depressão, torná-lo um gênio ou levá-lo à loucura.

Solidão... esse sentimento que pode te jogar no caos da depressão, torná-lo um gênio ou levá-lo à loucura. SOLIDÃO E SOLITUDE Solidão... esse sentimento que pode te jogar no caos da depressão, torná-lo um gênio ou levá-lo à loucura. Muitas vezes você quer a fusão de almas, mas não consegue porque, por uma razão

Leia mais

Manual da Conversa. Nesse ebook você irá aprender algumas estratégias para manter sua conversa rolando e evitar aquele temido "branco".

Manual da Conversa. Nesse ebook você irá aprender algumas estratégias para manter sua conversa rolando e evitar aquele temido branco. Manual da Conversa Nesse ebook você irá aprender algumas estratégias para manter sua conversa rolando e evitar aquele temido "branco". www.setimoamoroficial.com.br Evite o Questionário Um erro muito comum

Leia mais

SCL-90-R (Derrogatis, 1993) Tradução e adaptação de Pocinho Pereira. Em que medida sofreu das seguintes queixas

SCL-90-R (Derrogatis, 1993) Tradução e adaptação de Pocinho Pereira. Em que medida sofreu das seguintes queixas Nome: Idade: Sexo: Estado Civil: Habilitações: Profissão: Data: / / Instruções: a seguir encontra-se uma lista de problemas e quexas médicas que algumas pessoas costumam ter. leia cuidadosamente cada questão

Leia mais

+18. Um amor em. 9 atos. historia de chris, the red

+18. Um amor em. 9 atos. historia de chris, the red +18 Um amor em 9 atos historia de chris, the red - Ato 01 Guto voltava do trabalho. Tinha sido uma semana difícil. Estava cansado, querendo chegar logo em casa, descansar e esquecer que Bruno existia.

Leia mais

Relacionamento Interpessoal na Auditoria: Você está preparado? Elisabeth Sversut

Relacionamento Interpessoal na Auditoria: Você está preparado? Elisabeth Sversut Relacionamento Interpessoal na Auditoria: Você está preparado? Elisabeth Sversut Você está preparado? Pense bem... Curso superior, pós-graduação, dois idiomas... Um Auditor Como qualquer outro profissional,

Leia mais

Construir confiança, comunicação e apoio

Construir confiança, comunicação e apoio Construir confiança, comunicação e apoio Unidade 2: Lição 1 Note que há textos e slides para apoiar esta apresentação disponíveis em www.archimedes2014.eu Esta lição irá ver como: 1) Tolerar os erros como

Leia mais

23 de Abril. Dia Mundial do Livro Venha festejá-lo com palavras, na Biblioteca da FLUP.

23 de Abril. Dia Mundial do Livro Venha festejá-lo com palavras, na Biblioteca da FLUP. 23 de Abril. Dia Mundial do Livro Venha festejá-lo com palavras, na Biblioteca da FLUP. No dia 23 de abril de 2013 a Biblioteca Central pediu aos seus leitores que dedicassem algumas palavras de homenagem

Leia mais

25 PASSOS PARA O SUCESSO, PAZ INTERIOR E FELICIDADE. Júnior Pereira

25 PASSOS PARA O SUCESSO, PAZ INTERIOR E FELICIDADE. Júnior Pereira 25 PASSOS PARA O SUCESSO, PAZ INTERIOR E FELICIDADE Júnior Pereira [ 2 ] 25 Passos para o sucesso, paz interior e felicidade. Júnior Pereira Revisão Bruno de Almeida Contatos: www.autoajudaemotivacao.wordpress.com

Leia mais

A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA

A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA GÊNEROS LITERÁRIOS A LITERATURA É A ARTE QUE SE MANIFESTA PELA PALAVRA, SEJA ELA FALADA OU ESCRITA Na Antiguidade Clássica os textos literários dividiam em em três gêneros: GÊNERO LÍRICO GÊNERO DRAMÁTICO

Leia mais

Centro de Ensino Médio 02 do Gama Professor: Cirenio Soares

Centro de Ensino Médio 02 do Gama Professor: Cirenio Soares Centro de Ensino Médio 02 do Gama Professor: Cirenio Soares TIPOS DE DISCURSO DISCURSO DIRETO = REPRODUÇÃO O próprio personagem fala. Paulo disse a ele: _ Venha cá. DISCURSO INDIRETO = TRADUÇÃO O autor

Leia mais

Por quanto vender um blog? Aprenda como avaliar

Por quanto vender um blog? Aprenda como avaliar Por quanto vender um blog? Aprenda como avaliar Se você tem um ou vários domínios e não sabe por quanto vender um blog aprenda a forma correta de avaliar e o valor que deve vender. Se você já pensou em

Leia mais