FICHA TÉCNICA TÍTULO PROPRIEDADE AUTOR PAGINAÇÃO CONTACTOS DATA DE PUBLICAÇÃO. Balanço Social (2015 v.0)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FICHA TÉCNICA TÍTULO PROPRIEDADE AUTOR PAGINAÇÃO CONTACTOS DATA DE PUBLICAÇÃO. Balanço Social (2015 v.0)"

Transcrição

1 BALANÇO SOCIAL 2015

2

3 FICHA TÉCNICA TÍTULO Balanço Social (2015 v.0) PROPRIEDADE Copyright Instituto dos Registos e do Notariado, I.P. Documento não controlado após impressão AUTOR Instituto dos Registos e do Notariado, I.P. PAGINAÇÃO Departamento de Recursos Humanos em parceria com o Gabinete de Controlo de Gestão e Relações Externas CONTACTOS Av. D. João II, nº D Edifício H Campus da Justiça Apartado Lisboa Tel: Fax: Página oficial: DATA DE PUBLICAÇÃO

4

5 ÍNDICE I. Apresentação inicial INTRODUÇÃO... 9 II. Recursos humanos III. Remunerações e encargos IV. Higiene e segurança V. Formação profissional VI. Relações profissionais

6 ÍNDICE DE ILUSTRAÇÕES Ilustração 1 - Contagem dos trabalhadores por grupo/cargo/carreira, segundo a modalidade de vinculação e género, em 31 de dezembro Ilustração 2 - Trabalhadores segundo o género Ilustração 3 - Modalidades de vinculação Ilustração 4 - Trabalhadores segundo o cargo/carreira/género Ilustração 5 - Contagem dos trabalhadores por grupo/cargo/ carreira, segundo o escalão etário e género, em 31 de dezembro Ilustração 6 - Trabalhadores por escalão etário e género Ilustração 7 - Contagem dos trabalhadores por grupo/cargo/carreira, segundo o nível de antiguidade e género, em 31 de dezembro Ilustração 8 - Nível de antiguidade Ilustração 9 - Contagem dos trabalhadores por grupo/cargo/carreira segundo o nível de escolaridade e género, em 31 de dezembro Ilustração 10 - Trabalhadores por nível de escolaridade e género Ilustração 11 - Contagem dos trabalhadores estrangeiros por grupo/cargo/carreira, segundo a nacionalidade e género, em 31 de dezembro Ilustração 12 - Contagem de trabalhadores portadores de deficiência por grupo/cargo/carreira, segundo o escalão etário e género, em 31 de dezembro Ilustração 13 - Trabalhadores portadores de deficiência escalão etário e género Ilustração 14 - Trabalhadores portadores de deficiência grupo/cargo/carreira Ilustração 15 - Contagem dos trabalhadores admitidos e regressados durante o ano, por grupo/cargo/carreira e género, segundo o modo de ocupação do posto de trabalho ou modalidade de vinculação Ilustração 16 - Trabalhadores admitidos e regressados Ilustração 17 - Contagem das saídas de trabalhadores nomeados ou em comissão de serviço, por grupo/cargo/carreira, segundo o motivo de saída e género Ilustração 18 - Contagem das saídas de trabalhadores contratados, por grupo/cargo/carreira, segundo o motivo de saída e género Ilustração 19 - Distribuição de saídas de trabalhadores contratados Ilustração 20 - Contagem dos postos de trabalho previstos e não ocupados, durante o ano por grupo/cargo/carreira, segundo as dificuldades de recrutamento Ilustração 21 - Postos de trabalho previstos e não ocupados por dificuldade de recrutamento22 Ilustração 22 - Contagem das mudanças de situação dos trabalhadores, por grupo/cargo/carreira, segundo o motivo e género Ilustração 23 - Contagem dos trabalhadores por grupo/cargo/carreira, segundo a modalidade de horário de trabalho e género, em 31 de dezembro Ilustração 24 - Modalidades de horário de trabalho Ilustração 25 - Contagem dos trabalhadores por grupo/cargo/carreira, segundo o período normal de trabalho (PNT) e género, em 31 de dezembro Ilustração 26 - Contagem das horas de trabalho suplementar durante o ano, por grupo/cargo/carreira, segundo a modalidade de prestação de trabalho e género Ilustração 27 - Trabalho suplementar

7 Ilustração 28 - Contagem das horas de trabalho noturno, normal e suplementar durante o ano, por grupo/cargo/carreira, segundo o género Ilustração 29 - Dias de ausência ao trabalho, durante o ano, por grupo/cargo/carreira, segundo o motivo de ausência e género Ilustração 30 - Motivos de ausência Ilustração 31 - Contagem dos trabalhadores em greve durante o ano, por escalão de PNT e tempo de paralisação Ilustração 32 - Remunerações mensais ilíquidas (brutas) Ilustração 33 - Estrutura remuneratória por género Ilustração 34 - Estrutura remuneratória por género Ilustração 35 - Remunerações máximas e mínimas Ilustração 36 - Total dos encargos anuais com pessoal Ilustração 37 - Suplementos remuneratórios Ilustração 38 - Encargos com prestações sociais Ilustração 39 - Encargos com benefícios sociais Ilustração 40 - Número de acidentes de trabalho e dias de trabalho perdidos com baixa durante o ano, por género Ilustração 41 - Acidentes de trabalho no local de trabalho Ilustração 42 - Acidentes de trabalho - In itinere Ilustração 43 - Número de casos de incapacidade declarados, durante o ano, relativamente aos trabalhadores vítimas de acidente de trabalho Ilustração 44 - Número de situações participadas e confirmadas de doença profissional e de dias de trabalho perdidos durante o ano Ilustração 45 - Número e encargos das atividades de medicina no trabalho ocorridas durante o ano Ilustração 46 - Número de intervenções das comissões de segurança e saúde no trabalho, ocorridas durante o ano, por tipo Ilustração 47 - Número de trabalhadores sujeitos a ações de reintegração profissional em resultado de acidentes de trabalho ou doença profissional Ilustração 48 - Número de ações de formação e sensibilização em matéria de segurança e saúde no trabalho Ilustração 49 - Custos com a prevenção de acidentes e doenças profissionais durante o ano.. 43 Ilustração 50 - Contagem relativa a participações em ações de formação profissional durante o ano, por tipo de ação, segundo a duração Ilustração 51 - Contagem relativa a participações em ações de formação durante o ano, por grupo/cargo/carreira, segundo o tipo de ação Ilustração 52 - Contagem das horas despendidas em formação, durante o ano, por grupo/cargo/carreira, segundo o tipo de ação Ilustração 53 - Despesas anuais com formação Ilustração 54 - Ações de formação profissional tipo e duração Ilustração 55 - Ações de formação - participações Ilustração 56 - Número de Participantes Ilustração 57 - Despesas anuais com formação Ilustração 58 - Relações profissionais Ilustração 59 - Disciplina

8 6

9 I. APRESENTAÇÃO INICIAL 7

10

11 1 INTRODUÇÃO O Balanço Social, enquanto documento que integra um conjunto de indicadores que refletem e permitem avaliar a situação das organizações, assume especial relevância, quer como meio de informação, tornando públicas e transparentes as atividades desenvolvidas, quer como instrumento de planeamento e gestão nas áreas sociais e de recursos humanos. O presente Balanço Social foi elaborado nos termos do n.º 1 do artigo 1º do Decreto-Lei n.º 190/96, de 9 de outubro, que veio estender a obrigatoriedade da sua apresentação a todos os serviços e organismos da administração pública central, regional e local que, no termo de cada ano civil, tenham um mínimo de 50 trabalhadores ao seu serviço. Este documento foi ainda organizado de acordo com o formato aprovado para 2015 e incorpora todos os indicadores e variáveis constantes dos respetivos formulários. O Balanço Social agora apresentado retrata a realidade de todo o IRN, I.P., reportada a 31 de dezembro de 2015, abrangendo os recursos humanos em exercício de funções, tanto nos serviços centrais como nos serviços de registo, bem como nos serviços representados nas Lojas do Cidadão, num total de 5015 efetivos. A análise dos dados disponibilizados indicia os níveis de desenvolvimento social e reflete as tendências estratégicas adotadas no âmbito da gestão de recursos humanos e da valorização profissional dos trabalhadores, permitindo ainda perspetivar medidas evolutivas a adotar, que contribuam para o aumento da eficiência e eficácia da organização, traduzindo-se na melhoria contínua da qualidade dos serviços prestados. 9

12

13 II. RECURSOS HUMANOS 11

14

15 Grupo/cargo/carreira/ Modalidades de vinculação Cargo Político/Man dato Nomeação Definitiva Nomeação Transitória por tempo determinado Nomeação Transitória por tempo determinável CT em Funções Públicas por tempo indeterminado CT em Funções Públicas a termo resolutivo certo CT em Funções Públicas a termo resolutivo incerto Comissão de Serviço no âmbito da LVCR CT no âmbito do Código do Trabalho por tempo indeterminado CT no âmbito do Código do Trabalho a termo (certo ou incerto) Comissão de Serviço no âmbito do Código do Trabalho TOTAL TOTAL M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F Dirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau Técnico Superior Assistente Técnico Assistente Operacional Informático Conservador e Notário Oficial dos Registos e do Notariado Total Prestações de Serviços M F TOTAL Tarefa 0 Avença 0 Total Ilustração 1 - Contagem dos trabalhadores por grupo/cargo/carreira, segundo a modalidade de vinculação e género, em 31 de dezembro Trabalhadores Segundo o Género Modalidade de Vinculação CT em Funções Públicas por tempo indeterminado M F TOTAL CT em Funções Públicas a termo resolutivo incerto Comissão de Serviço no âmbito da LVCR Ilustração 2 - Trabalhadores segundo o género Ilustração 3 - Modalidades de vinculação 13

16 Trabalhadores segundo o cargo/carreira/género Oficial dos Registos e do Notariado Conservador e Notário Informático Assistente Operacional Assistente Técnico Técnico Superior Dirigente Intermédio de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Dirigente Superior de 1º grau F M 3250 Ilustração 4 - Trabalhadores segundo o cargo/carreira/género Grupo/cargo/carreira / Escalão etário e género Menos que 20 anos maior ou igual TOTAL a 70 anos M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F TOTAL Dirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau Técnico Superior Assistente Técnico Assistente Operacional Informático Conservador e Notário Oficial dos Registos e do Notariado Total Menos que maior ou igual TOTAL Prestações de Serviços 20 anos a 70 anos TOTAL M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F Tarefa Avença Total Ilustração 5 - Contagem dos trabalhadores por grupo/cargo/ carreira, segundo o escalão etário e género, em 31 de dezembro 14

17 Trabalhadores Por Escalão Etário e Género M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F Menos que 20 anos maior ou igual a 70 anos Ilustração 6 - Trabalhadores por escalão etário e género Grupo/cargo/carreira/ Tempo de serviço até 5 anos ou mais anos TOTAL M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F TOTAL Dirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau Técnico Superior Assistente Técnico Assistente Operacional Informático Conservador e Notário Oficial dos Registos e do Notariado Total Ilustração 7 - Contagem dos trabalhadores por grupo/cargo/carreira, segundo o nível de antiguidade e género, em 31 de dezembro 15

18 até 5 anos ou mais anos Balanço Social Nível de Antiguidade M F Ilustração 8 - Nível de antiguidade Grupo/cargo/carreira / Habilitação Literária Menos de 4 anos de escolaridade 4 anos de escolaridade 6 anos de escolaridade 9.º ano ou equivalente 11.º ano 12.º ano ou equivalente Bacharelato Licenciatura Mestrado Doutoramento TOTAL M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F Total Dirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau Técnico Superior Assistente Técnico Assistente Operacional Informático Conservador e Notário Oficial dos Registos e do Notariado Total Grupo/cargo/carreira / Habilitação Literária Menos de 4 anos de escolaridade 4 anos de escolaridade 6 anos de escolaridade 9.º ano ou equivalente 11.º ano 12.º ano ou equivalente Bacharelato Licenciatura Mestrado Doutoramento M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F TOTAL Total Tarefa Avença Total Ilustração 9 - Contagem dos trabalhadores por grupo/cargo/carreira segundo o nível de escolaridade e género, em 31 de dezembro 16

19 M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F Menos de 4 anos de escolaridade 4 anos de escolaridade 6 anos de escolaridade Trabalhadores por Nível de Escolaridade e Género 9.º ano ou equivalente 11.º ano 12.º ano ou equivalente Bacharelato Licenciatura Mestrado Doutoramento Ilustração 10 - Trabalhadores por nível de escolaridade e género Grupo/cargo/carreira Proveniência do trabalhador União Europeia CPLP Outros países TOTAL M F M F M F M F Total Dirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau Técnico Superior Assistente Técnico Assistente Operacional Informático Conservador e Notário Oficial dos Registos e do Notariado Total Prestações de Serviços / Proveniência do trabalhador União Europeia CPLP Outros países TOTAL M F M F M F M F Total Tarefa Avença Total OBSERVAÇÕES : Situações não verificadas em 2015 Ilustração 11 - Contagem dos trabalhadores estrangeiros por grupo/cargo/carreira, segundo a nacionalidade e género, em 31 de dezembro 17

20 Dirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau Técnico Superior Assistente Técnico Assistente Operacional Informático Conservador e Notário Oficial dos Registos e do Notariado Balanço Social Grupo/cargo/carreira Menos de e mais TOTAL anos M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F Total Dirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau Técnico Superior Assistente Técnico Assistente Operacional Informático Conservador e Notário Oficial dos Registos e do Notariado Total Prestações de Serviços Menos de e mais TOTAL anos M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F Total Tarefa Avença Total Ilustração 12 - Contagem de trabalhadores portadores de deficiência por grupo/cargo/carreira, segundo o escalão etário e género, em 31 de dezembro Trabalhadores portadores de deficiência - escalão etário e género M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F Menos de e mais anos Ilustração 13 - Trabalhadores portadores de deficiência escalão etário e género Trabalhadores portadores de deficiência - GRUPO/CARGO/CARREIRA M F Ilustração 14 - Trabalhadores portadores de deficiência grupo/cargo/carreira 18

21 Grupo/cargo/carreira/ Procedimento Procedimento Grupo/cargo/carreira/ Cedência concursal Mobilidade concursal Modos de ocupação do posto Modos de ocupação do posto de trabalho de trabalho Regresso de Regresso de licença sem licença sem Cedência Mobilidade Comissão de Comissão de vencimento ou de Outras vencimento ou de CEAGP serviço serviço período período situações experimental experimental TOTAL CEAGP Outras situações TOTAL M F M F M M F F M M F F M M F F MM F M F M F M F M F TOTAL TOTAL Dirigente Superior de 1º graudirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º graudirigente Superior de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau Dirigente Intermédio de 2º grau Técnico Superior Técnico Superior Assistente Técnico Assistente Técnico Assistente Operacional Assistente Operacional Informático Informático Conservador e Notário Conservador e Notário Oficial dos Registos e do Oficial dos Registos e do Notariado Notariado Total Total Prestações de Serviços (Modalidades de vinculação) M F Total Tarefa Avença 0 Total Ilustração 15 - Contagem dos trabalhadores admitidos e regressados durante o ano, por grupo/cargo/carreira e género, segundo o modo de ocupação do posto de trabalho ou modalidade de vinculação Trabalhadores Admitidos e Regressados Dirigente Superior de 1º grau Técnico Superior Assistente Técnico Mobilidade Regresso de licença sem vencimento ou de período experimental CEAGP Outras situações Assistente Operacional Conservador e Notário Oficial dos Registos e do Notariado Ilustração 16 - Trabalhadores admitidos e regressados 19

22 Grupo/cargo/carreira/ Motivos de saída (durante o ano) Morte Reforma / Aposentaç ão Limite de idade Conclusão sem sucesso do período experimental Cessação por mútuo acordo Exoneração a pedido do trabalhador Aplicação de pena disciplinar expulsiva Mobilidade Cedência Comissão de serviço Outras situações M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F TOTAL Total Dirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau Técnico Superior 0 Assistente Técnico 0 Assistente Operacional 0 Informático 0 Conservador e Notário 0 Oficial dos Registos e do Notariado 0 Total Ilustração 17 - Contagem das saídas de trabalhadores nomeados ou em comissão de serviço, por grupo/cargo/carreira, segundo o motivo de saída e género Grupo/cargo/carreira / Motivos de saída (durante o ano) Morte Caducidade (termo) Reforma/ /Aposentação Limite de idade Conclusão sem sucesso do período experimental Revogação (cessação por mútuo acordo) (a) Resolução (por iniciativa do trabalhador) Denúncia (por iniciativa do trabalhador) Despedimento por inadaptação Despedimento colectivo Despedimento por extinção do posto de trabalho Mobilidade Cedência Outras situações TOTAL Total Dirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F Técnico Superior Assistente Técnico Assistente Operacional Informático Conservador e Notário Oficial dos Registos e do Notariado Total Ilustração 18 - Contagem das saídas de trabalhadores contratados, por grupo/cargo/carreira, segundo o motivo de saída e género 20

23 Morte 2% Limite de idade 0% Reforma/ /Aposentação 24% Denúncia (por iniciativa do trabalhador) 2% Outras situações 65% Cedência 0% Mobilidade 7% Ilustração 19 - Distribuição de saídas de trabalhadores contratados Grupo/cargo/carreira/ Dificuldades de recrutamento Não abertura de procedimento concursal (a) Impugnação do procedimento concursal (b) Falta de autorização da entidade competente (c) Procedimento concursal improcedente (d) Procedimento concursal em desenvolvimento Dirigente Superior de 1º grau 0 Dirigente Superior de 2º grau 0 Dirigente Intermédio de 1º grau 0 Dirigente Intermédio de 2º grau 0 Técnico Superior 0 Assistente Técnico Assistente Operacional 0 Conservador e Notário 0 Oficial dos Registos e do Notariado 0 Total (a) Não abertura de procedimento concursal, por razões imputáveis ao serviço; (b) Impugnação do procedimento concursal, devido a recurso com efeitos suspensivos ou anulação do procedimento; (c) Recrutamento não autorizado por não satisfação do pedido formulado à entidade competente; (d) Procedimento concursal improcedente, deserto, inexistência ou desistência dos candidatos aprovados Ilustração 20 - Contagem dos postos de trabalho previstos e não ocupados, durante o ano por grupo/cargo/carreira, segundo as dificuldades de recrutamento Total 21

24 Dirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau Técnico Superior Assistente Técnico Assistente Operacional Conservador e Notário Oficial dos Registos e do Notariado Balanço Social Postos de trabalho previstos e não ocupados por dificuldade de recrutamento por cargo / carreira Procedimento concursal em desenvolvimento Ilustração 21 - Postos de trabalho previstos e não ocupados por dificuldade de recrutamento Grupo/cargo/carreira/ Tipo de mudança Promoções (carreiras não revistas e carreiras subsistentes) Alteração obrigatória do posicionamento remuneratório Alteração do posicionamento remuneratório por opção gestionária Procedimento concursal Consolidação da mobilidade na categoria TOTAL Total M F M F M F M F M F M F Dirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau Técnico Superior Assistente Técnico Assistente Operacional Informático Conservador e Notário Oficial dos Registos e do Notariado Total Ilustração 22 - Contagem das mudanças de situação dos trabalhadores, por grupo/cargo/carreira, segundo o motivo e género 22

25 Grupo/cargo/carreira Rígido Flexível Desfasado Jornada contínua Trabalho por turnos Específico Isenção de horário TOTAL M F M F M F M F M F M F M F M F Total Dirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau Técnico Superior Assistente Técnico Assistente Operacional Informático Conservador e Notário Oficial dos Registos e do Notariado Total Ilustração 23 - Contagem dos trabalhadores por grupo/cargo/carreira, segundo a modalidade de horário de trabalho e género, em 31 de dezembro Modalidades de horário de trabalho M F M F M F M F M F M F M F Rígido Flexível Desfasado Jornada contínua Trabalho por turnos Específico Isenção de horário Ilustração 24 - Modalidades de horário de trabalho 23

26 Grupo/cargo/carreira Tempo completo Tempo parcial ou outro regime Tempo parcial ou outro regime Tempo parcial ou outro regime 35 horas 40 horas 42 horas 5h-15h 16h-25h 26h-37h M TOTAL F Total M F M F M F M F M F M F Dirigente superior de 1º grau Dirigente superior de 2º grau Dirigente intermédio de 1º grau Dirigente intermédio de 2º grau Técnico Superior Assistente técnico Assistente operacional Informático Conservador e Notário Oficial dos Registos e do Notariado Total Ilustração 25 - Contagem dos trabalhadores por grupo/cargo/carreira, segundo o período normal de trabalho (PNT) e género, em 31 de dezembro Grupo/cargo/carreira/ Modalidade de prestação do trabalho suplementar Dirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau Trabalho suplementar diurno Trabalho suplementar nocturno Trabalho em dias de descanso semanal obrigatório Trabalho em dias de descanso semanal complementar Trabalho em dias feriados TOTAL M F M F M F M F M F M F TOTAL 0:00 0:00 0:00 0:00 Técnico Superior 0:00 Assistente Técnico 0:00 Assistente Operacional 2096: : :30 Informático 0:00 Conservador e Notário 10:30 5:00 10:30 5:00 15:30 Oficial dos Registos e do Notariado 2:00 18:00 2:00 18:00 20:00 Total 2096:30 0:00 0:00 0:00 0:00 0:00 0:00 0:00 12:30 23: :00 23: :00 Ilustração 26 - Contagem das horas de trabalho suplementar durante o ano, por grupo/cargo/carreira, segundo a modalidade de prestação de trabalho e género 24

27 2400: : : : : :00 960:00 720:00 480:00 240:00 0: :30 h 10:30 h 2:00 h 5:00 h M Trabalho Suplementar F 18:00 h Trabalho suplementar diurno Trabalho em dias feriados Trabalho em dias feriados Ilustração 27 - Trabalho suplementar 25

28 Grupo/cargo/carreira/ Horas de trabalho noturno Trabalho noturno normal Trabalho noturno suplementar TOTAL M F M F M F TOTAL Dirigente Superior de 1º grau 0:00 Dirigente Superior de 2º grau 0:00 Dirigente Intermédio de 1º grau 0:00 Dirigente Intermédio de 2º grau 0:00 Técnico Superior 0:00 Assistente Técnico 0:00 Assistente Operacional 0:00 Informático 0:00 Conservador e Notário 0:00 Oficial dos Registos e do Notariado 0:00 Total 0:00 0:00 0:00 0:00 0:00 0:00 0:00 OBSERVAÇÕES : Situações não verificadas em 2015 Ilustração 28 - Contagem das horas de trabalho noturno, normal e suplementar durante o ano, por grupo/cargo/carreira, segundo o género 26

29 Grupo/cargo/ carreira/ Motivos de ausência Casamento Protecção na parentalidade Falecimento de familiar Doença Por acidente em serviço ou doença profissional Assistência a familiares Trabalhadorestudante Por conta do período de férias Com perda de vencimento Cumprimento de pena disciplinar Greve Injustificadas Outros Total TOTAL Dirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F M F , Técnico Superior ,5 40, Assistente Técnico ,5 250, Assistente Operacional , Informático Conservador e Notário ,5 2041, , , , Oficial dos Registos e do Notariado , , , ,5 109, , ,5 1673, , Total Ilustração 29 - Dias de ausência ao trabalho, durante o ano, por grupo/cargo/carreira, segundo o motivo de ausência e género Total de dias de ausência por motivo Greve 2317,5 Cumprimento de pena disciplinar 180 Com perda de vencimento Por conta do período de férias 5828 Trabalhador-estudante 474 Assistência a familiares 2350 Acidente serviço/ doença profissional 2165 Doença 70843,5 Falecimento de familiar 1510 Proteção na parentalidade 8764,5 Casamento Ilustração 30 - Motivos de ausência 27

30 Identificação da greve Identificação da greve Data Âmbito (escolher da lista em baixo) Motivo(s) da greve Data Âmbito (escolher da lista em baixo) Motivo(s) da greve PNT* 35 horas Nº de trabalhadores em greve Adm.Pública-Geral Duração da paralisação (em hh/mm) 40 horas :00 Este campo contém uma lista para o(s) motivo(s) da greve. Deve ser escolhido na lista definida pelo menos 1 motivo por greve. 201_REDUÇÃO OU MODIFICAÇÃO DA DURAÇÃO DE TRABALHO Greve Geral PNT* 35 horas 40 horas 42 horas Adm.Pública-G 42 horas Semana 4 dias (D.L. 325/99) Adm.Pública-S Semana 4 dias (D.L. 325/99) Regime especial (D.L. 324/99) Regime especial (D.L. 324/99) Nº de trabalhadores em greve Adm.Pública-Geral Duração da paralisação (em hh/mm) Este campo contém uma lista para o(s) motivo(s) da greve. Deve ser escolhido na lista definida pelo menos 1 motivo por greve. Outros Outros Total :00 Total 0 0:00 * Período Normal de Trabalho * Período Normal de Trabalho Identificação da greve Identificação da greve Data Âmbito (escolher da lista em baixo) Motivo(s) da greve Data Âmbito (escolher da lista em baixo) Motivo(s) da greve PNT* Nº de trabalhadores em greve Adm.Pública-Geral Duração da paralisação (em hh/mm) Este campo contém uma lista para o(s) motivo(s) da greve. Deve ser escolhido na lista definida pelo menos 1 motivo por greve. PNT* Nº de trabalhadores em greve Adm.Pública-Geral Duração da paralisação (em hh/mm) Este campo contém uma lista para o(s) motivo(s) da greve. Deve ser escolhido na lista definida pelo menos 1 motivo por greve. 35 horas 35 horas 40 horas :00 42 horas Semana 4 dias (D.L. 325/99) Regime especial (D.L. 324/99) Outros 401_PROCESSO DE REGULAMENTAÇÃO COLECTIVA 101_AUMENTOS SALARIAIS 604_OUTRAS REIVINDICAÇÕES NÃO ESPECIFICADAS 201_REDUÇÃO OU MODIFICAÇÃO DA DURAÇÃO DE 40 horas 42 horas Semana 4 dias (D.L. 325/99) Regime especial (D.L. 324/99) Outros * Período Normal de Trabalho Total :00 Total 0 0:00 Identificação da greve Identificação da greve Data Âmbito (escolher da lista em baixo) Motivo(s) da greve Data Âmbito (escolher da lista em baixo) Motivo(s) da greve PNT* Nº de trabalhadores em greve Greve Geral Duração da paralisação (em hh/mm) Este campo contém uma lista para o(s) motivo(s) da greve. Deve ser escolhido na lista definida pelo menos 1 motivo por greve. 35 horas 35 horas PNT* Nº de trabalhadores em greve Greve Geral Duração da paralisação (em hh/mm) Este campo contém uma lista para o(s) motivo(s) da greve. Deve ser escolhido na lista definida pelo menos 1 motivo por greve. 40 horas 40 horas 42 horas 42 horas Semana 4 dias (D.L. 325/99) Semana 4 dias (D.L. 325/99) Regime especial (D.L. 324/99) Regime especial (D.L. 324/99) Outros Outros Total 0 0:00 Total 0 0:00 * Período Normal de Trabalho Ilustração 31 - Contagem dos trabalhadores em greve durante o ano, por escalão de PNT e tempo de paralisação 28

31 III. REMUNERAÇÕES E ENCARGOS 29

32

33 A - REMUNERAÇÕES MENSAIS ILÍQUIDAS (BRUTAS) (Excluindo prestações de serviço) Número de trabalhadores Género / Escalão de remunerações Masculino Feminino Total Até Mais de Total B - REMUNERAÇÕES MÁXIMAS E MÍNIMAS Ilustração 32 - Remunerações mensais ilíquidas (brutas) Euros Remuneração ( ) Masculino Feminino Mínima ( ) 518,35 505,00 Máxima ( ) 7.045, ,86 Ilustração 33 - Estrutura remuneratória por género 31

34 Min e Max Até Mais de 6000 Balanço Social Estrutura remuneratória por género Masculino Feminino Ilustração 34 - Estrutura remuneratória por género Remunerações Máximas e Mínimas 7.045, ,86 Feminino 505,00 518,35 Masculino 0, , , , , , , , ,00 Ilustração 35 - Remunerações máximas e mínimas Encargos com pessoal Valor (Euros) Remuneração base (*) ,70 Suplementos remuneratórios ,53 Prémios de desempenho 0,00 Prestações sociais ,65 Benefícios sociais 0,00 Outros encargos com pessoal ,54 Total ,42 Nota: (*) - incluindo o subsídio de férias e o subsídio de Natal. Ilustração 36 - Total dos encargos anuais com pessoal 32

35 Suplementos Remuneratórios Valor (Euros) Trabalho suplementar (diurno e nocturno) ,61 Trabalho normal nocturno 0,00 Trabalho em dias de descanso semanal, complementar e feriados(*) 2.174,46 Disponibilidade permanente 0,00 Outros regimes especiais de prestação de trabalho 0,00 Risco, penosidade e insalubridade 0,00 Fixação na periferia 0,00 Trabalho por turnos 0,00 Abono para falhas 0,00 Participação em reuniões 0,00 Ajudas de custo ,31 Representação ,93 Secretariado 0,00 Outros suplementos remuneratórios ,22 Total ,53 Nota: (*) - se não incluído em trabalho extraordinário (diurno e nocturno). Ilustração 37 - Suplementos remuneratórios 33

36 Prestações sociais Subsídios no âmbito da protecção da parentalidade (maternidade, paternidade e adopção) Valor (Euros) ,53 Abono de família ,74 Subsídio de educação especial 0,00 Subsídio mensal vitalício 0,00 Subsídio para assistência de 3ª pessoa 0,00 Subsídio de funeral 427,72 Subsídio por morte 2.729,18 Acidente de trabalho e doença profissional ,67 Subsídio de desemprego 0,00 Subsídio de refeição ,72 Outras prestações sociais (incluindo pensões) ,09 Total ,65 Ilustração 38 - Encargos com prestações sociais 34

37 Benefícios de apoio social Valor (Euros) Grupos desportivos/casa do pessoal 0,00 Refeitórios 0,00 Subsídio de frequência de creche e de educação pré-escolar 0,00 Colónias de férias 0,00 Subsídio de estudos 0,00 Apoio socio-económico 0,00 Outros benefícios sociais 0,00 OBSERVAÇÕES : Situações não verificadas em 2015 Total 0,00 Ilustração 39 - Encargos com benefícios sociais 35

38 36

39 IV. HIGIENE E SEGURANÇA 37

40 38

41 No local de trabalho In itinere Acidentes de trabalho Total Inferior a 1 dia (sem dar lugar a baixa) 1 a 3 dias de baixa 4 a 30 dias de baixa Superior a 30 dias Mortal de baixa Total Inferior a 1 dia (sem dar lugar a baixa) 1 a 3 dias de baixa 4 a 30 dias de baixa Superior a 30 dias de baixa Mortal Nº total de acidentes de trabalho (AT) ocorridos no ano de referência Nº de acidentes de trabalho (AT) com baixa ocorridos no ano de referência Nº de dias de trabalho perdidos por acidentes ocorridos no ano M F M F M F Nº de dias de trabalho perdidos por acidentes ocorridos em anos anteriores M F Ilustração 40 - Número de acidentes de trabalho e dias de trabalho perdidos com baixa durante o ano, por género Acidentes de Trabalho no Local de Trabalho M F Nº total de acidentes de trabalho (AT) ocorridos no ano de referência Nº de acidentes de trabalho (AT) com baixa ocorridos no ano de referência Nº de dias de trabalho perdidos por acidentes ocorridos no ano Nº de dias de trabalho perdidos por acidentes ocorridos em anos anteriores Ilustração 41 - Acidentes de trabalho no local de trabalho 39

42 Acidentes de Trabalho - "in itinere" Nº total de acidentes de trabalho (AT) ocorridos no ano de referência Nº de acidentes de trabalho (AT) com baixa ocorridos no ano de referência Nº de dias de trabalho perdidos por acidentes ocorridos no ano M F Nº de dias de trabalho perdidos por acidentes ocorridos em anos anteriores Ilustração 42 - Acidentes de trabalho - In itinere Casos de incapacidade Nº de casos Casos de incapacidade permanente: - absoluta 1 - parcial - absoluta para o trabalho habitual Casos de incapacidade temporária e absoluta Casos de incapacidade temporária e parcial Total Ilustração 43 - Número de casos de incapacidade declarados, durante o ano, relativamente aos trabalhadores vítimas de acidente de trabalho 40

43 Código (*) Doenças profissionais Designação Nº de casos Nº de dias de ausência 0 0,0 (*) - Conforme lista constante no DR n.º 6/2011, de 3 de maio, atualizado pelo DR n.º 76/2007, de 17 de julho Ilustração 44 - Número de situações participadas e confirmadas de doença profissional e de dias de trabalho perdidos durante o ano Actividades de medicina no trabalho Número Valor (Euros) Total dos exames médicos efectuados: Exames de admissão 0 0,00 Exames periódicos (a) 12 0,00 Exames ocasionais e complementares 0 0,00 Exames de cessação de funções 0 0,00 Despesas com a medicina no trabalho 0,00 Visitas aos postos de trabalho (b) 6 (a) Nos termos do n.º 2 da Cláusula 2ª do Protocolo de Cooperação celebrado dia 19 de maio de 2014 entre o IGFEJ, I.P., a DGPJ, a DGAJ e o IRN, I.P., os encargos com exames periódicos foram suportados pelo IFGEJ, primeiro outorgante deste protocolo. (b) Unidades Orgânicas e serviços de registo do IRN, I.P. com sede no Campus da Justiça. Ilustração 45 - Número e encargos das atividades de medicina no trabalho ocorridas durante o ano 41

44 Segurança e saúde no trabalho Intervenções das comissões Número Reuniões da Comissão 0 Visitas aos locais de trabalho 0 Outras 0 OBSERVAÇÕES: Situações não verificadas em 2015 Ilustração 46 - Número de intervenções das comissões de segurança e saúde no trabalho, ocorridas durante o ano, por tipo Segurança e saúde no trabalho Ações de reintegração profissional Número Alteração das funções exercidas 0 Formação profissional 0 Adaptação do posto de trabalho 0 Alteração do regime de duração do trabalho 0 Mobilidade interna 0 OBSERVAÇÕES : Situações não verificadas em 2015 Ilustração 47 - Número de trabalhadores sujeitos a ações de reintegração profissional em resultado de acidentes de trabalho ou doença profissional Segurança e saúde no trabalho Ações de formação Número Ações realizadas durante o ano 0 Trabalhadores abrangidos pelas ações realizadas 0 Ilustração 48 - Número de ações de formação e sensibilização em matéria de segurança e saúde no trabalho 42

45 Segurança e saúde no trabalho Custos Valor (Euros) Encargos de estrutura de medicina e segurança no trabalho 2140,02 Equipamento de protecção 1777,1 Formação em prevenção de riscos 0 Outros custos com a prevenção de acidentes e doenças profissionais 5764,09 Ilustração 49 - Custos com a prevenção de acidentes e doenças profissionais durante o ano 43

46 44

47 V. FORMAÇÃO PROFISSIONAL 45

48

49 Tipo de acção/duração Menos de 30 horas De 30 a 59 horas de 60 a 119 horas 120 horas ou mais Internas Externas Total Ilustração 50 - Contagem relativa a participações em ações de formação profissional durante o ano, por tipo de ação, segundo a duração Grupo/cargo/carreira/ Nº de participações e de participantes Dirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Ações internas Nº de participações Ações externas Nº de participações Nº de participações TOTAL Ilustração 51 - Contagem relativa a participações em ações de formação durante o ano, por grupo/cargo/carreira, segundo o tipo de ação Total Nº de participantes Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau Técnico Superior Assistente Técnico Assistente Operacional Informático Conservador e Notário Oficial dos Registos e do Notariado Total Grupo/cargo/carreira/ Horas dispendidas Dirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau Técnico Superior Assistente Técnico Assistente Operacional Informático Conservador e Notário Oficial dos Registos e do Notariado Horas dispendidas em ações internas Horas dispendidas em ações externas Total de horas em ações de formação 63:00 143:30 206:30 133:00 381:00 514:30 351:00 357:00 708:00 283:00 329:00 612:00 77:00 77:00 3:30 3: :00 827: : : : :30 Ilustração 52 - Contagem das horas despendidas em formação, durante o ano, por grupo/cargo/carreira, segundo o tipo de ação 47

50 Tipo de ação/valor Despesas com ações internas Despesas com ações externas TOTAL Valor (Euros) 6.469, , ,94 Ilustração 53 - Despesas anuais com formação Acções de Formação Profissional - Tipo e Duração Menos de 30 horas De 30 a 59 horas de 60 a 119 horas 120 horas ou mais Internas Externas Ilustração 54 - Ações de formação profissional tipo e duração Ações de Formação - Participações de 60 a 119 horas; 52; 5% De 30 a 59 horas; 174; 18% horas 120 ou horas mais; ou 35; mais; ; 4% 4% Menos de 30 horas; 716; 73% Ilustração 55 - Ações de formação - participações 48

51 Dirigente Superior de 1º grau Dirigente Superior de 2º grau Dirigente Intermédio de 1º grau Dirigente Intermédio de 2º grau Técnico Superior Assistente Técnico Assistente Operacional Informático Conservador e Notário Oficial dos Registos e do Notariado Balanço Social Total de participantes em ações de formação Ilustração 56 - Número de Participantes Despesas Anuais com formação 48% 52% Despesas com ações internas Despesas com ações externas Ilustração 57 - Despesas anuais com formação 49

52 50

53 VI. RELAÇÕES PROFISSIONAIS 51

54 52

55 Relações profissionais Número Trabalhadores sindicalizados Elementos pertencentes a comissões de trabalhadores 0 Total de votantes para comissões de trabalhadores 0 Ilustração 58 - Relações profissionais Disciplina Número Processos transitados do ano anterior 26 Processos instaurados durante o ano 47 Processos transitados para o ano seguinte 16 Processos decididos - total: 65 * Arquivados 26 * Repreensão escrita 11 * Multa 16 * Suspensão 6 * Demissão 6 * Despedimento por facto imputável ao trabalhador * Cessação da comissão de serviço Ilustração 59 - Disciplina 53

56

57

58 Av. D. João II, n.º D Edifício H, Parque das Nações, Apartado Lisboa Tel Fax

FICHA TÉCNICA TÍTULO PROPRIEDADE AUTOR PAGINAÇÃO CONTACTOS DATA DE PUBLICAÇÃO. Balanço Social (2014 v.0)

FICHA TÉCNICA TÍTULO PROPRIEDADE AUTOR PAGINAÇÃO CONTACTOS DATA DE PUBLICAÇÃO. Balanço Social (2014 v.0) BALANÇO SOCIAL 2013 FICHA TÉCNICA TÍTULO Balanço Social - 2013 (2014 v.0) PROPRIEDADE Copyright Instituto dos Registos e do Notariado, I.P. Documento não controlado após impressão AUTOR Instituto dos Registos

Leia mais

Decreto-Lei nº 190/96, de 9 de Outubro IDENTIFICAÇÃO DO SERVIÇO / ORGANISMO. Ministério CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR

Decreto-Lei nº 190/96, de 9 de Outubro IDENTIFICAÇÃO DO SERVIÇO / ORGANISMO. Ministério CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR Decreto-Lei nº 19/96, de 9 de Outubro ANO: 21 IDENTIFICAÇÃO DO SERVIÇO / ORGANISMO Ministério CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO Serviço / Organismo INSTITUTO DE INVESTIGAÇÃO CIENTIFICA TROPICAL Contacto: Direcção

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE BALANÇO SOCIAL

MINISTÉRIO DA SAÚDE BALANÇO SOCIAL MINISTÉRIO DA SAÚDE BALANÇO SOCIAL Decreto-Lei nº 190/96, de 9 de Outubro 2010 IDENTIFICAÇÃO DO SERVIÇO / ENTIDADE Código 2437 Serviço / Entidade: Ministério da Saúde Instituto Nacional de Emergência Médica

Leia mais

BALANÇO SOCIAL Decreto-Lei nº 190/96, de 9 de Outubro

BALANÇO SOCIAL Decreto-Lei nº 190/96, de 9 de Outubro BALANÇO SOCIAL Decreto-Lei nº 190/96, de 9 de Outubro 2016 IDENTIFICAÇÃO DO SERVIÇO / ENTIDADE Código SIOE: 090310000 Ministério: Serviço / Entidade: Trabalho, Solidariedade e Segurança Social Instituto

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE BALANÇO SOCIAL

MINISTÉRIO DA SAÚDE BALANÇO SOCIAL MINISTÉRIO DA SAÚDE BALANÇO SOCIAL Decreto-Lei nº 19/96, de 9 de Outubro 215 IDENTIFICAÇÃO DO SERVIÇO / ENTIDADE Código 236 Serviço / Entidade: Administração Central do Sistema de Saúde, I.P. Nota: Em

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE BALANÇO SOCIAL

MINISTÉRIO DA SAÚDE BALANÇO SOCIAL MINISTÉRIO DA SAÚDE BALANÇO SOCIAL Decreto-Lei nº 190/96, de 9 de Outubro 2016 IDENTIFICAÇÃO DO SERVIÇO / ENTIDADE Código 19 Serviço / Entidade: Administração Regional de Saúde do Alentejo I.P./ACES AC

Leia mais

Decreto-Lei nº 190/96, de 9 de Outubro IDENTIFICAÇÃO DO SERVIÇO / ENTIDADE. Ministério da Administração Interna. Autoridade Nacional de Proteção Civil

Decreto-Lei nº 190/96, de 9 de Outubro IDENTIFICAÇÃO DO SERVIÇO / ENTIDADE. Ministério da Administração Interna. Autoridade Nacional de Proteção Civil BALANÇO SOCIAL Decreto-Lei nº 190/96, de 9 de Outubro 2012 IDENTIFICAÇÃO DO SERVIÇO / ENTIDADE Código SIOE: ORG00001 Ministério: Serviço / Entidade: Ministério da Administração Interna Autoridade Nacional

Leia mais

INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL, IP DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS. Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, I.P.

INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL, IP DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS. Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, I.P. BALANÇO SOCIAL 2004 INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL, IP DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, I.P. Notas Explicativas do Balanço Social

Leia mais

Instituto de Informática I.P. Balanço Social. (De acordo com o Dec. Lei nº 190/96, de 09 de Outubro)

Instituto de Informática I.P. Balanço Social. (De acordo com o Dec. Lei nº 190/96, de 09 de Outubro) Instituto de Informática I.P. Balanço Social (De acordo com o Dec. Lei nº 19/96, de 9 de Outubro) 26 Os direitos de autor deste trabalho pertencem ao IIESS e a informação nele contida é confidencial. Este

Leia mais

Relatório do Balanço Social do Município de Ponte de Lima. Ano 2016

Relatório do Balanço Social do Município de Ponte de Lima. Ano 2016 Relatório do Balanço Social do Município de Ponte de Lima Ano 216 Balanço Social Ano 216 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 4 2. RECURSOS HUMANOS... 5 2.1 Contagem dos trabalhadores por cargo/carreira segundo a modalidade

Leia mais

Decreto-Lei nº 190/96, de 9 de Outubro IDENTIFICAÇÃO DO SERVIÇO / ORGANISMO. da Ciência, Técnologia e Ensino Superior.

Decreto-Lei nº 190/96, de 9 de Outubro IDENTIFICAÇÃO DO SERVIÇO / ORGANISMO. da Ciência, Técnologia e Ensino Superior. BALANÇO SOCIAL Decreto-Lei nº 19/96, de 9 de Outubro 28 IDENTIFICAÇÃO DO SERVIÇO / ORGANISMO Ministério Serviço / Organismo da Ciência, Técnologia e Ensino Superior Instituto Superior de Engenharia de

Leia mais

RIO CORGO MAYA KOSA & SÉRGIO DA COSTA O SOM E A FÚRIA

RIO CORGO MAYA KOSA & SÉRGIO DA COSTA O SOM E A FÚRIA RIO CORGO MAYA KOSA & SÉRGIO DA COSTA O SOM E A FÚRIA BALANÇO SOCIAL 2015 ÍNDICE Página I. NOTA INTRODUTÓRIA 3 II. ORGANIGRAMA 3 III. BALANÇO SOCIAL 3 III.1 Recursos Humanos 4 III.2 Remunerações e Encargos

Leia mais

BALANÇO SOCIAL

BALANÇO SOCIAL BALANÇO SOCIAL 2011 2011 BALANÇO SOCIAL I N S T I T U T O D E G E S T Ã O D O F U N D O S O C I A L E U R O P E U, IP Índice Índice... 2 Índice dos Anexos... 3 1.Introdução... 5 2. Organograma... 6 3.

Leia mais

Partilho a visão de que não há pessoas nas organizações as pessoas são as organizações. O resto é espaço, é capital, é equipamento.

Partilho a visão de que não há pessoas nas organizações as pessoas são as organizações. O resto é espaço, é capital, é equipamento. Partilho a visão de que não há pessoas nas organizações as pessoas são as organizações. O resto é espaço, é capital, é equipamento. José Manuel Dias in Humanator 1 Índice Introdução... 4 Balanço Social...

Leia mais

BALANÇO SOCIAL ANSR

BALANÇO SOCIAL ANSR BALANÇO SOCIAL ANSR 2014 1 Conteúdo I-Introdução... 2 II-Caracterização dos recursos humanos da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária a 31 de dezembro de 2014... 3 1.Relação Jurídica de emprego por

Leia mais

gpp BALANÇO SOCIAL 2013

gpp BALANÇO SOCIAL 2013 gpp BALANÇO SOCIAL 2013 BALANÇO SOCIAL 2013 ÍNDICE I. INTRODUÇÃO... 2 II. O GABINETE DE PLANEAMENTO E POLÍTICAS... 3 :. Enquadramento legal... 3 :. Missão e atribuições... 4 III. INDICADORES DE BALANÇO

Leia mais

ÍNDICE 1 NOTA INTRODUTÓRIA 2 CARACTERIZAÇÃO DO QUADRO DO ORGANISMO 3 CARACTERIZAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS 4 ENCARGOS COM PESSOAL 5 HIGIENE E SEGURANÇA

ÍNDICE 1 NOTA INTRODUTÓRIA 2 CARACTERIZAÇÃO DO QUADRO DO ORGANISMO 3 CARACTERIZAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS 4 ENCARGOS COM PESSOAL 5 HIGIENE E SEGURANÇA ÍNDICE 1 NOTA INTRODUTÓRIA 2 CARACTERIZAÇÃO DO QUADRO DO ORGANISMO 3 CARACTERIZAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS 4 ENCARGOS COM PESSOAL 5 HIGIENE E SEGURANÇA 6 FORMAÇÃO PROFISSIONAL 7 PRESTAÇÕES SOCIAIS 8 RELACÕES

Leia mais

FICHA TÉCNICA TÍTULO BALANÇO SOCIAL 2014

FICHA TÉCNICA TÍTULO BALANÇO SOCIAL 2014 FICHA TÉCNICA TÍTULO BALANÇO SOCIAL 2014 AUTOR/EDITOR INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL, I. P. Av. Manuel da Maia, n.º 58 1049-002 Lisboa Tel: 21 843 33 00 Fax: 21 843 37 20 E-mail: igfss@seg-social.pt

Leia mais

Secretaria-Geral do Ministério da Justiça. Balanço Social Consolidado do MJ 2010

Secretaria-Geral do Ministério da Justiça. Balanço Social Consolidado do MJ 2010 Secretaria-Geral do Ministério da Justiça Balanço Social Consolidado do MJ 2010 Dezembro de 2011 SECRETARIA-GERAL DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Balanço Social Consolidado do MJ 2010 Dezembro 2011 MINISTÉRIO

Leia mais

BALANÇO SOCIAL

BALANÇO SOCIAL BALANÇO SOCIAL 205 Índice Índice... 2 Introdução.... Organograma... 4 2. Aspetos a salientar... 5. Caracterização dos efetivos/movimentação de recursos humanos... 5 4. Trabalhadores Segundo o Género, Estrutura

Leia mais

INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL, IP

INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL, IP Edição INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL, IP Av. Manuel da Maia, n.º 58 1049 002 Lisboa Tel.: 21 843 33 00 Fax: 21 843 37 20 Email: igfss@seg-social.pt Concepção Editorial GABINETE DE

Leia mais

Balanço Social Instruções de Preenchimento

Balanço Social Instruções de Preenchimento Instruções de Preenchimento Nota Introdutória O Artigo 5º do Decreto-Lei n.º 190/96, que regulamenta a elaboração do Balanço Social na Administração Pública, vem atribuir competências aos órgãos de governo

Leia mais

Índice Geral. III - Encargos com Pessoal 11. V Formação Profissional 12. VI Prestações Sociais 12. VII Relações Profissionais e de Disciplina 12

Índice Geral. III - Encargos com Pessoal 11. V Formação Profissional 12. VI Prestações Sociais 12. VII Relações Profissionais e de Disciplina 12 Índice Geral I - Introdução 2 Organograma 3 II - Recursos Humanos 1. Efectivos segundo relação jurídica de emprego 4 2. Efectivos segundo grupo profissional 5 3. Efectivos segundo sexo 5 4. Efectivos por

Leia mais

BALANÇO SOCIAL 2013 BALANÇO SOCIAL 2013 BALANÇO SOCIAL Documento não controlado após impressão

BALANÇO SOCIAL 2013 BALANÇO SOCIAL 2013 BALANÇO SOCIAL Documento não controlado após impressão BALANÇO SOCIAL 2013 BALANÇO SOCIAL 2012 BALANÇO SOCIAL 2013 Documento não controlado após impressão BALANÇO SOCIAL 2013 FICHA TÉCNICA Título BALANÇO SOCIAL 2013 Autor/Editor INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA

Leia mais

ÍNDICE I - IDENTIFICAÇÃO... 3 II CARACTERIZAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS... 5

ÍNDICE I - IDENTIFICAÇÃO... 3 II CARACTERIZAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS... 5 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 I - IDENTIFICAÇÃO... 3 II CARACTERIZAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS... 5 1. CONTAGEM DOS TRABALHADORES ANOS POR GRUPO PROFISSIONAL, MODALIDADE DE VINCULAÇÃO E GÉNERO... 5 1.1 TOTAL DE

Leia mais

--- INSTITUTO NACIONAL PARA A REABILITAÇÃO, I.P. Total de Efectivos. bsorgf 11"""" 2009/12/31 Sim. Data do Balanço Social: Situação de Exercício:

--- INSTITUTO NACIONAL PARA A REABILITAÇÃO, I.P. Total de Efectivos. bsorgf 11 2009/12/31 Sim. Data do Balanço Social: Situação de Exercício: ""-(' bsrgf """" INSTITUT NACINAL PARA A REABILITAÇÃ, Total de Efectivos Data do Balanço Social: Situação de Exercício: 009//3 Sim --- Grupo/Cargo/Carreira Designação do Vinculo Juridico Dirigente 5 4

Leia mais

Índice Balanço Social

Índice Balanço Social 2008 Índice Pág. Índice... 2 Introdução... 4 2 Recursos Humanos... 7 2.1 Distribuição dos Efectivos... 7 2.2 Efectivos por grupo de pessoal segundo a relação jurídica de emprego e o sexo 8 2.2.1 - Efectivos

Leia mais

BA Balanço Social 2014

BA Balanço Social 2014 BA Balanço Social 204 D I R E Ç Ã O - G E R A L D A Q U A L I F I C A Ç Ã O D O S T R A B A L H A D O R E S E M F U N Ç Õ E S P Ú B L I C A, I N A Índice. Introdução... 2 2. Aspetos a salientar... 2 3.

Leia mais

BALANÇO SOCIAL DE 2012 BALANÇO SOCIAL Documento não controlado após impressão

BALANÇO SOCIAL DE 2012 BALANÇO SOCIAL Documento não controlado após impressão BALANÇO SOCIAL 212 Documento não controlado após impressão i FICHA TÉCNICA Título BALANÇO SOCIAL 212 Autor/Editor INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL, I. P. Av. Manuel da Maia, n.º 58 149-2

Leia mais

ÍNDICE DE QUADROS CAPÍTULO 1 - RECURSOS HUMANOS

ÍNDICE DE QUADROS CAPÍTULO 1 - RECURSOS HUMANOS ÍNDICE DE QUADROS CAPÍTULO 1 - RECURSOS HUMANOS Quadro 1: Contagem dos trabalhadores por grupo/cargo/carreira, segundo a modalidade de vinculação e género Quadro 2: Contagem dos trabalhadores por grupo/cargo/carreira,

Leia mais

BALANÇO SOCIAL de Fevereiro de 2016

BALANÇO SOCIAL de Fevereiro de 2016 BALANÇO SOCIAL 2015 12 de Fevereiro de 2016 BALANÇO SOCIAL 2015 índice 1. INTRODUÇÃO... 2 2. IDENTIFICAÇÃO DO ORGANISMO... 3 3. PAÍNEL DE INDICADORES DE GESTÃO... 5 4. CARACTERIZAÇÃO DO EFETIVO GLOBAL...

Leia mais

NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2012

NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2012 ASSUNTO: PROCESSAMENTO DE REMUNERAÇÕES EM 2013 Tendo em atenção a necessidade de obtenção de melhores indicadores de gestão, que permitam

Leia mais

Autoridade Para as Condições do Trabalho. Balanço Social Índice

Autoridade Para as Condições do Trabalho. Balanço Social Índice Nota Introdutória De acordo com o disposto no n.º 1 do artigo 1º do Decreto Lei n.º 190/96, de 9 de Outubro Os serviços e organismos da Administração Pública Central, Regional e Local, incluindo os Institutos

Leia mais

Balanço Social de 2002

Balanço Social de 2002 Balanço Social de 2002 INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO FICHA TÉCNICA Título Balanço Social 2002 Autoria Inspecção-Geral da Educação Elaboração IGE Gabinete de Apoio Geral (GAG) Edição Inspecção-Geral da Educação

Leia mais

Balanço Social Consolidado do MAI

Balanço Social Consolidado do MAI Balanço Social Consolidado do MAI 2014 SECRETARIA-GERAL DO MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA Balanço Social Consolidado do MAI 2014 maio 2015 MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA Rua de S. Mamede, n.º

Leia mais

NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2014

NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2014 NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2014 ASSUNTO: Alterações do Classificador Económico de Despesas Na elaboração das requisições de pessoal do corrente ano de 2014 deverá ter-se em atenção as presentes orientações:

Leia mais

Ficha técnica: Título: Balanço Social Propriedade e Edição: Elaborado por: Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P

Ficha técnica: Título: Balanço Social Propriedade e Edição: Elaborado por: Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P BALANÇO SOCIAL 2014 Ficha técnica: Título: Balanço Social 2014 Propriedade e Edição: Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P Rua C do Aeroporto 1749-077 Lisboa Portugal Telefone (351) 218 447 000

Leia mais

DGAA. Manual de Instruções para o. Balanço Social DIRECÇÃO-GERAL DA ADMINISTRAÇÃO AUTÁRQUICA MEPAT

DGAA. Manual de Instruções para o. Balanço Social DIRECÇÃO-GERAL DA ADMINISTRAÇÃO AUTÁRQUICA MEPAT MEPAT DGAA MINISTÉRIO DO EQUIPAMENTO, DO PLANEAMENTO E DA ADMINISTRAÇÃO DO TERRITÓRIO DIRECÇÃO-GERAL DA ADMINISTRAÇÃO AUTÁRQUICA Manual de Instruções para o Balanço Social EQUIPA DE TRABALHO DO MEPAT:

Leia mais

Balanço Social Abril de 14

Balanço Social Abril de 14 Abril de 14 Índice Introdução... 3 BALANÇO SOCIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013... 4 1. Estrutura orgânica... 4 2. Recursos Humanos... 4 3. Caraterização do efectivo global... 5 3.1 Por estrutura jurídica...

Leia mais

Balanço Social Ficha técnica: Título: Balanço Social Propriedade e Edição: Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P.

Balanço Social Ficha técnica: Título: Balanço Social Propriedade e Edição: Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. BALANÇO SOCIAL 2015 Ficha técnica: Título: Balanço Social 2015 Propriedade e Edição: Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. Rua C do Aeroporto 1749-077 Lisboa Portugal Telefone (351) 218 447 000

Leia mais

Balanço Social. Relatório. Anexo I

Balanço Social. Relatório. Anexo I Balanço Social Relatório Anexo I 2010 1 Balanço Social 2010 Índice 1. Introdução 3 2. Enquadramento ao Balanço Social 5 3. Caracterização da Estrutura de Recursos Humanos 7 4. Comportamento Organizacional

Leia mais

VÍNCULOS Lei n.º 12-A/2008, de 27/02 -LVCR

VÍNCULOS Lei n.º 12-A/2008, de 27/02 -LVCR VÍNCULOS Lei n.º 12-A/2008, de 27/02 -LVCR (Com subordinação trabalho dependente) Modalidades art.º 9º Nomeação âmbito (Inexistente nas autarquias locais) Contrato: - Âmbito (art.º 20º) e modalidades (art.º

Leia mais

ANO ECONÓMICO DE 2016 BALANÇO SOCIAL MUNICÍPIO DA LOUSÃ

ANO ECONÓMICO DE 2016 BALANÇO SOCIAL MUNICÍPIO DA LOUSÃ ANO ECONÓMICO DE 2016 BALANÇO SOCIAL MUNICÍPIO DA LOUSÃ Balanço Social EXERCÍCIO 2016 NOTA INTRODUTÓRIA O Balanço Social 2016 do Município da Lousã, foi executado em conformidade com o estabelecido pelo

Leia mais

CÓDIGO DO TRABALHO. CAPÍTULO I - Fontes do direito do trabalho CAPÍTULO II - Aplicação do direito do trabalho. CAPÍTULO I - Disposições gerais

CÓDIGO DO TRABALHO. CAPÍTULO I - Fontes do direito do trabalho CAPÍTULO II - Aplicação do direito do trabalho. CAPÍTULO I - Disposições gerais CÓDIGO DO TRABALHO Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro LIVRO I - Parte geral TÍTULO I - Fontes e aplicação do direito do trabalho CAPÍTULO I - Fontes do direito do trabalho CAPÍTULO II - Aplicação do direito

Leia mais

Ficha Técnica TÍTULO. Balanço Social 2013

Ficha Técnica TÍTULO. Balanço Social 2013 Câmara Municipal de Loures DRH-DGRH Ficha Técnica TÍTULO Balanço Social 2013 EDIÇÃO Divisão de Gestão dos Recursos Humanos Rua Dr. Manuel de Arriaga nº 7 2674-501 Loures Telefone: 21 115 12 51 E-mail:

Leia mais

LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS

LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS Lei nº 35/2014, de 20 de junho LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS Artigo A Aceitação da nomeação 42º Acordo coletivo de trabalho 359º a 377º Acordo coletivos 13º e 14º Acordo coletivo de trabalho

Leia mais

Tribunal de Contas jm

Tribunal de Contas jm jm ÍNDICE Parte I... 4 1. Introdução... 4 Parte II... 5 2. O efetivo global na DGTC (sede)... 5 2.1 Contagem dos trabalhadores por grupo/cargo/carreira, segundo a modalidade de vinculação e género... 5

Leia mais

BALANÇO SOCIAL 2015 Abril. 2016

BALANÇO SOCIAL 2015 Abril. 2016 BALANÇO SOCIAL 2015 Abril. 2016 Ficha Técnica Título: Relatório do Balanço Social dos Serviços de Ação Social da Universidade de Lisboa 2015 Edição: Área de Apoio Serviços de Ação Social da Universidade

Leia mais

BALANÇO SOCIAL 2014 SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS DIREÇÃO REGIONAL DOS RECURSOS HUMANOS E DA ADMINISTRAÇÃO EDUCATIVA

BALANÇO SOCIAL 2014 SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS DIREÇÃO REGIONAL DOS RECURSOS HUMANOS E DA ADMINISTRAÇÃO EDUCATIVA BALANÇO SOCIAL 214 SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS DIREÇÃO REGIONAL DOS RECURSOS HUMANOS E DA ADMINISTRAÇÃO EDUCATIVA DESIGNAÇÃO DO ORGANISMO: Versão n.º: 1 Data: (Por favor indique

Leia mais

C I R C U L A R PROCESSAMENTO DE REMUNERAÇÕES 2017

C I R C U L A R PROCESSAMENTO DE REMUNERAÇÕES 2017 A.S.P.A.S C I R C U L A R PROCESSAMENTO DE REMUNERAÇÕES 2017 A Lei n.º 42/2016, de 28 de dezembro aprovou o Orçamento do Estado para 2017. A partir de 1 de janeiro de 2017, deve ter atenção às seguintes

Leia mais

COLECTÂNEA DE LEGISLAÇÃO BÁSICA INCLUÍDA

COLECTÂNEA DE LEGISLAÇÃO BÁSICA INCLUÍDA ÍNDICE PREFÁCIO 7 NOTA PRÉVIA 9 SIGLAS UTILIZADAS 13 Capo I - Algumas considerações introdutórias. A relação jurídica de emprego público na Administração Pública 15 Capo II - Âmbito de aplicação subjectivo

Leia mais

LINHAS GERAIS. Lei de Vínculos, Carreiras e Remunerações (LVCR) Lei nº 12-A/2008, de 27 de Fevereiro

LINHAS GERAIS. Lei de Vínculos, Carreiras e Remunerações (LVCR) Lei nº 12-A/2008, de 27 de Fevereiro LINHAS GERAIS DA Lei de Vínculos, Carreiras e Remunerações (LVCR) Lei nº 12-A/2008, de 27 de Fevereiro Arnaldo Azevedo 1 Quadros e carreiras Vínculos Mobilidade Regime remuneratório rio 2 Quadro de pessoal

Leia mais

INSTITUTO DO DESPORTO DE PORTUGAL

INSTITUTO DO DESPORTO DE PORTUGAL S. R. PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS SECRETARIA DE ESTADO DA JUVENTUDE E DESPORTOS INSTITUTO DO DESPORTO DE PORTUGAL ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 QUADROS... 3 ANÁLISE DOS QUADROS... 18 1. Total de Pessoas

Leia mais

Balanço Social. Relatório. Balanço Social

Balanço Social. Relatório. Balanço Social Balanço Social Relatório Balanço Social 2011 1 Balanço Social 2011 Índice 1. Introdução 3 2. Enquadramento ao Balanço Social 5 3. Caracterização dos Recursos Humanos 7 4. Evolução dos Recursos Humanos

Leia mais

Autoridade Nacional de Proteção Civil BALANÇO SOCIAL

Autoridade Nacional de Proteção Civil BALANÇO SOCIAL Autoridade Nacional de Proteção Civil BALANÇO SOCIAL 2014 ÍNDICE Introdução... 3 I Caracterização dos recursos humanos da ANPC... 4 1. Caracterização do efetivo... 4 2. Relação jurídica de emprego... 5

Leia mais

LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CÓDIGO DE TRABALHO

LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CÓDIGO DE TRABALHO DE TRABALHO I. Enquadramento Geral A Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas entrou em vigor no dia 1 de agosto de 2014. A Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas (adiante designada por LTFP) aprovada

Leia mais

Polícia de Segurança Pública

Polícia de Segurança Pública Balanço Social 2012 [ NO SEPARADOR INSERIR, AS GALERIAS INCLUEM ITENS PARA SEREM COORDENADOS COM O ASPECTO GLOBAL DO DOCUMENTO. ] Balanço Social da PSP 2012 Elaborado pela Divisão de Gestão e Consultoria

Leia mais

Índice. 1. Introdução Organograma da DGArtes 5

Índice. 1. Introdução Organograma da DGArtes 5 Índice. Introdução 3. Organograma da DGArtes 5 3. Recursos umanos 6 3.. Efectivos 6 3.. Estrutura etária 8 3.3. Estrutura de antiguidade 3.4. abilitações literárias dos efectivos 5 3.5. Admissões 8 3.6.

Leia mais

1. ÍNDICE Movimento de Pessoal... 9 Admissões e reinício de funções... 9 Cessação de funções... 9

1. ÍNDICE Movimento de Pessoal... 9 Admissões e reinício de funções... 9 Cessação de funções... 9 Bal an ç os oc i al 2014 Mi ni s t é r i odasf i nanç as 1 1. ÍNDICE 1. ÍNDICE... 1 2. Caraterização dos Recursos Humanos... 5 Mapa de Pessoal... 5 Distribuição por género... 6 Estrutura etária... 7 Estrutura

Leia mais

ÍNDICE. 1. Introdução Caracterização dos Recursos Humanos Em função do sexo Em função da idade 6

ÍNDICE. 1. Introdução Caracterização dos Recursos Humanos Em função do sexo Em função da idade 6 Balanço Social 25 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. Caracterização dos Recursos Humanos 4 2.1. Em função do sexo 5 2.2. Em função da idade 6 2.3. Em função do nível de escolaridade 1 2.4. Em função dos grupos

Leia mais

Mapa de trabalhadores do IPMA por por sexo

Mapa de trabalhadores do IPMA por por sexo Distribuição por Género FEMININO 0 MASCULINO 5 Mapa de trabalhadores do IPMA por por sexo 5 0 O Mapa de Pessoal do IPMA, I.P. a 0 de outubro de 05 apresenta um total de 5 trabalhadores, sendo dividido

Leia mais

NOTA INTRODUTÓRIA...3

NOTA INTRODUTÓRIA...3 BALANÇO SOCIAL 6 Instituto das Artes Ministério da Cultura Av. Conselheiro Fernando de Sousa, A 7-7 Lisboa Tel: 38 Fax: 38 7 geral@iartes.pt www.iartes.pt Av. Conselheiro Fernando Tel: +3 38 Rua Garrett,

Leia mais

Balanço Social CÂMARA MUNICIPAL DE VILA FRANCA DO CAMPO

Balanço Social CÂMARA MUNICIPAL DE VILA FRANCA DO CAMPO 2015 Balanço Social CÂMARA MUNICIPAL DE VILA FRANCA DO CAMPO Introdução A elaboração do Balanço Social pelas autarquias locais observa o disposto no Decreto-Lei n.º 190/96, de 9 de Outubro, satisfazendo

Leia mais

BALANÇO SOCIAL 2012 PERGUNTAS E RESPOSTAS

BALANÇO SOCIAL 2012 PERGUNTAS E RESPOSTAS BALANÇO SOCIAL 2012 PERGUNTAS E RESPOSTAS QUADRO 1. RECURSOS HUMANOS 1. Em que colunas devem ser introduzidos os trabalhadores que se encontram a exercer funções ao abrigo de programas do Instituto do

Leia mais

OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ DGPGF / 2013

OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ DGPGF / 2013 OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ DGPGF / 2013 Às Escolas Básicas e Secundárias. Agrupamentos de Escolas Escolas Profissionais Públicas. X X X DATA: 2013/ janeiro / 08 ASSUNTO: Processamento de Remunerações em 2013

Leia mais

Balanço Social

Balanço Social Elaborado pela Divisão de Gestão e Consultoria de Recursos Humanos do Departamento de Recursos Humanos da Direção Nacional da Polícia de Segurança Pública, em 19 de maio de 2015. Página 2 Índice 1. Introdução...

Leia mais

2012 Balanço Social. Camara Municipal de Odivelas DRHF/SGP

2012 Balanço Social. Camara Municipal de Odivelas DRHF/SGP 2012 Balanço Social Camara Municipal de Odivelas DRHF/SGP 2 Índice 1. Introdução 3 2. Caracterização dos Recursos Humanos 4 2.1. Trabalhadores efetivos 4 2.2. Por grupo profissional 6 2.3. Por género 7

Leia mais

Editor: Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD)

Editor: Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD) Balanço Social 2015 Ficha Técnica Título: Balanço Social 2015 Autor: Divisão de Gestão Recursos (DGR) Editor: Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD) Morada: Avenida

Leia mais

Técnico e Administrativo Operário Auxiliar Apoio. Mulheres Total

Técnico e Administrativo Operário Auxiliar Apoio. Mulheres Total RECURSOS HUMANOS A gestão dos Recursos Humanos do Município de Espinho pautou-se continuamente por critérios rigorosos, prosseguindo objectivos de eficiência e eficácia. A manutenção do nível de actividade

Leia mais

CONTRATO POR TEMPO INDETERMINADO

CONTRATO POR TEMPO INDETERMINADO CONTRATO POR TEMPO INDETERMINADO Ao décimo sétimo dia do mês de Maio do ano de dois mil e dez, entre: A ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE SAÚDE DO NORTE, I. P., pessoa colectiva n.º 503 135 593, com sede na Rua

Leia mais

MUDANÇAS POLÍTICAS SALARIAIS. Quidgest

MUDANÇAS POLÍTICAS SALARIAIS. Quidgest MUDANÇAS POLÍTICAS SALARIAIS Quidgest rh@quidgest.com AGENDA: Q Q Q Q Q Q Q Q Q Q REMISSÃO CÓDIGO DO TRABALHO TRABALHO SUPLEMENTAR FÉRIAS, FALTAS E FERIADOS SUBSÍDIO NATAL E FÉRIAS DECLARAÇÃO MENSAL DE

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES 5368 Diário da República, 1.ª série N.º 204 22 de outubro de 2014 Polo de captação de Faias REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Assembleia Legislativa Resolução da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos

Leia mais

RELAÇÃO JURÍDICA CONTRIBUTIVA

RELAÇÃO JURÍDICA CONTRIBUTIVA Delimitação da base de incidência contributiva Despesasresultantes da utilização pessoal pelo Trabalhador, de viatura automóvel que gere encargos para a entidade empregadora, previsto em acordo escrito

Leia mais

ÍNDICE. Efetivos por tipo de contrato. Efetivos por grupos profissionais. Efetivos por níveis de habilitações. Efetivos por níveis salariais

ÍNDICE. Efetivos por tipo de contrato. Efetivos por grupos profissionais. Efetivos por níveis de habilitações. Efetivos por níveis salariais 213 213 ÍNDICE 2 3 5 6 7 8 9 1 11 12 13 1 15 16 17 Evolução de efetivos Efetivos por tipo de contrato Efetivos por grupos profissionais Efetivos por níveis de habilitações Pirâmide etária Pirâmide de antiguidades

Leia mais

BALANÇO SOCIAL INSPEÇÃO-GERAL DOS SERVIÇOS DE JUSTIÇA

BALANÇO SOCIAL INSPEÇÃO-GERAL DOS SERVIÇOS DE JUSTIÇA BALANÇO SOCIAL DA INSPEÇÃO-GERAL DOS SERVIÇOS DE JUSIÇA (Nos termos do DL nº 190/96 de 9 de Outubro) ANEXO III do Relatório de Atividades-2014 Índice Índice... 2 1 Introdução... 3 1.1 issão e Estrutura

Leia mais

ORÇAMENTO FINANCEIRO - Despesa

ORÇAMENTO FINANCEIRO - Despesa 11315 224 214 1.1.2 6411 Remuneração base - Orgãos directivos... 697641 Remuneração base - Orgãos directivos... 1.1.3.A 642111 RCTFP - Pessoal em funções... 1.1.3.B 642112 RCTFP - Alterações obrigatórias

Leia mais

NOTAS SOBRE A LEI N.º 59/2008, DE 11 DE SETEMBRO

NOTAS SOBRE A LEI N.º 59/2008, DE 11 DE SETEMBRO NOTAS SOBRE A LEI N.º 59/2008, DE 11 DE SETEMBRO O corpo da Lei n.º 59/2008, de 11 de Setembro, que aprovou o Regime do Contrato de Trabalho em Funções Públicas, aplicável também ao pessoal docente da

Leia mais

Formador: Carlos Varandas Nunes. Seminário Lei do Trabalho em Funções Públicas

Formador: Carlos Varandas Nunes. Seminário Lei do Trabalho em Funções Públicas Formador: Carlos Varandas Nunes Seminário Lei do Trabalho em Funções Públicas Apresentação Carlos Varandas Nunes 46 anos Mestre em Gestão- Administração Pública Organização da Formação Dúvidas que me fizeram

Leia mais

Mobilidade Geral no âmbito das autarquias locais. Pedro Madeira de Brito

Mobilidade Geral no âmbito das autarquias locais. Pedro Madeira de Brito Mobilidade Geral no âmbito das autarquias locais Pedro Madeira de Brito 1 Conceito de Mobilidade Mobilidade em sentido amplo designa qualquer alteração na situação jurídico funcional do trabalhador. A

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE LOCAL PARTE A PARTE B

IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE LOCAL PARTE A PARTE B INSTRUMENTO DE NOTAÇÃO DO SISTEMA ESTATÍSTICO NACIONAL (LEI 22/2008, DE 13 DE MAIO), DE RESPOSTA OBRIGATÓRIA, REGISTADO NO INE SOB O Nº 10036 VÁLIDO ATÉ 31-12-2016 ANTES DE RESPONDER LEIA ATENTAMENTE AS

Leia mais

ORÇAMENTO DA DESPESA

ORÇAMENTO DA DESPESA 01 00 00 ADMINISTRAÇÃO AUTARQUICA 01 Despesas com o pessoal 512.162,38 01 01 Remunerações certas e permanentes 389.053,38 01 01 01 Titulares de órgãos de soberania e membros de órgãos autárquicos 23.000,00

Leia mais

AS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO

AS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO AS ALTERAÇÕES AO CÓDIGO DO TRABALHO 2012, Outubro, 29 LEI Nº 23/2012, 25 DE JUNHO 2 ORGANIZAÇÃO DOS TEMPOS DE TRABALHO 3 1 BANCO DE HORAS 4 Lei nº 23/2012, 25 Junho Artigo 208º-A A partir de 1 de Agosto

Leia mais

ÍNDICE. Págs. NOTA PRÉVIA... 5 ABREVIATURAS 9

ÍNDICE. Págs. NOTA PRÉVIA... 5 ABREVIATURAS 9 ÍNDICE NOTA PRÉVIA.............. 5 ABREVIATURAS 9.' 1.0 Direito do Trabalho: o quê, porquê e para quê?................... 11 2. Noção, objecto e características gerais do Direito do Trabalho....... 21

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais.  PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

BALANÇO SOCIAL. Direção de Serviços de Administração de Recursos. Departamento de Recursos Humanos

BALANÇO SOCIAL. Direção de Serviços de Administração de Recursos. Departamento de Recursos Humanos BALANÇO SOCIAL 206 Direção de Serviços de Administração de Recursos Departamento de Recursos Humanos INDÍCE NOTA INTRODUTÓRIA... 3 ESTRUTURA ORGÂNICA... 4 ORGANOGRAMA... 5 CARATERIZAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS...

Leia mais

OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2014

OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2014 OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2014 Às Escolas Básicas e Secundárias. Agrupamentos de Escolas Escolas Profissionais Públicas. X X X DATA: 2014/ Janeiro / 28 ASSUNTO: Processamento de Remunerações em 2014

Leia mais

CÓDIGO CONTRIBUTIVO Principais Implicações para as Empresas. João Santos

CÓDIGO CONTRIBUTIVO Principais Implicações para as Empresas. João Santos CÓDIGO CONTRIBUTIVO Principais Implicações para as Empresas João Santos Enquadramento Legal Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social (CC) Aprovado pela Lei n.º 110/2009,

Leia mais

Propostas na área do Trabalho e Segurança Social

Propostas na área do Trabalho e Segurança Social Propostas na área do Trabalho e Segurança Social Proposta de Alteração PROPOSTA DE LEI N.º 103/XII ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2013 Capítulo I Aprovação do Orçamento Artigo 7.º Transferências orçamentais

Leia mais

Divisão de Recursos Humanos e Administração Página 0

Divisão de Recursos Humanos e Administração Página 0 Página 0 Regime de Faltas e Licenças e seus Efeitos Lei n.º 35/2014, de 20 de junho (LTFP) Todas as ausências ao serviço têm que ser obrigatoriamente comunicadas ao superior hierárquico, com antecedência,

Leia mais

DESIGNAÇÃO DESPESAS CORRENTES. Titulares de órgãos de soberania e membros de órgãos autárquicos *

DESIGNAÇÃO DESPESAS CORRENTES. Titulares de órgãos de soberania e membros de órgãos autárquicos * DESPESAS CORRENTES 01 Despesas com o pessoal * 01 01 Remunerações certas e permanentes * 01 01 01 01 01 02 Órgãos sociais * Titulares de órgãos de soberania e membros de órgãos autárquicos * 01 01 03 Pessoal

Leia mais

OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ GGF / 2011

OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ GGF / 2011 OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/ GGF / 2011 Às Escolas Básicas e Secundárias. Agrupamentos de Escolas Escolas Profissionais Públicas. DATA: 2011/01/07 ASSUNTO: Processamento de Remunerações em 2011 Face à Lei nº

Leia mais

Regulamentação. Guia informativo para Contratados

Regulamentação. Guia informativo para Contratados Regulamentação Guia informativo para Contratados Férias Os trabalhadores têm direito a um período de férias remuneradas em cada ano civil, nos termos previstos no Código do Trabalho (Lei n.º 7/2009, de

Leia mais

Trabalhadores dependentes

Trabalhadores dependentes Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social - Principais alterações Trabalhadores dependentes Ana Duarte PwC Agenda 1. Base de incidência (novas componentes) 2. Taxas 3.

Leia mais

Tribunal de Contas. Direcção-Geral. Informação nº. 12/03 DGP-DP

Tribunal de Contas. Direcção-Geral. Informação nº. 12/03 DGP-DP Direcção-Geral Informação nº. 12/03 DGP-DP Direcção - Geral Informação nº.12/03 DGP-DP Com o intuito de colmatar a inexistência nas organizações de um instrumento, complementar aos tradicionais instrumentos

Leia mais

25 de Junho 2012 Direito do Trabalho

25 de Junho 2012 Direito do Trabalho TERCEIRA REVISÃO DO CÓDIGO DE TRABALHO A revisão ora em análise, publicada hoje, surge no âmbito do Memorando de Entendimento sobre as Condicionalidades de Política Económica de Maio de 2011 (doravante

Leia mais

Perfil do Docente 2007/08

Perfil do Docente 2007/08 Perfil do Docente 2007/08 93 PERFIL DO DOCENTE 2009/2010 1 Índice FICHA TÉCNICA Título Perfil do Docente 2009/2010 Autoria Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação (GEPE) Direcção de Serviços

Leia mais

NOTA SOBRE A RELEVÂNCIA DAS FALTAS NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO

NOTA SOBRE A RELEVÂNCIA DAS FALTAS NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO NOTA SOBRE A RELEVÂNCIA DAS FALTAS NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO Em virtude de algumas dúvidas suscitadas pelos associados do SPLIU presta-se o seguinte esclarecimento: 1. O ECD prevê, para efeitos

Leia mais

Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local

Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local REGIME DAS FALTAS E LICENÇAS E SEUS EFEITOS Lei da Parentalidade - Decreto-Lei de 9 de Abril e Código do Trabalho (CT) Trabalhadora grávida Pelo tempo e número de vezes necessárias Prova ou declaração

Leia mais

Balanço Social índice

Balanço Social índice índice Introdução... 3 1 Estrutura orgânica... 4 2 Recursos Humanos... 4 3 Caracterização do efetivo global... 5 3.1 Trabalhadores segundo a modalidade de relação jurídica e vínculo... 5 3.2 Trabalhadores

Leia mais

CMA ,GER,I,RE,27118

CMA ,GER,I,RE,27118 ENTIDADE CM AMADORA MUNICIPIO DA AMADORA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2014/12/31 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 63.382.313,97 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL... 60.847.742,70 OPERAÇÕES

Leia mais