INSTITUTO PACTO NACIONAL PELA ERRADICAÇÃO DO TRABALHO ESCRAVO INPACTO. Código de Conduta

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO PACTO NACIONAL PELA ERRADICAÇÃO DO TRABALHO ESCRAVO INPACTO. Código de Conduta"

Transcrição

1 INSTITUTO PACTO NACIONAL PELA ERRADICAÇÃO DO TRABALHO ESCRAVO INPACTO Código de Conduta Nos termos do parágrafo quarto, do artigo quarto do Estatuto Social do INSTITUTO PACTO NACIONAL PELA ERRADICAÇÃO DO TRABALHO ESCRAVO InPACTO (doravante simplesmente denominado InPACTO) o presente Código de Conduta a ser observado pelos Associados Curadores e Organizações Associadas funcionários e demais colaboradores do InPACTO, foi aprovado pela Assembleia Geral de 23 de abril de o presente Código de Conduta, conforme regras e condições a seguir pactuadas. - I - OBJETIVOS ARTIGO PRIMEIRO - O presente Código de Conduta tem como objetivo geral estabelecer regras orientadoras sobre a atuação dos associados, funcionários e colaboradores do Instituto Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo - InPACTO, de forma a garantir sua coerência, eficácia e instrumentalidade como mecanismo de defesa dos direitos humanos, em especial no combate e prevenção ao trabalho escravo em cadeias produtivas, bem como: (i) Servir de orientação aos associados, funcionários e colaboradores no exercício de suas atribuições, de forma a garantir a lisura e a integridade do objeto social, missão e valores do InPACTO; (ii) Tornar claras as regras de conduta que o InPACTO espera de seus associados, funcionários e colaboradores; (iii) Preservar a imagem e a reputação do InPACTO; (iv) Estabelecer regras básicas sobre conflitos de interesse e limitações à atividade dos associados e colaboradores em razão de sua participação no InPACTO; (v) Esclarecer as hipóteses de aplicação de penalidade aos associados ARTIGO SEGUNDO - O presente Código de Conduta é dividido em 06 (seis) tópicos, conforme abaixo: (i) Objetivos; (ii) Princípios; (iii) Deveres dos Associados; (iv) Regras de Conduta e Relacionamento com terceiros; (v) Transparência e Sigilo das Informações; (vi) Disposições Finais.

2 ARTIGO TERCEIRO - As normas deste Código de Conduta aplicam-se a todos os associados e colaboradores do InPACTO, quais sejam: (i) Associados curadores; (ii) Organizações associadas; (iii) Pessoas que exerçam cargos nos órgãos de administração; (iv) Funcionários e estagiários; (v) Observadores e convidados dos Conselhos e outras instâncias estatutárias e regimentais. - II - PRINCÍPIOS ARTIGO QUARTO O presente Código de Conduta baseia-se nos seguintes princípios, os quais devem nortear a atuação dos associados e colaboradores: (i) Respeito e observância aos objetivos sociais, missão e valores do InPACTO; (ii) Observância e respeito ao Estado Democrático de Direito Brasileiro, à Constituição Federal do Brasil e a Legislação Brasileira em vigor; (iii) Observância, defesa e respeito aos Direitos Humanos Civis, Políticos e Socioeconômicos; (iv) Equidade no tratamento dos associados; (v) Respeito ao direito de liberdade de expressão; (vi) Ética; (vii) Honestidade; (viii) Boa-fé; (ix) Transparência; (x) Impessoalidade; (xi) Cooperação e aprendizagem; (xii) Diálogo Social; (xiii) Independência política e financeira (xiv) Observância aos princípios de Sustentabilidade Sócio-Econômico-Ambiental; Parágrafo Único: Na hipótese de o InPACTO vier a firmar Termos de Compromissos, Parcerias ou outras formas de relacionamento com Entidades Públicas e/ou Privadas, deverão ser observados os princípios estabelecidos neste artigo. - III - DOS DEVERES DOS ASSOCIADOS ARTIGO QUINTO São deveres dos associados o cumprimento das disposições previstas no Estatuto Social, no Termo de Compromisso do Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo e no Regimento Interno do InPACTO, de acordo com a natureza de sua atividade.

3 ARTIGO SEXTO Além do quanto previsto no artigo quinto supra, especificamente quanto ao processo de monitoramento do trabalho escravo, todos os associados deverão observar: (i) O pleno atendimento, dentro dos prazos e condições estabelecidos pelos órgãos de administração do InPACTO, o fornecimento de todas as informações inseridas no questionário de pesquisa e monitoramento; (ii) O monitoramento, em suas atividades diretas e em suas cadeias produtivas, dos Termos do Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo; (iii) O sigilo de quaisquer informações do processo de monitoramento vierem a ter acesso por sua condição de associado ao InPACTO. ARTIGO SÉTIMO- Em caso de descumprimento, por qualquer associado, dos princípios e deveres acima elencados, observado os procedimentos previstos no Estatuto Social e no Regimento Interno poderão ser aplicadas as seguintes penalidades: I- Advertência: a) no descumprimento dos artigos 5º e 6º do presente Código de Conduta; b) na hipótese do associado ser noticiado por violações aos direitos humanos. II- Suspensão pelo prazo máximo de 90 (noventa) dias: a) Se, tendo ciência de ocorrência de empregadores da Lista Suja do trabalho escravo na cadeia produtiva, o associado não restringir o respectivo fornecedor; b) Na hipótese do associado questionar judicialmente a constitucionalidade Cadastro de Empregadores que Utilizaram Mão-de-obra Escrava, atualmente regulamentada pela Portaria Interministerial nº 2/2011 MTE/SDH, e suas eventuais e posteriores alterações; c) Se advertido, o associado não tomar as medidas para findar com os motivos da advertência no prazo de até 30 (trinta) dias; III- Exclusão: a)inclusão do associado na Lista Suja b) Se suspenso, findo o prazo de suspensão o associado não tomar as medidas para findar com os motivos da suspensão; Parágrafo Primeiro: No que tange ao processo de monitoramento, a aplicação das penalidades observará o quanto disposto no parágrafo décimo primeiro do artigo sexto do Regimento Interno. Parágrafo Segundo: Na apuração de descumprimento do presente código de conduta e da aplicação das penalidades acima indicadas, serão observado os procedimentos previstos no Estatuto Social e no Regimento Interno. Parágrafo Terceiro: Os casos omissos serão decididos pela Diretoria e referendados pelo Conselho Deliberativo.

4 - IV - REGRAS DE CONDUTA E DE RELACIONAMENTO COM TERCEIROS ARTIGO SÉTIMO - Os associados, funcionários e/ou colaboradores do INPACTO, conforme artigo terceiro supra, deverão: (i) Observar os princípios, valores, objetivos do InPACTO (ii) Zelar pela independência do InPACTO, evitando envolve-lo em compromissos com partidos políticos, igrejas e outras atividades de cunho sectário. (iii) Zelar pela preservação do patrimônio material e imaterial do InPACTO; (iv) Estabelecer diretrizes com vistas a restrição de relacionamento comercial com àqueles que tenham sido flagrados, pela inspeção do trabalho, utilizando mão-de-obra escrava. (v) Abster-se de implicar o InPACTO como instrumento de interlocução junto aos órgãos da Administração Pública para atender suas necessidades e interesses individuais. ARTIGO OITAVO Os associados, funcionários e/ou colaboradores do InPACTO, conforme artigo terceiro supra, em suas ações particulares e/ou direta ou indiretamente relacionadas ao InPACTO, ficam proibidos de: (i) Utilizar-se de cargo, função, posição ou influência relacionada ao InPACTO para obtenção de qualquer tipo de vantagem pecuniária; (ii) Usar sua condição de associado ou colaborador em marcas ou projetos da entidade, como instrumento de promoção individual; (iii) Desempenhar atividades incompatíveis com aquelas que lhe foram atribuídas ou conflitantes com os objetivos da entidade, assim designados no Estatuto Social e no Regimento Interno; (iv) Divulgar ou dispor sobre documentos, dados ou informações a que tem acesso em razão de sua condição de associado ou colaborador do InPACTO; (v) Expressar-se, em nome do InPACTO, na defesa ou apoio a candidatos ou partidos políticos; (vi) Oferecer, de modo direto ou indireto, qualquer pagamento em dinheiro, presentes, serviços, entretenimentos ou outro benefício, a nenhuma autoridade ou servidor da administração pública, federal, estadual ou municipal. (vii) Levar interlocutores a acreditar na ideia de que o associado ou colaborador está representando e expressando a opinião e posição do InPACTO, exceto quando autorizado. (viii) Empregar informações de que disponha em virtude de suas atividades, beneficiando a si próprio ou a terceiros; (ix) Praticar qualquer discriminação em relação a cor, raça, credo religioso, sexo, preferência sexual, idade, etc.; (x) Dar tratamento preferencial a qualquer das entidades públicas e/ou privadas, devendo todos os procedimentos obedecer às diretrizes éticas e operacionais do InPACTO ARTIGO NONO No relacionamento do InPACTO com fornecedores de produtos e serviços, deverá ser observado:

5 (i) Todos os fornecedores têm a garantia de que seus produtos serão tratados pelo InPACTO com base exclusivamente em critérios mercadológicos e de qualidade conforme artigos décimo quinto e décimo sexto do Regimento Interno, não havendo interferência de qualquer aspecto que possa caracterizar privilégio ou discriminação. (ii) Será assegurado ao fornecedor que se sentir prejudicado por qualquer colaborador do InPACTO a possibilidade de reportar a ocorrência diretamente aos órgãos administrativos do InPACTO (iii) É expressamente proibido aceitar benefício pessoal, como pagamento em dinheiro ou mercadoria, viagem, almoço, jantar ou qualquer vantagem advinda de relacionamento com fornecedor. - V - TRANSPARÊNCIA E SIGILO DAS INFORMAÇÕES ARTIGO DÉCIMO - Os associados, funcionários e/ou colaboradores do InPACTO deverão observar os preceitos de transparência e publicidade previstos no Estatuto Social e no Regimento Interno. ARTIGO DÉCIMO PRIMEIRO - O InPACTO, seus associados, funcionários e/ou colaboradores, darão ampla publicidade a este Código de Conduta.

Conselho da Justiça Federal

Conselho da Justiça Federal RESOLUÇÃO N. 147, DE 15 DE ABRIL DE 2011. Institui o Código de Conduta do Conselho e da Justiça Federal de primeiro e segundo graus. O PRESIDENTE DO CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL, usando de suas atribuições

Leia mais

Código de Ética e Conduta da Fundação São Paulo

Código de Ética e Conduta da Fundação São Paulo Código de Ética e Conduta da Seção I Do Objeto Art. 1º - Este Código de Ética e Conduta tem por objetivo estabelecer princípios e normas, a somarem-se aos princípios éticos gerais e morais vigentes na

Leia mais

Lei Complementar Nº 58 de 13 de setembro de 2004 de Natal

Lei Complementar Nº 58 de 13 de setembro de 2004 de Natal Lei Complementar Nº 58 de 13 de setembro de 2004 de Natal O PREFEITO MUNICIPAL DO NATAL, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei Complementar: TÍTULO I DO PLANO DE CARREIRA

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA Dos Servidores do Poder Judiciário do Estado de Sergipe

CÓDIGO DE ÉTICA Dos Servidores do Poder Judiciário do Estado de Sergipe 1 Resolução nº /2012 do Tribunal de Justiça de Sergipe, regulamenta o Estatuto do Servidores Públicos do Estado de Sergipe no que tange a conduta ética dos servidores do Judiciário Estadual. CÓDIGO DE

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética O conjunto de princípios e regras dispostas neste Código de Conduta Ética é imponível a todos os sócios, diretores, empregados, colaboradores e prestadores de serviços que venham,

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DO FORNECEDOR

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DO FORNECEDOR CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DO FORNECEDOR Setembro de 2017. Código de Ética e Conduta do Fornecedor Prezado Fornecedor, Apresentamos o Código de Ética e Conduta do Fornecedor Wald. Ele tem por objetivo orientá-lo

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL CÓDIGO DE ÉTICA

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL CÓDIGO DE ÉTICA SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL CÓDIGO DE ÉTICA SUMÁRIO 1. Introdução...3 2. VISÃO, MISSÃO, VALORES E TEMAS ESTRATÉGICOS... 4 2.1 Missão... 4 2.2 Visão...

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E DISCIPLINA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE SPRINKLERS - ABSPK

CÓDIGO DE ÉTICA E DISCIPLINA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE SPRINKLERS - ABSPK CÓDIGO DE ÉTICA E DISCIPLINA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE SPRINKLERS - ABSPK Introdução Os membros da ABSpk Brasileira de Sprinklers entendem que a atuação no mercado de proteção contra incêndio não é uma

Leia mais

Código de Conduta da Aoop Cloud Solutions

Código de Conduta da Aoop Cloud Solutions Barueri, 04 de Setembro de 2017. Código de Conduta da Aoop Cloud Solutions APRESENTAÇÃO Este é o Código de Conduta da Aoop Cloud Solutions e foi instituído por seus sócios para abordar e esclarecer, em

Leia mais

1 Código de Conduta do Fornecedor

1 Código de Conduta do Fornecedor 1 Código de Conduta do Fornecedor 2 Código de Conduta do Fornecedor Índice 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS...03 2. DIRETRIZES...03 2.1. QUANTO À INTEGRIDADE NOS NEGÓCIOS...03 2.2. QUANTO À CORRUPÇÃO... 04 2.3.

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO ÉTICO DO PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ELOTECH - CPQ

TERMO DE COMPROMISSO ÉTICO DO PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ELOTECH - CPQ TERMO DE COMPROMISSO ÉTICO DO PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ELOTECH - CPQ INTRODUÇÃO 1. As presentes regras que integram o programa de Certificação Profissional Elotech, instituído pela Diretoria

Leia mais

ABF ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FRANCHISING CÓDIGO DE CONDUTA E PRINCÍPIOS ÉTICOS CAPÍTULO I DA NATUREZA DO DOCUMENTO CAPÍTULO II OBJETIVOS E ABRANGÊNCIA

ABF ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FRANCHISING CÓDIGO DE CONDUTA E PRINCÍPIOS ÉTICOS CAPÍTULO I DA NATUREZA DO DOCUMENTO CAPÍTULO II OBJETIVOS E ABRANGÊNCIA ABF ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FRANCHISING CÓDIGO DE CONDUTA E PRINCÍPIOS ÉTICOS CAPÍTULO I DA NATUREZA DO DOCUMENTO Art. 1º. O presente Código de Conduta é orientado por princípios éticos e desdobrado em

Leia mais

MANUAL de GOVERNANÇA CORPORATIVA

MANUAL de GOVERNANÇA CORPORATIVA MANUAL de GOVERNANÇA CORPORATIVA I OBJETIVO... 3 II MISSÃO... 5 III PRINCÍPIOS BÁSICOS... 7 IV COMPROMISSO... 9 V CONTROLES INTERNOS... 11 VI COMPLIANCE... 13 VII AGENTES DE GOVERNANÇA... 15 VIII LEGISLAÇÃO

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA GADE SOLUTION. Tatiana Lúcia Santana GADE SOLUTION

CÓDIGO DE CONDUTA GADE SOLUTION. Tatiana Lúcia Santana GADE SOLUTION CÓDIGO DE CONDUTA GADE SOLUTION Tatiana Lúcia Santana GADE SOLUTION 1. Conceituação: Código de conduta é o conjunto de regras que orientam e disciplinam a conduta de todo colaborador e parceiro Gade Solution

Leia mais

RESOLUÇÃO CRCRJ Nº 457/2015

RESOLUÇÃO CRCRJ Nº 457/2015 RESOLUÇÃO CRCRJ Nº 457/2015 APROVA O CÓDIGO DE CONDUTA DOS FUNCIONÁRIOS DO CRCRJ A PRESIDENTE DO CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Código de Ética e Conduta INTRODUÇÃO O Código de Ética e conduta da Damasco Penna é dirigido à todos os colaboradores, estagiários e membros da administração para servir de referência da atuação pessoal

Leia mais

Código. de Conduta do Fornecedor

Código. de Conduta do Fornecedor Código de Conduta do Fornecedor Código de Conduta do Fornecedor da Odebrecht Óleo e Gás 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS A atuação no mercado nacional e internacional e em diferentes unidades de negócios, regiões

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética Dezembro 2015 2015 Delta Economics & Finance Índice 1 Introdução 1 2 Visão, Missão e Valores 1 3 Conduta Esperada dos Funcionários 2 4 Conflito de Interesse 2 5 Informações Sigilosas

Leia mais

EDIÇAONº1 OUTUBRODE2012

EDIÇAONº1 OUTUBRODE2012 Códigode Conduta EDIÇAONº1 OUTUBRODE2012 2 Manual de conduta lamil Códigode Conduta Manual de conduta lamil 3 APRESENTAÇÃO O presente manual deve servir como orientação aos colaboradores da Lamil quanto

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Senac-RS

CÓDIGO DE ÉTICA. Senac-RS CÓDIGO DE ÉTICA Senac-RS APRESENTAÇÃO Reconhecida como uma das maiores instituições de ensino profissionalizante do país, o Senac-RS adota uma postura clara e transparente no que diz respeito aos objetivos

Leia mais

MASCARENHAS BARBOSA ROSCOE S/A CONSTRUÇÕES POLÍTICA DE CONTRATAÇÃO DE TERCEIROS

MASCARENHAS BARBOSA ROSCOE S/A CONSTRUÇÕES POLÍTICA DE CONTRATAÇÃO DE TERCEIROS MASCARENHAS BARBOSA ROSCOE S/A CONSTRUÇÕES POLÍTICA DE CONTRATAÇÃO DE TERCEIROS Objetivo Estabelecer regras gerais para os processos de contratação de terceiros e obrigações básicas que devem ser adotadas

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA 1 CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA SP-PREVCOM CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA FUNDAÇÃO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO ESTADO DE SÃO PAULO SP PREVCOM Seção I Abrangência e Objetivos Artigo

Leia mais

Seção I Abrangência e Objetivos

Seção I Abrangência e Objetivos CÓDIGO DE ÉTICA Código de Ética e Conduta da Fundação de Previdência Complementar do Estado de Minas Gerais, aprovado na forma da Resolução nº 3 do Conselho Deliberativo, de 28 de janeiro de 2015 Seção

Leia mais

Encontro com Fornecedores Gestão da Ética nos Correios

Encontro com Fornecedores Gestão da Ética nos Correios Comissão de Ética Encontro com Fornecedores Gestão da Brasília, 29/06/2016 Conceitos Conceitos Fundamentos para o Código de Ética dos Correios Ética é a atribuição de valor ou importância a pessoas, condições

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética TERCON INVESTIMENTOS LTDA. Rua Américo Brasiliense, 1765 cj. 32 Chácara Santo Antonio - São Paulo - SP CEP 04715-005 Fone (11) 5181 5841 Código de Conduta Ética O conjunto de princípios

Leia mais

POLÍTICA DE ANTICORRUPÇÃO E SUBORNO

POLÍTICA DE ANTICORRUPÇÃO E SUBORNO POLÍTICA DE ANTICORRUPÇÃO E SUBORNO 1. OBJETIVO Estabelecer os princípios de combate à corrupção no relacionamento da Cantoplex com seus Fornecedores, Clientes e Órgãos Públicos. 2. ABRANGÊNCIA Aplica-se

Leia mais

CODIGO DE ÉTICA 1- OBJETIVO

CODIGO DE ÉTICA 1- OBJETIVO CODIGO DE ÉTICA 1- OBJETIVO Para se construir e manter uma grande empresa é preciso muito mais do que recursos,máquinas, equipamentos e instalações. É necessário contar com pessoas. Preocupado em nortear

Leia mais

M3 CAPITAL PARTNERS GESTORA DE RECURSOS LTDA. CÓDIGO DE ÉTICA. São Paulo, Junho de 2016

M3 CAPITAL PARTNERS GESTORA DE RECURSOS LTDA. CÓDIGO DE ÉTICA. São Paulo, Junho de 2016 M3 CAPITAL PARTNERS GESTORA DE RECURSOS LTDA. CÓDIGO DE ÉTICA São Paulo, Junho de 2016 INTRODUÇÃO A M3 Capital Partners Gestora de Recursos Ltda. ( M3 CAPITAL ) é uma sociedade limitada devidamente registrada

Leia mais

CÓDIGO de CONDUTA da EDP Serviço Universal, S.A.

CÓDIGO de CONDUTA da EDP Serviço Universal, S.A. CÓDIGO de CONDUTA CÓDIGO de CONDUTA da EDP Serviço Universal, S.A. 1º - Objeto O presente Código de Conduta estabelece os principais deveres de atuação dos Colaboradores, dos membros dos Órgãos Sociais

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA PREVI NOVARTIS - SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA

CÓDIGO DE ÉTICA PREVI NOVARTIS - SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA CÓDIGO DE ÉTICA PREVI NOVARTIS - SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA 1. INTRODUÇÃO 1.1 A Previ Novartis Sociedade de Previdência Complementar ( Previ Novartis ) adotou este Código de Ética com a finalidade

Leia mais

DUNAMIS TRADING GESTÃO DE RECURSOS LTDA. CÓDIGO DE ÉTICA 06/07/2017

DUNAMIS TRADING GESTÃO DE RECURSOS LTDA. CÓDIGO DE ÉTICA 06/07/2017 DUNAMIS TRADING GESTÃO DE RECURSOS LTDA. CÓDIGO DE ÉTICA 06/07/2017 1 1. Objeto Este Código de Ética ( Código ) foi elaborado com base no disposto no item 2.7 do Ofício-Circular/CVM/SIN/Nº 05/2014 e na

Leia mais

Cabe a todos os integrantes e colaboradores diretos ou indiretos fazer valer, respeitar e cumprir todos os itens abordados neste código de ética.

Cabe a todos os integrantes e colaboradores diretos ou indiretos fazer valer, respeitar e cumprir todos os itens abordados neste código de ética. CÓDIGO CORPORATIVO DE CONDUTA ÉTICA Introdução A Alta Engenharia de Consultoria Ltda tem como seu objetivo principal, a transparência e a ética de conduta em seus negócios orientados por um conjunto de

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACULDADE ESTÁCIO DO AMAPÁ ESTÁCIO AMAPÁ

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACULDADE ESTÁCIO DO AMAPÁ ESTÁCIO AMAPÁ REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACULDADE ESTÁCIO DO AMAPÁ ESTÁCIO AMAPÁ MACAPÁ-AP MARÇO DE 2015 0 CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO Art. 1º A COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO da Faculdade Estácio

Leia mais

Código de Conduta do Fornecedor

Código de Conduta do Fornecedor Código de Conduta do Fornecedor Índice 1. Apresentação... 03 2. Abrangência... 04 3. Diretrizes de Conduta... 05 3.1. Quanto à Integridade nos Negócios... 05 3.2. Quanto à corrupção... 06 3.3. Quanto

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Dos Fundamentos. Do Objetivo. Da Abrangência. DELIBERAÇÃO 01/15 Em, 26 de maio de 2015

CÓDIGO DE ÉTICA. Dos Fundamentos. Do Objetivo. Da Abrangência. DELIBERAÇÃO 01/15 Em, 26 de maio de 2015 DELIBERAÇÃO 01/15 Em, 26 de maio de 2015 Dos Fundamentos Do Objetivo Da Abrangência Dos Valores Da Observância de Normativos Da Responsabilidade Da Confidencialidade Dos Relacionamentos Do Conflito de

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA. O presente Código tem por finalidade orientar a empresa como um todo sobre questões éticas e de conduta.

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA. O presente Código tem por finalidade orientar a empresa como um todo sobre questões éticas e de conduta. CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA O presente Código tem por finalidade orientar a empresa como um todo sobre questões éticas e de conduta. 1. Introdução O presente Código de Ética e Conduta tem por objetivo oferecer

Leia mais

CODIGO DE ETICA E CONDUTA

CODIGO DE ETICA E CONDUTA A quem se destina este Manual CODIGO DE ETICA E CONDUTA Este documento estabelece importantes diretrizes para o cumprimento dos padrões da companhia, no que se refere às práticas comerciais e aos negócios.

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA ESTE CÓDIGO TEM POR OBJETIVOS: Externar os princípios e valores que regem a conduta dos sócios, funcionários e colaboradores (integrantes) do Zeigler e Mendonça de Barros Sociedade

Leia mais

04... Apresentação Introdução ao Código de Ética RAPS Objetivos do Código de Ética RAPS Aplicação e Abrangência

04... Apresentação Introdução ao Código de Ética RAPS Objetivos do Código de Ética RAPS Aplicação e Abrangência código de ética ÍNDICE 04... Apresentação 04... Introdução ao Código de Ética RAPS 05... Objetivos do Código de Ética RAPS 05... Aplicação e Abrangência 06... Fundamentos Institucionais 06... Visão 06...

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA SCHERER

CÓDIGO DE CONDUTA SCHERER CÓDIGO DE CONDUTA SCHERER Introdução Este código tem como objetivo orientar a conduta pessoal e profissional dos diretores e funcionários da Scherer. Deve ser considerado como declaração formal do compromisso

Leia mais

Código de Conduta

Código de Conduta Código de Conduta WWW.METADADOS.COM.BR Apresentação O presente documento, intitulado Código de Conduta Metadados, tem como objetivo estabelecer, de maneira formal, o conjunto de normas que regram a conduta

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA RECKITTPREV RECKITT BENCKISER SOCIEDADE PREVIDENCIÁRIA

CÓDIGO DE ÉTICA RECKITTPREV RECKITT BENCKISER SOCIEDADE PREVIDENCIÁRIA CÓDIGO DE ÉTICA RECKITTPREV RECKITT BENCKISER SOCIEDADE PREVIDENCIÁRIA 1. INTRODUÇÃO 1.1 A RECKITTPREV RECKITT BENCKISER SOCIEDADE PREVIDENCIÁRIA ( RECKITTPREV ) adotou este Código de Ética com a finalidade

Leia mais

M ANUAL DE NORMAS OPERAÇÃO DE DERIVATIVO COM REDUTOR DE RISCO DE CRÉDITO

M ANUAL DE NORMAS OPERAÇÃO DE DERIVATIVO COM REDUTOR DE RISCO DE CRÉDITO M ANUAL DE NORMAS OPERAÇÃO DE DERIVATIVO COM REDUTOR DE RISCO DE CRÉDITO VERSÃO: 21/3/2011 MANUAL DE NORMAS OPERAÇÃO DE DERIVATIVO COM REDUTOR DE RISCO DE CRÉDITO 21/3/2011 2 / 7 ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA EMPRESARIAL

CÓDIGO DE CONDUTA EMPRESARIAL EMPRESARIAL ÍNDICE PALAVRA DA DIRETORIA... 3 1 - ABRANGÊNCIA:... 4 2 - OBJETIVOS:... 4 3 - A ORGANIZAÇÃO:... 5 4 - RELACIONAMENTO COM SEU PÚBLICO DE INTERESSE... 6 4.1 - COLABORADORES DA EMPRESA:... 6

Leia mais

Código de Ética Elaborado em Janeiro de 2016 Atualizado em Junho de 2016 1. INTRODUÇÃO Este Código de Ética estabelece as regras e princípios que nortearão os padrões éticos e de conduta profissional,

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Parágrafo único. Para os fins deste Código, considera-se:

CÓDIGO DE ÉTICA. Parágrafo único. Para os fins deste Código, considera-se: CÓDIGO DE ÉTICA Art. 1º Este Código de Ética aplica-se a todos os sócios, parceiros, colaboradores, empregados e quaisquer profissionais que atuem no âmbito da Câmara de Mediação e Arbitragem Especializada

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Nesse ano, estamos disponibilizando o nosso Código Ética nas versões impressa e eletrônica.

CÓDIGO DE ÉTICA. Nesse ano, estamos disponibilizando o nosso Código Ética nas versões impressa e eletrônica. CÓDIGO DE ÉTICA Nestes três anos de muitas realizações, as relações da Agência de Desenvolvimento Paulista com seus parceiros, clientes, fornecedores, acionistas, entre outros, foram pautadas por valores

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA - EMBRAPII

CÓDIGO DE CONDUTA - EMBRAPII CÓDIGO DE CONDUTA - EMBRAPII Este Código de Conduta define os princípios que regem o comportamento dos profissionais que atuam na EMBRAPII. Ele é o instrumento de promoção de uma cultura de boa conduta

Leia mais

Estrada particular Eiji Kikuti 417. Cooperativa São Bernardo do Campo SP

Estrada particular Eiji Kikuti 417. Cooperativa São Bernardo do Campo SP 1 Código MSMP de Ética & Conduta MSM POWERTRAIN LTDA. Estrada particular Eiji Kikuti 417. Cooperativa 09852-040 São Bernardo do Campo SP www.msmp.com.br msmp@msmp.com.br MSMP 2 Prezado leitor. A conduta

Leia mais

Regras e Procedimentos de Compliance

Regras e Procedimentos de Compliance Regras e Procedimentos de Compliance O presente Capítulo dispõe acerca das políticas relativas ao monitoramento, fiscalização, verificação e aplicação das medidas e penalidades relacionadas ao cumprimento

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLE DE REGISTROS E CONTABILIDADE

POLÍTICA DE CONTROLE DE REGISTROS E CONTABILIDADE POLÍTICA DE CONTROLE DE REGISTROS E CONTABILIDADE A presente Política de Controle de Registros e Contabilidade compõe a regulamentação pertinente ao Programa de Integridade da Fundação Instituto de Pesquisa

Leia mais

Código de Ética COMPREV

Código de Ética COMPREV Código de Ética COMPREV ÍNDICE CAPÍTULO I Dos Fundamentos 01. Apresentação 02. Missão 03. Objetivo 04. Abrangência 05. Princípios Gerais CAPÍTULO II Das Normas de Conduta e Relacionamento 06. Regras Gerais

Leia mais

2º É vedada a constituição de cooperativa mista com seção de crédito.

2º É vedada a constituição de cooperativa mista com seção de crédito. Dispõe sobre o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo e revoga dispositivos das Leis 4.595/64 de 31 de dezembro de 1964 e 5.764/71 de 16 de dezembro de 1971. Art. 1º As instituições financeiras constituídas

Leia mais

Manual de Governança Corporativa

Manual de Governança Corporativa Documento: Área Emitente: Manual de Governança Corporativa Assessoria de Planejamento, Orçamento, Controle e Regulatório HISTÓRICO DAS REVISÕES Rev. nº. Data Descrição 01 19/12/2012 Segregação do Manual

Leia mais

Código de conduta ética

Código de conduta ética Código de conduta ética Mensagem da presidência O Código de Conduta Ética reflete os padrões de comportamento adotados por nossa empresa baseados na nossa Missão, Visão e Valores. Todos os nossos negócios

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA. No relacionamento com colegas e outros Profissionais, cada Profissional deverá:

CÓDIGO DE CONDUTA. No relacionamento com colegas e outros Profissionais, cada Profissional deverá: CÓDIGO DE CONDUTA Introdução Este Código define as regras de conduta aos quais os Sócios, os Diretores, bem como todos os funcionários da AGROFEL Agro Comercial Ltda, e terceiros, que ajam em seu interesse

Leia mais

1. CARTA DA DIRETORIA

1. CARTA DA DIRETORIA 1. CARTA DA DIRETORIA A ADVANCE EMBALAGENS adota o presente Código de Conduta Empresarial com o objetivo de conduzir seus negócios embasando-se na obediência a princípios éticos e legais no relacionamento

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA Janeiro de

CÓDIGO DE CONDUTA Janeiro de CÓDIGO DE CONDUTA Janeiro de 2010 1 1. ÂMBITO DE APLICAÇÃO O presente Código de Conduta (a seguir designado por «Código») estabelece linhas de orientação em matéria de ética profissional para todos os

Leia mais

Política de Confidencialidade Colaboradores Venturestar

Política de Confidencialidade Colaboradores Venturestar Política de Confidencialidade Colaboradores Venturestar (versão 05.2016) 1 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 POLÍTICA DE CONFIDENCIALIDADE... 4 2 INTRODUÇÃO Esta Política de Confidencialidade dos Colaboradores da

Leia mais

O Código de Conduta da Rio Shop apresenta os princípios direcionadores da conduta dos colaboradores no que concerne a aspectos éticos e morais.

O Código de Conduta da Rio Shop apresenta os princípios direcionadores da conduta dos colaboradores no que concerne a aspectos éticos e morais. 1 INTRODUÇÃO O Código de Conduta da Rio Shop apresenta os princípios direcionadores da conduta dos colaboradores no que concerne a aspectos éticos e morais. O código vem formalizar a expectativa quanto

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA CENTRO COMUNITÁRIO IRMANDADE DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DA BATALHA

CÓDIGO DE ÉTICA CENTRO COMUNITÁRIO IRMANDADE DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DA BATALHA CÓDIGO DE ÉTICA CENTRO COMUNITÁRIO IRMANDADE DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DA BATALHA 02-05-2012 1 Introdução... 3 2 Principais objetivos do Código... 3 3 Âmbito de aplicação... 4 4 Legislação e Ética...

Leia mais

DIRETORIA ACADÊMICA COLEGIADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO

DIRETORIA ACADÊMICA COLEGIADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO Termo de Compromisso de Estágio que celebram entre si a (nome da instituição) e o Estudante (nome do estudante), com a interveniência do Instituto Federal Baiano Campus Guanambi, para realização de Estágio,

Leia mais

MUNICÍPIO DE FERREIRA DO ZÊZERE CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA

MUNICÍPIO DE FERREIRA DO ZÊZERE CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA MUNICÍPIO DE FERREIRA DO ZÊZERE CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA 1 DO MUNICÍPIO DE FERREIRA DO ZÊZERE O presente Código de Ética e Conduta, a seguir designado abreviadamente por Código, estabelece o conjunto

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA 4BARZ

CÓDIGO DE CONDUTA 4BARZ CÓDIGO DE CONDUTA 4BARZ Este Código de Conduta tem por objetivo estabelecer os princípios éticos e normas de conduta que devem orientar as relações internas e externas de todos os Integrantes do 4Barz,

Leia mais

Código de Conduta CÓDIGO DE CONDUTA. Abarca Companhia de Seguros, S.A. V Página 1 de 8

Código de Conduta CÓDIGO DE CONDUTA. Abarca Companhia de Seguros, S.A. V Página 1 de 8 CÓDIGO DE CONDUTA Abarca Companhia de Seguros, S.A. V 2.0 18-12-2016 Página 1 de 8 1. PREÂMBULO... 3 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 3 3. COMPROMISSO DE CUMPRIMENTO... 4 4. PRINCÍPIOS GERAIS... 4 I. Igualdade

Leia mais

Código de Ética RAPS

Código de Ética RAPS Código de Ética RAPS 1. Apresentação 1.1. Introdução ao Código de Ética 1.2. Objetivos 1.3. Aplicação e abrangência 1.4. Comissão de Ética 2. Valores e Princípios Institucionais 2.1. Visão 2.2. Missão

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS. Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS. Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários Versão 2016.1 Editada em Junho de 2016 1. OBJETIVO Esta Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários define os padrões de condutas internas exigidas

Leia mais

MANUAL ANTICORRUPÇÃO

MANUAL ANTICORRUPÇÃO MQ.03 rev.00 Pagina 1 MANUAL ANTICORRUPÇÃO MQ.03 rev.00 Pagina 2 SUMÁRIO 1.Introdução... 3 2.Da abrangência... 3 3. Das condutas a serem observadas... 3 3.1 Vantagem indevida:... 3 3.2 Participação em

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PALMAS/2011 SUMÁRIO CAPÍTULO I - DA NATUREZA...03 CAPÍTULO II - DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO...03 Seção I - Da

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Página 1 de 6 Introdução O da Rotta Paletes busca o compromisso de alcançar seus objetivos empresariais com visão sempre na responsabilidade social, valorização do seu relacionamento com clientes, fornecedores

Leia mais

PARÂMETROS REGULAMENTADORES DA REDE REGIONAL DE JOVENS LÍDERES

PARÂMETROS REGULAMENTADORES DA REDE REGIONAL DE JOVENS LÍDERES PARÂMETROS REGULAMENTADORES DA REDE REGIONAL DE JOVENS LÍDERES Preâmbulo A Rede Regional de Jovens Líderes do Rio de Janeiro, com base nos princípios gerais que regem o escotismo, inseridos na lei e promessa

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DA FUNDAÇÃO VISABEIRA INSTITUIÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL CÓDIGO DE CONDUTA

CÓDIGO DE CONDUTA DA FUNDAÇÃO VISABEIRA INSTITUIÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL CÓDIGO DE CONDUTA CÓDIGO DE CONDUTA DA FUNDAÇÃO VISABEIRA INSTITUIÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL (Aprovado em reunião do Conselho de Administração de 28 de Março de 2014) PREÂMBULO As fundações são instituições privadas sem

Leia mais

Regimento Interno. Capítulo I Do Regimento Interno

Regimento Interno. Capítulo I Do Regimento Interno Regimento Interno Capítulo I Do Regimento Interno Art.1º- O presente Regimento Interno tem por base o Estatuto da Federação de Amor- Exigente FEAE - e estabelece diretrizes para o seu funcionamento. Art.2º-

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA EQS ENGENHARIA LTDA

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA EQS ENGENHARIA LTDA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA EQS ENGENHARIA LTDA Revisão: 00 Data: 03/2016 Palavras chave: Ética, Conduta. 1. INTRODUÇÃO O presente Código de Ética e Conduta tem como objetivo apontar diretrizes e normas

Leia mais

AGUIAR CÓDIGO DE CONDUTA

AGUIAR CÓDIGO DE CONDUTA COMISSARIA de Despachos Ltda. CÓDIGO DE CONDUTA COMISSARIA de Despachos Ltda. INTRODUÇÃO Aguiar COMISSÁRIA de Despachos Ltda., presta serviços de despachos aduaneiros junto a alfândega brasileira desde

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Código de Ética e Conduta Mensagem da Diretoria Prezado(a), A conduta ética, compartilhada e reafirmada neste documento é o fundamento de sustentação, desenvolvimento e fortalecimento da Qualicorp. As

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA SUMÁRIO O que é Código de Ética e Conduta?...04 Condutas esperadas...06 Condutas intoleráveis sujeitas a medidas disciplinares...10 Suas responsabilidades...12 Código de Ética

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

CÓDIGO DE ÉTICA E DE RESPONSABILIDADE SOCIAL CÓDIGO DE ÉTICA E DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 1. OBJETIVO Descrever e comunicar os princípios que norteiam o relacionamento da youdb com clientes, sócios, colaboradores, fornecedores e sociedade (meio-ambiente,

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA OUVIDORIA

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA OUVIDORIA CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA OUVIDORIA REGULAMENTO DA OUVIDORIA Serra, 2016 Página 1 CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA OUVIDORIA REGULAMENTO DA OUVIDORIA Prof. Me. Eber da Cunha Mendes Serra, 2016 Página

Leia mais

POLÍTICA DE COMPLIANCE, GESTÃO DE RISCOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM n 558/15

POLÍTICA DE COMPLIANCE, GESTÃO DE RISCOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM n 558/15 POLÍTICA DE COMPLIANCE, GESTÃO DE RISCOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM n 558/15 MOSAICO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. CNPJ 16.954.358/0001-93 SOMENTE PARA USO INTERNO Controle de Versões Versão 1.0

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO QUE INSTITUI O CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA DA FPAS PREÂMBULO

REGULAMENTO INTERNO QUE INSTITUI O CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA DA FPAS PREÂMBULO REGULAMENTO INTERNO QUE INSTITUI O CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA DA FPAS PREÂMBULO As obrigações de transparência, de responsabilidade, de solidariedade e cooperação que recaem sobre a Federação Portuguesa

Leia mais

DECRETO Nº , DE 29 DE DEZEMBRO DE 2016.

DECRETO Nº , DE 29 DE DEZEMBRO DE 2016. DECRETO Nº 19.634, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2016. Aplica às empresas públicas e às sociedades de economia mistas municipais o disposto na Lei Federal nº 13.303, de 30 de junho de 2016 que dispõe sobre o estatuto

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DE FORNECEDORES

CÓDIGO DE CONDUTA DE FORNECEDORES CÓDIGO DE CONDUTA DE FORNECEDORES SIGILO DAS INFORMAÇÕES respeitar a propriedade intelectual, segredos comerciais e outras informações confi denciais, exclusivas ou reservadas, e não devem fazer uso ou

Leia mais

Política Institucional Comitê de Sustentabilidade. Política de Sustentabilidade. Código: PI.HPEG.CSUST.001 Versão: 001 Página: 1/6

Política Institucional Comitê de Sustentabilidade. Política de Sustentabilidade. Código: PI.HPEG.CSUST.001 Versão: 001 Página: 1/6 Código: PI.HPEG.CSUST.001 Versão: 001 Página: 1/6 SUMÁRIO 1. Apresentação... 02 2. Objetivo... 02 3. Princípios... 02 4. Documentos de Referencias... 03 5. Diretrizes... 03 6. Compromissos e Prestação

Leia mais

Norma Permanente Assunto: Política de Proteção da Livre Concorrência Código da Norma: NAD-40 Data da publicação: 01/09/2015

Norma Permanente Assunto: Política de Proteção da Livre Concorrência Código da Norma: NAD-40 Data da publicação: 01/09/2015 Página 1 de 5 Resumo: Estabelece as diretrizes e regras gerais para garantir a proteção da livre concorrência nas atividades da Duratex S.A. e suas subsidiárias (Organização). Índice 1. OBJETIVO 2. ABRANGÊNCIA

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA. 1. Introdução

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA. 1. Introdução 1/5 1. Introdução O objetivo deste documento é estabelecer as práticas que guiam a atuação da Imetame Metalmecânica, do Grupo Imetame, em seu crescimento sustentável, alinhado com as leis e regulamentos

Leia mais

Código de Ética VALORES MISSÃO VISÃO

Código de Ética VALORES MISSÃO VISÃO MISSÃO Prestar uma assessoria personalizada com uma equipe ousada e de alta performance focada em buscar eventos inovadores e experiências únicas. VISÃO Ser a melhor empresa de formaturas do sudeste até

Leia mais

DECISÃO Nº 265/2009 D E C I D E. aprovar o Regimento Interno do Instituto de Informática, como segue:

DECISÃO Nº 265/2009 D E C I D E. aprovar o Regimento Interno do Instituto de Informática, como segue: CONSUN Conselho Universitário DECISÃO Nº 265/2009 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, em sessão de 17/7/2009, tendo em vista o constante no processo nº 23078.004276/99-63, de acordo com o Parecer nº 213/2009 da

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA FAÇOPAC Sociedade de Previdência Privada

CÓDIGO DE ÉTICA FAÇOPAC Sociedade de Previdência Privada INTRODUÇÃO Está entre os objetivos da mais representativos, manter a imagem de Entidade sólida e confiável. Nossa ação deve ser sempre marcada pela integridade, confiança e lealdade, bem como pelo respeito

Leia mais

RANSP. RÊNCIA Código de conduta da FPC

RANSP. RÊNCIA Código de conduta da FPC RANSP RÊNCIA Código de conduta da FPC Código de Conduta O Código de Conduta da Fundação Portuguesa das Comunicações (FPC) apresenta dois objetivos fundamentais: regular as obrigações de transparência,

Leia mais

Codigo de Conduta e Etica das empresas do GRUPO PARCERIA: PARCERIA CONSULTORIA EMPRESARIAL LTDA. CNPJ /

Codigo de Conduta e Etica das empresas do GRUPO PARCERIA: PARCERIA CONSULTORIA EMPRESARIAL LTDA. CNPJ / Codigo de Conduta e Etica das empresas do GRUPO PARCERIA: PARCERIA CONSULTORIA EMPRESARIAL LTDA. CNPJ 01194833/0001-01 PARCERIA SERVIÇOS TEMPORARIOS LTDA. CNPJ: 01253339/0001-01 1. Introdução do Codigo

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA DIRETORIA EXECUTIVA

REGIMENTO INTERNO DA DIRETORIA EXECUTIVA REGIMENTO INTERNO DA DIRETORIA EXECUTIVA CAPÍTULO I NATUREZA E OBJETO DO REGIMENTO INTERNO Artigo 1 - O presente Regimento Interno disciplina o funcionamento da Diretoria Executiva da Elektro Eletricidade

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CENECISTA DE OSÓRIO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES ELEIÇÕES 2017 DO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES REGIMENTO ELEITORAL

CENTRO UNIVERSITÁRIO CENECISTA DE OSÓRIO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES ELEIÇÕES 2017 DO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES REGIMENTO ELEITORAL CENTRO UNIVERSITÁRIO CENECISTA DE OSÓRIO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES ELEIÇÕES 2017 DO DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES REGIMENTO ELEITORAL Capítulo I Das Disposições Preliminares Artigo 1º. Este edital

Leia mais

SP VENTURES MANUAL DE COMPLIANCE

SP VENTURES MANUAL DE COMPLIANCE SP VENTURES MANUAL DE COMPLIANCE Junho/2016 SP VENTURES GESTORA DE RECURSOS S.A. ( Sociedade ) CNPJ: 09.594.756/0001-80 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1.485, 19ª andar, conj. 181 ala oeste Jardim Paulistano,

Leia mais

PARTE B DO MANUAL DE COMPLIANCE E GESTÃO DE RISCOS POLÍTICA DE COMPLIANCE

PARTE B DO MANUAL DE COMPLIANCE E GESTÃO DE RISCOS POLÍTICA DE COMPLIANCE PARTE B DO MANUAL DE COMPLIANCE E GESTÃO DE RISCOS POLÍTICA DE COMPLIANCE I. APRESENTAÇÃO A Gestora mantém uma política de compliance abrangente e integrada que é alicerçada num sistema interno de controle

Leia mais

Código de Ética e Conduta dos Colaboradores da Fundação Educacional de Barretos

Código de Ética e Conduta dos Colaboradores da Fundação Educacional de Barretos Código de Ética e Conduta dos Colaboradores da Fundação Educacional de Barretos BARRETOS Agosto/2016 Podemos considerar ética como sendo aquilo que pode ser contado para a esposa, o filho e até publicado

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DO RENOVA BRASIL

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DO RENOVA BRASIL CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DO RENOVA BRASIL 1. APRESENTAÇÃO O RENOVABR é um projeto que busca identificar, selecionar e desenvolver novas lideranças políticas. Este documento tem como objetivo a apresentação

Leia mais

Regulamento de Atividades Complementares

Regulamento de Atividades Complementares Regulamento de Atividades Complementares Art. 1º As Atividades Complementares compreendidas no currículo pleno do Curso de Direito da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas - Ibmec, indispensáveis para

Leia mais

NORMA DE REGULAMENTAÇÃO DA CONDUTA DO RADIALISTA QUANTO A CONFLITOS DE INTERESSES E QUESTÕES RELACIONADAS NOR 308

NORMA DE REGULAMENTAÇÃO DA CONDUTA DO RADIALISTA QUANTO A CONFLITOS DE INTERESSES E QUESTÕES RELACIONADAS NOR 308 MANUAL DE PESSOAL CÓD. 300 ASSUNTO: REGULAMENTAÇÃO DA CONDUTA DO RADIALISTA QUANTO A CONFLITOS DE INTERESSES E QUESTÕES RELACIONADAS CÓD: NOR 308 APROVAÇÃO: Resolução nº 023/05, de 25/10/2005 NORMA DE

Leia mais

Estatuto do Capítulo estudantil Sociedade de Engenheiros de Petróleo (SPE) SEÇÃO I NOME

Estatuto do Capítulo estudantil Sociedade de Engenheiros de Petróleo (SPE) SEÇÃO I NOME Estatuto do Capítulo estudantil Sociedade de Engenheiros de Petróleo (SPE) Este Estatuto traz disposições gerais sobre o Capítulo Estudantil da Sociedade de Engenheiros de Petróleo da Universidade Federal

Leia mais