Ondas sonoras. Qualidades fisiológicas de uma onda sonora

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ondas sonoras. Qualidades fisiológicas de uma onda sonora"

Transcrição

1 Ondas sonoras As ondas mecânicas que propiciam o fenômeno da audição aos seres vivos são chamadas de ondas sonoras. Como todas as ondas mecânicas, as ondas sonoras podem se propagar nos mais diversos meios, com exceção do vácuo, onde praticamente não há matéria. Nos seres humanos, uma onda sonora qualquer, só ganha significado quando é recebida e interpretada pelo aparelho auditivo e pelo cérebro. Esse processo de captação e decodificação da onda sonora é denominado capacidade auditiva ou sensação sonora. O diagrama a seguir mostra o percurso das ondas sonoras desde sua recepção pelo pavilhão auditivo até a transmissão dos impulsos elétricos ao cérebro, que codificará e reconhecerá o tipo de som. Recebidos pelo pavilhão auditivo, os sons são conduzidos pelo canal auditivo para o interior do sistema auditivo Os sons recebidos na orelha interna são convertidos em impulsos elétricos. Coletados pelo nervo auditivo são levados ao cérebro onde são interpretados, dando ao ser humano a capacidade da audição. Qualidades fisiológicas de uma onda sonora As características que o ser humano identifica no som são denominadas qualidades ou propriedades fisiológicas dos sons. Dentre elas tem-se a altura, a intensidade e o timbre. O ser humano ainda tem a capacidade de identificar, com certa precisão, a fonte emissora de determinadas ondas de som, entre tantas outras fontes possíveis. É o que ocorre quando se identifica claramente o som proveniente de dois instrumentos musicais diferentes, até mesmo quando tocam a mesma nota musical, ou então a capacidade de reconhecer uma pessoa por meio de sua voz. Altura Altura é a qualidade do som referente à frequência das ondas sonoras.

2 A sensação sonora permite ao ser humano classificar os sons em graves (baixa frequência ou som baixo) ou agudos (alta frequência ou som alto). Essa classificação entre sons, feita por comparação entre sons de distintas frequências, é relativa e depende do referencial que se adota. Não há um limite definido separando essas duas classificações (graves e agudos). Na experiência do cotidiano, costuma-se utilizar os termos som grosso (para designar sons graves) e som fino (para designar sons agudos). Por exemplo, diz-se que, em relação à espécie humana, as vozes masculinas são consideradas grossas (predominância de sons graves), enquanto as vozes femininas são consideradas finas (predominância de sons agudos). O som mais grave que um ser humano pode ouvir, em média é de 20 Hz, e o som mais agudo é em média, é de Hz. Na música, os tons graves são chamados de baixos e os tons agudos são chamados de agudos. Os gráficos a seguir mostram a propagação de ondas sonoras de mesma amplitude e com diferentes frequências. No primeiro a onda sonora é de alta frequência (som alto ou agudo) quando comparada à do segundo, de baixa frequência (som baixo ou grave) Gráfico representando uma onda sonora alta (som agudo) Gráfico representando uma onda sonora baixa (som grave) Uma nota musical é caracterizada principalmente pela sua altura, ou seja, pela sua frequência. Portanto quando se diz que um instrumento está emitindo notas diferentes, pode-se dizer que ele está produzindo ondas sonoras de frequências diferentes. Em um piano, por exemplo, cada tecla corresponde a um som de frequência diferente. Intensidade O bater das asas da abelha gera sons fracos que pouco ou nada incomodam os aos ouvidos humanos, enquanto a fricção dos pneus de um carro no asfalto geram sons que costumam soar desagradáveis aos ouvidos humanos.

3 Uma pessoa próxima a esses dois eventos, utilizando a linguagem do cotidiano, classificaria os ruídos gerados nessas duas situações como fracos no caso da abelha e fortes no caso do carro. Assim a pessoa estará fazendo alusão à intensidade da onda sonora. A intensidade de uma onda sonora está associada à energia transportada pela onda que é transmitida a certa região do espaço (inclusive a orelha humana) em um determinado intervalo de tempo. A intensidade está relacionada com a energia de vibração da fonte que emite a onda sonora. À medida que a onda se propaga, essa energia é transportada. Quanto maior for a energia por unidade de tempo transportada à orelha de uma pessoa, maior será a intensidade do som captado por essa pessoa. Dependendo de sua intensidade, os sons são classificados como fracos (baixa intensidade) ou fortes (alta intensidade). Além de estar associada à energia por unidade de, a intensidade depende da érea que a onda atingirá (ver figura). Quando mais longe a área estiver da fonte sonora, mais a energia transportada será espalhada e, portanto, menor será a sua intensidade. É por essa razão que o estrondo de uma explosão é mais perceptível quanto mais perto se estar do local em que ela se deu. Esquema de uma onda sonora incidindo sobre uma área A A intensidade (I) de uma onda sonora pode ser obtida por meio da seguinte expressão: I = E/ t.a Em que: I = intensidade da onda sonora, dada em W/m 2 (SI); A = área atravessada por parte da frente de onda, dada em m 2 (SI); E = energia transportada pela onda que atravessa a área mencionada, dada em joule J no SI; t = intervalo de tempo no qual ocorre o transporte de energia pela onda, dado em segundos (SI). Como a energia de uma onda depende de sua amplitude, a intensidade também dependerá dela. Quanto maior for a amplitude da onda, maior será a sua intensidade.

4 Nível de intensidade da sensação sonora A percepção de intensidade sonora no aparelho auditivo é diferente da intensidade sonora emitida pela fonte. Isso ocorre porque a orelha atenua a intensidade das ondas originais à medida que a onda é transmitida para regiões mais internas do aparelho auditivo. Por exemplo, ao se aumentar o volume de um aparelho de som de modo que a intensidade (média) das ondas emitidas torna-se cem vezes maior, a sensação ou percepção no ser humano torna-se em média apenas duas vezes maior. Dessa maneira, pode-se dizer que a sensação sonora obtida pelo aparelho auditivo humano devido a uma onda sonora não varra proporcionalmente a essa intensidade. Por meio de diversos experimentos, foi constatado que a sensação sonora varia com o logaritmo da intensidade I da onda sonora. Assim, foi criado o nível de intensidade da sensação sonora, normalmente representado por β, que mede a intensidade sonora média percebida pelo ser humano e que é diferente da intensidade original da onda emitida pela fonte. Esse nível de intensidade sonora é dado por: Β = 10. Log I/I 0 (db) Em que: I 0 = intensidade sonora mínima percebida pelo ser humano; I = intensidade sonora da onda sonora; log I/I 0 = logaritmo de base 10 da razão entre as intensidades I e I 0 A unidade da intensidade sonora mínima percebida é o bel (B), em homenagem a Graham Bel, inventor do telefone e pesquisador dos mecanismos da fala e a audição. Na prática costuma--se utilizar seu submúltiplo, o decibel (1dB = 0,1B). Cabe ressaltar que a intensidade sonora mínima (I 0 ) não é igual para todas as pessoas e depende da frequência da onda sonora. Para uma frequência em torno de 1000 Hz e para uma pessoa com audição normal, seu valor, em média, é de10-2 W/m 2 extremamente baixo-, de maneira que se pode dizer que a orelha humana tem grande sensibilidade para sons. Pela definição, a menor intensidade sonora percebida pelo ser humano (I 0 ) corresponde ao nível de intensidade zero. Ou seja, considerando I = I 0, tem-se: β = 10.logI 0 /I 0 ; β = 10.log1; β = 10.0; β = 0 db (pois log 10 1 = 0) O quador a seguir apresenta situações cotidianas e seus respectivos níveis de intensidade da sensação sonora.

5 Limiar da audição Brisa em folhas baixa baixa Ambiente hospitalar Ruído de escritório normal Aspirador de pó Rua congestionada Veículos pesados Cortador de grama sirene Limiar da dor britadeir a Intensidade média (w/m 2 ) Nível de intensidade sonora (db) Clasiificação suave moderado intenso Muito intenso ensurdecedor doloroso Dano físico Timbre Uma nota musical é uma onda simples, com frequência definida, mas devido a características da própria fonte (como seu tamanho, formato, materiais que a compõem, etc.), também são produzidas e emitidas simultaneamente pela mesma fonte ondas secundárias, chamadas harmônicas. Como resultado, a onda emitida pela onda sonora será formada pela superposição de todas as ondas produzidas no mesmo instante em que a fonte foi posta a vibrar. As ondas secundárias ou harmônicas são de dois tipos: fundamental som principal emitido pela fonte e superior sons chamados de segundos, terceiros, quartos harmônicos, etc. A frequência de uma nota musical é uma propriedade relacionada ao harmônico fundamental. Todas as vezes que uma fonte é posta a vibrar, ou seja, no momento em que o harmônico fundamental é emitido, ocorrem os harmônicos superiores. São as ondas secundárias que permitem a identificação da fonte sonora, funcionando assim como uma espécie de assinatura digital. Mesmo que se emita uma nota de harmônico fundamental comum a todos os instrumentos musicais, a onda resultante apresenta características relacionadas às propriedades do instrumento gerador do som. Tem-se, então, o timbre. Timbre é uma qualidade da onda sonora que permite diferenciar sons de mesma frequência produzidos por fontes distintas. O quadro abaixo apresenta (sem escala) alguns instrumentos musicais e suas formas de onda associadas a uma determinada nota musical emitida por todas. Referência Bibliográfica Física: Ensino médio, 2º ano/ Adriana Benetti Marques Válio.. (et al.)-1 ed- São Paulo: edições SM, 2009

CURCEP 2015 ACÚSTICA

CURCEP 2015 ACÚSTICA CURCEP 2015 ACÚSTICA FÍSICA B PROF.: BORBA INTRODUÇÃO É o segmento da Física que interpreta o comportamento das ondas sonoras audíveis frente aos diversos fenômenos ondulatórios. ONDA SONORA: Onda mecânica,

Leia mais

Já a velocidade do som na água é de 1450 metros por segundo (m/s), o que corresponde cerca de quatro vezes mais que no ar.

Já a velocidade do som na água é de 1450 metros por segundo (m/s), o que corresponde cerca de quatro vezes mais que no ar. O som Prof. lucasmarqui Como se produz o som? O Som é o resultado de uma vibração, que se transmite ao meio de propagação, provocando zonas de maior compressão de partícula e zonas de menor compressão

Leia mais

Ondas. Denomina-se onda o movimento causado por uma perturbação que se propaga através de um meio.

Ondas. Denomina-se onda o movimento causado por uma perturbação que se propaga através de um meio. Ondas Ondas Denomina-se onda o movimento causado por uma perturbação que se propaga através de um meio. Uma onda transmite energia sem o transporte de matéria. Classificação Quanto à natureza Ondas mecânicas:

Leia mais

1. O atributo que permite distinguir sons fortes de sons fracos chama-se: (A) Timbre. (B) Altura. (C) Intensidade.

1. O atributo que permite distinguir sons fortes de sons fracos chama-se: (A) Timbre. (B) Altura. (C) Intensidade. 1. O atributo que permite distinguir sons fortes de sons fracos chama-se: (A) Timbre. (B) Altura. (C) Intensidade. 2. Altura do som é o atributo que permite distinguir: (A) Sons puros de sons complexos.

Leia mais

Ondas Sonoras. Profo Josevi Carvalho

Ondas Sonoras. Profo Josevi Carvalho Ondas Sonoras Profo Josevi Carvalho INTRODUÇÃO É o ramo da Física que interpreta o comportamento das ondas sonoras audíveis frente aos diversos fenômenos ondulatórios. ONDA SONORA: Onda mecânica, longitudinal

Leia mais

Medidas da Onda Sonora Prof. Theo Z. Pavan

Medidas da Onda Sonora Prof. Theo Z. Pavan Medidas da Onda Sonora Prof. Theo Z. Pavan Física Acústica Aula 8 Energia transportada pelas ondas Ondas transportam energia. Intensidade I de uma onda: Potência transportada por unidade de área perpendicular

Leia mais

RELEMBRANDO ONDAS LONGITUDINAIS

RELEMBRANDO ONDAS LONGITUDINAIS ACÚSTICA ONDAS SONORAS Possuem origem MECÂNICAS. Propagam-se somente em meios materiais; Não se propagam no vácuo. O sistema auditivo de uma pessoa normal é sensibilizado por uma frequência entre 20Hz

Leia mais

ACÚSTICA. Professor Paulo Christakis, M.Sc. 05/09/2016 1

ACÚSTICA. Professor Paulo Christakis, M.Sc. 05/09/2016 1 ACÚSTICA 05/09/2016 1 O QUE É ACÚSTICA? Acústica é o ramo da Física que estuda a propagação das ondas sonoras. O som é originado a partir da vibração da matéria em camadas de compressão e rarefação, sendo

Leia mais

Fenómenos ondulatórios

Fenómenos ondulatórios Fenómenos ondulatórios Relação entre a velocidade de propagação da onda, o comprimento da onda e o período: v. f ou v T Reflexão de ondas Na reflexão de ondas, o ângulo de reflexão r é igual ao ângulo

Leia mais

Medidas da Onda Sonora Prof. Theo Z. Pavan

Medidas da Onda Sonora Prof. Theo Z. Pavan Medidas da Onda Sonora Prof. Theo Z. Pavan Física Acústica Aula 8 Energia transportada pelas ondas Ondas transportam energia. Intensidade I de uma onda: Potência transportada por unidade de área perpendicular

Leia mais

SOM. Para ouvir um som são necessários os seguintes elementos: PROPAGAÇÃO DO SOM

SOM. Para ouvir um som são necessários os seguintes elementos: PROPAGAÇÃO DO SOM SOM O som corresponde à vibração de partículas constituintes de um meio material elástico (onda sonora). Para termos uma sensação sonora é necessário que se produzam, pelo menos, vinte vibrações por segundo

Leia mais

Ondulatória Parte 1. Física_9 EF. Profa. Kelly Pascoalino

Ondulatória Parte 1. Física_9 EF. Profa. Kelly Pascoalino Ondulatória Parte 1 Física_9 EF Profa. Kelly Pascoalino Nesta aula: Introdução; Ondas mecânicas; Ondas sonoras. INTRODUÇÃO Ondas de vários tipos estão presentes em nossas vidas. Lidamos com os mais diversos

Leia mais

Som e Acústica Primeira parte: ondas sonoras

Som e Acústica Primeira parte: ondas sonoras Universidade de São Paulo Instituto de Física de São Carlos - IFSC FCM 208 Física (Arquitetura) Som e Acústica Primeira parte: ondas sonoras Prof. Dr. José Pedro Donoso Natureza do som O som é uma sensação

Leia mais

Como o maestro consegue distinguir tantos sons simultaneamente?

Como o maestro consegue distinguir tantos sons simultaneamente? Como o maestro consegue distinguir tantos sons simultaneamente? http://www.iicnewyork.esteri.it/iic_newyork/webform/..%5c..%5ciicmanager%5cupload%5cimg%5c%5cnewyork%5cfilarmonica_web.jpg Definindo onda

Leia mais

Ondulatória Parte 1. Física_9 EF. Profa. Kelly Pascoalino

Ondulatória Parte 1. Física_9 EF. Profa. Kelly Pascoalino Ondulatória Parte 1 Física_9 EF Profa. Kelly Pascoalino Nesta aula: Introdução; Ondas mecânicas; Ondas sonoras. INTRODUÇÃO Ondas de vários tipos estão presentes em nossas vidas. Lidamos com os mais diversos

Leia mais

O Som O som é uma onda mecânica, pois necessita de um meio material para se propagar. O Som. Todos os sons resultam de uma vibração (ou oscilação).

O Som O som é uma onda mecânica, pois necessita de um meio material para se propagar. O Som. Todos os sons resultam de uma vibração (ou oscilação). O Som Todos os sons resultam de uma vibração (ou oscilação). O Som O som é uma onda mecânica, pois necessita de um meio material para se propagar. As ondas sonoras são longitudinais. Resultam de compressões

Leia mais

PROVA DE FÍSICA 2 o TRIMESTRE DE 2015

PROVA DE FÍSICA 2 o TRIMESTRE DE 2015 PROVA DE FÍSICA 2 o TRIMESTRE DE 2015 PROF. VIRGÍLIO NOME Nº 9º ANO Olá, caro(a) aluno(a). Segue abaixo uma série de exercícios que têm, como base, o que foi trabalhado em sala de aula durante todo o ano.

Leia mais

Universidade de São Paulo Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Tecnologia da Arquitetura

Universidade de São Paulo Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Tecnologia da Arquitetura Universidade de São Paulo Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Tecnologia da Arquitetura AUT 0278 - Desempenho Acústico, Arquitetura e Urbanismo Som Ranny L. X. N. Michalski e-mail: rannyxavier@gmail.com

Leia mais

O SOM E A ONDA SONORA

O SOM E A ONDA SONORA O SOM E A ONDA SONORA Complementar com a leitura das páginas 94 a 101 Todos os sons são ondas em meios materiais. Na origem de qualquer onda sonora está sempre a vibração de partículas, que se transmite

Leia mais

Sistema Auditivo Humano

Sistema Auditivo Humano Sistema Auditivo Humano Tecnologias de Reabilitação Aplicações de Processamento de Sinal Constituição do Ouvido Humano JPT 2 1 Constituição do Ouvido Humano JPT 3 Constituição do Ouvido Humano O ouvido

Leia mais

ONDULATÓRIA. Neste capítulo vamos definir e classificar as ondas quanto à sua natureza e estudar alguns fenômenos ondulatórios.

ONDULATÓRIA. Neste capítulo vamos definir e classificar as ondas quanto à sua natureza e estudar alguns fenômenos ondulatórios. AULA 19 ONDULATÓRIA 1- INTRODUÇÃO Neste capítulo vamos definir e classificar as ondas quanto à sua natureza e estudar alguns fenômenos ondulatórios. 2- DEFINIÇÃO Onda é qualquer perturbação que se propaga

Leia mais

Ficha de Trabalho 3 Física e Química do 8ºAno

Ficha de Trabalho 3 Física e Química do 8ºAno Ficha de Trabalho 3 Física e Química do 8ºAno Ano Letivo:2013/2014 Data: janeiro de 2014 Som e Luz Professora: Neide Pimentel 1- Classifica as afirmações seguintes em verdadeiras (V) ou falsas (F). Corrige

Leia mais

Bioacústica. Maria Luisa da Silva UFPa Jacques Vielliard UNICAMP

Bioacústica. Maria Luisa da Silva UFPa Jacques Vielliard UNICAMP Bioacústica Maria Luisa da Silva UFPa silva.malu@uol.com.br Jacques Vielliard UNICAMP jacques@unicamp.br As bases físicas da comunicação sonora e da análise dos sinais sonoros O fenômeno acústico Os parâmetros

Leia mais

Ficha de Avaliação de FÍSICA Módulo RECUPERAÇÃO: F6 e E.F6 SOM E MÚSICA

Ficha de Avaliação de FÍSICA Módulo RECUPERAÇÃO: F6 e E.F6 SOM E MÚSICA Agrupamento de Escolas de Alvaiázere Sede: Escola Básica e Secundária Dr. Manuel Ribeiro Ferreira Curso Profissional de Técnico de Multimédia - 10º ano Ficha de Avaliação de FÍSICA Módulo RECUPERAÇÃO:

Leia mais

Boa Prova e... Aquele Abraço!!!!!!!! Virgílio.

Boa Prova e... Aquele Abraço!!!!!!!! Virgílio. PROVA DE FÍSICA 3 o TRIMESTRE DE 2015 PROF. VIRGÍLIO NOME Nº 9º ANO Olá, caro(a) aluno(a). Segue abaixo uma série de exercícios que têm, como base, o que foi trabalhado em sala de aula durante todo o ano.

Leia mais

CAMPUS CENTRO 2ª CERTIFICAÇÃO - SÉRIE: 3ª TURMAS: 1301, 1303, 1305 E

CAMPUS CENTRO 2ª CERTIFICAÇÃO - SÉRIE: 3ª TURMAS: 1301, 1303, 1305 E ALUNO(A): COLÉGIO PEDRO II CAMPUS CENTRO 2ª CERTIFICAÇÃO - SÉRIE: 3ª TURMAS: 1301, 1303, 1305 E 1307 EXERCÍCIOS DE FÍSICA Lista Complementar de Ondas (Acústica) com gabarito comentado PROFESSOR: OSMAR

Leia mais

A Somente I é correta. B Somente II é correta. C Todas estão corretas. D I e II estão corretas. E Somente III é correta.

A Somente I é correta. B Somente II é correta. C Todas estão corretas. D I e II estão corretas. E Somente III é correta. UECEVEST FÍSICA 2 ACÚSTICA PROF: ANDRADE QUESTÃO 01 Ondas de ultrassom são geradas por cristais oscilando rapidamente em um campo elétrico alternado e têm um alcance de frequência de mais de 20 khz. Durante

Leia mais

Psicoacústica. S = k. I / I. S = k. log I. Onde S é a sensação, I a intensidade do estímulo e k uma constante.

Psicoacústica. S = k. I / I. S = k. log I. Onde S é a sensação, I a intensidade do estímulo e k uma constante. 41 Capítulo 5 Psicoacústica A Psicoacústica estuda as sensações auditivas para estímulos sonoros. Trata dos limiares auditivos, limiares de dor, percepção da intensidade de da freqüência do som, mascaramento,

Leia mais

Correção da Trabalho de Grupo 1 Física e Química do 8ºAno

Correção da Trabalho de Grupo 1 Física e Química do 8ºAno Correção da Trabalho de Grupo 1 Física e Química do 8ºno no Letivo:2013/2014 Data: Janeiro 2014 Professora: Neide Pimentel 1- Classifica as afirmações seguintes em verdadeiras (V) ou falsas (F). Corrige

Leia mais

PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DO SOM 1.1. PRODUÇÃO, PROPAGAÇÃO E 1.1. PRODUÇÃO, PROPAGAÇÃO E RECEPÇÃO PRODUÇÃO, PROPAGAÇÃO E RECEPÇÃO DO SOM

PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DO SOM 1.1. PRODUÇÃO, PROPAGAÇÃO E 1.1. PRODUÇÃO, PROPAGAÇÃO E RECEPÇÃO PRODUÇÃO, PROPAGAÇÃO E RECEPÇÃO DO SOM 1. PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO Vivemos rodeados de sons que produzem em nós as mais variadas sensações Sons agradáveis: RECEPÇÃO Vivemos rodeados de sons que produzem em nós as mais variadas sensações Sons

Leia mais

Antes de prosseguir, um parêntesis...

Antes de prosseguir, um parêntesis... Antes de prosseguir, um parêntesis... Quando uma pessoa não ouve por problemas na cóclea, faz-se um implante cóclear. O aparelho de implante coclear não é um amplificador de som. Trata-se de um estimulador

Leia mais

Física. a) As intensidades da figura foram obtidas a uma distância r = 10 m da rodovia. Considere que a intensidade. do ruído sonoro é dada por I =

Física. a) As intensidades da figura foram obtidas a uma distância r = 10 m da rodovia. Considere que a intensidade. do ruído sonoro é dada por I = Física Revisão Prova bimestral 3 os anos Julio jun/11 Nome: Nº: Turma: 1. (Unicamp) O ruído sonoro nas proximidades de rodovias resulta, predominantemente, da compressão do ar pelos pneus de veículos que

Leia mais

O Espetro Sonoro é o conjunto de frequências de vibração que podem ser produzidas pelas diversas fontes sonoras:

O Espetro Sonoro é o conjunto de frequências de vibração que podem ser produzidas pelas diversas fontes sonoras: O Espetro Sonoro O Espetro Sonoro é o conjunto de frequências de vibração que podem ser produzidas pelas diversas fontes sonoras: Imagem do livro "FQ8 - Sustentabilidade na Terra - Edições ASA". Sons Audíveis

Leia mais

PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE RUIDO EM AMBIENTES INTERNOS.

PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE RUIDO EM AMBIENTES INTERNOS. PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE RUIDO EM AMBIENTES INTERNOS. Prof. Msc. Lucas C. Azevedo Pereira ALTAMIRA/PA 04 de novembro de 2016 A ACÚSTICA é a ciência do som, incluindo sua produção, transmissão e efeitos.

Leia mais

Ana Gonçalves. Curso: TSHT- Técnico de Segurança e Higiene no trabalho UFCD: Unidade de Formação de Curta Duração

Ana Gonçalves. Curso: TSHT- Técnico de Segurança e Higiene no trabalho UFCD: Unidade de Formação de Curta Duração Módulo: 3779- Agentes Físicos Formadora: Susana Ricardo Agentes Físicos: Entidade, imaterial ou com um mínimo de matéria, capaz de produzir efeitos adversos no organismo. O dano produz sem que haja um

Leia mais

ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO

ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO ACÚSTICA DA EDIFICAÇÃO Profa. Dr.-Ing. Erika Borges Leão Disciplina ministrada ao IX semestre do curso de Engenharia Civil Universidade do Estado de Mato Grosso Campus Sinop/MT FREQUENCIA UMA OITAVA E

Leia mais

Introdução. Utilização de uma escala logarítmica. Entre o limiar inferior e o superior da audição (sensação dolorosa) existe uma diferença de 130 db.

Introdução. Utilização de uma escala logarítmica. Entre o limiar inferior e o superior da audição (sensação dolorosa) existe uma diferença de 130 db. Introdução Utilização de uma escala logarítmica Entre o limiar inferior e o superior da audição (sensação dolorosa) existe uma diferença de 130 db. Introdução Introdução Utilização de uma escala logarítmica

Leia mais

Propriedades e características do som

Propriedades e características do som Propriedades e características do som Todo e qualquer som tem sua origem no movimento vibratório de algum meio material. Por exemplo, quando um músico dedilha as cordas de um violão, elas são postas a

Leia mais

ONDULATÓRIA. Neste capítulo vamos definir e classificar as ondas quanto à sua natureza e estudar alguns fenômenos ondulatórios.

ONDULATÓRIA. Neste capítulo vamos definir e classificar as ondas quanto à sua natureza e estudar alguns fenômenos ondulatórios. AULA 19 ONDULATÓRIA 1- INTRODUÇÃO Neste capítulo vamos definir e classificar as ondas quanto à sua natureza e estudar alguns fenômenos ondulatórios. 2- DEFINIÇÃO Onda é qualquer perturbação que se propaga

Leia mais

Receptores. Estímulo SNC. Células ciliadas da cóclea CODIFICAÇÃO TRANSDUÇÃO NVIII

Receptores. Estímulo SNC. Células ciliadas da cóclea CODIFICAÇÃO TRANSDUÇÃO NVIII SISTEMA AUDITIVO Estímulo Receptores NVIII SNC Som Células ciliadas da cóclea CODIFICAÇÃO TRANSDUÇÃO Fisiologia Básica, R. Curi, J. Procópio Som Ondas Sonoras Ondas Sonoras Espectro Audível 20-20.000 Hz

Leia mais

Universidade de São Paulo Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Tecnologia da Arquitetura

Universidade de São Paulo Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Tecnologia da Arquitetura Universidade de São Paulo Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Departamento de Tecnologia da Arquitetura AUT 0278 - Desempenho Acústico, Arquitetura e Urbanismo Som Ranny L. X. N. Michalski e-mail: rannyxavier@gmail.com

Leia mais

Introdução. Utilização de uma escala logarítmica. Entre o limiar inferior e o superior da audição (sensação dolorosa) existe uma diferença de 130 db.

Introdução. Utilização de uma escala logarítmica. Entre o limiar inferior e o superior da audição (sensação dolorosa) existe uma diferença de 130 db. Introdução Utilização de uma escala logarítmica Entre o limiar inferior e o superior da audição (sensação dolorosa) existe uma diferença de 130 db. Introdução Introdução Utilização de uma escala logarítmica

Leia mais

PRESSÃO SONORA MOLÉCULAS DE AR AR P5. P at. = S n Pi i=1 PRESSÃO ATMOSFÉRICA PRESSÃO SONORA P.S. (ESTIMULO) (EFEITO) + ΔP. P.S. = P at GERAÇÃO DO SOM

PRESSÃO SONORA MOLÉCULAS DE AR AR P5. P at. = S n Pi i=1 PRESSÃO ATMOSFÉRICA PRESSÃO SONORA P.S. (ESTIMULO) (EFEITO) + ΔP. P.S. = P at GERAÇÃO DO SOM PRESSÃO SONORA MOLÉCULAS DE AR AR P5 P3 P7 P8 P2 Pn P6 P4 P at P1 P at = S n Pi i=1 PRESSÃO ATMOSFÉRICA PRESSÃO SONORA ΔP AR C R C R P.S. (ESTIMULO) +P t (EFEITO) -P P.S. = P at + ΔP GERAÇÃO DO SOM 1 A

Leia mais

ONDAS. Ondas Longitudinais: Ondas Transversais: Ondas Eletromagnéticas: Ondas Mecânicas:

ONDAS. Ondas Longitudinais: Ondas Transversais: Ondas Eletromagnéticas: Ondas Mecânicas: ONDAS Uma onda é uma perturbação oscilante de alguma grandeza física no espaço e periódica no tempo. Fisicamente, uma onda é um pulso energético que se propaga através do espaço ou através de um meio (líquido,

Leia mais

Observação: As ondas são as que antecedem, a perturbação formada de espumas, há o transporte de energia e a oscilação, não há o transporte da matéria.

Observação: As ondas são as que antecedem, a perturbação formada de espumas, há o transporte de energia e a oscilação, não há o transporte da matéria. ONDAS Para a Física, a onda é uma perturbação que se propaga no espaço ou em qualquer outro meio. Elas são classificadas em relação à natureza, direção e energia de propagação. Definição: As ondas são

Leia mais

Capítulo 17 Ondas II. Neste capítulo vamos estudar ondas sonoras e concentrar-se nos seguintes tópicos:

Capítulo 17 Ondas II. Neste capítulo vamos estudar ondas sonoras e concentrar-se nos seguintes tópicos: Capítulo 17 Ondas II Neste capítulo vamos estudar ondas sonoras e concentrar-se nos seguintes tópicos: Velocidade de ondas sonoras Relação entre deslocamento e amplitude Interferência da onda de som Intensidade

Leia mais

ONDULATÓRIA II : INTERFERÊNCIA / ACÚSTICA E ONDAS HARMÔNICAS

ONDULATÓRIA II : INTERFERÊNCIA / ACÚSTICA E ONDAS HARMÔNICAS 1. (Fac. Albert Einstein - Medicina 016) Em 1816 o médico francês René Laënnec, durante um exame clínico numa senhora, teve a ideia de enrolar uma folha de papel bem apertada e colocar seu ouvido numa

Leia mais

CAPÍTULO VII ONDAS MECÂNICAS

CAPÍTULO VII ONDAS MECÂNICAS CAPÍTULO VII ONDAS MECÂNICAS 7.1. INTRODUÇÃO As ondas mecânicas são fenómenos ondulatórios que necessitam de um meio material para se propagarem. Como exemplos destas ondas, vamos estudar neste capítulo

Leia mais

ONDAS SONORAS - Mecânicas - Longitudinais

ONDAS SONORAS - Mecânicas - Longitudinais ONDAS SONORAS - Mecânicas - Longitudinais CONCEITOS FUNDAMENTAIS Fonte Sonora: ponto a partir do qual são emitidas as ondas sonoras, em todas as direções; Frentes de Ondas: superfícies nas quais as ondas

Leia mais

P7 Ondas estacionárias, ressonância e produção da voz. Ficha resolvida

P7 Ondas estacionárias, ressonância e produção da voz. Ficha resolvida P7 Ondas estacionárias, ressonância e produção da voz Ficha resolvida 1. Numa onda estacionária numa coluna fechada numa das extremidades a) O número de nodos é sempre inferior ao número de antinodos b)

Leia mais

1ª Lista de Exercícios de Física 3 Ano

1ª Lista de Exercícios de Física 3 Ano 1ª Lista de Exercícios de Física 3 Ano Prof Lauro Campos (março 2017) Estudo das Ondas Acústica Corrente Elétrica 1. Complete os trechos: a) As ondas luminosas quanto à sua natureza são pois se propagam

Leia mais

Interbits SuperPro Web

Interbits SuperPro Web 1. (Fuvest 2014) O Sr. Rubinato, um músico aposentado, gosta de ouvir seus velhos discos sentado em uma poltrona. Está ouvindo um conhecido solo de violino quando sua esposa Matilde afasta a caixa acústica

Leia mais

O que são s o ondas sonoras? Ondas? Mecânicas? Longitudinais? O que significa?

O que são s o ondas sonoras? Ondas? Mecânicas? Longitudinais? O que significa? Movimento Ondulatório Fisíca Aplicada a Imaginologia - 115 O que são s o ondas sonoras? São ondas mecânicas, longitudinais que podem se propagar em sólidos, líquidos e gases. Ondas? Mecânicas? Longitudinais?

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO Educação do jeito que deve ser 3ª PROVA PARCIAL DE FÍSICA QUESTÕES FECHADAS

COLÉGIO XIX DE MARÇO Educação do jeito que deve ser 3ª PROVA PARCIAL DE FÍSICA QUESTÕES FECHADAS COLÉGIO XIX DE MARÇO Educação do jeito que deve ser 2016 3ª PROVA PARCIAL DE FÍSICA QUESTÕES FECHADAS Aluno(a): Nº Ano: 2º Turma: Data: 24/11/2016 Nota: Professor(a): Pâmella Duarte Valor da Prova: 20

Leia mais

O Papel do Vidro no Conforto Acústico Palestra:

O Papel do Vidro no Conforto Acústico Palestra: O Papel do Vidro no Conforto Acústico Palestra: Remy Dufrayer Carlos Henrique Mattar O Papel do Vidro no Conforto Acústico Palestra: Remy Dufrayer Carlos Henrique Mattar Agenda Conceitos de Acústica Conforto

Leia mais

Exercícios de Revisão Global 3º Bimestre

Exercícios de Revisão Global 3º Bimestre Exercícios de Revisão Global 3º Bimestre 1. Um aluno está olhando de frente para uma superfície metálica totalmente polida. Explique como o aluno se enxerga e qual o nome deste fenômeno? A explicação está

Leia mais

Planificação 2º Período GR Disciplina Ciências Físico-Químicas 8ºAno

Planificação 2º Período GR Disciplina Ciências Físico-Químicas 8ºAno Planificação 2º Período GR 510 - Disciplina Ciências Físico-Químicas 8ºAno Conteúdos Capítulo 1- Som 1.1- Produção do som 1.1.1. A origem do 1.1.2. Atributos do Competências Gerais Mobilizar saberes culturais,

Leia mais

1. (Ufrgs 2007) Considere as seguintes afirmações a respeito de ondas sonoras.

1. (Ufrgs 2007) Considere as seguintes afirmações a respeito de ondas sonoras. 8º lista-qualidades do som 1. (Ufrgs 007) Considere as seguintes afirmações a respeito de ondas sonoras. I - A onda sonora refletida em uma parede rígida sofre inversão de fase em relação à onda incidente.

Leia mais

Os sons e a audição. Breve descrição da forma como percebemos os sons e de como funciona a audição

Os sons e a audição. Breve descrição da forma como percebemos os sons e de como funciona a audição Os sons e a audição 1 Breve descrição da forma como percebemos os sons e de como funciona a audição Esta brochura é o número 1 de uma série da Widex sobre audição e aparelhos auditivos. O que são sons?

Leia mais

Prof. Douglas Lima. Física

Prof. Douglas Lima. Física Física Índice Conceito de onda Classificação das ondas Elementos de uma onda Período e frequência de uma onda Conceito de ondas Classificação da onda quanto à natureza Classificação da onda quanto à forma

Leia mais

Partes do Violão 1- Tampo 2- Rastilho 3- Cavalete 4- Boca ou Bocal

Partes do Violão 1- Tampo 2- Rastilho 3- Cavalete 4- Boca ou Bocal Partes da guitarra Basicamente, os modelos dos instrumentos que iremos abordar são os mais tradicionais, em se tratando da guitarra, nós temos o modelo strato, que é o mais versátil modelo de guitarra

Leia mais

O DECIBEL INTRODUÇÃO TEÓRICA

O DECIBEL INTRODUÇÃO TEÓRICA O DECIBEL OBJETIVOS: a) conhecer o decibel como unidade de relação entre potências ou tensões elétricas; b) conhecer níveis de referência de tensão e potência elétricas através da unidade de medida decibel;

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS 3º Teste sumativo de FQA 14. Dez Versão 1

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS 3º Teste sumativo de FQA 14. Dez Versão 1 ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS 3º Teste sumativo de FQA 14. Dez. 2015 Versão 1 11º Ano Turma A e B Duração da prova: 90 minutos. Este teste é constituído por 10 páginas e termina na palavra FIM Nome:

Leia mais

Atividade experimental: Propriedades e características do som

Atividade experimental: Propriedades e características do som Atividade experimental: Propriedades e características do som O som é uma onda mecânica que se propaga em um meio material e é caracterizado pelas grandezas altura, intensidade e timbre. Nas atividades

Leia mais

b) a luz proveniente dos objetos dentro da vitrine está polarizada e a luz refletida pelo vidro não está polarizada.

b) a luz proveniente dos objetos dentro da vitrine está polarizada e a luz refletida pelo vidro não está polarizada. 1 - (UFRN-RN) As fotografias 1 e 2, mostradas a seguir, foram tiradas da mesma cena. A fotografia 1 permite ver, além dos objetos dentro da vitrine, outros objetos que estão fora dela (como, por exemplo,

Leia mais

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 1º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos: Ondas Sonoras e Acústica

Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 1º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos: Ondas Sonoras e Acústica Sala de Estudos FÍSICA Lucas 3 trimestre Ensino Médio 1º ano classe: Prof.LUCAS Nome: nº Sala de Estudos: Ondas Sonoras e Acústica 1. (Unicamp 2007) O nível sonoro S é medido em decibéis (db) de acordo

Leia mais

O SOM SE PROPAGA NO VÁCUO? CONTEÚDOS Ondas sonoras

O SOM SE PROPAGA NO VÁCUO? CONTEÚDOS Ondas sonoras O SOM SE PROPAGA NO VÁCUO? CONTEÚDOS Ondas sonoras AMPLIANDO SEUS CONHECIMENTOS No capítulo Ondas em toda a parte...até no vácuo, você obteve informações para responder ao questionamento sobre o que seria

Leia mais

ONDAS SONORAS. Nesta aula estudaremos ondas sonoras e nos concentraremos nos seguintes tópicos:

ONDAS SONORAS. Nesta aula estudaremos ondas sonoras e nos concentraremos nos seguintes tópicos: ONDAS SONORAS Nesta aula estudaremos ondas sonoras e nos concentraremos nos seguintes tópicos: Velocidade das ondas sonoras. Relação entre a amplitude do deslocamento e a pressão. Interferência de ondas

Leia mais

29/05/14. Exemplos : Ondas em cordas, ondas na superfície de um líquido, ondas sonoras, etc.

29/05/14. Exemplos : Ondas em cordas, ondas na superfície de um líquido, ondas sonoras, etc. Classificação das ondas Natureza Ondas Mecânicas Ondas Eletromagnéticas Modo de vibração Transversais Longitudinais Dimensão Unidimensionais Bidimensionais Tridimensionais Natureza das ondas Natureza das

Leia mais

8.2. Na extremidade de uma corda suficientemente longa é imposta uma perturbação com frequência f = 5 Hz que provoca uma onda de amplitude

8.2. Na extremidade de uma corda suficientemente longa é imposta uma perturbação com frequência f = 5 Hz que provoca uma onda de amplitude Constantes Velocidade do som no ar: v som = 344 m /s Velocidade da luz no vácuo c = 3 10 8 m/s 8.1. Considere uma corda de comprimento L e densidade linear µ = m/l, onde m é a massa da corda. Partindo

Leia mais

Sons harmónicos; Sons complexos; Frequência; Amplitude; Período; Especto sonoro

Sons harmónicos; Sons complexos; Frequência; Amplitude; Período; Especto sonoro Ficha do professor AL 2.1. CARACTERÍSTICAS DO SOM Autora: Fernanda Neri TI-Nspire Palavras-chave: Sons harmónicos; Sons complexos; Frequência; Amplitude; Período; Especto sonoro Ficheiros associados: Característica

Leia mais

TRANSMISSÃO DE DADOS

TRANSMISSÃO DE DADOS TRANSMISSÃO DE DADOS Aula 2: Dados e sinais Notas de aula do livro: FOROUZAN, B. A., Comunicação de Dados e Redes de Computadores, MCGraw Hill, 4ª edição Prof. Ulisses Cotta Cavalca

Leia mais

Antonio Newton Borges Clóves Gonçalves Rodrigues

Antonio Newton Borges Clóves Gonçalves Rodrigues Antonio Newton Borges Clóves Gonçalves Rodrigues Editora Livraria da Física São Paulo 2017 Copyrigth 2017 Editora Livraria da Física 1ª. Edição Editor: José Roberto Marinho Projeto gráfico e diagramação:

Leia mais

FIS01183 Prova 3 Semestre 2010/1 Turma H/HH. Em todas as questões explicite seu raciocínio e os cálculos realizados. Boa prova!

FIS01183 Prova 3 Semestre 2010/1 Turma H/HH. Em todas as questões explicite seu raciocínio e os cálculos realizados. Boa prova! FIS01183 Prova 3 Semestre 2010/1 Turma H/HH Nome: Matrícula: Em todas as questões explicite seu raciocínio e os cálculos realizados. Boa prova! 1. O experimento de ondas na corda realizado em laboratório

Leia mais

Módulo I. Som e Luz MARILIA CARMEN DA SILVA SOARES ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE VILA FRANCA DO CAMPO ANO LETIVO 2016/2017

Módulo I. Som e Luz MARILIA CARMEN DA SILVA SOARES ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE VILA FRANCA DO CAMPO ANO LETIVO 2016/2017 ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE VILA FRANCA DO CAMPO ANO LETIVO Módulo I Som e Luz MARILIA CARMEN DA SILVA SOARES EXERCÍCIOS 1 TESTA OS TEUS CONHECIMENTOS I 1. Completa os espaços da figura com termos relacionados

Leia mais

t = tempo A = amplitude f = frequência

t = tempo A = amplitude f = frequência VIBRAÇÕES E ONDAS Uma vibração ou oscilação é caracterizada pela repetição de movimentos. Um sistema vibrante é caracterizado pela amplitude do movimento e pelo período de oscilação. Estas quantidade serão

Leia mais

Assunto: Ondulatória / Acústica

Assunto: Ondulatória / Acústica ESCOLA ESTADUAL DE ENS. FUND. E MÉDIO AUGUSTO MEIRA DIRETOR: TURMA: PROFESSOR: TURNO: DISCIPLINA: DATA: / / NOME: Nº: Assunto: Ondulatória / Acústica Ondulatória 1. Ondas é toda perturbação que se propaga

Leia mais

Aula-6 Ondas IΙ. Física Geral IV - FIS503 1º semestre, 2017

Aula-6 Ondas IΙ. Física Geral IV - FIS503 1º semestre, 2017 Aula-6 Ondas IΙ Física Geral IV - FIS503 1º semestre, 2017 Interferência Duas ondas de amplitudes (A) iguais: y1 (x, t ) = Asin(kx ωt ) y2 (x, t ) = Asin(kx ωt + φ ) y(x, t ) = y1 (x, t ) + y2 (x, t )

Leia mais

Física II. Capítulo 04 Ondas. Técnico em Edificações (PROEJA) Prof. Márcio T. de Castro 22/05/2017

Física II. Capítulo 04 Ondas. Técnico em Edificações (PROEJA) Prof. Márcio T. de Castro 22/05/2017 Física II Capítulo 04 Ondas Técnico em Edificações (PROEJA) 22/05/2017 Prof. Márcio T. de Castro Parte I 2 Ondas Ondas: é uma perturbação no espaço, periódica no tempo. 3 Classificação quanto à Natureza

Leia mais

UNIDADE 2 - Comunicações

UNIDADE 2 - Comunicações ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE VELAS Física e Química A 11º ano UNIDADE 2 - Comunicações 1 Comunicações de Informação a curtas distâncias Introdução Comunicar foi desde sempre importante para todos os seres

Leia mais

Som e Acústica Primeira parte: ondas sonoras

Som e Acústica Primeira parte: ondas sonoras Universidade de São Paulo Instituto de Física de São Carlos - IFSC FCM 208 Física (Arquitetura) Som e Acústica Primeira parte: ondas sonoras Prof. Dr. José Pedro Donoso Agradescimentos Os docentes da disciplina

Leia mais

Diego Ricardo Sabka Classificação das Ondas

Diego Ricardo Sabka Classificação das Ondas Classificação das Ondas Classificação das Ondas Meio de Propagação: - Mecânica; - Eletromagnética; Direção de Oscilação: - Transversal; - Longitudinal; - Mistas; Direção de Propagação: - Unidimensional;

Leia mais

FUNDAÇÃO ESCOLA TÉCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA Projeto para Trabalho Trimestral de Física

FUNDAÇÃO ESCOLA TÉCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA Projeto para Trabalho Trimestral de Física FUNDAÇÃO ESCOLA TÉCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA Projeto para Trabalho Trimestral de Física Curso: Mecânica Turma: 3111 Data: 29/08/2008 Sala : 275 Aluno:Augusto Haubrich n : 02 Aluno: Daniel Rudolph

Leia mais

Estudo das ondas. Modelo corpuscular de transferência de energia. v 1. v = 0. v 2. Antes do choque. Depois do choque

Estudo das ondas. Modelo corpuscular de transferência de energia. v 1. v = 0. v 2. Antes do choque. Depois do choque Estudo das ondas Estudo das ondas Modelo corpuscular de transferência de energia v = 0 v 1 v v 2 Antes do choque Depois do choque Estudo das ondas Modelo ondulatório A Pulso da onda B Modelo ondulatório

Leia mais

Física. Setor A. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 23 (pág. 78) AD TM TC. Aula 24 (pág. 79) AD TM TC. Aula 25 (pág.

Física. Setor A. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 23 (pág. 78) AD TM TC. Aula 24 (pág. 79) AD TM TC. Aula 25 (pág. Física Setor A Prof.: Índice-controle de Estudo Aula 3 (pág. 78) AD M C Aula (pág. 79) AD M C Aula 5 (pág. 79) AD M C Aula 6 (pág. 8) AD M C Aula 7 (pág. 8) AD M C Aula 8 (pág. 83) AD M C Revisanglo Semi

Leia mais

INVESTIGAR AS EMISSÕES OTOACÚSTICAS PRODUTO DE DISTORÇÃO EM TRABALHADORES DE UMA MADEREIRA DO INTERIOR DO PARANÁ

INVESTIGAR AS EMISSÕES OTOACÚSTICAS PRODUTO DE DISTORÇÃO EM TRABALHADORES DE UMA MADEREIRA DO INTERIOR DO PARANÁ INVESTIGAR AS EMISSÕES OTOACÚSTICAS PRODUTO DE DISTORÇÃO EM TRABALHADORES DE UMA MADEREIRA DO INTERIOR DO PARANÁ Jéssica Padilha Santos (PIBIC/CNPq-UNICENTRO - ESCOLHER PROGRAMA), Juliana De Conto(Orientador),

Leia mais

O que caracteriza um som?

O que caracteriza um som? O que caracteriza um som? As características de uma onda sonora são conectadas com os conceitos físicos originários da observação de Fenômenos Periódicos, tal como o Movimento Circular Uniforme (MCU) e

Leia mais

1ª Ficha de Avaliação Física e Química do 8ºAno. Ano Letivo:2013/2014 Data: 7/11/2013 Prof: Paula Silva

1ª Ficha de Avaliação Física e Química do 8ºAno. Ano Letivo:2013/2014 Data: 7/11/2013 Prof: Paula Silva 1ª Ficha de Avaliação Física e Química do 8ºAno Ano Letivo:2013/2014 Data: 7/11/2013 Prof: Paula Silva Critérios de Correção 8ºH 1... 3 pontos O pai da Mafalda para falar correctamente de um ponto de vista

Leia mais

1ª Ficha de Avaliação Física e Química do 8ºAno. Ano Letivo:2013/2014 Data: 5/11/2013 Prof: Paula Silva

1ª Ficha de Avaliação Física e Química do 8ºAno. Ano Letivo:2013/2014 Data: 5/11/2013 Prof: Paula Silva 1ª Ficha de Avaliação Física e Química do 8ºAno Ano Letivo:2013/2014 Data: 5/11/2013 Prof: Paula Silva Critérios de Correção 8ºF 1... 4 pontos O pai da Mafalda para falar correctamente de um ponto de vista

Leia mais

Apostila 8 Setor B. Aulas 37 e 38. Página 150. G n o m o

Apostila 8 Setor B. Aulas 37 e 38. Página 150. G n o m o Apostila 8 Setor B Aulas 37 e 38 FENÔMENOS Página 150 ONDULATÓRIOS G n o m o Frentes de Onda a) Fonte pontual b) Fonte reta Reflexão 1ª lei: o raio incidente, a reta normal no ponto de incidência e o raio

Leia mais

Uma proposta para o ensino dos modos normais das cordas vibrante

Uma proposta para o ensino dos modos normais das cordas vibrante UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Instituto de Física Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física Mestrado Profissional em Ensino de Física Uma proposta para o ensino dos modos normais das cordas

Leia mais

Formatos de Áudio e Vídeo Digital Introdução ao Áudio Digital

Formatos de Áudio e Vídeo Digital Introdução ao Áudio Digital Redes Multimídia 2016.2 Formatos de Áudio e Vídeo Digital Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Turma: TEC.SIS.4T Redes Multimídia Conteúdo Programático :: 1 a Unidade 1. Aplicações multimídia

Leia mais

CAPÍTULO 08/ MÓDULO 01: ONDAS.

CAPÍTULO 08/ MÓDULO 01: ONDAS. FÍSICA PROF. HELTON CAPÍTULO 08/ MÓDULO 01: ONDAS. MOVIMENTO PERIÓDICO Um fenômeno é periódico quando se repete identicamente em intervalos de tempos iguais. Exemplos: DEFINIÇÕES: Amplitude: distância

Leia mais

Princípio da superposição

Princípio da superposição Princípio da superposição x t e 1 y x, t y, Duas ondas : SE as duas ondas existem numa corda simultaneamente, x t y x, t y x t y,, 1 Onda resultante Consequência direta do ato da Equação da Onda ser uma

Leia mais

21-12-2015. Sumário. Comunicações. O som uma onda mecânica longitudinal

21-12-2015. Sumário. Comunicações. O som uma onda mecânica longitudinal 24/11/2015 Sumário UNIDADE TEMÁTICA 2. 1.2 - O som uma onda mecânica longitudinal. - Produção e propagação de um sinal sonoro. - Som como onda mecânica. - Propagação de um som harmónico. - Propriedades

Leia mais

Propagação da onda sonora Prof. Theo Z. Pavan

Propagação da onda sonora Prof. Theo Z. Pavan Propagação da onda sonora Prof. Theo Z. Pavan Física Acústica Aula 6 Definição de onda sonora Denomina-se onda ao movimento das partículas causado por uma perturbação que se propaga através de um meio.

Leia mais

Polarização de Ondas

Polarização de Ondas Polarização de Ondas 1. polarização de Ondas. Considere uma onda transversal se propagando numa corda, na qual as direções de oscilação são totalmente aleatórias. Após a passagem da onda pela fenda, a

Leia mais

Três características diferem os sinais sonoros: a altura do som, a intensidade e o timbre.

Três características diferem os sinais sonoros: a altura do som, a intensidade e o timbre. Três características diferem os sinais sonoros: a altura do som, a intensidade e o timbre. A altura do som relaciona-se com a freqüência (audível 20 Hz a 20 khz). Um som mais baixo (respect. alto) é mais

Leia mais

CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS

CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS Lista de Exercícios Física (Recuperação) / 2º ano Professor(a): Kamilla Data: / dezembro / 2016. De sonhos e Aluno(a): 01 -Técnicos em acústica utilizam o caráter

Leia mais

ESPECIALIZAÇAO EM CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO ACÚSTICA

ESPECIALIZAÇAO EM CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO ACÚSTICA ESPECIALIZAÇAO EM CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO ACÚSTICA INTRODUÇÃO É o segmento da Física que interpreta o comportamento das ondas sonoras audíveis frente aos diversos fenômenos ondulatórios. Acústica

Leia mais