ESCALA DE AVALIAÇÃO DAS DEFICIENCIAS MOTORAS E DA INCAPACIDADE (SCOPA-Motor) A. Avaliação Motora

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESCALA DE AVALIAÇÃO DAS DEFICIENCIAS MOTORAS E DA INCAPACIDADE (SCOPA-Motor) A. Avaliação Motora"

Transcrição

1 ESCALA DE AVALIAÇÃO DAS DEFICIENCIAS MOTORAS E DA INCAPACIDADE (SCOPA-Motor) A. Avaliação Motora Exame clínico [no momento da visita] 1. Tremor de repouso Avaliar cada braço separadamente durante 20 segundos; as mãos devem descansar sobre as coxas; se o tremor não é evidente em repouso trate de fixar a atenção do paciente, p. Ex. peça-lhe que conte de trás para frente de olhos fechados. 1 = pequena amplitude (< 1cm), presente espontaneamente ou obtido somente quando o paciente está atento (qualquer amplitude) 2 = moderada amplitude (1-4 cm), presente espontaneamente 3 = grande amplitude ( 4 cm), presente espontaneamente 2. Tremor postural Avaliar com os braços estendidos à frente, pronados ou semipronados com os dedos índices de ambas as mãos quase tocando um com o outro (cotovelos fletidos). Avaliar cada por 20 segundos. 1 = pequena amplitude (< 1cm) 2 = moderada amplitude (1-4 cm) 3 = grande amplitude ( 4 cm) 3. Movimentos alternantes rápidos das mãos Movimentos alternantes rápidos de pronação e supinação da mão situada acima, atingindo (com a palma e o dorso) a palma da mão situada debaixo na horizontal, durante 20 segundos. Avaliar cada mão separadamente. 1 = execução lenta, ou lentidão discreta e/ou redução em amplitude 2 = cansaço ou fatiga clara e precoce; pode haver detenções ocasionais 3 = dificuldade ou hesitação para iniciar o movimento ou frequentes interrupções durante a realização dos movimentos, ou apenas pode realizar a ação.

2 4. Rigidez Avaliar os movimentos passivos de cotovelos e punhos em toda a amplitude de movimento enquanto o paciente permanece relaxado e assentado. Ignorar a rigidez em roda denteada. Avaliar cada braço em separado. 1 = discreta rigidez, sem dificuldade para atingir as posições extremas da amplitude de movimento 2 = moderada rigidez, com certa dificuldade para atingir as posições extremas 3 = intensa rigidez, com dificuldades consideráveis para alcançar as posições extremas A PARTIR DAQUI, SINALIZE COM UMA MARCA A RESPOSTA ESCOLHIDA 5. Levantar-se da cadeira Instrui-se ao paciente para cruzar os braços sobre o peito. Utilize uma cadeira com encosto reto. 1 = com lentidão; não necessita os braços para levantar-se 2 = necessita os braços para levantar-se (pode levantar-se sem ajuda) 3 = incapaz de levantar sem ajuda 6. Instabilidade postural Coloque-se atrás do paciente e puxe-o (pelos ombros) para trás enquanto permanece em pé, com os olhos abertos e os pés discretamente separados. Não se avisa o paciente. ; pode dar até dois passos para se recuperar 1 = dá 3 ou mais passos; se recupera sem ajuda 2 = cairia se não fosse amparado 3 = tendência espontânea a cair ou incapaz de ficar de pé

3 7. Marcha Avaliar o padrão de marcha, utilizar auxílios para marcha ou oferecer ajuda caso necessário. 1 = lentidão discreta e/ou redução da altura ou comprimento do passo. Não arrasta os pés 2 = alentecimento intenso ou arrastra os pés ou tem festinação 3 = incapaz de caminhar 8. Fala 1 = perda discreta de expressão, dicção ou volume 2 = fala arrastada ou gagueira; nem sempre inteligível 3 = inintelígivel sempre ou a maior parte do tempo Informação através de entrevista 9. Congelamentos em on A congelação se caracteriza por hesitação ou dificuldade de iniciar a marcha ou pode parecer como colado ao chão durante a marcha. 1 = hesitação no início apenas; presente de forma ocasional 2 = hesitação no início frequente; pode haver congelamentos no caminhar 3 = congelamentos intensos no caminhar 10. Deglutição 1 = certo grau de dificuldade ou lentidão; não se engasga. Dieta normal 2 = às vezes se engasga; pode requerer alimentos brandos 3 = se engasga com frequencia; pode requerer alimentos brandos ou algum método alternativo de alimentação Avaliação Motora /42 B. Atividades de Vida Diária 11. Fala 1 = alguma dificuldade; às vezes há que pedir para que repita a frase 2 = bastante dificuldade; frequentemente há que pedir que repita a frase 3 = ininteligível a maior parte do tempo

4 12. Alimentação (cortar alimentos, servir-se um copo, etc.) 2 = bastante dificuldade; necessita certa ajuda 13. Vestuário 2 = bastante dificuldade; necessita certa ajuda (p. ex., para abotoar, introduzir os braços nas mangas) 14. Higiene (lavar, pentear, barbear, escovar os dentes, utilizar o vaso sanitário) 2 = bastante dificuldade; necessita certa ajuda 15. Mudanças de (rolar na cama, levantar da cama, levantar de uma cadeira, girar estando de pé) para nenhuma mudança de 2 = bastante dificuldade; pode necessitar ajuda para uma ou mais mudanças de para uma ou mais mudanças de 16. Caminhar 1 = alguma dificuldade ou lentidão; não necessita auxílio, aparelhos nem ajuda pessoal 2 = bastante dificuldade; pode necessitar ajuda de auxílios ou pessoal 3 = incapaz de caminhar ou caminha somente com ajuda e grande esforço 17. Escrita manual 1 = alguma dificuldade (p. ex., lenta, letras pequenas); todas as palavras são legíveis 2 = bastante dificuldade; nem todas as palavras são legíveis; pode necessitar escrever com maiúsculas 3 = a maior parte das palavras são ilegíveis Atividades da Vida Diária /21

5 C. Complicações Motoras 18. Discinesias (presença) 1 = presentes em algum momento 2 = presentes durante bastante tempo 3 = presentes a maior parte ou todo o tempo 19. Discinesias (intensidade) 1 = de pequena amplitude 2 = de moderada amplitude 3 = de grande amplitude 20. Flutuações motoras (presença de períodos off ) 1 = presentes em algum momento 2 = presentes durante bastante tempo 3 = presentes a maior parte ou todo o tempo 21. Flutuações motoras (intensidade dos períodos off ) 1 = flutuações fim de dose discretas 2 = flutuações fim de dose moderadas; pode haver ocasionalmente flutuações imprevisíveis 3 = flutuações fim de dose intensas; há freqüentes flutuações imprevisíveis Complicacões Motoras /12

Clínica Deckers. Fisioterapia Exercícios Terapêuticos para o Ombro

Clínica Deckers. Fisioterapia Exercícios Terapêuticos para o Ombro Clínica Deckers Fisioterapia Exercícios Terapêuticos para o Ombro O QUE É Estes são alguns dos exercícios recomendados com mais freqüência para a terapia do ombro. Eles foram compilados para dar a você,

Leia mais

DOENÇA DE PARKINSON. Diagnóstico e Tratamento. Juliana Aquino

DOENÇA DE PARKINSON. Diagnóstico e Tratamento. Juliana Aquino DOENÇA DE PARKINSON Diagnóstico e Tratamento Juliana Aquino 1 A doença de Parkinson (DP) ou Mal de Parkinson È uma doença degenerativa, crônica e progressiva, que acomete em geral pessoas idosas. Ela ocorre

Leia mais

MOTOR EVALUATION SCALE FOR UPPER EXTREMITY IN STROKE PATIENTS (MESUPES-braço and MESUPES-mão)

MOTOR EVALUATION SCALE FOR UPPER EXTREMITY IN STROKE PATIENTS (MESUPES-braço and MESUPES-mão) MOTOR EVALUATION SCALE FOR UPPER EXTREMITY IN STROKE PATIENTS (MESUPES-braço and MESUPES-mão) Nome do paciente: Data do teste - hora: Nome do avaliador: Duração do teste: min Dominância: direita/esquerda

Leia mais

PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA

PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA OS EXERCÍCIOS ABDOMINAIS APRESENTADOS ABAIXO ESTÃO DIVIDIDOS DE ACORDOS COM SEU GRAU DE DIFICULDADE, ESTANDO CLASSIFICADOS COMO: EXERCÍCIOS LEVES EXERCÍCIOS INTERMEDIÁRIOS

Leia mais

3. SENTADO SEM SUPORTE PARA AS COSTAS MAS COM OS PÉS APOIADOS SOBRE O CHÃO OU SOBRE UM BANCO

3. SENTADO SEM SUPORTE PARA AS COSTAS MAS COM OS PÉS APOIADOS SOBRE O CHÃO OU SOBRE UM BANCO Escala de Equilíbrio de Berg 1.SENTADO PARA EM PÉ INSTRUÇÕES: Por favor, fique de pé. Tente não usar suas mãos como suporte. ( ) 4 capaz de permanecer em pé sem o auxílio das mãos e estabilizar de maneira

Leia mais

INSTRUMENTO DE COLHEITA DE DADOS

INSTRUMENTO DE COLHEITA DE DADOS INSTRUMENTO DE COLHEITA DE DADOS 1 Sexo: - Masculino. (1) - Feminino.. (2) 2 Idade: 3 Estado Civil: - Solteiro (1) - Casado.. (2) - União de Facto (3) - Divorciado..... (4) - Separado..... (5) - Viúvo...

Leia mais

MANUAL BÁSICO DE ERGONOMIA

MANUAL BÁSICO DE ERGONOMIA MANUAL BÁSICO DE ERGONOMIA A ergonomia é o conjunto de disciplinas que estuda a organização do trabalho no qual existe interações entre seres humanos e máquinas. Curiosidade! O termo ergonomia tem origem

Leia mais

Lombar - Sentar no calcanhar com os braços a frente - Alongamento

Lombar - Sentar no calcanhar com os braços a frente - Alongamento Lombar e Quadril E - Abraçar um joelho - Alongamento Deitado, segure embaixo de um joelho e puxe-o em direção ao peito até sentir o alongamento. Com 5 segundo(s) de descanso. Lombar e Quadril D - Abraçar

Leia mais

Escrito por Isabel Amaral Domingo, 12 Outubro :49 - Actualizado em Sábado, 29 Novembro :46

Escrito por Isabel Amaral Domingo, 12 Outubro :49 - Actualizado em Sábado, 29 Novembro :46 Após um AVC, a sensibilidade e o controlo dos movimentos do doente encontram-se muitas vezes diminuídos. Por isso, é muito importante ter cuidado com a posição em que se põem, pois podem não ser capazes

Leia mais

ERGONOMIA. Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho

ERGONOMIA. Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho ERGONOMIA Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho CONCEITO DE ERGONOMIA ERGONOMIA ERGO (Trabalho) + NOMOS (Leis) ERGONOMIA É o estudo do relacionamento entre o homem e o seu trabalho, equipamento

Leia mais

Série criada para: Ciatalgia - piora extensão

Série criada para: Ciatalgia - piora extensão Mobilização da Coluna (fase 1) - ADM Ativa Deitado, pés no chão. Junte as palmas das mãos a frente com o braço esticado e mova para um lado, mantenha e mova para o outro. Alongamento da Coluna - Pernas

Leia mais

Antes de iniciar qualquer atividade física, o aluno deverá realizar todos os exames médicos para que a prática da atividade física descrita nesse

Antes de iniciar qualquer atividade física, o aluno deverá realizar todos os exames médicos para que a prática da atividade física descrita nesse Antes de iniciar qualquer atividade física, o aluno deverá realizar todos os exames médicos para que a prática da atividade física descrita nesse plano de treinamento seja liberada. 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª 7ª

Leia mais

Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!.

Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!. Quadro I - Protocolo de Reabilitação Vestibular VertiGO!. 1ª Etapa (Movimentos de olhos e cabeça, primeiro lentos, depois rápidos). Participante em pé sobre um colchonete, olhar para cima e para baixo.

Leia mais

ANEXO 3. Folha para anotação de medicamentos ingeridos

ANEXO 3. Folha para anotação de medicamentos ingeridos ANEXO 3. Folha para anotação de medicamentos ingeridos Projeto de Pesquisa: Avaliação da efetividade do laser de baixa intensidade nas mãos de pacientes com artrite reumatóide: estudo controlado randomizado

Leia mais

Treino para Prevenção de Quedas. O que é e como fazer

Treino para Prevenção de Quedas. O que é e como fazer Treino para Prevenção de Quedas O que é e como fazer Orientações Treino Prevenção de Quedas Com este treino você terá melhora no seu equilíbrio, força muscular e bem estar geral, reduzindo seu risco de

Leia mais

O presente documento fundamenta-se nos textos da legislação federal pertinente, a saber: CF/88, Art. 205, 206 e 208, NBR 9050/2004, da ABNT, Lei n.

O presente documento fundamenta-se nos textos da legislação federal pertinente, a saber: CF/88, Art. 205, 206 e 208, NBR 9050/2004, da ABNT, Lei n. O presente documento fundamenta-se nos textos da legislação federal pertinente, a saber: CF/88, Art. 205, 206 e 208, NBR 9050/2004, da ABNT, Lei n. 10.098/2000, nos Decretos n. 5.296/2004, n. 6.949/2009,

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS E CADASTRO DE RESERVA PARA A PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA ESPERANÇA EDITAL Nº 002, DE 24/01/2012.

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS E CADASTRO DE RESERVA PARA A PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA ESPERANÇA EDITAL Nº 002, DE 24/01/2012. CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS E CADASTRO DE RESERVA PARA A PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA ESPERANÇA EDITAL Nº 002, DE 24/01/2012. ANEXO V CRITÉRIOS PARA O TESTE DE APTIDÃO FÍSICA RETIFICADO EM

Leia mais

da pressão arterial Sociedade Brasileira de Hipertensão Avenida Paulista, 2073, Salas CEP: São Paulo/SP

da pressão arterial Sociedade Brasileira de Hipertensão Avenida Paulista, 2073, Salas CEP: São Paulo/SP Medida Medida da Pressão Arterial com aparelho automático ou semiautomático. Preparo do paciente 1 - Orientar para não conversar durante a medida. 2 - Manter repouso em ambiente calmo por 5-10 minutos.

Leia mais

MANUAL EXETEX SPORTS PRESCRIÇÕES E EXERCÍCIOS. Prescrições sobre os extensores. Dos cuidados com o produto. Ao iniciar o treino

MANUAL EXETEX SPORTS PRESCRIÇÕES E EXERCÍCIOS. Prescrições sobre os extensores. Dos cuidados com o produto. Ao iniciar o treino MANUAL EXETEX SPORTS PRESCRIÇÕES E EXERCÍCIOS Prescrições sobre os extensores Ao realizar um exercício não exceda a elasticidade prescrita na descrição do produto, o elástico atinge o dobro de seu tamanho

Leia mais

Manual de Exercícios para o Doente com Parkinson

Manual de Exercícios para o Doente com Parkinson Manual de Exercícios para o Doente com Parkinson 1 Índice Exercícios de Marcha 05 Exercícios de Movimento 06 1. Rotação de Pescoço 06 2. Rotação do tronco com rotação do pescoço 06 3. Rotação de um lado

Leia mais

INFORMAÇÃO DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ADAPTADA) 2017

INFORMAÇÃO DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ADAPTADA) 2017 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS POETA ANTÓNIO ALEIXO INFORMAÇÃO DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ADAPTADA) 2017 Despacho normativo nº1-a/2017 de 10 de fevereiro DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA Ano de Escolaridade:

Leia mais

CAMINHONEIRORESPONSÁVEL. Volume 3

CAMINHONEIRORESPONSÁVEL. Volume 3 CAMINHONEIRORESPONSÁVEL Volume 3 SET/2012 2 CAMINHONEIRORESPONSÁVEL l Volume 3 Í Índice Capítulo 1 Dicas de Trânsito...3 Capítulo 2 Dicas de Alongamento...5 Capítulo 3 Saúde e Bem-estar...7 Capítulo 4

Leia mais

ESCALA DE FULG MEYER. NOME: Sexo: Prontuário: Data da Lesão: I MOTRICIDADE PASSIVA E DOR. PACIENTE DEITADO Amplitude Dor Pontuação

ESCALA DE FULG MEYER. NOME: Sexo: Prontuário: Data da Lesão: I MOTRICIDADE PASSIVA E DOR. PACIENTE DEITADO Amplitude Dor Pontuação ESCALA DE FULG MEYER NOME: Sexo: Prontuário: Lado dominante ou parético: (D) (E) Diagnóstico: Idade: Data da Lesão: Data da Avaliação: Avaliador: I MOTRICIDADE PASSIVA E DOR PACIENTE DEITADO Amplitude

Leia mais

UM PROGRAMA DE GINÁSTICA PARA CORONARIOPATAS Coletânea de Exercícios Sugeridos*

UM PROGRAMA DE GINÁSTICA PARA CORONARIOPATAS Coletânea de Exercícios Sugeridos* UM PROGRAMA DE GINÁSTICA PARA CORONARIOPATAS Coletânea de Exercícios Sugeridos* Heinz Liesen** UNITERMOS: Ginástica especial. Cardiopatas. Os exercícios sâo organizados de maneira a trabalhar as diversas

Leia mais

FISIOTERAPIA. " Orientações sobre a fisioterapia para pais de crianças com epidermólise bolhosa "

FISIOTERAPIA.  Orientações sobre a fisioterapia para pais de crianças com epidermólise bolhosa FISIOTERAPIA " Orientações sobre a fisioterapia para pais de crianças com epidermólise bolhosa " http://blog.ebinfoworld.com/?p=80 Traduzido e adaptado por Gisele Malaquias, fisioterapeuta em Cerqueira

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO PARA UMA CONSCIÊNCIA CORPORAL. Distribuição Interna

CONTRIBUIÇÃO PARA UMA CONSCIÊNCIA CORPORAL. Distribuição Interna CONTRIBUIÇÃO PARA UMA CONSCIÊNCIA CORPORAL Distribuição Interna ÍNDICE Apresentação 3 O que é Lesão por esforço repetitivo (LER)? 4 Prevenção 5 Dicas para evitar lesões 6 Exercícios 8 Ginástica Laboral

Leia mais

Socorros de Urgência

Socorros de Urgência Socorros de Urgência Procedimentos de Remoção Referência. Levantando e removendo vítimas. In: HAFEN, B.Q.; KARREN, K.J.; FRANDSEN, K.J. Primeiros socorros para estudantes. Barueri, Manole, 7ed, 2002. Cap.

Leia mais

Cartilha Ergonômica. para micro e pequenas facções

Cartilha Ergonômica. para micro e pequenas facções Cartilha Ergonômica para micro e pequenas facções 2017 Cartilha Ergonômica para micro e pequenas facções Autores: Maurélio José Witkoski Victor R. L. Aguiar www.univille.br/mestrados www.sebrae.com.br

Leia mais

CONTROLE E REGULAÇÃO DA CONTRAÇÃO MUSCULAR A RAPIDEZ, O LIMITE E A FORÇA DO MOVIMENTO

CONTROLE E REGULAÇÃO DA CONTRAÇÃO MUSCULAR A RAPIDEZ, O LIMITE E A FORÇA DO MOVIMENTO FUNÇÃO CEREBELAR CONTROLE E REGULAÇÃO DA CONTRAÇÃO MUSCULAR A RAPIDEZ, O LIMITE E A FORÇA DO MOVIMENTO COORDENAÇÃO DOS MOVIMENTOS AGONISTAS ANTAGONISTAS SINERGISTAS MÚSCULOS DE FIXAÇÃO ATAXIA INCOORDENAÇÃO

Leia mais

Semiologia Reumatológica em Crianças

Semiologia Reumatológica em Crianças Semiologia Reumatológica em Crianças PGALS - Exame de triagem básica para problemas musculoesqueléticos em crianças na idade escolar, modificado Traduzido e adaptado de "pgals A SCREENING EXAMINATION OF

Leia mais

Anexo I Manual de intervenções de enfermagem que previnem o declínio do grau de (in)dependência do doente idoso hospitalizado na realização das suas

Anexo I Manual de intervenções de enfermagem que previnem o declínio do grau de (in)dependência do doente idoso hospitalizado na realização das suas ANEXOS Anexo I Manual de intervenções de enfermagem que previnem o declínio do grau de (in)dependência do doente idoso hospitalizado na realização das suas actividades básicas de vida diária Anexo II

Leia mais

HFIN1 Hipertro a muscular - 1

HFIN1 Hipertro a muscular - 1 Plano de treino Meta Data de início Instruções Força Poder e de nição HFIN1 Hipertro a muscular - 1 Hora 10 Data de m Treinos de hipertro a para alunas iniciantes Dia 1 Data / / / / / / / Elíptico - baixa

Leia mais

CENSO PARA DETECÇÃO DE DESCONFORTO EM MEMBROS SUPERIORES Autor: Hudson de Araújo Couto Versão Julho de 2004

CENSO PARA DETECÇÃO DE DESCONFORTO EM MEMBROS SUPERIORES Autor: Hudson de Araújo Couto Versão Julho de 2004 1 CENSO PARA DETECÇÃO DE DESCONFORTO EM MEMBROS SUPERIORES Autor: Hudson de Araújo Couto Versão Julho de 2004 1- Você sente atualmente algum desconforto nos membros superiores ou coluna relacionado ao

Leia mais

Baterias de Fullerton

Baterias de Fullerton Fátima Baptista e Luís B. Sardinha universidade técnica de lisboa FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA Avaliação da Aptidão Física e do Equilíbrio de Pessoas Idosas Baterias de Fullerton FÁTIMA BAPTISTA LUÍS

Leia mais

CARTILHA ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE

CARTILHA ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE CARTILHA ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE 1 CARTILHA ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE O processo de envelhecimento pode acarretar na dependência de outras pessoas para a realização de atividades de

Leia mais

HMAD - 1. Dia 1 Data / / / / / / /

HMAD - 1. Dia 1 Data / / / / / / / Plano de treino Meta Data de início Instruções Força Poder e de nição Hora 5 HMAD - 1 Data de m Alunos homens com mais de 3 anos de experiencia Dia 1 Data / / / / / / / Cruci xo, Halter Peito Coloque-se

Leia mais

Escrita de Sinais I. Importância da escrita de língua de sinais para a Comunidade Surda. Documento realizado por: Marianne Rossi Stumpf

Escrita de Sinais I. Importância da escrita de língua de sinais para a Comunidade Surda. Documento realizado por: Marianne Rossi Stumpf Escrita de Sinais I Importância da escrita de língua de sinais para a Comunidade Surda Documento realizado por: Marianne Rossi Stumpf Minhas Palavras Comecei a pesquisar a ELS em 1996 com o Prof. Dr. Antônio

Leia mais

Clínica Deckers. Fisioterapía Exercícios Terapêuticos para o Tornozelo

Clínica Deckers. Fisioterapía Exercícios Terapêuticos para o Tornozelo Clínica Deckers Fisioterapía Exercícios Terapêuticos para o Tornozelo O QUE É. Estes são alguns exercícios recomendados com mais freqüência para a terapia do tornozelo. Eles foram compilados para dar a

Leia mais

PROVA DE APTIDÃO FÍSICA. 1. Os Candidatos ao IPE devem executar as provas físicas abaixo descriminadas de acordo com as instruções de realização.

PROVA DE APTIDÃO FÍSICA. 1. Os Candidatos ao IPE devem executar as provas físicas abaixo descriminadas de acordo com as instruções de realização. PROVA DE APTIDÃO FÍSICA 1. Os Candidatos ao IPE devem executar as provas físicas abaixo descriminadas de acordo com as instruções de realização. 2. As provas devem ser executadas corretamente e avaliadas

Leia mais

Como fazer uma drenagem linfática em você mesma sem sair de casa

Como fazer uma drenagem linfática em você mesma sem sair de casa Como fazer uma drenagem linfática em você mesma sem sair de casa Dica: Para que a massagem seja eficaz tudo vai depender da pressão dos dedos e dos movimentos feitos de forma correta. Primeiro vamos falar

Leia mais

Forma Perfeita Em Poucas Semanas

Forma Perfeita Em Poucas Semanas Forma Perfeita Em Poucas Semanas Quer desenvolver bíceps, tríceps e antebraços fortes como uma rocha? Para isso é só encarar nosso programa de treino de 1 mês. Serão 4 semanas intensas, mas o resultado

Leia mais

EXERCÍCIOS DE FLEXIBILIDADE Act. 2/5/2007

EXERCÍCIOS DE FLEXIBILIDADE Act. 2/5/2007 ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE DOENTES DE PARKINSON SERVIÇO DE FISIOTERAPIA EXERCÍCIOS DE FLEXIBILIDADE Act. 2/5/2007 Regras Básicas: Encontrar um local tranquilo para o treino. Não se esqueça que o alongamento

Leia mais

EMAD - 1. Dia 1 Data / / / / / / / Método de circuíto Set 1 1 x Set 2 2 x Set 3 3 x Set 4 Set 5 Observação

EMAD - 1. Dia 1 Data / / / / / / / Método de circuíto Set 1 1 x Set 2 2 x Set 3 3 x Set 4 Set 5 Observação Plano de treino Meta Data de início Instruções Forma Perder peso e modelar Hora 5 EMAD - 1 Data de m Treino ABC, 5x para redução da % de gordura Dia 1 Data / / / / / / / Método de circuíto 1 x 2 x 3 x

Leia mais

II Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão da UniEVANGÉLICA Anais do IX Seminário de PBIC Volume Anápolis-Go

II Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão da UniEVANGÉLICA Anais do IX Seminário de PBIC Volume Anápolis-Go MELHORIA NA CAPACIDADE FUNCIONAL DE IDOSOS APÓS SEREM SUBMETIDAS AO TREINAMENTO RESISTIDO CASTRO, Danilo Leandro Santos de 1 LIMA, William Alves 2 SILVA, Maycon Karllos Napolitano da 3 TEIXEIRA, Cristina

Leia mais

Voleibol Atual Técnicas e Fundamentos do jogo. Percy Oncken

Voleibol Atual Técnicas e Fundamentos do jogo. Percy Oncken Voleibol Atual Técnicas e Fundamentos do jogo. Percy Oncken TÉCNICO CBV SAQUE POR CIMA - Sem SALTO Saque sem salto 1 a ensinar; Técnica geral será utilizada, nos saques com salto TRANSFERÊNCIA. POSTURA

Leia mais

Cuidados pós alta hospitalar no AVC

Cuidados pós alta hospitalar no AVC Educação em Saúde VOL. 67 Cuidados pós alta hospitalar no AVC Orientações para trocas de postura e posicionamento Cuidados pós alta hospitalar no AVC Orientações para trocas de postura e posicionamento

Leia mais

ASPECTOS TÉCNICOS DO NADO CRAWL

ASPECTOS TÉCNICOS DO NADO CRAWL ASPECTOS TÉCNICOS DO NADO CRAWL MÉTODOS DE ENSINO OBJETIVOS É indispensável que o professor apresente recursos didáticos, e contemplados nos métodos de ensino. Assim o professor conduz a aprendizagem com

Leia mais

Matéria: CIDADANIA. 1. TROPA É a reunião de dois ou mais alunos, fardados, devidamente comandados.

Matéria: CIDADANIA. 1. TROPA É a reunião de dois ou mais alunos, fardados, devidamente comandados. SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 2ª Série TURMA(S):

Leia mais

ALONGAMENTOS FLEXIBILIDADE. Rui Silva. Novembro 2009

ALONGAMENTOS FLEXIBILIDADE. Rui Silva. Novembro 2009 ALONGAMENTOS FLEXIBILIDADE Novembro 2009 Rui Silva ALONGAMENTOS NO BASQUETEBOL Na generalidade, os alongamentos devem ser feitos durante 20-30 segundos. De seguida, apresentam-se uma série de exercícios

Leia mais

ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE. Paraná

ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE. Paraná ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE Paraná 2 O processo de envelhecimento pode acarretar na dependência de outras pessoas para a realização de atividades de vida diária. Existem cada vez mais evidências

Leia mais

Questionário para Enfermeiros para Todos os Pacientes com Diabetes que Injetam Medicamentos para Diabetes

Questionário para Enfermeiros para Todos os Pacientes com Diabetes que Injetam Medicamentos para Diabetes Questionário para Enfermeiros para Todos os Pacientes com Diabetes que Injetam Medicamentos para Diabetes Formulário de Enfermeiro em Diabetes/Educador Complete 1 formulário por paciente Código: Código

Leia mais

EXERCÍCIOS DE EQUILÍBRIO Actual. 1/2/2007

EXERCÍCIOS DE EQUILÍBRIO Actual. 1/2/2007 ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE DOENTES DE PARKINSON SERVIÇO DE FISIOTERAPIA EXERCÍCIOS DE EQUILÍBRIO Actual. 1/2/2007 Regras Básicas: Encontrar um local tranquilo para o treino. Remover os sapatos ou utilizar

Leia mais

Como identificar as LER/DORT

Como identificar as LER/DORT O que são as Lesões por Esforços Repetitivos (LER) ou Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT)? São doenças graves originadas do uso excessivo ou inadequado do sistema que agrupa nervos,

Leia mais

HFAD - 1. Dia 1 Data / / / / / / /

HFAD - 1. Dia 1 Data / / / / / / / Plano de treino Meta Data de início Instruções Força Poder e de nição Hora 4 HFAD - 1 Data de m Dia 1 Data / / / / / / / Agachamento, barra 20 x kg 10 x kg 8 x kg 8 x kg Quadríceps, Glúteos - Lombar, Pernas

Leia mais

Avaliação Física. Avaliação Física. wwww.sanny.com.br.

Avaliação Física. Avaliação Física.  wwww.sanny.com.br. www.professoralexandrerocha.com.br Docência Docência Personal Trainer alexandre.rocha.944 @Prof_Rocha1 ProfAlexandreRocha @prof.alexandrerocha wwww.sanny.com.br www.cardiomed.com.br www.terrazul.com.br

Leia mais

COMO MEDIR A PRESSÃO ARTERIAL

COMO MEDIR A PRESSÃO ARTERIAL COMO MEDIR A PRESSÃO ARTERIAL REQUISITOS BÁSICOS PARA ADEQUADA AFERIÇÃO DA PRESSÃO ARTERIAL Tele-educação REDE DE TELEASSISTÊNCIA DE MINAS GERAIS Organizadores Edênia S. G. Oliveira Lidiane A. Pereira

Leia mais

ANEXO VII NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DAS PROVAS DA AVALIAÇÃO FÍSICA - TAF

ANEXO VII NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DAS PROVAS DA AVALIAÇÃO FÍSICA - TAF ANEXO VII NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DAS PROVAS DA AVALIAÇÃO FÍSICA - TAF PROVA DE FLEXÃO DE BRAÇO NA BARRA FIXA BARRA (SOMENTE PARA O SEXO MASCULINO) Os procedimentos a serem adotados pelo

Leia mais

ERGONOMIA E GINÁSTICA LABORAL PARA O MOTORISTA

ERGONOMIA E GINÁSTICA LABORAL PARA O MOTORISTA adastre-se no lube Gigantes ercedes-benz e tenha novidades sempre perto de você. Global Training. The finest automotive learning www.clubegigantesmb.com.br Fique por dentro de treinamentos, concursos,

Leia mais

Exercícios para a activação geral e o retorno à calma

Exercícios para a activação geral e o retorno à calma Anexo III Exercícios para a activação geral e o retorno à calma Mobilização da articulação do ombro 1 Objectivos: Aumentar a amplitude da mobilização dos ombros e parte superior Modo de execução: na posição

Leia mais

MELHORE SEU DESEMPENHO NA EXECUÇÃO EM SUA BATERIA Walter Torres Música finalidade da bateria/percussão

MELHORE SEU DESEMPENHO NA EXECUÇÃO EM SUA BATERIA Walter Torres Música finalidade da bateria/percussão MELHORE SEU DESEMPENHO NA EXECUÇÃO EM SUA BATERIA Walter Torres torres@waltertorres.com.br Música finalidade da bateria/percussão Resumo Este artigo tem como objetivo melhorar a absorção de exercícios,

Leia mais

Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho

Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Acção de sensibilização de segurança e saúde no trabalho com equipamentos dotados de visor ou Acção de sensibilização para adopção de posturas ergonómicas correctas

Leia mais

CINEMÁTICA DO MOVIMENTO HUMANO

CINEMÁTICA DO MOVIMENTO HUMANO Formas Elementares de : O movimento humano énormalmente descrito como sendo um movimento genérico, i.e., uma combinação complexa de movimentos de translação e de movimentos de rotação. Translação (Rectilínea)

Leia mais

ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE. Campo Mourão

ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE. Campo Mourão ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE Campo Mourão 2 O processo de envelhecimento pode acarretar na dependência de outras pessoas para a realização de atividades de vida diária. Existem cada vez mais evidências

Leia mais

Massagem Shantala Método de massagem para o bebé

Massagem Shantala Método de massagem para o bebé Massagem Shantala Método de massagem para o bebé Preparativos Para a massagem você vai precisar de: - um produto emoliente (como óleo), de uso exclusivo infantil e dermatologicamente testado pode ser óleo

Leia mais

Wods Chicks And Barbells Goiânia 01/04 Todos os eventos foram criados pelo Coach Zé Murillo

Wods Chicks And Barbells Goiânia 01/04 Todos os eventos foram criados pelo Coach Zé Murillo Wods Chicks And Barbells Goiânia 01/04 Todos os eventos foram criados pelo Coach Zé Murillo Evento 1 Por tempo: 10 Chest-to-Bar Pull-Ups / Pull-Ups / Push-Ups 15 Squat Snatch (95lbs/75lbs/55lbs) 25 Toes-to-Bar

Leia mais

Antes de iniciar qualquer atividade física, o aluno deverá realizar todos os exames médicos para que a prática da atividade física descrita nesse

Antes de iniciar qualquer atividade física, o aluno deverá realizar todos os exames médicos para que a prática da atividade física descrita nesse Antes de iniciar qualquer atividade física, o aluno deverá realizar todos os exames médicos para que a prática da atividade física descrita nesse plano de treinamento seja liberada. PLANO POLÍCIA MILITAR

Leia mais

Resistência Muscular. Prof. Dr. Carlos Ovalle

Resistência Muscular. Prof. Dr. Carlos Ovalle Resistência Muscular Prof. Dr. Carlos Ovalle Resistência Muscular Resistência muscular é a capacidade de um grupo muscular executar contrações repetidas por período de tempo suficiente para causar a fadiga

Leia mais

ESTE E-BOOK É UMA VERSÃO REDUZIDA DE MAT PILATES SOLO 400 EXERCÍCIOS DE SOLO

ESTE E-BOOK É UMA VERSÃO REDUZIDA DE MAT PILATES SOLO 400 EXERCÍCIOS DE SOLO ESTE E-BOOK É UMA VERSÃO REDUZIDA DE MAT PILATES SOLO 400 EXERCÍCIOS DE SOLO NESTE E-BOOK VOCÊ VAI ENCONTRAR: FOAM ROLLER GESTANTES FAIXA ELÁSTICA FITBALL TONNING BALLS BOSU DUPLA FUNCIONAL DUPLA ACROBATICA

Leia mais

Cinesiologia. Aula 2

Cinesiologia. Aula 2 Cinesiologia Aula 2 Graus de Liberdades de Movimentos São classificados pelo número de planos nos quais se movem os segmentos ou com o número de eixos primários que possuem Um grau de liberdade (uniaxial)

Leia mais

Qualidade de vida com sarcopenia

Qualidade de vida com sarcopenia Questionário I Tempo: 10 min aproximadamente Qualidade de vida com sarcopenia Este questionário tem perguntas sobre sarcopenia, uma fraqueza muscular que ocorre com o envelhecimento. A sarcopenia pode

Leia mais

MOTRICIDADE Prof Dr Octávio Marques Pontes Neto

MOTRICIDADE Prof Dr Octávio Marques Pontes Neto MOTRICIDADE Prof Dr Octávio Marques Pontes Neto Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Universidade de São Paulo NEURÔNIO MOTOR INFERIOR MÚSCULO

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR - FICHA TÉCNICA - MACACÃO

MANUAL DO FORNECEDOR - FICHA TÉCNICA - MACACÃO MANUAL DO - FICHA TÉCNICA - MACACÃO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE CONFORMIDADE DE PRODUTOS VERSÃO 3 PAG. 01/15 TOMADA DE MEDIDAS DE PEÇAS DE VESTUÁRIO VIGÊNCIA: 31/05/2016 A BUSTO / TORAX: B GANCHO DIANT:

Leia mais

Jogos Desportivos Coletivos

Jogos Desportivos Coletivos ... DEPARTAMENTO DE Educação Física DISCIPLINA: Educação Física 7ºAno COMPETÊNCIAS/CONTEÚDOS Competências a desenvolver Conteúdos Aulas previstas Jogos Desportivos Coletivos Andebol Cooperar com os companheiros

Leia mais

Cuidados com a coluna.

Cuidados com a coluna. Cuidados com a coluna As curvas fisiológicas da coluna tendem a favorecer a boa postura e os movimentos corporais de forma harmônica e com baixo custo energético. Lordose Cervical Cifose Torácica Por isso,

Leia mais

QUAIS EPI s QUE UTILIZAMOS?

QUAIS EPI s QUE UTILIZAMOS? REGRAS DE HIGIENE E SEGURANÇA E NA NOSSA 4 EMPRESA? QUAIS EPI s QUE UTILIZAMOS? 1 REGRAS DE HIGIENE E SEGURANÇA PLANO DE EMERGÊNCIA 4 INTERNO Pontos nevrálgicos - Incluem instalações que podem, devido

Leia mais

MDS-UPDRS. Pág 1. Official MDS Translation Copyright 2016 International Parkinson and Movement Disorder Society (MDS). All rights reserved.

MDS-UPDRS. Pág 1. Official MDS Translation Copyright 2016 International Parkinson and Movement Disorder Society (MDS). All rights reserved. MDS-UPDRS A nova versão da UPDRS patrocinada pela Sociedade de Distúrbios do Movimento (Movement Disorders Society - MDS) baseia-se na crítica anteriormente formulada pelo Grupo de Trabalho para Escalas

Leia mais

Lesão por esforço repetitivo

Lesão por esforço repetitivo Lesão por esforço repetitivo Impactos da utilização dos recursos tecnológicos na saúde Daniele da Silva Barbosa e Janaína Conceição Rodrigues É cada vez maior o número de pacientes diagnosticados com lesões

Leia mais

Inventário Chedoke de atividades do braço e da mão

Inventário Chedoke de atividades do braço e da mão Inventário Chedoke de atividades do braço e da mão Versão brasileira do Chedoke Arm and Hand Activity Inventory CAHAI Guia de aplicação 2 LICENÇA CAHAI IMPORTANTE - POR FAVOR, LEIA: Esta licença é um acordo

Leia mais

ANTROPOMETRIA E BIOMECÂNICA EM POSTOS DE TRABALHO. Prof. Manuel Salomon Salazar Jarufe

ANTROPOMETRIA E BIOMECÂNICA EM POSTOS DE TRABALHO. Prof. Manuel Salomon Salazar Jarufe ANTROPOMETRIA E BIOMECÂNICA EM POSTOS DE TRABALHO Prof. Manuel Salomon Salazar Jarufe Movimentos extremos Postos de trabalho com muitos equipamentos tornam mais freqüentes movimentos extremos e posturas

Leia mais

Estou um pouco acima do peso.

Estou um pouco acima do peso. Estou um pouco acima do peso. http://www.cataflampro.com.br Estou um pouco acima do peso. Aqui está o nosso programa de treinamento recomendado: Mantenha a sua mobilidade, faça algo para sua força e coordenação

Leia mais

MANUAL DE EXERCÍCIOS PARA PACIENTES EM TRATAMENTO COM TOXINA BOTULÍNICA

MANUAL DE EXERCÍCIOS PARA PACIENTES EM TRATAMENTO COM TOXINA BOTULÍNICA MANUAL DE EXERCÍCIOS PARA PACIENTES EM Por quê fazer exercícios? Porquê você recebeu um medicamento que age nos músculos, tornando-os mais relaxados, no entanto, se não houver a prática de exercícios físicos

Leia mais

Existem três princípios básicos que devemos ter em mente quando pensamos sobre sentar:

Existem três princípios básicos que devemos ter em mente quando pensamos sobre sentar: Dicas Importantes: - Como sentar em boa forma? - Deitar-se e dormir - Levantar pesos - Não tenha mais dores em cima de sua motocicleta Como sentar em boa forma? Existem três princípios básicos que devemos

Leia mais

Exame Neurológico M.Sc. Prof.ª Viviane Marques

Exame Neurológico M.Sc. Prof.ª Viviane Marques Exame Neurológico M.Sc. Prof.ª Viviane Marques Fonoaudióloga, Neurofisiologista e Mestre em Fonoaudiologia Coordenadora da Pós-graduação em Fonoaudiologia Hospitalar Tutora da Residência e chefe da equipe

Leia mais

RULA (RAPID UPPER LIMB ASSESSMENT)

RULA (RAPID UPPER LIMB ASSESSMENT) www.campusesine.net RULA (RAPID UPPER LIMB ASSESSMENT) O método RULA (Rapid Upper Limb Assessment) foi desenvolvido por Lynn McAtamney e Nigel Corlett (1993) na Universidade de Nottingham. É um método

Leia mais

(Sinais Árbitro da mão) 1. Chamada para competidores

(Sinais Árbitro da mão) 1. Chamada para competidores (Sinais Árbitro da mão) 1. Chamada para competidores 1) Levante ambos os punhos fechados com o polegar sobre o dedo médio e indicador estendidos até a altura do orelha. 2) Estender os braços para baixo,

Leia mais

IGREJA CRISTÃ MARANATA PES DEPARTAMENTO DE ENSINO

IGREJA CRISTÃ MARANATA PES DEPARTAMENTO DE ENSINO 1- MARANATA VEM SENHOR JESUS Mãos na boca (sinal de falar) Sinal de vem ( mãos para o alto descendo) Vem buscar Tua igreja. Mão na boca falando (sinal de falar) Sinal de vem ( mãos para o alto descendo)

Leia mais

Fraturas e Luxações Prof Fabio Azevedo Definição Fratura é a ruptura total ou parcial da estrutura óssea 1 Fraturas Raramente representam causa de morte, quando isoladas. Porém quando combinadas a outras

Leia mais

Série criada para: Ciatalgia - piora flexão. Extensão do corpo de barriga para baixo - ADM Ativa / Mobilização

Série criada para: Ciatalgia - piora flexão. Extensão do corpo de barriga para baixo - ADM Ativa / Mobilização Lombar - Abdômen - Alongamento Em decúbito ventral coloque as mãos ao lado e empurre seu corpo para cima até sentir o alongamento. Extensão do corpo de barriga para baixo - ADM Ativa / Mobilização Deitado

Leia mais

TECNOLOGIAS DE APOIO ABORDAGEM AO POSICIONAMENTO EM CADEIRA DE RODAS

TECNOLOGIAS DE APOIO ABORDAGEM AO POSICIONAMENTO EM CADEIRA DE RODAS TECNOLOGIAS DE APOIO ABORDAGEM AO POSICIONAMENTO EM CADEIRA DE RODAS Ano lectivo 2011/2012 Posicionamento e Mobilidade Posicionamento em cadeira de rodas: Acto terapêutico que implica a utilização de diversos

Leia mais

Resumo das regras para o 1º Campeonato Brasileiro de Parabadminton (Badminton adaptado).

Resumo das regras para o 1º Campeonato Brasileiro de Parabadminton (Badminton adaptado). Resumo das regras para o 1º Campeonato Brasileiro de Parabadminton (Badminton adaptado). 1. Para o 1º Campeonato Brasileiro de Parabadminton (Badminton adaptado) serão oferecidas as categorias Wheelchair

Leia mais

Você conhece alguém que não tem celular ou que, de alguma forma, seja em casa ou no trabalho, que não faça uso de alguma ferramenta multimídia?

Você conhece alguém que não tem celular ou que, de alguma forma, seja em casa ou no trabalho, que não faça uso de alguma ferramenta multimídia? Dor por Lesão Você conhece alguém que não tem celular ou que, de alguma forma, seja em casa ou no trabalho, que não faça uso de alguma ferramenta multimídia? Provavelmente, não. Também, não é para menos:

Leia mais

ENTRE NO CLIMA DA FESTA E CRIE SUA FANTASIA SEM GASTAR NADA!

ENTRE NO CLIMA DA FESTA E CRIE SUA FANTASIA SEM GASTAR NADA! ENTRE NO CLIMA DA FESTA E CRIE SUA FANTASIA SEM GASTAR NADA! O importante é a criatividade!!! 1º pegue uma blusa confortável para servir de molde 2º Tecido (neste caso pode ser um lençol de cama ou cortina

Leia mais

VI. Audiodescrição do livro - Notas proêmias: Acessibilidade comunicacional para produções culturais

VI. Audiodescrição do livro - Notas proêmias: Acessibilidade comunicacional para produções culturais http://www.bengalalegal.com/ http://saci.org.br/ http://www.vezdavoz.com.br/site/index.php http://www.acessibilidadelegal.com/ http://www.vercompalavras.com.br/livro http://www.ines.gov.br/default.aspx

Leia mais

June 2015 Monstar Games Events

June 2015 Monstar Games Events June 2015 Monstar Games Events SEXTA-FEIRA (05/06) - ELITE Individual Evento # 1 Fifth Gear 5x for time: 40 Double-Unders 30 Kettlebell Swings (24/16 kg) 20 Dumbbell Push Press (24/16 kg) Time Cap: 15

Leia mais

O Dimensionamento do Centro de Produção

O Dimensionamento do Centro de Produção O Dimensionamento do Centro de Produção (posto de trabalho) Antropometria estática - refere-se a medidas gerais de segmentos corporais, estando o indivíduo em posição estática; Antropometria dinâmica refere-se

Leia mais

Meu trabalho exige de mim fisicamente.

Meu trabalho exige de mim fisicamente. Meu trabalho exige de mim fisicamente http://www.cataflampro.com.br Meu trabalho exige de mim fisicamente Aqui está o nosso programa de treinamento recomendado: Relaxe com exercícios menos intensos, alongue

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE BADMINTON

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE BADMINTON Regulamento 2011 para o Campeonato Brasileiro de Parabadminton (Badminton Adaptado) 1. Para o Campeonato Brasileiro de Parabadminton (Badminton adaptado) 2011 serão oferecidas as categorias Wheelchair

Leia mais

CADEIRA GAMER GOLD BCH-01OBK

CADEIRA GAMER GOLD BCH-01OBK CADEIRA GAMER GOLD BCH-01OBK MANUAL DE INSTRUÇÕES Dimensões da Cadeira Conteúdo da embalagem A) 1x Encosto para as costas B) 1x Base da cadeira em estrela C) 2x Braços D) 1x Base do assento E) 1x Mecanismo

Leia mais

DOCUMENTO DE APOIO AO ESTUDO PARA O TESTE DO 1º PERÍODO. Voleibol

DOCUMENTO DE APOIO AO ESTUDO PARA O TESTE DO 1º PERÍODO. Voleibol DOCUMENTO DE APOIO AO ESTUDO PARA O TESTE DO 1º PERÍODO 1º Tema: Atividades Físicas e Desportivas - Matérias Voleibol Regras: Número de jogadores por equipa - 6 Número de toques permitido por jogador consecutivamente

Leia mais

Protocolo de Avaliações

Protocolo de Avaliações Confederação Brasileira de Remo 18/01/2016 Protocolo de Avaliações Sistema Nacional de Avaliação de Remadores Anexo do Boletim Técnico 03/2016 1. PROTOCOLO DAS AVALIAÇÕES NO REMO ERGÔMETRO As avaliações

Leia mais