28/8/13. Processadores. Introdução

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "28/8/13. Processadores. Introdução"

Transcrição

1 Processadores 1 Introdução 2 1

2 Data path 3 Data Path Composto pelo conjunto de registradores e o ULA Instruções register-memory Operações diretamente na memória Transferências entre memória e registrador Instruções register-register Valores armazenados em registrador Ciclo de Dados Tempo de uma operação na ULA Velocidade de processamento 4 2

3 Execução de instruções Ciclo fetch-decode-execute parece muito com um programa equivalência entre hardware e software Interpretação de comandos CPUs tinha poucas instruções originalmente Tendência: CPU rápida implica em muitas instruções específicas 5 Microprogramação Conceito de família de procesadores Manter compatibilidade O termo arquitetura foi cunhado assim Técnica sugerida por Wilkes (1951) Um software dentro do hardware Substituído progressivamente por hardware para obter maior desempenho 6 3

4 Benefícios de microgramação Permite consertar instruções erradas sem refazer o hardware Capacidade de acrescentar instruções com custo baixo Projeto estruturado desempenho em desenvolvimento, teste e documentação Vantagem adicional ROM era mais rápido do que RAM 7 RISC versus CISC Será que alguém hoje pensa em gerar um sistema operacional menos poderoso? Começou com o 801 na IBM RISC RISC II SPARC (Patterson) MIPS (Hennessy) Mudança de tendência Quantas instruções podem ser despachadas por unidade de tempo 8 4

5 Princípios de projeto Depois da guerra religiosa Pessoas parecem ter convergido à um conjunto de regras básicas dado o estado da arte Mudanças tecnológicas podem mudar essas regras Processadores modernos seguem esses princípios Conhecidos como princípios RISC Restrições externas 9 Princípios RISC Toda instrução deve ser executada diretamente pelo hardware O mundo deu uma volta completa Deve-se maximizar a taxa de execução de instruções não importa quanto tempo cada instrução demora... ;-) Paralelismo se torna fundamental e a coisa toda se torna interessante 10 5

6 Princípios RISC Instruções devem ser fáceis de decodificar diretamente relacionado com a velocidade de disparo de cada instrução Apenas LOADs e STOREs acessam a memória Tendência a usar registradores ao máximo Acesso a memória é lento Ter muitos registradores Minimizar o custo de spill de registradores 11 Paralelismo a nível de instrução Acelerar o clock não é o suficiente Mais cedo ou mais tarde esbarra-se em limites tecnológicos Paralelismo é a resposta natural A nível de instrução cada instrução é executada paralelamente para obter mais MIPS A nível de processador usar mais CPUs independentes 12 6

7 Pipelining Desde 1959 instruções precisam ser buscadas na memória e depois executadas dois estágios: prefetch Atualmente instruções são divididas em mais estágios cada estágio é tratado por uma porção específica de hardware Trade-off entre latência e largura de banda 13 Pipelining 14 7

8 Arquiteturas Superescalares Se um é bom, dois é melhor ainda velocidades relativas dos estágios conflito de instruções e o compilador começa ter que ficar inteligente As vezes apenas 1 pipeline com certas unidades funcionais replicadas ou variadas 15 Pipeline replicado 16 8

9 Múltiplos caminhos 17 Paralelismo a nível de processador Primeira lei do software (Nathan Myhrvold) Software é um gás que expande pra ocupar todo o seu recipiente Existe um limite até onde 1 CPU pode ser rápida velocidade da luz dissipação de calor paralelismo de instrução ajuda 18 9

10 Processadores vetoriais ILLIAC (1972) Grande número de processadores idênticos, ligados segundo um topologia regular Processadores vetorais Instruções que operam em vetores Não são mais o foco da pesquisa 19 Arquitetura do ILLIAC IV 20 10

11 Multiprocessadores Entramos em programação paralela Várias configurações possíveis memória compartilhada ou distribuída Como programá-los o que podemos explorar? como resolver conflitos? Multicomputadores quando se escala para muitos processadores comunicação restrita a troca de mensagens 21 Memória 22 11

12 Definições É onde os dados e os programas são armazenados Binary Digit mais eficiente pela tecnologia atual Endereço de memória cada posição de memória recebe um nome cada posição armazena um conjunto de bits menor unidade endereçavel atualmente 1 byte = 8 bits palavra = maior unidade de processamento 23 Ordenação de bytes 1 byte é sempre organizado da direita pra esquerda para 1 palavra, a ordem dos bytes pode variar little endian (intel) big endian (sparc) questão de portabilidade e de interoperabilidade 24 12

13 Ordenação de bytes 25 Códigos de correção de erros Distância Hamming em quantos bits duas palavras diferem (d) Criação de códigos para os dados nem todas as combinações são válidas detecção de erros de até d 1 bits correção de erros de até (d 1)/2 bits Bits de paridade par ou ímpar distância hamming

14 Código de Hamming Acrescentam-se r = log(m) + 1 bits Os bits são numerados a partir de 1 Bit cujo número é potência de dois é bit de verificação (paridade) Exemplo: m = 8, r = 4, n = 12. Bit 1 paridade de: 1, 3, 5, 7, 9, 11. Bit 2 paridade de: 2, 3, 6, 7, 10, 11. Bit 4 paridade de: 4, 5, 6, 7, 12. Bit 8 paridade de: 8, 9, 10, 11, 12. Para achar o erro, soma-se o valor dos bits de paridade que estiverem incorretos 27 Memória Cache Desequilibrio de desempenho entre memória e CPU acesso ao barramento Princípio da localidade de referência acessos sequencias tendem a referenciar posições consecutivas colocar as posições mais acessadas na cache Se falhar, consulta memória primária 28 14

15 Memória Cache Supondo uma taxa de acerto h (hit ratio) taxa de falha (miss) 1 h tempo de acesso: C + (1 h)m obter taxas de acertos alta é fundamental Arquitetura de cache tamanho organização tamanho da linha caches separados quantidades de caches 29 Hierarquia de memória O conceito de cache se extende memórias primárias memória RAM do computador secundárias persistentes discos magnéticos terciárias sequenciais fitas 30 15

16 Discos magnéticos Um disco magnético sob um indutor Formato do setor: Preâmbulo permite saber qual é o setor sob o indutor Dados os bit armazenados (4096 bits) ECC Reed-Solomon Gap espaço entre setores Tamanho formatado versus não formatado Velocidade de rajada versus sustentada Recalibragem térmica Zoneamento 31 Discos magnéticos Floppy o indutor toca a superficie IDE migração da controladora do disco para o próprio disco EIDE: endereçamento lógico SCSI arquitetura de barramento melhor desempenho múltiplos acessos simultâneos arbitragem do barramento 32 16

17 RAID RAID versus SLED RAID parece com um SLED, mas possui vários discos operando coordenadamente Diversas configurações Nível 0: striping Nível 1: nível 0 com replicação Nível 2: stripes menores Nível 3: nível 2 com paridade Nível 4: nível 0 com código de verificação Nível 5: nível 4 sem 1 disco de verificação único 33 RAID 34 17

ARQUITETURA DE COMPUTADORES. Organização de Sistemas Computacionais. Prof.: Agostinho S. Riofrio

ARQUITETURA DE COMPUTADORES. Organização de Sistemas Computacionais. Prof.: Agostinho S. Riofrio ARQUITETURA DE COMPUTADORES Organização de Sistemas Computacionais Prof.: Agostinho S. Riofrio Agenda 1. Unidade Central de Processamento 2. Organização da CPU 3. Interpretador 4. RISC x CISC 5. Principios

Leia mais

Organização de Sistemas de Computadores

Organização de Sistemas de Computadores Organização de Sistemas de Computadores Cap. 2 (Tanenbaum), Cap. 3 (Weber) 2.1 Processadores 1 CPU UC = buscar instruções na memória principal e determinar o seu tipo ULA = adição e AND Registradores =

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Organização de Computadores ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Curso: Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação Ano: 2011 Conhecida como Processador ou é o cerebro do computador Unifica todo sistema e

Leia mais

Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores

Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores Ciência da Computação Arq. e Org. de Computadores Processadores Prof. Sergio Ribeiro Composição básica de um computador eletrônico digital: Processador Memória Memória Principal Memória Secundária Dispositivos

Leia mais

Organização de computadores. Prof. Moisés Souto

Organização de computadores. Prof. Moisés Souto Organização de computadores Prof. Moisés Souto Aula 07 PROJETO MODERNO DE COMPUTADORES Princípios de Projeto para Computadores Modernos Todas as instruções são diretamente executadas pelo hardware Maximiza

Leia mais

Organização de computadores. Prof. Moisés Souto

Organização de computadores. Prof. Moisés Souto Organização de computadores Prof. Moisés Souto Moisés Souto docente.ifrn.edu.br/moisessouto professor.moisessouto.com.br moises,souto@ifrn.edu.br @moises_souto Aula 06 CICLO DE INSTRUÇÕES Unidade Central

Leia mais

Arquitetura de Computadores

Arquitetura de Computadores Arquitetura de Computadores AULA 4 Organização de Sistemas de Computadores s Bits Sumário de Ordem de Bytes Conceitos Básicos Secundária Códigos de Correção de Erros Prof. Edilberto M. Silva Edilberto

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES MEMÓRIA CACHE CAPÍTULO 5. Cristina Boeres

FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES MEMÓRIA CACHE CAPÍTULO 5. Cristina Boeres FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES MEMÓRIA CACHE CAPÍTULO 5 Cristina Boeres Introdução! Diferença de velocidade entre Processador e MP O processador executa uma operação rapidamente e fica em

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES II AULA 02: PROCESSAMENTO PARALELO: PROCESSADORES VETORIAIS

ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES II AULA 02: PROCESSAMENTO PARALELO: PROCESSADORES VETORIAIS ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES II AULA 02: PROCESSAMENTO PARALELO: PROCESSADORES VETORIAIS Prof. Max Santana Rolemberg Farias max.santana@univasf.edu.br Colegiado de Engenharia de Computação

Leia mais

Conceitos Básicos Processador

Conceitos Básicos Processador Infra-Estrutura de Hardware Conceitos Básicos Processador Prof. Edilberto Silva www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Sumário Conceitos básicos Organização da CPU Execução das Instruções RISC x CISC Paralelismo

Leia mais

Hierarquia de Memória

Hierarquia de Memória No projeto de um sistema digital, deve-se ter em mente que hardware menor geralmente é mais rápido do que hardware maior. A propagação do sinal é uma das principais causas de atrasos. No caso da memória,

Leia mais

INTRODUÇÃO À ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES. Função e Estrutura. Introdução Organização e Arquitetura. Organização e Arquitetura

INTRODUÇÃO À ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES. Função e Estrutura. Introdução Organização e Arquitetura. Organização e Arquitetura Introdução Organização e Arquitetura INTRODUÇÃO À ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Eduardo Max Amaro Amaral Arquitetura são os atributos visíveis ao programador. Conjunto de instruções, número

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores

Organização e Arquitetura de Computadores Organização e Arquitetura de Computadores Hierarquia de Memória: Introdução Alexandre Amory Edson Moreno Nas Aulas Anteriores Computação Organização interna de CPU Parte operativa: Lógica combinacional

Leia mais

Arquitetura e Organização de Processadores. Aula 1. Introdução Arquitetura e Organização

Arquitetura e Organização de Processadores. Aula 1. Introdução Arquitetura e Organização Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Informática Programa de Pós-Graduação em Computação Arquitetura e Organização de Processadores Aula 1 Introdução Arquitetura e Organização 1. Arquitetura

Leia mais

Multiprogramação leve em arquiteturas multi-core

Multiprogramação leve em arquiteturas multi-core Multiprogramação leve em arquiteturas multi-core Prof. Dr. Departamento de Informática Universidade Federal de Pelotas Sumário Arquiteturas multi-core Programação multithread Ferramentas de programação

Leia mais

1. A pastilha do processador Intel possui uma memória cache única para dados e instruções. Esse processador tem capacidade de 8 Kbytes e é

1. A pastilha do processador Intel possui uma memória cache única para dados e instruções. Esse processador tem capacidade de 8 Kbytes e é 1. A pastilha do processador Intel 80486 possui uma memória cache única para dados e instruções. Esse processador tem capacidade de 8 Kbytes e é organizado com mapeamento associativo por conjuntos de quatro

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais CAP 2: Conceitos de Hardware e Software Prof. MSc. Diego R. Moraes diegorm@anhanguera.com Download de todo conteúdo da disciplina https://sites.google.com/site/diegorafaelmoraes/downloads

Leia mais

Hardware: Componentes Básicos. Sistema de Computador Pessoal. Anatomia de um Teclado. Estrutura do Computador. Arquitetura e Organização

Hardware: Componentes Básicos. Sistema de Computador Pessoal. Anatomia de um Teclado. Estrutura do Computador. Arquitetura e Organização Hardware: Componentes Básicos Arquitetura dos Computadores Dispositivos de Entrada Processamento Dispositivos de Saída Armazenamento Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Sistema de

Leia mais

Arquitetura de Computadores Unidade Central de Processamento CPU

Arquitetura de Computadores Unidade Central de Processamento CPU Arquitetura de Computadores Unidade Central de Processamento CPU CPU Funções realizadas pelo processador: Função controle Responsável pela busca, interpretação e controle da execução das instruções, bem

Leia mais

Níveis de memória. Diferentes velocidades de acesso. Memória Cache. Memórias Auxiliar e Auxiliar-Backup

Níveis de memória. Diferentes velocidades de acesso. Memória Cache. Memórias Auxiliar e Auxiliar-Backup Memória Níveis de memória Diferentes velocidades de acesso Pequeno Alto(a) Cache RAM Auxiliar Auxiliar-Backup Memória Cache altíssima velocidade de acesso acelerar o processo de busca de informações na

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO DEPARTAMENTO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CIÊNCIAS EXATAS E E NATURAIS NATURAIS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Arquitetura e Organização

Leia mais

É um sinal elétrico periódico que é utilizado para cadenciar todas as operações realizadas pelo processador.

É um sinal elétrico periódico que é utilizado para cadenciar todas as operações realizadas pelo processador. Universidade Estácio de Sá Curso de Informática Disciplina de Organização de Computadores II Prof. Gabriel P. Silva - 1 o Sem. / 2005 2 ª Lista de Exercícios 1) O que é o relógio de um sistema digital?

Leia mais

2ª Lista de Exercícios de Arquitetura de Computadores

2ª Lista de Exercícios de Arquitetura de Computadores 2ª Lista de Exercícios de Arquitetura de Computadores 1. Descreva as funções desempenhadas pelos escalonadores de curto, médio e longo prazo em um SO. 2. Cite três motivos pelos quais o controle do processador

Leia mais

SSC0112 Organização de Computadores Digitais I

SSC0112 Organização de Computadores Digitais I SSC0112 Organização de Computadores Digitais I 3ª Aula Visão Geral e Conceitos Básicos Profa. Sarita Mazzini Bruschi sarita@icmc.usp.br Copyright William Stallings & Adrian J Pullin Tradução, revisão e

Leia mais

Sequência 17 Organização e Hierarquia de Memória

Sequência 17 Organização e Hierarquia de Memória Arquitetura de Computadores Os cincos componentes clássicos do computador Sequência 17 Organização e Hierarquia de Memória Seq.17 Memórias - conceitos 1 Seq.17 Memórias - conceitos 2 Memória A memória

Leia mais

PIPELINE. Introdução ao Pipeline. PIPELINE Ciclo de Instruções. PIPELINE Ciclo de Instruções. PIPELINE - Exemplo. PIPELINE Considerações

PIPELINE. Introdução ao Pipeline. PIPELINE Ciclo de Instruções. PIPELINE Ciclo de Instruções. PIPELINE - Exemplo. PIPELINE Considerações Arquitetura de Computadores Introdução ao Pipeline PIPELINE Linha de Montagem A produção é dividida em várias etapas Produtos em etapas distintas podem ser desenvolvidos separadamente Pode ser Aplicado

Leia mais

SSC0611 Arquitetura de Computadores

SSC0611 Arquitetura de Computadores SSC0611 Arquitetura de Computadores 7ª Aula Pipeline Profa. Sarita Mazzini Bruschi sarita@icmc.usp.br Arquitetura CISC CISC Complex Instruction Set Computer Computadores complexos devido a: Instruções

Leia mais

Barramento. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Barramento. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Barramento Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Componentes do Computador; Funções dos Computadores; Estrutura de Interconexão; Interconexão de Barramentos Elementos de projeto de barramento;

Leia mais

Todo processador é constituído de circuitos capazes de realizar algumas operações primitivas:

Todo processador é constituído de circuitos capazes de realizar algumas operações primitivas: Todo processador é constituído de circuitos capazes de realizar algumas operações primitivas: Somar e subtrair Mover um dado de um local de armazenamento para outro Transferir um dado para um dispositivo

Leia mais

Computadores e Programação (DCC/UFRJ)

Computadores e Programação (DCC/UFRJ) Computadores e Programação (DCC/UFRJ) Aula 3: 1 2 3 Abstrações do Sistema Operacional Memória virtual Abstração que dá a cada processo a ilusão de que ele possui uso exclusivo da memória principal Todo

Leia mais

PARALELISMO NO NÍVEL DO PROCESSADOR

PARALELISMO NO NÍVEL DO PROCESSADOR UNIP Universidade Paulista. Campus Brasília. PARALELISMO NO NÍVEL DO PROCESSADOR ALUNO: Lucas da Silva Dias ALUNO: Gleidson Rosa da Silva ALUNO: Gustavo da Silva Martins ALUNO: Marcelo Nery Lima RA: C633EB-1

Leia mais

Prof. Leonardo Augusto Casillo

Prof. Leonardo Augusto Casillo UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Aula 2 Estrutura de um processador Prof. Leonardo Augusto Casillo Arquitetura de Von Neumann: Conceito de programa armazenado; Dados

Leia mais

Unidade I. Organização de Computadores. Prof. Renato Lellis

Unidade I. Organização de Computadores. Prof. Renato Lellis Unidade I Organização de Computadores Prof. Renato Lellis O que é um computador? Computador Datação 1789 cf. MS1 Acepções substantivo masculino 1 o que computa; calculador, calculista 2 Rubrica: informática.

Leia mais

Sistemas Operacionais. Adão de Melo Neto

Sistemas Operacionais. Adão de Melo Neto Sistemas Operacionais Adão de Melo Neto 1 Computador Digital (Hardware) 2 Computador Digital Constituído por um conjunto de componentes interligados (hardware): processadores, memórias, registradores,

Leia mais

Unidade II. Organização de Computadores. Prof. Renato Lellis

Unidade II. Organização de Computadores. Prof. Renato Lellis Unidade II Organização de Computadores Prof. Renato Lellis Ciclo de Execução da Instrução 1. Trazer a próxima instrução da memória até o registrador 2. Alterar o contador de programa para indicar a próxima

Leia mais

Organização de Computadores

Organização de Computadores Organização de Computadores Aula 21 Memória Cache Rodrigo Hausen 21 de outubro de 2011 http://cuco.pro.br/ach2034 1/49 Apresentação 1. Bases Teóricas 2. Organização de computadores... 2.2. Execução de

Leia mais

SSC510 Arquitetura de Computadores 1ª AULA

SSC510 Arquitetura de Computadores 1ª AULA SSC510 Arquitetura de Computadores 1ª AULA REVISÃO DE ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Arquitetura X Organização Arquitetura - Atributos de um Sistema Computacional como visto pelo programador, isto é a estrutura

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 9

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 9 ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 9 Índice 1. A Organização do Computador - Continuação...3 1.1. Processadores - II... 3 1.1.1. Paralelismo - II... 3 1.2 Memória Primária... 4 1.2.1. Bits, bytes e terabytes...

Leia mais

O Funcionamento do Processador

O Funcionamento do Processador O Funcionamento do Processador Arquiteturas para Alto Desmpenho Prof. pauloac@ita.br Sala 110 Prédio da Computação www.comp.ita.br/~pauloac Os cinco componentes clássicos de um Computador - Controle O

Leia mais

Arquitetura e Organização de Processadores. Aulas 9 e 10. Memória cache

Arquitetura e Organização de Processadores. Aulas 9 e 10. Memória cache Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Informática Programa de Pós-Graduação em Computação Arquitetura e Organização de Processadores Aulas 9 e 10 Memória cache Tendências tecnológicas

Leia mais

Microprocessadores. São máquinas elétricas onde podemos armazenar instruções lógicas, aritméticas e de tomada de decisão;

Microprocessadores. São máquinas elétricas onde podemos armazenar instruções lógicas, aritméticas e de tomada de decisão; Microprocessadores São máquinas elétricas onde podemos armazenar instruções lógicas, aritméticas e de tomada de decisão; CPU (Central Processing Unit Unidade Central de Processamento) CPU (Central Processing

Leia mais

ULA. Combina uma variedade de operações lógicas e matemáticas dentro de uma única unidade.

ULA. Combina uma variedade de operações lógicas e matemáticas dentro de uma única unidade. PROCESSADOR ULA Combina uma variedade de operações lógicas e matemáticas dentro de uma única unidade. ULA Uma ULA típica pode realizar as operações artiméticas: - adição; - subtração; E lógicas: - comparação

Leia mais

http://www.ic.uff.br/~debora/fac! 1 Capítulo 4 Livro do Mário Monteiro Introdução Hierarquia de memória Memória Principal Organização Operações de leitura e escrita Capacidade 2 Componente de um sistema

Leia mais

14/3/2016. Prof. Evandro L. L. Rodrigues

14/3/2016. Prof. Evandro L. L. Rodrigues SEL 433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I SEL-433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I Prof. Evandro L. L. Rodrigues Tópicos do curso Conceitos básicos - Aplicações e utilizações dos microcontroladores

Leia mais

Unidade Central de Processamento UCP (CPU)

Unidade Central de Processamento UCP (CPU) Unidade Central de Processamento UCP (CPU)! Arquitetura Convencional (Von Neumann) UCP BARRAMENTO MEMÓRIA PRINCIPAL ENTRADA E SAÍDA ! Visão geral da CPU UC - UNIDADE DE CONTROLE REGISTRADORES A B C D ALU

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES CAPÍTULO4: MEMÓRIAPRINCIPAL

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES CAPÍTULO4: MEMÓRIAPRINCIPAL ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES CAPÍTULO4: MEMÓRIAPRINCIPAL MEMÓRIA Componente de um sistema de computação cuja função é armazenar informações que são manipuladas pelo sistema para que possam ser recuperadas

Leia mais

Estrutura da Apresentação. Introdução ao Processamento Paralelo e Distribuído. Conceitos em PPD. Conceitos em PPD 4/26/09.

Estrutura da Apresentação. Introdução ao Processamento Paralelo e Distribuído. Conceitos em PPD. Conceitos em PPD 4/26/09. Estrutura da Apresentação Introdução ao rocessamento aralelo e Distribuído Conceitos em rocessamento aralelo e Distribuído; Frentes de trabalho e pesquisa em D; O D no Rio Grande do Sul; Observações finais.

Leia mais

Sistemas Operacionais. Rodrigo Rubira Branco rodrigo@kernelhacking.com rodrigo@fgp.com.br. www.fgp.com.br

Sistemas Operacionais. Rodrigo Rubira Branco rodrigo@kernelhacking.com rodrigo@fgp.com.br. www.fgp.com.br Sistemas Operacionais Rodrigo Rubira Branco rodrigo@kernelhacking.com rodrigo@fgp.com.br Tipos de Sistemas Operacionais De Sistemas Embarcados (PalmOS,WinCE,WinXPEmbbeded,Linux) Hardware simples, especifico

Leia mais

Processamento Paralelo

Processamento Paralelo Processamento Paralelo por Helcio Wagner da Silva Introdução Tradicionalmente, o computador tem sido visto como uma máquina seqüencial Esta visão nunca foi completamente verdadeira No nível das µo, vários

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Processamento Paralelo

Arquitetura de Computadores. Processamento Paralelo Arquitetura de Computadores Processamento Paralelo 1 Multiprogramação e Multiprocessamento Múltiplas organizações de computadores Single instruction, single data stream - SISD Single instruction, multiple

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores Arquitetura e Organização de Computadores Unidade Central de Processamento (CPU) Givanaldo Rocha de Souza http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br Baseado nos slides do capítulo

Leia mais

1. Conceitos Básicos de Computação

1. Conceitos Básicos de Computação Introdução à Computação I IBM1006 1. Conceitos Básicos de Computação Prof. Renato Tinós Local: Depto. de Computação e Matemática (FFCLRP/USP) 1 Principais Tópicos 1.Conceitos Básicos de Computação 1.1.

Leia mais

O Funcionamento do Processador

O Funcionamento do Processador O Funcionamento do Processador Arquiteturas para Alto Desmpenho Prof. pauloac@ita.br Sala 110 Prédio da Computação www.comp.ita.br/~pauloac Os cinco componentes clássicos de um Computador - Controle O

Leia mais

Unidade Central de Processamento (CPU) Processador. Bernardo Gonçalves Introdução ao Computador 2008/01

Unidade Central de Processamento (CPU) Processador. Bernardo Gonçalves Introdução ao Computador 2008/01 Unidade Central de Processamento (CPU) Processador Bernardo Gonçalves Introdução ao Computador 2008/01 Componentes de um Computador (1) Computador Eletrônico Digital É um sistema composto por: Memória

Leia mais

30/5/2011. Sistemas computacionais para processamento paralelo e distribuído

30/5/2011. Sistemas computacionais para processamento paralelo e distribuído Arquitetura de Computadores Sistemas computacionais para processamento paralelo e distribuído Prof. Marcos Quinet Universidade Federal Fluminense UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO Processamento

Leia mais

Arquitetura e Organização de Processadores. Aulas 06 e 07. Superescalaridade

Arquitetura e Organização de Processadores. Aulas 06 e 07. Superescalaridade Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Informática Programa de Pós-Graduação em Computação Arquitetura e Organização de Processadores Aulas 06 e 07 Superescalaridade 1. Introdução princípios

Leia mais

SEL-433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I

SEL-433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I SEL 433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I SEL-433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I Apresentação do curso Critério de avaliação Média final = 0.8 * MP + 0.2 * ME onde MP = (P1 + P2) / 2 e ME = Notas

Leia mais

SSC510 Arquitetura de Computadores. 6ª aula

SSC510 Arquitetura de Computadores. 6ª aula SSC510 Arquitetura de Computadores 6ª aula PARALELISMO EM NÍVEL DE PROCESSOS PROFA. SARITA MAZZINI BRUSCHI Tipos de Paralelismo Instrução (granulosidade fina) Paralelismo entre as instruções Arquiteturas

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES TECNOLOGIAS EM REDES DE COMPUTADORES Semestre 2015.2 Prof. Dsc. Jean Galdino As principais arquiteturas de processadores são: Von Neumann; Harvard. ARQUITETURAS AULA 06 28/10/2015

Leia mais

Sistemas Operacionais I

Sistemas Operacionais I Sistemas Operacionais I Revisão de conceitos Sistemas Operacionais I Dionisio Gava Junior Componentes básicos Componentes Básicos da Tecnologia da Informação Hardware CPU, Memória e Periféricos de E/S.

Leia mais

ARQUITETURA DE HARDWARE Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar

ARQUITETURA DE HARDWARE Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar - Aula 4 - MEMÓRIA PRINCIPAL 1. INTRODUÇÃO O papel do processador é pegar os dados, processá-los conforme uma pré-programação e devolvê-los, não importando de onde vêm ou para vão. Por não existir uma

Leia mais

Processadores para computação de alto desempenho

Processadores para computação de alto desempenho Processadores para computação de alto desempenho Aleardo Manacero Jr. DCCE/UNESP Grupo de Sistemas Paralelos e Distribuídos Introdução Nesta aula apresentaremos características de processadores e como

Leia mais

Capítulo 5 Livro do Mário Monteiro Conceituação. Elementos de projeto de memória cache

Capítulo 5 Livro do Mário Monteiro Conceituação. Elementos de projeto de memória cache Capítulo 5 Livro do Mário Monteiro Conceituação Princípio da localidade Funcionamento da memória cache Elementos de projeto de memória cache Mapeamento de dados MP/cache Algoritmos de substituição de dados

Leia mais

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Sistemas Operacionais (SOP A2)

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Sistemas Operacionais (SOP A2) Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Sistemas Operacionais (SOP A2) Conceitos de Hardware e Software Referências: Arquitetura de Sistemas Operacionais. F. B. Machado, L. P. Maia. Editora

Leia mais

PROCESSADORES Unidade de Controle Unidade Aritmética e Lógica efetua memória de alta velocidade registradores Program Counter Instruction Register

PROCESSADORES Unidade de Controle Unidade Aritmética e Lógica efetua memória de alta velocidade registradores Program Counter Instruction Register PROCESSADORES Um computador digital consiste em um sistema interconectado de processadores, memória e dispositivos de entrada e saída. A CPU é o cérebro do computador. Sua função é executar programas armazenados

Leia mais

Organização de computadores. Aula 05

Organização de computadores. Aula 05 Organização de computadores Aula 05 2 Níveis de um computador Computadores possuem uma série de níveis Cada um construído sobre seus antecessores Cada um representa uma abstração distinta com diferentes

Leia mais

Processamento Paralelo

Processamento Paralelo Processamento Paralelo por Helcio Wagner da Silva Introdução Tradicionalmente, o computador tem sido visto como uma máquina seqüencial Esta visão nunca foi completamente verdadeira No nível das µo, vários

Leia mais

Organização e Arquitetura de computadores. Memórias

Organização e Arquitetura de computadores. Memórias Organização e Arquitetura de computadores Memórias Introdução Funcionamento básico de um sistema microprocessado (Figura 1.10, Gabriel Torres) Programas são armazenados aqui Controlador de memoria Dispositivos

Leia mais

Sumário. CAPÍTULO 1 Introdução 35. CAPÍTULO 2 Representação de Dados em Sistemas de Computação 73

Sumário. CAPÍTULO 1 Introdução 35. CAPÍTULO 2 Representação de Dados em Sistemas de Computação 73 Sumário CAPÍTULO 1 Introdução 35 1.1 Visão geral 35 1.2 Os principais componentes de um computador 37 1.3 Um sistema-exemplo: entrando no jargão 38 1.4 Organizações de padronização 47 1.5 Desenvolvimento

Leia mais

speedup aprimorado aprimorado Fração aprimorada speedup aprimorado Fração aprimorada speedup aprimorado Tempo original Fração aprimorada aprimorado

speedup aprimorado aprimorado Fração aprimorada speedup aprimorado Fração aprimorada speedup aprimorado Tempo original Fração aprimorada aprimorado Multiprocessadores - A evolução tecnológica dos processadores iria diminuir drasticamente. 2- O caminho para o aumento de desempenho é de unir mais de um processador para realizar a mesma tarefa em menos

Leia mais

Disciplina: Arquitetura de Computadores

Disciplina: Arquitetura de Computadores Disciplina: Arquitetura de Computadores Estrutura e Funcionamento da CPU Prof a. Carla Katarina de Monteiro Marques UERN Introdução Responsável por: Processamento e execução de programas armazenados na

Leia mais

CPU. Funções: Componentes: Processamento; Controle. UC (Unidade de Controle); Registradores; ALU s, FPU s etc. Arquitetura de Computadores 3

CPU. Funções: Componentes: Processamento; Controle. UC (Unidade de Controle); Registradores; ALU s, FPU s etc. Arquitetura de Computadores 3 CPU CPU Funções: Processamento; Controle Componentes: UC (Unidade de Controle); Registradores; ALU s, FPU s etc. Arquitetura de Computadores 3 Processador A função de um computador é executar tarefas

Leia mais

Instruções de Máquina

Instruções de Máquina Instruções de Máquina Operação básica (primitiva) que o hardware é capaz de executar diretamente Conjunto de bits que indica ao processador uma operação que ele deve realizar O projeto de um processador

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MEMÓRIA. Prof. Dr. Daniel Caetano

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MEMÓRIA. Prof. Dr. Daniel Caetano ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MEMÓRIA Prof. Dr. Daniel Caetano 2014-1 Objetivos Compreender o que é a memória e sua hierarquia Compreender os diferentes tipos de memória Entender como é feito o acesso à

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE Campus Ibirama

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE Campus Ibirama INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE Campus Ibirama Arquitetura de Hardware Professor Eduardo Stahnke Arquiteturas Grande diversidade das arquiteturas de computadores Componentes básicos do computador Os Principais

Leia mais

Organização de Sistemas Computacionais Processadores: Organização da CPU

Organização de Sistemas Computacionais Processadores: Organização da CPU Universidade Paulista UNIP Curso: Ciências da Computação Turma: CCP30 Turno: Noturno Disciplina: Arquitetura de Computadores Professor: Ricardo Loiola Alunos: Thiago Gomes dos Santos Matrícula: C63873-0

Leia mais

Sistemas Operacionais. Visão Geral

Sistemas Operacionais. Visão Geral Sistemas Operacionais P R O F. B R U N O A L B U Q U E R Q U E S C R I G N O L I Visão Geral Organização da Apresentação Introdução Componentes de um Sistema de Computação Conceito de SO Objetivos de um

Leia mais

ULA (ALU) - UNIDADE DE ARITMÉTICA E LÓGICA

ULA (ALU) - UNIDADE DE ARITMÉTICA E LÓGICA FATEC SP - Análise e Desenvolv. De Sistemas - Ambiente Operacional PÁG. 1 II) ELEMENTOS DE HARDWARE: DIAGRAMA DE BLOCOS DE UM COMPUTADOR 1) CPU - UNIDADE CENTRAL DE PROCESSAMENTO RESPONSÁVEL PELA EXECUÇÃO

Leia mais

AULA 03: FUNCIONAMENTO DE UM COMPUTADOR

AULA 03: FUNCIONAMENTO DE UM COMPUTADOR ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES I AULA 03: FUNCIONAMENTO DE UM COMPUTADOR Prof. Max Santana Rolemberg Farias max.santana@univasf.edu.br Colegiado de Engenharia de Computação O QUE É UM COMPUTADOR?

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 3 Visão de alto nível da função e interconexão do computador slide 1 Conceito de programa Sistemas hardwired são inflexíveis.

Leia mais

EA869 Pipeline. Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Prof.

EA869 Pipeline. Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Prof. EA869 Pipeline Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Prof. Levy Boccato 1 Objetivos Conhecer técnicas de como melhorar o desempenho de um processador.

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 10 Conjuntos de instruções: Características e funções slide 1 O que é um conjunto de instruções? A coleção completa de instruções

Leia mais

Entrada e Saída e Dispositivos

Entrada e Saída e Dispositivos Entrada e Saída e Dispositivos Uma das funções do Sistema Operacional é: - Gerência de dispositivos de E/S. Operações: - Tratamento de interrupções - Tratamento erros - Interfaceamento entre os dispositivos

Leia mais

Memória Principal. Tiago Alves de Oliveira

Memória Principal. Tiago Alves de Oliveira Memória Principal Tiago Alves de Oliveira tiago@div.cefetmg.br Memória Principal Capítulo 4 Livro do Mário Monteiro Introdução Hierarquia de memória Memória Principal Organização Operações de leitura e

Leia mais

Arquitetura de Computadores

Arquitetura de Computadores Arquitetura de Computadores Componentes básicos de um computador Memória Processador Periféricos Barramento O processador (ou microprocessador) é responsável pelo tratamento de informações armazenadas

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Memória Cache Slide 1 Introdução Tamanho Função de Mapeamento Política de Escrita Tamanho da Linha Número de Memórias Cache Cache em Níveis Slide 2 Introdução

Leia mais

4. As condições de igualdade menor que e maior que são verificadas por a. Operações lógicas b. Subtração c. Localizações d. Operações aritméticas

4. As condições de igualdade menor que e maior que são verificadas por a. Operações lógicas b. Subtração c. Localizações d. Operações aritméticas Fundamentos da Informática Aula 05 - A unidade central de processamento: O que acontece dentro do computador Exercícios - RESPOSTAS Professor: Danilo Giacobo Múltipla escolha 1. Os circuitos elétricos

Leia mais

18/10/2010. Unidade de Controle Controle. UC Microprogramada

18/10/2010. Unidade de Controle Controle. UC Microprogramada Arquitetura de Computadores Unidade de Controle Controle Microprogramado Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO UC Microprogramada

Leia mais

MEMÓRIAS SEMICONDUTORAS

MEMÓRIAS SEMICONDUTORAS MEMÓRIAS SEMICONDUTORAS Em um sistema computacional subentende-se memória como qualquer dispositivo capaz de armazenar dados, mesmo temporariamente. Atualmente, os métodos de armazenamento de informação

Leia mais

ARMAZENAMENTO SECUNDÁRIO, PARTE 2

ARMAZENAMENTO SECUNDÁRIO, PARTE 2 ARMAZENAMENTO SECUNDÁRIO, PARTE 2 Professora Rosane Minghim PAE 2012: Rafael M. Martins 2012 Baseado em: Leandro C. Cintra e M.C.F. de Oliveira Fonte: Folk & Zoelick, File Structures Disco como gargalo

Leia mais

Aula 11: Memória Principal: Conceitos Básicos e Organização

Aula 11: Memória Principal: Conceitos Básicos e Organização Aula 11: Memória Principal: Conceitos Básicos e Organização Diego Passos Universidade Federal Fluminense Fundamentos de Arquiteturas de Computadores Diego Passos (UFF) Memória Principal: Conceitos Básicos

Leia mais

Elementos Físicos do SC e a Classificação de Arquiteturas

Elementos Físicos do SC e a Classificação de Arquiteturas Elementos Físicos do SC e a Classificação de Arquiteturas IFBA Instituto Federal de Educ. Ciencia e Tec Bahia Curso de Analise e Desenvolvimento de Sistemas Arquitetura de Computadores 9 e 10/40 Prof.

Leia mais

Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara Carga Horária: 2h/60h

Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara Carga Horária: 2h/60h Pipelining Avançado Prof. Rômulo Calado Pantaleão Camara Carga Horária: 2h/60h Introdução A técnica de pipelining explora o paralelismo entre as instruções Paralelismo em Nível de Instrução (ILP). Métodos

Leia mais

3. DESCRIÇÃO DO SPARC Histórico

3. DESCRIÇÃO DO SPARC Histórico 20 3. DESCRIÇÃO DO SPARC 3.1 - Histórico O SPARC, acrossemia para Scalable Processor ARChitecture, originou-se nos projetos pioneiros de Berkeley, desenvolvidos a partir de 1981 por alunos de graduação

Leia mais

Hardware Conceitos Básicos. Introdução*à*Informática 14

Hardware Conceitos Básicos. Introdução*à*Informática 14 Hardware Conceitos Básicos Introdução*à*Informática 14 Hardware Conceitos Básicos Componentes principais de um computador Introdução*à*Informática 15 Hardware Conceitos Básicos CPU (Unidade Central de

Leia mais

Circuitos Lógicos Aula 26

Circuitos Lógicos Aula 26 Circuitos Lógicos Aula 26 Aula passada Mais adição Circuito com maior largura Subtração Mais ULA Aula de hoje Memória Funcionamento e arquitetura ROM, RAM e variações Processador Intel Memória Memória:

Leia mais

ENDEREÇAMENTO DE INSTRUÇÕES. Adão de Melo Neto

ENDEREÇAMENTO DE INSTRUÇÕES. Adão de Melo Neto ENDEREÇAMENTO DE INSTRUÇÕES Adão de Melo Neto 1 TIPOS DE OPERAÇÕES 2 TIPOS DE OPERAÇÕES TIPOS DE INSTRUÇÕES/OPERAÇÕES (RELEMBRANDO) 3 INTRODUÇÃO TIPOS DE INSTRUÇÕES/OPERAÇÕES (RELEMBRANDO) 4 INTRODUÇÃO

Leia mais

William Stallings Organização de computadores digitais. Capítulo 11 Estrutura e função da CPU

William Stallings Organização de computadores digitais. Capítulo 11 Estrutura e função da CPU William Stallings Organização de computadores digitais Capítulo 11 Estrutura e função da CPU Encruzilhada na arquitetura de computadores 2004/2005 Antiga opinião Nova visão a energia é de graça, os transistores

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores. Ivan Saraiva Silva

Organização e Arquitetura de Computadores. Ivan Saraiva Silva Organização e Arquitetura de Computadores Hierarquia de Memória Ivan Saraiva Silva Hierarquia de Memória A Organização de Memória em um computador é feita de forma hierárquica Registradores, Cache Memória

Leia mais

AULA1 Introdução a Microprocessadores gerais. Disciplina: Aplicações Avançadas de Microprocessadores (AAM)

AULA1 Introdução a Microprocessadores gerais. Disciplina: Aplicações Avançadas de Microprocessadores (AAM) AULA1 Introdução a Microprocessadores gerais Disciplina: Aplicações Avançadas de Microprocessadores (AAM) Tópicos: Conceitos gerais Evolução dos Microprocessadores Arquiteturas Principais características

Leia mais