Cromossomos sexuais e suas anomalias

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cromossomos sexuais e suas anomalias"

Transcrição

1 Cromossomos sexuais e suas anomalias Síndrome de Turner ou Monossomia do cromossomo X A Síndrome de Turner, descrita na década de 40, é característica do sexo feminino e ocorre numa proporção de 1:2500 a 1:5000 nascimentos vivos, cujo cariótipo observado é 45,X. Indivíduos com síndrome de Turner são mulheres e normalmente possuem fenótipo característico, podendo ser observado na figura abaixo: Fenótipo de uma mulher com a síndrome de Turner 45,X. O quadro clínico é evidenciado pela baixa estatura, infantilismo genital e disgenesia ovariana. Síndrome de Klinefelter A síndrome de Klinefelter, restrita aos homens, está associada, na maioria dos casos, a um cariótipo 47, XXY. Essa síndrome afeta entre 1/500 e 1/1000 homens e é uma causa comum de hipogonadismo masculino primário (deficiência funcional dos testículos que acarreta insuficiência no desenvolvimento sexual). 1

2 O cromossomo X adicional é de origem materna em cerca de 50% dos casos de Klinefelter e a incidência aumenta com a idade materna avançada. O mosaicismo cromossômico (presença de linhagens celulares com diferentes cariótipos, sendo um deles normal para o sexo masculino - 46, XY) é observado em cerca de 15% dos casos da síndrome de Klinefelter e aumenta a probabilidade da produção de esperma viável. Os portadores são altos e magros e têm pernas relativamente longas. Observe a figura abaixo: Fenótipo de um homem com a síndrome de Klinefelter 47, XXY. A ginecomastia (desenvolvimento de seios) é vista em aproximadamente 1/3 dos homens afetados e leva a um risco aumentado de câncer de mama. Existe uma predisposição para incapacidade de aprendizagem e uma redução no QI verbal. Parecem fisicamente normais até a puberdade, quando os sinais de hipogonadismo se tornam óbvios. Devido a essas características, o diagnóstico na pré-puberdade é difícil, pois os sinais clínicos não são suficientemente nítidos. 2

3 Trissomia do X A Trissomia do X (47, XXX) ou síndrome do triplo X só ocorre em mulheres, em aproximadamente 1/1000 mulheres, como cariótipo mostrado na figura a seguir: Cariótipo de um indivíduo com a Trissomia do X (47, XXX) As portadoras dessa doença genética, embora de estatura geralmente acima da média, não são fenotipicamente anormais, não apresentando, assim, nenhuma diferença ou aberração na sua aparência física. Nas células 47, XXX, dois dos cromossomos X são inativados e de replicação tardia. Quase todos os casos resultam de erros na meiose materna. Algumas mulheres com trissomia do X são identificadas em clínicas de infertilidade, há um déficit significativo do desempenho em testes de QI e cerca de 70% dos pacientes têm problemas do aprendizado graves. Podem, também, ter convulsões epiléticas. Também foram vistas mulheres com 4, 5 ou até mais cromossomos X em que cada cromossomo X adicional é acompanhado por retardo mental aumentado e anomalias físicas. 3

4 Síndrome 47, XYY Nessa aneuploidia do cromossomo Y, é observado o cariótipo 47, XYY, como mostrado na figura: Cariótipo de um indivíduo com a Síndrome 47, XYY Homens com esse cariótipo tendem a ser mais altos do que a média e possuem redução de 10 a 15 pontos no QI médio. Observe a figura abaixo: Fenótipo de um homem com a Síndrome de 47, XYY 4

5 Essa condição despertou grande interesse médico e científico após trabalhos de Jacob e colaboradores, em 1968, os quais observaram que a proporção de homens XYY era bem maior entre os detentos de uma prisão de segurança máxima do que na população em geral. Isso levou a sugestão que esse cariótipo pode conferir uma predisposição ao comportamento criminoso, violento. Existe, contudo, evidência de distúrbios comportamentais menores, tais como hiperatividade, distúrbio do déficit de atenção e incapacidade de aprendizado. Dentre os meninos nativivos, a frequência do cariótipo 47, XYY é de cerca de 1 em A origem do erro que leva ao cariótipo XYY deve ser a nãodisjunção paterna na meiose II, produzindo espermatozoides YY. 5

Biologia. Mutações e Aconselhamento Genético. Professor Enrico Blota.

Biologia. Mutações e Aconselhamento Genético. Professor Enrico Blota. Biologia Mutações e Aconselhamento Genético Professor Enrico Blota www.acasadoconcurseiro.com.br Biologia MUTAÇÕES Mutação é uma mudança ou alteração no conteúdo genético de uma célula ou de um ser vivo.

Leia mais

AS ANOMALIAS CROMOSSÔMICAS EM HUMANOS

AS ANOMALIAS CROMOSSÔMICAS EM HUMANOS AS ANOMALIAS CROMOSSÔMICAS EM HUMANOS Incidência global de anormalidades cromossômicas em recém-nascidos = 1 em 160 nascimentos. Frequência total de anormalidades cromossômicas em abortos espontâneos =

Leia mais

Determinação e Diferenciação Sexuais

Determinação e Diferenciação Sexuais Determinação e Diferenciação Sexuais Profa. Dra. Ester Silveira Ramos Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Universidade de São Paulo esramos@rge.fmrp.usp.br Sexo genético Sexo gonadal Genitália interna

Leia mais

Os cromossomos dos seres vivos são classificados em autossômicos e sexuais, estes são responsáveis pela determinação do sexo.

Os cromossomos dos seres vivos são classificados em autossômicos e sexuais, estes são responsáveis pela determinação do sexo. HERANÇA E SEXO Os cromossomos dos seres vivos são classificados em autossômicos e sexuais, estes são responsáveis pela determinação do sexo. SISTEMA XY A fêmea possui par de cromossomos homólogos (xx)

Leia mais

1. Na família abaixo há três indivíduos afetados por uma doença neurológica muito rara.

1. Na família abaixo há três indivíduos afetados por uma doença neurológica muito rara. 1. Na família abaixo há três indivíduos afetados por uma doença neurológica muito rara. I Dê as razões para que essa doença tenha ou não tenha herança: a ligada ao X dominante. Não é esse o padrão de herança,

Leia mais

Professora Leonilda Brandão da Silva

Professora Leonilda Brandão da Silva COLÉGIO ESTADUAL HELENA KOLODY E.M.P. TERRA BOA - PARANÁ Pág. 86 Professora Leonilda Brandão da Silva E-mail: leonildabrandaosilva@gmail.com http://professoraleonilda.wordpress.com/ 4 OUTROS TIPOS DE HERANÇA

Leia mais

Aberrações Cromossômicas

Aberrações Cromossômicas Aberrações Cromossômicas adsense1 As aberrações cromossômicas podem ser numéricas ou estruturais e envolver um ou mais autossomos, cromossomos sexuais ou ambos. As aberrações cromossômicas numéricas incluem

Leia mais

Alterações do material genético

Alterações do material genético Alterações do material genético Alterações do material genético Agentes internos ou externos causam alterações nos genes ou nos cromossomas MUTAÇÕES (ex: anemia falciforme, trissomia 21) Tecnologia permite

Leia mais

Alterações cromossômicas - Genética 2015/2

Alterações cromossômicas - Genética 2015/2 Conjunto de todas as informações sobre os cromossomos de uma espécie: número, tamanho, forma e tipos de cromossomos. Ser humano: 46 cromossomos. 23 pares. Mudança na estrutura dos cromossomos pode alterar

Leia mais

PADRÃO DE HERANÇA LIGADA AO CROMOSSOMO X

PADRÃO DE HERANÇA LIGADA AO CROMOSSOMO X PADRÃO DE HERANÇA LIGADA AO CROMOSSOMO X HOMENS: apresenta um X e um Y XY sexo heterogamético o seus gametas serão metade com cromossomo X e metade com cromossomo Y MULHER: apresenta dois X XX sexo homogamético

Leia mais

Aluno (a): Para as questões de Ciências Exatas têm que ser apresentados os respectivos cálculos.

Aluno (a): Para as questões de Ciências Exatas têm que ser apresentados os respectivos cálculos. Aluno (a): Matemática 1ª) Determine o conjunto solução das equações a seguir. a) x 4 + 2x 2 + 1 = 0 b) m 4 2m 2 8 = 0 c) 3x + 16 = 4 d) 2x 3 = x 1 2ª) A soma dos inversos de dois números inteiros e consecutivos

Leia mais

Divisão Celular: Mitose e Meiose. Profa. MSc. Monyke Lucena

Divisão Celular: Mitose e Meiose. Profa. MSc. Monyke Lucena Profa. MSc. Monyke Lucena 1) Conceitos Prévios Cromossomo: Estrutura que contém uma longa molécula de DNA associada a proteínas histonas, visível ao microscópio óptico em células metafásicas. Cromossomo

Leia mais

Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros

Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros Núcleo Celular Interfásico; Em divisão. Aula 03: Núcleo Interfásico 1. Funções do Núcleo Interfásico Carioteca: proteção; Controle do transporte de informações

Leia mais

Aula 17 Herança dos cromossomos sexuais

Aula 17 Herança dos cromossomos sexuais Aula 17 Herança dos cromossomos sexuais Quando observamos os conjuntos cromossômicos de células diplóides masculinas e femininas, percebemos a diferença em um dos pares dos cromossomos: os cromossomos

Leia mais

-A meiose é um dos processos evolutivamente mais importantes para a diversificação dos seres vivos

-A meiose é um dos processos evolutivamente mais importantes para a diversificação dos seres vivos -A meiose é um dos processos evolutivamente mais importantes para a diversificação dos seres vivos - Sem a meiose não seria possível o surgimento da fecundação sem a duplicação do número de cromossomos

Leia mais

Mutações. As mutações podem ser gênicas quando alteram a estrutura do DNA ou cromossômicas quando alteram a estrutura ou o número de cromossomos.

Mutações. As mutações podem ser gênicas quando alteram a estrutura do DNA ou cromossômicas quando alteram a estrutura ou o número de cromossomos. Mutações As mutações podem ser gênicas quando alteram a estrutura do DNA ou cromossômicas quando alteram a estrutura ou o número de cromossomos. Mutações As mutações são espontâneas e podem ser silenciosas,

Leia mais

BIO Genética e Evolução Ciencias Biomedicas. Atividade 6 Montagem de cariótipos

BIO Genética e Evolução Ciencias Biomedicas. Atividade 6 Montagem de cariótipos Instituto de biociências BIO0230 - Genética e Evolução Ciencias Biomedicas Atividade 6 Montagem de cariótipos Introdução O número total de células em um humano adulto médio é algo em torno de 100 trilhões,

Leia mais

Divisão Celular: Mitose e Meiose. Divisão Celular: Mitose e Meiose

Divisão Celular: Mitose e Meiose. Divisão Celular: Mitose e Meiose Tema: Divisão celular: Mitose e Meiose 1) Conceitos Prévios Cromossomo: Estrutura que contém uma longa molécula de DNA associada a proteínas histonas, visível ao microscópio óptico em células metafásicas.

Leia mais

CITOGENÉTICA CROMOSSOMOS

CITOGENÉTICA CROMOSSOMOS CITOGENÉTICA CROMOSSOMOS 1 CROMOSSOMOS Os cromossomos são estruturas filamentosas localizadas no interior do núcleo das células. Os cromossomos contém os genes que são os transmissores das caracterís2cas

Leia mais

Glossário. Formas alternativas de um gene no mesmo locus (posição no cromossoma). Uma pessoa herda um alelo do pai e outro alelo da mãe

Glossário. Formas alternativas de um gene no mesmo locus (posição no cromossoma). Uma pessoa herda um alelo do pai e outro alelo da mãe Glossário aborto espontâneo aconselhamento genético alelos aneuploidia anomalia cromossómica autossómico recessivo BRCA cariótipo caso índice citogeneticista Perda gestacional de um feto não viável antes

Leia mais

premium Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno

premium Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno Software de resultados BGI com marca CE (Conformidade Europeia) para a trissomia 21 Detecta as trissomias fetais dos cromossomos 21, 18 e 13 Informa sobre as trissomias fetais 9, 16 e 22 Informa sobre

Leia mais

Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno

Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno Software de resultados BGI com marca CE (Conformidade Europeia) para a trissomia 21 Detecta as trissomias fetais dos cromossomos 21, 18 e 13 Informa

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 56 HERANÇA RESTRITA, INFLUENCIADA E LIMITADA PELO SEXO

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 56 HERANÇA RESTRITA, INFLUENCIADA E LIMITADA PELO SEXO BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 56 HERANÇA RESTRITA, INFLUENCIADA E LIMITADA PELO SEXO Como pode cair no enem Na espécie humana a determinação sexual é feita por um par de cromossomos, X e Y. O indivíduo do

Leia mais

Alterações Cromossômicas Estruturais:

Alterações Cromossômicas Estruturais: Alterações Cromossômicas Estruturais: Alteração no n de genes: - deleções - duplicações - cromossomos em anel - isocromossomos Mudança na localização de genes: - inversões - translocações Deleção: perda

Leia mais

NÚCLEO CELULAR. Disciplina: Embriologia e Genética Curso Odontologia Profa Ednilse Leme

NÚCLEO CELULAR. Disciplina: Embriologia e Genética Curso Odontologia Profa Ednilse Leme NÚCLEO CELULAR Disciplina: Embriologia e Genética Curso Odontologia Profa Ednilse Leme A presença do núcleo é a principal característica que distingue a célula eucariótica da procariótica. No núcleo está

Leia mais

PUBERDADE PRECOCE E TARDIA

PUBERDADE PRECOCE E TARDIA HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO OESTE DO PARANÁ LIGA MÉDICO-ACADÊMICA DE PEDIATRIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ LIPED-UNIOESTE RESIDÊNCIA MÉDICA DE PEDIATRIA PUBERDADE PRECOCE E TARDIA Acadêmico

Leia mais

FREQUÊNCIA DE ANORMALIDADES CROMOSSÔMICAS EM INDIVÍDUOS ATENDIDOS EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES MOLECULARES EM MARINGÁ - PR

FREQUÊNCIA DE ANORMALIDADES CROMOSSÔMICAS EM INDIVÍDUOS ATENDIDOS EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES MOLECULARES EM MARINGÁ - PR FREQUÊNCIA DE ANORMALIDADES CROMOSSÔMICAS EM INDIVÍDUOS ATENDIDOS EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES MOLECULARES EM MARINGÁ - PR Ayla Carolina de Almeida Discente do 4º ano do Curso de Biomedicina da UNI- CESUMAR

Leia mais

Síndromes cromossômicas. Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte.

Síndromes cromossômicas. Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte. Síndromes cromossômicas Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte. Introdução: As anomalias cromossômicas sexuais ocorrem em virtude de meioses atípicas, durante a produção de gametas (espermatozoide e óvulo).

Leia mais

Técnicas utilizadas para estudo citogenético clínico. Prof. Dr. Bruno Lazzari de Lima

Técnicas utilizadas para estudo citogenético clínico. Prof. Dr. Bruno Lazzari de Lima Técnicas utilizadas para estudo citogenético clínico Prof. Dr. Bruno Lazzari de Lima Citogenética Clínica Estudo do cromossomo aplicado à prática da genética médica. 40 anos atrás Distúrbios cromossômicos

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA SUBSTITUTIVA DE BIOLOGIA

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA SUBSTITUTIVA DE BIOLOGIA COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 1ª PROVA SUBSTITUTIVA DE BIOLOGIA Aluno(a): Nº Ano: 1º Turma: Data: Nota: Professor(a): Regina Volpato e Gabriela Valor da Prova: 65 pontos Orientações

Leia mais

. a d iza r to u a ia p ó C II

. a d iza r to u a ia p ó C II II Sugestões de avaliação Ciências 8 o ano Unidade 3 5 Unidade 3 Nome: Data: 1. As bactérias não têm núcleo nem DNA. Você concorda com essa afirmação? Justifique. 2. Uma mulher de 40 anos de idade está

Leia mais

Sumário ANEXO I COMUNICADO HERMES PARDINI

Sumário ANEXO I COMUNICADO HERMES PARDINI Sumário ANEXO I COMUNICADO HERMES PARDINI Conteúdo 17 ALFA HIDROXIPROGESTERONA ALTERAÇÕES NO EXAME... 2 DEOXIPIRIDINOLINA SUBSTITUIÇÃO DE EXAME... 5 ESTUDO MOLECULAR DO GENE MSH2 - HNPCC ALTERAÇÃO DO EXAME...

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS

LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS P1-4º BIMESTRE 8º ANO FUNDAMENTAL II Aluno (a): Turno: Turma: Unidade Data: / /2016 HABILIDADES E COMPETÊNCIAS Identificar as principais mudanças pelas quais o indivíduo passa

Leia mais

O NÚCLEO CELULAR Descoberto em 1833 pelo pesquisador escocês Robert Brown.

O NÚCLEO CELULAR Descoberto em 1833 pelo pesquisador escocês Robert Brown. O NÚCLEO CELULAR Descoberto em 1833 pelo pesquisador escocês Robert Brown. Ocorrência- células eucariontes; Características - contém o DNA da célula. Funções básicas: regular as reações químicas que ocorrem

Leia mais

Revisão geral 8º ANO.

Revisão geral 8º ANO. Revisão geral 8º ANO. Cromossomos e Determinação do sexo biológico 46 Cromossomos (Total) 44 Cromossomos Autossomos 2 Cromossomos Sexuais Cariótipo e Cariograma XX (Feminino) XY (Masculino) Genes Alelos

Leia mais

Sobre a alteração cromossômica referida no texto, afirma-se que:

Sobre a alteração cromossômica referida no texto, afirma-se que: 01 - (UEPA) Pela primeira vez, cientistas conseguiram identificar uma maneira de neutralizar a alteração genética responsável pela Síndrome de Down. Em um estudo feito com células de cultura, pesquisadores

Leia mais

QUESTÕES SOBRE MEIOSE/MITOSE

QUESTÕES SOBRE MEIOSE/MITOSE 1) Durante a meiose, o pareamento dos cromossomos homólogos é importante porque garante: (A) a separação dos cromossomos não homólogos. (B) a duplicação do DNA, indispensável a esse processo. (C) a formação

Leia mais

Aconselhamento Genético e Diagnóstico Pré-natal

Aconselhamento Genético e Diagnóstico Pré-natal Aconselhamento Genético e Diagnóstico Pré-natal O aconselhamento genético constitui-se de um processo de comunicação que trata dos problemas humanos associados com a ocorrência, ou risco de ocorrência

Leia mais

Infertilidade e Perda Fetal. Caracterização da Contribuição dos Distúrbios Genéticos

Infertilidade e Perda Fetal. Caracterização da Contribuição dos Distúrbios Genéticos Infertilidade e Perda Fetal Caracterização da Contribuição dos Distúrbios Genéticos Esterilidade e Infertilidade 1.Conceitos: Esterilidade casais que mantêm relações sem proteção durante no mínimo um ano(antes

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO ESPECIALISTA DE LABORATÓRIO EDITAL IB ATAD

CONCURSO PÚBLICO ESPECIALISTA DE LABORATÓRIO EDITAL IB ATAD CONCURSO PÚBLICO ESPECIALISTA DE LABORATÓRIO EDITAL IB ATAD 24-2012 1ª Prova: Múltipla Escolha Data: 05-09-2012 INSTRUÇÕES PARA FAZER A PROVA: 1) COLOCAR NOME EM TODAS AS PÁGINAS 2) ESCREVER DE FORMA LEGÍVEL

Leia mais

INVESTIGAÇÃO DOS PADRÕES DE HERDABILIDADE DE DOENÇAS HUMANAS: MUTAÇÕES GÊNICAS E CROMOSSÔMICAS

INVESTIGAÇÃO DOS PADRÕES DE HERDABILIDADE DE DOENÇAS HUMANAS: MUTAÇÕES GÊNICAS E CROMOSSÔMICAS CIÊNCIAS DA SAÚDE INVESTIGAÇÃO DOS PADRÕES DE HERDABILIDADE DE DOENÇAS HUMANAS: MUTAÇÕES GÊNICAS E CROMOSSÔMICAS GOUVEIA, Jhonathan Luiz. Estudante do Curso de Medicina- ILACVN UNILA; E-mail:jhonathan.gouveia@aluno.unila.edu.br;

Leia mais

As Mutações. Aumento da biodiversidade

As Mutações. Aumento da biodiversidade As Mutações Aumento da biodiversidade Mutações As mutações são espontâneas e podem ser silenciosas, ou seja, não alterar a proteína ou sua ação. Podem ainda ser letais, quando provocam a morte, ou ainda

Leia mais

Professora Leonilda Brandão da Silva

Professora Leonilda Brandão da Silva COLÉGIO ESTADUAL HELENA KOLODY E.M.P. TERRA BOA - PARANÁ Professora Leonilda Brandão da Silva E-mail: leonildabrandaosilva@gmail.com http://professoraleonilda.wordpress.com/ CAPÍTULO 15 Leitura do texto

Leia mais

Biologia Genética Fácil [20 Questões]

Biologia Genética Fácil [20 Questões] Biologia Genética Fácil [20 Questões] 01 - (ESCS DF) Em uma população, conhece-se a freqüência de daltônicos. Sabendo-se que nela, o número de mulheres e de homens é aproximadamente igual e conhecendo-se

Leia mais

A presentamos, a seguir, a descrição dos

A presentamos, a seguir, a descrição dos PROPOSTAS PARA DESENVOLVER EM SALA DE AULA NÚMERO 5 JULHO DE 1997 EDITORA MODERNA ANALISANDO CARIÓTIPOS HUMANOS ABERRANTES J. M. Amabis* * e G. R. Martho Este folheto complementa e amplia as atividades

Leia mais

Biologia Genética Médio [20 Questões]

Biologia Genética Médio [20 Questões] Biologia Genética Médio [20 Questões] 01 - (ESCS DF) Em uma transfusão direta de sangue entre dois indivíduos, uma pessoa com sangue do tipo AB, Rh + recebe sangue do tipo B, Rh. Espera-se que, nessa transfusão,

Leia mais

Resolução de Questões de Provas Específicas de Biologia Aula 1

Resolução de Questões de Provas Específicas de Biologia Aula 1 Resolução de Questões de Provas Específicas de Biologia Aula 1 Resolução de Questões de Provas Específicas Aula 1 Biologia 1. (UERJ) Algumas células são capazes de enviar para o meio externo quantidades

Leia mais

Divisão Celular: Mitose e Meiose

Divisão Celular: Mitose e Meiose 1) Conceitos Prévios Cromossomo: Estrutura que contém uma longa molécula de DNA associada a proteínas histonas, visível ao microscópio óptico em células metafásicas. Cromossomo Condensação Proteína histona

Leia mais

Ficha de trabalho n.º 6 Hereditariedade Humana Turma: 12º A

Ficha de trabalho n.º 6 Hereditariedade Humana Turma: 12º A ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS BARREIRO BIOLOGIA - 12º ANO Ficha de trabalho n.º 6 Hereditariedade Humana Turma: 12º A Professora Isabel Lopes Em relação à teoria cromossómica da hereditariedade, podem

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 54 DETERMINAÇÃO DO SEXO

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 54 DETERMINAÇÃO DO SEXO BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 54 DETERMINAÇÃO DO SEXO Fixação 1) (UFRJ) Fazendeiros que criam gado leiteiro podem, atualmente, determinar o sexo dos embriões logo após a fertilização, usando um kit que

Leia mais

A Prevenção do retardo mental na Síndrome do X Frágil

A Prevenção do retardo mental na Síndrome do X Frágil LOGO A Prevenção do retardo mental na Síndrome do X Frágil Renata Ríspoli Gatti, Msc. Laboratório de Genética Humana Classificação > 200 CGG ~55 200 CGG Afetados Pré mutação 40 ~55 CGG Zona Gray 6 - ~40

Leia mais

CentoNIPT - Formulário de solicitação:

CentoNIPT - Formulário de solicitação: Código Promocional (se aplicável) CentoNIPT - Formulário de solicitação: Teste solicitado* Para gravidez de um único feto: CentoNIPT para aneuploidias nos cromossomos 21, 18, 13 e aneuploidias gonossômicas

Leia mais

Roteiro de Aula Prática 3º ano Prática 16 Alterações Cromossômicas

Roteiro de Aula Prática 3º ano Prática 16 Alterações Cromossômicas Roteiro de Aula Prática 3º ano Prática 16 Alterações Cromossômicas Pergunta: Os cromossomos ou o conjunto deles podem ser alterados? Como isso acontece e quais são as consequências? Objetivos: Diferenciar

Leia mais

Cromossomos Sexuais e Herança Genética. Genética Professora Catarina

Cromossomos Sexuais e Herança Genética. Genética Professora Catarina Cromossomos Sexuais e Herança Genética Genética Professora Catarina Espécie humana 23 pares de cromossomos 22 pares autossômicos 1 par cromossomos sexuais ( XY e XX) Cariótipo 46, XX 46, XY Sistema XY

Leia mais

Ciclo Celular: Mitose & Meiose Prof. Dr. Philip Wolff Prof. Dr. Renato M. Salgado

Ciclo Celular: Mitose & Meiose Prof. Dr. Philip Wolff Prof. Dr. Renato M. Salgado : Mitose & Meiose Prof. Dr. Philip Wolff Prof. Dr. Renato M. Salgado Onde surge uma célula, existia uma célula anteriormente, assim como os animais só podem surgir de animais, e as plantas, de plantas

Leia mais

Unidade 7. Reprodução e hereditariedade

Unidade 7. Reprodução e hereditariedade Unidade 7 Reprodução e hereditariedade O ESTUDO DA HEREDITARIEDADE Teoria da pré-formação ou Progênese: dentro de cada semente (gameta) existiam miniaturas de seres humanos, chamados homúnculos. Gregor

Leia mais

FAURGS HCPA Edital 02/2010 PS 17 BIÓLOGO I Genética Médica: Citogenética Pág. 1

FAURGS HCPA Edital 02/2010 PS 17 BIÓLOGO I Genética Médica: Citogenética Pág. 1 Pág. 1 HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL Nº 02/20 /2010 0 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS PROCESSO SELETIVO 17 BIÓLOGO I, BIOMÉDICO I ou FARMACÊUTICO-BIOQUÍMICO I Genética Médica:

Leia mais

CentoNIPT. Experiência em que pode confiar

CentoNIPT. Experiência em que pode confiar CentoNIPT Experiência em que pode confiar Como funcionam os testes pré-natais não invasivos? Pequenas quantidades de ADN de um bebé passam para a corrente sanguínea da sua mãe durante a gravidez. A nova

Leia mais

CentoNIPT. Experiência em que pode confiar

CentoNIPT. Experiência em que pode confiar CentoNIPT Experiência em que pode confiar CentoNIPT Experiência em que pode confiar O teste pré-natal convencional para anomalias cromossómicas fetais envolve a biópsia de vilo coriônico ou a amniocentese.

Leia mais

Gametogênese (espermatogênese)

Gametogênese (espermatogênese) Gametogênese (espermatogênese) Células germinativas (2n) Epidídimo (armazena espermatozóides) Período germinativo Período de crescimento Mitose 2n Mitoses Crescimento sem divisão celular 2n 2n 2n Túbulo

Leia mais

SÍNDROME DE DOWN: MORBIDADE E MORTALIDADE

SÍNDROME DE DOWN: MORBIDADE E MORTALIDADE SÍNDROME DE DOWN: MORBIDADE E MORTALIDADE SASAKI, Camila Nathami. SANTOS, João Vitor Brisolla Acadêmicos do curso de Graduação de Fisioterapia da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva SAVIAN,

Leia mais

GENÉTICA CLÍNICA: INVESTIGAÇÃO DOS PADRÕES DE HERDABILIDADE DE DOENÇAS HUMANAS MUTAÇÕES GENÉTICAS E CROMOSSÔMICAS

GENÉTICA CLÍNICA: INVESTIGAÇÃO DOS PADRÕES DE HERDABILIDADE DE DOENÇAS HUMANAS MUTAÇÕES GENÉTICAS E CROMOSSÔMICAS CIÊNCIAS DA SAÚDE GENÉTICA CLÍNICA: INVESTIGAÇÃO DOS PADRÕES DE HERDABILIDADE DE DOENÇAS HUMANAS MUTAÇÕES GENÉTICAS E CROMOSSÔMICAS ZANELLA, Jordana. Estudante do Curso de Medicina- ILACVN UNILA; E-mail:

Leia mais

APROFUNDAMENTO DE GENÉTICA TIO DARCYZÃO AGUIA PATO BRANCO-BELTRÃO-CASCAVEL

APROFUNDAMENTO DE GENÉTICA TIO DARCYZÃO AGUIA PATO BRANCO-BELTRÃO-CASCAVEL APROFUNDAMENTO DE GENÉTICA TIO DARCYZÃO AGUIA PATO BRANCO-BELTRÃO-CASCAVEL 01. Em abelhas, a cor dos olhos é condicionada por uma série de alelos múltiplos, constituída por cinco alelos, com as seguintes

Leia mais

Gametogênese e Aberrações cromossômicas. Profº MSc. Leandro Felício

Gametogênese e Aberrações cromossômicas. Profº MSc. Leandro Felício Gametogênese e Aberrações cromossômicas Profº MSc. Leandro Felício Gametogênese (espermatogênese) EPIDÍDIMO (armazena espermatozóides ) (em corte transversal) Ampliação de um TESTÍCULO Túbulo seminífero

Leia mais

O esquema representa o sistema digestório humano e os números indicam alguns dos seus componentes.

O esquema representa o sistema digestório humano e os números indicam alguns dos seus componentes. 89 e BIOLOGIA O esquema representa o sistema digestório humano e os números indicam alguns dos seus componentes. O local onde se inicia a digestão enzimática das gorduras que ingerimos como alimento está

Leia mais

Amenorréia. Amenorréia Secundária: Ausência de menstruação por três ciclos menstruais normais ou por seis meses (em mulher que já menstruou)

Amenorréia. Amenorréia Secundária: Ausência de menstruação por três ciclos menstruais normais ou por seis meses (em mulher que já menstruou) Amenorréia Amenorréia Definição: Amenorréia Primária: Ausência de menstruação aos 14 anos de idade sem características sexuais visíveis, ou aos 16 anos de idade na presença de características secundárias

Leia mais

Bases da Hereditariedade. Profa. Vanessa Silveira

Bases da Hereditariedade. Profa. Vanessa Silveira Bases da Hereditariedade Profa. Vanessa Silveira Roteiro de Aula 1. A informação genética: conceitos básicos 2. Base da Hereditariedade Leis de Mendel 3. Padrões clássicos de herança 4. Padrões não clássicos

Leia mais

Genética Clínica História e Exame Físico

Genética Clínica História e Exame Físico 7 o Congresso Nacional de Pediatria Região Norte - Manaus Genética Clínica História e Exame Físico Prof a Dr a Ana Maria Martins UNIFESP-EPM CONCEITOS Ana Maria Martins UNIFESP -EPM DESVIO FENOTÍPICO:

Leia mais

Núcleo celular. Robert Brown ( ) Componente fundamental para a célula Nux. Compreensão da importância Séc. XX

Núcleo celular. Robert Brown ( ) Componente fundamental para a célula Nux. Compreensão da importância Séc. XX Núcleo celular Robert Brown (1773-1858) Componente fundamental para a célula Nux Compreensão da importância Séc. XX Componentes do núcleo celular Núcleo celular Eucariontes (+ 1 núcleo) Presença de cromossomos

Leia mais

BIOLOGIA. acessados em 9/10/2015.

BIOLOGIA. acessados em 9/10/2015. QUESTÃO 1 Observe o esquema a seguir. Adaptado de ALBERTS et alii. "Molecular biology of the cell". New York: Garland Publishing, 1986. Obtido em http://professor.bio.br/provas_vestibular.asp, acessado

Leia mais

Genética II: Ligação e a Teoria Cromossômica

Genética II: Ligação e a Teoria Cromossômica Genética II: Ligação e a Teoria Cromossômica Um indivíduo possui duas cópias de cada partícula de herança (gene). Essas duas cópias são separadas durante a formação dos gametas e juntam-se novamente quando

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 3º ANO CITOGENÉTICA

LISTA DE EXERCÍCIOS 3º ANO CITOGENÉTICA LISTA DE EXERCÍCIOS 3º ANO Prof. Vagner Biologia CITOGENÉTICA UNIVERSIDADES PÚBLICAS DE SP QUESTÕES DISSSERTATIVAS 1. FAMERP 2016 Uma mulher foi submetida a um transplante experimental de tecido ovariano.

Leia mais

AULA PRÁTICA SOBRE CARIÓTIPO - Pg 1

AULA PRÁTICA SOBRE CARIÓTIPO - Pg 1 AULA PRÁTICA SOBRE CARIÓTIPO - Pg 1 Cada célula humana possui 46 cromossomos, que são iguais dois a dois, existindo na verdade 23 pares de cromossomos. Destes 23 pares, 22 são chamados de cromossomos autossômicos

Leia mais

Bases da Hereditariedade. Profa. Vanessa Silveira

Bases da Hereditariedade. Profa. Vanessa Silveira Bases da Hereditariedade Profa. Vanessa Silveira Roteiro de Aula 1. A informação genética: conceitos básicos 2. Base da Hereditariedade Leis de Mendel 3. Padrões clássicos de herança 4. Padrões não clássicos

Leia mais

TÉCNICA DE BIÓPSIA CORPÚSCULO POLAR, ESTÁGIO DE CLIVAGEM E BLASTOCISTO. Daniela Paes de Almeida Ferreira Braga

TÉCNICA DE BIÓPSIA CORPÚSCULO POLAR, ESTÁGIO DE CLIVAGEM E BLASTOCISTO. Daniela Paes de Almeida Ferreira Braga TÉCNICA DE BIÓPSIA CORPÚSCULO POLAR, ESTÁGIO DE CLIVAGEM E BLASTOCISTO Daniela Paes de Almeida Ferreira Braga PGD Prevenção de uma doença genética PGS Aumento na taxa de nascidos vivos Embriões livres

Leia mais

III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011

III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011 III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011 INSTRUÇÕES 1. Preencha o cabeçalho e com o nome completo de cada aluno da equipe MÉDIA = 2. Todas as respostas deverão ser apresentadas nos espaços apropriados, com

Leia mais

AVALIAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE ABERRAÇÕES CROMOSSÔMICAS NO LABORATÓRIO DE CITOGENÉTICA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO-UFSC

AVALIAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE ABERRAÇÕES CROMOSSÔMICAS NO LABORATÓRIO DE CITOGENÉTICA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO-UFSC AVALIAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE ABERRAÇÕES CROMOSSÔMICAS NO LABORATÓRIO DE CITOGENÉTICA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO-UFSC Fernanda L. Basei Acadêmica do Curso de Graduação em Farmácia-Análises Clínicas da UFSC

Leia mais

Herança Sexual. Ana Beatriz Maselli

Herança Sexual. Ana Beatriz Maselli Herança Sexual Ana Beatriz Maselli Determinação do Sexo Os cromossomos dos seres vivos são classificados em autossômicos e sexuais, estes são responsáveis pela determinação do sexo. Cromossomos Autossômicos

Leia mais

Tarefa 13 à 16 Professor Danin

Tarefa 13 à 16 Professor Danin 9º ano Biologia Tarefa 13 à 16 Professor Danin 01. Renato (III.1), cuja avó materna e avô paterno eram albinos, preocupado com a possibilidade de transmitir o alelo para o albinismo a seus filhos, deseja

Leia mais

HERANÇA E SEXO. Professora Msc Flávia Martins Agosto 2011

HERANÇA E SEXO. Professora Msc Flávia Martins Agosto 2011 HERANÇA E SEXO Professora Msc Flávia Martins Agosto 2011 1.Determinação cromossômica do sexo A característica mais fundamental da vida é a reprodução (sexuada e assexuada) Produção de gametas (óvulo e

Leia mais

Núcleo II FASES DA MEIOSE

Núcleo II FASES DA MEIOSE Curso Completo Biologia Professor José Drummond Núcleo II MEIOSE Divisão celular reducional onde uma célula mãe diplóide (2n) origina quatro células filhas haplódes (n). Consiste num processo de divisão

Leia mais

Termo de Consentimento Informado

Termo de Consentimento Informado REQUISIÇÃO PARA ESTUDO GENÉTICO ANÁLISE CROMOSSÔMICA POR MICROARRAY Termo de Consentimento Informado Via do cliente PREENCHIMENTO OBRIGATÓRIO O exame só será realizado mediante recebimento deste termo

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS INSTITUTO DE BIOLOGIA DEPARTAMENTO DE GENÉTICA E EVOLUÇÃO. BG280 Lista de exercícios 1

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS INSTITUTO DE BIOLOGIA DEPARTAMENTO DE GENÉTICA E EVOLUÇÃO. BG280 Lista de exercícios 1 UNERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS INSTITUTO DE BIOLOGIA DEPARTAMENTO DE GENÉTICA E EVOLUÇÃO BG280 Lista de exercícios 1 1 - Seguem quatro heredogramas humanos. Os símbolos pretos representam o fenótipo anormal

Leia mais

CROMOSSOMOS. Profa. Dra. Viviane Nogaroto

CROMOSSOMOS. Profa. Dra. Viviane Nogaroto CROMOSSOMOS Cromossomos EUCARIOTOS Cada cromossomo carrega um subconjunto de genes que são arranjados linearmente ao longo do DNA Tamanho: -DNA de cromossomo de E. coli: 1.200 µm -DNA de cromossomo humano:

Leia mais

A g r u p a m e n t o d e E s c o l a s A n t ó n i o S é r g i o V. N. G a i a E S C O L A S E C U N D Á R I A / 3 A N T Ó N I O S É R G I O GRUPO I

A g r u p a m e n t o d e E s c o l a s A n t ó n i o S é r g i o V. N. G a i a E S C O L A S E C U N D Á R I A / 3 A N T Ó N I O S É R G I O GRUPO I A g r u p a m e n t o d e E s c o l a s A n t ó n i o S é r g i o V. N. G a i a E S C O L A S E C U N D Á R I A / 3 A N T Ó N I O S É R G I O BIOLOGIA Módulo 2 12º CTec CURSO CIENTÍFICO-HUMANÍSTICO DE

Leia mais