Inventário das práticas de liderança: LPI JAMES M. KOUZES E BARRY Z. POSNER

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Inventário das práticas de liderança: LPI JAMES M. KOUZES E BARRY Z. POSNER"

Transcrição

1 Inventário das práticas de liderança: LPI JAMES M. KOUZES E BARRY Z. POSNER Relatório de feedback individual Preparado para Filipe Da Silva

2 CONTEÚDO The Five Practices of Exemplary Leadership e o relatório LPI Resumo das cinco práticas Gráficos de barras das cinco práticas Classificação de comportamentos de liderança Resumo de Trace o Caminho Gráfico de barras de Trace o Caminho Resumo de Inspire Visão Compartilhada Gráficos de barra de Inspire Visão Compartilhada Resumo de Desafie o Processo Gráficos de barras de Desafie o Processo Resumo de Capacite os outros a agir Gráficos de barra de Capacite os outros a agir Resumo de Encoraje o Coração Gráficos de barra de Encoraje o Coração Classificação percentual

3 The Five Practices of Exemplary Leadership Criadas pela James M. Kouzes e Barry Z. Posner no início da década de 1980 e identificadas pela primeira vez em seu best-seller internacional Desafio da Liderança, as "Five Practices of Exemplary Leadership" abordam a liderança como um conjunto de comportamentos mensuráveis, possíveis de aprender e de ensinar. Depois de realizar centenas de entrevistas, revisar milhares de estudos de caso e analisar mais de dois milhões de questionários de pesquisa para entender os momentos nos quais os líderes apresentaram seu melhor desempenho pessoal, cinco práticas comuns emergiram para fazer coisas extraordinárias acontecerem. São elas: O instrumento Inventário das Práticas de Liderança (LPI) é uma ferramenta essencial para ajudá-lo a obter uma perspectiva de como você se vê como líder, como os outros veem você, e que ações você pode realizar para aprimorar o uso das cinco práticas que, conforme demonstrado por pesquisas ano após ano, resultam em líderes mais eficazes. SOBRE O RELATÓRIO LPI O LPI mede a frequência de 30 comportamentos de liderança específicos em uma escala de 10 pontos, com seis declarações comportamentais para cada uma das Cinco Práticas. Você e os observadores que você selecionou classificam com que frequência você emprega cada um desses importantes comportamentos associados com as Cinco Práticas. A escala de resposta é: Nas próximas páginas do relatório, você verá as suas respostas de autoavaliação do LPI (S) e as respostas do seu observador, que são categorizadas em Gerente (G), Subordinado Direto (D), Colega de trabalho (C) e Outro (O). As respostas do observador serão categorizadas como "Outro" quando não houver respostas suficientes nas categorias de Subordinado Direto ou Colega de Trabalho, para preservar o anonimato do observador. A Avaliação Média do Observador (AVG) é uma média de todas as respostas do observador do LPI, incluindo o gerente. ABREVIAÇÕES DO AVALIADOR: Você solicitou um total de 9 observadores para avaliá-lo; destes, 9 apresentaram uma pesquisa de observadores a partir da data do relatório e estão incluídos nos resultados do relatório. PÁGINA 1

4 Resumo das cinco práticas Esta página resume as suas respostas ao LPI para cada prática de liderança. A coluna Auto mostra o total de suas próprias respostas às seis declarações comportamentais sobre cada prática. As colunas de observadores individuais mostram o total de cada uma das seis respostas do observador para a prática. A coluna AVG mostra a média do total de respostas dos seus observadores. O total de respostas para cada prática pode variar de 6 a 60; que representa a soma da pontuação das respostas (que varia de 1-Quase nunca a 10-Quase sempre) para cada uma das seis declarações comportamentais relacionadas com essa prática. INDIVÍDUO AVG OBSERVADORES INDIVIDUAIS M1 D1 D2 D3 D4 C1 C2 C3 O1 Modelo o Modo Inspire Visão compartilhada Desafio o Processo Permite Others to Act Encorajar o Coração PÁGINA 2

5 Gráficos de barras das cinco práticas Esse gráficos de barra, um conjunto para cada prática de liderança, fornecem uma representação gráfica dos dados numéricos registrados na página de resumo das Cinco práticas. Por prática, mostra o total de respostas para Auto e a média total para cada categoria de observador. Média refere-se à média para todas as categorias de observadores (inclusive Gerente). O total de respostas pode variar de 6 a 60; o que representa a soma de pontuações de respostas (que varia de 1-Quase nunca a 10-Quase sempre) para cada uma das seis declarações comportamentais relacionadas com essa prática. Trace o Caminho AUTOAVAL. 53 MÉDIA 45.8 GERENTE 51.0 RELATÓRIO DIRETO 45.3 COLEGA DE TRABALHO 44.7 OUTROS Inspire visão compartilhada AUTOAVAL. 45 MÉDIA 45.2 GERENTE 47.0 RELATÓRIO DIRETO 45.5 COLEGA DE TRABALHO 43.0 OUTROS Desafie o Processo AUTOAVAL. 54 MÉDIA 49.2 GERENTE 49.0 RELATÓRIO DIRETO 48.8 COLEGA DE TRABALHO 47.7 OUTROS Capacite os outros a agir AUTOAVAL. 53 MÉDIA 49.0 GERENTE 50.0 RELATÓRIO DIRETO 47.8 COLEGA DE TRABALHO 48.7 OUTROS Encoraje o Coração AUTOAVAL. 39 MÉDIA 40.6 GERENTE 47.0 RELATÓRIO DIRETO PÁGINA 3

6 Encoraje o Coração COLEGA DE TRABALHO 42.0 OUTROS PÁGINA 4

7 Classificação de comportamentos de liderança A página seguinte exibe a classificação, de mais frequente para menos frequente, de todos 30 os comportamentos de liderança, com base na média das respostas do seu observador. A média (AVG) inclui a resposta do gerente, que também é mostrada separadamente. As linhas horizontais separam os comportamentos mais frequentes 10 e os menos frequentes 10 do meio 10. Um sinal de mais (+) próximo a AVG ou Gerente (M) indica que a resposta é mais de 1,5 pontos mais alta que a sua própria resposta; um sinal de menos (-) indica que a resposta é mais de 1,5 pontos mais baixa que a sua própria resposta. Já que 1.5 é a diferença média entre a pontuação de indivíduos e observadores, qualquer diferença maior do que isso merece atenção. Quando a coluna +/- aparece em branco em uma dada linha, isso indica um grau razoável de concordância entre a pontuação do INDIVÍDUO e o AVG ou entre a pontuação do INDIVÍDUO e a do GERENTE. A escala da resposta varia entre 1-Quase nunca até 10-Quase sempre. PÁGINA 5

8 MAIS FREQUENTE PRÁTICA INDIVÍDUO AVG +/- M +/- 14. Trata os outros com dignidade e respeito Permite Cumpre suas promessas e compromissos. Modelo Busca oportunidades desafiadoras que testam suas habilidades e conhecimentos. Desafio Dá um exemplo pessoal do que espera dos outros. Modelo Fala sobre futuras tendências que influenciarão o modo de execução do nosso trabalho. Inspire Toma as medidas necessárias para garantir que estabeleçamos objetivos possíveis, façamos planos concretos e definamos metas mensuráveis para os projetos e programas em que trabalhamos. Desafio Experimenta e assume riscos, mesmo quando há possibilidade de fracasso. Desafio Desenvolve relações cooperativas entre as pessoas com as quais trabalha. Permite Ouve ativamente os diversos pontos de vista Permite Busca, fora dos limites formais da empresa, meios inovadores de melhorar o que fazemos. Desafio Dá bastante liberdade e opções para as pessoas decidirem como executar o trabalho. Permite Dedica tempo e energia para garantir que as pessoas com quem trabalha sigam os princípios e padrões adotados. Modelo Desafia as pessoas a usar meios novos e inovadores de realizar seu trabalho Desafio Apóia as decisões que os outros tomam por iniciativa própria. Permite Apresenta um "panorama geral" daquilo que almejamos conquistar. Inspire Descreve uma imagem estimulante de como o futuro poderá ser. Inspire É transparente sobre sua filosofia de liderança. Modelo Constrói consenso em torno de um conjunto comum de valores para a administração de nossa empresa. Modelo Demonstra reconhecimento e apoio aos membros da equipe por suas contribuições Encorajar Pergunta O que podemos aprender? quando as coisas não saem como esperado Desafio Envolve as pessoas em uma visão comum para mostrar como seus interesses de longo prazo podem ser realizados. Inspire Fala com convicção sincera sobre o significado e os objetivos mais importantes do trabalho Inspire Elogia as pessoas quando fazem um trabalho bem feito Encorajar Assegura uma recompensa para todos que contribuírem ao sucesso dos projetos Encorajar Faz questão de que os outros saibam que confia no conhecimento deles. Encorajar Faz com que os outros aprendam novas habilidades e se desenvolvam para progredir no seu trabalho. Permite Pede que os outros compartilhem um sonho empolgante sobre o futuro Inspire Reconhece publicamente aqueles que dão exemplo de compromisso com os valores compartilhados Encorajar Encontra maneiras de comemorar as conquistas Encorajar Pede feedback sobre como suas ações afetam o desempenho dos outros. Modelo MENOS FREQUENTE PÁGINA 6

9 Resumo de Trace o Caminho Esclarecer valores encontrando a sua voz e afirmando valores compartilhados Dar o exemplo alinhando ações com valores compartilhados Esta página mostra as respostas para cada um dos seis comportamentos de liderança relacionados com esta prática. A coluna Auto mostra as respostas que você se deu para cada comportamento. A coluna AVG mostra as médias das respostas do observador. As colunas Observadores Individuais mostram a resposta de cada observador para cada item comportamental. As respostas podem variar de 1-Quase nunca a 10-Quase sempre. 1. Dá um exemplo pessoal do que espera dos outros. INDIVÍDUO AVG OBSERVADORES INDIVIDUAIS M1 D1 D2 D3 D4 C1 C2 C3 O Dedica tempo e energia para garantir que as pessoas com quem trabalha sigam os princípios e padrões adotados Cumpre suas promessas e compromissos Pede feedback sobre como suas ações afetam o desempenho dos outros Constrói consenso em torno de um conjunto comum de valores para a administração de nossa empresa É transparente sobre sua filosofia de liderança PÁGINA 7

10 Gráfico de barras de Trace o Caminho Esclarecer valores encontrando a sua voz e afirmando valores compartilhados Dar o exemplo alinhando ações com valores compartilhados O conjunto de gráficos de barra para cada um dos seis comportamentos de liderança relacionados com esta prática fornece uma representação gráfica das suas respostas e da média de respotas dos seus observadores para esse comportamento. Por comportamento, mostra a resposta para Auto e a média de respostas para cada categoria de observador. Média refere-se à média de respostas para todas as categorias de observadores (incluindo o gerente). As respostas podem variar de 1-Quase nunca a 10-Quase sempre. 1. Dá um exemplo pessoal do que espera dos outros. S 10 AVG 8.7 D 8.5 C 8.0 M 10.0 O Dedica tempo e energia para garantir que as pessoas com quem trabalha sigam os princípios e padrões adotados. S 9 AVG 8.1 D 7.8 C Cumpre suas promessas e compromissos. S 10 AVG 9.0 D 8.8 C 8.7 M 10.0 O Pede feedback sobre como suas ações afetam o desempenho dos outros. 21. Constrói consenso em torno de um conjunto comum de valores para a administração de nossa empresa. 26. É transparente sobre sua filosofia de liderança. S 7 AVG 5.0 D 5.0 C 5.0 M 7.0 O 3.0 S 9 AVG 7.4 D 7.8 C 7.3 O 6.0 S 8 AVG 7.6 D 7.5 C 7.3 O 8.0 PÁGINA 8

11 Resumo de Inspire Visão Compartilhada Visualize o futuro imaginando possibilidades empolgantes e enobrecedoras Envolva os outros em uma visão comum retomando aspirações compartilhadas Esta página mostra as respostas para cada um dos seis comportamentos de liderança relacionados com esta prática. A coluna Auto mostra as respostas que você se deu para cada comportamento. A coluna AVG mostra as médias das respostas do observador. As colunas Observadores Individuais mostram a resposta de cada observador para cada item comportamental. As respostas podem variar de 1-Quase nunca a 10-Quase sempre. 2. Fala sobre futuras tendências que influenciarão o modo de execução do nosso trabalho. INDIVÍDUO AVG OBSERVADORES INDIVIDUAIS M1 D1 D2 D3 D4 C1 C2 C3 O Descreve uma imagem estimulante de como o futuro poderá ser Pede que os outros compartilhem um sonho empolgante sobre o futuro Envolve as pessoas em uma visão comum para mostrar como seus interesses de longo prazo podem ser realizados Apresenta um "panorama geral" daquilo que almejamos conquistar Fala com convicção sincera sobre o significado e os objetivos mais importantes do trabalho PÁGINA 9

12 Gráficos de barra de Inspire Visão Compartilhada Visualize o futuro imaginando possibilidades empolgantes e enobrecedoras Envolva os outros em uma visão comum retomando aspirações compartilhadas O conjunto de gráficos de barra para cada um dos seis comportamentos de liderança relacionados com esta prática fornece uma representação gráfica das suas respostas e da média de respotas dos seus observadores para esse comportamento. Por comportamento, mostra a resposta para Auto e a média de respostas para cada categoria de observador. Média refere-se à média de respostas para todas as categorias de observadores (incluindo o gerente). As respostas podem variar de 1-Quase nunca a 10-Quase sempre. 2. Fala sobre futuras tendências que influenciarão o modo de execução do nosso trabalho. S 10 AVG 8.6 D 8.5 C 8.0 M Descreve uma imagem estimulante de como o futuro poderá ser. 12. Pede que os outros compartilhem um sonho empolgante sobre o futuro 17. Envolve as pessoas em uma visão comum para mostrar como seus interesses de longo prazo podem ser realizados. 22. Apresenta um "panorama geral" daquilo que almejamos conquistar. 27. Fala com convicção sincera sobre o significado e os objetivos mais importantes do trabalho S 7 AVG 7.8 D 7.8 C 7.7 O 8.0 S 9 AVG 6.4 D 6.0 C 7.0 M 6.0 O 7.0 S 7 AVG 7.3 D 7.0 C 7.0 S 6 AVG 7.9 D 7.8 C 7.7 S 6 AVG 7.2 D 8.5 C 5.7 M 7.0 O 7.0 PÁGINA 10

13 experiência Resumo de Desafie o Processo Busque oportunidades aproveitando a iniciativa e procurando outras maneiras inovadoras de melhorar seu desempenho Experimente e corra riscos gerando pequenas e constantes vitórias e aprendendo com a Esta página mostra as respostas para cada um dos seis comportamentos de liderança relacionados com esta prática. A coluna Auto mostra as respostas que você se deu para cada comportamento. A coluna AVG mostra as médias das respostas do observador. As colunas Observadores Individuais mostram a resposta de cada observador para cada item comportamental. As respostas podem variar de 1-Quase nunca a 10-Quase sempre. 3. Busca oportunidades desafiadoras que testam suas habilidades e conhecimentos. INDIVÍDUO AVG OBSERVADORES INDIVIDUAIS M1 D1 D2 D3 D4 C1 C2 C3 O Desafia as pessoas a usar meios novos e inovadores de realizar seu trabalho Busca, fora dos limites formais da empresa, meios inovadores de melhorar o que fazemos Pergunta O que podemos aprender? quando as coisas não saem como esperado Toma as medidas necessárias para garantir que estabeleçamos objetivos possíveis, façamos planos concretos e definamos metas mensuráveis para os projetos e programas em que trabalhamos. 28. Experimenta e assume riscos, mesmo quando há possibilidade de fracasso PÁGINA 11

14 experiência Gráficos de barras de Desafie o Processo Busque oportunidades aproveitando a iniciativa e procurando outras maneiras inovadoras de melhorar seu desempenho Experimente e corra riscos gerando pequenas e constantes vitórias e aprendendo com a O conjunto de gráficos de barra para cada um dos seis comportamentos de liderança relacionados com esta prática fornece uma representação gráfica das suas respostas e da média de respotas dos seus observadores para esse comportamento. Por comportamento, mostra a resposta para Auto e a média de respostas para cada categoria de observador. Média refere-se à média de respostas para todas as categorias de observadores (incluindo o gerente). As respostas podem variar de 1-Quase nunca a 10-Quase sempre. 3. Busca oportunidades desafiadoras que testam suas habilidades e conhecimentos. 8. Desafia as pessoas a usar meios novos e inovadores de realizar seu trabalho S 10 AVG 8.9 D 8.5 C 9.0 M 9.0 O 10.0 S 9 AVG 7.9 D 7.8 C 7.3 O Busca, fora dos limites formais da empresa, meios inovadores de melhorar o que fazemos. S 8 AVG 8.2 D 8.5 C Pergunta O que podemos aprender? quando as coisas não saem como esperado S 8 AVG 7.3 D 6.5 C 7.3 O Toma as medidas necessárias para garantir que estabeleçamos objetivos possíveis, façamos planos concretos e definamos metas mensuráveis para os projetos e programas em que trabalhamos. 28. Experimenta e assume riscos, mesmo quando há possibilidade de fracasso. S 10 AVG 8.4 D 8.5 C 9.0 M 7.0 O 8.0 S 9 AVG 8.4 D 9.0 C 7.3 M 9.0 PÁGINA 12

15 PÁGINA 13

16 Resumo de Capacite os outros a agir Promova a colaboração estabelecendo confiança e facilitando relacionamentos Fortaleça outros aumentando a autodeterminação e desenvolvendo competência Esta página mostra as respostas para cada um dos seis comportamentos de liderança relacionados com esta prática. A coluna Auto mostra as respostas que você se deu para cada comportamento. A coluna AVG mostra as médias das respostas do observador. As colunas Observadores Individuais mostram a resposta de cada observador para cada item comportamental. As respostas podem variar de 1-Quase nunca a 10-Quase sempre. 4. Desenvolve relações cooperativas entre as pessoas com as quais trabalha. INDIVÍDUO AVG OBSERVADORES INDIVIDUAIS M1 D1 D2 D3 D4 C1 C2 C3 O Ouve ativamente os diversos pontos de vista Trata os outros com dignidade e respeito Apóia as decisões que os outros tomam por iniciativa própria Dá bastante liberdade e opções para as pessoas decidirem como executar o trabalho Faz com que os outros aprendam novas habilidades e se desenvolvam para progredir no seu trabalho PÁGINA 14

17 Gráficos de barra de Capacite os outros a agir Promova a colaboração estabelecendo confiança e facilitando relacionamentos Fortaleça outros aumentando a autodeterminação e desenvolvendo competência O conjunto de gráficos de barra para cada um dos seis comportamentos de liderança relacionados com esta prática fornece uma representação gráfica das suas respostas e da média de respotas dos seus observadores para esse comportamento. Por comportamento, mostra a resposta para Auto e a média de respostas para cada categoria de observador. Média refere-se à média de respostas para todas as categorias de observadores (incluindo o gerente). As respostas podem variar de 1-Quase nunca a 10-Quase sempre. 4. Desenvolve relações cooperativas entre as pessoas com as quais trabalha. 9. Ouve ativamente os diversos pontos de vista S 8 AVG 8.4 D 8.8 C 8.3 O 8.0 S 9 AVG 8.2 D 8.0 C 8.0 M Trata os outros com dignidade e respeito S 10 AVG 9.6 D 9.0 C 10.0 M 10.0 O Apóia as decisões que os outros tomam por iniciativa própria. 24. Dá bastante liberdade e opções para as pessoas decidirem como executar o trabalho. 29. Faz com que os outros aprendam novas habilidades e se desenvolvam para progredir no seu trabalho. S 8 AVG 7.9 D 8.0 C 7.3 S 10 AVG 8.1 D 8.0 C 7.7 M 9.0 S 8 AVG 6.8 D 6.0 C 7.3 M 6.0 PÁGINA 15

18 Resumo de Encoraje o Coração Reconheça as contribuições mostrando que aprecia a excelência de cada indivíduo Celebre os valores e as vitórias criando um espírito de comunidade Esta página mostra as respostas para cada um dos seis comportamentos de liderança relacionados com esta prática. A coluna Auto mostra as respostas que você se deu para cada comportamento. A coluna AVG mostra as médias das respostas do observador. As colunas Observadores Individuais mostram a resposta de cada observador para cada item comportamental. As respostas podem variar de 1-Quase nunca a 10-Quase sempre. 5. Elogia as pessoas quando fazem um trabalho bem feito INDIVÍDUO AVG OBSERVADORES INDIVIDUAIS M1 D1 D2 D3 D4 C1 C2 C3 O Faz questão de que os outros saibam que confia no conhecimento deles Assegura uma recompensa para todos que contribuírem ao sucesso dos projetos Reconhece publicamente aqueles que dão exemplo de compromisso com os valores compartilhados Encontra maneiras de comemorar as conquistas Demonstra reconhecimento e apoio aos membros da equipe por suas contribuições PÁGINA 16

19 Gráficos de barra de Encoraje o Coração Reconheça as contribuições mostrando que aprecia a excelência de cada indivíduo Celebre os valores e as vitórias criando um espírito de comunidade O conjunto de gráficos de barra para cada um dos seis comportamentos de liderança relacionados com esta prática fornece uma representação gráfica das suas respostas e da média de respotas dos seus observadores para esse comportamento. Por comportamento, mostra a resposta para Auto e a média de respostas para cada categoria de observador. Média refere-se à média de respostas para todas as categorias de observadores (incluindo o gerente). As respostas podem variar de 1-Quase nunca a 10-Quase sempre. 5. Elogia as pessoas quando fazem um trabalho bem feito 10. Faz questão de que os outros saibam que confia no conhecimento deles. 15. Assegura uma recompensa para todos que contribuírem ao sucesso dos projetos 20. Reconhece publicamente aqueles que dão exemplo de compromisso com os valores compartilhados 25. Encontra maneiras de comemorar as conquistas 30. Demonstra reconhecimento e apoio aos membros da equipe por suas contribuições S 6 AVG 7.1 D 6.3 C 7.7 O 8.0 S 9 AVG 7.0 D 6.8 C 6.7 M 7.0 S 5 AVG 7.1 D 6.0 C 8.3 O 7.0 S 5 AVG 6.0 D 5.0 C 6.0 O 8.0 S 6 AVG 5.9 D 5.5 C 5.3 O 7.0 S 8 AVG 7.4 D 6.5 C 8.0 PÁGINA 17

20 Classificação percentual Os líderes e observadores contidos no banco de dados LPI constituem uma combinação de homens e mulheres de todos os níveis, de todos os tipos de organizações e de todo o mundo. Esta página compara as suas próprias respostas e as dos seus observadores com mais de uma milhão de respostas de observadores a outros líderes que participaram do LPI. As linhas horizontais nos percentuais 30 e 70 dividem o gráfico em três segmentos, que aproximam-se grosseriamente de uma distribuição normal das marcações. Cada linha do gráfico mostra em que percentual se enquadra a sua própria resposta e a de um observador para cada prática. Por exemplo, se a sua pontuação para Auto para Trace o Caminho estiver no percentual 50, metade dos líderes do banco de dados teve classificação mais alta pelos observadores da prática e metade teve classificação mais baixa. 100 MODELO O CAMINHO INSPIRE UMA VISÃO COMPARTILHADA DESAFIO O PROCESSO CAPACITE OS OUTROS A AGIR ENCORAJE O CORAÇÃO MENOS FREQUENTE FREQUENTE MAIS FREQUENTE Autoaval. Gerente Relatório direto Colega de trabalho Outros Média dos observadores PÁGINA 18

Inventário de Práticas de Liderança: LPI JAMES M. KOUZES E BARRY Z. POSNER

Inventário de Práticas de Liderança: LPI JAMES M. KOUZES E BARRY Z. POSNER Inventário de Práticas de Liderança: JAMES M. KOUZES E BARRY Z. POSNER Relatório de feedback individual Preparado para Filipe da Silva Amostra Relatório CONTEÚDO As Cinco Práticas da Liderança Exemplar

Leia mais

Fulano de Tal. Relatório de Feedback 360 Extended DISC FINXS

Fulano de Tal. Relatório de Feedback 360 Extended DISC FINXS O Feedback 360 é um instrumento projetado para fornecer um foco desenvolvimentista a respeito dos pontos fortes das habilidades comportamentais específicas e suas necessidades de desenvolvimento. Este

Leia mais

Sumário. Introdução...4. As Cinco Práticas de Liderança...6. Modele o caminho...7. Inspire uma visão compartilhada...9. Desafie o processo...

Sumário. Introdução...4. As Cinco Práticas de Liderança...6. Modele o caminho...7. Inspire uma visão compartilhada...9. Desafie o processo... Sumário Introdução...4 As Cinco Práticas de Liderança...6 Modele o caminho...7 Inspire uma visão compartilhada...9 Desafie o processo...10 Deixe os outros agirem...15 Inspire o coração...15 Conclusão...15

Leia mais

Liderança para resultados

Liderança para resultados Liderança para resultados O papel do líder nos times de mudança Educação Empreendedora Consultoria Gestão Inovação Resultados 0800 570 0800 / www.sebrae-rs.com.br S6 REFLEXÕES... Eu sou um líder? Eu posso

Leia mais

Liderar a outros. Como eles nos escolher como líderes. Apresenta: Lic. Sergio Ledesma Autor: Thomás Köttner

Liderar a outros. Como eles nos escolher como líderes. Apresenta: Lic. Sergio Ledesma Autor: Thomás Köttner Liderar a outros Como eles nos escolher como líderes Apresenta: Lic. Sergio Ledesma Autor: Thomás Köttner Liderar-se a si mesmo Do "conheça a si mesmo..."... ao "descobrir os outros" Liderar outras pessoas

Leia mais

Objetivo: Demonstrar ao aluno como identificar, medir e administrar o desempenho humano nas organizações.

Objetivo: Demonstrar ao aluno como identificar, medir e administrar o desempenho humano nas organizações. GESTÃO DE EQUIPES Objetivo: Demonstrar ao aluno como identificar, medir e administrar o desempenho humano nas organizações. Nesta aula: Conceitos Dimensões Condução de programa de gestão de desempenho

Leia mais

Satisfação do Cliente

Satisfação do Cliente Identifique Identifique objetivos estratégicos Satisfação do Cliente O propósito final de um negócio é criar um cliente" Peter Druker O propósito de um negócio é criar e manter um cliente" Theodore Levitt

Leia mais

Sejam Bem-Vindos! Mary Kay Ash

Sejam Bem-Vindos! Mary Kay Ash Sejam Bem-Vindos! Vislumbrei uma companhia na qual qualquer mulher poderia ter tanto sucesso quanto desejasse. As portas estariam abertas às oportunidades para as mulheres que estiverem dispostas a pagar

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO CLIMA ORGANIZACIONAL PARA O SUCESSO DA EMPRESA

A IMPORTÂNCIA DO CLIMA ORGANIZACIONAL PARA O SUCESSO DA EMPRESA A IMPORTÂNCIA DO CLIMA ORGANIZACIONAL PARA O SUCESSO DA EMPRESA O sucesso de uma empresa e um bom clima organizacional estão intimamente ligados. Quando os funcionários sentem felicidade nas tarefas e

Leia mais

segunda-feira, 17 de Outubro de 2011

segunda-feira, 17 de Outubro de 2011 Relatório de Feedback da Avaliação 360º segunda-feira, 17 de Outubro de 2011 Teste 360 Questionário de Vendas Privado & Confidencial Conteúdos Introdução Compreender o seu Relatório de Feedback da Avaliação

Leia mais

O L A. Questionário OLA. Avaliação de Liderança Organizacional. Versão Portuguesa. Instruções Gerais

O L A. Questionário OLA. Avaliação de Liderança Organizacional. Versão Portuguesa. Instruções Gerais O L A Questionário OLA Avaliação de Liderança Organizacional Versão Portuguesa Instruções Gerais O propósito deste instrumento é permitir que organizações descubram como suas práticas e crenças sobre liderança

Leia mais

Sobre as rubricas. Níveis de conquista. Critérios Avaliativos

Sobre as rubricas. Níveis de conquista. Critérios Avaliativos RUBRICAS Critérios avaliativos fazem parte do dia a dia de professores e estudantes. Seu estabelecimento é necessário para que o professor consiga aperfeiçoar o processo de ensino e para que os estudantes

Leia mais

QUESTIONÁRIO AOS(ÀS) TRABALHADORES(AS) E DIRIGENTES INTERMÉDIOS DA DRAP ALGARVE. Apresentação de resultados - relatório CICLO DE GESTÃO 2014

QUESTIONÁRIO AOS(ÀS) TRABALHADORES(AS) E DIRIGENTES INTERMÉDIOS DA DRAP ALGARVE. Apresentação de resultados - relatório CICLO DE GESTÃO 2014 QUESTIONÁRIO AOS(ÀS) TRABALHADORES(AS) E DIRIGENTES INTERMÉDIOS DA DRAP ALGARVE Apresentação de resultados - relatório CICLO DE GESTÃO 2014 Março 2015 Conteúdo I. Nota Introdutória... 3 II. Metodologia

Leia mais

Programa de Gestão da Performance

Programa de Gestão da Performance Programa de Gestão da Performance O impulso para ir mais longe está em suas mãos. Cada dia do ano é um passo à frente no seu desenvolvimento. Movimente-se! Quer ir mais longe? O primeiro passo é ler este

Leia mais

Treinamento de Liderança. Josiane Barbosa

Treinamento de Liderança. Josiane Barbosa Treinamento de Liderança Josiane Barbosa Uma líder eficaz convida sua equipe a participar de projetos novos que ainda estão na fase do pensamento. Planeje suas metas e divulgue-as, porque as pessoas apoiam

Leia mais

MICHELL LOOGAN FAGUNDES IMPORTÂNCIA DA LIDERANÇA COMO FATOR DE SUCESSO PARA EMPREENDEDORES EM NEGÓCIOS EM TI LAVRAS MG

MICHELL LOOGAN FAGUNDES IMPORTÂNCIA DA LIDERANÇA COMO FATOR DE SUCESSO PARA EMPREENDEDORES EM NEGÓCIOS EM TI LAVRAS MG MICHELL LOOGAN FAGUNDES IMPORTÂNCIA DA LIDERANÇA COMO FATOR DE SUCESSO PARA EMPREENDEDORES EM NEGÓCIOS EM TI LAVRAS MG 2015 MICHELL LOOGAN FAGUNDES IMPORTÂNCIA DA LIDERANÇA COMO FATOR DE SUCESSO PARA EMPREENDEDORES

Leia mais

O Executivo como Líder Empreendedor

O Executivo como Líder Empreendedor O Executivo como Líder Empreendedor Líder x Chefe Chefe Resultado Líder Pessoas Há, competências diferentes, o que significa dizer que em alguns momentos o chefe é a melhor solução, e em outros a liderança

Leia mais

Identificando e Preparando Líderes. Identificando e Preparando Líderes

Identificando e Preparando Líderes. Identificando e Preparando Líderes Identificando e Preparando Líderes 1 Reflexões sobre liderança Liderança é praticada não só com palavras, mas com atitudes e ações. Harold Geneen, Fundador da MCI Communications 2 Reflexões sobre liderança

Leia mais

INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS

INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS Prof. Ms. Marco A. Arbex marco.arbex@fatecourinhos.edu.br Introdução ARH (Administração de Recursos Humanos) é a função na organização que está relacionada

Leia mais

PAEX Parceiros para a Excelência. ESTRATÉGIA E GESTÃO Prof. Volnei P. Garcia

PAEX Parceiros para a Excelência. ESTRATÉGIA E GESTÃO Prof. Volnei P. Garcia PAEX Parceiros para a Excelência ESTRATÉGIA E GESTÃO Prof. Volnei P. Garcia A CRIAÇÃO DE VALOR PARA OS STAKEHOLDERS O melhor lugar para se trabalhar Sociedade Órgãos Reguladores O maior retorno sobre o

Leia mais

Como desenvolver DESCENDENTES. Joeline Câmara Diretora Nacional de Vendas Independente

Como desenvolver DESCENDENTES. Joeline Câmara Diretora Nacional de Vendas Independente Como desenvolver DESCENDENTES Joeline Câmara Diretora Nacional de Vendas Independente VOCÊ É UMA LÍDER QUE INSPIRA? O QUE VOCÊ FALA... É TÃO ALTO TRABALHE COM AS PESSOAS CERTAS São as Consultoras novas

Leia mais

Avaliação de Desempenho do Técnico Administrativo em Educação

Avaliação de Desempenho do Técnico Administrativo em Educação Avaliação de Desempenho do Técnico Administrativo em Educação ANEXO I CAMPUS AUTO AVALIAÇÃO DO SERVIDOR 2016 Nome do Servidor: Cargo: Classe: Nível: Padrão: Período de Avaliação: / / a / / Lotação: Função

Leia mais

VISÃO & VALORES VALORES. Brochura_visao e valores.indd 1 09/09/ :45:07

VISÃO & VALORES VALORES. Brochura_visao e valores.indd 1 09/09/ :45:07 V I S Ã O VISÃO & VALORES VALORES Brochura_visao e valores.indd 1 09/09/2010 15:45:07 Brochura_visao e valores.indd 2 09/09/2010 15:45:07 Prefácio Caros colaboradores, Nós temos a responsabilidade e a

Leia mais

II Simpósio Nacional de Empreendedorismo Social Enactus Brasil A PERCEPÇÃO DA APRENDIZAGEM COOPERATIVA EM UM TIME ENACTUS

II Simpósio Nacional de Empreendedorismo Social Enactus Brasil A PERCEPÇÃO DA APRENDIZAGEM COOPERATIVA EM UM TIME ENACTUS A PERCEPÇÃO DA APRENDIZAGEM COOPERATIVA EM UM TIME ENACTUS Fernanda Cristina Pantuzzi Graduanda em Engenharia Ambiental Universidade Federal do Ceará fer.pantuzzi@gmail.com A Aprendizagem Cooperativa é

Leia mais

Gestão escolar: desafios e caminhos para o sucesso

Gestão escolar: desafios e caminhos para o sucesso Gestão escolar: desafios e caminhos para o sucesso Fonte: www.shutterstock.com A gestão escolar Identidade da escola Estratégias Pedagógico Recursos humanos Administrativo-financeiro Marketing Gestão escolar

Leia mais

Curso-Piloto de Formação de Consultores de Negócios. Módulo 2 Compreender o próprio negócio

Curso-Piloto de Formação de Consultores de Negócios. Módulo 2 Compreender o próprio negócio José Soares Ferreira Projecto financiado com apoio da Comissão Europeia. A informação contida nesta publicação vincula exclusivamente o autor, não sendo a Comissão responsável pela utilização que dela

Leia mais

Unidade móvel (11) Base São Paulo (11) Base Rio de Janeiro (21)

Unidade móvel (11) Base São Paulo (11) Base Rio de Janeiro (21) Quem somos nós O Instituto Agoge é uma microempresa brasileira que tem por atividade principal o estudo e a pesquisa experimental multidisciplinar em áreas das ciências sociais e humanas, visando o desenvolvimento

Leia mais

Inovação. Data: 12/04/2012. Inovação é a exploração com sucesso de novas idéias. United Kingdom Department of Trade & Industry

Inovação. Data: 12/04/2012. Inovação é a exploração com sucesso de novas idéias. United Kingdom Department of Trade & Industry Cursos: Administração / Ciências Contábeis Disciplina: Inovação Tecnológica Data: 12/04/2012 Inovação Inovação é a exploração com sucesso de novas idéias. United Kingdom Department of Trade & Industry

Leia mais

Nivelar e disseminar os principais conceitos e a metodologia sobre GESTÃO POR COMPETÊNCIAS no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região.

Nivelar e disseminar os principais conceitos e a metodologia sobre GESTÃO POR COMPETÊNCIAS no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região. Secretaria de Recursos Humanos 2014 metodologia missão atitude mapeamento mensurar metas valores gestão capacitar prestação missão CHA GAP conhecimentos Competências Objetivos estratégia gestão missão

Leia mais

Líder Coach. Alexandre Vinicius S. Pereira

Líder Coach. Alexandre Vinicius S. Pereira Líder Coach Alexandre Vinicius S. Pereira Alexandre Vinicius da Silva Doutorado Pereira em Psicologia USP Desenvolvimento e avaliação de equipe multidisciplinar. Mestrado em Psicologia USP. Comprometimento

Leia mais

processo contínuo, dinâmico;

processo contínuo, dinâmico; Avaliação de Desempenho/Performance é a avaliação do desempenho atual ou passado do funcionário em relação a padrões de desempenho. O Processo envolve: a) Estabelecer padrões de desempenho; b) Avaliar

Leia mais

Quais os resultados você e sua equipe acreditam que conquistarão? É a partir desse ponto que inicia o processo da conquista.

Quais os resultados você e sua equipe acreditam que conquistarão? É a partir desse ponto que inicia o processo da conquista. Sumário 1. Acreditar 2. Aprender a motivar 3. Criar um time inovador 4. Gerir o tempo 5. Criar e manter credibilidade no relacionamento 6. Facilitar o compartilhar com a sua equipe 7. Sobre nós 1. Acreditar

Leia mais

Manual do Aluno Engenharia Insper i

Manual do Aluno Engenharia Insper i Manual do Aluno Engenharia Insper i Capítulo 1 A visão do Insper para a Engenharia A missão dos cursos de engenharia do Insper é: Desenvolver jovens engenheiros que estarão preparados para reconhecer as

Leia mais

Gestão em Saúde LIDERANÇA

Gestão em Saúde LIDERANÇA Gestão em Saúde LIDERANÇA Profa. Ms. Raquel J. Oliveira Lima A administração tinha como objetivos principais: alcançar a eficiência e eficácia, Hoje alcançar a excelência por meio da eficiência e eficácia

Leia mais

Conteúdo I. Nota Introdutória... 3 II. Metodologia e procedimentos de aplicação... 3 III. Conteúdo do questionário... 4 IV. Valores apurados... 4 V. B

Conteúdo I. Nota Introdutória... 3 II. Metodologia e procedimentos de aplicação... 3 III. Conteúdo do questionário... 4 IV. Valores apurados... 4 V. B QUESTIONÁRIO AOS(ÀS) TRABALHADORES(AS) E DIRIGENTES INTERMÉDIOS DA DRAP ALGARVE RELATÓRIO CICLO DE GESTÃO 2013 Fev 2014 Conteúdo I. Nota Introdutória... 3 II. Metodologia e procedimentos de aplicação...

Leia mais

Promover a competitividade e o desenvolvimento dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia nacional

Promover a competitividade e o desenvolvimento dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia nacional Excelência na Gestão Desafio dos Pequenos Negócios INSTITUCIONAL SEBRAE MISSÃO Promover a competitividade e o desenvolvimento dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia

Leia mais

Desafio: Administração Geral - Parte I

Desafio: Administração Geral - Parte I Desafio: Administração Geral - Parte I 1. Em uma organização, os líderes podem possuir diferentes perfis ou estilos. Qual o estilo em que a liderança ocorre quando o colaborador necessita aprender a tarefa

Leia mais

I - Critérios de avaliação curricular

I - Critérios de avaliação curricular Trabalhador para a Carreira Técnica Especialista para o Departamento Administrativo e Financeiro (Ref.ª 01-DAF/2016) I - Critérios de avaliação curricular São adotados os seguintes critérios de avaliação

Leia mais

Definições. Tarefa: atividades individualizadas e executadas por um ocupante de cargo. Cargos simples e repetitivos.

Definições. Tarefa: atividades individualizadas e executadas por um ocupante de cargo. Cargos simples e repetitivos. Desenho de Cargos 1 Definições Tarefa: atividades individualizadas e executadas por um ocupante de cargo. Cargos simples e repetitivos. Atribuição: atividades individualizadas, executadas por um ocupante

Leia mais

Engenharia de Software. Gerenciamento de Pessoal. Professor Joerllys Sérgio

Engenharia de Software. Gerenciamento de Pessoal. Professor Joerllys Sérgio Engenharia de Software Gerenciamento de Pessoal Professor Joerllys Sérgio Pessoas no Processo Pessoas constituem o bem mais valioso de uma organização. Atividades de um gerente são fortemente orientadas

Leia mais

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Avaliação de: Sr. João Vendedor Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Copyright 2012 Caliper & Tekoare. Todos os direitos

Leia mais

Uma avaliação de Jose Teste para o cargo de Tecnico em Automação Industrial

Uma avaliação de Jose Teste para o cargo de Tecnico em Automação Industrial Uma avaliação de para o cargo de Tecnico em Automação Industrial Preparada para Caliper Estrategias Humanas do Brasil Ltda. 26 de agosto de 205 Perfil Caliper concluído em 26 de agosto de 205 Caliper Estratégias

Leia mais

EMPRESARIA DIRETORA DE VENDAS IND. MARY KAY COACH INTEGRAL SISTÊMICO FORMADA PELA FEBRACIS MENTOR PAULO VIEIRA 10 ANOS ESTUDO COMPORTAMENTO HUMANO

EMPRESARIA DIRETORA DE VENDAS IND. MARY KAY COACH INTEGRAL SISTÊMICO FORMADA PELA FEBRACIS MENTOR PAULO VIEIRA 10 ANOS ESTUDO COMPORTAMENTO HUMANO EMPRESARIA DIRETORA DE VENDAS IND. MARY KAY COACH INTEGRAL SISTÊMICO FORMADA PELA FEBRACIS MENTOR PAULO VIEIRA 10 ANOS ESTUDO COMPORTAMENTO HUMANO MISSÃO: ENRIQUECER VIDAS MÃE DA ANNE CAROLINE 14 ANOS

Leia mais

"O QUE SEPARA OS GRANDES LÍDERES DE RH DO RESTO"

O QUE SEPARA OS GRANDES LÍDERES DE RH DO RESTO Acción Formativa "O QUE SEPARA OS GRANDES LÍDERES DE RH DO RESTO" Por Jack Zenger, Joseph Folkman y Pablo Riera Por vezes parece que os Recursos Humanos são um saco de boxe de todos os colaboradores e

Leia mais

Pesquisa de clima organizacional

Pesquisa de clima organizacional : Número de participantes: Nononononono Ltda 30.720 20-02-2005 15:02:33 geral da empresa: 3,83 3,99 3,79 3,99 4,05 3,90 3,83 3,79 3,89 Legenda (1) - Muito fraco ou discordo plenamente (2) - Fraco ou discordo

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2015

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2015 PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2015 COOPERATIVA GERAL Quantidade de colaboradores: 1146 Quantidade de Respondentes: 835 Percentual de participação: 73% Dr. João Damasceno Porto Diretor Administrativo

Leia mais

A EMPRESARIAS QUE ENRIQUECEM. As 10 principais características da mulher empreendedora.

A EMPRESARIAS QUE ENRIQUECEM. As 10 principais características da mulher empreendedora. A EMPRESARIAS QUE ENRIQUECEM As 10 principais características da mulher empreendedora. AS EMPRESÁRIAS QUE ENRIQUECEM Ser empreendedor não é condição exclusiva de empresários ou de quem está à frente de

Leia mais

Liderança, Atributos & Atribuições

Liderança, Atributos & Atribuições Liderança, Atributos & Atribuições Rosely Gaeta Liderança a Situacional Modelo de Hersey & Blanchard, 1986 Fonte: Apostila e Capítulo 7 Sobral & Peci 11/11/2015 A liderança situacional, ou líder que adapta

Leia mais

Preciso saber se estou indo bem!

Preciso saber se estou indo bem! Preciso saber se estou indo bem! Autor: Richard L. Williams Alunos: Lubiana, Maiara, Pedro e Skalit Turma: 1º Administração Venda Nova do Imigrante, Maio de 2012. Qual o principal assunto do livro O livro

Leia mais

Gerenciando as competências como OSS em hospitais públicos

Gerenciando as competências como OSS em hospitais públicos HOSPITAL DE TRANSPLANTES DR. EURYCLIDES DE JESUS ZERBINI SPDM - ASSOCIAÇÃO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA Gerenciando as competências como OSS em hospitais públicos C.L.T. SERVIDORES A CULTURA

Leia mais

Curso de Gerente de Loja - Ações Práticas que Geram Lucro

Curso de Gerente de Loja - Ações Práticas que Geram Lucro Curso de Gerente de Loja - Ações Práticas que Geram Lucro Módulo 1 Liderança e Gestão de Lojas de Varejo Tema 3 - Liderança Liderança Liderança: Como liderar uma equipe de vendas? Quais as habilidades

Leia mais

PROGRAMA DE COACHING & VOCÊ

PROGRAMA DE COACHING & VOCÊ LAIS SILVA Profissional coach &Leader Coach Analista comportamental & 360 graus Coach, Consultora, Palestrante. Especialista em Recursos Humanos e Gestão Auditoria em Serviços de Saúde. Atua há mais de

Leia mais

PALESTRA COMO DESVENDAR E RETER TALENTOS. educare

PALESTRA COMO DESVENDAR E RETER TALENTOS. educare PALESTRA COMO DESVENDAR E RETER TALENTOS Maria de Lourdes Nogueira Psicóloga, Mestre Administração de Empresas e Pós-Graduada em ADM.RH e Psicologia Organizacional. É professora do curso de Pós - Graduação

Leia mais

10/05/2016 GPIII 1. Tópicos

10/05/2016 GPIII 1. Tópicos Tópicos pg 1.Conceitos 2 2.Objetivos 3 3.Gestão de Desempenho 5 4.Métodos 6 5.Modernização dos Métodos 11 6.Os 7 Erros 14 7.Exercícios 17 8.Bibliografia 18 Método de identificação e mensuração das ações

Leia mais

5 Chaves para o Sucesso SÓ VOCÊ PODE MUDAR SUA VIDA

5 Chaves para o Sucesso SÓ VOCÊ PODE MUDAR SUA VIDA 5 Chaves para o Sucesso SÓ VOCÊ PODE MUDAR SUA VIDA 1 Chave: Sonhos Primeiro o homem constrói o sonho e depois o sonho constrói o homem. Acredite, os seus melhores dias ainda estão à sua frente. O seu

Leia mais

Manual!para!Diretor!de!Modalidade!!X!CONNEPI!

Manual!para!Diretor!de!Modalidade!!X!CONNEPI! ManualparaDiretordeModalidade XCONNEPI [ATENÇÃO]* ObserveseosartigosestãonasnormasdoXCONNEPIantesdeenviaEloparao avaliador. Nãoénecessárioalteraroprazoparaconclusãodaavaliação,poisomesmojá estáestipuladoem1semana.

Leia mais

LIDERANÇA. Bom dia! Sejam todos Bem Vindos!

LIDERANÇA. Bom dia! Sejam todos Bem Vindos! LIDERANÇA Bom dia! Sejam todos Bem Vindos! VAMOS REFLETIR O que é ser líder? Onde posso exercer minha liderança? ? Porque o assunto liderança é tão discutido no mundo corporativo? RÁPIDA LINHA DO TEMPO

Leia mais

ESTILOS DA NEGOCIAÇÃO

ESTILOS DA NEGOCIAÇÃO ESTILOS DA NEGOCIAÇÃO Teste para Avaliação Marque com um X as características que mais aproxima-se de você. A Coluna A é o oposto da coluna B. Então, por exemplo, Você é uma pessoa mais organizada ou improvisadora?

Leia mais

RELATÓRIO/TREINAMENTO/TRABALHO EM EQUIPE/ MOTIVAÇÃO

RELATÓRIO/TREINAMENTO/TRABALHO EM EQUIPE/ MOTIVAÇÃO ESTADO DO TOCANTINS Secretaria Municipal de Assistência Social Centro de Referencia de Assistência Social-CRAS RELATÓRIO/TREINAMENTO/TRABALHO EM EQUIPE/ MOTIVAÇÃO CAPACITAÇÃO PARA PROFISSIONAIS DO CRAS

Leia mais

Inovação & A avaliação

Inovação & A avaliação INOVAÇÃO E ENSINO DA EXCELÊNCIA: AVALIAÇÃO NO AEB, PORQUÊ E COMO Inovação & A avaliação Impacto da avaliação formativa nas aprendizagens (workshop 1) Lisboa, 07 julho 2015 Anabela Serrão PORQUE AVALIAMOS?

Leia mais

O que é O Líder em Mim?

O que é O Líder em Mim? O que é O Líder em Mim? Agenda Entender o que é o programa O Líder em Mim: quais seus objetivos e quais suas principais práticas Entender como este programa deve ser implantado: qual o passo a passo, qual

Leia mais

ATA Assistente Técnico Administrativo Trabalho em Equipe Gestão Pública Keyvila Menezes

ATA Assistente Técnico Administrativo Trabalho em Equipe Gestão Pública Keyvila Menezes ATA Assistente Técnico Administrativo Trabalho em Equipe Gestão Pública Keyvila Menezes 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Evolução do trabalho em equipe Grupos

Leia mais

Este ciclo refere-se ao período do 1º ao 10º mês de estágio probatório

Este ciclo refere-se ao período do 1º ao 10º mês de estágio probatório SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE PESSOAL 1º CICLO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO SERVIDOR DOCENTE EM ESTÁGIO PROBATÓRIO Este ciclo refere-se

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper consultor@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The

Leia mais

DICAS DE UMA EMPRESA DE SUCESSO

DICAS DE UMA EMPRESA DE SUCESSO DICAS DE UMA EMPRESA DE SUCESSO IDEO IDEO Empresa de design de produtos Palo Alto EUA - mouse original da Apple - mais de 3000 programas de desenvolvimento de novos produtos - a empresa de design mais

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Unidade 4: Implementação e controle do planejamento estratégico 1 SEÇÃO 4.1 A ESTRUTURA E A CULTURA ORGANIZACIONAL NA IMPLEMENTAÇÃO DA ESTRATÉGIA 2 Estrutura organizacional Especifica

Leia mais

Liderança Transpessoal para o Século XXI - Liderando Além do Ego -

Liderança Transpessoal para o Século XXI - Liderando Além do Ego - Liderança Transpessoal para o Século XXI - Liderando Além do Ego - John Knights www.leadershape.biz www.etiquetaempresarial.com.br ee@etiquetaempresarial.com.br Apr-15 1 CONSCIÊNCIA MUDANDO COMPORTAMENTOS

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Novembro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Finalizar o conteúdo da Disciplina Governança de

Leia mais

A ESSÊNCIA DA LIDERANÇA

A ESSÊNCIA DA LIDERANÇA SUMÁRIO 1. As Definições 2. O Velho Paradigma e o Novo Paradigma 3. O Modelo da Liderança 4. O Legado do Líder Prof. Dr. Francisco Chaves 1. As Definições: Estar no poder é como ser uma dama. Se tiver

Leia mais

Liderança 04/11/2011. Fonte: Maximiano (2009)

Liderança 04/11/2011. Fonte: Maximiano (2009) Fonte: Maximiano (2009) Autoridade Formal Fundamenta-se em leis aceitas de comum acordo, que criam figuras de autoridade dotadas do poder de comando. O seguidor obedece à lei incorporada na figura de autoridade,

Leia mais

CAPACITAÇÃO DE LÍDERES. Guilherme de Amorim Ávilla Gimenez

CAPACITAÇÃO DE LÍDERES. Guilherme de Amorim Ávilla Gimenez CAPACITAÇÃO DE LÍDERES Guilherme de Amorim Ávilla Gimenez Somos o que repetidamente fazemos.a excelência portanto, não é um feito, mas um hábito. Aristóteles 4 elementos que fortalecem a liderança VISÃO

Leia mais

Gerência de Projetos e Qualidade de Software. Prof. Walter Gima

Gerência de Projetos e Qualidade de Software. Prof. Walter Gima Gerência de Projetos e Qualidade de Software Prof. Walter Gima 1 OBJETIVOS O que é Qualidade Entender o ciclo PDCA Apresentar técnicas para garantir a qualidade de software Apresentar ferramentas para

Leia mais

CCSQ. Relatório do Manager - Funções que lidam com o cliente. Nome Sample Candidate. Data 23 setembro

CCSQ. Relatório do Manager - Funções que lidam com o cliente. Nome Sample Candidate. Data 23 setembro CCSQ Relatório do Manager - Funções que lidam com o cliente Nome Sample Candidate Data 23 setembro 2013 www.ceb.shl.com INTRODUÇÃO Este relatório do SHL Manager lhe ajudará a estabelecer as chances de

Leia mais

1 Conceitos da qualidade

1 Conceitos da qualidade 1 Conceitos da qualidade Modelo de excelência Escola Superior de Saúde do Vale do Sousa/Escola Superior do Vale do Ave European Foundation of Quality Management 2 MODELO EFQM DE EXCELÊNCIA NA GESTÃO -Como

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0461 61 IDENTIFICAÇÃO : Título: CAPACITAÇÃO DOS COLABORADORES. Atributo: COMPATIBILIDADE DE PERFIL. Processo: CAPACITAÇÃO DE PESSOAL. O QUE É: Instrumento que se presta a

Leia mais

Além disso, saber onde seus funcionários precisam melhorar vai ajudar e muito na criação de planos de desenvolvimento.

Além disso, saber onde seus funcionários precisam melhorar vai ajudar e muito na criação de planos de desenvolvimento. Este conteúdo faz parte da série: Avaliação de Desempenho Ver 3 posts dessa série O que é Quando o assunto é gestão de pessoas um dos tópicos mais importantes e falados é a avaliação de desempenho. Esse

Leia mais

19/07/2016. Aula 9. Gestão do Desempenho. Prof. Lucia B. Oliveira. Prof. Lucia B. Oliveira. Agenda. Seminário. Prof. Lucia B.

19/07/2016. Aula 9. Gestão do Desempenho. Prof. Lucia B. Oliveira. Prof. Lucia B. Oliveira. Agenda. Seminário. Prof. Lucia B. Aula 9 Gestão do Desempenho Agenda 1 Seminário 2 Gestão do Desempenho 1 Seminário 4 Getting 360-Degree Feedback Right Maury A. Peiperl Harvard Business Review, 2001. Gestão do Desempenho 2 Gestão Estratégica

Leia mais

COMO ATRAIR E RETER OS TALENTOS DA GERAÇÃO Y BRASILEIRA

COMO ATRAIR E RETER OS TALENTOS DA GERAÇÃO Y BRASILEIRA COMO ATRAIR E RETER OS TALENTOS DA Ana Maria Costa Miriam S. Korn Prof. Carlos Honorato COMO ATRAIR E RETER OS TALENTOS DA As empresas precisam conhecer, atrair e reter os novos talentos que serão os profissionais

Leia mais

ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS COLABORADORES SOBRE SEU AMBIENTE DE TRABALHO ATRAVÉS DA PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL

ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS COLABORADORES SOBRE SEU AMBIENTE DE TRABALHO ATRAVÉS DA PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS COLABORADORES SOBRE SEU AMBIENTE DE TRABALHO ATRAVÉS DA PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL WILLIAM

Leia mais

Desenvolvimento de Liderança. Prof. M.e. Fernando Martins Silva

Desenvolvimento de Liderança. Prof. M.e. Fernando Martins Silva Desenvolvimento de Liderança Prof. M.e. Fernando Martins Silva fernando@professorfernandomartins.com.br Fernando Martins Silva Advogado Consultor empresarial Professor universitário Coordenador da pós-graduação

Leia mais

Empreendedorismo no Mercado de Seguros. Palestrantes: Bruno Kelly e Rodrigo Maia

Empreendedorismo no Mercado de Seguros. Palestrantes: Bruno Kelly e Rodrigo Maia Empreendedorismo no Mercado de Seguros Palestrantes: Bruno Kelly e Rodrigo Maia Novos Desafios do Corretor O conceito de venda mudou! - Empoderamento do Cliente - Maior Concorrência - Mercado em Mudança

Leia mais

Massachusetts Department of Elementary and Secondary Education

Massachusetts Department of Elementary and Secondary Education Massachusetts Department of Elementary and Secondary Education 75 Pleasant Street, Malden, Massachusetts 02148-4906 Telephone: (781) 338-3000 TTY: N.E.T. Relay 1-800-439-2370 Jeff Wulfson Acting Commissioner

Leia mais

Você é uma Mulher de Sonhos ou uma Mulher de Atitude? Crédito Diretora Rakell Aguiar

Você é uma Mulher de Sonhos ou uma Mulher de Atitude? Crédito Diretora Rakell Aguiar Você é uma Mulher de Sonhos ou uma Mulher de Atitude? Crédito Diretora Rakell Aguiar Murmuração... Eu não gosto do meu trabalho Não me sinto uma pessoa valorizada no que faço Preciso melhorar minha vida

Leia mais

Conheça a jovem pioneira da Tunísia que está fornecendo oportunidades de emprego para mulheres jovens

Conheça a jovem pioneira da Tunísia que está fornecendo oportunidades de emprego para mulheres jovens Conheça a jovem pioneira da Tunísia que está fornecendo oportunidades de emprego para mulheres jovens Naouel Ghali - Monastir, Tunisia Objetivo Global 8: Trabalho Decente e Crescimento Econômico Na Tunísia

Leia mais

02/12/2014. Aula 10. Gestão do Desempenho. Prof. Lucia B. Oliveira. Prof. Lucia B. Oliveira. Agenda. Seminário. Prof. Lucia B.

02/12/2014. Aula 10. Gestão do Desempenho. Prof. Lucia B. Oliveira. Prof. Lucia B. Oliveira. Agenda. Seminário. Prof. Lucia B. Aula 10 Gestão do Desempenho Agenda 1 Seminário 2 Gestão do Desempenho 1 Seminário 4 Getting 360-Degree Feedback Right Maury A. Peiperl Harvard Business Review, 2001. Gestão do Desempenho 2 Gestão Estratégica

Leia mais

Aula 3. Princípios da Liderança

Aula 3. Princípios da Liderança Aula 3 Princípios da Liderança Profa. Ms. Daniela Cartoni daniela.cartoni@veris.edu.br Princípios da Liderança GAUDENCIO, Paulo. Superdicas para se tornar um verdadeiro líder. São Paulo: Saraiva, 2007.

Leia mais

Unidade IV. Avaliação de Desempenho. Profª. Ana Paula de Andrade Trubbianelli

Unidade IV. Avaliação de Desempenho. Profª. Ana Paula de Andrade Trubbianelli Unidade IV Avaliação de Desempenho Profª. Ana Paula de Andrade Trubbianelli A implantação do planejamento para a avaliação Estudo do processo de trabalho Aperfeiçoamento dos quadros gerenciais (conhecimentos,

Leia mais

Teste de Competência Profissional Seu mapa de sucesso

Teste de Competência Profissional Seu mapa de sucesso Teste de Competência Profissional Seu mapa de sucesso Autor Jorge Penillo Teste de Competência profissional Muito mais que uma ferramenta, um verdadeiro mapa para seu sucesso. Olá meu amigo e minha amiga,

Leia mais

Tema: O Desenvolvimento de Competências e o EAD

Tema: O Desenvolvimento de Competências e o EAD Tema: O Desenvolvimento de Competências e o EAD Maria Raimunda Mendes da Veiga Pedagoga. Especialista em Gestão de Pessoas veiga@enfam.jus.br Secretária Executiva da Enfam 7 de maio de 2015 1 Objetivo:

Leia mais

EXECUTANDO O PROJETO. Por onde começar?

EXECUTANDO O PROJETO. Por onde começar? EXECUTANDO O PROJETO. Por onde começar? No começo de um projeto podemos fazer tudo, mas não sabemos nada. No final do projeto sabemos tudo, mas não podemos fazer nada. Compondo a equipe de projeto Quais

Leia mais

Pai-Nosso/ Ave Maria

Pai-Nosso/ Ave Maria DEGRAUS DE UM COORDENADOR Paróquia Santo Antônio Praia Grande Diocese de Santos (SP) ENCONTRO COM COORDENADORES E VICES DE PASTORAIS E MOVIMENTOS / Abril de 2013 Pai-Nosso/ Ave Maria Toda manhã, procuro

Leia mais

FORMULÁRIOS PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO GERENCIAL SERVIDOR MATRÍCULA CARGO SETOR CAMPUS PERÍODO DE AVALIAÇÃO

FORMULÁRIOS PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO GERENCIAL SERVIDOR MATRÍCULA CARGO SETOR CAMPUS PERÍODO DE AVALIAÇÃO FORMULÁRIOS PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO GERENCIAL SERVIDOR MATRÍCULA CARGO SETOR CAMPUS PERÍODO DE AVALIAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO 1. IDENTIFICAÇÃO DO SERVIDOR Servidor

Leia mais

INFORMATIVO FORMAÇÃO LÍDER COACH. Liderança e Gestão com Pessoas

INFORMATIVO FORMAÇÃO LÍDER COACH. Liderança e Gestão com Pessoas INFORMATIVO FORMAÇÃO LÍDER COACH Liderança e Gestão com Pessoas VISÃO DO CURSO Este curso é voltado para qualquer pessoa que queira assumir um papel de liderança na vida, na carreira e nos negócios. Nele,

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

A L T O P O T E N C I A L

A L T O P O T E N C I A L S E L E C I O N A R D E S E N V O L V E R L I D E R A R H O G A NR E L A T Ó R I O S A L T O P O T E N C I A L RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DE CANDIDATO Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264 Data: 12, Novembro,

Leia mais

Gestão do Desempenho. Gestão Estratégica de RH. Reter e engajar. Capacitar. Atrair 26/10/2016. Gestão do Desempenho. Recrutamento & Seleção

Gestão do Desempenho. Gestão Estratégica de RH. Reter e engajar. Capacitar. Atrair 26/10/2016. Gestão do Desempenho. Recrutamento & Seleção Gestão do Desempenho Ref.: Livro-texto, Cap. 8 Gestão Estratégica de RH Atrair Capacitar Reter e engajar Gestão do Desempenho Recrutamento & Seleção Treinamento & Desenvolvimento Recompensa 2 1 Avaliação

Leia mais

FIRO-B Relatório interpretativo para organizações

FIRO-B Relatório interpretativo para organizações FIRO-B Relatório interpretativo para organizações Desenvolvido por Eugene R. Schnell e Allen L. Hammer Relatório preparado para JANE SAMPLE 17 de agosto de 2015 Interpretado por Joe Trainer XYZ Ltd. CPP,

Leia mais

Capítulo 9 Metas e planos de ação

Capítulo 9 Metas e planos de ação Capítulo 9 Metas e planos de ação Objetivos de aprendizagem 1. Definir um objetivo de como você quer viver 2. Estabelecer metas para alcançar esse objetivo 3. Criar planos de ação para alcançar suas metas

Leia mais

Avaliação do Capital Humano

Avaliação do Capital Humano Avaliação do Capital Humano Pleno século XXI, A quantidade de água salgada espalhada pelos quatro oceanos do mundo, ainda é incontável. Já imaginou se eles não estivessem em EQUIPE? Avaliação do capital

Leia mais

Ementas. Certificate in Business Administration CBA

Ementas. Certificate in Business Administration CBA Ementas Certificate in Business Administration CBA Agosto 2012 Módulo Fundamental Administração Financeira EMENTA: Disciplina desenvolve a capacidade de contribuição para as decisões gerenciais aplicando

Leia mais