O valor mínimo de despesas elegíveis por projecto Euros; O valor máximo de despesas elegíveis por projecto Euros.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O valor mínimo de despesas elegíveis por projecto Euros; O valor máximo de despesas elegíveis por projecto Euros."

Transcrição

1 1. INVESTIMENTOS 1.1 INVESTIMENTOS EM INFRA-ESTRUTURAS Apoio financeiro a iniciativas de investimento em infra-estruturas de natureza colectiva que defendam e preservem actividades culturais e recreativas, correspondentes a formas de saber fazer e estar tradicionais, nomeadamente através da preservação, recuperação e valorização dos elementos patrimoniais das comunidades rurais da ZI LEADER+ AD ELO. Será também intenção desta Submedida o apoio a infra-estruturas de natureza colectiva de carácter demonstrativo que preservem a qualidade ambiental da região, nomeadamente através da criação, adaptação e valorização de espaços de utilização pública que impliquem arranjos paisagísticos melhorando assim o nível de qualidade de vida das populações. Custos associados à execução dos projectos, nomeadamente: Obras de construção civil em infra-estruturas colectivas (Ex: estudos e elaboração de projectos, mão-de-obra, matérias-primas, demolições, escavações, movimento de terras, alvenarias, serralharias, carpintaria, condutas, tubagens, drenagens, infra-estruturas eléctricas e telefónicas); Arranjos em espaços públicos (praças, jardins, largos, entre outros) (Ex: matérias-primas, demolições, escavações, movimento de terras, pavimentações, acções de requalificação física e ambiental e aquisição dos equipamentos necessários à realização destas acções). Tendo como referência o Regulamento do Convite Público da Iniciativa Comunitária LEADER+ e a definição estratégica na distribuição financeira dos recursos disponíveis: A comparticipação da União Europeia nesta Submedida será de 50% das despesas elegíveis. Os projectos poderão ser majorados se reunirem os seguintes critérios: a) Efeito demonstrativo, pedagógico e inovador 3% das despesas elegíveis; b) Impacto ambiental positivo 3% das despesas elegíveis; c) Preservar e/ ou reconverter elementos patrimoniais relevantes 4 % das despesas elegíveis; d) Criarem postos de trabalho 3% das despesas elegíveis. O valor mínimo de despesas elegíveis por projecto Euros; O valor máximo de despesas elegíveis por projecto Euros. Destinatários finais: Os diversos agentes que podem contribuir para a promoção do desenvolvimento local da ZI LEADER+ AD ELO, designadamente: AD ELO; Autarquias; Associações; Cooperativas.

2 1. INVESTIMENTOS 1.2 APOIO A ACTIVIDADES PRODUTIVAS Pretende-se apoiar financeiramente pequenas iniciativas de investimento produtivo que possuam um carácter inovador e demonstrativo e aproveitem os recursos locais naturais, humanos e materiais. As áreas a privilegiar serão: Produção, promoção e comercialização na área da agricultura, silvicultura, das espécies animais autóctones e da agro-indústria familiar; Aproveitamento, recuperação e adaptação de estruturas históricas e rurais, tendo como fim a sua rentabilização na actividade turística da região; Criação ou modernização de pequenas iniciativas empresariais, que tenham como objectivo a prestação de serviços de proximidade ou que promovam o aproveitamento dos recursos endógenos; Recuperação e valorização do artesanato. Despesas associadas à execução dos projectos, nomeadamente: Todo o investimento corpóreo e incorpóreo necessário à criação, modernização e expansão de pequenas iniciativas de natureza empresarial, nomeadamente: obras de construção e adaptação de instalações, aquisição de equipamento e serviços especializados (excluem-se as despesas ligadas à aquisição de terrenos, de imóveis e de veículos automóveis); Estudos de viabilidade e de mercado, quando inseridos num plano de investimentos, (elegíveis até 5% do investimento global apresentado); Concepção e elaboração de material promocional. Tendo como referência o Regulamento do Convite Público da Iniciativa Comunitária LEADER+ e a definição estratégica na distribuição financeira dos recursos disponíveis: A comparticipação da União Europeia nesta Submedida terá como taxa 35% das despesas elegíveis; Será atribuída uma comparticipação da Administração Central aos projectos que cumpram os seguintes critérios: a) Efeito inovador, pedagógico e multiplicativo - 5 % das despesas elegíveis b) Criação de postos de trabalho 5% das despesas elegíveis; c) Promovidos por mulheres 5% das despesas elegíveis. Os projectos promovidos por jovens agricultores que cumpram os critérios acima referenciados terão uma comparticipação da Administração Central de 20%; O valor mínimo de despesas elegíveis por projecto Euros; O valor máximo de despesas elegíveis por projecto Euros; O valor máximo de ajudas públicas por beneficiário Euros durante um período de 3 anos. Os diversos agentes que pretendam investir numa óptica lucrativa na exploração dos recursos locais e que contribuam para a promoção do desenvolvimento local da ZI LEADER+ AD ELO: AD ELO; Autarquias; Associações; Empresas privadas; Cooperativas.

3 1. INVESTIMENTOS 1.3 OUTRAS ACÇÕES MATERIAIS Pretende-se que as novas tecnologias promovam a coesão territorial e o desenvolvimento económico e que assim contribuam para o aumento da competitividade da região. Desta forma, visa-se apoiar a criação de dispositivos/serviços que através das novas tecnologias de informação e comunicação permitindo a divulgação dos produtos e / ou serviços prestados pelas empresas locais. O desenvolvimento de iniciativas de investimento tendo em conta a preservação dos valores culturais será também objecto de apoio nesta submedida. Despesas associadas à execução dos projectos, nomeadamente: Investimento em capital fixo necessário à criação/reconversão de espaços físicos de acesso às novas tecnologias; (adaptação de instalações, instalação de estruturas de telecomunicações e informática, mobiliário, entre outros); Aquisição de equipamentos; Serviços especializados para a concretização dos projectos (consultoria e assistência técnica); Edição de material promocional. Tendo como referência o Regulamento do Convite Público da Iniciativa Comunitária LEADER+ e a definição estratégica na distribuição financeira dos recursos disponíveis: A comparticipação da União Europeia nesta Submedida será de 50% das despesas elegíveis. Poderá ser atribuída aos promotores privados uma comparticipação da Administração Central que poderá atingir o máximo de 25% das despesas elegíveis sendo os projectos majorados se reunirem os seguintes critérios: a) Efeito demonstrativo, pedagógico e inovador 8% das despesas elegíveis; b) Introdução de Novas Tecnologias de Informação 8% das despesas elegíveis; c) Criarem postos de trabalho 4% das despesas elegíveis; d) Promovidos por mulheres, jovens ou Associações Sem Fins Lucrativos 5% das despesas elegíveis Os projectos aprovados têm 75% como limite máximo de ajuda pública. O valor mínimo de despesas elegíveis por projecto Euros; O valor máximo de despesas elegíveis por projecto Euros. Os diversos agentes que podem contribuir para a promoção do desenvolvimento local da ZI LEADER+ AD ELO: AD ELO; Autarquias; Associações; Cooperativas; Escolas; Privados (desde que o projecto beneficie a comunidade).

4 2. ACÇÕES IMATERIAIS 2.1 FORMAÇÃO PROFISSIONAL Através desta Submedida pretende-se desenvolver um processo formativo no âmbito do Desenvolvimento Local, de carácter inovador, adaptado às necessidades locais e ao cumprimento dos objectivos do PDL do LEADER+ AD ELO. Custos de preparação, divulgação e execução de acções de formação, nomeadamente: Formandos; Formadores; Serviços especializados de formação (organização, planificação, entre outros); Avaliação. Tendo como referência o Regulamento do Convite público da Iniciativa Comunitária LEADER+: AD ELO como entidade promotora de formação.

5 2. ACÇÕES IMATERIAIS 2.2 OUTRAS ACÇÕES IMATERIAIS Apoio à criação de mecanismos que possibilitem a circulação de informação e a dinamização dos promotores locais, nomeadamente através do apoio à criação de empresas. Desta forma, pretende-se contribuir para o aparecimento de iniciativas que promovam e divulguem as potencialidades da região. Pretende-se ainda apoiar iniciativas que defendam e preservem actividades culturais e recreativas, correspondentes a formas de saber fazer e estar tradicionais que valorizem as comunidades e a sua identidade. Despesas de montagem, desmontagem e apoio logístico na preparação de feiras e exposições de natureza local; Serviços especializados respeitantes à preparação e concretização de actividades culturais (logística, publicidade, produção gráfica, aluguer de espaço e equipamentos, segurança, recolha e tratamento da informação); Despesas de materiais de consumo e de desgaste necessários à concretização dos projectos; Criação de rótulos e embalagens identificadoras da região; Recursos humanos associados a projectos limitados no tempo e com objectivos muito específicos. Tendo como referência o Regulamento do Convite Público da Iniciativa Comunitária LEADER+ e a definição estratégica na distribuição financeira dos recursos disponíveis: A comparticipação da União Europeia nesta Submedida será de 50% das despesas elegíveis. Poderá ser atribuída aos promotores privados uma comparticipação da Administração Central que poderá atingir o máximo de 25% das despesas elegíveis se reunirem os seguintes critérios: a) Efeito demonstrativo, pedagógico e inovador 5% das despesas elegíveis; b) Promovidos por mulheres, jovens ou Associações Sem Fins Lucrativos 5% das despesas elegíveis c) Participação de uma parceria alargada - 5% das despesas elegíveis d) Impacto local e regional demonstrado pela adesão da comunidade - 5% das despesas elegíveis; e) Complementar e possibilitar o apoio a novos projectos - 5% das despesas elegíveis. Os projectos aprovados têm 75% como limite máximo de ajuda pública. Os diversos agentes que podem contribuir para a promoção do desenvolvimento local da ZI LEADER+ AD ELO: a) AD ELO (entidade promotora de projectos de assistência técnica); b) Autarquias; c) Associações; d) Cooperativas; e) Escolas;

6 4. DESPESAS DE FUNCIONAMENTO DOS GAL 4.1 RECURSOS HUMANOS Apoio financeiro para a criação da uma equipa técnica na AD ELO que irá conceber, organizar, acompanhar e avaliar o LEADER+ AD ELO. Remunerações, encargos sociais e outras despesas associadas à manutenção da equipa técnica do GAL. Honorários especializados. Tendo como referência o Regulamento do Convite público da Iniciativa Comunitária LEADER+: AD ELO.

7 4. DESPESAS DE FUNCIONAMENTO DOS GAL 4.2 INFORMAÇÃO E PUBLICIDADE Apoio financeiro à concretização das acções de divulgação do PDL. Despesas gerais de: Produção de material de divulgação; Publicidade e actividades de divulgação em feiras/mostras e nos meios de comunicação social; Serviços especializados; Despesas ligadas à criação, manutenção de site da Internet. Tendo como referência o Regulamento do Convite público da Iniciativa Comunitária LEADER+: AD ELO.

8 4. DESPESAS DE FUNCIONAMENTO DOS GAL 4.3 SISTEMA DE INFORMAÇÃO Apoio financeiro à criação de um sistema de informação e organização que permita uma execução global e eficaz do PDL. Despesas gerais de: Hardware e software de suporte ao sistema de informação; Serviços especializados. Tendo como referência o Regulamento do Convite público da Iniciativa Comunitária LEADER+: AD ELO.

9 4. DESPESAS DE FUNCIONAMENTO DOS GAL 4.4 AVALIAÇÃO Apoio financeiro à concretização das acções de avaliação dos projectos aprovados e da execução global do PDL. Serviços especializados; Despesas ligadas a processos/procedimentos de avaliação; Estudos, inquéritos. Tendo como referência o Regulamento do Convite público da Iniciativa Comunitária LEADER+: AD ELO.

10 4. DESPESAS DE FUNCIONAMENTO DOS GAL 4.5 FUNCIONAMENTO Apoio financeiro às despesas de funcionamento do GAL. Despesas de funcionamento geral como: Material de escritório; Bens de consumo; Alugueres e rendas; Deslocações, estadias e ajudas de custo; Aquisição de serviços especializados; Aquisição de equipamento. Tendo como referência o Regulamento do Convite Público da Iniciativa Comunitária LEADER+: AD ELO.

Sistemas de Incentivos do QREN

Sistemas de Incentivos do QREN Sistemas de Incentivos do QREN Sistemas de Incentivos do QREN 1. Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME 2. Sistema de Incentivos à Inovação 3. Sistema de Incentivos à Investigação

Leia mais

SISTEMAS DE INCENTIVOS PORTUGAL 2020

SISTEMAS DE INCENTIVOS PORTUGAL 2020 SISTEMAS DE INCENTIVOS PORTUGAL 2020 Qualificação PME Esta candidatura consiste num plano de apoio financeiro a projetos que visam ações de qualificação de PME em domínios imateriais com o objetivo de

Leia mais

Sessão de Divulgação PDR DLBC Terras de Basto

Sessão de Divulgação PDR DLBC Terras de Basto Sessão de Divulgação PDR 2020 - DLBC Terras de Basto Operação 10.2.1.1 - Pequenos investimentos nas explorações agrícolas Promover a melhoria das condições de vida, de trabalho e de produção dos agricultores;

Leia mais

Oportunidades de negócio para a Agricultura familiar: circuitos curtos e diversificação de actividades

Oportunidades de negócio para a Agricultura familiar: circuitos curtos e diversificação de actividades Oportunidades de negócio para a Agricultura familiar: circuitos curtos e diversificação de actividades Seminário A diversificação na agricultura no Oeste Caldas da Rainha 5 Dezembro 2014 Definições Venda

Leia mais

Programa de Promoção de Artes e Ofícios. Decreto- Lei n.º 122/2015, de 30 de junho

Programa de Promoção de Artes e Ofícios. Decreto- Lei n.º 122/2015, de 30 de junho Programa de Promoção de Artes e Ofícios Decreto- Lei n.º 122/2015, de 30 de junho Programa de Promoção das Artes e Ofícios - Em que consiste? Consiste num conjunto de modalidades de apoio, no âmbito das

Leia mais

Programa de Ação e Investimentos

Programa de Ação e Investimentos Este documento pretende sintetizar o Programa de Ação que faz parte integrante da Estratégia de Desenvolvimento Local apresentada pela ADREPES na fase de pré-qualificação da parceria do GAL ADREPES COSTEIRO.

Leia mais

APOIOS NO ÂMBITO DA MEDIDA 10 LEADER/DLBC DO PDR2020

APOIOS NO ÂMBITO DA MEDIDA 10 LEADER/DLBC DO PDR2020 APOIOS NO ÂMBITO DA MEDIDA 10 LEADER/DLBC DO PDR2020 COLÓQUIO PRODUTOS DE QUALIDADE, TERRITÓRIOS E GASTRONOMIA Ana Paula Xavier 13 de junho de 2017 CNEMA, Santarém A EVOLUÇÃO DO LEADER EM PORTUGAL 20 GAL

Leia mais

ACÇÃO DIVERSIFICAÇÃO DE ACTIVIDADES NA EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA

ACÇÃO DIVERSIFICAÇÃO DE ACTIVIDADES NA EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA ACÇÃO 3.1.1 DIVERSIFICAÇÃO DE ACTIVIDADES NA EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA OBJECTIVO: Estimular o desenvolvimento de actividades não agrícolas, na exploração agrícola, criando novas fontes de rendimento e de emprego,

Leia mais

CMA ,GER,I,RE,27118

CMA ,GER,I,RE,27118 ENTIDADE CM AMADORA MUNICIPIO DA AMADORA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2014/12/31 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 63.382.313,97 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL... 60.847.742,70 OPERAÇÕES

Leia mais

F L U X O S D E C A I X A ANO 2006 ENTIDADE MVN MUNICIPIO DE VENDAS NOVAS Pág. 1 R E C E B I M E N T O S

F L U X O S D E C A I X A ANO 2006 ENTIDADE MVN MUNICIPIO DE VENDAS NOVAS Pág. 1 R E C E B I M E N T O S ENTIDADE MVN MUNICIPIO DE VENDAS NOVAS Pág. 1 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 809.124,29 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL... 550.398,68 OPERAÇÕES DE TESOURARIA... 258.725,61 RECEITAS ORÇAMENTAIS...

Leia mais

TIPOLOGIA DE INTERVENÇÃO PROGRAMA DE FORMAÇÃO-ACÇÃO PARA PME Matriz Referencial de Análise das Entidades Beneficiárias Critérios de selecção

TIPOLOGIA DE INTERVENÇÃO PROGRAMA DE FORMAÇÃO-ACÇÃO PARA PME Matriz Referencial de Análise das Entidades Beneficiárias Critérios de selecção TIPOLOGIA DE INTERVENÇÃO 3.1.1.PROGRAMA DE FORMAÇÃO-ACÇÃO PARA PME Matriz Referencial de Análise das Entidades Beneficiárias Critérios de selecção Parte A - da Entidade Beneficiária Valorização Pontuação

Leia mais

Financiamento de Candidaturas. Regulamento

Financiamento de Candidaturas. Regulamento Financiamento de Candidaturas A Junta de Freguesia de Benfica (JFB), no âmbito da sua responsabilidade social e no âmbito da Comissão Social de Freguesia (CSF), irá apoiar financeiramente candidaturas

Leia mais

Fórum das Exportações

Fórum das Exportações Ponta Delgada 27 de Junho de 2011 Arnaldo Machado Director Regional de Apoio ao Investimento e à Competitividade 1 Internacionalização Delimitação do conceito compreende todo o tipo de intervenção qualitativamente

Leia mais

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO CRITÉRIOS DE INSERÇÃO DE PROJECTOS NO PÓLO DE COMPETITIVIDADE E TECNOLOGIA TURISMO 2015 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTO ELEGÍVEIS 1. No âmbito dos

Leia mais

ENTIDADE ORÇAMENTO DA DESPESA DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DE MONTALEGRE ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2008

ENTIDADE ORÇAMENTO DA DESPESA DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DE MONTALEGRE ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2008 ENTIDADE ORÇAMENTO DA DESPESA DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DE MONTALEGRE ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2008 PÁGINA : 1 01 ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL 1.431.200,00 01.01 ASSEMBLEIA MUNICIPAL

Leia mais

Internacionalização das PME Qualificação das PME

Internacionalização das PME Qualificação das PME Sistema de Incentivos Qualificação e Internacionalização PME Qualificação das PME Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (I&DT) Inovação Empresarial e Empreendedorismo Qualificação e Internacionalização

Leia mais

REGRAS DE EXECUÇÃO DA INICIATIVA NEOTEC. Artigo 1.º. Objecto

REGRAS DE EXECUÇÃO DA INICIATIVA NEOTEC. Artigo 1.º. Objecto REGRAS DE EXECUÇÃO DA INICIATIVA NEOTEC Artigo 1.º Objecto As presentes regras visam definir as condições de acesso e de atribuição de financiamento a projectos no âmbito da Iniciativa NEOTEC, através

Leia mais

Última alteração Página 1 de 8

Última alteração Página 1 de 8 01 Despesas com o pessoal * 01 01 Remunerações certas e permanentes * 01 01 01 01 01 02 Órgãos sociais * 01 01 03 Pessoal dos quadros - Regime de função pública * 01 01 04 Pessoal dos quadros - Regime

Leia mais

Gabinete de Apoio à Criação de Emprego e Captação de Investimentos

Gabinete de Apoio à Criação de Emprego e Captação de Investimentos Estudo de Caracterização do Tecido Empresarial do Concelho de Almada Observatório sobre Emprego, Empresas e Formação Gabinete de Apoio à Criação de Emprego e Captação de Investimentos 1 O Objecto da presente

Leia mais

Lisboa, 25 de novembro de 2011

Lisboa, 25 de novembro de 2011 Lisboa, 25 de novembro de 2011 A reabilitação urbana constitui um fator essencial no desenvolvimento do setor do turismo, enquanto elemento integrante da nossa oferta turística A regeneração urbana estabelece

Leia mais

Anúncio de Abertura de Período de Apresentação de Candidaturas

Anúncio de Abertura de Período de Apresentação de Candidaturas Anúncio de Abertura de Período de Apresentação de Candidaturas N.º 6/2017/ Grupo de Ação Local ecomar Tipologia: Reforço da competitividade do turismo Portaria n.º 216/2016, de 5 de agosto A submissão

Leia mais

TURISMO: LINHA DE APOIO À QUALIFICAÇÃO DA OFERTA

TURISMO: LINHA DE APOIO À QUALIFICAÇÃO DA OFERTA TURISMO: LINHA DE APOIO À QUALIFICAÇÃO DA OFERTA 2017-2018 TIPOLOGIA E ENQUADRAMENTO Instrumento financeiro disponibilizado pelo Turismo de Portugal (TP), em parceria com o sistema bancário e a Portugal

Leia mais

Define as orientações fundamentais para a utilização nacional dos fundos comunitários para o período de

Define as orientações fundamentais para a utilização nacional dos fundos comunitários para o período de QREN: Uma oportunidade para potenciar a inovação nas empresas O que é o QREN? Define as orientações fundamentais para a utilização nacional dos fundos comunitários para o período de 2007-2013. As suas

Leia mais

OPORTUNIDADES NA PRODUÇÃO PRIMÁRIA 6 março 2015

OPORTUNIDADES NA PRODUÇÃO PRIMÁRIA 6 março 2015 OPORTUNIDADES NA PRODUÇÃO PRIMÁRIA 6 março 2015 1 QUEM SOMOS A CONSULAI (www.consulai.com) possui atualmente cerca de 600 clientes, passando por todos os sectores da produção e transformação de produtos

Leia mais

F L U X O S D E C A I X A. ENTIDADE MUNICIPIO BAIAO MUNICÍPIO DE BAIÃO ANO 2016 PERÍODO 2016/01/01 A 2016/12/31 Pág. 1 R E C E B I M E N T O S

F L U X O S D E C A I X A. ENTIDADE MUNICIPIO BAIAO MUNICÍPIO DE BAIÃO ANO 2016 PERÍODO 2016/01/01 A 2016/12/31 Pág. 1 R E C E B I M E N T O S PERÍODO 2016/01/01 A 2016/12/31 Pág. 1 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 1.932.924,00 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL... 966.922,53 OPERAÇÕES DE TESOURARIA... 966.001,47 RECEITAS ORÇAMENTAIS...

Leia mais

SI2E SISTEMA DE INCENTIVOS AO EMPREENDEDORISMO E AO EMPREGO APOIO À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO

SI2E SISTEMA DE INCENTIVOS AO EMPREENDEDORISMO E AO EMPREGO APOIO À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO SI2E SISTEMA DE INCENTIVOS AO EMPREENDEDORISMO E AO EMPREGO APOIO À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO ÍNDICE TIPOLOGIA 3 BENEFICIÁRIOS 3 PROJETOS A APOIAR 3 CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE DOS BENEFICIÁRIOS 3 CRITÉRIOS

Leia mais

ORÇAMENTO DE 2007 Receitas/Despesas

ORÇAMENTO DE 2007 Receitas/Despesas CORRENTES 13.767.023,00 CORRENTES 13.767.023,00 01 Impostos directos 3.742.060,00 01 Despesas com o pessoal 6.715.760,00 01.02 Outros 3.742.060,00 01.01 Remunerações certas e permanentes 5.503.000,00 01.02.02

Leia mais

Convite Público Apresentação de candidaturas

Convite Público Apresentação de candidaturas Convite Público Apresentação de candidaturas Eixo Prioritário V Governação e Capacitação Institucional PROMOÇÃO E CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL Aviso n.º: Centro-PCI-2010-07 As informações que constam do presente

Leia mais

SI2E Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego

SI2E Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego SI2E Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego PSZ CONSULTING 2017 Tipologia O SI2E pretende estimular o surgimento de iniciativas empresariais e a criação de emprego em territórios de baixa

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes: EIXO 1 COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE APOIO A INFRA-ESTRUTURAS CIENTÍFICAS E TECNOLÓGICAS O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de

Leia mais

SI2E Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego APOIO À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO

SI2E Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego APOIO À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO SI2E Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego APOIO À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO ÍNDICE TIPOLOGIA 3 BENEFICIÁRIOS 3 PROJETOS A APOIAR 3 CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE DOS BENEFICIÁRIOS 3 CRITÉRIOS

Leia mais

DESIGNAÇÃO DESPESAS CORRENTES. Titulares de órgãos de soberania e membros de órgãos autárquicos *

DESIGNAÇÃO DESPESAS CORRENTES. Titulares de órgãos de soberania e membros de órgãos autárquicos * DESPESAS CORRENTES 01 Despesas com o pessoal * 01 01 Remunerações certas e permanentes * 01 01 01 01 01 02 Órgãos sociais * Titulares de órgãos de soberania e membros de órgãos autárquicos * 01 01 03 Pessoal

Leia mais

FREGUESIA DE SINES FLUXOS DE CAIXA. Despesas Orçamentais. Data inicial : Data final : 31/12/2015. (unidade EUR) Ano: 2015 PAGAMENTOS

FREGUESIA DE SINES FLUXOS DE CAIXA. Despesas Orçamentais. Data inicial : Data final : 31/12/2015. (unidade EUR) Ano: 2015 PAGAMENTOS Despesas Orçamentais 503.189,41 Correntes 459.808,63 010000.0101110000 Representação 5.865,96 010000.0101130000 Subsidio de refeição 010000.0102130200 Outros 010000.0103090200 Seguros de saúde 010000.0201150000

Leia mais

Promover o reforço das capacidades técnica e tecnológica das PME e a modernização das estruturas, através da sua participação na economia digital;

Promover o reforço das capacidades técnica e tecnológica das PME e a modernização das estruturas, através da sua participação na economia digital; SIED SISTEMA DE INCENTIVOS À ECONOMIA DIGITAL FICHA DE MEDIDA Apoia projectos que visem dinamizar a participação das pequenas e médias empresas na economia digital, actuando ao nível do reforço das capacidades

Leia mais

Formação Empresários -nível 5. Número formandos padrão. Número formandos padrão. Horas

Formação Empresários -nível 5. Número formandos padrão. Número formandos padrão. Horas N.º de horas e de formandos por Entidade Destinatária Tipologia Escalão Horas Consultoria Formativa (Empresários e Ativos ) Formação Empresários e Ativos - nível 3 Horas Número formandos padrão Formação

Leia mais

Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto UM COMPROMISSO NACIONAL Medida 1 Saúde e Segurança nas Instalações Desportivas

Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto UM COMPROMISSO NACIONAL Medida 1 Saúde e Segurança nas Instalações Desportivas UM COMPROMISSO NACIONAL Medida 1 Saúde e Segurança nas Instalações Desportivas A, no contexto do compromisso de responsabilidade partilhada estabelecido no Congresso do Desporto, com o movimento associativo

Leia mais

SI INOVAÇÃO REFERENCIAL DE ANÁLISE DO MÉRITO DO PROJECTO MP = 0,30 A + 0,30 B + 0,15 C + 0,25 D

SI INOVAÇÃO REFERENCIAL DE ANÁLISE DO MÉRITO DO PROJECTO MP = 0,30 A + 0,30 B + 0,15 C + 0,25 D SI INOVAÇÃO PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO AVISO Nº 34 /SI/2009 REFERENCIAL DE ANÁLISE DO MÉRITO DO PROJECTO MP = 0,30 A + 0,30 B + 0,15 C + 0,25 D A. Qualidade do Projecto: A = 0,30 A 1 + 0,40

Leia mais

Programa BIP/ZIP 2016

Programa BIP/ZIP 2016 Programa BIP/ZIP 2016 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 051 BOUTIQUE DO BAIRRO Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone:

Leia mais

INOVAÇÃO NA AGRICULTURA, AGRO-INDÚSTRIA E FLORESTA

INOVAÇÃO NA AGRICULTURA, AGRO-INDÚSTRIA E FLORESTA O Futuro do Território Rural JOVENS EMPRESÁRIOS NO ESPAÇO RURAL Firmino Cordeiro Director-Geral da AJAP Organização: Apoio Institucional: AGRICULTURA NACIONAL - Agricultura profissional deve continuar

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação

Sistema de Incentivos à Inovação Sistema de Incentivos à Inovação Inovação Produtiva e Empreendedorismo Qualificado até concursos abertos 26 de abril de 2012 sistema de incentivos à inovação Inovação Produtiva e Empreendedorismo Qualificado

Leia mais

Turismo 2015_Folheto Aviso_Concurso_SI_Inovação_Inovação Produtiva e Empreededorismo Qualificado

Turismo 2015_Folheto Aviso_Concurso_SI_Inovação_Inovação Produtiva e Empreededorismo Qualificado Tipologias de Projectos a Apoiar na Inovação Produtiva: Região NUTS II do Centro, Norte e Alentejo e Requalificação - Aldeamentos Turísticos [de 4 ou 5 estrelas] - Parques de Campismo [desde que resultem

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 901.192,95 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 829.974,24 Operações de Tesouraria 71.218,71 5.350.287,99 Receitas Correntes 4.993.147,29 01 Impostos

Leia mais

SI INOVAÇÃO TURISMO SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO E EMPREENDORISMO QUALIFICADO (AVISO DE CANDIDATURA JANEIRO 2011) INFORMAÇÃO SINTETIZADA

SI INOVAÇÃO TURISMO SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO E EMPREENDORISMO QUALIFICADO (AVISO DE CANDIDATURA JANEIRO 2011) INFORMAÇÃO SINTETIZADA SI INOVAÇÃO SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO E EMPREENDORISMO QUALIFICADO (AVISO DE CANDIDATURA JANEIRO 2011) TURISMO QREN QUADRO DE REFERÊNCIA ESTRATÉGICO NACIONAL 2007-2013 INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 ÍNDICE

Leia mais

CLUBE DE EMPREGO SOCIOHABITAFUNCHAL PLANO DE ACTIVIDADES

CLUBE DE EMPREGO SOCIOHABITAFUNCHAL PLANO DE ACTIVIDADES PLANO DE ACTIVIDADES 2010 2011 Identificação Entidade: Sociohabitafunchal, E.M Animadora: Célia Dantas Localização: Centro Cívico de Santo António Designação O Clube de Emprego é um serviço promovido pelo

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 1.671.626,66 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 1.541.850,60 Operações de Tesouraria 129.776,06 19.053.938,41 Receitas Correntes 8.176.200,31 01

Leia mais

Ministério das Cidades, Ordenamento do Território e Ambiente PLANO DE ORDENAMENTO DO PARQUE NATURAL DE SINTRA-CASCAIS 5. PLANO OPERACIONAL DE GESTÃO

Ministério das Cidades, Ordenamento do Território e Ambiente PLANO DE ORDENAMENTO DO PARQUE NATURAL DE SINTRA-CASCAIS 5. PLANO OPERACIONAL DE GESTÃO Ministério das Cidades, Ordenamento do Território e Ambiente PLANO DE ORDENAMENTO DO PARQUE NATURAL DE SINTRA-CASCAIS 1.. REGULAMENTO 2.. PLANTA DE ORDENAMENTO 3.. RELATÓRIO 4.. PLANTA DE CONDICIONANTES

Leia mais

FLUXOS DE CAIXA CONSOLIDADOS

FLUXOS DE CAIXA CONSOLIDADOS CÂMARA MUNICIPAL DO / SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DE TRANSPORTES COLECTIVOS DO RECEBIMENTOS Saldo da gerência anterior 2.164.836,98 Execução Orçamental 1.506.708,02 Operações de Tesouraria 658.128,96 Total

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA ESPECÍFICA Custos Operacionais e de Animação Nº 1/2017 VERSÃO 1.0 DESENVOLVIMENTO LOCAL DE BASE COMUNITÁRIA ANEXO I Lista de documentos a apresentar com a candidatura para controlo documental

Leia mais

Artigo 3.º (Regimes) 1 As empresas poderão usufruir do serviço do ninho de empresas no regime residente e no regime apartado.

Artigo 3.º (Regimes) 1 As empresas poderão usufruir do serviço do ninho de empresas no regime residente e no regime apartado. Regulamento do Ninho de Empresas do Conhecimento e Tecnologias da Informação (1.ª Revisão) Artigo 1.º (Âmbito) O presente regulamento define as condições para a utilização do serviço de Ninho de Empresas

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 65.671,63 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 35.995,61 Operações de Tesouraria 29.676,02 7.254.109,99 Receitas Correntes 5.531.927,03 01 Impostos

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS n.º 15/SI/2011 INOVAÇÃO PRODUTIVA - PROVERE Elisabete Félix Turismo de Portugal, I.P. - Direção de Investimento PRIORIDADE Fomento

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Eixo Prioritário 4 Protecção e Valorização Ambiental ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL Centro-VQA-2009-13-BM-13 1 Nos termos do Regulamento Específico Acções

Leia mais

PROJECTOS DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DA REGIÃO DO NORTE

PROJECTOS DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DA REGIÃO DO NORTE PROJECTOS DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO O desenvolvimento turístico da Região Norte constitui uma aposta fundamental e distintiva do ON.2 O Novo Norte (Programa Operacional Regional do Norte). Essa aposta

Leia mais

FINANCIAMENTO E CAPITAL DE RISCO

FINANCIAMENTO E CAPITAL DE RISCO FINANCIAMENTO E CAPITAL DE RISCO FINOVA O FINOVA - Fundo de Apoio ao Financiamento à Inovação - criado através do Decreto-lei n.º 175/2008, de 26 de Agosto, como instrumento para a concretização dos objectivos

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 342.505,09 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 291.458,83 Operações de Tesouraria 51.046,26 13.407.175,15 Receitas Correntes 7.217.689,82 01 Impostos

Leia mais

2. Termos de referência 2.1 Área de Intervenção 2.2 Enquadramento no PDM

2. Termos de referência 2.1 Área de Intervenção 2.2 Enquadramento no PDM Janeiro 2010 Fundamentação para a Elaboração do Plano de Pormenor do Conjunto das Azenhas do Boco Termos de Referência Índice 1. Introdução 2. Termos de referência 2.1 Área de Intervenção 2.2 Enquadramento

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE TURISMO AMBIENTAL E RURAL

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE TURISMO AMBIENTAL E RURAL CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE TURISMO AMBIENTAL E RURAL O Técnico de Turismo Ambiental e Rural é o profissional que participa na aplicação de medidas de valorização do turismo em espaço rural, executando

Leia mais

ENTIDADE CMCB - MUNICIPIO DE CELORICO DE BASTO ANO 2012 PAG. 1

ENTIDADE CMCB - MUNICIPIO DE CELORICO DE BASTO ANO 2012 PAG. 1 PAG. 1 01 ASSEMBLEIA MUNICIPAL 20.700,00 9.610,90 9.610,90 9.610,90 11.089,10 11.089,10 46.43 01 DESPESAS COM O PESSOAL 18.100,00 8.825,38 8.825,38 8.825,38 9.274,62 9.274,62 48.76 0102 ABONOS VARIÁVEIS

Leia mais

OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PARA AS EMPRESAS NO PORTUGAL 2020

OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PARA AS EMPRESAS NO PORTUGAL 2020 OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO PARA AS EMPRESAS NO PORTUGAL 2020 Sessão de apresentação/divulgação Barreiro Vítor Escária 28.01.2015 1. Enquadramento 2. Condições de Elegibilidade e Apoios Máximos 3. Apoio

Leia mais

Valorizar os Produtos Locais - Importância dos circuitos curtos

Valorizar os Produtos Locais - Importância dos circuitos curtos Valorizar os Produtos Locais - Importância dos circuitos curtos Seminário Pequenos Investimentos Produzir e vender com Qualidade e Segurança Luís Chaves 01 de setembro de 2016 Rio Maior 1. A Federação

Leia mais

ENTIDADE JF AVINTES - JUNTA DE FREGUESIA DE AVINTES ANO 2006 PAG. 1

ENTIDADE JF AVINTES - JUNTA DE FREGUESIA DE AVINTES ANO 2006 PAG. 1 PAG. 1 01 ORGÃOS DA AUTARQUIA 0102 ASSEMBLEIA DE FREGUESIA 010204 Ajudas de custo 100,00 100,00 100,00 010213 Outros suplementos e prémios 2.100,00 1.076,40 1.076,40 1.076,40 1.023,60 1.023,60 51.26 010309

Leia mais

FREGUESIA DE PRAINHA MUNICÍPIO DE SÃO ROQUE DO PICO FLUXOS DE CAIXA APROVAÇÃO ANO FINANCEIRO DE Datas das Deliberações / / / /

FREGUESIA DE PRAINHA MUNICÍPIO DE SÃO ROQUE DO PICO FLUXOS DE CAIXA APROVAÇÃO ANO FINANCEIRO DE Datas das Deliberações / / / / FREGUESIA DE PRAINHA MUNICÍPIO DE SÃO ROQUE DO PICO FLUXOS DE CAIXA APROVAÇÃO ANO FINANCEIRO DE 2015 Datas das Deliberações Junta de Freguesia / / Assembleia de Freguesia / / Órgão Executivo Órgão Deliberativo

Leia mais

ORÇAMENTO DA RECEITA

ORÇAMENTO DA RECEITA Código ORÇAMENTO DA RECEITA Designação Ano : 24 Montante RECEITAS CORRENTES Impostos directos 28.500,00 02 Outros 28.500,00 02 02 Imposto Municipal sobre imoveis 28.500,00 02 Impostos indirectos 62.500,00

Leia mais

EXECUÇÃO ORÇAMENTAL ,49 OPERAÇÕES DE TESOURARIA ,47 RECEITAS ORÇAMENTAIS ,02

EXECUÇÃO ORÇAMENTAL ,49 OPERAÇÕES DE TESOURARIA ,47 RECEITAS ORÇAMENTAIS ,02 ENTIDADE M.S.V. MUNICIPIO SAO VICENTE Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2014/12/31 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 179.594,96 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL... 113.004,49 OPERAÇÕES DE TESOURARIA...

Leia mais

Controlo Orçamental - Despesa

Controlo Orçamental - Despesa Controlo - Despesa assumidos 01 Despesas com o pessoal 8.971.600,00 8.917.055,82,00 8.917.055,82 8.696.417,69 7.469,02 8.703.886,71 54.544,18 267.713,29 213.169,11 97,016 0101 Remunerações certas e permanentes

Leia mais

Programa Operacional Regional do Norte ON.2

Programa Operacional Regional do Norte ON.2 Programa Operacional Regional do Norte 2007-2013 ON.2 Eixo Prioritário 2 Valorização Económica de Recursos Específicos Aviso XXX/ X /2009 Turismo Escolas de Hotelaria e Turismo Modelo da Memória Descritiva

Leia mais

Plano de Actividades e Orçamento 2010

Plano de Actividades e Orçamento 2010 Plano de Actividades e Orçamento 2010 1 2 1. Missão A CooLabora é uma cooperativa de consultoria e intervenção social criada em 2008. Tem por missão contribuir para a inovação social no desenvolvimento

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS A APOIO FINANCEIRO. De acordo com os princípios constantes do Programa do XVII Governo

AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS A APOIO FINANCEIRO. De acordo com os princípios constantes do Programa do XVII Governo AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS A APOIO FINANCEIRO De acordo com os princípios constantes do Programa do XVII Governo Constitucional em matéria de política de saúde, foi definido, pelo Decreto Lei n.º

Leia mais

mar 2020: Fazer acontecer o MAR

mar 2020: Fazer acontecer o MAR Onde a terra se acaba e o mar começa (in Os Lusíadas, Canto III) Portugal sempre foi mar. Mas agora, mais do que nunca, o mar pode ser uma infinidade de oportunidades para todos os portugueses. A extensão

Leia mais

Processos de candidatura e metodologia de avaliação de projetos

Processos de candidatura e metodologia de avaliação de projetos Processos de candidatura e metodologia de avaliação de projetos Fórum empresarial - Portugal 2020 Beja, 22 de março de 2016 ENQUADRAMENTOS Março de 2016 AJUDAS AO INVESTIMENTO 2 ENQUADRAMENTOS PDR 2020

Leia mais

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DA GUARDA

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DA GUARDA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DA GUARDA Ponto 2.2 Análise, discussão e votação do Plano e Orçamento para o ano de 2016 - Artigo 9º, nº1, alínea a) da Lei nº 75/2013 Guarda, dezembro 2015 Orçamento Inicial da

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 17.386.702,11 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 15.054.941,72 Operações de Tesouraria 2.331.760,39 49.493.536,78 Receitas Correntes 42.907.516,01

Leia mais

ORÇAMENTO DESPESA ANO DIVISA CÓD. ORÇ. PRIVATIVO CLASS. ORGÂNICA CLASSIFICAÇÃO FUNC. PROG./MED. F. F. ECONÓMICA AL / SAL DOTAÇÃO ORÇAMENTAL RUBRICAS

ORÇAMENTO DESPESA ANO DIVISA CÓD. ORÇ. PRIVATIVO CLASS. ORGÂNICA CLASSIFICAÇÃO FUNC. PROG./MED. F. F. ECONÓMICA AL / SAL DOTAÇÃO ORÇAMENTAL RUBRICAS 2054 002037 311 01 Despesas com o pessoal 7.507.733,00 2054 002037 311 0101 Remunerações certas e permanentes 5.928.712,00 2054 002037 311 010102 0000 Orgãos sociais 9.900,00 2054 002037 311 010103 0000

Leia mais

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES. Resolução Nº 46/2000 de 30 de Março

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES. Resolução Nº 46/2000 de 30 de Março GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES Resolução Nº 46/2000 de 30 de Março Considerando que as novas tecnologias, ao garantirem uma melhor qualidade de produtos e serviços, potenciam o aumento da competitividade

Leia mais

Formulário de Candidatura

Formulário de Candidatura SECRETARIA REGIONAL DA INCLUSÃO E ASSUNTOS SOCIAIS INSTITUTO DE EMPREGO DA MADEIRA, IP-RAM DIRECÇÃO DE PLANEAMENTO E PROMOÇÃO DE EMPREGO Formulário de Candidatura EMPRESAS DE INSERÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

PDR DLBC RURAL. A abordagem LEADER em Abrantes, Constância e Sardoal. Julho 2016

PDR DLBC RURAL. A abordagem LEADER em Abrantes, Constância e Sardoal. Julho 2016 PDR2020 - DLBC RURAL A abordagem LEADER em Abrantes, Constância e Sardoal Julho 2016 DLBC Rural Programa para a utilização dos Fundos Europeus Estruturais e de Investimento do Portugal 2020 constituídos

Leia mais

Programa BIP/ZIP 2016

Programa BIP/ZIP 2016 Programa BIP/ZIP 2016 FICHA DE CANDIDATURA Refª: 081 HÁ VIDA NO PAÇO Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone:

Leia mais

Anúncio de Abertura de Período de Apresentação de Candidaturas

Anúncio de Abertura de Período de Apresentação de Candidaturas Anúncio de Abertura de Período de Apresentação de Candidaturas N.º 2/2017/Grupo de Ação Local ecomar Tipologia: Qualificação escolar e profissional relacionada com o meio aquático Portaria n.º 216/2016,

Leia mais

01 DESPESAS COM O PESSOAL ,00. Titulares de Órgãos de Soberania e Membros de Órgãos Autárquicos ,00

01 DESPESAS COM O PESSOAL ,00. Titulares de Órgãos de Soberania e Membros de Órgãos Autárquicos ,00 01 DESPESAS COM O PESSOAL 9.837.610,00 0101 Remunerações Certas e Permanentes 7.276.640,00 010101 Titulares de Órgãos de Soberania e Membros de Órgãos Autárquicos 168.720,00 010104 Pessoal dos Quadros

Leia mais

Rota do Guadiana Associação de Desenvolvimento Integrado. Apresentação Geral

Rota do Guadiana Associação de Desenvolvimento Integrado. Apresentação Geral Rota do Guadiana Associação de Desenvolvimento Integrado Apresentação Geral História e território Criada em 1992, a RG-ADI, assume-se como uma iniciativa de desenvolvimento, constituída com base em parcerias

Leia mais

SI2E SISTEMA DE INCENTIVOS AO EMPREENDEDORISMO E AO EMPREGO - ALENTEJO CENTRAL - Sessão de Divulgação SI2E CIMAC, 23 de Maio de 2017

SI2E SISTEMA DE INCENTIVOS AO EMPREENDEDORISMO E AO EMPREGO - ALENTEJO CENTRAL - Sessão de Divulgação SI2E CIMAC, 23 de Maio de 2017 SI2E SISTEMA DE INCENTIVOS AO EMPREENDEDORISMO E AO EMPREGO - ALENTEJO CENTRAL - Sessão de Divulgação SI2E CIMAC, 23 de Maio de 2017 CONTEXTO Estratégia de Desenvolvimento Territorial do Alentejo Central

Leia mais

Medida 10 LEADER Área n.º 4 Desenvolvimento Local PDR 2020

Medida 10 LEADER Área n.º 4 Desenvolvimento Local PDR 2020 Medida 10 LEADER Área n.º 4 Desenvolvimento Local PDR 2020 Resumo da Portaria n.º 152/2016 A Portaria n. º152/2016 de 25 de maio de 2016 estabelece o regime de aplicação da acção «Implementação das estratégias»,

Leia mais

PDR DLBC RURAL. A abordagem LEADER em Abrantes, Constância e Sardoal. Setembro 2016

PDR DLBC RURAL. A abordagem LEADER em Abrantes, Constância e Sardoal. Setembro 2016 PDR2020 - DLBC RURAL A abordagem LEADER em Abrantes, Constância e Sardoal Setembro 2016 DLBC Rural Programa para a utilização dos Fundos Europeus Estruturais e de Investimento do Portugal 2020 constituídos

Leia mais

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PRIORIDADE DE INVESTIMENTO: INVESTIMENTO NA CONSERVAÇÃO, PROTECÇÃO, PROMOÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO PATRIMÓNIO CULTURAL

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 13.2.2015 C(2015) 853 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 13.2.2015 que aprova o programa de desenvolvimento rural de Portugal-Madeira, para apoio pelo Fundo Europeu Agrícola

Leia mais

PDR Jovens Agricultores Investimentos na Exploração Agrícola

PDR Jovens Agricultores Investimentos na Exploração Agrícola PDR 2014-2020 Jovens Agricultores + 3.2 - Investimentos na Exploração Agrícola PSZ CONSULTING 2015 Índice Índice... 1 1 Prémio aos Jovens Agricultores... 2 1.1 Enquadramento... 2 1.2 Beneficiários... 2

Leia mais

REGULAMENTOS ESPECÍFICOS

REGULAMENTOS ESPECÍFICOS Programa Operacional Factores de Competitividade Deliberações CMC POFC: 16/07/2008 Assistência Técnica do POFC Entrada em vigor DA ÚLTIMA ALTERAÇÃO em 17/07/2008 Artigo 1.º Objecto O presente regulamento

Leia mais

F L U X O S D E C A I X A ANO 2010 ENTIDADE CM MORA MUNICIPIO DE MORA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO /12/31 R E C E B I M E N T O S

F L U X O S D E C A I X A ANO 2010 ENTIDADE CM MORA MUNICIPIO DE MORA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO /12/31 R E C E B I M E N T O S 10:37 2011/04/02 Fluxos de caixa Pag. 1 ENTIDADE CM MORA MUNICIPIO DE MORA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2010/12/31 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 165.362,24 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL...

Leia mais

REGULAMENTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1º Objecto

REGULAMENTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1º Objecto JOÃO ANTÓNIO DE SOUSA PAIS LOURENÇO, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA COMBA DÃO, TORNA PÚBLICO O REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIOS AO ASSOCIATIVISMO, APROVADO PELA ASSEMBLEIA MUNICIPAL, EM SUA SESSÃO

Leia mais

Caracterização. Serve de base à preparação dos planos, das intervenções e do complemento de programação, nos quais está integrada.

Caracterização. Serve de base à preparação dos planos, das intervenções e do complemento de programação, nos quais está integrada. 6. AVALIAÇÃO Quadro regulamentar da avaliação do QCAIII De acordo com o Regulamento (CE) n.º 1260/1999 do Conselho, de 21 de Junho de 1999, que estabelece disposições gerais sobre os Fundos estruturais,

Leia mais

POCI -Programa Operacional de Competitividade e Internacionalização. Inovação Empresarial e Empreendedorismo

POCI -Programa Operacional de Competitividade e Internacionalização. Inovação Empresarial e Empreendedorismo POCI -Programa Operacional de Competitividade e Internacionalização Inovação Empresarial e Empreendedorismo Rua Carlos Alberto Morais, 122 B bwsconsulting@outlook.pt 4450-349 Leça da Palmeira http://bwsconsulting.wix.com/site

Leia mais

Anúncio de Abertura de Período de Apresentação de Candidaturas

Anúncio de Abertura de Período de Apresentação de Candidaturas Anúncio de Abertura de Período de Apresentação de Candidaturas N.º 5/2017/ Grupo de Ação Local ecomar Tipologia: Reforço da Competitividade da Pesca Portaria n.º 216/2016, de 5 de agosto A submissão de

Leia mais

Conversão e optimização da exploração agro-pecuária. Aula 2

Conversão e optimização da exploração agro-pecuária. Aula 2 Conversão e optimização da exploração agro-pecuária Aula 2 Aula 2 Sumário: Principais conceitos associados à elaboração de projetos. Tipos de orçamentos necessários à elaboração do cash-flow do projeto:

Leia mais

Medidas de combate ao insucesso e abandono escolar: Financiamentos Comunitários

Medidas de combate ao insucesso e abandono escolar: Financiamentos Comunitários Medidas de combate ao insucesso e abandono escolar: Financiamentos Comunitários Programa Operacional Norte 2020 Estrutura da Apresentação I. Eixo Prioritário/ Prioridade de Investimento/ Objetivo Específico

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 1.977.731,45 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 1.926.829,23 Operações de Tesouraria 50.902,22 7.402.141,92 Receitas Correntes 5.078.741,85 01 Impostos

Leia mais

FREGUESIA DE CABO DA PRAIA

FREGUESIA DE CABO DA PRAIA FREGUESIA DE CABO DA PRAIA MUNICÍPIO DE PRAIA DA VITÓRIA FLUXOS DE CAIXA APROVAÇÃO PARA O ANO FINANCEIRO DE 2009 Datas das Deliberações Junta de Freguesia / / Assembleia de Freguesia / / Órgão Executivo

Leia mais

Municipio de Alcácer do Sal Resumo da Despesa por Classificação Económica (2013)

Municipio de Alcácer do Sal Resumo da Despesa por Classificação Económica (2013) 01 Despesas com o pessoal 6.392.932,56 0101 Remunerações certas e permanentes 4.901.979,56 010101 Titulares órgãos soberania e memb. órgãos autárq. 152.035,00 010104 Pessoal quadros-regime contrato individ.

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 674.613,26 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 268.351,04 Operações de Tesouraria 406.262,22 12.859.762,56 Receitas Correntes 9.296.958,84 01 Impostos

Leia mais

Ficha Resumo. Competir + Subsistema de Incentivos para o Empreendedorismo Qualificado e Criativo. ID do Programa/ Incentivo

Ficha Resumo. Competir + Subsistema de Incentivos para o Empreendedorismo Qualificado e Criativo. ID do Programa/ Incentivo Ficha Resumo Finalidade ID do Programa/ Incentivo Objetivo Apoios ao Investimento Competir + Subsistema de Incentivos para o Empreendedorismo Qualificado e Criativo Apoia a realização de projetos de investimento

Leia mais

Controlo Orçamental - Despesa

Controlo Orçamental - Despesa Controlo - Despesa assumidos s s 01 Despesas com o pessoal 6.297.996,00 5.622.295,29 130.964,77 5.753.260,06 5.620.455,74 653,48 5.621.109,22 675.700,71 676.886,78 1.186,07 89,252 0101 Remunerações certas

Leia mais