Manual de utilização de viatura. Grupo Lena Africa Austral

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual de utilização de viatura. Grupo Lena Africa Austral"

Transcrição

1 Manual de utilização de viatura Grupo Lena Africa Austral Revisão: 01 Data: 23 de Janeiro de 2014

2 Manual de Utilização de Viatura Introdução O objectivo deste Manual é informar cada Utilizador das condições ao abrigo das quais deverá utilizar a viatura que lhe foi atribuída pela Empresa. 2 O presente Manual destina-se e é aplicável a qualquer Utilizador de viaturas ligeiras e pesadas ao serviço da Empresa. Para efeitos do presente Manual, entende-se por Utilizador a pessoa a quem a viatura é atribuída ou casuisticamente entregue, devidamente identificada como tal no Auto de Recepção de Viatura. Para efeitos do presente Manual, entende-se por Empresa, a pessoa colectiva devidamente identificada como tal no Auto de Recepção de Viatura. 1. Regras de utilização da viatura A viatura, salvo indicação emitida pela Administração da Empresa, será utilizada para fins estritamente profissionais na prossecução de tarefas realizadas ao serviço da empresa e/ou Grupo Lena no território nacional do país onde se encontra matriculada, sendo a mesma viatura considerada como instrumento de trabalho Qualquer excepção às condições de utilização da viatura mencionadas na alínea a), deverá ser aprovada pelo superior hierárquico do Utilizador e comunicada à Gestão de Frota, sendo que todos os custos decorrentes dessa utilização excepcional serão a expensas do Utilizador A viatura deve ser conduzida exclusivamente pelo Utilizador, excepto se este estiver impossibilitado, caso em que a condução poderá ser efectuada por terceiro, mas com a supervisão do superior hierárquico Durante o período de férias a viatura deverá ser entregue à Gestão de Frota Os abastecimentos de combustível devem ser realizados nos postos de abastecimento das Empresas do Grupo Lena. Sempre que tal não for possível, o abastecimento será efectuado em qualquer posto de combustível e o respectivo recibo será obrigatoriamente validado pelo superior hierárquico do Utilizador e apresentado à Empresa respectiva em anexo ao mapa de despesas.

3 1.6 - Sempre que haja um abastecimento de combustíveis, é obrigatória, a introdução dos Km da viatura no talão de despesa. Caso tal não seja feito o custo do abastecimento é imputável na íntegra ao Utilizador A utilização da viatura pelo colaborador cessará quando se verificar um dos seguintes casos: a) Cessação, a qualquer título, do contrato individual de trabalho do utilizador; b) Suspensão preventiva do utilizador por motivos disciplinares; c) Deliberação superior da Comissão Executiva nesse sentido Caso se verifique a necessidade utilização da mesma viatura por vários colaboradores, o Director de Produção respectivo referirá e justificará esse facto no pedido inicial, sendo que o mesmo depende de validação da Comissão Executiva Os colaboradores utilizadores de uma mesma viatura são solidariamente responsáveis pelas consequências decorrentes do não cumprimento de qualquer das obrigações constantes nos instrumentos contratuais, no manual de utilização de viatura ou quaisquer outras que venham a ser superiormente definidas e comunicadas. 2. Ocorrência de sinistros com a viatura Em caso de sinistro o condutor deve contactar imediatamente, (48 horas como prazo limite), a Gestão de Frota e na impossibilidade de o fazer, solicitará a presença de uma autoridade policial caso seja viável Caso o sinistro envolva outra viatura, o Utilizador deve contactar imediatamente a Gestão de Frota e, simultaneamente, deve solicitar a presença de uma autoridade policial caso tal seja viável O Utilizador deve identificar sempre os veículos envolvidos e as testemunhas do sinistro. 2.4 Caso a viatura não circule, o Utilizador requisitará o reboque à Gestão de Frota O Utilizador sinistrado deverá preencher e enviar à Gestão de Frota no prazo de 48 horas as participações internas de sinistro, (F156) Caso se venha a apurar que o acidente teve como causa uma utilização abusiva e negligente do Utilizador, as despesas daí decorrentes são da sua inteira responsabilidade.

4 3 Manutenção da viatura O Utilizador deve informar o Director de Produção ou Responsável de Área respectivo da necessidade de manutenções periódicas da viatura, o qual solicitará à Gestão de Frota a realização das manutenções periódicas sempre que necessário O utilizador é responsável pelo pontual cumprimento dos intervalos de manutenção da viatura que lhe está distribuída. Salvo indicações em contrário, as viaturas deverão fazer manutenção preventiva a cada km Reparações da Viatura O Utilizador deve assegurar que a viatura se apresente sem quaisquer problemas mecânicos, de chapa ou outros O Utilizador deve informar o Director de Produção ou Responsável de Área respectivo da necessidade de manutenções de reparações da viatura decorrentes de problemas mecânicos, de chapa ou outros, o qual solicitará à Gestão de Frota a execução dessas reparações, mediante preenchimento da participação interna disponibilizada para o efeito Caso se venha a apurar que a referida reparação teve como causa uma utilização abusiva, negligente ou dolosa por parte do seu Utilizador, as despesas daí decorrentes são da sua inteira responsabilidade. 5. Limpeza da Viatura O Utilizador deve assegurar que a viatura se apresente limpa (sem sujidades ou poeiras excessivas) no exterior e no interior A viatura é entregue de acordo com a politica interna de imagem em vigor, (autocolantes), da Empresa, cuja manutenção em bom estado, (boa visibilidade e conservação), é da responsabilidade do Utilizador, devendo este contactar a Gestão de Frota sempre que haja necessidade de substituição ou recolocação. 6. Contra-ordenações Qualquer auto de contra-ordenação e correspondentes coimas e/ou sanções acessórias emergentes da utilização da viatura são da exclusiva responsabilidade do Utilizador O utilizador da viatura será o único e exclusivo responsável contra-ordenacional e criminalmente, se for o caso, por quaisquer infracções ao Código de Estrada, suportando coimas, multas, penalidades ou outros encargos daí decorrentes.

5 7. Documentação da Viatura A Gestão de Frota entregará ao Utilizador, aquando da assinatura do Auto de Recepção de Viatura (F306.An), os seguintes documentos: a) Dístico comprovativo de seguro efectuado; b) Dístico da taxa de circulação; c) Livrete original ou cópia autenticada; d) Título de registo de propriedade original ou cópia autenticada; e) Declaração de circulação identificando o(s) utilizador(es) da viatura; f) O Manual de Utilização de Viatura; A documentação supra referida deverá estar sempre na viatura, sendo a sua conservação e eventual apresentação a terceiros da exclusiva responsabilidade do Utilizador; 7.3 É da responsabilidade da Gestão de Frota manter actualizada toda a documentação da viatura supra referida. 8. Características da Viatura As características interiores e exteriores da viatura, após entrega, não podem ser alteradas, salvo instalação de equipamento considerado essencial para o desempenho da actividade do Utilizador da viatura, depois de previamente autorizado pela Gestão de Frota. 9. Excepções às normas do Manual Quaisquer excepções às normas do presente Manual apenas terão validade e eficácia após aprovação expressa da Comissão Executiva. 10. Auto de Recepção de Viaturas Aquando da entrega da viatura será assinado pelo utilizador o Auto de Recepção e Viatura (F306.An), consubstanciando a aceitação expressa das obrigações constantes do presente manual. 11. Disposições finais A Comissão Executiva enquanto entidade responsável pelo presente manual, reserva-se o direito de, em qualquer data, efectuar alterações ao conteúdo do mesmo NOTA Qualquer dúvida relacionada com este Manual será esclarecida pela Gestão de Frota.

6 6

Câmara Municipal de Vila Franca de Xira

Câmara Municipal de Vila Franca de Xira REGULAMENTO Nº 1/2009 REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO, CONDUÇÃO, ABASTECIMENTO E PARQUEAMENTO DE VIATURAS, E EQUIPAMENTO ROLANTE DA CÂMARA MUNICIPAL NOTA JUSTIFICATIVA A norma de controlo interno da Câmara Municipal

Leia mais

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA. Decreto-Lei n.º 98/2006 de 6 de Junho

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA. Decreto-Lei n.º 98/2006 de 6 de Junho MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA Decreto-Lei n.º 98/2006 de 6 de Junho O artigo 144.º do Código da Estrada, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 114/94, de 3 de Maio, na última redacção que lhe foi conferida

Leia mais

Projeto de Regulamento de Estacionamento Diurno do Edifício sede da Freguesia da Estrela Preâmbulo

Projeto de Regulamento de Estacionamento Diurno do Edifício sede da Freguesia da Estrela Preâmbulo Projeto de Regulamento de Estacionamento Diurno do Edifício sede da Freguesia da Estrela Preâmbulo A sede da Junta de Freguesia da Estrela tem a disponibilidade de 41 lugares de estacionamento, os quais

Leia mais

INSTRUÇÃO RELATIVA À APRESENTAÇÃO DE DESPESAS DE COLABORADORES

INSTRUÇÃO RELATIVA À APRESENTAÇÃO DE DESPESAS DE COLABORADORES Nº : Versão : 24 Agosto 2012 INSTRUÇÃO RELATIVA À APRESENTAÇÃO DE DESPESAS DE COLABORADORES 1I ENQUADRAMENTO A presente instrução define as regras de tratamento de despesas, que nos termos dos Regulamentos

Leia mais

Norma Nr.001 / 2000 de 14/01

Norma Nr.001 / 2000 de 14/01 Norma Nr.001 / 2000 de 14/01 ACIDENTES DE TRABALHO - RISCOS RECUSADOS Considerando que nos termos do nº 1 do artº 60º do Decreto-Lei nº 143/99, de 30 de Abril, o Instituto de Seguros de Portugal deve estabelecer

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO AUTOCARRO 16 LUGARES E CARRINHA 9 LUGARES

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO AUTOCARRO 16 LUGARES E CARRINHA 9 LUGARES Preâmbulo A necessidade de se criar um Regulamento de Utilização do Autocarro de 16 Lugares e da Carrinha de 9 Lugares, da Junta de Freguesia de Vila Nova de Anha, justifica-se com a crescente solicitação,

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE CASAL DE CAMBRA

JUNTA DE FREGUESIA DE CASAL DE CAMBRA NORMAS DE UTILIZAÇÃO DO AUTOCARRO Artigo 1º Âmbito A presente norma estabelece as condições de utilização do autocarro de que a Junta de Freguesia é detentora, ao abrigo do Protocolo de Cooperação celebrado

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL SOBRE O LICENCIAMENTO E FUNCIONAMENTO DAS ESPLANADAS

REGULAMENTO MUNICIPAL SOBRE O LICENCIAMENTO E FUNCIONAMENTO DAS ESPLANADAS REGULAMENTO MUNICIPAL SOBRE O LICENCIAMENTO E FUNCIONAMENTO DAS ESPLANADAS Num concelho e numa cidade com reconhecidas aptidões para a actividade turística como é Macedo de Cavaleiros, a existência de

Leia mais

REGULAMENTO DE USO E GESTÃO DE VEÍCULOS DA DIREÇÃO-GERAL DE RECURSOS NATURAIS, SEGURANÇA E SERVIÇOS MARÍTIMOS

REGULAMENTO DE USO E GESTÃO DE VEÍCULOS DA DIREÇÃO-GERAL DE RECURSOS NATURAIS, SEGURANÇA E SERVIÇOS MARÍTIMOS REGULAMENTO DE USO E GESTÃO DE VEÍCULOS DA DIREÇÃO-GERAL DE RECURSOS NATURAIS, SEGURANÇA E SERVIÇOS MARÍTIMOS 1 Conteúdo Objeto... 3 Âmbito... 3 Caracterização da frota... 3 Secção II Utilização dos Veículos...

Leia mais

Estabelece o regime contra-ordenacional do Regulamento de Segurança de Barragens aprovado pelo Decreto-Lei n.º 344/2007, de 15 de Outubro

Estabelece o regime contra-ordenacional do Regulamento de Segurança de Barragens aprovado pelo Decreto-Lei n.º 344/2007, de 15 de Outubro DECRETO N.º 268/X Estabelece o regime contra-ordenacional do Regulamento de Segurança de Barragens aprovado pelo Decreto-Lei n.º 344/2007, de 15 de Outubro A Assembleia da República decreta, nos termos

Leia mais

POLÍTICA ANTI-FRAUDE

POLÍTICA ANTI-FRAUDE 1/9 POLÍTICA ANTI-FRAUDE Índice 1. Objectivo.... 2 2. Âmbito de Aplicação... 2 3. Definições.... 2 4. Compromisso... 3 5. Formas de Actuação.... 3 5.1. Conflito de Interesses... 3 5.2. Decisões relativas

Leia mais

REGULAMENTO DE USO E GESTÃO DE VEÍCULOS TRIBUNAL JUDICIAL DA COMARCA DE LEIRIA

REGULAMENTO DE USO E GESTÃO DE VEÍCULOS TRIBUNAL JUDICIAL DA COMARCA DE LEIRIA REGULAMENTO DE USO E GESTÃO DE VEÍCULOS DO TRIBUNAL JUDICIAL DA COMARCA DE LEIRIA ÍNDICE SECÇÃO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artº 1.º Objeto Artº 2.º Âmbito Artº 3.º Competência Artº 4.º Caracterização e distribuição

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS AUTOCARROS MUNICIPAIS. Preâmbulo

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS AUTOCARROS MUNICIPAIS. Preâmbulo REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS AUTOCARROS MUNICIPAIS Preâmbulo As Autarquias Locais dispõem de poder regulamentar, competindo à Assembleia Municipal aprovar os regulamentos sob proposta da Câmara (art.

Leia mais

PLANO DE SEGURANÇA E SAÚDE

PLANO DE SEGURANÇA E SAÚDE UNIVERSIDADE DO ALGARVE ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA ÁREA DEPARTAMENTAL DE ENGENHARIA CIVIL CONSTRUÇÃO CIVIL 2007 1 2 1 3 4 2 5 6 3 7 8 4 9 10 5 11 12 6 CONSIDERAÇÕES GERAIS O Plano de Segurança e Saúde

Leia mais

Assim: Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 198.º da Constituição, o Governo decreta o seguinte:

Assim: Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 198.º da Constituição, o Governo decreta o seguinte: Decreto-Lei n.º 237/2007 de 19 de Junho Transpõe para a ordem jurídica interna a Directiva n.º 2002/15/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 11 de Março, relativa à organização do tempo de trabalho

Leia mais

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA. Decreto-Lei n.º 105/2006 de 7 de Junho

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA. Decreto-Lei n.º 105/2006 de 7 de Junho MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA Decreto-Lei n.º 105/2006 de 7 de Junho As alterações ao Código da Estrada, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 114/94, de 3 de Maio, verificadas desde a sua publicação em

Leia mais

Produtores: Reembolso de Ecovalor. 01 de Abril de 2013

Produtores: Reembolso de Ecovalor. 01 de Abril de 2013 Produtores: Reembolso de Ecovalor 2013 01 de Abril de 2013 Índice Introdução... 3 1. Requisitos para proceder ao reembolso... 4 1.1. Quadro de Reembolso... 4 1.2. Declaração de Reembolso de Ecovalor...

Leia mais

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA Decreto-Lei n.º 105/2006 de 7 de Junho As alterações ao Código da Estrada, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 114/94, de 3 de Maio, verificadas desde a sua publicação em

Leia mais

CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO QUIOSQUE DA PRAÇA DO COMÉRCIO, SITO NA FREGUESIA DE FERREIROS

CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO QUIOSQUE DA PRAÇA DO COMÉRCIO, SITO NA FREGUESIA DE FERREIROS CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO QUIOSQUE DA PRAÇA DO COMÉRCIO, SITO NA FREGUESIA DE FERREIROS CADERNO DE ENCARGOS 2016 CADERNO DE ENCARGOS Cláusula 1.ª O presente caderno de encargos perfaz, em conjunto com

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO AUTOCARRO E CARRINHA 9 LUGARES

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO AUTOCARRO E CARRINHA 9 LUGARES Preâmbulo A necessidade de se criar um Regulamento de Utilização do Autocarro e da Carrinha de 9 Lugares, da Junta de Freguesia de Santa Marinha, justifica-se com a crescente solicitação, por parte de

Leia mais

Regulamento Municipal para a Utilização e Cedência dos Veículos Automóveis de Transporte Colectivo de Passageiros da Câmara Municipal de Ílhavo

Regulamento Municipal para a Utilização e Cedência dos Veículos Automóveis de Transporte Colectivo de Passageiros da Câmara Municipal de Ílhavo Regulamento Municipal para a Utilização e Cedência dos Veículos Automóveis de Transporte Colectivo de Passageiros da Câmara Municipal de Ílhavo Artigo 1.º Lei habilitante O presente Regulamento Municipal

Leia mais

REGULAMENTO ACESSO AO CAMPUS E INSTALAÇÕES E DE ACESSO E UTILIZAÇÃO DO PARQUE DE ESTACIONAMENTO DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA

REGULAMENTO ACESSO AO CAMPUS E INSTALAÇÕES E DE ACESSO E UTILIZAÇÃO DO PARQUE DE ESTACIONAMENTO DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA REGULAMENTO DE ACESSO AO CAMPUS E INSTALAÇÕES E DE ACESSO E UTILIZAÇÃO DO PARQUE DE ESTACIONAMENTO DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA Preâmbulo A necessidade de se implementarem regras de acesso

Leia mais

PREÂMBULO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º Âmbito

PREÂMBULO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º Âmbito PREÂMBULO O presente Regulamento visa disciplinar a utilização das viaturas municipais de passageiros, de forma a tornar mais transparentes as regras de utilização desses veículos. Constituem leis habilitantes

Leia mais

Regulamento Interno das Comunicações Telefónicas

Regulamento Interno das Comunicações Telefónicas 1 ÍNDICE PREÂMBULO DISPOSIÇÕES COMUNS Objecto Utilização DAS COMUNICAÇÕES FIXAS Responsabilidade Interdições Informação DAS COMUNICAÇÕES MÓVEIS Direito ao uso Deveres gerais de utilização Custos da utilização

Leia mais

AJUSTE DIRECTO/2014/18

AJUSTE DIRECTO/2014/18 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E ALUGUER DE PALCOS, CAMARINS E OUTROS EQUIPAMENTOS PARA INICIATIVA "CAIS DE FADO" A INSTALAR NA SERRA DO PILAR E MARGINAL DE GAIA AJUSTE DIRECTO/2014/18 CONTRAENTES:

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO E MANUTENÇÃO DE ASCENSORES, MONTA-CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES Preâmbulo

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO E MANUTENÇÃO DE ASCENSORES, MONTA-CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES Preâmbulo REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSPECÇÃO E MANUTENÇÃO DE ASCENSORES, MONTA-CARGAS, ESCADAS MECÂNICAS E TAPETES ROLANTES Preâmbulo O Decreto Lei n.º 320/2002, de 28 de Dezembro, na esteira do estabelecido na

Leia mais

Ao abrigo do disposto no n.º 2 do artigo 36.º do Decreto-Lei n.º 211/2004, de 20 de Agosto:

Ao abrigo do disposto no n.º 2 do artigo 36.º do Decreto-Lei n.º 211/2004, de 20 de Agosto: Legislação Portaria n.º 1327/2004, de 19 de Outubro Publicada no D.R. n.º 246, I Série-B, de 19 de Outubro de 2004 SUMÁRIO: Regulamenta os procedimentos administrativos previstos no Decreto-Lei n.º 211/2004,

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE UTILIZAÇÃO DAS VIATURAS DO MUNICIPIO DE VIMIOSO

REGULAMENTO MUNICIPAL DE UTILIZAÇÃO DAS VIATURAS DO MUNICIPIO DE VIMIOSO REGULAMENTO MUNICIPAL DE UTILIZAÇÃO DAS VIATURAS DO MUNICIPIO DE VIMIOSO 1 ÍNDICE NOTA JUSTIFICATIVA...4 ARTIGO 1º - OBJETO...4 ARTIGO 2º - ÂMBITO...4 ARTIGO 3º - USO DAS VIATURAS MUNICIPAIS...4 ARTIGO

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 181/X. Exposição de Motivos

PROPOSTA DE LEI N.º 181/X. Exposição de Motivos PROPOSTA DE LEI N.º 181/X Exposição de Motivos Em regra, e à semelhança dos ordenamentos jurídicos de outros países, apenas os veículos com matrícula definitiva de outro Estado membro que estejam matriculados

Leia mais

Regulamento de acesso aos parques de estacionamento da ESTGF.IPP

Regulamento de acesso aos parques de estacionamento da ESTGF.IPP Regulamento de acesso aos parques de estacionamento da ESTGF.IPP Artigo 1º (Objectivo e âmbito) 1. O presente regulamento tem por objectivo estabelecer normas de acesso de veículos automóveis e motociclos

Leia mais

LIVRO IX REGULAMENTO DE CEDÊNCIA DE AUTOCARROS MUNICIPAIS E VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS. Nota Justificativa

LIVRO IX REGULAMENTO DE CEDÊNCIA DE AUTOCARROS MUNICIPAIS E VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS. Nota Justificativa LIVRO IX REGULAMENTO DE CEDÊNCIA DE AUTOCARROS MUNICIPAIS E VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS Nota Justificativa O Regulamento Municipal de Cedência de Viaturas data de 10/08/83. Decorridos que foram

Leia mais

CÓDIGO DA ESTRADA EDIÇÃO DE BOLSO

CÓDIGO DA ESTRADA EDIÇÃO DE BOLSO CÓDIGO DA ESTRADA EDIÇÃO DE BOLSO (4.ª Edição) Actualização N.º 5 Código da Estrada Edição de Bolso 2 TÍTULO: AUTOR: CÓDIGO DA ESTRADA EDIÇÃO DE BOLSO Actualização N.º 5 BDJUR EDITOR: EDIÇÕES ALMEDINA,

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO SINISTROS

DOCUMENTAÇÃO SINISTROS DOCUMENTAÇÃO SINISTROS ÍNDICE Participação de Sinistros Acidentes Pessoais... Participação de Sinistros Acidentes Pessoais - Desportistas... Procedimentos em Caso de Sinistro - Acidentes Pessoais Grupo...

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS AUTOCARROS DA FREGUESIA DE ALMARGEM DO BISPO, PÊRO PINHEIRO E MONTELAVAR

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS AUTOCARROS DA FREGUESIA DE ALMARGEM DO BISPO, PÊRO PINHEIRO E MONTELAVAR REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS AUTOCARROS DA FREGUESIA DE ALMARGEM DO BISPO, PÊRO PINHEIRO E MONTELAVAR ANO DE 2013 REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS AUTOCARROS DA FREGUESIA DE ALMARGEM DO BISPO, PÊRO PINHEIRO

Leia mais

REGULAMENTO UTILIZAÇÃO DAS VIATURAS DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS. 1 de 5. site

REGULAMENTO UTILIZAÇÃO DAS VIATURAS DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS. 1 de 5. site Artigo 1.º Lei habilitante O presente Regulamento é elaborado no uso da competência prevista pelos artigos 112º e 241º da Constituição da República Portuguesa e ao abrigo dos artigos 64º, nº 6, alínea

Leia mais

Gabinete de Auditoria e Qualidade APROVADO PELA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE SINTRA EM 8 DE FEVEREIRO DE 2008

Gabinete de Auditoria e Qualidade APROVADO PELA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE SINTRA EM 8 DE FEVEREIRO DE 2008 REGULAMENTO MUNICIPAL PARA O LICENCIAMENTO DAS ACTIVIDADES DE VENDA AMBULANTE DE LOTARIAS, DE VENDA DE BILHETES PARA ESPECTÁCULOS OU DIVERTIMENTOS PÚBLICOS EM AGÊNCIAS OU POSTOS DE VENDA E DE REALIZAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO RESPEITANTE AO FUNCIONAMENTO DA EXPOSIÇÃO DE VELHARIAS E ANTIGUIDADES DE BRAGA. Artigo 1º. Lei Habilitante

REGULAMENTO RESPEITANTE AO FUNCIONAMENTO DA EXPOSIÇÃO DE VELHARIAS E ANTIGUIDADES DE BRAGA. Artigo 1º. Lei Habilitante REGULAMENTO RESPEITANTE AO FUNCIONAMENTO DA EXPOSIÇÃO DE VELHARIAS E ANTIGUIDADES DE BRAGA Artigo 1º Lei Habilitante O presente Regulamento é elaborado ao abrigo do disposto na alínea a) do n. 0 2 do art.

Leia mais

AVISO N.º 07/2013 de 22 de Abril ASSUNTO: CONSTITUIÇÃO, FUNCIONAMENTO E EXTINÇÃO DE CASAS DE CÂMBIO

AVISO N.º 07/2013 de 22 de Abril ASSUNTO: CONSTITUIÇÃO, FUNCIONAMENTO E EXTINÇÃO DE CASAS DE CÂMBIO Publicado no Diário da República, I série, nº 74, de 22 de Abril AVISO N.º 07/2013 de 22 de Abril ASSUNTO: CONSTITUIÇÃO, FUNCIONAMENTO E EXTINÇÃO DE CASAS DE CÂMBIO Havendo necessidade de adequar as regras

Leia mais

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA. Decreto-Lei n.º 137/2006 de 26 de Julho

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA. Decreto-Lei n.º 137/2006 de 26 de Julho MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA Decreto-Lei n.º 137/2006 de 26 de Julho O gás natural comprimido, designado por GNC, é um combustível alternativo, que pode ser utilizado na alimentação dos motores

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS DE ESTADO DE GESTÃO E PLANEJAMENTO

ESTADO DE GOIÁS DE ESTADO DE GESTÃO E PLANEJAMENTO ~ INSTRUÇÃO NORMATIVA N ()G5/2012/GS Estabelece normas complementares acerca da condução dos veículos utilizados pela administração direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo e, acerca da apuração

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 177/X. Exposição de Motivos

PROPOSTA DE LEI N.º 177/X. Exposição de Motivos PROPOSTA DE LEI N.º 177/X Exposição de Motivos A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) veio suceder à Direcção-Geral de Viação nas atribuições em matéria de contra-ordenações rodoviárias,

Leia mais

Junta de Freguesia de Montenegro Município de Faro REGULAMENTO DE CEDÊNCIA DE VIATURAS DE PASSAGEIROS

Junta de Freguesia de Montenegro Município de Faro REGULAMENTO DE CEDÊNCIA DE VIATURAS DE PASSAGEIROS Junta de Freguesia de Montenegro Município de Faro REGULAMENTO DE CEDÊNCIA DE VIATURAS DE PASSAGEIROS Aprovado na Reunião de Executivo de 3 Dezembro 2009 Aprovada na Reunião de Assembleia de Freguesia

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS. Alienação de Autorização de Produção. Concurso Público nº: 01/EPDRR-ABM/2015-AP CADERNO DE ENCARGOS

CADERNO DE ENCARGOS. Alienação de Autorização de Produção. Concurso Público nº: 01/EPDRR-ABM/2015-AP CADERNO DE ENCARGOS Alienação de Autorização de Produção Concurso Público nº: 01/EPDRR-ABM/2015-AP Página 1 de 8 Índice de Conteúdo CAPÍTULO I - CLÁUSULAS JURÍDICAS -... 3 ARTIGO 1º - OBJETO -... 3 ARTIGO 2º - PRAZO -...

Leia mais

CAPITULO I. Regulamento de Formação

CAPITULO I. Regulamento de Formação CAPITULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto e Âmbito) 1. O presente regulamento é aplicável aos formandos, jovens ou adultos, que frequentem as ações de formação desenvolvidas pela FORME. 2. O presente

Leia mais

Deliberação n.º 441/CM/2000 [(Proposta n.º 441/2000) Subscrita pelo Vereador Machado Rodrigues]

Deliberação n.º 441/CM/2000 [(Proposta n.º 441/2000) Subscrita pelo Vereador Machado Rodrigues] Deliberação n.º 441/CM/2000 [(Proposta n.º 441/2000) Subscrita pelo Vereador Machado Rodrigues] Considerando que: 1 - A Portaria n.º 878/81, de 1 de Outubro, criou o painel adicional de modelo 11 d, painel

Leia mais

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO BRASILEIRO

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO BRASILEIRO INSCRIÇÃO DE ADVOGADO BRASILEIRO [art. 201º do EOA e art. 17º a 19º do RIAAE] Documentação a entregar 1) Norma de Requerimento de Inscrição de Advogado; 2) 2 Certidões de Registo de Nascimento; 3) Certificado

Leia mais

Versão de trabalho PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO À EXECUÇÃO DOS PROJECTOS

Versão de trabalho PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO À EXECUÇÃO DOS PROJECTOS Versão de trabalho PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO À EXECUÇÃO DOS PROJECTOS UMCCI Março de 2009 Índice 1 Introdução.. 3 2 - Contabilização do investimento e dos incentivos 3 3 - Execução do projecto 4

Leia mais

Contrato de Aluguer Condições Gerais O presente contrato é celebrado entre a Madeira Rent Sociedade de Aluguer de Automóveis, Lda. (adiante designada

Contrato de Aluguer Condições Gerais O presente contrato é celebrado entre a Madeira Rent Sociedade de Aluguer de Automóveis, Lda. (adiante designada Contrato de Aluguer Condições Gerais O presente contrato é celebrado entre a Madeira Rent Sociedade de Aluguer de Automóveis, Lda. (adiante designada por MR), o Cliente e o condutor identificados no mesmo

Leia mais

DECRETO LEI N.º 134/2009, DE 2 DE JUNHO

DECRETO LEI N.º 134/2009, DE 2 DE JUNHO Informação n.º 15/2009 DECRETO LEI N.º 134/2009, DE 2 DE JUNHO Define o regime jurídico aplicável à prestação de serviços de promoção, informação e apoio aos consumidores e utentes, através de call centers

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS 1. ÂMBITO DA APLICAÇÃO

CADERNO DE ENCARGOS 1. ÂMBITO DA APLICAÇÃO CADERNO DE ENCARGOS 1. ÂMBITO DA APLICAÇÃO As cláusulas gerais deste caderno de encargos aplicam-se ao contrato de aluguer a celebrar entre a União de Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde e o

Leia mais

REGULAMENTO DO AUTOCARRO E CARRINHA

REGULAMENTO DO AUTOCARRO E CARRINHA REGULAMENTO DO AUTOCARRO E CARRINHA REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO AUTOCARRO E CARRINHA DE NOVE LUGARES Preâmbulo Tendo em conta a nova realidade politica administrativa existente no território da União

Leia mais

MINISTÉRIOS DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA E DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Portaria n.º 1068/2006 de 29 de Setembro

MINISTÉRIOS DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA E DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Portaria n.º 1068/2006 de 29 de Setembro MINISTÉRIOS DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA E DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Portaria n.º 1068/2006 de 29 de Setembro As taxas devidas pelos serviços prestados pela Direcção-Geral de Viação não são actualizadas

Leia mais

REGULAMENTO RALLY PAPER 20 ANOS APCG 2014

REGULAMENTO RALLY PAPER 20 ANOS APCG 2014 REGULAMENTO DO RALLY PAPER 20 ANOS APCG 2014 Artigo 1º. ORGANIZAÇÃO A organização do RALLY PAPER 20 ANOS APCG 2014, é da responsabilidade da Associação de Paralisia Cerebral de Guimarães. Artigo 2.º OBJECTIVOS

Leia mais

MANUAL DO CONDUTOR SERVIÇO DE GESTÃO DE FROTAS. anos. anos

MANUAL DO CONDUTOR SERVIÇO DE GESTÃO DE FROTAS. anos. anos 93 13 MANUAL DO CONDUTOR SERVIÇO DE GESTÃO DE FROTAS anos 93 13 anos INTRODUÇÃO Exmo.(a) Senhor(a), Seja bem-vindo à FINLOG Gestão de Frotas. Reunimos neste Manual um conjunto de informações que visam

Leia mais

21ª S. Silvestre Cidade do Porto

21ª S. Silvestre Cidade do Porto Regulamento Passatempo 21ª S. Silvestre Cidade do Porto 1ª A Refrige, Sociedade Industrial de Refrigerantes SA., com sede em Quinta da Salmoura -Cabanas, S. Simão, Setúbal, pessoa colectiva n.º 500 658

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E CEDÊNCIA DE VIATURAS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DA CÂMARA MUNICIPAL DE VIDIGUEIRA

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E CEDÊNCIA DE VIATURAS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DA CÂMARA MUNICIPAL DE VIDIGUEIRA REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO E CEDÊNCIA DE VIATURAS DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DA CÂMARA MUNICIPAL DE VIDIGUEIRA Nota Justificativa De entre o apoio às organizações da sociedade civil e às entidades da

Leia mais

Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Código da Estrada ª Edição. Atualização nº 1

Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Código da Estrada ª Edição. Atualização nº 1 Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Código da Estrada 2015 8ª Edição Atualização nº 1 1 [1] Código do Trabalho CÓDIGO DA ESTRADA Atualização nº 1 ORGANIZAÇÃO BDJUR BASE DE DADOS JURÍDICA EDITOR EDIÇÕES

Leia mais

Emitente: CONSELHO DIRECTIVO. Norma Regulamentar N.º 13/2006-R. Data: Assunto: REGULAMENTAÇÃO DO DECRETO-LEI N.º 83/2006, DE 3 DE MAIO

Emitente: CONSELHO DIRECTIVO. Norma Regulamentar N.º 13/2006-R. Data: Assunto: REGULAMENTAÇÃO DO DECRETO-LEI N.º 83/2006, DE 3 DE MAIO Emitente: CONSELHO DIRECTIVO Norma Regulamentar N.º 13/2006-R Data: 05-12-2006 Assunto: REGULAMENTAÇÃO DO DECRETO-LEI N.º 83/2006, DE 3 DE MAIO O Decreto-Lei n.º 83/2006, de 3 de Maio, transpôs parcialmente

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2011 Assunto: Utilização de veículos oficiais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2011 Assunto: Utilização de veículos oficiais SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Caxias do Sul INSTRUÇÃO

Leia mais

DECRETO N.º 458/XII. Décima quarta alteração ao Código da Estrada, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 114/94, de 3 de maio

DECRETO N.º 458/XII. Décima quarta alteração ao Código da Estrada, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 114/94, de 3 de maio DECRETO N.º 458/XII Décima quarta alteração ao Código da Estrada, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 114/94, de 3 de maio A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição,

Leia mais

Regime de Incentivo Fiscal aos Veículos em Fim de Vida

Regime de Incentivo Fiscal aos Veículos em Fim de Vida CÓDIGOS ELECTRÓNICOS DATAJURIS DATAJURIS é uma marca registada no INPI sob o nº 350529 Regime de Incentivo Fiscal aos Veículos em Fim de Vida Todos os direitos reservados à DATAJURIS, Direito e Informática,

Leia mais

Regulamento para Inspecção de Ascensores, Montacargas, Escadas Mecânicas e Tapetes Rolantes Município de Sobral de Monte Agraço

Regulamento para Inspecção de Ascensores, Montacargas, Escadas Mecânicas e Tapetes Rolantes Município de Sobral de Monte Agraço Regulamento para Inspecção de Ascensores, Montacargas, Escadas Mecânicas e Tapetes Rolantes do Município de Sobral de Monte Agraço Reunião de Câmara: 17/01/2005 Reunião da Assembleia: 25/02/2005 Publicado

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE VENDA DE BILHETES PARA ESPECTÁCULOS OU DIVERTIMENTOS PÚBLICOS EM AGÊNCIAS OU POSTOS DE VENDA

REGULAMENTO MUNICIPAL DE VENDA DE BILHETES PARA ESPECTÁCULOS OU DIVERTIMENTOS PÚBLICOS EM AGÊNCIAS OU POSTOS DE VENDA REGULAMENTO MUNICIPAL DE VENDA DE BILHETES PARA ESPECTÁCULOS OU DIVERTIMENTOS PÚBLICOS EM AGÊNCIAS OU POSTOS DE VENDA (Aprovado na 24ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal realizada em 16 de Dezembro

Leia mais

Regulamento do Concurso A Pagaqui paga a sua fatura da Água

Regulamento do Concurso A Pagaqui paga a sua fatura da Água Regulamento do Concurso A Pagaqui paga a sua fatura da Água Concurso Publicitário nº 176/2016, autorizado pela Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna 1. ELEGIBILIDADE PARA O CONCURSO 1.1

Leia mais

Ministérios da Economia e da Inovação

Ministérios da Economia e da Inovação Ministérios da Economia e da Inovação Decreto-Lei n.º 170/2005 de 10 de Outubro O presente decreto-lei tem por objectivo dar cumprimento à recomendação n.º 3/2004 da Autoridade da Concorrência no que à

Leia mais

Carta Por Pontos: como reagir?

Carta Por Pontos: como reagir? Carta Por Pontos: como reagir? Por Gonçalo Vaz Osório gvo@ace.pt PALAVRAS-CHAVE: carta de condução; carta de condução por pontos; condutor; contra-ordenação grave; contra-ordenação muito grave; subtracção

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DA CALHETA MADEIRA

CÂMARA MUNICIPAL DA CALHETA MADEIRA REGULAMENTO NOTA JUSTIFICATIVA De acordo com o número 2 do artigo 70º do Código da Estrada os parques e zonas de estacionamento podem ser afectos a veículos de determinada categoria e ter utilização limitada

Leia mais

Deliberação n.º 516/2010, de 3 de Março (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010)

Deliberação n.º 516/2010, de 3 de Março (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010) (DR, 2.ª série, n.º 50, de 12 de Março de 2010) Define os elementos que devem instruir a notificação, a efectuar ao INFARMED, I. P., do exercício no território nacional das actividades de fabrico, montagem,

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE O EXÉRCITO PORTUGUÊS E A CARHOST. 1. Preâmbulo

PROTOCOLO ENTRE O EXÉRCITO PORTUGUÊS E A CARHOST. 1. Preâmbulo / CARHOSl A sua Oficina de Confiança PROTOCOLO ENTRE O EXÉRCITO PORTUGUÊS E A CARHOST 1. Preâmbulo A celebração do presente protocolo tem como objectivo assegurar aos militares e aos trabalhadores do mapa

Leia mais

1 de 6 11-06-2009 19:23 Portaria n.º 216-E/2008, de 3 de Março Enuncia todos os elementos que devem instruir os pedidos de emissão dos alvarás de licença ou autorização de utilização das diversas operações

Leia mais

INSTRUÇÃO INFORMÁTICA N.º 34/2007 CONTROLO DE PRAZOS DE REGULARIZAÇÃO DE SINISTROS DE DANOS MATERIAIS

INSTRUÇÃO INFORMÁTICA N.º 34/2007 CONTROLO DE PRAZOS DE REGULARIZAÇÃO DE SINISTROS DE DANOS MATERIAIS INSTRUÇÃO INFORMÁTICA N.º 34/2007 CONTROLO DE PRAZOS DE REGULARIZAÇÃO DE SINISTROS DE DANOS MATERIAIS Objectivo Instruções para a constituição do ficheiro, em suporte informático, para a construção de

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE GESTÃO ACESSO E PERMANÊNCIA DA ACTIVIDADE DE INSPECÇÃO TÉCNICA A VEÍCULOS

MINUTA DE CONTRATO DE GESTÃO ACESSO E PERMANÊNCIA DA ACTIVIDADE DE INSPECÇÃO TÉCNICA A VEÍCULOS MINUTA DE CONTRATO DE GESTÃO ACESSO E PERMANÊNCIA DA ACTIVIDADE DE INSPECÇÃO TÉCNICA A VEÍCULOS O primeiro outorgante, o Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres, I.P., doravante designado

Leia mais

REGULAMENTO DE CONTROLO E

REGULAMENTO DE CONTROLO E REGULAMENTO DE CONTROLO E UTILIZAÇÃO DE VIATURAS Artigo 1.º Objeto e âmbito da aplicação 1 - O presente regulamento estabelece as normas de controlo e as condições de utilização das viaturas propriedade

Leia mais

Regulamento dos Transportes Escolares

Regulamento dos Transportes Escolares Preâmbulo O presente Regulamento é elaborado ao abrigo e nos termos do art. 19º, n.º 3, da Lei n.º 159/99, de 14 de Setembro, da alínea a) do n.º 2 do art. 53º, e da alínea d) do n.º 4 do art. 64º da Lei

Leia mais

DESTACAMENTO DE TRABALHADORES NO ÂMBITO DE UMA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. Lei n.º 29/2017

DESTACAMENTO DE TRABALHADORES NO ÂMBITO DE UMA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. Lei n.º 29/2017 DESTACAMENTO DE TRABALHADORES NO ÂMBITO DE UMA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Lei n.º 29/2017 A Lei n.º 29/2017, de 30 de maio, veio transpor para a ordem jurídica interna a Diretiva 2014/67/UE, do Parlamento Europeu

Leia mais

CONSELHO DE MINISTROS

CONSELHO DE MINISTROS 652 I SÉRIE N O 34 «B. O.» DA REPÚBLICA DE CABO VERDE 15 DE JUNHO DE 2012 CONSELHO DE MINISTROS Decreto-Regulamentar n 12/2012 de 14 de Junho As infracções praticadas no exercício da condução são, ao abrigo

Leia mais

EXERCICIO DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO E ENTREGA DOMICILIÁRIA DE GASES MEDICINAIS

EXERCICIO DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO E ENTREGA DOMICILIÁRIA DE GASES MEDICINAIS EXERCICIO DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO E ENTREGA DOMICILIÁRIA DE GASES MEDICINAIS São considerados gases medicinais os gases ou mistura de gases, liquefeitos ou não, destinados a entrar em contacto directo

Leia mais

Regime sobre exercício das actividades de construção civil e obras públicas, projectos de obras e de fiscalização de obras

Regime sobre exercício das actividades de construção civil e obras públicas, projectos de obras e de fiscalização de obras ABR 2016 Regime sobre exercício das actividades de construção civil e obras públicas, projectos de obras e de fiscalização de obras O Decreto Presidencial n.º 63/16, de 29.03.2016, estabelece o Regime

Leia mais

Avenida Luís Bívar, Lisboa, Portugal. Tel: Regulamento Geral. Formação

Avenida Luís Bívar, Lisboa, Portugal. Tel: Regulamento Geral. Formação Avenida Luís Bívar, 85 1050-143 Lisboa, Portugal Tel: +351 21 781 62 82 Regulamento Geral Formação Última revisão Fevereiro 2011 Índice Índice 2 Introdução 3 Inscrições e Condições de Acesso 3 Funcionamento

Leia mais

Unidade de Informação Financeira. Guia de preenchimento da Declaração de Identificação de Pessoas Designadas ( DIPD )

Unidade de Informação Financeira. Guia de preenchimento da Declaração de Identificação de Pessoas Designadas ( DIPD ) Unidade de Informação Financeira Guia de preenchimento da Declaração de Identificação de Pessoas Designadas ( DIPD ) Índice 1. Objectivo da Declaração de Identificação de Pessoas Designadas (DIPD)... 3

Leia mais

ADMISSÃO DE PESSOAL PARA OS ESCRITÓRIOS DO COJA

ADMISSÃO DE PESSOAL PARA OS ESCRITÓRIOS DO COJA INFORMAÇÃO FACTUAL ADMISSÃO DE PESSOAL PARA OS ESCRITÓRIOS DO COJA O COJA Comité Organizador dos Jogos Africanos Maputo 2011 abriu um concurso público para a admissão de pessoal para os seus escritórios,

Leia mais

REGULAMENTO DO CARTÃO JOVEM MUNÍCIPE GERAÇÃO L

REGULAMENTO DO CARTÃO JOVEM MUNÍCIPE GERAÇÃO L REGULAMENTO DO CARTÃO JOVEM MUNÍCIPE GERAÇÃO L (Aprovado na 17ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal, realizada em 31 de Agosto de 2005, e na 4ª Sessão Ordinária de Assembleia Municipal, realizada em

Leia mais

Regulamento de Taxas para Inspecção de Ascensores, Monta-Cargas, Escadas Mecânicas e Tapetes Rolantes

Regulamento de Taxas para Inspecção de Ascensores, Monta-Cargas, Escadas Mecânicas e Tapetes Rolantes Aviso n.º 1891/2004 (2.ª série) AP. Torna-se público, de harmonia com o artigo 118.º do CPA e dando cumprimento à deliberação tomada em reunião ordinária da Câmara Municipal realizada em 9 do corrente

Leia mais

Conselho Geral e de Supervisão REGULAMENTO INTERNO COMISSÃO DE VENCIMENTOS

Conselho Geral e de Supervisão REGULAMENTO INTERNO COMISSÃO DE VENCIMENTOS Conselho Geral e de Supervisão REGULAMENTO INTERNO COMISSÃO DE VENCIMENTOS Aprovado em 18 de Junho de 2015 REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE VENCIMENTOS ÍNDICE Instituição da Comissão de Vencimentos...

Leia mais

PROCEDIMENTO GERENCIAL

PROCEDIMENTO GERENCIAL 03 1 / 7 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 2 3. DEFINIÇÕES... 2 4. SÍMBOLOS E SIGLAS... 2 5. DESCRIÇÃO... 2 6. INDICADORES RELACIONADOS... 7 7. REFERÊNCIAS... 7 8. ANEXOS... 7 03 2 / 7

Leia mais

ANÚNCIO SECÇÃO I ENTIDADE ADJUDICANTE

ANÚNCIO SECÇÃO I ENTIDADE ADJUDICANTE ANÚNCIO SECÇÃO I ENTIDADE ADJUDICANTE I.1) DESIGNAÇÃO E ENDEREÇO OFICIAIS DA ENTIDADE ADJUDICANTE: Organismo: PORTO VIVO, SRU Sociedade de Reabilitação Urbana da Baixa Portuense, S.A. À atenção de: Conselho

Leia mais

Câmara Municipal de Bragança

Câmara Municipal de Bragança Câmara Municipal de Bragança Normas de Utilização de Viaturas Capítulo I (Âmbito) Artigo 1º A disciplina destas normas aplica-se a todas as viaturas do Município distribuídas e afectas pelos diversos serviços

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSULTOR

REGULAMENTO DO CONSULTOR De forma a assegurar o bom funcionamento das atividades de consultoria, o GIAGI Consultores em Gestão Industrial Lda. define um conjunto de regras para serem adotadas pelos consultores e seguidamente apresentadas,

Leia mais

1. A Empresa tem poder disciplinar sobre os trabalhadores que se encontrem ao seu serviço, enquanto vigorarem os contratos de trabalho.

1. A Empresa tem poder disciplinar sobre os trabalhadores que se encontrem ao seu serviço, enquanto vigorarem os contratos de trabalho. ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 4/2009 12 de Outubro de 2009 ASSUNTO: PROCEDIMENTO DISCIPLINAR. ENQUADRAMENTO CONVENCIONAL E LEGAL: Código do Trabalho REVOGAÇÕES: Orientação Normativa nº.2/2004, de 20/02/2004

Leia mais

Manual de utilização dos veículos oficiais

Manual de utilização dos veículos oficiais Manual de utilização dos veículos oficiais UTFPR Campus Francisco Beltrão Índice ÍNDICE... 2 PRINCÍPIOS... 3 FINALIDADE... 3 ABRANGÊNCIA... 3 COMPETÊNCIA... 3 RESPONSABILIDADES... 3 1 DO CONDUTOR DO VEÍCULO:...

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS HASTA PÚBLICA N.º 02/DRAPLVT/2015 ALIENAÇÃO DE OVELHAS RAÇA SALOIA

CADERNO DE ENCARGOS HASTA PÚBLICA N.º 02/DRAPLVT/2015 ALIENAÇÃO DE OVELHAS RAÇA SALOIA CADERNO DE ENCARGOS HASTA PÚBLICA N.º 02//2015 ALIENAÇÃO DE OVELHAS RAÇA SALOIA 2015 1 PARTE I CLÁUSULAS JURÍDICAS Cláusula 1.ª Disposições gerais A presente hasta pública rege-se pelo Decreto-Lei n.º

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE O EXÉRCITO PORTUGUÊS E A PRECISION - Oficina Automóvel. 1. Preâmbulo

PROTOCOLO ENTRE O EXÉRCITO PORTUGUÊS E A PRECISION - Oficina Automóvel. 1. Preâmbulo " PROTOCOLO ENTRE O EXÉRCITO PORTUGUÊS E A PRECISION - Oficina Automóvel. 1. Preâmbulo A celebração do presente protocolo tem como objectivo assegurar aos militares e aos trabalhadores do mapa de pessoal

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIDADE DA EDUCAÇÃO (Despacho nº 23/ME/95)

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIDADE DA EDUCAÇÃO (Despacho nº 23/ME/95) SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIDADE DA EDUCAÇÃO (Despacho nº 23/ME/95) - Organização de actividades de intercâmbio, entre as escolas, de projectos de inovação ou de investigação REGULAMENTO ESPECÍFICO -

Leia mais

REGULAMENTO DOS TRANSPORTES LOCAIS COLECTIVOS DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE SINES NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO DOS TRANSPORTES LOCAIS COLECTIVOS DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE SINES NOTA JUSTIFICATIVA REGULAMENTO DOS TRANSPORTES LOCAIS COLECTIVOS DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE SINES NOTA JUSTIFICATIVA Visando os princípios da legalidade e da audiência dos interessados, o artigo 116º do Código do Procedimento

Leia mais

ACORDO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA FRANCESA RELATIVO À READMISSÃO DE PESSOAS EM SITUAÇÃO IRREGULAR.

ACORDO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA FRANCESA RELATIVO À READMISSÃO DE PESSOAS EM SITUAÇÃO IRREGULAR. Resolução da Assembleia da República n.º 15/1994 Acordo entre a República Portuguesa e a República Francesa Relativo à Readmissão de Pessoas em Situação Irregular Aprova o Acordo entre a República Portuguesa

Leia mais

Perguntas Frequentes Regime de concessão de incentivo fiscal ao abate de veículos em fim de vida 2016/2017

Perguntas Frequentes Regime de concessão de incentivo fiscal ao abate de veículos em fim de vida 2016/2017 Perguntas Frequentes Regime de concessão de incentivo fiscal ao abate de veículos em fim de vida 2016/2017 I - De ordem geral: 1. Em que consiste o incentivo fiscal ao abate de veículos em fim de vida

Leia mais

A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: CAPÍTULO I Disposições gerais

A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: CAPÍTULO I Disposições gerais Lei n.º 27/2010 de 30 de Agosto Estabelece o regime sancionatório aplicável à violação das normas respeitantes aos tempos de condução, pausas e tempos de repouso e ao controlo da utilização de tacógrafos,

Leia mais

CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO BAR DA PISCINA MUNICIPAL, SITA EM CALDELAS

CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO BAR DA PISCINA MUNICIPAL, SITA EM CALDELAS CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO BAR DA PISCINA MUNICIPAL, SITA EM CALDELAS CADERNO DE ENCARGOS 2016 O presente caderno de encargos perfaz, em conjunto com o programa de concurso, as peças do procedimento pré

Leia mais

E DA BANCO ESPÍRITO SANTO, S. A. ARTIGO PRIMEIRO OBJECTO. O presente Regulamento completa o disposto na lei geral e no contrato de Sociedade do BES

E DA BANCO ESPÍRITO SANTO, S. A. ARTIGO PRIMEIRO OBJECTO. O presente Regulamento completa o disposto na lei geral e no contrato de Sociedade do BES REGULAMENTO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO E DA COMISSÃO EXECUTIVA DO BANCO ESPÍRITO SANTO, S. A. («BES») ARTIGO PRIMEIRO OBJECTO O presente Regulamento completa o disposto na lei geral e no contrato de

Leia mais

Município de Vieira do Minho

Município de Vieira do Minho REGULAMENTO MUNICIPAL DE COMPARTICIPAÇÃO EM MEDICAMENTOS E TRANSPORTE DE DOENTES Preâmbulo O Concelho de Vieira do Minho, tal como a maioria dos Concelhos do interior do país, tem vindo a assistir nas

Leia mais