Relatório e Saneamento (0,5 valores) ou (4,0 valores no caso de o candidato ter optado pela solução 1 cf. C infra)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório e Saneamento (0,5 valores) ou (4,0 valores no caso de o candidato ter optado pela solução 1 cf. C infra)"

Transcrição

1 PROVA PROFISSIONAL 1ª CHAMADA PROPOSTA DE SOLUÇÃO 1 (20 Valores) Relatório e Saneamento (0,5 valores) ou (4,0 valores no caso de o candidato ter optado pela solução 1 cf. C infra) A - Referência ao requerimento do MP e forma do processo B - Identificação do arguido C Menção dos crimes imputados ao arguido na acusação Solução 1 Autoria material, na forma consumada e em concurso efetivo de infrações: Um crime de homicídio negligente por omissão artigos 137º, nº 1, e 10º, nº 1 e 2 CP. Um crime de falsificação - artigos 256º, nº 1, al. b), c), d) e) CP. Um crime de burla (no valor de ) - artigo 217º, nº 1 CP. Um crime de abuso de confiança (no valor de ) - artigo 205º, nº 1 CP. Esta imputação tem subjacente o seguinte raciocínio: O arguido induziu em erro 9 condóminos, apresentando-lhes dois orçamentos falsos para os levar a pagar um total de (500 a cada um) para além do necessário para a realização da obra a adjudicar; este crime de burla uma única resolução criminosa - consuma-se com as transferências efetuadas por cada um dos 9 lesados para a conta titulada pela administração do condomínio, à qual o arguido tinha acesso por força das suas funções de administrador. Nesta perspetiva, a transferência posterior deste montante para a sua conta pessoal já é, nesta sede, penalmente irrelevante, porque o dinheiro assim angariado já estava na sua total disponibilidade e a lesão patrimonial dos lesados já era efetiva; Verificando-se que, posteriormente, a transferência da conta titulada pela administração para a sua conta pessoal foi no montante de 7.500, é o valor que vai 1 As indicações que seguem são as que se afiguram como as soluções mais corretas para as diversas situações abordadas, sem prejuízo de serem valorizadas outras opções, desde que plausíveis e alicerçadas em fundamentos consistentes. 1

2 além dos referidos 4.500, ou seja, 3.000, que constitui o benefício que obtém por via dos factos subsumíveis ao crime de abuso de confiança. NOTA: O candidato que adote este entendimento e refira (nesta fase) ainda que, - Os aludidos crimes de burla e abuso de confiança têm natureza semipública; - Não resulta dos autos que, quanto a qualquer deles, tenha existido queixa formulada pelos ofendidos no prazo legal; - Que tal circunstância acarreta a ilegitimidade do Ministério Público para a dedução de acusação relativamente aos factos que a tais crimes são subsumíveis; - E conclua pela declaração de extinção do correspondente procedimento criminal contra o arguido. Admite-se também como constituindo um procedimento correto que a adoção nesta fase desta solução exclua a análise dos factos provados e não provados, e respetiva motivação, quanto a estes dois tipos de ilícito. Admite-se também que, não obstante essa declaração, essa mesma factualidade seja objeto de análise e motivação; assim sendo, o tratamento desta questão ocorrerá em sede de enquadramento jurídico-penal dos factos dados como provados e, nesse caso, tal resposta - quando apreciada nesse local - deverá merecer a mesma valoração de 3,50 valores cf. infra. Solução 2 Autoria material, na forma consumada e em concurso efetivo de infrações: Um crime de homicídio negligente por omissão artigos 137º, nº 1, e 10º, nº 1 e 2 CP. Um crime de falsificação - artigos 256º, nº 1, al. b), c), d) e) CP. Um crime de abuso de confiança (no valor de ) - artigo 205, nº 1 e 4 CP. Esta imputação tem subjacente o seguinte raciocínio: O MP, verificando que relativamente aos factos integrantes do crime de burla não tinha sido deduzida qualquer queixa atempada pelos ofendidos, entendeu que aqueles não deveriam ser considerados de per se para efeitos de imputação desse ilícito, constituindo antes factos circunstanciais quanto ao crime de abuso de confiança agravado, atendendo ao valor 7 500, cuja natureza é pública. Esta opção implicará, ao contrário da Solução 1, a análise da matéria de facto que deve ser dada como provada ou não provada no local próprio cf. infra. D - Menção à não apresentação de contestação pelo arguido. E- Menção relativa à não existência de outras questões prévias, nulidades, etc. e à realização do julgamento com observância do formalismo legal. 2

3 FUNDAMENTAÇÂO 1.1. Factos provados e respetiva motivação (5,30) Solução 1 - (cf. C supra - Saneamento) Solução 2 - (cf. C supra - Saneamento) 1.2. Factos não provados e respetiva motivação (1,10) a) Que tenha sido o arguido a adquirir o carimbo ou a proceder ao ato material de falsificação dos documentos por manifesta inexistência de prova (factos 16, 19 e 20); b) Que tenham ocorrido os factos descritos no ponto 28, com exceção da apresentação da queixa-crime depoimento de BB é prova insuficiente por ser depoimento indireto e o depoimento de DD não é de per se credível por ser parte interessada no outro processo (facto 28); c) Que tenha sido na sequência dos factos descritos em 25) que CC saiu de casa por inexistência de prova consistente (facto 29) Enquadramento jurídico-penal (4,10) Fundamentação concreta da subsunção dos factos dados como provados aos tipos de ilícito em causa, os quais devem ser corretamente identificados: A - Núcleo de factos respeitantes ao crime de falsificação p.p. no artigo 256º, nº 1, al. e): 1, 2, 3, 5, 6, 7, 9, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21, 38, 39, 43 Ao bem jurídico protegido. 3

4 B - Núcleo dos factos relativos ao crime de homicídio negligente por omissão p.p. nos artigos 137º e 10º, nº 1 e 2: 1, 2, 3, 5, 8, 10, 23 a 34, 42, 43 Ao bem jurídico protegido. E AINDA: Adoção, neste local, da Solução 1 constante do Saneamento cf. supra C (3,50) Núcleo de factos respeitantes ao crime de burla p.p. no artigo 217º, n.º 1: 1, 2, 3, 5, 6, 7, 9, 10, 11,13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21, 35, 40, 44. Núcleo de factos respeitantes ao crime de abuso de confiança p.p. no artigo 205º n.º 1: 1, 4, 10, 11, 12, 22, 36, 37, 41, 44. Concluindo pela extinção do procedimento criminal quanto aos crimes de burla e abuso de confiança nos termos atrás descritos (cf. Saneamento C). OU Adoção da Solução 2 constante do Saneamento cf. supra C (3,50). Núcleo dos factos respeitantes ao crime de abuso de confiança p.p. no artigo 205º, nº 1 e 4, al. a) e 206º, nº 3: 1, 4, 10, 11, 12, 22, 36, 37, 41, 44. Ao bem jurídico protegido. 4

5 1.4. Escolha e determinação da medida da pena (3,00) Determinação sucinta da pena parcelar a aplicar por cada um dos crimes cometidos e da pena única considerada adequada. a) Menção dos critérios constantes do artigo 71º, n.º 2; b) Determinação concreta de cada uma das penas, considerando a factualidade extraída do CRC e RS, com ponderação das eventuais atenuações especiais ex vi artigo 206º e 10º n.º 3; c) Cúmulo jurídico corretamente efetuado; d) Determinação do destino a dar ao dinheiro apreendido; e) Condenação em custas. DECISÃO (0,50) A adequação da estrutura lógico-formal da decisão apresentada pelo candidato (Relatório Enunciação dos factos provados e não provados - Fundamentação de facto e de Direito Escolha e Determinação da medida da pena - Destino dos bens Decisão) será valorada num máximo de 0,50. A correção, o poder de síntese e a clareza evidenciada na argumentação, bem como o rigor patenteado na linguagem técnico-jurídica será valorado num máximo de 1,50. 5

PROVA ACADÉMICA 1ª CHAMADA PROPOSTA DE SOLUÇÃO 1 GRUPO I. 12,5 Valores

PROVA ACADÉMICA 1ª CHAMADA PROPOSTA DE SOLUÇÃO 1 GRUPO I. 12,5 Valores DIREITO PENAL E PROCESSUAL PENAL PROVA ACADÉMICA 1ª CHAMADA PROPOSTA DE SOLUÇÃO 1 GRUPO I 12,5 Valores ESTUPEFACIENTES 2 valores CARLOS - Um crime de tráfico de estupefacientes p.p. no artigo 21 n.º 1

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL

CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL PROVA VIA PROFISIONAL 1ª CHAMADA CRITÉRIOS DE CORRECÇÃO 1. Relatório e saneamento. 2. Descrição dos factos provados

Leia mais

Exame de Prática Processual Penal 1º Curso Estágio 2006

Exame de Prática Processual Penal 1º Curso Estágio 2006 Exame de Prática Processual Penal 1º Curso Estágio 2006 Na sequência de participação criminal validamente apresentada o M.P. instaurou inquérito e, a final, tendo encerrado o inquérito, deduziu acusação

Leia mais

a) Aprecie a responsabilidade penal de Ananias, Ventura e Zacarias

a) Aprecie a responsabilidade penal de Ananias, Ventura e Zacarias 33.º Curso Via Académica 2.ª Chamada GRELHA DE VALORAÇÃO E CORREÇÃO em fundamentos consistentes. GRUPO I a) Aprecie a responsabilidade penal de Ananias, Ventura e Zacarias Ananias: - 1 (um) Crime de Corrupção

Leia mais

Olá, amigos! Valeu! 1. Apresentação e estrutura textual (0,40). 2. Endereçamento à Vara Criminal da Comarca de São Paulo (0,20),

Olá, amigos! Valeu! 1. Apresentação e estrutura textual (0,40). 2. Endereçamento à Vara Criminal da Comarca de São Paulo (0,20), Olá, amigos! A peça do simulado é a prova prática do Exame de Ordem 2009.3 (CESPE). Percebam que o gabarito elaborado pela banca é bastante simples em comparação àquele da queixa do ciclo de correções.

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL

CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL GRUPO I (9 valores) PROVA VIA ACADÉMICA 2ª CHAMADA CRITÉRIOS DE CORRECÇÃO ANTÓNIA : Comete em autoria e concurso

Leia mais

CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL. Proposta de programa a desenvolver em sumários:

CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL. Proposta de programa a desenvolver em sumários: CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL Proposta de programa a desenvolver em sumários: I Do inicio do processo o crime e sua natureza. - Crimes públicos, semi-públicos e particulares;

Leia mais

PROVA ACADÉMICA 2ª CHAMADA

PROVA ACADÉMICA 2ª CHAMADA DIREITO PENAL E PROCESSUAL PENAL PROVA ACADÉMICA 2ª CHAMADA GRUPO 1 Alínea A) - (1,5 valores) Lei Penal aplicável aos factos praticados por A e C Na medida em que o candidato deve ficcionar que as leis

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL

CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL CENTRO DE ESTUDOS JUDICIÁRIOS PROVA ESCRITA DE DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL PROVA VIA ACADÉMICA 1ª CHAMADA CRITÉRIOS DE CORRECÇÃO Nota- A cotação máxima exige um tratamento completo das várias

Leia mais

PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO (RNE)

PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO (RNE) ORDEM DOS ADVOGADOS CNEF / CNA Comissão Nacional de Estágio e Formação / Comissão Nacional de Avaliação PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO (RNE) GRELHA DE CORREÇÃO Questões

Leia mais

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica ORDEM DOS ADVOGADOS CNA Comissão Nacional de Avaliação PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica Prática Processual Penal e Direito Constitucional e Direitos Humanos (8 Valores) 22 de Julho de 2011 Responda a todas

Leia mais

Regência: Professor Doutor Paulo de Sousa Mendes Colaboração: Catarina Abegão Alves, David Silva Ramalho e Tiago Geraldo. Grelha de correção

Regência: Professor Doutor Paulo de Sousa Mendes Colaboração: Catarina Abegão Alves, David Silva Ramalho e Tiago Geraldo. Grelha de correção Grelha de correção 1. Responsabilidade criminal de Alfredo (6 vls.) 1.1 Crime de coação [art. 154.º/1 CP], contra Beatriz. Crime comum, de execução vinculada, pois realiza-se por meio de violência ou de

Leia mais

Ação civil ex delicto

Ação civil ex delicto Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Ação civil ex delicto Gustavo Badaró aula de 02.08.2016 1. Noções Gerais PLANO DA AULA 2. Formas de satisfação do dano causado pelo crime 3. Sistemas de

Leia mais

Colaboração. Coordenação e Regência DIREITO PROCESSUAL PENAL 4.º ANO NOITE. Professor Doutor Paulo de Sousa Mendes

Colaboração. Coordenação e Regência DIREITO PROCESSUAL PENAL 4.º ANO NOITE. Professor Doutor Paulo de Sousa Mendes DIREITO PROCESSUAL PENAL 4.º ANO NOITE Coordenação e Regência Professor Doutor Paulo de Sousa Mendes Colaboração Mestres Inês Ferreira Leite e Rui Soares Pereira Exame escrito de recurso 13 de fevereiro

Leia mais

Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas (CTOC) Formação à Distância

Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas (CTOC) Formação à Distância Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas (CTOC) Formação à Distância CURSO DIS1209 1 - OBJECTIVOS: Curso: INFRACÇÕES TRIBUTÁRIAS O curso de Infracções Tributárias tem como objectivo dar conhecer aos TOC

Leia mais

ÍNDICE. prefácio da 10ª edição 7 prefácio da 1ª edição 9 abreviaturas 11

ÍNDICE. prefácio da 10ª edição 7 prefácio da 1ª edição 9 abreviaturas 11 ÍNDICE prefácio da 10ª edição 7 prefácio da 1ª edição 9 abreviaturas 11 PRINCÍPIOS 1. Princípio da oficialidade 13 2. Princípio da legalidade 14 3. Princípio da acusação 16 4. Princípio do inquisitório

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sentença Penal. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sentença Penal. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Sentença Penal Gustavo Badaró aula de 04.08.2015 1. Conceito PLANO DA AULA 2. Classificação e denominações 3. Elementos da sentença 4. Sentença penal absolutória

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDO DIREITO PENAL : PARTE ESPECIAL. Prof. Joerberth Pinto Nunes. Crimes contra a Administração Pública

ROTEIRO DE ESTUDO DIREITO PENAL : PARTE ESPECIAL. Prof. Joerberth Pinto Nunes. Crimes contra a Administração Pública ROTEIRO DE ESTUDO DIREITO PENAL : PARTE ESPECIAL Prof. Joerberth Pinto Nunes Crimes contra a Administração Pública 01) art. 312, CP -Espécies : caput : peculato-apropriação e peculato-desvio -Parágrafo

Leia mais

CJEB - Curso Jurídico Prof.ª Elaine Borges Prática Penal

CJEB - Curso Jurídico Prof.ª Elaine Borges Prática Penal MEMORIAL DEFENSÓRIO DICA: O problema vai falar que trata-se de caso complexo ou com vários réus e o juiz deferiu os memoriais; Ou o problema vai falar que o Promotor de Justiça já apresentou a acusação;

Leia mais

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU. Lei n.º /2004. (Projecto de lei) Regime Probatório Especial Para a Prevenção e Investigação da.

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU. Lei n.º /2004. (Projecto de lei) Regime Probatório Especial Para a Prevenção e Investigação da. REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU Lei n.º /2004 (Projecto de lei) Regime Probatório Especial Para a Prevenção e Investigação da Criminalidade A Assembleia Legislativa decreta, nos termos da alínea

Leia mais

Inspeções e contraordenações

Inspeções e contraordenações Inspeções e contraordenações A empresa pode ser objeto de inspeções e da aplicação de contraordenações. Depois de ser notificada da aplicação destas, a sua resposta pode variar em função do tipo de infração

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Correlação entre acusação e sentença. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Correlação entre acusação e sentença. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Correlação entre acusação e sentença Gustavo Badaró aula de 11.08.2015 1. Noções Gerais PLANO DA AULA 2. Distinção entre fato penal e fato processual penal

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

DIREITO ADMINISTRATIVO IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA DIREITO ADMINISTRATIVO IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA Atualizado em 04/11/2015 IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA A exigência de uma atuação moral se relaciona com o dever de probidade, ética e honestidade da Administração

Leia mais

TEORIA GERAL DA PROVA II

TEORIA GERAL DA PROVA II TEORIA GERAL DA PROVA II MEIOS DE PROVA E SUA ADMISSIBILIDADE - MEIO DE PROVA: é tudo quanto possa servir, direta ou indiretamente, à comprovação da verdade que se procura no processo. - CPP prevê: exame

Leia mais

Exame de Prática Processual Penal 23 de Janeiro de 2009

Exame de Prática Processual Penal 23 de Janeiro de 2009 No dia 6 de Maio de 2008, António, alegando urgente necessidade de auxiliar um seu irmão a fazer face a inesperadas despesas de saúde, convenceu Maria, com quem vivia em situação análoga à dos cônjuges,

Leia mais

7/4/2014. Multa Qualificada. Paulo Caliendo. Multa Qualificada. Paulo Caliendo. + Sumário. Multa Qualificada. Responsabilidade dos Sócios

7/4/2014. Multa Qualificada. Paulo Caliendo. Multa Qualificada. Paulo Caliendo. + Sumário. Multa Qualificada. Responsabilidade dos Sócios + Multa Qualificada Paulo Caliendo Multa Qualificada Paulo Caliendo + Sumário Multa Qualificada Responsabilidade dos Sócios 1 + Importância da Definição: mudança de contexto Modelo Anterior Sentido Arrecadatório

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEÇÃOA CRIMINAL AÇÃO PENAL nº ACUSADO: JOAQUIM JOSE DOS SANTOS ALEXANDRE

TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEÇÃOA CRIMINAL AÇÃO PENAL nº ACUSADO: JOAQUIM JOSE DOS SANTOS ALEXANDRE TRIBUNAL DE JUSTIÇA SEÇÃOA CRIMINAL AÇÃO PENAL nº. 0034199-92.2013.8.19.0000 ACUSADO: JOAQUIM JOSE DOS SANTOS ALEXANDRE EMENTA: AÇÃO PENAL PORTE DE ARMA POLICIAL MILITAR INCREMENTO DO RISCO ATIPICIDADE

Leia mais

Multa Qualificada. Paulo Caliendo. Paulo Caliendo

Multa Qualificada. Paulo Caliendo. Paulo Caliendo + Multa Qualificada Paulo Caliendo Multa Qualificada Paulo Caliendo + Importância da Definição: mudança de contexto Modelo Anterior Sentido Arrecadatório Modelo Atual Sentido repressor e punitivo Última

Leia mais

a) descrição do fato em todas as suas circunstâncias;

a) descrição do fato em todas as suas circunstâncias; DENÚNCIA Requisitos - art. 41 do CPP a) descrição do fato em todas as suas circunstâncias; O autor deve indicar na peça inicial, todas as circunstâncias que cercaram o fato...o processo penal do tipo acusatório

Leia mais

Germano Marques da Silva. Professor da Faculdade de Direito Universidade Católica Portuguesa

Germano Marques da Silva. Professor da Faculdade de Direito Universidade Católica Portuguesa Germano Marques da Silva Professor da Faculdade de Direito Universidade Católica Portuguesa DIREITO PENAL TRIBUTÁRIO (RELATÓRIO) SOBRE AS RESPONSABILIDADES DAS SOCIEDADES E DOS SEUS ADMINISTRADORES CONEXAS

Leia mais

OS LIMITES OBJECTIVOS DO NE BIS IN IDEM

OS LIMITES OBJECTIVOS DO NE BIS IN IDEM HENRIQUE SALINAS OS LIMITES OBJECTIVOS DO NE BIS IN IDEM (DISSERTAÇÃO DE DOUTORAMENTO) ORIENTADOR: PROFESSOR DOUTOR GERMANO MARQUES DA SILVA Fevereiro de 2012 Os limites Objectivos do ne bis in idem ÍNDICE

Leia mais

CURSO DE PREPARAÇÃO PARA O CONCURSO DE IT 4 de Maio a 8 de Junho

CURSO DE PREPARAÇÃO PARA O CONCURSO DE IT 4 de Maio a 8 de Junho CURSO DE PREPARAÇÃO PARA O CONCURSO DE IT 4 de Maio a 8 de Junho MÓDULOS MOD. 1 (4 Horas) - SISTEMA DE TRIBUTAÇÃO DO RENDIMENTO - Dr. José António MOD. 2 (4 horas) - SISTEMA DE TRIBUTAÇÃO DO RENDIMENTO

Leia mais

Exame de Recurso TÓPICOS DE CORREÇÃO

Exame de Recurso TÓPICOS DE CORREÇÃO Exame de Recurso TÓPICOS DE CORREÇÃO 1 Poderiam os agentes da PSP interrogar António no inquérito? A PSP é considerada órgão de polícia criminal (OPC), nos termos do art. 1.º, alínea c), do CPP, e do art.

Leia mais

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) MANHÃ. Prática Processual Penal (12 Valores) GRELHA DE CORREÇÃO

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) MANHÃ. Prática Processual Penal (12 Valores) GRELHA DE CORREÇÃO Comissão Nacional de Avaliação PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) MANHÃ Prática Processual Penal (12 Valores) GRELHA DE CORREÇÃO 4 de Dezembro de 2015 Grupo I - 7,5 Valores Corre contra Aníbal e Bernardo inquérito

Leia mais

Em primeiro lugar, deverá o examinando requerer, em preliminar, o desentranhamento das provas ilícitas.

Em primeiro lugar, deverá o examinando requerer, em preliminar, o desentranhamento das provas ilícitas. OAB 2010.3 GABARITO COMENTADO SEGUNDA FASE PENAL PEÇA PRÁTICO PROFISSIONAL O recurso cabível é o recurso em sentido estrito, na forma do art. 581, IV, do Código de Processo Penal, dirigido ao Juiz da 1ª

Leia mais

Deliberação ERC/2016/106 (OUT-I-PC)

Deliberação ERC/2016/106 (OUT-I-PC) Deliberação ERC/2016/106 (OUT-I-PC) Processo Contraordenacional ERC/10/2014/726 - Participação contra Jornal O Mirante por falta do livro de reclamações no jornal Lisboa 4 de maio de 2016 Conselho Regulador

Leia mais

CoNSELHo SuPERIoR. Ratificação de pena de expulsão Processo n.º 3/2013-CS/RP

CoNSELHo SuPERIoR. Ratificação de pena de expulsão Processo n.º 3/2013-CS/RP CoNSELHo SuPERIoR Ratificação de pena de expulsão Processo n.º 3/2013-CS/RP Relator: Carlos Pinto de Abreu Participante: Instituto de Gestão Financeira e de Infra estruturas da Justiça, I.P. Arguido: Dr..

Leia mais

Direito Penal. Estelionato e Receptação

Direito Penal. Estelionato e Receptação Direito Penal Estelionato e Receptação Obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento.

Leia mais

GRELHAS DE CORRECÇÃO

GRELHAS DE CORRECÇÃO ORDEM DOS ADVOGADOS CNEF / CNA Comissão Nacional de Estágio e Formação / Comissão Nacional de Avaliação PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO RNE / RGF GRELHAS DE CORRECÇÃO Questões

Leia mais

Processo Sumário: alteração de paradigma. Adaptação do regime legal à luz do Acórdão do Tribunal Constitucional n.º 174/2014

Processo Sumário: alteração de paradigma. Adaptação do regime legal à luz do Acórdão do Tribunal Constitucional n.º 174/2014 Processo Sumário: alteração de paradigma Adaptação do regime legal à luz do Acórdão do Tribunal Constitucional n.º 174/2014 Lei n.º 20/2013: o ímpeto reformista Artigo 14.º Competência do tribunal colectivo

Leia mais

Exame de Prática Processual Penal

Exame de Prática Processual Penal Exame de Prática Processual Penal I No dia 20/02/06 António foi surpreendido na sua caixa do correio com uma notificação do Tribunal ali colocada nesse dia que, recebendo a acusação que contra si era deduzida

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL

DIREITO PROCESSUAL PENAL ANO LETIVO 2015/2016 4.º ANO 1.º Semestre / Turma de Noite DIREITO PROCESSUAL PENAL Regente: Prof. Doutor Paulo de Sousa Mendes Colaboradores: Professor Doutor Rui Soares Pereira e Mestra Catarina Abegão

Leia mais

Direito Penal. Concurso de Crimes

Direito Penal. Concurso de Crimes Direito Penal Concurso de Crimes Distinções Preliminares Concurso de crimes ou delitos X Concurso de pessoas ou agentes X Concurso de normas ou conflito aparente de normas penais - Concurso de crimes ou

Leia mais

Alterações ao Código da Estrada

Alterações ao Código da Estrada Alterações ao Código da Estrada Decreto-Lei nº 116/2015, de 28 de Agosto, publicada no Diário da República nº 168, Iª Série A Décima quarta alteração ao Código da Estrada aprovado pelo Decreto-Lei n.º

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DA MAGISTRATURA GABINETE DE APOIO AO VICE-PRESIDENTE E MEMBROS DO CSM

CONSELHO SUPERIOR DA MAGISTRATURA GABINETE DE APOIO AO VICE-PRESIDENTE E MEMBROS DO CSM CONSELHO SUPERIOR DA MAGISTRATURA GABINETE DE APOIO AO VICE-PRESIDENTE E MEMBROS DO CSM ASSUNTO: Parecer Projecto de Lei n.º64/xiii (PCP); Projecto de Lei n.º 68/XIII (BE); Projecto de Lei n.º 72/XIII

Leia mais

Direito Processual Penal

Direito Processual Penal Direito Processual Penal Nulidades Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual Penal NULIDADES CÓDIGO DE PROCESSO PENAL TÍTULO I Das Nulidades Art. 563. Nenhum ato será

Leia mais

Reconhecimento de pessoas ou coisas arts. 226 a 228. Reconhecimento de pessoas

Reconhecimento de pessoas ou coisas arts. 226 a 228. Reconhecimento de pessoas Reconhecimento de pessoas ou coisas arts. 226 a 228 1 Reconhecimento de pessoas Conceito: Meio de prova formal, por intermédio do qual alguém é chamado a verificar e confirmar a identidade de uma pessoa

Leia mais

Admissibilidade de nova acusação por assistente

Admissibilidade de nova acusação por assistente ANDREIA VALADARES FERRA Admissibilidade de nova acusação por assistente VERBO jurídico VERBO jurídico Admissibilidade de nova acusação por assistente : 2 Admissibilidade de nova acusação por assistente

Leia mais

ANEXO II REQUISITOS DE ADEQUAÇÃO EXIGIDOS

ANEXO II REQUISITOS DE ADEQUAÇÃO EXIGIDOS ANEXO II REQUISITOS DE ADEQUAÇÃO EXIGIDOS 1. Idoneidade 1.1. Na avaliação da idoneidade a Comissão de Avaliação tem em conta o modo como a pessoa gere habitualmente os negócios, profissionais ou pessoais,

Leia mais

PRINCÍPIO = começo; ideia-síntese

PRINCÍPIO = começo; ideia-síntese PRINCÍPIOS INFORMADORES DO DIREITO PROCESSUAL PENAL PRINCÍPIO = começo; ideia-síntese os princípios da política processual de uma nação não são outra coisa senão os segmentos de sua política (ética) estatal

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Procedimento comum: ordinário e sumário. Gustavo Badaró aulas 22 e 29 de março de 2017

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Procedimento comum: ordinário e sumário. Gustavo Badaró aulas 22 e 29 de março de 2017 Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Procedimento comum: ordinário e sumário Gustavo Badaró aulas 22 e 29 de março de 2017 PLANO DA AULA 1. Comparação dos procedimentos ordinários 2. Procedimento

Leia mais

- DEFINIÇÃO: documento é qualquer suporte material que represente um fato juridicamente relevante (Badaró)

- DEFINIÇÃO: documento é qualquer suporte material que represente um fato juridicamente relevante (Badaró) PROVA DOCUMENTAL - DEFINIÇÃO: documento é qualquer suporte material que represente um fato juridicamente relevante (Badaró) - art. 232 do CPP: documentos escritos (documentos em sentido estrito) - art.

Leia mais

Regime Contraordenacional

Regime Contraordenacional Ficha Técnica Autor: (DGSS) - Divisão dos Instrumentos Informativos - Direção de Serviços da Definição de Regimes Editor: DGSS Conceção Gráfica: DGSS / Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação

Leia mais

Regime Contraordenacional

Regime Contraordenacional Ficha Técnica Título Autor de Segurança Social Regime Contraordenacional Conceção gráfica Edição Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação http://www.seg-social.pt/dgss-direccao-geral-da-seguranca-social

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sujeitos Processuais. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sujeitos Processuais. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Sujeitos Processuais Gustavo Badaró aula de 11.10.2016 1. Noções Gerais 2. Juiz PLANO DA AULA Peritos, interpretes e auxiliares da justiça 3. Ministério

Leia mais

Procedimento especial: crimes contra a propriedade imaterial

Procedimento especial: crimes contra a propriedade imaterial Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Procedimento especial: crimes contra a propriedade imaterial Gustavo Badaró aula de 15 de setembro de 2015 PLANO DA AULA 1. Noções gerais 2. Procedimento

Leia mais

PROCESSO PENAL MARATONA OAB XX

PROCESSO PENAL MARATONA OAB XX PROCESSO PENAL MARATONA OAB XX AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA RESOLUÇÃO 213/15 RESOLUÇÃO Nº 213/15 - CNJ Art. 1º Determinar que toda pessoa presa em flagrante delito, independentemente da motivação ou natureza

Leia mais

SECÇÃO III - Prestação de trabalho a favor da comunidade e admoestação

SECÇÃO III - Prestação de trabalho a favor da comunidade e admoestação Código Penal Ficha Técnica Código Penal LIVRO I - Parte geral TÍTULO I - Da lei criminal CAPÍTULO ÚNICO - Princípios gerais TÍTULO II - Do facto CAPÍTULO I - Pressupostos da punição CAPÍTULO II - Formas

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Da dosimetria da pena Marcelo Augusto Paiva Pereira Como citar este comentário: PEREIRA, Marcelo Augusto Paiva. Da dosimetria da pena. Disponível em http://www.iuspedia.com.br01

Leia mais

PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO 20 MAIO Área de Prática Processual Penal (5,5 Valores) GRELHA DE CORREÇÃO

PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO 20 MAIO Área de Prática Processual Penal (5,5 Valores) GRELHA DE CORREÇÃO PROVA ESCRITA NACIONAL DO EXAME FINAL DE AVALIAÇÃO E AGREGAÇÃO 20 MAIO 2016 Área de Prática Processual Penal (5,5 Valores) GRELHA DE CORREÇÃO Grupo I (4 Valores) António Silva, residente na Praceta Alves

Leia mais

FRAUDE NA OBTENÇÃO DE SUBSÍDIO OU SUBVENÇÃO DESVIO DE SUBVENÇÃO, SUBSÍDIO OU CRÉDITO BONIFICADO

FRAUDE NA OBTENÇÃO DE SUBSÍDIO OU SUBVENÇÃO DESVIO DE SUBVENÇÃO, SUBSÍDIO OU CRÉDITO BONIFICADO FRAUDE NA OBTENÇÃO DE SUBSÍDIO OU SUBVENÇÃO DESVIO DE SUBVENÇÃO, SUBSÍDIO OU CRÉDITO BONIFICADO Análise dos tipos legais de crime. A parte geral do diploma. Os princípios gerais. Análise jurisprudencial

Leia mais

NOÇÕES GERAIS DE PARTE GERAL DO CP E CPP ESSENCIAIS PARA O ENTENDIMENTO DA LEGISLAÇÃO PENAL ESPECIAL

NOÇÕES GERAIS DE PARTE GERAL DO CP E CPP ESSENCIAIS PARA O ENTENDIMENTO DA LEGISLAÇÃO PENAL ESPECIAL NOÇÕES GERAIS DE PARTE GERAL DO CP E CPP ESSENCIAIS PARA O ENTENDIMENTO DA LEGISLAÇÃO PENAL ESPECIAL 1. ITER CRIMINIS CAMINHO DO CRIME FASE INTERNA COGITAÇÃO ( irrelevante para direito penal) 2. FASE EXTERNA

Leia mais

Direito Processual Civil II - Turma A

Direito Processual Civil II - Turma A Direito Processual Civil II - Turma A Regência: Professor Doutor Miguel Teixeira de Sousa 28 de Julho de 206 Duração: 2 horas Em de Janeiro de 206, A e B celebraram em Lisboa com C um contrato-promessa

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Direito das Contraordenações

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Direito das Contraordenações INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÂO DE COIMBRA Aprovação do Conselho Pedagógico / / Aprovação do Conselho Técnico-Científico / / Ficha de Unidade Curricular

Leia mais

8/2010: 7.500,01 AO CRIME DE ABUSO DE D

8/2010: 7.500,01 AO CRIME DE ABUSO DE D Novembro 2010 O ACÓRDÃO DO SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE FIXAÇÃO DE JURISPRUDÊNCIA N.º N 8/2010: A INAPLICABILIDADE DO LIMITE MÍNIMO DE 7.500,01 8/2010: 7.500,01 AO CRIME DE ABUSO DE D CONFIANÇA CONTRA

Leia mais

Do furto de identidade digital nas Fontes Internacionais e Europeias. Manuel David Masseno

Do furto de identidade digital nas Fontes Internacionais e Europeias. Manuel David Masseno nas Fontes Internacionais e Europeias Manuel David Masseno 1 I Alguns Pré-entendimentos a) o objeto! o furto de identidade, em sentido amplo: a obtenção, detenção, transferência de dados pessoais de uma

Leia mais

DIREITO PENAL E PROCESSUAL PENAL

DIREITO PENAL E PROCESSUAL PENAL DIREITO PENAL E PROCESSUAL PENAL PRINCÍPIOS Legalidade: Somente a lei, elaborada na forma que a Constituição permite, pode determinar o que é crime e indicar a pena cabível. Taxatividade: As leis que definem

Leia mais

CÓDIGO PENAL CÓDIGO DE PROCESSO PENAL

CÓDIGO PENAL CÓDIGO DE PROCESSO PENAL LEI E PROCESSO CÓDIGO PENAL CÓDIGO DE PROCESSO PENAL 2017 5ª Edição Atualização nº 2 CÓDIGO PENAL CÓDIGO DE PROCESSO PENAL Atualização nº 2 EDITOR EDIÇÕES ALMEDINA, S.A. Rua Fernandes Tomás nºs 76, 78,

Leia mais

V O T O P R E L I M I N A R

V O T O P R E L I M I N A R V O T O P R E L I M I N A R O EXMº SR. JUIZ PLAUTO RIBEIRO (RELATOR): Como se viu do relatório, Eduardo Jorge Caldas Pereira ofereceu, em 05 de março de 2002 (cf. fl. 02), queixa-crime em desfavor do ilustre

Leia mais

Prof. Raul de Mello Franco Jr. - UNIARA PODER EXECUTIVO. 3ª aula. Prof. Raul de Mello Franco Jr.

Prof. Raul de Mello Franco Jr. - UNIARA PODER EXECUTIVO. 3ª aula. Prof. Raul de Mello Franco Jr. PODER EXECUTIVO 3ª aula Prof. Raul de Mello Franco Jr. SUBSÍDIOS do PRESIDENTE, do VICE e dos MINISTROS São fixados pelo CN, por decreto-legislativo (art. 49, VIII, CF). Devem ser fixados em parcela única.

Leia mais

Conclusão Peças de informação e outros procedimentos investigatórios

Conclusão Peças de informação e outros procedimentos investigatórios Sumário 1 A REDAÇÃO JURÍDICA 1.1 A nova redação jurídica 1.2 Síntese, clareza e objetividade 1.3 Orações intercaladas 1.4 Introdução, desenvolvimento e conclusão 1.5 Redação impessoal 1.6 Copiar e colar

Leia mais

SENTENÇA N.º 14 /2013-2ª SECÇÃO

SENTENÇA N.º 14 /2013-2ª SECÇÃO Transitada em julgado Tribunal de Contas Proc. nº 12/2013 - PAM 2ª Secção SENTENÇA N.º 14 /2013-2ª SECÇÃO I. Relatório 1 Nos presentes autos vai o presidente da junta de freguesia de Podence Macedo de

Leia mais

Direito Penal. Infração Penal: Teoria geral

Direito Penal. Infração Penal: Teoria geral Direito Penal Infração Penal: Teoria geral Sistemas de Classificação a) Sistema tripartido: Crimes, delitos e contravenções. Ex: França e Espanha. b) Sistema bipartido: Crimes ou delitos e contravenções.

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 452/XII/3.ª

PROJECTO DE LEI N.º 452/XII/3.ª PROJECTO DE LEI N.º 452/XII/3.ª Altera o Código de Processo Penal, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 78/87, de 17 de Fevereiro, eliminando a possibilidade de julgamentos em processo sumário para crimes puníveis

Leia mais

Sistema Fiscal Moçambicano GARANTIAS GERAIS E MEIOS DE DEFESA DO CONTRIBUINTE PAGAMENTO DE DÍVIDAS TRIBUTÁRIAS A PRESTAÇÕES COMPENSAÇÃO DAS DÍVIDAS

Sistema Fiscal Moçambicano GARANTIAS GERAIS E MEIOS DE DEFESA DO CONTRIBUINTE PAGAMENTO DE DÍVIDAS TRIBUTÁRIAS A PRESTAÇÕES COMPENSAÇÃO DAS DÍVIDAS Sistema Fiscal Moçambicano GARANTIAS GERAIS E MEIOS DE DEFESA DO CONTRIBUINTE PAGAMENTO DE DÍVIDAS TRIBUTÁRIAS A PRESTAÇÕES COMPENSAÇÃO DAS DÍVIDAS TRIBUTÁRIAS GARANTIAS GERAIS E MEIOS DE DEFESA DO CONTRIBUINTE

Leia mais

Prof. Magda Hofstaetter SENTENÇA

Prof. Magda Hofstaetter SENTENÇA Prof. Magda Hofstaetter SENTENÇA DESPACHOS, DECISÕES INTERLOCUTÓRIAS E SENTENÇA A) DESPACHOS DE MERO EXPEDIENTE artigo 93, XIV, CF B)DECISÕES INTERLOCUTÓRIAS *SIMPLES: questões controvertidas no processo

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES/MATRÍCULA PARA DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES DE PRÁTICA JURÍDICA E MONITORIA JUNTO AO NPJ-FACEAR.

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES/MATRÍCULA PARA DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES DE PRÁTICA JURÍDICA E MONITORIA JUNTO AO NPJ-FACEAR. EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES/MATRÍCULA PARA DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES DE PRÁTICA JURÍDICA E MONITORIA JUNTO AO NPJ-FACEAR. EDITAL N. 03/2016 2º SEMESTRE/2016 O Coordenador do Núcleo de Prática

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Das questões e dos processos incidentes Alexandre Magno Fernandes Moreira* O processo penal tem por finalidade resolver uma dupla questão fundamental: se o delito realmente existiu

Leia mais

PONTOS INICIAS: Procedimentos a) COMUM: a.1) Ordinário (395/405) pena máxima igual ou sup. a 4 anos

PONTOS INICIAS: Procedimentos a) COMUM: a.1) Ordinário (395/405) pena máxima igual ou sup. a 4 anos Prof. Vinícius Abdala Me. em Ciências Criminais pela Universidade de Lisboa Juiz da Inter-American Human Rigthts Moot Court Competition, Washington, DC. Advogado Criminalista. Resposta à Acusação PONTOS

Leia mais

Causas Supralegais de exclusão da culpabilidade

Causas Supralegais de exclusão da culpabilidade REVISÃO: Causas Supralegais de exclusão da culpabilidade a. Cláusula de consciência: muito invocada no caso das testemunhas de Geová, com fundamento na CRFB, art. 5º, inciso VI. b. Desobediência civil:

Leia mais

O processo penal é um instrumento de. determinado fato histórico...

O processo penal é um instrumento de. determinado fato histórico... TEORIA GERAL DA PROVA NO PROCESSO PENAL O processo penal é um instrumento de retrospecção, de reconstrução aproximativa de um determinado fato histórico... as provas são os meios através dos quais se fará

Leia mais

CEM. Magistratura Federal. Direito Penal. Das Penas

CEM. Magistratura Federal. Direito Penal. Das Penas CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Direito Penal Período 2010 2016 1) CESPE - JF TRF2/TRF 2/2013 A respeito de aspectos diversos relacionados às penas, assinale a opção correta. a) No concurso formal perfeito,

Leia mais

SEMINÁRIO SOBRE PROPOSTAS DE MEDIDAS DE APERFEIÇOAMENTO DA PROTECÇÃO SOCIAL OBRIGATÓRIA

SEMINÁRIO SOBRE PROPOSTAS DE MEDIDAS DE APERFEIÇOAMENTO DA PROTECÇÃO SOCIAL OBRIGATÓRIA SEMINÁRIO SOBRE PROPOSTAS DE MEDIDAS DE APERFEIÇOAMENTO DA PROTECÇÃO SOCIAL OBRIGATÓRIA Projecto de Decreto Presidencial que Estabelece o Regime Jurídico de Vinculação e de Contribuição da Protecção Social

Leia mais

Ponto 9 do plano de ensino

Ponto 9 do plano de ensino Ponto 9 do plano de ensino Concurso formal e material de crimes. Vedação ao concurso formal mais gravoso. Desígnios autônomos. Crime continuado: requisitos. Erro na execução. Resultado diverso do pretendido.

Leia mais

IDPCC Instituto de Direito Penal e de Ciências Criminais III CURSO PÓS-GRADUADO DE APERFEIÇOAMENTO EM DIREITO DA INVESTIGAÇÃO CRIMINAL E DA PROVA

IDPCC Instituto de Direito Penal e de Ciências Criminais III CURSO PÓS-GRADUADO DE APERFEIÇOAMENTO EM DIREITO DA INVESTIGAÇÃO CRIMINAL E DA PROVA III CURSO PÓS-GRADUADO DE APERFEIÇOAMENTO EM DIREITO DA INVESTIGAÇÃO CRIMINAL E DA PROVA Coordenadores: Professora Doutora Maria Fernanda Palma Professor Doutor Augusto Silva Dias Professor Doutor Paulo

Leia mais

Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Código da Estrada ª Edição. Atualização nº 1

Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Código da Estrada ª Edição. Atualização nº 1 Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Código da Estrada 2015 8ª Edição Atualização nº 1 1 [1] Código do Trabalho CÓDIGO DA ESTRADA Atualização nº 1 ORGANIZAÇÃO BDJUR BASE DE DADOS JURÍDICA EDITOR EDIÇÕES

Leia mais

O CRIME DE INFRACÇÃO DE REGRAS DE CONSTRUÇÃO

O CRIME DE INFRACÇÃO DE REGRAS DE CONSTRUÇÃO PERSPECTIVAS ACTUAIS DA SEGURANÇA NO TRABALHO DA CONSTRUÇÃO O CRIME DE INFRACÇÃO DE REGRAS DE CONSTRUÇÃO Artigo 277º do Código Penal (Infracção de regras de construção, dano em instalações e perturbação

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Associação ocasional (artigo 18, III, da Lei nº. 6.368/76) Eloísa de Souza Arruda, César Dario Mariano da Silva* Com o advento da nova Lei de Drogas (Lei 11.343/06) uma questão interessante

Leia mais

Crime público desde Lei 7/2000 de Denúncia para além dos seis meses Lei aplicável: vigente no momento prática do último ato Tribunal

Crime público desde Lei 7/2000 de Denúncia para além dos seis meses Lei aplicável: vigente no momento prática do último ato Tribunal 1 Quem, de modo reiterado ou não, infligir maus tratos físicos ou psíquicos, incluindo castigos corporais, privações da liberdade e ofensas sexuais: a) Ao cônjuge ou ex-cônjuge; b) A pessoa de outro ou

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OPÇÃO III - CRIMES EM ESPECIAL Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OPÇÃO III - CRIMES EM ESPECIAL Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular OPÇÃO III - CRIMES EM ESPECIAL Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular OPÇÃO III - CRIMES

Leia mais

Em várias situações a legislação consagra da junção das jurisdições civil e criminal.

Em várias situações a legislação consagra da junção das jurisdições civil e criminal. Ação civil ex delicto Objetivo: Propiciar a reparação do dano causado pelo delito. Sentença penal condenatória e reparação do dano Art. 91, I, CP: Obrigação de indenizar o dano Art. 63, CPP e 475-N, II,

Leia mais

Aula 10. Qual o vício quando o Ministério Público oferece denúncia em face de agente que possui apenas 17 anos?

Aula 10. Qual o vício quando o Ministério Público oferece denúncia em face de agente que possui apenas 17 anos? Turma e Ano: Regular 2015 / Master B Matéria / Aula: Direito Processual Penal / Aula 10 Professor: Elisa Pittaro Monitora: Kelly Soraia Aula 10 NULIDADES EM ESPÉCIE Art. 564. A nulidade ocorrerá nos seguintes

Leia mais

PROVA ESCRITA P 3 2.ª PARTE Sentença Penal

PROVA ESCRITA P 3 2.ª PARTE Sentença Penal PROVA ESCRITA P 3 2.ª PARTE Sentença Penal Nesta parte da prova, faça o que se pede, usando, caso deseje, os espaços para rascunho indicados no presente caderno. Em seguida, transcreva o texto para o CADERNO

Leia mais

23/09/2012 PROCESSO PENAL I. Processo penal I

23/09/2012 PROCESSO PENAL I. Processo penal I I 10ª -Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 Processo penal I 2 1 CLASSIFICAÇÃO - Quanto ao titular; A ação penal pública é condicionada sempre que houver exigência de alguma observância formal à sua

Leia mais

Atos de Ofício Processo Penal. Professor Luiz Lima CONCURSO TJMG - BANCA CONSULPLAN

Atos de Ofício Processo Penal. Professor Luiz Lima CONCURSO TJMG - BANCA CONSULPLAN Atos de Ofício Processo Penal Professor Luiz Lima CONCURSO TJMG - BANCA CONSULPLAN Cargo Especialidade Escolaridade Vencimentos Oficial de apoio judicial Oficial Judiciário (Classe D) --- Conclusão de

Leia mais

S E N T E N Ç A Tipo A

S E N T E N Ç A Tipo A S E N T E N Ç A Tipo A I-RELATÓRIO Cuida-se de ação sob o rito ordinário proposta por EDNILSON JOSÉ DE SANTANA contra o INSTITUTO BRASILEIRO DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA, objetivando

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Revisão Criminal. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Revisão Criminal. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Revisão Criminal Gustavo Badaró aula de 10.11.2015 PLANO DA AULA 1. Noções gerais 2. Condições da ação 3. Pressupostos processuais 4. Procedimento 1. NOÇÕES

Leia mais

23/09/2012 DIREITO PENAL IV. Direito penal IV

23/09/2012 DIREITO PENAL IV. Direito penal IV DIREITO PENAL IV LEGISLAÇÃO ESPECIAL 15ª -Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 Direito penal IV 2 1 ESTELIONATO E OUTRAS FRAUDES Art. 171 - Obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo

Leia mais

CORRECÇÃO DIREITO E PROCESSO CIVIL ESTÁGIO 2011/2012 JULHO DE 2012

CORRECÇÃO DIREITO E PROCESSO CIVIL ESTÁGIO 2011/2012 JULHO DE 2012 CORRECÇÃO DIREITO E PROCESSO CIVIL ESTÁGIO 2011/2012 JULHO DE 2012 A presente grelha de correção é feita de forma sucinta, indicando o que de essencial deve ser referido pelo aluno estagiário. Cotação

Leia mais