SE QUE ELE ME CONDUZ. Refrões orantes. Padre Valdecir Ferreira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SE QUE ELE ME CONDUZ. Refrões orantes. Padre Valdecir Ferreira"

Transcrição

1 SE QUE ELE ME CONDUZ Refrões orantes Padre Valdecir Ferreira

2 »»»» AMANHECEU Inspirado em Elisabete da Trindade Solo: Pe. Valdecir & # G G 6 8 Œ.. Œ. 5 + B b dim {.. A ma nhe ceu! & # Am Œ.. D Am. D D. # dim. œ œ œ ó do ce au ro ra, Ó Be lo pri mei ro o lhar, Di a, ter no sor & # Em œ. G». Cma Œ. D/C G/B. G A 6 D.. ri so. Ó meu Se & # G 1. Am. Œ.» D 2. G Am Ó. Cm G { Ó. A ma nhe nhor, o Pa ra í so! Amanheceu! Ó Belo Dia, ó doce aurora, Primeiro olhar, terno sorriso. Ó meu Senhor, o Paraíso!

3 TUA VONTADE Inspirado em Catarina Troiani Solo: Roselene & 2 4 Œ C Œ { Co nhe cer e se guir Tu a von ta de! Es ta & G _ C e é sem pre a mi nha fo F G & _ Œ C a mi nha se de! Eis a í o meu de se o. 1. & G Ó G 2. Œ _ { Œ.. _ Co nhe O meu de se o, & Œ. Œ. o meu _ de se me! _ o. Es ta se rá sem pre Conhecer e seguir Tua vontade! Esta é sempre a minha fome! Está será sempre a minha sede! Eis aí o meu deseo. O meu deseo, o meu deseo.

4 & 2 4 Œ (Gsus4) C Am. Œ. _ "Eu Inspirado nas Constituições das Ir. Beneditinas da Divina Providência me a ban do no em EM TI ME ABANDONO Deus e L: Pe Valdecir Ferreira M: Cristiane da Matta Solo: Marcos de le es pe ro G F & 4 3 C 2 _ 4 _. tu do. Eu me a ban & _. _ de G Ti es pe ro do no em C tu do". Ti, _ Se _ nhor, "Eu me abandono em Deus E dele espero tudo. Eu me abandono em Ti, Senhor, E de Ti espero tudo".

5 ESCOLHER DEUS Inspirado em Santa Domingas Mazarrello Solo: Roselene & # D G #4 4 Ó _ { "Es co lher Deus, es co lher Deus, es co lher & # Em # _ A F # m (b 5) B (b 9) Em _ A/G _ Deus sem pre, sem pre! Es co lher Deus, Es co lher & # D B # /F # Em _ A 1. D A _ sus 4 2. D _ { Deus, Es colher Deus pa ra sem pre!" Es co lher sem pre!" "Escolher Deus, escolher Deus, Escolher Deus sempre, sempre! Escolher Deus, escolher Deus, Escolher Deus para sempre!"

6 »» & 4 3 Am F G.... So mos pre sen tes PRESENTE DE DEUS Inspirado em São João Bosco de Deus; nos sa Solo: Adelma &. F C. _. _ é ser pre sen te de Deus aos ir mãos. Ser pre Dm F & (E). _ _. _ Ó. _. { sen te de a mor à que le que é o A mor. mis Am são Somos presentes de Deus; Nossa missão é ser presente de Deus aos irmãos. Ser presente de amor àquele que é o amor.

7 » JAMAIS DESANIMEIS Inspirado em Santa Paulina L: Pe Valdecir Ferreira Solo: Cristiane e Marcos & # # # 2 4 A _ D E A Nun ca, a mais, de sa ni meis! & # # # F# m Bm E _ A Em bo ra ve nham ven tos # # # A & _ D E A nun ca, a mais, de sa ni meis & # # # F# m_ Bm E D A em bo ra ve nham ven tos con con trá _ trá rios. rios Nunca, amais, desanimeis! Embora venham ventos contrários Nunca, amais, desanimeis Embora venham ventos contrários.

8 & # # # A F 4 Ó _ # m Bm Ser to do SÓ DEUS BASTA Inspirado em Madre Clélia Merloni De le e pa ra L: Pe Valdecir Ferreira Solo: Pe Valdecir & # # # E sus 4 E A A D D # dim bas ta em mi nha vi da! Só Deus E bas ta! # # # A œ &» F # m Bm E D w A bas ta! Só Deus bas ta em mi nha vi le. Só da! Só Deus Deus Ser todo Dele e para Ele. Só Deus basta em minha vida! Só Deus basta! Só Deus basta! Só Deus basta em minha vida!

9 PERMANECEI EM CRISTO Inspirado em Jo 15 L: Pe.Valdecir Ferreira Solo: Marcos & # # # (Bm D/E) Ama 4 Ó Ama B b dim Ó _ Bm F # 5+ Per ma ne cei _ em mim, per ma ne & # # # C 9(b 5) Bm. D/E Œ _ E e mi nhas Pa la vras per cei em ma ne ce & # # # Ama B b dim Ama Ó B b dim Bm E. { _. _ vós! Per ma ne cei em meu a 1. & # # # Ama Ama Ó B b dim Bm w_ E. A Ama _. _ {. _ mor, per ma ne cei & # # # Ama Ó B b dim Bm E. A Fma FINAL _. _ w_ w_ _ per ma ne cei em meu a mor. em meu a w_ mor. 2. mim mor, rão em Ama Permanecei em mim, Permanecei em mim E minhas palavras Permanecerão em vós! (Bis) Permanecei em meu amor, Permanecei em meu amor.

10 CORAGEM, DEUS NOS CHAMA Inspirado em Catarina Troniani L: Pe Valdecir Ferreira Solo: Roselene & 2 C 4 Œ.. Œ... Co ra gem, co ra gem! Deus nos cha ma! C & Œ _ F _. { Deus nos cha ma! E le em tu do pen sa rá, F C & Œ _ tu do pen sa rá! E le em tu do _ pen F C F C & { tu do pen sa rá! tu do pen sa rá! sa rá, Coragem, coragem! Deus nos chama! Deus nos chama! Ele em tudo pensará, tudo pensará! Ele em tudo pensará, Tudo pensará! Tudo pensará!

11 » L & # G Em Am 2 4 Œ Œ Nos fi zes Inspirado em Santo Agostinho tes PARA VÓS pa ra vós L: Pe Valdecir Ferreira Solo: Roselene L & # D # D/F G Œ. nos so co ra ção in quie to es tá en quan to em L & # Em Am D Œ. Ti, ó Se nhor, & # G Ó D G D Œ. G trar, re pou so en con trar, L & # Œ. Ó Œ. re pou so en con só» trar. em Ti re pou so e en o con re & # 1. D G 2. D Ó Ó Ó Ó G { Ó L & # { pou so en con trar. pou so en con trar. Nos fizeste para vós E o nosso coração inquieto está Enquanto em Ti, ó Senhor, Só em Ti repouso encontrar Repouso encontrar, repouso encontrar Repouso encontrar.

12 LUZ DAS NAÇÕES Inspirado em Is 49,6 Solo: Pe. Valdecir & # G C D 4 _ G w Que ro fa zer & # C _ D B Em C D pa ra que mi nha sal va ção che gue aos con fins da & # G C D _ C G G ter ra, em to dos de os Ti luz co das ra na ções. ções, Quero fazer de Ti luz das nações, Para que minha salvação Chegue aos confins da terra, Em todos os corações.

13 »» ILUMINAREI Inspirado em Tiago Alberione Solo: Cristiane e Marcos & # # # A D A D 2 4 Œ.... A I lu mi na rei, i lu mi na rei vos i & # # # E A _ A Bm { _ lu mi na rei! I Vi vam em pro & # # # A/C # Cdim Bm E Œ G # C # m. fun da /5+ con ver são! Vos i lu mi na rei, & # # # F # Bm. E.. A E lu mi na rei, i lu mi na rei, vos i lu mi na rei! & # # # A _ Ó A Ó Bbdim Bm E _ C _ # m C Não te mais _ es _ tou con vos co! # # # B sus & Œ 4 E Ama Bm _. C. # m {. Vos i lu _ mi _ na rei! # # # Bm &. A E 1. A 2. A. { _ _ lu mi na rei vos i lu _ mi I _ na _ rei! lu mi na I rei, i i Iluminarei, iluminarei, vos iluminarei! (Bis) Vivam em profunda conversão! Vos iluminarei Iluminarei, iluminarei, vos iluminarei! (Bis) Não temais, estou convosco! Vos iluminarei

14 »»»» & b4 4 Ó Gm. œ œ œ œ Gm /F { Tar de Vos a TARDE VOS AMEI Inspirado em Santo Agostinho F F /E b mei, ó be B b le za tão Solo: Pe. Valdecir & b C/E C/G F/A D. # Gm B b m no va, tar de Vos a mei! Teu su D/F # bli me per fu me an ti e xa las tes: & b F C F C 1. F 2. F _ { w go ra sus pi ro por Vós, B b só por Vós. Tar de Vos a ga e E tão a Tarde Vos amei, Ó beleza tão amiga e tão nova, Tarde Vos amei! Teu sublime perfume exalastes: E agora suspiro por Vós, Só por Vós.

15 » SEI QUE ELE ME CONDUZ Inspirado em Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) Solo: Cristiane & 4 Fma Œ ÓC G C Am "Sei que E le me con duz! Sei que F Dm G Fma & E _ G J œ le me con duz! Não sei pra on de E le me Am & œ œ F G»» œ œ»» C œ w» le va, mas sei que E le me con duz!" "Sei que Ele me conduz! Sei que ele me conduz! Não sei pra onde Ele me leva, Mas sei que Ele me conduz!"

16 » FAZERSE AMAR Inspirado em Dom Bosco & b2 Gm Am 4 Am A b m A me e se fa ça a mar. Solo: Cristiane & b Gm Am» Am A b m A me e se fa ça a & b Gm Am Am A b m A me e se fa ça a & b Gm Fma (Am Dm)» A me e se fa ça a mar. mar. mar. Ame e se faça amar. Ame e se faça amar.

17 MELHOR PARTE Inspirado em Lucas 10, 3842 L: Pe. Valdecir Ferreia Solo: Marcos & # D G D #2 4 Œ. _ _ En si na es co lher a me lhor par te & # G D G D #.. Œ.. _ es co lher teu a mor que rer tu a vi & # A # D. G Œ. J da es tar sem pre em Ti sus ten ta mi nha & # D A #» G. D li da, sus ten ta mi nha li da. Ensina a escolher A melhor parte Escolher teu amor Querer tua vida Estar sempre em Ti Sustenta minha lida, Sustenta minha lida.

18 & 2 (G4 G) C G/B Am Am/G 4 Œ. _. _. _ Que a cha ma INFLAMA MEU SER Inspirado em São Vicente Pallotti do a mor di vi Solo: Pe. Valdecir e Cristiane F C/E G Gsus & 4 G. _ fla me meu ser por to & C E # Am Am/G. J. _ cha ma do a mor di F C/E G C & _ fla me meu ser por to do o sem pre do o vi sem no pre. no, in Que a in Que a chama do amor divino Inflame meu ser por todo o sempre Que a chama do amor divino Inflame meu ser por todo o sempre.

19 DEUS NOS ACOMPANHA Inspirado nas palavras do Papa Francisco aos ovens Solo: Cristiane & # D Bm Em #2 4. _ Deus nos a com pa nha, E le nun ca, nun ca nos & # A # sus 4 A D. Bm G _ a ban do na Ne le en con trei ver da dei ro # D A # & _. sus 4 A. G D (Asus4 A). { ro va le bem mais, bem mais que o ou ro. Deus nos acompanha Ele nunca, nunca nos abandona Nele encontrei verdadeiro tesouro Vale bem mais, bem mais que o ouro. _ te _ sou

20 MEU SENHOR, MINHA VIDA Inspirado em São Francisco de Assis Solo: Marcos & # # # (Esus4 E) 2 4. _ k_. A A D A _ Tu és o For,te, Tu és o Gran,de, Tu és o Al & # # # 2 4. A.. tís si mo, Tu és o A mor Ra zão de & # # # D D # dim A F # m Bm { _. to do o meu ser: Ó meu Se nhor, meu & # # # E A 1. A. _ 2.. _. { _ tu do, ó mi nha vi da. Ra zão de da. Tu és o Forte, Tu és o Grande, Tu és o Altíssimo, Tu és o Amor /: Razão de todo o meu ser Ó meu Senhor, meu tudo, Ó minha vida. (Bis)

21 ANOITECEU Inspirado em Elisabete da Trindade Solo: Roselene & # Em Am 6 8 Œ. _. _ B... # A noi te ceu! Qual go ta d'á gua num mar i Em & #... _ _. men so que ro me es con der. & # Am B Œ. Em. #.. Na cal ma pro fun da & # Am. _ Em B... sus. Ó. 4 B que meu ser tan to pro cu ra, 2. Em Am da Tu a Ter nu Em 1. { & # _... _.. _. _. cu ra, que meu ser tan to pro cu ra. Am Anoiteceu! Qual gota d'água num mar imenso Quero me esconder Na calma profunda da Tua ternura Que meu ser tanto procura, Que meu ser tanto procura. Em ra

O Sacrifício da Cruz

O Sacrifício da Cruz O Sacrifício da ruz 6 ø 4 4 Intenso q = 61 9. r. r m b sus4 6 Ó. m Œ. r J 1.u ø. r o - lho pa - ra_o céu, bus - M7.. can - do com - preen-der o sa - cri - fí - cio do Sal - va - dor em meu lu - gar ø ø

Leia mais

Vamos Subir Nova Voz

Vamos Subir Nova Voz c c Vamos Subir Nova Voz 2 Letra e Música: Lucas Pimentel Arr: Henoch Thomas 2 5 2 to Eu-pos tem - po te-nho ou vi - do a pro- 2 g g 8 mes - sa de que vi - rás pra res -ga -tar os fi-lhos Teus Nem sem-pre

Leia mais

"Dorme enquanto eu velo"

Dorme enquanto eu velo poesia: Fernando Pessoa q = 60 6 "Dorme enquanto eu velo" para voz e piano legato Dor Patrícia Lopes J - me en. quan - to eu ve - lo Dei - xa me -. - so nhar 11. Na - da'em mim é ri - so - nho. 1. Que

Leia mais

Ainda há Tempo, Volta

Ainda há Tempo, Volta Ainda há empo, Volta Letra e Música: Diogo Marques oprano ontralto Intro Envolvente (q = 60) enor aixo Piano Ó Œ. R.. F m7 2 A b 2 E b.. 2 Ó Œ É 2 Ó Œ F m7 2.. 2 2 A b 2 2 Ainda há empo, Volta Estrofe

Leia mais

Correção da fuvest ª fase - Matemática feita pelo Intergraus

Correção da fuvest ª fase - Matemática feita pelo Intergraus da fuvest 009 ª fase - Matemática 08.0.009 MATEMÁTIA Q.0 Na figura ao lado, a reta r tem equação y x no plano cartesiano Oxy. Além dis so, os pontos 0,,, estão na reta r, sendo 0 = (0,). Os pontos A 0,

Leia mais

Medley Forró 2. œ œ # œ œ œ œ #.

Medley Forró 2. œ œ # œ œ œ œ #. Roteiro e adapta: Edu Morelenbaum e Rold Valle Ú 106 sa Branca 4 2 Luiz Gonzaga # # 6 # # # # # 12 # # # # # # 18 # # # # # 24 0 Quan-do_o - # iei # # de São Jo - ão - - - a # ter - ra_ar - D # Eu per-gun

Leia mais

ENQUANTO EU VIVER. ? b b b b b. œ œ œ. j œ. & b b b b b. œ œ. œ œ œ œ. œ œ. Œ. œ œ œ. . œ. œ. œ. œ œ œ œ r œ. œ. œ. œ. Alysson Melo. alegre. A b.

ENQUANTO EU VIVER. ? b b b b b. œ œ œ. j œ. & b b b b b. œ œ. œ œ œ œ. œ œ. Œ. œ œ œ. . œ. œ. œ. œ œ œ œ r œ. œ. œ. œ. Alysson Melo. alegre. A b. ENQUNTO EU VIVER lysson Melo alegre 6 6 6 Gb Gb Gb Gb 6 Œ Œ Œ Em quan to Œ - eu vi - ver - lou-va-rei - - Teu no me Œ na da me im Œ r r Copyright 200 de Ministério Jovem UCB 2 ENQUNTO EU VIVER 14 14 pe

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

Jesus, o Buscador. Cristo, o Salvador. trechos traduzidos do livro. Jesus the Seeker, Christ the Saviour

Jesus, o Buscador. Cristo, o Salvador. trechos traduzidos do livro. Jesus the Seeker, Christ the Saviour Jesus, o Buscador Cristo, o Salvador trechos traduzidos do livro Jesus the Seeker, Christ the Saviour 2 original e tradução das melodias de Sri Chinmoy com palavras da bíblia original e tradução das melodias

Leia mais

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

No Alto Estás a Brilhar Do Álbum "Erguei-vos e Brilhai" 2006 e 2012 de Jenny Phillips

No Alto Estás a Brilhar Do Álbum Erguei-vos e Brilhai 2006 e 2012 de Jenny Phillips No Alto Estás a Brilhar Do Álbum "Erguei-vos e Brilhai" 2006 e 2012 de Jenny Phillips Para Solo e oro eminino Arranjo de TYLER ASTLETON Letra em português de Paulo R. Toffanelli Letra e música de JENNY

Leia mais

nelson de oliveira ódio sustenido

nelson de oliveira ódio sustenido ódio sustenido sai da chu va, josé! Ah, José, que é que vo cê faz aí parado? Sai da chu va, José! Larga es sa tai nha e cor re pra varanda. Ah, José, a vi da não é só ga nhar ou per der. Você sa be dis

Leia mais

URBANISMO COMERCIAL EM PORTUGAL E A REVITALIZAÇÃO DO CENTRO DAS CIDADES

URBANISMO COMERCIAL EM PORTUGAL E A REVITALIZAÇÃO DO CENTRO DAS CIDADES LEITURAS URBANISMO COMERCIAL EM PORTUGAL E A REVITALIZAÇÃO DO CENTRO DAS CIDADES [Carlos José Lopes Balsas (1999), Gabinete de Estudos e Prospectiva Económica, Ministério da Economia, ISBN: 972-8170-55-6]

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

Quero um Novo Lar پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 0 پ0 0 پ0 3پ0 0 پ0 3 پ0 0

Quero um Novo Lar پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 3 پ0 0 پ0 0 پ0 3پ0 0 پ0 3 پ0 0 1 3 پ0 7 _ پ0 7 _ پ0 7 _ & 4 7 A. ز E 7 1 j j پ0گ7? 4 n #_ n _ L? Mi - nha ca -sa e -ra ve - ha nپ0ٹ0o po - di - a su - por - tar پ0ˆ7. _ eu me 4 پ0 7 پ0 8 & E 7 G 6 /A A _.. nnn_ n پ0ˆ7_ j j j j G j پ0گ7

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Alegre-se o Céu e a Terra

Alegre-se o Céu e a Terra nexo 4 107 Partituras legre-se o Céu e a Terra E m B 7 & # 8 6 B 7 J.. # #.. # J E m - le-gre-seio céu e a te - rra can - te-mos com a -le - gri - a - 1. 6 2. E m B 7 & # #... J J Œ -gri - a que ánas-ceu

Leia mais

FOI DEUS QUEM FEZ VOCÊ

FOI DEUS QUEM FEZ VOCÊ FOI DEUS QUEM FEZ OCÊ AMELINHA Arr Neton W Mcedo Crmo Gregory c c c Deus que fez vo - Deus quem fez vo - Deus quem fez vo- c Deus quem fez vo - J De-us 4 Deus quem fez vo - Deus quem fez vo - J Deus quem

Leia mais

Terço da Misericórdia

Terço da Misericórdia Paróquia Mãe da Divina Misericórdia EQN 214/215, Brasília - D Terço da Misericórdia O Terço da Misericórdia foi ensinado por esus à Santa Irmã austina na seguinte forma: a) invocação; ) 5 mistérios ada

Leia mais

O RESTAURANTE NO FIM DO UNIVERSO

O RESTAURANTE NO FIM DO UNIVERSO O RESTAURANTE NO FIM DO UNIVERSO DOUGLAS ADAMS O RESTAURANTE NO FIM DO UNIVERSO Volume Dois da Série O MOCHILEIRO DAS GALÁXIAS A Jane e James, agradecimentos profundos; a Geoffrey Perkins, por realizar

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades PNV 289 Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades Orides Bernardino São Leopoldo/RS 2012 Centro de Estudos Bíblicos Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal 1051 93121-970

Leia mais

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS João Pedro Cordeiro Resumo O presente artigo versa sobre as práticas de gestão de recursos humanos pelas empresas, e mais especificamente

Leia mais

Fa la de Ben to Ser ras, co bra dor de bi lhe tes, nas ci do e mo ra dor em Amo rins:

Fa la de Ben to Ser ras, co bra dor de bi lhe tes, nas ci do e mo ra dor em Amo rins: Fa la de Ben to Ser ras, co bra dor de bi lhe tes, nas ci do e mo ra dor em Amo rins: «Diz que quer con tar tu do dos prin cí pios? Dos prin cí pios a gen te nun ca sa be. Quan do é o ca so de se lhe pôr

Leia mais

KEITH CAMERON SMITH. As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média

KEITH CAMERON SMITH. As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média KEITH CAMERON SMITH As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média Prefácio Por que es cre vi es te livro? Três mo ti vos me le va ram a es cre ver es te li vro. O pri - meiro foi a

Leia mais

PNV 292. Atos das mulheres. Tea Frigerio. São Leopoldo/RS

PNV 292. Atos das mulheres. Tea Frigerio. São Leopoldo/RS PNV 292 Atos das mulheres Tea Frigerio São Leopoldo/RS 2012 Centro de Estudos Bíblicos Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal 1051 93121-970 São Leopoldo/RS Fone: (51) 3568-2560 Fax:

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

Advento, Natal, Ano-Novo

Advento, Natal, Ano-Novo PNV 288 Advento, Natal, Ano-Novo tradições e lembranças Edmilson Schinelo Isolde Dreher (Orgs.) São Leopoldo/RS 2011 Centro de Estudos Bíblicos Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal

Leia mais

Ho je em dia, to do mun do tem ou gos ta ria de ter um ne gó cio pró prio. A

Ho je em dia, to do mun do tem ou gos ta ria de ter um ne gó cio pró prio. A Os negócios do Zé do Picolé Capítulo 1 Ho je em dia, to do mun do tem ou gos ta ria de ter um ne gó cio pró prio. A fi na li da de deste ca pí tu lo é mos trar a vo cê como se cal cu la o pre ço de ven

Leia mais

Artes. Avaliação Mensal

Artes. Avaliação Mensal Tema: Arte e sociedade Artes Avaliação Mensal Analisar a relação entre a arte e a sociedade. Refletir sobre tal relação. Etapas: 1. Escolha um dos artistas apresentados no livro Arte e sociedade no Bra

Leia mais

1. Dorme, neném. œ» ======================= & 2 G ======================= & «Œ. « mãe. tão ======================= & ˆ« ção.

1. Dorme, neném. œ» ======================= & 2 G ======================= & «Œ. « mãe. tão ======================= & ˆ« ção. »» ======================= & 2 4 _ Dor me, ne 1. Dorme, neném ném, Letr: Pe. José Dis ourt SSP Músic: Ir. Egnd Roch II Soo: Edur Tostto d Mtt ======================= & Que m mãe Dor es _ tá me fe qui.

Leia mais

botika búfalo Bufalo v7.indd 3 17/09/10 17:22

botika búfalo Bufalo v7.indd 3 17/09/10 17:22 botika búfalo Bufalo v7.indd 3 17/09/10 17:22 sumário Introdução... 17 Gua ra ná Porrada... 25 Muletas... 39 Exó ti cas gan gues... 47 Um mons tro e um pinguim... 55 Si ga o cão... 61 Dia de campeão...

Leia mais

PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA

PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA Rosário Mauritti Resumo Este artigo começa por analisar a influência das origens sociais nas trajectórias de

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

Palavra. puxa. menina menina

Palavra. puxa. menina menina menina menina menino menino sapato sapato bota bota uva uva mamã mamã leque leque casa casa janela janela telhado telhado escada escada chave chave galinha galinha gema gema rato rato cenoura cenoura girafa

Leia mais

HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA

HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA HABERMAS E A ESFERA PÚBLICA: RECONSTRUINDO A HISTÓRIA DE UMA IDEIA Filipe Carreira da Silva Resumo Este artigo tem por objectivo discutir a noção de esfera pública proposta por Jürgen Habermas. Para tanto,

Leia mais

Se andas chutando lata todo dia na rua, com a cabeça vazia o coração na luta

Se andas chutando lata todo dia na rua, com a cabeça vazia o coração na luta 01. PROCISSÃO DE ENTRADA: Senhor e Rei - Vida Reluz TOM: G Am G D C D Senhor e Rei, / em minha alma, estás sempre presente eu sei Am G D Am7 C D/F# Por isso eu louvarei/ levantando minhas mãos para te

Leia mais

REFRÃO ORANTE. facebook.com/santuariosaosebastiao

REFRÃO ORANTE.  facebook.com/santuariosaosebastiao REFRÃO ORANTE G Em Am D 7 D/F # G Nos fizeste para vós E o nosso coração inquieto está Em Am D 7 G Enquanto em Ti, ó Senhor, Só em Ti repouso encontrar D 7 G D 7 G D 7 G Repouso encontrar, repouso encontrar

Leia mais

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010 da Unicamp 010 ª fase - Física 1.01.010 UNICAMP 010 - FÍSICA Esta prova aborda fenômenos físicos em situações do cotidiano, em experimentos científicos e em avanços tecnológicos da humanidade. Em algumas

Leia mais

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009 MATEMÁTICA 1. O transporte de carga ao porto de Santos é feito por meio de rodovias, ferrovias e dutovias. A tabela abaixo for ne ce al guns da dos re la ti vos ao trans por te ao por to no pri me i ro

Leia mais

Canção Tema Para o Vigor da Juventude. (Côro) œ œ. œ œ j œ œ j œ œ j œ. œ. œ.

Canção Tema Para o Vigor da Juventude. (Côro) œ œ. œ œ j œ œ j œ œ j œ. œ. œ. 12 Canção Tema Para o Vigor da uventude (Côro) etra de oy Saunders undberg Música de anice Kapp Perry Resoluto. 46 (em dos) Dm7/F Fm Ca9/G C/G Dm7 & 6 8. b.... F? 6 8.......... &. G7S G7 Ca9 F/C G/B Ca9

Leia mais

ABRI AS PORTAS A CRISTO (Hino ao Beato João Paulo II)

ABRI AS PORTAS A CRISTO (Hino ao Beato João Paulo II) Órg. 6 11 q = 60 me mf ortas a ris to! Não te mais, não te nhais do: 'scanca rai o vosso cora ção ao mor de Deus. RI POR RIO (Hino ao eato João Paulo II) ortas a ris to! Não te mais não te nhais me do;

Leia mais

EM NOME DO PAI ====================== j ˆ«. ˆ««=======================

EM NOME DO PAI ====================== j ˆ«. ˆ««======================= œ» EM NOME O PI Trnscçã Isbel rc Ver Snts Pe. Jãzinh Bm & # #6 8 j. j... Œ. ll { l l l l n me d Pi e d Fi lh ed_es & #. 2. #. _. _ j.. Œ. Œ l l l j {.. l. pí t Sn t_ mém Sn t_ mém LÓRI O PI Trnscçã Isbel

Leia mais

Preciso De Ti DIANTE DO TRONO

Preciso De Ti DIANTE DO TRONO Preciso e Ti IANT O TRONO Arranjo or: Marcelo Minal marcelominal@yahoo.com.br Última revisão 26022013 Sorano Andante /F# A /F# A m m Alto Pá á á á Pá á á (C.) m m Pá á á á Pá á á (C.) Tenor m m Pá á á

Leia mais

José Maurício Nunes Garcia ( )

José Maurício Nunes Garcia ( ) José Maurício Nunes Garcia (1767-1830) ântico de Zacarias PM 0 Edição: Antonio amos coro, órgão (choir, organ) 12. Antonio amos licenciado ara Musica Brasilis, Rio de Janeiro, 2017 ântico de Zacarias Benedictus

Leia mais

Correção da Unicamp ª fase - Matemática feita pelo Intergraus

Correção da Unicamp ª fase - Matemática feita pelo Intergraus da Unicamp 010 ª fase - Matemática 13.01.010 UNIAMP 010 - MATEMÁTIA 1. Uma confeitaria produz dois tipos de bo los de fes ta. ada quilograma do bolo do tipo A consome 0, kg de açúcar e 0, kg de farinha.

Leia mais

Av. Tor res de Oli vei ra, 255 Ja gua ré - São Pau lo - SP (11) Rua Pa dre Car va lho, 730 (11) Pi nhei ros - São Pau lo - SP

Av. Tor res de Oli vei ra, 255 Ja gua ré - São Pau lo - SP (11) Rua Pa dre Car va lho, 730 (11) Pi nhei ros - São Pau lo - SP Serigrafados Bisotados Temperados Laminados Av. Tor res de Oli vei ra, 255 Ja gua ré - São Pau lo - SP (11) 2827-2100 Rua Pa dre Car va lho, 348 Pi nhei ros - São Pau lo - SP (11) 2142-8588 Rua Pa dre

Leia mais

"Cantigas Populares"

Cantigas Populares "Cantigas Poulares" Medley com Canções Poulares ara Banda com Coro ocional Arranjo de Margarida Louro Esta é uma cóia autorizada ara a Banda de Caldas da Rainha 016 - Lusitanus Edições - Portugal - www.lusitanusedicoes.net

Leia mais

IMPLICAÇÕES DEMOCRÁTICAS DAS ASSOCIAÇÕES VOLUNTÁRIAS O caso português numa perspectiva comparativa europeia

IMPLICAÇÕES DEMOCRÁTICAS DAS ASSOCIAÇÕES VOLUNTÁRIAS O caso português numa perspectiva comparativa europeia IMPLICAÇÕES DEMOCRÁTICAS DAS ASSOCIAÇÕES VOLUNTÁRIAS O caso português numa perspectiva comparativa europeia José Manuel Leite Viegas Introdução Na úl ti ma dé ca da do sé cu lo pas sa do as sis tiu-se

Leia mais

A Gonçalves no México I N F O R M A

A Gonçalves no México I N F O R M A I N F O R M A Novembro de 2007 Depois de atuar por quase três anos no México com um escritório comercial, a Gonçalves investe em uma unidade industrial no país, que entrará em operação no início de 2008.

Leia mais

ORAÇÃO DA NOITE. œ œ œ œ. œ œ. œ œ œ. œ. œ œ. œ J J œ œ œ œ. œ œ Amin f

ORAÇÃO DA NOITE. œ œ œ œ. œ œ. œ œ œ. œ. œ œ. œ J J œ œ œ œ. œ œ Amin f oema de EMILIANO ERNETA C Grave q = C Ami ri - B Gmi ORAÇÃO DA NOITE Resosório ara coro misto e Sorao solista a, vem re - C Ami Ma - ri - a, Ami B Gmi J J j j J J ri a, vem re - ri - a, vem - re - B G

Leia mais

REFRÃO ORANTE TU ÉS FONTE DE VIDA

REFRÃO ORANTE TU ÉS FONTE DE VIDA REFRÃO ORANTE TU ÉS FONTE DE VIDA CANTO DE ENTRADA SENHOR EIS AQUI O TEU POVO CANTO DE ENTRADA SENHOR EIS AQUI O TEU POVO Em D Em G C B 7 Senhor, eis aqui o teu povo/ Que vem implorar teu perdão/ Am B

Leia mais

Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13. O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20

Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13. O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20 Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13 O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20 To dos so mos igua is, ape nas te - mos di fi cul da des di fe ren tes. Le o nar do

Leia mais

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR O Sonho de Renato O Sonho de Renato a e i o u A E I O U so nho de Re na to Eu sou Renato Valadares Batista. Tenho 14 anos. Sou filho de Pedro Batista e Luzia Valadares.

Leia mais

UNICAMP 2012 (2ª Fase)

UNICAMP 2012 (2ª Fase) 1. Re so lu ção (se rá con si de ra do ape nas o que es ti ver den tro des te es pa ço). a)...in te res se do pú bli co (L1): Tra ta-se de um subs tan ti vo pos to que de ter mi na do pe lo ar ti go o,

Leia mais

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 Comentário da Redação Nes te ano, a pro va de Re da ção da Uni camp foi ex ce len te. Em pri me i ro lu gar, pelo res pe i to ao for ma to tra di ci o nal

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Matemática Aplicada FGV 2010/

Resolução feita pelo Intergraus! Matemática Aplicada FGV 2010/ FGV MATEMÁTICA APLICADA DEZEMBRO/2009 01. Uma pes qui sa fe i ta em 46 pa í ses e pu bli ca da pela re vis ta The Eco no mist mos tra que, se trans for ma mos a mo e da de cada país para dó lar e cal cu

Leia mais

LEI Nº 5.869, DE 11 DE JANEIRO DE 1973. Insti tui o Código de Processo Ci vil.

LEI Nº 5.869, DE 11 DE JANEIRO DE 1973. Insti tui o Código de Processo Ci vil. Outubro de 2003 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Sexta-feira 31 34351 ares, me diante a exibição de ofí cio ou mandado em forma regular. 1º So men te se ex pe di rá pre ca tó ria, quando, por essa for ma, for

Leia mais

Introdução geral ao estudo da Bíblia

Introdução geral ao estudo da Bíblia Curso Popular de Bíblia Introdução geral ao estudo da Bíblia VOLUME 1 Tea Frigerio / CEBI-PA 2005 Centro de Estudos Bíblicos 2005 Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal 1051 93121-970

Leia mais

COMUNIDADE DA VILA IGREJA PRESBITERIANA. Som da Vila. Cifras e Fichas Técnicas

COMUNIDADE DA VILA IGREJA PRESBITERIANA. Som da Vila. Cifras e Fichas Técnicas COMUNIDADE DA VILA IGREJA PRESBITERIANA Som da Vila Cifras e Fichas Técnicas Músicas 1. Nosso Louvor... 3 2. És... 4 3. Toda Honra, Glória e Louvor... 5 4. Agora e Sempre... 6 5. Àquele que pode... 7 6.

Leia mais

Paz Real 4 4 Intr.: Gsus9 G A/G Gsus9 Gsus9(6) G7M Dsus9 %

Paz Real 4 4 Intr.: Gsus9 G A/G Gsus9 Gsus9(6) G7M Dsus9 % Paz Real Intr.: Gsus9 G A/G Gsus9 Gsus9(6) G7M Dsus9 % D A/D G/D D A/D G/D O mundo precisa de paz, paz real que é Jesus Em7(11) F#m7(11) Gsus9 % Novo amor, nova fé, que arranque do peito Asus A alegria

Leia mais

========================

======================== œ Um uz n montnh Miss Quresm crinçs (d "Liturgi 1" Puus) 1) Há um uz á n estrd (bertur) t nh, B b B b Letr e músic: Mri Srnberg & bc m _ Há u m uz á n es tr d, u m uz á n mon & b u m uz no mr: É sus que_i

Leia mais

a minha FÉ NACIONAL DOS ACÓLITOS PEREGRINAÇÃO 1 Maio 2013 PARA A ASSEMBLEIA CÂNTICOS /snacolitos + INFO INFO:

a minha FÉ NACIONAL DOS ACÓLITOS PEREGRINAÇÃO 1 Maio 2013 PARA A ASSEMBLEIA CÂNTICOS /snacolitos + INFO INFO: EU sei em quem pus a minha FÉ Tm 1, 1 PEREGRINAÇÃO NACIONAL DOS ACÓLITOS 1 Maio 01 CÂNTICOS PARA A ASSEMBLEIA /snacolitos + INFO INFO: www.acolitos.liturgia.pt 0 Introdução A equipa do Serviço Nacional

Leia mais

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário Capítulo 10 Controle Orçamentário Essa etapa acon te ce após a exe cu ção das tran sa ções dos even tos eco nô mi cos pre vis - tos no plano orça men tá rio. Não se con ce be um plano orça men tá rio sem

Leia mais

VOU DEITAR E ROLAR (A)- BADEN POWEL E PAULO CESAR PINHEIRO 1 Não venha querer se consolar F#7 Bm7 E7 A6 E7 Que ago ra não dá mais pé Nem nunca mais vai dar Também, quem man dou se levantar F#7 Bm7 E7 Em7

Leia mais

CIFRAS - SOLENIDADE DE NOSSO PAI SANTO AGOSTINHO 28/AGOSTO/2016

CIFRAS - SOLENIDADE DE NOSSO PAI SANTO AGOSTINHO 28/AGOSTO/2016 CIFRAS - SOLENIDADE DE NOSSO PAI SANTO AGOSTINHO 28/AGOSTO/2016 01 CANTO INICIAL - Cd Missa Agostiniana E G#m A B7 C#m B7 Coração inquieto que buscas a paz/ ateando na obscuridade. E F# A B7 C#m Queres

Leia mais

SÊNECA Sobre os enganos do mundo

SÊNECA Sobre os enganos do mundo coleção idealizada e coordenada por Gustavo Piqueira SÊNECA Sobre os enganos do mundo fotos Olegario Schmitt 3 são paulo 2011 Quem se la men ta de que al guém te nha mor ri do se la men ta de ter nas

Leia mais

Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas

Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas Informativo mensal da unidade Contagem da PUC Minas nº 78 Agosto de 2008 Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas Com três li nhas de pro du tos bá si ca, es cri tó rio e es por ti va, a

Leia mais

Regonguz. q=95. Guitarra/citara. Acordeom. Guitarra/citara. Acordeom. Guitarra/citara. Acordeom. Guitarra/citara. Acordeom. Guitarra/citara.

Regonguz. q=95. Guitarra/citara. Acordeom. Guitarra/citara. Acordeom. Guitarra/citara. Acordeom. Guitarra/citara. Acordeom. Guitarra/citara. Guitarra/citara q=95 Regonguz Thiago Amud Guitarra/citara 10 Guitarra/citara 16 Guitarra/citara 22 Guitarra/citara 28 m p gliss. 2 35 Guitarra/citara mp m 4 38 BOI Guitarra/citara 4 4 Voz 40 Re gon guz

Leia mais

Tradução Teresa Bulhões Carvalho da Fonseca

Tradução Teresa Bulhões Carvalho da Fonseca MILAN KUNDERA A IDENTIDADE Tradução Teresa Bulhões Carvalho da Fonseca Copyright 1997 by Milan Kundera Proibida toda e qualquer adaptação da obra Grafia atualizada segundo o Acordo Ortográfico da Língua

Leia mais

IMIGRAÇÃO E IMIGRANTES EM PORTUGAL Parâmetros de regulação e cenários de exclusão

IMIGRAÇÃO E IMIGRANTES EM PORTUGAL Parâmetros de regulação e cenários de exclusão REGISTO IMIGRAÇÃO E IMIGRANTES EM PORTUGAL Parâmetros de regulação e cenários de exclusão Fernando Luís Machado Introdução As ques tões so ci a is, cul tu ra is e po lí ti cas que a imi gra ção la bo

Leia mais

Índice alfabético. página: 565 a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z. procura índice imprimir última página vista anterior seguinte

Índice alfabético. página: 565 a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z. procura índice imprimir última página vista anterior seguinte Í é á: 565 á é í ú á í é á: 566 A A é, 376 A, 378 379 A á, 146 147 A, 309 310 A á, 305 A ( ), 311 A, 305 308 A á B, 470 A á, 384 385 A,, ç Bç, 338 340 A é, 337 Aé, 333 A, 410 419 A K, 466 A, 123 A, 32

Leia mais

CANTOS. 01- Virgem de Nazaré Original. Tom: Tom original Ab (Sugestão abaixo: G com braçadeira na 1ª casa) Intro: C C# Bm E7 A C D

CANTOS. 01- Virgem de Nazaré Original. Tom: Tom original Ab (Sugestão abaixo: G com braçadeira na 1ª casa) Intro: C C# Bm E7 A C D CANTOS 01- Virgem de Nazaré Original Tom: Tom original Ab (Sugestão abaixo: G com braçadeira na 1ª casa) Intro: C C# Bm E7 A C D G D Virgem de Nazaré, Mãe da Concórdia/ Am D Am D G D Derrama sobre nós,

Leia mais

Enquanto existe Carnaval

Enquanto existe Carnaval q=12 Saxoone Alto Saxoone Tenor Enquanto existe Carnaval gravar alguns trechos com sax soprano m m m Thiago Amud Saxoone Alto Saxoone Tenor 5 m m p m m p m m p p 2 Saxoone Alto Saxoone Tenor Saxoone Alto

Leia mais

CÂNTICOS. NACIONAL 1 Maio 2013 PEREGRINAÇÃO PARA A ASSEMBLEIA. /snacolitos + INFO. a minha FÉ. + I NFO: :

CÂNTICOS. NACIONAL 1 Maio 2013 PEREGRINAÇÃO PARA A ASSEMBLEIA. /snacolitos + INFO. a minha FÉ. + I NFO: : ANO DA FÉ 01 01 Abril 01 EU sei em quem pus a minha FÉ Tm 1, 1 PEREGRINAÇÃO NACIONAL DOS ACÓLITOS CÓLITOS 1 Maio 01 CÂNTICOS PARA A ASSEMBLEIA /snacolitos + INFO + I NFO: : www.acolitos.liturgia.pt 0 011

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro João Ferrão Resumo As visões recentes sobre o mundo rural revelam grande permeabilidade à ideia de património

Leia mais

15º Domingo do Tempo Comum 16º Domingo do Tempo Comum 17º Domingo do Tempo Comum 18º Domingo do Tempo Comum

15º Domingo do Tempo Comum 16º Domingo do Tempo Comum 17º Domingo do Tempo Comum 18º Domingo do Tempo Comum CIFRAS DO FOLHETO 1 SANTUÁRIO DIOCESANO DE SÃO SEBASTIÃO 15º Domingo do Tempo Comum 16º Domingo do Tempo Comum 17º Domingo do Tempo Comum 18º Domingo do Tempo Comum 10 DE JULHO DE 2016 17 DE JULHO DE 2016

Leia mais

DESCARACTERIZAÇÃO DO CONTRATO BANCÁRIO ARRENDAMENTO MERCANTIL QUANDO COBRADO ANTECIPADAMENTE O VRG (VALOR RESIDUAL GARANTIDO)

DESCARACTERIZAÇÃO DO CONTRATO BANCÁRIO ARRENDAMENTO MERCANTIL QUANDO COBRADO ANTECIPADAMENTE O VRG (VALOR RESIDUAL GARANTIDO) DESCARACTERIZAÇÃO DO CONTRATO BANCÁRIO ARRENDAMENTO MERCANTIL QUANDO COBRADO ANTECIPADAMENTE O VRG (VALOR RESIDUAL GARANTIDO) Paulo Afonso Sandri * Con vém sa li en tar, em prin cí pio, a di fe ren ça

Leia mais

A Rocha. Tom: A# (intro 2x) Gm A# D# A# D#

A Rocha. Tom: A# (intro 2x) Gm A# D# A# D# Rocha Tom: # (intro 2x) m # D# # D# Vem, Vem me salvar m/d / Me ajudar a caminhar te espero # D# Vem, Vem me livrar m/d / D# #/D# D# (intro) Me amparar com teu amor te espero (parte 2) # D# Vem, Vem me

Leia mais

mas, en quan to ob jec tos ma te riais da lin gua gem, foi de ta lha da men te ana li za da; o fac to de as pa la vras al fa e be ta pos suí rem le

mas, en quan to ob jec tos ma te riais da lin gua gem, foi de ta lha da men te ana li za da; o fac to de as pa la vras al fa e be ta pos suí rem le A Subjectivação da Linguagem Para comunicarem entre si, os homens edificaram, pouco a pouco, no decurso dos séculos, uma massa de sonoridades que constituem a linguagem. Michel Sages As for mas es cri

Leia mais

CONHECIMENTOS TRADICIONAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL

CONHECIMENTOS TRADICIONAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL CONHECIMENTOS TRADICIONAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL Miguel Correia Pinto e Manuel Mira Godinho Resumo Com os avanços nos domínios da biotecnologia registados nas décadas mais recentes, os conhecimentos

Leia mais

Si Mesmo. Logosófica. Carlos Bernardo González Pecotche. Editora RAUMSOL

Si Mesmo. Logosófica. Carlos Bernardo González Pecotche. Editora RAUMSOL Carlos Bernardo González Pecotche RAUMSOL A Herança de Si Mesmo Editora Logosófica A HerAnçA de Si Mesmo Ao publicar o presente tra balho, o autor levou em conta a repercussão que ele pode alcançar no

Leia mais

Vou Cumprir o Plano de Deus

Vou Cumprir o Plano de Deus Vou Cumprir o Plano de Deus ß Í & b Alegremente q = 9 08? b F G7 Bfm j P. j. j J j n C7 F G7 & b ( n )? b Œ j b. j. j E xis te ra zão em nos so vi ver; E n C7 F Cm F7 & b j j. j b xis te um pla no que

Leia mais

A Escolhida (509) D F#7 Bm7 F#7 Uma entre todas foi a escolhida: foste tu Maria, serva preferida. G Gm F#m Bm E7/9 A7 A5+

A Escolhida (509) D F#7 Bm7 F#7 Uma entre todas foi a escolhida: foste tu Maria, serva preferida. G Gm F#m Bm E7/9 A7 A5+ Page 8 of 229 Autoria: D. R. A Escolhida (509) D F#7 Bm7 F#7 Uma entre todas foi a escolhida: foste tu Maria, serva preferida. G Gm F#m Bm E7/9 A7 A5+ Mãe do meu Senhor, Mãe do meu Salvador. D Bm G A7

Leia mais

CD TEMPO DE VIVER. E F#m A Bsus 4 Teu sorriso tem algo a me dizer E F#m 7 A A/C# Bsus 4 Só o amor me dirá por quê

CD TEMPO DE VIVER. E F#m A Bsus 4 Teu sorriso tem algo a me dizer E F#m 7 A A/C# Bsus 4 Só o amor me dirá por quê CD TEMPO DE VIVER Tempo de viver Nicodemos Costa, Leonardo Biondo, Cristiano Pinheiro Intro: E F#m A A/C# Bsus 4 E F#m D (omit3) (add2) A/C# E F#m A A/C# Bsus 4 E F#m G#m 7 A (omit3) (add2) E F#m A Bsus

Leia mais

CD MANIFESTAÇÃO DOS FILHOS DE DEUS VOL. I - 1. EU SOU LIVRE

CD MANIFESTAÇÃO DOS FILHOS DE DEUS VOL. I - 1. EU SOU LIVRE CD MANIFESTAÇÃO DOS FILHOS DE DEUS VOL. I - 1. EU SOU LIVRE A E Bm7 EU CONHECI UMA PESSOA TÃO ESPECIAL A E Bm7 D ELE MUDOU A MINHA VIDA DE FORMA SOBRENATURAL A E Bm7 EU CONHECI UMA PESSOA TÃO ESPECIAL

Leia mais

Bem-vindos! Mora. 1 Complete o diálogo abaixo. a Boa noite. Como é o seu nome? c Oi, Edu. é o Pedro e é a Milene. Oi. d

Bem-vindos! Mora. 1 Complete o diálogo abaixo. a Boa noite. Como é o seu nome? c Oi, Edu. é o Pedro e é a Milene. Oi. d Primeiros Contatos A Bem-vindos! 1 Complete o diálogo abaixo. sou (2x) meu nome a Boa noite. Como é o seu nome? Boa noite. O é Joana. b Boa tarde. Eu a Bete. Eu o Tiago. Boa tarde. 2 Como cumprimentar-se

Leia mais

CANTOS. 01- Virgem de Nazaré Original. Tom: Tom original Ab (Sugestão abaixo: G com braçadeira na 1ª casa) Intro: C C# Bm E7 A C D

CANTOS. 01- Virgem de Nazaré Original. Tom: Tom original Ab (Sugestão abaixo: G com braçadeira na 1ª casa) Intro: C C# Bm E7 A C D CANTOS 01- Virgem de Nazaré Original Tom: Tom original Ab (Sugestão abaixo: G com braçadeira na 1ª casa) Intro: C C# Bm E7 A C D G D Virgem de Nazaré, Mãe da Concórdia/ Am D Am D G D Derrama sobre nós,

Leia mais

REGULAÇÃO POLÍTICA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

REGULAÇÃO POLÍTICA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAÇÃO POLÍTICA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL José Nuno Lacerda Fonseca Resumo Analisando vários indícios da existência de efeitos anti-sociais da actividade dos meios de comunicação social, reflecte-se

Leia mais

UM MODELO DE ANÁLISE DA DRAMATIZAÇÃO NA IMPRENSA ESCRITA

UM MODELO DE ANÁLISE DA DRAMATIZAÇÃO NA IMPRENSA ESCRITA UM MODELO DE ANÁLISE DA DRAMATIZAÇÃO NA IMPRENSA ESCRITA Pedro Diniz de Sousa Resumo Parte-se de uma definição do conceito de dramatização e da identificação das funções que o discurso dramático pode desempenhar

Leia mais

Art. 243. Vender, fornecer ain da que gratuita -

Art. 243. Vender, fornecer ain da que gratuita - Agosto de 2003 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Qu in ta-fe i ra 7 22447 LEGISLAÇÃO CITADA ANEXADA PELA SECRETARIA-GERAL DA MESA LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990 Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente

Leia mais

Bem-vindo! Depois de percorrer

Bem-vindo! Depois de percorrer B-! D çã O ê B, ê ê á! A, í ó, á,,,, ç. P é, á ê á. N ó á, ê á çã. D-! Tâ T ê. V ó ê. Há? - >>> >>> >>> >>> - >>> ìì - >>> >>> >>> 2 3 + TRÂNSTO DE PALAVRAS Há á õ ê. V. FRASES CÉLEBRES A ã í? Fç ê. O

Leia mais

œ»»»»»»»»»» œ» ME CHAMASTE PARA CAMINHAR - Nº 1114 página 1/2 Recohido por Frei Victor O. Krüger Júnior UM CANTO NOVO - vo. II SONO-VISO - VOZES ======================= & # G Am 6 8 ˆ ˆ œ œ œ œ œ œ»» ˆ

Leia mais

REFRÃO ORANTE LUZ QUE ILUMINA

REFRÃO ORANTE LUZ QUE ILUMINA REFRÃO ORANTE LUZ QUE ILUMINA D Bm G A 7 1. Luz que ilumina os caminhos do amor D Bm G A7 Luz que nos revela a mensagem do Senhor. G A 7 D Bm G A 7 G Luz és Tu, Jesus. Luz és Tu, Senhor. D Bm G A 7 2.

Leia mais

FORMAÇÃO, TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO DA SOCIOLOGIA EM PORTUGAL José Madureira Pinto

FORMAÇÃO, TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO DA SOCIOLOGIA EM PORTUGAL José Madureira Pinto FORMAÇÃO, TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO DA SOCIOLOGIA EM PORTUGAL José Madureira Pinto Primórdios Afir mar que a so ci o lo gia por tu gue sa só co me çou ver da de i ra men te

Leia mais

A G D/F# O meu Deus é o meu escudo, é minha força e proteção G A G D Não temerei, não temere...i. (2x)

A G D/F# O meu Deus é o meu escudo, é minha força e proteção G A G D Não temerei, não temere...i. (2x) EM QUEM COLOQUEI MINHA FÉ Leonardo Biondo Intro: E % % % A % G D A % G D A G A G Eu sei que o tempo, que o pensamento G4 G Podem gerar em mim o medo, D A (notas da convenção: G A A B D E G A) Mas sei em

Leia mais

O QUE É FONOLOGIA? Fonologia é o ramo da Linguística que estuda o sistema sonoro de um idioma. Cuida de aspectos relacionados a:

O QUE É FONOLOGIA? Fonologia é o ramo da Linguística que estuda o sistema sonoro de um idioma. Cuida de aspectos relacionados a: FONOLOGIA / ACENTUAÇÃO GRÁFICA O QUE É FONOLOGIA? Fonologia é o ramo da Linguística que estuda o sistema sonoro de um idioma. Cuida de aspectos relacionados a: encontros vocálicos encontros consonantais

Leia mais

Boa Pro va! INSTRUÇÕES

Boa Pro va! INSTRUÇÕES INSTRUÇÕES Escreva um texto argumentativo. Seu texto deve apresentar introdução, desenvolvimento e conclusão. Cer ti fi que-se de ha ver es co lhi do um dos te mas pro pos tos e dê um tí tu lo a seu tex

Leia mais

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 24.10.10

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 24.10.10 VESTIBULAR FGV 2011 OUTUBRO/2010 RESOLUÇÃO DAS 10 QUESTÕES DE MATEMÁTICA APLICADA QUESTÃO 1 O gráfico no plano cartesiano expressa a alta dos preços médios de televisores de tela plana e alta definição,

Leia mais