OBJETIVO º ANO E.M. MÓDULO 19 INDUSTRIALIZAÇÃO DA AMÉRICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OBJETIVO º ANO E.M. MÓDULO 19 INDUSTRIALIZAÇÃO DA AMÉRICA"

Transcrição

1 OBJETIVO º ANO E.M. MÓDULO 19 INDUSTRIALIZAÇÃO DA AMÉRICA

2 INTRODUÇÃO Palco da Segunda Revolução Industrial EUA; Petróleo como a principal fonte de energia; Fordismo; EUA: ocupam o segundo lugar no cenário industrial no mundo (China em 1º), seguido pelo Japão e Alemanha.

3 CAPITALISMO CENTRAL PAÍSES RICOS (EUA/CANADÁ). CAPITALISMO PERIFÉRICO AMÉRICA LATINA (países em desvantagem com o capitalismo central).

4 EUA DESTAQUE: AUTOMAÇÃO Elevada produtividade e o constante avanço tecnológico.

5 DIVERSIFICAÇÃO INDUSTRIAL

6

7 PRODUTO INTERNO BRUTO AGRÁRIO: 1% INDÚSTRIA: 20% COMÉRCIO: 79%

8 REGIÃO NORDESTE

9

10 DESCOBERTAS NO CENTRO-OESTE, SUL E SUDESTE.

11

12

13 ESTRATÉGIA ECONÔMICA

14 CANADÁ A industrialização do CANADÁ é favorecida pela existência em seu território de grandes recursos naturais, como o petróleo e gás natural, a imensa floresta fornecedora de matéria-prima para produção de papel.

15 PRODUTO NACIONAL BRUTO PRIMÁRIO SECUNDÁRIO TERCIÁRIO

16 Vista de Toronto, um dos centros industriais.

17 CANADIENSE BOMBARDIER

18 REPSOL - TERMINAL DE GÁS NATURAL

19 CRISE ECONÔMICA DE Início nos EUA. - Similar à crise de Para alcançar o sonho americano, o CIDADÃO ESTADUNIDENSE tem que possuir uma casa de 2 andares. - Especulação imobiliária.

20 INDUSTRIALIZAÇÃO Têm esse nome, pois a maioria dos países foram colonizados por espanhóis e portugueses, que tem como base o latim.

21 APRESENTA UM DESENVOLVIMENTO MUITO DESIGUAL PAÍSES COM MAIOR DINAMISMO ECONÔMICO, apresentando maior nível de industrialização e grande diversificação da atividade, como: Brasil, México e Argentina. PAÍSES NUMA POSIÇÃO INTERMEDIÁRIA quanto a industrialização, mas com características MONOEXPORTADORAS (agrícola ou mineral): Chile, Venezuela, Peru e Colômbia. PAISES DE ECONOMIA PREDOMINANTEMENTE AGRÁRIA OU MINERAL, com fraco desempenho no setor industrial. Abrange a quase totalidade dos países da América Central, além da Bolívia, Região das Guianas e Paraguai.

22 MÉXICO O parque industrial se formou ao norte do país, fronteira com os EUA. Essas indústrias são empresas multinacionais e sua produção está voltada para os EUA. São chamadas de INDÚSTRIAS MAQUILADORAS. Sinopse: CIDADE DO SILÊNCIO Graças ao Tratado de Livre Comércio empresas do mundo inteiro montaram fábricas no México, na fronteira com os Estados Unidos. Com mão-de-obra barata e isenção de impostos, estas companhias fabricam produtos a baixo custo, que são vendidos nos Estados Unidos. Nas mais de mil fábricas de Juarez um televisor é fabricado a cada três segundos e um computador a cada sete. As fábricas contratam mulheres, que aceitam salários menores e reclamam menos dos expedientes longos e condições ruins de trabalho. Muitas fábricas operam 24 horas por dia. Muitas mulheres são atacadas a caminho do trabalho ou de casa, tarde da noite ou no início das manhãs. As companhias não garantem a segurança dos funcionários e várias mulheres foram mortas em Juarez.

23 INDÚSTRIA MAQUILADORA

24 ARGENTINA É o país platino que apresenta o maior e mais diversificado parque industrial. A principal região industrial é o PAMPA, com diversos segmentos: siderurgia, naval, mecânica, têxtil, alimentícia. URUGUAI O desenvolvimento industrial é de menor importância, pelo fato de o país possuir escassos recursos minerais, com mercado consumidor reduzido (ÁREA TERRITORIAL X POPULAÇÃO ABSOLUTA). VENEZUELA É forte na indústria petroquímica. CHILE Está entrando numa fase de maior evolução industrial, nos segmentos da siderurgia, mecânica e refinarias (petróleo). São tradicionais as indústrias vinícola, alimentos, azeite e pescado.

25 COLÔMBIA e PERU Colocam-se numa posição secundária em relação à Venezuela e ao Chile, mas têm procurado desenvolver a atividade industrial nos últimos anos (têxtil, química, mecânica). AMÉRICA CENTRAL De forma geral, uma atividade industrial modesta, sobretudo as indústrias de bens de consumo não duráveis na porção ístmica (continental). CUBA É o país mais industrializado da região, com produção determinada pela planificação estatal. Seu maior mercado é a produção do açúcar, charutos e as indústrias de alimentos e têxtil. PEQUENAS ANTILHAS Destacam-se o refino do petróleo e as indústrias montadoras de eletrônicos.

26 AMÉRICA CENTRAL GUIANAS

27 DESENVOLVIMENTO E INTEGRAÇÃO NA AMÉRICA LATINA CAPITALISMO PERIFÉRICO AMÉRICA LATINA (países em desvantagem com o capitalismo central).

28 BLOCOS ECONÔMICOS Os blocos econômicos, por exemplo, são formados para reduzir e/ou eliminar as tarifas alfandegárias, intensificando, assim, a importação e exportação de produtos.

29

30 MERCOSUL

31 NAFTA

32

33 COMUNIDADE ANDINA Os países integrantes da Comunidade Andina são Bolívia, Colômbia, Equador e Peru.

34 ALCA ÁREA DE LIVRE COMÉRCIO DAS AMÉRICAS Iniciativa dos EUA, propõe a formação de uma área de livre comércio em todo o continente americano, com exceção a Cuba (Socialista).

35 EXERCÍCIOS PROPOSTOS 1- a) V - b) V - c) V - d) V - e) V. 2- B O petróleo dos EUA foi um importante elemento propulsor da economia do país, gerando também enormes riquezas na forma de grande corporações de produção e distribuição de derivados. 3- A 4- E 5- B 6- B 7- E 8- B 9- D

Crescimento demográfico da América Anglo-Saxônica e da América Latina

Crescimento demográfico da América Anglo-Saxônica e da América Latina Respostas das sugestões de avaliação Unidade 4 1. a) A população americana se distribui de maneira irregular pelo seu território; ou seja, algumas regiões são mais povoadas que outras. b) Essa distribuição

Leia mais

América. Divisões: 35 países e 18 dependências. População total: habitantes.

América. Divisões: 35 países e 18 dependências. População total: habitantes. América Divisões: 35 países e 18 dependências. Área total: 42.189.120 km². População total: 902.892.047 habitantes. Densidade: 21 hab./km². Idiomas principais: espanhol, inglês, português, francês, holandês,

Leia mais

AMÉRICA ANDINA e PLATINA

AMÉRICA ANDINA e PLATINA OBJETIVO 2016 1º ANO E.M. MÓDULO 24 AMÉRICA ANDINA e PLATINA Geograficamente, o fator mais significativo dessa região em termos de quadro natural é a CORDILHEIRA DOS ANDES. AMÉRICA ANDINA Ocorrem as maiores

Leia mais

CAPÍTULO 3 BRASIL E MERCOSUL PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ CAVALCANTE

CAPÍTULO 3 BRASIL E MERCOSUL PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ CAVALCANTE CAPÍTULO 3 BRASIL E MERCOSUL PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ CAVALCANTE ORIGEM DO MERCOSUL P. 30 e 31 Os blocos econômicos promovem uma maior integração econômica, social e cultural entre as

Leia mais

Módulo 19 frente 03 Livro 3 página 132. Continente Americano. Aspectos Gerais

Módulo 19 frente 03 Livro 3 página 132. Continente Americano. Aspectos Gerais Continente Americano Aspectos Gerais Módulo 19 frente 03 Livro 3 páginas 131 a 132 As diferenças culturais e linguísticas dos povos que colonizaram a América deram origem à divisão do continente americano

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sede Nacional - SP

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sede Nacional - SP ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Sede Nacional - SP Fundação: 1937 - origem em um sindicato têxtil; Possui 1.200 empresas associadas e representa 4,5 mil empresas; Sede nacional

Leia mais

Para quê classificar?

Para quê classificar? Para quê classificar? Em geografia, a classificação que utilizamos é a regionalização, ou seja, a classificação dos países de acordo com alguma característica em comum. Regionalizamos para estudar em os

Leia mais

Para quê classificar?

Para quê classificar? Para quê classificar? Em Geografia, a classificação que utilizamos é a regionalização, ou seja, a classificação dos países de acordo com alguma característica em comum. Regionalizamos para estudar os lugares

Leia mais

GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE

GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE GEOGRAFIA 9 ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade II Comunicação e tecnologia. 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 7.2 Conteúdos A presença da economia

Leia mais

Aulas 05 e 06: Estrutura fundiária brasileira e industrialização. Não espere por uma crise para descobrir o que é importante em sua vida (Platão)

Aulas 05 e 06: Estrutura fundiária brasileira e industrialização. Não espere por uma crise para descobrir o que é importante em sua vida (Platão) Aulas 05 e 06: Estrutura fundiária brasileira e industrialização. Não espere por uma crise para descobrir o que é importante em sua vida (Platão) O comércio mundial de alimentos. Commodity: valor que um

Leia mais

- Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões),

- Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões), Janeiro / 2015 Resultados de Janeiro de 2015 - Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões), redução de 10,4%, pela média diária; - Importação:

Leia mais

GEOGRAFIA GERAL PROFESSOR JHONNY

GEOGRAFIA GERAL PROFESSOR JHONNY GEOGRAFIA GERAL PROFESSOR JHONNY AULA 6: EUA DADOS Área: 9.372.614 km² Capital: Washington D.C População: 320 milhões (2016) Moeda: dólar norte-americano ( USD ) Divisão Administrativa: 50 estados MAPA

Leia mais

Allan Nº1 GabrielNº7 Pedro F. Nº27 Pedro S. Nº28 Renan Nº31 Vitor Nº33 Vitoria Nº34

Allan Nº1 GabrielNº7 Pedro F. Nº27 Pedro S. Nº28 Renan Nº31 Vitor Nº33 Vitoria Nº34 * Explorando a América do Sul Allan Nº1 GabrielNº7 Pedro F. Nº27 Pedro S. Nº28 Renan Nº31 Vitor Nº33 Vitoria Nº34 *Caracterização geral da América do Sul * América do Sul abrange um território de 18 milhões

Leia mais

América Central e do Sul

América Central e do Sul América Central e do Sul Insular Ístmica Coralígeo Vulcanismo Tropical Equatorial Tectonismo Cuba Anos 60 e 70: Investimentos soviéticos Melhora no padrão de vida Economia: agricultura Cana Dependência

Leia mais

BRASIL NOSSO TERRITÓRIO E FRONTEIRAS MODULO 02 PALMAS - TO

BRASIL NOSSO TERRITÓRIO E FRONTEIRAS MODULO 02 PALMAS - TO BRASIL NOSSO TERRITÓRIO E FRONTEIRAS MODULO 02 PALMAS - TO ESPAÇO GEOGRÁFICO E A AÇÃO HUMANA É o espaço onde os homens vivem e fazem modificações, sendo o resultado do trabalho do homem sobre a natureza.

Leia mais

IDH e Globalização. Uma longa viagem começa com um único passo (Lao Tsé).

IDH e Globalização. Uma longa viagem começa com um único passo (Lao Tsé). IDH e Globalização. Uma longa viagem começa com um único passo (Lao Tsé). O termo está vinculado à situação econômica e social das nações ricas ; Para atingir este estado, um país precisa de: 1. Controle

Leia mais

É a produção de bens materiais, além dos agrícolas, por empresas não artesanais. Este termo começou a ser utilizado a partir da 1ª Revolução

É a produção de bens materiais, além dos agrícolas, por empresas não artesanais. Este termo começou a ser utilizado a partir da 1ª Revolução É a produção de bens materiais, além dos agrícolas, por empresas não artesanais. Este termo começou a ser utilizado a partir da 1ª Revolução Industrial, que se iniciou em Inglaterra no século XVIII. Indústria

Leia mais

Aulas 04,05,06 Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência Bolsistas: Dayan Muniz e Marlúcio Neto Escola Estadual Imperial Marinheiro

Aulas 04,05,06 Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência Bolsistas: Dayan Muniz e Marlúcio Neto Escola Estadual Imperial Marinheiro Aulas 04,05,06 Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência Bolsistas: Dayan Muniz e Marlúcio Neto Escola Estadual Imperial Marinheiro Turma 8º ano A Professor (a)/supervisor (a): Inês Pacheco

Leia mais

GLOBALIZAÇÃO E BLOCOS ECONÔMICOS

GLOBALIZAÇÃO E BLOCOS ECONÔMICOS GLOBALIZAÇÃO E BLOCOS ECONÔMICOS O mundo sofreu importantes transformações durante o século XX. O pós-segunda Guerra foi marcado pela bipolarização mundial. A crise do socialismo, a partir de 1980, mudou

Leia mais

. a d iza r to u a ia p ó C II

. a d iza r to u a ia p ó C II II Sugestões de avaliação Geografia 8 o ano Unidade 4 5 Unidade 4 Nome: Data: 1. Sobre a distribuição da população pelo continente americano, marque V nas alternativas verdadeiras e F nas falsas. Em seguida,

Leia mais

BLOCOS ECONÔMICOS União Europeia(E.U.), MERCOSUL, NAFTA e ALCA. GeoDANIEL Colégio Salesiano São José

BLOCOS ECONÔMICOS União Europeia(E.U.), MERCOSUL, NAFTA e ALCA. GeoDANIEL Colégio Salesiano São José BLOCOS ECONÔMICOS União Europeia(E.U.), MERCOSUL, NAFTA e ALCA GeoDANIEL Colégio Salesiano São José Índice 1.O que são blocos econômicos 2. União Europeia 3. MERCOSUL 4. NAFTA 5. O caso do México 6. ALCA

Leia mais

Geografia. As Regiões Geoeconômicas do Brasil. Professor Luciano Teixeira.

Geografia. As Regiões Geoeconômicas do Brasil. Professor Luciano Teixeira. Geografia As Regiões Geoeconômicas do Brasil Professor Luciano Teixeira www.acasadoconcurseiro.com.br Geografia Aula XX AS REGIÕES GEOECONÔMICAS DO BRASIL A divisão regional oficial do Brasil é aquela

Leia mais

A FORMAÇÃO DOS BLOCOS ECONÔMICOS

A FORMAÇÃO DOS BLOCOS ECONÔMICOS A FORMAÇÃO DOS BLOCOS ECONÔMICOS PROF. DE GEOGRAFIA: BIANCA 1º TRIM - GEOGRAFIA 2016 INTRODUÇÃO Para a formação dos blocos econômicos, os países firmam acordos comerciais, estabelecendo medidas que visam

Leia mais

GRUPO 6 1- (1,0) Explique porque o Brasil funciona como o eixo principal de relações da América do Sul? R:

GRUPO 6 1- (1,0) Explique porque o Brasil funciona como o eixo principal de relações da América do Sul? R: Data: / /2014 Bimestre: 3 Nome: 8 ANO Nº Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Valor da Prova / Atividade: 2,0 (DOIS) Nota: GRUPO 6 1- (1,0) Explique porque o Brasil funciona como o eixo principal de

Leia mais

Caminhos para melhorar o acesso a mercado das exportações brasileiras

Caminhos para melhorar o acesso a mercado das exportações brasileiras Caminhos para melhorar o acesso a mercado das exportações brasileiras Fórum Estadão de Competitividade Carlos Eduardo Abijaodi Diretor de Desenvolvimento Industrial Confederação Nacional da Indústria 1

Leia mais

Revoluções Industriais REVOLUÇÃO INDUSTRIAL A INDÚSTRIA. Formada sobre as bases de acumulação do capital através do mercantilismo.

Revoluções Industriais REVOLUÇÃO INDUSTRIAL A INDÚSTRIA. Formada sobre as bases de acumulação do capital através do mercantilismo. A INDÚSTRIA É o setor da economia que congrega o processo de transformação da matéria-prima em vários tipos de bens. A industria possui uma forte relação com os recursos naturais, sendo sua produção associada:

Leia mais

A ECONOMIA MUNDIAL E NA AMÉRICA DO SUL E O AGRONEGÓCIO 3 FORO DE AGRICULTURA DA AMÉRICA DO SUL. Eugenio Stefanelo

A ECONOMIA MUNDIAL E NA AMÉRICA DO SUL E O AGRONEGÓCIO 3 FORO DE AGRICULTURA DA AMÉRICA DO SUL. Eugenio Stefanelo A ECONOMIA MUNDIAL E NA AMÉRICA DO SUL E O AGRONEGÓCIO 3 FORO DE AGRICULTURA DA AMÉRICA DO SUL Eugenio Stefanelo ECONOMIA MUNDIAL PIB em % ao ano: Média de 50 anos: 3,5% 2004 a 2007: 5% 2008 e 2009: 3,1%

Leia mais

Resultados de Junho de 2014

Resultados de Junho de 2014 Junho / 2014 Resultados de Junho de 2014 - Exportação: US$ 20,5 bi, em valor, e média diária de US$ 1,023 bilhão; sobre mai-14, aumento de 3,6%, pela média diária; sobre jun-13, redução de 3,5%, pela média

Leia mais

Regionalização 8º ano PROF. FRANCO AUGUSTO

Regionalização 8º ano PROF. FRANCO AUGUSTO Regionalização 8º ano PROF. FRANCO AUGUSTO Regionalização As regiões podem ser estabelecidas de acordo com critérios naturais, abordando as diferenças de vegetação, clima, relevo, hidrografia, fauna e

Leia mais

09/02/2014. Prévia. Quem comercializa com quem? O tamanho importa: o modelo de gravidade

09/02/2014. Prévia. Quem comercializa com quem? O tamanho importa: o modelo de gravidade Capítulo 2 Comércio mundial: uma visão geral Prévia Os maiores parceiros comerciais do Brasil e dos Estados Unidos Modelo de gravidade: a influência do tamanho de uma economia no comércio a distância e

Leia mais

REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO

REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO REVOLUÇÕES INDUSTRIAIS E DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO www.infoescola.com Revolução da técnica Introduz Forma eficiente de padronizar a mercadoria Menor tempo Menor custo Agrupamento de trabalhadores

Leia mais

Aula de Revisão 8 ano 2º Trimestre Prova trimestral Geografia Professor Gabriel

Aula de Revisão 8 ano 2º Trimestre Prova trimestral Geografia Professor Gabriel Aula de Revisão 8 ano 2º Trimestre Prova trimestral Geografia Professor Gabriel Módulo 9. A ECONOMIA INDUSTRIAL DA EUROPA Origens e Evolução da Industrialização Revolução Industrial Inglaterra, final do

Leia mais

São associações de países que estabelecem relações econômicas privilegiadas entre si.

São associações de países que estabelecem relações econômicas privilegiadas entre si. Blocos econômicos São associações de países que estabelecem relações econômicas privilegiadas entre si. Classificação: Zona de livre comércio; União Aduaneira; Mercado Comum; União Econômica e Monetária.

Leia mais

A Eurafrásia A, Afro-Eurásia ou África-Eurásia é formada por: Europa, África e Ásia e estende-se por mais de 84 milhões de km² (quase 60% da superfície sólida da Terra) com uma população de cerca de 5.5

Leia mais

Workshop CINDES Agenda econômica externa do Brasil: Desafios e cenários para o próximo governo. 29 de Novembro de Ricardo Markwald / FUNCEX

Workshop CINDES Agenda econômica externa do Brasil: Desafios e cenários para o próximo governo. 29 de Novembro de Ricardo Markwald / FUNCEX Workshop CINDES Agenda econômica externa do Brasil: Desafios e cenários para o próximo governo 29 de Novembro de 2013 Ricardo Markwald / FUNCEX 2/12/2013 Introdução Comparação segundo quatro dimensões

Leia mais

- Exportação: US$ 17,5 bi, em valor, e média diária de US$ 795,0 milhões; sobre dez-13 (US$ 992,7 milhões),

- Exportação: US$ 17,5 bi, em valor, e média diária de US$ 795,0 milhões; sobre dez-13 (US$ 992,7 milhões), Dezembro / 2014 Resultados de Dezembro de 2014 - Exportação: US$ 17,5 bi, em valor, e média diária de US$ 795,0 milhões; sobre dez-13 (US$ 992,7 milhões), redução de 19,9%, pela média diária; - Importação:

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS GEOGRAFIA

LISTA DE EXERCÍCIOS GEOGRAFIA LISTA DE EXERCÍCIOS GEOGRAFIA P2-4º BIMESTRE 8º ANO FUNDAMENTAL II Aluno (a): Turno: Turma: Unidade Data: / /2016 HABILIDADES E COMPETÊNCIAS Entender as relações políticas e econômicas entre países da

Leia mais

Acordos e Tratados Internacionais

Acordos e Tratados Internacionais Acordos e Tratados Internacionais CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: KEEDI, Samir. ABC do Comércio Exterior. São Paulo: Aduaneiras, 2007. www.desenvolvimento.gov.br www.aladi.org

Leia mais

BREVE ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS EM Informe 08/2013

BREVE ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS EM Informe 08/2013 Informe 08/2013 BREVE ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS EM 2012 Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais ABIROCHAS Avenida Paulista, 1313 8º andar sala 805 Bela

Leia mais

1º ano. Cultura, Diversidade e o Ser Humano

1º ano. Cultura, Diversidade e o Ser Humano Culturas, Etnias e modernidade no mundo e no Brasil A diversidade cultural Capítulo 11 - Item 11.4 O choque entre culturas e etnocentrismo Capítulo 11 Relativismo cultural e tolerância Capítulo 11 Civilização

Leia mais

MUNDO A PRODUÇÃO DO ESPAÇO GLOBAL ( NO MATERIAL PÁGINAS 51 A 55

MUNDO A PRODUÇÃO DO ESPAÇO GLOBAL ( NO MATERIAL PÁGINAS 51 A 55 MUNDO A PRODUÇÃO DO ESPAÇO GLOBAL ( NO MATERIAL PÁGINAS 51 A 55 Pós-Segunda Guerra Mundial A regionalização do mundo em países capitalistas e socialistas Critério: organização econômica, social e política

Leia mais

UNIDADE: DATA: 03 / 12 / 2015 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 7.º ANO/EF

UNIDADE: DATA: 03 / 12 / 2015 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 7.º ANO/EF SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: 03 / 2 / 205 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 7.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

A AMERICA LATINA SUA NATUREZA E REGIONALIZAÇÃO

A AMERICA LATINA SUA NATUREZA E REGIONALIZAÇÃO A AMERICA LATINA SUA NATUREZA E REGIONALIZAÇÃO O PROCESSO DE COLONIZAÇÃO PORTUGUESES E ESPANHÓIS, LANÇARAM-SE AO MAR E OCUPARAM O CONTINENTE AMERICANO PARA ATENDER OS INTERESSES DA METRÓPOLE; OUTROS POVOS

Leia mais

em uma união aduaneira, na qual há livre-comércio intrazona política comercial comum entre seus membros

em uma união aduaneira, na qual há livre-comércio intrazona política comercial comum entre seus membros Revisão -8º ano Blocos econômicos Os blocos econômicos são formados pela união de países que possuem objetivos comuns relacionados ao crescimento econômico. A integração entre os países pode torná-los

Leia mais

PROFESSOR: ANDERSON JOSÉ SOARES. ALUNO(a): Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

PROFESSOR: ANDERSON JOSÉ SOARES. ALUNO(a): Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: GOIÂNIA, / / 2016 PROFESSOR: ANDERSON JOSÉ SOARES DISCIPLINA: GEOGRAFIA SÉRIE:8º ALUNO(a): Lista de atividades P1 Bimestre III Data da prova: 30/08/2016 No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista

Leia mais

Nº 016 JUNHO 16. Vendas As vendas de produtos siderúrgicos

Nº 016 JUNHO 16. Vendas As vendas de produtos siderúrgicos E S T A T Í S T I C A Preliminar Notas Nº 016 JUNHO 16 www.acobrasil.org.br (21) 3445-6300 acobrasil@acobrasil.org.br Produção A produção brasileira de aço bruto em junho de 2016 foi de 2,5 milhões de

Leia mais

Blocos econômicos. Bloco Econômico é uma integração de países nos. desenvolvimento e maior poder de competição.

Blocos econômicos. Bloco Econômico é uma integração de países nos. desenvolvimento e maior poder de competição. Blocos econômicos Bloco Econômico é uma integração de países nos aspectos, visando seu desenvolvimento e maior poder de competição. Eles constituem expressivos espaços integrados de livre comércio. Esses

Leia mais

Perspectivas do Comércio Exterior Brasileiro

Perspectivas do Comércio Exterior Brasileiro Reunião de Diretoria e Conselhos da Associação de Comércio Exterior do Brasil - AEB Perspectivas do Comércio Exterior Brasileiro Secretária de Comércio Exterior Ministério da Indústria, Comércio Exterior

Leia mais

Blocos econômicos ou Megamercados

Blocos econômicos ou Megamercados Blocos econômicos ou Megamercados Bloco Econômico é uma integração de países nos aspectos econômicos e sociais, visando seu. Os blocos econômicos constituem expressivos espaços integrados de livre comércio.

Leia mais

RESPOSTAS DAS SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO GEOGRAFIA 9 o ANO

RESPOSTAS DAS SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO GEOGRAFIA 9 o ANO RESPOSTAS DAS SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO GEOGRAFIA 9 o ANO 1. 2. 3. 4. Unidade 2 a) A globalização pode ser entendida como o conjunto de transformações recentes na economia do planeta. (V) b) O processo de

Leia mais

OBJETIVO º ANO E.M. MÓDULO 31 OS TIGRES ASIÁTICOS

OBJETIVO º ANO E.M. MÓDULO 31 OS TIGRES ASIÁTICOS OBJETIVO 2016 1º ANO E.M. MÓDULO 31 OS TIGRES ASIÁTICOS INTRODUÇÃO TIGRES ASIÁTICOS (Vídeo) Na década de 1970, os novos países industrializados, fortemente apoiados pelos investimentos japoneses, voltaram-se

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2012

BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2012 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA SETEMBRO 2012 Período Dias Úteis US$ milhões FOB EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Média Média Média Média Valor Valor Valor Valor p/dia útil p/dia útil p/dia útil

Leia mais

Blocos Econômicos Regionais. Roteiro de Atividades Didáticas

Blocos Econômicos Regionais. Roteiro de Atividades Didáticas Blocos Econômicos Regionais Autor: Laura Thais Silva 2º semestre/ 2012 Roteiro de Atividades Didáticas Atividade 1 - Pesquisa dirigida com mapa on line interativo Pesquisa a respeito de três dos blocos

Leia mais

www.professoravanucia.blogspot.com A importância da Indústria A Indústria é um dos três setores de atividade da economia. Os outros dois são os serviços e a agropecuária. As atividades agrícolas, o comércio

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Dezembro 2013 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM 2013 Exportações A contabilização como exportação de três plataformas de petróleo e gás somou

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos BENS DE CAPITAL NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

A inserção do Brasil nas cadeias globais. 21/02/2015 A inserção do Brasil nas cadeias globais2 1

A inserção do Brasil nas cadeias globais. 21/02/2015 A inserção do Brasil nas cadeias globais2 1 A inserção do Brasil nas cadeias globais 21/02/2015 A inserção do Brasil nas cadeias globais2 1 Aumento de complexidade dos produtos Os novos produtos disponibilizados pela tecnologia aos consumidores

Leia mais

O BRASIL PODE SER ECONOMICAMENTE PRÓSPERO, CULTURALMENTE DIVERSO E AMBIENTALMENTE SUSTENTÁVEL. Rui Mangieri

O BRASIL PODE SER ECONOMICAMENTE PRÓSPERO, CULTURALMENTE DIVERSO E AMBIENTALMENTE SUSTENTÁVEL. Rui Mangieri O BRASIL PODE SER ECONOMICAMENTE PRÓSPERO, CULTURALMENTE DIVERSO E AMBIENTALMENTE SUSTENTÁVEL. Rui Mangieri 1º)1500 A 1930 ATÉ 1808 Indústrias débil, fraca e de pouca monta (valor). Principais atividades

Leia mais

Revisão para Prova Dissertativa P-4. 3 Bimestre. Prof.Ms: Heleno Ferreira dos Santos. Instituto Santa Úrsula Ribeirão Preto

Revisão para Prova Dissertativa P-4. 3 Bimestre. Prof.Ms: Heleno Ferreira dos Santos. Instituto Santa Úrsula Ribeirão Preto Revisão para Prova Dissertativa P-4. 3 Bimestre Prof.Ms: Heleno Ferreira dos Santos Instituto Santa Úrsula Ribeirão Preto 2016 Percurso-15. Página 134. Estado Unidos: População e megalópoles 1. A distribuição

Leia mais

Exercícios sobre Continente Americano - 8º ano - cap. 10

Exercícios sobre Continente Americano - 8º ano - cap. 10 Exercícios sobre Continente Americano - 8º ano - cap. 10 Para realizar as atividades, consulte os Slides sobre Continente Americano (Ativ. nº 25 - Site padogeo.com) ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Geografia. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo

Geografia. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo Geografia baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo 1 PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE GEOGRAFIA Middle e High School 2 6 th Grade Os ciclos da natureza e a sociedade A história da Terra

Leia mais

MODULO 2. DESENVOLVIMENTO, SUBDESENVOLVIMENTO E A NOVA ORDEM MUNDIAL Páginas

MODULO 2. DESENVOLVIMENTO, SUBDESENVOLVIMENTO E A NOVA ORDEM MUNDIAL Páginas MODULO 2 DESENVOLVIMENTO, SUBDESENVOLVIMENTO E A NOVA ORDEM MUNDIAL Páginas 211 1 213 Pós-Segunda Guerra Mundial Sistema capitalista Sistema Socialista Estados Unidos(EUA) X União Soviética(URSS) GUERRA

Leia mais

O que você deve saber sobre GLOBALIZAÇÃO E BLOCOS ECONÔMICOS

O que você deve saber sobre GLOBALIZAÇÃO E BLOCOS ECONÔMICOS O que você deve saber sobre GLOBALIZAÇÃO E BLOCOS ECONÔMICOS O mundo sofreu importantes transformações durante o século XX. O pós-segunda Guerra foi marcado pela bipolarização mundial. A crise do socialismo,

Leia mais

Arthur Nº4 Brenno Nº5 Guilherme Nº12 Gustavo Martins Nº14 Gustavo Parra Nº 15 Mariana Cézar Nº22. Um latino na América do Norte.

Arthur Nº4 Brenno Nº5 Guilherme Nº12 Gustavo Martins Nº14 Gustavo Parra Nº 15 Mariana Cézar Nº22. Um latino na América do Norte. Arthur Nº4 Brenno Nº5 Guilherme Nº12 Gustavo Martins Nº14 Gustavo Parra Nº 15 Mariana Cézar Nº22 Um latino na América do Norte. México Características Gerais do México Local de diversas civilizações ameríndias

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Agosto 2015 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM AGOSTO Exportações As exportações da indústria registraram o nível mais baixo para o mês desde

Leia mais

Data: /11/2014 Bimestre: 4. Nome: 6 ANO Nº. Disciplina: Geografia Professor: Geraldo

Data: /11/2014 Bimestre: 4. Nome: 6 ANO Nº. Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Data: /11/2014 Bimestre: 4 Nome: 6 ANO Nº Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Valor da Atividade: 2,0 (Dois) Nota: GRUPO 9 1- (0,5) A agricultura é uma atividade econômica relacionada às condições

Leia mais

DESAFIOS DA LOGÍSTICA BRASILEIRA

DESAFIOS DA LOGÍSTICA BRASILEIRA DESAFIOS DA LOGÍSTICA BRASILEIRA ANTONIO CARLOS SOLERA TARANTINO TERRITÓRIO RIO 8,5 MILHÕES KM 2 BRASIL / VITORIA 27 ESTADOS / UNIDADES POPULAÇÃ ÇÃO O 190 MILHÕES HAB RIQUEZAS NATURAIS E MINERAIS ÁREA

Leia mais

Módulos 11 e 12: O modo de produção industrial e A indústria brasileira

Módulos 11 e 12: O modo de produção industrial e A indústria brasileira Módulos 11 e 12: O modo de produção industrial e A indústria brasileira Artesanato é essencialmente o próprio trabalho manual ou produção de um artesão (de artesão + ato). Manufatura é um sistema de fabricação

Leia mais

PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO

PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO EVOLUÇÃO A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto de 10% aa nos últimos 17 anos, tendo passado de um faturamento "ExFactory",

Leia mais

O indicador do clima econômico melhora na América Latina, mas piora no Brasil

O indicador do clima econômico melhora na América Latina, mas piora no Brasil jan/03 jul/03 jan/04 jul/04 jan/05 jul/05 jan/06 jul/06 jan/07 jul/07 jan/08 jul/08 jan/09 jul/09 jan/10 jul/10 jan/11 jul/11 jan/12 jul/12 jan/13 jul/13 jan/14 13 de Fevereiro de 14 Indicador IFO/FGV

Leia mais

Desenvolvimento Produtivo Além da Indústria - O Papel dos Serviços

Desenvolvimento Produtivo Além da Indústria - O Papel dos Serviços Desenvolvimento Produtivo Além da Indústria - O Papel dos Serviços Jorge Arbache UnB e BNDES FGV-SP 27/5/2014 As opiniões são do autor e não necessariamente refletem as visões do BNDES 1 Vivemos uma nova

Leia mais

REGIONALIZAÇÃO DA ÁSIA. DIVISÃO EM CINCO REGIÕES POR CRITÉRIOS DE SEMELHANÇAS CULTURAIS E SOCIAIS. ORIENTE MÉDIO.

REGIONALIZAÇÃO DA ÁSIA. DIVISÃO EM CINCO REGIÕES POR CRITÉRIOS DE SEMELHANÇAS CULTURAIS E SOCIAIS. ORIENTE MÉDIO. REGIONALIZAÇÃO DA ÁSIA. DIVISÃO EM CINCO REGIÕES POR CRITÉRIOS DE SEMELHANÇAS CULTURAIS E SOCIAIS. ORIENTE MÉDIO. ORIENTE MÉDIO. UMA DAS PRIMEIRAS PARTES DA ÁSIA A SEREM OCUPADAS. CHAMA A ATENÇÃO DO MUNDO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE Escola Estadual Professor Jerônimo Gueirros Professor (a) Supervisor (a): Ary Bolsistas: Carla e Thalita

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE Escola Estadual Professor Jerônimo Gueirros Professor (a) Supervisor (a): Ary Bolsistas: Carla e Thalita UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE Escola Estadual Professor Jerônimo Gueirros Professor (a) Supervisor (a): Ary Bolsistas: Carla e Thalita 9ºB BLOCOS ECONÔMICOS São parcerias que os países

Leia mais

AVII 8º ANO Globalização Qual é a mais próxima da realidade? Como será o futuro? Escola do futuro de 1910 Cidade-prédio de 1895 A era das redes aumentou ou diminuiu o tamanho do mundo?

Leia mais

A Política, a Estratégia e o Livro Branco de Defesa Nacional como instrumentos geradores de confiança mútua na América do Sul

A Política, a Estratégia e o Livro Branco de Defesa Nacional como instrumentos geradores de confiança mútua na América do Sul A Política, a Estratégia e o Livro Branco de Defesa Nacional como instrumentos geradores de confiança mútua na América do Sul XI Congresso Acadêmico sobre Defesa Nacional AMAN, 12 de agosto de 2014 Antonio

Leia mais

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 6B AULA 16. Profº André Tomasini

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 6B AULA 16. Profº André Tomasini TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 6B AULA 16 Profº André Tomasini Panorama Mundial Fronteiras (naturais, territoriais, socias e econômicas) Classificação / Regionalizações Países do 1º mundo Países de Industrialização

Leia mais

Melhora nas expectativas lideram a melhora do clima econômico na América Latina e no Brasil

Melhora nas expectativas lideram a melhora do clima econômico na América Latina e no Brasil jul/1 jul/2 jul/3 jul/4 jul/5 jul/6 jul/7 jul/8 jul/9 jul/1 jul/11 jul/12 jul/13 jul/14 jul/15 jul/16 Indicador IFO/FGV de Clima Econômico da América Latina ABRIL/216 JULHO/216 74 79 Situação Atual 58

Leia mais

A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E O LIBERALISMO ECONÔMICO

A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E O LIBERALISMO ECONÔMICO A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E O LIBERALISMO ECONÔMICO Na segunda metade do século XVIII, a Inglaterra iniciou um processo que teve consequências em todo o mundo. Esse novo sistema de produção modificou as relações

Leia mais

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano SETORES DA ECONOMIA. Prof. Esp. Claudimar Fontinele

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano SETORES DA ECONOMIA. Prof. Esp. Claudimar Fontinele Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano SETORES DA ECONOMIA Prof. Esp. Claudimar Fontinele ATIVIDADE ECONÔMICA PRIMÁRIA OU SETOR PRIMÁRIO DA ECONOMIA Denomina-se como Setor

Leia mais

Vice-Presidente da Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio No Brasil

Vice-Presidente da Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio No Brasil APRESENTAÇÃO CBP-CE - A Câmara Brasil Portugal no Ceará - Comércio, Indústria e Turismo (CBP-CE), fundada em junho de 2001, é uma associação civil sem fins lucrativos com atuação no estado do Ceará, Portugal

Leia mais

Relatório dos Investimentos Estrangeiros no Brasil Fluxos de IED e sua contribuição para o comércio exterior brasileiro

Relatório dos Investimentos Estrangeiros no Brasil Fluxos de IED e sua contribuição para o comércio exterior brasileiro Relatório dos Investimentos Estrangeiros no Brasil - 2013 Fluxos de IED e sua contribuição para o comércio exterior brasileiro Unidade de Negociações Internacionais Confederação Nacional da Indústria -

Leia mais

Empresa Brasileira 95 anos de história

Empresa Brasileira 95 anos de história Estratégia de Inovação para Tempos Incertos Grupo Votorantim Empresa Brasileira 95 anos de história Nossas operações industriais concentram-se nos setores de base da economia, que demandam capital intensivo,

Leia mais

Competitividade na indústria brasileira e momento econômico. Ricardo L. C. Amorim Especialista em Análise Econômica da ABDI

Competitividade na indústria brasileira e momento econômico. Ricardo L. C. Amorim Especialista em Análise Econômica da ABDI Competitividade na indústria brasileira e momento econômico Ricardo L. C. Amorim Especialista em Análise Econômica da ABDI Julho/2016 Evolução do PIB a preços de mercado (em US$ correntes) Fonte: World

Leia mais

Q U E S T Ã O 1 8 INCORRETA

Q U E S T Ã O 1 8 INCORRETA 12 Q U E S T Ã O 1 8 Segundo os estudiosos, há várias décadas existem dois modelos rivais, ou seja, duas alternativas de desenvolvimento na América Latina: um deles é liberal e o outro, estatizante. O

Leia mais

Organizações internacionais Regionais

Organizações internacionais Regionais Organizações internacionais Regionais Percurso 4 Geografia 9ºANO Profª Bruna Andrade e Elaine Camargo Os países fazem uniões a partir de interesses comuns. Esses interesses devem trazer benefícios aos

Leia mais

AS PAISAGENS NATURAIS E A FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO DA AMÉRICA ANGLO SAXÔNICA

AS PAISAGENS NATURAIS E A FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO DA AMÉRICA ANGLO SAXÔNICA AS PAISAGENS NATURAIS E A FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO DA AMÉRICA ANGLO SAXÔNICA FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO A colonização na América do Norte iniciou-se depois quando comparada ao processo de colonização da América

Leia mais

CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO

CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO CAPÍTULO 3 - AGROPECUÁRIA E AGRONEGÓCIO PROFESSOR LEONAM JUNIOR COLÉGIO ARI DE SÁ 7º ANO QUEM SÃO OS TRABALHADORES BRASILEIROS E ONDE DESENVOLVEM SUAS ATIVIDADES ECONÔMICAS P. 37 PEA do Brasil: 100 milhões

Leia mais

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 49 NAFTA, ALCA E CAFTA- DR

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 49 NAFTA, ALCA E CAFTA- DR GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 49 NAFTA, ALCA E CAFTA- DR Como pode cair no enem (UERJ) O comércio externo constitui um dos aspectos mais importantes da economia nacional em tempos de globalização. Observe,

Leia mais

MADEIRA 2016 O Brasil e as negociações internacionais de comércio. Camila Sande Especialista em Negociações CNA

MADEIRA 2016 O Brasil e as negociações internacionais de comércio. Camila Sande Especialista em Negociações CNA MADEIRA 2016 O Brasil e as negociações internacionais de comércio Camila Sande Especialista em Negociações CNA 16 de junho de 2016 Agronegócio consumo doméstico e exportação Exportação Consumo Doméstico

Leia mais

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias Bijuterias Principais Países 2010 2011 2012 2013 2014 US$ mil 2014/ 2013 Estados Unidos 5.667 3.828 2.668 3.491 5.006 43 Colômbia 407 800 748 1.112 993-11 França 1.085 931 910 998 969-3 Argentina 2.112

Leia mais

! " #$!! %&!

!  #$!! %&! '(! " #$!! %&! ) *+!!, -./( ) Fornecedores Siderurgia Metalurgia Plásticos Tintas Componentes eletrônicos Autopeças Pneus Produtos da cadeia automotiva Automóveis Comerciais leves Caminhões Ônibus Máquinas

Leia mais

1 CHINA habitantes em 2015

1 CHINA habitantes em 2015 ÍNDIA POPULAÇÃO MUNDIAL Dados sobre a população mundial, segundo a Organização das Nações Unidas ONU : 1950 2.525.778.669 habitantes 1970 3.691.172.616 habitantes 1990 5.320.816.667 habitantes 2010 6.916.183.482

Leia mais

ATIVIDADE: Orientação Trabalho Atualidades- 2ª etapa/2012 Disciplina: GEOGRAFIA Série: Turma: Professor (a): GISELE Aluno (a): N

ATIVIDADE: Orientação Trabalho Atualidades- 2ª etapa/2012 Disciplina: GEOGRAFIA Série: Turma: Professor (a): GISELE Aluno (a): N ATIVIDADE: Orientação Trabalho - 2ª etapa/2012 Disciplina: GEOGRAFIA Série: Turma: Professor (a): GISELE Data: / / Aluno (a): N TRABALHO ATUALIDADES CDC- ENSINO MÉDIO Caros alunos, O trabalho da 2ª etapa

Leia mais

Lista de Recuperação de Geografia 2013

Lista de Recuperação de Geografia 2013 1 Nome: nº 8ºano Manhã Prof: Francisco Castilho Lista de Recuperação de Geografia 2013 Conteúdo da recuperação: Nova Ordem Mundial e os blocos econômicos, América: clima, vegetação e população, Canadá:

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO. Questão 2 Quais os agentes responsáveis pelo processo de globalização?

ESTUDO DIRIGIDO. Questão 2 Quais os agentes responsáveis pelo processo de globalização? MODALIDADE: EJA Ensino Médio PERÍODO 3º Período Disciplina: Geografia Gabarito do estudo dirigido Professor (a): Kátia Silene Data: 17/11/2015 Nome do Aluno: Questão 1 O que é globalização? ESTUDO DIRIGIDO

Leia mais

COMÉRCIO 1. (UFRGS 2016)

COMÉRCIO 1. (UFRGS 2016) 1. (UFRGS 2016) COMÉRCIO Considere as afirmações abaixo, sobre o mapa. I. Os países industrializados costumam exportar grandes volumes de produtos agrícolas e alimentícios. II. As trocas comerciais intrarregionais

Leia mais

Estudo dos países da América Latina e América Central

Estudo dos países da América Latina e América Central Empresa têxtil E M P R E S A T Ê X T I L Estudo dos países da América Latina e América Central Produtos considerados: 6003.33.00/6006.31.00/6006.21.00/6006.22.00/6006.23.00/6006.42.00 1. Exportações brasileiras

Leia mais

Unidade II. Aula 11.1 Conteúdo. Comunicação e tecnologia. México. FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA GEOGRAFIA

Unidade II. Aula 11.1 Conteúdo. Comunicação e tecnologia. México. FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA GEOGRAFIA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade II Comunicação e tecnologia Aula 11.1 Conteúdo México. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Habilidade: Reconhecer

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS OUTUBRO/2016 Resumo de desempenho Outubro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No ano mês anterior

Leia mais

Clima econômico mundial melhora, mas continua piorando na América Latina. Momento ainda é de cautela

Clima econômico mundial melhora, mas continua piorando na América Latina. Momento ainda é de cautela jan/99 jan/00 jan/01 jan/02 jan/03 jan/04 jan/05 jan/06 jan/07 jan/08 jan/09 jan/10 jan/11 jan/12 jan/13 jan/14 jan/15 Fevereiro 15 Versão em português Indicador IFO/FGV de Clima Econômico da América Latina

Leia mais