GISELI PAVEZZI MIXOMA ODONTOGÊNICO: REVISÃO DE LITERATURA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GISELI PAVEZZI MIXOMA ODONTOGÊNICO: REVISÃO DE LITERATURA"

Transcrição

1 GISELI PAVEZZI MIXOMA ODONTOGÊNICO: REVISÃO DE LITERATURA Londrina 2014

2 GISELI PAVEZZI MIXOMA ODONTOGÊNICO: REVISÃO DE LITERATURA Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Departamento de Medicina Oral e Odontologia Infantil da Universidade Estadual de Londrina, como requisito à obtenção do título de Cirurgiã Dentista. Orientador: Prof. Dr. Ricardo Alves Matheus Londrina 2014

3 GISELI PAVEZZI MIXOMA ODONTOGÊNICO: REVISÃO DE LITERATURA Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Departamento de Medicina Oral e Odontologia Infantil da Universidade Estadual de Londrina, como requisito à obtenção do título de Cirurgiã Dentista BANCA EXAMINADORA Orientador: Prof. Dr. Ricardo Alves Matheus Universidade Estadual de Londrina - UEL Prof. Dr. Hedelson Odenir Iecher Borges Universidade Estadual de Londrina - UEL Londrina, 11 de Novembro de 2014.

4 Dedico este trabalho primeiramente a Deus e Nossa Senhora das Graças, a quem eu sempre me voltava nos momentos de aflição. A meus pais, Sergio e Maria Eliza, e ao meu irmão, Sergio Pavezzi Júnior, que sempre estiveram ao meu lado e me deram todo o apoio necessário em todos esses anos de faculdade.

5 AGRADECIMENTOS Agradeço ao meu orientador não só pela constante orientação neste trabalho, mas sobretudo pela sua amizade e paciência. A minha família, que sempre me apoiou e depositou total confiança em mim, acreditou no meu futuro e me ajudou sempre a correr atrás dos meus objetivos, muito obrigada pai, mãe e irmão. Aos meus sinceros amigos, que estiveram comigo durante a faculdade e que tornaram esse anos muito mais agradáveis e, com certeza, os levarei para todo sempre na minha memória e no meu coração. E é claro, aos meus professores (as), que dedicaram seu tempo e paciência para transmitir para nós a sabedoria e o aprendizado de cada matéria.

6 PAVEZZI, Giseli; MATHEUS, Ricardo Alves. Mixoma Odontogênico: revisão de literatura Trabalho de Conclusão de Curso de Odontologia Universidade Estadual de Londrina, Londrina, RESUMO Mixoma odontogênico é um tumor de origem mesenquimal, benigno que atinge os maxilares e tem crescimento lento. Trata-se de um tumor raro, não encapsulado e de características radiográficas semelhantes a outras lesões que podem acometer maxila e mandíbula. O fundamental para o diagnóstico correto dessa lesão, além do exame clínico, é o exame histopatológico, pois assim como todas as lesões, o mixoma também tem células específicas que caracterizam seu histopatológico. Para o tratamento temos relatos desde a ressecção cirúrgica com margem de segurança, curetagem até tratamentos alternativos como a crioterapia, mas todos objetivando a não recidiva da lesão que pode infiltrar os tecidos adjacente. Posterior ao tratamento de escolha, tratamento esse que traz implicações para o paciente por causa da grande perda óssea e dentária, faz-se necessário reconstruir a área óssea perdida e reabilitar o paciente seja com prótese ou implantes. O presente trabalho tem o objetivo de rever casos sobre mixoma odontogênico na literatura, abordando as características clínicas, radiográficas e histopatológicas mais presentes relatados pelos autores que serviram como base para essa revisão, como também mostrar as alternativas de tratamento e os possíveis diagnósticos diferenciais para o mixoma. Palavras chaves: mixoma odontogênico, lesão óssea, maxilares.

7 PAVEZZI, Giseli; MATHEUS, Ricardo Alves. Odontogenic myxoma: literature review Trabalho de Conclusão de Curso de Odontologia Universidade Estadual de Londrina, Londrina, ABSTRACT Odontogenic myxoma is a tumor of mesenchymal origin, benign which affects the jaw and grow slowly. It is a rare tumor, not encapsulated and similar to other injuries that can affect the jaws radiographic features. The key to the correct diagnosis of this lesion, besides the clinical examination is histopathological examination, as well as all injuries, myxoma also has special cells that characterize its histopathology. For treatment we have reports from surgical resection with safety margin, curettage to alternative treatments such as cryotherapy, but all claiming the non recurrence of the injury that may infiltrate the adjacent tissues. After the treatment of choice, treatment which has implications for the patient because of the large bone and teeth loss, it is necessary to rebuild lost bone area and rehabilitate the patient either with implants or prosthesis. This paper aims to review cases of odontogenic myxoma in literature addressing the most common clinical, radiographic and histopathological features, reported by the authors that weres the basis for this review, but also show alternative treatments and possible differential diagnoses for myxoma. Key words: odontogenic myxoma, bone injury, jaws

8 IMAGENS Imagem 1 Imagem panorâmica dos maxilares, nota-se a presença do mixoma odontogênico na região posterior de mandíbula, se estendendo desde a região de canino até ramo da mandíbula Imagem 2 Reconstruções tridimensionais Imagem 3 Exame histopatológico mostrando células fusiformes e estreladas com núcleos arredondados Imagem 4 Mixoma odontogênico em mandíbula (A radiografia panorâmica inicial; B aspecto transcirúrgico: ressecção da lesão e reconstrução por placa de titânio bicortical; C aspecto macroscópico da peça operatória; D aspecto radiográfico com 15 meses de pós-operatório)... 27

9 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO REVISÃO DE LITERATURA DISCUSSÃO CONCLUSÃO IMAGENS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...28

10 10 1. INTRODUÇÃO Mixoma odontogênico é uma lesão óssea, rara, benigna mas que pode causar uma grande destruição óssea, por se tratar de uma lesão que infiltra o tecido ósseo adjacente e ela só é percebida pelo paciente quando já tomou dimensões notáveis. Na maioria dos casos, a lesão não apresenta dor, sendo raras as vezes que apresenta ulcerações de mucosa e deslocamento de algum elemento dental. Ocorre na região posterior de mandíbula e tem uma predileção pelo sexo feminino entre a segunda e a terceira década de vida. Radiograficamente o mixoma apresenta formação de septos radiopacos, dando um aspecto característico para esse tipo de lesão, aspecto que muitos autores chamam de bolha de sabão, raquete de tênis ou favo de mel. Pelas características radiográficas não é possível chegar a um diagnóstico certo, o que conta para o diagnóstico é o exame histopatológico, que vai diferenciar as células características do mixoma dos demais diagnósticos diferenciais O tratamento do mixoma odontogênico é considerado agressivo, pois é necessário fazer ressecção em bloco da área óssea envolvida na lesão com margem de segurança para se evitar que ocorram recidivas. Existe também o tratamento com a crioterapia, que consiste na aplicação de nitrogênio líquido na região óssea de onde foi tirado a lesão. O objetivo desse trabalho foi fazer uma revisão de literatura sobre mixoma odontogênico, abordando suas características clínicas, radiográficas e histopatológicas e as implicações que pode trazer para o paciente.

11 11 2. REVISÃO DE LITERATURA ALTUG, H. A., SENCIMEN, M., GULSES, A. em 2010 relataram que o mixoma odontogênico é um tumor benigno invasivo, com crescimento lento e assintomático, de etiologia desconhecida que ocorre geralmente na segunda e terceira década de vida, tendo maior ocorrência em mulheres do que em homens, incidindo mais em mandíbula do que em maxila. É um tumor agressivo, que pode apresentar infiltração no tecido adjacente por não ser encapsulado e mesmo após a remoção cirúrgica pode ocorrer recidivas. Radiograficamente a lesão se mostra radiolúcida, podendo ser unilocular ou multilocular. As lesões multiloculares são denominadas de raquete de tênis ou bolha de sabão (Imagem 1). A reabsorção radicular raramente é vista embora o deslocamento dos dentes seja comum para o mixoma. No caso clínico relatado no artigo, a lesão se apresenta em maxila com envolvimento do terceiro molar. Neste caso destaca a dificuldade em estabelecer um diagnóstico correto, o que exige interação entre radiologista, cirurgião e patologista. O aspecto radiográfico também deve ser anexado com a história clínica e achados físicos. SILVA, B.F. et al. descrevem o mixoma como uma neoplasia benigna, de origem mesenquimal, localmente invasiva, com células arredondadas em um estroma mucóide (Imagem 3). Relatam não ter predileção por sexo, ocorrendo na faixa etária entre 20 a 30 anos de idade e é encontrado com maior freqüência no corpo e ramo da mandíbula apresentando aspecto gelatinoso de coloração branco amarelado. Radiograficamente apresenta imagem multilocular (Imagem 1), com áreas radiolucidas separadas por septos raiopacos lembrando aspecto de raquete de tênis. Os limites não são nítidos, indicando uma lesão invasiva, provocando deslocamento dos dentes e reabsorção radicular dos dente vizinhos. O tratamento é radical, com cirurgia excisional com uma margem de segurança para evitar recidivas. No caso de lesões pequenas sem envolvimento ósseo, o tratamento conservador é indicado (excisão completa, enucleação ou curetagem seguida de cauterização química das paredes ósseas circundantes afim de manter a função do paciente), mas o tratamento conservador é complicado pois não se trata de uma lesão

12 12 encapsulada e o tecido mixomatoso pode infiltrar no tecido ósseo próximo tendo maiores chances de ocorres recidivas. REIS, S. R. A. e col. em 2006 apresentaram um caso de mixoma odontogênico que foi tratado com crioterapia. Em sua revisão foi relatado que o mixoma odontogênico é um tumor benigno, pouco freqüente, de crescimento lento e que infiltra o tecido ósseo adjacente, apresentando características clinicas como aumento de volume, deslocamento dos dentes e, em alguns casos, ulcerações na mucosa. Radiograficamente apresenta imagem de uni ou multilocular com presença de septos radiopacos distribuídos em ângulos retos (Imagem 1). Histologicamente o tumor apresenta células estreladas ou alongadas mergulhadas em uma matriz frouxa abundante em mucopolissacarídeos (Imagem 3). A abordagem cirúrgica com a crioterapia foi utilizada para complementar um procedimento menos invasivo. A ação da crioterapia com nitrogênio liquido sobre a célula ocorre com a formação de cristais de gelo no ambiente intra e extracelular o que ocasiona alterações na estrutura da membrana celular, causando a morte das células, mas mantendo a arquitetura inorgânica inalterada, o que ajudará na formação de novo osso, isento de tumor. Com esse procedimento, obtém-se a margem de segurança preconizada. Mas a crioterapia também pode apresentar conseqüências, como a fratura da mandíbula, pois com o congelamento do osso diminui a resistência mecânica do mesmo levando a uma possível fratura no futuro, então para prevenir esse possível acidente, pode-se usar uma placa de reconstrução que é fixada na mandíbula da paciente para assegurar a resistência do corpo mandibular. CASTRO, A. L. et al. (2003) descreveram o mixoma odontogênico como sendo uma rara neoplasia benigna, que histopatológicamente apresenta semelhança com o tecido mesenquimal de um dente em desenvolvimento, mostrando células estreladas em um estroma abundante em mucopolissacarídeos ácidos (Imagem 3). Por se tratar de uma lesão rara, o diagnóstico tem de ser feito buscando todos os detalhes clínicos e radiográficos. E pelo crescimento lento, muitas vezes o diagnóstico é feito muito tarde, quando a lesão já está com um grande volume, trazendo maiores conseqüências como má oclusão, invasão de estrutura anatômica, instabilidade dental, obstrução nasal e diplopia. Dor também pode estar presente mas não é comum.

13 13 O aspecto radiográfico a lesão apresenta imagem radiolúcida multilocular lembrando a forma de uma raquete de tênis pela presença de trabéculas ósseas delgadas, sempre dispostas em ângulos retos (Imagem 1). Característica essa que a torna semelhante para outras lesões, o que dificulta fazer diagnostico apenas pela imagem radiográfica sendo necessário a biópsia e análise histopatológico para o correto diagnóstico. Lesões como ameloblastoma, queratocisto odontogênico, lesão de célula gigante central e fibroma odontogênico central são diagnóstico diferencial para o mixoma odontogênico. VERAS FILHO, R. O. et al. em 2007 citaram que tumores odontogênicos como o mixoma, são derivados de elementos epiteliais e mesenquimais que formam os dentes, por esse motivo que são encontrados nos ossos maxilares e devem servir de diagnóstico diferencial para outras doenças quando relacionados com essas estruturas. O mixoma odontogênico trata-se de uma neoplasia benigna comum de crescimento lento, assintomático e infiltrativo. Pode ocorrer em qualquer idade, mas a segunda e a terceira década de vida são as mais acometidas por essa lesão, sendo mais comum aparecerem na região posterior de mandíbula, e quando presente em maxila, este localiza-se na região de molares e osso zigomático. Radiograficamente esse tipo de tumor pode apresentar imagem uni ou multilocular, ser bem delimitado ou difuso podendo causar reabsorção ou deslocamento dos dentes na área do tumor (Imagem 1). Para o tratamento, eles relatam que a ressecção cirúrgica é o tratamento de escolha, sendo o prognóstico bom, não ocorrendo metástase e a taxa de recidiva ser significativa. A reabilitação do paciente é imprescindível. BRITES, F. C. (2012) refere-se ao mixoma como um tumor agressivo, benigno e raro que acomete adultos jovens e não tem predileção por sexo, aparecendo em quase todas as regiões dos maxilares, sendo a mandíbula a mais afetada. Pode apresentar dor, ulcerações, invasão de tecidos moles e mobilidades dentárias junto com a expansão da cortical óssea. Radiograficamente apresenta aspecto radiolúcido, podendo ser uni ou multilocular, com aspecto de favo de mel (Imagem 1). Pode aparecer como uma lesão bem delimitada ou difusa.

14 14 Histologicamente, o mixoma é um tumor não encapsulado, consistindo de substância mixomatoide, relativamente acelular. Embora a origem do mixoma seja atribuída ao mesênquima de um dente em desenvolvimento ou ao ligamento periodontal, tipicamente há ausência de restos odontogênicos nesses tumores. Suas células são esféricas e fusiformes com arranjo estrelado dispostas em estroma mixoide e são encontradas na matriz de mucopolissacarídeo (Imagem 3). A biópsia é imprescindível para o diagnóstico correto e o tratamento de escolha é a cirurgia radical, com uma margem de segurança de 1,5 a 2 cm. A reconstrução imediata ainda é uma dúvida, pois por se tratar de uma lesão não encapsulada pode haver restos epiteliais onde a lesão se localizava, e também a necessidade de uma equipe de micro-cirurgia plástica, aumentando, dessa forma, os custos da cirurgia e o tempo de anestesia. TARRAGÓ, MSC. DRA. J. D. M. et al. (2008) relata que mixoma odontogênico é um tumor benigno raro, de crescimento lento, que pode ser confundido com um tumor maligno devido a sua agressividade e recidiva. Afeta maxila e mandíbula mas é mais freqüente em mandíbula e tem predileção pelo sexo feminino. É um tumor assintomático mas que pode apresentar dor, ulcerações, mobilidade dentaria e invasão de tecidos moles. Em radiografias apresenta imagem radiolúcida multilocular (Imagem 1) que pode ser confundida com ameloblastoma. No histopatológico, o mixoma é constituído por células estreladas, redondas e fusiformes em um estroma mixóide frouxo com poucas fibras colágenas (Imagem 3). Um bom exame clínico da lesão e radiográfico são de extrema importância, mas pela semelhança do mixoma com outras lesões, o exame histopatológico é indispensável para o diagnóstico definitivo da lesão. O tratamento indicado vai desde a curetagem até a ressecção em bloco da área afetada. NEVILLE, B. W. et al. (2008) escreveram que o mixoma é geralmente encontrado em adultos jovens, mas que podem ocorrer em qualquer idade, não há predileção por sexo e pode estar presente em quase todas as regiões dos maxilares, sendo que a mandíbula é um pouco mais afetada que a maxila. As lesões menores geralmente são assintomáticas já as maiores geralmente estão associadas com a expansão indolor da cortical óssea. Pode apresentar crescimento rápido com acúmulo de substância fundamental mixóide.

15 15 Apresenta-se como uma lesão radiotransparente uni ou multilocular (Imagem 1), que pode deslocar ou causar reabsorção dos dentes na área do tumor. As margens podem mostrar-se irregulares e festonadas, e o interior da lesão apresenta finas trabéculas de osso que muitas vezes formam ângulos reto entre si, dando aspecto de bolha de sabão que é muito semelhante ao ameloblastoma. Microscopicamente o tumor é constituído de células redondas e fusiformes com arranjo estrelado, disposta em um abundante estroma mixóide frouxo contendo poucas fibras colágenas (Imagem 3). Quanto ao tratamento, NEVILLE, B. W. e col. (2008), dizem que lesões pequenas podem ser tratadas com curetagem, mas a reavaliação periódica é necessária. E para lesões maiores é necessário uma ressecção mais extensa, por não se tratar de um tumor encapsulado que tende a infiltrar o tecido circunjacente. MELO, A. U. C. et al. (2008) dizem que o mixoma odontogênico geralmente aparecem mais em adolescente e adultos jovens, entre a segunda e terceira década de vida, não havendo um consenso a respeito de predileção por localização, por sexo mais afetado e não há predileção racial. Eles são assintomáticos, causando dor, parestesia ou assimetria quando assumem maior tamanho. Tem crescimento lento, podendo causar divergência ou reabsorção radicular, deslocamento ou mobilidade dentária. Radiograficamente se apresentam bastante variáveis, mas sempre radiolúcidos. Podem apresentar aparência de bolhas de sabão, raquete de tênis e favos de mel (Imagem 1). Tanto as radiografias convencionais como a tomografia computadorizada devem ser utilizadas na investigação radiográfica para determinação do tamanho do tumor, da definição das margens, do padrão de septos ósseos e da possibilidade de perfuração da cortical. No seu aspecto histológico, o mixoma odontogênico apresenta uma abundante substância intercelular mucosa composta por tecido conjuntivo frouxo eosinofílico. Imersas neste estroma encontram-se células fusiformes e estreladas com citoplasmas alongados, com ou sem pequenas massas de epitélio odontogênico inativo (Imagem 3). Como os mixomas odontogênicos possuem alto índice de recidiva, devido principalmente a sua consistência gelatinosa e ausência de cápsula, faz-se necessário que o tratamento inicial seja bastante eficaz. A ressecção cirurgica com margem de segurança acaba sendo o tratamento mais indicado.

16 16 A proservação pós-operatória deve ser feita principalmente nos dois primeiros anos, pois este é o período de maior recidiva

17 17 3. DISCUSSÃO Os primeiros relatos sobre mixoma odontogênico encontrados na literatura datam do ano de 1947 por Thoma e Goldman (MELO, A. U. C. et al. 2008). O mixoma odontogênico é uma neoplasia benigna (ALTUG, H. A., SENCIMEN, M., GULSES, A. 2010; SILVA, B.F. et al.; REIS, S. R. A et al. 2006; CASTRO, A. L. et al. 2003; VERAS FILHO, R. O. et al. 2007; BRITES, F. C. 2012; TARRAGÓ, MSC. DRA. J. D. M. et al. 2008), pouco frequente de ser encontrado casos na literatura e que acomente os tecidos ósseos, tem crescimento lento e possui capacidade de infiltrar os tecidos ósseos adjacentes (REIS, S. R. A et al. 2006) por apresentar característica de não ter suas células encapsuladas. Apresenta coloração branco amarelado, de aspecto gelatinoso (SILVA, B.F. et al.), que contradiz o que CASTRO, A. L. et al. em 2003 fala, que o mixoma possui coloração clara de aspecto não gelatinoso. Há relatos que a prevalência desse tipo de tumor em adolescentes e adultos jovens, entre a segunda e a terceira década de vida (ALTUG, H. A., SENCIMEN, M., GULSES, A. 2010; SILVA, B.F. et al.; VERAS FILHO, R. O. et al. 2007; BRITES, F. C. 2012; NEVILLE, B. W. et al. 2008) são maiores que nas outras idades, tendo predileção pelo sexo feminino e localização mais comum em mandíbula, mais para a região posterior de mandíbula (MELO, A. U. C. et al. 2008). Já outros autores relatam que o mixoma odontogênico podem aparecer em qualquer região dos maxilares (TARRAGÓ, MSC. DRA. J. D. M. et al. 2008), mas geralmente a mandíbula é a parte mais afetada (BRITES, F. C. 2012) principalmente a região posterior (VERAS FILHO, R. O. et al. 2007) com maior freqüência no corpo e ramo da mandíbula (SILVA, B.F. et al.). Quando ocorre em maxila, a região mais comumente onde é encontrado esse tipo de tumor é onde se localiza os molares e o osso zigomático (VERAS FILHO, R. O. et al. 2007). Clinicamente são assintomáticos (CASTRO, A. L. et al. 2003; VERAS FILHO, R. O. et al. 2007; TARRAGÓ, MSC. DRA. J. D. M. et al. 2008; NEVILLE, B. W. et al. 2008; MELO, A. U. C. et al. 2008) mas podem apresentar dor e parestesia quando assumem um tamanho maior (MELO, A. U. C. et al. 2008). Em alguns casos, mostraram a presença de ulcerações, mobilidade dentária e invasão de tecidos moles (TARRAGÓ, MSC. DRA. J. D. M. et al. 2008). Visto que também podem

18 18 apresentar mobilidade dentária (BRITES, F. C. 2012; MELO, A. U. C. et al. 2008) e invasão de tecidos moles junto com a expansão da cortical óssea (BRITES, F. C. 2012; NEVILLE, B. W. et al. 2008). A maioria dos autores tem o mesmo relato quanto as características radiográficas, onde o mixoma se apresenta radiolúcido, podendo ser unilocular ou multilocular formando imagens que pode ser comparadas com favo de mel (BRITES, F. C. 2012; MELO, A. U. C. et al. 2008), raquete de tênis (ALTUG, H. A., SENCIMEN, M., GULSES, A. 2010; SILVA, B.F. et al.; CASTRO, A. L. et al. 2003; MELO, A. U. C. et al. 2008), bolhas de sabão (ALTUG, H. A., SENCIMEN, M., GULSES, A. 2010; NEVILLE, B. W. et al. 2008; MELO, A. U. C. et al. 2008). Segundo ALTUG, H. A., SENCIMEN, M., GULSES, A. em 2010 diz que a reabsorção radicular raramente é vista, e SILVA, B.F. et al. relata que a imagem multilocular apresenta-se separada por septos radiolúcidos que formam ângulos retos entre si, onde os limites não são nítidos que indica ser uma lesão invasiva provocando deslocamento dos dentes e reabsorção radicular dos dentes vizinhos. Alguns outros autores concordam com a presença de septos dispostos em ângulos retos. (REIS, S. R. A et al. 2006; CASTRO, A. L. et al. 2003; NEVILLE, B. W. et al. 2008). Com o advento da tomografia computadorizada ficou mais fácil fazer o diagnóstico das lesões, o mixoma se enquadra nesse benefício, pois com a imagem tomográfica é possível saber a dimensão exata da lesão através dos vários cortes que ela possibilita fazer, da montagem em terceira dimensão, que permite analise completa da situação da lesão, das áreas anatômicas que estão envolvidas na mesma possibilitando assim o planejamento mais adequado para cada situação, individualizando o tratamento de cada paciente. No aspecto histopatológico, enquanto um autor afirma que o tumor apresenta células arredondadas em um estroma mucóide e é um tumor encapsulado com delimitações precisas (SILVA, B.F. et al.), outro já contradiz essa informação dizendo que esse tipo de tumor apresenta células estreladas ou alongadas mergulhadas em uma matriz frouxa abundante em mucopolissacarídeos (REIS, S. R. A et al. 2006; CASTRO, A. L. et al. 2003) onde essas células tem núcleo arredondado (CASTRO, A. L. et al. 2003) e tecido semelhante ao tecido mesenquimal de um dente em desenvolvimento (CASTRO, A. L. et al. 2003; VERAS FILHO, R. O. et al. 2007). De acordo com BRITES, F. C. em 2012, o mixoma odontogênico é consistido de substância mixomatóide relativamente acelular, onde as células esféricas e

19 19 fusiformes com arranjo estrelados estão dispostos em estroma mixódie são encontradas na matriz de mucopolissacarídeos. E NEVILLE, B. W. et al. em 2008 afirma que essas células redondas e fusiformes com arranjo estrelados estão dispostas em um abundante estroma mixóide frouxo que contém poucas fibras colágenas, sendo essa afirmação igual a do autor TARRAGÓ, MSC. DRA. J. D. M. et al. em O tratamento preconizado pela maioria dos autores é a ressecção cirúrgica radical (ALTUG, H. A., SENCIMEN, M., GULSES, A. 2010; BRITES, F. C. 2012) com margem de segurança para evitar recidivas (ALTUG, H. A., SENCIMEN, M., GULSES, A. 2010; MELO, A. U. C. et al. 2008), alguns autores indicam margem de 1,5cm a 2cm de seguraça (BRITES, F. C. 2012), outros indicam a curetagem (CASTRO, A. L. et al. 2003; TARRAGÓ, MSC. DRA. J. D. M. et al. 2008; NEVILLE, B. W. et al. 2008) principalmente por se tratar de uma extensa lesão e que pode trazer recidivas. Outra opção de tratamento apresentado foi a crioterapia (REIS, S. R. A et al. 2006; CASTRO, A. L. et al. 2003), que consiste em uma técnica onde se usa nitrogênio líquido e após a remoção do tecido ósseo afetado aplica-se o nitrogênio no leito ósseo. O tempo de cada aplicação corresponde ao necessário para se obter o aspecto visual do osso congelado. Os intervalos entre cada ciclo eram dependentes do sangramento no leito previamente congelado. (REIS, S. R. A et al. 2006). Esse tratamento agressivo traz grandes implicações para o paciente devido a grande perca óssea e conseqüentemente a perca dos elementos dentais, para reverter essa sequela, é feito enxerto ósseo na região onde foi retirado a lesão e após a formação do osso o paciente é reabilitado com prótese ou implantes. Quanto ao diagnóstico diferencial, os autores tem as mesmas opiniões, sempre relatando ameloblastoma (TARRAGÓ, MSC. DRA. J. D. M. et al. 2008), ceratocisto odontogênico, lesão central de células gigantes, fibroma odontogênico (REIS, S. R. A et al. 2006; CASTRO, A. L. et al. 2003; VERAS FILHO, R. O. et al. 2007; BRITES, F. C. 2012). Mas alguns ainda relatam mais alguns diagnósticos que podem ser confundidos com o mixoma odontogênico como neurofibroma mixóide, fibroma condromixóide (NEVILLE, B. W. et al. 2008), rabdomiossarcoma, lipossarcoma mixóide (MELO, A. U. C. et al. 2008), hemangioma intraósseo (BRITES, F. C. 2012; MELO, A. U. C. et al. 2008).

20 20 A maneira de diferenciar e ter o diagnóstico correto é através do exame histopatológico.

21 21 4. CONCLUSÃO Conclui-se que: Mixoma odontogênico são lesões benignas altamente invasivas que atingem o tecido ósseo; O exame clínico é muito importante, mas exames complementares são essenciais para o diagnóstico correto dessa lesão, principalmente o exame histopatológico; O tratamento cirúrgico é agressivo, pois é necessário margem de segurança para que seja evitado casos de recidivas.

22 22 5. IMAGENS Imagem 1 Imagem panorâmica dos maxilares, nota-se a presença do mixoma odontogênico na região posterior de mandíbula, se estendendo desde a região de canino até ramo da mandíbula. Fonte: imagem cedida pelo Professor Dr. Ricardo Alves Matheus

23 23 Imagem 2 Reconstruções tridimensionais Imagem 2.A - Vista da face vestibular da lateral esquerda de mandíbula Fonte: imagem cedida pelo Professor Dr. Ricardo Alves Matheus

24 24 Imagem 2.B Vista da face lingual da lateral esquerda de mandíbula Fonte: imagem cedida pelo Professor Dr. Ricardo Alves Matheus

25 25 Imagem 2.C Vista ínfero-superior com expansão das corticais na região acometida pelo processo patológico Fonte: imagem cedida pelo Professor Dr. Ricardo Alves Matheus

26 26 Imagem 3 Exame histopatológico mostrando células fusiformes e estreladas com núcleos arredondados Fonte: CASTRO, Alvimar Lima de; KANNO, Cláudia Misue; CALLESTINI, Renata; SICCHIERI, Luciana Gonçalves; MUNHOZ, Felipe Camargo. Revista Odontológica de Araçatuba, v.24, n.2, p , Agosto/Dezembro, MIXOMA ODONTOGÊNICO EM MANDÍBULA

27 27 Imagem 4 Mixoma odontogênico em mandíbula (A radiografia panorâmica inicial; B aspecto transcirúrgico: ressecção da lesão e reconstrução por placa de titânio bicortical; C aspecto macroscópico da peça operatória; D aspecto radiográfico com 15 meses de pós-operatório) Fonte: BRITES, Fabio Caetano. Rev. Cir. Traumatol. Buco-Maxilo-Fac., Camaragibe v.12, n.4, p , out./dez Mixoma odontogênico tratamento cirúrgico radical

28 28 6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALTUG, Hasan Ayberk; SENCIMEN, Metin; GULSES, Aydin. Clinico-Radiographic Examination of Odontogenic Myxoma with Displacement of Unerupted Upper Third Molar: Review of the Literature. International Journal of Morphology, Temuco, v.29, n.3, p , set Disponível em: < acesso em: 20 de Abril de BRITES, Fabio Caetano. Mixoma Odontogênico tratamento cirúrgico radical. Revista de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial, Camaragibe, v.12, n. 4, p , out./dez Disponível em: < acesso em: 24 de Junho de CASTRO, Alvimar Lima de; KANNO, Cláudia Misue; CALLESTINI, Renata; SICCHIERI, Luciana Gonçalves; MUNHOZ, Felipe Camargo. Mixoma Odontogênico em Mandíbula. Revista Odontológica de Araçatuba, Araçatuba, v.24, n.2, p , ago./dez Disponível em: < acesso em: 24 de Junho de MELO, Allan Ulisses Carvalho de; MARTORELLI, Sérgio Bartolomeu de Farias; CAVALCANTI, Paulo Henrique de Holanda; GUEIROS, Luiz Alcino; MARTORELLI, Fernando de Oliveira. Mixoma odontogênico maxilar: relato de caso clínico comprometendo seio maxilar. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia, São Paulo, v.74, n.3, maio/jun Disponível em:< acesso em: 04 de Outubro de 2014.

29 29 NEVILLE, Brad W.; DAMM, Douglas D.; ALLEN, Carl M.; BOUQUOT, Jerry E.. Patologia Oral e Maxilofacial. 2ª edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, REIS, Silvia Regina de Almeida; ANDRADE, Miguel Gustavo Setúbal; KNOP, Luegya Amorim Henriques; HOSHI, Ryushi; RABELLO, Iêda Crusoé. Mixoma Odontogênico avaliação imaginológica de um caso tratado com crioterapia. Revista da ABRO Associação Brasileira de Radiologia Odontológica, v.7, n.2, p , jul./dez Disponível em: < acesso em: 24 de Junho de 2014 SILVA, Bruna Fontes da; CERRI, Artur; SILVA, Carlos Eduardo Xavier S. Ribeiro da; MACEDO, Adriana Lopes. Mixoma Odontogênico com invasão sinusal. Disponível em: < Acesso em: 24 de Junho de TARRAGÓ, MSc. Dra. Josefa Dolores Miranda; FERNÁNDEZ, Dr. Rafael Delgado; VÉLEZ, Dr. Joaquín Urbizo; QUINTANA, Dr. Juan Carlos; MIRANDA, Dra. Eglys Trujillo; ROJAS, Dra. Isis C Contreras. Mixoma odontogénico, un reto para el diagnóstico. Revista Cubana de Estomatologia, Ciudad de La Habana, v.45, n.3-4, jul./dic Disponível em: < acesso em: 20 de Abril de VERAS FILHO, Ruy de Oliveira; PINHEIRO, Silvano Santos; ALMEIDA, Isabel Cristina Pinheiro de; ARRUDA, Maria de Lourdes Silva; COSTA, Antonio de Lisboa Lopes. Mixoma Odontogênico em maxila com invasão do seio maxilar. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia, São Paulo, v.74, n.6, nov./dez

30 30 Disponível em: < acesso em: 20 de Abril de 2014.

Patologia Buco Dental Prof. Dr. Renato Rossi Jr.

Patologia Buco Dental Prof. Dr. Renato Rossi Jr. Cistos Odontogênicos Introdução Os cistos derivados dos tecidos odontogênicos são caracterizados como lesões de extraordinária variedade. O complexo desenvolvimento das estruturas dentárias é refletido

Leia mais

INFORMAÇÕES DE IMAGENS DAS LESÕES DOS MAXILARES

INFORMAÇÕES DE IMAGENS DAS LESÕES DOS MAXILARES INFORMAÇÕES DE IMAGENS DAS LESÕES DOS MAXILARES INFORMAÇÕES RADIOGRÁFICAS DAS LESÕES ÓSSEAS CONSIDERAÇÕES GERAIS REVER CONCEITOS: LESÕES OSTEOLÍTICAS/OSTEOGÊNICAS CONCEITOS ESSENCIAIS: CRESCIMENTO DA LESÃO

Leia mais

Assessoria ao Cirurgião Dentista Publicação mensal interna da Papaiz edição XIX Setembro de papaizassociados.com.

Assessoria ao Cirurgião Dentista Publicação mensal interna da Papaiz edição XIX Setembro de papaizassociados.com. Assessoria ao Cirurgião Dentista Publicação mensal interna da Papaiz edição XIX Setembro de 2016 Dr. André Simões, radiologista da Papaiz Diagnósticos Odontológicos por Imagem 11 3894 3030 papaizassociados.com.br

Leia mais

CISTO DO DUCTO NASOPALATINO: RELATO DE CASO

CISTO DO DUCTO NASOPALATINO: RELATO DE CASO CISTO DO DUCTO NASOPALATINO: RELATO DE CASO LUNA, Aníbal Henrique Barbosa; MONTENEGRO, Eduardo de Almeida Souto; DE CARVALHO, Irla Karlinne Ferreira; PAIVA, Marcos Antônio Farias de; JÚNIOR, Vilmar Andrade

Leia mais

Displasia Fibrosa Aspectos Radiográficos e Tomográficos

Displasia Fibrosa Aspectos Radiográficos e Tomográficos Displasia Fibrosa Aspectos Radiográficos e Tomográficos De modo geral a substituição da arquitetura óssea por tecido fibroso caracteriza um grupo de patologias denominadas de lesões fibro ósseas; dentro

Leia mais

Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Jônatas Catunda de Freitas

Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Jônatas Catunda de Freitas Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Liga de Cirurgia de Cabeça e Pescoço Jônatas Catunda de Freitas Fortaleza 2010 Lesões raras, acometendo principalmente mandíbula e maxila Quadro clínico

Leia mais

O uso da tomografia computadorizada multislice como meio auxiliar no diagnóstico do Ameloblastoma: relato de um caso clínico

O uso da tomografia computadorizada multislice como meio auxiliar no diagnóstico do Ameloblastoma: relato de um caso clínico O uso da tomografia computadorizada multislice como meio auxiliar no diagnóstico do Ameloblastoma: relato de um caso clínico The use of multislice computed tomography as an aid in the diagnosis of ameloblastoma:

Leia mais

TUMORES ODONTOGÊNICOS

TUMORES ODONTOGÊNICOS 37 TUMORES ODONTOGÊNICOS Classificação: Inúmeras são as classificações propostas para os tumores odontogênicos, mas nenhuma universalmente aceita, principalmente em decorrência das dúvidas ainda existentes

Leia mais

TRATAMENTO CIRÚRGICO DE ODONTOMA COMPLEXO EM MANDÍBULA COM O AUXÍLIO DE MOTOR ULTRASSÔNICO. Odontologia de Araçatuba UNESP;

TRATAMENTO CIRÚRGICO DE ODONTOMA COMPLEXO EM MANDÍBULA COM O AUXÍLIO DE MOTOR ULTRASSÔNICO. Odontologia de Araçatuba UNESP; TRATAMENTO CIRÚRGICO DE ODONTOMA COMPLEXO EM MANDÍBULA COM O AUXÍLIO DE MOTOR ULTRASSÔNICO Lara Carvalho Cunha 1; Gustavo Antonio Correa Momesso 2 ; Valthierre Nunes de Lima 2 ; Sormani Bento Fernandes

Leia mais

Calcifying Odontogenic Cyst: Report of a Case

Calcifying Odontogenic Cyst: Report of a Case CISTO ODONTOGÊNICO CALCIFICANTE: RELATO DE CASO Calcifying Odontogenic Cyst: Report of a Case Recebido em 20/07/2005 Aprovado em 07/08/2005 Antonio Varela Cancio* Ricardo Viana Bessa-Nogueira** Belmiro

Leia mais

ENUCLEAÇÃO DE CISTO RADICULAR MAXILAR DE GRANDE EXTENSÃO: RELATO DE CASO

ENUCLEAÇÃO DE CISTO RADICULAR MAXILAR DE GRANDE EXTENSÃO: RELATO DE CASO ENUCLEAÇÃO DE CISTO RADICULAR MAXILAR DE GRANDE EXTENSÃO: RELATO DE CASO Ivna Freitas de Sousa Alves¹; Jordanna Paiva de Mesquita¹; Nayanne Barros Queiroz¹; Gislyane Lima de Queiroz¹; Ana Roberta de Almeida

Leia mais

Assessoria ao Cirurgião Dentista Publicação mensal interna da Papaiz edição XXVII Setembro de 2017

Assessoria ao Cirurgião Dentista Publicação mensal interna da Papaiz edição XXVII Setembro de 2017 Assessoria ao Cirurgião Dentista Publicação mensal interna da Papaiz edição XXVII Setembro de 2017 Dr. André Simões, radiologista da Papaiz Diagnósticos Odontológicos por Imagem 11 3894 3030 papaizassociados.com.br

Leia mais

CISTO DENTÍGERO, UM RELATO DE CASO DENTIGEROUS CYST, A REPORT CASE

CISTO DENTÍGERO, UM RELATO DE CASO DENTIGEROUS CYST, A REPORT CASE CISTO DENTÍGERO, UM RELATO DE CASO DENTIGEROUS CYST, A REPORT CASE Autores: Dr. Reinaldo Jose de Oliveira Coordenador do curso de Especialização em Radiologia Odontogica e Imaginologia na FMU Faculdades

Leia mais

Centro Universitário Cesmac CAMILA MARIA BEDER RIBEIRO

Centro Universitário Cesmac CAMILA MARIA BEDER RIBEIRO Centro Universitário Cesmac CAMILA MARIA BEDER RIBEIRO TUMORES ODONTOGÊNICOS Tumores odontogênicos - grupo de doenças heterogêneas que vão desde hamartomas ou proliferação de tecido não neoplásico a neoplasias

Leia mais

Tumor Odontogênico Adenomatoide: Relato de Caso

Tumor Odontogênico Adenomatoide: Relato de Caso Recebido em 15/10/2013 Aprovado em 12/08/2013 V14N1 Tumor Odontogênico Adenomatoide: Relato de Caso Adenomatoide Odontogenic Tumor: Case Report Marcelo Farias de Medeiros I Fabrício de Souza Landin II

Leia mais

Apresentação clínica e histológica da utilização do substituto ósseo sintético Gen Phos ( ßTCP) em odontologia.

Apresentação clínica e histológica da utilização do substituto ósseo sintético Gen Phos ( ßTCP) em odontologia. Apresentação clínica e histológica da utilização do substituto ósseo sintético Gen Phos ( ßTCP) em odontologia. Resumo: Este estudo tem como objetivo apresentar o comportamento do substituto ósseo sintético

Leia mais

Aspectos clínicos, radiográficos e terapêuticos do ameloblastoma

Aspectos clínicos, radiográficos e terapêuticos do ameloblastoma RPG Rev Pós Grad 2005;12(4):460-5 Aspectos clínicos, radiográficos e terapêuticos do ameloblastoma MARIO SERGIO SADDY*, ISRAEL CHILVARQUER**, LUCIANO LAURIA DIB***, RENATA LAZARI SANDOVAL**** * Doutorando

Leia mais

WALABONSO BENJAMIN GONÇALVES FERREIRA NETO FRATURA DA CABEÇA DA MANDÍBULA. CARACTERÍSTICAS, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO.

WALABONSO BENJAMIN GONÇALVES FERREIRA NETO FRATURA DA CABEÇA DA MANDÍBULA. CARACTERÍSTICAS, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO. WALABONSO BENJAMIN GONÇALVES FERREIRA NETO FRATURA DA CABEÇA DA MANDÍBULA. CARACTERÍSTICAS, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO. Monografia apresentada à Fundação para o Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico da

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 2 3 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste

Leia mais

Assessoria ao Cirurgião Dentista Publicação mensal interna da Papaiz edição XX Outubro de papaizassociados.com.

Assessoria ao Cirurgião Dentista Publicação mensal interna da Papaiz edição XX Outubro de papaizassociados.com. Assessoria ao Cirurgião Dentista Publicação mensal interna da Papaiz edição XX Outubro de 2016 Dr. André Simões, radiologista da Papaiz Diagnósticos Odontológicos por Imagem 11 3894 3030 papaizassociados.com.br

Leia mais

Cisto Dentígero: Relação entre Imagem Radiográfica do Espaço Pericoronário e Laudo Histopatológico em Terceiros Molares Inclusos

Cisto Dentígero: Relação entre Imagem Radiográfica do Espaço Pericoronário e Laudo Histopatológico em Terceiros Molares Inclusos Cisto Dentígero... Cisto Dentígero: Relação entre Imagem Radiográfica do Espaço Pericoronário e Laudo Histopatológico em Terceiros Molares Inclusos Marileia Alves 1, Karen Corrêa de Oliveira 2 1 Acadêmica

Leia mais

III Simpósio Internacional de Estomatologia e Patologia Cirúrgica dos Maxilares EPAC 2017

III Simpósio Internacional de Estomatologia e Patologia Cirúrgica dos Maxilares EPAC 2017 III Simpósio Internacional de Estomatologia e Patologia Cirúrgica dos Maxilares EPAC 2017 Realização: Divisão de Odontologia Serviço de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial do Hospital das Clínicas

Leia mais

AMELOBLASTOMA: TRATAMENTO CIRÚRGICO CONSERVADOR OU RADICAL? AMELOBLASTOMA: RADICAL OR CONSERVATIVE SURGICAL TREATMENT?

AMELOBLASTOMA: TRATAMENTO CIRÚRGICO CONSERVADOR OU RADICAL? AMELOBLASTOMA: RADICAL OR CONSERVATIVE SURGICAL TREATMENT? Rev. Cir. Traumat. Buco-Maxilo-Facial, AMELOBLASTOMA: TRATAMENTO CIRÚRGICO CONSERVADOR OU RADICAL? AMELOBLASTOMA: RADICAL OR CONSERVATIVE SURGICAL TREATMENT? Ana Cláudia Amorim GOMES * Emanuel DIAS **

Leia mais

Imagem da Semana: Ressonância nuclear magnética

Imagem da Semana: Ressonância nuclear magnética Imagem da Semana: Ressonância nuclear magnética Imagem 01. Ressonância Margnética do Abdomen Imagem 02. Angiorressonância Abdominal Paciente masculino, 54 anos, obeso, assintomático, em acompanhamento

Leia mais

Tumores Odontogênicos

Tumores Odontogênicos Karla Mayra Rezende Marcelo Bönecker Tumores Odontogênicos Introdução Tumores odontogênicos compreendem grupos de neoplasias que tem como origem os tecidos formadores dos dentes. O clinico tem como responsabilidade

Leia mais

REDE CREDENCIADA ATHUS BRASIL TABELA ODONTOLÓGICA - V

REDE CREDENCIADA ATHUS BRASIL TABELA ODONTOLÓGICA - V CÓDIGO GRUPO DESCRIÇÃO VALOR GARANTIA (DIAS) 81000065 CONSULTA Consulta odontológica inicial (exame clínico e plano de tratamento) R$ 22,00 90-81000111 CIRURGIA ODONTOLÓGICA Acompanhamento de tratamento/

Leia mais

ADENOMA PLEOMÓRFICO DO PALATO: relato de caso clínico. Odontologia da PUC Minas

ADENOMA PLEOMÓRFICO DO PALATO: relato de caso clínico. Odontologia da PUC Minas ADENOMA PLEOMÓRFICO DO PALATO: relato de caso clínico Flávio Sirihal Werkema 1, Hermínia Marques Capistrano 2 Trabalho desenvolvido no Curso de Graduação em Odontologia do Departamento de Odontologia da

Leia mais

TABELA DE PROCEDIMENTOS PLANO REFERÊNCIA. O Primeiro Plano Odontológico do Brasil 2017 Todos os direitos reservados.

TABELA DE PROCEDIMENTOS PLANO REFERÊNCIA. O Primeiro Plano Odontológico do Brasil 2017 Todos os direitos reservados. TABELA DE PROCEDIMENTOS PLANO REFERÊNCIA 195 O Primeiro Plano Odontológico do Brasil 2017 Todos os direitos reservados. 2 TABELA DE PROCEDIMENTOS DIAGNÓSTICO Consulta Diagnóstico anatomopatológico em citologia

Leia mais

U.C. I 7ª e 8ª Aulas. DentaScan Joaquim Agostinho - Unidade Clinica I 1

U.C. I 7ª e 8ª Aulas. DentaScan Joaquim Agostinho - Unidade Clinica I 1 U.C. I 7ª e 8ª Aulas DentaScan 15-11-2012 Joaquim Agostinho - Unidade Clinica I 1 História para corresponder aos anseios dos doentes, de substituição de dentes em falta, por próteses funcional e estéticamente

Leia mais

XXIV Reunião Clínico Radiológica. Dr. Rosalino Dalasen.

XXIV Reunião Clínico Radiológica. Dr. Rosalino Dalasen. XXIV Reunião Clínico Radiológica Dr. Rosalino Dalasen www.digimaxdiagnostico.com.br Paciente P.R. 67 anos, Masculino Piora de assimetria facial Evolução paciente: Apresenta o globo ocular esquerdo abaixo

Leia mais

TABELA DE COPARTICIPAÇÃO - PLANO ODONTOLÓGICO OURO - ASPER

TABELA DE COPARTICIPAÇÃO - PLANO ODONTOLÓGICO OURO - ASPER TABELA DE COPARTICIPAÇÃO - PLANO ODONTOLÓGICO OURO - ASPER Código Procedimento Procedimento Valor de Coparticipação Vigente (Novembro/2016) Valor de Coparticipação (Novembro/2015) 85400025 Ajuste Oclusal

Leia mais

TABELA PLANO PRÉ-PAGAMENTO UNIODONTO VALE DO SINOS 2016/2017

TABELA PLANO PRÉ-PAGAMENTO UNIODONTO VALE DO SINOS 2016/2017 TABELA PLANO PRÉ-PAGAMENTO UNIODONTO VALE DO SINOS 2016/2017 Cód. DIAGNÓSTICO Plano 81000030 Consulta Odontológica PPP 81000049 Consulta Odontológica de Urgência PPP 81000057 Consulta Odontológica de Urgência

Leia mais

TABELA DE FRANQUIA - PLANO ODONTOLÓGICO ESSENCIAL - Nº REG. ANS: /17-7. Valor em Reais Diagnóstico

TABELA DE FRANQUIA - PLANO ODONTOLÓGICO ESSENCIAL - Nº REG. ANS: /17-7. Valor em Reais Diagnóstico Diagnóstico 81.000.065 Consulta Odontológica Inicial R$ - Emergência 81.000.049 Consulta odontológica de Urgência 81.000.057 Consulta odontológica de Urgência 24 hs 82.000.468 Controle de hemorragia com

Leia mais

CAPÍTULO SUMÁRIO. CAPÍTULO 1 Histórico da implantodontia dentária: da antiguidade aos dias de hoje 1. CAPÍTULO 2 Anatomia maxilar e mandibular 13

CAPÍTULO SUMÁRIO. CAPÍTULO 1 Histórico da implantodontia dentária: da antiguidade aos dias de hoje 1. CAPÍTULO 2 Anatomia maxilar e mandibular 13 CAPÍTULO SUMÁRIO CAPÍTULO 1 Histórico da implantodontia dentária: da antiguidade aos dias de hoje 1 I Período antigo (a.c. a 1000 d.c.)... 1 A Localização geográfica... 1 B Materiais utilizados... 1 C

Leia mais

Imagem da Semana: Ultrassonografia, Tomografia Computadorizada

Imagem da Semana: Ultrassonografia, Tomografia Computadorizada Imagem da Semana: Ultrassonografia, Tomografia Computadorizada Imagem 01. Ultrassonografia Cervical (região de espaço carotídeo direito) Imagem 02. Ultrassonografia Cervical com Doppler (região de espaço

Leia mais

Prostatic Stromal Neoplasms: Differential Diagnosis of Cystic and Solid Prostatic and Periprostatic Masses

Prostatic Stromal Neoplasms: Differential Diagnosis of Cystic and Solid Prostatic and Periprostatic Masses Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina Departamento de Diagnóstico por Imagem Setor Abdome Prostatic Stromal Neoplasms: Differential Diagnosis of Cystic and Solid Prostatic and Periprostatic

Leia mais

ConScientiae Saúde ISSN: Universidade Nove de Julho Brasil

ConScientiae Saúde ISSN: Universidade Nove de Julho Brasil ConScientiae Saúde ISSN: 1677-1028 conscientiaesaude@uninove.br Universidade Nove de Julho Brasil Domingues Martins, Manoela; Alves Rosa, Orsine; Trevizani Martins, Marco Antônio; Kalil Bussadori, Sandra;

Leia mais

2

2 2 3 4 DESCRIÇÃO R$ DIAGNÓSTICO Consulta inicial Consulta e orientação aos idosos URGÊNCIA Procedimentos de urgência Curativo em caso de hemorragia Curativo em caso de odontalgia aguda/pulpectomia Consulta

Leia mais

UNIODONTO PORTO ALEGRE

UNIODONTO PORTO ALEGRE UNIODONTO PORTO ALEGRE CÓDIGO PROCEDIMENTO U.S. Flex 30% GRUPO Valor da US 0,32 Coeficiente 0,30 87000032 CONDICIONAMENTO EM ODONTOLOGIA PARA PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS 72,00 R$ 6,91 CONSULTAS

Leia mais

CARGA IMEDIATA EM IMPLANTES UNITÁRIOS NOS MAXILARES

CARGA IMEDIATA EM IMPLANTES UNITÁRIOS NOS MAXILARES UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE ODONTOLOGIA Curso de Especialização em Implantodontia CARGA IMEDIATA EM IMPLANTES UNITÁRIOS NOS MAXILARES Érica Luciana Ribeiro De Miranda Belo Horizonte

Leia mais

ANEXO II TABELA DO IAMESC. Valor do CHO em reais- R$0,32 CLÍNICO GERAL

ANEXO II TABELA DO IAMESC. Valor do CHO em reais- R$0,32 CLÍNICO GERAL ANEXO II TABELA DO IAMESC Valor do CHO em reais- R$0,32 CLÍNICO GERAL COD PROCEDIMENTOS CHO Valor seg. Valor inst. Valor total 01 70110000 Consulta Inicial 157 15,07 35,16 50,24 02 70115000 Profilaxia

Leia mais

Histologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA

Histologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA Histologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA Histologia Ramo da Biologia que estuda os tecidos; Tecido - é um conjunto de células, separadas ou não por substâncias intercelulares e que realizam determinada

Leia mais

[ESTUDO REFERENTE À ENCF - JOELHO]

[ESTUDO REFERENTE À ENCF - JOELHO] 2011 IMPOL Instrumentais e Implantes Samuel de Castro Bonfim Brito [ESTUDO REFERENTE À ENCF - JOELHO] Casos apresentados neste estudo foram operados e pertencem à Fundação Pio XII Hospital do Câncer de

Leia mais

TÍTULO: ESTUDO RADIOGRÁFICO DA PNEUMATIZAÇÃO DO TUBÉRCULO ARTICULAR E FOSSA DA MANDÍBULA DO OSSO TEMPORAL, POR MEIO DAS ELIPSOPANTOMOGRAFIAS

TÍTULO: ESTUDO RADIOGRÁFICO DA PNEUMATIZAÇÃO DO TUBÉRCULO ARTICULAR E FOSSA DA MANDÍBULA DO OSSO TEMPORAL, POR MEIO DAS ELIPSOPANTOMOGRAFIAS 16 TÍTULO: ESTUDO RADIOGRÁFICO DA PNEUMATIZAÇÃO DO TUBÉRCULO ARTICULAR E FOSSA DA MANDÍBULA DO OSSO TEMPORAL, POR MEIO DAS ELIPSOPANTOMOGRAFIAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA:

Leia mais

Caso Clínico. Paciente do sexo masculino, 41 anos. Clínica: Dor em FID e região lombar direita. HPP: Nefrolitíase. Solicitado TC de abdome.

Caso Clínico. Paciente do sexo masculino, 41 anos. Clínica: Dor em FID e região lombar direita. HPP: Nefrolitíase. Solicitado TC de abdome. Caso Clínico Paciente do sexo masculino, 41 anos. Clínica: Dor em FID e região lombar direita. HPP: Nefrolitíase. Solicitado TC de abdome. Apendicite.

Leia mais

Tumores Odontogênicos. Humberto Brito R3 CCP

Tumores Odontogênicos. Humberto Brito R3 CCP Tumores Odontogênicos Humberto Brito R3 CCP Avelar, 2008; Rodrigues, 2010 INTRODUÇÃO Neoplasias que afetam a maxila e a mandíbula A maioria acomete a mandíbula 2/3 (principalmente a região posterior) Grupo

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIÁPICE

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIÁPICE ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIÁPICE AMPLIAR AS IMAGENS E ESTUDAR COM MUITA ATENÇÃO - EXISTEM MUITOS DETALHES O órgão pulpar é semelhante a outros tecidos conjuntivos que reage a infecção bacteriana

Leia mais

ODONTOMA COMPOSTO COMO FATOR DE RETENÇÃO DENTÁRIA - RELATO DE CASO CLÍNICO

ODONTOMA COMPOSTO COMO FATOR DE RETENÇÃO DENTÁRIA - RELATO DE CASO CLÍNICO ODONTOMA COMPOSTO COMO FATOR DE RETENÇÃO DENTÁRIA - RELATO DE CASO CLÍNICO Dario GCS 1, Santos GLF 2, Canettieri ACV 3,Picosse LR4 4 1 UNIVAP- Universidade do Vale do Paraíba,Curso de Odontologia, 2 Av.

Leia mais

DESENVOLVIMENTO, ETIOLOGIA, SINTOMATOLOGIA, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DE CÁLCULOS EM GLÂNDULAS SALIVARES: UMA REVISÃO CRÍTICA DA LITERATURA

DESENVOLVIMENTO, ETIOLOGIA, SINTOMATOLOGIA, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DE CÁLCULOS EM GLÂNDULAS SALIVARES: UMA REVISÃO CRÍTICA DA LITERATURA DESENVOLVIMENTO, ETIOLOGIA, SINTOMATOLOGIA, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DE CÁLCULOS EM GLÂNDULAS SALIVARES: UMA REVISÃO CRÍTICA DA LITERATURA José Lucas Soares Ferreira 1 ; Abrahão Alves de Oliveira Filho

Leia mais

GRANULOMA CENTRAL DE CÉLULAS GIGANTES: RELATO DE CASO CENTRAL GIANT CELL GRANULOMAS: A CASE REPORT

GRANULOMA CENTRAL DE CÉLULAS GIGANTES: RELATO DE CASO CENTRAL GIANT CELL GRANULOMAS: A CASE REPORT GRANULOMA CENTRAL DE CÉLULAS GIGANTES: RELATO DE CASO CENTRAL GIANT CELL GRANULOMAS: A CASE REPORT Recebido em 26/11/2003 Aprovado em 12/04/2004 Ana Cláudia Amorim GOMES* Emanuel DIAS de Oliveira e Silva**

Leia mais

Cisto periodontal lateral: relato de caso clínico

Cisto periodontal lateral: relato de caso clínico Cisto periodontal lateral: relato de caso clínico CASO CLÍNICO Cisto periodontal lateral: relato de caso clínico Lateral periodontal cyst: clinical report Maria Elizabeth Marques NOGUEIRA MARTINS* Nathália

Leia mais

ADENOMA PLEOMÓRFICO: DESAFIOS DO TRATAMENTO A Propósito de Um Caso Clínico

ADENOMA PLEOMÓRFICO: DESAFIOS DO TRATAMENTO A Propósito de Um Caso Clínico Serviço de Radioterapia Directora de Serviço: Dra. Gabriela Pinto ADENOMA PLEOMÓRFICO: DESAFIOS DO TRATAMENTO A Propósito de Um Caso Clínico Rita da Costa Lago / Darlene Rodrigues / Joana Pinheiro / Lurdes

Leia mais

Determinação da expressão de proteínas no sítio epitélio-mesênquima do Tumor Queratocístico Odontogênico: importância no comportamento tumoral

Determinação da expressão de proteínas no sítio epitélio-mesênquima do Tumor Queratocístico Odontogênico: importância no comportamento tumoral TAVARES, D.; VENCIO, E. F. Determinação da expressão de proteínas no sítio epitélio mesênquima do Tumor Queratocístico Odontogênico: importância no comportamento tumoral. In: CONGRESSO DE PESQUISA, ENSINO

Leia mais

TUMORES OSSEOS EM CABEÇA E PESCOÇO

TUMORES OSSEOS EM CABEÇA E PESCOÇO CABEÇA E PECOÇO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ HOSPITAL WALTER CANTÍDIO Residência em Cirurgia de Cabeça e Pescoço TUMORES OSSEOS EM Geamberg Macêdo Agosto - 2006 TUMORES ÓSSEOS BÊNIGNOS OSTEOMA CONDROMAS

Leia mais

ANEXO I TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS DA UNIODONTO CATARINENSE MARFIM EMPRESARIAL

ANEXO I TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS DA UNIODONTO CATARINENSE MARFIM EMPRESARIAL ANEXO I TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS DA UNIODONTO CATARINENSE MARFIM EMPRESARIAL Produto Nº 463.787/11-9 Edição outubro/2011 - Terminologia Unificada da Saúde Suplementar (TUSS) Essa tabela é

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA CLÁUDIO PEREIRA DOS SANTOS JÚNIOR

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA CLÁUDIO PEREIRA DOS SANTOS JÚNIOR CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA CLÁUDIO PEREIRA DOS SANTOS JÚNIOR RELATO DE CASOS AMELOBLASTOMA: EXISTE CONSENSO ENTRE SUAS FORMAS DE TRATAMENTO CAMPINA GRANDE/PB 2014

Leia mais

TABELA ODONTOLÓGICA 2017

TABELA ODONTOLÓGICA 2017 TABELA ODONTOLÓGICA 2017 VIGÊNCIA A PARTIR DE 26/03/2017 Conteúdo DIAGNÓSTICO E AVALIAÇÃO TÉCNICA... 3 URGÊNCIA/EMERGÊNCIA... 4 RADIOLOGIA... 5 TESTES E EXAMES DE LABORATÓRIO... 6 PREVENÇÃO... 7 ODONTOPEDIATRIA...

Leia mais

OMS ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE

OMS ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE ONU Ancoragem Zigomática REABILITAÇÃO EM MAXILAS ATRÓFICAS Marcelo da Rocha BRASIL 2000 => 25 milhões de edêntulos (15%) 2025 => 33 milhões de habitantes com mais de 65 anos OMS ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE

Leia mais

ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE

ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE O órgão dentário, um dos elementos do aparelho mastigatório, é constituído por tecidos especificamente dentais (esmalte, dentina, polpa) e por tecidos periodontais

Leia mais

CHEGOU DIA 24 E AGORA?

CHEGOU DIA 24 E AGORA? CHEGOU DIA 24 E AGORA? VALORIZAÇÃO DA AMIZADE ANDRÉ VASCONCELOS TÉCNICO E TECNÓLOGO EM RADIOLOGIA PÓS-GRADUANDO EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA NA AVALIAÇÃO DOS SEIOS PARANASAIS(Seios

Leia mais

DIAGNÓSTICO DE TUMORES DE MAMA: PARTE II

DIAGNÓSTICO DE TUMORES DE MAMA: PARTE II DIAGNÓSTICO DE TUMORES DE MAMA: PARTE II EXAME HISTOPATOLÓGICO O exame histopatológico de biópsias incisionais ou excisionais é o método de diagnóstico mais seguro. Além de facilitar a classificação da

Leia mais

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DA REGIÃO CENTRO DO ESTADO/RS CI/CENTRO

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DA REGIÃO CENTRO DO ESTADO/RS CI/CENTRO TERMO DE RETIFICAÇÃO DE EDITAL Pelo presente termo de retificação do EDITAL N.º 01/2017 CHAMAMENTO PÚBLICO CREDENCIAMENTO CONTRATAÇÃO POR INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO DE PESSOAS JURÍDICAS PARA A PRESTAÇÃO

Leia mais

UFSC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROGRAMA DE ENSINO. Departamento Odontologia

UFSC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROGRAMA DE ENSINO. Departamento Odontologia UFSC CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROGRAMA DE ENSINO DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Nome da disciplina Cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial II Departamento Odontologia

Leia mais

INTERPRETAÇÃO DE IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL

INTERPRETAÇÃO DE IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL INTERPRETAÇÃO DE IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL Na imagem radiográfica de um dente íntegro todas as partes são facilmente identificáveis, pois já conhecemos a escala de radiopacidade. Agora começamos

Leia mais

Diagnóstico diferencial de lesões radiolúcidas em medicina dentária FMDUP

Diagnóstico diferencial de lesões radiolúcidas em medicina dentária FMDUP II Unidade Curricular de endodontia Artigo de revisão bibliográfica Diagnóstico Diferencial de Lesões Radiolúcidas em Medicina Dentária Viviane Sales da Silva Aluna do 5º Ano do Curso Mestrado Integrado

Leia mais

Dr. Mehdi Shahrzad E-BOOK IMPLANTES DENTÁRIOS

Dr. Mehdi Shahrzad E-BOOK IMPLANTES DENTÁRIOS Dr. Mehdi Shahrzad E-BOOK IMPLANTES DENTÁRIOS E D I T O R I A L O acesso ao conhecimento e formas de tratamento é fundamental para superar paradigmas na cultura em que vivemos, onde a beleza e a saúde

Leia mais

Cobertura RN 338 Lei 9656/98:

Cobertura RN 338 Lei 9656/98: Cobertura RN 338 Lei 9656/98: CÓDIGO PROCEDIMENTO GRUPO 87000032 CONDICIONAMENTO EM ODONTOLOGIA PARA PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS CONSULTAS 81000030 CONSULTA ODONTOLÓGICA CONSULTAS 81000073 CONSULTA

Leia mais

INTERPRETAÇÃO RADIOGRÁFICA POR ACADÊMICO DE ENFERMAGEM: PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO DE TÉCNICAS DE PROCESSAMENTO DIGITAL

INTERPRETAÇÃO RADIOGRÁFICA POR ACADÊMICO DE ENFERMAGEM: PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO DE TÉCNICAS DE PROCESSAMENTO DIGITAL INTERPRETAÇÃO RADIOGRÁFICA POR ACADÊMICO DE ENFERMAGEM: PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO DE TÉCNICAS DE PROCESSAMENTO DIGITAL Davide Carlos Joaquim 1, Ana Caroline Rocha Melo de Leite 2, Ciro Benevides

Leia mais

RETALHOS ÂNTERO-LATERAL DA COXA E RETO ABDOMINAL EM GRANDES RECONSTRUÇÕES TRIDIMENSIONAIS EM CABEÇA E PESCOÇO

RETALHOS ÂNTERO-LATERAL DA COXA E RETO ABDOMINAL EM GRANDES RECONSTRUÇÕES TRIDIMENSIONAIS EM CABEÇA E PESCOÇO Artigo Original RETALHOS ÂNTERO-LATERAL DA COXA E RETO ABDOMINAL EM GRANDES RECONSTRUÇÕES TRIDIMENSIONAIS EM CABEÇA E PESCOÇO ANTEROLATERAL THIGH AND RECTUS ABDOMINUS FLAPS IN LARGE TRIDIMENSIONAL HEAD

Leia mais

O MANUAL DA DOR DE DENTE

O MANUAL DA DOR DE DENTE E S C R I T O P E L A D R A. C R I S T I N A S H I D O M I O MANUAL DA DOR DE DENTE Vamos conhecer melhor as estruturas dos dentes, assim podemos entender porque ocorre a sensação incômoda da dor de dente,

Leia mais

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Odontologia ISSN

Especial Online RESUMO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO. Odontologia ISSN Especial Online ISSN 1982-1816 www.unifoa.edu.br/cadernos/especiais.html DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Odontologia 2010-1 HÁBITOS ALIMENTARES DOS ACADÊMICOS DO CURSO DE ODONTOLOGIA UNIFOA Autores:

Leia mais

Curso de Especialização em Endodontia

Curso de Especialização em Endodontia Curso de Especialização em Endodontia Associação Brasileira de Odontologia Secção Ceará Coordenador: Prof. Nilton Vivacqua EndodontiaAvancada.com OBJETIVOS DO CURSO Este curso tem como objetivos colocar

Leia mais

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS TÍTULO: OSTEOMELITE DE MAXILAR CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS AUTOR(ES): ALLAN

Leia mais

MIELOMA MÚLTIPLO. Dr. Glauco José Pauka Mello ONCOLOGIA ORTOPÉDICA

MIELOMA MÚLTIPLO. Dr. Glauco José Pauka Mello ONCOLOGIA ORTOPÉDICA MIELOMA MÚLTIPLO Dr. Glauco José Pauka Mello ONCOLOGIA ORTOPÉDICA glaucomello@brturbo.com.br MIELOMA MÚLTIPLO CARACTERISTICAS DO MIELOMA MÚLTIPLO MIELOMA MÚLTIPLO Proliferação clonal de plasmócitos Infiltrando

Leia mais

CEMENTOBLASTOMA BENIGNO: RELATO DE CASO

CEMENTOBLASTOMA BENIGNO: RELATO DE CASO CEMENTOBLASTOMA BENIGNO: RELATO DE CASO BENIGN CEMENTOBLASTOMA: CASE REPORT Marcelo Júnior Zanda Marcelo Lupion Poleti Thais Maria Freire Fernandes Renata Sathler Eduardo Sant Ana Alberto Consolaro Doutor

Leia mais

Cisto Ósseo aneurismático: relato de caso. Aneurysmal Bone Cyst: a case report

Cisto Ósseo aneurismático: relato de caso. Aneurysmal Bone Cyst: a case report Recebido em 16/11/2011 Aprovado em 05/12/2011 V12N1 Cisto Ósseo aneurismático: relato de caso Aneurysmal Bone Cyst: a case report Carlos Alberto Medeiros Martins I Fernando Vacilotto Gomes II Fabiana Ckless

Leia mais

16º Imagem da Semana: Radiografia do Joelho

16º Imagem da Semana: Radiografia do Joelho 16º Imagem da Semana: Radiografia do Joelho Enunciado Paciente do sexo masculino, 15 anos, previamente hígido, iniciou com quadro de dor e edema na região distal da coxa direita há três meses, que evoluiu

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA - INNOVARE

ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA - INNOVARE ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA - INNOVARE DISCIPLINAS DO CURSO, CARGA HORÁRIA E PROFESSOR RESPONSÁVEL 1º SEMESTRE: Total = 348h Disciplina Carga Horária Créditos Docente Responsável Ortodontia Básica 48h

Leia mais

Procedimentos Cirúrgicos de Interesse Protético/Restaurador - Aumento de Coroa Clínica - Prof. Luiz Augusto Wentz

Procedimentos Cirúrgicos de Interesse Protético/Restaurador - Aumento de Coroa Clínica - Prof. Luiz Augusto Wentz 1 2 3 Procedimentos Cirúrgicos de Interesse Protético/Restaurador - Aumento de Coroa Clínica - Prof. Luiz Augusto Wentz Aumento de Coroa Clínica Qualquer procedimento (cirúrgico ou não-cirúrgico) que vise

Leia mais

Validação da tomografia computadorizada de feixe cônico (CBCT) como recurso pré e pós-operatório na delimitação de lesões tumorais*

Validação da tomografia computadorizada de feixe cônico (CBCT) como recurso pré e pós-operatório na delimitação de lesões tumorais* Rev Inst Ciênc Saúde 2009;27(3):295-9 Validação da tomografia computadorizada de feixe cônico (CBCT) como recurso pré e pós-operatório na delimitação de lesões tumorais* Validation of cone beam computed

Leia mais

IMAGENS DA ANATOMIA RADIOGRÁFICA DA MAXILA

IMAGENS DA ANATOMIA RADIOGRÁFICA DA MAXILA IMAGENS DA ANATOMIA RADIOGRÁFICA DA MAXILA O exame radiográfico periapical para avaliação dos dentes e estruturas da maxila permite a observação de imagens de estruturas anatômicas, características de

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE CONTROLE DE QUALIDADE

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE CONTROLE DE QUALIDADE MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE CONTROLE DE QUALIDADE ANATOMIA PATOLÓGICA CITOPATOLOGIA IMUNOPATOLOGIA Anatomia patológica é uma especialidade da medicina que tem como objetivo fazer diagnóstico das doenças através

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO CÂMPUS DE ARAÇATUBA - FACULDADE DE ODONTOLOGIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO CÂMPUS DE ARAÇATUBA - FACULDADE DE ODONTOLOGIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO CÂMPUS DE ARAÇATUBA - FACULDADE DE ODONTOLOGIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA X INTEGRAL NOTURNO PLANO DE ENSINO Disciplina: Departamento:

Leia mais

TRATAMENTO CIRÚRGICO DO GRANULOMA CENTRAL DE CÉLULAS GIGANTES: RELATO DE CASO CLÍNICO E REVISÃO DA LITERATURA

TRATAMENTO CIRÚRGICO DO GRANULOMA CENTRAL DE CÉLULAS GIGANTES: RELATO DE CASO CLÍNICO E REVISÃO DA LITERATURA TRATAMENTO CIRÚRGICO DO GRANULOMA CENTRAL DE CÉLULAS GIGANTES: RELATO DE CASO CLÍNICO E REVISÃO DA LITERATURA SURGERY TREATMENT OF CENTRAL GIANT CELL GRANULOMA OF JAWS: REPORT OF A CASE AND LITERATURE

Leia mais

TÍTULO: COLESTEATOMA DE CONDUTO AUDITIVO EXTERNO COMO DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE PATOLOGIAS DA ORELHA EXTERNA

TÍTULO: COLESTEATOMA DE CONDUTO AUDITIVO EXTERNO COMO DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE PATOLOGIAS DA ORELHA EXTERNA TÍTULO: COLESTEATOMA DE CONDUTO AUDITIVO EXTERNO COMO DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE PATOLOGIAS DA ORELHA EXTERNA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: MEDICINA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE

Leia mais

Cisto ósseo simples: relato de casos clínicos

Cisto ósseo simples: relato de casos clínicos Cisto ósseo simples: relato de casos clínicos Simple bone cyst: report of cases Erika Barboza Ribeiro * Flávia Carneiro Tagliari Bisol ** Lilian Cristina Vessoni Iwaki *** Mariliani Chicarelli da Silva

Leia mais

EFEITOS COLATERAIS BUCAIS DA RADIOTERAPIA NAS REGIÕES DE CABEÇA E PESCOÇO E A ATUAÇÃO DO CIRURGIÃO-DENTISTA: REVISÃO DE LITERATURA

EFEITOS COLATERAIS BUCAIS DA RADIOTERAPIA NAS REGIÕES DE CABEÇA E PESCOÇO E A ATUAÇÃO DO CIRURGIÃO-DENTISTA: REVISÃO DE LITERATURA EFEITOS COLATERAIS BUCAIS DA RADIOTERAPIA NAS REGIÕES DE CABEÇA E PESCOÇO E A ATUAÇÃO DO CIRURGIÃO-DENTISTA: REVISÃO DE LITERATURA Ana Caroline Cavalcante do Nascimento¹; Nathally Nadia Moura de Lima¹;

Leia mais

Os tumores neuroendócrinos retais expressam marcadores como cromogranina e sinaptofisina, embora nem sempre sejam positivo.

Os tumores neuroendócrinos retais expressam marcadores como cromogranina e sinaptofisina, embora nem sempre sejam positivo. Os tumores neuroendócrinos (TNE) retais correspondem a 34% dos tumores neuroendócrinos do TGI, ficando atrás em incidência apenas dos TNE de delgado. A incidência de tumores neuroendócrinos retais tem

Leia mais

Editorial. Maria Isabel de C. de Souza Ricardo G. Fischer German Villoria

Editorial. Maria Isabel de C. de Souza Ricardo G. Fischer German Villoria Editorial A Odontologia é uma área da saúde que durante muito tempo esteve voltada basicamente para os procedimentos técnicos das suas diversas especialidades, deixando de lado sua visão biológica e sua

Leia mais

PROCESSOS PATOLÓGICOS GERAIS. Prof. Archangelo P. Fernandes

PROCESSOS PATOLÓGICOS GERAIS. Prof. Archangelo P. Fernandes PROCESSOS PATOLÓGICOS GERAIS Prof. Archangelo P. Fernandes www.profbio.com.br Aula 1: Conceitos gerais para o estudo de Patologia. Grego: pathos = sofrimento e logos = estudo Investigação das causas das

Leia mais

Biópsia nos tumores ósseos

Biópsia nos tumores ósseos Biópsia nos tumores ósseos Marcos Hajime Tanaka 1, Noboru Sakabe 2, Kao Chieng 2 RESUMO A biópsia óssea é um dos passos mais importantes na abordagem, diagnóstico e tratamento adequado dos tumores ósseos.

Leia mais