CLAS de CAMINHA Plano de Ação Plano de Ação 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CLAS de CAMINHA Plano de Ação 2014. Plano de Ação 2014"

Transcrição

1 Plano de Ação 2014

2 Os Planos de Ação têm como objetivo operacionalizar os objetivos e as estratégias definidas em Plano de Desenvolvimento Social. O Plano 2014 procura reconhecer possíveis projetos e formas de intervenção de acordo com as estratégias implementadas, tendo em conta a mobilização e gestão dos recursos existentes. Todas as ações apresentadas neste documento devem ser assumidas enquanto propostas de execução concretizáveis e exequíveis, implicando o compromisso dos parceiros para o seu envolvimento em cada uma das ações.

3 Eixo I Objetivo específico 1.a EMPREGO E FORMAÇÃO Até junho de 2015, envolver 20% dos desempregados em ações de promoção da empregabilidade Sessões de capacitação para Técnicas de Procura Ativa de Emprego Oficinas TPE: Workshop com a duração total de 14 horas, que contempla a concretização de 4 sessões de grupo, para capacitar os desempregados com qualificação de nível 1 e nível 2, para a implementação de TPE Pitch: Workshop para desempregados, com vista à aquisição e/ou promoção do treino de competências pessoais e sociais inovadoras e de aproximação eficaz aos potenciais empregadores Contacto com os parceiros para divulgação Abertura de inscrições e seleção de desempregados Realização de workshop Reunião com empresa contratada para a dinamização Contacto com tecido empregador Divulgação do workshop e abertura de inscrições Realização do workshop CLDS+ Caminha GIP GAE IEFP Estabelec.de Ensino Tecido Empregador Estabelec.de Ensino IEFP jan fev mar abr mai jun jul o ag set out nov dez 25 Desempregados 14h por cada desempregado 4 Sessões realizadas 3h30m/sessão 6 Parceiros 80 Desempregados 20 h por cada desempregado 45 Parceiros (40 empresas)

4 Eixo I EMPREGO E FORMAÇÃO Objetivo específico 1.a Até junho de 2015, envolver 20% dos desempregados em ações de promoção da empregabilidade Sessões de capacitação para Técnicas de Procura Ativa de Emprego Link+: Workshop para desempregados, com o objetivo de os qualificar no uso da rede de contato profissional Linkedin Click+: Ação de formação na área das tecnologias de informação e comunicação para desempregados, com vista a permitir que estes adquiram e aperfeiçoem competências na potencialização das mais-valias desta ferramenta na procura ativa de emprego Reunião com dinamizador do workshop Divulgação e abertura de inscrições Realização de workshop Divulgação e abertura de inscrições Realização da ação de formação CLDS+ Caminha IEFP Estabelec. de Ensino IEFP Entidades Formadoras Estabelec. de Ensino Juntas de Freguesia Outras entidades jan fev mar abr mai jun jul ag set out nov dez o 25 Desempregados 14h por cada desempregado 2 Edições 20 Desempregados 2 Edições 50h por edição

5 Eixo I Objetivo específico 1.a EMPREGO E FORMAÇÃO Até junho de 2015, envolver 20% dos desempregados em ações de promoção da empregabilidade Sessões de capacitação para Técnicas de Procura Ativa de Emprego Caminha para o Emprego: Workshop para desempregados, com vista à promoção de estratégias de inserção profissional e gestão de carreira Reunião com dinamizador do workshop Divulgação e abertura de inscrições Realização do workshop CLDS+ Caminha IEFP Estabelec. de Ensino jan fev mar abr mai jun jul o ag set ou nov dez t 10 Desempregados 30 h por workshop 1 edição Divulgação de ofertas de emprego e oportunidades de trabalho Procura+: Levantamento das ofertas de emprego existentes, efetuado através do contacto direto com o tecido empregador do concelho e concelhos limítrofes, consulta on-line dos jornais, site do netemprego.gov.pt e outros sites de emprego, e contacto com outras entidades parceiras Contacto direto com o tecido empregador Análise de ofertas publicadas pelos jornais, sites de emprego e outras entidades parceiras IEFP GAE 220 Ofertas de emprego identificadas

6 Eixo I Objetivo específico 1.a EMPREGO E FORMAÇÃO Até junho de 2015, envolver 20% dos desempregados em ações de promoção da empregabilidade Divulgação de ofertas de emprego e oportunidades de trabalho Sessões de Informação sobre Medidas Ativas de Emprego BD+: Construção e atualização da base de dados das ofertas de emprego e oportunidades de trabalho Publicize+: Divulgação das ofertas de emprego junto dos desempregados do concelho, através do site do CLDS+ Caminha e página do facebook do CLDS+ Caminha ProAtivos: Sessões de informação destinadas aos desempregados, cujo perfil se adequa às medidas ativas de emprego e oportunidades de inserção, dando-lhes a conhecer as mesmas Atualização permanente da base de dados Divulgação de ofertas de emprego nas páginas na internet (oficial/facebook) Informação das ofertas nas sessões presenciais com desempregados Verificação das medidas ativas adequadas ao perfil de cada desempregado Realização de sessão de informação e de análise de vantagens sobre medidas ativas de emprego/perfil CLDS+ Caminha GAE IEFP GIP GAE IEFP jan fev mar abr ma jun jul ag set out nov dez i o 220 Ofertas inseridas na base de dados 1 Base de dados 220 Ofertas de emprego divulgadas 20 Desempregados 1 Sessão/grupo/1h ou individual/30min

7 Eixo I EMPREGO E FORMAÇÃO Objetivo específico 1.b Até dezembro de 2016, encaminhar 5 potenciais empreendedores em estratégias de empreendedorismo Desafia o futuro: Workshop afeto à temática do empreendedorismo, destinado a desempregados Reuniões de preparação de workshop com entidades parceiras Divulgação e abertura de inscrições Realização de workshop CLDS+ Caminha GAE IEFP IPVC Estabelec. de Ensino jan fe ma abr maio jun jul ag set out nov v r dez 10 Potenciais empreendedores são encaminhados para o workshop 7h por workshop Apoio ao enquadramento de projetos de autoemprego e de empreendedorismo CaptAção: Ação de formação com a duração total de 100h, destinada a potenciais empreendedores, com o objetivo de promover o desenvolvimento de conhecimentos, habilidades e atitudes necessários ao empreendedorismo ReAção: Apoio de consultoria e gestão no âmbito da elaboração de projetos de autoemprego, para potenciais empreendedores, prestado por empresa especializada Reuniões de preparação de workshop com entidades parceiras Divulgação e abertura de inscrições Realização da ação de formação Levantamento de empresas Definição de procedimentos para realização da atividade Realização da atividade Entidades Formadoras IEFP CEVAL Estabelec. de Ensino 15 Potenciais empreendedores frequentam a ação de formação 1 Ação de 100 h 3 Potenciais empreendedores apoiados

8 Eixo I Objetivo específico 1.b EMPREGO E FORMAÇÃO Até dezembro de 2016, encaminhar 5 potenciais empreendedores em estratégias de empreendedorismo Apoio ao enquadramento de projetos de autoemprego e de empreendedorismo Criação de uma Bolsa de Empresas/Serviços do concelho de Caminha (Em)Ação: Encaminhamento de potenciais empreendedores para entidades especializadas em determinados setores de atividade, a fim de receber apoio técnico para a elaboração de projetos de autoemprego Levantamento das entidades especializadas Reunião de preparação da atividade Formalização do encaminhamento Estabelecimento de parceria com entidade responsável pela elaboração da Bolsa de Empresas Contacto/articulação com empresas para adesão à Bolsa Construção do respetivo site/página CLDS+ Caminha GAE CEVAL AEVC GAE CLDS + Entidade formadora ja fev m n abr ma a r jun jul ag set ou i o no dez t v 2 Potenciais empreendedores encaminhados 50 empresas envolvidas

9 Eixo I Objetivo específico 1.c EMPREGO E FORMAÇÃO Até junho de 2015, encaminhar 15% dos desempregados com baixos níveis de qualificação escolar e /ou profissional para ofertas educativas/formativas Diagnóstico das necessidades formativas dos desempregados e do tecido empregador Sessões de informação sobre as oportunidades de qualificação Diagnóstico Empresarial: Estabelecimento de contato com as entidades competentes para efetuar o levantamento das entidades empregadoras do concelho e aplicação de um instrumento de diagnóstico que permita identificar e caraterizar as entidades empregadoras do concelho de Caminha e concelhos limítrofes. Valoriza-TE+: Sessões individuais ou em grupo para a aplicação de instrumentos que permitam diagnosticar as necessidades de qualificação/valorização dos desempregados e conceção de um PI (Plano Individual de Valorização) QUALIFICA-TE+: Levantamento das oportunidades de qualificação existentes no concelho e nos concelhos limítrofes, de acordo com a área de formação Elaboração dos instrumentos de recolha de informação que permitam a caraterização de empresas do concelho Realização de visitas a empresas para recolha de informação Sistematização da informação recolhida Realização de sessões que permitam o diagnóstico de necessidades formativas dos desempregados Negociação do respetivo PIQ com cada desempregado Levantamento e contacto com entidades formadoras Estabelecimento de Protocolos de Parceria Atualização da base de dados de oportunidades de qualificação por área de formação Preparação de sessões de informação por oportunidades de formação escolar/profissional CLDS+ Caminha GAE GIP IEFP jan fev ma abr mai r jun ju o ag set out no l dez v 80 Empresas caraterizadas do concelho 1 Inquérito/ questionário 80 Visitas previstas CLDS+ Caminha 95 Desempregados com PIV 1 Sessão em grupo 1 a 2 sessões 4H por desempregado GAE ARAAM ESCE-IPVC Ancorensis ETAP AEVC 10 Oportunidades de qualificação identificadas e caracterizadas

10 Eixo I Objetivo específico 1.c EMPREGO E FORMAÇÃO Até junho de 2015, encaminhar 15% dos desempregados com baixos níveis de qualificação escolar e /ou profissional para ofertas educativas/formativas Sessões de informação sobre as oportunidades de qualificação EnCaminha: Encaminhamento dos desempregados para oportunidades de qualificação e/ou valorização de acordo com as necessidades que constam no seu PI (Plano Individual de Valorização) Negociação com cada desempregado relativamente ao respetivo encaminhamento Efetivação do encaminhamento CLDS+ Caminha Entidades Formadoras jan fev ma abr ma r jun jul ag set out nov dez i o 20 Desempregados com baixos níveis de qualificação e/ou profissional são encaminhados para ofertas educativas e ou formativas

11 Eixo I Objetivo específico 1.d EMPREGO E FORMAÇÃO Até junho de 2015, envolver 50 % das entidades competentes para sessões de sensibilização no âmbito da prestação de trabalho socialmente necessário e atividades socialmente úteis Sessões de sensibilização para desempregados Sessões de sensibilização para entidades públicas, privadas sem fins lucrativos ou solidárias SOU+: Sessões de sensibilização dos desempregados subsidiados e dos beneficiários do rendimento social de inserção para a prestação de trabalho socialmente necessário em entidades públicas, privadas sem fins lucrativos NÓS +: Desenvolver sessões de sensibilização das entidades públicas, privadas sem fins lucrativos ou solidárias para que acolham desempregados subsidiados ou beneficiários do RSI (rendimento social de inserção) em CEI (Contrato Emprego-Inserção) e CEI+ (Contrato Emprego-Inserção+) Realização de sessão de sensibilização Contacto com os desempregados no sentido de auscultação de dúvidas e interesses Realização de sessão de sensibilização Contacto com cada entidade no sentido de auscultação de dúvidas e interesses CLDS+ Caminha RSI GAE Juntas de Freguesia RSI Entidades públicas, privadas sem fins lucrativos ou solidárias ja fev ma n ab ma jun jul ag se ou r r i o nov dez t t 10 Desempregados subsidiados 1 Sessão de sensibilização por desempregado Sessão grupo 1h Sessão individual 30min 10 Entidades públicas, privadas sem fins lucrativos ou solidárias envolvidas 1 Sessão de sensibilização/1h

12 Eixo I Objetivo específico 1.e EMPREGO E FORMAÇÃO Até Junho de 2015, envolver 20 % do tecido empregador em sessões de sensibilização no âmbito das medidas ativas de emprego Ações de informação e sensibilização para o tecido empresarial Apoio técnico para a apresentação de candidaturas a medidas ativas de emprego Informar para Agir: Sessões de informação e de sensibilização dos empresários, instituições e entidades empregadoras para as medidas ativas de emprego Protocolo de colaboração da Câmara Municipal de Caminha com o IEFP Ação de informação e de sensibilização Contacto com os empresários, instituições e entidades empregadoras para auscultação das medidas ativas de emprego Apoio e informação sobre candidaturas a entidades interessadas e enquadradas em Protocolo CLDS+ Caminha GAE jan fev ma abr ma jun jul r i o ag set out no dez v 30 Empresários, instituições e/ou entidades empregadoras 1 Ação de sensibilização de grupo /1h 1 Ação individual/30min GAE 6 candidaturas apoiadas 6 solicitações

13 Eixo I Objetivo específico 1.f EMPREGO E FORMAÇÃO Até junho de 2015, envolver 20 % dos alunos que estão em processo de abandono ou conclusão do sistema educativo em ações que favorecem a integração profissional Ação-tipo Atividades Responsável Parceria Equipa de Intervenção ao nível da orientação formativa e ou profissional IDMais: Levantamento/sinalização dos alunos que abandonam ou concluam o sistema educativo junto dos estabelecimentos de ensino e outras entidades competentes Conhece-TE+: Sessões temáticas individuais ou em grupo para diagnosticar as necessidades formativas dos alunos que abandonam ou concluam o sistema educativo, conceber planos individuais de valorização e encaminhar esses alunos para oportunidades de qualificação Peddy-Paper Empreendedor: Jogo pedagógico que inclui várias etapas, tendo as equipas participantes que cumprir um conjunto de desafios que visam desenvolver competências de empreendedorismo, gosto pelo risco, capacidade de iniciativa e inovação e competências para trabalhar em grupo Contacto com as Escolas para a solicitação de informação Organização e análise de informação Contacto com os alunos Aplicação das fichas de recolha de informação sobre os alunos, com vista à concretização do PIV e realização do encaminhamento Reunião com os dinamizadores da atividade Contacto com parceiros para organização de toda a atividade Contacto com os alunos e constituição das equipas participantes Realização de jogo pedagógico CLDS+ Caminha Escolas Escolas IPVC Escolas jan fe ma abr ma ju v r ju i o ag se ou n l no t dez t v 15 Alunos sinalizados que abandonam ou concluam o sistema educativo 20 Alunos sinalizados que abandonam ou concluam o sistema educativo com PIV Sessões individuais e/ou em grupo totalizando em média 4h por cada aluno 20 PIV elaborados 10 Alunos que abandonam ou concluam o sistema educativo encaminhados 7h por aluno

14 Eixo I Objetivo específico 1.f EMPREGO E FORMAÇÃO Até junho de 2015, envolver 20 % dos alunos que estão em processo de abandono ou conclusão do sistema educativo em ações que favorecem a integração profissional Equipa de Intervenção ao nível da orientação formativa e ou profissional Sessões de informação sobre técnicas de procura ativa de emprego Passaporte para o Futuro: Workshop com a duração de 16 horas, que contempla a concretização de 6 sessões de grupo para aprofundar o conhecimento que os alunos, que abandonam ou concluam o sistema educativo, detêm acerca do mundo das profissões e aproximar esses alunos do tecido empregador Agir: Workshop com a duração total de 14 horas, que contempla a concretização de 4 Sessões de grupo para capacitar os alunos que abandonam ou concluam o sistema educativo, para a implementação de TPE Planificação da atividade Contacto com parceiros para a organização de toda a atividade Divulgação da atividade e abertura de inscrições Realização do workshop Planificação da atividade e organização dos documentos Contacto com parceiros para organização de toda a atividade Divulgação da atividade e abertura de inscrições Realização de workshop CLDS+ Caminha Escolas ja fe ma abr mai n v r jun ju o ag se l out nov t dez 15 alunos que abandonam ou concluam o sistema educativo 1 workshop de 16h 10 alunos 1 workshop de 14h

15 Eixo I Objetivo específico 1.g EMPREGO E FORMAÇÃO Até junho de 2015, 25% dos alunos do ensino secundário participam em ações relativas ao empreendedorismo Desenvolvimento com os alunos do ensino secundário de atividades que estimulem as suas capacidades empreendedoras Apoio aos alunos do ensino secundário na conceção de uma "ideia de negócio" Empreende Mais: Workshops com duração total de 7 horas dirigidos aos alunos do ensino secundário com vista à promoção de competências de empreendedorismo Mostra de Profissões: Workshop com a duração de 16 horas, que contempla a concretização de diversas sessões de grupo para aprofundar o conhecimento que os alunos do ensino secundário detêm acerca do mundo das profissões e aproximar esses alunos do tecido empregador Leilão de Ideias: Workshop com a duração de 8 horas, com diversas sessões de grupo para estimular a criatividade, o gosto pelo risco, a capacidade de iniciativa, a inovação e a apresentação das ideias geradas ao tecido empregador Contactos com o IPVC com vista à elaboração da planificação da atividade e à operacionalização da mesma Realização do workshop Planificação da atividade Estabelecimento do contacto com o Agrupamento de Escolas e definição das estratégias de operacionalização da atividade Concretização da atividade Planificação da atividade Contactos com Estabelecimentos de Ensino e definição das estratégias de operacionalização da atividade Concretização da atividade CLDS+ Caminha IPVC Escolas (Ancorensis, ETAP, Agrupamento Sidónio Pais) Agrupamento de Escolas Sidónio Pais Ancorensis (Cursos Profissionais) jan fe ma ab mai jun jul a set out no v r r o g dez v 25 Alunos 1Workshop/Escola 3h 3Workshops/3Escolas 4h 40 Alunos de ensino secundário 1 Workshop de 16h 3 Edições 20 Alunos de ensino secundário 1 Leilão de 8h

16 Eixo I Objetivo específico 1.g EMPREGO E FORMAÇÃO Até junho de 2015, 25% dos alunos do ensino secundário participam em ações relativas ao empreendedorismo jan fev mar abr maio jun jul ag set out nov dez Apoio aos alunos do ensino secundário na conceção de uma "ideia de negócio" Oficinas de Projeto: Workshop com a duração total de 15 horas, que contempla diversas sessões de grupo para apoiar e estimular o desenvolvimento de ideias de negócio Planificação da atividade Contacto com a entidade parceira Concretização da atividade CLDS+ Caminha ETAP 15 Alunos de ensino secundário 1 Workshop de 15h

17 Eixo II FAMÍLIA, EDUCAÇÃO E CAPACITAÇÃO Objetivo específico 2.a Até dezembro de 2016, 35 famílias identificadas como multiproblemáticas são alvo de intervenção ao nível da promoção de competências pessoais, parentais e sociais Elaboração de um diagnóstico para identificar as famílias multiproblemáticas Criação e dinamização de Núcleos de Apoio à Criança e Jovens nas escolas Reunião Técnica Concelhia com as entidades parceiras para discussão e concertação de estratégias, definição de procedimentos e de meios de comunicação a serem utilizados Criação de uma equipa de trabalho para análise das situações sinalizadas Criação de uma base de dados para sistematização da informação Sistematização dos dados recolhidos Reunião mensal da equipa de trabalho para análise dos dados obtidos e recolha das várias respostas sociais existentes para encaminhamento das famílias e respetiva avaliação do trabalho desenvolvido Retorno de informação de propostas de encaminhamento aos técnicos de referência Reunião com os responsáveis dos estabelecimentos de ensino para definição de estratégias de intervenção Definição de equipa Elaboração do regulamento do NACJE Criação de instrumentos de monitorização do NACJE Implementação do núcleo Grupo de Trabalho Grupo de Trabalho CAVVD CLDS+ CPCJ ISS, IP NLI Estabelecimentos de Ensino (Ancorensis e Agrupamento Sidónio Pais) Agrupamento de Escolas Sidónio Pais Escolas não agrupadas (Ancorensis, ETAP) Associações de Pais com valência de infância NACJR (UCC) jan fe mar ab v maio jun jul ag set out nov dez r Realização de 1 reunião técnica concelhia (com a presença de 37 técnicos) 1 Equipa de Trabalho definida 1 Base de Dados criada 35 Famílias identificadas 8 Reuniões de equipa de trabalho 1 ata/relatório por reunião de avaliação de atividades desenvolvidas 1 Agrupamento e 2 Escolas não agrupadas envolvidas 1 Regulamento criado

18 Eixo II Objetivo específico 2.a FAMÍLIA, EDUCAÇÃO E CAPACITAÇÃO Até dezembro de 2016, 35 famílias identificadas como multiproblemáticas são alvo de intervenção ao nível da promoção de competências pessoais, parentais e sociais Implementação de um Programa de Intervenção Familiar Mais Família: Sessões temáticas de promoção de competências parentais junto das famílias encaminhadas pelas entidades competentes através da aplicação de programas InFormar: Sessões temáticas em grupo e/ou individuais que permitam o acompanhamento de proximidade a famílias encaminhadas pelas entidades competentes, com o intuito de aumentar as suas competências pessoais e/ou sociais Contactos com a formadora e planificação da formação Divulgação e abertura de inscrições Realização da Formação em Educação Parental Contacto com entidades competentes para solicitação de encaminhamento das famílias Realização das sessões Encaminhamento das famílias para a atividade Receção às famílias Realização das sessões CPCJ CLDS+ Caminha NLI CAVVD Centro de Saúde Segurança Social Juntas de Freguesias Associações Escolas jan fev ma ab maio jun jul ag se out nov dez r r g t 10 famílias 30 dias 60h por família 10 famílias 2h por dia 1 edição 40h por família

19 Eixo II FAMÍLIA, EDUCAÇÃO E CAPACITAÇÃO Objetivo específico 2.a Até dezembro de 2016, 35 famílias identificadas como multiproblemáticas são alvo de intervenção ao nível da promoção de competências pessoais, parentais e sociais Implementação de um Programa de Intervenção Familiar Ser+: Ateliers temáticos des junto das crianças encaminhadas pelas entidades competentes com vista à promoção de competências pessoais e sociais Liga-TE: Sessões temáticas de estimulação cognitiva e de competências pessoais destinadas a crianças e que visam, através de desafios, desenvolver a atenção, o raciocínio, a memória, o relacionamento interpessoal, a autoestima, entre outras competências Contacto com entidades parceiras para divulgação da atividade e abertura de inscrições Realização dos ateliers temáticos Construção de um programa Apresentação do projeto às Escolas Decisão da escolha da Escola e Turma Piloto Realização das sessões temáticas CLDS+ Caminha CPCJ NLI CAVVD Centro de Saúde Segurança Social Juntas de Freguesias Associações Escolas jan fev mar ab mai jun jul ag set out nov dez r o 15 crianças 42 horas 12 dias 10 crianças 25h (1h/dia)

20 Eixo II Objetivo específico 2.a FAMÍLIA, EDUCAÇÃO E CAPACITAÇÃO Até dezembro de 2016, 35 famílias identificadas como multiproblemáticas são alvo de intervenção ao nível da promoção de competências pessoais, parentais e sociais Implementação de um Programa de Intervenção Familiar Oficinas de Natal: ciclo de sessões temáticas, em grupo, para crianças encaminhadas pelas entidades competentes e que visam o desenvolvimento cognitivo e psicomotor Contactos com entidades parceiras para o encaminhamento de crianças. Divulgação da atividade e abertura de inscrições Realização das sessões temáticas CLDS+ Caminha CPCJ NLI CAVVD Centro de Saúde Segurança Social Juntas de Freguesias Associações Escolas jan fev m abr ma a r ju jul ag set ou i n o no dez t v 10 crianças 27 horas por criança

21 Eixo II Objetivo específico 2.b FAMÍLIA, EDUCAÇÃO E CAPACITAÇÃO Até dezembro de 2016, 90% das instituições com intervenção educativa/formativa participam em ações de formação específica Formação para os técnicos no âmbito da promoção de competências parentais e da intervenção sistémica Sensibilização/Formação para os professores titulares, diretores de turma e educadores de infância no âmbito da sinalização, encaminhamento e relação/comunicação com as famílias Criação da listagem definitiva dos técnicos inscritos Realização da formação Mais Família Avaliação da formação com as parcerias Reunião com parceiros responsáveis das Instituições estabelecimentos de ensino para avaliação da disponibilidade dos professores/educadores para realização de sessões/ações de formação e programação das mesmas Realização das sessões CLDS+ Grupo de Trabalho Grupo de Trabalho CPCJ NLI CAVVD Serviço Local Segurança Social de Caminha Município de Caminha CAVVD UCC CPCJ Escolas (Agrupamento Sidónio Pais, Ancorensis e ETAP) com valência de infância Convento de Santo António NLI ja fev ma n ab mai ju ju r r o ag set ou nov n l dez t 20 instituições serviços 22 técnicos a participar na formação 1 formação desenvolvida 12 instituições envolvidas 20 professores e educadores de infância 5 sessões desenvolvidas

22 Eixo II FAMÍLIA, EDUCAÇÃO E CAPACITAÇÃO Objetivo específico 2.c Até dezembro de 2016, aumentar em 10% a participação dos pais na vida escolar dos filhos Elaboração de um diagnóstico sobre os interesses e dificuldades de participação dos pais nas atividades desenvolvidas pelas escolas Elaboração dos instrumentos de avaliação Aplicação de inquérito aos pais dos alunos Focus Grupo aos diretores de turma Tratamento da informação recolhida Apresentação de resultados Grupo de Trabalho Escolas Associações de Pais ja fe ma abr mai n v r ju jul ag set ou o n nov dez t 1 inquérito elaborado 500 de inquéritos aplicados aos pais dos alunos Articulação dos planos de atividades das entidades com intervenção educativa Reunião com as várias escolas e associações de pais para concertação dos diversos planos de atividades 200 pais a participar em atividades da escola 10 atividades desenvolvidas

23 Eixo III COMPORTAMENTOS ADITIVOS E DEPENDÊNCIAS Objetivo Até dezembro de 2016, envolver 20% da comunidade escolar (alunos do 2º e 3º ciclos e ensino secundário, docentes, funcionários e outros específico 3.a técnicos) em ações de prevenção do consumo de substâncias jan fev mar abr maio jun jul ag set out nov dez Programa Eu e os Outros Receção de inscrições para a II ação de formação Realização das ações de formação Aplicação do programa e respetiva avaliação Grupo de Trabalho CRI Agrupamento de Escolas Sidónio Pais Ancorensis Centro de Formação Vale do Minho Escolas 1 Agrupamento de Escola envolvido e 2 escolas não agrupadas 20 docentes e 20 técnicos a participar na formação 300 alunos Formação para assistentes operacionais Receção de inscrições para a ação de formação Realização da formação 1 Agrupamento de Escola envolvido e 2 escolas não agrupadas 20 funcionários a participar na formação Ações de sensibilização para pais e encarregados de educação Reunião com as parcerias para definição de temáticas e necessidades Construção de um Plano de Ação Realização das ações de sensibilização de acordo com o plano Escolas Associações de Pais NRE GNR UCC com valências de infância/juventude Associações culturais 1 Agrupamento e 2 escolas 170 Pais e encarregados de educação participantes 6 Ações desenvolvidas

24 Eixo III Objetivo específico 3.c COMPORTAMENTOS ADITIVOS E DEPENDÊNCIAS Até dezembro de 2016, promover o acompanhamento de 75% de beneficiários de RSI com problemas ligados ao álcool Programa PLA Formação para a constituição da equipa Elaboração/implementação do manual de procedimentos Intervenção da equipa PLA Grupo de Trabalho UCC/Reinserção UCSP/USF Protocolo RSI ISS CAVVD Município CRI jan fev ma abr maio jun jul ag set out no r dez v 10 Técnicos 10 indivíduos sinalizados 10 indivíduos acompanhados

25 Eixo IV Objetivo específico 4.a ENVELHECIMENTO Até dezembro de 2016, diminuir em 25 % o número de idosos sem qualquer tipo de apoio formal e/ou informal Elaboração de um diagnóstico relativo aos idosos no concelho de Caminha Reunião com a ESE para definição de procedimentos de intervenção Assinatura de protocolo de parceria entre Município e ESE Recrutamento e seleção de um segundo estagiário licenciado em Educação Social Gerontológica Análise de indicadores estatísticos Reuniões com os Presidentes de Junta de Freguesia grupos de trabalho ESE, IPVC Juntas de freguesia, Párocos, Conferencias Vicentinas, GNR Secção de Programas Especiais, Unidade de Saúde de Caminhae VPA Universidade Sénior jan fev ma abr mai r jun jul ag set out no o dez v 200 Idosos identificados 32 Instituições envolvidas Criado o Perfil gerontológico do concelho Orientações para o Plano Gerontológico do concelho Aplicação do Protocolo de Avaliação Gerontológica Multidimensional Avaliação Gerontológica Multidimensional Criação e dinamização de uma Bolsa de Cuidadores Elaboração de um regulamento interno Reunião com os parceiros para apresentação do projeto Bolsa de Cuidadores Elaboração do guião de entrevista Abertura de inscrições Realização de entrevistas a potenciais cuidadores grupos de trabalho UCC 2 instrumentos construídos 1 reunião realizada 9 parceiros 50 entrevistas efetuadas 1 Bolsa de Cuidadores criada Implementação da Bolsa de Cuidadores

26 Eixo IV Objetivo específico 4.a ENVELHECIMENTO Até dezembro de 2016, diminuir em 25 % o número de idosos sem qualquer tipo de apoio formal e/ou informal Implementação de ações de voluntariado para a população idosa Sensibilização das entidades com estrutura residencial para idosos, para integração dos mesmos em situação de carência económica Caminha Envolve: Encontros temáticos de caráter sociocultural são promovidos por voluntários junto de idosos Contactos para preparação de toda a logística da atividade Estabelecimento de contratos com os voluntários Acompanhamento e orientação dos voluntários no desenvolvimento das atividades Reunião com os Presidentes de Direção e Diretores Técnicos das entidades com ERPI BLV CLDS+ grupos de trabalho ISS, IP jan fev ma ab mai r jun jul ag set ou r o nov dez t 6 voluntários 1 reunião realizada 4 entidades envolvidas

27 Eixo IV Objetivo específico 4.b ENVELHECIMENTO Até dezembro de 2016, envolver 20 % da população idosa em práticas de envelhecimento ativo Implementação de um Projeto Municipal Integrado de promoção de práticas de envelhecimento ativo Levantamento das práticas desenvolvidas no âmbito do envelhecimento ativo no concelho InterAgir: Encontros temáticos que envolvam diferentes gerações para potenciar o reforço das relações intergeracionais (H)À conversa: Encontros temáticos que visam a promoção das competências pessoais e sociais Vive+: Oficinas temáticas para estimular competências ao nível da motricidade e da cognição Planificação dos encontros temáticos Abordagem às entidades parceiras Mobilização dos idosos Realização de encontro temático Preparação dos encontros temáticos Abordagem às entidades parceiras Realização Encontro temático Planificação das oficinas temáticas Reunião com Presidentes de Juntas de Freguesia Abertura de inscrições Grupo de Trabalho CLDS+ CLDS+ Escolas UCC GNR Juntas de Freguesia jan fe ma ab ma jun jul ag set out no v r r i o dez v Nº práticas desenvolvidas 20 Idosos 3 Edições realizadas 2 a 3 horas por edição 9 Parceiros 30 idosos 2 edições 70 Idosos 52 Horas 3 Edições Realização das oficinas temáticas

Casa do Povo de Vilarandelo. Plano de Ação 2015-2018

Casa do Povo de Vilarandelo. Plano de Ação 2015-2018 Plano de Ação 2015-2018 Eixo de Intervenção 1 Emprego, Formação e Qualificação a) Estabelecimento da Parceria com o Instituto de Emprego e Formação Profissional, I.P., com o objetivo de facilitar os processos

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017

Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Página 2 de 29 Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Índice Índice de Siglas. 4 Nota Prévia... 5 Exposição e Explicação dos

Leia mais

Rede Social no Concelho de Azambuja Plano de Ação 2014 PLANO DE ACÇÃO 2014

Rede Social no Concelho de Azambuja Plano de Ação 2014 PLANO DE ACÇÃO 2014 PLANO DE ACÇÃO 2014 1 EDUCAÇÃO ÁREA ATIVIDADES RESPONSAVEIS PARTICIPANTES/ INTERVENIENTES Calendarização Manter os projetos existentes nos Agrupamentos de Escolas (Fénix, tutorias, Aprender a Estudar,

Leia mais

1.1.1.1. Objectivo Especifico Garantir que os alunos de 1.º e 2.º Ciclo assistam a acções de prevenção primária da toxicodependência.

1.1.1.1. Objectivo Especifico Garantir que os alunos de 1.º e 2.º Ciclo assistam a acções de prevenção primária da toxicodependência. Conselho Local de Acção Social de de Ourique Cuba Plano de Acção 2008 - Rede Social Programação Anual. Prioridade Promover a melhoria das condições de vida das crianças, dos idosos e das famílias através

Leia mais

Plano de Ação 2013. I Eixo De Intervenção: QUALIFICAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E RESPONSABILIDADE SOCIAL

Plano de Ação 2013. I Eixo De Intervenção: QUALIFICAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E RESPONSABILIDADE SOCIAL 0 Plano de Ação I Eixo De Intervenção: QUALIFICAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES E RESPONSABILIDADE SOCIAL OBJETIVO GERAL: Dotar as Instituições do Município de competências na área da qualidade para melhorar a resposta

Leia mais

Conselho Local de Ação Social de Vila Nova de Cerveira. Núcleo Executivo

Conselho Local de Ação Social de Vila Nova de Cerveira. Núcleo Executivo Conselho Local de Ação Social de Vila Nova de Cerveira Núcleo Executivo 2 CLAS de Vila Nova de Cerveira Plano de Ação de 2015 Índice Nota Prévia... 6 Sumário... 7 Metodologia... 7 Planificação... 8 EIXO

Leia mais

PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL

PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL PLANO DE AÇÃO DA REDE SOCIAL 2014 Aprovado na reunião do Plenário de 11.06.2014 16 de janeiro Workshop e assinatura de protocolo com CIG Público-alvo: comunidade no geral Local: Edifício Paço dos Concelho

Leia mais

EIXO 1 - Empreendedorismo, Empregabilidade e Educação

EIXO 1 - Empreendedorismo, Empregabilidade e Educação PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL de ODEMIRA 2014-2015 EIXO 1 - Empreendedorismo, Empregabilidade e Educação Promover o conhecimento e o acesso dos empresários aos apoios e incentivos no âmbito do empreendedorismo

Leia mais

XXXII PLENÁRIO DO CLAS DE CASCAIS

XXXII PLENÁRIO DO CLAS DE CASCAIS XXXII PLENÁRIO DO CLAS DE CASCAIS 11 Agosto 2015 Centro Cultural de Cascais Candidatura CLDS 3G Enquadramento Legal - CLDS Os Contratos Locais de Desenvolvimento Social de 3ª Geração (CLDS3G), atentos

Leia mais

Rede Social. Conselho Local de Ação Social do Entroncamento PLANO DE AÇÃO 2012

Rede Social. Conselho Local de Ação Social do Entroncamento PLANO DE AÇÃO 2012 Rede Social Conselho Local de Ação Social do Entroncamento PLANO DE AÇÃO 2012 2012 Índice Introdução... 3 1 - Eixo de Intervenção Famílias... 5 2 - Eixo de Intervenção Educação e Cidadania... 8 3- Eixo

Leia mais

NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4. Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5

NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4. Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5 INDICE NOTA INTRODUTÓRIA... 3 DESENHO E MONTEGEM DAS ACÇÕES...4 Eixo de Desenvolvimento 1: Situações de Risco Social... 5 Eixo de Desenvolvimento 2: Empregabilidade de Formação Profissional... 13 Eixo

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PLANO DE ACÇÃO 2011

AVALIAÇÃO DO PLANO DE ACÇÃO 2011 AVALIAÇÃO DO PLANO DE ACÇÃO 2011 Eixo de Desenvolvimento I: Emprego/Desemprego Desenvolver medidas com vista à redução do desemprego, ao aumento da estabilidade no emprego e facilitadores do ingresso dos

Leia mais

CLAS de Melgaço Plano de Desenvolvimento Social 2014-2016 MELGAÇO, JULHO/2013

CLAS de Melgaço Plano de Desenvolvimento Social 2014-2016 MELGAÇO, JULHO/2013 1 PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2014-2016 MELGAÇO, JULHO/2013 2 ÍNDICE NOTA PRÉVIA Enquadramento e contextualização geográfica e temporal 3 Percurso dos documentos estratégicos 3 Metodologias utilizadas

Leia mais

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO 2014 ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO 2014 ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO ) REDE SOCIAL DE ALANDROAL CLAS /2015 Área de Intervenção: Equipamentos e Respostas Sociais e Serviços 1 Objetivo Geral Objetivos Específicos Ação População - Alvo

Leia mais

CONTRATO LOCAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL (CLDS) ESPINHO VIVO

CONTRATO LOCAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL (CLDS) ESPINHO VIVO CONTRATO LOCAL DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL (CLDS) ESPINHO VIVO EIXO 1 EMPREGO, FORMAÇÃO, QUALIFICAÇÃO E EMPREENDEDORISMO 01 - BALCÃO DE EMPREGABILIDADE; O Balcão de Empregabilidade pretende apoiar os desempregados

Leia mais

Proposta de Plano de Ação 2012/2013 CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE PENALVA DO CASTELO

Proposta de Plano de Ação 2012/2013 CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE PENALVA DO CASTELO Proposta de Plano de Ação 2012/ 1 Proposta de Plano de Ação 2012/ Eixo de Desenvolvimento: Promover a qualificação escolar/profissional, o empreendedorismo e a empregabilidade. Objetivo geral: Dinamização

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Rede Social de Aljezur Plano de Acção (2009) Equipa de Elaboração do Plano de Acção de 2009 / Parceiros do Núcleo Executivo do CLAS/Aljezur Ana Pinela Centro Distrital

Leia mais

Linhas de Acção. 1. Planeamento Integrado. Acções a desenvolver: a) Plano de Desenvolvimento Social

Linhas de Acção. 1. Planeamento Integrado. Acções a desenvolver: a) Plano de Desenvolvimento Social PLANO DE ACÇÃO 2007 Introdução O CLASA - Conselho Local de Acção Social de Almada, de acordo com a filosofia do Programa da Rede Social, tem vindo a suportar a sua intervenção em dois eixos estruturantes

Leia mais

Plano de Ação 2013/2014. Conselho Local de Ação Social de Mesão Frio

Plano de Ação 2013/2014. Conselho Local de Ação Social de Mesão Frio Plano de Ação 2013/2014 Conselho Local de Ação Social de 2 Conselho Local de Ação Social de Núcleo Executivo Municipal de Agrupamento de Escolas de Centro de Saúde de Santa Casa da Misericórdia de Centro

Leia mais

Rede Social Plano de Ação 2015

Rede Social Plano de Ação 2015 Rede Social Plano de Ação 2015 1 R E D E SOCIAL DO CONCELHO DE VILA DO BISPO Rede Social Rede Social do Concelho de Vila do Bispo PLANO DE AÇÃO 2015 Ficha Técnica Entidade Promotora: Câmara Municipal de

Leia mais

Plano de Acção 2010. Concelho do Marco de Canaveses. CLAS mc. Conselho Local de Acção Social do Marco de Canaveses Fevereiro de 2010

Plano de Acção 2010. Concelho do Marco de Canaveses. CLAS mc. Conselho Local de Acção Social do Marco de Canaveses Fevereiro de 2010 Plano de Acção 2010 Concelho do Marco de Canaveses 2010 2011 CLAS mc Conselho Local de Acção Social do Marco de Canaveses Fevereiro de 2010 Nível de Incidência Principais Conteúdos CONCEPÇÃO Pertinência

Leia mais

UDAL - União Desportiva Alta de Lisboa ISU - Instituto de Solidariedade e Cooperação Universitária

UDAL - União Desportiva Alta de Lisboa ISU - Instituto de Solidariedade e Cooperação Universitária REFERÊNCIA: 062 DESIGNAÇÃO: Altarix Empreende BIP/ZIP em que pretende intervir: 20. Sete Céus 21. Galinheiras - a) Ameixoeira b) Charneca 26. Pedro Queiróz Pereira 66. Charneca do Lumiar 67. Alta de Lisboa

Leia mais

Plano de Acção. Conselho Local de Acção Social de Redondo CLASRedondo

Plano de Acção. Conselho Local de Acção Social de Redondo CLASRedondo Plano de Acção Conselho Local de Acção Social de CLAS 2014-2015 2 EIXO 1 - PROMOVER A EMPREGABILIDADE E QUALIFICAÇÃO ESCOLAR E PROFISSIONAL E INTEGRAÇÃO DE GRUPOS SOCIAIS (PRÉ-) DESFAVORECIDOS Combate

Leia mais

PLANODEAÇÃO DA REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA'14. Estrutura Resumida REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA

PLANODEAÇÃO DA REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA'14. Estrutura Resumida REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA PLANODEAÇÃO DA REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA'14 Estrutura Resumida REDE SOCIAL DO CONCELHO DE BEJA Ficha Técnica Responsáveis Técnicos: - Nélia Silva - Fundação S. Barnabé - Graça Loução Centro Distrital

Leia mais

Plano de Ação de 2012 Plano de Ação de 2010. Conselho Local de Ação Social de Monção. Conselho Local de Ação Social de Monção

Plano de Ação de 2012 Plano de Ação de 2010. Conselho Local de Ação Social de Monção. Conselho Local de Ação Social de Monção Plano de Ação de 2012 Plano de Ação de 2010 Conselho Local de Ação Social de Monção Conselho Local de Ação Social de Monção CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE MONÇÃO Atualmente a Rede Social de Monção conta

Leia mais

Plano de Ação MARÇO DE 2014

Plano de Ação MARÇO DE 2014 Plano de Ação 2014 MARÇO DE 2014 FICHA TÉCNICA Plano de Ação do Concelho de Águeda março de 2014 Equipa de elaboração: Núcleo Executivo do CLAS de Águeda Colaboraram neste documento os seguintes autores:

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2013/2015

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2013/2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2013/2015 PLANO DE AÇÃO 2013. INDÍCE Pág. 1. Introdução. 2 2. Metodologia. 3 3. Eixos de Intervenção do P.D.S. 2013 a 2015. 5 4. Eixo I Grupos Sociais Desfavorecidos P.D.S.

Leia mais

Estratégia de Dinamização e de Divulgação

Estratégia de Dinamização e de Divulgação Estratégia de Dinamização e de Divulgação Plano de Ação de 2015 FEVEREIRO 2015 1 Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. VISÃO DA BOLSA DE TERRAS... 4 3. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS - LINHAS GERAIS DA ESTRATÉGIA... 5

Leia mais

Projecto co-financiado pelo FSE

Projecto co-financiado pelo FSE CLAS DE MONDIM DE BASTO PLANO DE ACÇÃO 2012 REDE SOCIAL DE MONDIM DE BASTO Projecto co-financiado pelo FSE ÍNDICE ÍNDICE DE TABELAS... 3 CAPÍTULO I... 4 INTRODUÇÃO... 4 CAPÍTULO II... 6 PLANO DE ACÇÃO

Leia mais

Associação de Apoio a Crianças e Jovens em Risco. Plano de Atividades 2015

Associação de Apoio a Crianças e Jovens em Risco. Plano de Atividades 2015 Associação de Apoio a Crianças e Jovens em Risco Plano de Atividades 2015 INTRODUÇÃO Depois de escalar uma montanha muito alta, descobrimos que há muitas mais montanhas por escalar. (Nelson Mandela) A

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Inclusão Social e Emprego

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Inclusão Social e Emprego Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Inclusão Social e Emprego Eixo 5 - Emprego e Valorização Económica dos Recursos Endógenos Objectivo Temático 8 - Promoção da sustentabilidade e qualidade

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto

Ficha de Caracterização de Projecto Ficha de Caracterização de Projecto Projecto +Skillz E5G Programa Escolhas Promotor: Associação Mais Cidadania 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto Projecto +Skillz E5G Promotor: Associação Mais

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social do Município de Gondomar 2015-2020

Plano de Desenvolvimento Social do Município de Gondomar 2015-2020 Plano de Desenvolvimento Social do Município de Gondomar 2015-2020 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social de Gondomar 16 de março de 2015 Biblioteca Municipal de Gondomar Eixo 1 Capacitação,

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação

Projeto Pedagógico e de Animação Projeto Pedagógico e de Animação 1 - Memória Descritiva 2 Identificação e Caracterização da Instituição Promotora 3 - Objetivos Gerais 4 - Objetivos Específicos 5 - Princípios educacionais 6 Metodologias

Leia mais

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido.

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2015 ÍNDICE Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. Ações Educação e Formação 2 Ação Social 3 Gestão Participada e Finanças 4 Saúde 5 Desporto 5 Juventude 6 Cultura 6 Turismo

Leia mais

Enquadramento dos Contratos Locais de Desenvolvimento Social Mais

Enquadramento dos Contratos Locais de Desenvolvimento Social Mais Enquadramento dos Contratos Locais de Desenvolvimento Social Mais No seguimento do Programa de Contratos Locais de Desenvolvimento Social (regulado pela portaria n.º396/2007 de 2 de abril e com alterações

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2014-2016

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2014-2016 PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2014-2016 MARÇO DE 2014 FICHA TÉCNICA Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Águeda março de 2014 Equipa de elaboração: Núcleo Executivo do CLAS de Águeda Colaboraram

Leia mais

PROGRAMA REDE SOCIAL Co-financiado pelo Estado Português, Ministério da Segurança Social e do Trabalho PLANO DE ACÇÃO 2005-2006

PROGRAMA REDE SOCIAL Co-financiado pelo Estado Português, Ministério da Segurança Social e do Trabalho PLANO DE ACÇÃO 2005-2006 PROGRAMA REDE SOCIAL Co-financiado pelo Estado Português, Ministério da Segurança Social e do Trabalho PLANO DE ACÇÃO 2005-2006 Documento elaborado pelo: Conselho Local de Acção Social do Concelho do Núcleo

Leia mais

PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015

PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015 PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015 APROVADO EM SESSÃO PLENÁRIA DO CLAS 21 DE MAIO DE 2013 1 NOTA INTRODUTÓRIA O Diagnóstico Social constituiu a base de trabalho da ação dos Parceiros Locais.

Leia mais

Constituição dos Orgãos da Rede Social do Concelho de Valpaços 2. Constituição do Núcleo Executivo 4. Nota Introdutória 5

Constituição dos Orgãos da Rede Social do Concelho de Valpaços 2. Constituição do Núcleo Executivo 4. Nota Introdutória 5 ÍNDICE Constituição dos Orgãos da Rede Social do Concelho de Valpaços 2 Constituição do 4 Nota Introdutória 5 Eixo I Envelhecimento Populacional 7 Eixo II Qualificação e Integração Escolar e Sócio-Profissional

Leia mais

Rede Social - Conselho Local de Acção Social de Coruche (CLAS) PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009

Rede Social - Conselho Local de Acção Social de Coruche (CLAS) PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009 Rede Social - Conselho Local de Acção Social de Coruche (CLAS) PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009 1 1. ÁREA DE INTERVENÇÃO ACÇÃO SOCIAL Promover a integração social dos grupos socialmente mais vulneráveis * Romper

Leia mais

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria www.anotherstep.pt 2 Sumário Ponto de situação Plano de Ações de Melhoria PAM Enquadramento e planeamento Selecção das Ações de Melhoria Fichas de

Leia mais

Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa. Banco de Voluntariado LagoaSocial

Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa. Banco de Voluntariado LagoaSocial Projecto de Voluntariado do Concelho de Lagoa Banco de Voluntariado LagoaSocial Projecto de Voluntariado Social de Lagoa O Banco de Voluntariado LagoaSocial será enquadrado num conjunto de medidas e acções

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Castelo Branco 2014-2017

Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Castelo Branco 2014-2017 Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Castelo Branco 2014-2017 Índice Plano de Desenvolvimento Social... 3 Definição dos Eixos de intervenção... 3 Operacionalização dos Eixos de Intervenção...

Leia mais

Entidades parceiras (Núcleo Executivo do CLAS de Borba): Maria do Carmo Cavaco Agrupamento de Escolas do Concelho de Borba

Entidades parceiras (Núcleo Executivo do CLAS de Borba): Maria do Carmo Cavaco Agrupamento de Escolas do Concelho de Borba 2015 PLANO DE AÇÃO Elaborado no âmbito do Programa Rede Social Plano de Ação do Concelho de 2015 s parceiras (Núcleo Executivo do CLAS de ): António Anselmo - Sofia Alexandra Dias - Crispim Francisco Lopes

Leia mais

MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL

MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL 3926-(2) Diário da República, 1.ª série N.º 116 17 de junho de 2015 MINISTÉRIO DA SOLIDARIEDADE, EMPREGO E SEGURANÇA SOCIAL Portaria n.º 179-B/2015 de 17 de junho O Programa de Contratos Locais de Desenvolvimento

Leia mais

II ENCONTRO DA CPCJ SERPA

II ENCONTRO DA CPCJ SERPA II ENCONTRO DA CPCJ SERPA Ninguém nasce ensinado!? A família, a Escola e a Comunidade no Desenvolvimento da criança Workshop: Treino de Competências com famílias um exemplo de intervenção e de instrumentos

Leia mais

FICHA TÉCNICA NÚCLEO EXECUTIVO DO CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE AMARANTE (CLAS)

FICHA TÉCNICA NÚCLEO EXECUTIVO DO CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE AMARANTE (CLAS) FICHA TÉCNICA NÚCLEO EXECUTIVO DO CONSELHO LOCAL DE AÇÃO SOCIAL DE AMARANTE (CLAS) Instituto da Segurança Social, I.P. Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso Associação Humanitária de Santiago

Leia mais

Plano de Acção 2014. Rede Social

Plano de Acção 2014. Rede Social Plano de Acção 2014 Rede Social Março/2014 Elaborado por: Núcleo Executivo do Conselho Local de Acção Social de Avis - Agrupamento de - Centro de Emprego e Formação Profissional de Portalegre/Serviço de

Leia mais

Distrito de Aveiro Concelho Ílhavo Freguesias: S. Salvador, Gafanha da Nazaré, Gafanha da Encarnação e Gafanha do Carmo

Distrito de Aveiro Concelho Ílhavo Freguesias: S. Salvador, Gafanha da Nazaré, Gafanha da Encarnação e Gafanha do Carmo IDENTIFICACÃO Atendimento Integrado e Núcleo Local de Inserção de Ílhavo Morada de Ílhavo Código Postal 3830-044 Ílhavo Localidade Ílhavo Distrito de Aveiro Concelho Ílhavo Freguesias: S. Salvador, Gafanha

Leia mais

Cada utente é um ser Humano único, pelo que respeitamos a sua pessoa, os seus ideais, as suas crenças, a sua história e o seu projecto de vida.

Cada utente é um ser Humano único, pelo que respeitamos a sua pessoa, os seus ideais, as suas crenças, a sua história e o seu projecto de vida. 1. APRESENTAÇÃO DA INSTITUIÇÃO A Casa do Povo de Alvalade foi criada em 1943, por grupo informal de pessoas, na tentativa de dar resposta às necessidades das pessoas que a esta se iam associando. Com o

Leia mais

Matriz Portugal 2020 Candidaturas diretas a efetuar pelas IPSS

Matriz Portugal 2020 Candidaturas diretas a efetuar pelas IPSS Revisão 1 : 02/09/2015 PO PO Preparação e Reforço das Capacidades, Formação e Ligação em rede dos Gal (DLBC) Desenvolvimento Local de Base Comunitária 2ª fase Seleção das Estratégias de Desenvolvimento

Leia mais

Avisos para a apresentação de

Avisos para a apresentação de Avisos para a apresentação de Ref Mês/Ano Domínio Temático OT PI Tipologia de Intervenção PO CI PO SEUR PO CH PO ISE PO Lisboa PO Algarve PO Norte PO Centro PO Alentejo Abertura Calendário Encerramento

Leia mais

Introdução 2 Metodologia 3 Eixos temáticos 4-5 Problemáticas por eixo de intervenção 6 Objetivos e estratégias por eixos 7-8 Conclusão 9

Introdução 2 Metodologia 3 Eixos temáticos 4-5 Problemáticas por eixo de intervenção 6 Objetivos e estratégias por eixos 7-8 Conclusão 9 PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL ÍNDICE Introdução 2 Metodologia 3 Eixos temáticos 4-5 Problemáticas por eixo de intervenção 6 Objetivos e estratégias por eixos 7-8 Conclusão 9 1 INTRODUÇÃO O plano de desenvolvimento

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO 2009 (Aprovado em CLASS de 13.3.2009) PARCEIRO RESPONSÁVEL

PLANO DE ACÇÃO 2009 (Aprovado em CLASS de 13.3.2009) PARCEIRO RESPONSÁVEL OBJECTIVO DO PDSS ACTIVIDADE/ACÇÃO PARCEIROS ENVOLVIDOS PARCEIRO RESPONSÁVEL INDICADORES DE AVALIAÇÃO EXECUÇÃO TEMPORAL SOLIDARIEDADE SOCIAL Reforçar o apoio alimentar concelhio Melhorar o conhecimento

Leia mais

QUAL É O NOSSO OBJETIVO?

QUAL É O NOSSO OBJETIVO? QUAL É O NOSSO OBJETIVO? Criar um Modelo Inovador Sustentável, de participação ativa e compromisso comunitário, de Solidariedade Social Local, de forma a poder transferi-lo a outros contextos de Portugal

Leia mais

Plano de Ação 2014 PROPOSTA

Plano de Ação 2014 PROPOSTA Plano de Ação 2014 PROPOSTA 0 Ficha Técnica: Titulo: Plano Ação 2014 Documento Elaborado Por: Núcleo Executivo do CLAS Coordenação: Cristina Farinha Presidente do Conselho Local de Ação Social Equipa Técnica:

Leia mais

PO AÇORES 2020 FEDER FSE

PO AÇORES 2020 FEDER FSE Apresentação pública PO AÇORES 2020 FEDER FSE Anfiteatro C -Universidade dos Açores -Ponta Delgada 04 de marçode 2015 8EIXO EMPREGO E MOBILIDADE LABORAL > Administração regional Objetivo Específico 8.1.1

Leia mais

O Fórum Económico de Marvila

O Fórum Económico de Marvila Agenda O Fórum Económico de Marvila A iniciativa Cidadania e voluntariado: um desafio para Marvila A Sair da Casca O voluntariado empresarial e as políticas de envolvimento com a comunidade Tipos de voluntariado

Leia mais

Fórum de Boas Práticas

Fórum de Boas Práticas Câmara Municipal de Torres Vedras Sandra Colaço Fórum de Boas Práticas Rede Portuguesa de Cidades Saudáveis 28 de Outubro de 2009 TORRES VEDRAS População -72 259(2001) Área 407 Km2 O concelho no país Na

Leia mais

Prólogo REGULAMENTO INTERNO LOJA SOCIAL

Prólogo REGULAMENTO INTERNO LOJA SOCIAL REGULAMENTO INTERNO LOJA SOCIAL Prólogo O CLDS SERPE EnReDe, consiste numa estratégia de desenvolvimento social integrado visando a criação de respostas sociais inovadoras e sustentáveis que atendem às

Leia mais

IP de Viana do Castelo, 19 de março de 2013 Guilhermina Rego

IP de Viana do Castelo, 19 de março de 2013 Guilhermina Rego IP de Viana do Castelo, 19 de março de 2013 Guilhermina Rego Vereadora do Pelouro do Conhecimento e Coesão Social (CMP) Presidente da Fundação Porto Social (CMP) Conselho Local de Ação Social do Porto

Leia mais

Plano de Acção de 2011 Plano de Acção de 2010. Conselho Local de Acção Social de Monção. Conselho Local de Acção Social de Monção

Plano de Acção de 2011 Plano de Acção de 2010. Conselho Local de Acção Social de Monção. Conselho Local de Acção Social de Monção Plano de Acção de 2011 Plano de Acção de 2010 Conselho Local de Acção Social de Monção Conselho Local de Acção Social de Monção CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE MONÇÃO Actualmente a Rede Social de Monção

Leia mais

PROBLEMAS SOCIAIS. Recursos Humanos / Parceiros

PROBLEMAS SOCIAIS. Recursos Humanos / Parceiros PROBLEMAS SOCIAIS Actividades 1. 1.1 Definição do Projecto Gabinete de Apoio à Família. 1.2 Procura de Fontes de Financiamento. 1.3 Funcionamento do Gabinete. Calendarização Abr-Mai Set-Dez Recursos Humanos

Leia mais

PROPOSTA DE CONSULTADORIA MAIS BENEFÍCIOS

PROPOSTA DE CONSULTADORIA MAIS BENEFÍCIOS SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE ALBUFEIRA 2014 PROPOSTA DE CONSULTADORIA MAIS BENEFÍCIOS Uma consultadoria eficaz e rentável vocacionada para fornecer às empresas serviços integrais de formação e recrutamento.

Leia mais

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012 Plano de Acção - Rede Social Plano de Acção Rede Social Conselho Local da Acção Social de Figueira de Castelo Plano de Acção Rede Social Acções a desenvolver Objectivos Resultados esperados Calendarização

Leia mais

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE MELHORIA. Anos letivos 2014/2015 e 2015/2016. 00PDG Página 1 de 13. Mod.

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE MELHORIA. Anos letivos 2014/2015 e 2015/2016. 00PDG Página 1 de 13. Mod. Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE MELHORIA Anos letivos 2014/2015 e 2015/ Página 1 de 13 ÍNDICE Títulos Pág. 1. INTRODUÇÃO 3. 2. ESTRUTURA DO PLANO DE MELHORIA 4. 3. DESCRIÇÃO

Leia mais

Rede Social do Concelho de Pampilhosa da Serra

Rede Social do Concelho de Pampilhosa da Serra Rede Social do Concelho de Pampilhosa da Serra O Plano de para o ano de 2006 constitui-se enquanto instrumento de trabalho tendo sido construído com base no Plano Desenvolvimento Social. Apresenta um conjunto

Leia mais

Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060

Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 REFERÊNCIA: 090 DESIGNAÇÃO: Participar para Alimentar BIP/ZIP em que pretende intervir: 8. Ameixoeira (PER) ENTIDADES: Promotora: ANAFS - Associação Nacional dos Alistados das Formações Sanitárias Parceiras:

Leia mais

Sessão de Divulgação - ALBUFEIRA

Sessão de Divulgação - ALBUFEIRA Sessão de Divulgação - ALBUFEIRA Entidade: Centro de Emprego de Loulé Tema: Apoios à de Empresas e Criação do Próprio Emprego IEFP,I.P. 1. O Plano de Negócios 2. Apoios à Criação do Próprio Emprego ou

Leia mais

Gabinete de Ação Social e Saúde Pública EU MUDO O MUNDO. SOU VOLUNTÁRIO! Banco Local de Voluntariado de Barcelos

Gabinete de Ação Social e Saúde Pública EU MUDO O MUNDO. SOU VOLUNTÁRIO! Banco Local de Voluntariado de Barcelos EU MUDO O MUNDO. SOU VOLUNTÁRIO! ENQUADRAMENTO Nos termos da alínea b) do n.º 4 do art.º 64º da Lei das Autarquias Locais, aprovado pela Lei 169/99, em 18 de Setembro e alterado pela Lei n.º 5-A/2002,

Leia mais

Ação Social e Inclusão

Ação Social e Inclusão Ação Social e Inclusão Ação Social O campo de actuação da Ação Social compreende, em primeira instância, a promoção do bem estar e qualidade de vida da população e a promoção duma sociedade coesa e inclusiva,

Leia mais

empregabilidade divulgação. grupo, sendo posteriormente elaborado o presente documento de 5 síntese minutos para

empregabilidade divulgação. grupo, sendo posteriormente elaborado o presente documento de 5 síntese minutos para Fórum Desafios à Empregabilidade 29 de Novembro, Café Concerto Pombal PRINCIPAIS CONCLUSÕES A Portugal BREVE presente INTRODUÇÃO adjacentes tem à atividade inclusão desenvolvido enquadra-se social e através

Leia mais

Conselho Local de Ação Social de Gondomar

Conselho Local de Ação Social de Gondomar Conselho Local de Ação Social de Gondomar PLANO DE AÇÃO 2015/2016 consubstanciado no plano de desenvolvimento social do município de Gondomar 2015-2020 Aprovado em reunião plenária do Conselho Local de

Leia mais

EMPREENDEDORISMO CÂMARA MUNICIPAL DE VIZELA

EMPREENDEDORISMO CÂMARA MUNICIPAL DE VIZELA EMPREENDEDORISMO CÂMARA MUNICIPAL DE VIZELA ATIVIDADE MUNICIPAL INOVAR VIZELA Fundo de apoio às micro e pequenas empresas do concelho CMV + IAPMEI + NORGARANTE + BES + ADRAVE CENTRO DE INCUBAÇÃO DE VIZELA

Leia mais

CALENDARIZAÇÃO DA ATIVIDADE FORMATIVA 2014. www.navegantescf.pt

CALENDARIZAÇÃO DA ATIVIDADE FORMATIVA 2014. www.navegantescf.pt CALENDARIZAÇÃO DA ATIVIDADE FORMATIVA 2014 FORMAÇÃO Início Fim Duração Horário Inscrição Contabilidade e Fiscalidade 01-10-2014 29-10-2014 21h P.L/S 100 Sensibilização e Orientação para o Cliente 02-10-2014

Leia mais

Workshop Estratégias para Vencer Mostra de Oportunidades de Emprego

Workshop Estratégias para Vencer Mostra de Oportunidades de Emprego Workshop Estratégias para Vencer Mostra de Oportunidades de Emprego Allegro Alfragide - FNAC 26/10 às 17H00 AJUDE Associação Juvenil para o Desenvolvimento Patrícia Campaniço I&D Social Manager inovacaosocial@ajude.pt

Leia mais

Roteiro Regional CRESC ALGARVE 2020 Fundo Social Europeu (FSE)

Roteiro Regional CRESC ALGARVE 2020 Fundo Social Europeu (FSE) www.algarve.portugal2020.pt Região Competitiva, Resiliente, Empreendedora e Sustentável com base na valorização do Conhecimento Roteiro Regional CRESC ALGARVE 2020 Fundo Social Europeu (FSE) ALBUFEIRA

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

Projeto de Monitoria 2011/2012 Ciências Sociais, Linguagens e Tecnologias: formação docente inicial e práticas de ensino em Ciências Sociais

Projeto de Monitoria 2011/2012 Ciências Sociais, Linguagens e Tecnologias: formação docente inicial e práticas de ensino em Ciências Sociais Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP Campus Guarulhos Curso de Ciências Sociais Projeto de Monitoria 2011/2012 Ciências Sociais, Linguagens e Tecnologias: formação docente inicial e práticas de

Leia mais

Seminário. Apresentação das Conclusões. Promotor

Seminário. Apresentação das Conclusões. Promotor Seminário Apresentação das Conclusões Promotor Reuniões Técnicas Planos Estratégicos Ciclo de Debates Mobilidade e Transportes Saúde, Apoio Social, Segurança Social e Proteção Civil (Março, 2012) Educação,

Leia mais

Rede Social de Gondomar

Rede Social de Gondomar Rede Social de Gondomar Plano de Desenvolvimento Social 2009 2011 Junho de 2009 (Aprovado em Reunião Plenária do CLAS G de 07 de Julho de 2009, Reunião de Câmara de 19 de Novembro de 2009 e Assembleia

Leia mais

Centro Comunitário Bairro Social de Paradinha

Centro Comunitário Bairro Social de Paradinha A Cáritas Diocesana de Viseu no Bairro Social de Paradinha A Cáritas continua com um trabalho de relevante interesse social no Bairro Social de Paradinha. No ano de 2008, a Cáritas continuou a desenvolver

Leia mais

Projeto de Monitoria 2010/2011

Projeto de Monitoria 2010/2011 Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP Campus Guarulhos Curso de Ciências Sociais Projeto de Monitoria 2010/2011 Ciências Sociais, Linguagens e Tecnologias: formação docente inicial e práticas de

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015

PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PLANO DE ATIVIDADES 2 ÍNDICE CARATERIZAÇÃO DO CENTRO DE REURSOS PARA A INCLUSÃO.. 3 FUNCIONAMENTO DO CENTRO DE RECUSOS PARA A INCLUSÃO 3 CARATERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO

Leia mais

Plano de Ação da Equipa de Avaliação Interna

Plano de Ação da Equipa de Avaliação Interna Plano de Ação da Equipa de Avaliação Interna 2013/2015 Índice Plano de Ação... 3 Constituição da Equipa de Autoavaliação... 3 Etapas/fases do ciclo de avaliação... 4 Cronograma do 1º ano do ciclo de avaliação

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO 2010 O QUE É?

PLANO DE ACÇÃO 2010 O QUE É? O QUE É? O Plano de Acção é um documento anual que se desenha a partir das linhas de intervenção definidas no Plano de Desenvolvimento Social. Enquanto produto traduz-se num documento temporalmente finalizado

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIO AOS PROJETOS SOCIOEDUCATIVOS

REGULAMENTO DE APOIO AOS PROJETOS SOCIOEDUCATIVOS REGULAMENTO DE APOIO AOS PROJETOS SOCIOEDUCATIVOS CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º Objeto O presente regulamento tem como objetivo a definição dos tipos de apoio e res- petivas condições de acesso

Leia mais

RELATO RIO DE EXECUÇA O/2014 PLANO DE AÇA O/2015

RELATO RIO DE EXECUÇA O/2014 PLANO DE AÇA O/2015 RELATO RIO DE EXECUÇA O/2014 PLANO DE AÇA O/2015 Elaborado por: Rede Social de 0 Índice Sumário Executivo... 2 Capítulo I - Avaliação do Plano de Ação/2014... 4 Capítulo II - Plano de Ação de 2015... 10

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO DE INTERVENÇÃO (PEI)

PLANO ESTRATÉGICO DE INTERVENÇÃO (PEI) PLANO ESTRATÉGICO DE INTERVENÇÃO (PEI) Setembro de 2009/ Dezembro de 2010 Índice Introdução.. 3 Etapas de intervenção... 4 Âmbito de intervenção.. 5 Objectivos estratégicos..... 5 Metas.. 5 Equipa....

Leia mais

Estrutura da Apresentação

Estrutura da Apresentação Capacitar para Qualificação e Inovação das Redes Sociais do Minho-Lima (CQIRS-ML) Seminário Redes Sociais, Desenvolvimento e Coesão Social do Alto Minho: Diagnóstico, Perspetivas e Ações 2014-2020 19 de

Leia mais

Plano de Ação 2012. Conselho Local de Ação Social

Plano de Ação 2012. Conselho Local de Ação Social Plano de Ação 2012 Conselho Local de Ação Social Julho de 2012 IDENTIFICAÇÃO E FICHA TÉCNICA Título do documento: Plano de Ação 2012 Órgãos responsáveis: Órgão deliberativo: Conselho Local de Ação Social

Leia mais

PAREDES DE COURA INTRODUÇÃO

PAREDES DE COURA INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO Após a elaboração do Plano de Desenvolvimento Social, definindo as linhas orientadoras de intervenção social até ao final de 2009, procedemos agora à formulação de um Plano de Acção para esse

Leia mais

Relatório de Execução do Projeto MENTOR. Whatever Consulting Group Whatever it takes to grow a culture of innovation

Relatório de Execução do Projeto MENTOR. Whatever Consulting Group Whatever it takes to grow a culture of innovation Relatório de Execução do Projeto MENTOR Whatever Consulting Group Whatever it takes to grow a culture of innovation Junho de 2014 Índice Índice... 2 1. Enquadramento... 3 2. Objetivos... 4 3. Âmbito do

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO 2010 CPCJ

PLANO DE ACÇÃO 2010 CPCJ PLANO DE ACÇÃO 2010 CPCJ COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS DO PESO DA RÉGUA Modalidade Alargada Divulgar os Direitos da Criança na Comunidade OBJECTIVOS ACÇÕES RECURSOS HUMANOS DA CPCJ RECURSOS

Leia mais

F U N C I O N A M E N T O

F U N C I O N A M E N T O Plano de Ação 2015 ENQUADRAMENTO F U N C I O N A M E N T O» Regulamento Interno da CPCJ de S. P. Sul» Lei de Proteção de Crianças e Jovens em Perigo - Lei nº 147/99 de 1 de Setembro» Lei que altera a Lei

Leia mais

DESIGNAÇÃO: Inclusão na diversidade - Preparar o Futuro. Associação Espaço Mundo CEDL - CASA DA EUROPA DO DISTRITO DE LISBOA. Inclusão e Prevenção

DESIGNAÇÃO: Inclusão na diversidade - Preparar o Futuro. Associação Espaço Mundo CEDL - CASA DA EUROPA DO DISTRITO DE LISBOA. Inclusão e Prevenção REFERÊNCIA: 071 DESIGNAÇÃO: Inclusão na diversidade - Preparar o Futuro BIP/ZIP em que pretende intervir: 22. Alta de Lisboa Sul 67. Alta de Lisboa Centro ENTIDADES: Promotoras: Parceira: Associação Espaço

Leia mais

Portugal Brasil Moçambique Polónia

Portugal Brasil Moçambique Polónia www.promover.pt www.greatteam.pt Portugal Brasil Moçambique Polónia QUEM SOMOS - Prestamos serviços técnicos de consultoria de gestão e formação nos diversos setores da economia. - Presentes em Lisboa,

Leia mais

Montemor-o-Novo, 14 de Novembro de 2014

Montemor-o-Novo, 14 de Novembro de 2014 Montemor-o-Novo, 14 de Novembro de 2014 O Diagnóstico Social e a Agenda 21 Local de Montemor-o- Novo identifica problemas/necessidades, oportunidades e principais fatores críticos ao desenvolvimento do

Leia mais

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade

Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Projecto GPS Gabinete de Proximidade para a Sustentabilidade Actividade Formativa - Intervenção Comunitária Data - 1 de Abril de 2009 Local Auditório do Edifício Cultural Município de Peniche Participação:

Leia mais