Guia do Usuário Mc Data

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Guia do Usuário Mc Data"

Transcrição

1 Guia do Usuário Mc Data McData 02/03/2011

2 Sumário 1. Introdução Hardware da placa McData Alimentação Microcontrolador e Gravação In-Circuit Módulo DIGITAL IN Módulo DIGITAL OUT Módulo ANALOG IN Módulo ANALOG OUT Módulo PWM Módulo Teclas, Leds e Buzzer Módulo Memória E 2 PROM Módulo Relógio de Tempo Real Módulo I 2 C NET Módulo RS Módulo Interrupt Características Técnicas Apêndice A Pinagem do Microcontrolador Apêndice B Mascara de Componentes Apêndice C Esquema Elétrico Apêndice E Pinagem do conector de gravação In-Circuit Certicado de Garantia McData 2 Rev 5.0

3 1. Introdução A placa McData utiliza o microcontrolador da Microchip modelo PIC18F452 como unidade central de processamento. Todos as entradas e saídas da placa sejam elas digitais ou analógicas são controladas pelo microcontrolador. A placa foi desenvolvida para ser utilizada em conjunto com o sistema operacional McData, porém, nada impede que o usuário utilize apenas o hardware da placa e escreva um novo software, seja em assembler, em C ou em qualquer outra linguagem. A placa pode ser dividida em dois grandes grupos, os periféricos analógicos e os periféricos digitais. O grupo de periféricos analógicos é composto por oito entradas e duas saídas, ou seja, a placa possui oito canais de A/D e dois canais de D/A. O grupo de periféricos digitais é bem maior é está composto por: oito entradas, oito saídas, três entradas de interrupções, dois PWMs, uma porta de comunicação RS232, um barramento para comunicação I 2 C, uma memória E 2 PROM serial (I 2 C), um relógio de tempo real (I 2 C), quatro teclas, quatro leds e um buzzer. A placa foi projetada para aceitar tanto fonte de alimentação AC como DC. Além disso, já possui incorporado um conector para gravação in-circuit padrão Mosaico para utilização em conjunto com os gravadores McFlash+ ou o ICD2BR. A fim de tornar a placa McData um sistema robusto todas as entradas e saídas foram protegidas por buffers. Com isso, os acessos à placa, sejam de entrada ou saída, não estão ligados diretamente ao microcontrolador. Sempre existe um buffer (na maioria dos casos, um buffer TTL) para separar o I/O do PIC. Desta forma, se por algum motivo uma entrada e/ou saída estiver em curto, provavelmente, a simples substituição do buffer relacionado deve resolver o problema. Com isso, preserva-se o microcontrolador que é o componente de mais alto valor da placa McData. McData 3 Rev 5.0

4 2. Hardware da placa McData Com o objetivo de facilitar o entendimento do hardware da placa este capítulo foi dividido em diversos módulos conforme os componentes e/ou funcionabilidade da placa McData. Os apêndices A, B e C trazem informações importantes que podem e devem ser consultadas para o perfeito entendimento deste capítulo. No apêndice A temos uma descrição detalhada da pinagem do microcontrolador, o apêndice B apresenta a máscara de componentes da placa McData enquanto o apêndice C apresenta o esquema elétrico completo da placa McData Alimentação A placa McData pode operar com fonte de alimentação AC ou DC. Conforme pode ser observado no esquema elétrico (apêndice C). Após o conector KRE (AC IN), a placa possui uma ponte retificadora composta por quatro diodos retificadores de 3A. Desta forma, esta entrada é mais apropriada para utilização com fontes AC. A utilização de fonte DC nesta entrada também é possível, neste caso, o usuário não precisa se preocupar com a polaridade, no entanto, deve levar em consideração a queda de alimentação nos dois diodos da ponte retificadora. Na outra entrada (DC IN), conector P4, a placa possui apenas um diodo retificador de 3A polarizado no sentido direto, ou seja, esta entrada é para uso com fonte DC. O diodo é utilizado para proteger a placa caso ocorra uma inversão na polaridade da fonte. É possível também utilizar esta entrada com fonte AC, porém, neste caso, o hardware fará uma retificação meia onda. Logo após os diodos retificadores a placa possui uma chave de ON/OFF. Esta chave corta toda a alimentação da placa McData. O led verde próximo à chave indica se a placa está ligada. Qualquer que seja a fonte de alimentação utilizada, a placa McData trabalha internamente com duas tensões diferentes, sempre em relação à mesma referência de terra (GND). Uma fonte de 5Vdc (regulada pelo conversor DC-DC) e uma fonte cuja nomenclatura na placa é +V. A fonte +V é filtrada pela placa McData, porém, a tensão não é regulada. A tensão da fonte +V depende da entrada utilizada (AC IN ou DC IN) e do tipo de fonte utilizada (AC ou DC). A combinação destes pode gerar até 4 diferentes níveis de tensão para a fonte +V. A tabela a seguir mostra como calcular a tensão da fonte +V nas quatro condições possíveis. Entrada AC IN (KRE) Entrada DC IN (P4) Fonte AC +V (V AC *1,4142) - (2*0,7) +V (V AC *1,4142) - 0,7 Fonte DC +V V DC - (2*0,7) +V V DC - 0, Microcontrolador e Gravação In-Circuit A placa McData utiliza o microcontrolador PIC18F452 I/P como unidade central de processamento. O cristal utilizado no clock do microcontrolador é de 10MHz, porém, como este microcontrolador possui um recurso interno capaz de multiplicar o clock do cristal por 4 (PLL) atingi-se internamente um clock de 40MHz o que define uma velocidade de processamento de 10MIPS. McData 4 Rev 5.0

5 A placa McData já possui um conector para gravação in-circuit compatível com os gravadores McFlash+ e ICD2BR. Isto significa que o microcontrolador não precisa ser retirado da placa para gravação. Basta manter a placa energizada e ligada e utilizar um dos gravadores mencionados. No entanto é importante salientar que a placa McData não é capaz de fornecer alimentação ao gravador (lembre-se que a tensão +V não é regulada e pode variar de valor conforme a combinação utilizada na fonte), e portanto, além da placa McData, o gravador também deve estar energizado, através de fonte própria, para efetuar a gravação. O apêndice E mostra uma tabela com os pinos utilizados do conector RJ12 da gravação in-circuit Módulo DIGITAL IN Para cada entrada digital existem dois conectores. O primeiro (mais externo à placa) é do tipo KRE e o segundo (mais interno) é um conector do tipo barra de pinos macho. A barra de pinos possui quatro vias, nelas estão presentes: a tensão de referência (GND), a tensão de 5V regulada, a tensão não regulada +V e o próprio sinal da entrada digital. As oito entradas digitais estão ligadas a um buffer TTL Schimitt Trigger 74LS244 (U6). A justificativa para a utilização deste buffer é prover um grau de proteção à placa McData, pois, caso alguma ligação errada seja efetuada somente este buffer é danificado e o restante do circuito é preservado. A saídas do buffer 74LS244 (U6) estão ligadas às entradas do conversor serial-paralelo 74LS165 (U7). O microcontolador lê os dados serialmente utilizando o sinal SHIFT-LOAD (pino RC5 vide esquema elétrico no apêndice C) para copiar o estado dos pinos de entrada para o buffer interno do 74LS165 (U7). Os sinais ED-CLK e ED-SER (pinos RB3 e RB2 respectivamente) são utilizados como via de clock e dados para a leitura do conversor serial-paralelo. Os leds indicativos do estado das entradas estão ligados nas saídas do buffer 74LS244, que deve pertencer à família LS para garantir um fornecimento de corrente adequado. Os leds podem ser desabilitados através do jumper JP1. Com o jumper aberto os leds não operam. A seguir, temos o diagrama de blocos do módulo DIGITAL IN. ED-CLK PIC18F452 ED-SER Shift-Load 74LS LS244 8 Entradas Digitais 8 LEDs jumper McData 5 Rev 5.0

6 A seguir temos uma representação da carta de tempos de leitura das entradas digitais Módulo DIGITAL OUT Assim como no caso das entradas digitais, para cada saída digital também existem dois conectores, o primeiro (mais externo à placa) do tipo KRE e o segundo (mais interno) do tipo barra de pinos. O microcontrolador controla as oito saídas digitais através dos oito pinos do PORTD do PIC. Após passar pelo buffer TTL 74LS244 (U9) estes sinais tornam-se as próprias saídas digitais, desta forma, o buffer serve de proteção ao microcontrolador caso alguma ligação errada seja efetuada na saída. Os leds indicativos das saídas digitais estão ligados entre o microcontrolador e o buffer e podem ser habilitados ou não através do jumper JP2. Se o jumper estiver aberto os leds não funcionam. A seguir temos uma representação do diagrama de blocos deste módulo. 8 Saídas Digitais PIC18F452 74LS LEDs jumper McData 6 Rev 5.0

7 2.5. Módulo ANALOG IN Neste módulo também existem dois conectores. O primeiro (mais externo à placa) do tipo KRE e o segundo (mais interno) do tipo barra de pinos. Este módulo utiliza o recurso de hardware interno de conversão A/D do microcontrolador, e portanto, a resolução máxima do conversor é de 10bits. A tensão de entrada de cada um dos canais pode variar entre 0V e 5V, tensão na qual o conversor A/D atinge o fundo de escala. O módulo ANALOG IN está composto por oito entradas analógicas, no entanto, apenas um pino analógico do microcontrolador (pino RA0) foi utilizado. A placa McData utiliza um mutiplexador analógico externo (mux analógico 4051 U1) para obter os oito canais A/D deste módulo. A seleção do canal a ser convertido é realizada pelos pinos RB7, RB6 e RB5 do microcontrolador ligados às entradas A, B e C do mux 4051 (U1). A tabela abaixo mostra essa relação. Canal de leitura RB7 RB6 RB McData 7 Rev 5.0

8 A chave analógica possui uma resistência interna de aproximadamente 200. Entre a chave analógica e o microcontrolador existe um resistor de 1k responsável por proteger o PIC caso uma tensão maior que a permitida seja imposta à entrada. Como a máxima impedância de entrada que o conversor A/D do PIC admite é de 2,5k, a impedância máxima de saída do sinal analógico a ser medido pelo usuário deve estar abaixo dos Se os sinais analógicos a serem medidos pelo usuário possuírem impedância de saída superior a 1300 podem ocorrer falhas na fidelidade do sinal analógico convertido. A ilustração a seguir apresenta o diagrama de blocos deste módulo. Entradas Analógicas A/D de 10bits do PIC18F McData 8 Rev 5.0

9 2.6. Módulo ANALOG OUT O módulo ANALOG OUT da placa McData é composto por duas saídas analógicas obtidas a partir de duas saídas digitais do tipo PWM. Estes PWM são criados via software uma vez que os pinos utilizados para estas saídas não são os mesmos pinos que apresentam o recurso de PWM via hardware interno do microcontrolador. Cada sinal digital (pinos RE1 e RE2 - vide esquema elétrico no apêndice C) está ligado a um filtro RC passa-baixa de primeira ordem com constante de tempo de 0,1s (freqüência de amostragem máxima de 2Hz). Após o filtro passa-baixa existe um amplificador operacional LM358 (U3) operando numa configuração de ganho unitário. Assim, este amplificador operacional opera como um buffer analógico (corrente máxima de 20mA) e serve como um item de proteção ao microcontrolador. As saídas analógicas podem variar entre 0V e 5V sendo que o duty-cycle do PWM está diretamente relacionado com este valor. A seguir o diagrama de blocos de um dos canais do módulo PWM. PWM FPB F c =2Hz 1 1 Saída Analógica 2.7. Módulo PWM O módulo PWM utiliza os recursos de hardware do microcontrolador o que lhe permite obter freqüências bem mais elevadas em comparação aos sinais PWM gerados via software. Este módulo é composto por dois PWMs de 10bits de resolução cada. Os sinais de saída estão nos pinos RC1 E RC2 do microcontrolador (saída PWM2 e PWM1 respectivamente). A fim de proteger o microcontrolador, os sinais de PWM também passam por um buffer TTL 74LS244 (U8). É a saída deste buffer que torna-se a saída PWM da placa McData. Em cada saída PWM, entre o microcontrolador e o buffer 74LS244, existe um led indicativo. Diferentemente dos casos anteriores, neste módulo, os leds estão sempre habilitados e não podem ser desabilitados. McData 9 Rev 5.0

10 2.8. Módulo Teclas, Leds e Buzzer As quatro teclas da placa McData são do tipo NA e estão ligadas aos pinos RA1, RA2, RA3 e RA5 do microcontrolador (vide esquema elétrico). Todas elas possuem resistores de pull-up, de forma que, quando soltas fornecem nível lógico 1 ao microcontrolador e, quando pressionadas, fornecem nível lógico 0. O leds L1 à L4 estão ligados aos mesmos pinos do microcontrolador que as teclas. O microcontrolador deve configurar os pinos como saída para acender os leds e como entrada para ler as teclas (vide esquema elétrico). parar. O buzzer é do tipo auto-oscilante e portanto, basta enviar nível lógico 1 para tocar e nível lógico 0 para 2.9. Módulo Memória E 2 PROM O módulo de memória E 2 PROM é composto pela memória 24C256 (U4) (32kbytes) e pelo barramento de comunicação I 2 C. Os pinos clock e data da memória E2PROM estão ligados aos respectivos pinos responsáveis pela implementação do protocolo Master I 2 C no microcontrolador, ou seja, nos pinos RC3 e RC4 respectivamente. Para a implementação da comunicação este recurso interno do microcontrolador pode ser utilizado. Nas duas vias do barramento a placa McData já tem conectado dois resistores de pull-ups de 2,2k (vide esquema elétrico), valor este que permite operar a comunicação I 2 C a um clock de 400kHz. Na McData, os pinos de endereçamento da memória E 2 PROM no barramento I 2 C, pinos A0, A1 e A2 da memória serial, estão conectados diretamente ao 5V, de forma que a memória fica mapeada no endereço físico 0x07 deste barramento. Para as memórias da Microchip este endereçamento está correto e é válido, porém, se for utilizada uma memória de outro fabricante este endereço pode sofrer alterações. Por exemplo, nas memórias da Atmel não existe o pino A2 (mais significativo) e portanto o endereço para estas memórias fica sendo 0x Módulo Relógio de Tempo Real O relógio de tempo real é o PCF8583 (U2) da Philips. Este é um relógio de tempo real completo, ou seja, possui o segundo, o minuto, a hora, o dia, o mês e o ano, incluindo tratamento para anos bissextos. A comunicação é do tipo I 2 C, de forma que este componente compartilha o mesmo barramento de comunicação da memória serial E 2 PROM. O relógio possui um cristal de 32,768kHz e é alimentado pela fonte de 5V. Para evitar perda de dados do relógio, quando o sistema é desenergizado, o usuário pode utilizar uma bateria externa para alimentar o relógio ligado-a ao conector BATTERY da placa McData (consultar capítulo 3 para dados técnicos). O endereço físico do relógio no barramento I 2 C é 0x00 pois o pino de seleção A0 foi ligado ao terra. Vale lembrar que o relógio de tempo real (RTC) possui apenas um bit de seleção para o endereçamento na rede Módulo I 2 C NET A rede I 2 C possui dois pinos de comunicação, via de dados (DATA) e clock (CLOCK) que estão ligados aos pinos do periférico de I 2 C do microcontrolador. As duas vias possuem resistores de pull-up de 2,2k. A memória E 2 PROM (U4) e o relógio RTC (U2) também fazem parte da rede I 2 C. A rede I 2 C tem capacidade de endereçamento de 127 nós, conforme tabela a seguir: McData 10 Rev 5.0

11 Endereço na rede I2C Endereço em binário Descrição do Nó na rede 01h a 4Fh a Vago para periféricos 50h Relógio PCF8583 (U2) 51h Vago para relógio, memória ou periférico 52h Vago para memória ou periférico 53h Memória 24C256 da Atmel 54h a 56h a Vago para memórias ou periféricos 57h Memória 24C256 da Microchip 58h a 7Fh a Vago para periféricos Para facilitar a ligação a outros periféricos através da rede I 2 C, a placa McData incorpora num único conector KRE os sinais +V(Vcc), 5V, terra (GND), DATA e CLOCK Módulo RS232 A comunicação via RS232 utiliza um conversor do tipo MAX232 (U5) para adequar os níveis de tensão do padrão TTL para os níveis de tensão do padrão RS232 e vice-versa. Os recursos internos do microcontrolador são utilizados neste módulo, e portanto, os pinos de TX e RX da USART do PIC estão conectados diretamente ao conversor. Além dos pinos de TX e RX, no hardware está previsto o controle de fluxo por hardware que utiliza os pinos de RTS e CTS (pinos RC0 e RB0 respectivamente). A placa McData implementa a conexão null modem, que trança os pinos de TX com RX e RTS com CTS no circuito da placa. Isto implica que o cabo para interligação de um computador à placa McData não precisa ser trançado. Para padronizar a simbologia, o sinal de CTS neste manual é o sinal de entrada na placa McData enquanto o sinal de RTS é o sinal de saída na placa McData. Os pinos de saída do MAX232 (U5) já no padrão RS232 estão ligados no conector DB9. McData 11 Rev 5.0

12 2.13. Módulo Interrupt Este módulo é formado por três entradas digitais ligadas ao buffer TTL 74LS244 (U8) cujas saídas estão ligadas no microcontrolador. O sinal EDGE passa pelo buffer e é ligado no pino de interrupção externa RB1 do PIC. O sinal CHANGE também passa pelo buffer e é ligado ao pino de interrupção por mudança de estado do PIC (pino RB4). O sinal COUNT passa pelo buffer e é ligado no pino RA4 que é a entrada de clock externo para o timer 0 do microcontrolador. Desta forma, todos os sinais de entrada das interrupções passam pelo buffer a fim de proteger o microcontrolador. McData 12 Rev 5.0

13 3. Características Técnicas Parâmetro Mínimo Máximo Unidade 6,5 23,3 Vac Conector AC IN 9,0 33,0 Vdc - 3,0 A 6,0 23,0 Vac Conector DC IN 8,5 32,5 Vdc - 3,0 A Temperatura de trabalho 0 60 ºC Freqüência de clock do microcontrolador 0 40 MHz Tensão no conector BATTERY 2,5 6,0 V Entrada DIGITAL IN nível 0 0,0 0,8 V Entrada DIGITAL IN nível 1 2,0 5,0 V Impedância da entrada DIGITAL IN - 40,0 kω Tensão saída DIGITAL OUT nível 0 0,0 0,5 V Tensão saída DIGITAL OUT nível 1 2,4 3,8 V Corrente saída DIGITAL OUT nível 0-24,0 ma Corrente saída DIGITAL OUT nível ,0 ma Tensão analógica de entrada (ANALOG IN) 0,0 5,0 V Impedância de saída do sinal analógico a ser medido Ω McData 13 Rev 5.0

14 Parâmetro Mínimo Máximo Unidade Tensão analógica de saída (ANALOG OUT) 0,0 5,0 V Corrente de saída analógica (ANALOG OUT) 0,0 20,0 ma Tensão saída PWM nível 0 0,0 0,5 V Tensão saída PWM nível 1 2,4 3,8 V Corrente saída PWM nível 0-24,0 ma Corrente saída PWM nível ,0 ma Tensão de saída dos sinais TX e RTS em nível lógico 1-8,0-3,0 V Tensão de saída dos sinais TX e RTS em nível lógico 0 3,0 8,0 V Tensão de entrada dos sinais RX e CTS em nível 1-12,0-3,0 V Tensão de entrada dos sinais RX e CTS em nível 0 3,0 12,0 V Tensão entrada INTERRUPT CHANGE nível 0 0,0 0,8 V Tensão entrada INTERRUPT CHANGE nível 1 2,0 5,0 V Tensão entrada INTERRUPT EDGE nível 0 0,0 0,8 V Tensão entrada INTERRUPT EDGE nível 1 2,0 5,0 V Tensão entrada INTERRUPT COUNT nível 0 0,0 0,8 V Tensão entrada INTERRUPT COUNT nível 1 2,0 5,0 V Freqüência da comunicação I 2 C com RTC khz Freqüência da comunicação I 2 C com E 2 PROM khz Freqüência da comunicação I 2 C no barramento I 2 C NET khz McData 14 Rev 5.0

15 Apêndice A Pinagem do Microcontrolador Pino Nome I/O Descrição 1 MCLR I Pino de reset do microcontrolador. 2 RA0 I Entrada do conversor A/D 3 RA1 I/O Entrada da tecla SW1 e saída do led L1 4 RA2 I/O Entrada da tecla SW2 e saída do led L2 5 RA3 I/O Entrada da tecla SW3 e saída do led L3 6 RA4 I Entrada da interrupção de contagem de pulsos (COUNT) 7 RA5 I/O Entrada da tecla SW4 e saída do led L4 8 RE0 O Pino de controle do BUZZER auto-oscilante 9 RE1 O Pino de controle da saída ANALOG OUT 1 10 RE2 O Pino de controle da saída ANALOG OUT 2 11 GND - Pino de terra do microcontrolador 12 Vcc - Pino de alimentação do microcontrolador 13 OSC1 - Pino para ligação do cristal do microcontrolador 14 OSC2 - Pino para ligação do cristal do microcontrolador 15 RC0 O Pino de RTS para controle de fluxo da RS RC1 O Saída do PWM 2 da placa 17 RC2 O Saída do PWM 1 da placa 18 RC3 I/O Via de clock da rede I 2 C McData 15 Rev 5.0

16 Pino Nome I/O Descrição 19 RD0 O Saída digital 0 20 RD1 O Saída digital 1 21 RD2 O Saída digital 2 22 RD3 O Saída digital 3 23 RC4 I/O Via de dados da rede I 2 C 24 RC5 O Pino de controle para leitura das entradas digitais pelo shift register 25 RC6 O Pino de transmissão (TX) da RS RC7 I Pino de recepção (RX) da RS RD4 O Saída digital 4 28 RD5 O Saída digital 5 29 RD6 O Saída digital 6 30 RD7 O Saída digital 7 31 GND - Pino de terra do microcontrolador 32 Vdd - Pino de alimentação do microcontrolador 33 RB0 I Pino de CTS para controle de fluxo da RS RB1 I Entrada de interrupção externa (EDGE) 35 RB2 I Via de dados para leitura das entradas digitais pelo shift register 74LS RB3 O Via de clock para leitura das entradas digitais pelo shift register 74LS RB4 I Entrada de interrupção por mudança de estado (CHANGE) McData 16 Rev 5.0

17 Pino Nome I/O Descrição 38 RB5 O Seleção da chave analógica para o conversor A/D (LSB) 39 RB6 O Seleção da chave analógica para o conversor A/D 40 RB7 O Seleção da chave analógica para o conversor A/D (MSB) McData 17 Rev 5.0

18 4. Apêndice B Mascara de Componentes McData 18 Rev 5.0

19 5. Apêndice C Esquema Elétrico McData 19 Rev 5.0

20 McData 20 Rev 5.0

21 McData 21 Rev 5.0

22 McData 22 Rev 5.0

23 Apêndice D Pinagem do conector DB9 para comunicação RS-232 A tabela a seguir mostra a pinagem do conector DB9 utilizada na comunicação serial RS232. Os nomes utilizados na tabela são os relativos ao computador, pois a placa McData já faz a inversão dos sentidos na própria placa. Assim, o cabo utilizado para conectar a McData a um computador não precisa ser trançado. Pino Função 1-2 RX 3 TX 4-5 GND 6-7 RTS 8 CTS 9 - McData 23 Rev 5.0

24 6. Apêndice E Pinagem do conector de gravação In-Circuit A tabela a seguir mostra a pinagem do conector RJ12 utiliza para gravação in-circuit. Pino Função 1-2 GND 3-4 PGC RB6 5 PGD RB7 6 MCLR McData 24 Rev 5.0

25 7. Certicado de Garantia PARABÉNS; VOCÊ ACABA DE ADQUIRIR A PLACA MCDATA PARA MICROCONTROLADORES PIC DA MOSAICO 1. Tempo de Garantia A Mosaico garante contra defeitos de fabricação durante 4 meses para mão de obra de conserto. O prazo de garantia começa a ser contado a partir da data de emissão da Nota Fiscal de compra. 2. Condições de Garantia Durante o prazo coberto pela garantia, à Mosaico fará o reparo do defeito apresentado, ou substituirá o produto, se isso for necessário. Os produtos deverão ser encaminhados à Mosaico, devidamente embalados por conta e risco do comprador, e acompanhados deste Certificado de Garantia sem emendas ou rasuras e da respectiva Nota Fiscal de aquisição. O atendimento para reparos dos defeitos nos produtos cobertos por este Certificado de Garantia será feito somente na Mosaico, ficando, portanto, excluído o atendimento domiciliar. 3. Exclusões de Garantia Estão excluídos da garantia os defeitos provenientes de: Alterações do produto ou dos equipamentos. Utilização incorreta do produto ou dos equipamentos. Queda, raio, incêndio ou descarga elétrica. Manutenção efetuada por pessoal não credenciado pela Mosaico. Obs.: Todas as características de funcionamento dos produtos Mosaico estão em seus respectivos manuais. McData 25 Rev 5.0

26 4. Limitação de Responsabilidade A presente garantia limita-se apenas ao reparo do defeito apresentado, a substituição do produto ou equipamento defeituoso.nenhuma outra garantia, implícita ou explícita, é dada ao comprador. A Mosaico não se responsabiliza por qualquer dano, perda, inconveniência ou prejuízo direto ou indireto que possa advir de uso ou inabilidade de se usarem os produtos cobertos por esta garantia. A Mosaico estabelece o prazo de 30 dias ( a ser contado a partir da data da nota Fiscal de Venda) para que seja reclamado qualquer eventual falta de componentes. Importante: Todas as despesas de frete e seguro são de responsabilidade do usuário, ou seja, em caso de necessidade o Cliente é responsável pelo encaminhamento do equipamento até a Mosaico. McData 26 Rev 5.0

Application Note FBEE Controle de Placas com entradas Analógicas REV01. 1 Rev01

Application Note FBEE Controle de Placas com entradas Analógicas REV01. 1 Rev01 Application Note FBEE Controle de Placas com entradas Analógicas REV01 1 Rev01 1. INTRODUÇÃO Este capítulo faz uma introdução às características do kit de demonstração FBee Kit. Este capítulo discute:

Leia mais

Data Sheet FBEE Kit V05

Data Sheet FBEE Kit V05 Data Sheet FBEE Kit V05 IEEE 802.15.4 SUPORTA PROTOCOLOS ZIGBEE E MIWI REV 02 1 Rev02 1. INTRODUÇÃO Este capítulo faz uma introdução às características do kit de demonstração FBee Kit. Este capítulo discute:

Leia mais

Suporta os microcontroladores: R. Leonardo da Vinci, Campinas/SP CEP F.: (19) Kit de Desenvolvimento ACEPIC 28

Suporta os microcontroladores: R. Leonardo da Vinci, Campinas/SP CEP F.: (19) Kit de Desenvolvimento ACEPIC 28 Suporta os microcontroladores: PIC16F870, PIC16F872, PIC16F873A, PIC16F876A, PIC16F886, PIC18F2420, PIC18F2520, PIC18F2525, PIC18F2620, PIC18F2455, PIC 18F2550 e outros com 28 pinos O Kit de desenvolvimento

Leia mais

Sumário. 1. Apresentação Hardware Microcontrolador PIC18F LCD alfanumérico Displays de 7 segmentos...

Sumário. 1. Apresentação Hardware Microcontrolador PIC18F LCD alfanumérico Displays de 7 segmentos... 02/03/2011 Sumário 1. Apresentação... 4 2. Hardware... 6 2.1. Microcontrolador PIC18F4550... 6 2.2. LCD alfanumérico... 6 2.3. Displays de 7 segmentos... 7 2.4. Teclado... 7 2.5. Leds... 8 2.6. Buzzer...

Leia mais

Kit de desenvolvimento ACEPIC PRO V3.0

Kit de desenvolvimento ACEPIC PRO V3.0 Kit de desenvolvimento ACEPIC PRO V3.0 O Kit de desenvolvimento ACEPIC PRO V3.0 foi desenvolvido tendo em vista a integração de vários periféricos numa só placa, evitando o uso de protoboards e facilitando

Leia mais

Guia do Usuário. Ferramenta de Desenvolvimento Kit CAN (PIC16F877A\ PIC18F452\ PIC18F4520)

Guia do Usuário. Ferramenta de Desenvolvimento Kit CAN (PIC16F877A\ PIC18F452\ PIC18F4520) Guia do Usuário Ferramenta de Desenvolvimento Kit CAN (PIC16F877A\ PIC18F452\ PIC18F4520) Kit Can 02/03/2011 Sumário 1. Apresentação... 3 2. Hardware... 5 2.1. Microcontrolador PIC16F877A, PIC18F452 e

Leia mais

Sumário. 1. Apresentação Hardware Microcontrolador PIC16F877A LCD alfanumérico Displays de 7 segmentos...

Sumário. 1. Apresentação Hardware Microcontrolador PIC16F877A LCD alfanumérico Displays de 7 segmentos... 02/03/2011 Sumário 1. Apresentação... 4 2. Hardware... 5 2.1. Microcontrolador PIC16F877A... 5 2.2. LCD alfanumérico... 5 2.3. Displays de 7 segmentos... 6 2.4. Teclado... 6 2.5. Leds... 7 2.6. Buzzer...

Leia mais

Guia da Placa de desenvolvimento PD Mega16 N1

Guia da Placa de desenvolvimento PD Mega16 N1 Guia da Placa de desenvolvimento PD Mega16 N1 Este tutorial consiste mostrar detalhes de hardware da placa de desenvolvimento PD Mega16 N1, necessário para iniciar a programação e testes. Boa aprendizagem...

Leia mais

Guia do Usuário Placa de Desenvolvimento McLab1

Guia do Usuário Placa de Desenvolvimento McLab1 Placa de Desenvolvimento McLab1 Sumário 1. APRESENTAÇÃO...3 2. HARDWARE...4 2.1. MICROCONTROLADOR PIC16F628A...4 2.2. DISPLAYS DE 7 SEGMENTOS...5 2.3. TECLAS...5 2.4. LEDS...6 2.5. LÂMPADA...6 2.6. BOTÃO

Leia mais

Arquitetura do Microcontrolador Atmega 328

Arquitetura do Microcontrolador Atmega 328 Governo do Estado de Pernambuco Secretaria de Educação Secretaria Executiva de Educação Profissional Escola Técnica Estadual Professor Agamemnon Magalhães ETEPAM Arquitetura do Microcontrolador Atmega

Leia mais

Guia do Usuário Kit USB para McLab2

Guia do Usuário Kit USB para McLab2 Guia do Usuário Kit USB para McLab2 Kit USB 02/03/2011 Sumário 1. Sobre o Kit USB\McLab2... 3 1.1. Apresentação do Kit USB para McLab2... 3 1.2. Como o Kit USB para McLab2 pode ajudar em seus estudos?...

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DO CONVERSOR CSSM CONVERSOR RS-232/RS-485 PARA FIBRA MONOMODO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DO CONVERSOR CSSM CONVERSOR RS-232/RS-485 PARA FIBRA MONOMODO MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DO CONVERSOR CSSM CONVERSOR RS-232/RS-485 PARA FIBRA MONOMODO Out/14 INTRODUÇÃO O CSSM foi projetado para fornecer a mais versátil conexão possível entre equipamentos assíncronos

Leia mais

Módulo de Conversão Serial-Ethernet

Módulo de Conversão Serial-Ethernet Descrição do Produto O módulo de comunicação é a interface de comunicação da Série FBs que realiza a conversão Serial- Ethernet. Realizando a conversão destes sinais de uma rede RS-485 para Ethernet este

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO KIT CPLD_EE01

APRESENTAÇÃO DO KIT CPLD_EE01 APRESENTAÇÃO DO KIT CPLD_EE01 O kit CPLD_EE01 foi desenvolvido para alunos de cursos técnicos, engenharia e desenvolvedores na área de circuitos digitais, o mesmo conta com alguns módulos que podem ser

Leia mais

Guia do Usuário Gravador McFlash+

Guia do Usuário Gravador McFlash+ Guia do Usuário Gravador [Data de Publicação] Sumário Apresentação do...... 3 1. Sobre o...... 4 1.1. Modelos de PICs gravados pelo... 4 1.2. Ambiente de Desenvolvimento Integrado MPLAB (IDE)... 4 1.3.

Leia mais

Kit de desenvolvimento ACEPIC Light

Kit de desenvolvimento ACEPIC Light Kit de desenvolvimento ACEPIC Light O Kit de desenvolvimento ACEPIC Light foi desenvolvido tendo em vista a utilização de vários periféricos numa só placa, evitando o uso de proat-boards e facilitando

Leia mais

PLATAFORMA PARA ESTUDO EM PROGRAMAÇÃO DE MICROCONTROLADORES FAMÍLIA 8051

PLATAFORMA PARA ESTUDO EM PROGRAMAÇÃO DE MICROCONTROLADORES FAMÍLIA 8051 PLATAFORMA PARA ESTUDO EM PROGRAMAÇÃO DE MICROCONTROLADORES FAMÍLIA 8051 MODELO: EE0216 DESCRIÇÃO Plataforma de treinamento em microcontroladores família 8051 base em aço carbono e pés de borracha, pintura

Leia mais

Módulo Conversor RS-232/RS-485

Módulo Conversor RS-232/RS-485 Descrição do Produto O módulo de comunicação é um conversor bidirecional RS-232/RS-485 ou RS-232/RS-422 da Série FBs. Pode ser utilizado como interface com outros modelos de controladores ou aplicações,

Leia mais

Manual Placa Expansão PE v1.0 Copyright VW Soluções

Manual Placa Expansão PE v1.0  Copyright VW Soluções Apresentação A placa de expansão PE.v1.0 tem como objetivo aumentar as I/O do CLP PIC40 ou CLP PIC28 de acordo com a necessidade do cliente. A placa de expansão pode ter no máximo 8 I/O, ou seja, até 8

Leia mais

Sistemas Digitais EDUARDO ELIAS ALVES PEREIRA

Sistemas Digitais EDUARDO ELIAS ALVES PEREIRA Sistemas Digitais EDUARDO ELIAS ALVES PEREIRA Sistemas Digitais Agenda Arduino Tipos, detalhes; Esquema elétrico. IDEs Eagle; ATMel Studio; Arduino Studio; Circuits IO (Simulador). Arduino Arduino MEGA2560

Leia mais

Experiência. Montagem Kit Didático. 2. Turma: Nota: 5. MICRO-I Prof. Mauricio. Identificação dos Alunos:

Experiência. Montagem Kit Didático. 2. Turma: Nota: 5. MICRO-I Prof. Mauricio. Identificação dos Alunos: Montagem Kit Didático MICRO-I Prof. Mauricio Curso: Eletrônica Industrial Experiência 01 Departamento de Sistemas Eletrônicos Identificação dos Alunos: 1. Data: 2. Turma: 3. 4. Nota: 5. I. OBJETIVOS -

Leia mais

Manual Placa Expansão PE v2.0 Copyright 2011 VW Soluções

Manual Placa Expansão PE v2.0  Copyright 2011 VW Soluções Apresentação A placa de expansão PE.v2.0 tem como objetivo aumentar as I/Os do CLP PIC40 ou CLP PIC28 de acordo com a necessidade do cliente. A placa de expansão pode ter no máximo 8 I/O, ou seja, até

Leia mais

SICILIANO TECNOLOGIA

SICILIANO TECNOLOGIA SICILIANO TECNOLOGIA Desenvolvimento de Projetos e Soluções www.sicilianotecnologia.com.br Manual da Placa Gravador AT89C51ED2-LP-RE2 - VER 1.0 Características: - Totalmente compatível com 8051; - Fácil

Leia mais

Sistemas Embarcados:

Sistemas Embarcados: Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação Sistemas Embarcados: Microcontroladores DCA0119 Sistemas Digitais Heitor Medeiros Florencio Sistemas Embarcados

Leia mais

MINICURSO - PLATAFORMA ARDUINO Eixo de Informação e Comunicação Gil Eduardo de Andrade

MINICURSO - PLATAFORMA ARDUINO Eixo de Informação e Comunicação Gil Eduardo de Andrade Introdução MINICURSO - PLATAFORMA ARDUINO Eixo de Informação e Comunicação Gil Eduardo de Andrade A oficina proposta neste documento apresenta conceitos iniciais e intermediários sobre o funcionamento

Leia mais

KIT DIDÁTICO PIC-2377

KIT DIDÁTICO PIC-2377 KIT DIDÁTICO PIC-77... Módulo PIC-77 Recursos internos da MCU Encapsulamento DIP40. 5 instruções (RISC). pinos de I/O configuráveis. 56 bytes de EEPROM para dados de 8 bits. 8k de memória flash para o

Leia mais

ezap 900 Controlador Lógico Programável ezap900/901 Diagrama esquemático Apresentação Módulo ZMB900 - Características Gerais Dados Técnicos

ezap 900 Controlador Lógico Programável ezap900/901 Diagrama esquemático Apresentação Módulo ZMB900 - Características Gerais Dados Técnicos Caixa Aço carbono zincado Grau de proteção IP20 Dimensões 98 (L) x 98 (A) x 125 (P) mm Diagrama esquemático Apresentação A família de controladores lógicos programáveis ZAP900 foi desenvolvida para atender

Leia mais

HARDWARE DOS RELÉS NUMÉRICOS

HARDWARE DOS RELÉS NUMÉRICOS HARDWARE DOS RELÉS NUMÉRICOS 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS Objetivos idênticos ao hardware dos relés convencionais, ou seja, recebem sinais analógicos de tensão, corrente e outros, sinais digitais de contatos

Leia mais

MÓDULO ANALÓGICO DIGITAL MPLAD18EX2

MÓDULO ANALÓGICO DIGITAL MPLAD18EX2 ZILOCCHI ELETRÔNICA MÓDULO ANALÓGICO DIGITAL MPLAD18EX2 MANUAL DE OPERAÇÃO ZILOCCHI ELETRÔNICA Rua Francisco Pedro Pimenta - N 24 CEP: 37.505-102 Bairro: Boa Vista Itajubá MG TEL/FAX: (35) 3623-4828 HomePage:

Leia mais

Cerne. Conhecimento para o Desenvolvimento. Cerne Tecnologia e Treinamento

Cerne. Conhecimento para o Desenvolvimento. Cerne Tecnologia e Treinamento Conhecimento para o Desenvolvimento Cerne Tecnologia e Treinamento Apostila de Assembly para o PIC16F628A (21) 4063-9798 (11) 4063-1877 E-mail: cerne@cerne-tec.com.br MSN: cerne-tec@hotmail.com Skipe:

Leia mais

MANUAL DO KIT FPGA EE02-SOQ

MANUAL DO KIT FPGA EE02-SOQ EMERSON ELETRÔNICOS MANUAL DO KIT FPGA EE02-SOQ www.professoremersonmartins.com.br 2014 REV-01 MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO KIT FPGA EE02_SOQ Primeiramente a Emerson Eletrônicos, em nome do professor Emerson

Leia mais

Leitor ATG25A-PC (Cabo Preto)

Leitor ATG25A-PC (Cabo Preto) Leitor ATG25A-PC (Cabo Preto) Esse leitor é para ser usado conectado à um PC rodando o SW esheriff O leitor é controlado pelo aplicativo esheriff através das interfaces RS232 ou RS485. Quando o tag lido

Leia mais

Jadsonlee da Silva Sá

Jadsonlee da Silva Sá Introdução aos Sistemas Microcontrolados Jadsonlee da Silva Sá Jadsonlee.sa@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jadsonlee.sa Introdução aos Sistemas Microcontrolados Assembly, C, java,... Circuito Reset

Leia mais

Placa de desenvolvimento USB AFSmartBoard utiliza PIC18F4550 da Microchip, microcontrolador com o Flash 32kb, 2048 bytes de memória RAM

Placa de desenvolvimento USB AFSmartBoard utiliza PIC18F4550 da Microchip, microcontrolador com o Flash 32kb, 2048 bytes de memória RAM Guia rápido AFSmart Board PIC18F4550-I/P Placa de desenvolvimento USB AFSmartBoard utiliza PIC18F4550 da Microchip, microcontrolador com o Flash 32kb, 2048 bytes de memória RAM Características Placa para

Leia mais

Cerne. Conhecimento para o Desenvolvimento. Cerne Tecnologia e Treinamento

Cerne. Conhecimento para o Desenvolvimento. Cerne Tecnologia e Treinamento Cerne Conhecimento para o Desenvolvimento Cerne Tecnologia e Treinamento Apostila de Pascal Avançado para PIC16F877A (21) 4063-9798 (11) 4063-1877 E-mail: cerne@cerne-tec.com.br MSN: cerne-tec@hotmail.com

Leia mais

Microcontroladores PIC16 - XM 116 -

Microcontroladores PIC16 - XM 116 - T e c n o l o g i a Microcontroladores PIC16 - XM 116 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Microcontroladores PIC16 - XM 116 - INTRODUÇÃO O mundo da

Leia mais

Projeto de Sistemas Eletrônicos

Projeto de Sistemas Eletrônicos Curso de Formação Profissional Técnico em Eletroeletrônica Módulo II Senai Arcos-MG Projeto de Sistemas Eletrônicos Raphael Roberto Ribeiro Silva Técnico em eletroeletrônica pelo INPA Arcos Estudante de

Leia mais

Cerne Tecnologia e Treinamento

Cerne Tecnologia e Treinamento Tecnologia e Treinamento Tutorial para Testes na Placa de Aquisição de Dados (21)4063-9798 (11)4063-1877 Skype: cerne-tec MSN: cerne-tec@hotmail.com www.cerne-tec.com.br Kits Didáticos e Gravadores da

Leia mais

ITEM Instituto de Tecnologia Emerson Martins MANUAL DO KIT FPGA-EE REV-01

ITEM Instituto de Tecnologia Emerson Martins MANUAL DO KIT FPGA-EE REV-01 ITEM Instituto de Tecnologia Emerson Martins MANUAL DO KIT FPGA-EE03 www.professoremersonmartins.com.br 2016 REV-01 MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO KIT FPGA EE03 Primeiramente o ITEM INSTITUTO DE TECNOLOGIA EMERSON

Leia mais

Módulo 32 ED 24 Vdc Opto

Módulo 32 ED 24 Vdc Opto Descrição do Produto O módulo, integrante da Série Ponto, possui 32 pontos de entrada digital para tensão de 24 Vdc. O módulo é do tipo lógica positiva ( tipo `sink`) e destina-se ao uso com sensores com

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DO CONVERSOR CFR

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DO CONVERSOR CFR MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DO CONVERSOR CFR 04/17 CFR CONVERSOR RS 232 DESCRIÇÃO O CFR-ST é um conversor de interface de fibra óptica para interface RS232C visando conectar sistemas onde há necessidade

Leia mais

ZAP 900. Controlador Lógico Programável ZAP900/901. Diagrama esquemático. Apresentação. Módulo ZMB900 - Características Gerais. Dados Técnicos.

ZAP 900. Controlador Lógico Programável ZAP900/901. Diagrama esquemático. Apresentação. Módulo ZMB900 - Características Gerais. Dados Técnicos. Diagrama esquemático Usuário Processo Display 2x16 (*1) Teclado com 15 teclas (*1) Entradas Digitais Saídas Digitais Módulo ZMB900 Apresentação A família de controladores lógicos programáveis ZAP900 foi

Leia mais

MANUAL GRAVADOR ISD-EE01

MANUAL GRAVADOR ISD-EE01 2015 MANUAL GRAVADOR ISD-EE01 REV 01 APRESENTAÇÃO DO KIT GRAVADOR ISD-EE01 Primeiramente a Emerson Eletrônicos agradece e parabeniza-o pela aquisição de um de nossos produtos, o que nos da satisfação e

Leia mais

INSTALAÇÃO FISICA DE TERMINAIS UTILIZANDO O PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO RS-485

INSTALAÇÃO FISICA DE TERMINAIS UTILIZANDO O PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO RS-485 INSTALAÇÃO FISICA DE TERMINAIS UTILIZANDO O PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO RS-485 Conexão URANET Destinada à aplicações que envolvam até 32 equipamentos que são conectados à porta serial RS-232C do microcomputador,

Leia mais

Referência: PDF Revisão: 3 Arquivo : PDF doc Atualizado em: 31/08/2005

Referência: PDF Revisão: 3 Arquivo : PDF doc Atualizado em: 31/08/2005 Descritivo Funcional Controlador Industrial MCI02-QC Referência: PDF.102.050 Revisão: 3 Arquivo : PDF10205000.doc Atualizado em: 31/08/2005 Índice 1. Objetivo... 2 2. Aplicação... 2 3. Definições... 2

Leia mais

Microcontrolador 8051

Microcontrolador 8051 Microcontrolador 8051 Inicialmente fabricado pela INTEL, atualmente fabricado por várias empresas; Possui uma grande variedade de dispositivos, com diversas características, porém compatíveis em software;

Leia mais

Campus de Guaratinguetá Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá Professor Carlos Augusto Patrício Amorim

Campus de Guaratinguetá Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá Professor Carlos Augusto Patrício Amorim 1 unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Campus de Guaratinguetá Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá Professor Carlos Augusto Patrício Amorim LISTA DE EXERCÍCIOS: CONVERSORES D/A E A/D Sistemas Digitais

Leia mais

Montagem do Robô. Especificações. domingo, 28 de agosto de 11

Montagem do Robô. Especificações. domingo, 28 de agosto de 11 Montagem do Robô Especificações Componentes São necessários para o robô funcionar alguns componentes básicos: Bateria 9V Regulador L7805 Motor DC 1 4 Diodos 1N4004 Motor DC 2 4 Diodos 1N4004 Ponte H L298N

Leia mais

EMERSON ELETRÔNICOS MANUAL DO KIT CPLD-02-SOQ REV-01

EMERSON ELETRÔNICOS MANUAL DO KIT CPLD-02-SOQ REV-01 EMERSON ELETRÔNICOS MANUAL DO KIT CPLD-02-SOQ www.professoremersonmartins.com.br 2015 REV-01 MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO KIT CPLD-02_SOQ Primeiramente a Emerson Eletrônicos, em nome do professor Emerson Martins

Leia mais

INVERSOR DE FREQUÊNCIA CDF-1CV. Guia simplificado

INVERSOR DE FREQUÊNCIA CDF-1CV. Guia simplificado Guia simplificado Inversor de Freqüência CDF-1CV DESCRIÇÃO: O Inversor CDF-1CV foi projetado para o controle de motores de indução trifásicos. Os comandos de controle são compatíveis com diferentes formas

Leia mais

Microcontroladores PIC18 - XM 118 -

Microcontroladores PIC18 - XM 118 - T e c n o l o g i a Microcontroladores PIC18 - XM 118 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. Microcontroladores PIC18 - XM 118 - INTRODUÇÃO O mundo da

Leia mais

Campus de Guaratinguetá Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá Professor Carlos Augusto Patrício Amorim

Campus de Guaratinguetá Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá Professor Carlos Augusto Patrício Amorim 1 unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Campus de Guaratinguetá Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá Professor Carlos Augusto Patrício Amorim LISTA DE EXERCÍCIOS: CONVERSORES D/A E A/D Sistemas Digitais

Leia mais

ROLETA DIGITAL. CI 4017 Contador de década, da família CMOS, que possui 10 saídas nas quais são ligados os leds.

ROLETA DIGITAL. CI 4017 Contador de década, da família CMOS, que possui 10 saídas nas quais são ligados os leds. ROLETA DIGITAL Trata-se de um kit didático para estudo da eletrônica digital e analógica, além de ter também como objetivo, testar as habilidades manuais do aluno. COMPOSIÇÃO DO KIT: CI 4017 Contador de

Leia mais

O jeito fácil de aprender!

O jeito fácil de aprender! O jeito fácil de aprender! ETS - Educational Training Shield Manual do Usuário Versão 1.1 www.ezduino.com info@ezduino.com PREFÁCIO A partir de uma detalhada pesquisa o "EZduino Team" elaborou o ETS -

Leia mais

Família de Microcontroladores AVR

Família de Microcontroladores AVR www.iesa.com.br 1 AVR é o nome dado a uma linha ou família de microcontroladores fabricada pela empresa Atmel nos Estados Unidos. A sigla AVR é em homenagem a dois estudantes de doutorado de uma universidade

Leia mais

Instruções para montagem e instalação. Sensor de Inclinação EC2082

Instruções para montagem e instalação. Sensor de Inclinação EC2082 Instruções para montagem e instalação R Sensor de Inclinação EC2082 Instruções de segurança Esta descrição faz parte dos sensores. Contém textos e gráficos referentes à manipulação adequada do sensor.

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES REDE CABEADA UTP. GiGA

MANUAL DE INSTRUÇÕES REDE CABEADA UTP. GiGA MANUAL DE INSTRUÇÕES REDE CABEADA UTP GiGA Descrição: Desenvolvido com o propósito de inovar o sistema de rede cabeada UTP tradicional que trabalha com velocidades de 10/100Mbps, para um sistema que permite

Leia mais

PSI2662 Projeto em Sistemas Eletrônicos Embarcados: Sensores e Atuadores. Apresentação do Kit Freescale Freedom FDRM-KL25Z e Portas de Entrada e Saída

PSI2662 Projeto em Sistemas Eletrônicos Embarcados: Sensores e Atuadores. Apresentação do Kit Freescale Freedom FDRM-KL25Z e Portas de Entrada e Saída PSI2662 Projeto em Sistemas Eletrônicos Embarcados: Sensores e Atuadores Apresentação do Kit Freescale Freedom FDRM-KL25Z e Portas de Entrada e Saída Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Prof.

Leia mais

Guia do usuário. PoE 200 AT

Guia do usuário. PoE 200 AT Guia do usuário PoE 200 AT Injetor PoE 200 AT Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O injetor PoE 200 AT é compatível com os padrões 802.3af e 802.3at. Ele

Leia mais

Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N

Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N O Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N foi desenvolvido tendo em vista a integração de vários periféricos numa só placa, além de permitir a inserção de módulos externos para

Leia mais

Vídeo Porteiro Residencial VP 02

Vídeo Porteiro Residencial VP 02 Vídeo Porteiro Residencial VP 02 Manual de referência e instalação Controles do módulo interno (monitor) 1 2 3 4 6 8 7 9 10 11 Nº Ícone Descrição Nº Ícone Descrição 1 Microfone 7 Display LCD (7 TFT) 2

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO. RS 485 / I.R. para RF (R433)

MANUAL DE INSTALAÇÃO. RS 485 / I.R. para RF (R433) MANUAL DE INSTALAÇÃO RS 485 / I.R. para RF (R433) O produto deste manual poderá sofrer alterações sem prévio aviso. Versão:Agosto de 2014 GSA-016! ATENÇÃO: Este produto requer conhecimento técnico para

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Pernambuco - Unidade Santo Amaro Curso de Tecnologia em Mecatrônica Industrial

Faculdade de Tecnologia SENAI Pernambuco - Unidade Santo Amaro Curso de Tecnologia em Mecatrônica Industrial Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de Pernambuco Faculdade de Tecnologia SENAI Pernambuco - Unidade Santo Amaro Curso de Tecnologia em Mecatrônica Industrial Disciplina:

Leia mais

Concentradora ATC34C

Concentradora ATC34C Concentradora ATC34C A concentradora ATC34C foi desenvolvida para atender projetos de controle de acesso de pequeno e médio porte Possui entrada para 4 leitores com interface Wiegand e 4 relés para acionamento

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DO COMPARTILHADOR DE DADOS SPL1.2 / SPL1.4 (SPLITTER)

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DO COMPARTILHADOR DE DADOS SPL1.2 / SPL1.4 (SPLITTER) MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DO COMPARTILHADOR DE DADOS SPL1.2 / SPL1.4 (SPLITTER) 10/16 1 SPLITTER SPL1.2 /SPL1.4 O SPL é um compartilhador de interfaces RS-232 visando permitir que uma interface serial

Leia mais

10.0 Conversores DA. Conceitos básicos:

10.0 Conversores DA. Conceitos básicos: 100 Conversores DA Monitorar grandezas físicas, coletar dados e armazena-los para possíveis tomadas de decisão é grande interesse da indústria A precisão dos sinais coletados é de extrema importância,

Leia mais

Manual de Instruções Auxiliar Para Troca de Baterias 12V.

Manual de Instruções Auxiliar Para Troca de Baterias 12V. Manual de Instruções Auxiliar Para Troca de Baterias 12V. A&C Automação e Controle Rua: Itápolis nº 84 SBC SP CEP:09615-040 Tel.: (11) 4368-4202 SAC: (11) 4368-5958 E-mail: sac@aecautomacao.com.br www.aecautomacao.com.br

Leia mais

Documentação da Eletrônica do Time Caboclinhos

Documentação da Eletrônica do Time Caboclinhos Documentação da Eletrônica do Time Caboclinhos 1. Placas de Circuito Impresso do Robô em Tamanho Real Figura 1. Placa do jogador com rádio com uma barra de pinos simples 1x8. Figura 2. Distribuição dos

Leia mais

CAPÍTULO 3 Interfaces Seriais RS-232 e RS-485

CAPÍTULO 3 Interfaces Seriais RS-232 e RS-485 Interfaces e Periféricos 22 CAPÍTULO 3 Interfaces Seriais RS-232 e RS-485 A Porta serial RS-232 Com o passar dos anos, a porta de comunicação serial RS-232 veio sendo gradualmente suprimida pela USB para

Leia mais

INVERSOR DE FREQUÊNCIA CDF - 2CV. Guia simplificado de Operação

INVERSOR DE FREQUÊNCIA CDF - 2CV. Guia simplificado de Operação Guia simplificado de Operação Inversor de Freqüência CDF-02CV DESCRIÇÃO: O Inversor CFS-2CV foi projetado para o controle de motores de indução trifásicos. Os comandos de controle são compatíveis com diferentes

Leia mais

Kit Teclado TS 4x4 v1..0 Manual do usuário

Kit Teclado TS 4x4 v1..0 Manual do usuário Kit Teclado TS 4x4 v1..0 Manual do usuário 1 Apresentação O Kit Teclado TS 4x4 v1.0 foi desenvolvido pela VW Soluções utilizando-se como base o microcontrolador PIC16F886 da Microchip. Ele possui 16 teclas

Leia mais

9.0 Conversores DA. Um conversor digital analógico simples com saída em tensão

9.0 Conversores DA. Um conversor digital analógico simples com saída em tensão 9.0 Conversores DA Um DAC (Digital-to-Analog Converter) é um conversor digital analógico, comumente usado em situações onde há necessidade de converter um sinal um sinal que se apresenta na forma digital

Leia mais

Receptor Multifuncional

Receptor Multifuncional MAGARMG2C30MV1 MANUAL GENNO RMG MAX 2 CANAIS 30M V1 Receptor Multifuncional Manual válido para as versões: RMG MAX 2C30M RMG MAX 2C93M RMG MAX 2C2077M 2 Canais independentes Função pulso Função retenção

Leia mais

Circuito Eletrônico. Entendendo o circuito eletrônico na robótica. domingo, 28 de agosto de 11

Circuito Eletrônico. Entendendo o circuito eletrônico na robótica. domingo, 28 de agosto de 11 Circuito Eletrônico Entendendo o circuito eletrônico na robótica Circuito Integrado Um circuito integrado híbrido é um circuito eletrônico miniaturizado constituído de dispositivos semicondutores individuais,

Leia mais

Placa McLab1 Upgrade PIC16F84A p/ PIC16F62x

Placa McLab1 Upgrade PIC16F84A p/ PIC16F62x Placa Upgrade PIC16F84A p/ PIC16F62x Sumário 1. UTILIZANDO OS PICS 16F62X...3 1.1. INTRODUÇÃO...3 2. ATUALIZAÇÃO DO HARDWARE...4 2.1. UPGRADE DA PLACA MCLAB1 PARA TRABALHAR COM PIC16F627 / PIC16F628...4

Leia mais

Hardware. 5- Faça o fluxograma para efectuar o debounced de uma tecla por temporização(20ms). Implemente uma rotina para a leitura da tecla.

Hardware. 5- Faça o fluxograma para efectuar o debounced de uma tecla por temporização(20ms). Implemente uma rotina para a leitura da tecla. 1- Na ligação de Microprocessadores a periféricos são utilizados, básicamente dois métodos, I/O-polling e I/O-interrupt. Quais as vantagens e desvantages de cada método, exemplifique. 2- Qual a diferença

Leia mais

3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 3.2 CARACTERÍSTICAS DE SOFTWARE 1. CARACTERÍSTICAS O CLG535R é um controlador programável que integra os principais recursos empregados em uma automação industrial. Dispõe integrado

Leia mais

Sistemas Embarcados:

Sistemas Embarcados: Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação Sistemas Embarcados: Interfaces de Entradas e Saídas DCA0119 Sistemas Digitais Heitor Medeiros Florencio

Leia mais

DRIVER DUPLO - DRO100D25A

DRIVER DUPLO - DRO100D25A 2 2 SUPPLIER INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ELETRO ELETRÔNICOS LTDA. DRIVER DUPLO - DRO00D25A Descrição Geral O DRO00D25A é um driver isolado de dois canais, projetado para comandar transistores IGBT de até.200

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO OPERAÇÃO CFL125850

MANUAL DE INSTALAÇÃO OPERAÇÃO CFL125850 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DO CFL125850 out/16 INTRODUÇÃO O CFL125850 é um conversor de fibra ótica para interface 10 baset, visando conectar redes através de fibra óptica multimodo com conectores

Leia mais

Documento: Descritivo Simplificado do Projeto SPDMAI

Documento: Descritivo Simplificado do Projeto SPDMAI 1/5 Descritivo Simplificado do Projeto SPDMAI O Sistema de Processamento Digital para Medição e Automação Industrial (SPDMAI) é baseado no kit de desenvolvimento DSP TMS320C6711 DSK da Texas Instruments,

Leia mais

Totem Pole, Coletor Aberto e Tristate

Totem Pole, Coletor Aberto e Tristate Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação - EESC-USP SEL-415 Introdução à Organização dos Computadores Totem Pole, Coletor Aberto e Tristate Aula 2 Profa. Luiza Maria Romeiro Codá Autor: Dr.

Leia mais

Microcontrolador 8051:

Microcontrolador 8051: Microcontrolador 8051: Fonte: CORRADI 2009 O Microcontrolador 8051: Começou a ser produzido no início da década de 80, pela Intel; Hoje é fabricado por várias empresas e com muitas variações; Atualmente,

Leia mais

Módulo de Expansão Entradas Analógicas

Módulo de Expansão Entradas Analógicas Descrição do Produto O módulo de entrada analógico destina-se a conversão analógico para digital de sinais sob a forma de corrente ou tensão fornecidos por equipamentos como sensores analógicos e equipamentos

Leia mais

Suporta os microcontroladores: R. Leonardo da Vinci, 883 - Campinas/SP CEP 13.077-009 F.: (19) 4141.3351 / 3304.1605

Suporta os microcontroladores: R. Leonardo da Vinci, 883 - Campinas/SP CEP 13.077-009 F.: (19) 4141.3351 / 3304.1605 Suporta os microcontroladores: PIC16F877A, PIC18F452, PIC18F4520, PIC18F4550, PIC 18F876A, PIC18F252, PIC18F2550 e outros com 28 e 40 pinos O Kit de desenvolvimento ACEPIC PRO V2.0 foi projetado tendo

Leia mais

Objetivos MICROCONTROLADORES HARDWARE. Aula 03: Periféricos. Prof. Mauricio. MICRO I Prof. Mauricio 1. Arquitetura de um Microcontrolador

Objetivos MICROCONTROLADORES HARDWARE. Aula 03: Periféricos. Prof. Mauricio. MICRO I Prof. Mauricio 1. Arquitetura de um Microcontrolador MICROCONTROLADORES HARDWARE 1 Prof. Mauricio Aula 03: Objetivos 2 Arquitetura de um Microcontrolador Unidade Central de Processamento Portas de Entrada e Saída Porta Serial Temporizador / Contador Conversor

Leia mais

Copyright 2014 VW Soluções

Copyright 2014 VW Soluções 1 Apresentação O ClpPic40-B v1.0 foi desenvolvido com base no microcontrolador PIC16F887, mas pode ser utilizado qualquer outro PIC de 40 pinos da família 16F ou 18F (observar a pinagem). Ele possui várias

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES VOLT

MANUAL DE INSTRUÇÕES VOLT MANUAL DE INSTRUÇÕES RC VOLT DESCRIÇÃO Desenvolvida com o propósito de facilitar ainda mais a implementação de rede cabeada UTP, a RC-VOLT é uma forma simples para instalação de uma rede que trabalha com

Leia mais

Terminal de Operação Cimrex 90

Terminal de Operação Cimrex 90 Descrição do Produto O Cimrex 90 agrega as mais novas tecnologias e a mais completa funcionalidade de terminais de operação. Possui visor de cristal líquido gráfico colorido com matriz ativa de 10,4. O

Leia mais

SISTEMA PARA ESTUDO E TREINAMENTO NO ACIONAMENTO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS COM INVERSOR DE FREQUÊNCIA E AQUISIÇÃO DE DADOS

SISTEMA PARA ESTUDO E TREINAMENTO NO ACIONAMENTO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS COM INVERSOR DE FREQUÊNCIA E AQUISIÇÃO DE DADOS DLB MAQCA 1893 SISTEMA PARA ESTUDO E TREINAMENTO NO ACIONAMENTO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS COM INVERSOR DE FREQUÊNCIA E AQUISIÇÃO DE DADOS Este conjunto didático de equipamentos foi idealizado para possibilitar

Leia mais

Sistemas Embarcados:

Sistemas Embarcados: Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação Sistemas Embarcados: Interfaces com o Mundo Analógico DCA0119 Sistemas Digitais Heitor Medeiros Florencio

Leia mais

Laboratório de Hardware

Laboratório de Hardware Ciência da Computação Laboratório de Hardware Introdução ao Microcontrolador PIC Prof. Sergio Ribeiro Microprocessadores Os microprocessadores são circuitos integrados compostos por diversas portas lógicas

Leia mais

Guia do Usuário Placa de Desenvolvimento McLab3 (PIC18F4550)

Guia do Usuário Placa de Desenvolvimento McLab3 (PIC18F4550) Guia do Usuário Placa de Desenvolvimento McLab3 (PIC18F4550) McLab3 02/03/2011 Sumário 1. Apresentação... 5 2. Hardware... 7 2.1. Microcontrolador PIC18F4550... 7 2.2. LCD alfanumérico... 7 2.3. LCD gráfico

Leia mais

Manual do hardware 24/2/2010. Este manual não pode ser reproduzido, total ou parcialmente, sem autorização por escrito da Schneider Electric.

Manual do hardware 24/2/2010. Este manual não pode ser reproduzido, total ou parcialmente, sem autorização por escrito da Schneider Electric. MA.012.00-05/10 Manual do hardware 24/2/2010 Este manual não pode ser reproduzido, total ou parcialmente, sem autorização por escrito da Schneider Electric. Seu conteúdo tem caráter exclusivamente técnico/informativo

Leia mais

IDM-6 Ignition Driver Module

IDM-6 Ignition Driver Module Manual do Usuário IDM-6 Ignition Driver Module 8 de Janeiro de 2014 GARANTIA PRODUTOS PRO TUNE Os Produtos Pro Tune têm garantia de 1 ano (3 meses referentes à garantia legal mais extensão de 9 meses de

Leia mais

INTRODUÇÃO DESCRIÇÃO DO PAINEL E LIGAÇÕES

INTRODUÇÃO DESCRIÇÃO DO PAINEL E LIGAÇÕES Manual do Usuário INTRODUÇÃO O Turbo 1400 é uma fonte de alimentação de alta potência que possibilita alimentar e carregar bateria(s) automotiva(s) com 14,4V e 140 Amperes. Foi desenvolvida para proporcionar

Leia mais

Cerne Tecnologia e Treinamento Manual do Usuário Gravador GP PIC USB (21) 4063-9798 (11) 4063-1877 E-mail: cerne@cerne-tec.com.br MSN: cerne-tec@hotmail.com Skipe: cerne-tec www.cerne-tec.com.br Manual

Leia mais

Cerne Tecnologia e Treinamento. MSN: Skipe: cerne-tec.

Cerne Tecnologia e Treinamento.   MSN: Skipe: cerne-tec. Cerne Tecnologia e Treinamento Tutorial de Instalação do Medidor de Temperatura (21) 4063-9798 (11) 4063-1877 E-mail: cerne@cerne-tec.com.br MSN: cerne-tec@hotmail.com Skipe: cerne-tec www.cerne-tec.com.br

Leia mais

controle em instrumentação

controle em instrumentação Circuitos digitais para aquisição de dados e controle em instrumentação O objetivo primordial da conversão de sinais (de ou para sinais elétricos) realizada pelos transdutores, é o de transferir informação

Leia mais

QSPAVR40 Manual do usuário Ver 1.0

QSPAVR40 Manual do usuário Ver 1.0 QSPAVR40 Manual do usuário Ver 1.0 Introdução: É um excelente kit de microcontrolador da família Mega AVR da Atmel. O kit QSPAVR40 é um kit de desenvolvimento e aprendizagem utilizando microcontroladores

Leia mais