Dosimetria é o processo de determinação da dose resultante de uma irradiação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dosimetria é o processo de determinação da dose resultante de uma irradiação"

Transcrição

1

2 DEFINIÇÕES Dosimetria é o processo de determinação da dose resultante de uma irradiação Absoluta fornece o valor da dose em um ponto ou volume Relativa - fornece a razão da dose entre dois pontos

3 DOSÍMETROS Câmaras cilíndricas de diversos volumes Câmaras de placas paralelas Filmes TLD OSL Dosímetros planares Diodos

4 DOSÍMETROS Diamante Mosfet Sistema de controles diários Além de sistemas menos usuais nas clínicas: cintiladores, calorímetros, dosímetros químicos (Fricke, gels, alanine).

5 CONDIÇÃOPARA O DOSÍMETRO SER ABSOLUTO deve ter sido calibrado em laboratório oficial ou ter seu fator de calibração obtido por intercomparação em resumo, deve-se ter um fator de calibração fator que relaciona a grandeza medida com a dose absorvida

6 DOSÍMETROS ABSOLUTOS E RELATIVOS em princípio, todo sistema pode ser calibrado, porém nem sempre é conveniente ou fácil fazê-lo. Calibráveis (absolutos): câmara cilíndricas e de placas paralelas, TLD, filmes, OSL, Mosfet, dosímetros planares Dificilmente calibráveis (relativos): diodos, diamante, câmaras usadas em varreduras

7 MEDIÇÕES Sistema dosimétrico Absoluto Relativo

8 MEDIÇÕES Medidas Absolutas Relativas

9 MEDIÇÕES Sistema dosimétrico Absoluto Relativo Medidas Absolutas Relativas

10 MEDIÇÕES Sistema dosimétrico Absoluto Relativo Medidas Absolutas Relativas

11 MEDIÇÕES Sistema dosimétrico Absoluto Relativo Medidas Absolutas Relativas

12 MEDIÇÕES Sistema dosimétrico Absoluto Relativo Medidas Absolutas Relativas

13 MEDIÇÕES Sistema dosimétrico Absoluto Relativo Medidas Absolutas Relativas

14 MEDIÇÕES ABSOLUTAS fatores output de máquinas dose em um ponto taxas de dose dose em um tratamento medidas in vivo

15 MEDIÇÕES RELATIVAS PDP, TPR e TMR simetria e planura de um campo distribuição de dose num plano fator scatter fator tamanho de campo fator off-axis fatores filtro, bandeja etc

16 COMISSIONAMENTO Os sistemas dosimétricos devem ser comissionados para se determinar suas características: corrente de fuga dependência da resposta com a taxa de dose linearidade com a dose dependência com a energia dependência angular reprodutibilidade radiografia

17 LIMITAÇÕES Aspectos que devem ser considerados na escolha do dosímetro: limite de dose acumulada dependência com energia tamanho do campo a ser medido sistema eletrônico

18 CÂMARAS DE IONIZAÇÃO Características: praticamente independente da energia, da dose e da taxa de dose muito reprodutíveis podem ser calibradas em laboratório de metrologia relativamente baratas são fabricadas em diversos formatos: cilíndricas, esféricas, placas paralelas existem em diversos tamanhos: de 0,01 a 0,6 cm 3.

19 DIODOS Características: tem volume sensível pequeno, é um micro detector resposta rápida, microsegundo excelente resolução espacial não necessita tensão elétrica externa alta sensibilidade as razões de stopping power são praticamente independentes da energia sua resposta depende da temperatura, da taxa de dose, da DFS, de filtro e da energia

20 DOSÍMETROS TLD Características: usado em medidas pontuais e em dosimetria in vivo existem em diferentes formatos: rods, plaquetas e pó podem ser reutilizados depois de devidamente recozidos tem dependência com a energia e com a dose

21 DOSÍMETRO DIAMANTE Catacterísticas: volume sensível pequeno: de 1 a 6 mm 3 ideal para dosimetria em campos pequenos e medidas de perfil de feixe a resposta é diretamente proporcional a dose absorvida não apresentam dependência direcional são equivalentes ao tecido apresentam baixa dependência com a taxa de dose são difíceis de serem construídos e são muito caros.

22 FILMES Caraterísticas: o filme é mais utilizado em medidas relativas mas pode ser usado em medidas absolutas depois de uma calibração cuidadosa há diferentes tipos de filmes: X-Omat da Kodak, envelopado um a um; EDR-2 da Kodak também envelopado; Gaphcromic que não precisa ser revelado, mas tem baixa resolução de bordas apresentam alta dependência com energia são o melhor método para dosimetrias planas para campos pequenos.

23 MOSFET Caraterísticas: semicondutor de silício com óxido metálico sendo ideal para dosimetria de campo pequenos em meios de baixa densidade são usados em dosimetria in vivo independe da energia na faixa dos MV é relativamente independente da temperatura e da taxa de dose tem uma vida curta, sendo necessário repetir sua calibração para medidas de precisão.

24 DETALHES QUE PEDEM CUIDADOS ESPECIAIS determinação do ponto efetivo do dosímetro posicionamento da câmara no momento da medida determinação do fator de calibração através de intercomparação cálculo de dose em campos pequenos

25 PONTO EFETIVO E DE REFERÊNCIA Confusões muito comuns: ponto efetivo do dosímetro ponto de referência do dosímetro profundidade de referência

26 PONTO EFETIVO DA CÂMARA cilíndrica: d c = 0,6 x raio da câmara

27 PONTO EFETIVO DA CÂMARA de placas parelelas: no centro da face frontal da cavidade de ar

28 PONTO EFETIVO Diodo 0,5 mm Diamante 1,0 mm

29 PONTO DE REFERÊNCIA DA CÂMARA É o ponto da câmara que deve ser usado para o posicionamento da câmara na profundidade de referência da medida. para medidas de PDP o ponto de referência da câmara é o ponto efetivo para medidas de determinação do fator output o ponto de referência da câmara é seu centro

30 PROFUNDIDADE DE REFERÊNCIA profundidade de referência da medida é a profundidade em que deve ser feita a avaliação da dose como indicado pelo protocolo exemplo - protocolo TRS-398 para medidas de fator output: câmara cilíndrica calibrada; campo 10 cm x 10 cm; DFS de 100 cm; profundidade do ponto de medida, z ref, 10 cm para fótons com energia de 6 MV; ponto de referência da câmara: no centro do volume de sua cavidade; colocar o ponto de referência da câmara na profundidade de referência z ref.

31 DOSIMETRIA DE CAMPOS PEQUENOS dificuldades: condições de não equilíbrio que acarretam aumento da incerteza nas medidas o não equilíbrio ocorre porque o percurso dos elétrons secundários é da ordem do tamanho de campo a projeção do tamanho da fonte através do sistema de colimação é da ordem do tamanho de campo

32 DOSIMETRIA DE CAMPOS PEQUENOS dificuldades: há perda de equilíbrio lateral das cargas, o que aumenta a penumbra do campo o tamanho dos detetores da ordem do tamanho do campo induz variações no espectro de energia e nos valores de stopping power. Há estudos sobre o estabelecimento de formalismos para dosimetria em campos pequenos, Med. Phys.35(11) 2008, P. Andreo

33 INTERCOMPARAÇÃO o fator de output de uma câmara pode ser determinado por intercomparação com outra com fator conhecido: medir numa situação de referência a dose com as duas câmaras aplicando todos os fatores de correção de cada uma delas determinar a razão das leituras corrigidas esse fator deve ser aplicado no fator conhecido

34

DECLARAÇÃO DO POTENCIAL CONFLITO DE INTERESSE

DECLARAÇÃO DO POTENCIAL CONFLITO DE INTERESSE DECLARAÇÃO DO POTENCIAL CONFLITO DE INTERESSE Palestrante: Stela Paltrinieri Nardi Apresentação: Dosimetria de campos pequenos NENHUM CONFLITO DE INTERESSE Dosimetria de campos pequenos Stela Paltrinieri

Leia mais

Delano V. S. Batista / INCA XI Congresso SBRT Florianópolis / 2009

Delano V. S. Batista / INCA XI Congresso SBRT Florianópolis / 2009 Controle da Qualidade em Radioterapia Estereotática Delano V. S. Batista / INCA XI Congresso SBRT Florianópolis / 2009 Radioterapia Estereotática Equipamento - INCA Clinac 2300 C/D 6 MV Brainlab Frame,

Leia mais

Stela Paltrinieri Nardi Física Médica/COI

Stela Paltrinieri Nardi Física Médica/COI Stela Paltrinieri Nardi Física Médica/COI Para o levantamento radiométrico: contador Geiger, câmara de ionização Teste de aceite e comissionamento: Câmara de Ionização Diodo Uso de um segundo detetor para

Leia mais

Calculo de dose para feixes externos: Teleterapia (24 ª /25 a aula)

Calculo de dose para feixes externos: Teleterapia (24 ª /25 a aula) Calculo de dose para feixes externos: Teleterapia (24 ª /25 a aula) Introdução Parâmetros de cálculo Cálculo de dose Curvas de isodose Cálculo de dose para campos irregulares Calculo de dose em off-axis

Leia mais

ESTUDO DA ADEQUAÇÃO DO USO DE DETECTORES SEMICONDUTORES PARA AVALIAÇÕES DOSIMÉTRICAS EM RADIOTERAPIA COM FEIXE DE ELÉTRONS.

ESTUDO DA ADEQUAÇÃO DO USO DE DETECTORES SEMICONDUTORES PARA AVALIAÇÕES DOSIMÉTRICAS EM RADIOTERAPIA COM FEIXE DE ELÉTRONS. 2007 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2007 Santos, SP, Brazil, September 30 to October 5, 2007 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 978-85-99141-02-1 ESTUDO DA ADEQUAÇÃO

Leia mais

DOSÍMETROS 1. FILMES FOTOGRÁFICOS

DOSÍMETROS 1. FILMES FOTOGRÁFICOS DOSÍMETROS Os dosímetros integradores são instrumentos que indicam a exposição ou a dose absorvido a que um indivíduo foi submetido. Características ideais para um bom desempenho de um dosímetro integrador

Leia mais

CALIBRAÇÃO DE CÂMARAS DE IONIZAÇÃO TIPO POÇO COM FONTE DE 192 Ir DE ALTA TAXA DE DOSE NO BRASIL

CALIBRAÇÃO DE CÂMARAS DE IONIZAÇÃO TIPO POÇO COM FONTE DE 192 Ir DE ALTA TAXA DE DOSE NO BRASIL CALIBRAÇÃO DE CÂMARAS DE IONIZAÇÃO TIPO POÇO COM FONTE DE 192 Ir DE ALTA TAXA DE DOSE NO BRASIL Renato Di Prinzio CNEN Carlos Eduardo de Almeida LCR Evandro Jesus Pires LCR Mariano Gazineu David LCR Sandro

Leia mais

CALIBRAÇÃO DE UMA CÂMARA DE EXTRAPOLAÇÃO PTW EM DOIS SISTEMAS PADRÕES SECUNDÁRIOS, COM FONTES DE 90 Sr+ 90 Y

CALIBRAÇÃO DE UMA CÂMARA DE EXTRAPOLAÇÃO PTW EM DOIS SISTEMAS PADRÕES SECUNDÁRIOS, COM FONTES DE 90 Sr+ 90 Y CALIBRAÇÃO DE UMA CÂMARA DE EXTRAPOLAÇÃO PTW EM DOIS SISTEMAS PADRÕES SECUNDÁRIOS, COM FONTES DE 90 Sr+ 90 Y Patrícia L. Antonio, Valdir S. Carvalho e Linda V. E. Caldas Instituto de Pesquisas Energéticas

Leia mais

DOSIMETRIA QUÍMICA FRICKE UERJ LCR LABMETRO

DOSIMETRIA QUÍMICA FRICKE UERJ LCR LABMETRO DOSIMETRIA QUÍMICA FRICKE DOSIMETRIA QUÍMICA FRICKE Desenvolvimento de um padrão primário para dose absorvida na água para fontes de 192 Ir HDR no LCR Mariano G. David 1, Camila Salata 1,2, Paulo H. Rosado

Leia mais

O papel da Regulação na Segurança e Garantia da Qualidade das Práticas de Radioterapia e Medicina Nuclear

O papel da Regulação na Segurança e Garantia da Qualidade das Práticas de Radioterapia e Medicina Nuclear O papel da Regulação na Segurança e Garantia da Qualidade das Práticas de Radioterapia e Medicina Nuclear Renato Di Prinzio, D. Sc. Diretoria de Radioproteção e Segurança Nuclear CNEN rprinzio@cnen.gov.br

Leia mais

Quando as pequenas coisas são importantes.

Quando as pequenas coisas são importantes. RADIOTERAPIA Quando as pequenas coisas são importantes. Dosimetria de campos pequenos Guia de aplicação Conteúdo 1 Introdução 1 Introdução 2 2 A física dos campos pequenos 3 3 Tipos de detectores 10 4

Leia mais

Estudo da Aplicação da Dosimetria OSL em Altas Doses Utilizando os Dosímetros CaF :Dy e 2

Estudo da Aplicação da Dosimetria OSL em Altas Doses Utilizando os Dosímetros CaF :Dy e 2 Estudo da Aplicação da Dosimetria OSL em Altas Doses Utilizando os Dosímetros CaF :Dy e 2 CaF :Mn 2 Autores: Beatriz Martins de Medeiros Marcus A. Vallim de Alencar Introdução Atualmente as técnicas dosimetricas

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER SETOR DE FÍSICA MÉDICA

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER SETOR DE FÍSICA MÉDICA INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER SETOR DE FÍSICA MÉDICA AVALIAÇÃO DE DISPOSITIVOS DE GARANTIA DA QUALIDADE DO FATOR DE CALIBRAÇÃO, ENERGIA E CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DE FEIXE DE FÓTONS E ELÉTRONS DE ACELERADORES

Leia mais

Controle e garantia da qualidade dos aceleradores. Gisela Menegussi Física Coordenadora da Radioterapia do ICESP/INRAD - HCFMUSP

Controle e garantia da qualidade dos aceleradores. Gisela Menegussi Física Coordenadora da Radioterapia do ICESP/INRAD - HCFMUSP Controle e garantia da qualidade dos aceleradores Gisela Menegussi Física Coordenadora da Radioterapia do ICESP/INRAD - HCFMUSP Controle e garantia da qualidade dos aceleradores OBRIGATÓRIO Minimiza erros

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com relação à Resolução da Diretoria Colegiada da ANVISA RDC n.º 20/2006, julgue os seguintes itens. 41 Dosimetria clínica é a determinação de dose absorvida em pacientes submetidos a tratamento ou avaliação

Leia mais

Procedimento para Avaliação da Radiação de Fuga. Professora Edna Carla da Silva

Procedimento para Avaliação da Radiação de Fuga. Professora Edna Carla da Silva Procedimento para Avaliação da Radiação de Fuga Professora Edna Carla da Silva Somente profissionais cadastrados pela Vigilância Sanitária possuem a capacidade técnica reconhecida para executar e analisar

Leia mais

ELABORAÇÃO DE UM PROTOCOLO PARA CALIBRAÇÃO DE DOSÍMETROS TERMOLUMINESCENTES DE SULFATO DE CÁLCIO (CaSO 4 :Dy) 1

ELABORAÇÃO DE UM PROTOCOLO PARA CALIBRAÇÃO DE DOSÍMETROS TERMOLUMINESCENTES DE SULFATO DE CÁLCIO (CaSO 4 :Dy) 1 ELABORAÇÃO DE UM PROTOCOLO PARA CALIBRAÇÃO DE DOSÍMETROS TERMOLUMINESCENTES DE SULFATO DE CÁLCIO (CaSO 4 :Dy) 1 PEDROLO, Bruna 2 ; AIMI, Daniele 3 ; LIMA, Amanda 3 ;SCHWARZ, Ana P. 4 ; BLANDO, Eduardo

Leia mais

Detecção e Medida de Radiações Ionizantes

Detecção e Medida de Radiações Ionizantes Detecção e Medida de Radiações Ionizantes Luis Portugal portugal@ctn.ist.utl.pt 1 Resumo Dosimetros individuais Monitores de radiação Espectrometria gama Cintilação líquida Espectrometria alfa RPM s Técnicas

Leia mais

Pequenas diferenças de atenuação dos tecidos mamários requerem o uso de equipamentos e técnicas especiais para detecção do câncer de mama

Pequenas diferenças de atenuação dos tecidos mamários requerem o uso de equipamentos e técnicas especiais para detecção do câncer de mama Mamografia Pequenas diferenças de atenuação dos tecidos mamários requerem o uso de equipamentos e técnicas especiais para detecção do câncer de mama São essenciais técnicas que minimizem as doses e otimizem

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE DOSIMETRIA POR DIODO PARA O CONTROLE DA QUALIDADE DE UNIDADES DE TELETERAPIA

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE DOSIMETRIA POR DIODO PARA O CONTROLE DA QUALIDADE DE UNIDADES DE TELETERAPIA DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE DOSIMETRIA POR DIODO PARA O CONTROLE DA QUALIDADE DE UNIDADES DE TELETERAPIA Gelson Pinto dos Santos e Cléber Nogueira de Souza Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares

Leia mais

DOSIMETRIA: TERMOLUMINESCENTE E OPTICAMENTE ESTIMULADA. Francielle Sezotzki, Natacha Enoki Maurício Lagatta, Renan Cordeiro

DOSIMETRIA: TERMOLUMINESCENTE E OPTICAMENTE ESTIMULADA. Francielle Sezotzki, Natacha Enoki Maurício Lagatta, Renan Cordeiro DOSIMETRIA: TERMOLUMINESCENTE E OPTICAMENTE ESTIMULADA Francielle Sezotzki, Natacha Enoki Maurício Lagatta, Renan Cordeiro Agenda 1. Dosimetria Termoluminescente 2. Dosimetria Opticamente Estimulada 3.

Leia mais

PARÂMETROS DOS EQUIPAMENTOS RADIOLOGIA

PARÂMETROS DOS EQUIPAMENTOS RADIOLOGIA PARÂMETROS DOS EQUIPAMENTOS RADIOLOGIA PARÂMETROS A SEREM AVALIADOS CRITÉRIOS DE DESEMPENHO FREQUÊNCIA MÍNIMA Levantamento Radiométrico Valores de dose externa com níveis inferiores a QUADRIANUAL/ Na aceitação

Leia mais

Metodologia para caracterização de dosímetros termoluminescentes (TLD-100) para dosimetria em radioterapia.

Metodologia para caracterização de dosímetros termoluminescentes (TLD-100) para dosimetria em radioterapia. 2007 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2007 Santos, SP, Brazil, September 29 to October 5, 2007 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR ABEN Metodologia para caracterização de dosímetros

Leia mais

DETECTORES DE RADIAÇÃO

DETECTORES DE RADIAÇÃO DETECTORES DE RADIAÇÃO Prof. André L. C. Conceição DAFIS Grandezas Dosimétricas Quantidades que descrevem a interação da radiação com a matéria em termos da valor esperado em um ponto de interesse. Kerma

Leia mais

Aplicações de Semicondutores em Medicina

Aplicações de Semicondutores em Medicina Aplicações de Semicondutores em Medicina Conceitos da Instrumentação Nuclear Luiz Antonio Pereira dos Santos CNEN-CRCN PRÓ-ENGENHARIAS UFS-IPEN-CRCN Aracaju Março - 2010 Aplicações da instrumentação Tomografia

Leia mais

NENHUM CONFLITO DE INTERESSE

NENHUM CONFLITO DE INTERESSE DECLARAÇÃO DO POTENCIAL CONFLITO DE INTERESSE Palestrante: DR. PAULO JOSÉ CECILIO Apresentação: Aspectos dosimétricos e controle de qualidade em IMRT/VMAT Filme radiográfico e radiocrômico NENHUM CONFLITO

Leia mais

USO DE FOTOTRANSISTORES PARA MEDIDA DAS CARACTERÍSTICAS DOSIMÉTRICAS DE FEIXES DE RAIOS-X UTILIZADOS EM RADIOCIRURGIA ESTEREOTÁXICA

USO DE FOTOTRANSISTORES PARA MEDIDA DAS CARACTERÍSTICAS DOSIMÉTRICAS DE FEIXES DE RAIOS-X UTILIZADOS EM RADIOCIRURGIA ESTEREOTÁXICA USO DE FOTOTRANSISTORES PARA MEDIDA DAS CARACTERÍSTICAS DOSIMÉTRICAS DE FEIXES DE RAIOS-X UTILIZADOS EM RADIOCIRURGIA ESTEREOTÁXICA Walter M. Santos 1, Clovis A. Hazin 1, Cleber N. de Souza 2, Luiz Antonio

Leia mais

Desafios na metrologia de nêutrons

Desafios na metrologia de nêutrons Desafios na metrologia de nêutrons Evaldo Simões da Fonseca Congresso Brasileiro de Metrologia das Radiações Ionizantes CBMRI 2016 Visão geral sobre os futuros desafios International Tokamak Experimental

Leia mais

Acadêmica do Curso de Física Médica - UNIFRA Físico do setor de radioterapia São Vicente - Passo Fundo, RS.

Acadêmica do Curso de Física Médica - UNIFRA Físico do setor de radioterapia São Vicente - Passo Fundo, RS. Disc. Scientia. Série: Ciências Naturais e Tecnológicas, S. Maria, v. 12, n. 1, p. 29-42, 2011. 29 ISSN 1981-2841 PROPOSTA DE METODOLOGIA DE CONTROLE DE QUA- LIDADE DE FILTRO DINÂMICO UTILIZANDO A INTER-

Leia mais

DOSIMETRIA QUÍMICA FRICKE

DOSIMETRIA QUÍMICA FRICKE Disciplina:006. Instrumentação-Nuclear-II DOSIMETRIA QUÍMICA FRICKE Mariano Gazineu David Programa Nacional de Formação em Radioterapia BASES DADOSIMETRIA QUÍMICA FRICKE Descrita por H. Fricke e J. Hart

Leia mais

Detectores de Radiação. Tecnologia em Medicina Nuclear Prof. Leonardo

Detectores de Radiação. Tecnologia em Medicina Nuclear Prof. Leonardo Detectores de Radiação Tecnologia em Medicina Nuclear Prof. Leonardo DETECTOR DE RADIAÇÃO Conceito o Dispositivo que indica a presença da radiação. Constituição o o Material sensível à radiação; Sistema

Leia mais

4 Caracterização do projeto

4 Caracterização do projeto 4 Caracterização do projeto O método mais conhecido para medir alta tensão em corrente contínua (CC) é usar divisores de tensão resistivos. Os Laboratórios Nacionais de Metrologia devem desenvolver divisores

Leia mais

Técnicas para a determinação do índice de refracção das diferentes amostras

Técnicas para a determinação do índice de refracção das diferentes amostras Técnicas para a determinação do índice de refracção das diferentes amostras O índice de refracção foi determinado usando o refractómetro Abbé. Este instrumento de medição é constituído da seguinte forma:

Leia mais

DETECÇÃO DE RADIAÇÃO CÂMARA DE IONIZAÇÃO

DETECÇÃO DE RADIAÇÃO CÂMARA DE IONIZAÇÃO DETECÇÃO DE RADIAÇÃO CÂMARA DE IONIZAÇÃO Interação de partículas carregadas no gás Difusão Transferência de carga Importante em mixtura de gases. Anexação de elétron Comportamento similar ao íon positivo

Leia mais

Confiabilidade metrológica do procedimento de calibração em termos de kerma no ar com a câmara de ionização NE2575

Confiabilidade metrológica do procedimento de calibração em termos de kerma no ar com a câmara de ionização NE2575 Confiabilidade metrológica do procedimento de calibração em termos de kerma no ar com a câmara de ionização NE2575 Margarete Cristina Guimarães 1, Paulo H. G. Rosado 2, Teógenes Augusto da Silva 1 1 Centro

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO de alta tecnologia: EXPERIÊNCIA DO INCA XX congresso brasileiro de física médica

IMPLEMENTAÇÃO de alta tecnologia: EXPERIÊNCIA DO INCA XX congresso brasileiro de física médica IMPLEMENTAÇÃO de alta tecnologia: EXPERIÊNCIA DO INCA XX congresso brasileiro de física médica DSc LEONARDO PERES Doutor em Engenharia Nuclear COPPE/UFRJ Mestre em Radioproteção e Dosimetria-IRD/CNEN Físico

Leia mais

QUICKCHECK webline e Estação de Acoplamento

QUICKCHECK webline e Estação de Acoplamento O QUICKCHECK webline é uma matriz de câmara alimentadas através de baterias recarregáveis. Ele consiste de um bloco detector, sistema eletrônico e display. Ele é usado para garantia da qualidade e verificações

Leia mais

FÍSICA DAS RADIAÇÕES 2

FÍSICA DAS RADIAÇÕES 2 FÍSICA DAS RADIAÇÕES 2 Diagnóstico por imagens Radiologia convencional/digital II Geradores de raios X 1 Transformadores de alta tensão Rede elétrica do hospital 420 V Tensão de aceleração para imagens

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM ESPECTRÔMETRO INFRAVERMELHO PARA MEDIÇÃO DE PROPRIEDADES ÓPTICAS DE ÓXIDOS E SEMICONDUTORES

DESENVOLVIMENTO DE UM ESPECTRÔMETRO INFRAVERMELHO PARA MEDIÇÃO DE PROPRIEDADES ÓPTICAS DE ÓXIDOS E SEMICONDUTORES DESENVOLVIMENTO DE UM ESPECTRÔMETRO INFRAVERMELHO PARA MEDIÇÃO DE PROPRIEDADES ÓPTICAS DE ÓXIDOS E SEMICONDUTORES MARCUS V.S. DA SILVA, DENIS. F.G. DAVID, I. M. PEPE, Laboratório de Propriedades Ópticas-

Leia mais

CURVAS DE SATURAÇÃO DE CÂMARAS DE IONIZAÇÃO TANDEM PARA A MEDIDA DE Hp(10)

CURVAS DE SATURAÇÃO DE CÂMARAS DE IONIZAÇÃO TANDEM PARA A MEDIDA DE Hp(10) 005 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 005 Santos, SP, Brazil, August 8 to September, 005 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 85-99141-01-5 CURVAS DE SATURAÇÃO DE CÂMARAS

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE FATORES DE CALIBRAÇÃO EM TERMOS DE DOSE ABSORVIDA NO AR PARA UMA CÂMARA DE IONIZAÇÃO DE PLACAS PARALELAS*

COMPARAÇÃO ENTRE FATORES DE CALIBRAÇÃO EM TERMOS DE DOSE ABSORVIDA NO AR PARA UMA CÂMARA DE IONIZAÇÃO DE PLACAS PARALELAS* Artigo Original Comparação entre fatores de calibração em termos de dose absorvida no ar COMPARAÇÃO ENTRE FATORES DE CALIBRAÇÃO EM TERMOS DE DOSE ABSORVIDA NO AR PARA UMA CÂMARA DE IONIZAÇÃO DE PLACAS

Leia mais

MÉTODO SIMPLIFICADO DE DETERMINAÇÃO DE ENERGIA EFETIVA DE FEIXES DE RADlAçÃQ-X. por

MÉTODO SIMPLIFICADO DE DETERMINAÇÃO DE ENERGIA EFETIVA DE FEIXES DE RADlAçÃQ-X. por RBE. VOL. 7 N. 11990 MÉTODO SIMPLIFICADO DE DETERMINAÇÃO DE ENERGIA EFETIVA DE FEIXES DE RADlAçÃQ-X por M.P.P. ALBUQUERQUE & L V.E. CALDAS RESUMO - Foi verificada a possibilidade de aplicação do método

Leia mais

FICHA DE DISCIPLINA. UNIDADE ACADÊMICA: Instituto de Física PRÉ-REQUISITOS: CÓ-REQUISITOS: OBJETIVOS

FICHA DE DISCIPLINA. UNIDADE ACADÊMICA: Instituto de Física PRÉ-REQUISITOS: CÓ-REQUISITOS: OBJETIVOS 173 UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE FÍSICA CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA DISCIPLINA: Física das Radiações FICHA DE DISCIPLINA CÓDIGO: GFC101 PERÍODO/SÉRIE: UNIDADE ACADÊMICA: Instituto

Leia mais

Metodologia para caracterização de dosímetros termoluminescentes (TLD-100) para dosimetria em radioterapia.

Metodologia para caracterização de dosímetros termoluminescentes (TLD-100) para dosimetria em radioterapia. 27 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 27 Santos, SP, Brazil, September 29 to October 5, 27 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR ABEN Metodologia para caracterização de dosímetros termoluminescentes

Leia mais

Associação do Sanatório Sírio Hospital do Coração - HCor Serviço de Radioterapia / Radiocirurgia

Associação do Sanatório Sírio Hospital do Coração - HCor Serviço de Radioterapia / Radiocirurgia XIV Jornada de Física Médica GAMMA KNIFE Perfexion Associação do Sanatório Sírio Hospital do Coração - HCor Serviço de Radioterapia / Radiocirurgia Crystian Wilian Chagas Saraiva São Paulo, 01 de maio

Leia mais

Aspectos a serem medidos Velocidade Magnitude Colunas de mercúrio / Pesos de referência

Aspectos a serem medidos Velocidade Magnitude Colunas de mercúrio / Pesos de referência 1 ou Volumétrico Não é uma grandeza primária É derivada da velocidade e área ou variação da massa por. densidade comprimento, tempo comprimento massa, tempo Aspectos a serem medidos Velocidade Magnitude

Leia mais

FÍSICA DAS RADIAÇÕES 2

FÍSICA DAS RADIAÇÕES 2 FÍSICA DAS RADIAÇÕES 2 Diagnóstico por imagens Radiologia convencional/digital I 1 aproximadamente K U 2 n 5 n I T 2 A IMAGEM RADIOGRÁFICA 3 contraste Qualidade da imagem ruído resolução 4 5 6 7 8 9 10

Leia mais

Condições de radiação em tomografia computadorizada para laboratórios sem o feixe padrão em radiologia diagnóstica convencional

Condições de radiação em tomografia computadorizada para laboratórios sem o feixe padrão em radiologia diagnóstica convencional Condições de radiação em tomografia computadorizada para laboratórios sem o feixe padrão em radiologia diagnóstica convencional ANDRADE LC 1, PEIXOTO JGP 1,2 1 Instituto de Radioproteção e Dosimetria -

Leia mais

Condições de radiação em tomografia computadorizada (TC): determinação e calibração de dosímetros

Condições de radiação em tomografia computadorizada (TC): determinação e calibração de dosímetros Condições de radiação em tomografia computadorizada (TC): determinação e calibração de dosímetros ANDRADE LC 1, PEIXOTO JGP 1,2 1 Instituto de Radioproteção e Dosimetria - IRD; 2 Universidade do Estado

Leia mais

CONTROLE DA QUALIDADE EM MAMOGRAFIA

CONTROLE DA QUALIDADE EM MAMOGRAFIA CONTROLE DA QUALIDADE EM MAMOGRAFIA Prof. André L. C. Conceição DAFIS Curitiba, 19 de setembro de 2016 Programa de Garantia da Qualidade Monitoração da exposição à radiação ionizante Todos os departamentos

Leia mais

PLANO DE TRABALHO: RADIOBIOLOGIA E RADIOPROTEÇÃO

PLANO DE TRABALHO: RADIOBIOLOGIA E RADIOPROTEÇÃO PLANO DE TRABALHO: RADIOBIOLOGIA E RADIOPROTEÇÃO Professor(es): Marcio Alves de Oliveira Paulo Márcio Campos de Oliveira 1. EMENTA Bases físicas que fundamentam a proteção radiológica. Fundamentos de proteção

Leia mais

CALIBRAÇÃO DE INSTRUMENTOS MEDIDORES DE RADIAÇÃO

CALIBRAÇÃO DE INSTRUMENTOS MEDIDORES DE RADIAÇÃO Universidade Federal de Sergipe CCET Departamento de Física Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares Semana de Mini-Cursos em Física Médica 2010 De 01 a 04 de março de 2010 CALIBRAÇÃO DE INSTRUMENTOS

Leia mais

SIMULAÇÃO POR MONTE CARLO DOS FEIXES DE 6 E 15 MV DO CLINAC 2100 UTILIZANDO O CÓDIGO MCNP 4B

SIMULAÇÃO POR MONTE CARLO DOS FEIXES DE 6 E 15 MV DO CLINAC 2100 UTILIZANDO O CÓDIGO MCNP 4B 2005 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2005 Santos, SP, Brazil, August 28 to September 2, 2005 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 85-99141-01-5 SIMULAÇÃO POR MONTE CARLO

Leia mais

Técnicas de microscopia eletrônica de varredura para caracterização de materiais PMT-5858

Técnicas de microscopia eletrônica de varredura para caracterização de materiais PMT-5858 Técnicas de microscopia eletrônica de varredura para caracterização de materiais PMT-5858 Prática Laboratorial Prof. Dr. André Paulo Tschiptschin (PMT-EPUSP) DEPENDÊNCIA ENTRE OS CONCEITOS BÁSICOS DE OPERAÇÃO

Leia mais

Corrente elétrica. A corrente elétrica é um movimento ordenado de cargas elementares.

Corrente elétrica. A corrente elétrica é um movimento ordenado de cargas elementares. Corrente elétrica A corrente elétrica é um movimento ordenado de cargas elementares. A corrente elétrica pode ser um simples jato de partículas no vácuo, como acontece num cinescópio de TV, em que um feixe

Leia mais

ACTIVIDADE LABORATORIAL QUÍMICA 10º Ano

ACTIVIDADE LABORATORIAL QUÍMICA 10º Ano Objectivos ACTIVIDADE LABORATORIAL QUÍMICA 0º Ano Determinação da massa volúmica e da densidade relativa de líquidos Seleccionar material adequado à determinação da: a) massa volúmica ou densidade de um

Leia mais

Serviço de Monitoração Individual Externa SMIE METROBRAS

Serviço de Monitoração Individual Externa SMIE METROBRAS Serviço de Monitoração Individual Externa SMIE METROBRAS Dosimetria Pessoal n O SMIE METROBRAS é um dos 11 laboratórios do Brasil credenciados junto ao IRD/CNEN para executar o serviço de dosimetria pessoal;

Leia mais

Trabalho Prático de Física e Tecnologia das Radiações. Dosimetria em filme

Trabalho Prático de Física e Tecnologia das Radiações. Dosimetria em filme Trabalho Prático de Física e Tecnologia das Radiações Dosimetria em filme Medidas de dose com filmes A dose (ou dose depositada) D é a grandeza física que mede a quantidade de energia E por unidade de

Leia mais

CCEX. Universidade de São Paulo Residência em Área Profissional da Saúde: Física Médica JANEIRO/2016

CCEX. Universidade de São Paulo Residência em Área Profissional da Saúde: Física Médica JANEIRO/2016 Universidade de São Paulo Residência em Área Profissional da Saúde: Física Médica CCEX JANEIRO/2016 Nome do Candidato Inscrição INSTRUÇÕES Verifique se este caderno de prova contém um total de 50 questões,

Leia mais

Dependência energética e angular de monitores portáteis para radiação beta

Dependência energética e angular de monitores portáteis para radiação beta Dependência energética e angular de monitores portáteis para radiação beta Fernanda B. C. Nonato e Linda V. E. Caldas Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, IPEN - CNEN/SP Av. Professor Lineu

Leia mais

Capacitância e Dielétricos

Capacitância e Dielétricos Capacitância e Dielétricos 1 Um capacitor é um sistema constituído por dois condutores separados por um isolante (ou imersos no vácuo). Placas condutoras Carga elétrica Isolante (ou vácuo) Símbolos Em

Leia mais

Verificação dosimétrica de tratamentos de IMRT utilizando Dose Absoluta e Função Gama

Verificação dosimétrica de tratamentos de IMRT utilizando Dose Absoluta e Função Gama Verificação dosimétrica de tratamentos de IMRT utilizando Dose Absoluta e Função Gama Critérios de Aceitação ALVES, TMMT; SILVA, RG; NEVES-JUNIOR, WFP; MANCINI, A; PELOSI, EL; SILVA, JLF; HADDAD, CMK Tatiana

Leia mais

Theory Portugues BR (Brazil) Por favor, leia as instruções gerais que se encontram no envelope separado antes de iniciar este problema.

Theory Portugues BR (Brazil) Por favor, leia as instruções gerais que se encontram no envelope separado antes de iniciar este problema. Q3-1 LHC - Grande Colisor de Hádrons (10 pontos). Por favor, leia as instruções gerais que se encontram no envelope separado antes de iniciar este problema. Neste problema, iremos estudar a física do acelerador

Leia mais

PEA2502 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA

PEA2502 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA EXPERIÊNCIA N o PEA50 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA RETIFICADORES NÃO CONTROLADOS DE DOIS CAMINHOS W. KAISER 0/009 1. OBJETIVOS Estudo do funcionamento e processo de comutação em retificadores

Leia mais

ESTUDO DAS CARACTERÍSTICAS DOS FILTROS FISICOS E DINÂMICO DE UM CLINAC 21IX

ESTUDO DAS CARACTERÍSTICAS DOS FILTROS FISICOS E DINÂMICO DE UM CLINAC 21IX ESTUDO DAS CARACTERÍSTICAS DOS FILTROS FISICOS E DINÂMICO DE UM CLINAC 21IX Almeida, M. A. S. 1, Dias, J. R. 1,2, Mangueira, T. F. 1 1 Faculdades ICESP-PROMOVE / 2 Instituto de Radioterapia de Taguatinga

Leia mais

Instrumentação Espacial. Parte I

Instrumentação Espacial. Parte I Instrumentação Espacial Parte I Introdução Magnetômetros (ok) Giroscópios (ok) Acelerômetros (ok) Radar (ok) Telescópios Sensor solar Espectrômetros Atuadores magnéticos (magnetorquer) Rodas de reação

Leia mais

Técnicas de medida. Algumas considerações

Técnicas de medida. Algumas considerações Técnicas de medida Algumas considerações Divisão das grandezas a medir Dimensionais Físicas Eléctricas (DC, baixa e alta frequência) Outras (químicas, ópticas, analíticas e radiação) Tipos de medida Medida

Leia mais

Análise dos dados obtidos com uma Câmara de Ionização de Ar Livre Natália Fiorini da Silva

Análise dos dados obtidos com uma Câmara de Ionização de Ar Livre Natália Fiorini da Silva Análise dos dados obtidos com uma Câmara de Ionização de Ar Livre Natália Fiorini da Silva 1. Introdução A metrologia tem como objetivo garantir a qualidade de uma medição por meio da calibração dos instrumentos

Leia mais

Utilização de fototransistores SMT para dosimetria em tomografia computadorizada

Utilização de fototransistores SMT para dosimetria em tomografia computadorizada SCIENTIA PLENA VOL. 3, NUM. 7 2007 www.scientiaplena.org.br Utilização de fototransistores SMT para dosimetria em tomografia computadorizada C. M. S. de Magalhães 1,2, J. O. da Silva 1,2, J. Antônio Filho

Leia mais

DA QUALIDADE DO FEIXE DE ACELERADORES LINEARES*

DA QUALIDADE DO FEIXE DE ACELERADORES LINEARES* Artigo Original Silva MP et al. VERIFICAÇÃO DO FATOR DE CALIBRAÇÃO E INDICADOR DA QUALIDADE DO FEIXE DE ACELERADORES LINEARES* Maria da Penha Silva 1, Helvécio Correa Mota 2, Carlos Eduardo V. de Almeida

Leia mais

Letras em Negrito representam vetores e as letras i, j, k são vetores unitários.

Letras em Negrito representam vetores e as letras i, j, k são vetores unitários. Lista de exercício 3 - Fluxo elétrico e Lei de Gauss Letras em Negrito representam vetores e as letras i, j, k são vetores unitários. 1. A superfície quadrada da Figura tem 3,2 mm de lado e está imersa

Leia mais

Verificação dosimétrica em VMAT para próstata com câmaras de ionização de volumes diferentes

Verificação dosimétrica em VMAT para próstata com câmaras de ionização de volumes diferentes Verificação dosimétrica em VMAT para próstata com câmaras de ionização de volumes diferentes Daniela P Groppo 1,2, Ernani Anderson 1, Guilherme A Pavan 1, Linda V E Caldas 2 1 Clínicas Oncológicas Integradas,

Leia mais

Redução de Incertezas: do laboratório de calibração à medição em chão de fábrica

Redução de Incertezas: do laboratório de calibração à medição em chão de fábrica Redução de Incertezas: do laboratório de calibração à medição em chão de fábrica Prof. André Roberto de Sousa, Dr. Eng. IFSC São Paulo, Setembro de 2017 CONTEÚDO DA APRESENTAÇÃO 1. A METROLOGIA EM UM MUNDO

Leia mais

Métodos de ensaios não destrutivos para estruturas de concreto. Fonte: Revista Téchne, PINI Web.

Métodos de ensaios não destrutivos para estruturas de concreto. Fonte: Revista Téchne, PINI Web. Métodos de ensaios não destrutivos para estruturas de concreto Fonte: Revista Téchne, PINI Web Para garantir a segurança das estruturas de concreto é necessário averiguar sua condição com um nível elevado

Leia mais

a - coeficiente de temperatura da resistência, W/W(ºC)

a - coeficiente de temperatura da resistência, W/W(ºC) As termoresistências, ou termómetros de resistência, são sensores de alta precisão e excelente repetibilidade de leitura. O seu funcionamento baseia-se na variação da resistência eléctrica de modo proporcional

Leia mais

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO INVÓLUCRO PROTETOR DE CONTAMINAÇÃO NO FRASCO DE RADIOFÁRMACOS NA MEDIÇÃO DA ATIVIDADE

ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO INVÓLUCRO PROTETOR DE CONTAMINAÇÃO NO FRASCO DE RADIOFÁRMACOS NA MEDIÇÃO DA ATIVIDADE International Joint Conference RADIO 2014 Gramado, RS, Brazil, Augustl 26-29, 2014 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA - SBPR ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO INVÓLUCRO PROTETOR DE CONTAMINAÇÃO NO FRASCO

Leia mais

.CK) Êpen AUTARQUIA ASSOCIADA À UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

.CK) Êpen AUTARQUIA ASSOCIADA À UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO .CK) Êpen AUTARQUIA ASSOCIADA À UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO MÉTODOS DE CALIBRAÇÃO DE CÂMARAS DE IONIZAÇÃO DE PLACAS PARALELAS PARA DOSIMETRIA DE FEIXES DE ELÉTRONS ROSELI TADEU BULLA Dissertação apresentada

Leia mais

ELETRÔNICA GERAL. Prof. Jhonatan Machado Godinho

ELETRÔNICA GERAL. Prof. Jhonatan Machado Godinho MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA TÉCNICO EM ELETROMECÂNICA ELETRÔNICA GERAL Prof. Jhonatan

Leia mais

Exposição Ocupacional

Exposição Ocupacional Exposição Ocupacional É a exposição normal ou potencial de um indivíduo em decorrência de seu trabalho ou treinamento em práticas autorizadas ou intervenções, excluindo-se a radiação natural do local.

Leia mais

ELETRÔNICA GERAL. Prof. Jhonatan Machado Godinho

ELETRÔNICA GERAL. Prof. Jhonatan Machado Godinho MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA TÉCNICO EM MECATRÔNICA ELETRÔNICA GERAL Prof. Jhonatan Machado

Leia mais

TM362 - Sistemas de Medição 2. Prof. Alessandro Marques.

TM362 - Sistemas de Medição 2. Prof. Alessandro Marques. TM362 - Sistemas de Medição 2 Prof. Alessandro Marques www.metrologia.ufpr.br Termômetros metálicos RTDs - Resistance Temperature Detectors O tipo de metal utilizado na confecção de bulbos sensores de

Leia mais

superfície que envolve a distribuição de cargas superfície gaussiana

superfície que envolve a distribuição de cargas superfície gaussiana Para a determinação do campo elétrico produzido por um corpo, é possível considerar um elemento de carga dq e assim calcular o campo infinitesimal de gerado. A partir desse princípio, o campo total em

Leia mais

Medição de temperatura

Medição de temperatura ZEA1048 - Instrumentação Medição de temperatura Prof. Dr. Rubens Tabile tabile@usp.br FZEA - USP Condução (sólidos) Transferência de calor por contato físico; Processo onde o calor flui de uma região de

Leia mais

Sistema de coordenadas

Sistema de coordenadas Sistema de coordenadas Sistema de coordenadas Coordenadas cartesianas Coordenadas polares Transformação sistema de coordenadas Coordenadas relativas Sistema de coordenadas cartesianas Sistema de coordenadas

Leia mais

Cálculo da incerteza da avaliação do H P (10) para um sistema de dosimetria termoluminescente

Cálculo da incerteza da avaliação do H P (10) para um sistema de dosimetria termoluminescente Cálculo da incerteza da avaliação do H P (10) para um sistema de dosimetria termoluminescente M S Ferreira 1, E R Silva 1, C L P. Mauricio 1 1 Instituto de Radioproteção e Dosimetria / Comissão Nacional

Leia mais

CAPÍTULO 6 DETECTORES DE RADIAÇÃO

CAPÍTULO 6 DETECTORES DE RADIAÇÃO CAPÍTULO 6 DETECTORES DE RADIAÇÃO 6.1. PRINCÍPIOS DE OPERAÇÃO DOS DETECTORES DE RADIAÇÃO 6.1.1. Detectores de radiação Detector de radiação é um dispositivo que, colocado em um meio onde exista um campo

Leia mais

Projeções: conceitos. Projetar pontos no espaço d dimensional no plano d-1 dimensional, usando um ponto especial chamado centro de projeção

Projeções: conceitos. Projetar pontos no espaço d dimensional no plano d-1 dimensional, usando um ponto especial chamado centro de projeção Projeções Projeções: conceitos Projetar pontos no espaço d dimensional no plano d-1 dimensional, usando um ponto especial chamado centro de projeção Pontos no espaço 3D projetados em um plano 2D centro

Leia mais

Máquina universal de medir

Máquina universal de medir Máquina universal de medir A UU L AL A A produção em série requer o emprego de muitos calibradores para produzir peças dentro das tolerâncias estabelecidas. É indispensável, porém, calibrar os calibradores

Leia mais

ERROS DE MEDIÇÃO. Vocabulário; Erros de Medição; Calibração.

ERROS DE MEDIÇÃO. Vocabulário; Erros de Medição; Calibração. ERROS DE MEDIÇÃO Vocabulário; Erros de Medição; Calibração. Imaginando o caso da balança, após estabelecer os erros sistemáticos e aleatórios, poderíamos conviver com os erros efetuando um fator de correção

Leia mais

Simulação dos espectros de 60 Co e 137 Cs do Irradiador Shepherd 81 14D do LNMRI/IRD usando o Geant4.

Simulação dos espectros de 60 Co e 137 Cs do Irradiador Shepherd 81 14D do LNMRI/IRD usando o Geant4. Simulação dos espectros de 60 Co e 137 Cs do Irradiador Shepherd 81 14D do LNMRI/IRD usando o Geant4. Queiroz Filho, P.P. 1, Cabral, T.S. 1, Da Silva, C.N.M. 1 1 Instituto de Radioproteção e Dosimetria

Leia mais

Radioterapia de Neuroblastoma com Feixe de Elétrons

Radioterapia de Neuroblastoma com Feixe de Elétrons SCIENTIA PLENA VOL. 3, NUM. 7 2007 www.scientiaplena.org.br Radioterapia de Neuroblastoma com Feixe de Elétrons E. M. Simão 1, V. S. Guimarães 1, L. E. A. Macedo 2, D. N. Souza 1, F. G. M. Freire 2 1 Departamento

Leia mais

Fundamentos de Eletrônica

Fundamentos de Eletrônica 6872 - Fundamentos de Eletrônica Elvio J. Leonardo Universidade Estadual de Maringá Departamento de Informática Bacharelado em Ciência da Computação 2014 Roteiro Revisão Matemática Função matemática, função

Leia mais

INSTITUTO DE FÍSICA UNIVERSIDADE

INSTITUTO DE FÍSICA UNIVERSIDADE INSTITUTO DE FÍSICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Laboratório de Eletromagnetismo (4300373) o SEMESTRE DE 013 Grupo:......... (nomes completos) Prof(a).:... Diurno Noturno Data : / / Experiência 6 O CAPACITOR

Leia mais

Equipamentos geradores de radiação para radioterapia

Equipamentos geradores de radiação para radioterapia Equipamentos geradores de radiação para radioterapia Produção de Raios-X de Quilovoltagem: Tubos de raios-x Ânodo Cátodo Apenas 1% da energia dos elétrons é convertida em raios-x, enquanto 99% é convertida

Leia mais

DOSIMETRIA NA IRRADIAÇÃO DE COMPONENTES ELETRÔNICOS

DOSIMETRIA NA IRRADIAÇÃO DE COMPONENTES ELETRÔNICOS 22 DOSIMETRIA NA IRRADIAÇÃO DE COMPONENTES ELETRÔNICOS Luiz H. Claro 1, 2, Claudio A. Federico 1, Marlon A. Pereira 1, Heloísa H. C. Pereira 1, Suzy F. L. Nogueira 2 RESUMO: Neste trabalho, são apresentados

Leia mais

Massa Atômica e Molecular, Mol

Massa Atômica e Molecular, Mol Capítulo Massa Atômica e Molecular, Mol Leia o texto seguinte, referente ao espectrógrafo de massa, e a seguir resolva os exercícios de a 6. É um aparelho capaz de fornecer a composição isotópica qualitativa

Leia mais

Aula Prática de Calibração de Instrumentos de Medição

Aula Prática de Calibração de Instrumentos de Medição Laboratório de Metrologia - UFPR Aula Prática de Relógios Comparadores Aula Prática de Calibração de Instrumentos de Medição Tópicos que serão explorados na aula Introdução Calibração de Balança Calibração

Leia mais

Efeitos Biológicos da radiação Ionizante. Proteção e higiene das Radiações Profª: Marina de Carvalho CETEA

Efeitos Biológicos da radiação Ionizante. Proteção e higiene das Radiações Profª: Marina de Carvalho CETEA Efeitos Biológicos da radiação Ionizante Proteção e higiene das Radiações Profª: Marina de Carvalho CETEA Efeitos Biológicos da Radiação Ionizante Há muitos anos verificou-se que as radiações ionizantes

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE TRANSISTOR BIPOLAR DE JUNÇÃO PARA MEDIÇÃO EM FEIXES DE RADIOTERAPIA

CARACTERIZAÇÃO DE TRANSISTOR BIPOLAR DE JUNÇÃO PARA MEDIÇÃO EM FEIXES DE RADIOTERAPIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE ENERGIA NUCLEAR COMISSÃO NACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR CENTRO REGIONAL DE CIÊNCIAS NUCLEARES DO NORDESTE Programa de Pós-Graduação em Tecnologias Energéticas

Leia mais

AVALIAÇÃO DA DEPENDÊNCIA ENERGÉTICA DE MONITORES PORTÁTEIS DE RADIAÇÃO UTILIZADOS EM RADIOPROTEÇÃO

AVALIAÇÃO DA DEPENDÊNCIA ENERGÉTICA DE MONITORES PORTÁTEIS DE RADIAÇÃO UTILIZADOS EM RADIOPROTEÇÃO 2009 International Nuclear Atlantic Conference - INAC 2009 Rio de Janeiro,RJ, Brazil, September27 to October 2, 2009 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR - ABEN ISBN: 978-85-99141-03-8 AVALIAÇÃO DA

Leia mais