Aulas Anteriores. Detalhes da linguagem de programação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aulas Anteriores. Detalhes da linguagem de programação"

Transcrição

1 Aulas Anteriores Detalhes da linguagem de programação Elementos básicos (identificadores, constantes, símbolos gráficos) Estrutura básica de um programa (cabeçalho, parte declarativa, parte de execução) Instruções de atribuição Expressões aritméticas, lógicas, om símbolos Funções intrínsecas Entrada / saída Instruções condicionais Instruções repetitivas

2 Esta Aula Decomposição algorítmica (continuação) Degenerescência da decomposição básica da solução em três etapas Associação de diferentes valores de entrada a uma única variável Associação de diferentes valores de saída a uma única variável Exemplos de aplicação

3 Cálculo da média de uma sequência de valores Sua formulação para resolução no computador: Dada uma sequência de valores numéricos, que são lidos do teclado, calcular a sua média e escrever o resultado no écran do monitor vídeo. Variáveis de entrada:... (sequência de valores: {a i : 1 i < N}) Variável de saída: MEDIA (média calculada) valor numérico representado com duas casas decimais Solução: MEDIA = 1 N N a i i= 1

4 Cálculo da média de uma sequência de valores Aplicação do modelo básico de decomposição: Cada elemento da sequência de valores, a i, é lido e armazenado numa variável diferente a 1 A1 a 2 A2... a N AN. Implicações: A solução daqui decorrente é muito rígida: o n.º de elementos da sequência tem que ser fixado previamente, e as operações de leitura dos valores são independentes uma das outras (o que origina uma descrição em extensão que se torna rapidamente inviável). Solução: MEDIA = 1 N ( A1 + A AN)

5 Cálculo da média de uma sequência de valores Aplicação do modelo básico de decomposição modificado à entrada: Os elementos da sequência de valores, a i, são lidos sucessivamente para uma mesma variável e, antes da leitura do valor seguinte, são acumulados numa variável auxiliar Inicialização: SOMA := 0.0; Passo iterativo: a i A 1 i N SOMA := SOMA + A. Implicações: A solução daqui decorrente é muito flexível: o n.º de elementos da sequência pode ser qualquer, e as operações de leitura e acumulação dos valores formam o núcleo de uma operação repetitiva que termina quando todos os valores forem processados (o que origina uma descrição extremamente compacta). Solução: MEDIA = 1 N SOMA

6 Cálculo da média de uma sequência de valores (Decomposição ao nível 1) Algoritmo: construído segundo o modelo básico de decomposição modificado à entrada solução geral - o n.º de elementos da sequência é conhecido antes da leitura dos seus valores nome: Cálculo da média de uma sequência de valores leitura com validação do número de elementos da sequência (N); leitura e acumulação dos seus valores (N, SOMA); cálculo da média (N, SOMA, MEDIA); impressão da média (MEDIA) end

7 Cálculo da média de uma sequência de valores (* Programa de cálculo da média de uma sequência de valores (Versão 1). *) program CALC_MEDIA_1 (input, output); uses WinCrt; (* característica do Turbo Pascal em Windows *) var N: integer; (* nº de elementos da sequência *) A: real; (* valor lido *) SOMA: real; (* acumulado de valores *) MEDIA: real; (* média calculada da sequência *) I: integer; (* variável contadora *) (* Leitura com validação do número de elementos da sequência *) repeat write ( N.º de elementos? ); readln (N) until N > 0; (* Leitura e acumulação dos seus valores *) SOMA := 0.0; for I := 1 to N do write ( Valor do elemento, I,? ); readln (A); SOMA := SOMA + A end; (* Cálculo da média *) MEDIA := SOMA/N; (* Impressão da média *) writeln ( A média é, MEDIA:7:2) end.

8 Cálculo da média de uma sequência de valores (Decomposição ao nível 1) Algoritmo: construído segundo o modelo básico de decomposição modificado à entrada solução optimizada - o n.º de elementos da sequência não é previamente conhecido; a leitura termina quando for introduzido um valor fora da gama permitida (valor bandeira); admita-se, por exemplo, que os valores da sequência são não negativos, a leitura termina quando for introduzido um valor negativo nome: Cálculo da média de uma sequência de valores leitura e acumulação dos valores da sequência e determinação do n.º de elementos (N, SOMA); cálculo da média (N, SOMA, MEDIA); impressão da média (MEDIA) end

9 Cálculo da média de uma sequência de valores (* Programa de cálculo da média de uma sequência de valores (Versão 2). *) program CALC_MEDIA_2 (input, output); uses WinCrt; (* característica do Turbo Pascal em Windows *) var N: integer; (* nº de elementos da sequência *) A: real; (* valor lido *) SOMA: real; (* acumulado de valores *) MEDIA: real; (* média calculada da sequência *) (* Leitura e acumulação dos valores da seq. e determin. do nº de elementos *) N := 0; SOMA := 0.0; repeat (* garantir que a sequência tem *) write ( Valor do elemento 1? ); (* pelo menos um elemento *) readln (A) until A >= 0.0; while A >= 0.0 do N := N + 1; SOMA := SOMA + A; write ( Valor do elemento, N+1,? ); readln (A) end; (* Cálculo da média *) MEDIA := SOMA/N; (* Impressão da média *) writeln ( A média é, MEDIA:7:2) end.

10 Impressão da tabuada Sua formulação para resolução no computador: Dado um valor entre 1 e 10, que é lido do teclado, escrever no écran do monitor vídeo a tabela de tabuada respectiva. Variável de entrada: MULTIPLICANDO (valor entre 1 e 10) Variáveis de saída:... (valores do multiplicando, do multiplicador e do produto para cada linha da tabela) Solução: produto i = MULTIPLICANDO multiplicador i (i = 1, 2,, 10)

11 Impressão da tabuada Aplicação do modelo básico de decomposição: Cada valor do multiplicador, multiplicador i, e cada valor do produto, produto i, é armazenado numa variável diferente multiplicador 1 (produto 1 ) MULTIPLICADOR1 (PRODUTO1) multiplicador 2 (produto 2 ) MULTIPLICADOR2 (PRODUTO2)... multiplicador 10 (produto 10 ) MULTIPLICADOR10 (PRODUTO10). Implicações: A solução daqui decorrente é muito rígida: o n.º de linhas da tabuada tem que ser fixado previamente, e as operações de multiplicação e de escrita são independentes uma das outras (o que origina uma descrição em extensão que se torna rapidamente inviável). Solução:... PRODUTO3 = MULTIPLICANDO MULTIPLICADOR3...

12 Impressão da tabuada Aplicação do modelo básico de decomposição modificado à saída: Os sucessivos valores do multiplicador, multiplicador i, são armazenados numa mesma variável. O mesmo se passa para os valores do produto, produto i. Passo iterativo: multiplicador i MULTIPLICADOR 1 i 10 PRODUTO := MULTIPLICANDO MULTIPLICADOR. Implicações: A solução daqui decorrente é muito flexível: o n.º de linhas da tabuada pode ser qualquer, e as operações de multiplicação e de escrita formam o núcleo de uma operação repetitiva que termina quando todos os valores forem processados (o que origina uma descrição extremamente compacta). Solução: Está directamente traduzida no passo iterativo indicado acima!

13 Impressão da tabuada (Decomposição ao nível 1) Algoritmo: construído segundo o modelo básico de decomposição modificado à saída nome: Impressão da tabuada leitura com validação do valor do multiplicando (MULTIPLICANDO); impressão da linha de cabeçalho (MULTIPLICANDO); cálculo e impressão das linhas da tabuada (MULTIPLICANDO, PRODUTO) end

14 Impressão da tabuada (* Programa de impressão das linhas da tabuada de um número (Versão 1). *) program TABUADA_1 (input, output); uses WinCrt; (* característica do Turbo Pascal em Windows *) const LIN = 10; (* nº de linhas da tabuada *) var MULTIPLICANDO: integer; (* multiplicando *) MULTIPLICADOR: integer; (* multiplicador *) PRODUTO: integer; (* produto *) (* Leitura com validação do valor do multiplicando *) repeat write ( Multiplicando? ); readln (MULTIPLICANDO) until (MULTIPLICANDO >= 1) and (MULTIPLICANDO <= LIN); (* Impressão da linha de cabeçalho *) if MULTIPLICANDO = 1 then writeln ( :32, Tabuada do 1 ) else writeln ( :32, Tabuada dos, MULTIPLICANDO:2); (* Cálculo e impressão das linhas da tabuada *) for MULTIPLICADOR := 1 to LIN do PRODUTO := MULTIPLICANDO * MULTIPLICADOR; writeln ( :32, MULTIPLICANDO:3, *, MULTIPLICADOR:3, =, PRODUTO:3) end end.

15 Degenerescências do modelo básico de decomposição Modelo de decomposição modificado à entrada Associação de diferentes valores de entrada a uma única variável Aplica-se quando os valores de entrada são usados apenas para gerar um determinado resultado que vai sendo construído à medida que se lê cada novo valor. Note-se que cada valor de entrada desaparece assim que se lê o seguinte. Modelo de decomposição modificado à saída Associação de diferentes valores de saída a uma única variável Aplica-se quando os valores de saída podem ser gerados um a um e não têm que ser armazenados no programa. Note-se que cada valor de saída desaparece assim que se gera o seguinte.

Aula Anterior. Decomposição algorítmica (continuação)

Aula Anterior. Decomposição algorítmica (continuação) Aula Anterior Decomposição algorítmica (continuação) Degenerescência da decomposição básica da solução em três etapas Método de decomposição modificado à entrada Associação de diferentes valores de entrada

Leia mais

Aula Anterior. Noção de array (continuação) Introdução aos subprogramas. Exemplos de aplicação

Aula Anterior. Noção de array (continuação) Introdução aos subprogramas. Exemplos de aplicação Aula Anterior Noção de array (continuação) Exemplos de aplicação Introdução aos subprogramas Definição e invocação de procedimentos em Pascal Encapsulamento de operações Esta Aula Introdução aos subprogramas

Leia mais

tipoveiculo = (bicicleta, motociclo, motorizada, automovel, autocomreb, camioneta, autocarro, camiao, reboque); veiculo : tipoveiculo;

tipoveiculo = (bicicleta, motociclo, motorizada, automovel, autocomreb, camioneta, autocarro, camiao, reboque); veiculo : tipoveiculo; Métodos de Programação I Departamento de Matemática, FCTUC 38 type var tipoveiculo = (bicicleta, motociclo, motorizada, automovel, autocomreb, camioneta, autocarro, camiao, reboque); veiculo : tipoveiculo;

Leia mais

Procedimento. Função. Selecção Condicional - a instrução if-then-else. expressão if lógica then instrução else instrução

Procedimento. Função. Selecção Condicional - a instrução if-then-else. expressão if lógica then instrução else instrução Métodos de Programação I 2. 20 2.2.8 ESTRUTURAS DE CONTROLO Estruturas de controlo são instruções especiais em Pascal que permitem controlar o fluxo de sequência de instruções, alterando a ordem sequencial

Leia mais

Teoria da Computação e Algoritmos. Introdução à Linguagem Pascal. ALGORITMO ; ; INÍCIO ; FIM.

Teoria da Computação e Algoritmos. Introdução à Linguagem Pascal. ALGORITMO <Nome do algoritmo>; <definições>; INÍCIO <Comandos>; FIM. Teoria da Computação e Algoritmos Introdução à Linguagem Pascal 1 Estrutura de um programa INÍCIO FIM. PROGRAM END.

Leia mais

Linguagem Pascal. Prof. Jonatas Bastos Site:

Linguagem Pascal. Prof. Jonatas Bastos   Site: Linguagem Pascal Prof. Jonatas Bastos Email: jonatasfbastos@gmail.com Site: http://jonatasfbastos.wordpress.com/ 1 Linguagem Pascal Foi desenvolvida pelo prof. Niklaus Wirth como uma linguagem simples

Leia mais

FACCAT Sistemas de Informação. Estruturas de Dados

FACCAT Sistemas de Informação. Estruturas de Dados FACCAT Sistemas de Informação Estruturas de Dados Aula 1 http://professores.faccat.br/azambuja (Estrutura de Dados) Definição de variáveis Podemos imaginar uma variável como o local onde se pode colocar

Leia mais

Linguagem Pascal. Prof. Sérgio Rodrigues. É a descrição, de forma lógica, dos passos a serem executados no cumprimento de determinada tarefa;

Linguagem Pascal. Prof. Sérgio Rodrigues. É a descrição, de forma lógica, dos passos a serem executados no cumprimento de determinada tarefa; Linguagem Pascal Prof. Sérgio Rodrigues Introdução Algoritmo É a descrição, de forma lógica, dos passos a serem executados no cumprimento de determinada tarefa; Programa é a formalização de um algoritmo

Leia mais

Exemplos de programação em PASCAL

Exemplos de programação em PASCAL Exemplos de programação em PASCAL Exemplos baseados no cálculo de médias Revisão das instruções de repetição cíclica O conceito de acumulador e contador Utilização de arrays Problema: Dada uma sequência

Leia mais

Sequencial Estrutura de controlo mais simples. As instruções são executadas sequencialmente.

Sequencial Estrutura de controlo mais simples. As instruções são executadas sequencialmente. Sequencial Estrutura de controlo mais simples. As instruções são executadas sequencialmente. Com base numa condição Estruturas de decisão ou selecção Com base num selector ou de escolha múltipla Com contador

Leia mais

Capítulo IV : A Linguagem Pascal Ficheiros de Texto

Capítulo IV : A Linguagem Pascal Ficheiros de Texto Capítulo IV : A Linguagem Pascal Ficheiros de Texto 1 _ Capítulo IV : A Linguagem Pascal Ficheiros de Texto Um Programa Pascal pode comunicar com um ou vários Ficheiros, tanto para a Leitura de Dados,

Leia mais

Lógica de Programação I. Gilson de Souza Carvalho

Lógica de Programação I. Gilson de Souza Carvalho Gilson de Souza Carvalho gaucho.gilson@hotmail.com 1. Estruturas básicas Apresentaremos um resumo com os comandos estudados para criação de algoritmos. Para utilizar estes comandos, usaremos uma sintaxe

Leia mais

Linguagem Pascal. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior

Linguagem Pascal. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior Linguagem Pascal Prof. Antonio Almeida de Barros Junior 1 Linguagem Pascal Criada para ser uma ferramenta educacional (Década de 70); Prof. Niklaus Wirth (Universidade de Zurique); Blaise Pascal (Matemático

Leia mais

Linguagem de Programação Pascal - Introdução

Linguagem de Programação Pascal - Introdução Linguagem de Programação Pascal - Introdução História Pascal é uma linguagem de programação que recebeu o seu nome em homenagem ao matemático Blaise Pascal. A linguagem Pascal foi criada em 1970 pelo suíço

Leia mais

Elementos básicos das linguagens de programação

Elementos básicos das linguagens de programação Elementos básicos das linguagens de programação Objetivos: Apresentar os últimos elementos básicos das linguagens de programação Elementos básicos já estudados Entrada (read, readln) Saída (write, writeln)

Leia mais

Linguagem de programação: Pascal

Linguagem de programação: Pascal Aula 04 Linguagem de programação: Pascal Prof. Tecgº Flávio Murilo 26/03/2013 1 Pascal Introdução Pascal é uma linguagem de programação estruturada, criada em 1970 pelo suíço Niklaus Wirth, dando este

Leia mais

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM PASCAL PREFÁCIO

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM PASCAL PREFÁCIO INTRODUÇÃO À LINGUAGEM PASCAL CESAR BEZERRA TEIXEIRA,MSC PREFÁCIO A linguagem Pascal foi criada pelo Prof Niklaus Wirth na universidade de Zurich, com o propósito de ensinar os conceitos de uma linguagem

Leia mais

APONTAMENTOS DE PASCAL

APONTAMENTOS DE PASCAL APONTAMENTOS DE PASCAL PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES 1º ANO DA LICENCIATURA EM ENGENHARIA MECÂNICA 2000 Luisa Costa Sousa 1 ÍNDICE: 1 INTRODUÇÃO 3 1.1 A estrutura do algoritmo e do respectivo programa 4

Leia mais

Introdução à Ciência da Computação

Introdução à Ciência da Computação Introdução à Ciência da Computação Variáveis Conceitos Básicos Variáveis x Constantes a = x + 5 a, x e 5 são variáveis ou constantes? Variáveis As variáveis são recipientes de valores É um espaço reservado

Leia mais

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO ICC 1 TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO ICC 1 TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO ENGENHARIA DE PRODUÇÃO ICC 1 TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO 1. INTRODUÇÃO O que é um programa? Programa constitui uma seqüência lógica de passos para solução de um problema. Um programa pode ser codificado em

Leia mais

Introdução à Programação 2006/07. Algoritmos

Introdução à Programação 2006/07. Algoritmos Introdução à Programação 2006/07 Algoritmos Objectivos da Aula Algoritmos e suas características Técnicas de Descrição de Algoritmos Linguagem Natural Pseudocódigo Fluxogramas Especificação do problema

Leia mais

Exercícios sobre o Capítulo III

Exercícios sobre o Capítulo III A Linguagem Pascal Exercícios 1 Exercícios sobre o Capítulo III Problema: Dado um número inteiro e positivo, representando segundos, convertê-lo em horas, minutos e segundos. O resultado deve ser dado

Leia mais

Pascal. -Cabeçalho do programa. - label - const - type - var - procedure - function. - integer - real - byte - boolean - char - string

Pascal. -Cabeçalho do programa. - label - const - type - var - procedure - function. - integer - real - byte - boolean - char - string Pascal -Cabeçalho do programa Áreas do programa -Área de declarações -Corpo do programa - label - const - type - var - procedure - function - integer - real - byte - boolean - char - string Program

Leia mais

Linguagem Pascal. Definição e Tipos de Dados. Professora Lara Popov Zambiasi Bazzi Oberderder. Linguagem PASCAL 1

Linguagem Pascal. Definição e Tipos de Dados. Professora Lara Popov Zambiasi Bazzi Oberderder. Linguagem PASCAL 1 Linguagem Pascal Definição e Tipos de Dados Professora Lara Popov Zambiasi Bazzi Oberderder Linguagem PASCAL 1 Origem Linguagem de programação largamente utilizada no ensinoaprendizagem de programação

Leia mais

APÊNDICE A - FUNDAMENTOS DA LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO PASCAL.

APÊNDICE A - FUNDAMENTOS DA LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO PASCAL. APÊNDICE A - FUNDAMENTOS DA LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO PASCAL. 1. INTRODUÇÃO Este apêndice tem o objetivo de fornecer as regras básicas para transformar algoritmos (em Natural) em programas (em PASCAL).

Leia mais

TÉCNICO DE INFORMÁTICA - SISTEMAS

TÉCNICO DE INFORMÁTICA - SISTEMAS 782 - Programação em C/C++ - estrutura básica e conceitos fundamentais Linguagens de programação Linguagem de programação são conjuntos de palavras formais, utilizadas na escrita de programas, para enunciar

Leia mais

CONCEITOS DE ALGORITMOS

CONCEITOS DE ALGORITMOS CONCEITOS DE ALGORITMOS Fundamentos da Programação de Computadores - 3ª Ed. 2012 Editora Prentice Hall ISBN 9788564574168 Ana Fernanda Gomes Ascênsio Edilene Aparecida Veneruchi de Campos Algoritmos são

Leia mais

Ciclo com Contador : instrução for. for de variável := expressão to. expressão do instrução

Ciclo com Contador : instrução for. for de variável := expressão to. expressão do instrução Métodos de Programação I 2. 27 Ciclo com Contador : instrução for identificador downto for de variável := expressão to expressão do instrução UMA INSTRUÇÃO (SIMPLES OU COMPOSTA) Neste caso o ciclo é repetido

Leia mais

Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias. Programação I

Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias. Programação I Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias Programação I Algoritmos de busca Basicamente podem ser citadas duas estratégias para procurar (ou buscar) algo em uma coleção de dados: Busca

Leia mais

Aula anterior... Aula anterior... (cont.)

Aula anterior... Aula anterior... (cont.) Aula anterior... Formulação do problema Salientando a forma como o computador será utilizado (e.g. ler do teclado... calcular... e escrever no écran...) Especificação Identificação/caracterização dos dados

Leia mais

Computação I. Prof. Miguel Elias Mitre Campista.

Computação I. Prof. Miguel Elias Mitre Campista. Computação I Prof. Miguel Elias Mitre Campista http://www.gta.ufrj.br/~miguel Linguagens de Programação DEL-Poli/UFRJ Introdução ao Pascal Níveis de Linguagens de Programação Linguagens declarativas Linguagens

Leia mais

Um algoritmo deve conter passos não ambíguos, executáveis e que sejam terminados quando seguidos.

Um algoritmo deve conter passos não ambíguos, executáveis e que sejam terminados quando seguidos. Programação Um programa é uma sequência de instruções de uma linguagem de programação (VB no nosso caso). Cada instrução representa uma qualquer acção que nós pretendemos ver executada. Programar consiste

Leia mais

Compilador de LP3 para C3E e P3

Compilador de LP3 para C3E e P3 Compilador de LP3 para C3E e P3 Luís Gil 1 13 de Junho de 2005 1 estudante de Ciências Informáticas no Instituto Superior Técnico 1 Introdução Este relatório descreve a sintaxe e a semântica da Linguagem

Leia mais

PROF. Menezes. program ex17; uses wincrt; var i, a, cont: integer;

PROF. Menezes. program ex17; uses wincrt; var i, a, cont: integer; ENGENHARIA DE PRODUÇÃO LISTA RESOLVIDA PROF. Menezes. DISCIPLINA : ICCII TURMAS : 22431N / 22432N 01. Escrever um algoritmo/programa em Pascal que lê 5 valores para a, um de cada vez, e conta quantos destes

Leia mais

UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática

UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática Programação 1 Prof. Osório Aula 05 Pag.: 1 UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática PROGRAMAÇÃO I AULA 05 Disciplina: Linguagem

Leia mais

Estruturas de Controle

Estruturas de Controle UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Prof. Yandre Maldonado - 1 Estruturas de Controle Prof. Yandre Maldonado e Gomes da Costa yandre@din.uem.br Estrutura de Seleção Prof. Yandre

Leia mais

Algoritmo e Programação Matemática

Algoritmo e Programação Matemática Algoritmo e Programação Matemática Fundamentos de Algoritmos Parte 1 Renato Dourado Maia Instituto de Ciências Agrárias Universidade Federal de Minas Gerais Dados A funcionalidade principal de um computador

Leia mais

Introdução à Computação II Unesp Rio Claro 2012Prof. Rafael Oliveira

Introdução à Computação II Unesp Rio Claro 2012Prof. Rafael Oliveira Recursão A recursão é bastante usada na matemática para definir funções, usando elas mesmas nas suas próprias definições. Por exemplo o cálculo de um fatorial, pode ser representada em forma de recursão

Leia mais

Linguagem de Descrição de algoritmos

Linguagem de Descrição de algoritmos FTC Faculdade de Tecnologia e Ciências Engenharia Civil 1º Semestre Linguagem de Descrição de algoritmos Rafael Barbosa Neiva rafael@prodados.inf.br Definição - Algoritmo Diariamente, executamos uma série

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Linguagem C: estruturas de repetição While / Do While / For

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Linguagem C: estruturas de repetição While / Do While / For Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Linguagem C: estruturas de repetição While / Do While / For Prof. Renato Pimentel 1 Estruturas de repetição O real poder dos computadores está

Leia mais

Ciência da Computação. Prof. Dr. Leandro Alves Neves Prof. Dr. Adriano M. Cansian

Ciência da Computação. Prof. Dr. Leandro Alves Neves Prof. Dr. Adriano M. Cansian Algoritmos e Programação Informática II Ciência da Computação Prof. Dr. Leandro Alves Neves Prof. Dr. Adriano M. Cansian 1 Sumário Tipos de Dados Variáveis Modelo esquemático Características e Regras para

Leia mais

1.2 OPERAÇÕES BÁSICAS EM ALGORITMOS E PROGRAMAS 18

1.2 OPERAÇÕES BÁSICAS EM ALGORITMOS E PROGRAMAS 18 ÍNDICE MÓDULO 1 INTRODUÇÃO À ALGORITMIA 11 1.1 PROGRAMAS E ALGORITMOS 12 Fases da programação 12 Algoritmos e algoritmia 13 Algoritmos em linguagem informal, pseudocódigo e fluxogramas 14 Símbolos utilizados

Leia mais

Fábio Rodrigues / Israel Lucania

Fábio Rodrigues / Israel Lucania Fábio Rodrigues / Israel Lucania Variável é um local na memória principal, isto é, um endereço que armazena um conteúdo. Em linguagem de alto nível nos é permitido dar nomes a esse endereço, facilitando

Leia mais

Engenharia Civil e Engenharia Básica Programação de Computadores Wedson Quintanilha da Silva

Engenharia Civil e Engenharia Básica Programação de Computadores Wedson Quintanilha da Silva Página 1 de 10 APOSTILA DE PASCAL MAPEAMENTO DE ALGORITMOS PARA PASCAL Algoritmo Exercicio1 Program Exercicio1; declare nome : caracter; nome : string; aux : inteiro; aux : integer; salario : real; salario

Leia mais

Introdução ao Pascal. Computação I. Níveis de Linguagens de Programação. Níveis de Linguagens de Programação. Como um Programa é Executado?

Introdução ao Pascal. Computação I. Níveis de Linguagens de Programação. Níveis de Linguagens de Programação. Como um Programa é Executado? Computação I Introdução ao Pascal Prof. Miguel Elias Mitre Campista http://www.gta.ufrj.br/~miguel Linguagens de Programação DEL-Poli/UFRJ Níveis de Linguagens de Programação Linguagens declarativas Linguagens

Leia mais

Métodos de Programação I (2005/2006) 1. Ficheiro (file)

Métodos de Programação I (2005/2006) 1. Ficheiro (file) Métodos de Programação I (2005/2006) 1 Ficheiro (file) O tipo estruturado file representa, em Pascal, uma estrutura de dados capaz de armazenar dados ou resultados de qualquer outro tipo É uma estrutura

Leia mais

Estruturas de Controle. Estrutura de Seleção. Estrutura de Seleção

Estruturas de Controle. Estrutura de Seleção. Estrutura de Seleção UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Prof. Yandre Maldonado - 1 Estruturas de Controle Prof. Yandre Maldonado e Gomes da Costa yandre@din.uem.br Estrutura de Seleção Prof. Yandre

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Apostila Pascal Ed. 2006. Prof. Dr. Galeno José de Sena DMA/FEG CAPÍTULO 8

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Apostila Pascal Ed. 2006. Prof. Dr. Galeno José de Sena DMA/FEG CAPÍTULO 8 unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Apostila Pascal Ed 2006 Prof Dr Galeno José de Sena DMA/FEG CAPÍTULO 8 ARQUIVOS DE DADOS EM PASCAL: ARQUIVOS SEQUENCIAIS - UMA INTRODUÇÃO 81 ARQUIVOS SEQUENCIAL E DIRETO

Leia mais

Trabalho de Desenho de Linguagens de Programação e de Compiladores. Mini Pascal

Trabalho de Desenho de Linguagens de Programação e de Compiladores. Mini Pascal Trabalho de Desenho de Linguagens de Programação e de Compiladores Mini Pascal (cod. 11482) Departamento de Informática Universidade da Beira Interior Ano lectivo 2015/2016 1 Introdução Este trabalho é

Leia mais

Capítulo VII : A Recorrência

Capítulo VII : A Recorrência Capítulo VII : A Recorrência 1 _ Capítulo VII : A Recorrência Quando algo é definido em termos de si próprio. Ex1: O Tetraedro de Sierpinski Ex2: Fracções Contínuas Ex3: A Carpete de Sierpinski Ex4: A

Leia mais

Capítulo V : A Linguagem Pascal Um Tipo Estruturado de Dados: o array 18. Para limite de n até 2 (* passagens de 1 até (n-1) *)

Capítulo V : A Linguagem Pascal Um Tipo Estruturado de Dados: o array 18. Para limite de n até 2 (* passagens de 1 até (n-1) *) Capítulo V : A Linguagem Pascal Um Tipo Estruturado de Dados: o array 18 _ Métodos de Ordenamentos: Borbulhamento (BubbleSort) Estratégia: Os elementos de um vector a[1..n] estão dispostos por ordem não

Leia mais

Exercícios Repetição. 8.3 Exercícios

Exercícios Repetição. 8.3 Exercícios Curso de Graduação em Ciência da Computação Disciplina: Algoritmos Professor: Marcelo Cendron Exercícios Repetição 8.3 Exercícios 1. Faça um programa utilizando o comando while, que fica lendo números

Leia mais

Noções de algoritmos - Aula 1

Noções de algoritmos - Aula 1 Noções de algoritmos - Aula 1 Departamento de Física UFPel Definição de algoritmo Sequência ordenada e finita de operações para a realização de uma tarefa. Tarefa: Experimento de Física I. Passo 1: Reunir

Leia mais

UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática

UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática Programação 1 Prof. Osório Aula 03 Pag.: 1 UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática PROGRAMAÇÃO I AULA 03 Disciplina: Linguagem

Leia mais

Exercícios Repetição

Exercícios Repetição Curso de Engenharia de Controle e Automação Disciplina: Informática para a Automação Professor: Marcelo Cendron Exercícios Repetição 1.1 8.3 Exercícios 1. Faça um programa utilizando o comando while, que

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Súmula:

PLANO DE ENSINO. Súmula: INF01211 NOME DA DISCIPLINA: Algoritmos e Programação Semestre: 2009/2 Carga horária: 4 h Créditos: 4 Professor: Luis de França G. Ferreira Súmula: Formulação de problemas, construção de algoritmos e implementação

Leia mais

Noções de algoritmos - Aula 1

Noções de algoritmos - Aula 1 Noções de algoritmos - Aula 1 Departamento de Física UFPel Definição de algoritmo Sequência ordenada e finita de operações para a realização de uma tarefa. Tarefa: Experimento de Física I. Passo 1: Reunir

Leia mais

Computação L2. Linguagem C++ Observação: Material Baseado na Disciplina Computação Eletrônica.

Computação L2. Linguagem C++ Observação: Material Baseado na Disciplina Computação Eletrônica. Computação L2 Linguagem C++ ovsj@cin.ufpe.br Observação: Material Baseado na Disciplina Computação Eletrônica. Alfabeto São os símbolos ( caracteres ) permitidos na linguagem: Letras (maiúsculas e minúsculas);

Leia mais

Compiladores Prof. a Mariella Berger. Trabalho 2 Analisador Léxico

Compiladores Prof. a Mariella Berger. Trabalho 2 Analisador Léxico Compiladores Prof. a Mariella Berger Trabalho 2 Analisador Léxico 1. Objetivo O objetivo deste trabalho é a criação de um analisador léxico para a linguagem Pascalito, um subconjunto modificado da linguagem

Leia mais

1. [VETOR][SALA] Cálculo da média aritmética de 10 valores armazenados em um vetor.

1. [VETOR][SALA] Cálculo da média aritmética de 10 valores armazenados em um vetor. Universidade Estadual de Maringá - Departamento de Informática Disciplina: 1640/31 - Fundamentos da Computação Física 2007 Prof.: Mauro Henrique Mulati Exercícios de vetores e matrizes do 2. o Bimestre

Leia mais

Computação Eletrônica

Computação Eletrônica Computação Eletrônica Expressões ovsj@cin.ufpe.br Observação: Material da Disciplina Computação Eletrônica CIN/UFPE. Expressões São sequências de operandos e operadores devidamente arrumadas; Obedecendo

Leia mais

Programando o Computador com PascaL: um ambiente para Auto-Aprendizagem.

Programando o Computador com PascaL: um ambiente para Auto-Aprendizagem. Programando o Computador com PascaL: um ambiente para Auto-Aprendizagem. Resolução dos desafios propostos no Capítulo 8 Resolução do Desafio 8.1 Resolução do Desafio 8.2 Fórmulas usadas na planilha: Para

Leia mais

Modularidade. Objetivos: Introduzir noções básicas de modularidade. Funções e procedimentos

Modularidade. Objetivos: Introduzir noções básicas de modularidade. Funções e procedimentos Modularidade Objetivos: Introduzir noções básicas de modularidade Funções e procedimentos Motivação É muito difícil manter um código quando ele tende a ser grande (com muitas linhas) É preciso organizar

Leia mais

Alguma vez parou para olhar, maravilhado com essa beleza e genialidade? Milhões de pessoas vivendo suas vidas, alienadas... (Agente Smith Matrix)

Alguma vez parou para olhar, maravilhado com essa beleza e genialidade? Milhões de pessoas vivendo suas vidas, alienadas... (Agente Smith Matrix) 1 Introdução a Ciência da Computação Esse manual foi feito no intuito de relembrar o que vimos em sala há 3 meses atrás, antes do início da greve das universidades federais. A respeito desse assunto (greve)

Leia mais

AULA 07. HABILIDADES TRABALHADAS: Desenvolver algoritmos utilizando laços a partir da leitura de fluxogramas ou algoritmos em portugol.

AULA 07. HABILIDADES TRABALHADAS: Desenvolver algoritmos utilizando laços a partir da leitura de fluxogramas ou algoritmos em portugol. AULA 07 OBJETIVO: Estruturas de repetição: visão geral HABILIDADES TRABALHADAS: Desenvolver algoritmos utilizando laços a partir da leitura de fluxogramas ou algoritmos em portugol. ESTRUTURA DE REPETIÇÃO

Leia mais

3. 1. Teste no Início do Ciclo (Repetição enquanto ):

3. 1. Teste no Início do Ciclo (Repetição enquanto ): Capítulo III : A Linguagem Pascal Estruturas de Controlo 15 _ 3. Estruturas de Repetição (Ciclos) 3. 1. Teste no Início do Ciclo (Repetição enquanto ): A Expressão Lógica é calculada e, enquanto se mantiver

Leia mais

Apostila de Portugol

Apostila de Portugol Apostila de Portugol TIPOS PRIMITIVOS DE DADOS INTEIRO ADMITE SOMENTE NÚMEROS INTEIROS. GERALMENTE É UTILIZADO PARA REPRESENTAR UMA CONTAGEM (QUANTIDADE). REAL ADMITE NÚMEROS REAIS (COM OU SEM CASAS DECIMAIS).

Leia mais

Introdução à Programação em C (II)

Introdução à Programação em C (II) Introdução à Programação em C (II) Resumo Streams de Texto Leitura e escrita de caracteres Caracteres como números inteiros Exemplos Cópia de Ficheiros Contagem de Caracteres Contagem de Linhas Contagem

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE TOMAR DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA 2006/2007

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE TOMAR DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA 2006/2007 ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE TOMAR DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO (ENG. INFORMÁTICA) COMPUTADORES E PROGRAMAÇÃO I (ENG. ELECTROTÉCNICA) 2006/2007 TRABALHO PRÁTICO Nº

Leia mais

Capítulo 3 CARACTERÍSTICAS GERAIS DA LINGUAGEM PASCAL 1. INTRODUÇÃO

Capítulo 3 CARACTERÍSTICAS GERAIS DA LINGUAGEM PASCAL 1. INTRODUÇÃO Capítulo 3 CARACTERÍSTICAS GERAIS DA LINGUAGEM PASCAL 1. INTRODUÇÃO A linguagem Pascal foi concebida por Niklaus Wirth no início da década de 70, tendo por principal objetivo eliminar os péssimos hábitos

Leia mais

Aula de hoje. Comandos. Comandos simples. Comandos. Comandos de controle. Bloco de comandos. SCC Introdução à Programação para Engenharias

Aula de hoje. Comandos. Comandos simples. Comandos. Comandos de controle. Bloco de comandos. SCC Introdução à Programação para Engenharias SCC 124 - Introdução à Programação para Engenharias Comandos Professor: André C. P. L. F. de Carvalho, ICMC-USP Pos-doutorando: Isvani Frias-Blanco Monitor: Henrique Bonini de Britto Menezes 1 Aula de

Leia mais

Teste de Introdução à Computação 11 de Junho 2003, 17:00-19:00 (Duração: 2 horas) Universidade do Algarve

Teste de Introdução à Computação 11 de Junho 2003, 17:00-19:00 (Duração: 2 horas) Universidade do Algarve Teste de Introdução à Computação 11 de Junho 2003, 17:00-19:00 (Duração: 2 horas) Universidade do Algarve Escreva o seu nome, número e curso em todas as folhas que entregares. Não é permitido falar com

Leia mais

Resolução De Problemas Em Informática. Docente: Ana Paula Afonso Resolução de Problemas. 1. Analisar o problema

Resolução De Problemas Em Informática. Docente: Ana Paula Afonso Resolução de Problemas. 1. Analisar o problema ALGORITMIA Resolução De Problemas Em Informática Docente: Ana Paula Afonso 2000-2001 Resolução de Problemas 1. Analisar o problema Conhecer o bem o problema Descrever o problema: subdividir, detalhar 2.

Leia mais

NEANDERWIN. Algumas características do processador Neander são:

NEANDERWIN. Algumas características do processador Neander são: NEANDERWIN O NeanderWin é um simulador da máquina Neander, definida no livro do Raul F. Weber (UFRGS), Fundamentos de Arquitetura de Computadores, Ed. Sagra Luzzatto. A máquina original foi estendida aqui

Leia mais

Introdução a Programação de Jogos

Introdução a Programação de Jogos Introdução a Programação de Jogos Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição

Leia mais

Tutorial de Turbo Pascal

Tutorial de Turbo Pascal Página 1 de 7 Este tutorial foi completamente escrito por Rodrigo Brambilla pode ser distribuído livremente sem nenhuma modificação. Agradecimentos: Leomar Pacheco Rocha, Rodrigo Hoffmann dos Santos, Paulo

Leia mais

Introdução à Programação de Computadores Fabricação Mecânica

Introdução à Programação de Computadores Fabricação Mecânica Introdução à Programação de Computadores Fabricação Mecânica Edilson Hipolito da Silva edilson.hipolito@ifsc.edu.br - http://www.hipolito.info Aula 06 - Introdução a algoritmos Roteiro Algoritmos Formas

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) Estruturas Condicionais e de Repetição

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) Estruturas Condicionais e de Repetição Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) Estruturas Condicionais e de Repetição 1 Comando while Deseja-se calcular o valor de: 1 + 2 + 3 +... + N. Observação: não sabemos, a priori, quantos termos

Leia mais

Aula 4 Introdução ao C

Aula 4 Introdução ao C Considere o nosso MSC. O Processador Central, entende o conjunto de instruções, leia, imprima, atribuição e condicional e com ela resolvemos vários problemas, construindo vários algoritmos. As instruções

Leia mais

Disciplina Programação Prof. Esp. Armando Hage. Programação em Turbo Pascal

Disciplina Programação Prof. Esp. Armando Hage. Programação em Turbo Pascal Disciplina Programação Prof. Esp. Armando Hage Programação em Turbo Pascal Introdução A linguagem de programação pascal foi escrita por Niklaus Wirth entre 1969 e 1971, e deriva das linguagens ALGOL-60

Leia mais

Apêndice A. Pseudo-Linguagem

Apêndice A. Pseudo-Linguagem Apêndice A. Pseudo-Linguagem Apostila de Programação I A.1 Considerações Preliminares Os computadores convencionais se baseiam no conceito de uma memória principal que consiste de células elementares,

Leia mais

Linguagem de Programação I. Linguagem Pascal

Linguagem de Programação I. Linguagem Pascal Linguagem de Programação I Linguagem Pascal Prof. Luiz Claudio Ferreira de Souza E-mail: luizclaudiofs@hotmail.com.br www.luizclaudiofs.blogspot.com Belém / PA 2017 Sumário Introdução à Programação...

Leia mais

Algoritmos: Conceitos Fundamentais. Slides de autoria de Rosely Sanches e Simone Senger de Souza

Algoritmos: Conceitos Fundamentais. Slides de autoria de Rosely Sanches e Simone Senger de Souza Algoritmos: Conceitos Fundamentais Slides de autoria de Rosely Sanches e Simone Senger de Souza DADOS E EXPRESSÕES Uso da Informação Computador manipula informações contidas em sua memória. Classificadas

Leia mais

ESTRUTURAS DE CONTROLE ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO

ESTRUTURAS DE CONTROLE ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO ESTRUTURAS DE CONTROLE ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO Baseado nos slides de autoria de Rosely Sanches Estruturas de Controle ESTRUTURA SEQUENCIAL ESTRUTURAS CONDICIONAIS Estrutura Condicional Simples Estrutura

Leia mais

Apostila de Fortran. É uma pseudo-linguagem a qual oferece recursos para que o programador possa codificar e testar os seus algoritmos.

Apostila de Fortran. É uma pseudo-linguagem a qual oferece recursos para que o programador possa codificar e testar os seus algoritmos. Apostila de Fortran Fortran Uma das linguagens de programação mais velhas, o FORTRAN foi desenvolvido por uma equipe de programadores conduzida por John Backus na IBM, e foi primeiramente publicada em

Leia mais

Linguagem de Programação C

Linguagem de Programação C Linguagem de Programação C Aula 08 Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa Universidade Federal Rural do Semiárido Departamento de Ciências Exatas e Naturais 13 de novembro de 2009 Introdução O que é uma linguagem

Leia mais

Programação de Computadores III

Programação de Computadores III Programação de Computadores III Pseudocódigo e Estruturas Básicas de Controle Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2013.1/tcc-00.157

Leia mais

algoritmo "exercício 5" var x, y, aux: inteiro inicio escreva ("Entre com um valor inteiro p/ variável x: ") leia (x) escreva ("Entre com um valor

algoritmo exercício 5 var x, y, aux: inteiro inicio escreva (Entre com um valor inteiro p/ variável x: ) leia (x) escreva (Entre com um valor algoritmo "exercício 5" var x, y, aux: inteiro inicio escreva ("Entre com um valor inteiro p/ variável x: ") leia (x) escreva ("Entre com um valor inteiro p/ variável y: ") leia (y) aux

Leia mais

Módulo 3 Subprogramas

Módulo 3 Subprogramas 1 Curso Profissional de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Programação e Sistemas de Informação Módulo 3 Subprogramas Prof. Sandra Pais Soares Conteúdos Conceitos básicos Variáveis: globais

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Edirlei Soares de Lima Introdução a Computação Aula 02 Lógica de Programação Lógica de Programação Lógica de Programação é a técnica de criar sequências lógicas de ações para atingir

Leia mais

Programação de Computadores

Programação de Computadores Programação de Computadores Engenharia Electrotécnica 1º Ano - 1º Semestre Instituto Politécnico de Viseu Escola Superior de Tecnologia Ficha de Trabalho nº 4 - Soluções Propostas 1 - Escreva um programa

Leia mais

Roteiro para Aula 1 de laboratório. 1) Mostrar estrutura básica de um código em Fortran. algoritmo. program nome_da_codificacao.

Roteiro para Aula 1 de laboratório. 1) Mostrar estrutura básica de um código em Fortran. algoritmo. program nome_da_codificacao. Universidade do Estado do Rio de Janeiro Instituto de Física Armando Dias Tavares Departamento de Física Aplicada e Termodinâmica Laboratório de Física Computacional/IF Roteiro para Aula 1 de laboratório

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Prof.ª Danielle Casillo

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Prof.ª Danielle Casillo UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO TEORIA DA COMPUTAÇÃO Aula 04 Programa Recursivo e Máquinas Prof.ª Danielle Casillo Funções recursivas Alguma função é recursiva quando

Leia mais

Introdução ao fortran 90 - Aula 1

Introdução ao fortran 90 - Aula 1 Introdução ao fortran 90 - Aula 1 Departamento de Física UFPel 1954-1957: The IBM Mathematical Formula Translating System John W. Backus da IBM: Fortran I: alternativa à linguagem assembler para a programação

Leia mais

Descrição da Linguagem Pascal Jr.

Descrição da Linguagem Pascal Jr. Descrição da Linguagem Pascal Jr. Características gerais PascalJr possui convenções de tipos igual a linguagem Pascal PascalJr suporta definições de funções Com passagem de parâmetros por valor e por referência

Leia mais

Conjunto (set) O tipo estruturado set representa, em Pascal, um conjunto de objectos de um dado tipo;

Conjunto (set) O tipo estruturado set representa, em Pascal, um conjunto de objectos de um dado tipo; Conjunto (set) O tipo estruturado set representa, em Pascal, um conjunto de objectos de um dado tipo; O tipo de dados tem por base um tipo simples (enumerável); Na verdade, um set representa o conjunto

Leia mais

Programação de Computadores III

Programação de Computadores III Programação de Computadores III Pseudocódigo e Estruturas Básicas de Controle Professor Hugo de Oliveira Barbalho hbarbalho@ic.uff.br Material produzido pelo professor: Leandro Augusto Frata Fernandes

Leia mais

Estrutura de Dados Básica

Estrutura de Dados Básica Estrutura de Dados Básica Professor: Osvaldo Kotaro Takai. Aula 2: Revisão dos itens básicos O objetivo desta aula é revisar os conceitos envolvidos na abordagem da Programação Estruturada. Representações

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação O que é um computador? Um computador é uma coleção de componentes que realizam operações lógicas e aritméticas sobre um grande volume de dados. (F. K. Miyazawa) Um computador é composto por: Introdução

Leia mais

Unidade VI. Técnicas de Teste de Software Teste Estrutural. Profa. Dra. Sandra Fabbri

Unidade VI. Técnicas de Teste de Software Teste Estrutural. Profa. Dra. Sandra Fabbri Unidade VI Técnicas de Teste de Software Profa. Dra. Sandra Fabbri Os requisitos de teste são extraídos de uma implementação em particular Teste dos detalhes procedimentais A maioria dos critérios dessa

Leia mais