Aquisição de Equipamentos Informáticos e de Comunicação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aquisição de Equipamentos Informáticos e de Comunicação"

Transcrição

1 Aqusção de Equpamentos Informátcos e de Comuncação Concurso úblco Nº 02/CCV/2016 ANÚNCIO DO CONCURSO UBLICO Nº 02/CCV/2016 Aqusção de Equpamentos Informátcos e de Comuncação 1. Entdade Adjudcante Correos de Cabo Verde SA, sto na Rua Cesáro Lacerda, nº 2- C nº 92, lateau- Cdade da raa, tel.: , telefax: , correo electrónco: faz saber que se encontra aberto, a partr da data da publcação do presente anúnco, o Concurso ublco Naconal e Internaconal, para contratação de empresa (s) para fornecmento de Equpamentos Informátcos e de Comuncação. 2. Órgão competente para a decsão de contratar Conselho de Admnstração dos Correos de Cabo Verde SA 1

2 Aqusção de Equpamentos Informátcos e de Comuncação Concurso úblco Nº 02/CCV/ Entdade responsável pela condução do procedmento Correos de Cabo Verde SA, sto na Rua Cesáro Lacerda, nº 2- C nº 92, lateau- Cdade da raa, tel.: , telefax: , correo electrónco: 4. Fnancamento As despesas nerentes à celebração do (s) contrato (s) são fnancadas por recursos própros da empresa. 5. Objecto do Concurso O presente rocedmento destna-se à aqusção de Equpamentos Informátcos e de Comuncação, em conformdade com as especfcações técncas descrtas no Caderno de Encargos e repartdo da segunte forma: (a) (b) Lote 1 Equpamento Informátco, doravante Lote 1, corresponde a um conjunto de equpamentos tas como Computadores, Montores Táctes, Etquetadoras e stolas Scanners. Lote 2 Equpamento de Datacenter, doravante Lote 2, corresponde a um conjunto de equpamentos tas como laca Fber Channel: Memóra RAM e Dsco Rígdo para Servdores; Software de vrtualzação para Servdores; Sstemas Storage MAS; Transcever; Software de Management de Storage e Solução de Backup e Servdor; (c) Lote 3 Equpamento de Rede de Comuncação, doravante Lote 3, corresponde a um conjunto de equpamentos tas como Swtch; US; Termnas telefóncos VOI; Fonte CISCO; atch anel; Etquetadora de cabos RJ45 e correspondentes Rolos. 2

3 Aqusção de Equpamentos Informátcos e de Comuncação Concurso úblco Nº 02/CCV/ Local da execução do contrato O local da execução do contrato será nas nstalações dos Correos de Cabo Verde, SA sto na Rua Cesáro Lacerda, Nº 2 - C nº 92, lateau- Cdade da raa, tel.: , fax: , correo electrónco: em conformdade com o caderno de encargos. 7. razo de execução do contrato: O contrato fcará em vgor até a entrega completa dos equpamentos, consoante o cronograma de entrega apresentado na proposta vencedora. 8. Obtenção dos documentos do concurso Os documentos estão dsponíves para download no ste da contratação públca - A Entdade Adjudcante, por solctação de nteressados pode também envar os documentos do presente procedmento, por correo electrónco ndcado pelo concorrente, no prazo máxmo de 24 horas subsequentes à recepção do peddo, entre as 8:00 e as 16 horas. 9. Requstos de admssão odem ser admtdos todos os nteressados que não se encontram em nenhuma das stuações referdas no artgo 70º do Códgo de Contratação úblca. 10. Modo de apresentação das propostas As propostas devem ser apresentadas de acordo com os requstos defndos no Caderno de Encargos. Não são admtdas propostas para o fornecmento de equpamentos que não estejam nas condções defndas no Caderno de Encargos. 3

4 Aqusção de Equpamentos Informátcos e de Comuncação 11. Língua Concurso úblco Nº 02/CCV/2016 As canddaturas devem ser elaboradas em língua ortuguesa, língua que será gualmente utlzada para as comuncações formas de e para a Entdade Adjudcante. 12. Data de apresentação de propostas As ropostas e os documentos que as acompanham devem ser entregues até às 14h30 do da 29 de Julho de 2016, drectamente na Secretára do Conselho de Admnstração na sede dos Correos de Cabo Verde na rua Cesáro de Lacerda, Nº 2 lateau - Cdade da raa, ou envadas por correo regstado com avso de recepção para o endereço ndcado no nº 1, desde que a recepção ocorra dentro do prazo fxado, não sendo consderadas as ropostas que cheguem depos de exprado o prazo e sendo os Concorrentes responsáves por todos os atrasos que porventura se verfquem. 13. razo de manutenção das propostas Os concorrentes fcam vnculados à manutenção das propostas pelo prazo de 90 (noventa) das. 14. Crtéro de adjudcação 14.1 A avalação é feta com base no crtéro da proposta economcamente mas vantajosa, de acordo com o modelo de avalação constante do Anexo IV do rograma de Concurso, sendo que serão levados em causa os seguntes factores: (a) reço, correspondendo a uma ponderação, na avalação global, de 40%; (b) Adequação Técnca, correspondendo a uma ponderação, na avalação global, de 30%; (c) razo de Entrega, correspondendo a uma ponderação, na avalação global, de 15%; (d) Garanta, correspondendo a uma ponderação, na avalação global de 15%. 4

5 Aqusção de Equpamentos Informátcos e de Comuncação Concurso úblco Nº 02/CCV/ As avalações com base nos factores supramenconados serão fetas numa escala de [0 10], com as seguntes fórmulas: - reço: reço mas baxo das propostas reço da proposta = ontuação da proposta, em analse - Adequação Técnca: Adequação Técnca da proposta em analse Melhor Adequação Técnca de todas as propostas = ontuação da proposta, em analse - razo de Entrega razo de entrega mas baxo das propostas razo de entrega da proposta = ontuação da proposta, em analse - Garanta: Garanta da proposta em analse Melhor Garanta de todas as propostas = ontuação da proposta, em analse 5

6 Aqusção de Equpamentos Informátcos e de Comuncação Concurso úblco Nº 02/CCV/ A proposta vencedora será a que tendo preenchdo todos requstos de especfcação técnca exgdos, obter o preço avalado mas baxo. 15. eddos de esclarecmentos Os nteressados poderão solctar, por escrto através do ste ou pelo endereço electrónco esclarecmentos relatvos à boa compreensão e nterpretação dos Documentos do presente rocedmento, até 8 de Julho de Os peddos de esclarecmentos serão responddos, também por escrto, para o endereço postal, ou de correo electrónco ndcado pelo nteressado, até 28 de Julho de Acto públco O acto públco de abertura das propostas terá lugar na sala multusos da Sede dos Correos de Cabo Verde Rua Cesáro Lacerda, nº 2, pelas 15 horas do da útl medato à data lmte fxada para a apresentação das ropostas, podendo no mesmo ntervr todos os concorrentes e os representantes dos concorrentes, devdamente credencados para o efeto. 17. Le aplcável ao procedmento: Decreto-le nº 88/VIII/2015 de 14 de Abrl. Correos de Cabo Verde, na raa,29 de Junho de 2016 A resdente do Conselho de Admnstração Alta Gomes Das 6

PROGRAMA DE CONCURSO CONCURSO PÚBLICO Nº 02/CCV/2016 CORREIOS DE CABO VERDE, S.A

PROGRAMA DE CONCURSO CONCURSO PÚBLICO Nº 02/CCV/2016 CORREIOS DE CABO VERDE, S.A CONCURSO ÚBLICO Nº 02/CCV/2016 CORREIOS DE CABO VERDE, S.A raa, Junho de 2016 ROGRAMA DE CONCURSO CONCURSO ÚBLICO Nº 02/CCV/2016 2 ÍNDICE GERAL 1. Objecto do rocedmento... 4 2. Entdade Adjudcante Entdade

Leia mais

Aquisição de Equipamentos Informáticos e de Impressão

Aquisição de Equipamentos Informáticos e de Impressão ANÚNCIO DO CONCURSO PUBLICO Nº 01/AAC/2017 1. Entidade Adjudicante Agência de Aviação Civil, sito na Estrada do Aeroporto, CP nº 371, Cidade da Praia, tel.: 260 34 30, fax: 261 10 75, correio electrónico:

Leia mais

Aquisição de Viaturas

Aquisição de Viaturas ANÚNCIO DO CONCURSO PUBLICO Nº 01/CCV/2016 1. Entidade Adjudicante Correios de Cabo Verde, SA sito na Rua Cesário Lacerda, 2 CP nº 92, Plateau- Cidade da Praia, tel.: 260 87 60, telefax: 262 34 78, correio

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CONSELHO COORDENADOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO. RESOLUÇÃO 09/2009/CCEPE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CONSELHO COORDENADOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO. RESOLUÇÃO 09/2009/CCEPE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CONSELHO COORDENADOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO. RESOLUÇÃO 09/2009/CCEPE Dscplna a recusa de matrícula nos cursos de graduação oferecdos

Leia mais

EDITAL Nº 034/09 SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS

EDITAL Nº 034/09 SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS EDITAL Nº 04/09 SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS A Pró-retora de Graduação e o Pró-retor de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3259 RESOLVEU:

RESOLUÇÃO Nº 3259 RESOLVEU: Resolução nº 3259, de 28 de janero de 2005. RESOLUÇÃO Nº 3259 Altera o dreconamento de recursos captados em depóstos de poupança pelas entdades ntegrantes do Sstema Braslero de Poupança e Empréstmo (SBPE).

Leia mais

TRANSPORTADOR e CARREGADOR aqui denominados individualmente como PARTE e, coletivamente, PARTES, CONSIDERANDO QUE:

TRANSPORTADOR e CARREGADOR aqui denominados individualmente como PARTE e, coletivamente, PARTES, CONSIDERANDO QUE: CONTRATO DE SERVIÇO DE TRANSPORTE FIRME DE GÁS NATURAL QUE ENTRE SI CELEBRAM, DE UM LADO, TRANSPORTADORA ASSOCIADA DE GÁS S.A. TAG E, DE OUTRO LADO, [EMPRESA], NA FORMA ABAIXO: TRANSPORTADORA ASSOCIADA

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 62, DE 5 DE MAIO DE 2004

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 62, DE 5 DE MAIO DE 2004 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 62, DE 5 DE MAIO DE 2004 Estabelece os procedmentos para o cálculo do montante correspondente à energa de referênca de empreendmento de

Leia mais

LTNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei de , São Luís - Maranhão

LTNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei de , São Luís - Maranhão LTNVERSDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação nsttuída nos termos da Le 5.52 de 2 0 966, RESOLUÇAO No 94-CONSUN, de 6 de novembro de 2006. Regulamenta a Progresso Funconal para a Classe de Professor Assocado

Leia mais

i Resposta: O edital não prevê para prazo para o envio das amostras. Se for solicitado, o prazo para ~nvio será informado pelo pregoeiro.

i Resposta: O edital não prevê para prazo para o envio das amostras. Se for solicitado, o prazo para ~nvio será informado pelo pregoeiro. GOVERNO DO ESTADO DO RO GRANDE DO NORTE ORGÃO: RN SUST El/SEPLAN SECRETARA DE ESTADO DA SAÚDE PÚBLCA COORDENADORA DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DE SERVÇOS E SAÚDE SUBCOORDENADORA DE NFORMAÇÃO E NFORMÁTC N0

Leia mais

Avaliação de Económica de Projectos e Cálculo de Tarifas

Avaliação de Económica de Projectos e Cálculo de Tarifas Gestão Avançada ada de Sstemas de Abastecmento de Água Avalação de Económca de Projectos e Cálculo de Tarfas Antóno Jorge Montero 26 de Mao de 2008 Aula 5-1 COCEITO DE PROJECTO Processo específco utlzado

Leia mais

PROVIMENTO Nº Doutor JOSÉ DE MELLO JUNQUEIRA, MM. Juiz de Direito da Primeira Vara de Registros Públicos, no uso de suas atribuições,

PROVIMENTO Nº Doutor JOSÉ DE MELLO JUNQUEIRA, MM. Juiz de Direito da Primeira Vara de Registros Públicos, no uso de suas atribuições, PROVMENTO Nº 005 1982 Doutor JOSÉ DE MELLO JUNQUERA, MM. Juz de Dreto da Prmera Vara de Regstros Públcos, no uso de suas atrbuções, CONSDERANDO que os saláros de escreventes e auxlares são ajustados, atenddos

Leia mais

Preço Base = 2,581 US$/MMBTU x TMD 0

Preço Base = 2,581 US$/MMBTU x TMD 0 Portara Intermnsteral MME/MF/nº 176, de 01 de junho de 2001. OS MINISTROS DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA E DA FAZENDA, no uso das atrbuções que lhes são conferdas pelo art. 87, parágrafo únco, ncso II, da

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO Nº 488, DE 29 DE AGOSTO DE 2002

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO Nº 488, DE 29 DE AGOSTO DE 2002 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO Nº 488, DE 29 DE AGOSTO DE 2002 Regulamenta o estabelecdo na Resolução CNPE n 7, de 21 de agosto de 2002, aprovada pela Presdênca da Repúblca em 22

Leia mais

Guia 11 Escalonamento de Mensagens

Guia 11 Escalonamento de Mensagens Até esta altura, temos abordado prncpalmente questões relaconadas com escalonamento de tarefas a serem executadas num únco processador. No entanto, é necessáro consderar o caso de sstemas tempo-real dstrbuídos,

Leia mais

Laboratório de Mecânica Aplicada I Estática: Roldanas e Equilíbrio de Momentos

Laboratório de Mecânica Aplicada I Estática: Roldanas e Equilíbrio de Momentos Laboratóro de Mecânca Aplcada I Estátca: Roldanas e Equlíbro de Momentos 1 Introdução O conhecmento das condções de equlíbro de um corpo é mprescndível em númeras stuações. Por exemplo, o estudo do equlíbro

Leia mais

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESíDUOS N 19 I RESOTRANS - Recolha e Transporte de Resíduos Sólidos, Lda.

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESíDUOS N 19 I RESOTRANS - Recolha e Transporte de Resíduos Sólidos, Lda. MNSTÉRO DO AMBENTE, ORDENAMENTO DO TERRTÓRO E DO DESENVOLVMENTO REGONAL CCDRL VT - Comssão de Coordenação e Desenvolvmento Regonal de Lsboa e Vale do Tejo ALVARÁ DE LCENÇA PARA A REALZAÇÃO DE OPERAÇÕES

Leia mais

Integração horizontal e integração vertical. Estratégias de contratação de mão de obra. Aula 3: Gestão de subempreiteiros.

Integração horizontal e integração vertical. Estratégias de contratação de mão de obra. Aula 3: Gestão de subempreiteiros. Gestão de Suprmentos e logístca de dstrbução Professor : Francsco F. Cardoso (francsco.cardoso@pol.usp.br) Tópcos da aula: Gestão de subempreteros: ntrodução ao tema (45 mnutos) Exercíco 2 - Gestão de

Leia mais

4 Análise termoeconômica

4 Análise termoeconômica 4 Análse termoeconômca Os capítulos precedentes abordaram questões emnentemente térmcas da aplcação de nanofludos em sstemas ndretos de refrgeração. Ao tratar das magntudes relatvas e da natureza das componentes

Leia mais

PROGRAMA INTERLABORATORIAL PARA ENSAIOS EM CHAPAS DE PAPELÃO ONDULADO CICLO 2013 PROTOCOLO

PROGRAMA INTERLABORATORIAL PARA ENSAIOS EM CHAPAS DE PAPELÃO ONDULADO CICLO 2013 PROTOCOLO PROGRAMA INTERLABORATORIAL PARA ENSAIOS EM CHAPAS DE PAPELÃO ONDULADO CICLO 013 PROTOCOLO CT-Floresta - LPC - FOI/004 05/0/013 Aprovado: Mara Luza Otero D'Almeda / SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 1 PÚBLICO ALVO...

Leia mais

2 Incerteza de medição

2 Incerteza de medição 2 Incerteza de medção Toda medção envolve ensaos, ajustes, condconamentos e a observação de ndcações em um nstrumento. Este conhecmento é utlzado para obter o valor de uma grandeza (mensurando) a partr

Leia mais

MEDIÇÕES DE VIBRAÇÕES NO CORPO HUMANO ESTIMATIVA DA INCERTEZA

MEDIÇÕES DE VIBRAÇÕES NO CORPO HUMANO ESTIMATIVA DA INCERTEZA Acústca 008 0 - de Outubro, Combra, Portugal Unversdade de Combra MEDIÇÕES DE VIBRAÇÕES NO CORPO HUMANO ESTIMATIVA DA INCERTEZA Jorge Fradque, Fátma Inglês Drecção Regonal da Economa de Lsboa e Vale do

Leia mais

Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Cálculo do Conceito Preliminar de Cursos de Graduação

Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Cálculo do Conceito Preliminar de Cursos de Graduação Mnstéro da Educação Insttuto Naconal de Estudos e Pesqusas Educaconas Aníso Texera Cálculo do Conceto Prelmnar de Cursos de Graduação Nota Técnca Nesta nota técnca são descrtos os procedmentos utlzados

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA Especfcação de Servço Págna 1 de 9 1. DEFINIÇÃO Reforço do subleto é a camada que será executada com espessura varável, conforme defnção de projeto, nos trechos em que for necessáro a remoção de materal

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA Especfcação de Servço Págna 1 de 9 1. DEFINIÇÃO Reforço do subleto é a camada que será executada com espessura varável, conforme defnção de projeto, nos trechos em que for necessáro a remoção de materal

Leia mais

Controle de Ponto Eletrônico. Belo Horizonte

Controle de Ponto Eletrônico. Belo Horizonte Controle de Ponto Eletrônco da Câmara Muncpal de Belo Horzonte Instrutor: André Mafa Latn DIVPES agosto de 2010 Objetvo Informar sobre o preenchmento da folha de frequênca; Facltar o trabalho das chefas;

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA E SEGURANÇA DAS INSTALAÇÕES DO ISEG Nº 1 - VIGILÂNCIA/SEGURANÇA/ISEG/2009

CONCURSO PÚBLICO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA E SEGURANÇA DAS INSTALAÇÕES DO ISEG Nº 1 - VIGILÂNCIA/SEGURANÇA/ISEG/2009 CONCURSO ÚBLICO ARA RESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA E SEGURANÇA DAS INSTALAÇÕES DO ISEG Nº 1 - VIGILÂNCIA/SEGURANÇA/ISEG/2009 CONCURSO ÚBLICO ARA RESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA E SEGURANÇA DAS INSTALAÇÕES

Leia mais

3 Cálculo Básico de Enlace Via Satélite

3 Cálculo Básico de Enlace Via Satélite 35 3 Cálculo Básco de Enlace Va Satélte Neste capítulo é tratado o cálculo básco de um enlace va-satélte, subentenddo em condções normas de propagação (espaço lvre) nos percursos de subda e descda e consderados

Leia mais

REGULAMENTO GERAL (Modalidades 1, 2, 3 e 4)

REGULAMENTO GERAL (Modalidades 1, 2, 3 e 4) REGULAMENTO GERAL (Modaldades 1, 2, 3 e 4) 1. PARTICIPAÇÃO 1.1 Podem concorrer ao 11º Prêmo FIEB de Desempenho Socoambental da Indústra Baana empresas do setor ndustral nas categoras MICRO E PEQUENO, MÉDIO

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA OBTENÇÃO DO ARQUIVO DE ARRECADAÇÃO DA GRU SIMPLES NO SIAFI

PROCEDIMENTO PARA OBTENÇÃO DO ARQUIVO DE ARRECADAÇÃO DA GRU SIMPLES NO SIAFI PROCEDMENTO PARA OBTENÇÃO DO ARQUVO DE ARRECADAÇÃO DA GRU SMPLES NO SAF O arquivo retorno de arrecadação da GRU Simples somente é enviado para um e-mail cadastrado ou disponibilizado para download após

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA Especfcação de Servço Págna 1 de 9 1. DEFINIÇÃO Reforço do subleto é a camada que será executada com espessura varável, conforme defnção de projeto, nos trechos em que for necessáro a remoção de materal

Leia mais

Comissão de Modelos. Alda Maria Sanchez Coordenadora da Comissão de Modelos Forplad

Comissão de Modelos. Alda Maria Sanchez Coordenadora da Comissão de Modelos Forplad Comssão de Modelos Alda Mara Sanchez Coordenadora da Comssão de Modelos Forplad Composção e Desenvolvmento Nova composção - 04 de novembro de 2015 Alnhamento do grupo e declaração de obetvos 17 de novembro

Leia mais

METODOLOGIA DO ÍNDICE CARBONO EFICIENTE (ICO2)

METODOLOGIA DO ÍNDICE CARBONO EFICIENTE (ICO2) METODOLOGIA DO ÍNDICE CARBONO Abrl/2015 [data] METODOLOGIA DO ÍNDICE CARBONO O ICO2 é o resultado de uma cartera teórca de atvos, elaborada de acordo com os crtéros estabelecdos nesta metodologa. Os índces

Leia mais

Modelo de Alocação de Vagas Docentes

Modelo de Alocação de Vagas Docentes Reunão Comssão de Estudos de Alocação de Vagas Docentes da UFV Portara 0400/2016 de 04/05/2016 20 de mao de 2016 Comssão de Estudos das Planlhas de Alocação de Vagas e Recursos Ato nº 009/2006/PPO 19/05/2006

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO DIRETORIA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO DIRETORIA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA ANEXO l TERMO DE REFERÊNCIA (Ofíco n. 077/2013-GDJAFS) PISO LAMINADO - CARPETE DE MADEIRA 1. DOOBJETO O presente Termo tem por objetvo a aqusção e nstalação de pso lamnado do tpo carpete de madera numa

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 32/2014/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da Universidade Federal de Sergipe, no uso de suas atribuições legais,

RESOLUÇÃO Nº 32/2014/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da Universidade Federal de Sergipe, no uso de suas atribuições legais, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 32/2014/CONEPE Aprova as Normas Geras do Processo Seletvo para

Leia mais

O F Í C I O C I R C U L A R. Participantes dos Mercados da B3 Segmento BM&FBOVESPA. Ref.: Nova Metodologia do Índice Dividendos BM&FBOVESPA (IDIV).

O F Í C I O C I R C U L A R. Participantes dos Mercados da B3 Segmento BM&FBOVESPA. Ref.: Nova Metodologia do Índice Dividendos BM&FBOVESPA (IDIV). 01 de novembro de 2017 069/2017-DP O F Í C I O C I R C U L A R Partcpantes dos Mercados da B3 Segmento BM&FBOVESPA Ref.: Nova Metodologa do Índce Dvdendos BM&FBOVESPA (IDIV). Concluída a fase de dscussão

Leia mais

PUCPR- Pontifícia Universidade Católica Do Paraná PPGIA- Programa de Pós-Graduação Em Informática Aplicada PROF. DR. JACQUES FACON

PUCPR- Pontifícia Universidade Católica Do Paraná PPGIA- Programa de Pós-Graduação Em Informática Aplicada PROF. DR. JACQUES FACON 1 PUCPR- Pontfíca Unversdade Católca Do Paraná PPGIA- Programa de Pós-Graduação Em Informátca Aplcada PROF. DR. JACQUES FACON LIMIARIZAÇÃO ITERATIVA DE LAM E LEUNG Resumo: A proposta para essa sére de

Leia mais

Introdução e Organização de Dados Estatísticos

Introdução e Organização de Dados Estatísticos II INTRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE DADOS ESTATÍSTICOS 2.1 Defnção de Estatístca Uma coleção de métodos para planejar expermentos, obter dados e organzá-los, resum-los, analsá-los, nterpretá-los e deles extrar

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS INCERTEZAS DOS PADRÕES DO LABORATÓRIO DE CALIBRAÇÃO DE GRANDEZAS ELÉTRICAS DA ELETRONORTE S/A

AVALIAÇÃO DAS INCERTEZAS DOS PADRÕES DO LABORATÓRIO DE CALIBRAÇÃO DE GRANDEZAS ELÉTRICAS DA ELETRONORTE S/A AVALIAÇÃO DAS INCERTEZAS DOS PADRÕES DO LABORATÓRIO DE CALIBRAÇÃO DE GRANDEZAS ELÉTRICAS DA ELETRONORTE S/A Jacklyn Res 1, João Claudo Carvalho 2, Marcelo Costa 3, Rodolfo Alves 4 1 Eletronorte S/A, Belém-PA,

Leia mais

Caderno de Fórmulas em Implementação. SWAP Alterações na curva Libor

Caderno de Fórmulas em Implementação. SWAP Alterações na curva Libor Caderno de Fórmulas em Implementação SWAP Alterações na curva Lbor Atualzado em: 15/12/217 Comuncado: 12/217 DN Homologação: - Versão: Mar/218 Índce 1 Atualzações... 2 2 Caderno de Fórmulas - SWAP... 3

Leia mais

Das ideias ao sucesso

Das ideias ao sucesso www.pwc.pt Das deas ao sucesso PwC Startup Portugal 1 mllon fund project Busness Plan FY 2014/2015 Crou recentemente uma empresa com forte capacdade de crescmento? Tem espírto empreendedor com deas novadoras?

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável. , j Alt Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável -

Regimento do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável. , j Alt Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável - Regmento do Conselho Muncpal de Desenvolvmento Rural Sustentável >-, j Alt. 12-0 Conselho Muncpal de Desenvolvmento Rural Sustentável - CMDRS, crado pela Le Muncpal n, órgão consultvo, delberatvo e orentatvo

Leia mais

Agência para o Desenvolvimento Empresarial e Inovação ADEI Rede Nacional de Incubadoras de Negócio RENI

Agência para o Desenvolvimento Empresarial e Inovação ADEI Rede Nacional de Incubadoras de Negócio RENI Agência para o Desenvolvimento Empresarial e Inovação ADEI Rede Nacional de s de Negócio RENI Anúncio Concurso Público nº ADEI/RENI- 07/2015 Contratação de uma empresa especializada e qualificada para

Leia mais

Avaliação do tamanho da amostra de segmentos regulares para estimar a área plantada com café na região sul de Minas Gerais

Avaliação do tamanho da amostra de segmentos regulares para estimar a área plantada com café na região sul de Minas Gerais Avalação do tamanho da amostra de segmentos regulares para estmar a área plantada com café na regão sul de Mnas Geras Marcos Adam Maurco Alves Morera Bernardo Fredrch Theodor Rudorff Insttuto Naconal de

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE REDES SUBTERRÂNEAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

UM ESTUDO SOBRE REDES SUBTERRÂNEAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA 29 UM ESTUDO SOBRE REDES SUBTERRÂNEAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Bruno Mont Gouvea (G-FEIS/UNESP) Antono Marcos Coss (FEIS/UNESP) RESUMO Este trabalho apresenta um estudo sobre sstemas subterrâneos

Leia mais

TERMO DE CONTRATO N 001/2014 - CMM

TERMO DE CONTRATO N 001/2014 - CMM \1erra do guaraná" TERMO DE CONTRATO N 001/2014 - CMM CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE ACESSO A INTERNET VIA SATÉLITE ATRAVÉS DE LINK DEDICADO, QUE ENTRE SI FAZEM A CÂMRA MUNICIPAL DE MAUÉS E A EMPRESA C H M

Leia mais

Regulamento

Regulamento http://www.anacom.pt/template.jsp?categoryid=6547 Regulamento Procedmentos de montorzação e medção dos níves de ntensdade dos campos electromagnétcos com orgem em estações de radocomuncações Nota Justfcatva

Leia mais

Financiado pela AAC - Agência de Aviação Civil

Financiado pela AAC - Agência de Aviação Civil Concurso Financiado pela AAC - Agência de Aviação Civil Concurso Concurso para Apresentação de Propostas no âmbito de Selecção de um Fiscal Único Nº 02/2017 I. Entidade Contratante: Agencia de Aviação

Leia mais

O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº- 11.494, DE 20 DE JUNHO DE 2007 Regulamenta o undo de Manutenção e Desenvolvmento da Educação Básca e de Valorzação dos Profssonas da Educação - UNDEB, de que trata o art. 60 do Ato das Dsposções

Leia mais

MODELO I TEGRAL-FUZZY PARA AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO USUÁRIO DOS SERVIÇOS DE TRA SPORTE REGULAR DE PASSAGEIROS DE EMPRESAS DE LI HAS AÉREAS

MODELO I TEGRAL-FUZZY PARA AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO USUÁRIO DOS SERVIÇOS DE TRA SPORTE REGULAR DE PASSAGEIROS DE EMPRESAS DE LI HAS AÉREAS MODELO I TEGRAL-FUZZY PARA AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO USUÁRIO DOS SERVIÇOS DE TRA SPORTE REGULAR DE PASSAGEIROS DE EMPRESAS DE LI HAS AÉREAS Vladmr Lma da Slva Insttuto Mltar de Engenhara - IME vladmr01rj@yahoo.com.br

Leia mais

BOLETIM OFICIAL. I Série ÍNDICE. Número 3. Quinta-feira, 10 de Janeiro de 2013 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA: Decreto-Presidencial nº 2/2013:

BOLETIM OFICIAL. I Série ÍNDICE. Número 3. Quinta-feira, 10 de Janeiro de 2013 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA: Decreto-Presidencial nº 2/2013: Qunta-fera, 10 de Janero de 2013 Documento descarregado pelo utlzador Vctor (10.8.0.12) em 11-01-2013 08:06:48. I Sére Número 3 BOLETIM OFICIAL ÍNDICE PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA: Decreto-Presdencal nº 2/2013:

Leia mais

Programa de Certificação de Medidas de um laboratório

Programa de Certificação de Medidas de um laboratório Programa de Certfcação de Meddas de um laboratóro Tratamento de dados Elmnação de dervas Programa de calbração entre laboratóros Programa nterno de calbração justes de meddas a curvas Tratamento dos resultados

Leia mais

7 - Distribuição de Freqüências

7 - Distribuição de Freqüências 7 - Dstrbução de Freqüêncas 7.1 Introdução Em mutas áreas há uma grande quantdade de nformações numércas que precsam ser dvulgadas de forma resumda. O método mas comum de resumr estes dados numércos consste

Leia mais

OBJETIVO DAS NORMAS. LIMITES DE DOSES OCUPACIONAIS Norma CNEN-NE.3.01 de julho de Limites Primários

OBJETIVO DAS NORMAS. LIMITES DE DOSES OCUPACIONAIS Norma CNEN-NE.3.01 de julho de Limites Primários OBJETVO DAS NORMAS Proteção Radológca: normas Profª. Dra. Regna Btell Mederos Coordenadora do Núcleo de Proteção Radológca Responsável pela Coordenadora de Físca e Hgene das Radações - DD emal: rbtell.dd@epm.br

Leia mais

Diferença entre a classificação do PIB per capita e a classificação do IDH

Diferença entre a classificação do PIB per capita e a classificação do IDH Curso Bem Estar Socal Marcelo Ner - www.fgv.br/cps Metas Socas Entre as mutas questões decorrentes da déa de se mplementar uma proposta de metas socas temos: Qual a justfcatva econômca para a exstênca

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA A UTILIZAÇÃO E EXPLORAÇÃO DO BAR DO PÊGO ESCURO - GÓIS. Processo nº A1/2015 PROGRAMA DE CONCURSO

CONCURSO PÚBLICO PARA A UTILIZAÇÃO E EXPLORAÇÃO DO BAR DO PÊGO ESCURO - GÓIS. Processo nº A1/2015 PROGRAMA DE CONCURSO CONCURSO PÚBLICO PARA A UTILIZAÇÃO E EXPLORAÇÃO DO BAR DO PÊGO ESCURO - GÓIS Processo nº A1/2015 PROGRAMA DE CONCURSO [1] PROGRAMA DE CONCURSO INDÍCE 3. Identificação e Objeto do Concurso 3. Entidade Adjudicante

Leia mais

Concurso público para selecção de plataformas electrónicas para contratação pública. Programa do Concurso

Concurso público para selecção de plataformas electrónicas para contratação pública. Programa do Concurso Concurso público para selecção de plataformas electrónicas para contratação pública Programa do Concurso ANCP Novembro de 2008 Índice Artigo 1.º Objecto do concurso... 3 Artigo 2.º Entidade pública contratante...

Leia mais

Metodologia IHFA. Índice de Hedge Funds ANBIMA. Versão Abril/2011

Metodologia IHFA. Índice de Hedge Funds ANBIMA. Versão Abril/2011 1 Metodologa IHFA Índce de Hedge Funds ANBIMA Versão Abrl/2011 1. O Que é o IHFA Índce de Hedge Funds ANBIMA? O IHFA é um índce representatvo da ndústra de hedge funds no Brasl, crado com o objetvo de

Leia mais

3. Take over: Termo do inglês que significa Adquirir. O termo indica a aquisição de uma companhia por outra mediante a assunção do controle acionário.

3. Take over: Termo do inglês que significa Adquirir. O termo indica a aquisição de uma companhia por outra mediante a assunção do controle acionário. 1. Tabela Prce: Tabela utlzada para a amortzação de dívda. As prestações calculadas dela têm um valor constante por todo o período de pagamento da dívda. 2. Tag along: Termo do nglês que sgnfca precfcar

Leia mais

RELATÓRION0 /2012 Acompanhamento de Projeto Período: / / pág.oi/o/ Contrapartida Não-Rnanceira

RELATÓRION0 /2012 Acompanhamento de Projeto Período: / / pág.oi/o/ Contrapartida Não-Rnanceira RELATÓRION0 /2012 de Projeto Período: / / pág.o/o/ Contrapartda Não-Rnancera Projeto: Sala de stuação para montoramento hdrológco e sstema de prevsão e alerta de cheas com estação lnmétrca para o muncípo

Leia mais

Gestão de Projetos Informáticos -- INSTRUÇÕES --

Gestão de Projetos Informáticos -- INSTRUÇÕES -- Mnstéro da Cênca, Tecnologa e Ensno Superor U.C. 21062 Gestão de Proetos Informátcos Época Normal -- INSTRUÇÕES -- O tempo de duração da prova de exame é de 2 horas, acrescda de 30 mnutos de tolerânca.

Leia mais

MODELO DE ANÚNCIO DO CONCURSO PÚBLICO

MODELO DE ANÚNCIO DO CONCURSO PÚBLICO 1 - IDENTIFICAÇÃO E CONTACTOS DA ENTIDADE ADJUDICANTE NIF e designação da entidade adjudicante: 506087000 - Município de Cantanhede Serviço/Órgão/Pessoa de contacto: Município de Cantanhede Endereço: Praça

Leia mais

ACÓRDÃO. Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete Des. JORGE RIBEIRO NÓBREGA

ACÓRDÃO. Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete Des. JORGE RIBEIRO NÓBREGA 1 Poder Judcáro Trbunal de Justça da Paraíba Gabnete Des. JORGE RIBEIRO NÓBREGA ACÓRDÃO EMBARGOS DE DECLARAÇÃO N. 888.200.2005.019.401-41001 Orundo da 7a Vara da Fazenda Públca da Comarca da Captal RELATOR

Leia mais

CONCEITOS INICIAIS DE ESTATÍSTICA MÓDULO 2 DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIA - ELEMENTOS Prof. Rogério Rodrigues

CONCEITOS INICIAIS DE ESTATÍSTICA MÓDULO 2 DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIA - ELEMENTOS Prof. Rogério Rodrigues CONCEITOS INICIAIS DE ESTATÍSTICA MÓDULO DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIA - ELEMENTOS Prof. Rogéro Rodrgues I) TABELA PRIMITIVA E DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIA : No processo de amostragem, a forma de regstro mas

Leia mais

EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARALELA 4º BIMESTRE

EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARALELA 4º BIMESTRE EXERCÍCIOS DE RECUERAÇÃO ARALELA 4º BIMESTRE NOME Nº SÉRIE : 2º EM DATA : / / BIMESTRE 4º ROFESSOR: Renato DISCILINA: Físca 1 VISTO COORDENAÇÃO ORIENTAÇÕES: 1. O trabalho deverá ser feto em papel almaço

Leia mais

Submódulo Indicadores de desempenho de equipamentos e linhas de transmissão e das funções transmissão e geração

Submódulo Indicadores de desempenho de equipamentos e linhas de transmissão e das funções transmissão e geração Submódulo 25.8 Indcadores de desempenho de equpamentos e lnhas de transmssão e das funções transmssão e geração Rev. º. 0.0 Motvo da revsão Atendmento à Resolução ormatva AEEL nº 115, de 29 de novembro

Leia mais

Materiais de Referência Certificados em Metrologia de Gases

Materiais de Referência Certificados em Metrologia de Gases Materas de Referênca Certfcados em Metrologa de Gases Florbela A. Das, Gonçalo Baptsta Laboratóro de Gases de Referênca do Laboratóro Central de Metrologa - Insttuto Português da Qualdade, Rua Antóno Gão

Leia mais

Modelo de Alocação de Vagas Docentes

Modelo de Alocação de Vagas Docentes UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA Modelo de Alocação de Vagas Docentes Documento base para apresentação em reunão do Conselho Unverstáro da UFV em 01/07/08 Vçosa - MG Julho - 2008 Índce 1. Introdução 1 2.

Leia mais

Instruções de segurança SOLITRAC ST31.TX*D****(*)**

Instruções de segurança SOLITRAC ST31.TX*D****(*)** Instruções de segurança NCC 11.0389 Ex d [a Ma] I Mb 0044 Document ID: 43789 Índce 1 Valdade... 3 2 Geral... 3 2.2 Instrumento M2/EPL-Mb... 3 3 Dados técncos... 3 3.1 Dados elétrcos... 3 4 Condções de

Leia mais

CONSIDERANDO QUE: CLÁUSULA PRIMEIRA DEFINIÇÕES DE TERMOS E INTERPRETAÇÃO

CONSIDERANDO QUE: CLÁUSULA PRIMEIRA DEFINIÇÕES DE TERMOS E INTERPRETAÇÃO CONTRATO DE SERVIÇO DE TRANSPORTE FIRME DE GÁS NATURAL QUE ENTRE SI CELEBRAM, DE UM LADO, TRANSPORTADORA BRASILEIRA GASODUTO BOLÍVIA-BRASIL S.A. TBG E, DE OUTRO LADO, [NOME DO CARREGADOR], NA FORMA ABAIXO:

Leia mais

COEFICIENTE DE GINI: uma medida de distribuição de renda

COEFICIENTE DE GINI: uma medida de distribuição de renda UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA ESCOLA SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GERÊNCIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS COEFICIENTE DE GINI: uma medda de dstrbução de renda Autor: Prof. Lsandro Fn Nsh

Leia mais

Seminário Andifes sobre Gestão Orçamentária e Financeira das Universidades Federais

Seminário Andifes sobre Gestão Orçamentária e Financeira das Universidades Federais Semnáro Andfes sobre Gestão Orçamentára e Fnancera das Unversdades Federas Gestão Orçamentára das Unversdades Federas: Orçamento Públco Federal e Matrz OCC Prof. Tomás Das Sant Ana Coordenador Naconal

Leia mais

ANEXO VIII ANÚNCIO DE CONCURSO - SECTORES ESPECIAIS. O concurso está abrangido pelo Acordo sobre Contratos Públicos (ACP)?

ANEXO VIII ANÚNCIO DE CONCURSO - SECTORES ESPECIAIS. O concurso está abrangido pelo Acordo sobre Contratos Públicos (ACP)? ANEXO VIII ANÚNCIO DE CONCURSO - SECTORES ESPECIAIS Obras Fornecimentos Serviços X O concurso está abrangido pelo Acordo sobre Contratos Públicos (ACP)? SECÇÃO I: ENTIDADE ADJUDICANTE I.1) DESIGNAÇÃO E

Leia mais

EDITAL PRPG 09/2017 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIENCIAS E TECNOLOGIA

EDITAL PRPG 09/2017 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIENCIAS E TECNOLOGIA EDITAL PRPG 09/2017 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIENCIAS E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E ENGENHARIA DE MATERIAIS (Mestrado e Doutorado) Edtal de Inscrção, Seleção

Leia mais

PROGRAMA INTERLABORATORIAL PARA ENSAIOS EM PAPEL CICLO 2013 PROTOCOLO

PROGRAMA INTERLABORATORIAL PARA ENSAIOS EM PAPEL CICLO 2013 PROTOCOLO PROGRAMA INTERLABORATORIAL PARA ENSAIOS EM PAPEL CICLO 013 PROTOCOLO CT-Floresta - LPC - FOI/005 7/1/01 Aprovado: Mara Luza Otero D'Almeda SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 1 PÚBLICO ALVO... 3 ENSAIOS OFERECIDOS...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CONSELHO COORDENADOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 02/2012

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CONSELHO COORDENADOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 02/2012 Resolução nº 2/2012-CCEPE Págna 1 de 10 UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CONSELHO COORDENADOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 02/2012 EMENTA: Fxa crtéros e vagas para o Processo Seletvo Vestbular

Leia mais

Sistema de informação para suporte da decisão de curto prazo em cascatas hídricas

Sistema de informação para suporte da decisão de curto prazo em cascatas hídricas Sstema de nformação para suporte da decsão de curto prazo em cascatas hídrcas Sílvo Marano, Vctor Mendes, Lus Ferrera UBI ISEL IST CEEL - Centro de Engenhara Electrotécnca de Lsboa da UTL Resumo: Na exploração

Leia mais

Elaboração: Fevereiro/2008

Elaboração: Fevereiro/2008 Elaboração: Feverero/2008 Últma atualzação: 19/02/2008 E ste Caderno de Fórmulas tem por objetvo esclarecer aos usuáros a metodologa de cálculo e os crtéros de precsão utlzados na atualzação das Letras

Leia mais

SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA

SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA Redes de Dstrbução de Água Rede de dstrbução de água: um sstema de tubagens e elementos acessóros nstalados na va públca, em terrenos da entdade dstrbudora ou em outros sob concessão especal, cua utlzação

Leia mais

Introdução à Análise de Dados nas medidas de grandezas físicas

Introdução à Análise de Dados nas medidas de grandezas físicas Introdução à Análse de Dados nas meddas de grandezas físcas www.chem.wts.ac.za/chem0/ http://uregna.ca/~peresnep/ www.ph.ed.ac.uk/~td/p3lab/analss/ otas baseadas nos apontamentos Análse de Dados do Prof.

Leia mais

Metodologia IHFA - Índice de Hedge Funds ANBIMA

Metodologia IHFA - Índice de Hedge Funds ANBIMA Metodologa IHFA - Índce de Hedge Funds ANBIMA Versão Abrl 2011 Metodologa IHFA Índce de Hedge Funds ANBIMA 1. O Que é o IHFA Índce de Hedge Funds ANBIMA? O IHFA é um índce representatvo da ndústra de hedge

Leia mais

ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO PARA CESSÃO DA EXPLORAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DA ANTIGA HOSPEDARIA 5. JORGE

ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO PARA CESSÃO DA EXPLORAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DA ANTIGA HOSPEDARIA 5. JORGE ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO PARA CESSÃO DA EXPLORAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DA ANTIGA HOSPEDARIA 5. JORGE 1. Objeto do Concurso Público 1. O presente concurso tem por objeto a cessão da exploração do estabelecimento

Leia mais

Caderno de Fórmulas. Notas Comerciais Cetip21

Caderno de Fórmulas. Notas Comerciais Cetip21 Notas Comercas Cetp21 Últma Atualzação: 22/12/2015 E ste Caderno tem por objetvo nformar aos usuáros a metodologa e os crtéros de precsão dos cálculos de valorzação de Notas Comercas. É acatado regstro

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentas ao Investdor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um nvestmento responsável exge que conheça as suas mplcações e que esteja dsposto a acetá-las. Note Valorzação Portugal Abrl 2019 [ISIN

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 41/2016/CONEPE Aprova as Normas Geras do Processo Seletvo para

Leia mais

ANÁLISE DAS TENSÕES TÉRMICAS EM MATERIAIS CERÂMICOS. Palavras-chave: Tensões térmicas, Propriedades variáveis, Condução de calor, GITT

ANÁLISE DAS TENSÕES TÉRMICAS EM MATERIAIS CERÂMICOS. Palavras-chave: Tensões térmicas, Propriedades variáveis, Condução de calor, GITT ANÁLISE DAS TENSÕES TÉRMICAS EM MATERIAIS CERÂMICOS Dnz, L.S. Santos, C.A.C. Lma, J.A. Unversdade Federal da Paraíba Laboratóro de Energa Solar LES/DTM/CT/UFPB 5859-9 - João Pessoa - PB, Brasl e-mal: cabral@les.ufpb.br

Leia mais

Electromagnetismo e Óptica

Electromagnetismo e Óptica Electromagnetsmo e Óptca aboratóro - rcutos OBJETIOS Obter as curvas de resposta de crcutos do tpo sére Medr a capacdade de condensadores e o coefcente de auto-ndução de bobnas por métodos ndrectos Estudar

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º de Janeiro de Instituto de Higiene e Medicina Tropical UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA.

Diário da República, 2.ª série N.º de Janeiro de Instituto de Higiene e Medicina Tropical UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA. Dáro da Repúblca, 2.ª sére.º 3 9 de Janero de 20 3947 Insttuto de Hgene e edcna Tropcal Avso (extracto) n.º 936/20 Ao abrgo da alínea d) do n.º do artgo 37.º da Le n.º 2 -A/2008, de 27/02, torna -se públco

Leia mais

PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE

PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE Anúncio Ajuste Directo n.º 017/2011 PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE Formação 1 ANUNCIO ANUNCIO PARA A APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE FORMAÇÃO Artigo 1º Designação do contrato a

Leia mais

Cabos para telecomunicações Determinação da impedância característica

Cabos para telecomunicações Determinação da impedância característica ABT/CB-03 2 PROJETO ABT BR 932 ABRIL:200 Cabos para telecomuncações Determnação da mpedânca característca APRESETAÇÃO ) Este 2º Projeto de Revsão o elaborado pela CE-03:046.02 - Comssão de Estudo de Métodos

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA O FORNECIMENTO DE SACOS PLÁSTICOS PARA DIVERSOS SERVIÇOS DE RECOLHA SELECTIVA DE RESÍDUOS

CONCURSO PÚBLICO PARA O FORNECIMENTO DE SACOS PLÁSTICOS PARA DIVERSOS SERVIÇOS DE RECOLHA SELECTIVA DE RESÍDUOS CONCURSO PÚBLICO PARA O FORNECIMENTO DE SACOS PLÁSTICOS PARA DIVERSOS SERVIÇOS DE RECOLHA SELECTIVA DE RESÍDUOS Obras ANÚNCIO DE CONCURSO Fornecimentos x Serviços O concurso está abrangido pelo Acordo

Leia mais

Reconhecimento Estatístico de Padrões

Reconhecimento Estatístico de Padrões Reconhecmento Estatístco de Padrões X 3 O paradgma pode ser sumarzado da segunte forma: Cada padrão é representado por um vector de característcas x = x1 x2 x N (,,, ) x x1 x... x d 2 = X 1 X 2 Espaço

Leia mais

A VELOCIDADE ESCALAR. Prof. Alberto Ricardo Präss

A VELOCIDADE ESCALAR. Prof. Alberto Ricardo Präss Pro. Alberto Rcardo Präss A VELOCIDADE ESCALAR O conceto de velocdade. Imagnemos que um jornal tenha envado um correspondente especal à selva amazônca a m de azer uma reportagem sobre o Pco da Neblna,

Leia mais

AQUECEDOR DE XÍCARAS MANUAL DE INSTRUÇÕES ORIGINAL FCS4054

AQUECEDOR DE XÍCARAS MANUAL DE INSTRUÇÕES ORIGINAL FCS4054 AQUECEDOR DE XÍCARAS MANUAL DE INSTRUÇÕES ORIGINAL FCS4054 Lea o manual de nstruções e o capítulo «Para sua segurança», antes de trabalhar com o aparelho. Mantenha o manual de nstruções sempre próxmo ao

Leia mais

Elaboração: Novembro/2005

Elaboração: Novembro/2005 Elaboração: Novembro/2005 Últma atualzação: 18/07/2011 Apresentação E ste Caderno de Fórmulas tem por objetvo nformar aos usuáros a metodologa e os crtéros de precsão dos cálculos referentes às Cédulas

Leia mais

ANEXO DO EDITAL nº. 099/2014 de 30/12/2014

ANEXO DO EDITAL nº. 099/2014 de 30/12/2014 1 ANEXO DO EDITAL nº. 099/2014 de 30/12/2014 CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA PREENCHIMENTO DE VAGA PARA PROFESSOR DE ZOOLOGIA DA CARREIRA DO MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA,

Leia mais

Roteiro-Relatório da Experiência N o 4 CARACTERÍSTICAS DO TRANSISTOR BIPOLAR

Roteiro-Relatório da Experiência N o 4 CARACTERÍSTICAS DO TRANSISTOR BIPOLAR PROF.: Joaqum Rangel Codeço Rotero-Relatóro da Experênca N o 4 CARACTERÍSTICAS DO TRANSISTOR BIPOLAR 1. COMPONENTES DA EQUIPE: ALUNOS 1 2 NOTA Prof.: Joaqum Rangel Codeço Data: / / : hs 2. OBJETIVOS: 2.1.

Leia mais

Caderno de Indicadores

Caderno de Indicadores Caderno de Indcadores 1. Poltca da Qualdade 1. IQS - ndcador de qualfcação dos servdores 2. IPI - Indcador de Pontualdade das Informações 3. ICI - Indcador de completude das nformações atualzadas no "ste"

Leia mais