ECF. Operações Fiscais com ECF / PAF-ECF / TED PAF-ECF EMISSOR DE CUPOM FISCAL 21/11/2014. José Maria Ferreira

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ECF. Operações Fiscais com ECF / PAF-ECF / TED PAF-ECF EMISSOR DE CUPOM FISCAL 21/11/2014. José Maria Ferreira consultoria@ecofisco.com."

Transcrição

1 Operações Fiscais com ECF / PAF-ECF / TED PAF-ECF José Maria Ferreira 1 OPERAÇÕES COM ECF / PAF-ECF / TED_PAF-ECF RICMS Decreto R Capítulo II: (Art. 653 ao art. 699.) Revogado pelo Decreto n.º R, de , efeitos a partir de : Capítulo II-A: (Art. 699-A. ao art. 699-Z-X) Incluído pelo Decreto n.º R, de , efeitos a partir de Instrutor: José Maria Ferreira 2 ECF EMISSOR DE CUPOM FISCAL Instrutor: José Maria Ferreira 3 1

2 EMISSOR DE CUPOM FISCAL - ECF Art. 699-A. ECF é o equipamento de automação comercial e fiscal com capacidade para emitir, armazenar e disponibilizar documentos fiscais e não fiscais e realizar controles de natureza fiscal referentes a operações de circulação de mercadorias ou a prestações de serviços, implementado na forma de impressora com finalidade específica ECF-IF e dotado de Módulo Fiscal Blindado MFB, que receba comandos de PAF-ECF externo (Convênio ICMS 09/09). Instrutor: José Maria Ferreira 4 OBRIGATORIEDADE DO USO DE ECF Art. 699-Z-A Os estabelecimentos que exercerem a atividade de venda ou revenda de mercadorias ou bens a varejo e os prestadores de serviços estão obrigados a manter e a utilizar o ECF de conformidade com o disposto neste Capítulo. Instrutor: José Maria Ferreira 5 OBRIGATORIEDADE DO USO DE ECF Art. 699-Z-A 1.º Os estabelecimentos de contribuintes que vierem a se inscrever no cadastro de contribuintes do imposto estão obrigados a requerer autorização de uso de ECF, antes do início de suas atividades, observado o disposto no art. 699-Z-B. 2.º O disposto neste artigo não se aplica a estabelecimento: I - que pratique exclusivamente operações ou prestações não sujeitas à incidência do imposto; II - que comercialize exclusivamente veículos sujeitos a licenciamento por órgão oficial; (...) VIII - optante pelo Simei. Instrutor: José Maria Ferreira 6 2

3 OPERAÇÕES DO VAREJO Art. 699-Z-A 3.º Para os fins deste artigo, considera-se venda a varejo aquela que destine mercadoria ou serviço a consumidor final, pessoa física. 4.º A venda a varejo de que trata o 3.º será acobertada por cupom fiscal, exceto na hipótese do art. 632 e quando: I - referir-se a remessa de mercadorias para realização de operações externas, sem destinatário certo, inclusive por meio de veículos, admitir-se-á a emissão de Nota Fiscal, modelos 1, 1-A ou 55; e Instrutor: José Maria Ferreira 7 DISPENSA DE USO DE ECF Art. 699-Z-B. A microempresa optante pelo Simples Nacional, cuja receita bruta auferida no exercício civil imediatamente anterior for igual ou inferior a trezentos e sessenta mil reais, poderá ser dispensada da obrigação de que trata o caput do art. 699-Z-A. 1.º A microempresa de que trata este artigo deverá requerer autorização de uso de ECF no mês subsequente àquele em que houver ultrapassado o limite da receita bruta previsto no caput. Instrutor: José Maria Ferreira 8 DISPENSA DE USO DE ECF Art. 699-Z-B. 2.º Perderá o direito à dispensa de que trata este artigo a microempresa que: I - for autuada por realizar venda sem emissão de documento fiscal; ou II - mantiver equipamento emissor de cupom ou assemelhado, que possam ser confundidos com o cupom fiscal, ou utilizar, no recinto de atendimento ao público, qualquer equipamento que possibilite registro ou processamento de dados. Instrutor: José Maria Ferreira 9 3

4 DISPENSA DE USO DE ECF Art. 699-Z-B (Incluído pelo Decreto nº 3596-R, de 18/06/2014) 2.º-A. O disposto no 2.º, II, não se aplica aos equipamentos do tipo POS, utilizados exclusivamente para o registro de operações relativas ao recebimento por meio de cartão de crédito ou débito, que imprimam no comprovante de pagamento o número de inscrição no CNPJ do estabelecimento. 2.º-B. A regra prevista no 2.º-A fica condicionado a que o contribuinte seja signatário de termo de opção pelo domicílio tributário eletrônico, conforme modelo constante do Anexo XCV. Instrutor: José Maria Ferreira 10 DISPENSA DE USO DE ECF Art. 699-Z-B. 3.º A perda do direito à dispensa de que trata o 2.º, caso a sua concessão já tenha sido concretizada, efetivar-se-á mediante publicação de ato do Gerente Fiscal no Diário Oficial, devendo o estabelecimento requerer autorização de uso do ECF no prazo de cinco dias, contados dez dias após a data da publicação do referido ato. 4.º Observado o disposto no caput, o ECF só será exigido a partir do primeiro dia do ano calendário seguinte à instalação da microempresa. Instrutor: José Maria Ferreira 11 DISPENSA DE USO DE ECF Art. 699-Z-B. 5.º A dispensa de que trata o caput, não se aplica: aos estabelecimentos de hipermercados e supermercados; e à microempresa comercial que possuir depósito fechado. Instrutor: José Maria Ferreira 12 4

5 DISPENSA DE USO DE ECF Art. 699-Z-B. 6.º Quando a microempresa tiver iniciado suas atividades no curso do ano, a apuração do faturamento bruto anual de que trata o caput será proporcional aos meses ou fração de efetivo funcionamento. 7.º Fica vedada a concessão de dispensa de uso do ECF ao estabelecimento que, por qualquer motivo, tenha sido obrigado a requerer autorização para sua utilização, ou já se encontre autorizado ao uso do equipamento. Instrutor: José Maria Ferreira 13 DISPENSA DE USO DE ECF Art. 699-Z-C. Poderá, ainda, ser dispensado da obrigação de que trata o art. 699-Z-A, o estabelecimento que comprove: I - ser industrial ou comercial atacadista, que não possua recinto de atendimento ao público para a prática de vendas diretamente a pessoas físicas, na condição de consumidores finais; ou Instrutor: José Maria Ferreira 14 DISPENSA DE USO DE ECF Art. 699-Z-C. II - praticar a venda a varejo de que trata o art. 699-Z-A, 3.º, somente: a) por meio de remessa de mercadorias para realização de operações externas, sem destinatário certo, inclusive por meio de veículos; ou b) de forma não presencial, assim considerada aquela realizada por meio da internet ou de central de atendimento call center. Instrutor: José Maria Ferreira 15 5

6 DISPENSA DE USO DE ECF Art. 699-Z-C. Parágrafo único. A dispensa fica condicionada a que o estabelecimento interessado: I - apresente requerimento à Agência da Receita Estadual a que estiver circunscrito, instruído com o Termo Declaratório para Dispensa de Equipamento de Cupom Fiscal - ECF, conforme modelo constante do Anexo LXXXV; II - mantenha inalteradas as situações descritas nos incisos I e II do caput; III - não tenha débito para com a Fazenda Pública Estadual; e IV - seja usuário de sistema eletrônico de processamento de dados, para emissão de documentos fiscais e escrituração de livros fiscais, observado o disposto no art. 21, 11. Instrutor: José Maria Ferreira 16 Nota Fiscal de Venda ao Consumidor Instrutor: José Maria Ferreira 17 Nota Fiscal de Venda a Consumidor Art Nas vendas a consumidor poderá ser autorizada a emissão de Nota Fiscal de Venda a Consumidor, conforme modelo constante do Convênio SINIEF s/n.º, de 1970, em substituição à Nota Fiscal, modelos 1 ou 1-A, quando se tratar de: I - estabelecimento desobrigado do uso de ECF; ou II - estabelecimento obrigado ao uso de ECF, exclusivamente em substituição ao cupom fiscal, nas hipóteses de falta de energia elétrica ou de intervenção técnica, que inviabilizem a operação do referido equipamento, resultando quaisquer destas ocorrências na obrigatoriedade de lavratura imediata, por parte do contribuinte, de termo no livro Registro de Utilização de Documentos Fiscais e Termos de Ocorrência. Instrutor: José Maria Ferreira 18 6

7 Nota Fiscal de Venda a Consumidor Art º Nas hipóteses deste artigo, a nota fiscal de venda a consumidor poderá acobertar vendas a prazo, desde que contenha a identificação do adquirente da mercadoria ou do serviço e a indicação do valor e da data de vencimento das respectivas prestações, presumindo-se venda à vista aquela acobertada pelo referido documento que não contiver tais indicações. Instrutor: José Maria Ferreira 19 Nota Fiscal de Venda a Consumidor Art º Na hipótese de a nota fiscal de venda a consumidor acobertar operação de venda em que a mercadoria venha a ser entregue pelo vendedor, no domicílio do adquirente, no corpo do referido documento deverá constar, além dos demais requisitos: I - a identificação do adquirente, inclusive com indicação do CPF; II - o endereço completo do adquirente; e III - o número da placa do veículo transportador, por meio de carimbo próprio, aplicado no verso do respectivo documento fiscal. Instrutor: José Maria Ferreira 20 PAF-ECF PROGRAMA APLICATIVO FISCAL DO EMISSOR DE CUPOM FISCAL Instrutor: José Maria Ferreira 21 7

8 PROGRAMA APLICATIVO FISCAL DO ECF PAF-ECF Art. 699-A. 1.º PAF-ECF é o programa aplicativo desenvolvido para possibilitar o envio de comandos ao software básico do ECF, sem capacidade de alterá-lo ou ignorá-lo, para utilização pelo contribuinte usuário do ECF. Instrutor: José Maria Ferreira 22 PROGRAMA APLICATIVO FISCAL DO ECF PAF-ECF Art. 699-X. O PAF-ECF tem os requisitos específicos estabelecidos no Ato Cotepe 06/08 ou 09/13, caso esteja obrigado ao cumprimento desse, observado o disposto no art. 699-Z, e somente será instalado pela empresa desenvolvedora no computador interligado fisicamente ao ECF, vedado o seu uso em equipamento do tipo laptop ou similar e devendo o computador estar localizado no estabelecimento usuário. Instrutor: José Maria Ferreira 23 PROGRAMA APLICATIVO FISCAL DO ECF PAF-ECF 2 A empresa desenvolvedora de PAF-ECF ou de sistema de gestão ou retaguarda fornecerá aos agentes do Fisco as senhas de acesso a todos os módulos, bancos de dados e aplicações do sistema, quando solicitado. 4.º É vedado à empresa desenvolvedora de PAF-ECF desenvolver e fornecer, a estabelecimento obrigado ao uso de ECF, software, aplicativo ou sistema que possibilitem o registro de operações de venda de mercadorias ou prestação de serviço sem a emissão de documento fiscal, podendo tal irregularidade ser objeto de processo administrativo nos termos desse Capítulo. 5. No caso de atualização automática e remota da versão do PAF-ECF deverá ser utilizada rotina de atualização que disponha de função destinada a informar ao estabelecimento usuário, por meio de mensagem exibida na tela do monitor, sobre a conclusão bem sucedida do processo de atualização. Instrutor: José Maria Ferreira 24 8

9 PAF-ECF: BANCO DE DADOS Art. 699-Z-M É permitida a integração de ECF a computador por meio de qualquer tipo de rede de comunicação de dados, desde que o servidor principal de controle central de banco de dados, assim entendido como o computador que armazena os bancos de dados utilizados, esteja instalado em estabelecimento: I - do contribuinte; II - do contabilista da empresa; III - de empresa interdependente, assim definida no art. 67, parágrafo único; ou IV - de empresa prestadora de serviço de armazenamento de banco de dados, desde que o contrato de prestação de serviço firmado entre as partes contenha cláusula por meio da qual o estabelecimento autoriza a empresa prestadora do serviço a franquear ao Fisco o acesso aos seus bancos de dados. Instrutor: José Maria Ferreira 25 PAF-ECF: POSTOS DE COMBUSTÍVEIS Art. 699-Z-M 1.º O estabelecimento comercial varejista de combustível automotivo deve integrar os pontos de abastecimento, assim entendido cada um dos bicos da bomba de abastecimento, por meio de rede de comunicação de dados, devendo o PAF- ECF ou o SG utilizados pelo estabelecimento atender aos requisitos específicos estabelecidos no Ato Cotepe 06/08 ou no Ato Cotepe 09/13, caso esteja obrigado ao cumprimento desse, mantendo-se inoperante para o registro de vendas desse produto, na hipótese de defeito na referida rede que impeça a integração Instrutor: José Maria Ferreira 26 PAF-ECF: ALIMENTO PARA CONSUMO IMEDIATO Art. 699-Z-M 2.º O estabelecimento comercial usuário de ECF que forneça alimentação a peso para consumo imediato deve possuir balança computadorizada interligada diretamente ao ECF ou ao computador a ele integrado, devendo o PAF-ECF ou o SG utilizados pelo estabelecimento atender aos requisitos específicos estabelecidos no Ato Cotepe 06/08 ou no Ato Cotepe 09/13, caso esteja obrigado ao cumprimento desse. Instrutor: José Maria Ferreira 27 9

10 PAF-ECF: OPERAÇÕES COM CARTÕES Art. 699-Z-N A impressão de comprovante de crédito ou débito, referente ao pagamento efetuado mediante utilização de cartão de crédito ou de débito, realizado por meio de transferência eletrônica de dados, deverá ocorrer no ECF, vedada a utilização, no estabelecimento do contribuinte, de equipamento do tipo Point of Sale POS ou qualquer outro que possua recursos que possibilitem ao contribuinte usuário a não emissão do comprovante. Instrutor: José Maria Ferreira 28 PAF-ECF: FORMAS DE PAGAMENTO Art. 699-Z-A 5.º Quando da emissão do cupom fiscal, o usuário de ECF deverá observar as disposições deste Capítulo, indicando a forma de pagamento efetivamente praticada durante a operação de venda de mercadoria ou serviço, sendo que, na hipótese de pagamento com cartão de crédito ou de débito: I - o valor a ser informado à empresa administradora de cartão de crédito ou débito deve ser o mesmo valor registrado para o respectivo meio de pagamento no cupom fiscal; e II - não poderá ser emitido comprovante de crédito ou débito em quantidade superior ao número de parcelas informado à empresa administradora de cartão de crédito ou débito, quando for necessária a impressão de um comprovante de pagamento para cada parcela autorizada pela administradora. Instrutor: José Maria Ferreira 29 PAF-ECF: PAGAMENTO COM CARTÃO Art. 699-Z-A 2.º A operação, com pagamento efetuado por meio de cartão de crédito ou débito, ou assemelhado, não deverá ser concretizada sem que a impressão do comprovante tenha sido realizada no ECF, ressalvado o disposto nos 3.º e 9.º. 3.º Fica assegurada ao contribuinte usuário de ECF a utilização do equipamento do tipo POS, excepcionalmente, desde que: I - o mesmo opte por autorizar a administradora de cartão de crédito ou débito, na forma do Anexo LIII, a fornecer o faturamento do estabelecimento usuário do equipamento à Sefaz, na forma e nos prazos de que trata este artigo; e II - o equipamento faça constar, impresso no respectivo comprovante de crédito ou de débito, o número de inscrição no CNPJ do estabelecimento usuário onde se encontre o mesmo instalado. Instrutor: José Maria Ferreira 30 10

11 PAF-ECF: ADMINISTRADORAS DE CARTÕES Art. 699-Z-A 5.º As administradoras ou operadoras de cartão de crédito ou de débito entregarão à Sefaz, até o último dia do mês subsequente ao da ocorrência, os arquivos eletrônicos contendo as informações relativas a todas as operações de crédito ou débito, com ou sem transferência eletrônica de fundos, realizadas no mês anterior, de acordo com o Manual de Orientação constante do Anexo LIV, procedendo da seguinte forma: I - o conteúdo do arquivo a ser transmitido será submetido à validação, com utilização do programa validador TEF, disponível na internet, no endereço eletrônico II - a transmissão do arquivo será realizada com utilização do programa transmissor TED, disponível na internet, no endereço eletrônico Instrutor: José Maria Ferreira 31 PAF-ECF: INFORMATIZAÇÃO DE MEIOS DE PAGAMENTO Art. 699-Z-A 9.º A empresa não enquadrada na condição de administradora de cartão de crédito ou de débito, que administre controle informatizado de meios de pagamento, a ser operado no recinto de atendimento ao público por estabelecimento de contribuinte do imposto, e que necessite fazê-lo, por impossibilidade operacional, sem a devida integração ao ECF; deverá apresentar requerimento à Gerência Fiscal Instrutor: José Maria Ferreira 32 PONTO DE VENDA DO ESTABELECIMENTO Instrutor: José Maria Ferreira 33 11

12 PONTO DE VENDA NO ESTABELECIMENTO Art. 699-Z-J Ponto de Venda é o local no recinto de atendimento ao público onde se encontra instalado o ECF no estabelecimento do contribuinte usuário. 1.º O Ponto de Venda deverá ser composto de: I - ECF, exposto ao público; II - dispositivo de visualização, pelo consumidor, do registro das operações ou prestações realizadas; e III - equipamento eletrônico de processamento de dados utilizado para comandar a operação do ECF-IF, não podendo ser utilizado equipamento do tipo laptop, ou similar. Instrutor: José Maria Ferreira 34 PONTO DE VENDA NO ESTABELECIMENTO Art. 699-Z-J 2.º O contribuinte que mantiver ECF em desacordo com as disposições deste Capítulo poderá ter fixada, mediante arbitramento, a base de cálculo do imposto devido, nos termos previstos no art. 68, considerando-se tributados os valores resultantes desta apuração. 3.º É vedado manter no Ponto de Venda numerário proveniente de qualquer atividade cujos valores não se encontrem devidamente acumulados pelo PAF-ECF em uso no estabelecimento, cabendo ao Fisco, quando em visita ao mesmo, constatar este fato, observando, inclusive, a sua compatibilidade com a atividade econômica exercida pelo contribuinte. Instrutor: José Maria Ferreira 35 PONTO DE VENDA NO ESTABELECIMENTO Art. 699-Z-K É vedado ao contribuinte manter equipamento emissor de cupom ou assemelhado, que possa confundir-se com o cupom fiscal, ou utilizar, no recinto de atendimento ao público, qualquer equipamento que possibilite registro ou processamento de dados não integrado a sistema adotado para emissão de documentos fiscais por meio de ECF. 1.º Fica o contribuinte que descumprir o disposto no caput obrigado a apresentar, no prazo de cinco dias, contados da data da constatação desta infração, pedido de uso de ECF, quando ainda não for usuário do equipamento, observadas as disposições deste Regulamento. Instrutor: José Maria Ferreira 36 12

13 PONTO DE VENDA NO ESTABELECIMENTO Lei 7.000, art.75 7.º I - manter equipamento emissor de cupom ou assemelhado, que possa confundir-se com o cupom fiscal ou utilizar, no recinto de atendimento ao público, qualquer equipamento que possibilite registro ou processamento de dados, não integrado a sistema adotado para emissão de documentos fiscais através de equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF: a) multa de 1000 (mil) VRTE s por equipamento; II - entregar cupom ou assemelhado, que possa confundir-se com o cupom fiscal: a) multa de 200 (duzentos) VRTE s sem prejuízo da apreensão do equipamento 1 VRTE em 2014 = R$ 2,521 Instrutor: José Maria Ferreira 37 SUSPENSÃO DA INSCRIÇÃO ESTADUAL Art. 51. Dar-se-á a suspensão da inscrição do estabelecimento, por ato do Subsecretário de Estado da Receita, quando: (...) XXV - deixar de utilizar, quando obrigatórios, Equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF, ou Programa Aplicativo Fiscal Emissor de Cupom Fiscal PAF-ECF Instrutor: José Maria Ferreira 38 Decreto n.º 3670-R de 17 de outubro de 2014 Introduz alterações no RICMS/ES, aprovado pelo Decreto n.º R, de 25 de outubro de 2002, acrescentando os arts. 699-Z-D-A a 699-Z-D-C Instrutor: José Maria Ferreira 39 13

14 EMISSOR DE CUPOM FISCAL RICMS-ES: Art. 699-Z-D-A A autorização para utilização de modelos de ECF, que possuam recursos de memória de fita-detalhe, desenvolvidos nos termos do Convênio ICMS 85/01, poderá ser concedida até: I - 31 de março de 2015, para os contribuintes sujeitos ao regime ordinário de apuração e recolhimento do imposto; e II - 30 de junho de 2015, para as empresas optantes pelo Simples Nacional. Parágrafo único. A partir das datas estabelecidas no caput, somente será concedida autorização para utilização de ECF, cujos modelos possuam módulo fiscal blindado, desenvolvidos nos termos do Convênio ICMS 09/09 Instrutor: José Maria Ferreira 40 EMISSOR DE CUPOM FISCAL Art. 699-Z-D-C. Fica vedado, a partir de 30 de junho de 2015, o uso de ECF que não possua recursos de memória de fita-detalhe, desenvolvido nos termos do Convênio ICMS 156/94. Parágrafo único. O contribuinte usuário de ECF que se enquadrar na disposição do caput deverá providenciar a respectiva cessação de uso até 30 de junho de Instrutor: José Maria Ferreira 41 EMISSOR DE CUPOM FISCAL Art. 699-Z-D-A: A autorização para utilização de modelos de ECF, que possuam recursos de memória de fita-detalhe, desenvolvidos nos termos do Convênio ICMS 85/01, poderá ser concedida até: I - 31 de março de 2015, para os contribuintes sujeitos ao regime ordinário de apuração e recolhimento do imposto; e II - 30 de junho de 2015, para as empresas optantes pelo Simples Nacional. Parágrafo único. A partir das datas estabelecidas no caput, somente será concedida autorização para utilização de ECF, cujos modelos possuam módulo fiscal blindado, desenvolvidos nos termos do Convênio ICMS 09/09 Instrutor: José Maria Ferreira 42 14

15 PROCEDIMENTOS OBRIGATÓRIOS DO ECF Instrutor: José Maria Ferreira 43 EMISSÃO DO CUPOM FISCAL Art. 699-Z-O. 1.º O contribuinte deve emitir o cupom fiscal e entregá-lo ao comprador ou consumidor, independentemente do seu valor ou de solicitação. Instrutor: José Maria Ferreira 44 EMISSÃO DO CUPOM FISCAL LEI Art. 76 Presumir-se-á operação ou prestação tributável não registrada, quando constatado: I - suprimento de caixa sem comprovação de origem regular do numerário, quer esteja escriturado ou não; II - efetivação de despesas, pagas ou arbitradas, em limite superior ao lucro bruto declarado pelo contribuinte; III - diferença entre o movimento tributável médio apurado em regime especial ou registrado nos doze meses imediatamente anteriores; IV - diferença apurada mediante controle físico dos bens ou mercadorias, assim entendido o confronto entre o número de unidades estocadas e o número de entradas e de saídas; V - passivo fictício, saldo credor na conta caixa, diferença apurada no movimento da conta corrente mercadorias ou qualquer outra modalidade que caracterize omissão de receita; Instrutor: José Maria Ferreira 45 15

16 EMISSÃO DO CUPOM FISCAL LEI Art. 76 Presumir-se-á operação ou prestação tributável não registrada, quando constatado: (...) VI - entrada de mercadoria ou bem, em estabelecimento de contribuinte ou de terceiros, desacompanhados de documentos fiscais ou acompanhados de documentação inidônea. VII - falta de registro, na escrita fiscal, de nota fiscal relativa à aquisição de mercadorias ou bens ou relativa à prestação de serviços e, quando exigido, do seu respectivo valor na escrita contábil. VIII - diferença entre os valores informados pelas administradoras de cartões de crédito ou de débito em conta corrente e demais estabelecimentos similares, e aqueles registrados nas escritas fiscal ou contábil. Instrutor: José Maria Ferreira 46 CADASTRO DO CONSUMIDOR NO CUPOM FISCAL Art. 699-Z-O - 2.º Nas seguintes hipóteses será obrigatória a identificação do adquirente no cupom fiscal, inclusive por meio do CPF ou do CNPJ, quando for o caso, facultando-se sua indicação nos demais casos: I - operação de venda, em que a mercadoria venha a ser entregue pelo vendedor, em domicílio do adquirente, devendo ainda o documento identificar: a) o endereço completo do adquirente; b) a placa do veículo transportador, por meio de carimbo próprio, aplicado no verso do respectivo cupom fiscal; e c) a data da saída da mercadoria do estabelecimento emitente, quando diversa da data da emissão do documento, por meio de carimbo próprio, aplicado no verso do respectivo cupom fiscal; e II - sempre que o adquirente necessitar do cupom fiscal para efeito de comprovação de despesa. Instrutor: José Maria Ferreira 47 CANCELAMENTO DE CUPOM FISCAL Art. 699-Z-Q Em relação aos documentos fiscais emitidos pelo sistema previsto nesta Subseção, poderão ser permitidos: I - o cancelamento, imediatamente após a emissão, hipótese em que o documento deverá ser mantido à disposição do Fisco pelo prazo decadencial e conter, ainda que no verso, as assinaturas do operador do ECF e do responsável pelo estabelecimento, desde que emita, se for o caso, novo documento fiscal relativo às mercadorias efetivamente comercializadas ou aos serviços efetivamente prestados; II - o acréscimo de indicações necessárias ao controle de outros impostos, obedecidas as normas da legislação pertinente; e III - o acréscimo de indicações de interesse do emitente, desde que não prejudiquem a clareza do documento. Instrutor: José Maria Ferreira 48 16

17 CANCELAMENTO, TROCA E DEVOLUÇÃO DE MERCADORIAS Art. 699-Z-R. Na hipótese em que o cancelamento, após a emissão do cupom fiscal, não possa ser praticado pelo próprio ECF, inclusive por motivo de troca da mercadoria, o estabelecimento usuário deverá observar as disposições dos arts. 411 e 412, admitindo-se a possibilidade de emissão de uma única nota fiscal de entrada, englobando todas as operações praticadas no mesmo dia, desde que todos os elementos identificadores do consumidor final remetente, como o nome, o CPF, o endereço completo, o telefone e a assinatura, encontrem-se indicados no verso do cupom fiscal que acobertou a operação de venda original, que deverá ser mantido à disposição do Fisco pelo prazo decadencial. Instrutor: José Maria Ferreira 49 CANCELAMENTO, TROCA E DEVOLUÇÃO DE MERCADORIAS Art. 699-Z-S. Na falta do documento fiscal original, de que trata o art. 699-Z-R, o mesmo deve ser substituído por declaração numerada e controlada pelo estabelecimento usuário do ECF, prestada pelo consumidor final remetente, na qual deverão constar, ainda, a descrição, a quantidade, o valor unitário e o valor total das mercadorias anteriormente adquiridas, que deverá ser mantida à disposição do Fisco pelo prazo decadencial. Instrutor: José Maria Ferreira 50 PROCEDIMENTOS PERIÓDICOS DO ECF Art. 699-Z-O 3.º No final de cada dia de funcionamento do estabelecimento, será emitida redução Z de todos os ECFs autorizados, em uso ou não, devendo o cupom respectivo ser mantido à disposição do Fisco pelo prazo decadencial. 4.º A leitura da memória fiscal deve ser emitida ao final de cada período de apuração, relativamente às operações efetuadas no período, e mantida à disposição do Fisco pelo prazo decadencial. Instrutor: José Maria Ferreira 51 17

18 FITA-DETALHE Art. 699-Z-V. A fita-detalhe emitida e impressa por ECF com mecanismo impressor matricial deve ser armazenada inteira, sem seccionamento, por equipamento e mantida em ordem cronológica pelo prazo decadencial, em relação a cada ECF. Parágrafo único. A bobina que contém a fita-detalhe deve conter, aposta pelo usuário do ECF, leitura X, no seu início e no seu final, e ser armazenada inteira, sem seccionamento, por equipamento, e mantida em ordem cronológica, pelo prazo decadencial, em relação a cada equipamento. Art. 699-Z-W. O arquivo eletrônico de que trata o art. 699-A, 3.º, o qual se equipara à fita-detalhe, deve ser armazenado pelo prazo decadencial, em relação a cada ECF, conforme definido no art. 699-Z-G, I, b. Instrutor: José Maria Ferreira 52 Bobina de papel para impressão em ECF Art. 699-Z-U A bobina de papel para uso em ECF deve atender às especificações técnicas estabelecidas no Ato Cotepe 04/10, inclusive quanto ao papel utilizado na fabricação da bobina. Parágrafo único. O contribuinte usuário deve ainda observar as instruções para guarda e armazenamento do papel e dos documentos emitidos constantes no manual do equipamento, na forma do art. 699-N Instrutor: José Maria Ferreira 53 Bobina de papel para impressão em ECF Bobina de Papel Autocopiativo (Impressor Matricial) A via destinada à emissão de documento deve conter tarja de cor diferente da do papel, no fim da bobina, com 20 cm a 50 cm de comprimento; Na extremidade deve conter etiqueta adesiva com a expressão PARA USO EM ECF; No verso deve estar impresso ao longo de toda bobina com espaçamento máximo de 10cm entre as repetições: A expressão para uso em ECF - via destinada ao fisco ; O nome e o número do CNPJ do fabricante e o comprimento da bobina; Ter comprimento de: 14 ou 20 metros para bobinas com três vias; 22, 30 ou 55 metros para bobina com duas vias; É permitido o acréscimo de informações no verso das vias da bobina de papel, desde que não prejudique a clareza e legibilidade dos dados impressos no anverso das vias Instrutor: José Maria Ferreira 54 18

19 Bobina de papel para impressão em ECF Bobina de Papel para impressor Térmico Deve possuir uma única via; Deve conter tarja de cor diferente da do papel, no fim da bobina, com 20 cm a 50 cm de comprimento; Na extremidade deve conter etiqueta adesiva com a expressão PARA USO EM ECF; No verso deve estar impresso ao longo de toda bobina com espaçamento máximo de 3 cm entre as repetições: Instrutor: José Maria Ferreira 55 Bobina de papel para impressão em ECF Bobina de Papel para impressor Térmico Em uma das laterais, sequencialmente, os seguintes dados: A expressão PARA USO EM ECF ; O comprimento da bobina; O número do CNPJ do fabricante da bobina O número e ano, no formato nnn/aaaa, do Ato COTEPE/ICMS de credenciamento do fabricante da bobina, conforme disposto no do art. 11; O número e ano, no formato nnn/aaaa, do Ato COTEPE/ICMS de registro do papel Instrutor: José Maria Ferreira 56 Bobina de papel para impressão em ECF Bobina de Papel para impressor Térmico Na outra lateral, a seguinte mensagem de instrução ao consumidor: Os dados impressos tem vida útil de 5 anos desde que se evite contato direto com plásticos, solventes ou produtos químicos, bem como a exposição ao calor e umidade excessiva, luz solar e iluminação de lâmpadas fluorescentes. É permitido o acréscimo de informações no verso das vias da bobina de papel, desde que não prejudique a clareza e legibilidade dos dados impressos. Instrutor: José Maria Ferreira 57 19

20 Movimento por ECF Ato cotepe 06/2008 Registros do PAF-ECF Ato Cotepe 09/2013 Instrutor: José Maria Ferreira 58 Movimento por ECF / Registro do PAF-ECF Art. 699-Z-I. O contribuinte usuário de ECF deverá gravar mensalmente, em mídia óptica não regravável, e manter à disposição do Fisco, pelo prazo decadencial, arquivo em formato texto (TXT), de codificação ASCII, referente à totalidade dos dias de funcionamento do estabelecimento, contendo: (...) II - o Movimento por ECF ou o Registro do PAF-ECF, gerados automaticamente e imediatamente após a emissão da Redução Z pelo PAF-ECF, conforme estabelecido, respectivamente, no requisito XXV, 1, b, do Anexo I do Ato Cotepe 06/08 e no requisito XXVI, 5 do Anexo I do Ato Cotepe 09/13. Instrutor: José Maria Ferreira 59 Movimento por ECF / Registro do PAF-ECF Art. 699-Z-I. 3.º Até o último dia do mês subsequente ao das operações, e sempre que forem requisitados, os arquivos de que trata o inciso II do caput deverão ser transmitidos à Sefaz, por meio da internet, pelo contribuinte ou pelo contabilista responsável pela escrituração fiscal do estabelecimento, observado o seguinte: I - o conteúdo dos arquivos a serem transmitidos será submetido à validação com a utilização do programa eecfc; II - os arquivos a serem transmitidos serão compactados com a utilização do programa empacotadorted_paf-ecf; III - a transmissão do arquivo será realizada com a utilização do programa transmissor TED; e IV - os programas referidos nos incisos I a III serão utilizados nas versões mais recentes disponíveis na internet, no endereço eletrônico Instrutor: José Maria Ferreira 60 20

21 Movimento por ECF / Registro do PAF-ECF Art. 699-Z-I. 4.º A transmissão de que trata o 3.º será obrigatória: I - até 30 de junho de 2014, em relação às operações realizadas no período compreendido entre 1.º de janeiro e 31 de maio de 2014; e II - no prazo fixado na forma do 3.º, em relação às operações realizadas a partir de 1.º de junho de (NR) Instrutor: José Maria Ferreira 61 Movimento por ECF / Registro do PAF-ECF Desde 01/2014 Obrigação de transmitir o arquivo Desde 08/2012 Obrigação de gravar os arquivos em txt Desde Sempre Manter o banco de dados com todas as informações do PAF-ECF Instrutor: José Maria Ferreira 62 DEMONSTRAÇÃO PRÁTICA 63 21

22 TUTORIAL: ROGRAMA TED_ PAF-ECF, PARA A TRANSMISSÃO DE ARQUIVOS DO PAF-ECF (REVISTA NOS 3º E 4º, DO ARTIGO 699-Z-G, DO RICMS APROVADO PELO DECRETO R) I - Programa TED_PAF-ECF: Aplicativo utilitário para empacotamento, visando a transmissão dos arquivos Movimento por ECF, de que trata o requisito VII, 9, do Anexo I do Ato Cotepe 06/08 ou Registros do PAF-ECF, mencionado no requisito VII, 17, do Anexo I do Ato Cotepe 09/13, conforme previsto nos 3º e 4º, do artigo 699-Z-G, do RICMS, aprovado pelo Decreto R. O aplicativo deve ser instalado em conformidade com a seguinte árvore de diretórios:...\sefaz\empacotador\ted_paf-ecf II Execução do Programa TED_PAF-ECF: Ao executar o TED_PAF ECF, o contribuinte terá acesso às opções: Localização Rápida, Novo, Excluir, Alterar e Gerar Arq. TED.» Localização Rápida: é a forma de se localizar com rapidez onde se encontra um contribuinte previamente cadastrado no programa, digitando a Inscrição Estadual ou a Razão Social.» Novo: permite o cadastro de contribuintes no programa, identificando-os, os, obrigatoriamente, pela 22

23 Inscrição Estadual, CNPJ, Razão Social, e ainda indicando cada ECF autorizado para uso em seus estabelecimentos, conforme demonstrado na tela abaixo: É importante ressaltar que, para evitar erros de digitação na identificação de cada ECF, a mesma deverá ser inserida a partir do nome do arquivo que é gerado automaticamente pelo PAF-ECF, após a emissão da Redução Z, havendo um arquivo para cada dia de movimento, de cada ECF. Assim, o contribuinte deverá copiar o nome do arquivo gerado automaticamente pelo PAF-ECF para cada ECF, transportando-o o para o campo Código do Equipamento. Nome do arquivo gerado pelo PAF-ECF é indicado CCCCCCNNNNNNNNNNNNNNDDMMAAAA, onde: CCCCCC é o Código Nacional de Identificação do ECF a que se refere o movimento informado; NNNNNNNNNNNNNN são os 14 (quatorze) últimos dígitos do número de fabricação do ECF; DDMMAAAA a data (dia/mês/ano) do movimento informado no arquivo. OBS: A data do movimento informado no nome do arquivo (DDMMAAA) será automaticamente desprezada quando do preenchimento do Código do Equipamento no TED_PAF-ECF.» Excluir e Alterar: As opções de exclusão e de alteração poderão ser praticadas em relação a todos os campos preenchidos conforme instruções anteriores, bastando para tanto serem acionadas quando da seleção do campo em questão.» Gerar Arq. TED: Esta opção deverá ser praticada conforme as instruções apresentadas a seguir. 23

24 III Envio dos arquivos gerados pelo PAF_ECF: a) Escolha a empresa cadastrada que deseja enviar os arquivos, dando um clique e selecione a opção Gerar Arq. TED. b) Será aberta uma nova tela para que, no campo Referência, sejam digitados o mês e o ano do movimento referente aos arquivos do PAF-ECF a serem transmitidos. Clique então em CarregarArq.. c) Selecione a pasta em que os arquivos a serem transmitidos encontram-se gravados e pressione OK, ressalvando que o caminho descrito no endereço não poderá conter diretórios cuja identificação seja composta de espaços em branco, como, no exemplo emplo abaixo, a pasta EMPRESA TESTE 24

25 OBS.: Situação Validação passíveis de serem indicadas na Relação de Equipamentos: Inválido: O TED_PAF-ECF ECF identificou que o equipamento não pertence ao contribuinte. Válido: O equipamento pertence ao contribuinte e foram encontrados arquivos referentes aquele ECF previamente cadastrado pelo contribuinte no TED_PAF-ECF. Pendente: O equipamento ainda não foi validado, ou seja, não foi encontrado nenhum arquivo referente aquele e ECF previamente cadastrado pelo contribuinte no TED_PAF-ECF. d) Antes de transmitir os arquivos do PAF-ECF assegure-se se de que o aplicativo de transmissão "TED" já esteja instalado no seu computador na versão disponibilizada no site da SEFAZ. Após essa verificação, clique na opção Gerar Arq. TED e escolha a pasta onde será gravado o Comprovante de Transmissão de Arquivo. 25

26 e) Por fim, será exibido o recibo de envio demonstrando todos os arquivos enviados via TED, separadamente por contribuinte e por referência, podendo esse ser salvo em PDF, conforme abaixo: 26

27 MULTAS POR INFRAÇÕES AO RICMS Lei 7.000, de 27/12/2001 Art. 75 [...] 3.º Faltas relativas à documentação fiscal: II - emitir documento fiscal próprio que não corresponda a saída de mercadoria ou a transmissão de propriedade de mercadoria, ou a entrada de mercadoria no estabelecimento: a) multa de 50% (cinquenta por cento) do valor da operação indicada no documento fiscal; III - destacar imposto em documento referente à operação ou prestação não tributada ou não sujeita à tributação: a) multa de 100% (cem por cento) do valor do imposto indevidamente destacado; III-A - destacar, em documento referente à operação ou prestação, imposto maior que o devido: a) multa de 100% (cem por cento) do valor correspondente à diferença entre o imposto destacado e o efetivamente devido. XVII - deixar de emitir documento fiscal: a) multa de 30 % (trinta por cento) do valor da operação ou prestação, nunca inferior a 100 (cem) VRTEs por operação ou prestação; 7.º Faltas relativas ao uso e intervenção em máquina registradora ou terminal ponto de venda-pdv ou Emissor de Cupom Fiscal- ECF: I - manter equipamento emissor de cupom ou assemelhado, que possa confundir-se com o cupom fiscal ou utilizar, no recinto de atendimento ao público, qualquer equipamento que possibilite registro ou processamento de dados, não integrado a sistema adotado para emissão de documentos fiscais através de equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF: a) multa de 1000 (mil) VRTE s por equipamento; II - entregar cupom ou assemelhado, que possa confundir-se com o cupom fiscal: a) multa de 200 (duzentos) VRTE s sem prejuízo da apreensão do equipamento; III - manter máquina registradora, terminal ponto de venda PDV ou equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF não autorizados pela Secretaria de Estado da Fazenda: a) multa de (mil) VRTEs por equipamento, sem prejuízo da sua apreensão; IV - emitir cupom fiscal, através de máquina registradora que deixe de identificar, através do departamento, totalizador parcial, a situação tributária da mercadoria comercializada: a) multa de 01 (um) VRTE por documento fiscal emitido; V - emitir cupom fiscal, através de terminal ponto de venda PDV ou equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF, que deixe de identificar corretamente a mercadoria comercializada e a respectiva situação tributária: 27

28 a) multa de 01 (um) VRTE por documento fiscal emitido; VI - manter, no estabelecimento, máquina registradora, terminal ponto de venda PDV ou equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF com lacre violado ou cuja forma de lacração não atenda às exigências da legislação: a) multa de (mil) VRTEs por equipamento, sem prejuízo da sua apreensão; VII - extravio, perda ou inutilização de lacre fornecido o para utilização em máquina registradora, terminal ponto de venda PDV ou equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF: a) multa de 1000 (mil) VRTE s por lacre; VIII - Revogado. IX - intervir em máquina registradora, terminal ponto de venda PDV ou Equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF, sem possuir atestado de capacitação técnica, específico para o equipamento, fornecido pelo fabricante e o respectivo credenciamento concedido pela Secretaria de Estado da Fazenda: a) multa de 1000 (mil) VRTE s por equipamento, sem prejuízo da perda do credenciamento; X - propiciar o uso de máquina registradora, terminal ponto de venda PDV ou Equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF que não atenda às exigências da legislação: a) multa de 1000 (mil) VRTE s por equipamento, sem prejuízo da perda do credenciamento; XI - retirar ou permitir a retirada do estabelecimento de máquina registradora, terminal ponto de venda PDV ou Equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF, regularmente autorizados, sem prévia comunicação o à repartição fazendária: a) multa de 200 (duzentos) VRTE s por equipamento; XII - deixar, o contribuinte usuário de máquina registradora, terminal ponto de venda PDV ou Equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF, de cumprir as exigências legais para a cessação do uso do equipamento: a) multa de 500 (quinhentos) VRTE s por equipamento; XIII - utilizar etiqueta destinada a identificar a autorização para uso fiscal de máquina registradora, terminal ponto de venda PDV ou Equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF, em desacordo com a legislação específica: a) multa de 100 (cem) VRTE s, por etiqueta; XIV - extravio, perda ou inutilização de máquina registradora, terminal ponto de venda PDV ou Equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF: a) multa de 1000 (mil) VRTE s por equipamento, sem prejuízo do arbitramento previsto na legislação e sem prejuízo da aplicação da penalidade prevista no inciso VII; XV - deixar de emitir ou atrasar a emissão do mapa resumo de Equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF: a) multa de 10 (dez) VRTEs por equipamento, por mês ou fração de atraso; XVI - interligar máquina registradora, cuja homologação não autorize interligação ou sem a devida autorização da repartição fazendária competente, entre si ou a equipamento eletrônico de processamento de dados: a) multa de 1000 (mil) VRTE s, por equipamento; 28

29 XVII - deixar de utilizar, quando obrigatório, Equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF: a) multa de 200 (duzentos) VRTE s, por mês sem utilização do equipamento, contados a partir da data de seu uso obrigatório, nunca inferior a 500 (quinhentos) VRTE s, ficando o contribuinte obrigado a proceder, imediatamente, a regularização de sua situação perante o Fisco, sem prejuízo da formalização de processo para suspensão de inscrição no Cadastro Geral de Contribuintes da Secretaria de Estado da Fazenda; XVII-A - deixar de utilizar, quando obrigatório, Programa Aplicativo Fiscal Emissor de Cupom Fiscal PAF-ECF: a) multa de 200 (duzentos) VRTEs, por Equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF sem a utilização do PAF-ECF, por mês ou fração, contados a partir da data em que tornou-se obrigatório o uso do programa, nunca inferior a 500 (quinhentos) VRTEs, ficando o contribuinte obrigado a proceder,imediatamente, à regularização de sua situação perante o Fisco, sem prejuízo da formalização de processo para suspensão de inscrição no Cadastro Geral de Contribuintes da Secretaria de Estado da Fazenda; XVIII - fracionar bobina de fita detalhe do equipamento: a) multa de 05 (cinco) VRTEs, por fração; XIX - deixar de efetuar redução Z, leitura de memória fiscal ou leitura X no equipamento, nas hipóteses previstas na legislação: a) multa de 50 (cinqüenta) VRTEs por procedimento não efetuado, limitada a (mil) VRTEs por ano, por equipamento; XX - desenvolver, fornecer ou instalar software no equipamento, com a capacidade de interferir, interagir ou prejudicar funções do software básico, inibindo-o o ou sobrepondo-se ao seu controle, trazendo, como conseqüência, prejuízo aos controles fiscais, ainda que não resulte em redução das operações tributáveis: a) multa de 1000 (mil) VRTE s, por cópia instalada. 8.º Outras faltas: VII - manter documentos fiscais arquivados em desordem de forma a prejudicar a ação fiscalizadora: a) multa de 1 (um) VRTE por documento, nunca superior a (mil) VRTEs por exercício; IX - praticar qualquer outra conduta, não expressamente mencionada neste artigo, contrária a dispositivo do Regulamento: a) multa de 500 (quinhentos) VRTE s. 11. Nos casos do 7.º deste artigo, independentemente das penalidades nele previstas, o contribuinte ficará obrigado a regularizar imediatamente o uso de seu equipamento, ou adotar, em substituição a este, quando autorizado pelo Fisco, a nota fiscal de venda a consumidor. 29

30 Lei , de 08/12/2012 Decreto 8.264, de 05/06/ De olho no Imposto: Lei /2012 A Lei nasceu de uma iniciativa popular liderada pela Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo - FACESP e reuniu 139 entidades de grande representatividade nacional, com o objetivo de tornar claro à sociedade que os tributos são pagos pelo consumidor em todas as operações comerciais e não apenas quando o cidadão faz o pagamento diretamente através de uma guia, conforme suposto pela maioria das pessoas pesquisadas. Foram 1,5 milhões de assinaturas e o apoio de 90% da população, conforme pesquisa IBOPE realizada, encomendada pela ACSP. Instrutor: José Maria Ferreira 2 De olho no Imposto: Lei /2012 Além do anseio popular, como corolário, espera-se que: a) os cidadãos percebam a quantidade de impostos que pagam; b) a conscientização implique na preservação do patrimônio público por parte da sociedade que frequentemente o dilapida ou o despreza; c) que os tributos sejam percebidos como necessários ao gasto público; d) que o voto seja percebido como delegação do poder de gastar os tributos pagos; e) que haja um amadurecimento da sociedade em relação aos seus direitos e obrigações; f) que haja um engajamento coletivo para uma efetiva reforma tributária. Instrutor: José Maria Ferreira 3 1

Cartilha. Perguntas e respostas Decreto regulamentando a Lei n 12.741

Cartilha. Perguntas e respostas Decreto regulamentando a Lei n 12.741 Cartilha A SMPE preparou uma cartilha para esclarecer as principais dúvidas referentes ao Decreto nº 8264/14. Ela pode também ser acessada no site da secretaria (www.smpe.gov.br). Perguntas e respostas

Leia mais

ECF - Equipamento Emissor de Cupom Fiscal

ECF - Equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF - Equipamento Emissor de Cupom Fiscal INTRODUÇÃO Um dos objetivos do uso de equipamento Emissor de Cupom Fiscal - ECF é a automação comercial. O ECF é, sem dúvida, um instrumento importante nesse processo.

Leia mais

Art. 3º A informação a que se refere o art. 2º compreenderá os seguintes tributos, quando influírem na formação dos preços de venda:

Art. 3º A informação a que se refere o art. 2º compreenderá os seguintes tributos, quando influírem na formação dos preços de venda: DECRETO Nº 8.264, DE 5 DE JUNHO DE 2014 Regulamenta a Lei nº 12.741, de 8 de dezembro de 2012, que dispõe sobre as medidas de esclarecimento ao consumidor quanto à carga tributária incidente sobre mercadorias

Leia mais

Portaria COORDENADOR DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA - CAT nº 130 de 01.07.2009

Portaria COORDENADOR DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA - CAT nº 130 de 01.07.2009 Portaria COORDENADOR DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA - CAT nº 130 de 01.07.2009 DOE-SP: 02.07.2009 Altera a Portaria CAT-55/98, de 14-7- 1998, que dispõe sobre o uso, credenciamento e demais procedimentos

Leia mais

Transparência. fiscal

Transparência. fiscal Transparência fiscal Lei nº 12.741/2012 1. Lei n 12.741/2012 Objetivo: esclarecer aos consumidores o custo tributário incidente sobre os produtos e serviços, mediante a divulgação do valor aproximado dos

Leia mais

ECF Equipamento Emissor de Cupom Fiscal

ECF Equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF Equipamento Emissor de Cupom Fiscal 1. O que é ECF? R. É o equipamento devidamente autorizado pelo fisco e instalado no estabelecimento utilizado para a emissão de cupons fiscais em operações de vendas

Leia mais

Portaria CAT - 55 de 14-7-98

Portaria CAT - 55 de 14-7-98 Recapel apresenta Portaria CAT - 55 de 14-7-98 (DOE 15-07-1998; Retificação DOE 08-08-1998) Dispõe sobre o uso, credenciamento e demais procedimentos relativos a equipamento emissor de cupom fiscal-ecf,

Leia mais

MANUAL DA EMPRESA DESENVOLVEDORA DE PROGRAMA APLICATIVO FISCAL - PAF-ECF (RESPONSÁVEL TÉCNICO)

MANUAL DA EMPRESA DESENVOLVEDORA DE PROGRAMA APLICATIVO FISCAL - PAF-ECF (RESPONSÁVEL TÉCNICO) SECRETARIA DA FAZENDA DE GOIÁS SUPERINTENDÊNCIA DA RECEITA ESTADUAL GEAF - GERÊNCIA DE ARRECADAÇÃO E FISCALIZAÇÃO COAF - COORDENAÇÃO DE AUTOMAÇÃO FISCAL MANUAL DA EMPRESA DESENVOLVEDORA DE PROGRAMA APLICATIVO

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 6140, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2011. ALTERA OS ARTS. 54, 59, 62 E 69 DA LEI Nº 2657, DE 26 DE DEZEMBRO DE 1996, QUE DISPÕE SOBRE O IMPOSTO SOBRE CIRCULAÇÃO DE MERCADORIAS E SERVIÇOS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA/SP - NF-e 01/2011

ORIENTAÇÃO TÉCNICA/SP - NF-e 01/2011 ORIENTAÇÃO TÉCNICA/SP - NF-e 01/2011 ORIENTAÇÃO AOS AGENTES PÚBLICOS COM RELAÇÃO ÀS DISPOSIÇÕES PREVISTAS PELA PORTARIA CAT 162/08 A RESPEITO DA OBRIGATORIEDADE DE EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA. ÍNDICE

Leia mais

Obrigatoriedade do ECF

Obrigatoriedade do ECF EQUIPAMENTO EMISSOR DE CUPOM FISCAL ECF CONCEITO ECF é o equipamento de automação comercial com capacidade para emitir documentos fiscais e realizar controles de natureza fiscal, referentes a operações

Leia mais

Capítulo II. Da Adesão. Capítulo III

Capítulo II. Da Adesão. Capítulo III Decreto do Estado do Amazonas nº 33.405 de 16.04.2013 DOE-AM: 16.04.2013 Disciplina a emissão da Nota Fiscal Eletrônica a Consumidor Final, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO AMAZONAS,

Leia mais

REGULAMENTO DO ICMS DA PARAÍBA. CAPÍTULO VII DAS OPERAÇÕES COM USO DE EQUIPAMENTO EMISSOR DE CUPOM FISCAL - ECF Seção I. Das Disposições Gerais

REGULAMENTO DO ICMS DA PARAÍBA. CAPÍTULO VII DAS OPERAÇÕES COM USO DE EQUIPAMENTO EMISSOR DE CUPOM FISCAL - ECF Seção I. Das Disposições Gerais REGULAMENTO DO ICMS DA PARAÍBA CAPÍTULO VII DAS OPERAÇÕES COM USO DE EQUIPAMENTO EMISSOR DE CUPOM FISCAL - ECF Seção I Das Disposições Gerais Art. 337. Este Capítulo fixa normas reguladoras para o uso

Leia mais

DOE Nº 12.927 Data: 11/04/2013 PORTARIA Nº 036/2013-GS/SET, DE 10 DE ABRIL DE 2013.

DOE Nº 12.927 Data: 11/04/2013 PORTARIA Nº 036/2013-GS/SET, DE 10 DE ABRIL DE 2013. DOE Nº 12.927 Data: 11/04/2013 PORTARIA Nº 036/2013-GS/SET, DE 10 DE ABRIL DE 2013. Institui o Projeto Piloto da Nota Fiscal Eletrônica para Consumidor Final (NFC-e), que possibilita a emissão da Nota

Leia mais

COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA Portaria CAT 12, de 04-02-2015

COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA Portaria CAT 12, de 04-02-2015 COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA Portaria CAT 12, de 04-02-2015 Dispõe sobre a emissão da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica - NFC-e (NF-e, modelo 65) e do Documento Auxiliar da Nota Fiscal

Leia mais

TABELA RESUMO DE INFRAÇÕES E PENALIDADES (LEI SC 10297/1996)

TABELA RESUMO DE INFRAÇÕES E PENALIDADES (LEI SC 10297/1996) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 A B C D ICMS SANTA CATARINA TABELA RESUMO DE INFRAÇÕES E PENALIDADES (LEI SC 10297/1996) INFRAÇÃO PENALIDADE % Base Deixar de recolher, total ou parcialmente,

Leia mais

Altera o Livro VI do Regulamento do ICMS (RICMS/00), aprovado pelo Decreto n.º 27.427, de 17 de novembro de 2000, e dá outras providências.

Altera o Livro VI do Regulamento do ICMS (RICMS/00), aprovado pelo Decreto n.º 27.427, de 17 de novembro de 2000, e dá outras providências. Decreto Publicado no D.O.E. de 13.05.2014, pág. 01 Este texto não substitui o publicado no D.O.E Índice Remissivo: Letra R - RICMS DECRETO N.º 44.785 DE 12 DE MAIO DE 2014 Altera o Livro VI do Regulamento

Leia mais

MANUAL DA EMPRESA DESENVOLVEDORA DE PROGRAMA APLICATIVO FISCAL - PAF-ECF

MANUAL DA EMPRESA DESENVOLVEDORA DE PROGRAMA APLICATIVO FISCAL - PAF-ECF SECRETARIA DA FAZENDA DE GOIÁS SUPERINTENDÊNCIA DA RECEITA ESTADUAL GEAF - GERÊNCIA DE ARRECADAÇÃO E FISCALIZAÇÃO COAF - COORDENAÇÃO DE AUTOMAÇÃO FISCAL MANUAL DA EMPRESA DESENVOLVEDORA DE PROGRAMA APLICATIVO

Leia mais

PORTARIA SSER N.º 17 DE 28 DE SETEMBRO DE 2009

PORTARIA SSER N.º 17 DE 28 DE SETEMBRO DE 2009 Portaria SSER Publicada no D.O.E. de 29.09.2009, pág. 05 Este texto não substitui o publicado no D.O.E Índice Remissivo: Letra E - Emissor de Cupom Fiscal (ECF) PORTARIA SSER N.º 17 DE 28 DE SETEMBRO DE

Leia mais

Projeto Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

Projeto Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) Projeto Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) (Ajuste SINIEF 07/05) Estado de Santa Catarina 7º Congresso de Secretários de Finanças, Contadores Públicos e Controladores Internos Municipais Florianópolis SC 15/04/2011

Leia mais

COMUNICADO AOS CLIENTES Lei De olho no Imposto

COMUNICADO AOS CLIENTES Lei De olho no Imposto São Paulo, 23 de Maio de 2013. COMUNICADO AOS CLIENTES Lei De olho no Imposto Conforme é de conhecimento de V. Sas., a Presidente Dilma Rousseff sancionou a Lei nº 12.741/12, publicada no DOU em 10/12/2012,

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.7 - atualizada em 24/04/2015)

PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.7 - atualizada em 24/04/2015) PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.7 - atualizada em 24/04/2015) 1 Conceito e Noções Gerais da NFAe-MEI 1.1 - O que é a Nota Fiscal Avulsa eletrônica MEI

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE, no uso das atribuições que lhe confere o art. 78, inciso IV da Constituição Estadual, e

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE, no uso das atribuições que lhe confere o art. 78, inciso IV da Constituição Estadual, e DECRETO Nº 5.257, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2013. Publicado no DOE nº 10.993, de 22-02-2013. Institui a Nota Fiscal Eletrônica para Consumidor Final - NFC-e e o Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica

Leia mais

Distrito Federal > Novembro/2015

Distrito Federal > Novembro/2015 OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Distrito Federal

Leia mais

DECRETO Nº. 531 DE 01 DE JULHO DE 2012.

DECRETO Nº. 531 DE 01 DE JULHO DE 2012. DECRETO Nº. 531 DE 01 DE JULHO DE 2012. Regulamenta o uso da Nota Fiscal de Serviços Eletrônica no ISSQN, a forma e o prazo de recolhimento dos tributos municipais e respectivos acréscimos perante o Código

Leia mais

EMISSOR DE CUPOM FISCAL - Aspectos Relacionados à Emissão da Leitura X

EMISSOR DE CUPOM FISCAL - Aspectos Relacionados à Emissão da Leitura X EMISSOR DE CUPOM FISCAL - Aspectos Relacionados à Emissão da Leitura X Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 12.07.2012. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - LEITURA X 2.1 - Representação de Valores

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.4 - atualizada em 12/06/2013)

PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.4 - atualizada em 12/06/2013) PERGUNTAS E RESPOSTAS Nota Fiscal Avulsa Eletrônica MEI NFAe-MEI SUMÁRIO (versão 1.4 - atualizada em 12/06/2013) 1 Conceito e Noções Gerais da NFAe-MEI 1.1 - O que é a Nota Fiscal Avulsa eletrônica MEI

Leia mais

MANUAL DO SPED FISCAL

MANUAL DO SPED FISCAL MANUAL DO SISTEMA TOP FOR WINDOWS ESCRITA FISCAL - SKILL MANUAL DO SPED FISCAL VERSÃO 2.11 Equipe de Especialistas: Claudio Aparecido Medeiros Cristiano Besson Ederson Von Mühlen Diretor Responsável: João

Leia mais

MANUAL DO SPED FISCAL

MANUAL DO SPED FISCAL MANUAL DO SISTEMA TOP FOR WINDOWS ESCRITA FISCAL - SKILL MANUAL DO SPED FISCAL VERSÃO 2.11 Equipe de Especialistas: Claudio Aparecido Medeiros Cristiano Besson Ederson Von Mühlen Diretor Responsável: João

Leia mais

Legislação Comentada. Anexo II-A da Parte II da Resolução SEFAZ nº 720/14

Legislação Comentada. Anexo II-A da Parte II da Resolução SEFAZ nº 720/14 Legislação Comentada Anexo II-A da Parte II da Resolução SEFAZ nº 720/14 2 A foi instituída no Estado do Rio de Janeiro em 13 de maio de 2014 com a publicação do Decreto nº 44.785, que alterou o Anexo

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ DECRETO Nº 1.742

ESTADO DO PARANÁ DECRETO Nº 1.742 Publicado no Diário Oficial Nº 8488 de 15/06/2011 DECRETO Nº 1.742 O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual, DECRETA Art. 1º

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE TABOÃO DA SERRA - Estado de São Paulo -

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE TABOÃO DA SERRA - Estado de São Paulo - CONSIDERANDO o disposto nos artigos 66 e 67 da Lei Complementar nº 193/2009, que impõem ao prestador de serviços a obrigatoriedade de apresentar documentos fiscais na forma do que dispuser o regulamento;

Leia mais

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA SUBSECRETARIA DA RECEITA PROGRAMA NOTA LEGAL. www.notalegal.df.gov.br

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA SUBSECRETARIA DA RECEITA PROGRAMA NOTA LEGAL. www.notalegal.df.gov.br GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA SUBSECRETARIA DA RECEITA PROGRAMA NOT@ FISCAL LEGAL www.notalegal.df.gov.br ESCLARECIMENTOS SOBRE O USO DO EMISSOR DE CUPOM FISCAL NO PROGRAMA

Leia mais

Palestra em 30 de julho de 2014. Custódio Barbosa Diretor do TI RIO e representante da FENAINFO (Federação Nacional das Empresas de Informática)

Palestra em 30 de julho de 2014. Custódio Barbosa Diretor do TI RIO e representante da FENAINFO (Federação Nacional das Empresas de Informática) Palestra em 30 de julho de 2014 Custódio Barbosa Diretor do TI RIO e representante da FENAINFO (Federação Nacional das Empresas de Informática) Decreto Estadual nº 44.785 de 12 de maio de 2014 (publicado

Leia mais

Prefeitura Municipal de Belém Secretaria Municipal de Finanças

Prefeitura Municipal de Belém Secretaria Municipal de Finanças INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004/2009 GABS/SEFIN Disciplina a emissão de Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) e dá outras providências. O Secretário de Finanças do Município de Belém, no uso das atribuições

Leia mais

Guia Informativo. Adequação da automação Softpharma

Guia Informativo. Adequação da automação Softpharma Guia Informativo Adequação da automação Softpharma SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. REGULAMENTAÇÃO... 5 2.1. Obrigatoriedade do uso do ECF... 5 3. ADEQUAÇÕES NO PROCESSO DE VENDA... 5 3.1. Cupom Fiscal...

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA CADASTRO DE PAF-ECF - PROGRAMA APLICATIVO FISCAL EMISSOR DE CUPOM FISCAL

ORIENTAÇÕES PARA CADASTRO DE PAF-ECF - PROGRAMA APLICATIVO FISCAL EMISSOR DE CUPOM FISCAL ORIENTAÇÕES PARA CADASTRO DE PAF-ECF - PROGRAMA APLICATIVO FISCAL EMISSOR DE CUPOM FISCAL BASE LEGAL Portaria nº 83, de 18 de março de 2010 (atualizada até a Portaria nº 310, de 26 de setembro de 2013)

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA GABINETE DO SECRETÁRIO DA FAZENDA - GSF Home Page: www.sefaz.pi.gov.br

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA GABINETE DO SECRETÁRIO DA FAZENDA - GSF Home Page: www.sefaz.pi.gov.br GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA GABINETE DO SECRETÁRIO DA FAZENDA - GSF Home Page: www.sefaz.pi.gov.br COMUNICADO SEFAZ Nº 003/2007 Informa sobre a instituição da Declaração de Informações

Leia mais

1º O acesso ao Sistema deverá ser feito por meio de Senha Web ou certificado digital.

1º O acesso ao Sistema deverá ser feito por meio de Senha Web ou certificado digital. ÍNTEGRA DA INSTRUÇÃO NORMATIVA O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE FINANÇAS, no uso de suas atribuições legais, considerando o disposto nos artigos 113 e 114 do Decreto n 53.151, de 17 de maio de 2012, RESOLVE:

Leia mais

Pergunte à CPA Serviço de transporte considerações gerais 28/04/2014

Pergunte à CPA Serviço de transporte considerações gerais 28/04/2014 Pergunte à CPA Serviço de transporte considerações gerais 28/04/2014 Apresentador: José Alves F. Neto Transporte - conceito ICMS X ISS Como determinar a competência Fato gerador RICMS/SP Artigo 2º - Ocorre

Leia mais

Pergunte a CPA. ECF - Emissor de Cupom Fiscal

Pergunte a CPA. ECF - Emissor de Cupom Fiscal Pergunte a CPA ECF - Emissor de Cupom Fiscal Cupom fiscal x Nota fiscal de venda ao consumidor 2 Nota Fiscal de Venda ao Consumidor Emissão quando não obrigatório o uso de Equipamento Emissor de Cupom

Leia mais

LIVRO ÚNICO DO REGULAMENTO DO IMPOSTO ÚLTIMA ALTERAÇÃO DECRETO 26.278 DE 17 DE JULHO DE 2009.

LIVRO ÚNICO DO REGULAMENTO DO IMPOSTO ÚLTIMA ALTERAÇÃO DECRETO 26.278 DE 17 DE JULHO DE 2009. LIVRO ÚNICO DO REGULAMENTO DO IMPOSTO ÚLTIMA ALTERAÇÃO DECRETO 26.278 DE 17 DE JULHO DE 2009. ÍNDICE SISTEMÁTICO DO REGULAMENTO DO ICMS DECRETO Nº 21.400, DE 10/12/2002 - QUE APROVOU O NOVO REGULAMENTO

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 31506_31506

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 31506_31506 Page 1 of 12 ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 31506_31506 DECRETO Nº 31.506, DE 10 DE AGOSTO DE 2010 PUBLICADO NO DOE DE 11.08.2010 ALTERADO PELO DECRETO Nº: - 31.848/10, DE 07.12.10 -

Leia mais

EQUIPAMENTO EMISSOR DE CUPOM FISCAL - ECF

EQUIPAMENTO EMISSOR DE CUPOM FISCAL - ECF EQUIPAMENTO EMISSOR DE CUPOM FISCAL - ECF Susie de P.L.Marino Setembro/2010 EQUIPAMENTO EMISSOR DE CUPOM FISCAL ACUMULADORES FISCAIS TOTALIZADORES E CONTADORES Totalizador e Contador são acumuladores de

Leia mais

Portaria CAT - 54, de 15-7-2002

Portaria CAT - 54, de 15-7-2002 Portaria CAT - 54, de 15-7-2002 Altera dispositivos das Portarias CAT-55/98, de 14/07/98, e CAT-86/01, de 13/11/01, que dispõem sobre o uso, credenciamento e demais procedimentos relativos a equipamento

Leia mais

Palestra em 30 de julho de 2014. Cristina S. Rodrigues ex Diretora do TI RIO e Diretora da empresa DELLINE INFORMÁTICA LTDA

Palestra em 30 de julho de 2014. Cristina S. Rodrigues ex Diretora do TI RIO e Diretora da empresa DELLINE INFORMÁTICA LTDA Palestra em 30 de julho de 2014 Cristina S. Rodrigues ex Diretora do TI RIO e Diretora da empresa DELLINE INFORMÁTICA LTDA Os Layouts e Serviços de Autorização de uso da NF-e Serão os mesmos para NFC-e.

Leia mais

MULTAS pelo descumprimento de obrigações acessórias Como evitar? 27 de novembro de 2012

MULTAS pelo descumprimento de obrigações acessórias Como evitar? 27 de novembro de 2012 MULTAS pelo descumprimento de obrigações acessórias Como evitar? 27 de novembro de 2012 MULTAS pelo descumprimento de obrigações acessórias ao ICMS - RJ Art. 59 da Lei 2.657/96 Deixar de entregar, no prazo

Leia mais

OBS: 2. Este material não esgota e não pretender ser material único para àqueles que decidirem implantar a NF-e. RICMS

OBS: 2. Este material não esgota e não pretender ser material único para àqueles que decidirem implantar a NF-e. RICMS OBS: 1. Este levantamento foi elaborado com base em cópia de textos do RICMS disponibilizados no site da Secretaria da Fazenda de SC em 05/12/2008 e serve como material de consulta para aqueles que querem

Leia mais

Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de

Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de comunicação - ICMS BASE CONSTITUCIONAL E LEGAL Artigo 155,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAMBUÍ Praça Mozart Torres, 68 Bairro Centro Cep.: 38.900-000 BAMBUÍ - MG CNPJ: 20.920.567/0001-93

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAMBUÍ Praça Mozart Torres, 68 Bairro Centro Cep.: 38.900-000 BAMBUÍ - MG CNPJ: 20.920.567/0001-93 . DECRETO Nº 1.763 DE 18 DE MARÇO DE 2014. PREFEITO MUNICIPAL DE BAMBUÍ, em vigor, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais, DECRETA: CAPÍTULO I DO SISTEMA ELETRÔNICO DE GESTÃO DO ISSQN

Leia mais

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO APOSTILA 5 LIVRO V DO RICMS-RJ. Atualizada até o Decreto 44.200 de 13/05/2013

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO APOSTILA 5 LIVRO V DO RICMS-RJ. Atualizada até o Decreto 44.200 de 13/05/2013 DECRETO 27.427/00 - RICMS RJ LIVRO V PROF. CLÁUDIO BORBA 1 LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO APOSTILA 5 LIVRO V DO RICMS-RJ Atualizada até o Decreto 44.200 de 13/05/2013 PROF. CLÁUDIO BORBA

Leia mais

PAF ECF e o Autosystem

PAF ECF e o Autosystem PAF ECF e o Autosystem Considerações sobre o Paf ECF e o Autosystem PAF-ECF é o Programa Aplicativo Fiscal que faz a interface com o ECF-IF. Até recentemente cada estado definia como o Aplicativo Fiscal

Leia mais

119ª CONFAZ Manaus, AM, 30.09.05 P. AJ. 07/05

119ª CONFAZ Manaus, AM, 30.09.05 P. AJ. 07/05 119ª CONFAZ Manaus, AM, 30.09.05 P. AJ. 07/05 AJUSTE SINIEF /05 Institui a Nota Fiscal Eletrônica e o Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica. O Conselho Nacional de Política Fazendária CONFAZ e o

Leia mais

ANEXO 4.7. Substituição Tributária nas Operações com Disco Fonográfico e Fita Virgem ou Gravada.

ANEXO 4.7. Substituição Tributária nas Operações com Disco Fonográfico e Fita Virgem ou Gravada. ANEXO 4.7 Substituição Tributária nas Operações com Disco Fonográfico e Fita Virgem ou Gravada. Protocolo ICMS 19/1985 Alterações: Protocolo ICMS 09/1986, 10/1987, 53/91, 05/98, 07/2000, 12/06, 72/07,

Leia mais

INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 01/2014

INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 01/2014 INFORMATIVO CONTÁBIL/FISCAL OCB/ES Nº 01/2014 (07 de Janeiro de 2014) 01. DECRETO Nº 3477-R, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2013. Órgão: Secretaria da Fazendo do Espírito Santo (SEFAZ) Ementa: Despensa a exigência

Leia mais

Destaque dos Impostos na Nota Saiba como se adequar

Destaque dos Impostos na Nota Saiba como se adequar Destaque dos Impostos na Nota Saiba como se adequar O SEBRAE e o que ele pode fazer pelo seu negócio Consultorias SEBRAE Mais Programas setoriais Palestras Trilha de aprendizagem empresarial EAD Na Medida

Leia mais

I quando o prestador de serviços estabelecido no Município do Rio de Janeiro executar serviço;

I quando o prestador de serviços estabelecido no Município do Rio de Janeiro executar serviço; DECRETO N.º 32.250 DE 11 DE MAIO DE 2010. [Publicado no D.O. Rio de 12.05.2010.] [Alterado pelo Decreto nº 32.549, de 20.07.2010, publicado no D.O. Rio de 21.07.2010.] [Alterado pelo Decreto nº 32.601,

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI. Dulcineia L. D. Santos

Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI. Dulcineia L. D. Santos Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI Dulcineia L. D. Santos Sistema Público de Escrituração Digital SPED Decreto n. 6.022, de 22/01/2007. Objetivos do SPED: unificar as atividades de recepção, validação,

Leia mais

http://www.itcnet.com.br/materias/printable.php

http://www.itcnet.com.br/materias/printable.php Página 1 de 5 17 de Maio, 2011 Impresso por ANDERSON JACKSON TOASSI ECF/TEF - Obrigatoriedade do Uso em Santa Catarina Matéria elaborada com base na Legislação vigente em: 12.05.2011. SUMÁRIO: 1 - INTRODUÇÃO

Leia mais

CAPÍTULO I DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA

CAPÍTULO I DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA LEI Nº 2.182, DE 24 DE MAIO DE 2011. Institui a Nota Fiscal Eletrônica de Serviços no Município de Louveira, define forma, prazo e declarações de recolhimento do ISSQN pelo Sistema Eletrônico e dá outras

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MATEUS ESTADO DO ESPÍRITO SANTO GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MATEUS ESTADO DO ESPÍRITO SANTO GABINETE DO PREFEITO 1 LEI Nº. 949/2010 INSTITUI A NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS E DISPÕE SOBRE A DECLARAÇÃO MENSAL DO IMPOSTO SOBRE A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE QUALQUER NATUREZA - ISSQN. O Prefeito Municipal de São Mateus,

Leia mais

Preenchimento da NFC-e. Orientações para o contribuinte do Estado do Rio de Janeiro

Preenchimento da NFC-e. Orientações para o contribuinte do Estado do Rio de Janeiro Orientações para o contribuinte do Estado do Rio de Janeiro Atualizado em 19 de agosto de 2015 2 Contribuinte, Este manual tem como objetivo ajudá-lo no preenchimento da NFC-e (Nota Fiscal de Consumidor

Leia mais

LIVRO REGISTRO DE ENTRADAS - Regras para Escrituração dos Modelos 1 e 1-A

LIVRO REGISTRO DE ENTRADAS - Regras para Escrituração dos Modelos 1 e 1-A LIVRO - Regras para Escrituração dos Modelos 1 e 1-A Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 19.09.2013. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - LIVRO, MODELO 1 OU 1-A 2.1 - Documentos Fiscais Registrados

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL PARECER NORMATIVO Nº 001/2011/GAB/CRE PUBLICADO NO DOE Nº 1687, DE 03.03.11. OBRIGATORIEDADE DO USO DE NOTA FISCAL ELETRONICA NF-e VENDAS PARA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA -INTERPRETAÇÃO. A Coordenadora-Geral

Leia mais

LEI MUNICIPAL N 4.884 de 13 de dezembro de 2013

LEI MUNICIPAL N 4.884 de 13 de dezembro de 2013 LEI MUNICIPAL N 4.884 de 13 de dezembro de 2013 Institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica NFS-e no Município de Três Passos. JOSÉ CARLOS ANZILIERO AMARAL, Prefeito em exercício de Três Passos, Estado

Leia mais

OBRIGAÇÕES ESTADUAIS RIO DE JANEIRO MAIO/2008

OBRIGAÇÕES ESTADUAIS RIO DE JANEIRO MAIO/2008 OBRIGAÇÕES ESTADUAIS RIO DE JANEIRO MAIO/2008 8 9 ICMS/CONTRIBUINTES DE GRANDE PORTE Recolhimento do imposto devido pelos contribuintes relacionados no Decreto 31.23/2002, relativamente ao mês de abril/2008.

Leia mais

Simples Nacional - Obrigações fiscais acessórias - Roteiro de Procedimentos

Simples Nacional - Obrigações fiscais acessórias - Roteiro de Procedimentos Simples Nacional - Obrigações fiscais acessórias - Roteiro de Procedimentos O Simples Nacional prevê, além da unificação de procedimentos em relação à apuração e recolhimento de impostos e contribuições,

Leia mais

ECF /CF-e SAT Alterações para 2014. Elisangela Marques Perez

ECF /CF-e SAT Alterações para 2014. Elisangela Marques Perez ECF /CF-e SAT Alterações para 2014 Elisangela Marques Perez PALESTRANTE ELISANGELA MARQUES PEREZ Contadora e consultora tributária, com mais de 14 anos de experiência na área fiscal, especializada em tributos

Leia mais

Governo do Estado do Pará Secretaria de Estado da Fazenda

Governo do Estado do Pará Secretaria de Estado da Fazenda Manual do Usuário Sistema Notapará Programa Nota Fiscal Cidadã Objetivo: Estabelecer orientações aos usuários do sistema Notapará, tais como: usabilidade, funcionalidade e navegabilidade. Manual do Usuário

Leia mais

Referência: Decreto Estadual-RJ nº 44.785/14 - ICMS - NFC-e - Emissão, autorização, contingência e outros Alterações.

Referência: Decreto Estadual-RJ nº 44.785/14 - ICMS - NFC-e - Emissão, autorização, contingência e outros Alterações. Rio de Janeiro, 13 de maio de 2014. Of. Circ. Nº 137/14 Referência: Decreto Estadual-RJ nº 44.785/14 - ICMS - NFC-e - Emissão, autorização, contingência e outros Alterações. Senhor Presidente, Fazendo

Leia mais

INFRAÇÕES E PENALIDADES - Aspectos Relacionados ao ICMS/SC. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 16.08.2012.

INFRAÇÕES E PENALIDADES - Aspectos Relacionados ao ICMS/SC. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 16.08.2012. INFRAÇÕES E PENALIDADES - Aspectos Relacionados ao ICMS/SC Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 16.08.2012. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - INFRAÇÃO 3 - FRAUDE 4 - DOCUMENTO INIDÔNEO 5 - INFRAÇÕES

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional 09/01/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Transferência de Crédito do ICMS pelos Optantes do... 4 3.2 Do Ressarcimento

Leia mais

DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE

DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE 1 SIMPLES NITERÓI. Lei nº 2115 de 22 de dezembro 2003. A Câmara Municipal de Niterói decreta e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei: TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Fica instituído, na forma

Leia mais

DECRETO Nº 659 DE 26 DE MAIO DE 2014. O PREFEITO MUNICIPAL DE TUPANDI, no uso de suas atribuições legais, D E C R E T A

DECRETO Nº 659 DE 26 DE MAIO DE 2014. O PREFEITO MUNICIPAL DE TUPANDI, no uso de suas atribuições legais, D E C R E T A DECRETO Nº 659 DE 26 DE MAIO DE 2014. REGULAMENTA A LEI MUNICIPAL N.º 1.209, DE 02 DE MAIO DE 2014, QUE INSTITUI A NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS, A DECLARAÇÃO ELETRÔNICA DE SERVIÇOS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DE ALAGOAS. NFC-e Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica. Perguntas e Respostas

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DE ALAGOAS. NFC-e Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica. Perguntas e Respostas GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DE ALAGOAS NFC-e Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica Perguntas e Respostas I) INFORMAÇÕES INICIAIS 1. O que é a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica

Leia mais

DECRETO N.º 3.937, DE 27 DE MARÇO DE 2012.* (JOM DE 30/03 E 04/04/2012)

DECRETO N.º 3.937, DE 27 DE MARÇO DE 2012.* (JOM DE 30/03 E 04/04/2012) DECRETO N.º 3.937, DE 27 DE MARÇO DE 2012.* (JOM DE 30/03 E 04/04/2012) Institui a Nota Fiscal Eletrônica de Serviços, NFS e e o Recibo Provisório de Serviço RPS e dá outras providências. A PREFEITA MUNICIPAL

Leia mais

DECRETO Nº 4.252 DE 13 DE MARÇO DE 2014

DECRETO Nº 4.252 DE 13 DE MARÇO DE 2014 DECRETO Nº 4.252 DE 13 DE MARÇO DE 2014 (Dispõe sobre a instituição e obrigatoriedade da nota fiscal eletrônica de serviços, da declaração eletrônica de prestadores e tomadores de serviços, com pertinência

Leia mais

O QUE VOCÊ PRECISA SABER NA EMISSÃO DA PRIMEIRA. NOTA FISCAL ELETRÔNICA NF-e UTILIZANDO O SISTEMA GRATUÍTO DA SEFAZ-SP

O QUE VOCÊ PRECISA SABER NA EMISSÃO DA PRIMEIRA. NOTA FISCAL ELETRÔNICA NF-e UTILIZANDO O SISTEMA GRATUÍTO DA SEFAZ-SP O QUE VOCÊ PRECISA SABER NA EMISSÃO DA PRIMEIRA NOTA FISCAL ELETRÔNICA NF-e UTILIZANDO O SISTEMA GRATUÍTO DA SEFAZ-SP 1. Certificado Digital - Antes de mais nada você precisa possuir um certificado digital

Leia mais

http://www.itcnet.com.br/materias/printable.php

http://www.itcnet.com.br/materias/printable.php Página 1 de 7 20 de Dezembro, 2010 Impresso por ANDERSON JACKSON TOASSI EQUIPAMENTOS DE CONTROLE FISCAL - Obrigatoriedade do Uso e Concessão de Benefício do Crédito Presumido de ICMS para sua Aquisição

Leia mais

Introdução. Benefícios para todos

Introdução. Benefícios para todos Introdução Esta cartilha tem a finalidade de guiar as empresas na implantação da Nota Fiscal Eletrônica e demonstrar as facilidades e vantagens do sistema para o contribuinte e para a sociedade A Nota

Leia mais

DECRETO Nº 057, de16 denovembro de 2011.

DECRETO Nº 057, de16 denovembro de 2011. DECRETO Nº 057, de16 denovembro de 2011. Regulamenta a Lei Municipal nº 1.874, de 11 de novembro de 2011, que instituiu a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) O Prefeito do Município de Campina Verde,

Leia mais

TRANSPORTE DE CARGAS AÉREO - Tratamento Tributário relacionado ao ICMS/SC

TRANSPORTE DE CARGAS AÉREO - Tratamento Tributário relacionado ao ICMS/SC TRANSPORTE DE CARGAS AÉREO - Tratamento Tributário relacionado ao ICMS/SC Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 04.11.2011. SUMÁRIO: 1 - INTRODUÇÃO 2 - ALÍQUOTAS DO ICMS 2.1 - Operações

Leia mais

NORMA DE EXECUÇÃO Nº 03, DE 21 DE JUNHO DE 2011

NORMA DE EXECUÇÃO Nº 03, DE 21 DE JUNHO DE 2011 NORMA DE EXECUÇÃO Nº 03, DE 21 DE JUNHO DE 2011 * Publicada no DOE em 28/06/2011 Estabelece procedimentos a serem observados pelos agentes fiscais para fins de lançamento do crédito tributário relativo

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 PERGUNTAS E RESPOSTAS Este documento é de caráter meramente

Leia mais

DO REPES. Dos Benefícios do REPES

DO REPES. Dos Benefícios do REPES DECRETO Nº 5.712, DE 2 DE MARÇO DE 2006 Regulamenta o Regime Especial de Tributação para a Plataforma de Exportação de Serviços de Tecnologia da Informação - REPES, instituído pelos arts. 1º a 11 da Lei

Leia mais

Legislação Tributária Estadual do Estado de São Paulo DOCUMENTOS FISCAIS

Legislação Tributária Estadual do Estado de São Paulo DOCUMENTOS FISCAIS 1 DOCUMENTOS FISCAIS I - MODELOS (art. 124) 1. Nota Fiscal, modelo 1 ou 1-A; 2. Nota Fiscal de Venda a Consumidor, modelo 2; 3. Cupom Fiscal emitido por Equipamento Emissor de Cupom Fiscal - ECF; 4. Nota

Leia mais

Operação Concorrência Leal

Operação Concorrência Leal 1 O que é? Operação Concorrência Leal O GESSIMPLES efetuou o cruzamento de informações da DASN de 2010 e 2011 com outras informações dos 130 mil contribuintes optantes pelo Simples Nacional no Estado,

Leia mais

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins 29/05/2012 1 O Sped fiscal e Pis/Confins é uma arquivo gerado através do sistema da SD Informática, onde este arquivo contem todos os dados de entrada e saída

Leia mais

67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal?

67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal? OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS 67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal? Nas operações de vendas a contribuinte, a Nota Fiscal, modelos 1 e 1-A ou a Nota Fiscal

Leia mais

DEVOLUÇÃO OU TROCA DE MERCADORIA VENDIDA PELO ECF CUPOM FISCAL PROCEDIMENTOS E RECOMENDAÇÕES

DEVOLUÇÃO OU TROCA DE MERCADORIA VENDIDA PELO ECF CUPOM FISCAL PROCEDIMENTOS E RECOMENDAÇÕES DEVOLUÇÃO OU TROCA DE MERCADORIA VENDIDA PELO ECF CUPOM FISCAL PROCEDIMENTOS E RECOMENDAÇÕES Tratando-se de devolução ou troca de mercadorias, além de observar as demais disposições constantes no artigo

Leia mais

INFORMÁTICA PRODUTOS E PROGRAMAS. (atualizado até 28.04.2015)

INFORMÁTICA PRODUTOS E PROGRAMAS. (atualizado até 28.04.2015) (atualizado até 28.04.2015) ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 1. PROGRAMA DE COMPUTADOR ( SOFTWARE ) NÃO PERSONALIZADO... 4 1.1. SAÍDA INTERNA... 4 1.1.1. Isenção... 4 1.1.2. Crédito Presumido... 4 1.2. SAÍDA INTERESTADUAL...

Leia mais

COMISSÃO MISTA PARA DISCUSSÃO DA LEGISLAÇÃO DA MICRO EMPRESA E EMPRESA DE PEQUUENO PORTE

COMISSÃO MISTA PARA DISCUSSÃO DA LEGISLAÇÃO DA MICRO EMPRESA E EMPRESA DE PEQUUENO PORTE PROPOSTAS PARA TRATAMENTO TRIBUTÁRIO DA MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE EM MATO GROSSO Comissão criada pela Portaria nº 030/SUGP/SEFAZ de 04/05/04 LEGENDA ATENDIDO PTA RP 2004 1. MINUTA DE LEI

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Devolução de Mercadoria/Saída acobertada por Cupom Fiscal São Paulo

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Devolução de Mercadoria/Saída acobertada por Cupom Fiscal São Paulo São Paulo 09/02/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 4. Resposta Consulta Tributária da Secretaria de Estado da Fazenda

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.293, de 21 de setembro de 2012

Instrução Normativa RFB nº 1.293, de 21 de setembro de 2012 Instrução Normativa RFB nº 1.293, de 21 de setembro de 2012 DOU de 24.9.2012 Dispõe sobre o despacho aduaneiro de bens procedentes do exterior destinados à utilização na Copa das Confederações Fifa 2013

Leia mais

Legislação Tributária Estadual do Estado de São Paulo LIVROS FISCAIS

Legislação Tributária Estadual do Estado de São Paulo LIVROS FISCAIS 1 LIVROS FISCAIS I - MODELOS (art. 213) 1. Registro de Entradas, modelo 1; 2. Registro de Entradas, modelo 1-A; 3. Registro de Saídas, modelo 2; 4. Registro de Saídas, modelo 2-A; 5. Registro de Controle

Leia mais

DECRETO Nº 46.233, DE 29 DE AGOSTO DE 2005

DECRETO Nº 46.233, DE 29 DE AGOSTO DE 2005 DECRETO Nº 46.233, DE 29 DE AGOSTO DE 2005 Regulamenta a emissão de cupom fiscal pelos contribuintes do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISS. JOSÉ SERRA, Prefeito do Município de São Paulo,

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Cortesia: FARO CONTÁBIL (www.farocontabil.com.br) Matéria publicada originalmente no Diário do Comércio Data: 01/08/2006 01 - CONCEITOS? 1.01.

Leia mais

AJUSTE SINIEF 07/05 A J U S T E

AJUSTE SINIEF 07/05 A J U S T E AJUSTE SINIEF 07/05 Publicado no DOU de 05.10.05. Republicado no DOU de 07.12.05. Alterado pelos Ajustes 11/05, 02/06, 04/06. Ato Cotepe 72/05 dispõe sobre as especificações técnicas da NF-e e do DANFE.

Leia mais

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Conheça as condições para recolhimento do Simples Nacional em valores fixos mensais Visando retirar da informalidade os trabalhadores autônomos caracterizados como pequenos

Leia mais

ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL

ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. Em que se constitui o ICMS ANTECIPADO ESPECIAL? R= Em valor correspondente à diferença entre a alíquota interna e a

Leia mais