Determinação de raízes de polinômios: Método de Briot-Ruffini-Horner

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Determinação de raízes de polinômios: Método de Briot-Ruffini-Horner"

Transcrição

1 Determinação de raízes de polinômios: Método de Briot-Ruffini-Horner Marina Andretta/Franklina Toledo ICMC-USP 29 de outubro de 2012 Baseado no livro Cálculo Numérico, de Neide B. Franco Marina Andretta/Franklina Toledo (ICMC-USP) sme Cálculo Numérico I 29 de outubro de / 17

2 Cálculo do valor de um polinômio Em qualquer método iterativo para determinar raízes de um polinômio, é necessário calcular o valor do polinômio P em um dado ponto x e, possivelmente, de suas derivadas. Por isso, é necessário que este cálculo seja feito da maneira mais precisa e computacionalmente econômica possível. Marina Andretta/Franklina Toledo (ICMC-USP) sme Cálculo Numérico I 29 de outubro de / 17

3 Cálculo do valor de um polinômio Para medir a eficiência de algoritmos para calcular o valor de um polinômio, denotaremos por µ o tempo computacional de se calcular uma multiplicação e por α o tempo computacional de se calcular uma adição. Se P(x) é calculado da maneira tradicional, usando a fórmula P(x) = a n x n + a n 1 x n a 2 x 2 + a 1 x + a 0, devemos calcular as potências de x, fazendo x k = x(x k 1 ). O tempo computacional gasto com estas operações é (n 1)µ. Marina Andretta/Franklina Toledo (ICMC-USP) sme Cálculo Numérico I 29 de outubro de / 17

4 Cálculo do valor de um polinômio O cálculo dos termos da forma a k x k requerem nµ. A soma dos termos requerem nα. Ou seja, o tempo computacional total gasto para calcular P(x) é (2n 1)µ + nα. Além disso, se for necessário calcular P (x), será necessária, aproximadamente, a mesma quantidade de tempo computacional. Marina Andretta/Franklina Toledo (ICMC-USP) sme Cálculo Numérico I 29 de outubro de / 17

5 O Método de Briot-Ruffini-Horner consiste em calcular o valor de P(x) e P (x) (e, possivelmente, derivadas de ordens superiores) usando a seguinte representação de P(x): P(x) = a n x n + a n 1 x n a 2 x 2 + a 1 x + a 0 = (((...(a n x + a n 1 )x +...)x + a 2 )x + a 1 )x + a 0. Note que, usando esta maneira alternativa de descrever P(x), o tempo computacional necessário para o cálculo de P(x) (e P (x)) é, apenas, nµ + nα. Marina Andretta/Franklina Toledo (ICMC-USP) sme Cálculo Numérico I 29 de outubro de / 17

6 Uma forma de descrever esta maneira de calcular o valor de P(x) é, dados os coeficientes a n, a n 1,..., a 2, a 1, a 0, calcular b n, b n 1,..., b 2, b 1, b 0 da seguinte forma: b n = a n, para k = 1, 2,..., n. b n k = xb n k+1 + a n k, Desta forma, para um dado x, P(x) = b 0. Ou seja, se x é uma raiz de P, temos que b 0 = P( x) = 0. Marina Andretta/Franklina Toledo (ICMC-USP) sme Cálculo Numérico I 29 de outubro de / 17

7 Para calcular a derivada de P(x), podemos aplicar o mesmo procedimento, usando os valores b k no lugar de a k. Neste caso, temos c n = b n, para k = 1, 2,..., n 1. c n k = xc n k+1 + b n k, Marina Andretta/Franklina Toledo (ICMC-USP) sme Cálculo Numérico I 29 de outubro de / 17

8 Note que, b n = (a n ) = 0, para k = 1, 2,..., n. b n k = (xb n k+1 + a n k ) = xb n k+1 + b n k+1, Marina Andretta/Franklina Toledo (ICMC-USP) sme Cálculo Numérico I 29 de outubro de / 17

9 Além disso, b n 1 = xb n + b n = b n = c n, e assim por diante. b n 2 = xb n 1 + b n 1 = xc n + b n 1 = c n 1, Ou seja, c k = b k 1. Portanto, P (x) = (b 0 ) = c 1. Marina Andretta/Franklina Toledo (ICMC-USP) sme Cálculo Numérico I 29 de outubro de / 17

10 Dado um polinômio P(x) = a n x n + a n 1 x n a 2 x 2 + a 1 x + a 0, para calcular P(z), fazemos: a n a n 1 a n 2... a 2 a 1 a z zb n zb n 1... zb 3 zb 2 zb 1 b n b n 1 b n 2... b 2 b 1 b z zc n zc n 1... zc 3 zc 2 c n c n 1 c n 2... c 2 c 1 Ao final da construção desta tabela, temos P(z) = b 0 e P (z) = c 1. Marina Andretta/Franklina Toledo (ICMC-USP) sme Cálculo Numérico I 29 de outubro de / 17

11 Quando calculamos apenas o valor de P(z) usando o esquema anterior, temos o Método de Briot-Ruffini. O Método de Briot-Ruffini-Horner fornece os valores de P (z) 1!, P (z) 2!, P (z) 3! e assim por diante. Se quisermos aplicar o Método de Newton para encontrar uma raiz de um polinômio P, podemos usar o Método de Briot-Ruffini-Horner para calcular P(x k ) e P (x k ) de maneira eficiente. Desta forma, a iteração que tem a forma x k+1 = x k P(x k) P (x k ), pode ser escrita como x k+1 = x k b 0(x k ) c 1 (x k ). Marina Andretta/Franklina Toledo (ICMC-USP) sme Cálculo Numérico I 29 de outubro de / 17

12 Se z for uma raiz de um polinômio P, os coeficientes b n, b n 1,..., b 1, b 0 obtidos pelo Método de Briot-Ruffini-Horner são tais que Q(x) = b n x n 1 + b n 1 x n b 3 x 2 + b 2 x + b 1 = P(x) x z. Para verificar esta expressão, note que (b n x n 1 + b n 1 x n b 3 x 2 + b 2 x + b 1 )(x z) = b n x n + (b n 1 zb n )x n (b 2 zb 3 )x 2 + (b 1 zb 2 )x + (b 0 zb 1 ) = a n x n + a n 1 x n a 2 x 2 + a 1 x + a 0 = P(x). Marina Andretta/Franklina Toledo (ICMC-USP) sme Cálculo Numérico I 29 de outubro de / 17

13 Portanto, qualquer raiz de Q é também raiz de P. Ou seja, ao utilizar um método para encontrar uma raiz z de P, podemos construir o polinômio Q, de grau n 1, e aplicar o mesmo método para encontrar uma raiz de Q. Seguindo este procedimento, podemos encontrar todas as raízes de P. Marina Andretta/Franklina Toledo (ICMC-USP) sme Cálculo Numérico I 29 de outubro de / 17

14 Exemplo Considere o polinômio P(x) = x 3 + 2x x 1.7. Vamos utilizar o Método de Newton, com precisão 10 2 e ponto inicial x 0 = 0.9, para encontrar uma raiz de P. Usaremos o Método de Briot-Ruffini-Horner para calcular os valores de P(x k ) e P (x k ). Marina Andretta/Franklina Toledo (ICMC-USP) sme Cálculo Numérico I 29 de outubro de / 17

15 Exemplo O ponto x 1 é dado por O erro obtido é x 1 = x 0 b 0(x 0 ) c 1 (x 0 ) x 1 x 0 x > = = Marina Andretta/Franklina Toledo (ICMC-USP) sme Cálculo Numérico I 29 de outubro de / 17

16 Exemplo O ponto x 1 é dado por O erro obtido é x 2 = x 1 b 0(x 1 ) c 1 (x 1 ) x 2 x 1 x < = = Marina Andretta/Franklina Toledo (ICMC-USP) sme Cálculo Numérico I 29 de outubro de / 17

17 Exemplo Como a precisão pedida foi atingida, nossa raiz aproximada de P é Podemos construir o polinômio Q tal que Q(x) = (x 0.922)P(x) (lembrando que esta raiz é aproximada). Para isso, usamos o Método de Briot-Ruffini mais uma vez: Assim, Q(x) = x x Note que podemos obter as duas raízes restantes de P resolvendo a equação de segundo grau Q(x) = 0. Marina Andretta/Franklina Toledo (ICMC-USP) sme Cálculo Numérico I 29 de outubro de / 17

Cálculo Numérico / Métodos Numéricos. Solução de equações polinomiais Briot-Ruffini-Horner

Cálculo Numérico / Métodos Numéricos. Solução de equações polinomiais Briot-Ruffini-Horner Cálculo Numérico / Métodos Numéricos Solução de equações polinomiais Briot-Ruffini-Horner Equações Polinomiais p = x + + a ( x) ao + a1 n x n Com a i R, i = 0,1,, n e a n 0 para garantir que o polinômio

Leia mais

Métodos de Runge-Kutta

Métodos de Runge-Kutta Solução numérica de Equações Diferenciais Ordinárias: Métodos de Runge-Kutta Marina Andretta/Franklina Toledo ICMC-USP 31 de outubro de 2013 Baseado nos livros: Análise Numérica, de R. L. Burden e J. D.

Leia mais

Resolução de sistemas de equações lineares: Método dos Gradientes Conjugados

Resolução de sistemas de equações lineares: Método dos Gradientes Conjugados Resolução de sistemas de equações lineares: Método dos Gradientes Conjugados Marina Andretta/Franklina Toledo ICMC-USP 24 de março de 2015 Baseado no livro Cálculo Numérico, de Neide B. Franco Marina Andretta/Franklina

Leia mais

Resolução de sistemas de equações não-lineares: Método de Newton

Resolução de sistemas de equações não-lineares: Método de Newton Resolução de sistemas de equações não-lineares: Método de Newton Marina Andretta/Franklina Toledo ICMC-USP 24 de setembro de 202 Baseado no livro Análise Numérica, de R. L. Burden e J. D. Faires. Marina

Leia mais

Método de Newton para polinômios

Método de Newton para polinômios Método de Newton para polinômios Alan Costa de Souza 26 de Agosto de 2017 Alan Costa de Souza Método de Newton para polinômios 26 de Agosto de 2017 1 / 31 Seja f(x) uma função polinomial de grau n. A princípio.

Leia mais

Resolução de sistemas de equações não-lineares: Método Iterativo Linear

Resolução de sistemas de equações não-lineares: Método Iterativo Linear Resolução de sistemas de equações não-lineares: Método Iterativo Linear Marina Andretta/Franklina Toledo ICMC-USP 27 de março de 2015 Baseado no livro Análise Numérica, de R. L. Burden e J. D. Faires.

Leia mais

Interpolação polinomial: Diferenças divididas de Newton

Interpolação polinomial: Diferenças divididas de Newton Interpolação polinomial: Diferenças divididas de Newton Marina Andretta ICMC-USP 16 de maio de 2012 Baseado no livro Análise Numérica, de R. L. Burden e J. D. Faires. Marina Andretta (ICMC-USP) sme0500

Leia mais

3. Equações Algébricas

3. Equações Algébricas 3. Equações Algébricas 3.1 Introdução Em muitos problemas de Ciência e Engenharia há necessidade de se determinar um número ξ para o qual um número ξ para o qual uma função f(x) seja zero, ou seja, f(ξ)

Leia mais

Resolução de sistemas de equações lineares: Fatorações de matrizes

Resolução de sistemas de equações lineares: Fatorações de matrizes Resolução de sistemas de equações lineares: Fatorações de matrizes Marina Andretta/Franklina Toledo ICMC-USP 5 de fevereiro de 2014 Baseado no livro Análise Numérica, de R. L. Burden e J. D. Faires. Marina

Leia mais

Zeros de Polinômios. 1 Resultados Básicos. Iguer Luis Domini dos Santos 1, Geraldo Nunes Silva 2

Zeros de Polinômios. 1 Resultados Básicos. Iguer Luis Domini dos Santos 1, Geraldo Nunes Silva 2 Zeros de Polinômios Iguer Luis Domini dos Santos, Geraldo Nunes Silva 2 DCCE/IBILCE/UNESP, São José do Rio Preto, SP, Brazil, iguerluis@hotmail.com 2 DCCE/IBILCE/UNESP, São José do Rio Preto, SP,Brazil,

Leia mais

Resolução de sistemas de equações lineares: Método do Gradiente

Resolução de sistemas de equações lineares: Método do Gradiente Resolução de sistemas de equações lineares: Método do Gradiente Marina Andretta ICMC-USP 24 de março de 2015 Marina Andretta (ICMC-USP) sme0301 - Métodos Numéricos para Engenharia I 24 de março de 2015

Leia mais

EQUAÇÕES ALGÉBRICAS E TRANSCENDENTES ALVARO A. F. SOUZA

EQUAÇÕES ALGÉBRICAS E TRANSCENDENTES ALVARO A. F. SOUZA EQUAÇÕES ALGÉBRICAS E TRANSCENDENTES ALVARO A. F. SOUZA RAIZES Necessidade de determinar um número E tal que f( )=0 Equações Algébricas de 1º,2º,algumas de 3º,4º graus e algumas transcendentes podem ter

Leia mais

Interpolação polinomial: Polinômio de Lagrange

Interpolação polinomial: Polinômio de Lagrange Interpolação polinomial: Polinômio de Lagrange Marina Andretta ICMC-USP 09 de maio de 2012 Baseado no livro Análise Numérica, de R. L. Burden e J. D. Faires. Marina Andretta (ICMC-USP) sme0500 - cálculo

Leia mais

Resolução de problemas com apenas restrições lineares de igualdade

Resolução de problemas com apenas restrições lineares de igualdade Resolução de problemas com apenas restrições lineares de igualdade Marina Andretta ICMC-USP 14 de outubro de 2014 Marina Andretta (ICMC-USP) sme0212 - Otimização não-linear 14 de outubro de 2014 1 / 22

Leia mais

Resolução de sistemas de equações lineares: Fatorações de matrizes

Resolução de sistemas de equações lineares: Fatorações de matrizes Resolução de sistemas de equações lineares: Fatorações de matrizes Marina Andretta/Franklina Toledo ICMC-USP 27 de agosto de 2012 Baseado no livro Análise Numérica, de R. L. Burden e J. D. Faires. Marina

Leia mais

Equações Não Lineares. 35T12 Sala 3G4 Bruno Motta de Carvalho DIMAp Sala 15 Ramal 227

Equações Não Lineares. 35T12 Sala 3G4 Bruno Motta de Carvalho DIMAp Sala 15 Ramal 227 Equações Não Lineares 35T12 Sala 3G4 Bruno Motta de Carvalho DIMAp Sala 15 Ramal 227 Introdução Um tipo de problema bastante comum é o de achar raízes de equações da forma f() = 0, onde f() pode ser um

Leia mais

Resolução de sistemas de equações lineares: Fatorações de matrizes

Resolução de sistemas de equações lineares: Fatorações de matrizes Resolução de sistemas de equações lineares: Fatorações de matrizes Marina Andretta/Franklina Toledo ICMC-USP 27 de fevereiro de 2015 Baseado no livro Análise Numérica, de R. L. Burden e J. D. Faires. Marina

Leia mais

SME Cálculo Numérico. Lista de Exercícios: Gabarito

SME Cálculo Numérico. Lista de Exercícios: Gabarito Exercícios de prova SME0300 - Cálculo Numérico Segundo semestre de 2012 Lista de Exercícios: Gabarito 1. Dentre os métodos que você estudou no curso para resolver sistemas lineares, qual é o mais adequado

Leia mais

Definição: Uma função de uma variável x é uma função polinomial complexa se pudermos escrevê-la na forma n

Definição: Uma função de uma variável x é uma função polinomial complexa se pudermos escrevê-la na forma n POLINÔMIO I 1. DEFINIÇÃO Polinômios de uma variável são expressões que podem ser escritas como soma finita de monômios do tipo : a t k k onde k, a podem ser números reais ou números complexos. Exemplos:

Leia mais

Função polinomial. Pré-Cálculo. Função polinomial. Função polinomial: exemplos. Humberto José Bortolossi. Parte 6. Definição

Função polinomial. Pré-Cálculo. Função polinomial. Função polinomial: exemplos. Humberto José Bortolossi. Parte 6. Definição Pré-Cálculo Humberto José Bortolossi Departamento de Matemática Aplicada Universidade Federal Fluminense Função polinomial Parte 6 Parte 6 Pré-Cálculo 1 Parte 6 Pré-Cálculo 2 Função polinomial Função polinomial:

Leia mais

Cálculo Numérico A - 2 semestre de 2006 Prof. Leonardo F. Guidi. 2 a Lista de Exercícios - Gabarito. 1) Seja a equação não linear x e x = 0.

Cálculo Numérico A - 2 semestre de 2006 Prof. Leonardo F. Guidi. 2 a Lista de Exercícios - Gabarito. 1) Seja a equação não linear x e x = 0. Cálculo Numérico A - 2 semestre de 2006 Prof. Leonardo F. Guidi 2 a Lista de Exercícios - Gabarito 1) Seja a equação não linear x e x = 0. A solução é dada em termos da função W de Lambert, x = W 1) 0,

Leia mais

Equação algébrica Equação polinomial ou algébrica é toda equação na forma anxn + an 1 xn 1 + an 2 xn a 2 x 2 + a 1 x + a 0, sendo x

Equação algébrica Equação polinomial ou algébrica é toda equação na forma anxn + an 1 xn 1 + an 2 xn a 2 x 2 + a 1 x + a 0, sendo x EQUAÇÃO POLINOMIAL Equação algébrica Equação polinomial ou algébrica é toda equação na forma a n x n + a n 1 x n 1 + a n 2 x n 2 +... + a 2 x 2 + a 1 x + a 0, sendo x C a incógnita e a n, a n 1,..., a

Leia mais

Matemática E Extensivo V. 6

Matemática E Extensivo V. 6 Etensivo V. 6 Eercícios ) a) P() é sempre igual à soma dos coeficientes de P(). b) P() é sempre igual ao termo independente de P(). c) P() é a raiz de P(), pois P() =. a) P() = ³ + 7. ² 7. P() = + 7 7

Leia mais

Encontre um valor aproximado para 3 25 com precisão de 10 5 utilizando o método da bissecção.

Encontre um valor aproximado para 3 25 com precisão de 10 5 utilizando o método da bissecção. 1 a) Mostre que f (x) = x cos x possui uma raiz no intervalo [0, 1]. b) Prove que essa raiz é única. c) Sem executar o método, preveja o número de iterações que o algoritmo da bissecção utilizaria para

Leia mais

Erivaldo. Polinômios

Erivaldo. Polinômios Erivaldo Polinômios Polinômio ou Função Polinomial Definição: P(x) = a o + a 1.x + a 2.x 2 + a 3.x 3 +... + a n.x n a o, a 1, a 2, a 3,..., a n : Números complexos Exemplos: 1) f(x) = x 2 + 3x 7 2) P(x)

Leia mais

POLINÔMIOS 1. INTRODUÇÃO Uma função é dita polinomial quando ela é expressa da seguinte forma:

POLINÔMIOS 1. INTRODUÇÃO Uma função é dita polinomial quando ela é expressa da seguinte forma: POLINÔMIOS 1. INTRODUÇÃO Uma função é dita polinomial quando ela é expressa da seguinte forma: n P(x) a a x a x... a x, onde 0 1 n Atenção! o P(0) a 0 o P(1) a a a... a 0 1 n a 0,a 1,a,...,a n :coeficientes

Leia mais

1 INTRODUÇÃO 3 PRODUTO 2 SOMA 4 DIVISÃO. 2.1 Diferença de polinômios. 4.1 Divisão Euclidiana. Matemática Polinômios

1 INTRODUÇÃO 3 PRODUTO 2 SOMA 4 DIVISÃO. 2.1 Diferença de polinômios. 4.1 Divisão Euclidiana. Matemática Polinômios Matemática Polinômios CAPÍTULO 02 OPERAÇÕES COM POLINÔMIOS 1 INTRODUÇÃO Como com qualquer outra função, podemos fazer operações de adição, subtração, multiplicação e divisão com polinômios. A soma e a

Leia mais

Matemática 1 INTRODUÇÃO 1 TEOREMA DAS RAÍZES COMPLEXAS 3 TEOREMA DAS RAÍZES RACIONAIS 2 TEOREMA DAS RAÍZES IRRACIONAIS. Exercício Resolvido 2

Matemática 1 INTRODUÇÃO 1 TEOREMA DAS RAÍZES COMPLEXAS 3 TEOREMA DAS RAÍZES RACIONAIS 2 TEOREMA DAS RAÍZES IRRACIONAIS. Exercício Resolvido 2 Matemática Frente II CAPÍTULO 22 EQUAÇÕES POLINOMIAIS 1 INTRODUÇÃO Nos capítulos anteriores, durante o estudo de polinômios, já estudamos alguns teoremas que nos ajudam a encontrar as raízes de polinômios.

Leia mais

3.6 Erro de truncamento da interp. polinomial.

3.6 Erro de truncamento da interp. polinomial. 3 Interpolação 31 Polinômios interpoladores 32 Polinômios de Lagrange 33 Polinômios de Newton 34 Polinômios de Gregory-Newton 35 Escolha dos pontos para interpolação 36 Erro de truncamento da interp polinomial

Leia mais

POLINÔMIOS. Nível Básico

POLINÔMIOS. Nível Básico POLINÔMIOS Nível Básico. (Eear 07) Considere P(x) x bx cx, tal que P() e P() 6. Assim, os valores de b e c são, respectivamente, a) e b) e c) e d) e. (Epcar (Afa) 05) Considere o polinômio a) x 0 não é

Leia mais

Matemática. Questão 1. 3 a série do Ensino Médio Turma. 2 o Bimestre de 2016 Data / / Escola. Aluno RESOLUÇÃO: AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM PROCESSO

Matemática. Questão 1. 3 a série do Ensino Médio Turma. 2 o Bimestre de 2016 Data / / Escola. Aluno RESOLUÇÃO: AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM PROCESSO EM AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM PROCESSO Matemática 3 a série do Ensino Médio Turma GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 2 o Bimestre de 2016 Data / / Escola Aluno Questão 1 Dada a equação

Leia mais

3 + =. resp: A=5/4 e B=11/4

3 + =. resp: A=5/4 e B=11/4 ESCOLA DE APLICAÇÃO DR. ALFREDO JOSÉ BALBI-UNITAU EXERCÍCIOS PARA ESTUDO DO EXAME FINAL - 3º ENSINO MÉDIO - PROF. CARLINHOS BONS ESTUDOS! ASSUNTO : POLINÔMIOS 1) Identifique as expressões abaixo que são

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO-QUANTITATIVO Prova comentada ANAC / ANALISTA / 2016 Professor Josimar Padilha

RACIOCÍNIO LÓGICO-QUANTITATIVO Prova comentada ANAC / ANALISTA / 2016 Professor Josimar Padilha RACIOCÍNIO LÓGICO-QUANTITATIVO Prova comentada ANAC / ANALISTA / 2016 Professor Josimar Padilha 1. A negação da proposição se choveu, então o voo vai atrasar pode ser logicamente descrita por: a. não choveu

Leia mais

Aula 27 - Álgebra II. x (m(x)), x 2 + x + (m(x)), x 2 + x (m(x)) operações deste corpo são as seguintes:

Aula 27 - Álgebra II. x (m(x)), x 2 + x + (m(x)), x 2 + x (m(x)) operações deste corpo são as seguintes: Já vimos maneiras de codificar mensagens de modo a que, no caso de ocorrerem alguns erros na sua transmissão, o receptor possa ser capaz de corrigir esses erros. Esses códigos, chamados códigos lineares

Leia mais

Cálculo Numérico. Santos Alberto Enriquez-Remigio FAMAT-UFU 2015

Cálculo Numérico. Santos Alberto Enriquez-Remigio FAMAT-UFU 2015 Cálculo Numérico Santos Alberto Enriquez-Remigio FAMAT-UFU 2015 1 Capítulo 1 Solução numérica de equações não-lineares 1.1 Introdução Lembremos que todo problema matemático pode ser expresso na forma de

Leia mais

8º ANO. Lista extra de exercícios

8º ANO. Lista extra de exercícios 8º ANO Lista extra de exercícios . Determine os valores de x que tornam as equações a seguir verdadeiras. a) (x + 4)(x ) = 0 b) (x + 6)(x ) = 0 c) (x + )(6x 9) = 0 d) 4x(x ) = 0 e) 7x(x ) = 0. Determine

Leia mais

Lucia Catabriga e Andréa Maria Pedrosa Valli

Lucia Catabriga e Andréa Maria Pedrosa Valli 1-35 Lucia Catabriga e Andréa Maria Pedrosa Valli Laboratório de Computação de Alto Desempenho (LCAD) Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo - UFES, Vitória, ES, Brasil 2-35

Leia mais

TP062-Métodos Numéricos para Engenharia de Produção Zeros: Introdução

TP062-Métodos Numéricos para Engenharia de Produção Zeros: Introdução TP062-Métodos Numéricos para Engenharia de Produção Zeros: Introdução Prof. Volmir Wilhelm Curitiba, 2015 Os zeros de uma função são os valores de x que anulam esta função. Este podem ser Reais ou Complexos.

Leia mais

8. Calcular, para que o polinômio ( ) ( ) ( ) seja: a) do 3 grau b) do 2 grau c) 1 grau

8. Calcular, para que o polinômio ( ) ( ) ( ) seja: a) do 3 grau b) do 2 grau c) 1 grau 8. Calcular, para que o polinômio ( ) ( ) ( ) seja: a) do 3 grau b) do 2 grau c) 1 grau 9. Quais das seguintes funções são polinomiais? Justifique. a) ( ) b) ( ) c) ( ) d) ( ) e) ( ) 10. Sendo ( ), calcule:

Leia mais

AULA 01 (A) 9. (B) 1. (C) 0. (D) 7. (E) 10. (E) Se k 5 então axterá ( ) grau 1. (D) d(3) 4. (E) d(4) 12.

AULA 01 (A) 9. (B) 1. (C) 0. (D) 7. (E) 10. (E) Se k 5 então axterá ( ) grau 1. (D) d(3) 4. (E) d(4) 12. AULA 01 Observe cada um dos polinômios a seguir: x p( x) x 9x 4x x x 7 3 (I) 7 6 5 3 x 3x (II) mx ( ) 5 4 3 (III) n( x) 8x 3x 10x 3 6 Se organizarmos estes polinômios em ordem crescente de grau teremos

Leia mais

Álgebra I Israel. Bárbara Lopes Amaral. 19 de novembro de Universidade Federal de Minas Gerais. Fatoração de Polinômios. Lagrange.

Álgebra I Israel. Bárbara Lopes Amaral. 19 de novembro de Universidade Federal de Minas Gerais. Fatoração de Polinômios. Lagrange. Álgebra I Israel Lopes Amaral Universidade Federal de Minas Gerais 19 de novembro de 2007 Lagange Lema Fatora polinômios em Z[x], utilizando uma idéia bastante simples. Esse método não é muito eficiente.

Leia mais

SME0301 MÉTODOS NUMÉRICOS PARA ENGENHARIA I PROFESSORES MARCOS ARENALES MARISTELA SANTOS (ALGUMAS AULAS) Fevereiro 2012

SME0301 MÉTODOS NUMÉRICOS PARA ENGENHARIA I PROFESSORES MARCOS ARENALES MARISTELA SANTOS (ALGUMAS AULAS) Fevereiro 2012 SME030 MÉTODOS NUMÉRICOS PARA ENGENHARIA I PROFESSORES MARCOS ARENALES MARISTELA SANTOS (ALGUMAS AULAS) Fevereiro 0 SME030 Métodos Numéricos Para Engenharia I Ementa: ) Representação de números no computador.

Leia mais

Representação e erros numéricos

Representação e erros numéricos Representação e erros numéricos Marina Andretta ICMC-USP 29 de fevereiro de 2012 Baseado no livro Análise Numérica, de R. L. Burden e J. D. Faires. Marina Andretta (ICMC-USP) sme0500 - cálculo numérico

Leia mais

Polinômios. Acadêmica: Vanessa da Silva Pires

Polinômios. Acadêmica: Vanessa da Silva Pires Polinômios Acadêmica: Vanessa da Silva Pires Situação 01: Se você somar 1 ao produto de quatro inteiros consecutivos, o resultado sempre será um quadrado perfeito. Situação 02: Na resolução de problemas,

Leia mais

EQUAÇÕES POLINOMIAIS

EQUAÇÕES POLINOMIAIS EQUAÇÕES POLINOMIAIS Prof. Patricia Caldana Denominamos equações polinomiais ou algébricas, as equações da forma: P(x)=0, onde P(x) é um polinômio de grau n > 0. As raízes da equação algébrica, são as

Leia mais

2004/2005 PROBLEMAS. (c) Se ainda restarem raízes complexas, reduza o polinómio e calcule essas raízes pela fórmula resolvente.

2004/2005 PROBLEMAS. (c) Se ainda restarem raízes complexas, reduza o polinómio e calcule essas raízes pela fórmula resolvente. Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Análise Numérica 2004/2005 Raízes de Polinómios PROBLEMAS 1 Considere o polinómio P (x) =x x +1. (a) Quantas raízes reais (positivas e negativas)

Leia mais

Cálculo Numérico Noções básicas sobre erros

Cálculo Numérico Noções básicas sobre erros Cálculo Numérico Noções básicas sobre erros Profa. Vanessa Rolnik 1º semestre 2015 Fases da resolução de problemas através de métodos numéricos Problema real Levantamento de Dados Construção do modelo

Leia mais

Ficha de trabalho Decomposição e resolução de equações e inequações polinomiais

Ficha de trabalho Decomposição e resolução de equações e inequações polinomiais Ficha de trabalho Decomposição e resolução de equações e inequações polinomiais 1. Verifique, recorrendo ao algoritmo da divisão, que: 6 4 0x 54x + 3x + é divisível por x 1.. De um modo geral, que relação

Leia mais

étodos uméricos ZEROS DE FUNÇÕES Prof. Erivelton Geraldo Nepomuceno PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

étodos uméricos ZEROS DE FUNÇÕES Prof. Erivelton Geraldo Nepomuceno PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA étodos uméricos ZEROS DE FUNÇÕES Prof. Erivelton Geraldo Nepomuceno PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE DE JOÃO DEL-REI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

Leia mais

Variáveis Aleatórias Contínuas e Distribuição de Probabilidad

Variáveis Aleatórias Contínuas e Distribuição de Probabilidad Variáveis Aleatórias Contínuas e Distribuição de Probabilidades - parte III 23 de Abril de 2012 Introdução Objetivos Ao final deste capítulo você deve ser capaz de: Calcular probabilidades aproximadas

Leia mais

x exp( t 2 )dt f(x) =

x exp( t 2 )dt f(x) = INTERPOLAÇÃO POLINOMIAL 1 As notas de aula que se seguem são uma compilação dos textos relacionados na bibliografia e não têm a intenção de substituir o livro-texto, nem qualquer outra bibliografia Aproximação

Leia mais

Universidade de Coimbra Departamento de Engenharia Electrotecnica e Computadores Matemática Computacional

Universidade de Coimbra Departamento de Engenharia Electrotecnica e Computadores Matemática Computacional Ano Lectivo: 2007/2008 Sumários da turma Teórico-Prática [TP2]: Aula: 1 Data: 2008-02-12 Hora de Início: 15:00 Duração: 1h30m Apresentação da Unidade Curricular. Discussão de aspectos relacionados com

Leia mais

Distribuição Normal. Prof a Dr a Alcione Miranda dos Santos. Abril, 2011

Distribuição Normal. Prof a Dr a Alcione Miranda dos Santos. Abril, 2011 Distribuição Normal Prof a Dr a Alcione Miranda dos Santos Universidade Federal do Maranhão Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva email:alcione.miranda@gmail.com Abril, 2011 1 / 18 Sumário Introdução

Leia mais

POLINÔMIOS. 1. Função polinomial. 2. Valor numérico. 3. Grau de um polinômio. 4. Polinômios idênticos

POLINÔMIOS. 1. Função polinomial. 2. Valor numérico. 3. Grau de um polinômio. 4. Polinômios idênticos POLINÔMIOS 1. Função polinomial É a função P() = a 0 + a 1 + a + a +... + a n n, onde a 0, a 1, a,..., a n são os coeficientes e os termos do polinômio são : a 0 ; a 1 ; a ; a ;... ; a n n. Valor numérico

Leia mais

étodos uméricos INTEGRAÇÃO NUMÉRICA Prof. Erivelton Geraldo Nepomuceno PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

étodos uméricos INTEGRAÇÃO NUMÉRICA Prof. Erivelton Geraldo Nepomuceno PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA étodos uméricos INTEGRAÇÃO NUMÉRICA Prof. Erivelton Geraldo Nepomuceno PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE DE JOÃO DEL-REI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Método de restrições ativas para minimização em caixas

Método de restrições ativas para minimização em caixas Método de restrições ativas para minimização em caixas Marina Andretta ICMC-USP 20 de outubro de 2014 Marina Andretta (ICMC-USP) sme5720 - Otimização não-linear 20 de outubro de 2014 1 / 25 Problema com

Leia mais

f(h) δ h p f(x + h) f(x) (x) = lim

f(h) δ h p f(x + h) f(x) (x) = lim Capítulo 6 Derivação numérica Nesta seção vamos desenvolver métodos para estimar a derivada de uma função f calculada em um ponto x, f (x, a partir de valores conecidos de f em pontos próximos ao ponto

Leia mais

Exercícios de MATEMÁTICA COMPUTACIONAL. 1 0 Semestre de 2009/2010 Resolução Numérica de Equações Não-Lineares

Exercícios de MATEMÁTICA COMPUTACIONAL. 1 0 Semestre de 2009/2010 Resolução Numérica de Equações Não-Lineares Exercícios de MATEMÁTICA COMPUTACIONAL Mestrado Integrado em Engenharia Biomédica 1 0 Semestre de 2009/2010 Resolução Numérica de Equações Não-Lineares 1. Considere a equação sin(x) e x = 0. a) Prove que

Leia mais

Raízes quadrada e cúbica de um polinômio

Raízes quadrada e cúbica de um polinômio Raízes quadrada e cúbica de um polinômio Lenimar Nunes de Andrade UFPB - João Pessoa, PB 1 de abril de 2011 1 Raiz quadrada de um polinômio Consideremos p(x) e r(x) polinômios tais que (r(x)) 2 = p(x).

Leia mais

Determinar a derivada resultante do produto de duas funções utilizando a regra do produto. Aplicar a Derivada para Determinação de Máximos e Mínimos.

Determinar a derivada resultante do produto de duas funções utilizando a regra do produto. Aplicar a Derivada para Determinação de Máximos e Mínimos. MATEMÁTICA PARA NEGÓCIOS - GST1075 Semana Aula: 4 Regras de derivação Tema Regras de derivação Palavras-chave Derivada Objetivos Ao final desta aula, o aluno deverá ser capaz de: Verificar a derivada de

Leia mais

Física Computacional 5

Física Computacional 5 Física Computacional 5 1. Derivadas com diferenças finitas a. O conceito de derivada, menos simples que o de integral b. Cálculo numérico da derivada com diferenças finitas c. Um outro conceito, Equação

Leia mais

Matemática Computacional - 2 o ano LEMat e MEQ

Matemática Computacional - 2 o ano LEMat e MEQ Instituto Superior Técnico Departamento de Matemática Secção de Matemática Aplicada e Análise Numérica Matemática Computacional - o ano LEMat e MEQ Exame/Teste - 1 de Janeiro de 1 - Parte I (1h3m) 1. Considere

Leia mais

EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA COMPUTACIONAL: PRIMEIRO BIMESTRE: EDGARD JAMHOUR. QUESTÃO 1: Indique as afirmativas verdadeiras.

EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA COMPUTACIONAL: PRIMEIRO BIMESTRE: EDGARD JAMHOUR. QUESTÃO 1: Indique as afirmativas verdadeiras. EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA COMPUTACIONAL: PRIMEIRO BIMESTRE: EDGARD JAMHOUR QUESTÃO 1: Indique as afirmativas verdadeiras. ( ) O número Pi não pode ser representado de forma exata em sistemas numéricos de

Leia mais

Matemática E Extensivo V. 7

Matemática E Extensivo V. 7 Matemática E Etensivo V. 7 Eercícios ) B ) A P() = ³ + a² + b é divisivel por. Pelo teorema do resto, = é raiz de P(). P() = ³ + a. ² + b a + b = Da mesma maneira, P() é divisível por. Pelo teorema do

Leia mais

Métodos Numéricos Interpolação / Aproximação. Renato S. Silva, Regina C. Almeida

Métodos Numéricos Interpolação / Aproximação. Renato S. Silva, Regina C. Almeida Métodos Numéricos Interpolação / Aproximação Renato S. Silva, Regina C. Almeida Interpolação / Aproximação situação: uma fábrica despeja dejetos no leito de um rio; objetivo: determinar a quantidade de

Leia mais

MÉTODOS NUMÉRICOS. ENGENHARIA ELECTRÓNICA INDUSTRIAL e de COMPUTADORES

MÉTODOS NUMÉRICOS. ENGENHARIA ELECTRÓNICA INDUSTRIAL e de COMPUTADORES UNIVERSIDADE DO MINHO MÉTODOS NUMÉRICOS ENGENHARIA ELECTRÓNICA INDUSTRIAL e de COMPUTADORES EXERCÍCIOS PRÁTICOS- 1 a parte Ano lectivo de 2004/2005 Exercícios práticos - CONUM Solução de uma equação não

Leia mais

Métodos para resolver problemas de otimização restrita

Métodos para resolver problemas de otimização restrita Métodos para resolver problemas de otimização restrita Marina Andretta ICMC-USP 22 de novembro de 2010 Marina Andretta (ICMC-USP) sme0212 - Otimização não-linear 22 de novembro de 2010 1 / 13 Problema

Leia mais

Disciplina: Cálculo Numérico IPRJ/UERJ. Sílvia Mara da Costa Campos Victer. Integração numérica: Fórmulas de Newton-Cotes.

Disciplina: Cálculo Numérico IPRJ/UERJ. Sílvia Mara da Costa Campos Victer. Integração numérica: Fórmulas de Newton-Cotes. Disciplina: Cálculo Numérico IPRJ/UERJ Sílvia Mara da Costa Campos Victer Aula 5- Integração numérica: Fórmulas de Newton-Cotes. Objetivo: Apresentar o método de integração numérica baseado nas fórmulas

Leia mais

Funções Elementares. Sadao Massago. Maio de Alguns conceitos e notações usados neste texto. Soma das funções pares é uma função par.

Funções Elementares. Sadao Massago. Maio de Alguns conceitos e notações usados neste texto. Soma das funções pares é uma função par. Funções Elementares Sadao Massago Maio de 0. Apresentação Neste teto, trataremos rapidamente sobre funções elementares. O teto não é material completo do assunto, mas é somente uma nota adicional para

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã 0 E n s i n o S e c u n d á r i o

P L A N I F I C A Ç Ã 0 E n s i n o S e c u n d á r i o P L A N I F I C A Ç Ã 0 E n s i n o S e c u n d á r i o 206-207 DISCIPLINA / ANO: Matemática A - ºano MANUAL ADOTADO: NOVO ESPAÇO - Matemática A º ano GESTÃO DO TEMPO Nº de Nº de Nº de tempos tempos tempos

Leia mais

de Interpolação Polinomial

de Interpolação Polinomial Capítulo 10 Aproximação de Funções: Métodos de Interpolação Polinomial 101 Introdução A aproximação de funções por polinômios é uma das idéias mais antigas da análise numérica, e ainda uma das mais usadas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DISCIPLINA DE MÉTODOS NUMÉRICOS 2º SEMESTRE 2004 Professora Aurora T. R. Pozo 1ª LISTA DE EXERCÍCIOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DISCIPLINA DE MÉTODOS NUMÉRICOS 2º SEMESTRE 2004 Professora Aurora T. R. Pozo 1ª LISTA DE EXERCÍCIOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DISCIPLINA DE MÉTODOS NUMÉRICOS 2º SEMESTRE 2004 Professora Aurora T. R. Pozo 1ª LISTA DE EXERCÍCIOS Representação de Números Reais e Erros 1. Converta os seguintes números

Leia mais

Aula 6. Zeros reais de funções Parte 3

Aula 6. Zeros reais de funções Parte 3 CÁLCULO NUMÉRICO Aula 6 Zeros reais de funções Parte 3 MÉTODO DE NEWTON RAPHSON Cálculo Numérico 3/48 CONSIDERAÇÕES INICIAS MÉTODO DO PONTO FIXO: Uma das condições de convergência é que onde I é um intervalo

Leia mais

Denominamos equação polinomial ou equação algébrica de grau n a toda equação da forma:

Denominamos equação polinomial ou equação algébrica de grau n a toda equação da forma: EQUAÇÕES POLINOMIAIS. EQUAÇÃO POLINOMIAL OU ALGÉBRICA Denominamos equação polinomial ou equação algébrica de grau n a toda equação da forma: p(x) = a n x n + a n x n +a n x n +... + a x + a 0 = 0 onde

Leia mais

MAE Introdução à Probabilidade e Estatística II Resolução Lista 5

MAE Introdução à Probabilidade e Estatística II Resolução Lista 5 MAE 229 - Introdução à Probabilidade e Estatística II Resolução Lista 5 Professor: Pedro Morettin e Profa. Chang Chian Exercício 1 (a) De uma forma geral, o desvio padrão é usado para medir a dispersão

Leia mais

CÁLCULO NUMÉRICO. Profa. Dra. Yara de Souza Tadano

CÁLCULO NUMÉRICO. Profa. Dra. Yara de Souza Tadano CÁLCULO NUMÉRICO Profa. Dra. Yara de Souza Tadano yaratadano@utfpr.edu.br Aulas 5 e 6 03/2014 Erros Aritmética no Computador A aritmética executada por uma calculadora ou computador é diferente daquela

Leia mais

araribá matemática Quadro de conteúdos e objetivos Quadro de conteúdos e objetivos Unidade 1 Números inteiros adição e subtração

araribá matemática Quadro de conteúdos e objetivos Quadro de conteúdos e objetivos Unidade 1 Números inteiros adição e subtração Unidade 1 Números inteiros adição e subtração 1. Números positivos e números negativos Reconhecer o uso de números negativos e positivos no dia a dia. 2. Conjunto dos números inteiros 3. Módulo ou valor

Leia mais

Álgebra. Polinômios.

Álgebra. Polinômios. Polinômios 1) Diga qual é o grau dos polinômios a seguir: a) p(x) = x³ + x - 1 b) p(x) = x c) p(x) = x 7 - x² + 1 d) p(x) = 4 ) Discuta o grau dos polinômios em função de k R: a) p(x) = (k + 1)x² + x +

Leia mais

4 de outubro de MAT140 - Cálculo I - Método de integração: Frações Parciais

4 de outubro de MAT140 - Cálculo I - Método de integração: Frações Parciais MAT140 - Cálculo I - Método de integração: Frações Parciais 4 de outubro de 2015 Iremos agora desenvolver técnicas para resolver integrais de funções racionais, conhecido como método de integração por

Leia mais

DIREÇÃO DE ENSINO EMENTA DE DISCIPLINA - MATEMÁTICA AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL ELETRÔNICA ELETROMECÂNICA MEIO AMBIENTE

DIREÇÃO DE ENSINO EMENTA DE DISCIPLINA - MATEMÁTICA AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL ELETRÔNICA ELETROMECÂNICA MEIO AMBIENTE Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Fluminense Campus Macaé DIREÇÃO DE ENSINO EMENTA DE DISCIPLINA - MATEMÁTICA Nível Curso Série CH Semanal CH Anual Ensino Médio Integrado AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

Leia mais

étodos uméricos ZEROS DE FUNÇÕES DE UMA OU MAIS VARIÁVEIS Prof. Erivelton Geraldo Nepomuceno PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

étodos uméricos ZEROS DE FUNÇÕES DE UMA OU MAIS VARIÁVEIS Prof. Erivelton Geraldo Nepomuceno PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA étodos uméricos ZEROS DE FUNÇÕES DE UMA OU MAIS VARIÁVEIS Prof. Erivelton Geraldo Nepomuceno PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE DE JOÃO DEL-REI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA CENTRO

Leia mais

Introdução à Programação Aula 7 Resolução numérica de equações

Introdução à Programação Aula 7 Resolução numérica de equações Introdução à Programação Aula 7 Resolução numérica de equações Pedro Vasconcelos DCC/FCUP 2017 Pedro Vasconcelos (DCC/FCUP) Introdução à Programação Aula 7 Resolução numérica de equações 2017 1 / 19 Nesta

Leia mais

Autovalores e Autovetores

Autovalores e Autovetores Algoritmos Numéricos II / Computação Científica Autovalores e Autovetores Lucia Catabriga 1 1 DI/UFES - Brazil Junho 2016 Introdução Ideia Básica Se multiplicarmos a matriz por um autovetor encontramos

Leia mais

Distribuições derivadas da distribuição Normal. Distribuição Normal., x real.

Distribuições derivadas da distribuição Normal. Distribuição Normal., x real. Distribuições derivadas da distribuição Normal Distribuição Normal Uma variável aleatória X tem distribuição normal com parâmetros µ e σ, quando sua densidade de probabilidade é f ( x) π σ e ( x µ ) σ,

Leia mais

1.1 Conceitos Básicos

1.1 Conceitos Básicos 1 Zeros de Funções 1.1 Conceitos Básicos Muito frequentemente precisamos determinar um valor ɛ para o qual o valor de alguma função é igual a zero, ou seja: f(ɛ) = 0. Exemplo 1.1 Suponha que certo produto

Leia mais

Matriz de Referência da área de Matemática Ensino Fundamental

Matriz de Referência da área de Matemática Ensino Fundamental Matemática EF Matriz de Referência da área de Matemática Ensino Fundamental C1 Utilizar o conhecimento numérico para operar e construir argumentos ao interpretar situações que envolvam informações quantitativas.

Leia mais

EXEMPLOS Resolva as equações em : 1) Temos uma equação completa onde a =3, b = -4 e c = 1. Se utilizarmos a fórmula famosa, teremos:

EXEMPLOS Resolva as equações em : 1) Temos uma equação completa onde a =3, b = -4 e c = 1. Se utilizarmos a fórmula famosa, teremos: EQUAÇÃO DE SEGUNDO GRAU INTRODUÇÃO Equação é uma igualdade onde há algum elemento desconhecido Como exemplo, podemos escrever Esta igualdade é uma equação já conhecida por você, pois é de primeiro grau

Leia mais

Auto-Valores e Auto-Vetores

Auto-Valores e Auto-Vetores Capítulo 7 Determinação Numérica de Auto-Valores e Auto-Vetores 7 Introdução Auto-valores e auto-vetores estão presentes em diferentes ramos da matemática incluindo formas quadráticas, sistemas diferenciais;

Leia mais

Modelagem Computacional. Parte 3 2

Modelagem Computacional. Parte 3 2 Mestrado em Modelagem e Otimização - RC/UFG Modelagem Computacional Parte 3 2 Prof. Thiago Alves de Queiroz 2/2016 2 [Cap. 4] BURDEN, R. L.; FAIRES, J. D. Numerical Analysis (9th ed). Cengage Learning,

Leia mais

P L A N O D E E N S I N O A N O D E ÁREA / DISCIPLINA: CIÊNCIAS DA NATUREZA / MÁTEMÁTICA

P L A N O D E E N S I N O A N O D E ÁREA / DISCIPLINA: CIÊNCIAS DA NATUREZA / MÁTEMÁTICA P L A N O D E E N S I N O A N O D E 2 0 1 3 ÁREA / DISCIPLINA: CIÊNCIAS DA NATUREZA / MÁTEMÁTICA Professor(a): ALOÍSIO MOISÉS DAUANNY JÚNIOR ANO: Nº DE HORAS/AULA SEMANAL: TOTAL DE HORAS/AULA/ANO: 1º 03

Leia mais

Material Teórico - Módulo Equações do Segundo Grau. Equações de Segundo Grau: outros resultados importantes. Nono Ano do Ensino Funcamental

Material Teórico - Módulo Equações do Segundo Grau. Equações de Segundo Grau: outros resultados importantes. Nono Ano do Ensino Funcamental Material Teórico - Módulo Equações do Segundo Grau Equações de Segundo Grau: outros resultados importantes Nono Ano do Ensino Funcamental Autor: Prof. Fabrício Siqueira Benevides Revisor: Prof. Antonio

Leia mais

MÉTODOS NUMÉRICOS. ENGENHARIA e GESTÃO INDUSTRIAL

MÉTODOS NUMÉRICOS. ENGENHARIA e GESTÃO INDUSTRIAL UNIVERSIDADE DO MINHO MÉTODOS NUMÉRICOS ENGENHARIA e GESTÃO INDUSTRIAL EXERCÍCIOS PRÁTICOS Ano lectivo de 2005/2006 Métodos Numéricos - L.E.G.I. Exercícios práticos - CONUM Solução de uma equação não linear

Leia mais

Nota: Turma: MA 327 Álgebra Linear. Terceira Prova. Boa Prova! Primeiro Semestre de T o t a l

Nota: Turma: MA 327 Álgebra Linear. Terceira Prova. Boa Prova! Primeiro Semestre de T o t a l Turma: Nota: MA 327 Álgebra Linear Primeiro Semestre de 26 Terceira Prova Nome: RA: Questões Pontos Questão 1 Questão 2 Questão 3 Questão 4 Questão 5 T o t a l Boa Prova! Questão 1. 2. Pontos) Seja U um

Leia mais

Derivadas Parciais. Copyright Cengage Learning. Todos os direitos reservados.

Derivadas Parciais. Copyright Cengage Learning. Todos os direitos reservados. 14 Derivadas Parciais Copyright Cengage Learning. Todos os direitos reservados. 14.2 Limites e Continuidade Copyright Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Limites e Continuidade Vamos comparar

Leia mais

Transformada de Laplace Inversa Expansão em Frações Parciais

Transformada de Laplace Inversa Expansão em Frações Parciais Transformada de Laplace Inversa Expansão em Frações Parciais 1 Introdução Estamos interessados em determinar a transformada inversa de uma função da forma D(s) = a ms m + a m 1 s m 1 +... + a 1 s + a 0

Leia mais

PLANO DE AULA POLINÔMIOS

PLANO DE AULA POLINÔMIOS Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Campus avançado Sombrio Curso de Licenciatura em Matemática PLANO DE AULA POLINÔMIOS 1 Identificação

Leia mais

Capítulo 19. Fórmulas de Integração Numérica

Capítulo 19. Fórmulas de Integração Numérica Capítulo 19 Fórmulas de Integração Numérica Você tem um problema Lembre-se que a velocidade de um saltador de bungee jumping em queda livre como uma função do tempo pode ser calculada como: v t gm gc.

Leia mais

Exercícios de Aprofundamento 2015 Mat - Polinômios

Exercícios de Aprofundamento 2015 Mat - Polinômios Exercícios de Aprofundamento 05 Mat - Polinômios. (Espcex (Aman) 05) O polinômio (x) x x deixa resto r(x). Sabendo disso, o valor numérico de r( ) é a) 0. b) 4. c) 0. d) 4. e) 0. 5 f(x) x x x, uando dividido

Leia mais

MATRIZ DE REFERÊNCIA-Ensino Médio Componente Curricular: Matemática

MATRIZ DE REFERÊNCIA-Ensino Médio Componente Curricular: Matemática MATRIZ DE REFERÊNCIA-Ensino Médio Componente Curricular: Matemática Conteúdos I - Conjuntos:. Representação e relação de pertinência;. Tipos de conjuntos;. Subconjuntos;. Inclusão;. Operações com conjuntos;.

Leia mais

Método de Newton-Raphson

Método de Newton-Raphson Método de Newton-Raphson Método de Newton-Raphson Joinville, 29 de Abril de 2013 Escopo dos Tópicos Abordados Solução de equações via métodos iterativos Método de Newton-Raphson 2 Operação de Sistemas

Leia mais