SEGURANÇA EM REDES: HONEYPOTS E HONEYNETS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SEGURANÇA EM REDES: HONEYPOTS E HONEYNETS"

Transcrição

1 SEGURANÇA EM REDES: HONEYPOTS E HONEYNETS Alexandre Henrique Picão Hidalgo, Júlio Cesar Pereira Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil Resumo. O seguinte artigo abordará a segurança de nossa rede, usando os Honeypots e Honeynets, monitorando o fluxo de informações que está trafegando de modo correto nela e quando algo ou alguém tente de algum meio invadir, roubar ou burlar as defesas de segurança, onde estão contidas essas informações, a fim de impor regras e criando um ambiente virtual, para que seja analisado as formas de ataques e meios de ferramentas que o invasor usa, analisando essas informações pra que seja cada vez mais reforçado o ambiente virtual, onde ele está preso. 1. Introdução Visto o crescimento da tecnologia, um dos principais temas abordados em várias reuniões e confraternizações de todo o mundo, é a segurança dentro de um ambiente virtual. Esse assunto vem ganhando grande relevância, devido a uma proporção de sistemas computacionais e um grande fluxo de informações, que percorrem dentro de uma rede, não importando se é de uma grande ou pequena empresa, destacando como essas informações estão sendo protegidas, pois cada uma delas tem uma grande importância para o seu autor. Além disso, o número de usuários vem crescendo a cada ano que passa, e por muitas vezes, esses usuários podem ser mal-intencionados, ou seja, preocupados apenas em roubar essas informações, e com isso, lesando outros, portanto, aumentando o número de ataques contra redes de grandes e pequenas empresas e instituições.

2 2. Metodologia Será necessário realizar uma vasta e extensa pesquisa através de livros, artigos científicos e sites da internet que condizem com o tema proposto neste artigo. 3. Desenvolvimento 3.1 HoneyPots Os Honeypots tem o poder de saber todo o procedimento que ocorre durante uma invasão, a fim de descobrir todas as atitudes tomadas pelo invasor dentro do seu sistema ou sua rede. Os Honeypots são ferramentas com grande utilidade, podendo ser usadas em diversas situações, dependendo da necessidade do usuário. Esta ferramenta serve para fazer a análise das atitudes tomadas por atacantes dentro de um sistema, onde após o estudo dessas análises possa ser tomada medidas que possam prevenir futuros ataques. Geralmente, são utilizados em conjunto com outras ferramentas de segurança, como Firewalls que controlam o tráfego de entrada e saída de uma rede e como os IDS (Sistema de Detecção de Intrusos), que são sensores com a função de monitorar o tráfego da rede e identificar atitudes suspeitas (BORGES; BENTO; SANTANNA, 2010). As primeiras experiências envolvendo mecanismos de acompanhamento de atividades de invasores, são de 1988, quando Cliford publicou sua experiência com um ataque chamado Hunter no sistema do Lawrence Berkeley Laboratory e a partir desse momento despertou o seu interesse sobre o assunto, que então decidiu não eliminá-lo do sistema. Cliford ao invés de interromper o ataque, tomou a decisão de acompanhar e registrar todos os principais objetivos dele, e poder aprender um pouco mais sobre ele (BORGES; BENTO; SANTANNA, 2010). Depois de sete anos de pesquisa, Fred Cohen desenvolveu a primeira solução de Honeypots chamada de DTK (Deception Toolkit), sendo umas das primeiras ferramentas de código aberto com o objetivo de enganar e confundir os atacantes.

3 Entretanto, os Honeypots oferecem vantagens e desvantagens, sendo algumas delas citadas abaixo: As vantagens de implementar um ambiente virtual com Honeypots são: A ferramenta trabalha isolada, o fluxo de informações que passa por ele é pequeno, se for comparado com uma grande rede em produção, também traz informações corretas e concretas, ignorando alertas falsas e leva um menor tempo para distinguir ataques e obter informações necessárias sobre o invasor; Mas todas essas inúmeras vantagens não são fáceis de se conseguir, pois para para ter uma total segurança e um ambiente totalmente protegido, toda a arquitetura de rede é bem configurada. Algumas das desvantagens são: Não consegue detectar roubo de arquivos confidenciais feitos de usuários da própria rede e ataques contra seu próprio servidor de serviço, sendo assim, ele só consegue detectar aquilo que passa por sua rota de trabalho e ainda passa por uma das maiores desvantagens, que se o invasor descobrir a ferramenta que está sendo usada para monitorá-lo, ele pode invadi-la e usá-la para prejudicar o próprio sistema e a outros ligados a ele. 3.3 Honeynets Os Honeynets iniciou em 1999 quando Lance Spitzner, fundador do Honeynets Project publicou um trabalho To Build a Honeypots. Com o objetivo de aprender com as ferramentas usadas, as táticas e a motivação dos atacantes. Assunção (2009), afirma que um Honeynets é formado por um conjunto de Honeypots que simulam uma rede de produção, que quando configurada, as suas atividades são monitoradas, gravadas e em certo grau, controladas. É uma rede configurada para ser invadida, no qual todo tráfego que entra ou sai do gateway/roteador, é considerada uma invasão. O comportamento do atacante dentro do sistema é monitorado fazendo à identificação das ferramentas utilizadas, as vulnerabilidades exploradas e o tipo

4 de ataque utilizado. As ferramentas de análise são compostas de outras de segurança, como por exemplo: Firewalls, Honeypots e IDS s, onde juntas formam uma Honeynets (BORGES; BENTO; SANTANNA, 2010). Para Honeynets, as ferramentas existentes são importantes para detectar e estudar as diversas técnicas utilizadas em uma determinada invasão para coleta de dados, porque toda atividade é considerada suspeita por natureza, dentro de uma Honeynets, nada que é feito ali, é apenas teste, isso é possível devido ao monitoramento intenso na rede, portanto, a detecção de riscos é facilitada, pois não irá existir sobrecarga de dados ocasionada pelo tráfego normal de uma rede (BORGES; BENTO; SANTANNA, 2010). Os Honeynets fazem a captura dos ataques já conhecidos e dos desconhecidos, assim sendo, eles acrescentam e utilizam em uma base de dados das assinaturas, podendo descobrir novas vulnerabilidades, prevendo e analisando formas de defesas para ataques que virão futuramente (FONSECA; PITANGA, 2001 apud BORGES; BENTO; SANTANNA, 2010). Com tudo, existem dois tipos de Honeynets, que são os virtuais e Honeynets reais, as especificações deles, vem logo abaixo: Honeynets reais O honeynets real é na verdade todos os dispositivos, que a compõem, inclusive um honeypots, que são os mecanismos de contenção, mecanismos de alerta e de coleta de informações. Sendo assim, uma honeynets real, poderia ser composta por diversos computadores, sendo que cada um poderia conter um honeypots, firewall e IDS, dentre outros Honeynets virtual A honeynet virtual, como diz o nome se baseia em uma ideia de ter todos os componentes de um honeypots implementados em um número reduzido de dispositivos físicos, mas, passam a ser utilizados um único computador que

5 passa a servir com uma execução de um software de virtualização como o VMware, VirtualBox, entre outros. Uma das inúmeras vantagens dos honeynets é a manutenção que é bem mais simples, sem a necessidade de um espaço físico maior para os equipamentos, tornando-o mais viável. 4. Conclusão Com a finalização desse artigo dá para notar que na área de segurança tem muitas coisas a serem feitas e estudadas, que apesar do que pode ser feito, sempre existe grandes riscos, porém, com determinadas ferramentas já citadas, pode-se prevenir ataques e roubos de informações, desde que tenha planejamento e aperfeiçoamento, pois se não implementadas corretamente, não podem ajudar em nada. 5. Referências ASSUNÇÃO, Marcos Flavio Araújo. Honeypots e Honeynets: Aprenda a Detectar e Enganar Invasores Ed. Florianópolis: Visual Books, BORGES, Ciro Fernando Preto; BENTO, Paulo Diego Nogueira; SANTANNA, João. Segurança De Redes Utilizando Honeypot. Engenharia de Computação em Revista, v. 1, n. 2, HONEYNET.ORG. The Honeynet Project. Disponível em: <http://www.honeynet.org/>. Acesso em: 20 jul LOPES, Alexandre. Honeypot e Honeynet: as vantagens de conhecer o inimigo, Disponível em:<http://www.profissionaisti.com.br/2013/11/honeypot-e-honeynetasvantagens-de-conhecer-o-inimigo/>. Acesso em: 2 mai.2015

COMO FUNCIONA UM ANTIVÍRUS E QUAIS SUAS PRINCIPAIS FALHAS

COMO FUNCIONA UM ANTIVÍRUS E QUAIS SUAS PRINCIPAIS FALHAS COMO FUNCIONA UM ANTIVÍRUS E QUAIS SUAS PRINCIPAIS FALHAS Luiz Guilherme de Barros Almeida ¹, Júlio Cesar Pereira ¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil luizguilhermescmc@gmail.com Resumo.

Leia mais

EN-3611 Segurança de Redes Sistemas de Detecção de Intrusão e Honeypots Prof. João Henrique Kleinschmidt

EN-3611 Segurança de Redes Sistemas de Detecção de Intrusão e Honeypots Prof. João Henrique Kleinschmidt EN-3611 Segurança de Redes Sistemas de Detecção de Intrusão e Honeypots Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, novembro de 2015 Sistemas de Detecção de Intrusão IDS Sistemas de Detecção de Intrusão

Leia mais

DESVIO DE TRÁFEGO MALICIOSO DESTINADO A REDES DE PRODUÇÃO PARA UMA HONEYNET

DESVIO DE TRÁFEGO MALICIOSO DESTINADO A REDES DE PRODUÇÃO PARA UMA HONEYNET DESVIO DE TRÁFEGO MALICIOSO DESTINADO A REDES DE PRODUÇÃO PARA UMA HONEYNET lucio@lac.inpe.br Antonio Montes montes@lac.inpe.br Laboratório Associado de Computação e Matemática Aplicada Instituto Nacional

Leia mais

Manual. Honeypots e honeynets

Manual. Honeypots e honeynets Manual Honeypots e honeynets Honeypots No fundo um honeypot é uma ferramenta de estudos de segurança, onde sua função principal é colher informações do atacante. Consiste num elemento atraente para o invasor,

Leia mais

Honeypots e Honeynets: as vantagens de conhecer o inimigo

Honeypots e Honeynets: as vantagens de conhecer o inimigo Honeypots e Honeynets: as vantagens de conhecer o inimigo Alexandre Lopes Faculdade de Tecnologia de Ourinhos FATEC Orientador: Profº. Esp. Thiago José Lucas Introdução Segundo Ulbrich e Della Valle (2009

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação Professor: Cleber Schroeder Fonseca cleberfonseca@charqueadas.ifsul.edu.br 8 1 SEGURANÇA EM REDES DE COMPUTADORES 2 Segurança em redes de computadores Consiste na provisão de políticas

Leia mais

Ferramenta de. Humberto Sartini http://web.onda.com.br/humberto

Ferramenta de. Humberto Sartini http://web.onda.com.br/humberto Uitilizando Honeypots como Ferramenta de Segurança Humberto Sartini http://web.onda.com.br/humberto Palestrante Humberto Sartini Analista de Segurança do Provedor Onda S/A Participante dos projetos: Rau-Tu

Leia mais

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS Kelly Cristina de Oliveira 1, Júlio César Pereira 1. 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR Brasil kristhinasi@gmail.com,

Leia mais

Segurança na Rede Local Redes de Computadores

Segurança na Rede Local Redes de Computadores Ciência da Computação Segurança na Rede Local Redes de Computadores Disciplina de Desenvolvimento de Sotware para Web Professor: Danilo Vido Leonardo Siqueira 20130474 São Paulo 2011 Sumário 1.Introdução...3

Leia mais

IDENTIFICANDO VULNERABILIDADES DE SEGURANÇA COMPUTACIONAL

IDENTIFICANDO VULNERABILIDADES DE SEGURANÇA COMPUTACIONAL IDENTIFICANDO VULNERABILIDADES DE SEGURANÇA COMPUTACIONAL Raquel Fonseca da Silva¹, Julio César Pereira¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil raquel-fenix@hotmail.com, juliocesarp@unipar.br

Leia mais

IDS. Honeypots, honeynets e honeytokens. http://www.las.ic.unicamp.br/edmar

IDS. Honeypots, honeynets e honeytokens. http://www.las.ic.unicamp.br/edmar Honeypots, honeynets e honeytokens Motivação O meu comandante costumava dizer que para se defender do inimigo primeiro é preciso conhecer o inimigo, ou seja, conhecer seus métodos de ataque, suas ferramentas,

Leia mais

Conceitos de Segurança Física e Segurança Lógica. Segurança Computacional Redes de Computadores. Professor: Airton Ribeiro Fevereiro de 2016-1

Conceitos de Segurança Física e Segurança Lógica. Segurança Computacional Redes de Computadores. Professor: Airton Ribeiro Fevereiro de 2016-1 Segurança Computacional Redes de Computadores Professor: Airton Ribeiro Fevereiro de 2016-1 1 2 Compreende os mecanismos de proteção baseados em softwares Senhas Listas de controle de acesso - ACL Criptografia

Leia mais

Sistemas de Detecção de Intrusão SDI

Sistemas de Detecção de Intrusão SDI PEP Auditoria e Segurança de Redes de Computadores Sistemas de Detecção de Intrusão SDI Jacson Rodrigues Correia da Silva Sistemas de Detecção de Intrusão Monitor de informações que atravessam o firewall

Leia mais

estudo de segurança http://web.onda.com.br/humberto

estudo de segurança http://web.onda.com.br/humberto Honeypots Ferramentas de estudo de segurança Projeto HoneyPotBR Humberto Sartini http://web.onda.com.br/humberto Palestrante Humberto Sartini Analista de Segurança do Provedor Onda S/A Participante dos

Leia mais

Planejando uma política de segurança da informação

Planejando uma política de segurança da informação Planejando uma política de segurança da informação Para que se possa planejar uma política de segurança da informação em uma empresa é necessário levantar os Riscos, as Ameaças e as Vulnerabilidades de

Leia mais

OBJETIVO DA POLÍTICA DE SEGURANÇA

OBJETIVO DA POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DE SEGURANÇA DIGITAL Wagner de Oliveira OBJETIVO DA POLÍTICA DE SEGURANÇA Hoje em dia a informação é um item dos mais valiosos das grandes Empresas. Banco do Brasil Conscientizar da necessidade

Leia mais

Aula 5 TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS JOGOS MASSIVOS PELA INTERNET 2013. Marcelo Henrique dos Santos - http://www.marcelohsantos.com

Aula 5 TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS JOGOS MASSIVOS PELA INTERNET 2013. Marcelo Henrique dos Santos - http://www.marcelohsantos.com Jogos Massivos pela Internet Aula 5 Ataques 1 Ataques Um, ao ser planejado, segue um plano de estratégia sobre o alvo desejado, e uma pessoa experiente em planejamento de sempre traça um roteiro a ser

Leia mais

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Aula 3 Virtualização de Sistemas 1. Conceito Virtualização pode ser definida

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE FIREWALL S PARA AMBIENTES CORPORATIVOS

A IMPORTÂNCIA DE FIREWALL S PARA AMBIENTES CORPORATIVOS A IMPORTÂNCIA DE FIREWALL S PARA AMBIENTES CORPORATIVOS Rafael Mariano Rodrigues Silva¹, Júlio Cesar Pereira¹ Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil rafaelmarianors@gmail.com, juliocesarp@unipar.br

Leia mais

ETEC RAPOSO TAVARES GESTÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS I. Máquina Virtual. Instalação de S.O. em dual boot. 1º Semestre 2010 PROF.

ETEC RAPOSO TAVARES GESTÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS I. Máquina Virtual. Instalação de S.O. em dual boot. 1º Semestre 2010 PROF. ETEC RAPOSO TAVARES GESTÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS I Máquina Virtual Instalação de S.O. em dual boot 1º Semestre 2010 PROF. AMARAL Na ciência da computação, máquina virtual é o nome dado a uma máquina,

Leia mais

Gerência de Redes Segurança

Gerência de Redes Segurança Gerência de Redes Segurança Cássio D. B. Pinheiro cdbpinheiro@ufpa.br cassio.orgfree.com Objetivos Apresentar o conceito e a importância da Política de Segurança no ambiente informatizado, apresentando

Leia mais

Honeynets: Invasores, Ferramentas, Técnicas e Táticas.

Honeynets: Invasores, Ferramentas, Técnicas e Táticas. Honeynets: Invasores, Ferramentas, Técnicas e Táticas. E.C.M.G. Jabour, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), COPPE-Poli, GTA, Brasil, CEP 24.210-240 Otto C. M. B. Duarte, Universidade Federal

Leia mais

Honeypots Conhecendo o inimigo

Honeypots Conhecendo o inimigo Honeypots Conhecendo o inimigo Definição Um honeypot é um serviço de rede feito para ser atacado e comprometido, pois seu objetivo é fornecer informações de valor inestimável (Spitzner, 2003) Honeypots

Leia mais

Palavras-chave: Tecnologia da Informação, Armazenamento, Nuvem, Internet.

Palavras-chave: Tecnologia da Informação, Armazenamento, Nuvem, Internet. 1 COMPUTAÇÃO EM NUVEM Leonardo André Junges 1 Neimar Sierota 2 Palavras-chave: Tecnologia da Informação, Armazenamento, Nuvem, Internet. 1 INTRODUÇÃO Nos dias atuais encontramos tudo ou praticamente tudo

Leia mais

Sistemas de Detecção de Intrusão

Sistemas de Detecção de Intrusão Sistemas de Detecção de Intrusão Características Funciona como um alarme. Detecção com base em algum tipo de conhecimento: Assinaturas de ataques. Aprendizado de uma rede neural. Detecção com base em comportamento

Leia mais

Humberto Sartini http://web.onda.com.br/humberto

Humberto Sartini http://web.onda.com.br/humberto Utilizando Honeypots como Ferramenta de Segurança Humberto Sartini http://web.onda.com.br/humberto Palestrante Humberto Sartini Analista de Segurança do Provedor Onda S/A Participante dos projetos: Rau-Tu

Leia mais

Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server

Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server André Luiz Silva de Moraes chameandre@gmail.com Faculdade Senac http://www.senacrs.com.br Feira das Oportunidades 04 de Maio de 2011 1 / 11 1 Conceitos Básicos Definições

Leia mais

Mecanismos de controle de acesso

Mecanismos de controle de acesso Mecanismos de controle de acesso Os mecanismos de segurança da informação são responsáveis pela concretização das políticas de segurança nos sistemas computacionais. Desta forma, as políticas de segurança

Leia mais

Segurança Física e Segurança Lógica. Aécio Costa

Segurança Física e Segurança Lógica. Aécio Costa Segurança Física e Segurança Lógica Aécio Costa Segurança física Ambiente Segurança lógica Programas A segurança começa pelo ambiente físico Não adianta investir dinheiro em esquemas sofisticados e complexos

Leia mais

Sistemas para Internet 06 Ataques na Internet

Sistemas para Internet 06 Ataques na Internet Sistemas para Internet 06 Ataques na Internet Uma visão geral dos ataques listados na Cartilha de Segurança para Internet do CGI Comitê Gestor da Internet Componente Curricular: Bases da Internet Professor:

Leia mais

Sobre Nós. NossaVisão

Sobre Nós. NossaVisão 2015 Sobre Nós 1 ArtsSec foi fundada por um grupo de profissionais dedicados à segurança da informação a fim de proporcionar soluções criativas e de alto valor aos seus clientes. A empresa surgiu em 2012,

Leia mais

FIREWALL. Prof. Fabio de Jesus Souza. fabiojsouza@gmail.com. Professor Fabio Souza

FIREWALL. Prof. Fabio de Jesus Souza. fabiojsouza@gmail.com. Professor Fabio Souza FIREWALL Prof. Fabio de Jesus Souza fabiojsouza@gmail.com Professor Fabio Souza O que são Firewalls? Os firewalls são sistemas de segurança que podem ser baseados em: um único elemento de hardware; um

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Capítulo 7: IDS e Honeypots Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Introdução IDS = Intrusion Detection Systems (Sistema de Detecção de Invasão) O IDS funciona sobre

Leia mais

Hackers. Seus dados podem ser inúteis, mas seu computador em si pode ainda ser um recurso valioso.

Hackers. Seus dados podem ser inúteis, mas seu computador em si pode ainda ser um recurso valioso. Firewalls Hackers Gostam de alvos fáceis. Podem não estar interessados nas suas informações. Podem invadir seu computador apenas por diversão. Para treinar um ataque a uma máquina relativamente segura.

Leia mais

Políticas de Segurança de Sistemas

Políticas de Segurança de Sistemas Políticas de Segurança de Sistemas Profs. Hederson Velasco Ramos Henrique Jesus Quintino de Oliveira Estudo de Boletins de Segurança O que é um boletim de segurança? São notificações emitidas pelos fabricantes

Leia mais

Segurança e Proteção da Informação. Msc. Marcelo Carvalho Tavares marcelo.tavares@unir.br

Segurança e Proteção da Informação. Msc. Marcelo Carvalho Tavares marcelo.tavares@unir.br Segurança e Proteção da Informação Msc. Marcelo Carvalho Tavares marcelo.tavares@unir.br 1 Segurança da Informação A informação é importante para as organizações? Por que surgiu a necessidade de se utilizar

Leia mais

Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009

Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009 Auditoria e Análise de Segurança da Informação Resposta a Incidentes de Segurança Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009 Resposta a Incidentes de Segurança 2 Incidentes de Segurança De acordo com

Leia mais

UMA INTRODUÇÃO SIGNIFICATIVA SOBRE COMPUTAÇÃO NAS NUVENS (CLOUD COMPUTING)

UMA INTRODUÇÃO SIGNIFICATIVA SOBRE COMPUTAÇÃO NAS NUVENS (CLOUD COMPUTING) UMA INTRODUÇÃO SIGNIFICATIVA SOBRE COMPUTAÇÃO NAS NUVENS (CLOUD COMPUTING) Thiago Batista de Oliveira¹, Júlio César Pereira¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil thiagoolyveira@gmail.com,juliocesarp@unipar.br

Leia mais

DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5 E CSS3

DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5 E CSS3 DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5 E CSS3 Eduardo Laguna Rubai, Tiago Piperno Bonetti Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR- Brasil eduardorubay@gmail.com, bonetti@unipar.br Resumo.

Leia mais

Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades

Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades Bruno Sanchez Lombardero Faculdade Impacta de Tecnologia São Paulo Brasil bruno.lombardero@gmail.com Resumo: Computação em nuvem é um assunto que vem surgindo

Leia mais

Segurança em computadores e em redes de computadores

Segurança em computadores e em redes de computadores Segurança em computadores e em redes de computadores Uma introdução IC.UNICAMP Matheus Mota matheus@lis.ic.unicamp.br @matheusmota Computador/rede segura Confiável Integro Disponível Não vulnerável 2 Porque

Leia mais

Proposta de Implementação de uma Honeypot para Detecção de Vulnerabilidades

Proposta de Implementação de uma Honeypot para Detecção de Vulnerabilidades Proposta de Implementação de uma Honeypot para Detecção de Vulnerabilidades Marco A. Trentin 1, Gustavo S. Linden 2, Alcides A. S. Coelho Júnior 3, André L. Fávero 3 Universidade de Passo Fundo - Campus

Leia mais

Sobre o Symantec Internet Security Threat Report

Sobre o Symantec Internet Security Threat Report Sobre o Symantec Internet Security Threat Report O Symantec Internet Security Threat Report apresenta uma atualização semestral das atividades das ameaças na Internet. Nele se incluem as análises dos ataques

Leia mais

Algumas Leis da Segurança

Algumas Leis da Segurança Algumas Leis da Segurança Marcos Aurelio Pchek Laureano laureano@ppgia.pucpr.br Roteiro Leis Fundamentais Leis Imutáveis Seus significados Sua Importância 2 Algumas Leis da Segurança As leis Fundamentais

Leia mais

UMA VISÃO GERAL DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM

UMA VISÃO GERAL DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM UMA VISÃO GERAL DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM Ederson dos Santos Cordeiro de Oliveira 1, Tiago Piperno Bonetti 1, Ricardo Germano 1 ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil edersonlikers@gmail.com,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Usando um firewall para ajudar a proteger o computador A conexão à Internet pode representar um perigo para o usuário de computador desatento. Um firewall ajuda a proteger o computador impedindo que usuários

Leia mais

SOFTWARES PARA CRIAÇÃO DE MECANISMO DE SEGURANÇA BASEADO NA PLATAFORMA LINUX

SOFTWARES PARA CRIAÇÃO DE MECANISMO DE SEGURANÇA BASEADO NA PLATAFORMA LINUX SOFTWARES PARA CRIAÇÃO DE MECANISMO DE SEGURANÇA BASEADO NA PLATAFORMA LINUX Leandro Rodrigo de Carvalho Silva 1, Alexandre Paulino Sierra da Silva 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil

Leia mais

INTERNET BANKING: DICAS DE SEGURANÇA. Palavras-chave: Segurança da Informação; Internet Banking; Fraudes; Riscos.

INTERNET BANKING: DICAS DE SEGURANÇA. Palavras-chave: Segurança da Informação; Internet Banking; Fraudes; Riscos. 1 INTERNET BANKING: DICAS DE SEGURANÇA Alexandre Kaspary 1 Alexandre Ramos 2 Leo Andre Blatt 3 William Rohr 4 Fábio Matias Kerber 5 Palavras-chave: Segurança da Informação; Internet Banking; Fraudes; Riscos.

Leia mais

Kaspersky Anti-Virus 2013 Kaspersky Internet Security 2013 Lista de novos recursos

Kaspersky Anti-Virus 2013 Kaspersky Internet Security 2013 Lista de novos recursos Kaspersky Anti-Virus 2013 Kaspersky Internet Security 2013 Lista de novos recursos Sumário Visão geral de novos recursos 2 Instalação, ativação, licenciamento 2 Internet Security 3 Proteção Avançada 4

Leia mais

Uso do Netkit no Ensino de Roteamento Estático

Uso do Netkit no Ensino de Roteamento Estático Uso do Netkit no Ensino de Roteamento Estático Nyl Marcos Soares Barbosa, Moisés Lima dos Anjos, Madianita Bogo Curso de Sistemas de Informação Centro universitário Luterano de Palmas (CEULP/ULBRA) Teotônio

Leia mais

Componentes de um sistema de firewall - I

Componentes de um sistema de firewall - I Componentes de um sistema de firewall - I O que são Firewalls? Os firewalls são sistemas de segurança que podem ser baseados em: um único elemento de hardware; um único elemento de software instalado num

Leia mais

VIRNA. Virtualizador Nacional

VIRNA. Virtualizador Nacional 1 VIRNA Virtualizador Nacional 2 Sumário Introdução Histórico Contextualização Visão Geral Metáfora do Videogame Termos e Conceitos Funcionamento Visão Geral do Emprego Evolução Benefícios e Necessidades

Leia mais

INTRODUÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO PRIMEFACES MOBILE EM APLICAÇÕES JSF

INTRODUÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO PRIMEFACES MOBILE EM APLICAÇÕES JSF INTRODUÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO PRIMEFACES MOBILE EM APLICAÇÕES JSF Guilherme Macedo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil guilhermemacedo28@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO Intranets FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO As intranets são redes internas às organizações que usam as tecnologias utilizadas na rede mundial

Leia mais

(In)Segurança Virtual. Técnicas de Ataque e Defesa

(In)Segurança Virtual. Técnicas de Ataque e Defesa (In)Segurança Virtual Técnicas de Ataque e Defesa Expotec 2009 IFRN- Campus Mossoró Nícholas André - nicholasandreoliveira9@gmail.com www.iotecnologia.com.br Mossoró-RN Setembro-2009 O que é preciso! Engenharia

Leia mais

Um White Paper da Websense Web Security Gateway: A Web 2.0 Protegida e Simplificada

Um White Paper da Websense Web Security Gateway: A Web 2.0 Protegida e Simplificada Um White Paper da Websense Web Security Gateway: A Web 2.0 Protegida e Simplificada Visão Geral do Mercado Embora o uso dos produtos da Web 2.0 esteja crescendo rapidamente, seu impacto integral sobre

Leia mais

Introdução aos Sistemas de Informações

Introdução aos Sistemas de Informações Introdução aos Sistemas de Informações Módulo 6 Segurança da TI Por que os Controles São Necessários Os controles são necessários para garantir a qualidade e segurança dos recursos de hardware, software,

Leia mais

COMPUTAÇÃO EM NUVEM: UM FUTURO PRESENTE

COMPUTAÇÃO EM NUVEM: UM FUTURO PRESENTE COMPUTAÇÃO EM NUVEM: UM FUTURO PRESENTE Andressa T.R. Fenilli 1, Késsia R.C.Marchi 1 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR Brasil andressa.trf@gmail.com, kessia@unipar.br Resumo. Computação em

Leia mais

Ameaças e Contramedidas de Host

Ameaças e Contramedidas de Host Prof. Hederson Velasco Ramos Prof. Henrique Jesus Quintino de Oliveira quintino@umc.br Fonte: http://www.antispam.br/ Monitoramento (PortScan) Exemplos de monitoramento são varreduras de porta, varredura

Leia mais

Aula 13 Mecanismos de Proteção. Fernando José Karl, AMBCI, CISSP, CISM, ITIL

Aula 13 Mecanismos de Proteção. Fernando José Karl, AMBCI, CISSP, CISM, ITIL Aula 13 Mecanismos de Proteção Fernando José Karl, AMBCI, CISSP, CISM, ITIL Agenda ü Mecanismos de Proteção ü Antivírus ü Antimalware ü Antivírus ü Um sistema de sistema de antivírus detecta códigos maliciosos

Leia mais

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Segurança Internet Fernando Albuquerque fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Tópicos Introdução Autenticação Controle da configuração Registro dos acessos Firewalls Backups

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação 1 Agenda Sistemas de Detecção de Intrusão 2 1 Sistemas de Detecção de Intrusão Os sistemas de detecção de intrusão ou IDS (Intrusion Detection Systems) são dispositivos de monitoramento

Leia mais

Março/2005 Prof. João Bosco M. Sobral

Março/2005 Prof. João Bosco M. Sobral Plano de Ensino Introdução à Segurança da Informação Princípios de Criptografia Segurança de Redes Segurança de Sistemas Símbolos: S 1, S 2,..., S n Um símbolo é um sinal (algo que tem um caráter indicador)

Leia mais

Automação de Bancada Pneumática

Automação de Bancada Pneumática Instituto Federal Sul-rio-grandense Campus Pelotas - Curso de Engenharia Elétrica Automação de Bancada Pneumática Disciplina: Projeto Integrador III Professor: Renato Allemand Equipe: Vinicius Obadowski,

Leia mais

Informação: o principal ativo de um negócio

Informação: o principal ativo de um negócio WHITE PAPER Informação: o principal ativo de um negócio Gestão de dados se tornou ponto crucial para sobrevivência das instituições, mas poucas ainda mantêm programa de treinamento em segurança. Fiscalização

Leia mais

Técnicas para interação de computador de bordo com dispositivo móvel usando tecnologia bluetooth

Técnicas para interação de computador de bordo com dispositivo móvel usando tecnologia bluetooth Técnicas para interação de computador de bordo com dispositivo móvel usando tecnologia bluetooth João Paulo Santos¹, Wyllian Fressaty¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil Jpsantos1511@gmail.com,

Leia mais

Objetivos deste capítulo

Objetivos deste capítulo 1 Objetivos deste capítulo Identificar a finalidade de uma política de segurança. Identificar os componentes de uma política de segurança de rede. Identificar como implementar uma política de segurança

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE OS MODELOS DE PROCESSO: PROTOTIPAÇÃO, PSP E SCRUM

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE OS MODELOS DE PROCESSO: PROTOTIPAÇÃO, PSP E SCRUM ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE OS MODELOS DE PROCESSO: PROTOTIPAÇÃO, PSP E SCRUM Peterson Vieira Salme 1, Claudete Werner 1 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR Brasil petersonsalme@gmail.com, claudete@unipar.br

Leia mais

Governança de TI. ITIL v.2&3 parte 2

Governança de TI. ITIL v.2&3 parte 2 Governança de TI ITIL v.2&3 parte 2 Prof. Luís Fernando Garcia LUIS@GARCIA.PRO.BR ITIL 2 BÁSICOS Suporte a Serviços: descreve os processos associados ao suporte do dia-a-dia e atividades de manutenção

Leia mais

Voz em ambiente Wireless

Voz em ambiente Wireless Voz em ambiente Wireless Mobilidade, acesso sem fio e convergência são temas do momento no atual mercado das redes de comunicação. É uma tendência irreversível, que vem se tornando realidade e incorporando-se

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES Alexandre Egleilton Araújo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil araujo.ale01@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Segurança na Web: Proteja seus dados na nuvem

Segurança na Web: Proteja seus dados na nuvem White paper Segurança na Web: Proteja seus dados na nuvem Resumo Sabemos que as equipes de segurança não podem estar em todos os locais, mas o cenário atual exige que as empresas estejam prontas para proteger

Leia mais

Falaremos um pouco das tecnologias e métodos utilizados pelas empresas e usuários domésticos para deixar a sua rede segura.

Falaremos um pouco das tecnologias e métodos utilizados pelas empresas e usuários domésticos para deixar a sua rede segura. Módulo 14 Segurança em redes Firewall, Criptografia e autenticação Falaremos um pouco das tecnologias e métodos utilizados pelas empresas e usuários domésticos para deixar a sua rede segura. 14.1 Sistemas

Leia mais

Nettion Security & Net View. Mais que um software, gestão em Internet.

Nettion Security & Net View. Mais que um software, gestão em Internet. Nettion Security & Net View Mais que um software, gestão em Internet. Net View & Nettion Security Mais que um software, gestão em Internet. A Net View e a Nettion Security Software se uniram para suprir

Leia mais

A Segurança da informação está relacionada a diferentes aspectos que são referentes à integridade, confiabilidade e disponibilidade das informações.

A Segurança da informação está relacionada a diferentes aspectos que são referentes à integridade, confiabilidade e disponibilidade das informações. Módulo 5 Segurança da Informação 2.1 Segurança da Informação A Segurança da informação está relacionada a diferentes aspectos que são referentes à integridade, confiabilidade e disponibilidade das informações.

Leia mais

Segurança da Informação Segurança de Redes Segurança de Sistemas Segurança de Aplicações

Segurança da Informação Segurança de Redes Segurança de Sistemas Segurança de Aplicações Segurança da Informação Segurança de Redes Segurança de Sistemas Segurança de Aplicações Símbolos Símbolos: S 1, S 2,..., S n Um símbolo é um sinal (algo que tem um caráter indicador) que tem uma determinada

Leia mais

Soluções em Segurança

Soluções em Segurança Desafios das empresas no que se refere a segurança da infraestrutura de TI Dificuldade de entender os riscos aos quais a empresa está exposta na internet Risco de problemas gerados por ameaças externas

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE. Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE. Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação WALTER BARROS NETO O PAPEL DOS HONEYPOTS NA SEGURANÇA DAS REDES DE COMPUTADORES Paulo Afonso BA Junho 2008 WALTER BARROS

Leia mais

Virtualização de Sistemas Operacionais

Virtualização de Sistemas Operacionais Virtualização de Sistemas Operacionais Felipe Antonio de Sousa 1, Júlio César Pereira 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil felipeantoniodesousa@gmail.com, juliocesarp@unipar.br Resumo.

Leia mais

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Aula 1 Conceitos da Computação em Nuvem A computação em nuvem ou cloud computing

Leia mais

Simulação de coleta de dados em redes de sensores sem o por robôs móveis utilizando a ferramenta Player/Stage

Simulação de coleta de dados em redes de sensores sem o por robôs móveis utilizando a ferramenta Player/Stage Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas - ICEB Departamento de Computação - DECOM Simulação de coleta de dados em redes de sensores sem o por robôs móveis utilizando

Leia mais

Superioridade do Linux sobre Windows no quesito segurança

Superioridade do Linux sobre Windows no quesito segurança OFICINA DE LÍNGUA PORTUGUESA LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS (UNI 003) UFMG ICEX CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 2º SEMESTRE 2010 Superioridade do Linux sobre Windows no quesito segurança Thiago de Freitas Faria Lucas

Leia mais

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com /

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / andre.belini@ifsp.edu.br MATÉRIA: SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Aula N : 09 Tema:

Leia mais

O Firewall do Windows vem incorporado ao Windows e é ativado automaticamente.

O Firewall do Windows vem incorporado ao Windows e é ativado automaticamente. Noções básicas sobre segurança e computação segura Se você se conecta à Internet, permite que outras pessoas usem seu computador ou compartilha arquivos com outros, deve tomar algumas medidas para proteger

Leia mais

Controles gerais iguais aos de pacotes de softwares: Instalação, Configuração, Manutenção, Utilitários.

Controles gerais iguais aos de pacotes de softwares: Instalação, Configuração, Manutenção, Utilitários. $XWDUTXLD(GXFDFLRQDOGR9DOHGR6mR)UDQFLVFR± $(96) )DFXOGDGHGH&LrQFLDV6RFLDLVH$SOLFDGDVGH3HWUROLQD± )$&$3( &XUVRGH&LrQFLDVGD&RPSXWDomR $8',725,$'$7(&12/2*,$'$,1)250$d 2 &RQWUROHVVREUHEDQFRGHGDGRVH PLFURFRPSXWDGRUHV

Leia mais

Capítulo 2: Introdução às redes comutadas (configuração switch)

Capítulo 2: Introdução às redes comutadas (configuração switch) Unisul Sistemas de Informação Redes de Computadores Capítulo 2: Introdução às redes comutadas (configuração switch) Roteamento e Switching Academia Local Cisco UNISUL Instrutora Ana Lúcia Rodrigues Wiggers

Leia mais

A ERA DO BIG DATA NO CONTEÚDO DIGITAL: OS DADOS ESTRUTURADOS E NÃO ESTRUTURADOS

A ERA DO BIG DATA NO CONTEÚDO DIGITAL: OS DADOS ESTRUTURADOS E NÃO ESTRUTURADOS A ERA DO BIG DATA NO CONTEÚDO DIGITAL: OS DADOS ESTRUTURADOS E NÃO ESTRUTURADOS Pedro Henrique Tessarolo¹, Willian Barbosa Magalhães¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil pedrotessarolo@gmail.com,

Leia mais

Problema. Controle de Acesso Lógico e Físico. Controle de Acesso Físico. Definição. Localização do CPD. Localização do CPD

Problema. Controle de Acesso Lógico e Físico. Controle de Acesso Físico. Definição. Localização do CPD. Localização do CPD Problema Controle de Acesso Lógico e Físico Prof. Alexandre Beletti Ferreira Com as informações armazenadas em computadores interligados com outros computadores no mundo todo surgi a necessidade de uma

Leia mais

4 Estrutura do Sistema Operacional. 4.1 - Kernel

4 Estrutura do Sistema Operacional. 4.1 - Kernel 1 4 Estrutura do Sistema Operacional 4.1 - Kernel O kernel é o núcleo do sistema operacional, sendo responsável direto por controlar tudo ao seu redor. Desde os dispositivos usuais, como unidades de disco,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UFSC DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA INE BACHARELADO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UFSC DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA INE BACHARELADO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UFSC DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA INE BACHARELADO EM CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO Xen Hypervisor Glauco Neves 07132022 Guilherme Pacheco 07232063 INE 5412-0432

Leia mais

Simulação de coleta de dados em redes de sensores sem o por robôs móveis utilizando a ferramenta Player/Stage

Simulação de coleta de dados em redes de sensores sem o por robôs móveis utilizando a ferramenta Player/Stage Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas - ICEB Departamento de Computação - DECOM Simulação de coleta de dados em redes de sensores sem o por robôs móveis utilizando

Leia mais

www.ricardokleber.com ricardokleber@ricardokleber.com @ricardokleber

www.ricardokleber.com ricardokleber@ricardokleber.com @ricardokleber Estruturando um A Experiência do Ricardo Kléber www.ricardokleber.com ricardokleber@ricardokleber.com @ricardokleber umsetembro CSIRT de 2013 2o Fórum BrasileiroEstruturando de CSIRTS 17 de Antes de mais

Leia mais

Capítulo 2 Conceitos de Segurança Física e Segurança Lógica

Capítulo 2 Conceitos de Segurança Física e Segurança Lógica Capítulo 2 Conceitos de Segurança Física e Segurança Lógica 2.1 Introdução 2.2 Segurança Física 2.2.1 Segurança externa e de entrada 2.2.2 Segurança da sala de equipamentos 2.2.3 Segurança dos equipamentos

Leia mais

Técnicas e ferramentas de ataque. Natiel Cazarotto Chiavegatti

Técnicas e ferramentas de ataque. Natiel Cazarotto Chiavegatti Técnicas e ferramentas de ataque Natiel Cazarotto Chiavegatti Preparação do ambiente Em relação a taques a redes sem fio deve-se ser levado em conta alguns aspectos, sendo que por sua vez devem se analisadas

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO EM BIBLIOTECAS DIGITAIS

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO EM BIBLIOTECAS DIGITAIS 1 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO EM BIBLIOTECAS DIGITAIS MARQUES, A. M. 1 ; VIDOTTI, S. A. B. G. 1 A Rede Internet como a conhecemos hoje foi concebida inicialmente para fins militares e depois utilizada como

Leia mais

Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino

Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino Maycon Cirilo dos Santos¹, Wyllian Fressatti¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil mayconsi2012@gmail.com, wyllian@unipar.br

Leia mais

Implementando um sistema IDS Nível Básico v 1.0 IDS. http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2009/09/snort1.jpg. Nível Básico

Implementando um sistema IDS Nível Básico v 1.0 IDS. http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2009/09/snort1.jpg. Nível Básico IDS http://pplware.sapo.pt/wp-content/uploads/2009/09/snort1.jpg Nível Básico Índice Índice 2 Apresentação 3 O que é um IDS 4 Entendendo melhor o funcionamento de um IDS 4 Características de um IDS 5 Vantagens

Leia mais

USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS NA MEDICINA

USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS NA MEDICINA USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS NA MEDICINA Marcos Lima, Júlio César Pereira Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil marcos_jump@hotmail.com juliocesarp@unipar.br Resumo. Este artigo constitui

Leia mais

Um Driver NDIS Para Interceptação de Datagramas IP

Um Driver NDIS Para Interceptação de Datagramas IP Um Driver NDIS Para Interceptação de Datagramas IP Paulo Fernando da Silva psilva@senior.com.br Sérgio Stringari stringari@furb.br Resumo. Este artigo apresenta o desenvolvimento de um driver NDIS 1 para

Leia mais