POLÍTICA INSTITUCIONAL DE ESTÍMULO À PRODUÇÃO INTELECTUAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "POLÍTICA INSTITUCIONAL DE ESTÍMULO À PRODUÇÃO INTELECTUAL"

Transcrição

1 CONSEPE de 09/06/2005 CONSU de 24/03/2011 CONSU de 26/06/2014 POLÍTICA INSTITUCIONAL DE ESTÍMULO À PRODUÇÃO INTELECTUAL O processo de produção do conhecimento em todas as suas manifestações, abrangendo a pesquisa básica e/ou aplicada, solicita a formulação de políticas específicas que norteiem os princípios e diretrizes de uma instituição que se propõe a consolidar tal processo por meio de delineamentos estratégicos. São estes princípios e diretrizes os elementos necessários ao estabelecimento de condições mínimas materiais e/ou intelectuais próprias ou via parcerias para o estímulo à pesquisa científica e tecnológica, explicitada por meio da produção editorial, quer de índole impressa ou eletrônica. A construção da pesquisa científica, bem como a veiculação de seus resultados e processos por meio de publicações, alcançam na dimensão mundial um peso cada vez mais significativo, uma vez que projeta o grau de importância que determinado Estado ou instituição depositam nesta articulação como polos indissociáveis. Nessa diretriz, a produção intelectual, fruto de experimentos ou reflexões de determinada instituição necessita de olhares externos promotores de análise, legitimação e aceitação por parte da comunidade científica em nível nacional e internacional. Não basta somente fazer ciência, não basta somente investir em tecnologia; há que se primar pela publicação dos seus resultados para o conhecimento das descobertas e ideias que passam a fazer parte da história da humanidade que mobilizam a história e mobilizam-se com a história. O estabelecimento de políticas específicas para a publicação da produção científica de determinada instituição é condição sine qua non não somente para sua projeção e classificação como centro de excelência, mas para sua própria sobrevivência como Instituição de Educação Superior (IES). A divulgação dos resultados das pesquisas de uma instituição deve ser promovida por meio de todos os veículos hábeis para tal finalidade. Assim, é necessário que sejam estabelecidas as condições necessárias para que este

2 intento tenha um seguimento satisfatório, tanto em nível de metodologias para as publicações das pesquisas, como instrumentos que garantam apoio suficiente para a sua manutenção. A publicação é um importante elo entre a IES e os seus diferentes públicos pois, pelo que produz e veicula, poderá se tornar conhecida dos que até então não a tinham como referencial. E, além disso, poderá alcançar um número de pessoas significativo, a um tempo de vida útil superior ao desenvolvido por qualquer marketing ou endomarketing, pois os seus resultados não são mensurados apenas pelo enfoque quantitativo, mas pela qualidade e profundidade do que se faz conhecido. Consciente dessa necessidade e comprometido com uma projeção da produção científica em distintas áreas do conhecimento, o Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP), estabelece sua política de produção científica e tecnológica institucionalizada. Ao se tratar de uma política específica sobre a produção intelectual é oportuno destacar o entendimento sobre o conceito que a norteia. O conceito de Política Institucional da Produção Intelectual é muito mais do que um conjunto de normas e diretrizes destinadas a orientar a utilização dos recursos humanos e materiais envolvidos na produção de publicações; tem a ver com o comprometimento do UNASP em fazer conhecidos por distintos veículos, impressos ou eletrônicos, os resultados das construções científicas desenvolvidas em seus Campi. Sendo assim, torna-se necessário sistematizar linhas diretrizes que orientarão e estimularão a produção e publicação intelectual desenvolvida no UNASP. 1 - Marcos norteadores As questões a seguir relacionadas constituem-se nos marcos norteadores que orientam a presente Política: UNASP - Política Institucional da Produção Intelectual Página 2

3 a) por que publicar? A IES tem peculiaridades e distinções que são um acervo de conhecimentos, os quais não devem ficar restritos ao contexto institucional. Além disso, a IES, com quase um século de existência, ofertando cursos em distintas áreas do conhecimento humano, o UNASP, necessita tornar público o resultado da sua produção científica, artística e cultural, quer por via impressa ou eletrônica. b) o que publicar? A publicação da produção resultante de esforços das distintas unidades educacionais ou em seu conjunto, ou ainda objeto de parcerias com outras organizações, deve receber apoio específico, destinado sistematicamente e previsto no orçamento anual da IES. Um aspecto essencial na produção, é a qualidade do que é produzido ou seja, cuidar para que a produção seja original, apresentada sob as diversas formas sob as quais as diferentes áreas de produção são difundidas. c) para quem publicar? Por meio da divulgação de sua produção intelectual, o UNASP pretende atingir o universo de estudantes universitários, docentes, pesquisadores, grupos de pesquisas, instituições e demais interessados em conhecer e compartilhar os trabalhos publicados. d) como publicar? A publicação da produção de caráter acadêmico-científico, artístico e tecnológico se dá preferencialmente através de periódicos e livros. A presente política privilegiará nesse momento, a publicação em periódicos, seguindo a estratificação dada pela Capes. e) quando publicar? A produção intelectual realizada, coletiva ou individualmente, deverá ser encaminhada, por seus autores, ao periódico escolhido para a publicação, dentro dos prazos estabelecidos nas normas do veículo escolhido. f) quanto publicar? UNASP - Política Institucional da Produção Intelectual Página 3

4 A quantidade ou volume de publicações acompanhará as exigências delimitadas pelos órgãos oficiais para efeitos de avaliação. g) onde publicar? Diferentes meios de divulgação hoje disponíveis se constituem em estímulo para a publicidade da produção realizada. 2 - Vetores centrais para estímulo à publicação a) A Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão do UNASP tem a responsabilidade de divulgar e acompanhar a implementação da Política Institucional da Produção Intelectual através das Diretorias de Pós- Graduação, Pesquisa e Extensão de campus e Coordenadorias de Pesquisa, empreendendo esforços sistemáticos para sua efetivação e consolidação. b) No Plano Orçamentário Anual da Instituição deve estar previsto a inversão necessária para a publicação da produção científica. c) As Coordenadorias de Pesquisa é são responsáveis pela execução e acompanhamento da Política Institucional da Produção Intelectual. 3 - Relevância e abrangência do estímulo à produção intelectual Ao preocupar-se em estabelecer uma política específica com a finalidade de incentivar a produção intelectual, o UNASP reconhece que os resultados da investigação científica se darão principalmente a partir da produção advinda dos grupos de pesquisa, segundo as linhas de pesquisa institucionais estabelecidas, entendendo-se esses como: 1. Grupo de pesquisa: conjunto de especialistas organizados hierarquicamente, em que o fundamento organizador é a experiência, o destaque e a liderança no terreno científico ou tecnológico. No grupo de pesquisa, o trabalho organiza-se em torno a linhas comuns de pesquisa e que, em algum grau, compartilham instalações e equipamentos. 2. Linha de pesquisa: constitui um importante instrumento político no sentido de delimitar a abrangência do campo de investigação de acordo com a natureza UNASP - Política Institucional da Produção Intelectual Página 4

5 do objeto de estudo, além de favorecer a organização institucional da investigação científica. 4 - Incentivos à produção intelectual O incentivo à produção intelectual se dará mediante remuneração específica, designação de carga horária, perspectiva de mobilidade no plano de carreira docente e apoio institucional para a divulgação. EQUIPES TÉCNICAS Elaboração (2005): Paulo Gomes Lima (Coordenador) Reelaboração (2011): Tânia Denise Kuntze (Coord.) Pró-Reitora Acadêmica Afonso Ligório Cardoso Diretor Acadêmico Campus Engenheiro Coelho Francisca Pinheiro da Silveira Costa Coordenadora de Pesquisa Campus Engenheiro Coelho Marcos Natal Costa Coordenador de Pesquisa Campus São Paulo Moisés Sanches Junior Coordenador de Pesquisa Campus Hortolândia Atualização do texto (2014): Tânia Denise Kuntze Eli Andrade Rocha Prates Francisca Pinheiro Costa Marcos Natal Souza Costa UNASP - Política Institucional da Produção Intelectual Página 5

REGULAMENTO DA EXTENSÃO CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DA EXTENSÃO CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES GERAIS Texto Aprovado CONSEPE Nº 2005-12 - Data:19/06/05 Texto Revisado e Atualizado CONSU Nº 2011-04 - Data: 24/03/11 2012-29 29/11/2012 REGULAMENTO DA EXTENSÃO CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES GERAIS Art. 1º Este

Leia mais

Estudo Técnico PRODUÇÃO INTELECTUAL INSTITUCIONALIZADA NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO

Estudo Técnico PRODUÇÃO INTELECTUAL INSTITUCIONALIZADA NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO PRODUÇÃO INTELECTUAL INSTITUCIONALIZADA NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO As instituições de ensino, especialmente as universidades, se caracterizam pela produção intelectual de seus membros. A Lei de Diretrizes

Leia mais

DIRETRIZES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS GRUPOS E DAS LINHAS DE PESQUISA DA UFFS

DIRETRIZES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS GRUPOS E DAS LINHAS DE PESQUISA DA UFFS UNIVERIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL - UFFS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DIRETRIZES PARA A ORGANIZAÇÃO DOS GRUPOS E DAS LINHAS DE PESQUISA DA UFFS Chapecó, setembro de 2010. DIRETRIZES BÁSICAS

Leia mais

Minicurso: Elaboração de projetos das atividades de pesquisa

Minicurso: Elaboração de projetos das atividades de pesquisa Minicurso: Elaboração de projetos das atividades de pesquisa Maria Bernardete Cordeiro de Sousa Pró-Reitora de Pesquisa Docência Universitária Contexto, cultura Produção do conhecimento Apropriação do

Leia mais

Regulamento de Trabalho de Conclusão de Curso - TCC

Regulamento de Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Aprovações CONSEPE 2004-01 de 15/20/20014 CONSU 2008-01 de 02/04/2008 CONSU 2010-01 de 25/03/2010 CONSU 2010-052 de 13/12/2010 CONSU 2013-17 de 26/09/2013 Regulamento de Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 11, DE 22 DE MARÇO DE 2017

RESOLUÇÃO N.º 11, DE 22 DE MARÇO DE 2017 UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO- CONSEPE Secretaria dos Órgãos Colegiados Superiores (Socs) Bloco IV, Segundo Andar, Câmpus de Palmas (63) 3232-8067 (63) 3232-8238

Leia mais

ATUALIZAÇÃO/CADASTRAMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA NO DIRETÓRIO DOS GRUPOS DE PESQUISA NO BRASIL CNPq

ATUALIZAÇÃO/CADASTRAMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA NO DIRETÓRIO DOS GRUPOS DE PESQUISA NO BRASIL CNPq ATUALIZAÇÃO/CADASTRAMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA NO DIRETÓRIO DOS GRUPOS DE PESQUISA NO BRASIL CNPq GRUPOS DE PESQUISA: DEFINIÇÃO E CRITÉRIOS ESTABELECIDOS PELA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA PROPe/UNESP a) Definição

Leia mais

Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI

Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI PROGRAMA INSTITUCIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL 2011 EDITAL PROPEPG Nº 07/2010 A Pró-Reitoria de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação PROPEPG, visando aperfeiçoar as ações relativas à Assistência Social, em

Leia mais

Minicurso: Elaboração de projetos das atividades de pesquisa

Minicurso: Elaboração de projetos das atividades de pesquisa Minicurso: Elaboração de projetos das atividades de pesquisa Maria Bernardete Cordeiro de Sousa Pró-Reitora de Pesquisa Docência Universitária Contexto, cultura Produção do conhecimento Apropriação do

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISA, TECNOLOGIA E NEGÓCIOS Nº 01/2017

INSTITUTO DE PESQUISA, TECNOLOGIA E NEGÓCIOS Nº 01/2017 INSTITUTO DE PESQUISA, TECNOLOGIA E NEGÓCIOS EDITAL DE CRIAÇÃO E CADASTRO DE GRUPOS DE PESQUISA Nº 01/2017 O Instituto de Pesquisa, Tecnologia e Negócios (IPTN), no uso de suas atribuições legais, torna

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE AÇÃO SOCIAL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE AÇÃO SOCIAL PROGRAMA INSTITUCIONAL DE AÇÃO SOCIAL E D I T A L / P R O P E P G N º 1 2 d e 0 4 d e a g o s t o d e 2 0 1 7 A Pró-Reitoria de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação PROPEPG, visando aperfeiçoar as ações

Leia mais

ATUALIZAÇÃO/CADASTRAMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA NO DIRETÓRIO DOS GRUPOS DE PESQUISA NO BRASIL CNPq

ATUALIZAÇÃO/CADASTRAMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA NO DIRETÓRIO DOS GRUPOS DE PESQUISA NO BRASIL CNPq ATUALIZAÇÃO/CADASTRAMENTO DE GRUPOS DE PESQUISA NO DIRETÓRIO DOS GRUPOS DE PESQUISA NO BRASIL CNPq GRUPOS DE PESQUISA: DEFINIÇÃO E CRITÉRIOS ESTABELECIDOS PELA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA PROPe/UNESP a) Definição

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA EDITORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO EDUFERSA

REGIMENTO INTERNO DA EDITORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO EDUFERSA REGIMENTO INTERNO DA EDITORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO 2010 1 REGIMENTO INTERNO DA EDITORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E DA SUA FINALIDADE Art.

Leia mais

Instruções para formalização de convênios e contratos

Instruções para formalização de convênios e contratos Instruções para formalização de convênios e contratos Primeiramente, verificar qual é o tipo de documento que está sendo proposto: convênio (acordo) ou contrato. O convênio é um instrumento que disciplina

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O PROCESSO DE PROGRESSÃO FUNCIONAL DOCENTE

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O PROCESSO DE PROGRESSÃO FUNCIONAL DOCENTE ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O PROCESSO DE PROGRESSÃO FUNCIONAL DOCENTE A UEPB vem se consolidando nos últimos anos como uma instituição empenhada na busca da excelência acadêmica e da qualidade dos seus serviços,

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E EMPREENDEDORISMO EM SAÚDE NITE SAÚDE CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E EMPREENDEDORISMO EM SAÚDE NITE SAÚDE CAPÍTULO I DAS FINALIDADES REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E EMPREENDEDORISMO EM SAÚDE NITE SAÚDE CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º. O Núcleo de Inovação Tecnológica e Empreendedorismo em Saúde da Universidade Federal

Leia mais

RELATÓRIO DE RESPOSTAS OBTIDAS NA PESQUISA DE AUTOAVALIAÇÃO 2016 CENTRO DE CIÊNCIAS RURAIS CCR: MODALIDADE PRESENCIAL

RELATÓRIO DE RESPOSTAS OBTIDAS NA PESQUISA DE AUTOAVALIAÇÃO 2016 CENTRO DE CIÊNCIAS RURAIS CCR: MODALIDADE PRESENCIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO DE RESPOSTAS OBTIDAS NA PESQUISA DE AUTOAVALIAÇÃO 2016 DE CIÊNCIAS RURAIS

Leia mais

A AVALIAÇÃO NO SISTEMA NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO: QUALIDADE ACADÊMICA E IMPACTOS NO DESENVOLVIMENTO DO PAÍS CAPES

A AVALIAÇÃO NO SISTEMA NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO: QUALIDADE ACADÊMICA E IMPACTOS NO DESENVOLVIMENTO DO PAÍS CAPES ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS GRADUANDOS MESA REDONDA SBPC A AVALIAÇÃO NO SISTEMA NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO: QUALIDADE ACADÊMICA E IMPACTOS NO DESENVOLVIMENTO DO PAÍS Prof. Dr. Joviles Vitorio Trevisol Presidente

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMÍNIO OMETTO UNIARARAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROPESQ PROGRAMA INSTITUCIONAL DE AUXÍLIO À PESQUISA

CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMÍNIO OMETTO UNIARARAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROPESQ PROGRAMA INSTITUCIONAL DE AUXÍLIO À PESQUISA CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMÍNIO OMETTO UNIARARAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROPESQ PROGRAMA INSTITUCIONAL DE AUXÍLIO À PESQUISA PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Artigo 1º - O Programa

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 10/09 CONSUNI

RESOLUÇÃO Nº 10/09 CONSUNI RESOLUÇÃO Nº 10/09 CONSUNI APROVA A POLÍTICA DE PESQUISA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE JARAGUÁ DO SUL UNERJ. A Presidente do Conselho Universitário CONSUNI do Centro Universitário de Jaraguá do Sul UNERJ,

Leia mais

Questões Gerais Planejamento e Avaliação Institucional

Questões Gerais Planejamento e Avaliação Institucional Como você avalia a gestão ambiental da Instituição? Questões Gerais Planejamento e Avaliação Institucional 4 3,36% 8,53% Boa 28 23,53% 36,91% Como você avalia a divulgação dos resultados da Pesquisa de

Leia mais

COLEGIADO DE CURSOS FACULDADE UNA DE BETIM. Resolução nº 16 de 21 de novembro de 2016

COLEGIADO DE CURSOS FACULDADE UNA DE BETIM. Resolução nº 16 de 21 de novembro de 2016 COLEGIADO DE CURSOS Resolução nº 16 de 21 de novembro de 2016 Institui a Política de Extensão no âmbito da Faculdade Una de Betim e dá outras providências. A Presidente do Colegiado de Cursos da Faculdade

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA POLÍTICA AMBIENTAL

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA POLÍTICA AMBIENTAL CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA POLÍTICA AMBIENTAL Porto Alegre 2014 CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA Reitor e Pró-Reitor de Graduação Roberto Pontes da Fonseca Coordenadora de Graduação Luciane Torezan

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI O Ministério de Educação (MEC) através da implantação do Sistema nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) constatou a necessidade de incluir, como

Leia mais

Equipe. Eurico de Barros Lôbo Filho Reitor. Rachel Rocha de Almeida Barros Vice-reitora

Equipe. Eurico de Barros Lôbo Filho Reitor. Rachel Rocha de Almeida Barros Vice-reitora Equipe Eurico de Barros Lôbo Filho Reitor Rachel Rocha de Almeida Barros Vice-reitora Simoni Margareti Plentz Meneghetti Pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação Karina Ribeiro Salomon Coordenadora de Pesquisa

Leia mais

Avaliação de Cursos, Novo Instrumento de Avaliação Institucional e a. Função da CPA neste contexto

Avaliação de Cursos, Novo Instrumento de Avaliação Institucional e a. Função da CPA neste contexto Avaliação de Cursos, Novo Instrumento de Avaliação Institucional e a Função da CPA neste contexto Profa. Dra. Marion Creutzberg Coordenadora da CPA / PUCRS Papel da CPA na avaliação de cursos de graduação

Leia mais

DELIBERAÇÃO Nº 06, DE 31 DE JANEIRO DE 2017

DELIBERAÇÃO Nº 06, DE 31 DE JANEIRO DE 2017 DELIBERAÇÃO Nº 06, DE 31 DE JANEIRO DE 2017 O DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO, tendo em vista a decisão tomada em sua 333ª Reunião Ordinária, realizada em 31 de janeiro de 2017, e considerando

Leia mais

PORTARIA Nº 300 DE 30 DE JANEIRO DE 2006 (D. O nº 22 Seção I 31/01/2006 Pág. 5 a 7)

PORTARIA Nº 300 DE 30 DE JANEIRO DE 2006 (D. O nº 22 Seção I 31/01/2006 Pág. 5 a 7) PORTARIA Nº 300 DE 30 DE JANEIRO DE 2006 (D. O nº 22 Seção I 31/01/2006 Pág. 5 a 7) Aprova, em extrato, o Instrumento de Avaliação Externa de Instituições de Educação Superior do Sistema Nacional de Avaliação

Leia mais

De acordo ao PDI do IFSP, no que se refere às Políticas de Pesquisa, os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia são verdadeiros

De acordo ao PDI do IFSP, no que se refere às Políticas de Pesquisa, os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia são verdadeiros De acordo ao PDI do IFSP, no que se refere às Políticas de Pesquisa, os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia são verdadeiros fomentadores do diálogo dentro de seu território, cabe provocar

Leia mais

Como você avalia a atuação do seu orientador em relação ao acompanhamento e orientação do seu projeto de pós-graduação?

Como você avalia a atuação do seu orientador em relação ao acompanhamento e orientação do seu projeto de pós-graduação? Na Unidade Des. sei/ se Pós- Co você avalia a atuação do seu orientador em relação ao acompanhamento e orientação do seu projeto de pós-graduação? 90,06% 6,63% 2,76% 0,55% Possuir currículos interdisciplinares,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 085/2010-COU, DE 9 DE JULHO DE 2010.

RESOLUÇÃO Nº 085/2010-COU, DE 9 DE JULHO DE 2010. RESOLUÇÃO Nº 085/2010-COU, DE 9 DE JULHO DE 2010. Aprova a criação e o Regulamento do Núcleo de Formação Docente e Prática de Ensino (Nufope), da Universidade Estadual do Oeste do Paraná. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

REITORIA. ASSESSORIA DE LEGISLAÇÃO E NORMAS - ALegN REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS DE MERCADO E PESQUISA DE OPINIÃO MARKNET - UTP

REITORIA. ASSESSORIA DE LEGISLAÇÃO E NORMAS - ALegN REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS DE MERCADO E PESQUISA DE OPINIÃO MARKNET - UTP REITORIA ASSESSORIA DE LEGISLAÇÃO E NORMAS - ALegN REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS DE MERCADO E PESQUISA DE OPINIÃO MARKNET - UTP Curitiba 2011 SOCIEDADE EDUCACIONAL TUIUTI LTDA. MANTENEDORES Afonso Celso

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional

Plano de Desenvolvimento Institucional data Plano de Desenvolvimento Institucional PDI - 2016-2020 Prof. Esper Cavalheiro Pró-Reitor de Planejamento - PROPLAN Profa. Cíntia Möller Araujo Coordenadora de Desenvolvimento Institucional e Estudos

Leia mais

Universidade Federal do Piauí. Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento Diretoria de Informação e Avaliação Institucional

Universidade Federal do Piauí. Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento Diretoria de Informação e Avaliação Institucional Universidade Federal do Piauí Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento Diretoria de Informação e Avaliação Institucional ABRIL/2011 FUNDAMENTOS LEGAIS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Constituição Federal (art. 205-214)

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CHAMADA PÚBLICA PROGRAD/UFOP 01/2015

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CHAMADA PÚBLICA PROGRAD/UFOP 01/2015 CHAMADA PÚBLICA PROGRAD/UFOP 01/2015 A Pró-Reitoria de Graduação da Universidade Federal de Ouro Preto (PROGRAD/UFOP) convida, por meio desta Chamada Pública, os professores e demais interessados da comunidade

Leia mais

Edital Universidade Santa Úrsula-USU: 02/ Programa Institucional Interno de Criação, Consolidação e Apoio a Grupos de Pesquisa

Edital Universidade Santa Úrsula-USU: 02/ Programa Institucional Interno de Criação, Consolidação e Apoio a Grupos de Pesquisa Edital Universidade Santa Úrsula-USU: 02/2017 - Programa Institucional Interno de Criação, Consolidação e Apoio a Grupos de Pesquisa A Universidade Santa Úrsula - USU - do Rio de Janeiro, por intermédio

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 22 DE MARÇO DE 2012

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N , DE 22 DE MARÇO DE 2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.262, DE 22 DE MARÇO DE 2012 Institui o Regulamento para a realização dos Estágios Supervisionados,

Leia mais

Edital Universidade Santa Úrsula - USU: 02/ Programa de Iniciação Científica

Edital Universidade Santa Úrsula - USU: 02/ Programa de Iniciação Científica Edital Universidade Santa Úrsula - USU: 02/2017 - Programa de Iniciação Científica A Universidade Santa Úrsula USU - do Rio de Janeiro, por intermédio da Pró- Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão,

Leia mais

Nome da Política Programa de Extensão Universitaria. Assinatura Data: (dd/mm/aaaa) Assinatura Data: (dd/mm/aaaa) (Ver no documento.

Nome da Política Programa de Extensão Universitaria. Assinatura Data: (dd/mm/aaaa) Assinatura Data: (dd/mm/aaaa) (Ver no documento. Código do Documento SG-P013 Nome da Política Programa de Extensão Universitaria Autor Aprovação Assinatura Data: (dd/mm/aaaa) Assinatura Data: (dd/mm/aaaa) Adriana Valese Diretoria de Suporte e Planejamento

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC REGULAMENTO

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC REGULAMENTO Texto Aprovado CONSU Nº 2010-08 - Data: 10/06/10 PRÓ-REITORIA ACADÊMICA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC REGULAMENTO 1. O programa se destina a apoiar os discentes do UNASP

Leia mais

FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR PAE - PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS

FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR PAE - PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR PAE - PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS HORIZONTINA - RS 2011 PAE Programa de Acompanhamento de Egressos I HISTÓRICO Desde 2006, ano em que formou a sua primeira turma,

Leia mais

Centro Universitário Adventista de São Paulo Fundado em 1915

Centro Universitário Adventista de São Paulo Fundado em 1915 Centro Universitário Adventista de São Paulo Fundado em 1915 www.unasp.edu.br Missão: Educar no contexto dos valores bíblico-cristãos para o viver pleno e a excelência no servir. Visão: Ser um centro universitário

Leia mais

EDITAL Nº. 30/2017. Participação no Programa de Apoio Institucional para Organização de Eventos Técnico-Científicos (TC 118/2017 Fundação Araucária)

EDITAL Nº. 30/2017. Participação no Programa de Apoio Institucional para Organização de Eventos Técnico-Científicos (TC 118/2017 Fundação Araucária) EDITAL Nº. 30/2017 Participação no Programa de Apoio Institucional para Organização de Eventos Técnico-Científicos (TC 118/2017 Fundação Araucária) A Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade

Leia mais

Coordenação de Pesquisa Relatório de Atividades de Pesquisa ( ) do Instituto Federal de Minas Gerais Campus Ouro Branco

Coordenação de Pesquisa Relatório de Atividades de Pesquisa ( ) do Instituto Federal de Minas Gerais Campus Ouro Branco Coordenação de Pesquisa Relatório de Atividades de Pesquisa (2013-2017) do Instituto Federal de Minas Gerais Campus Ouro Branco Elaborado Por Leandro Elias Morais Março 2017 SUMÁRIO Página 1 INTRODUÇÃO...

Leia mais

TUTORIAL DO EDITAL CAPES/PAEP Nº 03/2017 PROPOSTAS DE EVENTOS CIENTÍFICOS NO ÂMBITO DO PROGRAMA DE APOIO A EVENTOS NO PAÍS

TUTORIAL DO EDITAL CAPES/PAEP Nº 03/2017 PROPOSTAS DE EVENTOS CIENTÍFICOS NO ÂMBITO DO PROGRAMA DE APOIO A EVENTOS NO PAÍS TUTORIAL DO EDITAL CAPES/PAEP Nº 03/2017 PROPOSTAS DE EVENTOS CIENTÍFICOS NO ÂMBITO DO PROGRAMA DE APOIO A EVENTOS NO PAÍS Março/2017 EDITAL CAPES/PAEP Nº 03/2017 Chamada Pública de propostas de eventos

Leia mais

REGIMENTO DO CEDUC Centro de Educação da Universidade Federal de Itajubá

REGIMENTO DO CEDUC Centro de Educação da Universidade Federal de Itajubá REGIMENTO DO CEDUC Centro de Educação da Universidade Federal de Itajubá Dispõe sobre a constituição e funcionamento do Centro de Educação da Universidade Federal de Itajubá. CAPÍTULO I DO CENTRO DE EDUCAÇÃO

Leia mais

NÚCLEO DE MISSÕES E CRESCIMENTO DE IGREJA FACULDADE ADVENTISTA DE TEOLOGIA (FAT) UNASP REGULAMENTO

NÚCLEO DE MISSÕES E CRESCIMENTO DE IGREJA FACULDADE ADVENTISTA DE TEOLOGIA (FAT) UNASP REGULAMENTO Texto Aprovado CONSU Nº 2009-14 - Data: 03/09/09 PRÓ-REITORIA ACADÊMICA NÚCLEO DE MISSÕES E CRESCIMENTO DE IGREJA FACULDADE ADVENTISTA DE TEOLOGIA (FAT) UNASP REGULAMENTO Conforme Regimento do UNASP Artigo

Leia mais

Diretor Presidente: Domingos José de Souza Diretor Administrativo: Élnio Álvares de Freitas Diretor Secretário: Emmanuel Oliveira Guimarães

Diretor Presidente: Domingos José de Souza Diretor Administrativo: Élnio Álvares de Freitas Diretor Secretário: Emmanuel Oliveira Guimarães Centro Universitário Adventista de São Paulo Fundado em 1915 www.unasp.edu.br Missão: Educar no contexto dos valores bíblicos para um viver pleno e para a excelência no servirço a Deus e à humanidade.

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL EDITAL PET / ENGENHARIA DE ALIMENTOS - PROGRAD Nº. 44/2013

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL EDITAL PET / ENGENHARIA DE ALIMENTOS - PROGRAD Nº. 44/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL EDITAL PET / ENGENHARIA DE ALIMENTOS - PROGRAD Nº. 44/2013 A Universidade Federal

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº CONSU, DE 07 DE AGOSTO DE 2009.

RESOLUÇÃO Nº CONSU, DE 07 DE AGOSTO DE 2009. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI CONSU RESOLUÇÃO Nº. 16 - CONSU, DE 07 DE AGOSTO DE 2009. Aprova o Regimento interno da Diretoria de Relações Internacionais

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 034/ CEPE DE 23 de Agosto de 2006.

RESOLUÇÃO Nº 034/ CEPE DE 23 de Agosto de 2006. RESOLUÇÃO Nº 034/2006 - CEPE DE 23 de Agosto de 2006. APROVA A ALTERAÇÃO DA RESOLUÇÃO CEPE N.º 003- A/2003 NORMAS DE ESTÁGIO. O Reitor da Universidade Castelo Branco, usando de suas atribuições legais

Leia mais

Objetivo: propor recomendações para o trabalho efetivo dos NDE

Objetivo: propor recomendações para o trabalho efetivo dos NDE PROIAC Estudo sobre Núcleo Docente Estruturante (NDE) Objetivo: propor recomendações para o trabalho efetivo dos NDE Claudia Marcia Borges Barreto claudiamarcia@id.uff.br O que é NDE? Comissão de acompanhamento

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 211 DE 28/11/ CAS

RESOLUÇÃO N o 211 DE 28/11/ CAS RESOLUÇÃO N o 211 DE 28/11/2016 - CAS Estabelece normas para a realização das Atividades Complementares nos Cursos de Graduação da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão

Leia mais

DIRETRIZES PARA O CREDENCIAMENTO DE LÍDERES E A CERTIFICAÇÃO DE GRUPOS DE PESQUISA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS (UFG)

DIRETRIZES PARA O CREDENCIAMENTO DE LÍDERES E A CERTIFICAÇÃO DE GRUPOS DE PESQUISA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS (UFG) DIRETRIZES PARA O CREDENCIAMENTO DE LÍDERES E A CERTIFICAÇÃO DE GRUPOS DE PESQUISA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS (UFG) CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º. O Diretório de Grupos de Pesquisa, que compõe

Leia mais

Pressupostos Relato de experiência

Pressupostos Relato de experiência Relação Planejamento-Avaliação Institucional na Universidade Pressupostos Relato de experiência Profª. SUZANA SALVADOR CABRAL GIANOTTI Coordenadora da Avaliação Institucional da Universidade La Salle Coordenadora

Leia mais

Solicitações de divulgação no Broadcast

Solicitações de divulgação no Broadcast BROADCAST O broadcast é a ferramenta para envio de informes de caráter excepcional e/ou emergencial. É destinado à comunicação de assuntos de cunho informativo e administrativo, sem periodicidade fixa.

Leia mais

Edital Universidade Santa Úrsula-USU: 01/ Programa Institucional Interno de Criação, Consolidação e Apoio a Grupos de Pesquisa

Edital Universidade Santa Úrsula-USU: 01/ Programa Institucional Interno de Criação, Consolidação e Apoio a Grupos de Pesquisa Edital Universidade Santa Úrsula-USU: 01/2017 - Programa Institucional Interno de Criação, Consolidação e Apoio a Grupos de Pesquisa A Universidade Santa Úrsula - USU - do Rio de Janeiro, por intermédio

Leia mais

RESOLVE: Artigo 3º - O GP será credenciado após envio de formulário específico à PRPPG efetuada pelo líder do GP.

RESOLVE: Artigo 3º - O GP será credenciado após envio de formulário específico à PRPPG efetuada pelo líder do GP. RESOLUÇÃO Nº 436/2005 EMENTA: Aprova normas para Grupos de Pesquisa, Linhas de Pesquisa e Projetos de Pesquisa coordenados por Professores/Pesquisadores da UFRPE e dá outras providências. O Presidente

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO ORDEM DE SERVIÇO OS -002/ SR-3/ ASSUNTO: REGULAMENTA AS AÇÕES DE EXTENSÃO VIGÊNCIA: 25/01/2013 VERSÃO: 05

IDENTIFICAÇÃO ORDEM DE SERVIÇO OS -002/ SR-3/ ASSUNTO: REGULAMENTA AS AÇÕES DE EXTENSÃO VIGÊNCIA: 25/01/2013 VERSÃO: 05 OS -002/ SR-3/ 2013 1 5 1 FINALIDADE A presente Ordem de Serviço tem como finalidade conceituar, organizar e disciplinar as ações que constituem a Extensão, na UERJ: Programa, Projetos, Cursos e Eventos.

Leia mais

PROPOSTA DE AUTO-AVALIAÇÃO

PROPOSTA DE AUTO-AVALIAÇÃO PROPOSTA DE AUTO-AVALIAÇÃO Nesta proposta, que se enquadra perfeitamente no objetivo da Autoavaliação que é identificar o perfil e o significado de atuação da UFSJ, por meio de suas atividades, cursos,

Leia mais

Edital Universidade Santa Úrsula - USU: 01/ Bolsa de Iniciação Científica

Edital Universidade Santa Úrsula - USU: 01/ Bolsa de Iniciação Científica Edital Universidade Santa Úrsula - USU: 01/2017 - Bolsa de Iniciação Científica A Universidade Santa Úrsula USU - do Rio de Janeiro, por intermédio da Pró- Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão,

Leia mais

Regulamento das atividades de pesquisa

Regulamento das atividades de pesquisa www.unp.br Regulamento das atividades de pesquisa REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE PESQUISA (aprovado pela Resolução Nº 020/2015-ConEPE-UnP, de 24/03/2015) Natal/RN 2015 TÍTULO I - DO REGULAMENTO DE PESQUISA...7

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento do Núcleo de Extensão Universitária da Universidade São Francisco USF.

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento do Núcleo de Extensão Universitária da Universidade São Francisco USF. RESOLUÇÃO CONSUN 5/2014 APROVA O REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA NEXT DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. O Presidente do Conselho Universitário CONSUN, no uso das atribuições que lhe confere

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA POSSIBILIDADES E CAMINHOS

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA POSSIBILIDADES E CAMINHOS EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA POSSIBILIDADES E CAMINHOS Universidade Federal de Juiz de Fora 11 de Dezembro de 2009 Celso Costa Diretor de Educação a Distância DED CAPES MEC SISTEMA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL

Leia mais

EDITAL DE FLUXO CONTÍNUO DE AÇÕES DE EXTENSÃO (EXT-2010) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO

EDITAL DE FLUXO CONTÍNUO DE AÇÕES DE EXTENSÃO (EXT-2010) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO EDITAL DE FLUXO CONTÍNUO DE AÇÕES DE EXTENSÃO (EXT-2010) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO A Universidade Federal de Mato Grosso por meio da Pró-Reitoria de Cultura, Extensão e Vivência torna público

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS EDUCAÇÃO BÁSICA ENSINO SUPERIOR EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL EDUCAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SISTEMA DE JUSTIÇA E SEGURANÇA EDUCAÇÃO E MÍDIA Comitê Nacional de Educação

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE EDITAL Nº 06/2017 PROPI/IFRN APOIO INSTITUCIONAL À TRADUÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS PARA PUBLICAÇÃO O Pró-Reitor de Pesquisa e

Leia mais

FACULDADE DE IMPERATRIZ - FACIMP PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLOGICA

FACULDADE DE IMPERATRIZ - FACIMP PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLOGICA FACULDADE DE IMPERATRIZ - FACIMP PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLOGICA Agosto, 2016 2 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA - PICT A Faculdade de Imperatriz - FACIMP desenvolve atividades

Leia mais

Centro Universitário Adventista de São Paulo Fundado em 1915

Centro Universitário Adventista de São Paulo Fundado em 1915 Centro Universitário Adventista de São Paulo Fundado em 1915 www.unasp.edu.br Missão: Visão: Educar no contexto dos valores bíblicos para um viver pleno e para a excelência no servirço a Deus e à humanidade.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO DE 2016 DO CAMPUS BELÉM RELATÓRIO PARCIAL

Leia mais

EDITAL PPEUR N.02/2017 SELEÇÃO DE BOLSISTA PARA PROGRAMA NACIONAL DE PÓS-DOUTORADO PNDP (CAPES)

EDITAL PPEUR N.02/2017 SELEÇÃO DE BOLSISTA PARA PROGRAMA NACIONAL DE PÓS-DOUTORADO PNDP (CAPES) UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS (PPEUR) EDITAL PPEUR N.02/2017 SELEÇÃO DE BOLSISTA PARA PROGRAMA

Leia mais

4 Perfil do Quadro de Servidores

4 Perfil do Quadro de Servidores 4 Perfil do Quadro de Servidores 4.1 Servidores Docentes O quadro de servidores docentes do IFRO é composto por Professores do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico regidos pela Lei nº 8.112/90 e Lei nº

Leia mais

EDITAL Nº 05/2015/PROCULT SELEÇÃO DE AÇÕES CULTURAIS DE INICIATIVA DA COMUNIDADE ACADÊMICA PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE CULTURA

EDITAL Nº 05/2015/PROCULT SELEÇÃO DE AÇÕES CULTURAIS DE INICIATIVA DA COMUNIDADE ACADÊMICA PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE CULTURA EDITAL Nº 05/2015/PROCULT SELEÇÃO DE AÇÕES CULTURAIS DE INICIATIVA DA COMUNIDADE ACADÊMICA PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE CULTURA - 2016 A Pró-Reitoria de Cultura torna pública a abertura das inscrições destinadas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO RESOLUÇÃO N.º 2628, DE 08 DE SETEMBRO DE 2005

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO RESOLUÇÃO N.º 2628, DE 08 DE SETEMBRO DE 2005 RESOLUÇÃO N.º 2628, DE 08 DE SETEMBRO DE 2005 Dispõe sobre a regulamentação das Atividades Complementares nos currículos dos Cursos de Graduação da UNIRIO. O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, em

Leia mais

ARTICULAÇÃO ENTRE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UM REQUISITO PARA A GESTÃO ESTRATÉGICA EM INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

ARTICULAÇÃO ENTRE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UM REQUISITO PARA A GESTÃO ESTRATÉGICA EM INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR SEMINÁRIO NACIONAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ARTICULAÇÃO ENTRE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UM REQUISITO PARA A GESTÃO ESTRATÉGICA EM INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR Suzana Salvador

Leia mais

Centro Universitário Estácio Juiz de Fora Pró-reitoria de Graduação Pró-reitoria de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão

Centro Universitário Estácio Juiz de Fora Pró-reitoria de Graduação Pró-reitoria de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão Centro Universitário Estácio Juiz de Fora Pró-reitoria de Graduação Pró-reitoria de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão Edital de Concurso para Seleção de Projetos de Extensão Acadêmica PEA Período agosto

Leia mais

Guia de Orientações sobre as Atividades dos Técnicos em Assuntos Educacionais (TAEs) da UNIRIO

Guia de Orientações sobre as Atividades dos Técnicos em Assuntos Educacionais (TAEs) da UNIRIO Guia de Orientações sobre as Atividades dos Técnicos em Assuntos Educacionais (TAEs) da UNIRIO Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas Diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

Art. 3 - Para receber registro de atividades de extensão deverão ser desenvolvidas seguindo as áreas temáticas, a saber:

Art. 3 - Para receber registro de atividades de extensão deverão ser desenvolvidas seguindo as áreas temáticas, a saber: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 - A presente normatização tem por finalidade disciplinar os procedimentos de registro e acompanhamento das atividades de Extensão no IFPB. Art. 2 - São consideradas

Leia mais

Plano de Trabalho da Ouvidoria UFSJ (2017)

Plano de Trabalho da Ouvidoria UFSJ (2017) Plano de Trabalho da Ouvidoria UFSJ (2017) São João del-rei/mg 2017 1. APRESENTAÇÃO A Ouvidoria UFSJ é um espaço aberto para a comunidade, que recebe e responde manifestações relacionadas às atividades

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO- BRASILEIRA (UNILAB)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO- BRASILEIRA (UNILAB) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO- BRASILEIRA (UNILAB) RESOLUÇÃO N 22, DE SETEMBRO DE 2014. Estabelece procedimentos e normas para criação de cursos de graduação

Leia mais

EDITAL N.º 17/2016 ANEXO I TRILHAS DE APRENDIZAGEM DO PFGC. Competência: Visão Estratégica

EDITAL N.º 17/2016 ANEXO I TRILHAS DE APRENDIZAGEM DO PFGC. Competência: Visão Estratégica 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA DIREÇÃO GERAL DO CAMPUS JOÃO PESSOA PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE GESTORES

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO PDI: Documento elaborado pela Equipe de Assessoria da Pró-reitoria de Planejamento da UEMA Agosto de 2015 INTRODUÇÃO O Ministério de Educação (MEC) através do Sistema Nacional

Leia mais

EDITAL Nº 10/17 DE CHAMADA DE PROJETOS BIC-Sal / BIT-Sal / BID-Sal

EDITAL Nº 10/17 DE CHAMADA DE PROJETOS BIC-Sal / BIT-Sal / BID-Sal EDITAL Nº 10/17 DE CHAMADA DE PROJETOS BIC-Sal / BIT-Sal / BID-Sal - 2018 Programa de Concessão de Bolsas de Iniciação Científica do UNISAL BIC-Sal Programa de Concessão de Bolsas de Iniciação Tecnológica

Leia mais

CONSIDERANDO os princípios referendados na Declaração Universal dos Direitos Humanos;

CONSIDERANDO os princípios referendados na Declaração Universal dos Direitos Humanos; RESOLUÇÃO Nº 066-CONSELHO SUPERIOR, de 14 de fevereiro de 2012. REGULAMENTA A POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RORAIMA IFRR. O PRESIDENTE DO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA IN PÓS/001/2005 Versão: 1.4 Fl. 1/8

INSTRUÇÃO NORMATIVA IN PÓS/001/2005 Versão: 1.4 Fl. 1/8 Fl. 1/8 ESTABELECE NORMAS PARA APROVAÇÃO DE CURSOS DE PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU, APERFEIÇOAMENTO E CURSOS DE EXTENSÃO 1. OBJETIVO 1.1. Regulamentar o processo de aprovação para implantação de Cursos de

Leia mais

Edital N 03/ PARA CONCESSÃO DE APOIO FINANCEIRO A NOVOS PESQUISADORES

Edital N 03/ PARA CONCESSÃO DE APOIO FINANCEIRO A NOVOS PESQUISADORES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA Edital N 03/2017 - PARA CONCESSÃO DE APOIO FINANCEIRO A NOVOS PESQUISADORES A Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

EDITAL. SEMANA UNIVERSITÁRIA DA UnB "Diferenças que somam, ideias que multiplicam"

EDITAL. SEMANA UNIVERSITÁRIA DA UnB Diferenças que somam, ideias que multiplicam EDITAL SEMANA UNIVERSITÁRIA DA UnB - 2016 "Diferenças que somam, ideias que multiplicam" O Reitor da Universidade de Brasília torna pública a realização da Semana Universitária da UnB - 2016, com o tema

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA-PROPIT DIRETORIA DE PESQUISA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA-PROPIT DIRETORIA DE PESQUISA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA-PROPIT DIRETORIA DE PESQUISA EDITAL 01/2010 PIBIC/UFOPA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE

Leia mais

Art. 1º APROVAR o Programa de Bolsas de Extensão do IFFluminense, constante no Anexo I desta Resolução.

Art. 1º APROVAR o Programa de Bolsas de Extensão do IFFluminense, constante no Anexo I desta Resolução. RESOLUÇÃO Nº 036/2016 Campos dos Goytacazes, 11 de março de 2016 O Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Fluminense, no uso das atribuições que lhe foram

Leia mais

Regulamento. 1.Da participação. 2.Dos encontros temáticos. 3.Das modalidades de apresentação

Regulamento. 1.Da participação. 2.Dos encontros temáticos. 3.Das modalidades de apresentação Regulamento 1.Da participação O Seminário de Extensão da Unioeste (SEU) é um evento gratuito, organizado pela Pró-Reitoria de Extensão e visa divulgar os trabalhos realizados pelos extensionistas dessa

Leia mais

2

2 REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA UNIVERSIDADE IBIRAPUERA 2 REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA UNIVERSIDADE IBIRAPUERA CAPÍTULO I DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

Leia mais

PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NA UNIVERSO

PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NA UNIVERSO PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NA UNIVERSO Planejamento e Avaliação Institucional na UNIVERSO O planejamento e a avaliação dos processos de gestão da universidade tanto nos parâmetros administrativos

Leia mais

Experiência da Coordenadoria de Ações Afirmativas e Outras Políticas de Equidade da Universidade Federal de São Carlos CAAPE ProGrad UFSCar UFMG, 11

Experiência da Coordenadoria de Ações Afirmativas e Outras Políticas de Equidade da Universidade Federal de São Carlos CAAPE ProGrad UFSCar UFMG, 11 Experiência da Coordenadoria de Ações Afirmativas e Outras Políticas de Equidade da Universidade Federal de São Carlos CAAPE ProGrad UFSCar UFMG, 11 de junho de 2013. Coordenadoria de Ações Afirmativas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS. A articulação das atividades de pesquisa, com as demais atividades acadêmicas, é...

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS. A articulação das atividades de pesquisa, com as demais atividades acadêmicas, é... A articulação das atividades de pesquisa, com as demais atividades acadêmicas, é... Página 1944 de 4930 A qualidade do ensino ministrado pelos professores, ao longo do seu curso, tem sido... Página 1945

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS A articulação das atividades de pesquisa, com as demais atividades acadêmicas, é... A qualidade do ensino ministrado pelos professores, ao longo do seu curso, tem sido... As atividades pedagógicas utilizadas

Leia mais

PDI Plano de Desenvolvimento Institucional AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PDI

PDI Plano de Desenvolvimento Institucional AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PDI PDI Plano de Desenvolvimento Institucional 2005-2009 6 AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PDI 6. AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Coordenação: Maria Helena Krüger Diretora de Desenvolvimento

Leia mais

EDITAL Nº 90, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2016

EDITAL Nº 90, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2016 EDITAL Nº 90, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2016 O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), por meio de sua Pró-reitoria de Extensão (PRX), tendo em vista o estabelecido na Portaria

Leia mais

Edital 01/2016 Programa de Iniciação Científica

Edital 01/2016 Programa de Iniciação Científica Edital 01/2016 Programa de Iniciação Científica A Faculdade Promove de Minas Gerais, Faculdade Promove de Belo Horizonte, Faculdade Promove de Tecnologia,Escola de Engenharia Kennedy, Faculdade Kennedy

Leia mais

Prover soluções eficientes e flexíveis de TIC para que a Unifesp cumpra sua missão.

Prover soluções eficientes e flexíveis de TIC para que a Unifesp cumpra sua missão. O Departamento de Comunicação Institucional (DCI Unifesp) está subordinado à Reitoria e tem como função estabelecer as diretrizes de uma política global de comunicação para a Unifesp. Missão Prover soluções

Leia mais

UNIVERSITAS: Arquitetura e Comunicação Social. v. 5, n. 1/2

UNIVERSITAS: Arquitetura e Comunicação Social. v. 5, n. 1/2 UNIVERSITAS: Arquitetura e Comunicação Social v. 5, n. 1/2 Universitas: Arquitetura e Comunicação Social Centro Universitário de Brasília Faculdade de Tecnologia e Ciências Sociais Aplicadas Linha editorial

Leia mais