CHAMADA PÚBLICA DE SELEÇÃO Nº 15/ CCS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CHAMADA PÚBLICA DE SELEÇÃO Nº 15/2012 - CCS"

Transcrição

1 1 CHAMADA PÚBLICA DE SELEÇÃO Nº 15/ CCS Seleção de Monitores Bolsistas para o Pró-Saúde e PET-Saúde/RAS da Universidade Estadual do Ceará / Prova Escrita - 19 de setembro de 2012 Candidato: 1. Entre as afirmações relacionadas à saúde descritas na Lei Orgânica da Saúde Nº 8.080/90, marque a opção FALSA: A) A alimentação, a moradia, o saneamento básico, o meio ambiente, o trabalho, a renda, a educação, o transporte, o lazer e o acesso aos bens e serviços essenciais, são fatores determinantes e condicionantes da saúde. B) A saúde enquanto direito fundamental do ser humano deve ser garantida pelo Estado mediante políticas sociais e econômicas que objetivam redução dos riscos de adoecer, promoção, proteção e recuperação da saúde dos indivíduos. C) A saúde é dever do Estado, portanto, as pessoas, famílias, empresas e sociedade em geral, não tem obrigação na manutenção da saúde. D) É dever do Estado: assegurar condições de acesso universal e igualitário às ações e aos serviços de saúde para todos os cidadãos. 2. No que diz respeito ao início da experiência de Redes de Atenção à Saúde (RASs), no mundo e no Brasil, podemos AFIRMAR que: A) A proposta das RASs é recente e o início dessa experiência, em termos mundiais, se deu no ano 2000, na América Latina, mais precisamente no Brasil. B) Na América Latina, somente o Brasil possui experiência com implantação de RASs. C) Para a efetiva implantação da experiência de RASs, no Brasil, falta um posicionamento do Ministério da Saúde, CONASS e CONASEMS, em termos de legislação para que sejam estabelecidas diretrizes para a organização da Rede de Atenção à Saúde no âmbito do SUS. D) A Secretaria Estadual de Saúde do Ceará relata uma experiência considerada pioneira, que é a constituição de sistemas microrregionais de saúde, que tem por objetivo integrar as ações do sistema de saúde público e superar a fragmentação das ações, fruto do processo de municipalização. 3. Com relação ao Pacto pela Saúde de 2006, é correto AFIRMAR que: A) O Pacto pela Saúde é dividido em cinco componentes: pacto pela vida, redes de atenção à saúde, regulação de leitos hospitalares; pacto em defesa do SUS e pacto de gestão do SUS. B) São prioridades do pacto pela vida: saúde do idoso; câncer de colo de útero e mama; mortalidade infantil e materna; doenças emergentes e endemias, com ênfase na dengue, hanseníase, tuberculose, malária e influenza; promoção da saúde e fortalecimento da atenção básica à saúde. C) O Pacto pela Vida foi elaborado por técnicos do Ministério da Saúde para ser executado pelas secretarias de saúde dos estados, cabendo ao Ministério da Saúde a fiscalização do cumprimento das ações. D) O Pacto pela Saúde está voltado para as questões relacionadas às dificuldades de vagas hospitalares para internamento dos casos considerados problemas de saúde pública, como doenças cardiovasculares, diabetes, AIDS, entre outros.

2 2 4. Sobre a participação comunitária na gestão do SUS, podemos AFIRMAR que: A) Como não existe legislação sobre tal assunto, a participação comunitária no que diz respeito às questões de saúde dependerá das decisões dos coordenadores e ou diretores das instituições de saúde, nos três níveis de atenção. B) A conferência de saúde e o conselho de saúde são instâncias colegiadas que contam com a participação da comunidade nas decisões de saúde. C) A conferência de saúde acontece quando há necessidade de se decidir questões de saúde de caráter nacional, portanto não há frequência certa para que isso aconteça. D) Os conselhos de saúde tem caráter permanente e deliberativo, atua na formulação de estratégias e no controle da execução da política de saúde na instância correspondente, porém conta apenas com a participação dos profissionais de saúde, sendo vetada a participação de usuários. 5. Com relação aos objetivos e campos de atuação do SUS, é correto AFIRMAR que: A) Ações de promoção da saúde estão fora do âmbito de ação do SUS, uma vez que os objetivos focam ações de cura e reabilitação de agravos. B) A assistência às pessoas por intermédio de ações de promoção, proteção e recuperação da saúde, com a realização integrada das ações assistenciais e das atividades preventivas faz parte dos objetivos do SUS. C) O SUS não é responsável por formular as políticas de saúde e sim por cumprir suas diretrizes. D) O campo de atuação do SUS está vinculado a execução de ações de saúde do trabalhador, de assistência terapêutica integral, inclusive farmacêutica, entre outras. No entanto, está fora do campo de atuação do SUS a execução de ações de vigilância sanitária e epidemiológica. 6. É correto afirmar que a Lei Nº 8142/1990, que dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde-SUS prevê as seguintes matérias, EXCETO que: A) A Conferência de Saúde e o Conselho de Saúde são instâncias colegiadas. B) O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) e o Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS) terão representação no Conselho Nacional de Saúde. C) As Conferências de Saúde e os Conselhos de Saúde terão sua organização e normas de funcionamento definidas por regimento aprovado no Conselho Nacional de Saúde. D) Os recursos do Fundo Nacional de Saúde serão alocados como despesas de custeio e de capital do Ministério da Saúde, seus órgãos e entidades, da administração direta e indireta. 7. Dentre as alternativas abaixo marque a opção INCORRETA sobre as características das redes de atenção à saúde: A) Trata-se de um sistema organizado por um contínuo de atenção. B) Tem como prioridade um sistema orientado para a atenção a condições agudas das doenças. C) O sujeito é agente de saúde. D) Há uma ação integral e multiprofissional. 8. O Decreto Nº 7.508/2011, que regulamenta a Lei Nº 8.080/90, define e faz diversas considerações sobre Regiões de Saúde. Baseado no que diz o referido decreto, marque a opção FALSA: A) Regiões de saúde são espaços geográficos restritos a um único município. B) As regiões de saúde podem agregar vários municípios inclusive interestaduais, com municípios limítrofes. C) Para ser instituída uma região de saúde, deve haver, no mínimo, ações e serviços relacionados à: atenção primária, urgência e emergência, atenção psicossocial, atenção ambulatorial especializada e hospitalar e vigilância á saúde. D) As Redes de Atenção à Saúde devem fazer parte de uma Região de Saúde, ou de várias delas, de acordo com as diretrizes pactuadas nas Comissões Intergestores.

3 3 9. O conceito de saúde definido pela 8ª Conferência Nacional de Saúde sintetiza grande parte do ideário do Movimento Sanitário Brasileiro: Em sentido mais abrangente, a saúde é a resultante das condições de alimentação, habitação, educação, renda, meio ambiente, trabalho, emprego, lazer, liberdade, acesso e posse da terra e o acesso aos serviços de saúde. Correlacione os princípios e diretrizes do SUS com os conceitos descritos abaixo. Em seguida assinale a alternativa que contenha a sequência CORRETA de cima para baixo: 1. Universalidade 2. Equidade 3. Integralidade 4. Controle social ( ) É a garantia dada pelo Estado de que a sociedade civil organizada tem possibilidade concreta de influir nas políticas públicas de saúde. ( ) É a garantia de que todos os cidadãos devem ter acesso aos serviços de saúde públicos e privados conveniados, em todos os níveis do sistema de saúde, assegurado por uma rede hierarquizada de serviços e com tecnologia apropriada para cada nível. ( ) É a distribuição justa de determinado atributo populacional junto com a deficiência, a liberdade de escolha e a maximização da saúde. É o tratamento apropriadamente desigual de indivíduos em situação de saúde distinta. ( ) Não deve haver separação entre as ações de caráter individual e as de caráter coletivo. O atendimento deve incorporar um amplo espectro de intervenções, articulando prevenção, atendimento curativo e reabilitação. A) 1; 2; 4; 3 B) 4; 2; 3; 1 C) 2; 3; 1; 4 D) 4; 1; 2; Com relação ao Pacto pela Vida, de conformidade com a Portaria Nº GM 399/2006, pode-se AFIRMAR: 1. O Pacto pela Vida é compromisso entre os gestores do SUS em torno de prioridades que apresentam impacto sobre a situação de saúde da população; 2. Os Estados/ Regiões/ Municípios devem pactuar ações necessárias para o alcance das metas nas seguintes prioridades pactuadas: Saúde do Idoso; Controle do Câncer de Colo de Útero e de Mama; Fortalecimento da Atenção Básica e Redução da Mortalidade Infantil e Materna; 3. O Pacto pela Vida está constituído por um conjunto de compromissos sanitários, expressos em objetivos de processos e resultados e derivados da analise da situação de saúde do País e das prioridades definidas pelos Governos Federais, Estaduais e Municipais; 4. Esse Pacto radicaliza a descentralização de atribuições do Ministério da Saúde para os estados, e para os municípios, promovendo um choque de descentralização, acompanhado da desburocratização dos processos normativos. São corretas: A) Somente a 1 e 2 B) Somente a 1 e 3 C) Somente a 2 e 4 D) Somente a 1,2 e Os princípios doutrinários do SUS aprovados na Constituição Federal vigente e na Lei Orgânica da Saúde Nº 8.080/90 que conferem ampla legitimidade ao Sistema são: 1. A descentralização com comando único; 2. A universalidade 3. A participação comunitária e a integralidade; 4. A equidade e a integralidade; 5. A regionalização e hierarquização dos serviços. São corretos:

4 4 A) Somente 1 e 2 B) Somente 2 e 4 C) Somente 2,3, e 5 D) Somente 1 e De conformidade com o artigo 9º do Decreto Nº 7.508/2011, são Portas de Entrada às ações e serviços de saúde nas Redes de Atenção à Saúde, os serviços: A) De atenção primária e ambulatório de especialidades. B) De atenção primária, de atenção psicossocial e de atenção as urgências e emergências. C) De atenção primária, de atenção de urgência e emergência, de atenção psicossocial e especiais de acesso aberto. D) De atenção primária, de atenção de urgência e emergência e especiais de acesso aberto. 13. Com relação ao Contrato Organizativo da Ação Pública da Saúde - COAP, podemos AFIRMAR: 1) Definirá as responsabilidades individuais e solidárias dos entes federativos com relação às ações e serviços de saúde, os indicadores, as metas, os critérios de avaliação de desempenho, os recursos financeiros e o controle da sua execução; 2) Resultará da integração dos Planos de Saúde e da PPI dos municípios na Rede de Atenção à saúde, tendo como fundamento as pactuações estabelecidas pela CIB; 3) A humanização do atendimento do usuário será fator determinante para o estabelecimento das metas de saúde; 4) O Sistema Nacional de Auditoria e Avaliação do SUS, por meio de serviço especializado, fará o controle e a fiscalização do COAP. São corretos: A) a 1, 3 e 4; B) a 1 e 4; C) a 2, 3 e 4; D) a 3 e O Pacto pela Saúde estabelece através do Pacto de Gestão, de acordo com a Portaria Nº 399/2006, as diretrizes para a gestão do sistema nos seguintes aspectos, EXCETO: A) Descentralização. B) Desregulamentação. C) Regionalização. D) Financiamento. 15. Em relação à terminologia usualmente utilizada nos processos de gestão em saúde, numere a coluna da direita de acordo com a da esquerda. 1 - Terceirização ( ) Processo de transferência da gestão política, administrativa e financeira do SUS com direção única em cada esfera de governo. 2 - Média complexidade ( ) Processo cumulativo de cirurgias, procedimentos, consultas e exames decorrentes da falta de estrutura assistencial e de gestão nos serviços de saúde do SUS. 3 - Descentralização ( ) Processo de contratação de agentes ou serviços externos em lugar da contratação direta de empregados, para provisão de serviços profissionais ou de qualquer outro tipo, dentro de uma organização. 4 - Redes de Atenção em Saúde ( ) Classificação de assistência que envolve procedimentos e atendimentos especializados, os quais devem ser realizados em serviços que se situam entre a atenção básica e a alta complexidade. 5 - Demanda reprimida ( ) Modo de organização das ações e serviços de atenção à saúde de forma regionalizada e hierarquizada com a finalidades de garantir o atendimento integral à população e de evitar a fragmentação das ações em saúde.

5 5 Marque a sequencia CORRETA. A) 2, 5, 4, 3, 1 B) 5, 1, 3, 4, 2 C) 3, 5, 1, 2, 4 D) 3, 5, 2, 4, As ações e serviços de saúde do SUS: A) Só podem ser executados através da iniciativa privada B) Têm participação prioritária da iniciativa privada. C) São organizados de forma centralizada, não regionalizada. D) Têm organização hierarquizada em níveis de complexidade crescente. 17. Preencha as lacunas e, em seguida, assinale a alternativa CORRETA. A saúde é de todos e do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem do risco de doença de doença e de outros agravos e ao acesso às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação. A) dever/ direito/ à redução/ universal e igualitário B) direito/ dever/ à redução/ universal e igualitário C) dever/ direito/ o aumento/ individual e igualitário D) direito/ dever/ à redução/ universal e diferenciado 18. Sobre os níveis de atenção em saúde, primário, secundário e terciário, é correto AFIRMAR: A) A atenção primária tem a capacidade de responder a 85% das necessidades em saúde, realizando serviços preventivos, curativos, reabilitadores e de promoção da saúde. B) A média complexidade ambulatorial demanda a disponibilidade de profissionais especializados e a utilização de recursos tecnológicos, caracterizando o nível de atenção terciária. C) Um conjunto de procedimentos que no contexto do SUS envolve alta tecnologia e alto custo é o define a atenção secundária. D) Os medicamentos de dispensação excepcional fazem parte dos grupos de procedimentos especializados e de média complexidade. 19. As competências dos Conselhos de Saúde são: A) Avaliar a situação de saúde e propor as diretrizes para a formulação da política de saúde. B) Formular estratégia, controlar e fiscalizar a execução da política de saúde, inclusive nos aspectos econômicos e financeiros. C) Fiscalizar e controlar o exercício profissional dos médicos, enfermeiros, nutricionistas, assistentes sociais, dentistas. D) Manter a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indispensáveis. 20. De acordo com a Portaria nº 399/2006 do Ministério da Saúde, assinale a alternativa INCORRETA. A) Atenção domiciliar consiste na modalidade de prestação de serviços ao idoso que substitui o ambiente familiar no processo de recuperação de pacientes e os benefícios adicionais para o cidadão e o sistema de saúde. B) O Acolhimento consiste em reorganizar o processo de acolhimento à pessoa idosa nas unidades de saúde, como uma das estratégias de enfrentamento das dificuldades atuais de acesso. C) Assistência Farmacêutica consiste em desenvolver ações que visem qualificar a dispensação e o acesso da população idosa. D) O Programa de Educação Permanente à Distância consiste em implementar programa de educação permanente na área do envelhecimento e saúde do idoso, voltado para profissionais que trabalham na rede de atenção básica em saúde, contemplando os conteúdos específicos das repercussões do processo de envelhecimento populacional para a saúde individual e para a gestão dos serviços de saúde.

6 6 21. As situações das condições de saúde revelam uma importância relativa crescente das condições crônicas no quadro epidemiológico. A esse respeito assinale a alternativa CORRETA: A) Os principais fatores determinantes da redução das condições crônicas são as mudanças geográficas, as mudanças nos padrões de consumo, e nos estilos de vida, a urbanização acelerada e as estratégias mercadológicas. B) Os principais fatores determinantes do aumento das condições crônicas são as mudanças demográficas, as mudanças nos padrões de consumo, e nos estilos de vida, a urbanização acelerada e as estratégias mercadológicas. C) Os principais fatores determinantes da redução das condições crônicas são as mudanças demográficas, as mudanças nos padrões de consumo, e nos estilos de vida, a urbanização acelerada e as estratégias mercadológicas. D) Os principais fatores determinantes do aumento das condições crônicas são as mudanças geográficas, as mudanças nos padrões de consumo, e nos estilos de vida, a urbanização acelerada e as estratégias mercadológicas. 22. O Pacto pela Vida está constituído por um conjunto de compromissos sanitários, expressos em objetivos de processos e resultados e derivados da análise da situação de saúde do País e das prioridades definidas pelos governos federal, estaduais e municipais. Com relação às prioridades pactuadas podemos AFIRMAR que: A) São três prioridades pactuadas B) São quatro prioridades pactuadas C) São cinco prioridades pactuadas D) São seis prioridades pactuadas 23. Conforme a Lei Nº 8080/90, consistem objetivos e atribuições do Sistema Único de Saúde. Assim sendo, considere as assertivas abaixo: I- a identificação e divulgação dos fatores condicionantes e determinantes da saúde II - a assistência às pessoas por intermédio de ações de promoção, proteção e recuperação da saúde, com a realização integrada das ações assistenciais e das atividades preventivas. III- a formulação de política de saúde destinada a promover mudanças nos campos econômico e demográfico IV- o monitoramento dos fatores condicionantes e determinantes das políticas públicas de saúde. Quais são as CORRETAS? A) Apenas I e II B) Apenas I e III C) Apenas II e III D) Apenas I e IV 24. São instâncias colegiadas no Sistema Único de Saúde: A) Conferência de Saúde e Conselho de Saúde B) Conselho de Saúde e Conselho Tutelar C) Conferência de Saúde e Conselho Tutelar D) Conselho de Saúde e Conselho do Idoso 25. Segundo Eugênio Vilaça, os sistemas de atenção à saúde constituem respostas sociais, deliberadamente organizadas, para responder às necessidades, demandas e preferências das sociedades. Nesse sentido, eles devem ser articulados pelas necessidades de saúde da população que se expressam, em boa parte, em situações: A) Geográficas e Epidemiológicas singulares B) Epidemiológicas e Geográficas C) Demográficas e sociais D) Demográficas e epidemiológicas singulares

7 7 26. A Organização Mundial da Saúde sintetiza em dez enganos generalizados, as ideias equivocadas ou os mitos de que as doenças crônicas são uma ameaça distante ou menos importante que as condições agudas. Segundo a OMS é correto AFIRMAR: A) As doenças crônicas afetam principalmente os países de alta renda B) As doenças crônicas não afetam principalmente os países de alta renda. C) As doenças crônicas afetam principalmente as pessoas ricas. D) As doenças crônicas afetam as pessoas de idade. 27. O Pacto pela Saúde 2006 foi proposto com o objetivo de enfrentar os desafios e dificuldades na implementação do Sistema Único de Saúde (SUS) mediante o compromisso entre as três esferas do governo (federal, estadual e municipal) para o atendimento às necessidades de saúde da população. Tendo em vista a complexidade na efetivação do SUS, o Pacto pela Saúde 2006 contempla a articulação e integração de três componentes simultaneamente. Identifique e marque a ALTERNATIVA CORRETA referente à composição deste Pacto: A) Sistema Único de Saúde, Pacto pela Vida, HumanizaSUS, Atenção Primária B) Pacto pela Vida, Sistema Único de Saúde, Atenção Primária, pacto em defesa do SUS, Pacto de Gestão. C) Pacto pela Vida, Pacto em Defesa do SUS, Pacto de Gestão. D) Atenção Psicossocial, Pacto em Defesa do SUS, Sistema Único de Saúde. 28. '"Um conjunto de ações que proporcionam o conhecimento, a detecção ou prevenção de qualquer mudança nos fatores de terminantes e condicionantes de saúde individual ou coletiva, com a finalidade de recomendar e adotar as medidas de prevenção e controle das doenças ou agravos." Esta é a definição de: A) Vigilância Epidemiológica. B) Saúde Integral. C) Sistema Único de Saúde. D) Vigilância Sanitária 29. O Município de Fortaleza divide-se geograficamente em seis regiões (SER I, II, III, IV, V, VI), para efeitos de sua organização e implementação de políticas públicas nas mais diversas áreas incluindo aquelas voltadas para a saúde. Qual a principal diretriz a qual se assenta essa divisão, de acordo com o Pacto pela Gestão? A) Regionalização B) Hierarquização C) Descentralização D) Integração 30. Sobre as Redes de Atenção à Saúde (RASs), marque a opção INCORRETA: A) As RASs se estruturam a partir de diferentes níveis de complexidade, compreendendo-se a atenção terciária como o nível mais complexo e importante na atenção à saúde da população. B) O movimento universal em busca da construção de RASs está sustentado por evidências de que essas redes constituem uma saída para a crise contemporânea dos sistemas de atenção à saúde. C) Há evidências, provindas de vários países, de que as RASs melhoram os resultados sanitários e econômicos dos sistemas de atenção à saúde. D) Os níveis de atenção à saúde estruturam-se por arranjos produtivos conformados segundo as densidades tecnológicas singulares, variando do nível de menor densidade, a APS, ao de densidade tecnológica intermediária, a atenção secundária à saúde, até o de maior densidade tecnológica, a atenção terciária à saúde.

8 8 31. Sobre a relação entre os diferentes níveis de atenção à saúde (atenção primária, secundária e terciária) e a constituição de Redes de Atenção à Saúde (RASs) é INCORRETO afirmar: A) As RASs estruturam-se para enfrentar uma condição de saúde específica, por meio de um ciclo completo de atendimento, o que implica a continuidade da atenção à saúde (atenção primária, atenção secundária e atenção terciária à saúde) e a integralidade da atenção à saúde (ações de promoção da saúde, prevenção, cura e reabilitação). B) A noção de RASs propõe que a APS (atenção primária à saúde) é tão complexa quanto os cuidados ditos de média e alta complexidade, pois é a APS que deve atender mais de 85% dos problemas de saúde; e é aí que situa a clínica mais ampliada e onde se ofertam, preferencialmente, tecnologias de alta complexidade, como aquelas relativas a mudanças de comportamentos e estilos de vida em relação à saúde. C) Uma concepção hierárquica e piramidal deve ser substituída por uma outra, a das redes poliárquicas de atenção à saúde, em que, respeitando-se as diferenças nas densidades tecnológicas, rompem-se as relações verticalizadas, conformando-se redes policêntricas horizontais. D) As RASs apresentam como singularidade terem os serviços hospitalares de alta complexidade como seu centro de comunicação. 32. Os sistemas de apoio são considerados um terceiro componente das Redes de Atenção à Saúde (RASs), sendo considerados os lugares institucionais das redes em que se prestam serviços comuns a todos os pontos de atenção à saúde. Observe as opções de 1 a 3, e marque a OPÇÃO CORRETA sobre os principais pontos de apoio da RASs: 1. O sistema de apoio diagnóstico e terapêutico envolve os serviços de diagnóstico por imagem, os serviços de medicina nuclear diagnóstica e terapêutica, a eletrofisiologia diagnóstica e terapêutica, as endoscopias, a hemodinâmica e a patologia clínica. 2. O segundo sistema de apoio, fundamental para a organização das RASs, é o sistema de assistência farmacêutica, o qual envolve uma organização complexa exercitada por um grupo de atividades relacionadas com os medicamentos, destinadas a apoiar as ações de saúde demandadas por uma comunidade, 3. O terceiro componente dos sistemas de apoio, nas RASs, são os sistemas de informação em saúde, os quais constituem um esforço integrado para coletar, processar, reportar e usar informação e conhecimento para influenciar as políticas, os programas e a pesquisa. A) Somente a afirmativa 1 é correta. B) As afirmativas 2 e 3 estão corretas. C) Apenas a alternativa 3 é incorreta. D) Todas as afirmativas estão corretas. 33. Conforme a Lei nº 8080/90 configura um critério para a determinação de valores a serem transferidos a estados e municípios: A) Arrecadação de impostos eficientes na esfera federal B) Priorização de atendimento na rede hospitalar de alta complexidade C) Estruturação de serviços de ouvidoria a rede D) Perfil epidemiológico da população a ser coberta 34. Como preconiza a Lei Nº 8.142/1990 a representação dos usuários no Conselho de Saúde e Conferências de Saúde será: A) Por indicação da Câmara de vereadores reunida em sessão específica. B) A partir da indicação das assembleias sindicais por categoria profissional C) Será paritária em relação ao conjunto dos demais segmentos. D) Será proporcional ao número de eleitores no território

9 9 35. Tendo como base a Portaria Nº 399/GM/2006 assinale a ALTERNATIVA CORRETA com relação às prioridades do pacto em defesa do SUS: A) Elaborar e divulgar documento trabalhista sobre direitos e deveres dos trabalhadores do SUS B) Elaborar carta sobre formas adequadas de organização dos conselhos municipais de saúde C) Elaborar carta traçando diretivas sobre saúde da mulher D) Elaborar e divulgar a carta dos direitos dos usuários do SUS 36. Assinale a alternativa que define precisamente o que é o Pacto pela Vida: A) O Pacto pela Vida é o compromisso entre os gestores do SUS em torno de prioridades que apresentam impacto sobre a situação de saúde da população brasileira. B) O Pacto pela vida é o conjunto de ações que intenta organizar o Serviço de Atendimento Médico de Urgência nos grandes centros urbanos. C) O Pacto pela Vida articula o conjunto de portarias normativas que regulam as ações da Atenção Básica. D) O Pacto pela Vida regula as ações entre estado e município estruturando ações de gestão para a formação de redes de atenção e cuidado 37. Com base no Decreto Nº 7508/2011 assinale a afirmativa que define precisamente o Mapa de Saúde: A) Espaço geográfico contínuo constituído por agrupamentos de Municípios limítrofes, delimitado a partir de identidades culturais, econômicas e sociais e de redes de comunicação e infraestrutura de transportes compartilhados, o planejamento e a execução de ações e serviços de saúde. B) Descrição geográfica da distribuição de recursos humanos e de ações e serviços de saúde ofertados pelo SUS e pela iniciativa privada, considerando-se a capacidade instalada existente, os investimentos e o desempenho aferido a partir dos indicadores de saúde do sistema. C) Configuração geográfica onde são localizados os serviços de uma dada região, suas conexões de rede associados a distribuição do mapa epidemiológico com destaque ao conjunto de agravos que mais atinge aquela região. D) Descrição e análise de conjunto de ações e serviços de saúde articulados em níveis de complexidade crescente, com a finalidade de garantir a integralidade da assistência à saúde em determinada região. 38. O Conselho de Saúde, de acordo com a Resolução Nº 33/92 deve ter a seguinte representação pela população: A) Governo, prestadores de serviços 50%; profissionais de saúde 25% e usuários 25%. B) Governo, prestadores de serviços 25%; profissionais de saúde 25% e usuários 50%. C) Profissionais de saúde 25%; governo, prestadores de serviços 30%; e usuários 45%. D) Profissionais de saúde 30%; governo, prestadores de serviços 45%; e usuários 25%. 39. No que toca a Lei nº 8080/90 é incorreto AFIRMAR que: A) A saúde é um direito fundamental do ser humano, devendo o Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício. B) O dever do Estado em garantir a saúde é exercido de forma direta e exclusiva e não depende de outras ações da sociedade C) O dever do Estado de garantir a saúde consiste na reformulação e execução de políticas econômicas e sociais que visem à redução de riscos de doenças D) A iniciativa privada poderá participar do Sistema Único de Saúde-SUS, em caráter complementar. 40. Em As Redes de Atenção à Saúde, mais uma vez, Eugênio Vilaça Mendes(2011) propõe uma profunda reflexão sobre a necessidade de superarmos a fragmentação do sistema, e de definitivamente priorizarmos a qualificação da atenção primária à saúde como base e centro organizador das redes de atenção integral à saúde. Nessa perspectiva, é INCORRETO afirmar: A) Na América Latina as Redes de Atenção à Saúde são incipientes. Há relatos de experiências no Peru, na Bolívia, na Colômbia, no México, mas a experiência mais consolidada parece ser a do Chile, onde as RASs constituem-se numa política oficial do Ministério da Saúde.

10 10 B) O trabalho precursor foi o clássico Relatório Dawson (DAWSON, 1964), cujos pontos essenciais foram: a integração da medicina preventiva e curativa, o papel central do médico generalista, a porta de entrada na APS, a atenção secundaria prestada em unidades ambulatoriais e a atenção terciaria nos hospitais. C) As propostas de RASs são antigas, tendo origem nas experiências de sistemas integrados de saúde, sugeridas na primeira metade da década de 60, nos Estados Unidos. D) Esse movimento universal em busca de construção de RASs está sustentado por evidências de que essas redes constituem uma saída para a crise contemporânea dos sistemas de atenção à saúde. Há evidencias de que as RASs melhoram os resultados sanitários e econômicos dos sistemas de atenção à saúde.

Realização: CEREMAPS, EESP e Fundação CEFETBAHIA 1

Realização: CEREMAPS, EESP e Fundação CEFETBAHIA 1 CONHECIMENTOS GERAIS SOBRE SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (QUESTÕES 01 a 30) Questão 01 (Peso 1) A saúde, através do Sistema Único de Saúde, é desenvolvida através de uma política social e econômica que visa,

Leia mais

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011 DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011 Regulamenta a Lei n o 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência

Leia mais

ERRATA. Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais do Sus

ERRATA. Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais do Sus ERRATA Secretaria de Saúde do DF AUXILIAR EM saúde - Patologia Clínica Sistema Único de Sáude - SUS Autora: Dayse Amarílio D. Diniz Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais

Leia mais

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011.

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011. DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011. Regulamenta a Lei n o 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência

Leia mais

13º - AUDHOSP AUDITORIA NO SUS VANDERLEI SOARES MOYA 2014

13º - AUDHOSP AUDITORIA NO SUS VANDERLEI SOARES MOYA 2014 13º - AUDHOSP AUDITORIA NO SUS VANDERLEI SOARES MOYA 2014 AUDITORIA NA SAÚDE Na saúde, historicamente, as práticas, as estruturas e os instrumentos de controle, avaliação e auditoria das ações estiveram,

Leia mais

DECRETO 7.508 E O PLANEJAMENTO REGIONAL INTEGRADO DANTE GARCIA 2015

DECRETO 7.508 E O PLANEJAMENTO REGIONAL INTEGRADO DANTE GARCIA 2015 DECRETO 7.508 E O PLANEJAMENTO REGIONAL INTEGRADO DANTE GARCIA 2015 Região de Saúde [...] espaço geográfico contínuo constituído por agrupamentos de Municípios limítrofes, delimitado a partir de identidades

Leia mais

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 10

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 10 1 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS Professor Rômulo Passos Aula 10 Legislação do SUS Completo e Gratuito Página 1 2 www.romulopassos.com.br

Leia mais

Sistema Único de Saúde (SUS)

Sistema Único de Saúde (SUS) LEIS ORGÂNICAS DA SAÚDE Lei nº 8.080 de 19 de setembro de 1990 Lei nº 8.142 de 28 de dezembro de 1990 Criadas para dar cumprimento ao mandamento constitucional Sistema Único de Saúde (SUS) 1 Lei n o 8.080

Leia mais

PROVA SELETIVA - 2016 RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL INTEGRADA EM SAÚDE DO IDOSO PSICOLOGIA

PROVA SELETIVA - 2016 RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL INTEGRADA EM SAÚDE DO IDOSO PSICOLOGIA PROVA SELETIVA - 2016 RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL INTEGRADA EM SAÚDE DO IDOSO PSICOLOGIA Antes de iniciar a prova, leia atentamente as instruções abaixo: 1. A duração da prova, incluindo o tempo para

Leia mais

SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde

SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde Universidade de Cuiabá - UNIC Núcleo de Disciplinas Integradas Disciplina: Formação Integral em Saúde SUS: princípios doutrinários e Lei Orgânica da Saúde Profª Andressa Menegaz SUS - Conceito Ações e

Leia mais

IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE. Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada

IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE. Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada IV CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO E SAÚDE Os Impactos da Judicialização na Saúde Pública e Privada 25/11/2015 HISTÓRICO: Período anterior a CF de 1988 INAMPS População e procedimentos restritos Movimento

Leia mais

Decreto 7.508 de 28/06/2011. - Resumo -

Decreto 7.508 de 28/06/2011. - Resumo - Decreto 7.508 de 28/06/2011 - Resumo - GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Secretaria de Estado de Saúde Pública Sistema Único de Saúde SIMÃO ROBISON DE OLIVEIRA JATENE Governador do Estado do Pará HELENILSON PONTES

Leia mais

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 Porto Alegre/RS, agosto de 2011 Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem

Leia mais

Decreto N 7.508 de 28/06/11 Regulamentando a Lei N 8.080 de 19/09/90

Decreto N 7.508 de 28/06/11 Regulamentando a Lei N 8.080 de 19/09/90 Decreto N 7.508 de 28/06/11 Regulamentando a Lei N 8.080 de 19/09/90 Cesar Vieira cesarvieira@globo.com Reunião do CA/IBEDESS 12 de julho de 2011 Principais Conteúdos Organização do SUS Planejamento da

Leia mais

Super Dicas de SUS. Prof. Marcondes Mendes. SUS em exercícios comentados Prof Marcondes Mendes

Super Dicas de SUS. Prof. Marcondes Mendes. SUS em exercícios comentados Prof Marcondes Mendes Super Dicas de SUS Prof. Marcondes Mendes SUS em exercícios comentados Prof Marcondes Mendes 1. Evolução histórica da organização do sistema de saúde no Brasil Prevenção Modelo de Saúde Sanitarista Campanhismo

Leia mais

O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde

O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde Informativo interativo eletrônico do CNS aos conselhos de Saúde Brasília, junho de 2006 Editorial O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde A aprovação unânime do Pacto pela Saúde na reunião

Leia mais

FONSEAS I Encontro Nacional da Gestão Estadual do SUAS

FONSEAS I Encontro Nacional da Gestão Estadual do SUAS FONSEAS I Encontro Nacional da Gestão Estadual do SUAS BRASIL 8,5 milhões de Km²; 192 milhões de habitantes; 26 Estados e 01 Distrito Federal; 5.564 municípios (70,3 % com menos de 20.000 habitantes);

Leia mais

PORTARIA 1.600, DE 7 DE JULHO DE

PORTARIA 1.600, DE 7 DE JULHO DE PORTARIA No- 1.600, DE 7 DE JULHO DE 2011 Reformula a Política Nacional de Atenção às Urgências e institui a Rede de Atenção às Urgências no Sistema Único de Saúde (SUS). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE,

Leia mais

regionalização e contratos organizativos de ação pública.

regionalização e contratos organizativos de ação pública. A Regulamentação da Lei 8.080/90: A Regulamentação da Lei 8.080/90: regionalização e contratos organizativos de ação pública. Seminário Nacional PRÓ Saúde e PET Saúde Brasília, 19 de outubro de 2011.,

Leia mais

Pactos pela Vida, em Defesa do SUS e de Gestão

Pactos pela Vida, em Defesa do SUS e de Gestão MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria-Executiva Coordenação de Apoio à Gestão Descentralizada Diretrizes Operacionais para os Pactos pela Vida, em Defesa do SUS e de Gestão Série A. Normas e Manuais Técnicos

Leia mais

A contribuição do Controle Social para Promoção do Uso Racional de Medicamentos

A contribuição do Controle Social para Promoção do Uso Racional de Medicamentos A contribuição do Controle Social para Promoção do Uso Racional de Medicamentos II Seminário Multiprofissional sobre o Uso Racional de Medicamentos Maceió - 2014 Medicamentos e Uso Racional 1975 28ª Assembleia

Leia mais

ORIENTAÇÕES E ESCLARECIMENTOS

ORIENTAÇÕES E ESCLARECIMENTOS COAP 06/13 ORIENTAÇÕES E ESCLARECIMENTOS 1.0 O que é o Contrato Organizativo da Ação Pública - COAP? O COAP é um acordo de colaboração firmado entre os três entes federativos, no âmbito de uma Região de

Leia mais

Planejamento intersetorial e Gestão Participativa. Recife, 04/09/2013

Planejamento intersetorial e Gestão Participativa. Recife, 04/09/2013 Planejamento intersetorial e Gestão Participativa Recife, 04/09/2013 Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social,

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

Gestão do Trabalho em Saúde

Gestão do Trabalho em Saúde Universidade Federal de Alagoas Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Prova de Conhecimentos Específicos da Especialização Lato Sensu UFAL 2012.1 Gestão do Trabalho em Saúde CADERNO DE QUESTÕES INSTRUÇÕES

Leia mais

Organização do Sistema Único de Saúde Organization of the Health System in Brazil

Organização do Sistema Único de Saúde Organization of the Health System in Brazil Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa inistério da Saúde Organização do Sistema Único de Saúde Organization of the Health System in Brazil Brasília, março de 2014 Saúde Direito de todos e dever

Leia mais

Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Gestão Participativa, SUStentabilidade e inovação. Brasília, 14 de abril de 2015

Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Gestão Participativa, SUStentabilidade e inovação. Brasília, 14 de abril de 2015 Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Gestão Participativa, SUStentabilidade e inovação Brasília, 14 de abril de 2015 Saúde Direito de todos e dever do Estado Art. 6º São direitos sociais a

Leia mais

Construção de Redes Intersetoriais para a atenção dos usuários em saúde mental, álcool, crack e outras drogas

Construção de Redes Intersetoriais para a atenção dos usuários em saúde mental, álcool, crack e outras drogas Construção de Redes Intersetoriais para a atenção dos usuários em saúde mental, álcool, crack e outras drogas EDUCAÇÃO PERMANENTE SAÚDE MENTAL - CGR CAMPINAS MÓDULO GESTÃO E PLANEJAMENTO 2012 Nelson Figueira

Leia mais

O SUS COMO UM NOVO PACTO SOCIAL

O SUS COMO UM NOVO PACTO SOCIAL O SUS COMO UM NOVO PACTO SOCIAL Profª Carla Pintas O novo pacto social envolve o duplo sentido de que a saúde passa a ser definida como um direito de todos, integrante da condição de cidadania social,

Leia mais

O COAP na perspectiva da gestão da Vigilância em Saúde. Sonia Brito Secretaria de Vigilância em Saúde

O COAP na perspectiva da gestão da Vigilância em Saúde. Sonia Brito Secretaria de Vigilância em Saúde O COAP na perspectiva da gestão da Vigilância em Saúde Sonia Brito Secretaria de Vigilância em Saúde Decreto 7.508/11 Regulamenta a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização

Leia mais

PREFEITURA DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

PREFEITURA DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE REGIONALIZAÇÃO NAS DIFERENTES REDES DE ATENÇÃO: COAP E REGIONALIZAÇÃO FERNANDO RITTER SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE PREFEITURA DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE CONTRATO ORGANIZATIVO DA AÇÃO

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cit/2012/res0004_19_07_2012.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cit/2012/res0004_19_07_2012.html http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cit/2012/res0004_19_07_2012.html Página 1 de 17 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Gabinete do Ministro Comissão Intergestores

Leia mais

Prova Comentada 1ª Parte

Prova Comentada 1ª Parte Prova Comentada 1ª Parte Olá, Pessoal! Seguem as disciplinas de legislação e gestão em saúde comentadas. Até amanhã encaminho a segunda parte, com a disciplina de política social. No geral, achei a prova

Leia mais

A regulação médico-hospitalar nos sistemas de saúde público e privado

A regulação médico-hospitalar nos sistemas de saúde público e privado HUMANIZAÇÃO E ACESSO DE QUALIDADE A regulação médico-hospitalar nos sistemas de saúde público e privado Alexandre Mont Alverne 25/11/2015 Regulação Significado: Michaelis: Regular+ção: ato ou efeito de

Leia mais

Rafaela Noronha Brasil

Rafaela Noronha Brasil Saúde Pública e Epidemiologia 2013.1 Rafaela Noronha Brasil Fonoaudióloga ESP/CE Mestre em Saúde, Ambiente e Trabalho Profa Adjunto FATECI/CE Economia agrícola: exportação café (e açúcar) Imigração de

Leia mais

Mesa VI: Brasil Sorridente na Redes Prioritárias do Ministério da Saúde

Mesa VI: Brasil Sorridente na Redes Prioritárias do Ministério da Saúde Mesa VI: Brasil Sorridente na Redes Prioritárias do Ministério da Saúde Gilberto Alfredo Pucca Júnior Coordenador-Geral de Saúde Bucal Janeiro, 2014 Universalidade Descentralização políticoadministrativa

Leia mais

Política Nacional de Educação Permanente em Saúde

Política Nacional de Educação Permanente em Saúde Política Nacional de Educação Permanente em Saúde Portaria GM/MS nº 1.996, de 20 de agosto de 2007 substitui a Portaria GM/MS nº 198, de 13 de fevereiro de 2004 e Proposta de Alteração Pesquisa de Avaliação

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 40

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 40 8 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 40 QUESTÃO 17 São competências do Sistema Único de Saúde: I- Colaborar na proteção do meio ambiente, incluindo o ambiente do trabalho. II- Participar do controle

Leia mais

Ministério da Saúde NORMA OPERACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR NO SUS NOST-SUS

Ministério da Saúde NORMA OPERACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR NO SUS NOST-SUS Ministério da Saúde NORMA OPERACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR NO SUS NOST-SUS APRESENTAÇÃO O presente documento é resultado de um processo de discussão e negociação que teve a participação de técnicos

Leia mais

PACTO PELA SAÚDE. Pactos pela Vida, em Defesa do SUS e de Gestão. Seminário Pacto pela Saúde Agosto/2007. Departamento de Apoio à Descentralização

PACTO PELA SAÚDE. Pactos pela Vida, em Defesa do SUS e de Gestão. Seminário Pacto pela Saúde Agosto/2007. Departamento de Apoio à Descentralização PACTO PELA SAÚDE Pactos pela Vida, em Defesa do SUS e de Gestão Seminário Pacto pela Saúde Agosto/2007 Departamento de Apoio à Descentralização Secretaria Executiva PACTO PELA SAÚDE Pactuaçã ção o firmada

Leia mais

PORTARIA Nº 399/GM DE 22 DE FEVEREIRO DE 2006. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, INTERINO, no uso de suas atribuições, e

PORTARIA Nº 399/GM DE 22 DE FEVEREIRO DE 2006. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, INTERINO, no uso de suas atribuições, e PORTARIA Nº 399/GM DE 22 DE FEVEREIRO DE 2006. Divulga o Pacto pela Saúde 2006 Consolidação do SUS e aprova as Diretrizes Operacionais do Referido Pacto. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, INTERINO, no uso

Leia mais

10/04/2015. Lei Orgânica da Saúde Lei nº 8.080/1990

10/04/2015. Lei Orgânica da Saúde Lei nº 8.080/1990 Lei Orgânica da Saúde Lei nº 8.080/1990 1 Próximas aulas YOUTUBE www.romulopassos.com.br contato@romulopassos.com.br WhatsApp (074) 9926-6830 2 3 Já baixou o slide em PDF? Disposições Gerais do SUS Art.

Leia mais

Fundação Saúde Concurso Público CEPERJ 2011 Prova de Nível Superior

Fundação Saúde Concurso Público CEPERJ 2011 Prova de Nível Superior Caros Leitores e Concurseiros, Analisaremos as questões do Sistema Único de Saúde SUS - cobradas pela organizadora CEPERJ no concurso da Fundação Saúde (Estado do Rio de Janeiro) para os cargos de nível

Leia mais

Decreto nº 7508/2011 e a Vigilância em Saúde no Estado de São Paulo. Marília 07 de março de 2012

Decreto nº 7508/2011 e a Vigilância em Saúde no Estado de São Paulo. Marília 07 de março de 2012 Decreto nº 7508/2011 e a Vigilância em Saúde no Estado de São Paulo Marília 07 de março de 2012 SUS - Sistema de Saúde universal de grande complexidade Política pública inclusiva garantindo direito de

Leia mais

Desafios para gestão municipal do SUS

Desafios para gestão municipal do SUS XXVII Congresso de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo Desafios para gestão municipal do SUS Arthur Chioro Secretário de Saúde de São Bernardo do Campo Presidente do Cosems-SP Política

Leia mais

PLANO OPERATIVO PARA IMPLEMENTAÇÃO DE AÇÕES EM SAÚDE DA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA 2012-2015

PLANO OPERATIVO PARA IMPLEMENTAÇÃO DE AÇÕES EM SAÚDE DA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA 2012-2015 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA PLANO OPERATIVO PARA IMPLEMENTAÇÃO DE AÇÕES EM SAÚDE DA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA 2012-2015 Brasília - DF 2012 1 O presente Plano

Leia mais

NOTA CIENTÍFICA: A EVOLUÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL E A AMPLITUDE E COMPLEXIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

NOTA CIENTÍFICA: A EVOLUÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL E A AMPLITUDE E COMPLEXIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE NOTA CIENTÍFICA: A EVOLUÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL E A AMPLITUDE E COMPLEXIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE Ana Iva Corrêa Brum Barros 1 Rayana de Carvalho Freitas 2 Prof. Esp. Gilmar dos Santos Soares

Leia mais

Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I. Atenção Básica e a Saúde da Família 1

Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I. Atenção Básica e a Saúde da Família 1 Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I Atenção Básica e a Saúde da Família 1 O acúmulo técnico e político dos níveis federal, estadual e municipal dos dirigentes do SUS (gestores do SUS) na implantação

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Articulação Interfederativa COAP

MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Articulação Interfederativa COAP MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Articulação Interfederativa COAP O Brasil é o único país......com + de 100 milhões de hab. com o desafio de ter um sistema

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 9ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO MARANHÃO

DOCUMENTO FINAL 9ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO MARANHÃO DOCUMENTO FINAL 9ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO MARANHÃO EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE DIRETRIZ: Ampliar e qualificar acesso aos serviços de qualidade, em tempo adequado,

Leia mais

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE Um modelo de assistência descentralizado que busca a integralidade, com a participação da sociedade, e que pretende dar conta da prevenção, promoção e atenção à saúde da população

Leia mais

PORTARIA Nº 1.097 DE 22 DE MAIO DE 2006.

PORTARIA Nº 1.097 DE 22 DE MAIO DE 2006. PORTARIA Nº 1.097 DE 22 DE MAIO DE 2006. Define o processo da Programação Pactuada e Integrada da Assistência em Saúde seja um processo instituído no âmbito do Sistema Único de Saúde. O MINISTRO DE ESTADO

Leia mais

O Pacto de Gestão do SUS e os Municípios

O Pacto de Gestão do SUS e os Municípios Colegiado de Secretários Municipais de Saúde do Estado de PE COSEMS-PE O Pacto de Gestão do SUS e os Municípios 2º Congresso Pernambucano de Municípios - AMUPE Gessyanne Vale Paulino Saúde Direito de todos

Leia mais

OS PAPEIS DOS CONSÓRCIOS INTERMUNICIPAIS NAS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE EUGÊNIO VILAÇA MENDES

OS PAPEIS DOS CONSÓRCIOS INTERMUNICIPAIS NAS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE EUGÊNIO VILAÇA MENDES OS PAPEIS DOS CONSÓRCIOS INTERMUNICIPAIS NAS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE EUGÊNIO VILAÇA MENDES OS ELEMENTOS DAS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE UMA POPULAÇÃO: A POPULAÇÃO ADSCRITA À REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE UM MODELO

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA

CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA Art.1º - A SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE - SUSAM integra a Administração Direta do Poder Executivo, na forma da Lei nº 2783, de 31 de janeiro de 2003, como órgão responsável,

Leia mais

18/05/2015 PACTO PELA SAÚDE

18/05/2015 PACTO PELA SAÚDE PACTO PELA SAÚDE O Pacto firmado entre os três gestores do SUS a partir de uma unidade de princípios: respeita as diferenças regionais, agrega os pactos anteriormente existentes, reforça a organização

Leia mais

MEDICAMENTOS DE ALTO CUSTO: QUEM PAGA A CONTA?

MEDICAMENTOS DE ALTO CUSTO: QUEM PAGA A CONTA? MEDICAMENTOS DE ALTO CUSTO: QUEM PAGA A CONTA? De acordo com a Constituição Federal do Brasil, no capítulo dos direitos sociais, todo cidadão tem o direito à saúde, educação, trabalho, moradia, lazer,

Leia mais

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES).

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO DOU de 05/10/2015 (nº 190, Seção 1, pág. 669) Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO II DA SEGURIDADE SOCIAL Seção II Da Saúde Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante

Leia mais

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 05

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 05 1 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS Professor Rômulo Passos Aula 05 L e g i s l a ç ã o d o S U S C o m p l e t o e G

Leia mais

DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE

DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE Paulo Eduardo Elias* Alguns países constroem estruturas de saúde com a finalidade de garantir meios adequados para que as necessidades

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PLANO OPERACIONAL REDE DE CUIDADOS A PESSOA COM DEFICIÊNCIA

TERMO DE REFERENCIA ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PLANO OPERACIONAL REDE DE CUIDADOS A PESSOA COM DEFICIÊNCIA TERMO DE REFERENCIA ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PLANO OPERACIONAL REDE DE CUIDADOS A PESSOA COM DEFICIÊNCIA 1. Introdução O contínuo processo de aperfeiçoamento do Sistema Unico de Saúde SUS, desde sua

Leia mais

EXERCÍCIOS GABARITADOS & COMENTADOS

EXERCÍCIOS GABARITADOS & COMENTADOS EXERCÍCIOS GABARITADOS & COMENTADOS Prova: Auxiliar de Patologia Clínica Nível Fundamental (FUNIVERSA 2009) 1- Acerca do modelo de atenção à saúde, atualmente preconizado e implantado pelo Sistema Único

Leia mais

O Nutricionista nas Políticas Públicas: atuação no Sistema Único de Saúde

O Nutricionista nas Políticas Públicas: atuação no Sistema Único de Saúde O Nutricionista nas Políticas Públicas: atuação no Sistema Único de Saúde Patrícia Constante Jaime CGAN/DAB/SAS/MS Encontro sobre Qualidade na Formação e Exercício Profissional do Nutricionista Brasília,

Leia mais

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 08

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 08 1 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS Professor Rômulo Passos Aula 08 Legislação do SUS Completo e Gratuito Página 1 2 www.romulopassos.com.br

Leia mais

As escolas podem transformar os cenários de atuação?

As escolas podem transformar os cenários de atuação? As escolas podem transformar os cenários de atuação? Jorge Harada COSEMS/SP Premissas Relação da Instituição de Ensino com o serviço... com a gestão local é mais amplo do que a autorização ou disponibilização

Leia mais

PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011 Legislações - GM Seg, 26 de Dezembro de 2011 00:00

PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011 Legislações - GM Seg, 26 de Dezembro de 2011 00:00 PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011 Legislações - GM Seg, 26 de Dezembro de 2011 00:00 PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011 Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento

Leia mais

DIRETRIZES PARA IMPLANTAÇÃO DA RENAME, RENASES E COAP

DIRETRIZES PARA IMPLANTAÇÃO DA RENAME, RENASES E COAP NOTA TÉCNICA 44 2011 DIRETRIZES PARA IMPLANTAÇÃO DA RENAME, RENASES E COAP (Decreto 7.508/11) 1 1. INTRODUÇÃO Essa Nota Técnica se propõe a apresentar uma análise das propostas de Diretrizes Gerais para

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE IMPLANTAÇÃO DO DECRETO 7.508/11 E APRIMORAMENTO DO PACTO PELA SAÚDE

MINISTÉRIO DA SAÚDE IMPLANTAÇÃO DO DECRETO 7.508/11 E APRIMORAMENTO DO PACTO PELA SAÚDE MINISTÉRIO DA SAÚDE IMPLANTAÇÃO DO DECRETO 7.508/11 E APRIMORAMENTO DO PACTO PELA SAÚDE Decreto 7.508/11 Regulamenta a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema

Leia mais

Universidade Estadual de Goiás Centro Regional de Referência

Universidade Estadual de Goiás Centro Regional de Referência Universidade Estadual de Goiás Centro Regional de Referência CURSO DE ATUALIZAÇÃO SOBRE INTERVENÇÃO BREVE E ACONSELHAMENTO MOTIVACIONAL PARA USUÁRIOS DE ÁLCOOL, CRACK E OUTRAS DROGAS Rede de Atenção e

Leia mais

SAÚDE PÚBLICA 4 A DESCENTRALIZAÇÃO DO SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO

SAÚDE PÚBLICA 4 A DESCENTRALIZAÇÃO DO SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO SAÚDE PÚBLICA 4 A DESCENTRALIZAÇÃO DO SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO OBJETIVOS DAS NOBs a)promover integração entre as esferas de governo definindo responsabilidades na consolidação do SUS; b)operacionalizar

Leia mais

O DIREITO À SAÚDE. Prof. Msc. Danilo César Siviero Ripoli

O DIREITO À SAÚDE. Prof. Msc. Danilo César Siviero Ripoli O DIREITO À SAÚDE Prof. Msc. Danilo César Siviero Ripoli Previsão : Arts. 196 à 200 da CF. Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que

Leia mais

GUIA PROPOSTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE

GUIA PROPOSTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE GUIA PROPOSTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE (Fonte: Livro 2 dos Cadernos de Planejamento do PLANEJASUS) O planejamento é uma função estratégica de gestão assegurada pela Constituição Federal

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS

DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE DIRETRIZ: Ampliação da cobertura e qualidade dos serviços de saúde, com o aprimoramento

Leia mais

Lei nº 8.080, de 19/09/1990: Sistema Único de Saúde (SUS) Legislação UNCISAL

Lei nº 8.080, de 19/09/1990: Sistema Único de Saúde (SUS) Legislação UNCISAL UN UNiversidade Estadual de ências da Saúde agoas UNS = 121 Legislação UNS Lei nº 8.080, de 19/09/1990: Sistema Único de Saúde (SUS) Art.1º - Esta lei regula, em todo o território nacional, as ações e

Leia mais

Análise crítica do programa Mais Médicos: perspectivas e desafios

Análise crítica do programa Mais Médicos: perspectivas e desafios Análise crítica do programa Mais Médicos: perspectivas e desafios Modelo de Regionalização de Saúde no Ceará População Estado do Ceará - 8.530.058 habitantes Modelo de reorganização de saúde: 4 Macrorregiões

Leia mais

ANEXO ÚNICO POLÍTICA ESTADUAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR NO ESTADO DE GOIÁS

ANEXO ÚNICO POLÍTICA ESTADUAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR NO ESTADO DE GOIÁS 1 ANEXO ÚNICO POLÍTICA ESTADUAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR NO ESTADO DE GOIÁS I. PROPÓSITOS A Política Estadual em Saúde do Trabalhador tem por propósito definir princípios, diretrizes e estratégias para

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas. Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas. Nº de Inscrição Nome ASSINALE A RESPOSTA

Leia mais

Sistema Único de Saúde. 15 anos de implantação: Desafios e propostas para sua consolidação.

Sistema Único de Saúde. 15 anos de implantação: Desafios e propostas para sua consolidação. Sistema Único de Saúde 15 anos de implantação: Desafios e propostas para sua consolidação. 2003 Sistema Único de Saúde! Saúde como direito de cidadania e dever do Estado, resultante de políticas públicas

Leia mais

O DEVER DO ESTADO BRASILEIRO PARA A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE E AO SANEAMENTO BÁSICO FERNANDO AITH

O DEVER DO ESTADO BRASILEIRO PARA A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE E AO SANEAMENTO BÁSICO FERNANDO AITH O DEVER DO ESTADO BRASILEIRO PARA A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE E AO SANEAMENTO BÁSICO FERNANDO AITH Departamento de Medicina Preventiva Faculdade de Medicina da USP - FMUSP Núcleo de Pesquisa em Direito

Leia mais

4. A sustentação legal dos programas de saúde do trabalhador no SUS

4. A sustentação legal dos programas de saúde do trabalhador no SUS A sustentação legal dos programas de saúde do trabalhador no SUS 4. A sustentação legal dos programas de saúde do trabalhador no SUS Paulo Roberto Gutierrez e Maria da Graça Luderitz Hoefel Como vimos

Leia mais

Grupo de Trabalho da PPI. Política Estadual para Contratualização de Hospitais de Pequeno Porte HPP

Grupo de Trabalho da PPI. Política Estadual para Contratualização de Hospitais de Pequeno Porte HPP Grupo de Trabalho da PPI Política Estadual para Contratualização de Hospitais de Pequeno Porte HPP 29 de março de 2011 Considerando: O processo de regionalização dos Municípios, que objetiva a organização

Leia mais

Legislação do SUS Professor: Marcondes Mendes

Legislação do SUS Professor: Marcondes Mendes SUS EM EXERCICIOS PARA A SECRETARIA DE SAÚDE DO DF. LEI 8.080/90 - Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes

Leia mais

Carta de Joinville 1) Sobre o Financiamento

Carta de Joinville 1) Sobre o Financiamento Carta de Joinville Os Secretários e Secretárias Municipais de Saúde, reunidos no XXIII Congresso Nacional das Secretarias Municipais de Saúde e IV Congresso Brasileiro de Saúde, Cultura de Paz e Não-Violência,

Leia mais

FORNECIMENTO DE MEDICAMENTOS NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

FORNECIMENTO DE MEDICAMENTOS NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE ESTUDO FORNECIMENTO DE MEDICAMENTOS NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE Gustavo Silveira Machado Consultor Legislativo da Área XVI Saúde pública e Sanitarismo ESTUDO MAIO/2010 Câmara dos Deputados Praça 3 Poderes

Leia mais

F. Tratamento fora do domicílio

F. Tratamento fora do domicílio F. Tratamento fora do domicílio artigos 197 e 198 da Constituição Federal de 1988; Lei Orgânica da Saúde nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, disciplinada pela Portaria Federal nº 055, de 24 de fevereiro

Leia mais

CURSO: O SUS PARA NOVOS SECRETÁRIOS DE SAÚDE. Início da Nova Gestão Diagnóstico, Planejamento e Controle Social.

CURSO: O SUS PARA NOVOS SECRETÁRIOS DE SAÚDE. Início da Nova Gestão Diagnóstico, Planejamento e Controle Social. CURSO: O SUS PARA NOVOS SECRETÁRIOS DE SAÚDE. Início da Nova Gestão Diagnóstico, Planejamento e Controle Social. TRANSIÇÃO Organograma Oficial da Secretaria com os atuais ocupantes, condição (efetivo ou

Leia mais

A DIFERENÇA ENTRE A GESTÃO COM BASE NA OFERTA E A GESTÃO COM BASE NA POPULAÇÃO

A DIFERENÇA ENTRE A GESTÃO COM BASE NA OFERTA E A GESTÃO COM BASE NA POPULAÇÃO A DIFERENÇA ENTRE A GESTÃO COM BASE NA OFERTA E A GESTÃO COM BASE NA POPULAÇÃO OS ELEMENTOS DAS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE UMA POPULAÇÃO: A POPULAÇÃO ADSCRITA À REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE UM MODELO LÓGICO:

Leia mais

Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras Fundada em 19 de dezembro de 1978

Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras Fundada em 19 de dezembro de 1978 GT HUE s e SEMINÁRIO Realizado no período de 12 a 14 de abril de 2010 PROPOSTA PRELIMINAR DE HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS E DE ENSINO E CENTROS HOSPITALARES DE SAÚDE ESCOLA (HUE S) CAPÍTULO I Artigo 1º. Este

Leia mais

Atribuições federativas nos sistemas públicos de garantia de direitos

Atribuições federativas nos sistemas públicos de garantia de direitos Atribuições federativas nos sistemas públicos de garantia de direitos Atribuições federativas nos sistemas públicos de garantia de direitos Características da Federação Brasileira Federação Desigual Federação

Leia mais

Modelos Assistenciais em Saúde

Modelos Assistenciais em Saúde 6 Modelos Assistenciais em Saúde Telma Terezinha Ribeiro da Silva Especialista em Gestão de Saúde A análise do desenvolvimento das políticas de saúde e das suas repercussões sobre modos de intervenção

Leia mais

- desempenho descoordenado dos órgãos públicos e privados;

- desempenho descoordenado dos órgãos públicos e privados; ABC DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE Documento elaborado por técnicos da União, dos Estados e dos Municípios, em discussão no Ministério da Saúde (versão de 18 de outubro de 1990) I - O QUE HÁ DE NOVO NA SAÚDE?

Leia mais

INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR

INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR INSERÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM UMA UNIDADE DE SAÚDE EM PONTA GROSSA-PR SANTOS, Elaine Ferreira dos (estagio II), WERNER, Rosiléa Clara (supervisor), rosileawerner@yahoo.com.br

Leia mais

PROVA OBJETIVA. Processo Seletivo para Agente Comunitário de Saúde - Nova Bassano/RS - Edital 04/2015. Nome do(a) candidato(a): ESF de Abrangência:

PROVA OBJETIVA. Processo Seletivo para Agente Comunitário de Saúde - Nova Bassano/RS - Edital 04/2015. Nome do(a) candidato(a): ESF de Abrangência: PROVA OBJETIVA Processo Seletivo para Agente Comunitário de Saúde - Nova Bassano/RS - Edital 04/2015 Nome do(a) candidato(a): ESF de Abrangência: Fique atento para as instruções abaixo: - As questões a

Leia mais

Uma Nova Agenda para a Reforma do

Uma Nova Agenda para a Reforma do Uma Nova Agenda para a Reforma do Setor Saúde: Fortalecimento das Funções Essenciais da Saúde Pública e dos Sistemas de Saúde FORO REGIONAL ANTIGUA/GUATEMALA 19-22 DE JULHO DE 2004 PERSPECTIVAS NACIONAIS

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 4.723, DE 22 DE DEZE M B R O DE 2010. outras providência s. CAPÍTULO I. Das disposições Gerais

LEI MUNICIPAL Nº 4.723, DE 22 DE DEZE M B R O DE 2010. outras providência s. CAPÍTULO I. Das disposições Gerais LEI MUNICIPAL Nº 4.723, DE 22 DE DEZE M B R O DE 2010. Dispõe sobre a Política de Assistência Social No Município, cria o Conselho Municipal de Assistência Social e o Fundo Municipal de Assistência Social

Leia mais

PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009

PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009 PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009 Institui no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

Relações Intergovernamentais

Relações Intergovernamentais Relações Intergovernamentais na gestão do SUS Seminário i as responsabilidades d municipais ii i e regionais à luz do Pacto pela Saúde Belo Horizonte, Junho 2011 RETROSPECTIVA IMPLEMENTAÇÃO DO SUS ANOS

Leia mais

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO - GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO - GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA NOTA TÉCNICA 01/13 PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE ORIENTAÇÕES GERAIS 2014/2017 Introdução: O planejamento em saúde configura-se como responsabilidade dos entes públicos, assegurada pela Constituição Federal

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DO DIREITO SANITÁRIO. Daescio Lourenço Bernardes de Oliveira

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DO DIREITO SANITÁRIO. Daescio Lourenço Bernardes de Oliveira PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS DO DIREITO SANITÁRIO Daescio Lourenço Bernardes de Oliveira 1 INTRODUÇÃO Uma leitura nos artigos 196 ao 200 da Constituição Federal de 1988, pode-se extrair seis princípios básicos

Leia mais