EM REVISTA A ESPECIALISTA EM CENTROS COMERCIAIS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EM REVISTA A ESPECIALISTA EM CENTROS COMERCIAIS"

Transcrição

1 2008 EM REVISTA A ESPECIALISTA EM CENTROS COMERCIAIS

2 INNOVATIVE SPIRITED MODERN 2 Mensagem do CEO 4 A nossa estrutura organizacional 6 As nossas Parcerias 8 O ano em números 10 Principais acontecimentos do ano 12 Sierra Investments 20 Sierra Developments 26 Sierra Management 32 Sonae Sierra Brazil 38 Contas consolidadas 42 Responsabilidade Corporativa 45 Governância Corporativa 46 Conselho de Administração 48 Outros Executivos 50 O futuro, perspectivas e agradecimentos Capa: Freccia Rossa, Itália

3 PARA NÓS, AS COMPRAS E O LAZER SÃO INSEPARÁVEIS. COMO ESPECIALISTAS EM CENTROS COMERCIAIS, TEMOS PAIXÃO POR IDEIAS INOVADORAS PARA O DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE CENTROS QUE CUMPRAM OS NOSSOS CRITÉRIOS DE CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL. ATRAVÉS DE UMA COMBINAÇÃO ÚNICA DE ENERGIA, IMAGINAÇÃO E SENTIDO PRÁTICO, NÃO SÓ DESENVOLVEMOS E GERIMOS SOLUÇÕES PARA O RETALHO QUE FORNECEM ESPAÇOS ESTIMULANTES PARA COMPRAS E LAZER PARA OS NOSSOS LOJISTAS E OS SEUS CLIENTES, COMO TAMBÉM PROPORCIONAMOS RESULTADOS COMPENSADORES PARA OS NOSSOS INVESTIDORES E PARCEIROS. 1 SONAE SIERRA Em Revista 2008

4 MENSAGEM DO CEO APESAR DA TURBULÊNCIA NA ECONOMIA MUNDIAL, INAUGURÁMOS COM ÊXITO QUATRO NOVOS CENTROS COMERCIAIS NA EUROPA E REALIZÁMOS EXCELENTES PROGRESSOS NO BRASIL. O ano de 2008 representou um importante marco no desenvolvimento da nossa Empresa. Pouco menos de vinte anos após o início da nossa actividade, em 1989, quando o nosso portfolio continha apenas uma mão cheia de centros comerciais, detemos um total de 50 centros ao serviço de comunidades na Europa e no Brasil e que oferecem uma Área Bruta Locável (ABL) de cerca de 2 milhões de m 2. Este feito foi possível com a inauguração este ano de quatro novos centros comerciais em Itália, o Freccia Rossa em Bréscia e o Gli Orsi em Biella, o Pantheon Plaza em Larissa, Grécia, e o Plaza Mayor Shopping em Málaga, Espanha assim como pela conclusão da expansão do ArrábidaShopping no Porto e pela remodelação do Centro Colombo em Lisboa, ambos em Portugal, e do Valecenter, perto de Veneza, em Itália. Prémio importante Alcançar esta marca é algo de que nos devemos todos orgulhar, não apenas porque 50 é um número importante mas, fundamentalmente porque na actividade de criar e desenvolver os nossos centros comerciais adquirimos a reputação de sermos uma das melhores empresas a operar no sector, uma empresa para a qual e com a qual as pessoas querem trabalhar. Este facto voltou a ser reconhecido em 2008 através de uma série de prémios que foram atribuídos à nossa Empresa, das quais destaco o Green Thinker Award pelo nosso trabalho no campo da sustentabilidade. Das 100 empresas europeias do sector imobiliário inicialmente avaliadas pelo júri, muitas eram empresas significativamente maiores do que a Sonae Sierra. No entanto, realizando uma análise exigente das estratégias ambientais e de responsabilidade corporativa das empresas, o júri escolheu a Sonae Sierra em reconhecimento daquilo que descreveu como as nossas acções inovadoras nesse campo em particular. Espero que o nosso sucesso venha a promover ainda mais o valor da sustentabilidade por toda a indústria internacional dos centros comerciais. Conclusão do Personae Em 2008 também concluímos o Personae, um projecto de quatro anos. Este programa, que terminou em Setembro, envolveu cerca de pessoas e representou um investimento de 6 milhões de euros. O Personae concentrava-se no desenvolvimento de uma cultura de consciencialização sobre segurança em toda a nossa organização. Em resultado da sua implementação e conclusão, estamos confiantes de possuir as melhores práticas de segurança no nosso sector. O nosso outro objectivo era obter a certificação OHSAS para o nosso sistema de gestão de segurança e higiene no trabalho. Esta é a referência de excelência dos sistemas operacionais de higiene e segurança no trabalho, e conseguimo-la em Novembro de No campo ambiental, já possuímos a certificação ISO para muitos dos nossos centros comerciais tendo, durante o ano de 2008, sido conferida a certificação a mais 18 centros e a cinco dos nossos novos empreendimentos. O objectivo consiste em fazer com que todos os nossos centros obtenham a certificação ISO Lançamento de um novo Fundo O outro facto importante do ano foi o lançamento em Abril do nosso novo fundo de investimento, o Sierra Portugal Fund, com um valor total de capital de 300 milhões. O Fundo está baseado em oito centros comerciais e de lazer portugueses, que possuem um valor de mercado conjunto de 425 milhões, e beneficia também dos desenvolvimentos em carteira, com um valor projectado de 235 milhões. No final de Julho tínhamos concluído os acordos com diversos investidores-chave, cujos compromissos atingiam no total 58% do capital do Fundo. O impacto da turbulência económica Relativamente aos efeitos da turbulência verificada nos sectores bancário e dos serviços financeiros sobre a nossa actividade, tivemos até agora duas experiências bastante diferentes: a europeia e a brasileira. Na Europa, observámos todos os efeitos negativos esperados da crise financeira e do abrandamento económico, em particular em Espanha. Apesar dos nossos resultados directos não terem sido significativamente afectados, observámos uma redução significativa no valor dos nossos activos. Tal afectou os nossos resultados indirectos na medida em que, pela primeira vez na história da empresa, registámos uma redução nos resultados totais, influenciando uma redução no ritmo dos nossos planos de expansão. A única excepção na Europa foi a Itália, onde após oito anos de trabalho árduo terminámos finalmente os nossos dois primeiros projectos de raiz, o Freccia Rossa e o Gli Orsi, que estão agora a funcionar em pleno. Nada mudou na nossa empresa e no modo como levamos a cabo a nossa actividade. Ainda estamos empenhados na mesma estratégia e nos mesmos objectivos. Estes resultados são apenas o produto do ambiente económico em que estamos neste momento a viver. SONAE SIERRA Em Revista

5 Álvaro Portela CEO No Brasil, a nossa experiência tem sido bastante diferente. Realizámos progressos excepcionais, com as vendas dos lojistas a aumentarem dois dígitos e as taxas de ocupação a aumentarem significativamente. Pela primeira vez na nossa história, realizámos localmente um empréstimo hipotecário de longo-prazo em Reais, e lançámos um novo portfolio de desenvolvimento que inclui três grandes centros comerciais. O Brasil não ficará certamente imune à crise económica mundial, mas a economia do país mudou muito desde os tempos em que estava vulnerável a qualquer crise mundial. O Brasil está agora mais forte. As vendas a retalho estão a crescer, a taxa de câmbio está comparativamente estável e o país já cumpriu praticamente as suas obrigações com a dívida externa. Com os rendimentos disponíveis a continuarem a crescer, e com as vantagens que continuam a surgir do nosso relacionamento com a DDR, estamos confiantes na continuação do crescimento do Brasil nos próximos anos. A necessidade de estar atento Olhando para o futuro, é difícil prever com alguma precisão o grau de progresso que esperamos alcançar durante o próximo ano. Actualmente, as nossas actividades são, naturalmente, afectadas pela situação nos mercados financeiros, o que nos levou a rever o desenvolvimento dos nossos projectos em carteira, ajustando-os de modo a reflectirem as condições de mercado sem pôr em causa o nosso compromisso para com a qualidade e a sustentabilidade. Além de estarmos preocupados com o nosso bem-estar, estamos igualmente preocupados com os nossos lojistas, cuja actividade está a ser afectada pela situação. Como forma de aliviar os seus custos, reduzimos as nossas taxas de serviços comuns na Península Ibérica em quase 10%, de modo a ajudá-los a suplantar as suas dificuldades actuais. Nas circunstâncias actuais, creio que a chave para o nosso sucesso futuro reside em resistirmos à tentação de tomar decisões precipitadas. Por exemplo, seria relativamente fácil para nós reduzir o número de colaboradores durante alguns meses, mas tal seria imprudente. As competências da nossa equipa não são insubstituíveis, mas são especiais e serão necessárias quando a situação económica melhorar. Em suma, sabemos que devemos resistir aos piores efeitos da situação actual mantendo-nos atentos ao presente e, ainda mais importante, atentos aos desenvolvimentos futuros. Estaremos então preparados para detectar e capitalizar com o provável regresso do clima de confiança nas economias mundiais, quando tal se tornar suficientemente claro para o vermos. Mudanças na Organização Finalmente, gostaria de vos comunicar alguns anúncios importantes relativamente a mudanças na nossa organização. Depois de quase 20 anos à frente da nossa empresa, decidi deixar de ser o CEO da Sonae Sierra, com efeito a partir de Março de Esta decisão foi construída ao longo de vários anos e sinto que o próximo mês de Março é o momento certo para eu parar. Nessa altura terei 38 anos de actividade executiva, dos quais 25 na Sonae, e 20 como CEO da Sonae Sierra, pelo que sinto a necessidade de procurar levar uma vida mais relaxada, dedicando mais tempo a mim próprio, à minha família e aos meus amigos. Preparando esta futura mudança, os Accionistas e o Conselho de Administração da Sonae Sierra tomaram várias decisões relativamente à nossa organização. Em primeiro lugar nomear Fernando Oliveira como Deputy CEO da Sonae Sierra, com a responsabilidade directa do Sustainability Office, e Ana Guedes Oliveira como Managing Director da Sierra Developments SA. Pedro Caupers foi nomeado Managing Director da Sierra Investments SA, e António Casanova continuará responsável pela Inovação e Marketing, mas passará a ser o Administrador Executivo responsável pelos Recursos Humanos, função que continua a ser liderada por Luís Marques. Finalmente João Correia de Sampaio foi promovido a Administrador Executivo da Sonae Sierra SGPS com a responsabilidade do Property Management & Leasing da Europa, que passará a incluir a função Key Accounts. Todas estas alterações produziram efeitos desde 1 de Abril de A minha primeira prioridade é agora conseguir uma suave e eficaz transição para esta nova organização da empresa, a qual estou certo nos tornará ainda mais fortes no futuro. Álvaro Portela CEO Maia, Porto, 2 de Abril de SONAE SIERRA Em Revista 2008

6 A NOSSA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL A NOSSA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DIVIDIDA EM QUATRO PARTES REFLECTE AS NOSSAS TRÊS PRINCIPAIS ÁREAS DE ACTIVIDADE PROPRIEDADE, DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE CENTROS COMERCIAIS NA EUROPA E AS NOSSAS ACTIVIDADES NO BRASIL. Fundos Sierra Sierra Investments Portugal Sierra Corporate Services* Sonae Sierra Sonae Sierra Brazil Detenção Espanha Itália Alemanha Grécia Sierra Developments Sierra Management Promoção Gestão Roménia Portugal Portugal Espanha Espanha Itália Itália Alemanha Alemanha Grécia Grécia Roménia Roménia SIERRA INVESTMENTS SIERRA DEVELOPMENTS SIERRA MANAGEMENT SONAE SIERRA BRAZIL É a proprietária dos activos da Sonae Sierra, providenciando-lhe o respectivo serviço de gestão de activos, sendo responsável pelos investimentos na Europa. Também detém, respectivamente, 42,0% e 50,1% do capital do Sierra Portugal Fund e Sierra Fund, e actua em ambos como gestora dos seus activos. Responsável pelo desenvolvimento dos nossos centros comerciais na Europa. Nas suas actividades incluem-se todos os aspectos de procurement, desenvolvimento do conceito, arquitectura dos empreendimentos e gestão da construção dos mesmos. Responsável por todos os serviços de gestão de propriedades dos centros comerciais na Europa, incluindo não só os detidos pela Sierra Investments, mas também por entidades terceiras. Opera de forma autónoma, investindo, desenvolvendo e gerindo um número cada vez maior de centros comerciais no Brasil. VER PÁGINA 12 PARA O RELATÓRIO DE 2008 VER PÁGINA 20 PARA O RELATÓRIO DE 2008 VER PÁGINA 26 PARA O RELATÓRIO DE 2008 VER PÁGINA 32 PARA O RELATÓRIO DE 2008 *Os serviços corporativos da Sonae Sierra, designadamente financeiro, legal, recursos humanos, comunicação, ambiente, segurança e saúde e back-office, estão centralizados na Sierra Corporate Services. SONAE SIERRA Em Revista

7 OS NOSSOS MERCADOS Portugal Itália Alemanha Roménia Brasil Espanha Grécia 5 SONAE SIERRA Em Revista 2008

8 AS NOSSAS PARCERIAS DO PASSADO E DO PRESENTE O NOSSO OBJECTIVO É DESENVOLVER RELAÇÕES DE LONGO PRAZO COM ORGANIZAÇÕES QUE PARTILHAM CONNOSCO VISÕES SIMILARES E NOS VÊEM COMO OS SEUS PARCEIROS DE ELEIÇÃO NO SECTOR DOS CENTROS COMERCIAIS. 34 PARCEIROS DE 11 PAÍSES Brasil França Multiplan Enplanta Engenharia Tivoli EP CNP Assurance CDC Marco Zero Foncière Euris Ecureuil Vie Itália Holanda Coimpredil ING Real Estate APG Investments Reino Unido Grosvenor Fund Management Miller Developments Aberdeen Property Investors Rockspring Castle City Schroders Investment Management SONAE SIERRA Em Revista

9 Alemanha Grécia Deka Grupo Charagionis Portugal Lamda Development Espanha Estevão Neves Grupo NSL Grupo Mall Grupo LAR Iberdrola Grupo Eroski CGD Sonae Distribuição Estação Shopping E.U.A Finlândia AIG TIAA-CREF LGPI Ilmarinen DDR 7 SONAE SIERRA Em Revista 2008

10 O ANO EM NÚMEROS APESAR DAS DIFÍCEIS CONDIÇÕES ECONÓMICAS, LANÇAMOS UM NOVO FUNDO, REALIZÁMOS UMA EMISSÃO DE 75 MILHÕES DE EUROS DE OBRIGAÇÕES A CINCO ANOS E ATINGIMOS OS NOSSOS OBJECTIVOS PARA A MARGEM OPERACIONAL LÍQUIDA. 67,8 milhöes Resultado Directo 315,1 milhöes Proveitos directos dos investmentos OMV dos Imóveis sob Gestão (milhões ) -198,2 Resultado Líquido Consolidado IAS (milhões ) ,5 144,5 249,1 126,8 219,5 270,6 300,1-198, ,3 Margem Operacional Líquida Consolidada IAS (milhões ) Número de contratos de lojistas sob gestão 149,0 156,2 179, ,8 95,5 98,1 107,6 125, SONAE SIERRA Em Revista

11 1.416 NAV dos Imóveis (milhões ) 43,55 NAV dos Imóveis por acção ( ) , ,90 45,82 43, ,9 27,67 29,16 32, ABL centros detidos em operação (000 s m 2 ) ABL centros geridos (000 s m 2 ) SONAE SIERRA Em Revista 2008

12 PRINCIPAIS ACONTECIMENTOS DO ANO O ANO DE 2008 FOI SIGNIFICATIVO PARA A SONAE SIERRA. APÓS A ABERTURA DE QUATRO NOVOS CENTROS COMERCIAIS NA EUROPA, PASSAMOS A DETER UM TOTAL DE 50 CENTROS NA EUROPA E NO BRASIL. Apesar das difíceis condições económicas, em particular no segundo semestre, o ano de 2008 foi importante para a Sonae Sierra. Para além de termos atingido a marca de 50 centros comerciais detidos, recebemos o primeiro prémio europeu Green Thinker pelo nosso compromisso para com a sustentabilidade e lançámos um novo fundo de investimento. MARÇO ABRIL JULHO SETEMBRO OUTUBRO A Sonae Sierra Brasil anunciou o desenvolvimento de um novo centro comercial na cidade de Londrina e foi inaugurado em Bréscia, Itália, o Freccia Rossa. Lançamento do Sierra Portugal Fund, baseado em oito centros comerciais portugueses, e apresentação por parte da Sonae Sierra de resultados líquidos recorde de 47,6 milhões de euros para o primeiro trimestre de O Alexa, localizado em Berlim, ganha um Silver ICSC Solal Marketing Award pela sua campanha de abertura, enquanto a Sonae Sierra é eleita Best Real Estate Developer em dois prémios do sector. O Plaza Mayor Shopping abre as suas portas em Málaga, Espanha. A Sonae Sierra ganha o primeiro Green Thinker Award e obtém a certificação OHSAS para os seus sistemas de gestão de higiene e segurança no trabalho. Inauguração do Pantheon Plaza na Grécia e do Gli Orsi em Itália. SONAE SIERRA Em Revista

13 SIERRA INVESTMENTS SIERRA DEVELOPMENTS SIERRA MANAGEMENT SONAE SIERRA BRAZIL Apesar das difíceis condições do mercado, o ano da Sonae Sierra foi marcado pelo lançamento com êxito do novo Sierra Portugal Fund e pela aquisição de quatro novos centros. Aquisição do Plaza Mayor Shopping em Espanha Aquisição do Freccia Rossa e do Gli Orsi em Itália Aquisição do Pantheon Plaza na Grécia Venda do Mediterranean Cosmos ao Sierra Fund Lançamento do novo Sierra Portugal Fund Aumento dos proveitos com rendas Durante o ano de 2008, a Sierra Developments inaugurou quatro novos centros comerciais, existindo outros seis, em Portugal, Itália, Alemanha, Grécia e Roménia, que deverão abrir nos próximos dois anos. Inauguração do Plaza Mayor Shopping em Espanha Inauguração do Freccia Rossa e do Gli Orsi em Itália Inauguração do Pantheon Plaza na Grécia Em resposta ao abrandamento económico, a Sierra Management reduziu as suas taxas de serviços comuns, mantendo os progressos positivos em diversas frentes. Início da gestão do Plaza Mayor Shopping em Espanha Início da gestão do Freccia Rossa e do Gli Orsi em Itália Início da gestão do Pantheon Plaza na Grécia Início da gestão do Münster Arkaden na Alemanha Negociação de novos contratos de gestão com terceiros para 2009 em Portugal, Espanha e Alemanha As condições comerciais no Brasil permitiram à Sonae Sierra Brasil realizar excelentes progressos durante o ano de As taxas de ocupação melhoraram, as rendas aumentaram e foram anunciados novos projectos. As taxas de ocupação melhoraram para 97% Os proveitos de rendas aumentaram 15% O Open Market Value dos activos subiu 17,8%, relativamente a 2007 Anúncio de novos desenvolvimentos em Uberlândia, Londrina e Goiânia VER PÁGINA 12 VER PÁGINA 20 VER PÁGINA 26 VER PÁGINA SONAE SIERRA Em Revista 2008

14 SIERRA 2008 INVESTMENTS Ana Guedes Oliveira Sonae Sierra, Administradora Executiva, Investimento e Gestão de Activos, Europa As nossas actividades centrais Fundos Sierra Sierra Investments Portugal Espanha Itália Alemanha Grécia Roménia O objectivo principal da Sierra Investments é aumentar o valor de mercado dos centros comerciais por si detidos. A divisão contribui para os resultados da Sonae Sierra através de uma combinação de receitas provenientes das rendas e, numa situação normal, do aumento do valor de mercado dos centros comerciais por si detidas. A Sierra Asset Management, uma empresa integrada na Sierra Investments, também fornece serviços de gestão de activos geradores de receitas a entidades terceiras investidoras nessas propriedades. Actuando a favor da Sonae Sierra, a divisão assume uma perspectiva de longo prazo. Investe numa combinação de activos desenvolvidos pela Sierra Developments bem como em centros já estabelecidos, adquiridos a entidades terceiras em virtude do seu potencial de valorização. A divisão está igualmente envolvida no controlo de interesses de terceiros, através da criação e gestão de fundos imobiliários. A Sierra Investments detém actualmente 42,0% do recente Sierra Portugal Fund e 50,1% do Sierra Fund, mantendo assim a sua posição de co-proprietária e gestora dos activos detidos pelos Fundos. 13 Desempenho Os Fundos Sierra em Resultados de 2008 SONAE SIERRA Em Revista

15 Pantheon Plaza, Grécia

16 Desempenho 2008 Plaza Mayor Shopping, Espanha Gli Orsi, Itália Freccia Rossa, Itália

17 A SIERRA INVESTMENTS DETÉM OS CENTROS COMERCIAIS E GERE O NEGÓCIO DE INVESTIMENTO NA EUROPA. A Sierra Investments em 2008 Dada a incerteza nas condições de mercado durante o ano de 2008, o lançamento em Abril do Sierra Portugal Fund constituiu um sucesso considerável. O objectivo deste novo Fundo é proporcionar aos investidores crescimento do capital e rendimentos de um portfolio de propriedades de retalho portuguesas de grande qualidade. Com um capital total de 300 milhões, o Fundo foi constituído com oito centros comerciais portugueses, com um valor de mercado conjunto de 425 milhões. Beneficia igualmente dos desenvolvimentos em carteira, com um valor projectado de 235 milhões. A lista dos investidores envolvidos, divulgada em Março de 2008 na altura do lançamento, inclui a Local Government Pensions Institution (LGPI), que é um fundo de pensões finlandês para os funcionários municipais, a Ilmarinen, um seguro mútuo de pensões finlandês, o Continental European Fund 1 e o Continental European Fund 2, dois fundos imobiliários de fundos, geridos pela Schroeder Property Investment Management. Em Julho, dois outros fundos de fundos geridos pela Aberdeen Property Investors entregaram um capital adicional ao Fundo. O lançamento do Sierra Portugal Fund prossegue o nosso objectivo de aumentar a actividade de gestão de investimentos, alavancando o nosso investimento através de parcerias de longo prazo. Apesar de planearmos levar esse objectivo mais além, reconhecemos que as actuais condições de mercado, que mostraram poucos sinais de melhoria no início de 2009, poderão reduzir as nossas opções a médio prazo. Aquisição de quatro novos centros Durante o ano adquirimos com êxito quatro novos centros à Sierra Developments: o Freccia Rossa, em Brescia, e o Gli Orsi, em Biella, ambos em Itália, o Pantheon Plaza em Larissa, Grécia, e o Plaza Mayor Shopping em Málaga, Espanha. Os elevados preços das propriedades registados durante o primeiro semestre e a situação nos mercados financeiros no segundo semestre fizeram com que fosse impossível adquirir outros centros a entidades terceiras durante o ano de Aquisição do Plaza Mayor Shopping em Espanha, do Freccia Rossa e do Gli Orsi em Itália, e do Pantheon Plaza na Grécia; Venda do Mediterranean Cosmos na Grécia ao Sierra Fund; Colocação de 58% do Sierra Portugal Fund. Esperamos que as condições melhorem no futuro, para que seja possível fazer crescer os nossos activos dessa forma. Infelizmente, enquanto o clima económico continuar fraco, é provável que o mercado de investimento imobiliário se contraia ainda mais. Os investidores adoptaram uma posição cautelosa e só pretendem adquirir propriedades de retalho quando acharem que os valores já atingiram os seus mínimos. Isto significa que, entretanto, os valores do capital irão continuar sob pressão. Posto isto, a actual reapreciação de valores no mercado imobiliário poderá muito bem vir a proporcionar algumas das melhores oportunidades de aquisição desde o início da década de 1990, com activos de grande qualidade a chegarem ao mercado a preços atraentes. O nosso objectivo é estarmos preparados para agir quando o crédito ficar disponível e surgirem oportunidades de aquisição. Redução do risco Olhando para a situação de uma forma abrangente, a actual perturbação nos mercados financeiros mundiais faz com que enfrentemos o risco de quebra no rendimento em duas vertentes. Por um lado, alguns dos nossos lojistas estão a registar uma redução nos seus resultados, o que conduz a uma quebra nos rendimentos com rendas, dada a redução das taxas de ocupação. Por outro lado, estamos a suportar um decréscimo generalizado do valor dos nossos activos. O primeiro efeito irá afectar os nossos resultados directos, enquanto que o segundo efeito irá ter impacto nos nossos resultados indirectos. Perante este cenário, adoptámos uma estratégia mais defensiva, protegendo os nossos fluxos de rendimentos e tentando olhar para além das actuais condições no mercado. Deste modo, esperamos tirar partido das necessidades de capital e da reapreciação do valor dos activos. 13 SONAE SIERRA Em Revista 2008

18 Desempenho 2008 Durante o último trimestre de 2008, lançámos um programa que, através de uma redução cuidadosamente seleccionada de custos e serviços, nos permitiu reduzir significativamente as taxas de serviços comuns cobradas aos nossos lojistas. Aliada à redução do horário de abertura de alguns dos nossos centros, esse programa deverá apoiar os nossos lojistas a suplantar as dificuldades decorrentes do actual abrandamento económico e, assim, proteger os nossos interesses. Este tipo de programas, concebidos para controlar os custos de operação nos nossos centros comerciais, deverá permitir que os custos operacionais de 2009 se situem no limite inferior do nosso intervalo de orientação de 5% a 8%. Proveitos das rendas e valores das propriedades Em 2008, as Rendas Totais do portfolio detido ou co-detido pela Sierra Investments aumentaram 43,7 milhões face ao ano anterior, um crescimento de 15%, que equivale a uma variação de 4,1% numa base comparável (like-for-like). Este aumento foi conseguido através do crescimento orgânico do portfolio existente e com aquisições à Sierra Developments. As Rendas Variáveis representaram 4,6% das Rendas Totais. Seguindo as melhores práticas do sector, avaliamos o desempenho das nossas propriedades através do crescimento do seu valor de mercado. Quando comparado com 2007, o decréscimo de 195 milhões no valor das propriedades em operação reflecte não apenas o aumento nas taxas de capitalização em todos os países onde operamos, mas também a venda de 58% do Sierra Portugal Fund. Rendas e Vendas Rendas Fixas Rendas Variáveis Rendas Totais % 08/07 Rendas total like-for-like Portugal ,6% 2,3% Espanha ,0% 0,0% Itália ,2% 40,4% Grécia ,7% 9,9% Alemanha ,0% 21,7% Roménia ,5% 89,5% Total ,1% 4,1% Valores em milhares Taxa de Ocupação Vendas Valores em milhares Portugal % Portugal % Espanha % Espanha % Itália % Itália % Grécia % Grécia % Alemanha % Alemanha % Roménia % Roménia % 2007 Total % Total % SONAE SIERRA Em Revista

19 Perspectivas do mercado de retalho As perspectivas para o mercado de retalho sugerem que, com a crise económica mundial, teremos de adoptar estratégias mais defensivas. O nosso principal objectivo consistirá em proteger os nossos fluxos de rendimento e tentar olhar para além das actuais condições do mercado. Em Portugal, a economia estagnou durante o terceiro trimestre de 2008 e prevê-se uma ligeira recessão em Enquanto que o fraco desempenho nos principais países para os quais Portugal exporta foi fundamental para explicar o enfraquecimento do produto da economia, a queda verificada nos níveis de investimento interno também contribuiu para o abrandamento. A quebra anual nas vendas a retalho acelerou para quase 1%. Em termos de desenvolvimento, o abrandamento económico ainda não teve muitos efeitos, embora seja quase certo que acabará por se transmitir ao mercado mais tarde ou mais cedo. Existem grandes probabilidades de alguns dos projectos planeados não serem concluídos dentro dos prazos inicialmente previstos. A actividade do mercado de investimento também diminuiu acentuadamente em 2008, em linha com a tendência global, com fracos desenvolvimentos no final do ano. Em Espanha, iniciou-se uma contracção económica no terceiro trimestre de 2008, com o PIB a registar valores negativos pela primeira vez desde Tal como antecipado, a queda acentuada do sector da construção e a diminuição do consumo por parte das famílias, estão na base dos problemas actuais. Embora a inflação tenha caído fortemente, as vendas a retalho para o ano na globalidade diminuíram 5,6%. No campo dos desenvolvimentos, foram inaugurados em 2008 quase m 2 de espaço em novos centros comerciais. Comparativamente a 2007, isto representa um aumento do stock de cerca de 8,5%. Espera-se uma quebra ligeira no desenvolvimento para o período de Num contexto marcado por um crescente desemprego, pela crise no mercado habitacional e pela falta de confiança generalizada, o investimento em propriedades também foi afectado pelas perspectivas económicas para A queda nos valores atingiu muitos grandes investidores, forçando alguns a renegociar a dívida ou a vender activos. Em Itália, a economia também entrou em recessão no terceiro trimestre de O abrandamento actual deve-se à queda na procura de bens italianos, pois as principais economias europeias também se encontram em recessão. As vendas a retalho pioraram, com o volume a cair 3% face ao ano anterior. No entanto, continua a registar-se uma forte actividade de desenvolvimento pois, com 62 projectos em previstos para os próximos dois anos, a Itália apresenta um dos maiores pipelines na Europa Ocidental. No campo do investimento, a actividade abrandou significativamente em 2008, em especial nos negócios de maior escala, com a paragem dos investidores transfronteiriços. Na Grécia, o crescimento anual de 3,1% foi relativamente forte no terceiro trimestre de Em termos de desenvolvimento positivo, destaca-se o abrandamento da inflação registado nos últimos meses. O índice das vendas a retalho subiu 0,4% em Outubro, numa base anual, esperando-se que o quadro não melhore devendo, aliás, piorar nos próximos meses. No entanto, no segundo semestre de 2008 registou-se a conclusão de cinco novos centros comerciais, o que representa um acréscimo da ABL de cerca de m 2 ao mercado. No campo do investimento, a liquidez diminuiu ainda mais em 2008, à medida que os efeitos da crise financeira mundial se faziam sentir cada vez mais num mercado interno já de si pequeno. As yields prime Open Market Value dos Centros em Operação Valor Total Sob o controlo da Sonae Sierra Milhões estão acima da média europeia e, apesar de se terem reduzido, as quedas nos valores do capital têm sido mais limitadas do que as verificadas em alguns mercados da Europa Central e de Leste. Na Alemanha, a ideia de que a economia teria capacidade para ultrapassar o abrandamento actual sem ser muito afectada está hoje totalmente posta de parte. A produção industrial caiu, numa base anual, 6,6% em Novembro e existem poucas razões para acreditar que as condições tenham entretanto melhorado. Os dados de final de ano relativos às vendas eram negativos, embora acima do esperado, em resultado da queda dos preços da energia. O volume não ajustado das vendas a retalho caiu, numa base anual, 3%. Embora a actividade de desenvolvimento tenha permanecido forte em 2008, com quase m 2 de espaço de centros comerciais planeados para os próximos dois anos, a disponibilidade limitada de dívida poderá adiar um pequeno número de projectos que ainda não estão totalmente financiados. No campo do investimento, os volumes registaram uma forte queda em A economia romena continuou a expandir-se rapidamente durante o terceiro trimestre de 2008, registando um crescimento anual do PIB de cerca de 9,1%. No entanto, dada a forte queda na procura externa, este ritmo de crescimento parece ser insustentável e as previsões para 2009 caíram fortemente nos meses mais recentes. A inflação deixou de ser o problema principal que foi durante grande parte de Embora a confiança esteja agora a cair, o crescimento nas despesas de consumo em 2008 foi extremamente elevado, alimentado pelo forte crescimento nos salários e pelos níveis crescentes de crédito ao consumo. O ano de 2008 constituiu um recorde em termos de desenvolvimento de centros comerciais, mas a atenção está a desviar-se de Bucareste para as cidades secundárias. 15 SONAE SIERRA Em Revista 2008

20 Desempenho 2008 O ano de 2009 Não há dúvida que, dada a continuação da turbulência nos mercados financeiros, o ano de 2009 irá ser desafiante e difícil em todos os territórios europeus onde operamos. Apesar de esperarmos que o mercado prime de centros comerciais seja o primeiro a recuperar, o que deverá beneficiar-nos, essa recuperação será lenta e gradual. Centros comerciais detidos a ABL (m 2 ) 8ª Avenida S. João da Madeira, Portugal AlgarveShopping Guia, Albufeira, Portugal Arrábida Shopping Vila Nova de Gaia, Porto, Portugal CascaiShopping Cascais, Lisboa, Portugal C.C.M. Albufeira Albufeira, Portugal C.C.C. Portimão Portimão, Portugal Centro Colombo Lisboa, Portugal Centro Vasco da Gama Lisboa, Portugal CoimbraShopping Coimbra, Portugal Estação Viana Viana do Castelo, Portugal GaiaShopping Vila Nova de Gaia, Porto, Portugal GuimarãeShopping Guimarães, Portugal LoureShopping Loures, Portugal MadeiraShopping Funchal, Madeira, Portugal MaiaShopping Maia, Porto, Portugal NorteShopping Matosinhos, Porto, Portugal Parque Atlântico Ponta Delgada, Açores, Portugal RioSul Shopping Seixal, Portugal Serra Shopping Covilhã, Portugal ViaCatarina Porto, Portugal Avenida M40 Madrid, Espanha Dos Mares San Javier, Murcia, Espanha El Rosal Ponferrada, Espanha Gran Casa Saragoça, Espanha La Farga Barcelona, Espanha Luz del Tajo Toledo, Espanha Max Center Bilbau, Espanha Parque Principado Oviedo, Espanha Plaza Éboli Pinto, Madrid, Espanha Plaza Mayor Malága, Espanha Valle Real Santander, Espanha Zubiarte Bilbau, Espanha Airone Monselice, Pádua, Itália Freccia Rossa Bréscia, Itália Gli Orsi Biella, Itália Valecenter Marcon, Veneza, Itália Mediterranean Cosmos Salónica, Grécia Pantheon Plaza Lárissa, Grécia Alexa Berlim, Alemanha Münster Arkaden Münster, Alemanha River Plaza Mall Ramnicu Valcea, Roménia SONAE SIERRA Em Revista

21 Centro Colombo, Portugal

22 Os Fundos Sierra em 2008 Mediterranean Cosmos, Grécia 8 a Avenida, Portugal ArrábidaShopping, Portugal

23 A SONAE SIERRA POSSUI DOIS FUNDOS DE CAPITAL: O SIERRA FUND, LANÇADO EM 2003, E O SIERRA PORTUGAL FUND, LANÇADO EM A SIERRA INVESTMENTS É RESPONSÁVEL PELA GESTÃO DOS SEUS ACTIVOS. O Sierra Fund em 2008 O objectivo do Sierra Fund é proporcionar retorno aos seus investidores através da distribuição de dividendos e ganhos de capital, com o investimento em centros comerciais de elevada qualidade, geridos de forma activa nos seus mercados-alvo: Portugal, Espanha, Itália, Alemanha e Grécia. Os cinco parceiros do Fundo são a APG Investments (antiga Stichting Pensioenfonds ABP), da Holanda, as sociedades francesas Caisse des Dépôts et Consignations EP, CNP Assurances e Ecureuil Vie e a TIAA- CREF sediada nos Estados Unidos. Durante o ano, o Fundo concluiu com êxito a aquisição de interesses no Mediterranean Cosmos em Salónica, na Grécia, e contribuiu para a expansão e remodelação do ArrábidaShopping no Porto e para as remodelações do Centro Colombo em Lisboa e do Grancasa em Saragoça. O ano de 2008 foi pouco satisfatório para o Fundo. Embora os proveitos operacionais das propriedades do Fundo se tenham situado em linha com os valores de 2007, o desempenho de 2008 foi negativamente afectado pelo efeito sobre o portfolio do aumento generalizado nas taxas de capitalização do mercado. O Sierra Portugal Fund O Sierra Portugal Fund foi lançado em Abril de 2008, com um capital total de 300 milhões, pretendendo a Sonae Sierra não deter uma posição inferior a 20%. O Fundo tem por objectivo proporcionar retorno aos seus investidores através da distribuição de dividendos e ganhos de capital, com o investimento em centros comerciais de elevada qualidade, geridos de forma activa em Portugal. O Fundo está baseado em oito centros comerciais com um valor de mercado conjunto de 425 milhões e beneficia de activos em pipeline com um valor projectado de 235 milhões. Na altura do seu lançamento, o Fundo contava com um investimento total de 120 milhões, realizado por três investidores de referência: a Local Government Pensions Institution (LGPI), que é um fundo de pensões finlandês para os funcionários municipais; a Ilmarinen, um seguro mútuo de pensões finlandês, o Continental European Fund 1 e o Continental European Fund 2, dois fundos imobiliários de fundos geridos pela Schroder Property Management. Em Julho, pudemos anunciar mais compromissos por parte de dois outros fundos, o Fundo de Fundos Aberdeen Eurozone e o Fundo de Fundos Aberdeen Eurozone II, ambos geridos pela Aberdeen Property Investors. Este segundo investimento fez com que o total de compromissos atingisse os 175 milhões, ou seja, 58% do capital do Fundo. O compromisso por parte destes investidores institucionais internacionais não só valida a qualidade dos actuais activos da Sonae Sierra, como também proporciona novas fontes de conhecimento que ajudam a Sonae Sierra a melhorar o seu desempenho. Novos investidores poderão entrar no fundo quando as condições do mercado o permitirem. 17 SONAE SIERRA Em Revista 2008

24 Resultados de 2008 da Sierra Investments OS PROVEITOS OPERACIONAIS DA SIERRA INVESTMENTS AUMENTARAM 17%, SUBINDO PARA 224 MILHÕES. A Sierra Investments contribuiu com um resultado negativo de 146,8 milhões para os resultados consolidados da Sonae Sierra. Apesar de a empresa consolidar integralmente o Sierra Fund, na medida em que detém o seu controlo efectivo com 50,1% do capital, consolida o Sierra Portugal Fund pelo método proporcional, pois a posição nesse Fundo é de 42,0%. Resultados directos Os resultados directos da Sierra Investments resultam da actividade operacional nos centros comerciais que fazem parte do seu portfolio, incluindo os activos que estão nos Fundos Sierra Fund e Sierra Portugal Fund. Os resultados directos incluem também os serviços de gestão de activos prestados pela Sierra Asset Management às diversas propriedades. O crescimento de 17% nos proveitos operacionais, face a 2007, resulta essencialmente da contribuição total de um ano das aquisições efectuadas pela Sierra Investments em 2007, bem como da inauguração e aquisição dos centros pela Sierra Developments, em Nestas aquisições de 2008, incluem-se o Plaza Mayor Shopping em Espanha, o Freccia Rossa e o Gli Orsi em Itália e o Pantheon Plaza na Grécia, parcialmente compensadas pela venda de 58% do Fundo Sierra Portugal. Numa base comparável (like-for-like), os rendimentos totais com rendas aumentaram 4,1%. O aumento de receitas nos serviços de gestão de activos registado ao longo de 2007 é também resultado do crescimento do portfolio, parcialmente compensado pela quebra de valor verificada no portfolio existente. Resultados indirectos Os resultados indirectos são consequência quer da valorização das propriedades, quer da realização de mais-valias na venda dos activos e/ou participações. O valor criado nas propriedades de investimento deve-se fundamentalmente à colocação de 58% do Sierra Portugal Fund. A redução de 266 milhões registada em 2008 no valor das propriedades de investimento reflecte o aumento médio das yields nos países onde a Sonae Sierra opera. Os impostos diferidos apresentam um valor negativo de 40 milhões, que se deve fundamentalmente ao decréscimo das valorizações do portfolio existente. A redução de 75 milhões nos interesses minoritários corresponde principalmente à participação de 49,9% nos resultados do Sierra Fund por parte dos nossos cinco parceiros desse Fundo. Resultado Operacional Líquido cresceu 20%, subindo para 180 milhões Redução de 266 milhões no valor criado nas propriedades Os custos financeiros líquidos, quando comparados com 2007, subiram 39%, devido ao aumento registado nas taxas de juro de mercado durante os primeiros nove meses de 2008 e devido também ao crescimento da dívida bancária de milhões para um total de milhões. Este aumento resulta em grande medida da aquisição de activos durante o ano de 2008 e de novos financiamentos ou refinanciamentos do portfolio existente. SONAE SIERRA Em Revista

25 Sierra Investments Demonstração de Resultados ( 000) % 08/07 Rendas fixas % Rendas variáveis % Direitos de ingresso % Outros proveitos % Proveitos operacionais dos espaços de retalho % Serviços de gestão de propriedades % Serviços de gestão de activos % Comercialização e promoção % Conservação e reparação % Outros custos % Custos operacionais dos espaços de retalho % Resultado operacional dos espaços de retalho % Resultado operacional de estacionamento % Resultado operacional de co-geração % Resultado operacional dos centros comerciais % Resultado operacional de escritórios % Proveitos dos serviços de gestão de activos % Custos de estrutura % Resultado Operacional da gestão de activos % Resultado Operacional Líquido % Amortizações e Provisões % Custos/(proveitos) financeiros líquidos recorrentes % Outros custos/(proveitos) não recorrentes (465) (3.969) 88% Resultado directo antes de impostos % Imposto sobre rendimento % Resultado directo % Ganho na venda de propriedades (1.549) Valor criado nas propriedades ( ) % Resultado indirecto antes de impostos ( ) % Impostos diferidos (40.035) % Resultado indirecto ( ) % Resultado líquido do exercício ( ) % Resultado líquido atribuível a: Accionistas da empresa mãe (71.509) % Interesses minoritários (75.245) % (contas não auditadas) Sierra Investments Balanço Consolidado ( 000) 31/12/08 31/12/07 Var. (08 07) Propriedades de investimento e outras Lojistas Impostos diferidos activos Outros activos Empresas do Grupo Caixa e depósitos Total do activo Capital próprio Interesses minoritários Empréstimos bancários Empréstimos de accionistas Impostos diferidos passivos Empresas do Grupo Sierra Developments Outros passivos Total do passivo Capital próprio, interesses minoritários e passivo (contas não auditadas) 19 SONAE SIERRA Em Revista 2008

26 SIERRA 2008 DEVELOPMENTS Fernando Guedes Oliveira Sonae Sierra, Administrador Executivo, Developments, Europa As nossas actividades centrais Sierra Developments Portugal Espanha Itália Alemanha Grécia Roménia As actividades da Sierra Developments abrangem o processo de procurement, a criação de novos conceitos de centros comerciais e o fornecimento de serviços de gestão de desenvolvimento, que asseguram a conclusão e abertura com êxito de todos os novos centros comerciais da Sonae Sierra na Europa. Esta divisão contribui para os proveitos consolidados da Sonae Sierra, fundamentalmente, de duas formas: prestando serviços de desenvolvimento aos nossos projectos na Europa e acrescentando valor a cada um durante a sua fase de desenvolvimento. O valor total gerado em cada projecto é realizado no momento da sua conclusão, quando a propriedade é vendida à Sierra Investments a valor de mercado. A maior parte da criação de valor ocorre durante a fase de desenvolvimento de cada centro. A constante reciclagem de capital, apoiada por uma rigorosa política de procurement e elevados padrões de gestão, cria activos inovadores que são também investimentos atractivos. A Sierra Developments é também responsável pela identificação de novas oportunidades de desenvolvimento em toda a Europa. 21 Desempenho Resultados de 2008 SONAE SIERRA Em Revista

27 Loop5, Alemanha

28 Desempenho 2008 LeiriaShopping, Portugal Plaza Mayor Shopping, Espanha Freccia Rossa, Itália

29 A SIERRA DEVELOPMENTS É RESPONSÁVEL POR TODOS OS ASPECTOS RELACIONADOS COM O DESENVOLVIMENTO DO PORTFOLIO DE CENTROS COMERCIAIS DA EMPRESA NA EUROPA. Sierra Developments em 2008 Para a Sierra Developments o ano ficou marcado pela abertura bem sucedida de quatro novos centros comerciais na Europa: o Freccia Rossa e o Gli Orsi em Itália, o Plaza Mayor Shopping em Espanha e o Pantheon Plaza na Grécia. A conclusão e a inauguração desses novos centros foi algo que proporcionou grande satisfação pois aconteceu numa altura em que a turbulência nos mercados financeiros dificultou a nossa capacidade em obter financiamentos e concluir novos acordos com vista a projectos futuros. Com isso em mente, estas quatro inaugurações fora de Portugal são o testemunho do sucesso da nossa estratégia de internacionalização, que procura manter a posição da Sonae Sierra enquanto player importante no sector europeu dos centros comerciais e Empresa relevante a nível internacional. Inauguração do Freccia Rossa, em Brescia, em Itália Inauguração do Plaza Mayor Shopping, em Málaga, Espanha Inauguração do Pantheon Plaza, em Larissa, Grécia Inauguração do Gli Orsi, em Biella, Itália Seis novos centros com inauguração prevista até 2011 O desenvolvimento de novos projectos acrescenta valor à carteira Os quatro novos centros comerciais inaugurados em 2008 acrescentaram valor ao nosso portfolio. O primeiro dos quatro a ser inaugurado foi o Freccia Rossa em Bréscia, Itália. Este investimento de 144 milhões tem um total de 119 lojas e uma Área Bruta Locável (ABL) de m 2, sendo detido a 50% pela Sonae Sierra. A AIG Global Real Estate e a empresa Coimpredil, com sede em Brescia, detêm os restantes 50%. Sendo o maior centro comercial urbano do país, e com o seu design imaginativo, o Freccia Rossa consolida a nossa presença em Itália e confirma a nossa reputação de empresa de desenvolvimento inovadora. A nossa segunda inauguração em Itália o Gli Orsi em Biella constituiu o culminar do investimento de 103 milhões num novo centro que dispõe de 199 lojas numa ABL de m 2. O centro utiliza como tema no seu design a beleza da região de Biella e inclui um novo pavilhão municipal de basquetebol, onde a equipa local joga os seus jogos da liga A do campeonato nacional. 21 SONAE SIERRA Em Revista 2008

30 Desempenho 2008 Em Espanha, a conclusão do Plaza Mayor Shopping em Málaga acrescenta mais m 2 ao centro já existente, elevando a ABL total para m 2. Este investimento de 58 milhões deu ao centro 58 novas lojas, ocupadas por marcas como a Zara, Massimo Dutti, H&M, Esprit e Mothercare. Espera-se que a expansão aumente o número de visitantes de 5 milhões para 9 milhões por ano, considerando uma população de 1 milhão de pessoas que vive a menos de 30 minutos de carro do Plaza Mayor. O nosso segundo centro comercial na Grécia, o Pantheon Plaza em Larissa, que inaugurámos em Outubro, representa um investimento de 76,3 milhões para uma ABL de m 2, oferecendo espaço a 110 lojas e esperando-se 5 milhões de visitantes durante o primeiro ano de actividade. Abriu com 98% do espaço arrendado, o que revela o entusiasmo crescente do sector do retalho grego por centros deste tipo. Seis centros em desenvolvimento Apesar das difíceis condições comerciais em 2008, mantivemos o nosso programa de desenvolvimento com um total de seis novos centros em, ou a iniciar, construção e com inauguração prevista até Em Portugal, iniciámos o trabalho no LeiriaShopping, um novo centro comercial baseado na expansão do centro comercial do hipermercado Continente de Leiria já existente. Este investimento de 75 milhões irá criar uma ABL de m 2 com espaço para aproximadamente 100 lojas e restaurantes e um novo cinema com sete salas. Tem abertura prevista para Durante o ano, anunciámos também um novo projecto nas Caldas da Rainha, onde planeamos investir 56 milhões no Centro Bordalo, um novo centro com uma ABL de m 2. Projectos no pipeline a ABL (m 2 ) Setúbal Retail Park Setúbal, Portugal Centro Bordalo Caldas da Rainha, Portugal LeiriaShopping Leiria, Portugal Pulianas SC Granada, Espanha Le Terrazze La Spezia, Itália Loop 5 Weiterstadt; Frankfurt, Alemanha Galatsi SC Atenas, Grécia Ioannina SC Ioannina, Grécia Craiova SC Craiova, Roménia Ploiesti SC Ploiesti, Roménia Parklake Plaza Bucareste, Roménia SONAE SIERRA Em Revista

31 Craiova SC, Roménia

32 Desempenho 2008 Le Terrazze, Itália Galatsi Shopping, Grécia

33 OS QUATRO NOVOS CENTROS COMERCIAIS INAUGURADOS EM 2008 ACRESCENTARAM UM VALOR CONSIDERÁVEL AO NOSSO PORTFOLIO. No terceiro trimestre de 2009, esperamos iniciar a construção em La Spezia, Itália, onde o nosso novo empreendimento, Le Terrazze, irá reforçar a nossa posição neste importante mercado operacional. Na Grécia, adquirimos um local para um novo centro em Ioannina, no Noroeste da Grécia. O nosso investimento planeado de 82 milhões irá proporcionar uma ABL de m 2 e acrescentar uma nova dimensão ao retalho naquela que é para nós uma nova esfera regional de operações. Estamos a fazer bons progressos com o LOOP5, o nosso novo empreendimento com uma ABL de m 2 em Weiterstadt, na Alemanha. Este investimento de 265 milhões o nosso terceiro maior projecto nesse mercado deverá estar terminado e pronto a ser inaugurado no Outono de Já se encontra 90% arrendado. Por último, na Roménia, estamos a reavaliar o desenvolvimento do nosso novo centro comercial em Craiova. Este projecto contará com uma ABL de m 2 e irá consolidar a nossa actividade naquele país. Abordagem cautelosa durante o ano de 2009 Olhando para o futuro, esperamos poder expandir o nosso portfolio de operações nos territórios onde já estamos presentes e desenvolver novos projectos noutros países. No entanto, as condições do mercado irão dificultar a nossa ambição, ao mesmo tempo que o financiamento é mais difícil e os parceiros de investimento estão relutantes em assumir novos compromissos. A nossa abordagem mais cautelosa irá fazer com que adiemos a aquisição de terrenos enquanto não tivermos a garantia de obter compromissos de grandes lojas âncora e os financiamentos necessários. No entanto, enquanto estamos a optimizar o desempenho nos locais já existentes, melhorando a eficácia e os custos, continuamos optimistas quanto ao futuro a longo prazo e estamos prontos a aproveitar a eventual recuperação das condições de mercado. Todos estes projectos estão a ser desenvolvidos no contexto do nosso Sistema de Gestão Ambiental, que fixa os padrões de qualidade e sustentabilidade em todo o nosso portfolio. 23 SONAE SIERRA Em Revista 2008

Data: 08 de Janeiro de 2016

Data: 08 de Janeiro de 2016 Data: 08 de Janeiro de 2016 CONTEÚDOS QUEM SOMOS SUSTENTABILIDADE NA SONAE SIERRA FUNDOS SIERRA INDICADORES OS NOSSOS CENTROS COMERCIAIS Portugal Propriedade e Gestão Portugal em desenvolvimento Espanha

Leia mais

Nos 9 primeiros meses de 2004. Sonae Imobiliária SGPS, SA Lugar do Espido Via Norte Apartado 1197 4471-909 Maia Portugal

Nos 9 primeiros meses de 2004. Sonae Imobiliária SGPS, SA Lugar do Espido Via Norte Apartado 1197 4471-909 Maia Portugal Sonae Imobiliária SGPS, SA Lugar do Espido Via Norte Apartado 1197 4471-909 Maia Portugal Telefone Administração (+351) 22 010 44 34 (+351) 22 010 44 36 Geral (+351) 22 010 44 63 FAX (+351) 22 010 46 98

Leia mais

Sonae Sierra registou Resultado Líquido de 1,3 milhões no primeiro semestre

Sonae Sierra registou Resultado Líquido de 1,3 milhões no primeiro semestre Maia, 31 de Julho de 2008 Desempenho afectado por desvalorização dos activos ditada pelo mercado Sonae Sierra registou Resultado Líquido de 1,3 milhões no primeiro semestre Rendas cresceram 4,5% numa base

Leia mais

Sonae Sierra regista um Resultado Líquido de 96,3 milhões em 2014

Sonae Sierra regista um Resultado Líquido de 96,3 milhões em 2014 Maia - Portugal, 5 de Março de 2015 Sonae Sierra regista um Resultado Líquido de 96,3 milhões em 2014 Resultado Direto atinge 52,7 milhões EBIT de 106,1 milhões Resultado Indireto atinge 43,6 milhões Dois

Leia mais

A Sonae Sierra foi fundada em Portugal no ano de 1989 e é controlada em 50% pela Sonae (Portugal) e 50% pela Grosvenor (Reino Unido).

A Sonae Sierra foi fundada em Portugal no ano de 1989 e é controlada em 50% pela Sonae (Portugal) e 50% pela Grosvenor (Reino Unido). PERFIL DA EMPRESA A Sonae Sierra é um dos maiores especialistas em centros comerciais a nível mundial. Destacou-se como sendo a primeira empresa de propriedades de retalho a combinar as compras com o lazer,

Leia mais

RESULTADOS SONAE SIERRA 2012

RESULTADOS SONAE SIERRA 2012 Maia, 08 de março de 2013 RESULTADOS SONAE SIERRA 2012 A Sonae informa que a sua participada Sonae Sierra, SGPS, SA divulgou hoje os seus resultados consolidados relativos ao ano de 2012, nos termos em

Leia mais

innovation www.sonaesierra.com passionate about Sonae Sierra Em Revista 2005 ESPANHA ALEMANHA PORTUGAL HOLANDA PORTO BRASIL ITÁLIA GRÉCIA

innovation www.sonaesierra.com passionate about Sonae Sierra Em Revista 2005 ESPANHA ALEMANHA PORTUGAL HOLANDA PORTO BRASIL ITÁLIA GRÉCIA PORTUGAL ESPANHA ALEMANHA HOLANDA PORTO C/ CONDE DE ARANDA, 24, 5º 28001 MADRID TELEFONE: +34 91 575 8986 FAX: +34 91 781 1960 KENNEDYDAMM 55 40476 DÜSSELDORF TELEFONE: +49 211 4361 6201 FAX: +49 211 4361

Leia mais

A Sonae Imobiliária foi constituída em 1989 e presentemente é detida pela Sonae SGPS, 67,04%, e pela GROSVENOR, 32,96%.

A Sonae Imobiliária foi constituída em 1989 e presentemente é detida pela Sonae SGPS, 67,04%, e pela GROSVENOR, 32,96%. 2003 Em Revista Estratégia 00 Principais Indicadores 2003 02 Parcerias 04 Fundo SIERRA 05 Eventos significativos de 2003 06 Carta do Presidente 08 Sonae Imobiliária Assets 10 Sonae Imobiliária Development

Leia mais

SONAE IMOBILIÁRIA. Contas Consolidadas do 1º Trimestre de 2000

SONAE IMOBILIÁRIA. Contas Consolidadas do 1º Trimestre de 2000 010 SONAE IMOBILIÁRIA Contas Consolidadas do 1º Trimestre de 2000 INTRODUÇÃO O Resultado Líquido Consolidado após Interesses Minoritários (não auditado) do 1º Trimestre de 2001 da Sonae Imobiliária cresceu

Leia mais

Um especialista não segue, inova. Qual é a vantagem de trabalhar com um especialista?

Um especialista não segue, inova. Qual é a vantagem de trabalhar com um especialista? Qual é a vantagem de trabalhar com um especialista? Um especialista não segue, inova A Sonae Sierra está na vanguarda no que diz respeito ao desenvolvimento, propriedade e gestão de centros comerciais

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 COMUNICADO Página 1 / 9 RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 09 de Setembro de 2005 (Os valores apresentados neste comunicado reportam-se ao primeiro semestre de 2005, a não ser quando especificado

Leia mais

RESPONSABILIDADE CORPORATIVA DESEMPENHO POR PAÍS PORTUGAL

RESPONSABILIDADE CORPORATIVA DESEMPENHO POR PAÍS PORTUGAL 2008 RESPONSABILIDADE CORPORATIVA DESEMPENHO POR PAÍS PORTUGAL Sonae Sierra em Portugal A Sonae Sierra é a especialista internacional em centros comerciais, apaixonada por introduzir inovação e emoção

Leia mais

Resultados líquidos da Sonae Imobiliária crescem 45%

Resultados líquidos da Sonae Imobiliária crescem 45% SONAE IMOBILIÁRIA SGPS, SA - Sociedade Aberta Lugar do Espido - Via Norte, 4471-909 Maia Capital Social: Eur 162 244 860 C.R.C. Porto (Matricula nº. 2252A) Pessoa Colectiva Nº. 502 290 811 Informação à

Leia mais

SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014)

SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014) SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014) 1. Taxa de Desemprego O desemprego desceu para 14,3% em maio, o que representa um recuo de 2,6% em relação a maio de 2013. Esta é a segunda maior variação

Leia mais

RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015: A COFACE APRESENTA LUCRO DE 66 MILHÕES DE EUROS, APESAR DE UM AUMENTO DE SINISTROS EM PAÍSES EMERGENTES

RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015: A COFACE APRESENTA LUCRO DE 66 MILHÕES DE EUROS, APESAR DE UM AUMENTO DE SINISTROS EM PAÍSES EMERGENTES RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015: A COFACE APRESENTA LUCRO DE 66 MILHÕES DE EUROS, APESAR DE UM AUMENTO DE SINISTROS EM PAÍSES EMERGENTES Crescimento de volume de negócios: + 5.1% a valores e taxas

Leia mais

portugal 2009 Responsabilidade CoRpoRativa desempenho por país

portugal 2009 Responsabilidade CoRpoRativa desempenho por país portugal 2009 Responsabilidade CoRpoRativa desempenho por país 1. perfil da empresa a sonae sierra é a especialista internacional em centros comerciais, apaixonada por introduzir inovação e emoção na indústria

Leia mais

Um especialista não segue, inova. Qual é a vantagem de trabalhar com um especialista?

Um especialista não segue, inova. Qual é a vantagem de trabalhar com um especialista? Qual é a vantagem de trabalhar com um especialista? Um especialista não segue, inova A Sonae Sierra está na vanguarda no que diz respeito ao desenvolvimento, propriedade e gestão de centros comerciais

Leia mais

responsabilidade CorPorativa 2010 desempenho Por País Portugal

responsabilidade CorPorativa 2010 desempenho Por País Portugal responsabilidade CorPorativa desempenho Por País Portugal 01 1. PerFil da empresa a sonae sierra é a especialista internacional em centros comerciais, apaixonada por introduzir inovação e emoção na indústria

Leia mais

Relatório de Gestão & Contas - Ano 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO. Resende e Fernandes, Construção Civil, Lda.

Relatório de Gestão & Contas - Ano 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO. Resende e Fernandes, Construção Civil, Lda. RELATÓRIO DE GESTÃO Resende e Fernandes, Construção Civil, Lda. 2012 ÍNDICE DESTAQUES... 3 MENSAGEM DO GERENTE... 4 ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO... 5 Economia internacional... 5 Economia Nacional... 5

Leia mais

Ficha de informação 1 POR QUE RAZÃO NECESSITA A UE DE UM PLANO DE INVESTIMENTO?

Ficha de informação 1 POR QUE RAZÃO NECESSITA A UE DE UM PLANO DE INVESTIMENTO? Ficha de informação 1 POR QUE RAZÃO NECESSITA A UE DE UM PLANO DE INVESTIMENTO? Desde a crise económica e financeira mundial, a UE sofre de um baixo nível de investimento. São necessários esforços coletivos

Leia mais

Apresentação de Resultados 1T14

Apresentação de Resultados 1T14 Apresentação de Resultados 1T14 15 de Maio de 2014 Destaques do 1T14 O aluguel nas mesmas lojas (SSR) continuou a reportar crescimento de dois dígitos no 1T14, aumento de 10,1% comparado ao 1T13 As vendas

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS BBVA MULTIFUNDO ALTERNATIVO

RELATÓRIO E CONTAS BBVA MULTIFUNDO ALTERNATIVO RELATÓRIO E CONTAS BBVA MULTIFUNDO ALTERNATIVO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO 30 JUNHO 20 1 BREVE ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO 1º semestre de 20 No contexto macroeconómico, o mais relevante no primeiro

Leia mais

Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014

Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014 Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014 Proveitos Operacionais de 60,8 milhões de euros (+ 8,1%) EBITDA de 5,6 milhões de euros (+ 11,1%) Margem EBITDA 9,2% (vs. 8,9%) Resultado

Leia mais

CONTABILIDADE FINANCEIRA II. 2ª Frequência. Responda a cada grupo em folha separada

CONTABILIDADE FINANCEIRA II. 2ª Frequência. Responda a cada grupo em folha separada CONTABILIDADE FINANCEIRA II Equipa Docente: Data: 8 de Janeiro de 2008 Cristina Neto de Carvalho Duração: 2 horas Sofia Pereira 2ª Frequência Responda a cada grupo em folha separada A Ibersol tem como

Leia mais

BANCO ESPIRITO SANTO RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2001

BANCO ESPIRITO SANTO RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2001 BANCO ESPIRITO SANTO RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2001 2 RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2001 ASPECTOS MAIS RELEVANTES: SIGNIFICATIVO CRESCIMENTO DA ACTIVIDADE DESIGNADAMENTE A CAPTAÇÃO DE RECURSOS

Leia mais

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua do General Norton de Matos, 68, r/c Porto Pessoa Colectiva Número 502 293 225 Capital Social: 25.641.459 Euros Informação financeira do terceiro trimestre

Leia mais

Situação Económico-Financeira Balanço e Contas

Situação Económico-Financeira Balanço e Contas II Situação Económico-Financeira Balanço e Contas Esta parte do Relatório respeita à situação económico-financeira da Instituição, através da publicação dos respectivos Balanço e Contas e do Relatório

Leia mais

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua do General Norton de Matos, 68, r/c Porto Pessoa Colectiva Número 502 293 225 Capital Social: 25.641.459 Euros Informação financeira do exercício de 2014 (não

Leia mais

COMUNICADO 9M 2015 COMUNICADO 9M 2015. (Contas não auditadas)

COMUNICADO 9M 2015 COMUNICADO 9M 2015. (Contas não auditadas) COMUNICADO 9M 2015 (Contas não auditadas) 30 novembro 2015 1 1. EVOLUÇÃO DOS NEGÓCIOS 1.1. ÁREA FINANCEIRA A Área Financeira do Grupo concentra as atividades financeiras, incluindo a Orey Financial e as

Leia mais

Resultados 2005 Resultados 2005

Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 1T06 Bovespa: RSID3 NYSE (ADR): RSR2Y Receita Líquida alcança R$ 85,2 milhões VGV totaliza R$ 94,3 milhões Vendas contratadas crescem 63% São Paulo, 11 de maio

Leia mais

Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011

Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011 Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011 Proveitos Operacionais de 55,8 milhões EBITDA de 3,1 milhões Margem EBITDA de 5,6% EBIT de 0,54 milhões Resultado Líquido negativo

Leia mais

LUZ AO FUNDO DO TÚNEL TALVEZ SÓ EM 2013. As previsões do Euroconstruct para o sector da construção e da reabilitação em Portugal.

LUZ AO FUNDO DO TÚNEL TALVEZ SÓ EM 2013. As previsões do Euroconstruct para o sector da construção e da reabilitação em Portugal. LUZ AO FUNDO DO TÚNEL TALVEZ SÓ EM 2013 As previsões do Euroconstruct para o sector da construção e da reabilitação em Portugal Vítor Cóias 1. INTRODUÇÃO Nas últimas décadas a construção em Portugal tem

Leia mais

01 _ Enquadramento macroeconómico

01 _ Enquadramento macroeconómico 01 _ Enquadramento macroeconómico 01 _ Enquadramento macroeconómico O agravamento da crise do crédito hipotecário subprime transformou-se numa crise generalizada de confiança com repercursões nos mercados

Leia mais

Resultados de 2014. »» As vendas consolidadas do Grupo VAA cresceram 20,3% face ao ano anterior atingindo os 65,2 milhões de euros;

Resultados de 2014. »» As vendas consolidadas do Grupo VAA cresceram 20,3% face ao ano anterior atingindo os 65,2 milhões de euros; COMUNICADO Ílhavo, 13 de Março de 2015 Destaques Resultados de 2014»» As vendas consolidadas do Grupo VAA cresceram 20,3% face ao ano anterior atingindo os 65,2 milhões de euros;»» EBITDA de 2,3 milhões

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS BBVA BOLSA EURO

RELATÓRIO E CONTAS BBVA BOLSA EURO RELATÓRIO E CONTAS BBVA BOLSA EURO 30 JUNHO 20 1 BREVE ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO 1º semestre de 20 No contexto macroeconómico, o mais relevante no primeiro semestre de 20, foi a subida das taxas do

Leia mais

COMUNICADO RESULTADOS TRIMESTRAIS (Não auditados) 28 de Maio de 2015

COMUNICADO RESULTADOS TRIMESTRAIS (Não auditados) 28 de Maio de 2015 COMUNICADO RESULTADOS TRIMESTRAIS (Não auditados) 28 de Maio de 2015 Sociedade Comercial Orey Antunes, S.A. Sociedade Aberta Rua Carlos Alberto da Mota Pinto, nº 17 6A, 1070-313 Lisboa Portugal Capital

Leia mais

C&A aumenta quota de mercado na Europa em 2011

C&A aumenta quota de mercado na Europa em 2011 Comunicado de Imprensa Abril 2012 Empresa cresce e continua a investir C&A aumenta quota de mercado na Europa em 2011 Investimentos em atuais e novas lojas Aposta nas lojas on-line Aumento nas vendas de

Leia mais

Relatório e Contas 2006 Sonae SGPS, S.A.

Relatório e Contas 2006 Sonae SGPS, S.A. Relatório e Contas 2006 Sonae SGPS, S.A. Índice Carta do Presidente...05 Relatório de Gestão...09 Relatório sobre o Governo da Sociedade...43 Demonstrações Financeiras Consolidadas...71 Anexo às Demonstrações

Leia mais

As nossas acções Sonaecom

As nossas acções Sonaecom 3.0 As nossas acções Em 2009, as acções da Sonaecom registaram o segundo melhor desempenho do PSI-20, valorizando cerca de 92,2 %, o que constitui uma prova clara da nossa resiliência e um voto de confiança

Leia mais

SUMÁRIO. 3º Trimestre 2009 RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE SEGURADORA. Produção de seguro directo. Custos com sinistros

SUMÁRIO. 3º Trimestre 2009 RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE SEGURADORA. Produção de seguro directo. Custos com sinistros SUMÁRIO Produção de seguro directo No terceiro trimestre de, seguindo a tendência evidenciada ao longo do ano, assistiu-se a uma contracção na produção de seguro directo das empresas de seguros sob a supervisão

Leia mais

GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa.

GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. Boletim Mensal de Economia Portuguesa Nº 8 Agosto 2008 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e da Inovação GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO 2012

RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 NATURTEJO EMPRESA DE TURISMO - EIM MARÇO, CASTELO BRANCO 2013 Nos termos legais e estatutários, vimos submeter a apreciação da assembleia Geral o Relatório de Gestão, as contas,

Leia mais

COMUNICADO 1S 2015. COMUNICADO 1S 2015 (Contas não auditadas)

COMUNICADO 1S 2015. COMUNICADO 1S 2015 (Contas não auditadas) COMUNICADO 1S 2015 (Contas não auditadas) 31 agosto 2015 1. EVOLUÇÃO DOS NEGÓCIOS 1.1. ÁREA FINANCEIRA A Área Financeira do Grupo concentra as atividades financeiras, incluindo a Orey Financial, e as suas

Leia mais

criação A EMPRESA A Sonae Sierra produtos inovadores e na único prestação uma ABL comercializava

criação A EMPRESA A Sonae Sierra produtos inovadores e na único prestação uma ABL comercializava Especialista na criação de centros comerciais sustentáveis A EMPRESA A Sonae Sierra é especialista internacional em centros comerciais. Enquanto primeira Empresa no sector a combinar ass compras com o

Leia mais

Foram os seguintes os principais acontecimentos ocorridos durante o primeiro semestre de 2001:

Foram os seguintes os principais acontecimentos ocorridos durante o primeiro semestre de 2001: SONAE IMOBILIÁRIA-SGPS, S.A. Sede social: Lugar do Espido, Via Norte, Maia Capital Social: 187.125.000 Euros Matriculada na Conservatória do Registo Comercial do Porto sob o nº 2252-A Pessoa Colectiva

Leia mais

DECLARAÇÃO INICIAL DO GOVERNADOR DO BANCO DE PORTUGAL NA APRESENTAÇÃO DO BOLETIM ECONÓMICO DA PRIMAVERA (2009)

DECLARAÇÃO INICIAL DO GOVERNADOR DO BANCO DE PORTUGAL NA APRESENTAÇÃO DO BOLETIM ECONÓMICO DA PRIMAVERA (2009) Conferência de Imprensa em 14 de Abril de 2009 DECLARAÇÃO INICIAL DO GOVERNADOR DO BANCO DE PORTUGAL NA APRESENTAÇÃO DO BOLETIM ECONÓMICO DA PRIMAVERA (2009) No contexto da maior crise económica mundial

Leia mais

Sociedades de Garantia Mútua (SGM) são:

Sociedades de Garantia Mútua (SGM) são: Sociedades de Garantia Mútua (SGM) são: Operadores financeiros que prestam às instituições bancárias as garantias que lhes permitem disponibilizar às PME empréstimos em condições mais favoráveis. Ao partilhar

Leia mais

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados dos Primeiros 9 Meses de 2013

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados dos Primeiros 9 Meses de 2013 Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados dos Primeiros 9 Meses de 2013 No terceiro trimestre, reforçámos as nossas posições de liderança tanto na Polónia como em Portugal com aumento de quotas de mercado

Leia mais

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 1 INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 3. PRIORIDADES ESTRATÉGICAS 3.1 Concretizar o Potencial da Biedronka 3.2 Assegurar o Crescimento de Longo Prazo 1. THE GROUP TODAY 4. EXPLORAR TODO O POTENCIAL

Leia mais

1.2 Situação patrimonial dos setores não financeiros

1.2 Situação patrimonial dos setores não financeiros .2 Situação patrimonial dos setores não financeiros No primeiro semestre de 203, prosseguiu o processo de ajustamento gradual dos desequilíbrios no balanço dos particulares 3 Nos primeiros seis meses de

Leia mais

Localizado junto à estrada de Eiras, na zona natural de expansão da cidade, o Coimbra Retail Park começou a

Localizado junto à estrada de Eiras, na zona natural de expansão da cidade, o Coimbra Retail Park começou a Informação à Imprensa - 10 de Novembro de 2003 Parceria entre a Sonae Imobiliária e a Miller Developments Coimbra Retail Park abre ao público com oferta de 15 novas lojas - Investimento de 13 milhões -

Leia mais

Lisboa, 29 de Outubro de 2007 Comunicado: Contas da IMPRESA em Setembro 2007 1. Principais factos em Setembro 2007

Lisboa, 29 de Outubro de 2007 Comunicado: Contas da IMPRESA em Setembro 2007 1. Principais factos em Setembro 2007 Lisboa, 29 de Outubro de 2007 Comunicado: Contas da IMPRESA em Setembro 2007 1. Principais factos em Setembro 2007 Receitas consolidadas de 62,6 M, uma subida de 10,8% no 3º trimestre, sendo de referir:

Leia mais

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL (Não Auditada) Sede: R. GENERAL NORTON DE MATOS, 68, PORTO NIPC: 502 293 225

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL (Não Auditada) Sede: R. GENERAL NORTON DE MATOS, 68, PORTO NIPC: 502 293 225 INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL (Não Auditada) Empresa: COFINA, SGPS, S.A. Sede: R. GENERAL NORTON DE MATOS, 68, PORTO NIPC: 502 293 225 Período de referência: Valores em Euros 1º Trimestre 3º Trimestre

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL DOS AÇORES SESSÃO PLENÁRIA DE 11 a 13 NOVEMBRO DE 2002 Intervenção do Deputado Cabral Vieira

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL DOS AÇORES SESSÃO PLENÁRIA DE 11 a 13 NOVEMBRO DE 2002 Intervenção do Deputado Cabral Vieira ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL DOS AÇORES SESSÃO PLENÁRIA DE 11 a 13 NOVEMBRO DE 2002 Intervenção do Deputado Cabral Vieira O Plano e o Orçamento constituem documentos de grande importância para a economia

Leia mais

Press Release. Worx divulga WMarket Report 1ºS 2008

Press Release. Worx divulga WMarket Report 1ºS 2008 Press Release No: 77 / DZ Data: 15 de Setembro de 2008 Edifício Taurus, Campo Edifício Pequeno, Taurus, 48 4º 1000-081 Campo Pequeno, Lisboa 48 4º 1000-081 Lisboa + 351 217 999 960 tel. + 351 217 999 965

Leia mais

Apresentação de Resultados 4T13

Apresentação de Resultados 4T13 Apresentação de Resultados 4T13 27 de Fevereiro de 2014 Destaques de 2013 O lucro líquido foi de R$ 74,6 milhões no 4T13, aumento de 165% sobre 4T12. Em 2013, o lucro líquido totalizou R$ 226,0 milhões,

Leia mais

Apresentação a Empresas. (Sociedade registada na CMVM com o nº 340)

Apresentação a Empresas. (Sociedade registada na CMVM com o nº 340) Apresentação a Empresas (Sociedade registada na CMVM com o nº 340) AGENDA I. Equipa de Gestão II. Empresas e os desafios actuais III. Serviços especializados IV. Contactos 2 I. Equipa de Gestão Resumo

Leia mais

Relatório e Contas 2001

Relatório e Contas 2001 Relatório e Contas 2001 Sonae Imobiliária Indicadores Financeiros 2001 Lucro Líquido de 120,9 milhões ( 63 milhões em 2000), crescimento de 92,1% NAV de 934 milhões ( 752 milhões em 2000), crescimento

Leia mais

DISCLAIMER. Aviso Legal

DISCLAIMER. Aviso Legal ANÁLISE FINANCEIRA DISCLAIMER Aviso Legal Esta apresentação inclui afirmações que não se referem a factos passados e que se referem ao futuro e que envolvem riscos e incertezas que podem levar a que os

Leia mais

Condições do Franchising

Condições do Franchising Condições do Franchising ÍNDICE Introdução 1. Vantagens em entrar num negócio de franchising 2. O que nos distingue como sistema de franchising 2.1. vantagens para o franchisado face a outras redes 2.2.

Leia mais

PORTUGAL Economic Outlook. Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008

PORTUGAL Economic Outlook. Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008 PORTUGAL Economic Outlook Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008 Portugal: Adaptação a um novo ambiente económico global A economia portuguesa enfrenta o impacto de um ambiente externo difícil,

Leia mais

Choques Desequilibram a Economia Global

Choques Desequilibram a Economia Global Choques Desequilibram a Economia Global Uma série de choques reduziu o ritmo da recuperação econômica global em 2011. As economias emergentes como um todo se saíram bem melhor do que as economias avançadas,

Leia mais

NEXPONOR. 30/06/2014 Relatório de gestão 1º semestre 2014

NEXPONOR. 30/06/2014 Relatório de gestão 1º semestre 2014 NEXPONOR 30/06/2014 Relatório de gestão 1º semestre 2014 A NEXPONOR Sociedade Especial de Investimento Imobiliário de Capital Fixo SICAFI, S.A. foi constituída em Maio de 2013 centrando-se a sua atividade

Leia mais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Exmo Senhor Presidente da Associação Angolana de Bancos Sr. Amílcar Silva Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Estimados Bancários Minhas Senhoras

Leia mais

A COLOCAÇÃO DE ESCRITÓRIOS PODE VOLTAR AOS 150 MIL/170 MIL M2 EM 2009

A COLOCAÇÃO DE ESCRITÓRIOS PODE VOLTAR AOS 150 MIL/170 MIL M2 EM 2009 OJE 3 de Dezembro 2008 (1/5) A COLOCAÇÃO DE ESCRITÓRIOS PODE VOLTAR AOS 150 MIL/170 MIL M2 EM 2009 O take-up de ESCRITÓRIOS vai regredir em 2009 para o nível dos anos de 2004 e 2005, embora o preço das

Leia mais

Entrevista com BPN Imofundos. António Coutinho Rebelo. Presidente. www.bpnimofundos.pt. Com quality media press para LA VANGUARDIA

Entrevista com BPN Imofundos. António Coutinho Rebelo. Presidente. www.bpnimofundos.pt. Com quality media press para LA VANGUARDIA Entrevista com BPN Imofundos António Coutinho Rebelo Presidente www.bpnimofundos.pt Com quality media press para LA VANGUARDIA Esta transcrição reproduz fiel e integralmente a entrevista. As respostas

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO 2013

RELATÓRIO DE GESTÃO 2013 RELATÓRIO DE GESTÃO 2013 NATURTEJO EMPRESA DE TURISMO - EIM MARÇO, CASTELO BRANCO 2014 Nos termos legais e estatutários, vimos submeter a apreciação da assembleia Geral o Relatório de Gestão, as contas,

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 2012 13 MARÇO 2013

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 2012 13 MARÇO 2013 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 2012 13 MARÇO 2013 AGENDA Destaques do ano Desempenho dos negócios e consolidado Desenvolvimentos estratégicos Desafios e prioridades DESTAQUES VOLUME DE NEGÓCIOS: EBITDA RECORRENTE:

Leia mais

tem Soares dos Santos mais dinheiro na bolsa que China e Angola juntos - P3O

tem Soares dos Santos mais dinheiro na bolsa que China e Angola juntos - P3O tem Soares dos Santos mais dinheiro na bolsa que China e Angola juntos - P3O Soares dos Santos tem mais dinheiro na bolsa que China e Angola juntos A subida das acções da Jerónimo Martins levou a família

Leia mais

VALOR EM TEMPOS DE CRISE

VALOR EM TEMPOS DE CRISE IPD PORTUGAL 2009 JULHO 2010 1 Introdução 2 IPD 2009 - Retorno Total - Retorno das Rendas - Valorização do Capital 8 Análise Cushman & Wakefield Av. da Liberdade, 131 2º 1250-140 Lisboa, Portugal www.cushmanwakefield.com

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

A SONAE SIERRA AMBICIONA COMBINAR ALTOS NÍVEIS DE ENERGIA, IMAGINAÇÃO E INTEGRIDADE PARA OBTER PRODUTOS INOVADORES E RETORNOS ELEVADOS.

A SONAE SIERRA AMBICIONA COMBINAR ALTOS NÍVEIS DE ENERGIA, IMAGINAÇÃO E INTEGRIDADE PARA OBTER PRODUTOS INOVADORES E RETORNOS ELEVADOS. Sonae Sierra SGPS, SA Lugar do Espido - Via Norte 4471-909 Maia - Portugal Apartado 1197 Tel (+351) 22 010 44 58 (+351) 22 010 44 36 Geral (+351) 22 948 75 22 Fax (+351) 22 010 46 98 www.sonaesierra.com

Leia mais

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Criada em Setembro de 2005 em Sacavém, a Explicolândia Centros de Estudo tem sido ao longo dos anos, uma

Leia mais

ÍNDICE. NOTAS EXPLICATIVAS Metodológica e Fontes Estatísticas.. 3 Conceitos...3 Sinais Convencionais... 6 Siglas e Abreviaturas...

ÍNDICE. NOTAS EXPLICATIVAS Metodológica e Fontes Estatísticas.. 3 Conceitos...3 Sinais Convencionais... 6 Siglas e Abreviaturas... ÍNDICE PREFÁCIO... 2 NOTAS EXPLICATIVAS Metodológica e Fontes Estatísticas.. 3 Conceitos...3 Sinais Convencionais... 6 Siglas e Abreviaturas... 6 ANÁLISE DE RESULTADOS Situação Global... 7 Conta Corrente...

Leia mais

Fortaleza, 4 de novembro de 2013.

Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, no V Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira Senhoras e senhores, boa tarde a todos.

Leia mais

A banca paga metade da taxa de IRC, as remunerações representam apenas 30% do VAB, e faltam 530 milhões contos Pág. 1

A banca paga metade da taxa de IRC, as remunerações representam apenas 30% do VAB, e faltam 530 milhões contos Pág. 1 A banca paga metade da taxa de IRC, as remunerações representam apenas 30% do VAB, e faltam 530 milhões contos Pág. 1 A BANCA PAGA METADE DA TAXA DE IRC, AS REMUNERAÇÕES DOS TRABALHADORES REPRESENTAM APENAS

Leia mais

A GP no mercado imobiliário

A GP no mercado imobiliário A GP no mercado imobiliário A experiência singular acumulada pela GP Investments em diferentes segmentos do setor imobiliário confere importante diferencial competitivo para a Companhia capturar novas

Leia mais

School of Economics and Management

School of Economics and Management School of Economics and Management TECHNICAL UNIVERSITY OF LISBON Department of Economics Carlos Pestana Barros & Nicolas Peypoch Pedro Leão Consequências A Comparative Analysis de desequilíbrios of Productivity

Leia mais

As Estatísticas do Banco de Portugal, a Economia e as Empresas

As Estatísticas do Banco de Portugal, a Economia e as Empresas 30 11 2012 As Estatísticas do Banco de Portugal, a Economia e as Empresas Teodora Cardoso 1ª Conferência da Central de Balanços Porto, 13 Dezembro 2010 O Banco de Portugal e as Estatísticas O Banco de

Leia mais

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Nota de Imprensa Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Presidente mundial do Banco Santander apresenta em São Paulo o Plano Estratégico 2008-2010 para o A integração

Leia mais

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades.

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades. A Protteja Seguros surge da vontade de contribuir para o crescimento do mercado segurador nacional, através da inovação, da melhoria da qualidade de serviço e de uma política de crescimento sustentável.

Leia mais

AS RELAÇÕES ECONÓMICAS PORTUGAL ANGOLA E A ESTRATÉGIA DO BANCO BIC PORTUGUÊS*

AS RELAÇÕES ECONÓMICAS PORTUGAL ANGOLA E A ESTRATÉGIA DO BANCO BIC PORTUGUÊS* ASRELAÇÕESECONÓMICASPORTUGAL ANGOLA I. ACRISEFINANCEIRAEAECONOMIAMUNDIAL EAESTRATÉGIADOBANCOBICPORTUGUÊS* Acrisecomeçounosistemafinanceiroejáatingiuaeconomiareal.O Creditcrunch estáaprovocara contracçãodoprodutonaseconomiasocidentais,reduzindoaprocuranosmercadoseaumentandoo

Leia mais

Portugal Forte crescimento no início do ano

Portugal Forte crescimento no início do ano 8 Abr ANÁLISE ECONÓMICA Portugal Forte crescimento no início do ano Miguel Jiménez / Agustín García / Diego Torres / Massimo Trento Nos primeiros meses do ano, a retoma do consumo privado teria impulsionado

Leia mais

SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta

SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta Estrada de Alfragide, nº 67, Amadora Capital Social: 169.764.398 Euros sob o número único de matrícula e de pessoa colectiva 503 219 886 COMUNICADO

Leia mais

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos Os Desafios da Fileira da Construção As Oportunidades nos Mercados Externos Agradeço o convite que me foi dirigido para participar neste Seminário e felicito a AIP pela iniciativa e pelo tema escolhido.

Leia mais

CONTAS CONSOLIDADAS I.A.S. 1º Trimestre 2009

CONTAS CONSOLIDADAS I.A.S. 1º Trimestre 2009 CONTAS CONSOLIDADAS I.A.S. 1º Trimestre 2009 Av. Vasco da Gama, 1410 4431-956 Telefone 22-7867000 Fax 22-7867215 Registada na C.R.C. de sob o nº 500239037 Capital Social: Euro 35.000.000 Sociedade Aberta

Leia mais

Fundo Caixa Crescimento. Junho de 2015

Fundo Caixa Crescimento. Junho de 2015 Fundo Caixa Crescimento Junho de 2015 O que é o Capital de Risco Modalidades O Capital de Risco constitui uma forma de financiamento de longo prazo das empresas, realizado por investidores financeiros

Leia mais

QUEM SOMOS ATIVIDADE MERCADO A NOSSA VISÃO E MISSÃO

QUEM SOMOS ATIVIDADE MERCADO A NOSSA VISÃO E MISSÃO Novembro, 2015 QUEM SOMOS A Sonae Sierra Brasil é uma empresa especialista em shopping centers e uma das principais proprietárias, desenvolvedoras e administradoras do Brasil, com foco na excelência em

Leia mais

O que são CFDs? CFDS Uma abordagem prática

O que são CFDs? CFDS Uma abordagem prática O que são CFDs? Um CFD (Contract for difference) é um instrumento financeiro negociado fora de mercados regulamentados que proporciona, aos investidores, uma forma mais eficiente de negociação em acções.

Leia mais

PROMOTORES: PARCEIROS/CONSULTORES: FUNCIONAMENTO RESUMO

PROMOTORES: PARCEIROS/CONSULTORES: FUNCIONAMENTO RESUMO CVGARANTE SOCIEDADE DE GARANTIA MÚTUA PROMOTORES: PARCEIROS/CONSULTORES: FUNCIONAMENTO RESUMO 14 de Outubro de 2010 O que é a Garantia Mútua? É um sistema privado e de cariz mutualista de apoio às empresas,

Leia mais

Jerónimo Martins, SGPS, S.A. Resultados do Primeiro Trimestre de 2006

Jerónimo Martins, SGPS, S.A. Resultados do Primeiro Trimestre de 2006 Jerónimo Martins, SGPS, S.A. Resultados do Primeiro Trimestre de 2006 1. Sumário Para mais informação contactar: Cláudia Falcão claudia.falcao@jeronimomartins.pt (+351-21 752 61 05) Hugo Fernandes hugo.fernandes@jeronimomartins.pt

Leia mais

Manual da Garantia Mútua

Manual da Garantia Mútua Março de 2007 Manual da Garantia Mútua O que é a Garantia Mútua? É um sistema privado e de cariz mutualista de apoio às pequenas, médias e micro empresas (PME), que se traduz fundamentalmente na prestação

Leia mais

1. Resultados do Exercício

1. Resultados do Exercício PARAREDE, SGPS, SA Sociedade Aberta Sede Social: Av. José Malhoa nº 21, 1070157 Lisboa Pessoa Colectiva nº 503.541.320 Capital Social de 125.087.500 Euros Matriculada na Conservatória do Registo Comercial

Leia mais

XXXVII Congresso Nacional APAVT - Turismo: Prioridade Nacional Viseu, 01 a 04 de Dezembro de 2011. Diogo Gaspar Ferreira

XXXVII Congresso Nacional APAVT - Turismo: Prioridade Nacional Viseu, 01 a 04 de Dezembro de 2011. Diogo Gaspar Ferreira XXXVII Congresso Nacional APAVT - Turismo: Prioridade Nacional Viseu, 01 a 04 de Dezembro de 2011 Diogo Gaspar Ferreira 1. PONTOS FRACOS E FORTES DO TURISMO RESIDENCIAL PORTUGUÊS 2. PLANO ESTRATÉGICO A

Leia mais

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Gostaria de começar por agradecer o amável convite que a FCT me dirigiu para

Leia mais

Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 11 Novembro 2014. Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia

Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.º 11 Novembro 2014. Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 11 Novembro Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA EDP PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA O Grupo EDP Energias de Portugal centra as suas actividades na produção, distribuição e comercialização de energia eléctrica,

Leia mais

RESULTADOS PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013

RESULTADOS PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013 COMUNICADO Ílhavo, 30 de Agosto de 2013 RESULTADOS PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013 Destaques»» As vendas da VAA no primeiro semestre de 2013 atingiram 24,7 M ;»» O mercado nacional apresentou um crescimento

Leia mais

RENTABILIDADE E RISCO NOS MERCADOS FINANCEIROS. Série Estudos nº10

RENTABILIDADE E RISCO NOS MERCADOS FINANCEIROS. Série Estudos nº10 RENTABILIDADE E RISCO NOS MERCADOS FINANCEIROS Luís Portugal Série Estudos nº10 2 de Março de 2010 Actuarial - Consultadoria 1 Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. EVOLUÇÃO DOS ÍNDICES... 3 3. RENTABILIDADE E

Leia mais

A GESTÃO DAS VENDAS COMO UMA FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA

A GESTÃO DAS VENDAS COMO UMA FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA A GESTÃO DAS VENDAS COMO UMA FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA DE QUE FORMA OS GESTORES DE VENDAS ADICIONAM VALOR À SUA ORGANIZAÇÃO? Desenvolver Gestores de Vendas eficazes tem sido uma das grandes preocupações

Leia mais