O SER POSSÍVEL E O SER NECESSÁRIO, FRANCISCO A PARTIR DAS IDÉIAS DE AVICENA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O SER POSSÍVEL E O SER NECESSÁRIO, FRANCISCO A PARTIR DAS IDÉIAS DE AVICENA"

Transcrição

1 O SER POSSÍVEL E O SER NECESSÁRIO, FRANCISCO A PARTIR DAS IDÉIAS DE AVICENA ABREU, Odailson Volpe de (UEM) O mundo atual é marcado pela inutilidade, os homens se deixam levar por tudo aquilo que não é útil em sua vida, existe uma cultura inútil, existe uma ilusão de que o fútil é necessário e existem ações inúteis de homens fúteis. Segundo Marilena Chauí, em seu livro Convite para Filosofia, um dos primeiros ensinamentos filosóficos é perguntar: o que é útil? Para que e para quem algo é útil? O que é o inútil? Por que e para quem algo é inútil? Talvez por isso a filosofia se apresente como uma das bases do saber e do desenvolver o saber dos homens, realmente algo extremamente necessário, mas no mundo atual, nem sempre o que é necessário é o que é útil. A filosofia não ajuda o homem a levar vantagem em tudo, pelo contrário o ensina a buscar o bem comum, um valor infelizmente que tem se mostrado cada vez menor nas sociedades do mundo todo e principalmente na brasileira. Neste sentido, em igualdade com a Filosofia está a Religião, ela não tem função de ser base do saber dos homens, mas é um importante respaldo para os valores já estabelecidos por eles ao longo do tempo. Segundo Alessandra Sterzi, professora da FASM, em seu artigo Inútil e Necessário, A filosofia, a arte e a religião fazem parte do grupo das atitudes fundamentais do ser humano, pois a ele mostram as raízes da existência, vislumbram a fronteira do ser, levam a perceber não apenas o imanente, mas a se dar conta também do transcendente. 1

2 Mostrar as raízes da existencia e vislumbrar a fronteira do ser, por si só já é uma forma de levar o homem a querer se tornar necessário, pois o faz pensar em sua existência como algo importante para humanidade, o torna protagonista de ações que marquem sua existencia na vida de outras pessoas. A pressa do dia-a-dia, as necessidades do mundo moderno, o estresse e a pressão do trabalho, limitam o homem as ações comuns do seu cotidiano e dessa forma o impedem de conhecer a si mesmo e a reponsabilidade que traz em si, a de ser alguém realmente útil para sociedade. É impossível não encontrar na religião uma busca para o progresso do homem, ela prega acima do tudo o amor, na vivência desse amor, encontramos o respeito, a caridade, o compartilhar não apenas artigos materiais, mas sentimentos e sofrimentos. Isso demonstra que mesmo diante da incompreensão de muitos ao não perceberem esses pontos positivos, ela ainda figura como propulsora de um progresso da humanidade, que deve deixar seus interesses para construir algo melhor, um bem comum para a sociedade, pois as ações individuais acabam sempre refletindo no todo. Sobre a utilidade da religião Josef Pieper faz uma colocação interessante: Nós Vos louvamos, Senhor, nós Vos glorificamos, nós Vos damos graças por Vossa imensa glória. Como pode isto ser compreendido pelas categorias da utilidade racional e da organização utilitária? (Pieper, 1981, p.6). Realmente, racionalmente falando, a religião parece não possuir utilidade alguma, aparenta simplesmente ser a alienação à realidade, onde homem se isola do mundo através de suas orações a um Ser transcendente e muitas vezes aparentemente inacessível. A sociedade do trabalho envolvida na correria de suas especificidades, tem se tornado incapaz de descobrir o valor que há nas entrelinhas das atitudes religiosas. As orações que elevam o pensamento e o coração do homem para o Transcendente, despertam nesse coração um compromisso muito grande com o próximo, pois revela no próximo o próprio Transcendente e partir disso, cria neste 2

3 homem religioso uma necessidade de se tornar alguém útil para o outro e consequentemente para a sociedade. O mundo da atualidade trava uma batalha entre idéias novas e conceitos surgidos na Idade Média se apresentando ainda vigentes. São Tomás, dizia a respeitos das artes servis: estão ordenadas para uma utilidade que se alcança pela atividade, essa afirmação de São Tomás se demonstra muito comum para muitos homens de nosso tempo, pois para eles apenas aquilo que foi produzido utilizando as mãos ou uma ação manual tem valor no mundo do trabalho, mesmo diante do grande avanço da intelectualidade e das ciências, o homem ainda pensa que o verdadeiro trabalho é aquele que gera o suor no rosto e não o cansaço da mente. Nota-se a incapacidade de muitos de descobrir o valor que está além da ação, mas que está no pensamento, por isso muitos considerarem inutil a filosofia, a arte e também a religião. A pequenez do pensamento de alguns que não fundamentam suas vidas na intelectualidade ofusca a utilidade daquilo que pode despertar no homem algo melhor, no caso a filosofia, a arte e a religião. Pois nenhuma das três como diz Marilena Chaui, é capaz de conceder prestígio, fama e riqueza, elas não concedem um resultado visível através de ações primárias, desta forma as três se tornam inúteis para a sociedade do trabalho que busca apenas o lucro e na maioria das vezes a vantagem em tudo. A intenção aqui é discutir a utilidade da Religião, deixando um pouco de lado a filosofia e arte, não que elas sejam de menor importância, não o são, mas porque o reconhecimento da utilidade da religião, através de alguns pontos já esclarecidos aqui, como por exemplo a responsabilidade pelo próximo que a religião cria no homem através da sua proximidade com outro a partir do Transcendente, é o princípio para fundamentar toda a discussão pretendida, uma discussão sobre a utilidade, a necessidade e a importância de alguns homens da religião para o século XIII, os Franciscanos. Levando em consideração que as Ordens Mendicantes são os braços da Igreja Católica, Igreja esta que define toda a religiosidade do Ocidente neste 3

4 momento, é importante perceber como a pessoa de Francisco e posteriormente os seus seguidores, através da religião, contribuíram na formação de uma sociedade melhor no século XIII. Da mesma forma precisamos reconhecer que nossa sociedade, tanto quanto a sociedade medieval do século XIII, também tem grande necessidade de seres que sejam necessários e úteis, como os mendicantes foram para este período da História. Para definir a personalidade e a presença de Francisco como um ser humano necessário, capaz de fazer a diferença neste período proposto, precisamos utilizar os conceitos e as idéias filosóficas forjadas por um importante pensador alguns séculos antes, no Oriente. Em um momento em que a filosofia do Ocidente medieval era muito distinta da filosofia do Oriente, surgem alguns pensadores islâmicos de muito destaque, entre eles está Avicena. Sua filosofia baseada em Platão e Aristóteles fez com que ele construísse discussões muito interessantes no século X e XI e dentre elas a idéia utilizada neste artigo para definir a importância de Francisco no século XIII. A produção de comentários sobre a filosofia grega em Bizâncio se manteve durante vários séculos, isso garantiu a preservação de grande parte da obra de Aristóteles. De lá, a tradição aristotélica passou ao mundo árabe, onde floresceu mesclada ao neoplatonismo, e foi dessa fonte que Avicena bebeu para formular sua extensa obra sobre filosofia. É preciso reconhecer que a influência de Avicena no Ocidente, foi decisiva para a propagação do pensamento aristotélico entre os século XII e XIII, afinal filósofos importantes como Duns Escoto, Alberto Magno e mesmo São Tomás de Aquino foram influenciados por ele. Para Avicena, o Transcendente, ou Deus, representa o Ser necessário, cuja essência se equipara à sua própria existência e que constitui a base de todas as possibilidades. A partir disso, sendo o homem imagem e semelhança divina, também ele é capaz de se tornar um ser necessário, à medida que todos os homens 4

5 já são seres possíveis, serão suas atitudes que os tornarão seres necessários, para o próximo, para a sociedade e para o mundo. Avicena considera que todo sujeito é um ser intelectual, independente de ser cristão ou muçulmano, sendo um ser intelectual, mesmo aqueles que estão envolvidos em suas tarefas cotidianas não ligada a área do conhecimento, são capazes de compreender, de gerar conhecimento, de aprender e a partir disso se tornarem seres necessários. Diante das idéias de Avicena é possível perceber, que todos possuem sensibilidade, mas que ela só permitirá aos homens enxergar o belo se ele deixar sua pequenez de espírito e ir para além das coisas comuns, além do seu cotidiano. Isso se aprensenta como uma tarefa muito difícil pois num mundo de especificidades, onde cada um se dedica e conhece apenas aquilo que é de sua competência, ir além desse ponto de segurança se apresenta como algo bastante incômodo. Construindo a idéia de ser necessário Avicena escreve: Não é possível duas coisas, esta não sendo aquela e nem aquela sendo esta, cada uma delas sendo ser necessário por si e por intermédio da outra, pois já mostramos que o que é ser necessário por si, não é ser necessário por intermédio de outro (1999, p. 41). Ou seja, o homem é único, impossível de ser dois ao mesmo tempo, ele só existe em si mesmo, ele pensa por ele mesmo, ele não pode agir pelo outro. O ser humano não pode tomar duas atitudes, apenas uma, não pode ser alguém em determinado momento e ser diferente mais tarde, o homem deve ser coerente. Além disso ele ainda afirma, que um ser conduzido pelo outro, ou seja, um ser manipulável, não é um ser necessário, ele é simplesmente possível. Partindo desses dois pressupostos, de que para se tornar um ser necessário é preciso ser autêntico e não manipulável, podemos aplicar isso ao principio do movimento franciscano no século XIII. O século XIII é um momento de grande transformações urbanas, econômicas e também nas relações entre os homens, o progresso fortemente 5

6 visível, como afirma le Goff, num primeiro momento um progresso rural, num mundo em que a terra é o fundamento de tudo, levou a um crescimento demográfico e econômico, que por sua vez trouxe uma forte urbanização para este período da história, assim o meio rural sai de cena, mas não perde o seu valor, mas o mundo urbano ganha muito destaque. A cidade segundo Jacques Le Goff tem as seguintes características: A cidade é um canteiro onde se desenvolve, pela divisão do trabalho, um artesanato numeroso e múltiplo, do qual nasce, nos três setores em vias de industrialização, a construção, o de tecidos e o curtume, um pré-proletariado manobrável, sem defesa contra a subordinação do justo salário ao justo preço que é apenas o preço marcado determinado pela oferta e procura e contra a dominação dos empregadores (2007, p. 24). Essas cidades que surgem revelam novos desafios para esta nova sociedade, nesse momento é preciso superar a agressão do dinheiro, as novas formas de violência, a aspiração contraditória dos cristãos a um maior gozo dos bens deste mundo e a tendência para a riqueza, o poder e a concupiscência. No meio rural a situação não se apresenta de forma muito melhor, a reação dos senhores diante das dificuldades financeiras é o aumento da exploração econômica sobre a maioria das categorias sociais camponesas (Le Goff, 2007, p. 26, p.34) Nessa sociedade, a necessidade do sujeito de se tornar um ser necessário se torna muito maior, pois aparentemente, a grande maioria se porta simplesmente como seres possíveis, mesmo os intelectuais abandonam sua sensibilidade e se tornam seres manipuláveis. Através da necessidade do poder, já os homens mais simples voltam sua vida apenas para a necessidade latente de cumprir seu trabalho, seja nos campos ou nas corporações de ofício, o seu cotidiano o impede de ir além. Mesmo a religião, que como já vimos, tem o poder de tornar os homens mais sensíveis, tem dificuldades em alcançar essa meta, visto que alguns de seus membros encontram-se fortemente envolvidos no desfrutar dos bens deste mundo, na busca por poder e riqueza. 6

7 Em meio a toda essa situação, surge alguém, que nesse momento se apresenta como um ser necessário, Francisco abandona a sua atitude de ser possível e se torna um ser necessário. Isso é algo que não acontece da noite para o dia, mas o resultado de um longo processo, no qual nesse caso, sim, a Igreja tem um papel importante para a sua transformação. Através do seu contato com Deus, o Ser necessário por excelência, Francisco muda as atitudes do seu viver e de forma coerente se apresenta como necessário para o outro, para aqueles que são os seus próximos. De forma completa Francisco se apresenta como ser necessário em todos os aspectos para o próximo. Isso ocorre uma vez que ele não é manipulável, em primeiro momento nem mesmo pela Igreja, pois sua pobreza figura como uma forma de rebeldia contra a riqueza declarada da Igreja, interessante perceber que mesmo esta sendo uma atitude rebelde, não é uma atitude de ofensa ou desobediência, à medida que esta pobreza é fundamentada na vida do cristo e no exemplo evangélico. Isso demonstra que ele toma as suas atitudes, mesmo que essas venham envolvidas com um alto teor religioso, por si só, e não em nome da Igreja, ou não por ela, desposar a Senhora Pobreza para ele é uma atitude pessoal, que nada tem em relação às atitudes da Igreja. É importante lembrar, que diante disso, ele passa a viver um enorme desafio, assumir a pobreza é em primeiro momento ser fiel aos seus princípios, mas é também compartilhar a dor daqueles que não são pobres por opção. Estar com eles conviver com eles, para alguém advindo de uma família rica como Francisco é algo muito difícil e até mesmo humilhante. Poderia ele estar com os pobres e ajudá-los e ainda assim conviver com os ricos, mantendo seu status, só que Francisco não quis isso para si, ao tomar uma atitude foi coerente com ela e assumiu todas as conseqüências que esta trazia. Através disso, é possível perceber que dois dos princípios estabelecidos por Avicena para que um sujeito se torne um ser necessário, são muito bem vivenciados por Francisco, ele foi ao mesmo tempo autêntico e não manipulável. 7

8 Avicena, ainda na discussão sobre o ser possível e o ser necessário, afirma que a potencialidade é possibilidade, ou seja, o discurso é algo próprio do ser possível, já a atitude é o que torna o ser necessário, sendo assim, falar dos problemas da sociedade, discuti-lo ou mesmo denunciá-lo é algo próprio do ser possível, pois o ser necessário vai além, ele toma atitudes, ele tentar mudar a sociedade. Essa é uma discussão do passado que pode ser facilmente aplicada em nossa sociedade atual, são inúmeros os estudiosos, os intelectuais, os homens que inflamam seus discursos, que denunciam injustiças e que as criticam, mas são pouquíssimos os que abandonam seus discursos e partem para o âmbito das atitudes, que começam a fazer diferença, que se tornam exemplos, que agem de forma real como seres necessários. A nossa sociedade é muito parecida com a sociedade em que Francisco viveu, as desigualdades, as exclusões e a pobreza do século XIII estavam por toda a parte, Francisco não foi o melhor exemplo de homem que denuncia a injustiça, mas com certeza, é um grande exemplo de como combatê-la. Francisco não via a pobreza como um problema, logo o pobre era um bemaventurado de Deus, realmente alguém que deveria estar feliz por sua situação privilegiada de ser pobre, para Francisco o problema na verdade, está em perder a oportunidade de ajudar o pobre, está no poder fazer algo por ele e não o fazer, ou seja, no cruzar os braços. É por isso que antes de se tornar pobre, ele não mede esforços em conceder doações e esmolas, aí temos uma problemática, afinal, doações e esmolas são atitudes que faziam parte do cotidiano do medievo, isso não era a diferença, isso não constitui como uma ação do ser necessário, assim Francisco vai além, quando toma a atitude que ninguém tomaria, quando enfrenta o medo e o preconceito e concede assistência, carinho e atenção para os leprosos: ao cuidar deles, Francisco e seus companheiros manifestam, como bem observou Giovanni Miccoli, sua vontade de desafiar os valores estabelecidos (Le Goff, 2007, p. 213) 8

9 Isso figura como tomar uma atitude, com fazer a diferença na sociedade, é um dos muitos exemplos que Francisco dá, de que realmente em seu viver ele foi um ser necessário e não simplesmente possível, poderíamos analisar, outras atitudes de Francisco que o caracterizam como ser necessário, mas essa basta para ilustrar esta afirmação. Avicena faz muitas outras colocações sobre como o homem se torna para seu tempo e para sua sociedade um ser necessário, aqui foram apresentadas apenas três, mas estas três são suficientes para comprovar a ação de Francisco como diferencial e necessária para seu tempo. Diferencial a partir do momento que ele surpreende e desconcerta a todos que estão a sua volta ao tomar atitudes que ninguém esperava. Isso aconteceu não apenas quando ele se fez pobre, mas principalmente, nos momentos em que tratava aos pobres, aos doentes e a todos os marginalizados como pessoas, como seres humanos, como seres capazes de possuir dignidade. Essas atitudes que tiveram grande repercussão por toda a Europa, por um momento deram a Francisco o título de louco, mas com o passar do tempo à coerência de seu discurso e de suas ações fez com que o título de louco fosse trocado pelo de Santo, ele se tornou exemplo para toda sociedade daquela época. Isso fez dele realmente um ser necessário, pois muitas pessoas buscaram imitá-lo, alguns na atitude radical de também se tornar religioso, mas muitos outros, no seu dia-a-dia, aspirando à santidade que emanava de Francisco, as pessoas mudaram sua forma de ser e muitas vezes sua forma de agir. Quando as notícias a respeito das atitudes, dos discursos e dos milagres de Francisco percorreram distâncias e chegaram à maioria dos lugares da Europa medieval, uma nova sociedade começou a ser formada, uma sociedade influenciada por ele e por suas histórias. O mundo medieval não seria mais o mesmo após Francisco, pois através dele, pobres e marginalizados passaram a ser vistos por uma outra ótica. A influência de Francisco pode não ter gerado nos homens um amor pelos pobres, mas com certeza gerou o respeito por eles. É por isso que ao olhar para trás, no passado, as pessoas de hoje ainda encontram em 9

10 Francisco um referencial de vida, a ponto de aclamá-lo como o homem do milênio passado. REFERÊNCIAS CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. São Paulo, 13 ed. Ática, ISKANDAR, Jamil I. Avicena, a Origem e o Retorno, Porto Alegre, EDIPUCRS, LE GOFF, Jacques. São Francisco de Assis, 8 ed. Rio de Janeiro: Record, NIGG, Walter. O Homem de Assis: Francisco e seu mundo. 1 ed. Petrópolis: Vozes, PIEPER, Josef. O que é filosofar? O que é acadêmico?, São Paulo, EPU, SABATIER, Paul, Vida de São Francisco de Assis, Bragança Paulista, Editora Universitária São Francisco, STERZI, Alessandra. Inútil e Necessário, Disponível em: <http://www.hottopos.com/vdletras6/alessandra.htm>. Acessado em 05 de julho de STICCO, Maria, trad. Leite, Armando Mas. São Francisco de Assis. 4 ed. Petrópolis: Vozes,

Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas

Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas Espiritualidade do Câmbio Sistêmico ou Mudança de Estruturas Uma breve meditação sobre Mudança de Estruturas O objetivo desta meditação é redescobrir a dimensão espiritual contida na metodologia de mudança

Leia mais

f r a n c i s c o d e Viver com atenção c a m i n h o Herança espiritual da Congregação das Irmãs Franciscanas de Oirschot

f r a n c i s c o d e Viver com atenção c a m i n h o Herança espiritual da Congregação das Irmãs Franciscanas de Oirschot Viver com atenção O c a m i n h o d e f r a n c i s c o Herança espiritual da Congregação das Irmãs Franciscanas de Oirschot 2 Viver com atenção Conteúdo 1 O caminho de Francisco 9 2 O estabelecimento

Leia mais

CONSELHOS EVANGÉLICOS

CONSELHOS EVANGÉLICOS CONSELHOS EVANGÉLICOS 1- RAZÃO TEOLÓGICA 1.1. Fato de Vida na Igreja A vivência da virgindade-pobreza-obediência de Jesus Cristo é fato de vida que existe na igreja desde suas origens. O estado religioso:

Leia mais

VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE

VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE É Preciso saber Viver Interpretando A vida na perspectiva da Espiritualidade Cristã Quem espera que a vida seja feita de ilusão Pode até ficar maluco ou morrer na solidão É

Leia mais

Filosofia - Introdução à Reflexão Filosófica

Filosofia - Introdução à Reflexão Filosófica Filosofia - Introdução à Reflexão Filosófica 0 O que é Filosofia? Essa pergunta permite muitas respostas... Alguns podem apontar que a Filosofia é o estudo de tudo ou o nada que pretende abarcar tudo.

Leia mais

UM ESTUDO DA CONCEPÇÃO TOMASIANA DE AMOR NA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO: AS QUESTÕES 26, 27 E 28 DA SUMA TEOLÓGICA

UM ESTUDO DA CONCEPÇÃO TOMASIANA DE AMOR NA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO: AS QUESTÕES 26, 27 E 28 DA SUMA TEOLÓGICA UM ESTUDO DA CONCEPÇÃO TOMASIANA DE AMOR NA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO: AS QUESTÕES 26, 27 E 28 DA SUMA TEOLÓGICA Resumo SANTIN, Rafael H. UEM rafael.h.santin@gmail.com Área temática: História da Educação Agência

Leia mais

Regis de Morais. Corações em Luz

Regis de Morais. Corações em Luz Regis de Morais Corações em Luz Campinas-SP 2003 Sumário O QUE É SANTIDADE? (Advertência)...13 PRECE DE SANTO AGOSTINHO (Meditações)...17 Oração de São Francisco de Assis... 19 1. Senhor... 21 2. Fazei

Leia mais

AS REPRESENTAÇÕES DE SANTIDADE NA HAGIOGRAFIA DE TOMAS DE CELANO.

AS REPRESENTAÇÕES DE SANTIDADE NA HAGIOGRAFIA DE TOMAS DE CELANO. AS REPRESENTAÇÕES DE SANTIDADE NA HAGIOGRAFIA DE TOMAS DE CELANO. Fernanda Amélia Leal Borges Duarte 1 RESUMO: A hagiografia de Tomas de Celano sobre São Francisco de Assis. Foi escrita em 1229, após a

Leia mais

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

Prof. Alexandre Goicochea História

Prof. Alexandre Goicochea História FRANCO Merovíngia Carolíngio ISLÂMICO Maomé Xiitas (alcorão) e Sunitas (suna e alcorão) BIZÂNTINO Justiniano Igreja Santa Sofia Iconoclastia Monoticismo (Jesus Cristo só espírito) Corpus Juris Civilis

Leia mais

EDUCAÇÃO E FELICIDADE EM SANTO AGOSTINHO

EDUCAÇÃO E FELICIDADE EM SANTO AGOSTINHO EDUCAÇÃO E FELICIDADE EM SANTO AGOSTINHO Fabio Luciano Bueno Coelho 1 Ricardo Antonio Rodrigues 2 Resumo: A proposta deste trabalho é levantar questionamentos a respeito do papel da educação, tendo por

Leia mais

A Vida Simples. A vida simples. Onde ela está? Em qual esquina, em que país, qual será a direção que nos. Claudio Miklos

A Vida Simples. A vida simples. Onde ela está? Em qual esquina, em que país, qual será a direção que nos. Claudio Miklos A Vida Simples Claudio Miklos Nos últimos tempos tenho pensado muito em como seria maravilhoso adquirir o mérito de viver simplesmente, em algum lugar aberto, pleno em verde e azul, abrigado das loucuras

Leia mais

Por ocasião da Marcha para Jesus, o deputado Wasny de Roure. (PT-DF) pronuncia o seguinte discurso: No próximo dia 11 de

Por ocasião da Marcha para Jesus, o deputado Wasny de Roure. (PT-DF) pronuncia o seguinte discurso: No próximo dia 11 de 1 06.06.05 Por ocasião da Marcha para Jesus, o deputado Wasny de Roure (PT-DF) pronuncia o seguinte discurso: No próximo dia 11 de junho teremos mais uma Marcha para Jesus em Brasília, evento que acontece

Leia mais

No Dia do Juízo, quando o Filho do Homem, na Sua glória, vier nos julgar, escreve o evangelista Mateus, Ele nos questionará sobre

No Dia do Juízo, quando o Filho do Homem, na Sua glória, vier nos julgar, escreve o evangelista Mateus, Ele nos questionará sobre Caridade e partilha Vivemos em nossa arquidiocese o Ano da Caridade. Neste tempo, dentro daquilo que programou o Plano de Pastoral, somos chamados a nos organizar melhor em nossos trabalhos de caridade

Leia mais

. Os cristãos davam vida ao mundo!

. Os cristãos davam vida ao mundo! Confira o artigo retirado da edição 72 da Revista Renovação: É fato: os primeiros cristãos marcaram a história da humanidade. Em Pentecostes, inaugurou-se uma nova forma de se viver, surpreendente para

Leia mais

Palestra Virtual. Tema: O Programa do Senhor. Palestrante: Oswaldo Cruz. Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org.

Palestra Virtual. Tema: O Programa do Senhor. Palestrante: Oswaldo Cruz. Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org. Palestra Virtual Promovida pelo http://www.irc-espiritismo.org.br Tema: O Programa do Senhor Palestrante: Oswaldo Cruz Rio de Janeiro 22/12/2000 Organizadores da palestra: Moderador: [HELENA] (nick: [Moderador])

Leia mais

Questão (1) - Questão (2) - A origem da palavra FILOSOFIA é: Questão (3) -

Questão (1) - Questão (2) - A origem da palavra FILOSOFIA é: Questão (3) - EXERCICÍOS DE FILOSOFIA I O QUE É FILOSOFIA, ETIMOLOGIA, ONDE SURGIU, QUANDO, PARA QUE SERVE.( 1º ASSUNTO ) Questão (1) - Analise os itens abaixo e marque a alternativa CORRETA em relação ao significado

Leia mais

SANTO TOMÁS DE AQUINO:

SANTO TOMÁS DE AQUINO: SANTO TOMÁS DE AQUINO: A Igreja e o pensamento ocidental Elaine Gai Torres* RESUMO Este artigo propõe uma visão de Santo Tomás de Aquino dentro da Escolástica, a influência de Aristóteles u em seus escritos,

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

Ética e felicidade. Aluna: Yasmine Victoria B. Hamaoui Orientador: Danilo Marcondes

Ética e felicidade. Aluna: Yasmine Victoria B. Hamaoui Orientador: Danilo Marcondes Ética e felicidade Aluna: Yasmine Victoria B. Hamaoui Orientador: Danilo Marcondes Introdução: Ética e Felicidade são dois temas que possuem grande relação e comparação ao longo da história da filosofia.

Leia mais

O Ócio e a existência humana. Josef Pieper

O Ócio e a existência humana. Josef Pieper O Ócio e a existência humana Josef Pieper (trad. por Michael J. Schäfer) Quem hoje em dia fala de ócio encontra-se de saída numa posição de defesa. Ele se defende contra uma oposição que, à primeira vista,

Leia mais

Jorge Dantas Amorim É POSSÍVEL CONHECER A VERDADE?

Jorge Dantas Amorim É POSSÍVEL CONHECER A VERDADE? Jorge Dantas Amorim É POSSÍVEL CONHECER A VERDADE? É importante deixar claro que este texto tratará do problema da verdade a partir de uma abordagem filosófica, mais especificamente esta problemática será

Leia mais

UNIDADE I OS PRIMEIROS PASSOS PARA O SURGIMENTO DO PENSAMENTO FILOSÓFICO.

UNIDADE I OS PRIMEIROS PASSOS PARA O SURGIMENTO DO PENSAMENTO FILOSÓFICO. UNIDADE I OS PRIMEIROS PASSOS PARA O SURGIMENTO DO PENSAMENTO FILOSÓFICO. PARTE 1 O QUE É FILOSOFIA? não é possível aprender qualquer filosofia; só é possível aprender a filosofar. Kant Toda às vezes que

Leia mais

Leis Morais Lei da Igualdade. Sandra Veiga 01/04/2015

Leis Morais Lei da Igualdade. Sandra Veiga 01/04/2015 Leis Morais Lei da Igualdade Sandra Veiga Sandra Veiga A Idade Moderna Contexto da França Pré-revolucionária 1- Crise econômica: A França era basicamente agrária e semifeudal, aliada ao crescimento demográfico

Leia mais

EXERCÍCIOS SOBRE RENASCIMENTO

EXERCÍCIOS SOBRE RENASCIMENTO EXERCÍCIOS SOBRE RENASCIMENTO TEXTO O termo Renascimento é comumente aplicado à civilização européia que se desenvolveu entre 1300 e 1650. Além de reviver a antiga cultura greco-romana, ocorreram nesse

Leia mais

Entrevista com Volney José Berkenbrock

Entrevista com Volney José Berkenbrock Entrevista com Volney José Berkenbrock Volney José Berkenbrock é doutor em Teologia, professor do programa de pósgraduação em Ciência da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais,

Leia mais

5Passos fundamentais. Conseguir realizar todos os seus SONHOS. para. Autora: Ana Rosa. www.novavitacoaching.com

5Passos fundamentais. Conseguir realizar todos os seus SONHOS. para. Autora: Ana Rosa. www.novavitacoaching.com 5Passos fundamentais para Conseguir realizar todos os seus SONHOS Autora: Ana Rosa www.novavitacoaching.com O futuro pertence àqueles que acreditam na beleza dos seus sonhos! Eleanor Roosevelt CONSIDERA

Leia mais

Mais do que ter devoção a Maria, precisamos imitá-la. (Raniero Cantalamessa)

Mais do que ter devoção a Maria, precisamos imitá-la. (Raniero Cantalamessa) O coordenador nacional do Ministério de Música e Artes, Juninho Cassimiro, dá continuidade às cartas aos artistas de toda a RCC do Brasil. No artigo anterior, a reflexão foi sobre a humildade Aos moldes

Leia mais

RESUMO. Palavras-chave fenomenologia; método; mística

RESUMO. Palavras-chave fenomenologia; método; mística RESUMO FENOMENOLOGIA E MÍSTICA Uma abordagem metodológica Elton Moreira Quadros Professor substituto na Univ. Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Faculdade Juvência Terra (FJT) Instituto de Filosofia

Leia mais

Chamados Para a Comunhão de Seu Filho (Mensagem entregue pelo irmão Stephen Kaung em Richmound- Virginia-USA no dia 11 de fevereiro de 2007)

Chamados Para a Comunhão de Seu Filho (Mensagem entregue pelo irmão Stephen Kaung em Richmound- Virginia-USA no dia 11 de fevereiro de 2007) Chamados Para a Comunhão de Seu Filho (Mensagem entregue pelo irmão Stephen Kaung em Richmound- Virginia-USA no dia 11 de fevereiro de 2007) Por favor, poderiam abrir em primeira aos Coríntios, a primeira

Leia mais

ESTUDOS NO EVANGELHO DE JOÃO

ESTUDOS NO EVANGELHO DE JOÃO ESTUDOS NO EVANGELHO DE JOÃO ESTUDO 1 NOVA VIDA O presente curso ajudará você a descobrir fatos da Palavra de Deus, fatos os quais você precisa para viver a vida em toda a sua plenitude. Por este estudo

Leia mais

Oração na Vida Diária

Oração na Vida Diária Oração na Vida Diária ocê é convidado a iniciar uma experiência de oração. Às vezes pensamos que o dia-a-dia com seus ruídos, suas preocupações e sua correria não é lugar apropriado para levantar nosso

Leia mais

sinal de tristeza. Sinal de morte!

sinal de tristeza. Sinal de morte! CULTO FAMÍLIA: Reflexão sobre a morte e o luto Acreditamos que todos nós já sofremos a perda de alguém, seja familiar, amigo, vizinho ou apenas conhecido. Nos sentimos impotentes, indefesos, medrosos diante

Leia mais

Evolução histórica da Moral/Ética

Evolução histórica da Moral/Ética (3) Evolução histórica da Moral/Ética Zeila Susan Keli Silva 1º Semestre 2013 1 O homem vive em sociedade, convive com outros homens e, portanto, cabe-lhe pensar e responder à seguinte pergunta: Importância

Leia mais

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo.

1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. 1. Com o Dízimo, aprendemos a AGRADECER a Deus e ao próximo. Ao contribuir com o dízimo, saímos de nós mesmos e reconhecemos que pertencemos tanto à comunidade divina quanto à humana. Um deles, vendo-se

Leia mais

O CAMINHO PARA A ESPIRITUALIDADE

O CAMINHO PARA A ESPIRITUALIDADE José Carlos Pezini Luis Alexandre Ribeiro Branco O CAMINHO PARA A ESPIRITUALIDADE Uma Espiritualidade Cristocêntrica 1 Revisão: Bruna Perrella Brito 2 Prefácio Introdução 1 Índice O Que é Espiritualidade

Leia mais

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos OS EPÍTETOS NOS CÂNTICOS MARIANOS Eliane da Silva (USP) eliane1silva@gmail.com 1. Os epítetos A pesquisa visa mostrar a completude histórica refletida nas cantigas marianas, além das cantigas que tiveram,

Leia mais

Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso. Conselho Mundial das Igrejas. Aliança Evangélica Mundial

Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso. Conselho Mundial das Igrejas. Aliança Evangélica Mundial Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso Conselho Mundial das Igrejas Aliança Evangélica Mundial A missão pertence à essência da igreja. Proclamar a palavra de Deus e testemunhá-la ao mundo é

Leia mais

Tema 4: Espiritualidade Na densidade do humano emerge a vida de Deus

Tema 4: Espiritualidade Na densidade do humano emerge a vida de Deus Tema 4: Espiritualidade Na densidade do humano emerge a vida de Deus NA DENSIDADE DO HUMANO EMERGE A VIDA DE DEUS, Nossa espiritualidade marista, aberta ao diálogo interreligioso, a quem está em busca

Leia mais

A primeira razão pela qual Jesus chamou os discípulos foi para que estivessem consigo para que tivesses comunhão com Ele.

A primeira razão pela qual Jesus chamou os discípulos foi para que estivessem consigo para que tivesses comunhão com Ele. 1 Marcos 3:13 «E (Jesus) subiu ao Monte e chamou para si os que ele quis; e vieram a ele. E nomeou doze para que estivessem com ele e os mandasse a pregar, e para que tivessem o poder de curar as enfermidades

Leia mais

Personal Commitment Guide. Guia de Compromisso Pessoal

Personal Commitment Guide. Guia de Compromisso Pessoal Personal Commitment Guide Guia de Compromisso Pessoal Nome da Igreja ou Evento Nome do Conselheiro Telefone 1. Salvação >Você já atingiu um estágio na vida em que você tem a certeza da vida eterna e que

Leia mais

A ESPERANÇA QUE VEM DO ALTO. Romanos 15:13

A ESPERANÇA QUE VEM DO ALTO. Romanos 15:13 A ESPERANÇA QUE VEM DO ALTO Romanos 15:13 - Ora o Deus de esperança vos encha de toda a alegria e paz em crença, para que abundeis em esperança pela virtude do Espírito Santo. Só Deus pode nos dar uma

Leia mais

Domingo dentro da Oitava de Natal SAGRADA FAMÍLIA DE JESUS, MARIA E JOSÉ. Vésperas I

Domingo dentro da Oitava de Natal SAGRADA FAMÍLIA DE JESUS, MARIA E JOSÉ. Vésperas I Domingo dentro da Oitava de Natal Semana I do Saltério SAGRADA FAMÍLIA DE JESUS, MARIA E JOSÉ Festa Quando o Natal do Senhor é num Domingo, a festa da Sagrada Família celebra-se no dia 30 de Dezembro e

Leia mais

No princípio era aquele que é a Palavra... João 1.1 UMA IGREJA COM PROPÓSITOS. Pr. Cristiano Nickel Junior

No princípio era aquele que é a Palavra... João 1.1 UMA IGREJA COM PROPÓSITOS. Pr. Cristiano Nickel Junior No princípio era aquele que é a Palavra... João 1.1 UMA IGREJA COM PROPÓSITOS Pr. Cristiano Nickel Junior O propósito é que a Igreja seja um exército com bandeiras Martyn Lloyd-Jones No princípio era aquele

Leia mais

Demonstração de Maturidade

Demonstração de Maturidade Demonstração de Maturidade TEXTO BÍBLICO BÁSICO 2 Reis 4.12-17 12 - Então disse ao seu servo Geazi: Chama esta sunamita. E chamando-a ele, ela se pôs diante dele. 13 - Porque ele tinha falado a Geazi:

Leia mais

"Maria!"! !!!!!!!! Carta!de!Pentecostes!2015! Abade!Geral!OCist!

Maria!! !!!!!!!! Carta!de!Pentecostes!2015! Abade!Geral!OCist! CartadePentecostes2015 AbadeGeralOCist "Maria" Carissimos, vos escrevo repensando na Semana Santa que passei em Jerusalém, na Basílica do Santo Sepulcro, hóspede dos Franciscanos. Colhi esta ocasião para

Leia mais

4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval. Introdução

4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval. Introdução 1 4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval Introdução O último período da Filosofia Grega é o Helenístico (Sec. III a.c.-vi d.c.). É um período

Leia mais

Obedecer a Deus, Honrar aos pais e viver bem!

Obedecer a Deus, Honrar aos pais e viver bem! Obedecer a Deus, Honrar aos pais e viver bem! Obedecer. Palavra fácil de entender, mas muitas vezes difícil de colocar em prática. Principalmente quando não entendemos ou concordamos com a orientação dada.

Leia mais

A Santa Sé DISCURSO DO CARDEAL ANGELO SODANO EM NOME DO PAPA JOÃO PAULO II NA ABERTURA DA XXIX CONFERÊNCIA DA FAO* 8 de Novembro de 1997

A Santa Sé DISCURSO DO CARDEAL ANGELO SODANO EM NOME DO PAPA JOÃO PAULO II NA ABERTURA DA XXIX CONFERÊNCIA DA FAO* 8 de Novembro de 1997 A Santa Sé DISCURSO DO CARDEAL ANGELO SODANO EM NOME DO PAPA JOÃO PAULO II NA ABERTURA DA XXIX CONFERÊNCIA DA FAO* 8 de Novembro de 1997 Senhor Presidente Senhor Director-Geral Ilustres Delegados e Observadores

Leia mais

Estas palavras ainda tocam profundamente almas sensíveis, especialmente aquelas que vivenciam momentos de aflição ou cansaço emocional.

Estas palavras ainda tocam profundamente almas sensíveis, especialmente aquelas que vivenciam momentos de aflição ou cansaço emocional. Vinde a mim, todos vós que estais aflitos e sobrecarregados, que eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei comigo que sou brando e humilde de coração e achareis repouso para vossas almas,

Leia mais

O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA

O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA O ENCONTRO DE CATEQUESE E SUA DINÂMICA Nestes últimos anos tem-se falado em Catequese Renovada e muitos pontos positivos contribuíram para que ela assim fosse chamada. Percebemos que algumas propostas

Leia mais

Segundo os Evangelhos, Jesus teria vivido toda sua infância, adolescência e juventude em Nazaré com sua família e com o povo dessa pequena aldeia.

Segundo os Evangelhos, Jesus teria vivido toda sua infância, adolescência e juventude em Nazaré com sua família e com o povo dessa pequena aldeia. Jesus e sua vida Segundo os Evangelhos, Jesus teria vivido toda sua infância, adolescência e juventude em Nazaré com sua família e com o povo dessa pequena aldeia. Seu nascimento foi no meio de muitas

Leia mais

ORAÇÃO DIA-A-DIA. Programa anual de oração

ORAÇÃO DIA-A-DIA. Programa anual de oração ORAÇÃO DIA-A-DIA Programa anual de oração I ENCONTRO 13.X.2008 1. Breve apresentação 2. Objectivos do módulo II: Programa anual de oração, com conteúdo e condução, dando suporte à oração diária. Fidelidade

Leia mais

Sobre esta obra, você tem a liberdade de:

Sobre esta obra, você tem a liberdade de: Sobre esta obra, você tem a liberdade de: Compartilhar copiar, distribuir e transmitir a obra. Sob as seguintes condições: Atribuição Você deve creditar a obra da forma especificada pelo autor ou licenciante

Leia mais

Prof. Dr. Pe. Paulo Sergio Lopes Gonçalves. Ética, Epistemologia e Religião CCHSA Faculdade de Filosofia paselogo@puc-campinas.edu.

Prof. Dr. Pe. Paulo Sergio Lopes Gonçalves. Ética, Epistemologia e Religião CCHSA Faculdade de Filosofia paselogo@puc-campinas.edu. A EXPERIÊNCIA RELIGIOSA NO COMENTÁRIO DE SANTO AGOSTINHO A PRIMEIRA EPÍSTOLA DE SÃO JOÃO João Ricardo de Moraes Faculdade de Teologia e Ciências Religisas CCHSA Joao.rdm@hotmail.com Prof. Dr. Pe. Paulo

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS RECUPERAÇÃO. 1. Quais foram as principais características da escolástica? Cite alguns de seus pensadores.

LISTA DE EXERCÍCIOS RECUPERAÇÃO. 1. Quais foram as principais características da escolástica? Cite alguns de seus pensadores. LISTA DE EXERCÍCIOS RECUPERAÇÃO 1. Quais foram as principais características da escolástica? Cite alguns de seus pensadores. 2. Como acontecia a aprendizagem nas escolas no período medieval? Quem era apto

Leia mais

NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS

NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS Pe. Nilton César Boni, cmf NOVENA DOS PAIS QUE ORAM PELOS FILHOS EDITORA AVE-MARIA Apresentação Aos membros da família cristã podem aplicar-se de modo particular as palavras com que Cristo promete a sua

Leia mais

O Movimento dos Focolares A ESPIRITUALIDADE DA UNIDADE

O Movimento dos Focolares A ESPIRITUALIDADE DA UNIDADE O Movimento dos Focolares A ESPIRITUALIDADE DA UNIDADE O Movimento dos Focolares Movimento Internacional: Está presente em 182 países. Sede Central: Rocca di Papa (Roma), Itália No mundo: Membros: 120

Leia mais

Tema 3: Espiritualidade O Espírito faz bater nossos corações em uníssono

Tema 3: Espiritualidade O Espírito faz bater nossos corações em uníssono Tema 3: Espiritualidade O Espírito faz bater nossos corações em uníssono O ESPÍRITO FAZ BATER NOSSOS CORAÇÕES EM UNÍSSONO (Ir. Henri Vergès) Espiritualidade enraizada no Deus de Jesus, encarnada nas realidades

Leia mais

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você!

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você! MANUAL Esperança Casa de I G R E J A Esperança Uma benção pra você! I G R E J A Esperança Uma benção pra você! 1O que é pecado Sem entender o que é pecado, será impossível compreender a salvação através

Leia mais

1. QUAL É O MANDAMENTO?

1. QUAL É O MANDAMENTO? FAZER DISCÍPULOS Texto: Mateus 28:18-20 (18) E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. (19) Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os

Leia mais

Jesus revela-nos que Deus é. Pai. Conselho Inter-paroquial de Catequese Esporões, 24 de Janeiro de 2008

Jesus revela-nos que Deus é. Pai. Conselho Inter-paroquial de Catequese Esporões, 24 de Janeiro de 2008 Jesus revela-nos que Deus é Pai Conselho Inter-paroquial de Catequese Esporões, 24 de Janeiro de 2008 Quem inventou Deus? Desde sempre que os homens acreditaram na existência de forças muito poderosas

Leia mais

A DÁDIVA DE LIDERANÇA SOBRE O CONTENTAMENTO BÍBLICO. Filipenses 4:10-20

A DÁDIVA DE LIDERANÇA SOBRE O CONTENTAMENTO BÍBLICO. Filipenses 4:10-20 A DÁDIVA DE LIDERANÇA SOBRE O CONTENTAMENTO BÍBLICO Filipenses 4:10-20 Já aprendi a contentar-me com as circunstâncias em que me encontre. Sei passar falta, e sei também ter abundância; em toda maneira

Leia mais

COMO MONTAR UM PLANO DE VIDA E REALIZAR SONHOS

COMO MONTAR UM PLANO DE VIDA E REALIZAR SONHOS COMO MONTAR UM PLANO DE VIDA E REALIZAR SONHOS Mensagem de Reflexão Quem não sabe o que quer, corre o risco de não entender o que encontra. Primeiro: defina o que você quer. Segundo: decida o quanto você

Leia mais

Disciplina: Ensino Religioso Professor(a): Rosemary de Souza Gelati

Disciplina: Ensino Religioso Professor(a): Rosemary de Souza Gelati ESCOLA VICENTINA SÃO VICENTE DE PAULO Disciplina: Ensino Religioso Professor(a): Rosemary de Souza Gelati Paranavaí / / 6º ANO TRADIÇÕES RELIGIOSAS TEXTOS SAGRADOS Se as religiões estão para humanizar

Leia mais

PASCOM. A PASCOM agradece a todos que colaboraram com esta edição do INFORMATIVO DA PENHA nos mandando fotos,

PASCOM. A PASCOM agradece a todos que colaboraram com esta edição do INFORMATIVO DA PENHA nos mandando fotos, PASCOM A PASCOM agradece a todos que colaboraram com esta edição do INFORMATIVO DA PENHA nos mandando fotos, t e x t o s e i d é i a s p a r a a s matérias! Nossa Senhora da Penha, que sabe o nome de cada

Leia mais

Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9

Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9 Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9 57 Imprimir 2015-09-24 Rádio Vaticana Francisco no Congresso Americano acolhido com grandes aplausos. É a primeira vez que um Papa

Leia mais

Caracterização Cronológica

Caracterização Cronológica Caracterização Cronológica Filosofia Medieval Século V ao XV Ano 0 (zero) Nascimento do Cristo Plotino (204-270) Neoplatônicos Patrística: Os grandes padres da igreja Santo Agostinho ( 354-430) Escolástica:

Leia mais

Ainda existe preconceito, mas as ferramentas do século 21 estão disponíveis também para os cristãos buscarem relacionamentos.

Ainda existe preconceito, mas as ferramentas do século 21 estão disponíveis também para os cristãos buscarem relacionamentos. Ainda existe preconceito, mas as ferramentas do século 21 estão disponíveis também para os cristãos buscarem relacionamentos. Se você pensava que o namoro entre dois cristãos poderia acontecer somente

Leia mais

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO DESIGUALDADES SOCIAIS DISCIPLINA:SOCIOLOGIA PROFESSOR: WALDENIR 2012

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO DESIGUALDADES SOCIAIS DISCIPLINA:SOCIOLOGIA PROFESSOR: WALDENIR 2012 CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO DESIGUALDADES SOCIAIS DISCIPLINA:SOCIOLOGIA PROFESSOR: WALDENIR 2012 ESTAMOS CONDENADOS A SER DESIGUAIS? No mundo em que vivemos, percebemos que os indivíduos são diferentes

Leia mais

Oração 1. Senhor, fazei de mim um instrumento de vossa paz!

Oração 1. Senhor, fazei de mim um instrumento de vossa paz! Oração 1 Senhor, fazei de mim um instrumento de vossa paz! Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida,

Leia mais

LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE

LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE Introdução A CF deste ano convida-nos a nos abrirmos para irmos ao encontro dos outros. A conversão a que somos chamados implica

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO A educação é um dos pilares da sociedade e no nosso emprego não é diferente. Um povo culto está mais preparado para criar, planejar e executar os projetos para

Leia mais

Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade da Justiça e da Paz

Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade da Justiça e da Paz Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade da Justiça e da Paz Cardeal Sebastião Leme Grito por justiça Dom Helder Câmara Não deixe morrer o profetismo Dom Luciano Mendes de Almeida Não esqueçam

Leia mais

Num domingo de agosto de 1617 aconteceu um fato que marcará toda a vida dele.

Num domingo de agosto de 1617 aconteceu um fato que marcará toda a vida dele. Réflexion Reflexão Riflessione Reflection Rozważanie 7 Sylvie Larminat, AIC França Tradução : P. Lauro Palú, CM - Província do Rio de Janeiro O Serviço dos Pobres São Vicente de Paulo e Santa Luísa de

Leia mais

O Que Deus Realmente Quer

O Que Deus Realmente Quer Livrinho 2 Pàgina 19 Lição Três O Que Deus Realmente Quer Muitas pessoas ficam confusas acerca da verdadeira natureza do seu relacionamento com Deus. Esta confusão resulta dum conceito errado da natureza

Leia mais

- Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito, - Glória a Trindade Santa, glória ao Deus bendito!

- Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito, - Glória a Trindade Santa, glória ao Deus bendito! Área Juventude e Vocações Subsídio 1 para Encontro de oração em memória de São Luís Gonzaga Patrono da Juventude 1. CHEGADA Canto: Amar a Ti, Senhor, em todas as coisas E todas em Ti, em tudo amar e servir

Leia mais

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES 2º. Bimestre Capítulos: I Ética: noções e conceitos básicos II Processo de Decisão Ética III - Responsabilidade Social Apostila elaborada pela Profa. Ana

Leia mais

2015 ANO DA CELEBRAÇÃO DO BICENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE S. JOÃO BOSCO

2015 ANO DA CELEBRAÇÃO DO BICENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE S. JOÃO BOSCO 2015 ANO DA CELEBRAÇÃO DO BICENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE S. JOÃO BOSCO Na noite de quarta-feira, 16 agosto de 1815, na oitava da festa da Assunção, nascia o segundo filho de Francisco Bosco e Margarida

Leia mais

1ª Carta de João. A Palavra da Vida. Deus é luz. Nós somos pecadores. Cristo, nosso defensor junto a Deus

1ª Carta de João. A Palavra da Vida. Deus é luz. Nós somos pecadores. Cristo, nosso defensor junto a Deus 1ª Carta de João A Palavra da Vida 1 1 O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e o que as nossas mãos apalparam da Palavra da Vida 2 vida esta que

Leia mais

DOUTRINAS BÁSICAS DA VIDA CRISTÃ

DOUTRINAS BÁSICAS DA VIDA CRISTÃ EBD DOUTRINAS BÁSICAS DA VIDA CRISTÃ DOUTRINAS BÁSICAS DA VIDA CRISTÃ OLÁ!!! Sou seu Professor e amigo Você está começando,hoje, uma ETAPA muito importante para o seu CRESCIMENTO ESPIRITUAL e para sua

Leia mais

I CONGRESSO DO CREMESP I JORNADA PAULISTA DE ÉTICA MÉDICA

I CONGRESSO DO CREMESP I JORNADA PAULISTA DE ÉTICA MÉDICA I CONGRESSO DO CREMESP I JORNADA PAULISTA DE ÉTICA MÉDICA MAKSOUD PLAZA SÃO PAULO 30/3 a 1/4 de 2006 CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO CONSELHOS DE MEDICINA E CÓDIGO DE ÉTICA MÉDICA

Leia mais

Solenidade da Assunção de Nª Senhora. Ano B

Solenidade da Assunção de Nª Senhora. Ano B Solenidade da Assunção de Nª Senhora Admonição Inicial Cântico Inicial (Tu és o Sol) Refrão: Tu és o sol de um novo amanhecer! Tu és farol, a vida a renascer Maria! Maria! És poema de amor! És minha Mãe

Leia mais

O Movimento de Jesus

O Movimento de Jesus O Movimento de Jesus Tudo começou na Galiléia Quando Jesus começou a percorrer a Palestina, indo das aldeias às cidades, anunciando a Boa Nova do Evangelho, o povo trabalhador ia atrás dele. A fama de

Leia mais

1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação

1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação 1 1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação O objetivo principal de Introdução Filosofia é despertar no aluno a percepção que a análise, reflexão

Leia mais

Minha história. Mais_que_um_carpinteiro.indd 11 18/4/2012 12:04:38

Minha história. Mais_que_um_carpinteiro.indd 11 18/4/2012 12:04:38 1 Minha história Tomás de Aquino, filósofo do século XII, escreve: Dentro de cada alma há uma sede de felicidade e significado. Comecei a sentir essa sede quando adolescente. Eu queria ser feliz. Desejava

Leia mais

CAPÍTULO 2. O Propósito Eterno de Deus

CAPÍTULO 2. O Propósito Eterno de Deus CAPÍTULO 2 O Propósito Eterno de Deus Já falamos em novo nascimento e uma vida com Cristo. Mas, a menos que vejamos o objetivo que Deus tem em vista, nunca entenderemos claramente o porque de tudo isso.

Leia mais

SIMULADO DE FILOSOFIA

SIMULADO DE FILOSOFIA NOME: DATA DE ENTREGA: / / SIMULADO DE FILOSOFIA 1) A Filosofia é uma disciplina, ou uma área de estudo que envolve: a) ( ) investigação, análise, discussão, formação e reflexão de idéias em uma situação

Leia mais

MEMÓRIAS DA BEATIFICAÇÃO DE ANTÔNIO FREDERICO OZANAM

MEMÓRIAS DA BEATIFICAÇÃO DE ANTÔNIO FREDERICO OZANAM Vol. I N. 1 Jul Dez / 2005 pp. 45-50 ISSN 1809-3604 MEMÓRIAS DA BEATIFICAÇÃO DE ANTÔNIO FREDERICO OZANAM Simone Pettersen Nunes * RESUMO: No presente artigo propomos uma reflexão voltada para analisar

Leia mais

A Identidade da Igreja do Senhor Jesus

A Identidade da Igreja do Senhor Jesus A Identidade da Igreja do Senhor Jesus Atos 20:19-27 (Ap. Paulo) Fiz o meu trabalho como Servo do Senhor, com toda a humildade e com lágrimas. E isso apesar dos tempos difíceis que tive, por causa dos

Leia mais

EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C

EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C CONTEÚDOS DO EXAME Líderes religiosos, Motivação e Liderança Convivência com o grupo; Amizade e sentido de grupo Os projetos Solidários; O que é um projeto? Olhares sobre

Leia mais

Curso Bíblico. Discipulado de Integração. Discipulado de Integração

Curso Bíblico. Discipulado de Integração. Discipulado de Integração Curso Bíblico Discipulado de Integração Curso Bíblico Gratuito Para Novos Discípulos de Jesus Cristo Quando aceitamos o evangelho, cremos em Jesus Cristo como nosso Salvador e Senhor, temos o nascimento

Leia mais

18º ENCONTRO ESPÍRITA SOBRE MEDIUNIDADE

18º ENCONTRO ESPÍRITA SOBRE MEDIUNIDADE 18º ENCONTRO ESPÍRITA SOBRE MEDIUNIDADE CONCLUSÃO DOS ESTUDOS REALIZADOS COM BASE NAS MENSAGENS DE ANTONIO DE AQUINO E NA ENTREVISTA COM ALTIVO FÉ E MEDITAÇÃO Fé adesão absoluta do espírito àquilo que

Leia mais

NOVE DIAS COM IRMÃ CLARA FIETZ NA ESCOLA DE JESUS CRISTO

NOVE DIAS COM IRMÃ CLARA FIETZ NA ESCOLA DE JESUS CRISTO NOVE DIAS COM IRMÃ CLARA FIETZ NA ESCOLA DE JESUS CRISTO ORAÇÃO DO INÍCIO DA NOVENA SENHOR JESUS CRISTO, Vós nos encorajastes a Vos trazer nossa preocupação na oração. Se me pedirdes alguma coisa em meu

Leia mais

Salvador Dali - Geopoliticus Child Watching the Birth Of A New Man - 1940

Salvador Dali - Geopoliticus Child Watching the Birth Of A New Man - 1940 Autor: André Martinez REFLEXÕES ESPÍRITAS: O Homem no Mundo. Salvador Dali - Geopoliticus Child Watching the Birth Of A New Man - 1940 Capítulo 17 de "O Evangelho Segundo o Espiritismo" de Allan Kardec

Leia mais

MENOS ASSISTENCIALISMO, MAIS PEDAGOGIA. Moysés Kuhlmann: carências da educação infantil vão desde instalações à formação dos professores.

MENOS ASSISTENCIALISMO, MAIS PEDAGOGIA. Moysés Kuhlmann: carências da educação infantil vão desde instalações à formação dos professores. MENOS ASSISTENCIALISMO, MAIS PEDAGOGIA Moysés Kuhlmann: carências da educação infantil vão desde instalações à formação dos professores. 2 Ao lado das concepções do trabalho pedagógico para a infância,

Leia mais

Victor André João de Deus

Victor André João de Deus Victor André João de Deus Historia Marcellin Champagnat, aportuguesado para Marcelino Champagnat (20 de maio de 1789, Marlhes - 6 de junho de 1840, Notre Dame de l'hermitage) foi um presbítero da Sociedade

Leia mais

CAPÍTULO IGUALDADE NATURAL

CAPÍTULO IGUALDADE NATURAL O LIVRO DOS ESPÍRITOS CAPÍTULO 9 LEI DE IGUALDADE Igualdade natural Desigualdade das aptidões Desigualdades sociais Desigualdade das riquezas Provas de riqueza e de miséria Igualdade dos direitos do homem

Leia mais

OFICINA DAS MENINAS. O homem sonha, Deus quer e a obra nasce. F. Pessoa.

OFICINA DAS MENINAS. O homem sonha, Deus quer e a obra nasce. F. Pessoa. OFICINA DAS MENINAS O homem sonha, Deus quer e a obra nasce. F. Pessoa. O fruto de experiências vividas por anos de trabalho na rede social de Araraquara, legou-nos uma bagagem de inquietações que foram

Leia mais